BEIRA MAR ATLÉTICO TICO CLUBE DE ALMADA - CLUBE DE ALMADA. Projecto de Formação de Futebol.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BEIRA MAR ATLÉTICO TICO CLUBE DE ALMADA - CLUBE DE ALMADA. Projecto de Formação de Futebol."

Transcrição

1 BEIRA MAR ATLÉTICO TICO CLUBE DE ALMADA Projecto de Formação de Futebol

2 Porquê um Projecto de Formação de Futebol? Aproximar o Clube da comunidade local; Proporcionar a prática desportiva orientada; Desenvolver hábitos h de prática desportiva saudável; Motivar relações socio-culturais culturais e desportivas.

3 Organização e Objectivos do Departamento Convite para assumirmos a coordenação do departamento de futebol juvenil do clube em 2003; Paralelamente, análisamos a estrutura e condições de funcionamento do departamento; De forma resumida as condições eram as seguintes: Um campo terra batida de 90 X 55m.; Dois balneários; Um balneário para árbitros;

4 Organização e Objectivos do Departamento Secretaria e gabinetes de direcção; Rouparia; Posto médico; m Um massagista; Quatro equipas participavam nas competições da A. F. Setúbal: Escolas; Infantis; Iniciados; Juvenis.

5 Organização e Objectivos do Departamento Aproximadamente 90 praticantes: 40 futebol infantil; 50 futebol juvenil. Cinco treinadores; Duas carrinhas de 9 lugares.

6 Principios orientadores para a elaboração do projecto Estabelecemos para o departamento um modelo de formação, fundamentado em modelo de: Jogo; Treino; e Jogador. Simultâneamente foram estabelecidas premissas para potenciar todo o processo de formação: Aumento do número n de jogadores; Aumento do número n de treinadores;

7 Principios orientadores para a elaboração do projecto Aumento do número n de treinos; Criação de novos espaços de treino; Intituição de um regulamento disciplinar e normas internas de organização e funcionamento; Estreitamento das relações entre o departamento sénior e o sector de formação; Criação de novas estruturas de apoio; Criação de um gabite de detecção e selecção de talentos.

8 Balanço o dos 4 anos de execução do projecto Actualmente o clube dispõe: Um campo de relva sintética tica 90 X 55m.; Quatro balneários; Um balneário para árbitros; Secretaria e gabinetes de direcção; Rouparia; Posto Médico; M Dois Físioterapeutas; Um massagistas; Um Gabinete Técnico; T

9 Balanço o dos 4 anos de execução do projecto Sete equipas a participar nas competições da A. F. Setúbal: Quatro no futebol infantil (futebol sete); Duas equipas de Escolas; Duas equipas de Infantis; Três no futebol juvenil (futebol onze); Iniciados; Juvenis; Juniores. Aproximadamente 280 praticantes: 210 futebol infantil;

10 Balanço o dos 4 anos de execução do projecto 70 futebol juvenil. Dezasseis treinadores (dois são de guarda-redes); redes); Dez para o futebol infantil; Seis para o futebol juvenil; Três carrinhas de 9 lugares.

11 Balanço o dos 4 anos de execução do projecto Aumento progressivo do número n de praticantes no futebol infantil: Época 2003/ praticantes; Época 2004/ praticantes; Época 2005/ praticantes; Época 2006/ praticantes.

12 Modelo de Formação - Escola de Futebol A Escola de Formação de Futebol do Beira Mar de Almada é constituída actualmente por onze turmas, das quais integram praticantes dos 4 aos 12 anos de idade. O processo de formação é conduzido, desde o início para o desenvolvimento global do jovem desportista, assente em duas dimensões. Dimensão humana: Visamos fundamentalmente que os nossos atletas encarem as dificuldades com espírito de superação, que desenvolvam a autonomia, consigam ultapassar as barreiras da escolaridade, desenvolvam estratégias mentais no sentido de articular ideias, tomar decisões e compreender as mensagens.

13 Modelo de Formação - Escola de Futebol Dimensão técnico-desportiva: Pretendemos que, subjacente a uma cultura táctica, t os atletas apreendam os fundamentos básicos b inerentes à modalidade de futebol (leis de jogo, fair play,, responsabilidade, espírito de inter- ajuda, etc.). Todo o processo de formação é orientado por objectivos progressivos de rendimento e eficiência, assentes fundamentalmente: num modelo de jogo e de treino; na competição que participam; e no controlo/avaliação permanentes. Funcionando como instrumentos disponíveis para o aprefeiçoamento dos jovens praticantes.

14 Modelo de Formação - Escola de Futebol No respeito pelas etapas de desenvolvimento e maturação do jovem praticante, estruturamos o departamento em três níveis: n 1.º - Fundamentos (5 aos 12 anos); 2.º - Aperfeiçoamentos (13 aos 16 anos); 3.º - Rendimentos (17 e 18 anos).

15 Modelo de Formação - Escola de Futebol No primeiro nível, n dos fundamentos, pretendemos a captação e a sensibilização dos jovens para a prática do futebol; Privilegiamos o aspecto quantitativo, pois o número n de praticantes envolvidos deve ser suficientemente alargado para que se possa proceser à selecção; Não atribuímos carácter cter decisório aos resultados, mas somos bastante rigorosos com o cumprimento das regras básicas (horários, rios, equipamento e leis de jogo); O ensino do jogo desenvolve-se através s de jogos condicionados, de habilidades e da presença a significativa de situações de finalização. Todas estas, desenvolvidas num contexto lúdico l e assentes nos princípios pios de jogo ofensivo e defensivo complementados no modelo de jogo do departamento.

16 Muito obrigado pela vossa atenção

Regulamento. Interno

Regulamento. Interno CENTRO CULTURAL DESPORTIVO DE SANTA EULÁLIA DEPARTAMENTO DE FUTEBOL DE FORMAÇÃO Regulamento Interno Época 2016-2017 1- INTRODUÇÃO Serve este Regulamento Interno como instrumento de orientação definindo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA Fundada em 30-03-1925 www.afbeja.com FUTEBOL ENCONTRO DE ESCOLAS DE FORMAÇÃO 1. OBJETIVOS GERAIS 1.01. Possibilitar a todas as crianças da nossa Associação praticar futebol

Leia mais

VASCO DA GAMA ODEMIRENSE CASTRENSE SÃO DOMINGOS SERPA FERREIRENSE REGULAMENTO DOS ENCONTROS FUTEBOL DO 7 FEMININO FUTEBOL FEMININO

VASCO DA GAMA ODEMIRENSE CASTRENSE SÃO DOMINGOS SERPA FERREIRENSE REGULAMENTO DOS ENCONTROS FUTEBOL DO 7 FEMININO FUTEBOL FEMININO FUTEBOL FEMININO 2013 REGULAMENTO DOS ENCONTROS FUTEBOL DO 7 FEMININO VASCO DA GAMA ODEMIRENSE CASTRENSE SÃO DOMINGOS SERPA FERREIRENSE A S S O C I A Ç Ã O D E F U T E B O L D E B E J A ORGANIZAÇÃO O Gabinete

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA QUESTIONÁRIO AOS TREINADORES DE FUTEBOL Este questionário faz parte de um estudo sobre a Análise do perfil de competências e das necessidades

Leia mais

ÁREAS DE FORMAÇÃO Área formativa 1: Gestão Desportiva

ÁREAS DE FORMAÇÃO Área formativa 1: Gestão Desportiva ÁREAS DE FORMAÇÃO Área formativa 1: Gestão Desportiva Planeamento e Gestão de Projectos Marketing do Desporto Financiamento Fiscalidade Administração e Gestão de um Clube desportivo Gestão de Instalações

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA NORMAS ORIENTADORAS PARA A ÉPOCA DESPORTIVA 2009/10

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA NORMAS ORIENTADORAS PARA A ÉPOCA DESPORTIVA 2009/10 ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA NORMAS ORIENTADORAS PARA A ÉPOCA DESPORTIVA 2009/10 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO ATENDIMENTO AO PÚBLICO: Segunda a sexta-feira das 09h30m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m ÀS

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ÍNDICE Capítulo I página 3 Participação na Selecção Distrital Artigo 1º - Principio geral Artigo 2º - Participação na Selecção

Leia mais

Grau I. Perfil Profissional. Grau I

Grau I. Perfil Profissional. Grau I Perfil Profissional O corresponde à base hierárquica de qualificação profissional do treinador de desporto. No âmbito das suas atribuições profissionais, compete ao Treinador de a orientação, sob supervisão,

Leia mais

id pdfmachine by Broadgun Software - a great PDF writer! - a great PDF creator! -

id pdfmachine by Broadgun Software - a great PDF writer! - a great PDF creator! - FUTEBOL 01. OBJECTIVOS 01.1. Promover o gosto pela prática desportiva, tentando incutir nas crianças a percepção dos seus benefícios ao longo de uma vida saudável. 01.2. Favorecer o desenvolvimento da

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Benjamins (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Benjamins (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Benjamins (Futebol) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO FAIAL ANGÚSTIAS ATLÉTICO CLUBE FAYAL SPORT CLUB CLUBE FLAMENGOS GRUPO DESPORTIVO CEDRENSE

Leia mais

Seminário Rugby Juvenil

Seminário Rugby Juvenil Seminário Rugby Juvenil Lisboa, 29 Outubro 2005 Escola de Rugby Projecto Operacional Formar e competir, sem formação todos os projectos futuros serão postos em causa. Sem competição não poderá haver progresso

Leia mais

Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO

Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO Processo para o ensino e desenvolvimento do futebol e futsal: ESTÁGIOS DE INICIANTES, AVANÇADOS E DE DOMÍNIO Processo para o ensino do futebol/ futsal A metodologia para o ensino do futebol até a especialização

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU. R egula mento Específico Futebol de Sete

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU. R egula mento Específico Futebol de Sete ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU R egula mento Específico Futebol de Sete 2016 2 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTEBOL DE SETE REGULAMENTO DA PROVA NORMAS ORIENTADORAS DOS JOGOS DESPORTIVOS DE TONDELA CAPÍTULO

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA PLANO DE ATIVIDADES 2012 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA ALTO RENDIMENTO E SELEÇÕES NACIONAIS FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MARKETING, COMUNICAÇÃO & IMAGEM 1.-

Leia mais

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL 1 www.fpatletismo.pt III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL Organização da Carreira Desportiva no Atletismo 2 www.fpatletismo.pt Treino com Jovens: Análise da Situação Actual

Leia mais

Concentração de Traquinas e Petizes

Concentração de Traquinas e Petizes Concentração de Traquinas e Petizes OBJETIVOS Estas Concentrações têm como objetivo fundamental o fomento e desenvolvimento do Futebol Distrital desde os escalões mais jovens. Visa proporcionar oportunidades

Leia mais

FCUP Liga 2013/2014. Regulamento de Prova Oficial. Futsal

FCUP Liga 2013/2014. Regulamento de Prova Oficial. Futsal FCUP Liga 2013/2014 Regulamento de Prova Oficial ÍNDICE Artigo 1º - Âmbito Artigo 2º - Estrutura Artigo 3º - Sistema Competitivo Artigo 4º - Duração de Jogos Artigo 5º - Período de Aquecimento Artigo 6º

Leia mais

1ª Jornada 12 Março, Estádio Arsénio Catuna. 16h00m Guia FC vs Associação Academia Alto Colina 16h00m FC Ferreiras vs Imortal DC

1ª Jornada 12 Março, Estádio Arsénio Catuna. 16h00m Guia FC vs Associação Academia Alto Colina 16h00m FC Ferreiras vs Imortal DC GOLFINHOS A 4 EQUIPAS Associação Academia Alto Colina FC Ferreiras 1ª Jornada 12 Março, Estádio Arsénio Catuna Hora 16h00m vs Associação Academia Alto Colina 16h00m FC Ferreiras vs 2ª Jornada 26 de Março

Leia mais

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo

SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas. Barreiras 60m barreiras 80m barreiras (F) 100m barreiras (M) 250m barreiras Meio-Fundo PROGRAMA DE PROVAS DOS ESCALÕES JOVENS VERSÃO FINAL (Infantis, Iniciados e juvenis) SECTORES INFANTIS INICIADOS JUVENIS Velocidade e Estafetas 60m 150m 4x 60m 80m 250m 4x 80m 100m 200m 300m 4x 100m Barreiras

Leia mais

Clube do Desporto Escolar

Clube do Desporto Escolar Agrupamento de Escolas das Taipas Clube do Desporto Escolar 1. Estrutura organizacional Coordenador: Maria Elisabete da Silva Martinho Grupo de Recrutamento: 620 Departamento: Expressões Composição do

Leia mais

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte:

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte: Despacho O Despacho n.º 5328/2011, de 28 Março, estabeleceu as regras e os princípios orientadores a observar na organização das escolas e na elaboração do horário semanal de trabalho do pessoal docente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA. Infantis-Benjamins (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA. Infantis-Benjamins (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Infantis-Benjamins (Futsal) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO CORVO CLUBE DESPORTIVO ESCOLAR DO CORVO ILHA DO FAIAL CLUBE FLAMENGOS ILHA DAS

Leia mais

Perfil Profissional de Treinador

Perfil Profissional de Treinador Programa Nacional de FORMAÇÃO de Treinadores Grau1 Perfil Profissional de Treinador Perfil Profissional - GRAU I O Grau I corresponde à base hierárquica de qualificação profissional do treinador desportivo.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Infantis (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA Infantis (Futebol) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Infantis (Futebol) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO FAIAL ANGÚSTIAS ATLÉTICO CLUBE FAYAL SPORT CLUB CLUBE FLAMENGOS GRUPO DESPORTIVO CEDRENSE

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

Andebol. Iniciados Masculinos

Andebol. Iniciados Masculinos Clube da Propaganda da Natação Associação de do Porto ( de Infantis) Boavista Futebol Clube Associação Académica de São Fernando Melfe João Queirós Pedro Henriques Rafael Carolo Nuno Guimarães Promover

Leia mais

Carlos Soares CURRICULUM DESPORTIVO HABILITAÇÕES

Carlos Soares CURRICULUM DESPORTIVO HABILITAÇÕES Carlos Soares HABILITAÇÕES CURRICULUM DESPORTIVO Titulo Profissional de Desporto nº35868 válido até 01/11/2018 Curso de Treinador UEFA NIVEL I Coimbra 2003 Curso de Treinador UEFA NIVEL II Coimbra 2011

Leia mais

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Planificação Anual PAFD 10º D Ano Letivo Plano de Turma Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Calendarização Objetivos Conteúdos Avaliação PRÁTICAS DE ATIVIDADES FÍSICAS E DESPORTIVAS Módulo: Fisiologia do Esforço 1º, 2º e 3º períodos 1. Reconhecer o papel da fisiologia do esforço quando aplicada

Leia mais

2ª MARATONA DE FUTEBOL 5 JUNTA DE FREGUESIA AVENIDAS NOVAS Seniores

2ª MARATONA DE FUTEBOL 5 JUNTA DE FREGUESIA AVENIDAS NOVAS Seniores Uma Organização da 2ª MARATONA DE FUTEBOL 5 JUNTA DE FREGUESIA AVENIDAS NOVAS Seniores INTRODUÇÃO O TORNEIO realizar-se-á no dia 4 de Junho, de acordo com as regras da FIFA-FPF e Associação Futebol Lisboa.

Leia mais

PROTOCOLO. Colaboração entre o Município de Setúbal e Núcleo de Bicross de Setúbal

PROTOCOLO. Colaboração entre o Município de Setúbal e Núcleo de Bicross de Setúbal PROTOCOLO Colaboração entre o Município de Setúbal e Núcleo de Bicross de Setúbal Entre A Câmara Municipal de Setúbal, adiante designada por CMS, na qualidade de 1.º Outorgante, representada pela Presidente,

Leia mais

Descrição do Curso de Verão

Descrição do Curso de Verão Descrição do Curso de Verão Portugal - 1 de 7 - Introdução O BEST Board of European Students of Technology é uma associação sem fins lucrativos, políticos ou religiosos que reúne estudantes de Engenharia,

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO ESGRIMA

REGULAMENTO ESPECÍFICO ESGRIMA REGULAMENTO ESPECÍFICO ESGRIMA Índice Introdução 3 Capítulo I Regulamentação Geral 4 1. Condições Gerais de Participação 4 2. Escalões Etários 4 Capítulo II Participação / Organização 4 3. Formas de Competição

Leia mais

Plano de Actividades do STSEDP Do Ano 2007

Plano de Actividades do STSEDP Do Ano 2007 Plano de Actividades do STSEDP Do Ano 2007 I Nota Introdutória e II Objectivos e Estratégias Com a elaboração do presente plano de actividades do Serviço Técnico Sócio Educativo de Deficientes Profundos

Leia mais

Curso de Treinadores de Futebol UEFA C - Raízes / Grau I Curso Novo Regime /2016. Componente de Formação Geral Pedagogia do Desporto

Curso de Treinadores de Futebol UEFA C - Raízes / Grau I Curso Novo Regime /2016. Componente de Formação Geral Pedagogia do Desporto Curso de Treinadores de Futebol UEFA C - Raízes / Grau I Curso Novo Regime - 2015/2016 Componente de Formação Geral Pedagogia do Desporto Rui Pedro Lima Pinho Rui.pedro.pinho84@gmail.com Curso de Treinadores

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO XADREZ. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO XADREZ. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO XADREZ Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo Artigo 1.º Participação Artigo 2.º Escalões Etários Artigo 3.º Constituição das Equipas

Leia mais

Projeto CLUBE DE TÉNIS DO CRSI

Projeto CLUBE DE TÉNIS DO CRSI Projeto CLUBE DE TÉNIS DO CRSI Responsável do Projeto: Prof. Hugo Solinho Silva 2015/2016 INTRODUÇÃO ATIVIDADE FÍSICA E DESPORTIVA E A RELIGIÃO CRISTÃ Segundo Ferreira (2010) o Papa João Paulo II cita,

Leia mais

REGULAMENTO Campeonato Nacional de Futebol de Praia

REGULAMENTO Campeonato Nacional de Futebol de Praia REGULAMENTO Campeonato Nacional de Futebol de Praia 1 Artigo 1º Organização 1.1. A FPF organiza a competição designada: Campeonato Nacional de Futebol de Praia, para a categoria sénior. 1.2. O Campeonato

Leia mais

CIRCUITO NACIONAL DE RUGBY de 7 Sub 16 e Sub / 2011

CIRCUITO NACIONAL DE RUGBY de 7 Sub 16 e Sub / 2011 CIRCUITO NACIONAL DE RUGBY de 7 Sub 16 e Sub 18 2010 / 2011 O Departamento de Competições da FPR vai organizar o Circuito Nacional de Rugby de 7, para os escalões Sub 16 e Sub 18. Este Circuito realiza-se

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

REGIMENTO Interno Do Desporto Escolar

REGIMENTO Interno Do Desporto Escolar REGIMENTO Interno Do Desporto Escolar ÍNDICE Artigo 1.º Definição 3 Artigo 2.º Princípios e objetivos 3 Artigo 3.º Coordenação e constituição 4 Artigo 4.º Competências do coordenador 4 Artigo 5.º Atividades

Leia mais

FUTEBOL DE RUA. Escola Pedro Órey da Cunha Damaia. Com o apoio de

FUTEBOL DE RUA. Escola Pedro Órey da Cunha Damaia. Com o apoio de REGULAMENTO ÉPOCA 2014/2015 Artigo 1º Introdução Este evento desportivo tem como principal objetivo trazer de volta a prática do futebol de rua e principalmente aquilo que de bom tinha. Hoje, não temos

Leia mais

Projeto Dream Team. Janeiro de Sonho 21 Futebol Clube - Projeto Dream Team

Projeto Dream Team. Janeiro de Sonho 21 Futebol Clube - Projeto Dream Team Projeto Dream Team Janeiro de 2013 Sonho 21 Futebol Clube Inicialmente foi criada a Sonho XXI - Futindoor, inaugurada a 04/01/2007 pela sua Presidente da Câmara Municipal de Setúbal. Com o passar dos anos

Leia mais

Curso de COACHING DESPORTIVO e TREINO MENTAL (Nível I)

Curso de COACHING DESPORTIVO e TREINO MENTAL (Nível I) Curso de COACHING DESPORTIVO e TREINO MENTAL (Nível I) www.coachingdesportivo.pt PORTO 23-25 Set.16 LISBOA 30 Set.-2 Out.16 Apresentação O Coaching Desportivo perfila-se, cada vez mais, como uma atividade

Leia mais

Normas. Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude Núcleo de Actividades Desportivas

Normas. Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude Núcleo de Actividades Desportivas Normas Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Núcleo de Actividades Desportivas Índice 1 Organização... 3 2 Calendarização e Local de Realização dos Jogos... 3 3 Inscrição... 3 3.1 Período de Inscrição...

Leia mais

Manual de Procedimentos. Projecto Jovem 2015

Manual de Procedimentos. Projecto Jovem 2015 Manual de Procedimentos Destinado a: Clubes; Treinadores; Árbitros; Recursos Humanos; Índice Associação de Judo Distrito Santarém Introdução:... 3 Candidatura a evento:... 4 Responsabilidades da AJDS:...

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL II TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Complexas

Leia mais

IV Torneio Internacional St. M. Claret 26,27 e 28 de Março IV Torneio Internacional St. M. Claret

IV Torneio Internacional St. M. Claret 26,27 e 28 de Março IV Torneio Internacional St. M. Claret IV Torneio Internacional St. M. Claret 26,27 e 28 Março 2013 Regulamento da Prova Equipas Participantes RK FALK HANDBALL FUTEBOL CLUBE DO PORTO AD ISMAI COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS ACADÉMICO BASKET

Leia mais

Regulamento do Concurso dos torneios de nível A Grupo Juvenil

Regulamento do Concurso dos torneios de nível A Grupo Juvenil Regulamento do Concurso dos torneios de nível A Grupo Juvenil 1. Torneios Serão objecto de concurso para o ano de 2016, os seguintes torneios nas seguintes datas: (5) 1º Torneio 6 a 10 Fevereiro 3º Torneio

Leia mais

18º TORNEIO CONCELHIO DE FUTSAL SUB-13 GONDOMAR 2015

18º TORNEIO CONCELHIO DE FUTSAL SUB-13 GONDOMAR 2015 A Escola Desportiva e Cultural de Gondomar vai, uma vez mais e pelo 18º ano consecutivo, em colaboração com a Câmara Municipal de Gondomar, levar a efeito o 18º. Torneio Concelhio de Futsal Sub-13 (Jovens

Leia mais

Regulamento ACC 2016/2017

Regulamento ACC 2016/2017 O regulamento das Atividades de Complemento Curricular visa contribuir para uma melhor resposta do Colégio às suas necessidades específicas neste domínio. As soluções que preconiza decorrem da sua autonomia

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE XADREZ DO DISTRITO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES

ASSOCIAÇÃO DE XADREZ DO DISTRITO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES ASSOCIAÇÃO DE XADREZ DO DISTRITO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES Aprovado em Assembleia Geral de 13 de Outubro de 2014 PRIMEIRA PARTE Disposições Gerais Artigo 1 (Âmbito de Aplicação) 1. O presente

Leia mais

2º Semestre. 1º Semestre

2º Semestre. 1º Semestre MECANISMO DE FINANCIAMENTO Programa Operacional Regional do Norte ON.2, DESIGNAÇÃO DA OPERAÇÃO Complexo Desportivo de Cerva Infraestruturas de Apoio e Arrelvamento EIO DE INTERVENÇÃO Eixo IV Coesão Local

Leia mais

ÉPOCA DESPORTIVA 2010-2011 SEGURO DESPORTIVO DE GRUPO (OBRIGATÓRIO) ( JOGADORES E AGENTES DESPORTIVOS )

ÉPOCA DESPORTIVA 2010-2011 SEGURO DESPORTIVO DE GRUPO (OBRIGATÓRIO) ( JOGADORES E AGENTES DESPORTIVOS ) ÉPOCA DESPORTIVA 2010-2011 SEGURO DESPORTIVO DE GRUPO (OBRIGATÓRIO) ( JOGADORES E AGENTES DESPORTIVOS ) Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, SAD s e demais interessados, passamos a informar:

Leia mais

Regulamento de Prova Oficial Futebol

Regulamento de Prova Oficial Futebol Regulamento de Prova Oficial Futebol ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Sistema Competitivo Artigo 3º - Duração dos Jogos Artigo 4º - Período de Aquecimento

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS XII CORTA MATO DO C.I.C.

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS XII CORTA MATO DO C.I.C. COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS XII CORTA MATO DO C.I.C. DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTO OUTUBRO DE 2008 Regulamento do Corta Mato 2008/2009 do Colégio Internato dos Carvalhos Organização do

Leia mais

Departamento de Educação Física REGULAMENTO

Departamento de Educação Física REGULAMENTO Departamento de Educação Física REGULAMENTO Ano Letivo 2016/2017 1. ORGANIZAÇÃO A organização do Corta Mato do Agrupamento Agualva Mira Sintra é da responsabilidade do Departamento de Educação Física com

Leia mais

REGULAMENTO DE ANDEBOL DE PRAIA DA FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL E ASSOCIAÇÕES * CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA REGULAMENTO DA PROVA

REGULAMENTO DE ANDEBOL DE PRAIA DA FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL E ASSOCIAÇÕES * CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA REGULAMENTO DA PROVA REGULAMENTO DE ANDEBOL DE PRAIA DA FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL E ASSOCIAÇÕES * CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA REGULAMENTO DA PROVA Art.º 1 Objeto 1. O presente regulamento estabelece as regras

Leia mais

FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL

FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL FEDERAÇÃO DE ANDEBOL DE PORTUGAL REGULAMENTO DESPORTIVO CIRCUITO NACIONAL DE ANDEBOL DE PRAIA 2012 Art.º 1 OBJETO 1. O presente regulamento estabelece as regras e normas aplicáveis ao Andebol de Praia

Leia mais

ESCOLINHAS E ESCOLAS DE DESPORTO

ESCOLINHAS E ESCOLAS DE DESPORTO Crianças e jovens dos 8 aos 15 anos Clubes Desportivos do Município ESCOLINHAS E ESCOLAS DE DESPORTO Projecto de formação desportiva no tempo livre das crianças. Dr. Carlos Rabaçal (Divisão de Desporto

Leia mais

Recuperação Defensiva

Recuperação Defensiva Recuperação Defensiva - - - Moncho Lopez e Rui Alves Clinic da Festa do Basquetebol Juvenil Abril 2009 Introdução: Num desporto como o basquetebol, a utilização das habilidades específicas não se faz de

Leia mais

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011

PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES. Leiria, 12 de Novembro de 2011 PRIORIDADES NO TREINO DE JOVENS SALTADORES Leiria, 12 de Novembro de 2011 Índice Objectivos do Treino -Gerais - Específicos - Prioritários Meios de Treino - Exemplos Objectivos do Treino GERAIS Gosto pelo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE JOVENS DE ALENQUER TORNEIO DE FUTSAL DO MÊS DA JUVENTUDE. 25 de Maio Regulamento

ASSOCIAÇÃO DE JOVENS DE ALENQUER TORNEIO DE FUTSAL DO MÊS DA JUVENTUDE. 25 de Maio Regulamento ASSOCIAÇÃO DE JOVENS DE ALENQUER TORNEIO DE FUTSAL DO MÊS DA JUVENTUDE 25 de Maio 2013 Regulamento Associação de Jovens de Alenquer Contacto: ajalenquer@googlegroups.com 1 1. Local: Pavilhão da Escola

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Experiência Desportiva

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Experiência Desportiva Curriculum Vitae Informação pessoal Nome Ferreira, Tiago José Mota Morada Rua Doutor Eugénio de Andrea Cunha e Freitas, n.º 146, 2.º Esquerdo - 4480-897 - Vila do Conde Telefone +351 919 002 701 Correio

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA Carlos Sacadura Outubro de 2011 Possibilitar a todas as crianças do nosso distrito a oportunidade de praticar futebol como um desporto de recreação, tempo livre e formação;

Leia mais

1 - Parte Introdutória A Parte Introdutória prepara cognitiva e animicamente o praticante para a realização da sessão e para o esforço físico e de con

1 - Parte Introdutória A Parte Introdutória prepara cognitiva e animicamente o praticante para a realização da sessão e para o esforço físico e de con SESSÃO DE TREINO 1 - Parte Introdutória A Parte Introdutória prepara cognitiva e animicamente o praticante para a realização da sessão e para o esforço físico e de concentração nela envolvidos. Pode ser

Leia mais

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç" de ckr~uj. de 2011.

DEPARTAMENTO LEGISLATIVO DA CÂMARA MUNICIPAL DE fortaleza, em iç de ckr~uj. de 2011. INDICAÇÃO No02 5/_1_2_~ 11~ "Dispõe sobre a criação do Cargo de Coordenador de Creches no Município de Fortaleza e dá outras providências." o Vereador abaixo signatário, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

CLUBE DESPORTIVO 1.º MAIO

CLUBE DESPORTIVO 1.º MAIO CLUBE DESPORTIVO 1.º MAIO TORNEIO DE NATAL ESCOLAS DE FUTEBOL 04 de Dezembro de 2010 Campo de Futebol 1.º de Maio Organização: Clube Desportivo 1.º de Maio Palheiro Ferreiro, Dezembro de 2010 ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Novo Modelo de Formação

Novo Modelo de Formação Novo Modelo de Formação Conhecimento Melhoria Aperfeiçoamento Fomentar e favorecer a aquisição de conhecimentos Melhoria da qualidade de intervenção dos treinadores Promover o aperfeiçoamento qualitativo

Leia mais

TORNEIO AURÉLIO PEREIRA

TORNEIO AURÉLIO PEREIRA TORNEIO AURÉLIO PEREIRA LISBOA TORNEIO INTERNACIONAL DE FUTEBOL JUVENIL HTTP://WWW.TORNEIOCLUBEFUTEBOLBENFICA.COM O PATRONO Foi para mim uma honra e distinção tomar conhecimento do nome deste torneio com

Leia mais

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH AEP Seminário 02 de Abril de 2008 Breves reflexões sobre a GRH - Programas de desenvolvimento dos recursos humanos não estão interligados com a estratégia - Recursos Humanos geridos como centros de custo

Leia mais

TEORIA GERAL DO TREINO DESPORTIVO

TEORIA GERAL DO TREINO DESPORTIVO TEORIA GERAL DO TREINO DESPORTIVO AULA 1 LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA ACTIVIDADE FÍSICA HUMANA Organização da Disciplina Repartição Lectiva Carga Horária Semestral (S2) Aulas Teórica- Práticas 4ª Feira

Leia mais

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 Regulamento Geral XIV COPA SMEL DE FUTSAL CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - A XIV COPA SMEL DE FUTSAL tem por objetivo principal o congraçamento geral dos participantes

Leia mais

Dinâmica interpessoal e de grupo

Dinâmica interpessoal e de grupo Dinâmica interpessoal e de grupo CTC75 Grau 2 28, 29, 30 Set. 2007 Paula Biscaia Licenciada em Educação Física Licenciada em Educação Física Licenciada em Psicologia (Área da Psicologia Desportiva) Mestre

Leia mais

Recreio Desportivo de Águeda: Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Estádio Municipal de Águeda, Ap. 132, Águeda.

Recreio Desportivo de Águeda: Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Estádio Municipal de Águeda, Ap. 132, Águeda. ÉPOCA 2015 / 2016 Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Recreio Desportivo : Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Estádio Municipal, Ap. 132, 3754-909 Águeda. Estádio Municipal,

Leia mais

Índice. Caparica Futsal Summer Cup 2015 Regulamento - 2

Índice. Caparica Futsal Summer Cup 2015 Regulamento - 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Disposições Iniciais... 3 3. Inscrições... 3 4. Equipas Participantes... 4 5. Sorteio... 5 Organização dos s por Escalão... 5 6. Calendário... 5 Fase de s enjamins, e Iniciados...

Leia mais

O Treino da Resistência Aeróbia na Escola

O Treino da Resistência Aeróbia na Escola O Treino da Resistência Aeróbia na Escola Leiria, 27 de Janeiro 2006 Análise da Situação Aumento da obesidade juvenil 1 terço das crianças (dos 7 aos 11 anos) é obesa Sedentarismo juvenil Jogam mais computador

Leia mais

Regulamento. 5º Campeonato Brasileiro de Futebol em Cadeiras de Rodas

Regulamento. 5º Campeonato Brasileiro de Futebol em Cadeiras de Rodas Regulamento 5º Campeonato Brasileiro de Futebol em Cadeiras de Rodas Art. 1º REGRAS GERAIS Todas as equipes terão de se inscrever antecipadamente e os confrontos serão definidos por meio de sorteio. Cada

Leia mais

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES:

CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: CURSO DE TREINADORES DE FUTSAL NÍVEL I TÉCNICO TÁCTICA CADERNO DE EXERCÍCIOS ESTRUTURA DOS CONTEÚDOS A ABORDAR NAS DIFERENTES SESSÕES: 1. Activação geral 2. Técnica Individual 3. Acções Colectivas Elementares

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO NO DOMÍNIO DA JUVENTUDE E DO DESPORTO

ACORDO DE COOPERAÇÃO NO DOMÍNIO DA JUVENTUDE E DO DESPORTO ACORDO DE COOPERAÇÃO NO DOMÍNIO DA JUVENTUDE E DO DESPORTO ----- ENTRE ----- A REPÚBLICA DE ANGOLA, A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, A REPÚBLICA DE CABO VERDE, A REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU, A REPÚBLICA

Leia mais

É a conquista de um novo adepto para a modalidade.

É a conquista de um novo adepto para a modalidade. ÉTICA DA ARBITRAGEM Ser árbitro Ser O árbitro É a conquista de um novo adepto para a modalidade. É uma É maneira técnico desportivo para participar na aplicação com e interpre- É contribuir para a dignificação

Leia mais

PROPOSTA DE REFERENCIAL DE FORMAÇÃO

PROPOSTA DE REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Federação: Federação Portuguesa de Lohan Tao Modalidade/Disciplina: Lohan Tao Conversão de Treinadores de Grau em Treinadores de Grau 1 Componente Prática: 10 horas Componente Teórica: 20 horas Total de

Leia mais

Município de Bombarral

Município de Bombarral Município de Bombarral II Jogos Desportivos do Concelho de Bombarral NORMAS ORIENTADORAS DO FUTSAL CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO TÉCNICA 01 - GENERALIDADES 1. A elaboração do calendário, organização e administração

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2010/2011 O Plano Anual de Actividades deve ser entendido como o instrumento da planificação das actividades es, para um ano lectivo, no qual estão plasmadas as decisões sobre os objectivos

Leia mais

CLUBE ATLETISMO DE MARINHA GRANDE

CLUBE ATLETISMO DE MARINHA GRANDE CLUBE ATLETISMO DE MARINHA GRANDE Índice 1. Introdução... 2 2. Rendimento desportivo... 2 3. Quadro técnico... 4 4. Atletas... 4 5. Organização de eventos... 4 1 1. Introdução Com a construção da pista

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. 1º lugar 8 pontos 2º lugar 6 pontos 3º lugar 5 pontos 4º lugar 4 pontos 5º lugar 3 pontos 6º lugar 2 pontos

REGULAMENTO GERAL. 1º lugar 8 pontos 2º lugar 6 pontos 3º lugar 5 pontos 4º lugar 4 pontos 5º lugar 3 pontos 6º lugar 2 pontos REGULAMENTO GERAL Pelo presente regulamento fica instituída a OLIMPÍADA INTERCOLEGIAL, que visa desenvolver a prática das modalidades desportivas no âmbito estudantil, bem como, possibilitar às comunidades

Leia mais

Época FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS

Época FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS A Escola de Futebol Associação Desportiva de Taboeira (ADT) tem como principal objectivo o ensino do futebol aos mais jovens e a detecção e aperfeiçoamento de novos valores,

Leia mais

Associação de Futebol de Lisboa Instituição de Utilidade Pública

Associação de Futebol de Lisboa Instituição de Utilidade Pública ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA AVISO CONVOCATÓRIO Ao abrigo dos artigos 24.º, n.º 1, 27.º, n.º 1 e 37.º dos Estatutos da Associação de Futebol de Lisboa (A.F.L.), convoco todos os Sócios Efetivos, na

Leia mais

Regulamento da Taça de Portugal Sevens Feminino 2016/2017 2

Regulamento da Taça de Portugal Sevens Feminino 2016/2017 2 REGULAMENTO DA TAÇA DE PORTUGAL SEVENS FEMININO 2016/2017 Artigo 1.º (Regime Supletivo) À Taça de Portugal de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Leia mais

Futebolista e Basquetebolista

Futebolista e Basquetebolista Escola Básic dos 2º e 3º ciclos de Alembrança Futebolista e Basquetebolista Ano e turma: 7ºA Professor: Hélder Baião Disciplina: Área de Projecto Alunos: Hélio Abrantes Nº10 Mário Monteiro Nº15 Miguel

Leia mais

1. TORNEIO - DIA 23 DE MARÇO, SEGUNDA-FEIRA

1. TORNEIO - DIA 23 DE MARÇO, SEGUNDA-FEIRA 1 Índice 1. TORNEIO - DIA 23 DE MARÇO, SEGUNDA-FEIRA...3 1.1. Modalidades Extra-futebol:...3 2. TORNEIO DE FUTEBOL...4 2.1. Calendário de Jogos...4 2.2. Esquema das equipas...5 2.3. Proposta de Horário

Leia mais

Recreio Desportivo de Águeda: Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Estádio Municipal de Águeda, Ap. 132, Águeda.

Recreio Desportivo de Águeda: Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Estádio Municipal de Águeda, Ap. 132, Águeda. ÉPOCAS 2016 / 2018 Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Recreio Desportivo : Fundado em 10 de Abril de 1924, Filiado na A.F.A. Estádio Municipal, Ap. 132, 3754-909 Águeda. Estádio Municipal,

Leia mais

Regulamento do Torneio Regional de Tens Feminino 2016/2017 2

Regulamento do Torneio Regional de Tens Feminino 2016/2017 2 REGULAMENTO DO TORNEIO REGIONAL DE TENS FEMININO 2016/2017 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Regional de Tens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE NATAÇÃO DO ALENTEJO REGULAMENTO REGIONAL DE COMPETIÇÕES NATAÇÃO PURA

ASSOCIAÇÃO DE NATAÇÃO DO ALENTEJO REGULAMENTO REGIONAL DE COMPETIÇÕES NATAÇÃO PURA ASSOCIAÇÃO DE NATAÇÃO DO ALENTEJO REGULAMENTO REGIONAL DE COMPETIÇÕES NATAÇÃO PURA ÉPOCA 2015/2016 DISPOSIÇÕES GERAIS 1 Introdução: O documento que se apresenta regulamentará todas as provas de Atletas

Leia mais

XII Torneio de Futsal Entre Freguesias e Associações

XII Torneio de Futsal Entre Freguesias e Associações XII Torneio de Futsal Entre Freguesias e Associações -------- 2014 -------- Promovido por: Município de Macedo de Cavaleiros Organização: Grupo Desportivo Macedense Inscrições até ao dia 08 de Março de

Leia mais

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO

PLANO ANUAL EDUCAÇÃO FÍSICA 3º CICLO PLANO ANUAL EDUCAÇÃO 3º CICLO Ano Letivo 2012/2013 Rua Marquês de Olhão Bairro da Madre de Deus Telefone 21 8610100 Fax 218683995 1900-330 Lisboa E-Mail: eb23.lantonioverney@escolas.min-edu.pt 1 Competências

Leia mais

ACADEMIA SPORTING POLÍTICAS EDUCATIVAS E SOCIAIS NO DESPORTO. Um projecto de uma Escola de Formação Desportiva. Setúbal, 28 de Janeiro de 2005

ACADEMIA SPORTING POLÍTICAS EDUCATIVAS E SOCIAIS NO DESPORTO. Um projecto de uma Escola de Formação Desportiva. Setúbal, 28 de Janeiro de 2005 POLÍTICAS EDUCATIVAS E SOCIAIS NO DESPORTO Pedro Mil-Homens Santos Setúbal, 28 de Janeiro de 2005 ACADEMIA SPORTING Um projecto de uma de Formação Desportiva Sumário Introdução Missão e Organização Recrutamento

Leia mais

Normas e Regulamento Interno da Escolinha de Esportes da Associação Recreativa dos Empregados dos Correios São Paulo Metropolitana - ARCO/SPM

Normas e Regulamento Interno da Escolinha de Esportes da Associação Recreativa dos Empregados dos Correios São Paulo Metropolitana - ARCO/SPM Normas e Regulamento Interno da Escolinha de Esportes da Associação Recreativa dos Empregados dos Correios São Paulo Metropolitana - ARCO/SPM 01 INTRODUÇÃO 1.1. Este manual é um instrumento de orientação

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 44/09

PROJETO DE LEI N.º 44/09 PROJETO DE LEI N.º 44/09 Dispõe sobre a Política Municipal de Esporte e Lazer de Santa Bárbara d Oeste". A Câmara Municipal Santa Bárbara d Oeste decreta: CAPÍTULO I Da Finalidade Art. 1º. - A Política

Leia mais

Circuito de Atletismo do Barreiro. 2ª Prova de Estrada Futebol Clube Beira Mar

Circuito de Atletismo do Barreiro. 2ª Prova de Estrada Futebol Clube Beira Mar 2ª Prova de Estrada Futebol Clube Beira Mar REGULAMENTO DE PROVA 1. Esta prova de estrada é aberta a atletas de ambos os sexos em representação de clubes, escolas, comissões de moradores, bairros, atletas

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO XADREZ. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO XADREZ. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO XADREZ Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição Índice Preâmbulo Artigo 1.º Participação Artigo 2.º Escalões Etários Artigo 3.º Constituição das Equipas

Leia mais