Componentes do Programa e papel dos principais participantes em apoio aos municípios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Componentes do Programa e papel dos principais participantes em apoio aos municípios"

Transcrição

1 Componentes do Programa e papel dos principais participantes em apoio aos municípios Eixo 1: Fortalecimento da gestão ambiental municipal AGENDAS PRIORITÁRIAS 1. IMPLANTAR E/OU CONSOLIDAR O SISTEMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, INCLUINDO: - SISTEMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE COM TODOS SEUS COMPONENTES - ASSINAR TERMO DE COOPERAÇÃO PARA A - CAPACITAÇÃO DOS GESTORES PÚBLICOS E - A LEI DA POLÍTICA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, ESTABELECENDO AS DIRETRIZES E A ESTRUTURA DA GESTÃO MUNICIPAL NESSE TEMA; IMPLANTADOS E FUNCIONANDO - FREQUÊNCIA DAS REUNIÕES DO CMMA, NÚMERO MÉDIO DE PARTICIPANTES, PLANO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL - DEFINIÇÃO DE TÉCNICOS DA SECRETARIA E DOS MEMBROS DO CONSELHO - APOIO/ CONSULTORIA PARA - A SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, COM AS DEVIDAS ATRIBUIÇÕES NO LICENCIAMENTO E FISCALIZAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS, EM DECORRÊNCIA DA DESCENTRALIZAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL, E UM PLANO ESTRATÉGICO; TRABALHO ELABORADO E NÚMERO DE RESULTADOS EFETIVOS DA ATUAÇÃO DO CONSELHO - VOLUME DE RECURSOS ARRECADADOS E REPASSADOS PELO FUNDO CRITÉRIOS PARA REPASSE DO ICMS QUE INCENTIVEM A ADESÃO DOS MUNICÍPIOS AO PROGRAMA CONSTRUIR A POLÍTICA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E O PLANO ESTRATÉGICO DA SECRETARIA - MAPEAR E DIFUNDIR FONTES - O CONSELHO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE (CMMA), COM COMPOSIÇÃO PARITÁRIA ENTRE ÓRGÃOS DE GOVERNO E REPRESENTANTES DA, COM PAUTA EFETIVA DE DISCUSSÃO SOBRE A POLÍTICA AMBIENTAL DO MUNICÍPIO E DE CONTROLE SOCIAL SOBRE A ATUAÇÃO DO - VOLUME DE RECURSOS ARRECADADOS PARA PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS - VOLUME DE RECURSOS DO ICMS-ECOLÓGICO APLICADO NA AGENDA SOCIOAMBIENTAL FINANCEIRAS DO GOVERNO QUE POSSAM SER DESTINADAS AO FORTALECIMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL NO MUNICÍPIO GOVERNO MUNICIPAL NESSE TEMA; E - CAPACITAÇÃO EM SICONV - O FUNDO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, COM FONTES GARANTIDAS DE RECURSOS E CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS TRANSPARENTES PARA SUA APLICAÇÃO. - ELABORAR PROJETOS PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS PARA A AGENDA SOCIOAMBIENTAL - APLICAÇÃO DE PARTE DO ICMS- ECOLÓGICO (QUANDO HOUVER) EM AÇÕES DA AGENDA SOCIOAMBIENTAL VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

2 2. MONITORAR O DESMATAMENTO E COMBATER OS - SISTEMA DE MONITORAMENTO IMPLANTADO - COMPARTILHAMENTO - COMPARTILHAMENTO - DISPONIBILIZAÇÃO E APOIO DESMATAMENTOS E QUEIMADAS ILEGAIS, COM A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE MONITORAMENTO AMBIENTAL. - RELATÓRIOS DE MONITORAMENTO - NÚMERO E PERCENTUAL DAS OCORRÊNCIAS DE DESMATAMENTO E QUEIMADAS ILEGAIS FISCALIZADAS - EVOLUÇÃO DA TAXA DE DESMATAMENTO E DO DE INFORMAÇÕES E AUTUAÇÃO/ EMBARGO DAS ÁREAS DENUNCIADAS PELO MUNICÍPIO DE INFORMAÇÕES E AUTUAÇÃO/ EMBARGO DAS ÁREAS DENUNCIADAS PELO MUNICÍPIO NA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO AMBIENTAL NÚMERO DE FOCOS DE CALOR NO MUNICÍPIO 3. IMPLEMENTAR ESTRATÉGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL, CONTEMPLANDO: - O ABASTECIMENTO DE ÁGUA, INCLUINDO A GESTÃO DA BACIA DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA; - O TRATAMENTO DE ESGOTOS; E - O GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS, COM A COLETA SELETIVA E CORRETA DESTINAÇÃO. - NÚMERO E PERCENTUAL DE LARES ATENDIDOS PELAS REDES DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTO - PERCENTUAL DOS RESÍDUOS COM DESTINAÇÃO ADEQUADA - RECURSOS PESQUISAS E CAMPANHAS UNIVERSIDADES E INSTITUTOS FEDERAIS MATERIAL TÉCNICO, CAPACITAÇÃO E/OU OFICINA EM PLANO MUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO CONTEXTO DA LEI N / IMPLANTAR INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO URBANÍSTICO, CONTEMPLANDO ÁREAS VERDES E ARBORIZAÇÃO URBANA, INTEGRADOS, QUANDO FOR O CASO, AO PLANO DIRETOR MUNICIPAL (PARA MUNICÍPIOS COM MAIS DE HABITANTES). - ÁREA VERDE COM MANEJO ADEQUADO NO PERÍMETRO URBANO - RECURSOS (MINISTÉRIO DAS CIDADES) PESQUISAS E CAMPANHAS UNIVERSIDADES E INSTITUTOS FEDERAIS MATERIAL TÉCNICO, CAPACITAÇÃO E/OU OFICINA DE PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO NO CONTEXTO DA LEI /2012 ESTATUTO DA CIDADE/ INSTRUMENTOS DE CONTROLE URBANÍSTICO PARA GESTÃO TERRITORIAL VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

3 5. ELABORAR E IMPLEMENTAR UM PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL, INTEGRADO COM A POLÍTICA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE. - NÚMERO E PERCENTUAL DE ESCOLAS E DE ALUNOS ENVOLVIDOS NO PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SEDUC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADES E INSTITUTOS FEDERAIS - NÚMERO DE CAMPANHAS RELACIONADAS A REDUÇÃO DE QUEIMADAS E DO DESMATAMENTO, RECUPERAÇÃO DE APPS VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

4 Eixo 2: Regularização ambiental e fundiária AGENDAS PRIORITÁRIAS APOIO DE ORGANIZAÇÕES DA 1. APOIAR OS PROPRIETÁRIOS E POSSEIROS RURAIS NA REALIZAÇÃO DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR), - NÚMERO E PERCENTUAL DAS PROPRIEDADES E POSSES COM CAR PROTOCOLADO E VALIDADO - RECURSOS FINANCEIROS, POR - TERMOS DE REFERÊNCIA E PRODUÇÃO DAS BASES COM PRIORIDADE PARA AS ÁREAS DE AGRICULTURA FAMILIAR, INCLUINDO: - A PRODUÇÃO DE UMA BASE CARTOGRÁFICA DO MUNICÍPIO PARA O CAR, COM HIDROGRAFIA, ESTRADAS, INTERMÉDIO DE PROJETO DA SEMA-MT AO FUNDO AMAZÔNIA - PRIORIDADE NA CARTOGRÁFICAS PARA O CAR - APOIO NO PLANEJAMENTO E ACOMPANHAMENTO DAS DINÂMICA DE DESMATAMENTO E COBERTURA E USO DO SOLO; ANÁLISE E VALIDAÇÃO DOS CAR REALIZADOS AÇÕES DE CADASTRAMENTO - A MOBILIZAÇÃO, VARREDURA FUNDIÁRIA E COLETA DOS DADOS DOS PROPRIETÁRIOS E POSSEIROS NAS COMUNIDADES RURAIS DO MUNICÍPIO; PELOS MUNICÍPIOS DO PMS - A ENTRADA DOS DADOS NO SISTEMA PARA GERAÇÃO DOS PROTOCOLOS DE CAR. VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

5 APOIO DE ORGANIZAÇÕES DA 2. APOIAR A REGULARIZAÇÃO DE PASSIVOS AMBIENTAIS NAS PROPRIEDADES E POSSES RURAIS ÁREAS DE - ÁREA E PERCENTUAL DA ÁREA DE APP DEGRADADA DO MUNICÍPIO SENDO - RECURSOS FINANCEIROS, POR - APOIO NA IMPLANTAÇÃO DE REDES DE SEMENTES E PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) E RESERVAS LEGAIS (RL), INCLUINDO: - O APOIO AOS PROPRIETÁRIOS E POSSEIROS RURAIS PARA RECUPERADA - ÁREA E PERCENTUAL DA ÁREA DE PASSIVO DE RL DO MUNICÍPIO SENDO RECUPERADA OU INTERMÉDIO DE PROJETO DA SEMA-MT AO FUNDO AMAZÔNIA PLANEJAMENTO DO FORNECIMENTO DE MUDAS; - IMPLANTAÇÃO DE ÁREAS O PLANEJAMENTO DA REGULARIZAÇÃO DOS SEUS PASSIVOS DE APP E RL; - A IMPLANTAÇÃO OU FORTALECIMENTO DE REDE DE SEMENTES E VIVEIROS DE MUDAS; - A DISSEMINAÇÃO DE TÉCNICAS CUSTO-EFETIVAS DE RESTAURAÇÃO FLORESTAL E; - A DISPONIBILIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE ÁREAS APTAS PARA A COMPENSAÇÃO DE PASSIVOS DE RESERVA LEGAL POR MEIO DA COTA DE RESERVA AMBIENTAL (CRA). COMPENSADA - NÚMERO E ÁREA CRA EMITIDAS - REGULAMENTAÇÃO DA COTA DE RESERVA AMBIENTAL (CRA) PILOTO DE RESTAURO FLORESTAL, SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS E CONFECÇÃO DE GUIAS SOBRE AS TÉCNICAS EFETIVAS DE RESTAURAÇÃO; - MAPEAMENTO DOS ATIVOS E PASSIVOS DE RL E APOIO NA EFETIVAÇÃO DO MECANISMO DA CRA. VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

6 APOIO DE ORGANIZAÇÕES DA 3. IMPLANTAR A GOVERNANÇA FUNDIÁRIA MUNICIPAL ABRANGENDO A ÁREA URBANA E RURAL, INCLUINDO: - NÚMERO E ÁREA DE PROPRIEDADES E POSSES E PERCENTUAL DO NÚMERO E DA ÁREA DE - AMPLA DISPONIBILIZAÇÃO DE - AMPLA DISPONIBILIZAÇÃO DE - ORIENTAÇÃO NO PLANEJAMENTO DA - A CRIAÇÃO DE COMITÊ MUNICIPAIS DE ASSUNTOS FUNDIÁRIOS; - O DIAGNÓSTICO DOS PROBLEMAS FUNDIÁRIOS E DOS ENTRAVES À REGULARIZAÇÃO; - A BUSCA SISTEMÁTICA E CONSTRUÇÃO DE SOLUÇÕES JUNTO AOS ÓRGÃOS DE TERRAS. PROPRIEDADES E POSSES COM PROBLEMAS FUNDIÁRIOS SOLUCIONADOS INFORMAÇÕES RELATIVAS A PROCESSOS DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA - COLABORAÇÃO ATIVA NA SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS INFORMAÇÕES RELATIVAS A PROCESSOS DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA - COLABORAÇÃO ATIVA NA SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS IMPLANTAÇÃO DA GOVERNANÇA FUNDIÁRIA MUNICIPAL - APOIO NO PLANEJAMENTO E ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NOS LEVANTADOS LEVANTADOS ASSENTAMENTOS - ESTABELECIMENTO DE PARCERIAS COM OS MUNICÍPIOS PARA AÇÕES SISTEMÁTICAS DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA E TITULAÇÃO DE TERRAS NOS ASSENTAMENTOS DO INCRA VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

7 Eixo 3: Promoção de cadeias produtivas sustentáveis, com foco na agricultura familiar AGENDAS PRIORITÁRIAS 1. CONSOLIDAR O SISTEMA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL, INCLUINDO: - EVOLUÇÃO DOS VOLUMES PRODUZIDOS E RENDA GERADA NA AGRICULTURA FAMILIAR DO - CAPACITAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO E - O FORTALECIMENTO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA, COM A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL PARA O APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR DO MUNICÍPIO; MUNICÍPIO - FREQUÊNCIA DAS REUNIÕES DO CMDRS, NÚMERO MÉDIO DE PARTICIPANTES E NÚMERO DE RESULTADOS EFETIVOS DA ATUAÇÃO DO DA CIVIL QUE COMPÕE O COLEGIADO DO TERRITÓRIO DA CIDADANIA (QUANDO HOUVER) - O LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO PERIÓDICOS DE INFORMAÇÕES SOBRE A PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA NO MUNICÍPIO (CENSO AGROPECUÁRIO); - O RESTABELECIMENTO OU FORTALECIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL (CMDRS). CONSELHO - NÚMERO DE CONTRATOS E RECURSOS REPASSADOS PARA PRODUTORES FAMILIARES INVESTIREM NAS CADEIAS DE PRODUÇÃO SUSTENTÁVEIS - APOIO/ CONSULTORIA PARA CONSTRUIR A POLÍTICA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE E O PLANO ESTRATÉGICO DA SECRETARIA 2. INCENTIVAR A COMERCIALIZAÇÃO LOCAL DOS PRODUTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR, POR MEIO DE: - PERCENTUAL DA MERENDA ESCOLAR ORIUNDA DA PRODUÇÃO LOCAL - APOIO E ASSESSORIA JURÍDICA PARA - APOIO À EFETIVAÇÃO DAS COMPRAS GOVERNAMENTAIS, EM APLICAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (PNAE) E PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS (PAA); -FORTALECER OS CONSELHOS MUNICIPAIS DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR, E DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL PARA CONTROLE SOCIAL SOBRE O PROGRAMA DE GARANTIA DE PREÇO MÍNIMO. - APOIO À COMERCIALIZAÇÃO DIRETA, COM A IMPLANTAÇÃO OU FORTALECIMENTO DA(S) FEIRA(S) MUNICIPAL(IS) OU OUTRAS ESTRATÉGIAS, INCLUINDO DE COMERCIALIZAÇÃO SOLIDÁRIA; - VOLUMES E VALORES DA PRODUÇÃO LOCAL COMERCIALIZADOS VIA PAA - ESTIMATIVA DA RENDA GERADA NA(S) FEIRA(S) MUNICIPAL(IS) OU OUTRAS INICIATIVAS DE COMERCIALIZAÇÃO DIRETA - NÚMERO E PERCENTUAL DOS AGRICULTORES PARTICIPANTES DE ASSOCIAÇÕES OU COOPERATIVAS ORGANIZAÇÕES DE PRODUTORES E AUXÍLIO NO ACESSO ÀS COMPRAS GOVERNAMENTAIS. - DESENVOLVIMENTO DE INICIATIVAS INOVADORES DE COMERCIALIZAÇÃO DIRETA SOLIDÁRIA - MAPEAMENTO DE INICIATIVAS REFERÊNCIAS - FOMENTO AO ASSOCIATIVISMO E COOPERATIVISMO COM ENFOQUE NA COMERCIALIZAÇÃO COLETIVA. VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

8 3. APOIAR A ESTRUTURAÇÃO DE CADEIAS PRODUTIVAS SUSTENTÁVEIS DA AGRICULTURA FAMILIAR, INTEGRANDO ESTRATÉGIAS DE REDUÇÃO DA POBREZA, POR MEIO DE: - NÚMERO DE GRUPOS DE PRODUTORES CAPACITADOS NAS DIFERENTES CADEIAS PRODUTIVAS - APOIAR O INCREMENTO DE RENDA, BENEFICIAMENTO E - DESENVOLVIMENTO DE PILOTOS DE ESTRUTURAÇÃO DE CADEIAS COM GRUPOS DE - CAPACITAÇÃO DE GRUPOS DE PRODUTORES EM TÉCNICAS DE PRODUÇÃO, BENEFICIAMENTO E COMERCIALIZAÇÃO; - APOIO A ESSES GRUPOS NA INSTALAÇÃO E GESTÃO DE UNIDADES DE BENEFICIAMENTO; - APOIO A ESSES GRUPOS NO CONTATO E NEGOCIAÇÃO COM POTENCIAIS COMPRADORES; - NÚMERO DE UNIDADES DE BENEFICIAMENTO INSTALADAS COM MUNICIPAL - NÚMERO DE DEMANDAS PRIORITÁRIAS ATENDIDAS E VALOR INVESTIDO - VOLUMES PRODUZIDOS, BENEFICIADOS E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS EM PROJETOS DE ASSENTAMENTO POR MEIO DO PROGRAMA TERRA DO SOL (INCRA) AGRICULTORES FAMILIARES - AUXILIAR NA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - ATENDIMENTO DE DEMANDAS PRIORITÁRIAS EM TERMOS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE, SAÚDE E EDUCAÇÃO. COMERCIALIZADOS E RENDA GERADA NAS CADEIAS APOIADAS 4. FOMENTAR A DISSEMINAÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS NAS ATIVIDADES PRODUTIVAS, POR MEIO DO FOMENTO A PROGRAMAS INTEGRADOS COMO: - NÚMERO E PERCENTUAL DOS PRODUTORES EM CADA UMA DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES DO MUNICÍPIO PARTICIPANTES DESSES PROGRAMAS - APOIO TÉCNICO E FINANCEIRO PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA - DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS COMO POR EXEMPLO O NOVO CAMPO - BALDE CHEIO, PARA A PRODUÇÃO DE LEITE; - NOVO CAMPO, PARA A PECUÁRIA DE CORTE; - PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA INTEGRADA E SUSTENTÁVEL (PAIS), PARA HORTIFRUTIGRANJEIROS; -IMPLANTAR UM PLANO MUNICIPAL DE REDUÇÃO DE USO DE AGROTÓXICOS E PROMOÇÃO DA AGROECOLOGIA - ELABORAR E IMPLEMENTAR UM PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO, PAUTADO NA DISSEMINAÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS PARA AS ESCOLAS DO CAMPO NO MUNICÍPIO - INCREMENTO DE PRODUTIVIDADE, QUALIDADE E RENDA DOS PRODUTORES PARTICIPANTES DESSES PROGRAMAS - PLANO MUNICIPAL DE REDUÇÃO DE USO DE AGROTÓXICOS E PROMOÇÃO DA AGROECOLOGIA IMPLEMENTADO, NÚMERO DE PRODUTORES UTILIZANDO TÉCNICAS AGROECOLÓGICAS - PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO CAMPO IMPLEMENTADO, NÚMERO DE ESCOLAS PARTICIPANTES POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO CAMPO POR MEIO DO PRONACAMPO (MEC) - BUSCA DE PARCEIROS NOS MERCADOS COMPRADORES PARA OS PRODUTOS ORIUNDOS DESSES PROGRAMAS VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

9 5. FORTALECER O CAPITAL TÉCNICO E DE GESTÃO LOCAL, - NÚMERO E PERCENTUAL DE TÉCNICOS TENDO - EMBRAPA: PROGRAMA - PROMOÇÃO DE CURSOS DE PROMOVENDO A IMPLANTAÇÃO DE CURSOS TÉCNICOS (PRONATEC CAMPO) E A CAPACITAÇÃO CONTINUADA DOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E GESTORES PARTICIPADO DE CURSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM TEMAS RELEVANTES AOS OBJETIVOS DO PMS DE CAPACITAÇÃO CONTINUADA PARA TÉCNICOS CAPACITAÇÃO EM ASPECTOS ESPECÍFICOS; ATUANTES NO MUNICÍPIO, VINCULADOS À SECRETARIA DE AGRICULTURA, EMPAER, OU À INICIATIVA PRIVADA. MULTIPLICADORES VERSÃO 1.0 OUTUBRO DE

PMS-MT Cartilha. Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes. Governança Funcionamento do Programa

PMS-MT Cartilha. Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes. Governança Funcionamento do Programa PMS-MT Cartilha Breve histórico e Abrangência Objetivos gerais e benefícios esperados Componentes Fortalecimento da gestão ambiental municipal Contexto e benefícios Tarefas Regularização ambiental e fundiária

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D.4.6. Gestão, Avaliação e Revisão do PPA (20h) (Caso 2: Piloto do Monitoramento do PPA 2012-2015 - Programa Mudanças Climáticas) Professor:

Leia mais

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA ÓRGÃO: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Programa: 0252 - CAPTAÇÃO E DIFUSÃO DE NOTÍCIAS Objetivo: Divulgar material jornalístico sobre os atos governamentais nos campos social, político, econômico, educativo,

Leia mais

Desmatamento anual na Amazônia Legal (1988 2015)

Desmatamento anual na Amazônia Legal (1988 2015) Março 2016 4.571 7.464 7.000 6.418 5.891 5.012 5.831 11.030 11.651 13.730 13.786 13.227 12.911 14.896 14.896 14.286 16.531 17.770 18.161 17.383 17.259 18.226 18.165 19.014 21.050 21.651 25.396 27.772 Desmatamento

Leia mais

Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro

Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro Construindo a Sustentabilidade: Lições na gestão do Programa Piloto e desafios para o futuro Seminário Nacional: O Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil: Resultados, Lições

Leia mais

9. Ao Pacto das Águas, construir com as lideranças e Associações comunitárias dos povos indígenas e populações tradicionais das áreas supracitadas,

9. Ao Pacto das Águas, construir com as lideranças e Associações comunitárias dos povos indígenas e populações tradicionais das áreas supracitadas, Carta Aberta Dos Representantes dos Povos das Terras Indígenas Rio Branco, Uru Eu Wau Wau, Igarapé Lourdes, Rio Guaporé e Seringueiros da RESEXs Federal e Estadual do Rio Cautário, tornam públicas suas

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE GOVERNO Formular e implementar estratégias de gestão com participação, transparência, compromisso, responsabilidade e efetividade, potencializando a administração pública

Leia mais

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL

Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade. Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Seminário Internacional Trabalho Social em Habitação: Desafios do Direito à Cidade Mesa 2: AGENTES PÚBLICOS, NORMATIVOS E DIREÇÃO DO TRABALHO SOCIAL Elzira Leão Trabalho Social/DHAB/DUAP/SNH Ministério

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DO PODER JUDICIÁRIO

A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DO PODER JUDICIÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO CONTEXTO DO PODER JUDICIÁRIO Renatto Marcello de Araujo Pinto Comitê Gestor da PNRSJT Comissão de Responsabilidade Socioambiental DILEMAS DO DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE

CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE FORUM DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO CARTA DA PLENÁRIA ESTADUAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA DE PERNAMBUCO AO MOVIMENTO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA, AOS MOVIMENTOS SOCIAIS E À SOCIEDADE Recife,

Leia mais

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO

CAPÍTULO III DO FINANCIAMENTO PROJETO DE LEI Institui o Plano Estadual de Cultura da Bahia e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO

Leia mais

Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística Sustentável

Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística Sustentável Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Produção e Consumo Sustentável DPCS Sustentabilidade no Setor Público, A3P e Planos de Logística

Leia mais

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública.

REGIÃO SUDESTE. GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais. Políticas Envolvidas. Segurança Pública. REGIÃO SUDESTE Eixos de Atuação 1. Informação e Mobilização GRUPO 1 ALICIAMENTO PARA TRÁFICO DE DROGAS Planejamento das Ações Intersetoriais 1.1 Capacitar permanente os gestores e profissionais envolvidos

Leia mais

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa

Propostas 2013 2016. Dr. Marcos Norjosa Propostas 2013 2016 As propostas do candidato a Prefeito Dr. Marcos têm como meta principal o bem estar do povo de Pacoti, assim como seu desenvolvimento social e financeiro. Este plano de governo é resultado

Leia mais

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL

Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Projeto ARRANJO PRODUTIVO DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS DO RIO GRANDE DO SUL Estrutura da apresentação: Antecedentes Fórum pela Vida Cenário Atual Rede Fito RS Objetivos Organização Atores participantes

Leia mais

DOCUMENTO FINAL III CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DO ESTADO DE SERGIPE CONSEAN/SE

DOCUMENTO FINAL III CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DO ESTADO DE SERGIPE CONSEAN/SE DOCUMENTO FINAL III CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DO ESTADO DE SERGIPE CONSEAN/SE Aracaju 27, 28 de Setembro-2011 1. APRESENTAÇÃO Com o tema 'Alimentação Adequada e Saudável:

Leia mais

EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA)

EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) - DIRETORIA DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) - FEAM - QUADRO DE INDICADORES E METAS DA DIRETORIA DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) FEAM CÓD OBJETIVO

Leia mais

c) Aplicar os princípios de pesquisa operacional mediante:

c) Aplicar os princípios de pesquisa operacional mediante: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS DA EQUIPE DE SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTROLE DA HANSENÍASE 1. Atribuições

Leia mais

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES PROPOSTAS PRIORITÁRIAS: 1. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL Criar o Conselho Estadual da cidade e apoiar a criação dos conselhos municipais, de forma paritária, de caráter

Leia mais

Investimento Social no Entorno do Cenpes. Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE)

Investimento Social no Entorno do Cenpes. Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE) Investimento Social no Entorno do Cenpes Edson Cunha - Geólogo (UERJ) Msc. em Sensoriamento Remoto (INPE) MBA em Desenvolvimento Sustentável (Universidade Petrobras) Abril / 2010 PETR ROBRAS RESPONSABILIDADE

Leia mais

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO

ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 DIRETRIZES DO PROGRAMA DE GOVERNO DO CANDIDATO JOSÉ SIMÃO DE SOUSA PARA A PREFEITURA DE MANAÍRA/PB ZÉ SIMÃO 45 - PREFEITO OBJETIVOS DO GOVERNO: Consolidar e aprofundar os projetos e ações

Leia mais

FICHA PROJETO - nº 226-MA

FICHA PROJETO - nº 226-MA FICHA PROJETO - nº 226-MA Mata Atlântica Grande Projeto Chamada 03 1) TÍTULO: Apoio a criação de Unidades de Conservação na Floresta Atlântica de Pernambuco. 2) MUNICÍPIOS DE ATUAÇÃO DO PROJETO: Água Preta,

Leia mais

Programa Territórios da Cidadania Norte - RJ

Programa Territórios da Cidadania Norte - RJ Programa Territórios da Cidadania Norte - RJ Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para Mulheres Rurais Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) para Mulheres Rurais Meta: Projetos Apoiados: 1

Leia mais

Relatório Investimento Social - 2013

Relatório Investimento Social - 2013 Relatório Investimento Social - 2013 Divisão de Promoção da Cidadania Empresarial e Projetos com a Sociedade - PCSC Departamento de Responsabilidade Social e Projetos com a Sociedade PCS Sumário Projetos

Leia mais

REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO

REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO 15 DE AGOSTO DE 2012 NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO 15/08/12 PAUTA 1. AGENDA PLANEJAMENTO II SEMESTRE 2012 2. ESCRITÓRIO DE PROJETOS

Leia mais

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto

Projeto Movimento ODM Brasil 2015 Título do Projeto Título do Projeto Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas práticas para alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Brasil. Concepção Estabelecimento

Leia mais

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Justificativas O Estado contemporâneo busca superar uma parte substantiva dos obstáculos que permeiam as políticas públicas e as ações privadas através

Leia mais

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas

Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Findeter financiamento para a reconstrução e a mitigação de mudanças climáticas Linhas de Financiamento para Reconstrução e Mitigação de Mudanças Climáticas Fortalecimento de estratégias e produtos financeiros

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA A Socioambiental (PRSA) substitui a Política Corporativa pela Sustentabilidade (2011), e incorpora a contribuição das partes interessadas

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 2, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 Institui o

Ministério do Desenvolvimento Agrário GABINETE DO MINISTRO <!ID1397273-0> PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 2, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 Institui o Ministério do Desenvolvimento Agrário GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 2, DE 24 DE SETEMBRO DE 2008 Institui o Programa Organização Produtiva de Mulheres Rurais, que visa

Leia mais

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília

FOME ZERO. VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã. ção CGPAN/MS/Brasília FOME ZERO VI Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais e Centros Colaboradores em Alimentaçã ção e Nutriçã ção CGPAN/MS/Brasília lia-df Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Abril/2006

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE DIREITOS HUMANOS

Leia mais

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016

AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA. REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 AVALIAÇÃO DO FUNDO CLIMA REUNIÃO DE PARES 29 de março de 2016 Lei 12.114/2009 Lei 12.114/2009 Art. 5º Os recursos do FNMC serão aplicados: I - em apoio financeiro reembolsável mediante concessão de empréstimo,

Leia mais

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL S enado Federal S ubsecretaria de I nfor mações LEI Nº 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas.

Apresentar alternativas compensatórias a estas medidas. SUSTENTABILIDADE DOS FUNDOS CONSTITUCIONAIS DE FINANCIAMENTO: efeito das medidas excepcionais necessárias frente à manutenção do patrimônio dos Fundos Constitucionais de Financiamento. Discutir os efeitos

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO

PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO PROPOSTA DE GOVERNO DO PARTIDO SOCIALISTA BRASILEIRO PSB. VAMOS MUDAR JAMBEIRO A Gestão Participativa, com a construção de múltiplos canais de consulta, com a participação em decisões, com o controle Social,

Leia mais

MINUTA DIRETRIZES PARA MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO CONTROLE DA DENGUE.

MINUTA DIRETRIZES PARA MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO CONTROLE DA DENGUE. MINUTA DIRETRIZES PARA MOBILIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO CONTROLE DA DENGUE. INTRODUÇÃO O planejamento e a implementação da política de saúde pressupõe a interface entre governo e sociedade, por meio

Leia mais

Todos dos dias construindo um futuro melhor PLANO DE GOVERNO DONIZETEOLIVEIRA COSTA VICE - PREFEITO

Todos dos dias construindo um futuro melhor PLANO DE GOVERNO DONIZETEOLIVEIRA COSTA VICE - PREFEITO 15 Todos dos dias construindo um futuro melhor PLANO DE GOVERNO FRANCISCO COELHO FILHO PREFEITO DONIZETEOLIVEIRA COSTA VICE - PREFEITO ELEIÇÕES 2012 Educação Reforma e ampliação das escolas municipais.

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL - PRSA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL - PRSA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL - PRSA A presente política foi elaborada pela PLANNER e é documento complementar ao procedimento interno, sendo proibida sua reprodução total ou parcial, de

Leia mais

II SEMINÁRIO ESTADUAL sobre Política Municipal de Habitação - PLANO CATARINENSE DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PCHIS

II SEMINÁRIO ESTADUAL sobre Política Municipal de Habitação - PLANO CATARINENSE DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PCHIS II SEMINÁRIO ESTADUAL sobre Política Municipal de Habitação - PLANO CATARINENSE DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PCHIS Plano Catarinense de Habitação de Interesse Social PCHIS ADESÃO AO SNHIS (Lei Federal

Leia mais

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN

ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN ANEXO III DA RESOLUÇÃO 009/09/DPR GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO DE EXPANSÃO - GPLAN 1.0 Objetivo Promover o planejamento físico-financeiro, acompanhamento e controle das ações de implantação, ampliação e melhoria

Leia mais

Agosto 2012. Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados

Agosto 2012. Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados Agosto 2012 Gestão Social Estratégia para Gerar Resultados Objetivo Compartilhar com o grupo uma postura de planejamento positiva para que a regionais da FEMAMA consigam atingir o seu objetivo, e desta

Leia mais

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015

A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais. Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 A Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e os desafios para os Governos Locais Belo Horizonte 26 de Agosto de 2015 Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Em 2000, durante a Cúpula do Milênio, líderes

Leia mais

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio à Gestão 1 Educacional Objetivo do Pacto do Ensino

Leia mais

POLÍTICA DE ALTERNATIVAS PENAIS: A CONCEPÇÃO DE UMA POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E DE JUSTIÇA 1

POLÍTICA DE ALTERNATIVAS PENAIS: A CONCEPÇÃO DE UMA POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E DE JUSTIÇA 1 POLÍTICA DE ALTERNATIVAS PENAIS: A CONCEPÇÃO DE UMA POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA E DE JUSTIÇA 1 1. O INÍCIO: A IMPLANTAÇAO DO PROGRAMA NACIONAL DE PENAS ALTERNATIVAS PELO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Instalado

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX

Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pró-Reitoria de Extensão - PROEX ANEXO 1 FORMULÁRIO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PROJETO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA PROPOSTA DO PROJETO 1.1 Área temática (ver Anexo 1.1) 1.2 Linha de extensão (informar em qual (is) linha(s) se enquadra

Leia mais

Painel 2: Como o PNE poderá contribuir para formar novos profissionais de que o Brasil precisa?

Painel 2: Como o PNE poderá contribuir para formar novos profissionais de que o Brasil precisa? Painel 2: Como o PNE poderá contribuir para formar novos profissionais de que o Brasil precisa? Brasil Competitivo São Paulo, 19 de agosto de 2014 Aléssio Trindade de Barros alessio.barros@mec.gov.br Metas

Leia mais

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações.

A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. A responsabilidade socioambiental é uma preocupação global, fundamental para a qualidade de vida das futuras gerações. Levando em considerações os aspectos sociais, econômicos e ambientais, o Sistema Federação

Leia mais

Integração de Políticas Públicas e seus desafios

Integração de Políticas Públicas e seus desafios Integração de Políticas Públicas e seus desafios Rômulo Paes de Sousa Secretário Executivo do MDS Rio de Janeiro, 5 de agosto de 2011. MODELO PRÉ-SISTÊMICO Transição da Política Pública Baseado em programas

Leia mais

Os Mecanismos de Rastreabilidade na Cadeia Produtiva Brasileira Ações do MAPA

Os Mecanismos de Rastreabilidade na Cadeia Produtiva Brasileira Ações do MAPA Os Mecanismos de Rastreabilidade na Cadeia Produtiva Brasileira Ações do MAPA Caio Tibério Dornelles da Rocha Secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo Ministério da Agricultura, Pecuária

Leia mais

Perfil Territorial. Velho Chico - BA. Desenvolvimento Territorial. Dados Básicos do Território

Perfil Territorial. Velho Chico - BA. Desenvolvimento Territorial. Dados Básicos do Território Velho Chico - BA O Território da Cidadania Velho Chico - BA está localizado na região Nordeste e é composto por 16 municípios: Barra, Bom Jesus da Lapa, Brotas de Macaúbas, Carinhanha, Feira da Mata, Ibotirama,

Leia mais

ÍNDICE. Desenvolvimentos das atividades do Curso, Seminário e Simpósio e de formação...24 a 27

ÍNDICE. Desenvolvimentos das atividades do Curso, Seminário e Simpósio e de formação...24 a 27 3 Convênio 027/2015 4 ÍNDICE Apresentação do Projeto... 6 Objetivo...7 Justificativa...8 e 9 Metodologia...10 e 11 Marco Legal...12 Cidades Contempladas...13 Pessoas Beneficiadas...14 Parceiros...15 Cronograma

Leia mais

Papel dos Bancos de Desenvolvimento e das Agências de Fomento no apoio aos APLs

Papel dos Bancos de Desenvolvimento e das Agências de Fomento no apoio aos APLs Papel dos Bancos de Desenvolvimento e das Agências de Fomento no apoio aos APLs Brasília, abril de 2014 Sumário da Apresentação Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR; Programa Rotas de Integração

Leia mais

Reserva Particular do Patrimônio Natural

Reserva Particular do Patrimônio Natural APOIO Reserva Particular do Patrimônio Natural No Brasil: 1094 RPPNs protegem mais de 700 mil hectares. Na Mata Atlântica: 755 reservas protegem mais de 141 mil hectares. Conservação da biodiversidade.

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CT&I PARA O NORDESTE

ESTRATÉGIAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CT&I PARA O NORDESTE ESTRATÉGIAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE CT&I PARA O NORDESTE - Articulação Nacional em Tecnologia Social - Grupo de Trabalho do Terceiro Setor - Secretaria de Ciência e Tecnologia e Inclusão

Leia mais

Programa de Gestión Urbana. Governador Valadares/MG/Brasil. Texto para Conferencia Eletrônica. Coordinación Regional para América Latina y El Caribe

Programa de Gestión Urbana. Governador Valadares/MG/Brasil. Texto para Conferencia Eletrônica. Coordinación Regional para América Latina y El Caribe Programa de Gestión Urbana Coordinación Regional para América Latina y El Caribe Otimização do uso de espaços vazios para Agricultura Urbana através de planos participativos, planificação e gestão para

Leia mais

Territórios de atuação do PGI no Pará

Territórios de atuação do PGI no Pará Projeto - Pará Territórios de atuação do PGI no Pará Itaituba 97 mil Habitantes - Distrito de Miritituba - Distrito de Campo Verde Barcarena 99 mil Habitantes - Vila Itupanema - Vila Nova / Vila União

Leia mais

Categoria Embarcador/ Transportador. Tema Avanços nas ações integradas realizadas em parceria entre embarcadores e transportadoras

Categoria Embarcador/ Transportador. Tema Avanços nas ações integradas realizadas em parceria entre embarcadores e transportadoras Categoria Embarcador/ Transportador Tema Avanços nas ações integradas realizadas em parceria entre embarcadores e transportadoras Grupo Boticário Introdução Ação: Patrocínio de treinamentos de Pontos Focais

Leia mais

O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira

O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira O papel da iniciativa privada no desenvolvimento da gestão pública brasileira CONTEXTO BRASIL 1970 90 milhões de habitantes 2010 190 milhões de habitantes... Temos feito muito, mas não o suficiente...

Leia mais

Curso de Formação em Licenciamento e Fiscalização Ambiental. Marconi Vieira da Silva Engenheiro Ambiental Hybsen Silva Pinheiro Engenheiro Agrônomo

Curso de Formação em Licenciamento e Fiscalização Ambiental. Marconi Vieira da Silva Engenheiro Ambiental Hybsen Silva Pinheiro Engenheiro Agrônomo Curso de Formação em Licenciamento e Fiscalização Ambiental Marconi Vieira da Silva Engenheiro Ambiental Hybsen Silva Pinheiro Engenheiro Agrônomo LICENCIAMENTO AMBIENTAL Licenciamento Ambiental Procedimento

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ALAGOAS

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ALAGOAS PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ALAGOAS OBJETIVOS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS E PARCERIAS CRONOGRAMA MONITORAMEN TO INDICADOR 1. Incluir anualmente,

Leia mais

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae

Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil. Aparecido Hojaij Presidente da Assemae Perspectivas de atuação da Assemae para fomento do saneamento básico no Brasil Aparecido Hojaij Presidente da Assemae XV Assembleia da Assemae Regional de Santa Catarina 25 de agosto de 2015 Sobre a Assemae

Leia mais

F 5 2 90 0 100 73.762.862 F 3 2 90 0 100 11.148.628 TOTAL - FISCAL 84.911.490 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 84.911.490

F 5 2 90 0 100 73.762.862 F 3 2 90 0 100 11.148.628 TOTAL - FISCAL 84.911.490 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 84.911.490 UNIDADE : 47101 - MINISTERIO DO PLANEJAMENTO, ORCAMENTO E GESTAO ANEXO I PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1, 00 0913 OPERACOES ESPECIAIS - PARTICIPACAO DO BRASIL EM

Leia mais

Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo

Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SMA CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - 18 DE MAIO DE 2006 Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo Rui Brasil Assis Coordenador

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo de internacionalização

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000

PREFEITURA MUNICIPAL DE PASTOS BONS AVENIDA DOMINGOS SERTAO 1000 PROJETO DE LEI DO PLANO PLURIANUAL Projeto de Lei: Dispoe sobre o Plano Plurianual para o periodo 2015/2018 A CAMARA MUNICIPAL decreta: Art. 1o. Esta lei institui o Plano Plurianual para o quadrienio 2015/2018

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

PLANO DE GOVERNO Metas e Projetos 2013 / 2016. A Cidade É o Povo

PLANO DE GOVERNO Metas e Projetos 2013 / 2016. A Cidade É o Povo PLANO DE GOVERNO Metas e Projetos 2013 / 2016 A Cidade É o Povo SAÚDE 1. Ampliação do Posto de Saúde (PROJETO EM ANDAMENTO); 2. Aquisição de uma ambulância nova tipo UTI (Van) e reforma da existente; 3.

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL CONTRATAÇÃO DE ASSESSOR TÉCNICO COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 03/2016 -

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL CONTRATAÇÃO DE ASSESSOR TÉCNICO COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 03/2016 - EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL CONTRATAÇÃO DE ASSESSOR TÉCNICO COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 03/2016 - A UNICAFES torna pública a realização de Cotação Eletrônica nº 03/2016 - do Tipo Melhor Técnica para contratação

Leia mais

Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013

Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013 Conselho Municipal de Meio Ambiente CONSEMAC Câmara Setorial Permanente de Educação Ambiental CSPEA Parecer 03/2013 Março 2013 I. OBJETO Regulamentação da Lei n o 4.791 de 02/04/2008, que dispõe sobre

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO ANO 2013 2016 COLIGAÇÃO. Todos por Abaeté.

PROPOSTA DE GOVERNO ANO 2013 2016 COLIGAÇÃO. Todos por Abaeté. PROPOSTA DE GOVERNO ANO 2013 2016 COLIGAÇÃO Todos por Abaeté. Queremos um Abaeté onde todos possam participar das decisões sobre os investimentos públicos e fiscalizar os serviços prestados. Uma cidade

Leia mais

PROJETO GERAL. 22 A 25 / MAIO / 2014 9h ÀS 20h - PARQUE DA EFAPI CHAPECÓ - SC - BRASIL

PROJETO GERAL. 22 A 25 / MAIO / 2014 9h ÀS 20h - PARQUE DA EFAPI CHAPECÓ - SC - BRASIL PROJETO GERAL 22 A 25 / MAIO / 2014 9h ÀS 20h - PARQUE DA EFAPI CHAPECÓ - SC - BRASIL Promoção: Associação Catarinense de Criadores de Bovinos Organização: Montadora Oficial: zoom FEIRAS&EVENTOS Apoio

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS 1. Objetivo geral: Assessorar tecnicamente a gestão e a implementação das atividades relacionadas com as iniciativas governamentais para

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1225 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1225 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 24/02/2012-16:58:00 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 1225 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1.

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Fomento Comercial. 1º de maio de 2014

XII Congresso Brasileiro de Fomento Comercial. 1º de maio de 2014 XII Congresso Brasileiro de Fomento Comercial 1º de maio de 2014 Humberto Luiz Ribeiro Secretário de Comércio e Serviços (SCS) Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) Apresentação

Leia mais

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Esplanada dos Ministérios, Bloco L 70047-902 Brasília DF ANEXO II PROJETO DE MELHORIA DO ENSINO MÉDIO NOTURNO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art.

Leia mais

Programas Saúde na Escola e Mais Educação: O Compromisso da Educação com o PNAE

Programas Saúde na Escola e Mais Educação: O Compromisso da Educação com o PNAE V ENCONTRO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - 2010 Programas Saúde na Escola e Mais Educação: O Compromisso da Educação com o PNAE Intersetorialidade para a implementação da Lei nº

Leia mais

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola. Concessão de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID Programa 1448 Qualidade na Escola Ações Orçamentárias Número de Ações 16 0E530000 Apoio ao Transporte Escolar para a Educação Básica - Caminho da Escola Veículo adquirido Unidade de Medida: unidade UO:

Leia mais

Programa Estadual de Educação ambiental do Rio de Janeiro. Processo de construção coletiva

Programa Estadual de Educação ambiental do Rio de Janeiro. Processo de construção coletiva Programa Estadual de Educação ambiental do Rio de Janeiro Processo de construção coletiva ProEEA A presente versão foi objeto de Consulta Pública que envolveu educadores ambientais dos 92 municípios fluminenses,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013

SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO. Cooperação Técnico-Financeira BNDES/ITERJ. Mayumi Sone. Presidência. Setembro/2013 SECRETARIA DE ESTADO DE HABITAÇÃO Presidência Setembro/2013 Conheça o... Há 16 anos promovendo a Regularização Fundiária no Estado do Rio de Janeiro Regularização Fundiária Títulos Emitidos por Ano Comunidades

Leia mais

OUVIDORIA GERAL EXTERNA

OUVIDORIA GERAL EXTERNA OUVIDORIA GERAL EXTERNA Plano de trabalho de Janeiro de 2012 a Julho de 2012 Principais Atividades JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL 1) Apresentação Plano de trabalho para Defensora Pública Geral X 2) Aprovação

Leia mais

MINUTA INSTRUÇÃO NORMATIVA LICENCIAMENTO PARA CONCESSÃO FLORESTAL. Versão - 15 junho 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE

MINUTA INSTRUÇÃO NORMATIVA LICENCIAMENTO PARA CONCESSÃO FLORESTAL. Versão - 15 junho 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE MINUTA INSTRUÇÃO NORMATIVA LICENCIAMENTO PARA CONCESSÃO FLORESTAL Versão - 15 junho 2007 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTRUÇÃO NORMATIVA N, DE DE DE 2007. A MINISTRA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso

Leia mais

ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL

ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL ACSA COMERCIAL DE BENS & CONSULTORIA EMPRESARIAL 1 2 INTRODUÇÃO A economia brasileira nos últimos anos tem desenvolvido um processo de crescimento das diversas classes econômicas. Aproveitando o momento

Leia mais

Gestão Pública Democrática

Gestão Pública Democrática Gestão Pública Democrática Apoio Parceria Coordenação Técnica Iniciativa Gestão Pública Democrática Conceito de gestão Tem origem na palavra latina gestione que se refere ao ato de gerir, gerenciar e administrar.

Leia mais

PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR

PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR PLANO DE GESTÃO CÂMPUS CAÇADOR 2016-2019 Consolidar, Incluir e Unir com ética, transparência e responsabilidade SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 5 2 METODOLOGIA... 6 3 EQUIPE... 7 4 MAPA SITUACIONAL... 8 5 EIXOS

Leia mais

Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007

Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007 Avanços do TPE Setembro 2006 / Maio 2007 Já sabemos que... Educação de qualidade para todos promove: Já sabemos que... Educação de qualidade para todos promove: Crescimento econômico Já sabemos que...

Leia mais

Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017. Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade

Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017. Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017 Alimentos Saudáveis para o campo e a cidade Crédito Pronaf R$ 30 bilhões para financiamento da produção de Alimentos Saudáveis Juros mais baixos, redução de

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Cooperação Internacional com os países Africanos

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Cooperação Internacional com os países Africanos MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Cooperação Internacional com os países Africanos Setembro/2012 DIRETRIZES DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA 1. Baseada em valores clássicos: promoção

Leia mais

A RNP e a Educação no Brasil

A RNP e a Educação no Brasil A RNP e a Educação no Brasil SBC 99 - Educação e Aprendizagem na Sociedade da Educação - Rio de Janeiro (RJ) 21 de julho 1999 José Luiz Ribeiro Filho Sumário: A história da Internet e seu uso na educação

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel

Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel Política de Responsabilidade Socioambiental Sulcredi São Miguel SÃO MIGUEL DO OESTE, JUNHO DE 2015. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SULCREDI SÃO MIGUEL 1 ABRANGÊNCIA Esta política orienta o

Leia mais

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado

Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Mobilização social em defesa dos direitos dos Povos e da conservação do Bioma Cerrado Audiência Pública O PLANO DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO (PDA) E A AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO MATOPIBA (MARANHÃO,

Leia mais

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto

OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto Identificação do Projeto OPAS/OMS Representação do Brasil Programa de Cooperação Internacional em Saúde - TC 41 Resumo Executivo de Projeto Suporte ao desenvolvimento da Rede Saúde & Diplomacia Seguimento

Leia mais

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil

SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil SISTEMA DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA Visão Geral, Evolução e Perspectivas no Brasil Buenos Aires Argentina 13 de Agosto de 2004 Leis de Incentivo no Brasil 1. Leis Nacionais 1. Lei Rouanet (8313/91)

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR)

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Código: CDH -EC- 009 A presente Consultoria visa contratar serviços profissionais especializados

Leia mais

Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base

Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base O QUE É REDEAMÉRICA? É UMA REDE TEMÁTICA LIDERADA PELO SETOR EMPRESARIAL COM UMA ESTRATÉGIA HEMISFÉRICA PARA FAZER DO

Leia mais

PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: EDUCANDO E PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE PARA AS PRESENTES E FUTURAS GERAÇÕES

PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: EDUCANDO E PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE PARA AS PRESENTES E FUTURAS GERAÇÕES PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: EDUCANDO E PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE PARA AS PRESENTES E FUTURAS GERAÇÕES Elisângelo Fernandes da Silva (E-mail: elisangelo.silva@bol.com.br); Francisco Auricélio de Oliveira

Leia mais

Produção de alimentos e energia: a experiência da Itaipu Binacional na implantação do Condomínio de Agroenergia Ajuricaba

Produção de alimentos e energia: a experiência da Itaipu Binacional na implantação do Condomínio de Agroenergia Ajuricaba Produção de alimentos e energia: a experiência da Itaipu Binacional na implantação do Condomínio de Agroenergia Ajuricaba Introdução Cícero Bley Júnior - Assessoria de Energias Renováveis/Itaipu Binacional

Leia mais

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL

FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL FORUM FPA IDÉIAS PARA O BRASIL Ideias Centrais Metodologia de Construção do Programa Quatro instâncias: 1. Fóruns de discussão regionalizados Um coordenador regional; Espaço de discussão permanente; Diálogo

Leia mais

RELATÓRIO PROJETO COMPETITIVIDADE E MEIO AMBIENTE FASE DE ORIENTAÇÃO (fevereiro 2002 a 2004) MMA/SQA/GTZ/MERCOSUL

RELATÓRIO PROJETO COMPETITIVIDADE E MEIO AMBIENTE FASE DE ORIENTAÇÃO (fevereiro 2002 a 2004) MMA/SQA/GTZ/MERCOSUL RELATÓRIO PROJETO COMPETITIVIDADE E MEIO AMBIENTE FASE DE ORIENTAÇÃO (fevereiro 2002 a 2004) MMA/SQA/GTZ/MERCOSUL Atividades desenvolvidas em 2002 O Brasil no 2º semestre do ano 2002, exercendo a Presidência

Leia mais

Seção III. Do Saneamento Básico

Seção III. Do Saneamento Básico Seção III Do Saneamento Básico Art. 1º - Saneamento básico é o conjunto de serviços que compreende o abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, drenagem

Leia mais