Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal"

Transcrição

1 CÓDIGO FLORESTAL Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal

2 Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Reserva Legal (RL) - Novos Recortes OqueéumMóduloFiscal? MF 1.Exploração 2.Renda obtida com a exploração 3.Propriedade Familiar DECRETO Nº 6.514, DE 22 DE JULHO DE 2008 Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente, estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências.

3 Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Proposta Inicial (Julho/2010) MF MF MF MF MF MF MF MF MF Área suscetível ao cômputo para fins de recuperação Proposta Final (maio/2011) Área isenta de cômputo para fins de recuperação MF MF MF MF

4 Código Florestal Atual 80% 20% Fonte:Mapa dos Biomas (IBGE, 2004) Amazônia Legal (IBGE, 2004) Elaboração: IPEA

5 Possíveis impactos do PL1876/99 sobre as RLs Cenários Cenário 1: Anistia dos passivos de RL existentes Cenário 2: Anistia dos passivos + desmatamento potencial nas áreas de RL

6 RESERVA LEGAL - L4771/67 ÁREA AGRICOLA Ausência de Passivo ÁREA AGRICOLA Cenário 1 PASSIVO DE RL ÁREA AGRICOLA Cenário 2

7 Bases de dados utilizados Malha Municipal (IBGE, 2005) Índices básicos (INCRA, 2005) Mapa de Biomas (IBGE, 2004) Amazônia Legal (IBGE, 2004) Valor de proteção legal CF L4771/65 Módulo Fiscal por Município Relatório de emissões (MCT, 2010) Good Practice Guidance (IPCC, 2003) Carbono retido na vegetação natural Carbono retido na vegetação de áreas de agricultura e pecuária Censo Agropecuário (2006) Cadastro Rural de Imóveis (INCRA, 2010) Elaboração de Índices Base de imóveis Rurais Censo Agropecuário (IBGE, 2006 ) Proporção de áreas ocupadas com lavouras e pecuária

8 Município (INCRA, 2010) Valores de Estoque de C e CO 2 IP Valor de Proteção Legal nos municípios =1 RLd RL t Valores de carbono por município Módulo Fiscal por Município Índice de Passivo Cenário 1 Reserva Legal teórica dos imóveis rurais de até 4MF PASSIVOS DE RL PASSIVOS DE RL FLORESTA EM PÉ Cenário 2

9 RESULTADOS

10 O Brasil possui de imóveis rurais que somam uma área total de 571,7 milhões de hectares 65 Imóveis (%) Área total(%) Minifúndios Pequena Propriedade Média propriedade Grande propriedade Porcentagem do número de imóveis e porcentagem da área total dos imóveis por tamanho de propriedade

11 MF MF MF MF Dessa área, 135,7 milhões de hectares (24%) estão em imóveis de até 4MFe deixarão de compor a base de cálculo para recuperação de Reserva Legal MF MF MF MF MF MF MF MF MF 220,6 milhões de hectares (39%) 84,9 milhões nas áreas das propriedades acima de 4MF

12 Estimativa do passivo de reserva legal Pelo atual Código Florestal (LEI N 4771) e com base no cadastro do imóveis rurais do INCRA (2010) o Brasil deveria ter uma área total de: 258,2 milhões de hectares de reserva legal PASSIVO DE RL ÁREA AGRICOLA 98,9 milhões de hectares de reserva legal com um passivo estimado de: 159,3 milhões de hectares (61,7% )

13 Possíveis consequências da alteração da lei Cenário 1 Isenção de recuperação do passivo nos imóveis rurais de até quatro módulos fiscais ÁREA AGRICOLA Passivo isento total: 29,5 milhões de hectares (18,5% do passivo atual)

14 Possíveis consequências da alteração da lei Cenário 1 Isenção de recuperação do passivo nos imóveis rurais de até quatro módulos fiscais ÁREA AGRICOLA Passivo isento total: 29,5 milhões de hectares (18,5% do passivo atual) 48 milhões de ha (30,1% do atual passivo)

15 Área de passivo de RL que será isenta de recuperação por bioma para os imóveis de até 4MF CAATINGA 13% CERRADO 10% MATA ATLÂNTICA 13% PAMPA 3% Fonte: Elaboração IPEA PANTANAL 0,03% AMAZÔNIA 61% Bioma Cenário 1 (ha) Amazônia ,6 Caatinga ,5 Cerrado ,6 Mata Atlântica ,2 Pampa ,2 Pantanal 8.943,9 Total ,9

16 Porcentagem do passivo atual de RL que será dispensado de recuperação por bioma nos imóveis de até 4MF 53% 50% 30% 14% 22% 3% Amazônia Caatinga Cerrado Mata Atlântica Fonte: Elaboração IPEA Pampa Pantanal

17 Carbono que deixará de ser sequestrado com a anistia dos passivos por bioma CERRADO 7% MATA ATLÂNTICA 14% CAATINGA 2% PAMPA 1% PANTANAL 0,02% Bioma Cenário 1 (MtC) Amazônia 2.393,0 Caatinga 75,3 AMAZÔNIA 76% Cerrado 207,5 Mata Atlântica 446,0 Pampa 32,0 Pantanal 0,7 Total 3.154,5 Fonte: Elaboração IPEA

18 Carbono que deixará de ser sequestrado com a anistia dos passivos por bioma CERRADO 7% MATA ATLÂNTICA 14% CAATINGA 2% PAMPA 1% PANTANAL 0,02% Bioma Cenário 1 (MtC) Amazônia 2.393,0 Caatinga 75,3 AMAZÔNIA 76% Cerrado 207,5 Mata Atlântica 446,0 Pampa 32,0 Pantanal 0,7 Total 3.154,5 Fonte: Elaboração IPEA 5.008,9 MtC com o passivo a ser anistiado

19 Equivalente de CO 2 que deixará de ser sequestrado com a anistia dos passivos CERRADO 7% MATA ATLÂNTICA 14% CAATINGA 2% PAMPA 1% PANTANAL 0,02% Bioma Cenário 1 (MtCO 2 ) Amazônia 8.775,3 Caatinga 276,0 AMAZÔNIA 76% Cerrado 761,0 Mata Atlântica 1.635,4 Pampa 117,3 Pantanal 2,4 Total ,4 Compromisso brasileiro 1,1 GtCO 2 até 2020

20 Equivalente de CO 2 que deixará de ser sequestrado com a anistia dos passivos CERRADO 7% MATA ATLÂNTICA 14% CAATINGA 2% PAMPA 1% PANTANAL 0,02% Bioma Cenário 1 (MtCO 2 ) Amazônia 8.775,3 Caatinga 276,0 AMAZÔNIA 76% Cerrado 761,0 Mata Atlântica 1.635,4 Pampa 117,3 Pantanal 2,4 Total ,4 Compromisso brasileiro 1,1 GtCO 2 até ,4 GtCO 2 com o passivo a ser anistiado

21 Possíveis consequências da alteração da lei: Cenário 2 Anistia dos passivos + Indução potencial de desmatamento da vegetação natural nas áreas isentas recuperar reserva legal PASSIVO DE RL ÁREA AGRICOLA Área total de RL que poderá ser perdida no Brasil: 47 milhões de hectares (18,2% da área de RL atual)

22 Possíveis consequências da alteração da lei: Cenário 2 Anistia dos passivos + Indução potencial de desmatamento da vegetação natural nas áreas isentas recuperar reserva legal PASSIVO DE RL ÁREA AGRICOLA Área total de RL que poderá ser perdida no Brasil: 47 milhões de hectares (18,2% da área de RL atual) 79 milhões de ha (31% da área de RL atual)

23 Área total de RL que poderá ser perdida por bioma MATA ATLÂNTICA 16% CAATINGA 12% CERRADO 17% PAMPA 2% PANTANAL 0,3% AMAZÔNIA 53% Bioma Cenário 2 (ha) Amazônia ,9 Caatinga ,0 Cerrado ,9 Mata Atlântica ,8 Pampa ,6 Pantanal ,5 Total ,7 Fonte: Elaboração IPEA

24 Porcentagem da área de reserva legal que será perdida com a proposta do PL 1.876/99-C em relação à área atual de reserva legal por bioma

25 Total de carbono que poderá deixar de ser sequestrado e retido na vegetação por bioma MATA ATLÂNTICA 17% CERRADO 10% CAATINGA 3% PAMPA 1% PANTANAL 0,1% AMAZÔNIA 69% Bioma Cenário 2 (MtC) Amazônia 3.277,0 Caatinga 129,4 Cerrado 456,9 Mata Atlântica 831,7 Pampa 42,4 Pantanal 6,9 Total 4.744,3 Fonte: Elaboração IPEA

26 Total de carbono que poderá deixar de ser sequestrado e retido na vegetação por bioma MATA ATLÂNTICA 17% CERRADO 10% CAATINGA 3% PAMPA 1% PANTANAL 0,1% AMAZÔNIA 69% Bioma Cenário 2 (MtC) Amazônia 3.277,0 Caatinga 129,4 Cerrado 456,9 Mata Atlântica 831,7 Pampa 42,4 Pantanal 6,9 Total 4.744,3 Fonte: Elaboração IPEA 7.718,3 MtC com a perda de RL dos 4MF

27 Equivalente de CO 2 que poderá deixar de ser sequestrado e retido na vegetação por bioma MATA ATLÂNTICA 17% CERRADO 10% CAATINGA 3% PAMPA 1% PANTANAL 0,1% AMAZÔNIA 69% Bioma Cenário 2 (MtCO 2 ) Amazônia ,8 Caatinga 474,4 Cerrado 1.675,6 Mata Atlântica 3.049,7 Pampa 155,5 Pantanal 25,4 Total ,3 Compromisso brasileiro 1.1 GtCO 2 até 2020

28 Equivalente de CO 2 que poderá deixar de ser sequestrado e retido na vegetação por bioma MATA ATLÂNTICA 17% CERRADO 10% CAATINGA 3% PAMPA 1% PANTANAL 0,1% AMAZÔNIA 69% Bioma Cenário 2 (MtCO 2 ) Amazônia ,8 Caatinga 474,4 Cerrado 1.675,6 Mata Atlântica 3.049,7 Pampa 155,5 Pantanal 25,4 Total ,3 Compromisso brasileiro 1.1 GtCO 2 até ,3 GtCO 2 com a perda de RL dos 4MF

Implicações do PL 1876/99 nas áreas. Presidente do IPEA

Implicações do PL 1876/99 nas áreas. Presidente do IPEA CÓDIGO FLORESTAL Implicações do PL 1876/99 nas áreas de Reserva Legal Marcio Pochmann Presidente do IPEA Pelo PL 1876/99 o que mudaria? Reserva Legal (RL) - Novos Recortes MF p O que é um Módulo Fiscal?

Leia mais

Figura 1 - Distribuição espacial dos quatro módulos fiscais por município.

Figura 1 - Distribuição espacial dos quatro módulos fiscais por município. Anexo metodológico A base de dados utilizada para o cálculo da área de reserva legal foi o Sistema Nacional de Cadastro Rural - SNCR. Essa base, gerenciada pelo INCRA, é a mais adequada para calcular a

Leia mais

Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas

Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas Senado Federal Seminário: Código Florestal e Sustentabilidade para jornalistas professor gerd sparovek contato gerd@usp.br DF@181111 by sparovek Tópicos da apresentação Agropecuária/Conservação: situação

Leia mais

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário

Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário Grãos, Proteína Animal, Floresta Plantada e Palma Visão de longo prazo e adequação ambiental para o setor agropecuário São Paulo 3/08/2015 Rodrigo C. A. Lima Leila Harfuch Luciane Chiodi Wilson Zambianco

Leia mais

O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica

O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica O Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica Este relatório foi produzido para a Fundação SOS Mata Atlântica sob contrato firmado entre as partes em

Leia mais

Proposta Agricultura MAPA/ruralistas

Proposta Agricultura MAPA/ruralistas Quadro Resumo das propostas e recomendações para adaptação e cumprimento do código florestal Tema: Reserva Legal Norma atual Proposta 1 Proposta Agricultura MAPA/ruralistas Familiar/MMA Recuperação de

Leia mais

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia 1934 1965 1989 1996 2000 25% 20% NE/SE/S e sul do CO 50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT 20% Demais 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

Leia mais

Gestão das informações públicas sobre ocupação territorial Integração de cadastros públicos. Brasília/DF 09 de maio de 2017

Gestão das informações públicas sobre ocupação territorial Integração de cadastros públicos. Brasília/DF 09 de maio de 2017 Gestão das informações públicas sobre ocupação territorial Integração de cadastros públicos Brasília/DF 09 de maio de 2017 Boletins informativos do CAR Informações sobre a evolução das inscrições no CAR

Leia mais

o papel das florestas nas propriedades agrícolas

o papel das florestas nas propriedades agrícolas Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima o papel das florestas nas propriedades agrícolas prof. gerd sparovek usp.esalq contato gerd@usp.br Perguntas

Leia mais

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016

Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 Boletim Informativo 2 anos 05 de maio de 2016 BRASIL Extrato Brasil Censo Agropecuário IBGE 2006 Área Passível de Cadastro¹ Área Total Cadastrada² Percentual de Área Cadastrada³ (hectares) (hectares) (%)

Leia mais

As propriedades rurais de Mato Grosso têm 17,5 milhões de hectares de oferta e

As propriedades rurais de Mato Grosso têm 17,5 milhões de hectares de oferta e N O 2 ANO 3 DEZEMBRO DE 2013 LAURENT MICOL, RICARDO ABAD E PAULA BERNASCONI Resumo As propriedades rurais de Mato Grosso têm 17,5 milhões de hectares de oferta e 10,5 milhões de hectares de demanda potenciais

Leia mais

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL

Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF. Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Osvaldo Antonio R. dos Santos Gerente de Recursos Florestais - GRF Instituto de Meio Ambiente de MS - IMASUL Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico - SEMADE Presidência da República Casa

Leia mais

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT. 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia 1934 1965 1989 1996 2000 25% 20% NE/SE/S e sul do CO 50% NO / norte do CO 20% Cerrado 20% Demais 50% NO / norte MT 50% Cerrado NO/norte MT 80% NO e norte MT 20% Demais 35% Cerrado na Amazônia 80% Amazônia

Leia mais

Conciliando Produção Agrícola com Conservação e Restauração de Florestas

Conciliando Produção Agrícola com Conservação e Restauração de Florestas Conciliando Produção Agrícola com Conservação e Restauração de Florestas O que é preciso? Britaldo Silveira Soares Filho Willian Lelles Letícia Viana Centro de Sensoriamento Remoto UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO RURAL

NOVO CÓDIGO FLORESTAL SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO RURAL NOVO CÓDIGO FLORESTAL SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO RURAL 2013 851,4 milhões de ha VEGETAÇÃO NATIVA PRESERVADA (2012) em milhões de hectares 44,2% da vegetação existente nos 10 países mais preservados

Leia mais

Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030

Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030 Estadão, 13 de julho de 2016 Zerar desmatamento no Brasil pode custar R$ 5 bi ao ano até 2030 Cálculo considera estratégia de pagamento por serviços ambientais, em que proprietário é compensado por conservar

Leia mais

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas?

Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Multas antes de julho de 2008 serão realmente suspensas? Quais as vantagens em aderir ao PRA? Continuidade das ATIVIDADES AGROSSILVIPASTORIS, de ecoturismo e de turismo

Leia mais

Soc o i c o i - o B - io i d o i d v i e v r e si s da d de do Brasil

Soc o i c o i - o B - io i d o i d v i e v r e si s da d de do Brasil Socio-Biodiversidade do Brasil Megabiodiversidade Brasileira BRASIL: Principais Estatísticas Ano Base 2008 População total 184 milhões Área total 851 milhões ha Área florestal por habitante 2,85 ha Proporção

Leia mais

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian

Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade. Moisés Savian Novo Código Florestal: produção agropecuária e a sustentabilidade Moisés Savian Esteio, 31 de agosto de 2012 Código Florestal Política Agroambiental Normativa Estabelece normas gerais com o fundamento

Leia mais

Notícias Online. Veja nesta edição. 24 de Dezembro de Tributário. Meio Ambiente

Notícias Online. Veja nesta edição. 24 de Dezembro de Tributário. Meio Ambiente N º 6 4 6 Notícias Online 24 de Dezembro de 2015 Informativo do SINDAC Sindicato das Indústrias de Adubos e Corretivos Agrícolas do Estado de MG Rua Bernardo Guimarães, 63/3º andar Funcionários Cep. 30140-080

Leia mais

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho.

Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho. Regulamentação da CRA e PRA 27ª RO DA CÂMARA TEMÁTICA DE AGRICULTURA SUSTENTÁVEL E IRRIGAÇÃO - CTASI Raimundo Deusdará Filho Diretor Geral/SFB O Brasil e as Florestas A cobertura florestal mundial é de

Leia mais

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos

Roteiro Executivo. Extrato Geral do CAR. Benefícios do CAR. Capacitação e Formação de Técnicos. Recursos Investidos Roteiro Executivo Extrato Geral do CAR Benefícios do CAR Capacitação e Formação de Técnicos Recursos Investidos Recursos e Projetos Captados pelo MMA para apoio à execução do CAR e PRA Arquitetura do SICAR

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015

CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista. TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 CÓDIGO FLORESTAL: Avanços e Diretrizes do Sistema Ambiental Paulista TRÊS ANOS DE CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO - ENCONTRO DE SÃO PAULO Maio/2015 Atualizações sobre o SICAR-SP Sistema instituído em 05/06/2013

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Programa ABC Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas visando à Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura

Leia mais

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO WALTER ANTÔNIO ADÃO SUPERINTENDENTE DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUARIO E DA SILVICULTURA SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO CENÁRIOS - AGRONEGÓCIO 2

Leia mais

ILPF EM NÚM3R05. REGIÃO 2 MT, GO e DF

ILPF EM NÚM3R05. REGIÃO 2 MT, GO e DF ILPF EM NÚM3R05 REGIÃO 2 MT, GO e DF O QUE É ILPF A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) é uma estratégia de produção agropecuária que integra diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários

Leia mais

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO

BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO BERNARDO DE A. M. TROVAO BRASILIA, 19/05/2016 CENÁRIO DA EXECUÇÃO O QUE É O CAR? Lei 12.651/2012 Novo Código Florestal Cadastro Ambiental Rural CAR: Âmbito Nacional Natureza declaratória Obrigatório para

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus) PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Dos Srs. Assis do Couto e Anselmo de Jesus) Acrescenta e altera dispositivos da Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965, altera dispositivo da Lei nº 11.428, de 22 de dezembro

Leia mais

Rumo ao REDD+ Jurisdicional:

Rumo ao REDD+ Jurisdicional: Rumo ao REDD+ Jurisdicional: Pesquisa, Análises e Recomendações ao Programa de Incentivos aos Serviços Ambientais do Acre (ISA Carbono) Pesquisa, Análises e Recomendações 11 Figura 1. Zonas

Leia mais

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos"

Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos Instituto O Direito Por Um Planeta Verde Projeto "Direito e Mudanças Climáticas nos Países Amazônicos" Tema: Desmatamento Legislação Federal Lei nº 4.771, de 15.09.1965, que institui o novo Código Florestal

Leia mais

Cadeia Produtiva da Silvicultura

Cadeia Produtiva da Silvicultura Cadeia Produtiva da Silvicultura Silvicultura É a atividade que se ocupa do estabelecimento, do desenvolvimento e da reprodução de florestas, visando a múltiplas aplicações, tais como: a produção de madeira,

Leia mais

O Código Florestal e o alcance das metas brasileiras da COP 21: oportunidades e desafios

O Código Florestal e o alcance das metas brasileiras da COP 21: oportunidades e desafios CÓDIGO FLORESTAL E O ALCANCE DO DESMATAMENTO ILEGAL ZERO Brasília, 29 e 30 de março 2016 ANDI & Conservação Internacional Brasil O Código Florestal e o alcance das metas brasileiras da COP 21: oportunidades

Leia mais

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016

Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Café da Manhã da Frente Parlamentar Ambientalista 04/05/2016 Extrato Geral do CAR Março 2016 ÁREA PASSÍVEL DE CADASTRO (em hectares) 1 ÁREA TOTAL CADASTRADA (em hectares) 2 ÁREA CADASTRADA (em %) 3 397.836.864

Leia mais

Boletim Informativo. 30 de abril de 2015

Boletim Informativo. 30 de abril de 2015 Boletim Informativo 30 de abril de 2015 BRASIL EXTRATO BRASIL ÁREA PASSÍVEL DE CADASTRO ÁREA TOTAL CADASTRADA ÁREA CADASTRADA 373.024.487 191.505.581 51,34 % Número de Cadastrados: 1.376.516 Observação:

Leia mais

IMPACTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL

IMPACTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL IMPACTOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL Propostas e Processo Legislativo Proposta de alterações do Código Florestal Caso de SC concorrência de competências entre Federação e Estados Entraves no Poder Executivo:

Leia mais

Campanha da Fraternidade Tema Fraternidade: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida. Lema Cultivar e guardar a Criação

Campanha da Fraternidade Tema Fraternidade: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida. Lema Cultivar e guardar a Criação Tema Fraternidade: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida Lema Cultivar e guardar a Criação Objetivo Geral: Cuidar da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover relações fraternas

Leia mais

ANEXO-UNDER 2 ESTADO DE MATO GROSSO

ANEXO-UNDER 2 ESTADO DE MATO GROSSO ANEXO-UNDER 2 ESTADO DE MATO GROSSO CARACTERIZAÇÃO DO ESTADO O estado de Mato Grosso está localizado na região Centro-Oeste do Brasil, fazendo fronteira com os estados do Pará e Amazonas ao norte, Mato

Leia mais

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR

BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR BRASÍLIA/DF, 04 DE SETEMBRO DE 2014 RESUMO: 1. NOVO CÓDIGO FLORESTAL 2. CAR 1 NÚMEROS, PROGRAMAS E INSTRUMENTOS 84 artigos 76 EXCEÇÕES - INV. GAS. 36 DECRETOS REGULAMENTARES - DECRETOS A PUBLICAR: CRA

Leia mais

A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção?

A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção? A biodiversidade ameaçada no Brasil: como garantir a sua proteção? José Maria Cardoso da Silva & Adriano Paglia Conservação Internacional-Brasil Biodiversidade no Brasil Biodiversidade em vários níveis

Leia mais

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças

Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED Mudanças Fórum Internacional de Estudos Estratégicos para o Desenvolvimento Agropecuário e Respeito ao Clima FEED 2011 Mudanças Agricultura e Florestas REDD plus após a decisão da COP16: como fomentar projetos

Leia mais

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL III ENCONTRO DOS MUNICÍPIOS COM O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Abril/2015 IMÓVEIS A SEREM INSCRITOS EM 2 ANOS Imóveis BR Área (ha) Estabelecimentos Agricultura familiar 4.367.902

Leia mais

A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra. Prof. Dr. José Heder Benatti 2011

A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra. Prof. Dr. José Heder Benatti 2011 A Regularização Fundiária como instrumento de ordenar o espaço e democratizar o acesso à terra Prof. Dr. José Heder Benatti 2011 Regularização Fundiária e os Conflitos Sociais Áreas Protegidas Mineração

Leia mais

Coordenador: Prof. Pedro Brancalion

Coordenador: Prof. Pedro Brancalion Coordenador: Prof. Pedro Brancalion Organização da disciplina Objetivo: capacitar os alunos para planejar, recuperar, gerir, explorar e utilizar recursos florestais em propriedades rurais Ambiental planejamento

Leia mais

Campo Nativo não é Área Rural Consolidada

Campo Nativo não é Área Rural Consolidada Campo Nativo não é Área Rural Consolidada Riscos para a implantação da lei de Proteção da Vegetação Nativa (12.651/2012) e equívocos no tratamento dos Campos Sulinos Contribuição técnica da Rede Campos

Leia mais

Zoneamento Agroecológico da cana-de-açúcar para a produção de Etanol e Açúcar no Brasil

Zoneamento Agroecológico da cana-de-açúcar para a produção de Etanol e Açúcar no Brasil Zoneamento Agroecológico da cana-de-açúcar para a produção de Etanol e Açúcar no Brasil Ministério da Agricultura/EMBRAPA Casa Civil MMA/MDA/MME/ Celso Vainer Manzatto Embrapa Meio Ambiente www.cnpma.embrapa.br

Leia mais

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes

A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes A diferença entre o remédio e o veneno é a dose! Luís Carlos Silva de Moraes moraes.luis@terra.com.br Entendendo o problema 38%: prop. rurais 4%: urbano 58%: qual destinaçã ção? 58%: ponto de partida do

Leia mais

Nota Metodológica Setor Mudança de Uso do Solo e Florestas

Nota Metodológica Setor Mudança de Uso do Solo e Florestas Nota Metodológica Setor Mudança de Uso do Solo e Florestas Coordenação técnica: Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia Equipe responsável: Amintas Brandão Jr. Carlos Souza Jr. Atualizado em Novembro,

Leia mais

Código Florestal Brasileiro

Código Florestal Brasileiro Direito Ambiental Prof. Dr. Thiago Leite Engenheiro Florestal (UnB-DF) Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais com ênfase em Educação Ambiental (UnB-DF) Doutorado em Ciências Florestais com ênfase

Leia mais

Restauração de paisagens e florestas

Restauração de paisagens e florestas Restauração de paisagens e florestas Desenvolvimento de estratégias subnacionais e integração de agendas globais Marco Terranova Um conceito com enfoque na funcionalidade dos ecossistemas A restauração

Leia mais

Nota Metodológica Setor Mudança de Uso do Solo e Florestas

Nota Metodológica Setor Mudança de Uso do Solo e Florestas Nota Metodológica Setor Mudança de Uso do Solo e Florestas Coordenação técnica: Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia Equipe responsável: Amintas Brandão Jr. Carlos Souza Jr. Dezembro, 2016 Deleted:

Leia mais

Lista de Recuperação de Geografia 2013

Lista de Recuperação de Geografia 2013 1 Nome: nº 7ºano Manhã e Tarde Prof: Francisco Castilho Lista de Recuperação de Geografia 2013 Conteúdo da recuperação: Divisão regional do Brasil,população brasileira urbanização brasileira, formas de

Leia mais

Caminhos para o Agronegócio Sustentável. 13 de abril de 2010 Brasília (DF)

Caminhos para o Agronegócio Sustentável. 13 de abril de 2010 Brasília (DF) Caminhos para o Agronegócio Sustentável 13 de abril de 2010 Brasília (DF) REALIZAÇÃO PARCERIA O Focus Visão Brasil (Financiamento e Oportunidades de Conservação e Uso Sustentável) é uma iniciativa do Funbio

Leia mais

FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013

FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013 FAMURS Porto Alegre, 10 de maio de 2013 Marco legal CAR Instituído pela Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 Art. 29. É criado o Cadastro Ambiental Rural - CAR, no âmbito do Sistema Nacional de Informação

Leia mais

A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende.

A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende. Quem somos? A TNC está resente em mais de 30 países, com a missão de conservar as terras e águas das quais a vida depende. No Brasil, onde atua há 25 anos, a TNC desenvolve iniciativas nos cinco principais

Leia mais

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra;

A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; A ECO-92 resultou na elaboração dos seguintes documentos oficiais: A Carta da Terra; três convenções Biodiversidade, Desertificação e Mudanças climáticas; uma declaração de princípios sobre florestas;

Leia mais

Relatório Técnico. Potenciais Impactos das Alterações do Código Florestal Brasileiro na Meta Nacional de Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa

Relatório Técnico. Potenciais Impactos das Alterações do Código Florestal Brasileiro na Meta Nacional de Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa Relatório Técnico Potenciais Impactos das Alterações do Código Florestal Brasileiro na Meta Nacional de Redução de Emissões de Gases de Efeito Estufa (29/11/2010) Autora: Susian Martins, Engenheira Agrônoma

Leia mais

N 96 CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES DO PL 1876/99 NAS ÁREAS DE RESERVA LEGAL

N 96 CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES DO PL 1876/99 NAS ÁREAS DE RESERVA LEGAL N 96 CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES DO PL 1876/99 NAS ÁREAS DE RESERVA LEGAL 8 de junho de 2011 1 Governo Federal Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Ministro Wellington Moreira

Leia mais

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial.

Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial. Soluções para a sustentabilidade de Cadeias Produtivas da Agropecuária e a Política Estadual de Ordenamento Territorial Junho de 2009 Assinatura de Termo de Ajuste de Conduta, no qual as partes assumam

Leia mais

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro LEI Nº 20.922, DE 16.10.2013 VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS Ricardo Carneiro youtu.be/_zmuohub3wo.webloc HISTÓRICO E ESTRUTURA DA LEGISLAÇÃO FLORESTAL BRASILEIRA QUATRO GRANDES NORMATIVAS FLORESTAIS

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR

Cadastro Ambiental Rural CAR Cadastro Ambiental Rural CAR Histórico Decreto nº 7.029/2009 (Decreto Mais Ambiente) Lei Federal nº 12.651/2012 Decreto nº 7.830/2012 Lei Estadual n.º 20.922/2013 Decreto nº 8.235/2014 Instrução Normativa

Leia mais

Ocupação do Espaço Agropecuário no Cerrado Brasileiro

Ocupação do Espaço Agropecuário no Cerrado Brasileiro Ocupação do Espaço Agropecuário no Cerrado Brasileiro Roberta Dalla Porta Gründling, MSc. NESPRO; EMBRAPA Júlio Otávio Jardim Barcellos, DSc. NESPRO; UFRGS Introdução Rebanho Bovino Brasileiro Uso Agrícola

Leia mais

Histórico do Licenciamento Ambiental

Histórico do Licenciamento Ambiental Cuiabá-MT, Maio - 2013 Histórico do Licenciamento Ambiental PNMA 1981 CONAMA nº 01 1986 CONAMA nº 237 1997 CONAMA nº 289 2001 (revogada) CONAMA nº 387 2006 Portaria Conjunta nº01/2008 SEMA INCRA - INTERMAT

Leia mais

Marrakesh, Marrocos, 17 de novembro de 2016

Marrakesh, Marrocos, 17 de novembro de 2016 Marrakesh, Marrocos, 17 de novembro de 2016 Aos Exmo. Ministro do Meio Ambiente e Chefe da Delegação Brasileira na COP22, Sr. José Sarney Filho Exmo. Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento,

Leia mais

Consolidação do Sistema de Unidades de Conservação de Mato Grosso. Instituto Centro de Vida ICV. Brasil

Consolidação do Sistema de Unidades de Conservação de Mato Grosso. Instituto Centro de Vida ICV. Brasil Consolidação do Sistema de Unidades de Conservação de Mato Grosso utilizando instrumentos de REDD Instituto Centro de Vida ICV Brasil Localização Introducción al Contexto Consolidação do Sistema de UCs

Leia mais

ESTRATÉGIA NACIONAL E FINANCIAMENTO DE REDD+ DO BRASIL

ESTRATÉGIA NACIONAL E FINANCIAMENTO DE REDD+ DO BRASIL ESTRATÉGIA NACIONAL E FINANCIAMENTO DE REDD+ DO BRASIL Leticia Guimarães Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Ministério do Meio Ambiente Cuiabá, MT, 23 de agosto de 2012 Estrutura da

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Dep. de Ciências Florestais LCF1581 RECURSOS FLORESTAIS EM PROPRIEDADES AGRÍCOLAS AULA: CADASTRO AMBIENTAL RURAL Gestor Ambiental

Leia mais

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira Cenário da cacauicultura Helinton Rocha Diretor Geral Brasília, DF 00:30 Brasília, 1º de abril de 2015

Leia mais

PRINCIPAIS RESULTADOS E CONSIDERAÇÕES

PRINCIPAIS RESULTADOS E CONSIDERAÇÕES NÚMEROS DETALHADOS DO NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PARA OS PRAs Vinicius Guidotti 1 *, Flavio L. M. Freitas 2, Gerd Sparovek 3, Luís Fernando Guedes Pinto 1, Caio Hamamura 1, Tomás Carvalho

Leia mais

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR

MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR MISSÃO Promover o conhecimento, o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país. MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO E FAMILIAR Diretoria

Leia mais

Desmatamento no Brasil

Desmatamento no Brasil Desmatamento no Brasil Novembro 2016 O The Forest Trust - TFT é uma organização global sem fins lucrativos que ajuda as empresas a compreender e transformar a história dos seus produtos a partir de suas

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA CONJUNTA CRA CMA

AUDIÊNCIA PÚBLICA CONJUNTA CRA CMA AUDIÊNCIA PÚBLICA CONJUNTA CRA CMA Anaximandro Doudement Almeida Assessor Técnico Abril de 2009 Cenário Fundiário A Amazônia brasileira, responsável por mais de 90% da produção florestal de áreas naturais

Leia mais

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio São Paulo, 22 de Setembro de 2015 Parece que estamos decolando ECONOMIA A BRASILEIR Agronegócio - Balança Comercial

Leia mais

A cultura do maracujá: Informações básicas para o produtor

A cultura do maracujá: Informações básicas para o produtor A cultura do maracujá: Informações básicas para o produtor Fábio Gelape Faleiro Cerrados Home-page do minicurso www.cpac.embrapa.br/minicursomaracuja A cultura do maracujá: Informações básicas para o produtor

Leia mais

Ciências Humanas e suas Tecnologias - Geografia 1ª Série Ensino Médio A Estrutura Agrária do Brasil

Ciências Humanas e suas Tecnologias - Geografia 1ª Série Ensino Médio A Estrutura Agrária do Brasil Ciências Humanas e suas Tecnologias - Geografia 1ª Série Ensino Médio A Estrutura Agrária do Brasil AGRICULTURA Conceito: técnica de plantio e uso do solo. Objetivos: alimentação, matéria-prima;. FATORES

Leia mais

QUEIMA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EMISSÃO DOS GEE ( RETENÇÃO DE CALOR)

QUEIMA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EMISSÃO DOS GEE ( RETENÇÃO DE CALOR) AQUECIMENTO GLOBAL QUEIMA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS EMISSÃO DOS GEE ( RETENÇÃO DE CALOR) CHINA GRANDE EMISSÃO DO GEE DEZ SINAIS DE ALARME DO AQUECIMENTO GLOBAL AUMENTO DO NÍVEL DOS OCEANOS TUVALU refugiados

Leia mais

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013

Regulamentação da Lei n o Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da Lei n o 12.651 Lei Federal de Florestas Maio de 2013 Regulamentação da nova Lei Federal de Florestas 1. Porque regulamentar? 2. Fundamentos da regulamentação pelos estados 3. Competências

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 1.587, DE 2011 Altera o inciso I do art. 3º da Lei n 11.326, de 24 de julho de 2006. Autor: Deputado Zé Silva

Leia mais

Uso da terra na bacia hidrográfica do alto rio Paraguai no Brasil

Uso da terra na bacia hidrográfica do alto rio Paraguai no Brasil 102 Resumos Expandidos: XI Mostra de Estagiários e Bolsistas... Uso da terra na bacia hidrográfica do alto rio Paraguai no Brasil Cezar Freitas Barros 1 João dos Santos Vila da Silva 2 Resumo: Busca-se

Leia mais

RODADA DE NEGÓCIOS. I INTERNATIONAL SEMINAR ON GREEN ECONOMY Ecosystem and Environmental Goods and Services and Finantial Compensation.

RODADA DE NEGÓCIOS. I INTERNATIONAL SEMINAR ON GREEN ECONOMY Ecosystem and Environmental Goods and Services and Finantial Compensation. RODADA DE NEGÓCIOS I INTERNATIONAL SEMINAR ON GREEN ECONOMY Ecosystem and Environmental Goods and Services and Finantial Compensation Maio / 2012 Agenda Introdução Projeto Verde Rio Etapa Rio Cuiabá Projeto

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR. Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI

Cadastro Ambiental Rural CAR. Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI Cadastro Ambiental Rural CAR Eng.ª Karine Rosilene Holler - AMVALI Legislação Lei Federal n 12.651/2012 - Código Florestal; Decreto Federal n 7.830/2012 - Dispõe sobre o Sistema de Cadastro Ambiental Rural;

Leia mais

SIMPÓSIO ABCZ - CNPC PECUÁRIA E SUA RESPONSABILIDADE NAS EMISSÕES DE GEE. EXPOZEBÚ UBERABA, Maio 2010 Sebastião Costa Guedes Presidente CNPC

SIMPÓSIO ABCZ - CNPC PECUÁRIA E SUA RESPONSABILIDADE NAS EMISSÕES DE GEE. EXPOZEBÚ UBERABA, Maio 2010 Sebastião Costa Guedes Presidente CNPC SIMPÓSIO ABCZ - CNPC PECUÁRIA E SUA RESPONSABILIDADE NAS EMISSÕES DE GEE. EXPOZEBÚ 2010 UBERABA, Maio 2010 Sebastião Costa Guedes Presidente CNPC DESAFIOS PARA 2050 + 2,3 BILHÕES DE PESSOAS. + 70% NA NECESSIDADE

Leia mais

Seminário CNI BID TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL

Seminário CNI BID TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL Seminário CNI BID TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL Custos de transporte nas exportações brasileiras: como solucionar os gargalos? Eng. Elcio Ribeiro, MSc. Uso da Terra no Brasil Área

Leia mais

IBAMA SINAFLOR. Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais

IBAMA SINAFLOR. Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais IBAMA SINAFLOR Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais Lei de Proteção da Vegetação Nativa (Lei 12.651/2012) Art. 35. O controle da origem da madeira, do carvão e de outros produtos

Leia mais

Florestal Santa Maria S/A

Florestal Santa Maria S/A Florestal Santa Maria S/A Foco: Sustentabilidade (...) parâmetro que reflete a capacidade do meio continuar cumprindo com as suas diversas funções em níveis que garantam às gerações futuras a oportunidade

Leia mais

O que falaram os censos do IBGE

O que falaram os censos do IBGE O que falaram os censos do IBGE Eliseu Alves Pesquisador, Assessor do Diretor-Presidente da Embrapa Seminários Temas Estratégicos, Embrapa Estudos e Capacitação, Brasiília, 23 de junho de 2012 Autores

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR

NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS. Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORESTAL DO ESTADO DE GOIÁS Jordana Gabriel Sara Girardello Engenheira Agrônoma Consultora técnica SENAR NOVO CÓDIGO FLORETAL BRASILEIRO Lei 12.651 / 2012 Dispõe sobre a proteção da vegetação

Leia mais

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U

CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO. Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO Lei Nº 4.771/65 Lei nº 12.651/12 MP nº 571/12 PLV* 21/2012 Vetos publicados em 18/10/12 no D.O.U * Projeto de Lei de Conversão (PLV): Quando a medida provisória (MP) é alterada

Leia mais

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradas. Aula 2. Matas Ciliares: Nomenclatura e Conceito. Contextualização

Organização da Aula. Recuperação de Áreas Degradas. Aula 2. Matas Ciliares: Nomenclatura e Conceito. Contextualização Recuperação de Áreas Degradas Aula 2 Prof. Prof. Francisco W. von Hartenthal Organização da Aula Conceito, Importância e Recuperação da Mata Ciliar 1.Conceitos e funções da mata ciliar 2.Cenário de degradação

Leia mais

MP 458/09. Regularização Fundiária na Amazônia Legal. Ministério do Desenvolvimento Agrário

MP 458/09. Regularização Fundiária na Amazônia Legal. Ministério do Desenvolvimento Agrário MP 458/09 Regularização Fundiária na Amazônia Legal Ministério do Desenvolvimento Agrário Antecedentes e Contextualização Ações de regularização na região paralisadas na década de 80 Plano de Prevenção

Leia mais

O agronegócio e o meio ambiente

O agronegócio e o meio ambiente O agronegócio e o meio ambiente Francisco de Godoy Bueno Advogado, formado pela Faculdade de Direito da USP (2006) Sócio do Bueno, Mesquita e Advogados. Mestrando em Direito Civil pela Faculdade de Direito

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio

Diretoria de Agronegócios. BB e o Agronegócio Diretoria de Agronegócios BB e o Agronegócio Importância do Agronegócio no Brasil + 35% nas exportações do país 197,9 40,9% 41,1% 37,4% 55,1 58,2 60,4 20,6 23,8 24,8 41,9% 73,1 30,6 160,6 40,4% 137,5 118,3

Leia mais

Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de. reserva legal e áreas de preservação permanente, possivelmente terão

Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de. reserva legal e áreas de preservação permanente, possivelmente terão Panorama Global Crescente preocupação com relação aos IMPACTOS AMBIENTAIS Panorama Nacional Propriedades rurais que possuam algum passivo ambiental, em termos de reserva legal e áreas de preservação permanente,

Leia mais

Estrutura fundiária brasileira e promoção e execução da reforma agrária.

Estrutura fundiária brasileira e promoção e execução da reforma agrária. Estrutura fundiária brasileira e promoção e execução da reforma agrária. 10 de março de 2010 Assessor Técnico: Anaximandro Doudement Almeida Sumário 1. Estrutura Fundiária Brasileira 2. Promoção e execução

Leia mais

Pesquisador da Embrapa Florestas

Pesquisador da Embrapa Florestas -A CADEIA PRODUTIVA DAS FLORESTAS Edson Tadeu Id Iede- Pesquisador da Embrapa Florestas - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- EMBRAPA Criada em 26/04/1973 Tecnologias para a agricultura brasileira:

Leia mais

Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica. Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU)

Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica. Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU) Biodiversidade e Mudanças Climáticas na Mata Atlântica Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI/BMU) Índice da Apresentação Lições aprendidas Projeto Proteção da Mata Atlântica II (2009 a 2012)

Leia mais

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR. São Paulo, 21 de maio de 2013 (ABIOVE)

Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR. São Paulo, 21 de maio de 2013 (ABIOVE) Políticas Públicas para Operacionalizar o CAR São Paulo, 21 de maio de 2013 (ABIOVE) O QUE É CAR O Cadastro Ambiental Rural - CAR, é o registro público eletrônico de âmbito nacional, obrigatório para todos

Leia mais

Animais de Produção. Luís Eduardo T. Grégio Diretor Executivo Comercial

Animais de Produção. Luís Eduardo T. Grégio Diretor Executivo Comercial Animais de Produção Luís Eduardo T. Grégio Diretor Executivo Comercial Agenda Setor Pecuário e Tendências Estratégia de Comercialização Portfólio de Produtos Estratégia de Crescimento Setor Pecuário e

Leia mais

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 43 BRASIL: REGIÃO CENTRO- -OESTE

GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 43 BRASIL: REGIÃO CENTRO- -OESTE GEOGRAFIA - 1 o ANO MÓDULO 43 BRASIL: REGIÃO CENTRO- -OESTE Cerrado Campo Limpo Campo Sujo Como pode cair no enem? (UERJ) (Adaptado de http://ibge.gov.br) A proporção de homens e mulheres nesta pirâmide

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2016 TRABALHO DE ESTUDOS INDEPENDENTES

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2016 TRABALHO DE ESTUDOS INDEPENDENTES ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2016 TRABALHO DE ESTUDOS INDEPENDENTES Nome Nº Turma 3º ano Data / / Nota Disciplina GEOGRAFIA Prof. Rodrigo Carvalho Valor 30 Questão 1. Conceitue: a)

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012, Decretos Federais 7.830/2012 e 8.235/2014 e Instrução Normativa MMA 02/2014 ESALQ Maio de 2014 Caroline

Leia mais