Dicas para implementação do Trabalho 6

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dicas para implementação do Trabalho 6"

Transcrição

1 Dicas para implementação do Trabalho 6 1 Passo a passo para implementação do trabalho 1 Faça um exemplo que contemple todos os possíveis comandos que sua linguagem aceita. Um possível exemplo, faltando adicionar os comandos se entao senao e enquanto (pois a definição destes comando é pessoal), segue: programa Teste; var a, b, c, d, e: inteiro; f: caracter; g, h, i: string; fim. a := 10; imprima( DigiteUmNumero ); leia (b); c := a * b ; imprima( DigiteOutroNumero ); leia (e); a := max (c, 100, e); imprima( O maximo foi: ); imprima(a); 2 Simplifique sua linguagem (modificando no seu analisador sintático), lembrando sempre de colocar as modificações no arquivo leiame.txt, para aceitar o seu programa que possui todos os testes possíveis. 3 Teste se seu programa exemplo é realmente conhecido pelo seu analisador léxico, pelo sintático e pelo semântico. Na análise semântica você deve apenas criar a tabela de variáveis alocando um espaço para o nome dela, um espaço para o tipo e um espaço que caberia o maior valor correspondente àquele tipo no campo valor, mas com nenhum valor atribuído ou um atribua sempre um valor inicial default. Não faça atribuições de valores às variáveis em tempo de análise. Isso só será feito em tempo de execução! Após criada a tabela de variáveis, basta verificar se as variáveis que aparecm no programa foram todas declaradas e se os tipos atribuídos correspondem aos declarados. As aridades e tipos dos argumentos das funções primitivas também devem ser verificados.

2 4 Após seu interpretador realizar todas as fases da análise e seu programa que engloba todos os possíveis comandos passar por este sem nenhum problema, desenhe (em um papel mesmo!) a árvore de execução resultante do programa exemplo que, nesta fase, já sabemos que realmente está escrito na linguagem. 5 Com o desenho rascunhado em papel, implemente a estrutura de dados árvore conforme você julgar melhor (conforme você desenhou). Uma possível implementação é o nó que forma a árvore possuir 3 campos (nome, tipo e valor) e 3 ponteiros para nós filhos (esq, centro, dir). Prováveis tipos de comandos presentes em sua linguagem e em sua árvore: atribuição (campo nome preenchid por :=) função (campo nome preenchido por leia, imprima ou max) se entao senao (campo nome preenchido por se) enquanto (campo nome preenchido por enquanto) variavel (campo nome preenchido pelo nome da variável) inteiro (campo nome preenchido pelo valor do inteiro) string (campo nome preenchido pelo valor do caracter) caracter (campo nome preenchido pelo valor da string) operadores aritméticos (campo nome preenchido pelo operador em questão) operadores lógicos (campo nome preenchido pelo operador em questão) 6 Teste exaustivamente se sua estrutura árvore realmente está funcionando em um módulo separado. 7 Implemente uma estrutura de daos Fila que conterá as árvores resultantes de cada comando de seu programa. Esta fila chamaremos de Árvore de Execução do programa. 8 Após possuir estas 2 estruturas implementadas e testadas, utilize o seu analisador sintático juntamente com suas estruturas árvore e fila para criar a Árvore de execução. Para cada comando você criará uma árvore comando e esta será inserida na fila. 9 Após ter sua sintático.y realizando todas as análises, criando a tabela de variáveis e criando a árvore de execução, crie então um executor que pegará este único programa e executará cada nó da Fila (cada árvore comando). Com ao menos esta fase pronta (incluindo a impressão da Árvore de Execução do programa) você obterá 50% da nota do seu trabalho. Conseguir analisar, gerar código (árvore de execução) e depois executá lo contempla todas as fases de um interpretador de um único programa. 10 Após exaustivos testes nesta versão inicial do interpretador, basta criar o ambiente que lhe proporcionará compilar e executar vários programas de uma única vez. Para tal você deve criar uma lista de programas, e cada nó desta lista deve conter o nome do programa compilado, sua tabela de variáveis e sua árvore de execução.

3 2 Observações de uma possível implementação de um interpretador presentes em um arquivo leiame.txt: A função max só pode ser utilizada em atribuições simples (não pode ser utilizada em expressões). Exemplo: a := max (10, 20, 30); No comando se entao senao só será permitido 1 comando em entao e 1 comando em senao. As expressões foram divididas em 2 tipos: expressões lógicas e expressões aritméticas. Minha linguagem só aceita expressões aritméticas com dois argumentos, e estes aparecem intercalados pelos operadores (logo, nunca há problemas com precedência de operadores). Os operadores aritméticos são representados por: +: soma : subtração *: multiplicação /: divisão ^: elevado %: módulo. Exemplos de atribuições com expressões válidas: a := ; a := 12 10; a := 10 * 12; a := 10 / 2; a := 10 % 12; a := 2 ^ 10; Exemplos de atribuições com expressões INVÁLIDAS na minha linguagem: a := ; a := * 30; Expressões lógicas em minha linguagem devem ser formadas sempre por uma variável (do tipo inteiro) seguida de um operador lógico seguido de um número. Os operadores lógicos são representados por: < : menor > : maior <= : menor ou igual >= : maior ou igual = : igual <>: diferente. Exemplos de expressões lógicas válidas: a < 10 a >= 20

4 a <> 30 a = 67 Expressões lógicas só serão utilizadas nos comandos se entao senao e enquanto facaincremento_decremento. Exemplo de comando se entao senao com expressão lógica: se a < 10 entao leia(a); senao imprima(a); Para que não aconteçam loops infinitos no comando enquanto faca (ele tambem possuirá apenas 1 linha de instrução no comando faca), será necessário uma linha a mais que incrementará ou decrementará a variável que você está utilizando na expressão lógica. Você pode definir de uma forma diferente. Uma sugestão segue. Exemplo de comando enquanto faca incremento_decremento com expressão lógica: enquanto a < 10 faca imprima (a); incremento_decremento a := a + 1; 3 Lembretes que não devem passar em branco: A função imprima pode imprimir uma string ou uma variável. Os valores só são inseridos nas variáveis em tempo de execução. Logo, retire as linhas de comando do trabalho 5 em que você atribuía ou atualizava valores. A tabela de variável que precisa ser criada e armazenada na compilação é construída apenas com as informações contidas na declaração de variáveis. Você deve alocar um espaço para o nome da variável, um espaço para o tipo e um espaço para que o maior valor possível deste tipo seja armazenado. Não atribua valores em tempo de compilação!

5 Divida suas expressões em expressões lógicas e aritméticas. No comando se entao senao só será permitido 1 comando em entao e 1 comando em senao. Para que não aconteçam loops infinitos no comando enquanto faca (ele tambem possuirá apenas 1 linha de instrução no comando faca), será necessário uma linha a mais que incrementará ou decrementará a variável que você está utilizando na expressão lógica. Um exemplo de uma possível declaração deste comando (você pode declarar de uma outra forma, desde que não permita loops infinitos): enquanto a < 10 faca imprima (a); incremento_decremento a := a + 1; Para passar como parâmentro o nome do arquivo a ser analisado pelo yylex() e pelo yyparse() basta utilizar a variável yyin (No manual tem exemplos de utilização). Você receberá 50% da nota do seu trabalho implemetando apenas um interpretador de um único programa. Mas terá que me apresentar (imprimir) a árvore de execução do programa a ser interpretado e sua tabela de variáveis a cada comando executado. Uma boa explicação deve ser apresentada no arquivo leiame.txt de como utilizar o programa, quais funcionalidades foram implementadas e como é feito para que eu possa utilizar tais funcionalidade. Sorte!

Como construir um compilador utilizando ferramentas Java

Como construir um compilador utilizando ferramentas Java Como construir um compilador utilizando ferramentas Java p. 1/2 Como construir um compilador utilizando ferramentas Java Aula 1 - Introdução Prof. Márcio Delamaro delamaro@icmc.usp.br Como construir um

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

CONCEITOS DE ALGORITMOS

CONCEITOS DE ALGORITMOS CONCEITOS DE ALGORITMOS Fundamentos da Programação de Computadores - 3ª Ed. 2012 Editora Prentice Hall ISBN 9788564574168 Ana Fernanda Gomes Ascênsio Edilene Aparecida Veneruchi de Campos Algoritmos são

Leia mais

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas

Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Programa em Linguagem Algorítmica Nesse curso nós vamos utilizar a linguagem algorítmica para

Leia mais

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados 3. Introdução Segundo alguns especialistas, qualquer programa de computador pode ser escrito utilizando apenas três estruturas básicas: Seqüência, Condição e Repetição. Isto significa que, na construção

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação IDE Eclipse IDE (Integrated development environment) Criar um projeto

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS ALGORITMOS

CADERNO DE EXERCÍCIOS ALGORITMOS J. EXERCÍCIOS SOBRE MODULARIZAÇÃO 77. Faça uma função que recebe um número inteiro por parâmetro e retorna verdadeiro se ele for par e falso se for ímpar. 78. Escreva um programa que leia o raio de um

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Linguagens de Programação: sintaxe e semântica de linguagens de programação e conceitos de linguagens interpretadas e compiladas Engenharia da Computação Professor: Críston Pereira

Leia mais

Apêndice A. Pseudo-Linguagem

Apêndice A. Pseudo-Linguagem Apêndice A. Pseudo-Linguagem Apostila de Programação I A.1 Considerações Preliminares Os computadores convencionais se baseiam no conceito de uma memória principal que consiste de células elementares,

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3. Revisão Estrutura de Decisão Se Então

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3. Revisão Estrutura de Decisão Se Então CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3 Revisão Estrutura de Decisão Se Então Revisão da aula anterior 1. Variáveis 2. Estrutura de um Algoritmo 3. Operadores 4. Visualg Variável Revisão da aula anterior É

Leia mais

Fabiano Moreira.

Fabiano Moreira. Fabiano Moreira professor@fabianomoreira.com.br Um pouco de história Java 1.02 (250 classes, lenta) Java 1.1 (500 classes, um pouco mais rápida) Java 2, versões 1.2-1.4 (2300 classes, muito mais rápida)

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos.

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos. Apostila de Fortran Fortran Uma das linguagens de programação mais velhas, o FORTRAN foi desenvolvido por uma equipe de programadores conduzida por John Backus na IBM, e foi primeiramente publicada em

Leia mais

7 Comandos e Estruturas de Controle

7 Comandos e Estruturas de Controle Lógica para a Programação - 1º semestre AULA 03 Prof. André Moraes 7 Comandos e Estruturas de Controle Na criação de algoritmos é comum utilizar conceitos de bloco lógico, entrada e saída de dados, constantes,

Leia mais

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1

Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação. Lista de Exercícios 1 Faculdade Anglo-Americano Curso de Ciência da Computação Linguagem de Programação Lista de Exercícios 1 1. O programa seguinte tem vários erros em tempo de compilação. Encontre-os. Main() int a=1; b=2,

Leia mais

Working 03 : Conceitos Básicos II

Working 03 : Conceitos Básicos II Universidade Federal do Espirito Santo Centro Tecnologico Working 03 : Conceitos Básicos II Objetivos: Dominar a construção de estruturas de seleção em C; Aperfeiçoarse na resolução de problemas, da primeira

Leia mais

Curso básico de JavaScript Aula 2

Curso básico de JavaScript Aula 2 Tópicos 1 JavaScript é case sensitive... 1 2 Comentários... 1 3 Saídas do JavaScript... 1 4 Entrada de dados usando window.prompt( )... 3 5 Variáveis... 3 1.1 Regras para criar uma variável... 3 6 Literais...

Leia mais

TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS

TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS AULA 3 TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS 3.1 Tipos de dados Os dados manipulados por um algoritmo podem possuir natureza distinta, isto é, podem ser números, letras, frases, etc. Dependendo da natureza de um

Leia mais

Lógica de Programação Teoria. rogerioaraujo.wordpress.com - 1

Lógica de Programação Teoria. rogerioaraujo.wordpress.com - 1 Lógica de Programação Teoria rogerioaraujo.wordpress.com twitter: @rgildoaraujo - rgildoarauj@gmail.com 1 Tópicos Algoritmos Critérios para algoritmos Regras básicas para construção de um algoritmo Forma

Leia mais

C Operadores e Expressões

C Operadores e Expressões C Operadores e Expressões Adriano Cruz adriano@nce.ufrj.br Instituto de Matemática Departamento de Ciência da Computação UFRJ 15 de agosto de 2013 Adriano Cruz adriano@nce.ufrj.br (IM-DCC-UFRJ)C Operadores

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo OPERADORES Um operador é um símbolo

Leia mais

Fluxogramas. Leandro Tonietto ago-09

Fluxogramas. Leandro Tonietto ago-09 Fluxogramas Leandro Tonietto ltonietto@unisinos.br ago-09 Introdução Planejar, modelar e projetar primeiro, depois fazer (programar). Maiores chances de sucesso na programação Facilita a resolução, pois

Leia mais

Linguagem C Operadores

Linguagem C Operadores Linguagem C Operadores Objetivos Abordar os conceitos sobre os Operadores demonstrando o seu uso com exemplos para um melhor aprendizado. Pré-requisitos É necessário que o leitor tenha acompanhado o artigo

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Introdução a Algoritmos (Parte II) Luis Martí Instituto de Computação Universidade ederal luminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Roteiro da Aula de Hoje

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 6. Revisão Laços de Repetição

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 6. Revisão Laços de Repetição CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 6 Revisão Laços de Repetição TRABALHO 1º Semestre Prazo de entrega: 14/06. Individual ou em Dupla Compactar todos os exercícios em um arquivo. Enviar para o e-mail do PET:

Leia mais

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano

Anhanguera Educacional S.A. Centro Universitário Ibero-Americano O C++ foi inicialmente desenvolvido por Bjarne Stroustrup durante a década de 1980 com o objetivo de melhorar a linguagem de programação C, mantendo a compatibilidade com esta linguagem. Exemplos de Aplicações

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

Matrizes. DCC 119 Algoritmos

Matrizes. DCC 119 Algoritmos Matrizes DCC 119 Algoritmos Matrizes: vetores multidimensionais Assim como os vetores, as matrizes são estruturas de dados homogêneas. Podem ser construídas dos diversos tipos básicos primitivos (real,

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin - Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Marcos Trentin -  Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Marcos Trentin - paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Introdução ao JavaScript É uma linguagem client-side que possui diversas aplicações,

Leia mais

5. Expressões aritméticas

5. Expressões aritméticas 5. Expressões aritméticas 5.1. Conceito de Expressão O conceito de expressão em termos computacionais está intimamente ligado ao conceito de expressão (ou fórmula) matemática, onde um conjunto de variáveis

Leia mais

Introdução a Programação

Introdução a Programação Introdução a Programação Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula 02 Primeiro Programa Roteiro Primeiros Passos Variáveis Expressões Comandos

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Linguagem C Operadora

Linguagem C Operadora Linguagem C Operadora Objetivos Abordar os conceitos sobre os Operadores demonstrando o seu uso com exemplos para um melhor aprendizado. Operadores Os operadores indicam ao compilador a necessidade de

Leia mais

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis

Introdução a classes e objetos. Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Introdução a classes e objetos Prof. Marcelo Roberto Zorzan Prof a. Rachel Reis Estruturas de Seleção if... else Operador condicional (? : ) switch Aula de Hoje Estruturas de Repetição: while/do... while/for

Leia mais

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves.

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves. Conceitos Básicos Professor: Juliano Lucas Gonçalves juliano.goncalves@ifsc.edu.br Agenda Revisão Algoritmos Memória, variáveis e constantes Estrutura básica de um algoritmo em pseudocódigo 2 O que já

Leia mais

Conceitos básicos de algoritmos

Conceitos básicos de algoritmos Conceitos básicos de algoritmos Operadores Aritméticos Unários: +, - Exemplos: +1-5.9... var a: inteiro... a

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I. Introdução

PROGRAMAÇÃO I. Introdução PROGRAMAÇÃO I Introdução Introdução 2 Princípios da Solução de Problemas Problema 1 Fase de Resolução do Problema Solução na forma de Algoritmo Solução como um programa de computador 2 Fase de Implementação

Leia mais

Estruturas de Repetição em Java

Estruturas de Repetição em Java 1 Linguagem de Programação Estruturas de Repetição em Java A realização da repetição controlada por contador requer: 1. Uma variável de controle (ou contador de loop). 2. O valor inicial da variável de

Leia mais

Introdução ao Javascript

Introdução ao Javascript Programação WEB I Introdução ao Javascript Apresentação da Disciplina,Introdução a linguagem Javascript Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da linguagem Javascript referente à programação

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 2

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 2 AULA 6 EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 2 6.1 Operadores aritméticos sobre os reais Como vimos na aula anterior, os operadores aritméticos definem as operações aritméticas que podem ser realizadas sobre os

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação aula 4 Engenharia Elétrica e Engenharia de Automação Introdução à Computação 1.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) Programas Programas são seqüências de instruções

Leia mais

BAC004 Informática Teórica T2 Professora: Fabiana Costa Guedes Lista 05 Vetores e Matrizes Vetores

BAC004 Informática Teórica T2 Professora: Fabiana Costa Guedes Lista 05 Vetores e Matrizes Vetores BAC004 Informática Teórica T2 Professora: Fabiana Costa Guedes Lista 05 Vetores e Matrizes Vetores 1- Faça um programa que preencha um vetor com seis elementos numéricos inteiros, calcule e mostre: a.

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Primeiro programa em C #include int main() { int num1, num2, result; scanf("%d",&num1); scanf("%d",&num2); result = num1 + num2; printf("%d",

Leia mais

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero

Linguagem C. Prof.ª Márcia Jani Cícero Linguagem C Prof.ª Márcia Jani Cícero A estrutura Básica de um Programa em C Consiste em uma ou várias funções ou programas. main( ) // primeira função a ser executada // inicia a função // termina a função

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA. DIM0320 Algoritmos e Programação de Computadores

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA. DIM0320 Algoritmos e Programação de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E MATEMÁTICA APLICADA DIM0320 Algoritmos e Programação de Computadores #VARIÁVEIS #TIPOS DE DADOS E L I EZ I O S O A R ES E L I EZ

Leia mais

Introdução à Lógica de Programação. Adaptação de Luis Otavio Alvares

Introdução à Lógica de Programação. Adaptação de Luis Otavio Alvares 1 Introdução à Lógica de Programação Adaptação de Luis Otavio Alvares 2 Elaboração de um programa Problema Análise Programa Algoritmo 3 Processo de geração de um programa Análise do problema: Ler atentamente

Leia mais

Declaração de Construtores em Java

Declaração de Construtores em Java Programando com Java Artigo http://mballem.wordpress.com/ Declaração de Construtores em Java Para que serve e como usar um Construtor em Java Autor Marcio Ballem: é formado em Sistemas de Informação e

Leia mais

Estrutura do programa

Estrutura do programa Linguagem C Estrutura do programa Exemplo: #include #include main() { printf( Ola, mundo! ); system( pause ); }

Leia mais

Desenvolvimento de programas. Análise do problema. Análise do problema. Análise do problema. Desenvolvimento do algoritmo. Codificação do programa

Desenvolvimento de programas. Análise do problema. Análise do problema. Análise do problema. Desenvolvimento do algoritmo. Codificação do programa Desenvolvimento de programas 1 Análise do problema Desenvolvimento do algoritmo Codificação do programa Compilação e execução Teste e depuração Análise do problema 2 Conhecer exatamente o que o problema

Leia mais

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>;

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>; Vetores e Constantes Imagine uma situação na qual fosse necessário armazenar 100 valores para processamento. Por exemplo, pode ser necessário armazenar as notas de 100 provas de uma turma de alunos. Uma

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu. Introdução ao Javascript #1

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu. Introdução ao Javascript #1 Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu JS Introdução ao Javascript #1 JavaScript é uma linguagem de programação. Desenvolvida

Leia mais

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C

INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C INTRODUÇÃO A LINGUAGEM C Aula 01 Programação em Microinformática Prof. Allbert Velleniche de Aquino Almeida E-mail: professor@allbert.com.br Site: http://www.allbert.com.br Histórico O C nasceu na década

Leia mais

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Linguagem C A linguagem

Leia mais

PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia

PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia Calculo da área de um triângulo Algoritmo Área Var base,

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: Operadores relacionais e lógicos estruturas condicionais If...

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. Linguagem C: Operadores relacionais e lógicos estruturas condicionais If... Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Linguagem C: Operadores relacionais e lógicos estruturas condicionais If... Else Switch Prof. Renato Pimentel 1 Operações relacionais Operações

Leia mais

Estruturas Homogêneas Vetores e Matrizes. Givanaldo Rocha

Estruturas Homogêneas Vetores e Matrizes. Givanaldo Rocha Estruturas Homogêneas Vetores e Matrizes Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Estruturas de dados homogêneas Permitem o agrupamento de várias informações

Leia mais

Dados armazenados em um objeto podem ser tanto primitivos, tais como inteiros ou caracteres, ou referências para outros objetos.

Dados armazenados em um objeto podem ser tanto primitivos, tais como inteiros ou caracteres, ou referências para outros objetos. 2. Classes e Objetos Uma classe é um modelo que define os atributos e métodos comuns a um conjunto de objetos de forma encapsulada. Atributos são informações ou dados que descrevem, categorizam ou quantificam

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

AULA INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS

AULA INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS AULA 16-17 INTERAÇÃO ENTRE OBJETOS Curso: Informática (Subseqüente) Disciplina: Programação Orientada a Objetos Prof. Abrahão Lopes abrahao.lopes@ifrn.edu.br Objetivos Criar objetos que controlem a criação

Leia mais

Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada e Saída básica

Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada e Saída básica Universidade Federal de Ouro Preto -UFOP Departamento de Computação - DECOM Programação de Computadores I BCC701 www.decom.ufop.br/moodle Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

Prof. Adriano Maranhão COMPILADORES

Prof. Adriano Maranhão COMPILADORES Prof. Adriano Maranhão COMPILADORES LINGUAGENS: INTERPRETADAS X COMPILADAS Resumo: Linguagem compilada: Se o método utilizado traduz todo o texto do programa, para só depois executar o programa, então

Leia mais

1. [VETOR][SALA] Cálculo da média aritmética de 10 valores armazenados em um vetor.

1. [VETOR][SALA] Cálculo da média aritmética de 10 valores armazenados em um vetor. Universidade Estadual de Maringá - Departamento de Informática Disciplina: 1640/31 - Fundamentos da Computação Física 2007 Prof.: Mauro Henrique Mulati Exercícios de vetores e matrizes do 2. o Bimestre

Leia mais

foi teoricamente impossível trabalhar essa semana.

foi teoricamente impossível trabalhar essa semana. foi teoricamente impossível trabalhar essa semana. tudo que eu precisava para realizar uma tarefa precisa de outra coisa que precisava de outra, em um loop infinito como um Möbius Strip. talvez você pudesse

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza.

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 3 (12/08/15) Saídas Entradas Operadores Atribuição Aritméticos Expressões Aritméticas Saída Permite

Leia mais

100 Exercícios Teóricos não resolvidos

100 Exercícios Teóricos não resolvidos 1 GUIA DE ESTUDO LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ 100 Exercícios Teóricos não resolvidos Prof. Universitário e Consultor Silva Quiala Msc, Bsc, HND Uso exclusivo para estudantes ( Versão Adaptada) 21 de Setembro

Leia mais

Programação de Computadores I Dados, Operadores e Expressões PROFESSORA CINTIA CAETANO

Programação de Computadores I Dados, Operadores e Expressões PROFESSORA CINTIA CAETANO Programação de Computadores I Dados, Operadores e Expressões PROFESSORA CINTIA CAETANO Dados em Algoritmos Quando escrevemos nossos programas, trabalhamos com: Dados que nós fornecemos ao programa Dados

Leia mais

Lógica de Programação: aula 2. Dariel Mazzoni Maranhão. Uninove: Universidade Nove de Julho. 22 de agosto de 2010

Lógica de Programação: aula 2. Dariel Mazzoni Maranhão. Uninove: Universidade Nove de Julho. 22 de agosto de 2010 Uninove: Universidade Nove de Julho 22 de agosto de 2010 Tipos de Dados Primitivos São informações manipuladas pelos usuários. Classificam-se em quatro tipos: Inteiro; Tipos de Dados Primitivos São informações

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Lista de Exercícios - 04 Programação de Computadores I Professor: Edwar Saliba Júnior Estruturas de Repetição O que são e para que servem? São comandos que são utilizados na programação

Leia mais

ALGORITMOS AULA 1. Profª Amanda Gondim

ALGORITMOS AULA 1. Profª Amanda Gondim ALGORITMOS AULA 1 Profª Amanda Gondim O que é lógica? NOÇÕES DE LÓGICA A lógica trata da correção do pensamento Ensina-nos a usar corretamente as leis do pensamento É a arte de pensar corretamente A forma

Leia mais

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio)

Módulo 1. Introdução. AEDS I C++ (Rone Ilídio) Módulo 1 Introdução AEDS I C++ (Rone Ilídio) Introdução Linguagens de Programação Fonte Compilador Executável SO I Hardware C++ - Características Evolução do C, ou seja, possui a mesma sintaxe É uma linguagem

Leia mais

Computação I: Linguagem de Programação Python

Computação I: Linguagem de Programação Python Computação I: Linguagem de Programação Python reginaldo.re@utfpr.edu.br * Parte da apresentação foi gentilmente cedida pelo prof. Igor Steinmacher Agenda Objetivos Python: conceitos básicos O Ambiente

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE)

ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Algoritmos e Estruturas de Dados 1 Prof. Eduardo 1 ALGORITMOS COM SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE) Até o momento da disciplina vimos comandos de entrada, processamento e saída

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 11.2 Shell Script: estruturas condicionais. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 11.2 Shell Script: estruturas condicionais. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 11.2 Shell Script: estruturas condicionais Curso Técnico em Informática SUMÁRIO SHELL SCRIPT COM IF... 3 OPERADORES RELACIONAIS... 3 COMPARAÇÕES EM SCRIPTS... 3 MAIS OPERADORES...

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Parte 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Projeto de Algoritmos

Projeto de Algoritmos Projeto de Algoritmos Introdução aos Sistemas Computacionais Prof. Ernani Viriato de Melo / Reginaldo Costa http://www.ernani.eti.br http://reginaldofazu.blogspot.com 2º Semestre - 2008 Conceitos Básicos

Leia mais

Regras de estilo para código fonte em C/C++

Regras de estilo para código fonte em C/C++ Regras de estilo para código fonte em C/C++ No processo de escrita de código fonte em uma linguagem de alto nível é interessante que o programador se preocupe não somente com a correção sintática e lógica

Leia mais

Este conceito é bastante simples e será útil e conveniente nos itens seguintes, na definição das estruturas básicas de controle de execução.

Este conceito é bastante simples e será útil e conveniente nos itens seguintes, na definição das estruturas básicas de controle de execução. Capítulo 7 Controle de Fluxo de Execução Até o momento os algoritmos estudados utilizam apenas instruções primitivas de atribuição, e de entrada e saída de dados. Qualquer conjunto de dados fornecido a

Leia mais

Compiladores Prof. a Mariella Berger. Trabalho 1 Analisador Léxico

Compiladores Prof. a Mariella Berger. Trabalho 1 Analisador Léxico Compiladores Prof. a Mariella Berger Trabalho 1 Analisador Léxico 1. Objetivo O objetivo deste trabalho é a criação de um analisador léxico que será utilizado por um interpretador da linguagem Pascalzinho.

Leia mais

Introdução a Algoritmos - Revisão

Introdução a Algoritmos - Revisão Introdução a Algoritmos - Revisão O computador é uma máquina capaz de seguir uma certa espécie de algoritmos, chamados programas Ele possui uma memória, capaz de armazenar dados, e uma unidade aritmética,

Leia mais

Aula 4 Expressões e Operadores Cleverton Hentz

Aula 4 Expressões e Operadores Cleverton Hentz Aula 4 Expressões e Operadores Cleverton Hentz Sumário de Aula } Expressões } Operadores } Linearização de Expressões 2 Expressões Uma expressão é composta por variáveis, constantes, ou qualquer combinação

Leia mais

Definição. Motivação para criação. Utilização de subrotinas. Características das subrotinas. Utilização de subrotinas ALGORITMOS

Definição. Motivação para criação. Utilização de subrotinas. Características das subrotinas. Utilização de subrotinas ALGORITMOS ALGORITMOS Definição Um conceito simples seria: Subrotinas (Procedimentos e Funções) Subrotina é um parcela de código computacional que executa uma tarefa bem definida, sendo que essa tarefa pode ser executada

Leia mais

Estrutura de Seleção Múltipla Switch

Estrutura de Seleção Múltipla Switch Estrutura de Seleção Múltipla Switch Disciplina: Algoritmos e Programação Luciano Moraes Da Luz Brum Universidade Federal do Pampa Unipampa Campus Bagé Email: lucianobrum18@gmail.com Horários de atendimento:

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Estruturas de Controle. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo

Linguagem C. Programação Estruturada. Estruturas de Controle. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo Programação Estruturada Linguagem C Estruturas de Controle Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Introdução Tipos de Estruturas de Controle Estruturas de Seleção Simples

Leia mais

Trabalho 1 GRAFOS. 3. Implementar uma rotina chamada Dijkstra(G, o, d) que determina o menor caminho

Trabalho 1 GRAFOS. 3. Implementar uma rotina chamada Dijkstra(G, o, d) que determina o menor caminho Universidade de São Paulo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências de Computação SCC-203 Algoritmos e Estruturas de Dados II / 2011 Prof.ª Rosane Minghim Trabalho 1 GRAFOS

Leia mais

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue;

Estruturas de Repetição. for() while() do-while() break; continue; Estruturas de Repetição for() while() do-while() break; continue; 1 Auto-Ajuda (!) Como ajudar a solucionar erros básicos do meu programa? Verificar os ; Verificar se não há comandos em maiúsculas; Verificar

Leia mais

Exercícios sobre algoritmos

Exercícios sobre algoritmos Exercícios sobre algoritmos Exercícios envolvendo estruturas de decisão Fazer um algoritmo para: 1) Receber um número do usuário e mostrar se esse número é par ou não par 2) Receber 3 valores numéricos,

Leia mais

Linguagem e Técnicas de Programação

Linguagem e Técnicas de Programação Linguagem C Função Prof. Edwar Saliba Júnior Fevereiro de 2011 Unidade 07 Função 1 Conceitos As técnicas de programação dizem que, sempre que possível, evite códigos extensos, separando o mesmo em funções,

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java

Bacharelado em Ciência e Tecnologia Processamento da Informação. Equivalência Portugol Java. Linguagem Java Linguagem Java Objetivos Compreender como desenvolver algoritmos básicos em JAVA Aprender como escrever programas na Linguagem JAVA baseando-se na Linguagem Portugol aprender as sintaxes equivalentes entre

Leia mais

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Este documento explica como transformar um algoritmo escrito na forma pseudocódigo

Leia mais

TUTORIAL MATLAB Victor Breder 2016

TUTORIAL MATLAB Victor Breder 2016 TUTORIAL MATLAB Victor Breder 2016 1. INTERFACE A. Caminho de trabalho Mostra o caminho pasta raiz que será considerada para executar scripts e funções criados pelo usuário. B. Pasta de trabalho Mostra

Leia mais

Algoritmos. Grupos de Slides No 1. Prof. J. M. SIMÃO. Feito por Prof. Jean Marcelo SIMÃO e revisado por Prof. Luis Alberto LUCAS

Algoritmos. Grupos de Slides No 1. Prof. J. M. SIMÃO. Feito por Prof. Jean Marcelo SIMÃO e revisado por Prof. Luis Alberto LUCAS Algoritmos Grupos de Slides No 1. Prof. J. M. SIMÃO Feito por Prof. Jean Marcelo SIMÃO e revisado por Prof. Luis Alberto LUCAS Algoritmos Algoritmo é a essência lógica de cada programa. Algoritmo pode

Leia mais

ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO - PARTE 1

ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO - PARTE 1 AULA 15 ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO - PARTE 1 15.1 O comando enquanto-faca- Considere o problema de escrever um algoritmo para ler um número inteiro positivo, n, e escrever todos os números inteiros de 1 a

Leia mais

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções

Linguagem de Programação I. Aula 10 Funções Linguagem de Programação I Aula 10 Funções Da Aula Anterior Tipos de dados básicos e operadores em C Declaração de variáveis e modificadores de tipo Estruturas de Controle Arrays unidimensionais Geração

Leia mais

Lógica. Necessida de se usar lógica. Solucionar problemas Eficiência e eficácia Boa performance de conhecimento

Lógica. Necessida de se usar lógica. Solucionar problemas Eficiência e eficácia Boa performance de conhecimento Lógica INTRODUÇÃO Lógica consiste na arte de pensar corretamente, organizando o pensamento, de forma a corrigir o raciocínio. Em nosso dia-a-dia, sem percebermos colocamos em prática a lógica, em qualquer

Leia mais

Comandos em C (cont.)

Comandos em C (cont.) Comandos em C (cont.) Operador ternário:? O operador condicional possui uma opção um pouco estranha. É o único operador C que opera sobre três expressões. Sua sintaxe geral possui a seguinte construção:

Leia mais

Linguagem de Programação

Linguagem de Programação Linguagem de Programação Vetores e Strings int vetor[] / rand() / #define / char string[] / gets() Gil Eduardo de Andrade Vetores Introdução Um vetor pode ser definido como é um conjunto de elementos (variáveis)

Leia mais