Quincas Borba. Machado de Assis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Quincas Borba. Machado de Assis"

Transcrição

1 Machado de Assis Quincas Borba Não fosse o otimismo intrínseco à doutrina humanitista, Quincas Borba (1891) talvez pudesse ter como título alternativo Triste fim de Pedro Rubião. Do esplendor do palacete da praia de Botafogo parte dos mais de trezentos contos de réis que o filósofo Quincas Borba lhe deixa em testamento até o retorno humilhante a Barbacena, doente e maltrapilho, o romance retrata o ingênuo Rubião em meio à implacável rapina de seu patrimônio, paralela à degradação de sua saúde mental. A exemplo do nacionalista Policarpo Quaresma, personagem de Lima Barreto, o malfadado professor mineiro é uma trágica vítima de suas obsessões quiméricas. Tal como Flora Batista, que sucumbe ao fascínio autodestrutivo pelos gêmeos Pedro e Paulo em Esaú e Jacó (1904), Rubião é dominado pela loucura antes de uma enfermidade fatal. Em seus momentos de agonia, entretanto, ele não conta, como Flora, com a solidariedade da família e dos amigos. Pobre e delirante ele acredita ser o imperador francês Napoleão III; sua amada Sofia, a esposa do amigo Cristiano Palha, é ninguém menos que a imperatriz Eugênia, Rubião é abandonado por todos aos primeiros sinais de loucura e bancarrota, fazendo jus à segunda sentença da divisa do Humanitismo: Ao vencido, ódio ou compaixão. Em especial, portam-se de modo vil aqueles que haviam se aproveitado sem pudores de sua generosidade e fortuna. A ironia é certamente uma das maiores inovações da fase madura, realista, de Joaquim Maria Machado de Assis ( ) em relação a sua produção anterior à década de A análise arguta das relações sociais e da psicologia das personagens, levada ao ápice na primeira pessoa de romances emblemáticos como Memórias póstumas de Brás Cubas (1881) e Dom Casmurro 1

2 (1899), materializa-se em Quincas Borba por meio de um narrador mais distanciado, em terceira pessoa, mas não menos ferino. Tratase de um sarcasmo quase sempre bem-humorado, conquanto carregado da tinta da melancolia, marca registrada machadiana. Como explica John Gledson na introdução ao volume, apesar das vicissitudes enfrentadas pela escrita do livro cuja publicação em folhetim demorou mais de cinco anos, o narrador de 1891 rivaliza em maestria com Bentinho e Brás Cubas. Machado demonstra um infalível poder de observação sobre as aparências da vida social, ao mesmo tempo que penetra profundamente na consciência das personagens. A trajetória de desenganos do caipira Rubião oferece ao escritor diversas oportunidades de vergastar a fatuidade dos novos-ricos, as politicagens e negociatas realizadas à sombra do Estado e as crueldades do regime escravista. Nesse sentido, as leituras de críticos como Gledson e Roberto Schwarz sobre o significado alegórico da sina de Rubião o anti-herói mineiro seria uma representação do Brasil permitem enxergar uma demolidora crítica social por trás das peripécias desse precursor de Policarpo Quaresma. Machado satiriza males tipicamente brasileiros como o subdesenvolvimento, a dilapidação das riquezas naturais e a imitação servil de modelos culturais estrangeiros. 2

3 1. Sob qual condição Rubião, um empresário malsucedido e um modesto professor em Barbacena, Minas Gerais, herda o vasto patrimônio de Quincas Borba? Para que Rubião se torne herdeiro universal de todos os seus bens, o fundador do Humanitismo apenas exige que seu cachorro, também chamado Quincas Borba, seja guardado e cuidado com toda a atenção. Rubião deve alimentá-lo, limpá-lo e protegê-lo de doenças e de eventuais ataques de pessoas malévolas, tratando-o como se ele fosse o próprio finado. Após a morte do animal, prossegue o testamento, seus restos devem ser respeitosamente sepultados; os ossos, limpos e resguardados numa urna a ser colocada em lugar de destaque. Assustado, pois desdenhosamente havia dado Quincas Borba a Angélica, sua comadre, ele corre para recuperar o bicho. (cap. XIV-XVII) 2. Por que Rubião teme o resultado do inventário, mesmo tendo sido expressamente designado como herdeiro universal de Quincas Borba? O comportamento de Quincas nos últimos tempos da doença deixara claro, em especial para o médico, que sua sanidade mental estava seriamente comprometida. Rubião fica aflito com a possibilidade de que algum inimigo invejoso denuncie a loucura do finado e, assim, questione legalmente sua posição de herdeiro universal. O testamento naturalmente seria invalidado caso se conseguisse provar que, ao redigi-lo, Quincas não gozava da plenitude de suas faculdades mentais. A denúncia de fato acontece, mas a questão é resolvida com o auxílio do novo e bem relacionado amigo de Rubião, Cristiano Palha. O processo corre no foro do Rio de Janeiro, e o sucesso da causa comemorado num jantar festivo com a escandalosa presença do advogado, do escrivão e do procurador 3

4 do foro sugere que a objeção sobre o estado mental de Quincas foi descartada com o pagamento de subornos. (cap. XX-XXV) 3. Que revelação Cristiano faz a Sofia, sua esposa, depois que ela lhe conta sobre a declaração de amor de Rubião? Sofia, indignada com o assédio de Rubião o narrador afirma que sua honestidade como esposa sempre havia sido exemplar, a despeito das investidas de numerosos admiradores, conta tudo ao marido na mesma noite, e propõe que o mineiro seja excluído de seu círculo de relações. Palha inicialmente concorda com a ideia, mas é obrigado a recuar pelos interesses financeiros envolvidos em sua amizade com Rubião. Ele revela que deve muito dinheiro ao herdeiro de Quincas Borba. Essa informação modera o acesso de virtude de Sofia, que apenas promete ter mais cuidado com os futuros arroubos do novo admirador, sem, contudo, deixar de recebê-lo. (cap. l) 4. O que influencia a decisão de Rubião de não retornar a Minas depois de sua declaração de amor fracassada e, lateralmente, estimula seu interesse pela política? Acabrunhado pelo fiasco de sua declaração de amor a Sofia, Rubião deixa de visitar o casal Palha por alguns dias; chega a planejar o retorno a Barbacena. Quando o amigo e devedor vai a Botafogo tentar reatar relações (e interesses), leva consigo o dr. João Camacho, político e jornalista de tendências oposicionistas. Algum tempo depois, Rubião recebe em casa um exemplar do jornal Atalaia. Animado pela nova quimera da política, ele decide ir pessoalmente à redação fazer uma assinatura; lá descobre que o editor do periódico é o próprio Camacho. Na rua, a caminho do escritório causídico e polemista, ele arrebata uma criança das patas dos cavalos de um carro desgovernado e se torna o herói do bairro. O próprio Rubião narra sua proeza a Camacho que, posteriormente, vislumbrando a oportunidade de arrebatar bons contos de réis ao envaidecido ricaço, publica um relato enaltecedor do feito (como ficará claro no capítulo c, o nortista bajula Rubião, chegando a fazê-lo acreditar que será eleito deputado por Minas Gerais). Entrementes, ao sair do escritório do político, logo após a narrativa do salvamento do menino, Rubião reencontra-se com Sofia. A beleza fulgurante da amada o convence a voltar a frequentar a casa de Santa Teresa, e ele acaba desistindo de se restabelecer em Minas. (caps. LIV-LXVII) 4

5 5. Por que Rubião acredita que Sofia e Carlos Maria mantêm um caso amoroso? A sensibilidade de apaixonado do ex-professor não deixa de perceber o fascínio mútuo que se esboça entre Carlos e Sofia, mas exagera todos os indícios em sua espiral de ciúme paranoico. Rubião chega a cronometrar os minutos em que os dois dançam sem interrupção num certo baile. No retorno de uma visita ao amigo Freitas, morador da praia Formosa, instala-se a desconfiança obsessiva. Um caso mencionado pelo cocheiro do tílburi faz o enciumado milionário crer que Carlos Maria seu amigo, moço bonito e de bigodes morador da rua dos Inválidos, tal como o aventureiro da anedota tem se encontrado secretamente com Sofia. O esconderijo dos amantes seria a modesta casa de uma costureira dos Palha, moradora da rua da Harmonia. Na época da narração, as vizinhanças dessa via eram pouco frequentadas pelas elites da cidade a não ser em casos de adultério ou outras transações inadequadas à publicidade dos bairros centrais. Os acessos de ciúme se agravam quando, alguns capítulos adiante, Rubião encontra por acidente uma carta endereçada pela mulher de Palha a Carlos Maria, e pensa ter capturado uma correspondência da paixão clandestina. Rubião só fica completamente convencido de seu engano algum tempo depois, quando Carlos Maria se casa com Maria Benedita, a prima interiorana de Sofia. (caps. LXXXIX-XCIX) 6. Palha gradativamente atinge seus reais objetivos em relação a Rubião. Qual é seu método de atuação? Valendo-se em parte dos decotes ousados e dos olhos convidativos de Sofia, Palha aos poucos conquista o controle das finanças do imprudente amigo mineiro. O negociante trata de fixar Rubião no Rio de Janeiro por meio de uma sociedade comercial cujo capital inicial é naturalmente extraído dos contos herdados de Quincas Borba. Com o tempo e o aprofundamento da amizade, Palha se torna depositário de todas as apólices e ações de Rubião. (caps. LIX-CVIII) 7. Como se manifestam os primeiros sintomas da loucura de Rubião? Admirado por todos os amigos e conhecidos, confundido na rua com senadores e desembargadores, Rubião vive a plenitude de suas visões de grandeza. Enquanto isso, sua fortuna diminui de modo alarmante. Ironicamente, o ex-professor chega a sonhar com o enobrecimento seria o marquês de Barbacena e a carreira política, 5

6 sempre estimulado pela esperteza de Camacho. Ainda obcecado por Sofia, que administra com sagacidade sua paixão platônica, Rubião começa a dar sinais de perder o juízo quando instala em seu gabinete bustos de Napoleão I e Napoleão III. Em seguida, seus anseios de luxo e riqueza dão lugar a visões alucinatórias de pessoas inexistentes. A metamorfose se consuma quando ele pede ao barbeiro que imite a barba e o cabelo do busto de mármore de Luis Napoleão. Rubião mergulha em miragens dos palácios do imperador e imagina governar a França. (cap. CXXXIV-CXLXVII) 8. O que acontece quando o protagonista, já totalmente louco, faz uma visita a Sofia? A pretexto de saber notícias sobre o joelho de Sofia, que ela machucara durante um passeio à Tijuca (cap. CXLIII), Rubião se comporta de modo aparentemente normal. Porém, ao se despedir, já dentro de seu coupé (espécie de antiga carruagem fechada), ele arrasta Sofia num torturante passeio pelo centro da cidade. Com as cortinas fechadas, o carro percorre várias ruas enquanto Rubião, em pleno delírio, dá vazão a sua paixão não correspondida. Entre ameaças veladas, lembranças e desvarios, ele aterroriza Sofia ao revelar que é Napoleão III e que ela, sua amante, será nomeada duquesa. Após desesperadas tentativas, a duquesa consegue descer do coupé e se livrar do perigo. (cap. CL-CLIII) 9. Como os acontecimentos da política europeia contemporânea se relacionam com os delírios de Rubião? Durante a Comuna de Paris e a invasão prussiana da França, em 1871 (eventos que resultam na abolição definitiva da monarquia e no banimento do imperador Napoleão III), Rubião acredita que é o sobrinho de Napoleão ou seja, ele mesmo que triunfa sobre as forças operárias e as tropas do kaiser Guilherme I. Indiferentes à enfermidade, seus amigos interesseiros preferem não contrariá-lo e não cessam de aproveitar os confortos do casarão de Botafogo, cada vez mais decadente. (cap. CLVI) 10. Endividado, Rubião abandona Botafogo e é levado para uma casa alugada na modesta rua do Príncipe. Como reagem seus antigos amigos? Os comensais aproveitadores, os confrades da política e todos os conhecidos se afastam dele. Enquanto redecoram seu novo palacete 6

7 em Botafogo, Sofia e Cristiano Palha não escondem o incômodo com a obrigação de aturar as esquisitices do louco. Carlos Maria e Maria Benedita, de volta da lua-de-mel na Europa, assustam-se com seus delírios bonapartistas. Camacho, o jornalista e político que lhe sugara diversos contos de réis, finge não ter tempo de falar com o excandidato a deputado. Além do cachorro Quincas Borba, o amigo de todas as horas, a única a demonstrar algum interesse pelo bem-estar de Rubião é d. Fernanda, a amiga de Maria Benedita que tivera papel decisivo na trama de casamento com Carlos Maria. Movida talvez pela compaixão devida aos vencidos segundo o lema humanitista, a mulher de Teófilo (outro político arrivista) arranja uma consulta com o dr. Falcão, deputado e médico que afirma ser capaz de curar o mal de Rubião. (cap. CLXV e seguintes) 11. Assim que o médico afirma que Rubião já internado numa casa de saúde apresenta grandes melhoras, o que acontece com o paciente? Ele e seu inseparável cachorro fogem da casa da saúde. Algum tempo depois, durante uma forte tempestade, os dois reaparecem em Barbacena, exaustos e doentes. São amparados pela comadre Angélica a mesma que havia cuidado de Quincas Borba antes de Rubião conhecer a cláusula central do testamento de seu benfeitor. Dono e cão, muito enfraquecidos, não demoram a morrer, separados por apenas três dias de diferença. (cap. CXCIII-CCI) 12. Segundo os postulados do Humanitismo, que interpretação pode ser extraída do destino trágico do protagonista de Quincas Borba? Rubião pode ser comparado à tribo perdedora do conflito por batatas com que o filósofo Quincas Borba ilustra a teoria de Humanitas. Ao cabo, toda a riqueza herdada por Rubião serve ao triunfo de homens inescrupulosos como Palha e Camacho. As alucinações de grandeza do ex-professor, estranhamente semelhantes às de Quincas, teriam portanto uma função análoga à da morte acidental da avó do filósofo: atendem a uma necessidade ditada pelo funcionamento imutável do universo. (cap. VI) Assim, numa chave irônica o calvário do generoso Rubião se deixa ler como uma ilustração satírica dos insondáveis desígnios de Humanitas. Sua tragédia é o necessário prólogo da comédia dos vencedores na vida. 7

8 Leituras recomendadas Faoro, Raimundo. Machado de Assis: a pirâmide e o trapézio. Rio de Janeiro: Globo, Fausto, Boris. História concisa do Brasil. São Paulo: Edusp, Gledson, John. Quincas Borba in: Machado de Assis: ficção e história. São Paulo: Paz e Terra, Hobsbawm, Eric. A era do capital. Rio de Janeiro: Paz e Terra, Lopes, José Leme. A psiquiatria de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Agir, Passos, Gilberto Pinheiro. O Napoleão de Botafogo: presença francesa em Quincas Borba de Machado de Assis. São Paulo: Annablume, Sousa, Ronaldes de Melo. O romance tragicômico de Machado de Assis. Rio de Janeiro: Editora da UERJ, 2006.

FACULDADE PITÁGORAS COLEGIADO DE DIREITO

FACULDADE PITÁGORAS COLEGIADO DE DIREITO 1 FACULDADE PITÁGORAS COLEGIADO DE DIREITO DIREITO CIVIL DIREITOS DAS SUCESSÕES QUINCAS BORBAS TEIXEIRA DE FREITAS BA 2011 2 GESSICA ZATTA SOUZA RENZO DE OLIVEIRA SCHEPIERSKI DIREITO CIVIL DIREITO DAS

Leia mais

O TODO E O DETALHE EM QUINCAS BORBA

O TODO E O DETALHE EM QUINCAS BORBA O TODO E O DETALHE EM QUINCAS BORBA A classificação de Quincas Borba como um romance mais tradicional e menos inovador especialmente se comparado ao que o antecede, Memórias póstumas de Brás Cubas é bastante

Leia mais

Capítulo VII de Memórias póstumas de Brás Cubas

Capítulo VII de Memórias póstumas de Brás Cubas Machado de Assis o delírio Capítulo VII de Memórias póstumas de Brás Cubas Capítulo VII de Memórias póstumas de Brás Cubas Ilustrações e projeto gráfico Marilda Castanha Copyright das ilustrações 2010

Leia mais

AO VENCEDOR, O RUBIÃO - UMA VISÃO SOBRE A SOCIEDADE CAPITALISTA EM QUINCAS BORBA

AO VENCEDOR, O RUBIÃO - UMA VISÃO SOBRE A SOCIEDADE CAPITALISTA EM QUINCAS BORBA AO VENCEDOR, O RUBIÃO - UMA VISÃO SOBRE A SOCIEDADE CAPITALISTA EM QUINCAS BORBA Franciele Maria Martiny 1 Roberta Cantarela 2 Considerações iniciais Pedro Rubião de Alvarenga, mineiro de Barbacena, professor,

Leia mais

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA AULA 12 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA Na aula passada nós estudamos as principais características da poesia romântica no Brasil.Vimos o fenômeno das três gerações românticas:

Leia mais

VEROSSIMILHANÇA: BREVE ROMANCE DE SONHO DE ARTHUR SCHNITZLER E AURA DE CARLOS FUENTES

VEROSSIMILHANÇA: BREVE ROMANCE DE SONHO DE ARTHUR SCHNITZLER E AURA DE CARLOS FUENTES VEROSSIMILHANÇA: BREVE ROMANCE DE SONHO DE ARTHUR SCHNITZLER E AURA DE CARLOS FUENTES Gabriela Silva 1 A questão da verossimilhança tem sido discutida desde Aristóteles, que a definiu na Poética, como

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

Nomes: Marcelo Lauer, Mariana Matté, Matheus Fernandes, Raissa Reis e Nadine Siqueira

Nomes: Marcelo Lauer, Mariana Matté, Matheus Fernandes, Raissa Reis e Nadine Siqueira Escritor brasileiro Dados de Identificação: Nomes: Marcelo Lauer, Mariana Matté, Matheus Fernandes, Raissa Reis e Nadine Siqueira Turma: 201 Professora: Ivânia Lamb Romancista brasileiro nascido em São

Leia mais

400 anos do cavaleiro sonhador

400 anos do cavaleiro sonhador 400 anos do cavaleiro sonhador Há 400 anos, Miguel de Cervantes publicava a primeira parte de Dom Quixote, livro que marcou a história da literatura. Críticos e estudiosos retomam a efeméride para discutir

Leia mais

PERSONAGENS: CLEMÊNCIA

PERSONAGENS: CLEMÊNCIA PERSONAGENS: CLEMÊNCIA (a viúva de Alberto, mãe de Mariquinha e Júlia) MARIQUINHA (a filha que ama Felício, mas tem dois outros pretendentes interessados em seu dote) JÚLIA (a irmã de Mariquinha de 10

Leia mais

3º trimestre de 2014 Literatura

3º trimestre de 2014 Literatura LEITURAS INDICADAS 3º trimestre de 2014 Literatura 1ª Leitura: TOMÁS, Antônio Gonzaga. Cartas Chilenas. Sinopse: O livro Cartas Chilenas (1788-1789), de autoria do inconfidente Tomás Antônio Gonzaga, é

Leia mais

1. A TRADIÇÃO REALISTA

1. A TRADIÇÃO REALISTA 1. A TRADIÇÃO REALISTA Se você alguma vez passou os olhos por um livro chamado Raízes do Brasil (1936)*, talvez tenha lido uma passagem famosa, que refere uma característica portuguesa que Sérgio Buarque

Leia mais

Anna Catharinna 1 Ao contrário da palavra romântico, o termo realista vai nos lembrar alguém de espírito prático, voltado para a realidade, bem distante da fantasia da vida. Anna Catharinna 2 A arte parece

Leia mais

LINHA DO TEMPO. Fim do tráfico de africanos para o Brasil. Começa a trabalhar como funcionário público. Nasce

LINHA DO TEMPO. Fim do tráfico de africanos para o Brasil. Começa a trabalhar como funcionário público. Nasce LINHA DO TEMPO 1839 1840 1850 1856 1860 1864 1867 1869 1871 Nasce Machado de Assis Fim do tráfico de africanos para o Brasil Trabalha como redator do Diário do Rio de Janeiro Começa a trabalhar como funcionário

Leia mais

CINE TEXTOS DUAS MULHERES

CINE TEXTOS DUAS MULHERES 1 CINE TEXTOS ```````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````````` Informação reunida e trabalhada para apoio à exibição

Leia mais

Machado de Assis Memórias Póstumas de Brás Cubas (Resumo)

Machado de Assis Memórias Póstumas de Brás Cubas (Resumo) Machado de Assis Memórias Póstumas de Brás Cubas (Resumo) Com Memórias Póstumas de Brás Cubas, publicado em 1881, Machado de Assis inaugura o Realismo nas Letras brasileiras. A partir dessa obra, ele se

Leia mais

O Solista (The Soloist), O Alienista e outras divagações sobre as representações de loucura e normalidade APRESENTAÇÃO E PROBLEMÁTICA DESENVOLVIDA

O Solista (The Soloist), O Alienista e outras divagações sobre as representações de loucura e normalidade APRESENTAÇÃO E PROBLEMÁTICA DESENVOLVIDA O Solista (The Soloist), O Alienista e outras divagações sobre as representações de loucura e normalidade Fernanda Gabriela Soares dos Santos 1 Eu posso até parecer careta De perto ninguém é normal...

Leia mais

CURSO DE DIREITO VALDEIR SOARES DA CONCEIÇÃO AGNALDO FERREIRA SANTOS

CURSO DE DIREITO VALDEIR SOARES DA CONCEIÇÃO AGNALDO FERREIRA SANTOS CURSO DE DIREITO VALDEIR SOARES DA CONCEIÇÃO AGNALDO FERREIRA SANTOS Trabalho apresentado à Faculdade Pitágoras Unidade Teixeira de Freitas, como pré-requisito de obtenção de nota parcial da disciplina

Leia mais

LITERATURA PORTUGUESA II AULA 04: A PROSA REALISTA TÓPICO 02: A PROSA DE EÇA DE QUEIRÓS Fonte [1] Eça de Queirós em 1882. José Maria de Eça de Queirós (Póvoa de Varzim, 1845 Neuilly-sur- Seine, 1900) estudou

Leia mais

Prof. Paulo Alexandre

Prof. Paulo Alexandre Prof. Paulo Alexandre As indicações mostradas nesta apresentação funcionam como guia de estudos do Realismo e do Naturalismo. Todas as informações devem ser complementadas pelo aluno, com a utilização

Leia mais

De ratos a Super-Homens : Nietzsche e o romance de Dyonélio Machado

De ratos a Super-Homens : Nietzsche e o romance de Dyonélio Machado FLORINDO PEIXOTO NETO De ratos a Super-Homens : Nietzsche e o romance de Dyonélio Machado Trabalho temático sobre o livro Os Ratos, de Dyonelio Machado, objetivando a conclusão do segundo semestre do curso

Leia mais

O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE

O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE 53 O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE Sidnei Shirosaki Faculdade Unida de Suzano(sidnei.shirosaki@uniesp.edu.br) Resumo A morte é tratada de forma diferente por diversos povos, mas sempre com

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Aimeé: que amor é esse?

Aimeé: que amor é esse? 1 Aimeé: que amor é esse? Palavras-chave: erotomania, transferência na psicose, tratamento. Francisco de Assis Reis Frazão Ao defender sua tese, em 1932, intitulada Da psicose paranóica em suas relações

Leia mais

Língua Portuguesa Introdução ao estudo do conto. III Média

Língua Portuguesa Introdução ao estudo do conto. III Média + Língua Portuguesa Introdução ao estudo do conto III Média + O que é um conto? n Conto é uma narrativa curta que apresenta os mesmos elementos de um romance: narrador, personagens, enredo, espaço e tempo.

Leia mais

A filosofia ganha/ganha

A filosofia ganha/ganha A filosofia ganha/ganha Interdependência Talvez nunca tenha existido, na história da humanidade, uma consciência tão ampla sobre a crescente interdependência entre os fatores que compõem nossas vidas,

Leia mais

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável.

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável. Transtornos mentais: Desafiando os Preconceitos Durante séculos as pessoas com sofrimento mental foram afastadas do resto da sociedade, algumas vezes encarcerados, em condições precárias, sem direito a

Leia mais

A MULHER BRASILEIRA DO SÉCULO XIX: UM OLHAR MACHADIANO

A MULHER BRASILEIRA DO SÉCULO XIX: UM OLHAR MACHADIANO A MULHER BRASILEIRA DO SÉCULO XIX: UM OLHAR MACHADIANO 2015 Lilian Garcia de Paula Cintra Mestre em Psicologia Clínica Junguiana pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC SP). Psicóloga clínica. lidepaula@yahoo.com.br

Leia mais

Page 1 of 7. Poética & Filosofia Cultural - Roberto Shinyashiki

Page 1 of 7. Poética & Filosofia Cultural - Roberto Shinyashiki Page 1 of 7 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética & Filosofia

Leia mais

Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci ELABORAÇÃO DE TEXTOS II

Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci ELABORAÇÃO DE TEXTOS II Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci ELABORAÇÃO DE TEXTOS II RESUMO, RESENHA, SINOPSE E SÍNTESE Uma dúvida muito frequente que incomoda principalmente os alunos, em qualquer estágio de aprendizagem é a diferença

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A SEGUNDA VIDA

REFLEXÕES SOBRE A SEGUNDA VIDA REFLEXÕES SOBRE A SEGUNDA VIDA Cláudia Dias Sampaio Escrever sobre a produção de Machado de Assis apresenta-se, num primeiro momento, como tarefa distante do prazer. O logo a seguir à decisão de pensar

Leia mais

1948 É forçado a novo exílio, desta vez em Paris. 1949 É expulso da França e passa a morar na Checoeslováquia. 1951 Recebe em Moscovo o Prémio

1948 É forçado a novo exílio, desta vez em Paris. 1949 É expulso da França e passa a morar na Checoeslováquia. 1951 Recebe em Moscovo o Prémio B I B L I O T E C A Vida e Obra 1902 João Amado de Faria instala-se em Ilhéus, na zona do cacau, e casa, anos mais tarde, com a baiana Eulália Leal. 1912 Em 10 de Agosto nasce Jorge Amado. 1913 O «coronel»

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

Noel Nutels: vida, história e romance Noel Nutels: life, history and romance

Noel Nutels: vida, história e romance Noel Nutels: life, history and romance Noel Nutels: vida, história e romance Noel Nutels: life, history and romance Marcus Vinícius de Freitas Professor de literatura portuguesa e brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e

Leia mais

DEDICATÓRIA. Dedico esta obra a todos os leitores de Uma. Incrível História Euro-Americana no período em

DEDICATÓRIA. Dedico esta obra a todos os leitores de Uma. Incrível História Euro-Americana no período em DEDICATÓRIA Dedico esta obra a todos os leitores de Uma Incrível História Euro-Americana no período em que esta foi postada no blog Dexaketo, tornando-a o folhetim mais lido na história do blog até meados

Leia mais

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE TALVEZ TE ENCONTRE Vivaldo Terres Itajaí /SC Talvez algum dia eu te encontre querida Para renovarmos momentos felizes, Já que o nosso passado foi um passado lindo, Tão lindo que não posso esquecer Anseio

Leia mais

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA LENDA DA COBRA GRANDE Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA CRUZEIRO DO SUL, ACRE, 30 DE ABRIL DE 2012. OUTLINE Cena 1 Externa;

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

Introdução ao Realismo

Introdução ao Realismo Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 2 Disciplina: Literatura Data da prova: 15/02/2014. Introdução ao Realismo P1-1 BIMESTRE Os textos seguintes

Leia mais

Concurso Público para Admissão ao Bacharelado

Concurso Público para Admissão ao Bacharelado Concurso Público para Admissão ao Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública da Polícia Militar do Estado de São Paulo Assinatura do Candidato 2. Prova de Escolaridade (Parte II) INSTRUÇÕES

Leia mais

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1 CELIORHEIS Página 1 A Abduzida um romance que pretende trazer algumas mensagens Mensagens estas que estarão ora explícitas ora implícitas, dependendo da ótica do leitor e do contexto em que ela se apresentar.

Leia mais

A Vida Simples. A vida simples. Onde ela está? Em qual esquina, em que país, qual será a direção que nos. Claudio Miklos

A Vida Simples. A vida simples. Onde ela está? Em qual esquina, em que país, qual será a direção que nos. Claudio Miklos A Vida Simples Claudio Miklos Nos últimos tempos tenho pensado muito em como seria maravilhoso adquirir o mérito de viver simplesmente, em algum lugar aberto, pleno em verde e azul, abrigado das loucuras

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UNIDADE III PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS

AVALIAÇÃO DA UNIDADE III PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS DA UNIDADE III PONTUAÇÃO: 7,5 PONTOS QUESTÃO 01 (1,0 ponto) Leia atentamente a proposição. O Romantismo era a apoteose do sentimento; O Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte

Leia mais

A beleza persuade os olhos dos homens por si mesma, sem necessitar de um orador.

A beleza persuade os olhos dos homens por si mesma, sem necessitar de um orador. A beleza persuade os olhos dos homens por si mesma, sem necessitar de um orador. Algumas quedas servem para que nos levantemos mais felizes. A gratidão é o único tesouro dos humildes. A beleza atrai os

Leia mais

CINEMA E LITERATURA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOM CASMURRO E DOM.

CINEMA E LITERATURA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOM CASMURRO E DOM. 1 CINEMA E LITERATURA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE DOM CASMURRO E DOM. José Kelson Justino Paulino. (UFCG) O filme brasileiro Dom foi lançado no ano de 2003. O drama tem como roteirista o renomado diretor

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Dinheiro: o centro do mundo

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Dinheiro: o centro do mundo Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação Dinheiro: o centro do mundo Trabalho realizado para disciplina Produção Textual Docente: Ivan

Leia mais

Onde Machado e Eça se encontram Aline Alves de Carvalho (UFRJ)

Onde Machado e Eça se encontram Aline Alves de Carvalho (UFRJ) Onde Machado e Eça se encontram Aline Alves de Carvalho (UFRJ) Resumo Machado de Assis escreveu, em 1878, uma resenha crítica sobre O primo Basílio, de Eça de Queirós que até hoje intriga os leitores de

Leia mais

O ESPAÇO URBANO E O RURAL EM LIMA BARRETO Denise Vilela Rodrigues (PBIC/UEG) 1 denise-vilela@hotmail.com Ewerton de Freitas Ignácio (UEG) 2

O ESPAÇO URBANO E O RURAL EM LIMA BARRETO Denise Vilela Rodrigues (PBIC/UEG) 1 denise-vilela@hotmail.com Ewerton de Freitas Ignácio (UEG) 2 O ESPAÇO URBANO E O RURAL EM LIMA BARRETO Denise Vilela Rodrigues (PBIC/UEG) 1 denise-vilela@hotmail.com Ewerton de Freitas Ignácio (UEG) 2 ewertondefreitas@uol.com.br INTRODUÇÃO Este trabalho apresenta

Leia mais

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia

O livro. Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia O livro Vanderney Lopes da Gama 1 Todos diziam que ele era um homem só e evasivo. Fugia de tudo e de todos. Vivia enfurnado em seu apartamento moderno na zona sul do Rio de Janeiro em busca de criar ou

Leia mais

noite e dia marconne sousa

noite e dia marconne sousa noite e dia marconne sousa Mais uma noite na terra a terra é um lugar tão solitário cheio de pessoas, nada mais onde se esconderam os sentimentos? um dedo que aponta um dedo que desaponta um dedo que entra

Leia mais

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO PROCESSO SELETIVO/2009 CADERNO 2 Respostas da 2. a Fase Língua Portuguesa RESOLUÇÃO FGVS-2.ªFase/2.ºCad-Língua Portuguesa-Resolução-manhã 2 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto para responder às questões de

Leia mais

Quadramais Produções-www.quadramais.com.ar.Apostila 1808-O Império está aqui. de Adrian Andrade. 2011 APOSTILA. 1808- O Império está aqui- ARGUMENTO

Quadramais Produções-www.quadramais.com.ar.Apostila 1808-O Império está aqui. de Adrian Andrade. 2011 APOSTILA. 1808- O Império está aqui- ARGUMENTO APOSTILA 1808. 1808- O Império está aqui- ARGUMENTO A Corte Portuguesa chega de Lisboa ao Rio de Janeiro, fugindo das garras de Napoleão Bonaparte. Encontram-nos no novo Palácio Real do Rio de Janeiro,

Leia mais

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com

5Passos fundamentais. Conseguir realizar todos os seus SONHOS. para. Autora: Ana Rosa. www.novavitacoaching.com 5Passos fundamentais para Conseguir realizar todos os seus SONHOS Autora: Ana Rosa www.novavitacoaching.com O futuro pertence àqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos! Eleanor Roosevelt CONSIDERA

Leia mais

Contos. Tod@s Contamos. Projecto de Intervenção - de Mulher para Mulher2 -

Contos. Tod@s Contamos. Projecto de Intervenção - de Mulher para Mulher2 - Contos Tod@s Contamos Projecto de Intervenção - de Mulher para Mulher2 - Nota Introdutória O livro Contos - Tod@s Contamos é a compilação de quatro contos sobre a Igualdade de Género realizados por dezasseis

Leia mais

PORTUGUÊS LITERATURA. 1) Realismo

PORTUGUÊS LITERATURA. 1) Realismo PORTUGUÊS LITERATURA 1) Realismo 1.1) Introdução: É a denominação genérica da reação aos ideais românticos existentes na segunda metade do século XIX. As profundas transformações ocorridas na sociedade

Leia mais

Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa. Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio

Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa. Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio Filme: Como se morre no cinema 1 de Luelane Loiola Correa Plano de Aula: Ensino Fundamental II e Ensino Médio Disciplinas/Áreas do Conhecimento: Língua Portuguesa; Arte; Inglês; Projeto Interdisciplinar;

Leia mais

BEIRA RIO BEIRA VIDA Assis Brasil. Resumo da obra indicada pela UESPI - Vestibular 2003 www.procampus.com.br

BEIRA RIO BEIRA VIDA Assis Brasil. Resumo da obra indicada pela UESPI - Vestibular 2003 www.procampus.com.br BEIRA RIO BEIRA VIDA Assis Brasil Resumo da obra indicada pela UESPI - Vestibular 2003 BEIRA RIO BEIRA VIDA (Assis Brasil) Prof. Jorge Alberto* (Professor de Literatura do Ensino Médio) I - VIDA: Francisco

Leia mais

ANÁLISE DO CONTO DE FADAS ENCANTADA

ANÁLISE DO CONTO DE FADAS ENCANTADA ANÁLISE DO CONTO DE FADAS ENCANTADA Andréa Nunes Ribeiro Marília Felix de Oliveira Lopes RESUMO: Este trabalho científico tem como objetivo analisar os contos de fadas e a conversão do in Magic para o

Leia mais

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN

POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN POR QUE BATISMO? PR. ALEJANDRO BULLÓN "Pr. Williams Costa Jr.- Pastor Bullón, por que uma pessoa precisa se batizar? Pr. Alejandro Bullón - O Evangelho de São Marcos 16:16 diz assim: "Quem crer e for batizado,

Leia mais

EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ

EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ Geane Apolinário Oliveira Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - Geane-cg@hotmail.com RESUMO: Este

Leia mais

O GRITO DE DENÚNCIA DE TEREZA: HISTÓRIA, CORPO E LITERATURA

O GRITO DE DENÚNCIA DE TEREZA: HISTÓRIA, CORPO E LITERATURA RESENHA O GRITO DE DENÚNCIA DE TEREZA: HISTÓRIA, CORPO E LITERATURA LUCIANA SANTOS BARBOSA* AMADO, Jorge. Tereza Batista cansada de guerra. São Paulo: Martins, 1972. Esta resenha objetiva descrever e analisar

Leia mais

Depressão* Marcos Vinicius Z. Portela** Fonte: www.institutoreichiano.com.br

Depressão* Marcos Vinicius Z. Portela** Fonte: www.institutoreichiano.com.br Marcos Vinicius Z. Portela** Depressão* Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a oportunidade para estar aqui hoje nesta breve exposição - a qual pretendo, com a ajuda de todos, transformar numa conversa

Leia mais

DANIEL BLAUFUKS. hoje é sempre ontem. um rio de janeiro TINTA DA CHINA MMXIII

DANIEL BLAUFUKS. hoje é sempre ontem. um rio de janeiro TINTA DA CHINA MMXIII DANIEL BLAUFUKS hoje é sempre ontem um rio de janeiro TINTA DA CHINA MMXIII hoje é sempre ontem Tudo no Rio de Janeiro parece simples. A vida é uma longa sucessão de momentos agradáveis e de experiências

Leia mais

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país

Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país Brasil Você sabia que... A pobreza e a desigualdade causam a fome e a malnutrição. Os alimentos e outros bens e serviços básicos que afetam a segurança dos alimentos, a saúde e a nutrição água potável,

Leia mais

1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett

1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett 1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett De entre as alternativas a seguir apresentadas, escolhe a que te parecer mais correcta, assinalando com um círculo. 1.1. O autor da obra Frei Luís de Sousa é A. Camões.

Leia mais

Poder: Jornal Fortuna

Poder: Jornal Fortuna Aqui você enriquece sua leitura Jornal Fortuna Volume 1, edição 1 Data do boletim informativo Nesta edição: Poder: Há vários tipos de poder, poder militar, poder da natureza, poder político, o poder da

Leia mais

A Vida de Jacó. 1- Gálatas 6:7 Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá.

A Vida de Jacó. 1- Gálatas 6:7 Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. A Vida de Jacó 1- Gálatas 6:7 Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. 2- Gênesis 25:19-26 Esta é a história de Isaac, filho de Abraão. Isaac tinha quarenta

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

Prefácio Não é o amor indefinível, uma questão de sentimento, não de pensamento? Pior: aprofundar essa emoção extremamente espontânea e misteriosa não é correr o risco de expulsar sua magia? E assim acabar

Leia mais

Sentir- se mal não é tão difícil

Sentir- se mal não é tão difícil 3 artigos sobre o Gerenciamento das Emoções Por Andrês De Nuccio Sentir- se mal não é tão difícil Li esses dias uma história segundo a qual uma senhora, preparando- se para sair, trocava diversas vezes

Leia mais

A Vida Passada a Limpo. Ayleen P. Kalliope

A Vida Passada a Limpo. Ayleen P. Kalliope A Vida Passada a Limpo Ayleen P. Kalliope 2011 Este livro é dedicado ao meu querido filho, Pedro Paulo, que ao nascer me trouxe a possibilidade de parar de lecionar Inglês e Português, em escolas públicas

Leia mais

Psicanálise. Boa Tarde! Psicanálise 26/09/2015. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica Prof.ª Ms.

Psicanálise. Boa Tarde! Psicanálise 26/09/2015. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica Prof.ª Ms. Boa Tarde! 1 Psicanálise Pontifícia Universidade Católica de Goiás Psicologia Jurídica Prof.ª Ms. Otília Loth Psicanálise Fundada por Sigmund Freud, é uma teoria que estabelece uma complexa estrutura mental

Leia mais

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS

ROMANTISMO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS ROMANTISMO O Romantismo foi uma estética artística surgida no início do século XVIII, que provocou uma verdadeira revolução na produção literária da época. Retratando a força dos sentimentos, ela propôs

Leia mais

Muito além do arco íris

Muito além do arco íris Muito além do arco íris amor, sexo e relacionamentos na terapia homoafetiva Klecius Borges muito Além do arco-íris Amor, sexo e relacionamentos na terapia homoafetiva Copyright 2013 by Klecius Borges Direitos

Leia mais

Orgulho e preconceito

Orgulho e preconceito Jane Austen Orgulho e preconceito Publicado em 1813, Orgulho e preconceito é o mais célebre romance de Jane Austen. A obra retrata os hábitos de famílias de proprietários de terra do interior da Inglaterra,

Leia mais

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão:

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão: SESSÃO 3 'Eis a tua mãe' Ambiente Em uma mesa pequena, coloque uma Bíblia, abriu para a passagem do Evangelho leia nesta sessão. Também coloca na mesa uma pequena estátua ou uma imagem de Maria e uma vela

Leia mais

Machado de Assis (1839-1908) Início romântico. Ressurreição A mão e a luva Helena Iaiá Garcia. Fase realista

Machado de Assis (1839-1908) Início romântico. Ressurreição A mão e a luva Helena Iaiá Garcia. Fase realista Machado de Assis Início romântico Fase realista Ressurreição A mão e a luva Helena Iaiá Garcia (1839-1908) Memórias Póstumas de Brás Cubas Quincas Borba Dom Casmurro Esaú e Jacó Último romance Memorial

Leia mais

By Dr. Silvia Hartmann

By Dr. Silvia Hartmann The Emo trance Primer Portuguese By Dr. Silvia Hartmann Dra. Silvia Hartmann escreve: À medida em que nós estamos realizando novas e excitantes pesquisas; estudando aplicações especializadas e partindo

Leia mais

PONTUAÇÃO. 1) Para marcar a supressão ou omissão do verbo.

PONTUAÇÃO. 1) Para marcar a supressão ou omissão do verbo. EMPREGA-SE VÍRGULA: PONTUAÇÃO 1) Para marcar a supressão ou omissão do verbo. EX.: A moral legisla para o homem: o direito, para o cidadão. Adalberto estuda francês, e Osmar, Inglês. Uma flor, Quincas

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra!

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra! ROTEIRO DE ESTUDOS DE LITERATURA PARA A 3ª ETAPA 2ª SÉRIE Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à

Leia mais

Malabaristas Equilibristas infantis lutando por uma vida digna

Malabaristas Equilibristas infantis lutando por uma vida digna Malabaristas Equilibristas infantis lutando por uma vida digna Autor: Alexandre Pontieri (Advogado, Pós-Graduado em Direito Tributário pela UNIFMU-SP, Pós-Graduado em Direito Penal pela ESMP-SP) Publicado

Leia mais

UMA LEITURA DO AMOR FEMININO NA CONTEMPORANEIDADE À LUZ DE TRISTÃO E ISOLDA

UMA LEITURA DO AMOR FEMININO NA CONTEMPORANEIDADE À LUZ DE TRISTÃO E ISOLDA UMA LEITURA DO AMOR FEMININO NA CONTEMPORANEIDADE À LUZ DE TRISTÃO E ISOLDA 1Considerações iniciais: sobre o amor e a mulher Priscila Ferreira Silva Sem dúvida, uma das questões mais pertinentes que se

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1 1 O caminho da harmonia. Colossenses 3 e 4 Col 3:1-3 Introdução: Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham

Leia mais

ANTIGA TRADIÇÃO DE ENCONTROS DA LITERATURA BRASILEIRA COM O CINEMA: PAULO EMÍLIO E LYGIA EM CAPITU

ANTIGA TRADIÇÃO DE ENCONTROS DA LITERATURA BRASILEIRA COM O CINEMA: PAULO EMÍLIO E LYGIA EM CAPITU ANTIGA TRADIÇÃO DE ENCONTROS DA LITERATURA BRASILEIRA COM O CINEMA: PAULO EMÍLIO E LYGIA EM CAPITU Julierme Sebastião Morais Souza* Universidade Federal de Uberlândia UFU juliermehistoriador@hotmail.com

Leia mais

Cara Professora, Caro Professor,

Cara Professora, Caro Professor, A olhinhos menina de rasgados Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos um belo livro de narrativa A menina de olhinhos rasgados, do premiado autor mineiro Vanderlei Timóteo.

Leia mais

LITERATURA BRASILEIRA

LITERATURA BRASILEIRA LITERATURA BRASILEIRA 13 Em relação à produção literária do Modernismo brasileiro, mais especificamente à de Mário e Oswald de Andrade, assinale a alternativa correta. a) A ficção de Mário de Andrade aborda

Leia mais

Leitura de textos não verbais e de quadrinhos

Leitura de textos não verbais e de quadrinhos Nome: Nº: Turma: Português 3º ano Análise de textos não verbais Wilton Jun/10 Leitura de textos não verbais e de quadrinhos Analisaremos um texto não-verbal e três tirinhas. O primeiro texto é um quadro

Leia mais

000/000. Instruções PROVA DE SEGUNDA FASE 1º DIA FUVEST 2015 04/01/2015 (DOMINGO)

000/000. Instruções PROVA DE SEGUNDA FASE 1º DIA FUVEST 2015 04/01/2015 (DOMINGO) / CAIXA / FUVEST 5 ª Fase Primeiro Dia (//5) Nome Identidade Matérias no º dia (6//5). Sóabraestecadernoquandoofiscalautorizar.. Verifique,nacapadestecaderno,seseunome estácorreto.. Antesdeiniciaraprova,verifiqueseocaderno

Leia mais

Resenha. Informar não é comunicar (WOLTON, Dominique. Porto Alegre: Sulinas, 2011).

Resenha. Informar não é comunicar (WOLTON, Dominique. Porto Alegre: Sulinas, 2011). Resenha Informar não é comunicar (WOLTON, Dominique. Porto Alegre: Sulinas, 2011). Bruno Ribeiro NASCIMENTO 1 Dominique Wolton costuma nadar contra a corrente: quando os críticos da indústria cultural

Leia mais

Red Lake. Game Design Document. Versão: 1.0. Autores: Gabriel Santana Gabriel Soares João Gabriel Juan Matheus Kaio Gomes Rodolfo Brito

Red Lake. Game Design Document. Versão: 1.0. Autores: Gabriel Santana Gabriel Soares João Gabriel Juan Matheus Kaio Gomes Rodolfo Brito Autores: Gabriel Santana Gabriel Soares João Gabriel Juan Matheus Kaio Gomes Rodolfo Brito Red Lake Game Design Document Versão: 1.0 Goiânia, Junho de 2016 Índice 1. História... 3 2. Gameplay... 4 3. Personagens...

Leia mais

A ( ) apenas a I. B ( ) apenas I e II. C ( ) apenas I e III. D ( ) apenas a II. E ( ) apenas a III.

A ( ) apenas a I. B ( ) apenas I e II. C ( ) apenas I e III. D ( ) apenas a II. E ( ) apenas a III. As questões de 21 a 28 referem-se ao texto seguinte: 1 5 10 15 20 25 30 35 40 Vou direto ao ponto: estive em Paris. Está dito e precisava ser dito, logo verão por quê. Mas é difícil escapar à impressão

Leia mais

ADOLESCÊNCIA: PSICOPATOLOGIAS E CLÍNICA PSICANALÍTICA

ADOLESCÊNCIA: PSICOPATOLOGIAS E CLÍNICA PSICANALÍTICA ADOLESCÊNCIA: PSICOPATOLOGIAS E CLÍNICA PSICANALÍTICA MARIA DA GLORIA SCHWAB SADALA 1. BREVE CURRICULO PSICÓLOGA E PSICANALISTA DOUTORA, MESTRE E ESPECIALISTA PELA UFRJ COORDENADORA DO MESTRADO EM PSICANÁLISE

Leia mais

Amor em Perspectiva Cultural - Mário Quintana. 1. A amizade é um amor que nunca morre. (Mário Quintana)

Amor em Perspectiva Cultural - Mário Quintana. 1. A amizade é um amor que nunca morre. (Mário Quintana) Page 1 of 5 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia da Cultura Educador: João Nascimento Borges Filho Amor em Perspectiva

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1 1 EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1 1. Antônio, viúvo, domiciliado em Belo Horizonte, fez testamento público. Instituiu legatário de um apartamento situado nesta cidade, que vale atualmente 100 mil reais, seu primo

Leia mais