PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO"

Transcrição

1 PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas Trindade 2011.

2 MANTENEDORA: CENTRO DE ESTUDOS OCTAVIO DIAS DE OLIVEIRA CNPJ: / ENDEREÇO: Rodovia GO-060, Km 19, nº Bairro: Setor Laguna Parque CEP: Município: Trindade Estado: GO FONE: (62) FAX: (62) DIRIGENTE: JOÃO PAULO BARCELLOS ESTEVES MANTIDA: FACULDADE UNIÃO DE GOYAZES ENDEREÇO: Rodovia GO-060, Km 19, nº Bairro: Setor Laguna Parque CEP: Município: Trindade Estado: GO FONE: (62) FAX: (62) DIRIGENTE: CARLOS AUGUSTO DE OLIVEIRA BOTELHO CURSO DE BIOLOGIA Coordenador: Prof. Henrique Santana Costa, M.Sc COMISSÃO RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA Profª. Cássia Rodrigues dos Santos, M.Sc. Prof. Dr. Cristiano José da Silva Profª. Fernanda Jorge de Souza, M.Sc. Prof. Hederson Pinheiro de Andrade, Esp. Prof. Hélio Pinheiro de Andrade, M.Sc. Prof. Henrique Santana Costa, M.Sc. Prof. Iada Anderson B. Leal, Esp. Prof. Leonardo Teófilo Telles, M.Sc. Prof. Luciano Gonçalves Nogueira, Esp. Prof. Manoel Eloy de M. Oliveira dos Santos, M.Sc. Prof. Nilton Carlos Valle, M.Sc. Prof. Dr. Rodrigo Irani Medeiros Profª. Thaís Renata Queiroz Santana Carneiro, M.Sc. Profª. Ursula Nunes Rauecker, M.Sc.

3 Organização Curricular do Curso de Licenciatura Plena em Biologia Esta proposta curricular, aprovada em congregação no dia 04 de dezembro de 2010, com vigência a partir de 2011/1, possuindo duração de 07 semestres (3,5 anos), propõe-se a formar o Licenciado em Biologia (L.Sc.). As práticas educativas da FUG visam à formação omnilateral do educando buscando conciliar os progressos técnico, científico e pedagógico com avanços do conhecimento orientados por uma perspectiva humanista. O currículo está organizado em disciplinas de formação geral, específicas, optativas, atividades complementares e práticas supervisionadas (Quadro I). Quadro I. Distribuição das disciplinas e carga horária do curso de Licenciatura em Biologia da FUG por período e natureza do componente curricular. 1º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 1 Ciências Morfofuncionais I Língua Portuguesa Química Geral Introdução a Biologia e Bioética Tecnologia da Informação Prática Pedagógica I Total Prérequisit os 2º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 7 Bioquímica Geral Bioestatística Psicologia aplicada a Saúde Genética Geral Ciências Morfofuncionais II Métodos e Técnicas de Estudo Metodologia do Ensino de Ciências Prática Pedagógica II Total Prérequisito s 3º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 15 Física para Biologia Microbiologia Geral Epidemiologia Química Orgânica Biofísica Geologia e Paleontologia Prática Pedagógica III Total Prérequisito s

4 4º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 22 Imunologia Geral Zoologia de Invertebrados Botânica I Ecologia do Cerrado Parasitologia Estrutura e Funcionamento da Educação Básica Prática Pedagógica IV Biologia Molecular Total Prérequisito s 5º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 30 Matemática para Biologia Zoologia de Vertebrados Botânica II Optativa I Evolução Ecologia Geral Filosofia e Sociologia da Educação LIBRAS Total Prérequisito s 6º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 38 Biotecnologia Criminalística Educação Ambiental Optativa II Ecologia de Campo Fisiologia Vegetal Estágio I Ensino Fundamental 50 Total Prérequisito s 7º Semestre Nº Denominação Carga Horária Teórica Teórica/Prática APS Total 45 Metodologia de Pesquisa de Campo Biodiversidade e Conservação Comportamento Animal Projeto Sócio-Educativo Estágio II Ensino Médio Didática TCC Optativa III Total Prérequisito s

5 # Carga horária de disciplinas horas # Estágio Supervisionado 400 horas # Atividades Complementares 200 horas # Atividades Práticas Supervisionadas 300 horas # Elenco de disciplinas Optativas 1. Entomologia Forense 2. Ornitologia 3. Liminologia 4. Ilustração Científica 5. Filogenia Humana 6. Herpetologia 7. Recursos Hídricos 8. Animais Venenosos 9. Ecoturismo no Cerrado 10. Levantamento Florístico 11. Direito e Legislação Ambiental

6 1. Introdução Pró-Reitoria de Graduação A aprovação da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB n o. 9394/96), deu-se no interior de intensa reflexão, motivada pelo expresso desejo de mudanças significativas no campo educacional brasileiro. Situa-se, no campo de expectativas dessas mudanças, a proposta de formação de professores, tema nunca tratado anteriormente como objeto próprio nas políticas educacionais. Entre as considerações mais expressivas sobre a formação de professores tem-se a proposta de estabelecimento de padrões de qualidade de excelência, em conseqüência da implantação das novas diretrizes curriculares. Nesse sentido, a Congregação do curso de Biologia discutiu a nova estrutura curricular para a Licenciatura em Biologia, que ora se apresenta para apreciação e parecer do Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Administração - CEPEA. Todas discussões, que resultaram na proposta do curso de Licenciatura em Biologia, foram norteadas, essencialmente, pela reflexão teórica e reformulação produzidas na FUG sendo expressadas no seu projeto de formação de professores bem como pelas Resoluções discriminadas abaixo: Resolução 01/2001-CNE/CP, de 18 de fevereiro de 2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena. Resolução 02/2002-CNE/CP, de 19 de fevereiro de 2002, que institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da educação básica, em nível superior. Resolução 07/2002-CNE/CES, de 11 de março de 2002, que estabelece as diretrizes curriculares para os cursos de bacharelado e licenciatura em Ciências Biológicas. O currículo do curso de Licenciatura em Biologia da FUG foi preparado seguindo-se as orientações que resultaram do confronto de idéias já interiorizadas no seu projeto de formação de professores e contidas na Resolução 02/2002-CP-CNE e no Parecer n o 09/2001-CP/CNE. A distribuição da carga horária contempla 2940 horas de abordagens teóricas, atividades práticas (incluindo laboratoriais) e horas de estágio supervisionado além, é claro, daquelas destinadas às atividades acadêmico-científico-culturais (Quadro I). Com o presente projeto pedagógico, a Coordenação de Biologia apresenta os pressupostos do currículo que deverão orientar a formação de professores de Biologia para o ensino Médio e Fundamental pela FUG, como também explicita os objetivos e a matriz curricular deste curso de Licenciatura. A experiência da Coordenação do curso de Biologia da FUG, aliada às diretrizes da formação de professores do Ministério da Educação, permitiu a elaboração desta proposta, que apresenta um curso de Licenciatura em Biologia contextualizado, contemporâneo, transdisciplinar, interdepartamental e permeado por atividades acadêmicas teórico-práticas garantindo a formação humanística, pedagógica e específica do egresso. As ementas contidas em anexo contemplam o conjunto das disciplinas, atividades e conteúdos que deverão promover o alcance dos objetivos propostos.

7 2. Perfil do Egresso Pró-Reitoria de Graduação O licenciado em Biologia graduado pela Faculdade União de Goyazes deverá ser um profissional capaz de pensar, decidir, planejar e, portanto, apto para realizar atividades educacionais e científicas nos níveis global e específico da sua área de conhecimento. Nesse contexto, o egresso em Biologia deverá ser um profissional social e eticamente responsável, capacitado para compreender criticamente a legislação vigente em função do conhecimento biológico, a agir sempre com atitudes conscientes de respeito à vida e de preservação das comunidades naturais, efetivamente comprometido com a melhoria das condições de vida, mediante o ensino e o exercício técnico-científico de suas atividades. A formação de profissionais de educação da FUG para o exercício da docência no campo da Biologia, objeto da presente proposta, considera as práticas socioculturais e pedagógicas presentes nos diversos espaços sociais e contextos escolares (e não escolares) como desdobramento do novo paradigma que orienta o ensino e, portanto, as inovações curriculares, possibilitando a organização do conhecimento como instrumento indispensável para o entendimento das interações entre as realidades social e natural. Conseqüentemente, este egresso estará capacitado a atuar de modo eficiente e engajado na formação humana e geral do cidadão, frente às questões e desafios de natureza sociológica, política, epistemológica, técnica, éticas e estéticas. 3. Competência, Habilidades e Atitudes O profissional formado pelo curso de Licenciatura em Biologia da Faculdade União de Goyazes estará apto a: Atuar como professor no Ensino Fundamental e Médio; Aplicar devidamente a base conceitual das Ciências Biológicas aos saberes pedagógicos, técnico-profissionalizantes e humanísticos, no exercício da profissão e da sua condição cidadã; Incorporar uma postura de investigação na atuação profissional; Atuar de maneira integrada com outros profissionais de forma que suas ações possam despertar a consciência ecológica e incentivar a prática preservacionista e multidisciplinar; Atuar na gestão e na avaliação de projetos educativos; Refletir, teoricamente, a partir das práticas pedagógicas experienciadas; Implantar\implementar as políticas educacionais em espaços escolares; Desenvolver atividades de ensino e pesquisa, articuladas ao contexto social, pautando sua conduta em princípios éticos e políticos; Acompanhar a evolução do pensamento científico na sua área de atuação; Construir e reconstruir conhecimentos necessários ao estabelecimento de relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade; Participar do trabalho conjunto de elaboração do planejamento educacional; Desenvolver práticas laboratoriais e de campo para o ensino/aprendizagem em ciências biológicas; Desenvolver estudos e métodos em educação ambiental; Desenvolver o ensino em comunidades especiais de forma a promover a inserção social e a cidadania; Atuar, na prática, em saúde pública; Desenvolver conhecimentos do meio biótico e abiótico, promovendo sua utilização racional e sua preservação; Desenvolver conhecimentos sobre os eventos genéticos e evolutivos das espécies; Atuar como agente transformador da sociedade e do meio ambiente; Promover, permanentemente, a análise crítica das políticas educacionais, da prática docente, das políticas ambientais e da preservação do meio e das espécies; Compreender o ser humano de forma ampla e abrangente, visando a sua integração no contexto social e ambiental;

8 Promover o desenvolvimento permanente de suas capacidades cognitivas, procedimentais e atitudinais; Considerar o currículo como resultado de um processo contínuo de construção, baseandose na avaliação, na investigação e na prática coletiva.

9 4. Objetivos do Curso Pró-Reitoria de Graduação O curso de Licenciatura em Biologia, que integra o projeto de formação de professores da FUG, propõe-se, de forma colegiada, a formar professores para o Ensino Fundamental e Médio, com uma base teórica de excelente qualidade, definida no interior da experiência docente, na relação teoria/prática formação em serviço tendo como preocupações, fundamentais, as explicitadas a seguir: 4.1. Objetivo Geral Formar professores habilitados na área de Ciências Biológicas, para o Ensino Fundamental e Médio, capacitados para compreender o processo educativo escolar em suas múltiplas inter-relações: administrativas, pedagógicas, éticas, históricas, sociais, econômicas, políticas e culturais, para propor procedimentos didático-metodológicos, expressos nas ações e abordagens inclusivas para uma educação com vistas à formação cidadã Objetivos Específicos Dotar o acadêmico de uma fundamentação biológica básica e consistente, de acordo com as atuais exigências e avanços da área, pertinente à formação do professor do Ensino Fundamental e Médio, habilitando o Licenciado a acompanhar a evolução do pensamento científico na sua área de atuação. Desenvolver criticamente as atividades de ensino com vistas à compreensão da realidade nacional e regional, propondo ações pertinentes a essas realidades. Formar profissionais cientes do seu papel como agentes transformadores do ambiente físico e social, aptos para estabelecerem relações entre ciência, tecnologia e sociedade. Desenvolver condições para a produção de um saber científico e pedagógico, consolidado no permanente exercício da práxis humana e pedagógica. Formar profissionais voltados para a preservação dos direitos dos homens e do meio ambiente, que atuem de forma ética e responsável. Preparar os licenciados para atuação no ensino e na pesquisa, na construção e consolidação de um saber biológico, comprometido com a preservação da vida. Compreender e divulgar o saber biológico de forma humanizada, procurando entender a relação homem x ambiente no contexto da natureza, formando indivíduos críticos no manejo dos ecossistemas e dos recursos naturais, promovendo o ideal utópico de um mundo mais humanizado, mais justo, equilibrado e coerente. Distinguir a natureza das relações e inter-relações sociais, econômicas, políticas e culturais na constituição da realidade da educação escolar brasileira e regional, bem como a importância do processo da escolarização na formação do cidadão brasileiro, habilitando profissionais capazes de atuar em prol da preservação da biodiversidade, considerando as necessidades de desenvolvimento inerentes à espécie humana. Compreender os fundamentos das teorias do conhecimento que sustentam as propostas metodológicas do processo ensino-aprendizagem, para, de forma competente, organizar, coordenar e participar de equipes multiprofissionais. Formar professores capazes de compreender o processo do desenvolvimento cognitivo, afetivo e social da criança e do jovem na construção de suas relações com o mundo e com os outros. Formar professores conscientes dos conteúdos fundamentais das diferentes ciências que integram o currículo do Ensino Fundamental e Médio capazes de desenvolver atividades educacionais nesses níveis de ensino. Desenvolver, no âmbito de um projeto pedagógico, a capacidade de organização curricular para subsidiar, de forma integrada e contextualizada, o acadêmico em seu processo de construção dos conceitos básicos no campo da Linguagem, da Matemática e das Ciências Sociais e Naturais e suas inter-relações com as Ciências Biológicas.

10 Utilizar o conhecimento socialmente acumulado na produção de novos conhecimentos, de forma crítico-criativa orientados por critérios de relevância social. Desenvolver ações estratégicas para diagnóstico de problemas, encaminhamento de soluções e tomada de decisões. Gerenciar e executar tarefas técnicas nas diferentes áreas do conhecimento biológico, no âmbito de sua formação. Desenvolver idéias inovadoras e ações estratégicas, capazes de ampliar e aperfeiçoar sua atuação, mediante inserção qualificada socialmente num mercado de trabalho em contínua transformação. 5. Habilitações e Ênfases O currículo de Licenciatura em Biologia foi concebido, considerando a concepção que orienta o então projeto de formação de professores da FUG e as diretrizes e normas do Ministério da Educação e do Conselho Nacional de Educação. A proposta curricular e o projeto pedagógico do curso, com sua matriz flexibilizada, garantem a sedimentação dos conceitos teóricos, mediante prática alicerçada no ensino, na pesquisa e na extensão, além de capacitar o acadêmico da FUG para buscar e desenvolver conhecimentos e habilidades específicos, complementares à sua formação. Para os profissionais de educação formados no Curso de Licenciatura em Biologia, a FUG assegura a aquisição de conhecimentos e domínio das formas de intervenção que atendam à sua atuação no ensino de estudantes de diferentes faixas etárias, que expressam várias representações sociais e culturais ou necessidades especiais. Neste sentido, são consideradas, para desenvolvimento em cada seguimento, as seguintes ênfases: educação escolar, familiar, infantil, dos jovens e dos idosos, urbana, sindical, rural, tecnológica e cultural.

11 6. Conteúdos Curriculares Os conteúdos descritos a seguir foram elaborados conforme diretrizes definidas no Parecer 1301/2001-CNE/CES e englobam conhecimentos biológicos integrados aos conhecimentos das áreas das ciências exatas, da terra e humanas. A nova proposta curricular da de Coordenação de Biologia da FUG para a formação de professores de biologia contempla: Uma abordagem contemporânea e atualizada dos conteúdos e propriedades das disciplinas obrigatórias do núcleo essencial à formação de professores; Uma abordagem teórico-prática dos conteúdos de toda estrutura curricular desde o primeiro semestre letivo. Nesse contexto, o acadêmico, a um só tempo, apropria-se e apreende o conteúdo e a prática. A prática como componente curricular deve ser mais abrangente, ultrapassando a compreensão que os dispositivos legais encerram e, portanto, indo além deles. Ao ser planejada num contexto pedagógico, a prática deve contemplar o início do curso e se estender ao longo de todo o processo formativo. A formação do professor como educador deve dar-se em articulação intrínseca com o estágio supervisionado e com as atividades de trabalho acadêmico. Ao preparar os programas de disciplinas, entregues aos discentes no primeiro dia de aula, os docentes discutirão com a turma a condução das atividades práticas no âmbito da licenciatura, preparando e explicitando momentos do aprender-a-aprender e do aprender-a-ensinar, do conteúdo a ser conduzido nas disciplinas. Neste contexto, enquanto a prática possibilita uma apropriação de conteúdo, mediante a discussão do tema abordado, ela reflete em si uma prática pedagógica, pois o docente entende a dinâmica dialética do processo. A ampliação da carga horária de disciplinas relacionadas à formação pedagógica específica e dos estágios supervisionados, destinados à vivência das questões pedagógicas e à inserção dos futuros professores na realidade das instituições escolares. Uma maior flexibilização do currículo, mediante a redução de pré-requisitos e co-requisitos e a incorporação à formação de conteúdos de natureza mais ampla 7. Estágio e Atividades Complementares O Parecer 028/2001-CNE/CP, de 02/10/2001, esclarece que, para a formação de professores, a duração dos cursos de licenciatura poderá ser contada por anos letivos, por dias de trabalho escolar efetivado ou por uma combinação destes. Em relação aos componentes curriculares, está prevista a autonomia das universidades na composição de elementos obrigatórios e facultativos, articulados entre si, e que no conjunto exigem trabalho acadêmico efetivo. A integralização do conteúdo implica tanto o ensino em sala de aula quanto em outras atividades acadêmicas estabelecidas e planejadas no projeto pedagógico do curso. Assim, o projeto de formação de professores do curso de Biologia da FUG, em relação a esses dois componentes curriculares, estrutura-se mediante: A definição de novo formato para o Estágio Supervisionado, ampliado e melhorado, passa a ter como objetivo principal a promoção e inserção significativa do futuro professor na realidade escolar e na problemática próprias da atividade profissional dos professores de Ciências Biológicas. Os estágios curriculares serão desenvolvidos a partir do 6 o período do curso, nas escolas de educação básica. Os projetos de estágio deverão ser planejados e avaliados conjuntamente pelo curso e pela escola que recebe os docentes em formação. Estímulo constante para o envolvimento acadêmico em estágio curricular não obrigatório como atividade opcional interna ou externa à unidade acadêmica. Esta modalidade de estágio enriquece a formação humana e profissional do estudante. O estágio curricular não obrigatório é subordinado às exigências curriculares do curso e às diretrizes das políticas que regulamentam o estágio na FUG. A supervisão sistemática do estagiário em um contexto de reflexão coletiva.

12 A apresentação de uma monografia no último período do curso, mediante o desenvolvimento de estudos voltados para a compreensão de temas em Biologia e Educação. A articulação da formação acadêmica específica, por meios de disciplinas centradas em conteúdos do campo de conhecimento, com a vivência de outras experiências culturais e acadêmicas relevantes. Nesse contexto, a proposta inclui 200 horas de atividades acadêmico-científico-culturais, normatizadas pela Faculdade, sendo o acadêmico orientado para a escolha responsável das atividades. O acadêmico será estimulado a participar de programas de iniciação científica, de extensão, de monitorias, a apresentar trabalhos em congressos ou eventos da área e a publicar artigos. A proposta de formação de professores de Biologia na FUG aponta como diretriz a formação ético-humanista dos profissionais, visando à conscientização do professor quanto ao papel do processo de educação e sua amplitude holística bem como o desenvolvimento para a prática da educação continuada e da atualização contínua do conhecimento necessário para a compreensão da realidade. A fim de incentivar a autonomia intelectual do acadêmico na condução do seu processo de formação profissional, a FUG e a Coordenação do curso de Biologia estimulam a ampla participação discente em eventos acadêmicos, culturais e sociais. Tal flexibilização possibilitará ao acadêmico agir como sujeito em seu processo de formação profissional, sem perda do rigor acadêmico. Por outro lado, a FUG cumpre um requisito obrigatório e importante para os cursos de graduação, conforme Art. 2 o 2 o da Resolução 001/2003-CONAC. O acadêmico de licenciatura em Biologia deverá participar de eventos técnicos científicos específicos da área de Biologia e Educação, na forma de exposições de trabalhos, projetos científicos, monitorias ou grupos de discussões, que contemplem os aspectos sócioculturais e políticos ligados ao dia-a-dia da comunidade. Deve participar, ainda, de palestras programadas pela Coordenação do curso de Biologia ou visitas monitoradas a instituições ou eventos culturais, de eventos artísticos da FUG e de debates de temas gerais relacionados ao ensino nos diferentes campos da Biologia. 8. Estratégias de Ensino, Aprendizagem e Avaliação O processo ensino-aprendizagem privilegia metodologias ativas, nas quais a participação discente é elemento fundamental. As estratégias utilizadas na condução do processo de ensino/aprendizagem oferecido pela Faculdade União de Goyazes estão de acordo com o paradigma de ensino recomendado no Regimento Geral do Ensino Universitário/Resolução No. 001/93 e abrangem, entre outras: Aulas expositivas, utilizando diversos recursos audiovisuais.; Estudos dirigidos, individuais e em grupo, incluindo a realização de atividades experimentais; Revisão de literatura seguidas de seminários apresentados pelos alunos e discussão em sala de aula, facilitada pelo professor e convidados; Leitura e discussão de artigos de publicações especializadas; Realização e discussão de resultados de ensaios experimentais; Debates em torno de temas específicos; Atividades práticas supervisionadas. A explicitação da agenda dos objetivos a serem atingidos e dos temas e seqüências a serem trabalhados, a prática de retomada da aula anterior e o exercício de dar voz aos alunos nas aulas são estratégias complementares para o desenvolvimento do processo de ensino/aprendizagem inerentes a cada disciplina/professor. Embora assegurando a autonomia do professor em sua sala de aula, a Coordenação de Biologia da FUG estimulará a prática acadêmica voltada para a cidadania. A interdisciplinaridade associada às atividades problematizadoras e o rigor acadêmico são princípios que constituem uma realidade já implantada no curso de Licenciatura em Biologia. O acadêmico deverá mediante o domínio dos

13 instrumentos do pensar, desenvolver com autonomia intelectual, formular conhecimentos e propor formas de intervenção decorrentes de um processo dinâmico e interligado das atitudes de ação-reflexão-ação. A Faculdade União de Goyazes considera que a avaliação deve figurar como uma estratégia importante de ensino/aprendizagem. Nesse sentido, além de informar sobre o desenvolvimento da aprendizagem no fim do processo (função somativa), ela deverá somar-se ao processo de ensino/aprendizagem, durante todo o seu desenvolvimento (função formativa), e ao diagnóstico de problemas de aprendizagem relacionados ao conteúdo programático e/ou em grupos de alunos para os quais seja necessário dar mais atenção, realizar retomadas de decisão e enfrentamento além de possibilitar a inserção de estratégias alternativas que objetivam a mudança no curso das ações sem prejuízo do rigor acadêmico (função diagnóstica). No contexto mencionado acima, a Coordenação de Biologia propõe que a avaliação seja tomada como um momento de aprendizagem, no qual se estabelece o resgate da construção metodológica e da problemática dinamizadora do curso em seu contexto e projeto pedagógico. A Coordenação segue as diretrizes da Faculdade e em suas estratégias de avaliação discente recorre a um processo gradual, contínuo, sistemático e diversificado. Os resultados da avaliação serão sempre comunicados e discutidos com o acadêmico previamente à sua publicação. Para o cálculo da média final, serão consideradas as diretrizes apontadas na Resolução 001/93-COU, de 19 de julho de Corpo Docente e Gestão Departamental 9.1. Gestão Departamental Para atingir os objetivos propostos no projeto curricular do curso Licenciatura em Biologia, contará com o auxílio de um coordenador de curso e três membros para a comissão auxiliar, escolhidos entre os professores do quadro permanente. Adicionalmente, os demais professores poderão constituir comissões necessárias à gestão do curso, destacando-se as seguintes (Quadro II). Quadro II. Relação das comissões que devem ser implantadas no curso de biologia para contribuir com a gestão departamental, segundo orientações dos SINAES. Comissão Atuação 1. Comissão Própria de Avaliação contínua 2. Comissão de Eventos contínua 3. Comissão de Egressos contínua 9.2. Corpo Docente O corpo docente do curso de Biologia mostra-se constituído por 16 professores (Quadro III). Professores visitantes e convidados eventualmente completam o quadro docente do curso durante um período de tempo determinado desde que obedecidas às normas ditadas pela administração superior da IES. Quadro III. Corpo Docente Permanente do curso de Biologia da FUG, segundo graduação e última titulação. Professor Titulação Graduação Área da última titulação Alexsander Augusto da Silveira Dr. Biologia Cássia Rodrigues dos Santos M.Sc. Letras Cícero Josinaldo da Silva Oliveira M.Sc. Filosofia Cristiano José da Silva Dr. Biologia Biologia: Biologia Molecular

14 Fernanda Jorge de Souza M.Sc. Ed. Física Hederson Pinheiro de Andrade Esp. Ed. Física Hélio Pinheiro de Andrade M.Sc. Biologia Geociências: Meio Ambiente Henrique Santana Costa Iada Anderson B. Leal Leonardo Teófilo Teles Luciano Gonçalves Manoel Eloy de M. Oliveira dos Santos Nilton Carlos Valle M.Sc. Esp. M.Sc. Esp. M.Sc. M.Sc. Biologia Biologia Biologia Biologia Biologia Biologia Rodrigo Irani Medeiros Dr. Química Thaís Renata Queiroz M.Sc. Psicologia Úrsula Nunes Rauecker M.Sc. Medicina Veterinária Geociências: Meio Ambiente Geociências: Meio Ambiente Ecologia: Meio Ambiente Ecologia: Meio Ambiente 10. Avaliação Acadêmica e do Projeto Político-Pedagógico Adicionalmente, às normas de avaliação acadêmica instituídas pela FUG, a coordenação de Biologia implantou um sistema de avaliação do curso, no qual docentes e discentes participam semestralmente, utilizando os instrumentos de avaliação contidos em anexo. Durante o processo avaliativo, docentes e discentes fazem uma auto-valiação, discentes avaliam o docente da disciplina, docentes avaliam a turma para a qual lecionam a disciplina e ambos avaliam a disciplina, as discussões e as condições estruturais de salas e laboratórios. O protocolo de avaliação pretende investigar a qualidade acadêmica dos trabalhos desenvolvidos pelo curso, com a finalidade de aperfeiçoá-la, mediante o apoio e o acompanhamento, por parte da administração superior da IES, aos docentes e discentes para garantir a qualidade do ensino e o alcance dos objetivos contidos na proposta político-pedagógica do curso. Os resultados do processo de avaliação semestral serão amplamente discutidos com o colegiado do curso, que contém representação discente. Os resultados acumulados de dois semestres serão apresentados para docentes e discentes durante a Semana de Biologia, um evento anual do curso de Biologia, na forma de uma mesa redonda específica, para que sejam tomadas as decisões pertinentes ao andamento e ajustes do projeto, incluindo propostas de reformulações. Qualquer proposta de reformulação deverá ser encaminhada à administração superior da IES, que avaliará a justificativa da Congregação e definirá as normas e o tempo que o curso irá dispor para encaminhar as hipóteses de intervenção ao Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Administração da FUG.

15 11. Ementário e Bibliografia FILOSOFIA E SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO Ementa: Filosofia e práxis educativa. Construção histórica do conhecimento. Correntes filosóficas e educacionais. Educação escolar: determinantes e componentes econômicos, sociais, históricos, filosóficos, políticos e ideológicos. Concepções pedagógicas dominantes e críticas na sociedade moderna e contemporânea: raízes históricas e sociais. 1. ALVES, R. Filosofia da Ciência COSTA, C. Sociologia: introdução à Ciência da Sociedade WEBER, M. Conceitos básicos de Sociologia CHAUI, M. Convite à filosofia MONOD, J. O acaso e a necessidade MATURANA, H. R. A ontologia da realidade DEMO, P. Conhecimento moderno: sobre a ética e intervenção do conhecimento DOMINGUES, J. M. Teorias sociológicas no século XX PRÁTICA PEDAGÓGICA I Ementa: Capacitação do aluno como educador. Habilitar o estudante a selecionar, desenvolver e usar métodos e recursos adequados ao ensino de ciências biológicas levando-o a atuar como orientador e mediador entre a escola e a comunidade. Como profissional responsável e crítico dos processos históricos da educação, egresso será capaz de analisar o processo ensino aprendizagem de conteúdos ligados à ciência, tecnologia, sociedade e meio ambiente. 1. ASTOLFI, J. P. DEVELAY, M. A didática das ciências GIL-PÉREZ, D. Orientações didáticas para a formação continuada de professores de Ciências KRASILCHICK, M. Prática do ensino de biologia RODRIGUES, N. Da mistificação da escola à escola necessária FREITAS. Escola, Estado e Sociedade CUNHA, L. A. O Golpe na Educação ARAGÃO, R. M. R. Reflexões sobre ensino, aprendizagem e conhecimento CARVALHO, A. M. P. GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações

16 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Ementa: Aspectos históricos da Educação brasileira. Legislação e normas do funcionamento da Educação. Organização das instituições de ensino fundamental e médio 1. RIBEIRO, M. L. S. História da educação brasileira BRANDÃO, Z. A crise dos paradigmas e a educação BRASIL-MEC. Organização e administração de escolas do 2 0 grau COSTA, M. Rendimento escolar no Brasil: a experiência de outros países DEMO, P. Desafios modernos da educação LIBÂNEO, J. C. O campo do conhecimento pedagógico e a identidade profissional do pedagogo BRASIL-MEC. Plano decenal de educação para todos DRUGG, K. & ORTIZ, D. O desafio da educação: a qualidade total METODOLOGIA DO ENSINO DE CIÊNCIAS Ementa: Teorias educacionais e da significação dos conhecimentos, procedimentos, atitudes e habilidades biológicas, num contexto sócio-histórico-cultural, considerando as dimensões éticas da atualidade no conhecimento profissional relativos ao ensino de Biologia. 1. HAIDT, R. C. C. Curso de Didática Geral LIBÂNEO, J. C. Didática MASETTO, M. Didática: a aula como centro MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo NOT, L. Ensinando a aprender LIBÂNEO, J. C. O campo do conhecimento pedagógico e a identidade profissional do pedagogo FROTA-PESSOA, O, GEVERTZ, R., SILVA, A. G. Como ensinar ciências HENNING, G. H. Metodologia do Ensino de Ciências PRÁTICA PEDAGÓGICA II Ementa: Capacitação do aluno como educador. Habilitar o estudante a selecionar, desenvolver e usar métodos e recursos adequados ao ensino de ciências biológicas levando-o a atuar como orientador e mediador entre a escola e a comunidade. Como profissional responsável e crítico dos processos históricos da educação, egresso será capaz de analisar o processo ensino aprendizagem de conteúdos ligados à ciência, tecnologia, sociedade e meio ambiente. 1. ASTOLFI, J. P. DEVELAY, M. A didática das ciências GIL-PÉREZ, D. Orientações didáticas para a formação continuada de professores de Ciências

17 3. KRASILCHIK, M. Prática do ensino de biologia ARAGÃO, R. M. R. Reflexões sobre ensino, aprendizagem e conhecimento CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações RODRIGUES, N. Da mistificação da escola à escola necessária FREITAS, D. Escola, Estado e Sociedade CUNHA, L. A. O Golpe na Educação PRÁTICA PEDAGÓGICA III Ementa: Observação e análise das realidades dos diferentes níveis educacionais. Análise do sistema escolar. A organização regimental escolar e seus elementos constitutivos. Roteiro de orientação para pesquisa in loc. Planejamento, elaboração, aplicação e avaliação dos saberes Biológicos e suas aplicações pedagógicas. 1. LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F.; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização VEIGA, I. P. Projeto político-pedagógico FRANCO, M. A. S. Pedagogia como Ciência da Educação GIL-PÉREZ, D. Orientações didáticas para a formação continuada de professores de Ciências ARAGÃO, R. M. R. Reflexões sobre ensino, aprendizagem e conhecimento BRASIL. MEC. Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional SOBRINHO, J. A. O Plano de Desenvolvimento da Escola e a gestão escolar no Brasil: situação atual e perspectivas LIMA, L. C. A escola como organização educativa ESTÁGIO SUPERVISIONADO I Ementa: Visão sistêmica da instituição escolar. Observação e estudo da organização e gestão da instituição campo de estágio, com reflexão coletiva sobre a realidade nela vivenciada e diagnóstico para possíveis intervenções. Desenvolvimento de estudos/observações em Escolas, Museus, Parques, Jardins, Zoológicos ou qualquer outra instituição voltada para a formação no âmbito da Biologia. O planejamento escolar. 1. BRASIL - Secretaria de Educação do Ensino Médio. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental BRUNER, J. O Processo da educação CARVALHO, A. M. P.; GIL PÉRES, D. Formação de professores de ciências: tendência e inovações

18 1. CHASSOT, A. A ciências através dos tempos DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A Metodologia do ensino de ciências DEMO, P. Educar pela pesquisa FRACALANZA, H. O ensino de ciências no 1º grau GIL PÉRES, D. Diez años de investigación en didáctica de las ciencias: realizaciones y perspectivas PSICOLOGIA APLICADA A SAÚDE Ementa: Psicologia: caráter científico, princípios e conceitos. Psicologia nos processos de saúde, doença e recuperação. Processos motivacionais. Desenvolvimento humano. Psicossomática. Humanização em saúde. Aplicabilidade de aspectos psicológicos na atuação do biólogo. 1. BRONFENBRENNER, U. A Ecologia do Desenvolvimento Humano: experimentos naturais e planejados RAPPAPORT, C. R.; FIORI, W. R.; DAVIS, C. A Idade pré- escolar RAPPAPORT, C. R.; FIORI, W. R.; HERZBERG, E. A Infância Inicial: o bebê e sua mãe ABERASTURY, A. A. Criança e seus Jogos ANGERAMI, C. V. A.; Temas existenciais em psicoterapia ANGERAMI, C. V. A.; CHIATTONE, H. B. C.; MELETI, M. R. A Psicologia no Hospital GARRALDA, M. E. Tratando a Criança com Problemas Psiquiátricos MASSIMI, M.; GUEDES, M. C. História da Psicologia no Brasil. Novos estudos CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS II Ementa: Estudo do funcionamento dos animais. Aspectos comparativos dos diversos grupos animais e adaptações destes aos diferentes ambientes. Ênfase nos sistemas respiratório, circulatório, digestório e excretor. 1. GUYTON, A. C. Tratado de Fisiologia Médica DÂNGELO, J. G.; FATTINI, C. A. Anatomia humana Sistêmica e Tegumentar ROHEN, J. W.; YOKOCHI, C.; LÜTJEN-DRECOLL, E. Anatomia Humana: Atlas Fotográfico de Anatomia Sistêmica e Regional DAVIES, A.; BLAKELEY, A. G. H.; KIDD, C. Fisiologia Humana SILVERTHORN, D. U. Fisiologia Humana: uma abordagem integrada

19 3. WANATABE, Li-Sei. Erhart: Elementos da Anatomia Humana HANSEN, J. T. KOEPPEN, B. M. Atlas de Fisiologia Humana de Netter BERNE, R. M. et al. Fisiologia LINGUA PORTUGUESA Ementa: Análise e desenvolvimento de textos (coesão textual, coerência, relação entre textos, aspectos gramaticais, redação oficial, dissertação e narração). Gramática e dificuldade ortográfica. Concordância verbal e nominal. Estrutura do texto narrativo e dissertativo. A linguagem como meio de melhoria do conhecimento, da capacitação e habilitação para o mercado de trabalho. Utilização de meios auxiliares (internet, vídeo e multimídia) como forma de aprofundamento no conhecimento em língua portuguesa. 1. ALMEIDA, N. M. Gramática metódica da Língua Portuguesa PERINI, M. A. Para uma nova gramática do português TRAVAGLIA, L. C. Gramática e Interação: uma proposta para o ensino de gramática BECHARA, E. O Que Muda Com o Novo Acordo Ortográfico BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Vocabulário ortográfico da língua portuguesa FIORIN, J. L. Linguagem e ideologia Dicionário Aurélio da língua portuguesa QUÍMICA GERAL Ementa: Conceitos fundamentais. Teoria atômico-molecular. Atomística. Periodicidade química. Ligações químicas. Funções inorgânicas e orgânicas. Introdução às reações químicas e aos cálculos quantitativos da Química. Soluções. 1. KOTZ, J. C.; TREICHEL JUNIOR, P. M. Química Geral e Reações Químicas BRADY, J.; & HUMISTON, G. E. Química geral HARTWIG, D. R.; SOUZA, E.; MOTA, R. N. Química Geral e Inorgânica SACKHEIM, G. I.; LEHMAN, D. D. Química e Bioquímica para Ciências Biomédicas VOGEL, A. I. Química analítica qualitativa VOGEL, A. I. Análise Química Quantitativa CARVALHO, P. R. Boas práticas químicas em Biossegurança DENNEY, J.; MIENDHAM R. C.; BIARMES, J. D.; THOMAS, M. J. K. Análise química quantitativa

20 INTRODUÇÃO A BIOLOGIA E BIOÉTICA Ementa: História e evolução da Biologia. Ato profissional e Responsabilidade Técnica (RT). Princípios éticos e código de ética da profissão de Biólogo. Origem e evolução da Bioética. Estudo das inter-relações existentes entre a Ética, a Moral e o Direito. Caracterização da Bioética como uma ética inserida na prática profissional. Comparação entre os diferentes modelos explicativos utilizados na Bioética. Reflexão acerca dos aspectos éticos envolvidos em questões relativas à privacidade, confidencialidade, responsabilidade científica, compromisso social, cidadania e respeito à pessoa. Tomada de decisão em pesquisa. 1. Código de Ética do Profissional Biólogo. 2. Lei n (Regulamentação da profissão do Biólogo). 3. DE SÁ, A. L. Ética Profissional DURAND, G. Introdução Geral a Bioética PESSINI, L. Bioética em Tempos de Incertezas PEGORARO, O. A. A Ética e a Bioética SCHRAMM, F. R. Bioética: Riscos e Proteção VIEIRA, T. R. Bioética nas Profissões TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Ementa: A sociedade da informação. A importância do computador nos dias atuais. Universo digital futuro virtual. Evolução dos computadores. Estrutura básica de um computador (hardware, CPU e periféricos). Software. Introdução ao sistema operacional windows: características e apresentação (painel de controle, software, aplicativos (word, PowerPoint), vírus e vacinas). Introdução à internet: utilização do internet explorer. Pesquisa e comunicação ( ) pela internet. 1. BRAGA, W. Informática Elementar - Windows XP, Excel XP e Word XP VELLOSO, F. C. Informática: conceitos básicos MANZANO, A. L. N. G. MANZANO, M. I. N. G. Informática Básica NORRIS, D. E. et al. Microcomputadores na prática clínica LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática MOREIRA, S. B. Informática, ciência e atividade física DATE, C. J. Introdução a sistemas de banco de dados BADDINI, F. C. Windows Server 2003: dicas e procedimentos técnicos MATEMÁTICA PARA BIOLOGIA Ementa: Estudo dos conceitos básicos de Matemática. Funções. Domínio, Imagem e gráfico.

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) ANÁLISE BIOMECÂNICA DO MOVIMENTO (1504) C/H 68 Análise anátomo-funcional do movimento humano com ênfase no

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER CNE/CES 1.301/2001 - HOMOLOGADO Despacho do Ministro em04/12/2001, publicado no Diário Oficial da União de 7/12/2001, Seção 1, p. 25. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 21/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Ciências Biológicas, modalidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

Competências e Habilidades Específicas:

Competências e Habilidades Específicas: DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado

Leia mais

Estabelece a Base Curricular, para a Formação Pedagógica dos Cursos de Licenciatura.

Estabelece a Base Curricular, para a Formação Pedagógica dos Cursos de Licenciatura. RESOLUÇÃO Nº 04/2004 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Estabelece a Base Curricular, para a Formação Pedagógica dos Cursos de Licenciatura.

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv. 88 Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Perceber e utilizar os códigos intrínsecos da Biologia. Relacionar o conhecimento das diversas disciplinas para o entendimento

Leia mais

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA Para melhor entendimento desta proposta de reestruturação curricular apresentamos

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO DIREÇÃO DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 1. Perfil do Curso CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS

Leia mais

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA (Bacharelado) Aplicada aos Ingressantes a partir de 2011/1 Turnos Integral Matutino/Vespertino e Integral Vespertino/Noturno 1 o Período BIOLOGIA CELULAR

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico. Curso de Bacharelado em Biologia. Departamento de Biologia Universidade Católica de Goiás

Projeto Político-Pedagógico. Curso de Bacharelado em Biologia. Departamento de Biologia Universidade Católica de Goiás Projeto Político-Pedagógico Curso de Bacharelado em Biologia Departamento de Biologia Universidade Católica de Goiás Goiânia, Fevereiro de 2005. Administração Superior da SGC Presidente: D. Washington

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ENFERMAGEM Atividades Complementares Compreende atividades extracurriculares desenvolvidas conforme opção do aluno, correlacionadas com os objetivos gerais

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Curso de Ciências Biológicas Diretora: Profª. Dra. Lourdes Maria Abdu El-moor Loureiro Assessores: Profª. Dra. Melina Guimarães Profª. Dra. Luciana de Mendonça Galvão Agosto

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2015 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2015 1.ª SÉRIE Curso: Graduação: Regime: EDUCAÇÃO FÍSICA MATRIZ CURRICULAR LICENCIATURA SERIADO ANUAL - NOTURNO Duração: 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EAD (Currículo 2015)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EAD (Currículo 2015) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EAD (Currículo 2015) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA C/H 105 D0232 Estudo anatômico e fisiológico dos sistemas: digestório, circulatório,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 5, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição. O Presidente

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em,

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 60 h Prática: 15 h Créditos: 4 A Biologia e o educador. Herança e meio, a hereditariedade. Reprodução humana. As funções vegetativas (digestão e alimentos,

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas.

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas- Período Integral NÚCLEO BÁSICO BA281 Anatomia Humana Geral 04 BB281 Bioquímica de Proteínas 04 BB381 Metabolismo 04 BC182 Biologia Celular I 04 BC282 Biologia

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Modalidade: Educação a Distância

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Modalidade: Educação a Distância CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Modalidade: Educação a Distância 1. HABILITAÇÃO: Licenciatura GRAU ACADÊMICO: Licenciado em Ciências Biológicas PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 4 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM UBERABA MG 2010 INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR ACADÊMICO

Leia mais

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO

FINALIDADES E OBJETIVOS DO CURSO 1.Identificação e situação legal - Identificação do curso, ato de criação, início do curso e ato de reconhecimento. CURSO: SITUAÇÃO LEGAL: Medicina Veterinária Dados de Criação/Autorização: Documento:

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR

ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR ANEXO 1 PERFIS DE PROFESSOR EDITAL 162/2013 Curso Sem. Disciplina Perfil do Docente Administração 1º Teoria Geral da Administração Administração 1º Empreendedorismo Administração 1º Sociologia das Organizações

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS. B) TEMPO ÚTIL (Carga Horária) = 3.840 H/AULA CURRÍCULO PLENO 1.

MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS. B) TEMPO ÚTIL (Carga Horária) = 3.840 H/AULA CURRÍCULO PLENO 1. MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: NUTRIÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁIMO = 7 (SETE)

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Curso de Licenciatura em Ciências Naturais e Matemática. Formação Geral 1º e 2º anos

Curso de Licenciatura em Ciências Naturais e Matemática. Formação Geral 1º e 2º anos Formação Geral 1º e 2º anos DISCIPLINA 1º Semestre Cultura Brasileira História da Educação Inglês I Leitura e Produção de Textos Letramento Digital Matemática Sociedade, Tecnologia e Inovação 2º Semestre

Leia mais

IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657

IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657 TEMAS DE BIOLOGIA MAIS FREQUENTES NO PROCESSO SELETIVO SERIADO (PSS) DA UFPB E OS CONTEÚDOS DE ENSINO DE BIOLOGIA, SEGUNDO OS ORIENTADORES CURRICULARES Alessandro Tomaz Barbosa 1, Marsílvio Gonçalves Pereira

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação 2013 163. FÍSICA Licenciatura. COORDENADOR Orlando Pinheiro da Fonseca Rodrigues ofonseca@ufv.br

UFV Catálogo de Graduação 2013 163. FÍSICA Licenciatura. COORDENADOR Orlando Pinheiro da Fonseca Rodrigues ofonseca@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 163 FÍSICA Licenciatura COORDENADOR Orlando Pinheiro da Fonseca Rodrigues ofonseca@ufv.br 164 Currículos dos Cursos UFV Licenciatura (Integral) ATUAÇÃO O curso de graduação

Leia mais

EMENTÀRIO DISCIPLINAS OPTATIVAS

EMENTÀRIO DISCIPLINAS OPTATIVAS Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos Diretoria de Graduação e Educação Profissional COBIO Coordenação do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas EMENTÀRIO

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

REPENSANDO A LICENCIATURA EM FÍSICA: elementos para uma nova proposta

REPENSANDO A LICENCIATURA EM FÍSICA: elementos para uma nova proposta REPENSANDO A LICENCIATURA EM FÍSICA: elementos para uma nova proposta Nilson Marcos Dias Garcia a b [nilson@ppgte.cefetpr.br] José Luiz Fabris a [fabris@cefetpr.br] Cristóvão Renato M. Rincoski a [rincoski@cefetpr.br]

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV ENFERMAGEM. COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br

Currículos dos Cursos UFV ENFERMAGEM. COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br 114 ENFERMAGEM COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 115 Currículo do Curso de Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta como perfil

Leia mais

RESUMO DO PROJETO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA

RESUMO DO PROJETO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA RESUMO DO PROJETO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA MARILDE QUEIROZ GUEDES Diretora do Departamento VIVIANY T. DO NASCIMENTO Coordenadora de Colegiado NEUZA FERNANDES DE SOUZA Secretária do

Leia mais

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 I CICLO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (1º e 2º semestres): FUNDAMENTOS DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EMENTÁRIO: O I Ciclo do Curso de Pedagogia do UniRitter desenvolve os fundamentos

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - LICENCIATURA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente:

Leia mais

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES

BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES BACHARELADOS INTERDISCIPLINARES Bacharelados Interdisciplinares (BIs) e similares são programas de formação em nível de graduação de natureza geral, que conduzem a diploma, organizados por grandes áreas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS DOCENTES DE BIOLOGIA QUE ATUAM NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS/GOIÁS

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS DOCENTES DE BIOLOGIA QUE ATUAM NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS/GOIÁS FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL DOS DOCENTES DE BIOLOGIA QUE ATUAM NAS ESCOLAS PÚBLICAS NA CIDADE DE ANÁPOLIS/GOIÁS Jaqueline Souza Lacerda 1,4 ; Eude de Sousa Campos 2,4 ; Andréia Juliana Leite Rodrigues

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA MOGI GUAÇU PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM CIÊNCIAS HABILITAÇÃO EM BIOLOGIA.

FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA MOGI GUAÇU PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM CIÊNCIAS HABILITAÇÃO EM BIOLOGIA. FACULDADES INTEGRADAS MARIA IMACULADA MOGI GUAÇU PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM CIÊNCIAS HABILITAÇÃO EM BIOLOGIA. Mogi Guaçu SP 2000 OBJETIVOS GERAIS DAS FACULDADES INTEGRADAS MARIA

Leia mais

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1

MEDICINA. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 MEDICINA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: MEDICINA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Enfermagem, modalidade bacharelado,

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A P r ó - R e i t o r i a d e E n s i n o d e G r a d u a ç ã o Palácio da Reitoria - Rua Augusto Viana s/n - Canela - 40.110-060 - Salvador Bahia E-mails:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Nutrição, na modalidade bacharelado,

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006

Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Resolução nº 2/2006 3/2/2006 RESOLUÇÃO CNE Nº 2, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 DOU 03.02.2006 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia Agrícola e dá outras providências.

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

HORÁRIO DE PROVAS 3º BIMESTRE

HORÁRIO DE PROVAS 3º BIMESTRE CURSO DE PEDAGOGIA Gestão Escolar e Organização do Trabalho Pedagógico I 23.09.13 19horas Fundamentos da Língua Portuguesa: Leitura e Produção de 23.09.13 21horas Textos Psicologia da Educação I 24.09.13

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 93 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 93 DE JUNHO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS RESOLUÇÃO Nº. 93 DE JUNHO DE 2014 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS,

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UBERABA MG INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 01/2008 Aprova a estrutura curricular do Curso de Graduação em Licenciatura

Leia mais

III Princípios Gerais da Formação Médica

III Princípios Gerais da Formação Médica I Motivação Aprovação da Lei 12.871 de 22/10/2013; Necessidade de ter diretrizes curriculares em sintonia com o programa Mais Médicos; A oportunidade de atualizar e aprimorar as diretrizes de 2001; Acompanhar

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA PROJETO PRÓ-SAÚDE Florianópolis, 09 de novembro de 2007. Da: Coordenadoria do Curso de Graduação em

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Petrolina-PE 2009.1 1 SUMÁRIO 1. Apresentação... 2. Justificativa... 3. Perfil do Egresso... 3.1 Perfil geral... 3.1Perfil específico... 4. Competências e Habilidades... 4.1

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 1. APRESENTAÇÃO O curso de Educação Física da FISMA, através de sua orientação de estagio supervisionado obrigatório, vem por meio de o presente documento estabelecer as diretrizes básicas da realização

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 07 (SETE)

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO DIREÇÃO DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 1. Perfil do Curso CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

CURSO EXCLUSIVO IBECO

CURSO EXCLUSIVO IBECO PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR EM ESTÉTICA CURSO EXCLUSIVO IBECO Destinado aos docentes que atuam ou que pretendem atuar no ensino superior e profissionalizante da área estética, o curso

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. O Presidente

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENFERMAGEM - ARCOS

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENFERMAGEM - ARCOS SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ENFERMAGEM - ARCOS 1.PERFIL DO CURSO Nos últimos anos, a Enfermagem teve sua imagem fortalecida, principalmente quando se consideram as proposições do Sistema Único de Saúde

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína. ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº Reconhecido pelo Decreto Federal n 8.1, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 106, de 1.0.11 DOE nº 85

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br 146 Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 147 Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta

Leia mais