08:30-8:45 - Abertura e Boas Vindas - Diretoria da Embrapa, Presidente da Rede de Sementes do Cerrado e Coordenador do Projeto Semeando Bioma Cerrado.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "08:30-8:45 - Abertura e Boas Vindas - Diretoria da Embrapa, Presidente da Rede de Sementes do Cerrado e Coordenador do Projeto Semeando Bioma Cerrado."

Transcrição

1 RELATÓRIO DO ENCONTRO NACIONAL DAS REDES DE SEMENTES FLORESTAIS BRASILEIRAS Local: Embrapa Sede Sala Álvaro Barcellos Data: 29 de março de 2011 PROGRAMAÇÃO 08:00 08:30 Inscrição 08:30-8:45 - Abertura e Boas Vindas - Diretoria da Embrapa, Presidente da Rede de Sementes do Cerrado e Coordenador do Projeto Semeando Bioma Cerrado. 08:45 09:15 - Palestra sobre Ano Internacional das Florestas. Felipe Ribeiro Assessor da Diretoria de Transferência de Tecnologia da Embrapa 09:15 09: 45 - Palestra sobre Legislação de Sementes e Mudas Florestais. Joâo Frattini Ramos - Representante do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA 09:45-10:15 - Palestra sobre Recuperação de APP s e Reserva Legal no Contexto Ambiental. João de Deus Medeiros - Diretor do Programa Nacional de Floresta do MMA.

2 10:15 10:35 - Plano Estratégico da Rede Brasileira de Sementes Florestais. Adriana Dias 10:35-10:50 - Intervalo - Lanche Temático de Produtos de frutas do Cerrado 10:50 11:05 - Palestra sobre Rede de Áreas Produtoras de Sementes Florestais. Antonio Higa - Professor da Universidade Federal do Paraná -UFPR 11:05-11:20 - Apresentação do Projeto "Semeando o Bioma Cerrado" Jose Rozalvo Andrigueto - Coordenador do Projeto. Apresentação das Redes 11:20 11:40 Rede de Sementes da Amazônia Ocidental 11:40 12:00 Rede de Sementes da Amazônia Oriental 12:00 12:20 Rede de Sementes da Mata Atlântica 12:20 12:40 Rede de Sementes do Sul 12:40 13:00 Rede de Sementes da Caatinga 13:00 14:00 Almoço 14:00 14:20 Tomada de fotos (representantes das Redes ) 14:20 14:40 Rede de Sementes do Pantanal 14:40 15:00 Rede de Sementes Rio/São Paulo 15:00 15:20 Rede de Sementes do Cerrado 15:40 16:00 Intervalo - Lanche Temático de Produtos de frutas do Cerrado Apresentação da Nova Rede 15:20 15:40 Rede de Sementes do Xingu 16:00 18:30 Discussões e Propostas de Cooperação entre as Redes Coordenador do Encontro : Jose Rozalvo Andrigueto

3 ABERTURA DO ENCONTRO NACIONAL DAS REDES DE SEMENTES FLORESTAIS BRASILEIRAS SENHORAS E SENHORES, BOM DIA! Mestre de Cerimônia NESTE MOMENTO DAMOS INÍCIO À SOLENIDADE DE ABERTURA DO ENCONTRO NACIONAL DAS REDES DE SEMENTES FLORESTAIS BRASILEIRAS. ESTE ENCONTRO, É UMA AÇÃO PREVISTA NO PROJETO SEMEANDO O BIOMA CERRADO, QUE É PATROCINADO PELA PETROBRÁS, E TEM POR OBJETIVO ESTIMULAR OS ELOS DA CADEIA PRODUTIVA DE SEMENTES E MUDAS FLORESTAIS DE ESPÉCIES NATIVAS DO CERRADO A ADEQUAREM-SE À LEGISLAÇÃO E A ADOTAREM MODELOS EFICIENTES DE PRODUÇÃO QUE PROMOVAM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. COMPOEM A MESA DE HONRA: O SENHOR COORDENADOR DO PROJETO SEMEANDO O BIOMA CERRADO, JOSÉ ROZALVO ANDRIGUETO; A SENHORA PRESIDENTE DA REDE DE SEMENTES DO CERRADO, MARIA MAGALY WETZEL; E O SENHOR FELIPE RIBEIRO ASSESSOR DA DIRETORIA EXECUTIVA DA EMBRAPA. Após as boas vindas iniciou-se as apresentação das seguintes palestras de acordo com a programação:

4 Ano Internacional das Florestas. Dr. Felipe Ribeiro, Assessor da Diretoria da Embrapa, apresentando a palestra sobre o Ano Internacional das Florestas. Legislação de Sementes e Mudas Florestais. Dr. João Frattini Ramos, representante do Ministério da Agricultura, apresentando a palestra sobre a Legislação de Sementes e Mudas Florestais.

5 Recuperação de APP s e Reserva Legal no Contexto Ambiental. Dr. João de Deus Medeiros, Diretor do Programa Nacional de Floresta do MMA, apresentando a palestra sobre a Recuperação de APP's e Reservas Legal no Contexto Ambiental. Plano Estratégico da Rede Brasileira de Sementes Florestais. Drª. Adriana Dias, da Rede de Sementes do Sul, apresentado a palestra sobre o Plano Estratégico da Rede Brasileira de Sementes Florestais.

6 Marco Conde, do Serviço Florestal Brasileiro, fazendo uma pequena apresentação sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal - FNDF. Rede de Áreas Produtoras de Sementes Florestais. Dr. Antônio Higa, professor da Universidade Federal do Paraná, fazendo apresentação da palestra sobre a Rede de Áreas Produtoras de Sementes Florestais.

7 Projeto "Semeando o Bioma Cerrado" Jose Rozalvo Andrigueto, da Rede de Sementes do Cerrado, apresentando o Projeto "Semeando o Bioma Cerrado". Apresentação das Redes Rede de Sementes da Amazônia Selma Ohashi, Universidade Federal Rural da Amazonia - UFRA, apresentado as atividades da Rede de Sementes da Amazônia

8 Rede de Sementes da Mata Atlântica Fátima Conceição Marques Piña-Rodrigues, Universidade Federal de São Carlos, apresentado as atividades da Rede de Sementes da Mata Atlântica. Rede de Sementes Rio/São Paulo Renato Lorza, Instituto Florestal de São Paulo, apresentando as atividades da Rede de Sementes Rio/São Paulo.

9 Rede de Sementes do Sul Antonio Carlos de Souza Medeiros, pesquisador aposentado da Embrapa, apresentando as atividades da Rede de Sementes. Rede de Sementes da Caatinga Marco Antonio Amaral Passos, Universidade Federalo de Pernanbuco - UFRPE, apresentando as atividades da Rede de Sementes da Caatinga.

10 Rede de Sementes do Pantanal Edna Scrimin Dias, Universidade Federal de Mato Gosso do Sul, apresentando as atividades da Rede de Sementes do Pantanal. Rede de Sementes do Cerrado Maria Magaly Wetzel, Presidente da Rede de Sementes do Cerrado, apresentando as atividades da respectiva rede.

11 Rede de Sementes do Xingu Jose Nicola Costa apresentando as atividade da Rede de Sementes do Xingu. Discussões e Propostas de Cooperação entre as Redes PROPOSTAS APRESENTADAS 1- FORMAÇÃO DE UM GRUPO DE TRABALHO (VIRTUAL) PARA: - SISTEMATIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES APRESENTADAS NESTE ENCONTRO - DESENVOLVIMENTO DA REDE BRASILEIRA DE SEMENTES FLORESTAIS - COMPONENTES: - ADRIANA (RESPONSÁVEL) - RENATO LORZA: REDE RIO-SÃO PAULO - MARIA DO CARMO: REDE CAATINGA - MANOEL CLÁUDIO: REDE CERRADO - ADRIANA: REDE SUL - ISOLDE FERRAZ: REDE AMAZÔNIA - NICOLA: REDE XINGU

12 2- REUNIÃO PARA FECHAR UM CONJUNTO DE PROPOSTAS 3- BUSCAR ALTERNATIVAS PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS 4- ELABORAÇÃO DE UM DELINEAMENTO POR PARTE DAS REDES PARA CONTRIBUIR NA ELABORAÇÃO DE TERMOS DE REFERÊNCIA 5- ESTABELECER NÍVEIS EFICIENTES DE ARTICULAÇÃO 6- CRIAR DEMANDAS PARA PRODUTOS ORIUNDOS DE ESPÉCIES NATIVAS 7- AUMENTAR A INFLUÊNCIA NA FORMULAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS 8- COBRAR DOS ÓRGÃOS AMBIENTAIS DE FISCALIZAÇÃO AÇÕES EFETIVAS QUE PROMOVAM A RECUPERAÇÃO AMBIENTAL PROMOVENDO AUMENTO DA DEMANDA POR SEMENTES FLORESTAIS 9- ENCAMINHAR DOCUMENTO COM PROPOSTAS PARA O CONGRESSO NACIONAL E MINISTÉRIOS 10- CRIAR FOCO NA PRODUÇÃO DE SEMENTES 11- RETOMAR O PENSAF 12- TRATAR CADA REDE DE ACORDO COM SUAS PECULIARIDADES (EVITAR A GENERALIZAÇÃO) 13- PROPOR SOLUÇÕES PARA OS DESMATADORES COMO FORMA DE CRIAR A DEMANDA POR SEMENTES FLORESTAIS 14- ELABORAÇÃO DE PROPOSTA DE MOÇÃO OU RESOLUÇÃO PARA O CONAMA, ATRAVÉS DO GRUPO COMPOSTO POR: HIGA FATIMA MÁRCIA RENATO MANUEL ADRIANA - ELABORAÇÃO DE DIAGNÓSTICO DOS LABORATÓRIOS DE ANÁLISE DE SEMENTES FLORESTAIS - CRIAÇÃO DE PROTOCOLOS DE ANÁLISES DE SEMENTES - ENCAMINHAR AS APRESENTAÇÕES E OS S PARA TODOS OS PARTICIPANTES (15 DIAS) - PROPOR DEMANDAS DE PESQUISAS - CRIAÇÃO DE LINKS NOS SITES DAS REDES DE SEMENTES.

13 Considerações Finais: Estiveram presentes ao Encontro 74 participantes, sendo 22 representantes das Rede Sementes Florestais Brasileiras e 52 outros participantes. Durante o evento recebemos a visita da Diretora da Embrapa, Drª Tatiana Sá, no qual manifestou seu integral apoio ao Encontro que visa a Intregração das Redes dos Biomas Brasileiros, e que a Embrapa sente-se honrada em cediar e receber os representantes das redes no Ano Internacional das Florestas. Esteve também prestigiando durante todo o evento a Gestora de Projetos Ambiental da Petrobras, Adriana Oliveira.

14 Registro fotográfico dos Participantes das Redes de Sementes de Sementes Florestais Brasileiras.

15 Esteve também prestigiando durante todo o evento a Gestora Ambiental da Petrobras, Adriana Oliveira. Registro do Lanche Temático Sucos de Pequi, Ariticum e Araça.

16 Castanha torrada de Baru Bolos, Salgados, Pães, Pudins, Cremes de: Pequi, Baru, Araticum, Buriti e Jatobá.

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR MISSÃO Promover o conhecimento, o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país. MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR Diretoria

Leia mais

Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica. Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU)

Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica. Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU) Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU) Índice da Apresentação Lições aprendidas Projeto Proteção da Mata Atlântica II (2009 a 2012)

Leia mais

Keila Malvezzi da Silva

Keila Malvezzi da Silva Súmula Curricular (jul/2016) Keila Malvezzi da Silva 1 Formação 1999-2006 Graduação em Psicologia Universidade Mackenzie, São Paulo-SP 2012-2016 Graduação em Agronomia Faculdade Integral Cantareira, São

Leia mais

Relatório de Atividades.

Relatório de Atividades. Relatório de Atividades 2016 www.apremavi.org.br Programa Matas Legais Objetivo: Desenvolver um programa de Conservação, Educação Ambiental e Fomento Florestal que ajude a preservar e recuperar os remanescentes

Leia mais

A Ocupação do Cerrado e Subsídios para a Elaboração de Projeto de Lei de Proteção Ambiental do Bioma.

A Ocupação do Cerrado e Subsídios para a Elaboração de Projeto de Lei de Proteção Ambiental do Bioma. A Ocupação do Cerrado e Subsídios para a Elaboração de Projeto de Lei de Proteção Ambiental do Bioma. Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle CMA Senado Federal Audiência

Leia mais

Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ciências Agrárias II SEMANA ACADÊMICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS São Luís/MA, 28 a 30 de agosto de 2013

Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ciências Agrárias II SEMANA ACADÊMICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS São Luís/MA, 28 a 30 de agosto de 2013 PROGRAMAÇÃO 28 DE AGOSTO DE 2013 HORÁRIO ATIVIDADES LOCAL 08:00h 09:00h Recepção aos participantes e entrega de material Área de vivência 09:00h 12:00h 12:00h 13:30h Solenidade de abertura Auditório 1

Leia mais

Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal

Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal CÓDIGO FLORESTAL Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Reserva Legal (RL) - Novos Recortes OqueéumMóduloFiscal? MF 1.Exploração 2.Renda obtida com a exploração

Leia mais

SEMINÁRIO RECUPERAÇÃO HIDROAMBIENTAL

SEMINÁRIO RECUPERAÇÃO HIDROAMBIENTAL SEMINÁRIO RECUPERAÇÃO HIDROAMBIENTAL LOCAL: UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (UFS) PERÍODO: 11 E 12 DE FEVEREIRO DE 2014 INTRODUÇÃO O seminário visa promover a difusão e o diálogo das experiências e perspectivas

Leia mais

Local: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Campus Marquês de

Local: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Campus Marquês de Data: 3 e 4 de dezembro de 2013 Local: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Campus Marquês de Paranaguá Apresentação da Proposta: Nos dias 3 e 4 de dezembro de 2013 será realizado o 2o. FÓRUM

Leia mais

A origem do ReHAgro. O ReHAgro nasceu de algumas convicções: - Vocação do agronegócio brasileiro; - Grande distância entre o potencial e o real;

A origem do ReHAgro. O ReHAgro nasceu de algumas convicções: - Vocação do agronegócio brasileiro; - Grande distância entre o potencial e o real; A origem do ReHAgro O ReHAgro nasceu de algumas convicções: - Vocação do agronegócio brasileiro; - Grande distância entre o potencial e o real; - Crença na capacidade de modificar a realidade com o trabalho;

Leia mais

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário Grãos, Proteína Animal, Floresta Plantada e Palma Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário São Paulo 3/08/2015 Rodrigo C. A. Lima Leila Harfuch Luciane Chiodi Wilson Zambianco

Leia mais

A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende.

A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende. Quem somos? A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende. No Brasil, onde atua há 25 anos, a TNC desenvolve iniciativas nos cinco principais

Leia mais

AÇÕES DE MATO GROSSO PARA A PROTEÇÃO DO CLIMA

AÇÕES DE MATO GROSSO PARA A PROTEÇÃO DO CLIMA AÇÕES DE MATO GROSSO PARA A PROTEÇÃO DO CLIMA Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado de Mato Grosso PPCDQ/MT 14000 12000 10000 8000 6000 4000 6543 6963 6466 5271 11814 10405

Leia mais

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico - SEMADE Presidência da República Casa

Leia mais

Cadeia Produtiva da Silvicultura

Cadeia Produtiva da Silvicultura Cadeia Produtiva da Silvicultura Silvicultura É a atividade que se ocupa do estabelecimento, do desenvolvimento e da reprodução de florestas, visando a múltiplas aplicações, tais como: a produção de madeira,

Leia mais

COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa 2014 Brasil

COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa 2014 Brasil COPA ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL Copa 2014 Brasil BRASIL - UM PAÍS DIFERENCIADO Megadiversidade ambiental e social Reconhecido como país estratégico no cenário global Sequência de mega eventos com visibilidade

Leia mais

Estratégias para a Redução das Vulnerabilidades da Biodiversidade da Caatinga

Estratégias para a Redução das Vulnerabilidades da Biodiversidade da Caatinga SECRETARIA DE EXTRATIVISMO E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL SEDR/MMA DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMETNO RURAL SUSTENTÁVEL Estratégias para a Redução das Vulnerabilidades da Biodiversidade da Caatinga JOÃO

Leia mais

A Semana de Integração Tecnológica (SIT) como Instrumento de Transferência de Tecnologias na Embrapa Milho e Sorgo

A Semana de Integração Tecnológica (SIT) como Instrumento de Transferência de Tecnologias na Embrapa Milho e Sorgo XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 A Semana de Integração Tecnológica (SIT) como Instrumento de Transferência de Tecnologias na Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

Apresentação. Até breve e boa leitura. Denise Hamú. José Amaral Wagner Neto. Secretária-Geral WWF-Brasil. Diretor Executivo Fundação Florestal

Apresentação. Até breve e boa leitura. Denise Hamú. José Amaral Wagner Neto. Secretária-Geral WWF-Brasil. Diretor Executivo Fundação Florestal Apresentação O termo sustentabilidade tem sido empregado no Brasil de forma freqüente. Com os cenários preocupantes das mudanças climáticas, a cada dia um maior número de indivíduos, empresas e governos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO CURSO FORMAÇÃO DE COLETORES DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS

PROGRAMAÇÃO DO CURSO FORMAÇÃO DE COLETORES DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS PROGRAMAÇÃO DO CURSO FORMAÇÃO DE COLETORES DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORESTAIS NATIVAS Data: 19 a 23 de maio de 2014 Horário: 8:00-18:00 horas Local: Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR,

Leia mais

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Abril/2015 IMÓVEIS A SEREM INSCRITOS EM 2 ANOS Imóveis BR Área (ha) Estabelecimentos Agricultura familiar 4.367.902

Leia mais

Desmatamento anual na Amazônia Legal ( )

Desmatamento anual na Amazônia Legal ( ) Setembro 2016 4.571 7.464 7.000 6.418 5.891 5.012 5.831 11.030 11.651 13.730 13.786 13.227 12.911 14.896 14.896 14.286 16.531 17.770 18.161 17.383 17.259 18.226 18.165 19.014 21.050 21.651 25.396 27.772

Leia mais

LEGISLAÇÃO PARA COLETA DE SEMENTES E PRODUÇÃO DE MUDAS NATIVAS

LEGISLAÇÃO PARA COLETA DE SEMENTES E PRODUÇÃO DE MUDAS NATIVAS LEGISLAÇÃO PARA COLETA DE SEMENTES E PRODUÇÃO DE MUDAS NATIVAS Bárbara França Dantas Pesquisadora da Embrapa Semiárido De acordo com FERNANDA YONEYA (O Estado de São Paulo de 21 de setembro de 2011), mesmo

Leia mais

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica

Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Manual para Elaboração dos Planos Municipais para a Mata Atlântica Rede de ONGs da Mata Atlântica RMA Apoio: Funbio e MMA Papel do Município no meio ambiente Constituição Federal Art 23 Competência Comum,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR SEMINÁRIO MEIO AMBIENTE E CIDADES RESILIENTES

PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR SEMINÁRIO MEIO AMBIENTE E CIDADES RESILIENTES PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR SEMINÁRIO MEIO AMBIENTE E CIDADES RESILIENTES LOCAL: Salão Nobre do Setor de Tecnologia e Auditório do Setor de Tecnologia 1º e 2 º andar - Centro Politécnico - e Secretaria Municipal

Leia mais

Monitoramento das alterações da cobertura vegetal e uso do solo na Bacia do Alto Paraguai Porção Brasileira Período de Análise: 2012 a 2014

Monitoramento das alterações da cobertura vegetal e uso do solo na Bacia do Alto Paraguai Porção Brasileira Período de Análise: 2012 a 2014 Monitoramento das alterações da cobertura vegetal e uso do solo na Bacia do Alto Paraguai Porção Brasileira Período de Análise: 2012 a 2014 1 Sumário Executivo Apresentação A Bacia Hidrográfica do Alto

Leia mais

Viveiros Forestales como oportunidad de agronegocios en comunidad rurales. Severino Rodrigo Ribeiro Pinto, Phd.

Viveiros Forestales como oportunidad de agronegocios en comunidad rurales. Severino Rodrigo Ribeiro Pinto, Phd. Viveiros Forestales como oportunidad de agronegocios en comunidad rurales Severino Rodrigo Ribeiro Pinto, Phd. Processo Chave Source: Carlos A. Peres The Amazon region Processo Chave Source: Rhett A.

Leia mais

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED 2011 Mudanças Agricultura e Florestas REDD plus após a decisão da COP16: como fomentar projetos

Leia mais

Mesa Redonda da Madeira Tropical Sustentável

Mesa Redonda da Madeira Tropical Sustentável Mesa Redonda da Madeira Tropical Sustentável Rede Amigos da Amazônia Quem somos nós? 2000 Influenciar o setor público a adotar políticas responsáveis de consumo de madeira tropical Estados Amigos da Amazônia

Leia mais

12 CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL. Política Agrícola para Florestas Plantadas

12 CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL. Política Agrícola para Florestas Plantadas 12 CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL Política Agrícola para Florestas Plantadas Florestas Plantadas Legislação Lei 12.187/2009 Institui a Política Nacional sobre Mudança do Clima - PNMC

Leia mais

Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação: Estrutura e Modo de Atuação. Brasilia, 09 de novembro de 2010

Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação: Estrutura e Modo de Atuação. Brasilia, 09 de novembro de 2010 Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação: Estrutura e Modo de Atuação Brasilia, 09 de novembro de 2010 Embrapa Estudos Estratégicos e Capacitação em Agricultura Tropical inaugurada em 10 de maio de 2010

Leia mais

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra;

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; três convenções Biodiversidade, Desertificação e Mudanças climáticas; uma declaração de princípios sobre florestas;

Leia mais

ANEXO I ANEXO II RELATÓRIO ANUAL DE PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS ANEXO III

ANEXO I ANEXO II RELATÓRIO ANUAL DE PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES FLORESTAIS ANEXO III * Saldo = produção do ano - (comercializada + plantio próprio + outros destinos) ANEXO I Produtor: RELATÓRIO ANUAL DE PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE SEMENTES DE ESPÉCIES FLORE S TA I S Ano de produção:

Leia mais

7º Seminário de Reservas Privadas de Minas Gerais

7º Seminário de Reservas Privadas de Minas Gerais 7º Seminário de Reservas Privadas de Minas Gerais Montes Claros MG - Brasil 25 a 27 de agosto de 2011 Realização: Patrocínio: APOIO INSTITUCIONAL 7º Seminário de Reservas Privadas de Minas Gerais Montes

Leia mais

Los impactos del Cambio Climático en el Pantanal. Alcides Faria

Los impactos del Cambio Climático en el Pantanal. Alcides Faria Los impactos del Cambio Climático en el Pantanal Alcides Faria www.riosvivos.org.br Propósitos - Identificar o território Pantanal como parte da bacia do rio da Prata e de um grande sistema de áreas úmidas

Leia mais

08 e 09 abril de Ministério do Meio Ambiente

08 e 09 abril de Ministério do Meio Ambiente 1ª Oficina sobre Integração de Sistemas de Informação dos Órgãos do SISNAMA ao Portal da Gestão Florestal 08 e 09 abril de 2008. Objetivos Fazer um diagnóstico do estágio atual da implementação da gestão

Leia mais

Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros

Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros 1 Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros estreptococos e estafilococos, além dos coliformes. A

Leia mais

A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção?

A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção? A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção? José Maria Cardoso da Silva & Adriano Paglia Conservação Internacional-Brasil Biodiversidade no Brasil Biodiversidade em vários níveis

Leia mais

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira Cenário da cacauicultura Helinton Rocha Diretor Geral Brasília, DF 00:30 Brasília, 1º de abril de 2015

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca PANORAMA ATUAL E PERSPECTIVAS DE CURTO E MÉDIO PRAZO PARA O SETOR AQUICOLA BRASILEIRO X SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE AQUICULTURA

Leia mais

Diretoria APAMT Biênio 2013/14. Atividades da APAMT 2013

Diretoria APAMT Biênio 2013/14. Atividades da APAMT 2013 Diretoria APAMT Biênio 2013/14 Atividades da APAMT 2013 Associação Paranaense de Medicina do Trabalho MISSÃO Buscar o desenvolvimento técnico e científico dos associados da APAMT e fortalecer a participação

Leia mais

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO Etapas do PMMA Organização do processo de elaboração do Plano Municipal da Mata Atlântica MOBILIZAÇÃO QUE CO SO ANÁLISE PRON CO VO Definição da Visão de Futuro DIAGNÓSTICO QUE CO

Leia mais

À CÂMARA NORMATIVA E RECURSAL DO CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS CNR/COPAM

À CÂMARA NORMATIVA E RECURSAL DO CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS CNR/COPAM À CÂMARA NORMATIVA E RECURSAL DO CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL DE MINAS GERAIS CNR/COPAM Ref.: Parecer de Vista relativo ao exame da Minuta de Deliberação Normativa que dispõe sobre os parâmetros

Leia mais

Rede de Pesquisa, Inovação, Tecnologia, Serviços e Desenvolvimento Sustentável. em Microbacias Hidrográficas

Rede de Pesquisa, Inovação, Tecnologia, Serviços e Desenvolvimento Sustentável. em Microbacias Hidrográficas PROGRAMA RIO RURAL Núcleo de Pesquisa Participativa Pesagro-Rio / Rio Rural Rede de Pesquisa, Inovação, Tecnologia, Serviços e Desenvolvimento Sustentável em Microbacias Hidrográficas Facilitar a integração

Leia mais

4 Núcleos de Trabalho. 26 Colaboradores. Entidade civil sem fins lucrativos de caráter socioambiental, fundada em 1996, sediada na cidade de São Paulo

4 Núcleos de Trabalho. 26 Colaboradores. Entidade civil sem fins lucrativos de caráter socioambiental, fundada em 1996, sediada na cidade de São Paulo Entidade civil sem fins lucrativos de caráter socioambiental, fundada em 1996, sediada na cidade de São Paulo 4 Núcleos de Trabalho São Paulo Porto Feliz Pilar do Sul Capão Bonito 26 Colaboradores eng.

Leia mais

A BIODIVERSIDADE BRASILEIRA PROGRAMA BIOTA-FAPESP

A BIODIVERSIDADE BRASILEIRA PROGRAMA BIOTA-FAPESP A BIODIVERSIDADE BRASILEIRA PROGRAMA BIOTA-FAPESP PROGRAMA BIOTA-FAPESP O Brasil abriga entre 13% e 18% das espécies do planeta em ampla variedade de habitats. Este tesouro natural pode ser dividido em

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC.

FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC. FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS E ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC. CHAMADA PÚBLICA PARA CONTRATAÇÃO DE AGENTES DE DESENVOLVIMENTO SOLIDÁRIO DO PROJETO BRASIL LOCAL ETNODESENVOLVIMENTO E ECONOMIA

Leia mais

Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030

Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030 Estadão, 13 de julho de 2016 Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030 Cálculo considera estratégia de pagamento por serviços ambientais, em que proprietário é compensado por conservar

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio Diretoria de Agronegócios BB e o Agronegócio Importância do Agronegócio no Brasil + 35% nas exportações do país 197,9 40,9% 41,1% 37,4% 55,1 58,2 60,4 20,6 23,8 24,8 41,9% 73,1 30,6 160,6 40,4% 137,5 118,3

Leia mais

Conciliando Produção Agrícola com Conservação e Restauração de Florestas

Conciliando Produção Agrícola com Conservação e Restauração de Florestas Conciliando Produção Agrícola com Conservação e Restauração de Florestas O que é preciso? Britaldo Silveira Soares Filho Willian Lelles Letícia Viana Centro de Sensoriamento Remoto UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Apresentação. Figura 1. Localização da APA Triunfo do Xingu, Pará.

Apresentação. Figura 1. Localização da APA Triunfo do Xingu, Pará. Andréia Pinto, Paulo Amaral, Rodney Salomão, Carlos Souza Jr. e Sanae Hayashi Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia Imazon Apresentação Esta segunda edição do Boletim Transparência Florestal:

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 059-P

FICHA PROJETO - nº 059-P FICHA PROJETO - nº 059-P PADEQ Grande Projeto 1) TÍTULO: Apoio a Alternativas Sustentáveis no Território Portal da Amazônia. 2)MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Nova Guarita, Terra Nova do Norte MT. 3)LINHA

Leia mais

PROGRAMA PRODUTOR DE ÁGUA NO GUARIROBA

PROGRAMA PRODUTOR DE ÁGUA NO GUARIROBA PROGRAMA PRODUTOR DE ÁGUA NO GUARIROBA Rossini Ferreira Matos Sena Especialista em Recursos Hídricos Superintendência de Implementação de Programas e Projetos Devanir Garcia dos Santos Gerente de Uso Sustentável

Leia mais

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos Roteiro Executivo Extrato Geral do CAR Benefícios do CAR Capacitação e Formação de Técnicos Recursos Investidos Recursos e Projetos Captados pelo MMA para apoio à execução do CAR e PRA Arquitetura do SICAR

Leia mais

Mesa Redonda Comparativo entre a Silvicultura dos EUA e do Sul do Brasil

Mesa Redonda Comparativo entre a Silvicultura dos EUA e do Sul do Brasil E RESUMOS REUNIÕES Portaria IAP n 95 de 22 de maio de 2007 Portaria IAP n 96 de 22 de maio de 2007 Portaria IAP n 108 de 13 de junho de 2007 Cobrança pelo Uso da Água Banco de Idéias - SESI Verde Revisão

Leia mais

Irene Tosi Ahmad CREA

Irene Tosi Ahmad CREA Irene Tosi Ahmad CREA 2000025892 Av. 57, 879 - Jardim Itapuã Rio Claro SP - 13501-608 Fones:19 91775763-35249549 irene@florariambiental.com.br contato@florariambiental.com.br Formação Graduada em Engenharia

Leia mais

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL SUSTENTÁVEL DE MINAS GERAIS MINUTA DE REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I.

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL SUSTENTÁVEL DE MINAS GERAIS MINUTA DE REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I. MINUTA DE REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Dos Objetivos Art. 1º - Este regimento tem como objetivo orientar a realização da 5ª Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (SANS)

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES 1 RELATO

ESPECIFICAÇÕES 1 RELATO Este material foi elaborado como requisito de avaliação final da oficina Apoio ao Uso dos Recursos do Portal Dia-a-dia Educação na Prática Pedagógica, sob orientação do(a) docente, assessor(a) pedagógico(a)

Leia mais

PROJETO GERAL PRODUTO DO PROJETO:

PROJETO GERAL PRODUTO DO PROJETO: PROJETO GERAL PRODUTO DO PROJETO: Nome do evento: I Conferência Regional de Desenvolvimento Sustentável do Bioma Caatinga A Caatinga na Rio + 20 Data: 09, 10 e 11 de novembro de 2011 Local: Sede do Banco

Leia mais

Animais de Produção. Luís Eduardo T. Grégio Diretor Executivo Comercial

Animais de Produção. Luís Eduardo T. Grégio Diretor Executivo Comercial Animais de Produção Luís Eduardo T. Grégio Diretor Executivo Comercial Agenda Setor Pecuário e Tendências Estratégia de Comercialização Portfólio de Produtos Estratégia de Crescimento Setor Pecuário e

Leia mais

Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas

Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas Senado Federal Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas professor gerd sparovek contato gerd@usp.br DF@181111 by sparovek Tópicos da apresentação Agropecuária/Conservação: situação

Leia mais

COPA VERDE. Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social.

COPA VERDE. Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social. COPA VERDE Exemplo de sustentabilidade ambiental aliada à inclusão social. COPA VERDE Inventário e neutralização das emissões de carbono das obras da Arena Pantanal Parceria: Instituto Ação Verde (convênio

Leia mais

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho.

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho. Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho Diretor Geral/SFB O Brasil e as Florestas A cobertura florestal mundial é de

Leia mais

PLANO SAFRA AMAZÔNIA

PLANO SAFRA AMAZÔNIA Ministério do Desenvolvimento Agrário Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Incra PLANO SAFRA AMAZÔNIA Janeiro 2014 AMAZÔNIA LEGAL 771 MUNICÍPIOS 9 ESTADOS 61% DO TERRITÓRIO BRASILEIRO 5.217.423

Leia mais

IV ENCONTRO NACIONAL DO FÓRUM NACIONAL DE JUÍZES DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER. Porto Velho - RO 7 a 9 de novembro de 2012

IV ENCONTRO NACIONAL DO FÓRUM NACIONAL DE JUÍZES DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER. Porto Velho - RO 7 a 9 de novembro de 2012 IV ENCONTRO NACIONAL DO FÓRUM NACIONAL DE JUÍZES DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER Porto Velho - RO 7 a 9 de novembro de 2012 Local: Tribunal de Justiça de RO Edifício Sede TEMA: LEI MARIA

Leia mais

Campo Nativo não é Área Rural Consolidada

Campo Nativo não é Área Rural Consolidada Campo Nativo não é Área Rural Consolidada Riscos para a implantação da lei de Proteção da Vegetação Nativa (12.651/2012) e equívocos no tratamento dos Campos Sulinos Contribuição técnica da Rede Campos

Leia mais

Fortalecendo o mercado de seguros para um desenvolvimento sustentável

Fortalecendo o mercado de seguros para um desenvolvimento sustentável Fortalecendo o mercado de seguros para um desenvolvimento sustentável Confederação Nacional de Seguros São Paulo 15 de Setembro Francisco Gaetani Secretário Executivo do Ministério do Meio Ambiente A Nova

Leia mais

Este documento faz parte do Repositório Digital da Rede Nossa São Paulo

Este documento faz parte do Repositório Digital da Rede Nossa São Paulo Este documento faz parte do Repositório Digital da Rede Nossa São Paulo www.nossasaopaulo.org.br Facebook, Youtube e G+: Rede Nossa São Paulo Twitter: @nossasaopaulo Ata Reunião com parceiros e patrocinadores

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Embrapa Belém, PA 2014 CARACTERIZAÇÃO FENOLÓGICA DA ESPÉCIE Catharanthus roseus

Leia mais

Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea

Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea Fortalecimento do extrativismo sustentável: a participação do Ipea Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Júlio César Roma Técnico de Planejamento e Pesquisa da Diretoria de Estudos e Políticas

Leia mais

¹ Estudante de Geografia na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estagiária na Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP).

¹ Estudante de Geografia na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), estagiária na Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP). 89 Interpretação e classificação de imagens de satélite na extração de informações sobre o uso da terra e cobertura vegetal na bacia hidrográfica do rio Teles Pires/MT-PA Jéssica da Silva Rodrigues Cecim

Leia mais

Resumo Público do Plano de Manejo Florestal da Fazenda Citróleo

Resumo Público do Plano de Manejo Florestal da Fazenda Citróleo Resumo Público do Plano de Manejo Florestal da Fazenda Citróleo CITRÓLEO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ÓLEOS ESSECIAIS LTDA FAZENDA CITRÓLEO BAIRRO TRES PINHEIROS CEP 37.443-000 BAEPENDI / MG CNPJ 51.527.190/0002-11

Leia mais

GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2. Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV

GEOGRAFIA REVISÃO 1 REVISÃO 2. Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV Aula 25.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE IV Complexos Regionais Amazônia: Baixa densidade demográfica e grande cobertura vegetal. 2 3 Complexos Regionais Nordeste: Mais baixos níveis de desenvolvimento

Leia mais

Secretaria de Biodiversidade e Florestas, Ministério do Meio Ambiente. Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade TEEB Brasil

Secretaria de Biodiversidade e Florestas, Ministério do Meio Ambiente. Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade TEEB Brasil Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade TEEB Brasil Brasília, 22 de outubro de 2012 Sumário 1. A abordagem do TEEB Brasil 2. Resultados do TEEB Brasil 3. Próximos passos do TEEB Brasil 4. Linha do

Leia mais

Código Florestal. Experiências em Recuperação Ambiental

Código Florestal. Experiências em Recuperação Ambiental Experiências em Recuperação Ambiental Código Florestal Restauração ecológica de mata ciliar e nascente por meio da regeneração natural e plantio de mudas Restauração ecológica de mata ciliar e nascente

Leia mais

Cacau e Pecuária na Amazônia: Análise de Meios de Vida em São Félix do Xingu - PA

Cacau e Pecuária na Amazônia: Análise de Meios de Vida em São Félix do Xingu - PA Cacau e Pecuária na Amazônia: Análise de Meios de Vida em São Félix do Xingu - PA Por: Daniel Braga 1 Como principais estratégias econômicas do meio rural, em São Félix do Xingu - PA, o cacau e a pecuária

Leia mais

A CULTURA DO CUPUAÇU: MUDAS

A CULTURA DO CUPUAÇU: MUDAS Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Ocidental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento A CULTURA DO CUPUAÇU: MUDAS Embrapa Informação Tecnológica Brasília, DF 2008 Coleção

Leia mais

Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste

Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste Mobilização e Capacitação para Elaboração dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Região Sudeste Contexto do Projeto Lei da Mata Atlântica (Lei nº 11.428 de 22/12/2006) e Decreto

Leia mais

Programa de Capacitação em Colheita de Sementes e Produção de Mudas de Espécies Florestais para Fomentar o Reflorestamento no Estado do Pará

Programa de Capacitação em Colheita de Sementes e Produção de Mudas de Espécies Florestais para Fomentar o Reflorestamento no Estado do Pará Programa de apacitação em olheita de Sementes e Produção de Mudas de Espécies Florestais para Fomentar o Reflorestamento no Estado do Pará Amazônia Oriental Este projeto é objeto do Plano de Trabalho aprovado

Leia mais

I SEMINÁRIO DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO PROVIC

I SEMINÁRIO DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO PROVIC PROGRAMAÇÃO 30 DE AGOSTO DE 2016 KARUARA: Exposição fotográfica abordando a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Caruara, criada pela empresa Porto do Açu Prumo Logística Café Literário

Leia mais

Coordenador: Prof. Pedro Brancalion

Coordenador: Prof. Pedro Brancalion Coordenador: Prof. Pedro Brancalion Organização da disciplina Objetivo: capacitar os alunos para planejar, recuperar, gerir, explorar e utilizar recursos florestais em propriedades rurais Ambiental planejamento

Leia mais

Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático

Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria da Transparência Pública Coordenadoria do Orçamento Democrático Orçamento Democrático João Pessoa Ano IV Definição Instrumento de Participação Direta da população

Leia mais

Mário Rabelo de Souza, Ph.D. Analista Ambiental

Mário Rabelo de Souza, Ph.D. Analista Ambiental Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Laboratório de Produtos Florestais SEMINÁRIO SOUNDWOOD-AMAINAN Mário Rabelo de Souza, Ph.D. Analista

Leia mais

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 BRASIL Extrato Brasil Censo Agropecuário IBGE 2006 Área Passível de Cadastro¹ Área Total Cadastrada² Percentual de Área Cadastrada³ (hectares) (hectares) (%)

Leia mais

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO

MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO MÓDULO IV PLANO DE AÇÃO ETAPA I MÓDULO I: Organização do processo de elaboração e Mobilização PT/ MOBILIZAÇÃO quecoso Etapas do PMMA ETAPA II proncovo MÓDULO II: Elaboração do Diagnóstico da Situação Atual

Leia mais

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos"

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos" Tema: Desmatamento Legislação Federal Lei nº 4.771, de 15.09.1965, que institui o novo Código Florestal

Leia mais

PORTARIA AG/DEFN N.º. 062/2013 Recife, 25 de julho de 2013.

PORTARIA AG/DEFN N.º. 062/2013 Recife, 25 de julho de 2013. PORTARIA AG/DEFN N.º. 062/2013 Recife, 25 de julho de 2013. EMENTA: Convoca a II Conferência Distrital do Meio Ambiente do Distrito Estadual de Fernando de Noronha e dá outras providências. O ADMINISTRADOR

Leia mais

DISTRITO 4440 XXVI CONFERÊNCIA DISTRITAL CONFERÊNCIA DO COMPANHEIRISMO DIA 19/05/2016 QUINTA-FEIRA

DISTRITO 4440 XXVI CONFERÊNCIA DISTRITAL CONFERÊNCIA DO COMPANHEIRISMO DIA 19/05/2016 QUINTA-FEIRA 1 PROGRAMA - HORÁRIO DE BRASÍLIA DIA 19/05/2016 QUINTA-FEIRA 14:00 hs. - Instalação da Secretaria Recepção Inscrição Registro de Credenciais Entrega de Material - Local : Spasso Buffet 14:00 às 15:45 hs.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA VISANDO A ELABORAÇÃO DE JOGO AMBIENTAL

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA VISANDO A ELABORAÇÃO DE JOGO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA VISANDO A ELABORAÇÃO DE JOGO AMBIENTAL 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA NÚMERO: 08/2010 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE CONTRATANTE:

Leia mais

PLATAFORMA PARA AS ELEIÇÕES 2.014

PLATAFORMA PARA AS ELEIÇÕES 2.014 PLATAFORMA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Considerando que a Bacia do Rio Paraguai abrange a maior planície inundável do planeta, o Pantanal; Considerando que a bacia abriga mais de 8 milhões de habitantes com

Leia mais

Programa Plante Árvore. Instituto Brasileiro de Florestas - IBF

Programa Plante Árvore. Instituto Brasileiro de Florestas - IBF Programa Plante Árvore Instituto Brasileiro de Florestas - IBF O que é? O Programa Plante Árvore é uma ação voluntária do Instituto Brasileiro de Florestas IBF que consiste no cadastro de proprietários

Leia mais

Pecuária sem desmatamento na Amazônia mato-grossense

Pecuária sem desmatamento na Amazônia mato-grossense Pecuária sem desmatamento na Amazônia mato-grossense Programa Novo Campo Em 2012, o Instituto Centro de Vida (ICV) decidiu enfrentar o desafio de testar, na prática, um novo modelo de pecuária para a Amazônia,

Leia mais

A contribuição da regularização ambiental dos imóveis rurais na dinamização econômica dos municípios brasileiros.

A contribuição da regularização ambiental dos imóveis rurais na dinamização econômica dos municípios brasileiros. A contribuição da regularização ambiental dos imóveis rurais na dinamização econômica dos municípios brasileiros. ENCONTRO NACIONAL COM NOVOS PREFEITOS E PREFEITAS SETOR AGROPECUÁRIO PIB (%) BALANÇA COMERCIAL

Leia mais

Implicações do PL 1876/99 nas áreas. Presidente do IPEA

Implicações do PL 1876/99 nas áreas. Presidente do IPEA CÓDIGO FLORESTAL Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal Marcio Pochmann Presidente do IPEA Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Reserva Legal (RL) - Novos Recortes MF p O que é um Módulo Fiscal?

Leia mais

ALIMENTOS SEGUROS, BEM-ESTAR ANIMAL E SUSTENTABILIDADE

ALIMENTOS SEGUROS, BEM-ESTAR ANIMAL E SUSTENTABILIDADE ALIMENTOS SEGUROS, BEM-ESTAR ANIMAL E SUSTENTABILIDADE OBJETIVOS GERAIS Fortalecimento do setor produtivo: a) Adequação de procedimentos; b) Aumento da rentabilidade e competitividade; c) Garantia de alimentos

Leia mais

Reunião Banco do Brasil

Reunião Banco do Brasil Reunião Banco do Brasil Apresentação das geotecnologias desenvolvidas pela Divisão de Processamento de Imagens (DPI) Projetos TerraClass Amazônia e TerraClass Cerrado Luis Maurano (maurano@dpi.inpe.br)

Leia mais

ILPF EM NÚM3R05. REGIÃO 2 MT, GO e DF

ILPF EM NÚM3R05. REGIÃO 2 MT, GO e DF ILPF EM NÚM3R05 REGIÃO 2 MT, GO e DF O QUE É ILPF A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) é uma estratégia de produção agropecuária que integra diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários

Leia mais

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES

Seminário em prol do Desenvolvimento. Socioeconômico do Xingu. Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES Seminário em prol do Desenvolvimento Socioeconômico do Xingu Agenda de Desenvolvimento Territorial do Xingu BNDES 16/06/2015 1 Atuação do BNDES no Entorno de Projetos A Política de Atuação no Entorno busca

Leia mais

Relatório Plante Bonito Área: RPPN Cabeceira do Prata

Relatório Plante Bonito Área: RPPN Cabeceira do Prata Instituto das Águas da Serra da Bodoquena IASB Organização não governamental sem fins lucrativos, com caráter técnico, científico e ambiental, criado em Bonito/MS por proprietários rurais, empresários,

Leia mais