Seminário Rugby Juvenil

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário Rugby Juvenil"

Transcrição

1 Seminário Rugby Juvenil Lisboa, 29 Outubro 2005 Escola de Rugby Projecto Operacional

2 Formar e competir, sem formação todos os projectos futuros serão postos em causa. Sem competição não poderá haver progresso

3 Instalações A Escola de rugby deverá possuir as seguintes infra-estruturas: Campo de Rugby principal + campo rugby de treinos Balneários 1 Pavilhão Gimnodesportivo possibilidade de utilização em dias de muito más condições climatéricas ou por actividade especial mediante marcação Sala de Reuniões/Vídeo para sessões teóricas e outras actividade mediante marcação Bar Arrecadação de material armazenamento de todo o material da escola em segurança Gabinetes para os Professores/Monitores organização do seu trabalho diário e reuniões Recepção / Serviços Administrativos apoio logístico ao funcionamento da escola (inscrições, informações, seguros, marcações de convívios, pagamentos, etc.) Parque de Estacionamento

4 Campos 20m Bambis 30m Benjamins 50m Infantis 35m 2 35m 3 70m 5 Bambis Benjamins 35m 1 35m 4

5 Destinatários Escola de Rugby destina-se a todos os jovens do sexo Masculino e Feminino, entre os 6 e os 12 anos e deverá funcionar em 3 sub-grupos: 1. Bambis Todos os jogadores com 6, 7 e 8 anos (turmas mistas) 2. Benjamins Todos os jogadores com 9 e 10 anos (turmas mistas) 3. Infantis Todos os jogadores com 11 e 12 anos (turmas separadas por sexos)

6 Objectivos Objectivos gerais da Escola de Rugby : Despertar o interesse dos rapazes e raparigas dos 6 aos 12 anos para a prática do rugby e do desporto em geral, proporcionando-lhes uma formação integral adequada de acordo com o seu desenvolvimento psicomotor. Criar nos jovens hábitos de uma ocupação salutar dos seus tempos livres, inicialmente através da prática do rugby, entendendo este como uma actividade complementar em relação às suas actividades escolares, com uma finalidade formativa e social, no respeito integral pelo crescimento harmonioso das crianças e jovens. Permitir o acesso à prática do rugby a todos os jovens que gostem de praticá-lo, proporcionando a todos as mesmas oportunidades de poderem jogar, e treinar, independentemente das capacidades de cada um.

7 Actividades A Escola de rugby deverá possuir um Programa de Acção Próprio, baseado nas Etapas do Ensino do rugby, com diversos Conteúdos Formativos que os irá desenvolver junto dos seus jogadores englobando as seguintes actividades: Habilidades Gerais para o desenvolvimento Psicomotor Habilidades Motoras Específicas do rugby Jogos Educativos e Pré-Desportivos Valores pedagógicos do rugby Regras do rugby Rugby 5 x 5 - Rugby 7 x 7 - Rugby 10 x 10 Convívios Desportivos Regionais e Nacionais Campos de Férias Convívios Desportivos com os Pais dos Atletas Convívios Desportivos com rugbistas de Alto Nível Convívios Desportivos inter-escalões

8 Actividades Os monitores, o director da equipa e o coordenador técnico terão de acompanhar a equipa com a função de a orientar pedagogicamente e tratar de todos os assuntos logísticos inerentes ao convívio. Terão obrigatoriamente de acompanhar os atletas acidentados ao hospital (garantindo a sua presença até à chegada do encarregado de educação). Os jogadores e responsáveis técnicos deslocar-se-ão em autocarros ou viaturas adaptadas ao transporte de crianças como o exigido por lei. O fisioterapeuta do clube deve acompanhar a equipa nas suas deslocações aos convívios (quando não disponibilizado pela organização) e em caso de lesão deslocarse com o jogador ao hospital.

9 Actividades (Planeamento) Mês Dias Actividade Local Outubro Convívio Regional Convívio Regional Caldas da Rainha A designar 6 Convívio Portugal-Chile Campo Maior Novembro 13 Convívio Portugal-Uruguai G.D.S. Cascais 19 Convívio Portugal-Fiji Estádio Universitário de Lisboa Dezembro 17 Festa de Natal G.D.S. Cascais

10 Planeamento, metodologia e avaliação Elaborar um planeamento anual para todas as actividades curriculares (treinos e jogos) e extra-curriculares (campos férias, torneio indoor de natal, beach rugby infantil, etc.), no inicio do ano. No que diz respeito à metodologia de intervenção e aos conteúdos técnico-tácticos, físicos, psíquicos e sociais deverá ser criado um dossier comum aos três escalões A avaliação deverá ser feita de uma forma contínua pelo Director Técnico e pelo Coordenador Técnico (sessões de treino e dos convívios) Elaboração de um mapa de reuniões mensais entre todos os membros do corpo docente Criação de um regulamento interno abrangendo as regras disciplinares, códigos de conduta e manual de procedimentos para jogadores, treinadores, dirigentes e pais Marcação de reuniões trimestrais com os encarregados de educação.

11 Corpo Docente Director Técnico Organização e definição do planeamento, metodologia e avaliação Elaboração de conteúdos técnico tácticos Formação técnica aos monitores e monitores adjuntos Supervisão técnica periódica Directores de equipa Organização de todos os aspectos logísticos inerentes ao funcionamento da escola a definir Participação em todos os treinos e convívios Acompanhamento dos atletas ao hospital em caso de lesão Responsável pelo material e equipamento desportivo Coordenador Técnico Responsável técnico pelo desenvolvimento das sessões de treino e convívios Acompanhamento técnico aos 3 escalões Colaboração com o Director Técnico na elaboração de todos os conteúdos técnico tácticos e avaliação Responsável pelas acções de divulgação e sensibilização nas escolas Bambis Benjamins Infantis Responsável técnico pelo seu escalão Acompanhamento da equipa em todos os treinos e jogos Responsável pelo bom funcionamento da sua equipa Responsável pelo levantamento e arrumação de todo o material utilizado Monitor adjunto Monitor adjunto

12 Comunicação/Divulgação Toda e qualquer divulgação e publicidade deverá ser supervisionada e autorizada pelo Director Técnico no que diz respeito à imagem e conteúdos; Criação de um espaço (Escola de Rugby) na página da internet do clube; Utilizar uma newsletter para informar os encarregados de educação das actividades da Escola de Rugby; Produção de cartazes e panfletos para divulgação nas escolas do Concelho; Acções de formação e sensibilização por parte dos monitores e Coordenador Técnico nas Escolas do Concelho (integrar o projecto Escolas do meu Clube ARS)

13 Inscrições Ficha de identificação do atleta (com os contactos em caso de urgência); Todos os atletas da escola de rugby têm de estar obrigatoriamente federados (IDP, FPR); Documentos necessários: Autorização do encarregado de educação e fotocopia do B.I, fotocopia do B.I ou cédula do atleta + 2 fotos + EXAME MÉDICO); É obrigatório que todos os atletas façam os exames médicos.

14 Material Bolas de rugby (nº3 e nº 4) Pinos de marcação Coletes de duas cores Sacos de placagem Batentes Apitos 1 saco de bolas por escalão Caixa e primeiros socorros Garrafas de agua/bebedores de agua com o respectivo suporte 1 Flip chart e marcadores Bolas de ténis Bolas de golfe Bola de futebol

15 Equipamento de treino e jogo Todos os jogadores e professores/monitores dever-se-ão apresentar devidamente equipados em qualquer situação de treino, jogo, convívio e deslocação. O material de treino e jogo oficial e obrigatório a adquirir pelos jogadores deverá ser o seguinte (a escola terá que disponibilizar este material bem como um preçário predefinido): Treino (a adquirir pelos jogadores) 2 camisolas de rugby de diferentes cores 1 calção de rugby 1 par de meias 1 T-shirt para deslocações Botas com pitons de borracha Jogo (a fornecer pelo clube) 1 camisola oficial do clube 1 calção oficial do clube 1 par de meias oficial do clube

16 Equipamento de treino e jogo O material de treino e jogo obrigatório a utilizar pelos professores/monitores deverá ser fornecido pelo clube. Treino 2 camisolas de rugby de diferentes cores 1 calção de rugby 1 par de meias 1 T-shirt para deslocações Jogo 1 Polo oficial do clube

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE RUGBY

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE RUGBY REGULAMENTO ESPECÍFICO DE RUGBY 2009-2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. PARTICIPAÇÃO...4 3. COMPETIÇÃO...4 4. APOIO MATERIAL, TÉCNICO, DESLOCAÇÕES....4 5. ESCALÕES ETÁRIOS......4 6. REGULAMENTO TÉCNICO ESPECÍFICO

Leia mais

PROGRAMA TAG RUGBY NA ESCOLA

PROGRAMA TAG RUGBY NA ESCOLA PROGRAMA TAG RUGBY NA ESCOLA 2014 2015 ÍNDICE Introdução 1. Evolução do Rugby na Escola 4 2. Rugby na Escola 6 2.1 Objectivos 3. Formação de Professores (Fase I) 6 3.1 Acção de Formação para Professores

Leia mais

2010 / Projecto Nestum Rugby nas Escolas

2010 / Projecto Nestum Rugby nas Escolas 2010 / 2011 Projecto Nestum Rugby nas Escolas Índice Pág. 1. Introdução 3 2. Rugby nas Escolas 4 2.1 Objectivos 3. Formação de Professores (Fase I) 5 3.1 Acção de Formação para Professores 4. Ensino do

Leia mais

Regulamento I Torneio Carnaval de Faro Andebol 5

Regulamento I Torneio Carnaval de Faro Andebol 5 Regulamento I Torneio Carnaval de Faro Andebol 5 I Enquadramento 1. O Torneio Carnaval de Faro enquadra-se na estratégia da Associação de Andebol do Algarve e do Município de Faro que pretende dinamizar

Leia mais

Escola de Hóquei em Campo CED Jacob Rodrigues Pereira

Escola de Hóquei em Campo CED Jacob Rodrigues Pereira O projeto hóquei em campo é uma ação planeada, estruturada por objetivos e estratégias, constituído por atos inter-relacionados e coordenados dentro de uma ideia geral que organiza recursos, atividades

Leia mais

Reunião de Clubes 21 Setembro 2011

Reunião de Clubes 21 Setembro 2011 Preparação para a Época 2011/2012 Sub-8, Sub-10, Sub-12 e Sub-14 DISPERSÃO GEOGRÁFICA DA REGIÃO SUL 7 Distritos 5 Áreas de Actuação - Lisboa Évora - Periferia de Lisboa Beja - Oeste - Alentejo Faro - Algarve

Leia mais

Deve ser nomeado um Coordenador de Estágio, de preferência o Diretor do Curso, neste caso o Professor José Barros.

Deve ser nomeado um Coordenador de Estágio, de preferência o Diretor do Curso, neste caso o Professor José Barros. REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DE GRAU I (Resumo) 1. Carga Horária O Curso de Treinadores de Atletismo de Grau I passa a englobar na sua componente curricular, para além das matérias gerais do treino desportivo

Leia mais

Objetivos Gerais do plano de desenvolvimento técnico desportivo

Objetivos Gerais do plano de desenvolvimento técnico desportivo Introdução Promover, divulgar, ensinar, treinar e competir no desporto em geral e no andebol em particular obriga a uma determinada organização e objetivos diferenciados em cada um dos escalões. Assim,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL (GI.COM-IPS)

REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL (GI.COM-IPS) REGULAMENTO INTERNO DO GABINETE DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL (GI.COM-IPS) I ÂMBITO E FINALIDADE 1. O Gabinete de Imagem e Comunicação do Instituto Politécnico de Setúbal

Leia mais

Programa TAG RUGBY nas Escolas principal objetivo

Programa TAG RUGBY nas Escolas principal objetivo Como fruto do crescimento do Rugby nas Escolas, a DGE (Divisão do Desporto Escolar) e a Federação Portuguesa de Rugby (FPR) estão empenhadas em dar continuidade ao Programa TAG RUGBY nas Escolas, que estará

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 FUTSAL MASCULINO REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Futsal masculino nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade

Leia mais

Comunicado Oficial n.º 1 Época: 2011/2012

Comunicado Oficial n.º 1 Época: 2011/2012 Comunicado Oficial n.º 1 Época: 2011/2012 1. ABERTURA DE ÉPOCA 2011/2012 - TÍTULO 11 - ARTº 2º Para efeitos regulamentares considera-se "ÉPOCA DESPORTIVA OFICIAL" o período compreendido entre a data do

Leia mais

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL

III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL 1 www.fpatletismo.pt III SEMINÁRIO DE ATLETISMO JUVENIL Organização da Carreira Desportiva no Atletismo 2 www.fpatletismo.pt Treino com Jovens: Análise da Situação Actual

Leia mais

GRAU II ESTÁGIO

GRAU II ESTÁGIO GRAU II ESTÁGIO 2016-17 ESTÁGIO Início: 3 de Outubro Fim: Até 30 de Junho Uma época desportiva: 800 horas (Inclui todas as atividades de treinador, desde o planeamento, preparação, treinos, reuniões, estágios,

Leia mais

REGULAMENTO 1 ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO 1 ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO 1 ORGANIZAÇÃO A organização é da Responsabilidade da Escolinha de Futebol Os Pirralhos da Casa do Benfica de Vendas Novas, em colaboração com o Serviço de Desporto da Câmara Municipal de Vendas

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA Fundada em 30-03-1925 www.afbeja.com Traquinas Petizes REGULAMENTO DE ENCONTRO DE ESCOLAS DE FORMAÇÃO FUTEBOL/FUTSAL ENCONTRO DE ESCOLAS DE FORMAÇÃO 1. OBJETIVOS GERAIS 1.01.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE BEJA Fundada em 30-03-1925 www.afbeja.com FUTEBOL ENCONTRO DE ESCOLAS DE FORMAÇÃO 1. OBJETIVOS GERAIS 1.01. Possibilitar a todas as crianças da nossa Associação praticar futebol

Leia mais

FESTA FINAL PROJECTO NESTUM RUGBY NAS ESCOLAS

FESTA FINAL PROJECTO NESTUM RUGBY NAS ESCOLAS FESTA FINAL PROJECTO NESTUM RUGBY NAS ESCOLAS 21 de MAIO de 2011 INDÍCE Entroncamento.. 3 Projecto Nestum Rugby nas Escolas.. 4 Organização. 5 Parceiros 6 Colaboração 6 Organograma da Organização 7 Programa

Leia mais

Cascais com Rugby Projeto para escolas do 1ºCiclo Ano Letivo 2013/2014. Projeto Cascais com Rugby, nas escolas do 1º Ciclo

Cascais com Rugby Projeto para escolas do 1ºCiclo Ano Letivo 2013/2014. Projeto Cascais com Rugby, nas escolas do 1º Ciclo Cascais com Rugby Projeto para escolas do 1ºCiclo Ano Letivo 2013/2014 Introdução A Federação Portuguesa de Rugby (FPR) acordou com o Gabinete Coordenador do Desporto Escolar dar inicio ao Programa Nestum,

Leia mais

PROJETO DE DESPORTO ESCOLAR

PROJETO DE DESPORTO ESCOLAR PROJETO DE DESPORTO ESCOLAR 2013 2017 1. INTRODUÇÃO O Programa do Desporto Escolar para o quadriénio de 2013-2017 visa aprofundar as condições para a prática desportiva regular em meio escolar, como estratégia

Leia mais

XADREZ EM MOVIMENTO 2014 (de 30 de Junho a 11 de Julho)

XADREZ EM MOVIMENTO 2014 (de 30 de Junho a 11 de Julho) XADREZ EM MOVIMENTO 2014 (de 30 de Junho a 11 de Julho) O que é? É um período excecional de férias dinâmico, lúdico e educativo, que motiva os jovens para a modalidade do Xadrez. O Xadrez em Movimento,

Leia mais

Perfil Profissional de Treinador

Perfil Profissional de Treinador Programa Nacional de FORMAÇÃO de Treinadores Grau1 Perfil Profissional de Treinador Perfil Profissional - GRAU I O Grau I corresponde à base hierárquica de qualificação profissional do treinador desportivo.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU. R egula mento Específico Futebol de Sete

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU. R egula mento Específico Futebol de Sete ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE VISEU R egula mento Específico Futebol de Sete 2016 2 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTEBOL DE SETE REGULAMENTO DA PROVA NORMAS ORIENTADORAS DOS JOGOS DESPORTIVOS DE TONDELA CAPÍTULO

Leia mais

Projecto Mega Sprinter. Federação Portuguesa de Atletismo Ministério da Educação - Desporto Escolar PROJECTO

Projecto Mega Sprinter. Federação Portuguesa de Atletismo Ministério da Educação - Desporto Escolar PROJECTO Federação Portuguesa de Atletismo Ministério da Educação - Desporto Escolar PROJECTO SETEMBRO 2004 1 ESCALÕES ETÁRIOS ESCALÃO ÉPOCAS 2004/2005 2005/2006 2006/2007 2007/2008 INFANTIS A 94/95 95/96 96/97

Leia mais

Época FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS

Época FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS A Escola de Futebol Associação Desportiva de Taboeira (ADT) tem como principal objectivo o ensino do futebol aos mais jovens e a detecção e aperfeiçoamento de novos valores,

Leia mais

Identificação das necessidades dos utilizadores 2007

Identificação das necessidades dos utilizadores 2007 Nota prévia: Este documento corresponde a um trabalho de grupo apresentado na Unidade Curricular Desenvolvimento e Gestão de Colecções do Curso de Mestrado em Gestão da Informação e Biblioteca Escolares.

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO FUTEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO FUTEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO FUTEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

18º TORNEIO CONCELHIO DE FUTSAL SUB-13 GONDOMAR 2015

18º TORNEIO CONCELHIO DE FUTSAL SUB-13 GONDOMAR 2015 A Escola Desportiva e Cultural de Gondomar vai, uma vez mais e pelo 18º ano consecutivo, em colaboração com a Câmara Municipal de Gondomar, levar a efeito o 18º. Torneio Concelhio de Futsal Sub-13 (Jovens

Leia mais

OvarSincro - Clube de Natação /

OvarSincro - Clube de Natação / OvarSincro - Clube de Natação / 2011-2012 www.ovarsincro.pt http://facebook.com/ovarsincro.clubedenatacao Acerca da Natação Sincronizada... A natação sincronizada é um desporto multidisciplinar que abrange

Leia mais

Regulamento. Interno

Regulamento. Interno CENTRO CULTURAL DESPORTIVO DE SANTA EULÁLIA DEPARTAMENTO DE FUTEBOL DE FORMAÇÃO Regulamento Interno Época 2016-2017 1- INTRODUÇÃO Serve este Regulamento Interno como instrumento de orientação definindo

Leia mais

ÉPOCA DESPORTIVA 2010-2011 SEGURO DESPORTIVO DE GRUPO (OBRIGATÓRIO) ( JOGADORES E AGENTES DESPORTIVOS )

ÉPOCA DESPORTIVA 2010-2011 SEGURO DESPORTIVO DE GRUPO (OBRIGATÓRIO) ( JOGADORES E AGENTES DESPORTIVOS ) ÉPOCA DESPORTIVA 2010-2011 SEGURO DESPORTIVO DE GRUPO (OBRIGATÓRIO) ( JOGADORES E AGENTES DESPORTIVOS ) Para conhecimento dos Sócios Ordinários, Clubes, SAD s e demais interessados, passamos a informar:

Leia mais

Clube do Desporto Escolar

Clube do Desporto Escolar Agrupamento de Escolas das Taipas Clube do Desporto Escolar 1. Estrutura organizacional Coordenador: Maria Elisabete da Silva Martinho Grupo de Recrutamento: 620 Departamento: Expressões Composição do

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA PLANO DE ATIVIDADES 2012 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA DESENVOLVIMENTO DA PRÁTICA DESPORTIVA ALTO RENDIMENTO E SELEÇÕES NACIONAIS FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS MARKETING, COMUNICAÇÃO & IMAGEM 1.-

Leia mais

Regulamento Departamento Surf NAVAL SURF SCHOOL 2013

Regulamento Departamento Surf NAVAL SURF SCHOOL 2013 Regulamento Departamento Surf NAVAL SURF SCHOOL 2013 Capítulo I (Funcionamento) Artigo 1º (Objectivos) 1- A Naval Surf School tem como objectivos gerais prestar um serviço profissional e dinâmico a toda

Leia mais

Escola de Futebol Os Afonsinhos Regulamento Interno

Escola de Futebol Os Afonsinhos Regulamento Interno Escola de Futebol Os Afonsinhos Regulamento Interno Índice Artigo 1º Entidade reguladora... 3 Artigo 2º Destinatários... 3 Artigo 4º Funcionamento... 3 Artigo 5º Comunicação com encarregados de educação...

Leia mais

REGULAMENTOS DA ESCOLA LXTRIATHLON

REGULAMENTOS DA ESCOLA LXTRIATHLON REGULAMENTOS DA ESCOLA LXTRIATHLON SETEMBRO 2016 NORMAS DE CONDUTA A OBSERVAR POR TODOS OS AGENTES LIGADOS À MODALIDADE NO CLUBE 1. INTRODUÇÃO Consideram-se agentes os atletas, pais, técnicos, dirigentes

Leia mais

ACÇÃO Nº CURSO TREINADORES GRAU 1 LOCAL Bairrada/Anadia DATA 28/9 a 1/ Metodologia de ensino Jogos de Iniciação: Jogos Prédesportivos

ACÇÃO Nº CURSO TREINADORES GRAU 1 LOCAL Bairrada/Anadia DATA 28/9 a 1/ Metodologia de ensino Jogos de Iniciação: Jogos Prédesportivos DIRETOR SECRETÁRIO TOTAL HORAS DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA 40h GERAL 41h FORMAÇÃO Inicial OBJECTIVOS DESTINATÁRIOS Competência para direção de equipas Sub-8 a Sub- 12 Ex-jogadores Pais Alunos universitários

Leia mais

MINI - HP. Projecto. Abril 2015 DTN Luis Sénica

MINI - HP. Projecto. Abril 2015 DTN Luis Sénica MINI - HP Projecto Abril 2015 DTN Luis Sénica 1. INTRODUÇÃO O principal objectivo do Mini HP é permitir a crianças de ambos os sexos a sua primeira experiência no Hóquei em Patins. Essencialmente é uma

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA DESPORTIVA QUEREMOS CRESCER CONSIGO 2017 / 2018 DOSSIER INSTITUCIONAL SETEMBRO 2017

INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA DESPORTIVA QUEREMOS CRESCER CONSIGO 2017 / 2018 DOSSIER INSTITUCIONAL SETEMBRO 2017 INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA DESPORTIVA QUEREMOS CRESCER CONSIGO 2017 / 2018 DOSSIER INSTITUCIONAL SETEMBRO 2017 1 Quem somos? A Associação de Voleibol de Lisboa nasce a 28 de Dezembro de 1938, sendo

Leia mais

CIRCUITO DE BEACH RUGBY 2005/06

CIRCUITO DE BEACH RUGBY 2005/06 CIRCUITO DE BEACH RUGBY 2005/06 1 ORGANIZAÇÃO DAS PROVAS 2 REGULAMENTO GERAL 3 REGULAMENTO ESPECÍFICO * 4 FICHA DE INSCRIÇÃO DA EQUIPA 5 BOLETIM DE JOGO A Direcção da FPR pretende instituir e coordenar

Leia mais

LOCAL. Treinar autonomamente ou como coadjuvante de titulares de grau igual ou superior praticantes em todas as etapas de formação desportiva.

LOCAL. Treinar autonomamente ou como coadjuvante de titulares de grau igual ou superior praticantes em todas as etapas de formação desportiva. DIRECTOR Rui Carvoeira SECRETÁRIO A designar TOTAL HORAS DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA 60h GERAL 63h FORMAÇÃO Inicial OBJECTIVOS Treinar autonomamente ou como coadjuvante de titulares de grau igual ou superior

Leia mais

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS DA JUNTA DE FREGUESIA DE PARANHOS PREÂMBULO No uso da competência prevista pelos artigos 112º, n.º. 8, e 241º da Constituição da República Portuguesa, e conferida pela

Leia mais

CENSO GERAL DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS

CENSO GERAL DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS CENSO GERAL DE INSTALAÇÕES DESPORTIVAS BLOCO A - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1.1 NOME 1.2 ENDEREÇO COD. POSTAL TELEFONE FAX 1.3 END. ELECTRÓNICO PAG. WEB 1.4 LUGAR CONCELHO FREGUESIA DISTRITO 1.5 CÓDIGO IDP..

Leia mais

PROJECTO DE ACOMPANHAMENTO

PROJECTO DE ACOMPANHAMENTO UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA Ano Letivo 2012/2013 PROJECTO DE ACOMPANHAMENTO DE DESPORTO ESCOLAR Basquetebol Iniciados Masculino Orientadores:

Leia mais

REGULAMENTO GERAL JOGOS NACIONAIS SALESIANOS

REGULAMENTO GERAL JOGOS NACIONAIS SALESIANOS REGULAMENTO GERAL JOGOS NACIONAIS SALESIANOS ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO I... 4 QUALIFICAÇÃO DOS PRATICANTES DESPORTIVOS SALESIANOS... 4 CAPÍTULO II... 5 IDENTIFICAÇÃO DOS PRATICANTES DO JOGO / PROVA...

Leia mais

Gala do Desporto 2012

Gala do Desporto 2012 Gala do Desporto 2012 Reunião de Câmara 05-Nov-2012 Índice 1. Introdução... 3 2. Destinatários... 3 3. Processo e prazo de candidatura... 3 4. Processo de seleção... 3 5. Critérios de seleção... 4 7. Exceções...

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL Nº

COMUNICADO OFICIAL Nº COMUNICADO OFICIAL Nº 1 2015-2016 1. ABERTURA DE ÉPOCA 2015-2016 - TÍTULO 8 - ARTº 2º Para efeitos regulamentares considera-se "ÉPOCA DESPORTIVA OFICIAL" o período compreendido entre a data do 1º Jogo

Leia mais

XADREZ EM MOVIMENTO 2013

XADREZ EM MOVIMENTO 2013 XADREZ EM MOVIMENTO 2013 O que é o Xadrez em Movimento - 2013 O Xadrez em Movimento, é um programa de actividades de tipo «campo de férias em vertente de externato», onde o xadrez se relaciona, com outras

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL XIRA 2017

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL XIRA 2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASQUETEBOL XIRA 2017 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 INSCRIÇÕES... 4 ESCALÕES ETÁRIOS... 4 CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 6 ARBITRAGEM... 7 CLASSIFICAÇÃO... 8 PRÉMIOS... 8 OUTRAS INFORMAÇÕES...

Leia mais

FUTEBOL DE RUA. Escola Pedro Órey da Cunha Damaia. Com o apoio de

FUTEBOL DE RUA. Escola Pedro Órey da Cunha Damaia. Com o apoio de REGULAMENTO ÉPOCA 2014/2015 Artigo 1º Introdução Este evento desportivo tem como principal objetivo trazer de volta a prática do futebol de rua e principalmente aquilo que de bom tinha. Hoje, não temos

Leia mais

Regulamento do III Torneio de Futebol de Sete Inter-Freguesias, concelho de Caminha

Regulamento do III Torneio de Futebol de Sete Inter-Freguesias, concelho de Caminha Regulamento do III Torneio de Futebol de Sete Inter- ÍNDICE I. INTRODUÇÃO -------------------------------------------------------------- 3 II. ORGANIZAÇÃO ------------------------------------------------------------

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 ÉPOCA 2017/2018

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 ÉPOCA 2017/2018 Distribuição: FAP e Clubes Filiados 1. Direcção 1.1 A época desportiva 2016/2017 termina no dia 31/07/2017. A época desportiva 2017/2018 inicia-se no dia 01/08/2017. 1.2 Atenção às datas limite para confirmar

Leia mais

MINIBASQUETE TORNEIO DE NATAL ATC

MINIBASQUETE TORNEIO DE NATAL ATC MINIBASQUETE TORNEIO DE NATAL 11 De Dezembro de 2010-11H00 Pavilhão Municipal de Vermoim Organização Apoio Apresentação e objectivos O Torneio de Minibasquete de Natal é uma organização da Academia de

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 2ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

Plano de Formação 2009

Plano de Formação 2009 Plano de Formação 2009 Introdução: O Departamento de Formação (DF) da FPR apresenta o plano de formação para 2009. A formação de todos os agentes desportivos treinadores, dirigentes, árbitros e fisioterapeutas

Leia mais

RELATÓRIO DO CLUBE DE DESPORTO ESCOLAR D0 AGRUPAMENTO ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA

RELATÓRIO DO CLUBE DE DESPORTO ESCOLAR D0 AGRUPAMENTO ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA RELATÓRIO DO CLUBE DE DESPORTO ESCOLAR D0 AGRUPAMENTO ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA ANO 2013/2014 RELATÓRIO FINAL DO CLUBE DESPORTO ESCOLAR 2009/2010 1. Balanço do cumprimento dos Objectivos do Programa

Leia mais

Época FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS

Época FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS FICHA de INSCRIÇÃO OBJECTIVOS A Escola de Futebol Associação Desportiva de Taboeira (ADT) tem como principal objetivo o ensino do futebol aos mais jovens e a deteção e aperfeiçoamento de novos valores,

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 FUTEBOL DE PRAIA REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Futebol de Praia, nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade

Leia mais

Futebol Voleibol - Ginástica Desportos Coletivos Hip Hop

Futebol Voleibol - Ginástica Desportos Coletivos Hip Hop Participações em Competições / Exibições Futebol Voleibol - Ginástica Desportos Coletivos Hip Hop ATIVIDADES EXTRA CURRICULARES DESPORTIVAS Um estilo de vida com atividade física está associado a benefícios

Leia mais

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes).

REGULAMENTO. 3. O MT será constituído por 8 (oito) provas, bem como pelo Campeonato Regional por Equipas de Sub10 (Interclubes). REGULAMENTO 1. O ATL MINI TOUR 2016 (MT) é um circuito de provas para os escalões de Sub8 e Sub10, promovido pela Associação de Ténis de Lisboa (ATL), havendo uma calendarização das provas através de um

Leia mais

Associação de Andebol da Madeira ÉPOCA 2014/2015

Associação de Andebol da Madeira ÉPOCA 2014/2015 COMUNICADO OFICIAL Nº 39 ÉPOCA 2014-2015 1. DEPARTAMENTO TÉCNICO 1.1 6ª EDIÇÃO DE UM GOLO PELA VIDA A Associação de Andebol da Madeira vem por este meio informar que irá realizar, em parceria com a prestigiada

Leia mais

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011

Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Plano Agrupamento Plano de Acção do Departamento do 1.º Ciclo 2010 / 2011 Prioridades Objectivos Estratégias ACÇÕES METAS AVALIAÇÃO P.1. Obj. 1 E.1 Ao 3.º dia de ausência do aluno, efectuar contacto telefónico,

Leia mais

FESTAND. MACIEIRA ANDEBOL CLUB 19 de Março de 2017 O MACIEIRA ANDEBOL CLUB. leva a efeito mais uma edição do Festand iniciação à modalidade

FESTAND. MACIEIRA ANDEBOL CLUB 19 de Março de 2017 O MACIEIRA ANDEBOL CLUB. leva a efeito mais uma edição do Festand iniciação à modalidade O leva a efeito mais uma edição do Festand iniciação à modalidade SEJAM BEM VINDOS FESTAND 19 de Março de 2017 Francisco César Coordenador Técnico 1. DETERMINAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS GERAIS DO TORNEIO

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Ano lectivo de 2013 2014

PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Ano lectivo de 2013 2014 PLANO DE ACTIVIDADES DA BIBLIOTECA ESCOLAR Ano lectivo de 2013 2014 A Biblioteca Escolar / Centro de Recursos Educativos, de acordo com o que está definido no Projecto educativo, deste agrupamento (...)

Leia mais

DEPARTAMENTO TÉCNICO FORMAÇÃO DESPORTIVA DOS JOVENS PRATICANTES

DEPARTAMENTO TÉCNICO FORMAÇÃO DESPORTIVA DOS JOVENS PRATICANTES DEPARTAMENTO TÉCNICO PROJECTO FORMAÇÃO DESPORTIVA DOS JOVENS PRATICANTES ÍNDICE I. INTRODUÇÃO II. OBJECTIVOS III. APLICAÇÃO ÉPOCA 2010/2011 I. INTRODUÇÃO É urgente perceber que a competição e formação

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 VOLEIBOL REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 VOLEIBOL REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 VOLEIBOL REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Voleibol nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2016 é da responsabilidade da, em colaboração

Leia mais

Associação de Andebol da Madeira ÉPOCA 2016/2017

Associação de Andebol da Madeira ÉPOCA 2016/2017 COMUNICADO OFICIAL Nº 1 ÉPOCA 2016-2017 Distribuição: FAP e Clubes Filiados 1. DEPARTAMENTO TÉCNICO 1.1 PROCESSAMENTO DE INSCRIÇÕES Informamos todos os clubes que relativamente aos procedimentos a ter

Leia mais

Corrida do 25 de Abril

Corrida do 25 de Abril Corrida do 25 de Abril Regulamento 1-Organização Autorizado a: 22 /04 /2013 A Corrida do 25 de Abril é uma organização de Nuno Carvalho, aluno do Curso Tecnológico de Desporto da Escola Secundária Carlos

Leia mais

Programa Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2011/2012

Programa Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2011/2012 Programa Nestum Rugby nas Escolas Balanço 2011/2012 Sul Centro Norte 1- No quarto ano (2011/2012) de implementação do Nestum Rugby nas Escolas, programa que resulta da parceria entre a Federação Portuguesa

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 COMUNICADO OFICIAL N.º 1 Quadros Competitivos 1 BAMBIS / MINIS (misto) 1.1 Calendarização Propõe-se assim a realização de 8 Encontros / Festand s, distribuídos por toda a época desportiva, nas seguintes

Leia mais

ESCOLA DE ARBITRAGEM NORTE

ESCOLA DE ARBITRAGEM NORTE ESCOLA DE ARBITRAGEM NORTE Melhores Árbitros, Melhores Jogadores, Melhor Jogo!!!! PLANO DE ACÇÃO Fevereiro - Julho 2012 Índice: Introdução Objectivos Princípios Universo Estratégia Método Acções Divulgação

Leia mais

MEXE-TE BRAGA TORNEIO INTER-FREGUESIAS

MEXE-TE BRAGA TORNEIO INTER-FREGUESIAS MEXE-TE BRAGA TORNEIO INTER-FREGUESIAS 1. Preâmbulo O Município de Braga criou em 2014 o programa desportivo municipal MEXE-TE Braga, tendo como principal objectivo a promoção da actividade física junto

Leia mais

Equipa de Golfe de Surdos. Treinador de Golfe / Fisioterapeuta: Carlos Louro Guerreiro

Equipa de Golfe de Surdos. Treinador de Golfe / Fisioterapeuta: Carlos Louro Guerreiro Equipa de Golfe de Surdos Treinador de Golfe / Fisioterapeuta: Carlos Louro Guerreiro O que é o golfe? Objectivo: introduzir a bola de golfe, num buraco, com diâmetro de 108 mm, com o menor nº de tacadas.

Leia mais

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição

REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL. Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição REGIMENTO ESPECÍFICO ANDEBOL Câmara Municipal de Lisboa e Juntas de Freguesia Olisipíadas 3ª edição Índice Preâmbulo 5 Artigo 1.º Escalões Etários, Dimensões do Campo, Bola, Tempo de Jogo e Variantes

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA QUESTIONÁRIO AOS TREINADORES DE FUTEBOL Este questionário faz parte de um estudo sobre a Análise do perfil de competências e das necessidades

Leia mais

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETBOL 3X3 COMPAL AIR

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETBOL 3X3 COMPAL AIR CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS INTRODUÇÃO No Campeonato Escolar Compal Air estão incluídos um conjunto de Torneios 3x3, correspondentes às fases Local, Regional,

Leia mais

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014 REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA Ano Letivo 2013/2014 Tendo como referência as normas que são comuns aos vários sectores que integram a estrutura pedagógica e administrativa da Escola,

Leia mais

CONVÍVIO DE MINI-HÓQUEI EM PATINS REGULAMENTO. Setembro 2016 DTN Luis Sénica

CONVÍVIO DE MINI-HÓQUEI EM PATINS REGULAMENTO. Setembro 2016 DTN Luis Sénica CONVÍVIO DE MINI-HÓQUEI EM PATINS REGULAMENTO Setembro 2016 DTN Luis Sénica 1. INTRODUÇÃO O principal objetivo do Mini HP é permitir a crianças de ambos os sexos a sua primeira experiência no Hóquei em

Leia mais

A formação de treinadores de Ginástica e Fitness: implicações da aplicação da nova legislação.

A formação de treinadores de Ginástica e Fitness: implicações da aplicação da nova legislação. A formação de treinadores de Ginástica e Fitness: implicações da aplicação da nova legislação. Paulo V. Anacleto Barata Director da Escola Nacional de Ginástica Federação de Ginástica de Portugal 24 de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE JOVENS DE ALENQUER TORNEIO DE FUTSAL DO MÊS DA JUVENTUDE. 25 de Maio Regulamento

ASSOCIAÇÃO DE JOVENS DE ALENQUER TORNEIO DE FUTSAL DO MÊS DA JUVENTUDE. 25 de Maio Regulamento ASSOCIAÇÃO DE JOVENS DE ALENQUER TORNEIO DE FUTSAL DO MÊS DA JUVENTUDE 25 de Maio 2013 Regulamento Associação de Jovens de Alenquer Contacto: ajalenquer@googlegroups.com 1 1. Local: Pavilhão da Escola

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA. Infantis-Benjamins (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA HORTA. Infantis-Benjamins (Futsal) Época Organização Competitiva e Regulamento Específico DE Infantis-Benjamins (Futsal) Época 2015-2016 Organização Competitiva e Regulamento Específico CLUBES PARTICIPANTES ILHA DO CORVO CLUBE DESPORTIVO ESCOLAR DO CORVO ILHA DO FAIAL CLUBE FLAMENGOS ILHA DAS

Leia mais

I TORNEIO DE VOLEIBOL DE PRAIA SJ

I TORNEIO DE VOLEIBOL DE PRAIA SJ REGULAMENTO DA PROVA 1. Estas normas são válidas para o I Torneio de Voleibol inserido na Semana Jovem Ílhavo 2010, cessando após a conclusão do mesmo. 2. O Torneio de Voleibol de Praia, realizar-se-á

Leia mais

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 ANDEBOL REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE SETÚBAL, ASSOCIAÇÕES e ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 ANDEBOL REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2017 ANDEBOL REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Andebol nos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2017 é da responsabilidade da, em colaboração

Leia mais

CURSO DE MASSAGISTA DE FUTEBOL NÍVEL I

CURSO DE MASSAGISTA DE FUTEBOL NÍVEL I ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE COIMBRA Estádio Sérgio Conceição, 3045-478 TAVEIRO Tel: 239853680 Fax: 239853699 ÉPOCA 2013/2014 ÍNDICE CURSO DE MASSAGISTA DE FUTEBOL NIVEL I COMUNICADO OFIC. Nº 17 DATA: 2014-10-20

Leia mais

4 Torneio de Andebol Cidade de Castelo Branco-Páscoa REGULAMENTO

4 Torneio de Andebol Cidade de Castelo Branco-Páscoa REGULAMENTO REGULAMENTO. ORGANIZAÇÃO. Associação Desportiva Albicastrense. Associação de Andebol de Castelo Branco. Federação Portuguesa de Andebol.Câmara Municipal de Castelo Branco. PARTICIPANTES. As equipas participantes

Leia mais

Regulamento Escola de Futebol os Melrinhos Época 2016/2017

Regulamento Escola de Futebol os Melrinhos Época 2016/2017 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol os Melrinhos é o departamento de futebol de formação do Melres Desporto e Cultura, que apresenta como principal objetivo ser autosustentável.

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017

REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO XADREZ 2013-2017 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO P.2 2. ESCALÕES ETÁRIOS P.3 3. CONSTITUIÇÃO DAS EQUIPAS P.3 4. REGULAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO P.3 4.1. FASE LOCAL P.4 4.2. FASE REGIONAL P.5

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA

REGULAMENTO ESPECÍFICO BOCCIA REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BOCCIA 2009 2013 (Reformulado 2011 Dez) ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 CAPÍTULO I - Qualificação dos praticantes desportivos escolares 3 CAPÍTULO II - Identificação dos praticantes do jogo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ÍNDICE Capítulo I página 3 Participação na Selecção Distrital Artigo 1º - Principio geral Artigo 2º - Participação na Selecção

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA NORMAS ORIENTADORAS PARA A ÉPOCA DESPORTIVA 2009/10

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA NORMAS ORIENTADORAS PARA A ÉPOCA DESPORTIVA 2009/10 ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DA GUARDA NORMAS ORIENTADORAS PARA A ÉPOCA DESPORTIVA 2009/10 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO ATENDIMENTO AO PÚBLICO: Segunda a sexta-feira das 09h30m às 12h30m e das 14h00m às 17h30m ÀS

Leia mais

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte:

Despacho. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 18º do Despacho n.º 5328/2011, de 28 de Março, determino o seguinte: Despacho O Despacho n.º 5328/2011, de 28 Março, estabeleceu as regras e os princípios orientadores a observar na organização das escolas e na elaboração do horário semanal de trabalho do pessoal docente

Leia mais

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia RUGBY para TODOS Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social Departamento de Desenvolvimento Henrique Garcia 1. Introdução A Federação Portuguesa de Rugby tem como missão tornar possível que TODAS

Leia mais

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 Regulamento Geral XIV COPA SMEL DE FUTSAL CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - A XIV COPA SMEL DE FUTSAL tem por objetivo principal o congraçamento geral dos participantes

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ÉPOCA DESPORTIVA 2016/2017

PLANO DE AÇÃO ÉPOCA DESPORTIVA 2016/2017 PLANO DE AÇÃO ÉPOCA DESPORTIVA 2016/2017 ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO SOCIAL, DESPORTIVA, RECREATIVA E CULTURAL DE MOITA DO BOI INTRODUÇÃO O Futebol é uma modalidade desportiva com forte tradição em Portugal,

Leia mais

GRUPOS EQUIPA DE RUGBY

GRUPOS EQUIPA DE RUGBY GRUPOS EQUIPA DE RUGBY Orientações para Grupos Equipa de Rugby para 2016/2017 As escolas e os professores que estão familiarizados com o Programa Tag Rugby nas Escolas, podem criar o seu Grupo Equipa de

Leia mais

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO SPO DECRETO-LEI Nº190/1991 DE 17 MAIO DECRETO-LEI Nº300/1997 DE 31 OUTUBRO / PORTARIA Nº 63 / 2001 DE 30 DE JANEIRO A escola e seus actores Agrupamento de Escolas de

Leia mais

Os alunos Federados não podem competir na modalidade em que são praticantes. Isto não quer dizer que não possam frequentar o núcleo.

Os alunos Federados não podem competir na modalidade em que são praticantes. Isto não quer dizer que não possam frequentar o núcleo. !1 1. Concentrações 1.1 Competição individual As competições individuais realizar-se-ão em forma de Concentração. O acto da inscrição nas concentrações deverá ser feito no prazo de até 8 dias úteis à data

Leia mais

GDG REGULAMENTO GAFANHA CUP 2016

GDG REGULAMENTO GAFANHA CUP 2016 ART.º 1 - APRESENTAÇÃO O Gafanha Cup 2016 será o segundo torneio internacional organizado pelo Grupo Desportivo da Gafanha e realizar-se-á no Complexo Desportivo da Gafanha. O objetivo deste torneio será

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2007

PLANO DE ACTIVIDADES 2007 PLANO DE ACTIVIDADES 2007 1- PLANO ACTIVIDADES 2007 QUADRO COMPETITIVO SENIOR QUADRO COMPETITIVO JUNIOR / JUVENIL QUADRO COMPETITIVO JUVENIL / FEMININO 2 FORMAÇÃO 3 PLANO ESTRATÉGICO 2005 / 2007 4 PLANO

Leia mais

1. Índice Apresentação Regulamentação Nascidos em 2003/ Data e Horário Local da realização dos jogos...

1. Índice Apresentação Regulamentação Nascidos em 2003/ Data e Horário Local da realização dos jogos... Regulamento 1 2 1. Índice 1. Índice... 3 2. Apresentação... 6 3. Regulamentação... 7 4. Nascidos em 2003/2004... 7 Data e Horário... 7 Local da realização dos jogos... 7 Quadro Competitivo... 7 Duração

Leia mais