Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas"

Transcrição

1 Estrutura de um Algoritmo, Variáveis, Comandos de Entrada e Saída e Expressões Aritméticas Estrutura de um Programa em Linguagem Algorítmica Nesse curso nós vamos utilizar a linguagem algorítmica para treinar a programação de computadores. A linguagem algorítmica que nós vamos utilizar é muito similar às demais linguagens de programação imperativas. As principais diferenças entre a linguagem algorítmica e as demais linguagens de programação são: 1. A linguagem algorítmica pode ser escrita em português, portanto, é mas simples de compreender os conceitos iniciais. 2. A linguagem algorítmica é mais simples sintaticamente do que as demais linguagens de programação. Isso significa que podemos nos preocupar menos com regras sintáticas como, por exemplo, as regras que definem identificadores válidos. 3. A linguagem algorítmica não possui algumas restrições de implementação presentes nas linguagens de programação reais. Por exemplo, não existe faixa de valores válidos para um determinado tipo de variável na linguagem algorítmica. 4. Portanto, essas simplificações nos ajudam a focar na resolução do problema em si, e não em detalhes de sua codificação. Um algoritmo em linguagem algorítmica tem a seguinte estrutura mínima: Algoritmo primeiro; { } Esse é o algoritmo mais simples que pode ser criado em linguagem algorítmica. Ele inicia com a palavra algoritmo e é seguido de um nome para o algoritmo, escolhido pelo programador. Esse nome é mais formalmente chamado de identificador, pois ele identifica algo, neste caso o algoritmo. O identificador do algoritmo serve para nos ajudar a lembrar para que serve esse algoritmo. Nesse caso, esse é o nosso primeiro algoritmo, por isso o identificador primeiro. Sempre utilize identificadores que sejam sugestivos, no caso de algoritmos, que ajudem a lembrar qual é a função do algoritmo.

2 As palavras { e } marcam o início e o final dos comandos presentes no algoritmo. Entre essas duas palavras nós devemos inserir os comandos que devem ser executados no algoritmo. As palavras { e } delimitam um bloco de comandos. Todo algoritmo tem pelo menos um bloco de comandos, chamado de corpo principal do algoritmo. O corpo principal do algoritmo termina com um ponto final após a palavra }. O algoritmo acima não faz absolutamente nada. Isso ocorre porque não existe nenhum comando dentro do corpo principal do algoritmo. Assim que nós começarmos a aprender alguns comandos, os nossos algoritmos ficarão mais interessantes. Para ajudar na explicação dos algoritmos, aqui nesse texto, são inseridos à esquerda do algoritmo, números que correspondem às posições das linhas. Por exemplo, o algoritmo anterior ficaria assim: 01 Algoritmo primeiro; 04 } Variáveis Todos nós já ouvimos falar que os computadores são excelentes para armazenar e processar informações. Entretanto, o que deve ser feito para armazenar um determinado valor na memória do computador? Uma das formas de fazê-lo é através das variáveis. As variáveis são componentes de um algoritmo que permitem armazenar valores na memória do computador. O valor de uma variável pode ser modificado no decorrer da execução do algoritmo, daí a origem do nome "variável". As variáveis também possuem um tipo associado. O tipo da variável limita o valor que a variável pode receber. Existem diversos tipos de variáveis, os mais utilizados são: inteiro: uma variável inteira pode receber um valor inteiro, como por exemplo: 2, 5, -6, 11 ou 15423; real: uma variável real pode rececer um valor real, ou seja, um número com ou sem parte fracionária, como por exemplo: -1.43, 0.001, 5 ou ; caracter: uma variável do tipo caracter pode receber como conteúdo um caracter (ou seja, um único símbolo que pode ser entrado pelo teclado), como por exemplo: %, #, q, A, 7 ou {. Em um algoritmo é necessário declarar as variáveis antes de utilizá-las. Declarar uma variável significa dizer qual é o identificador e o tipo da variável. Na

3 linguagem algorítmica, a palavra variáveis indica o início do bloco de declaração de variáveis. 01 Algoritmo segundo; 04 a: inteiro; } O algoritmo anterior dá um exemplo de como declarar um variável. Essa variável possui um identificador a e é do tipo inteiro. As variáveis devem ser declaradas entre a palavra variáveis e a palavra {, que indica o início do corpo principal do algoritmo. Por fim, as variáveis sempre são declaradas da forma: <Identificador da variável> : <Tipo da variável> ; No qual <Identificador da variável> deve ser substituído pelo nome da variável e <Tipo da variável> deve ser substituído pelo tipo da variável. Como por exemplo: ou a: inteiro; média: real; Repare que a declaração da variável a no algoritmo segundo está a alguns espaços em branco à direita. Isso é chamado de indentação e ajuda na legibilidade do programa. A indentação ajuda as pessoas que forem ler (incluindo você mesmo) o algoritmo. Nesse caso, fica bastante visível que a declaração a: inteiro; está dentro do bloco de declaração de variáveis. Portanto, a declaração a: inteiro cria uma variável com identificador a do tipo inteiro. Após declarar a variável a, é necessário executar os comandos presentes no corpo principal do algoritmo. Entretanto, no nosso segundo algoritmo o corpo principal está vazio. Sendo assim, o algoritmo termina. Nós já sabemos como declarar uma variável na linguagem algorítmica. Mas, como é possível ler ou alterar o valor dessa variável? As duas formas mais comuns para alterar o conteúdo de uma variável são: 1. através de uma atribuição; 2. através de um comando de entrada. Vamos ver agora como fazer uma atribuição. Mais tarde, vamos ver como os comandos de entrada funcionam.

4 Uma atribuição é feita através do símbolo " ". Através desse símbolo é possível armazenar um valor (possivelmente resultado de uma expressão aritmética, como veremos logo a seguir) em uma variável. Vamos modificar o nosso segundo algoritmo para que ele armazene o valor 10 na variável a: 01 Algoritmo terceiro; 04 a: inteiro; a 10; 08 } O algoritmo acima possui um único comando dentro do corpo principal do algoritmo, esse comando é a atribuição na linha 07 (repare no símbolo ). Nesse caso, o valor 10 está sendo atribuído à variável a. Em português lê-se "a recebe 10". Como foi declarado, a variável de identificador a é uma variável que pode receber valores inteiros. Na linha 07, essa variável passará a ter como conteúdo o valor 10. Uma atribuição segue sempre a mesma sintaxe. À esquerda do símbolo de atribuição ( ) deve ser colocado o identificador de um variável. Essa variável irá receber o valor especificado à direita do símbolo de atribuição. Como veremos na próxima seção, pode-se utilizar, no lado direiro da atribuição, uma expressão matemática. Isso faz com que o programa possa realizar alguns cálculos matemáticos e atribuir o resultado à variável. Até agora nós somente sabemos como atribuir um valor a uma variável. Mais interessante seria se nós pudessemos realizar cálculos matemáticos com essas variáveis. Esse é o assunto da próxima seção. Expressões Aritméticas Podemos fazer um algoritmo que utilize as variáveis para realizar cálculos, como se o computador fosse uma calculadora. Por exemplo, podemos calcular a média anual de um estudante a partir de 4 notas bimestrais. O algoritmo ficaria assim: 01 Algoritmo Média; 04 B1, B2, B2, B4: real; 05 Média: real; B1 7; // Nota da primeira prova bimestral: 7 09 B2 5; // Nota da segunda prova bimestral: 5 10 B3 8; // Nota da terceira prova bimestral: 8 11 B4 7; // Nota da quarta prova bimestral: 7 12 Média (B1 + B2 + B3 + B4) / 4;

5 13 } O algoritmo acima possui algumas novidades. Na linha 04 são declaradas 4 variáveis inteiras. Repare que para não repetir 4 vezes a mesma declaração "nome da variável: inteiro", nós podemos fazer uma simplificação e declarar na mesma linha as quatro variáveis. Isso é válido para qualquer número de variáveis e qualquer tipo. Entretanto, todas as variáveis declaradas na mesma linha precisam ser necessariamente do mesmo tipo. As linhas 08, 09, 10 e 11 fazem quatro atribuições às variáveis B1, B2, B3 e B4, respectivamente. B1, B2, B3, e B4 são as variáveis que armazenam as quatro notas bimestrais dos respectivos bimestres. Outra novidade são os textos iniciados por duas barras diagonais (//). Esses textos são chamados de comentários, e a sua função é simplesmente explicar algo para a pessoa que está lendo o algoritmo. Um comentário nunca é levado em consideração pelo algoritmo. A sua função é unicamente tornar o algoritmo mais simples de ser entendido pelas pessoas que o lêem. Um comentário inicia por // e se estende até o final da linha. Uma segunda forma fazer um comentário é colocar o texto entre os caracteres /* e */. Por exemplo: /* Nota da primeira prova bimestral: 7 */ Na linha 12 é atribuído à variável Média um valor resultante da expressão aritmética: (B1 + B2 + B3 + B4) / 4 Essa expressão aritmética precisa primeiro ser avaliada, ou seja, é necessário fazer os cálculos para ver qual valor resulta dessa expressão. Dado os valores das variáveis, o algoritmo realiza o seguinte cálculo. ( ) / 4 Essa expressão resulta no valor 6,75. Por fim, esse valor é atribuído à variável Média. Repare que o valor 6,75 não é um valor inteiro. Portanto a variável Média não pode ser uma variável do tipo inteiro, mas sim uma variável do tipo real, exatamente como está declarado na linha 05. Existem vários tipos de operações que podem ser realizadas através de expressoões aritméticas. Para realizar essas operações é necessário conhecer os operadores aritmétidos da linguagem algorítmica. Eles são: + (adição); - (subtração); * (multiplicação); / (divisão); div (divisão inteira);

6 % (resto de divisão inteira). Você já deve estar acostumado com as operações de adição, subtração, multiplicação e divisão. Mas, o que são as operações divisão inteira e resto de divisão inteira? Divisão inteira (operador div) calcula uma divisão entre dois números inteiros, mas o resultado fica restrito à parte inteira do quociente. Por exemplo: Mas, 7 / 2 = 3,5 7 div 2 = 3 O operador resto de divisão inteira (%), faz, de certa forma, a operação complementar a operação de divisão inteira. Esse operador realiza uma divisão inteira e retorna o resto dessa divisão. Portanto: 7 % 2 = 1 Não é permitido omitir o operador de multiplicação, como é feito normalmente nos textos de matemática. Isso é feito para evitar confusões com os identificadores das variáveis. Na matemática a expressão AB+C quer dizer "multiplique A por B e some com C", mas na linguagem algorítmica AB pode ser entendido como um identificador de uma variável. Portanto, é obrigatório escrever A*B+C. Na linguagem algorítmica, os operadores possuem uma relação de prioridade entre si. Essa relação de prioridade está resumida na tabela a seguir: Prioridade Operador 1ª * / div % 2ª + - Para modificar a precedência dos operadores, basta utilizar parênteses. Por exemplo: (2 + 7) * (5 + 5) Na expressão acima, as parcelas (2 + 7) e (5 + 5) serão calculadas primeiro, resultando em 9 e 10. Só então a multiplicação será calculada, resultando em 90. Voltando ao algoritmo que calcula a média anual de um estudante, ele ainda pode ser melhorado. Por exemplo, o algoritmo não é capaz de informar ao usuário qual foi o resultado da média calculada. Para fazer isso, é necessário utilizar os comandos de entrada e saída. Esse é o assunto da próxima seção.

7 Comandos de Entrada e Saída É importante que um algoritmo tenha mecanismos de comunicação com o usuário. As formas mais simples de fazê-lo é escrever mensagens na tela do computador e ler valores do teclado. Em linguagem algorítmica, os comandos utilizados para essas finalidades são os comandos escreva e leia. O comando escreva é um comando de saída. Na sua forma mais simples, esse comando permite que mensagens ou valores de variáveis sejam impressos na tela do computador. Toda mensagem a ser impressa na tela deve estar entre aspas. Por exemplo: escreva("olá mundo"); imprime a mensagem "Olá mundo" na tela do computador. É possível imprimir também valores de variáveis, como por exemplo: escreva(média); Nesse caso, o valor da variável Média é impresso na tela. Repare que o identificador da variável Média não está entre aspas. Isso indica que o valor da variável Média deve ser impresso na tela, e não a mensagem "Média". Podemos, então, refazer o nosso algoritmo de cálculo da média anual de forma que o algoritmo informe ao usuário qual foi o resultado do cálculo da média anual: 01 Algoritmo Média; 04 B1, B2, B2, B4: real; 05 Média: real; B1 7; // Nota da primeira prova bimestral: 7 09 B2 5; // Nota da segunda prova bimestral: 5 10 B3 8; // Nota da terceira prova bimestral: 8 11 B4 7; // Nota da quarta prova bimestral: 7 12 Média (B1 + B2 + B3 + B4) / 4; 13 escreva(média); 14 } Ao algoritmo anterior foi adicionada apenas a linha 13, a qual utiliza o comando de saída escreva para escrever na tela do computador a valor da variável Média. Ainda, é possível mesclar mensagens e valores de variáveis em um mesmo comando escreva, para isso basta separar as mensagens e os nomes de variáveis com vírgulas, como por exemplo:

8 escreva("o valor da sua média anual é ", Média); Com isso, o nosso algoritmo ficaria ainda mais fácil de ser utilizado pelo usuário. Podemos, portanto, modificar a linha 13 para escrever a mensagem anterior, o algoritmo ficaria assim: 01 Algoritmo Média; 04 B1, B2, B2, B4: real; 05 Média: real; B1 7; // Nota da primeira prova bimestral: 7 09 B2 5; // Nota da segunda prova bimestral: 5 10 B3 8; // Nota da terceira prova bimestral: 8 11 B4 7; // Nota da quarta prova bimestral: 7 12 Média (B1 + B2 + B3 + B4) / 4; 13 escreva("o valor da sua média anual é ", Média); 14 } Esse algoritmo imprime na tela do computador a mensagem: O valor da sua média anual é 6,75 O nosso algoritmo ainda possui um defeito. Ele calcula a média sempre sobre os mesmos valores das notas bimestrais. Seria bem mais interessante se esses valores pudessem ser fornecidos pelo usuário. Dessa forma, a cada execução do algoritmo, o usuário informaria quais são os valores das suas provas bimestrais. Para fazer isso é necessário utilizar o comando de entrada leia. Ele permite que informações externas (do teclado, por exemplo) sejam entradas em um algoritmo. Na sua forma mais simples o comando leia possui a seguinte sintaxe: leia(<identificador da variável>); Sendo que <identificador da variável> deve ser substituído por um identificador de uma variável declarada no algoritmo. Quando o comando leia é executado, a execução do algoritmo pára e fica esperando o usuário digitar um valor seguido da tecla ENTER. Enquanto o usuário não digita um valor seguido de ENTER o algoritmo não irá prosseguir. Tão logo o usuário digite um valor seguido da tecla ENTER, o valor digitado é automaticamente armazenado na variável especificada entre os parênteses do comando leia. É possível alterar o nosso algoritmo de cálculo da média de forma que ele leia os valores das provas bimestrais do teclado, ao invés do programador atribuir esses valores diretamente no programa. Assim o usuário será capaz de fornecer diferentes valores para as notas das provas bimestrais, a cada execução do algoritmo. O algoritmo fica assim:

9 01 Algoritmo Média; 04 B1, B2, B2, B4: real; 05 Média: real; leia(b1); // Nota da primeira prova bimestral 09 leia(b2); // Nota da segunda prova bimestral 10 leia(b3); // Nota da terceira prova bimestral 11 leia(b4); // Nota da quarta prova bimestral 12 Média (B1 + B2 + B3 + B4) / 4; 13 escreva("o valor da sua média anual é ", Média); 14 } Nesse último algoritmo, o usuário será responsável por fornecer os valores das notas bimestrais. Quando o comando leia, na linha 08, é executado, o computador pára a execução e fica esperando o usuário digitar um valor no teclado. Vamos supor que o usuário digite 10. O valor 10 é então atribuído à variável B1. Na seqüência, são executados os comandos leia nas linhas 09, 10 e 11. Para cada comando leia o usuário terá que digitar um valor. Vamos supor que ele digite 5 para o comando leia na linha 09, 4 para o comando leia na linha 10 e 9 para o comando leia na linha 11. Então as variáveis B1, B2, B3 e B4 terão os seguintes valores: B1 = 10 B2 = 5 B3 = 4 B4 = 9 Na linha 12 é calculada a média anual. Essa média será: (B1 + B2 + B3 + B4) / 4 = ( ) / 4 = 7 Portanto, o valor 7 é atribuído na linha 12 à variável Média. Por fim, o comando escreva, na linha 13, irá escrever na tela do computador a seguinte mensagem: E o algoritmo termina. O valor da sua média anual é 7 Um último melhoramento no nosso algoritmo de calcular a média anual. Repare que o algorimo não informa ao usuário o que deve ser feito. Seria mais interessante se o algoritmo escrevesse na tela do computador mensagens que indicassem o que o usuário deve fazer. Como por exemplo: Entre com o valor da sua primeira nota bimestral: E assim por diante. Vamos então modificar o nosso algoritmo para escrever mensagens de ajuda ao usuário:

10 01 Algoritmo Média; 04 B1, B2, B2, B4: real; 05 Média: real; escreva("entre com o valor da primeira nota bimestral: "); 09 leia(b1); // Nota da primeira prova bimestral 10 escreva("entre com o valor da segunda nota bimestral: "); 11 leia(b2); // Nota da segunda prova bimestral 12 escreva("entre com o valor da terceira nota bimestral: "); 13 leia(b3); // Nota da terceira prova bimestral 14 escreva("entre com o valor da quarta nota bimestral: "); 15 leia(b4); // Nota da quarta prova bimestral 16 Média (B1 + B2 + B3 + B4) / 4; 17 escreva("o valor da sua média anual é ", Média); 18 } Dicas Quando você criar os seus algorimtos lembre-se: Utilize sempre identificadores sugestivos. Evite, por exemplo, chamar as variáveis que armazenam as notas bimestrais de X, Y, Z, W, pois esses identificadores não são sugestivos das funcionalidades dessas variáveis no algoritmo. Sempre comente os seus algoritmos. Utilize os comentários para facilitar o entendimento do algoritmo. Mantenha o seu algoritmo sempre legível. Evite escrevê-lo totalmente em letra maiúsculas. Utilize a indentação para mostrar que certos comandos fazem parte de blocos de comandos, por exemplo. Resumo Algumas coisas que você deve lembrar da aula de hoje: Uma variável possui um identificador (nome), um tipo e um valor. O nome da variável é utilizado para ler ou modificar o valor dessa variável. O tipo da variável limita os valores que podem ser atribuídos à ela. Por exemplo, uma variável do tipo inteiro somente pode receber valores inteiros. Os comandos de entrada e saída permitem que o programa se comunique com o mundo exterior. Em linguagem algorítmica o comando leia permite ler valores do teclado e atribuir esses valores às variáveis. O comando escreva escreve mensagens e valores de variáveis na tela do computador. Expressões aritméticas fazem com o um algoritmo faça cálculos aritméticos. Esses cálculos podem envolver valores, variáveis e operadores, entre outras coisas.

11 Exercícios 1. Faça um algoritmo que leia dois números, calcule e escreva na tela a soma, a multiplicação, a divisão e a subtração desses números. 2. Faça um algoritmo que leia dois valores: base e altura. Calcule e escreva na tela as áreas do retângulo (base * altura) e do triângulo (base * altura) / Faça um algoritmo que leia três valores do teclado, os quais correspondem a uma determinada hora (hora, minuto e segundo). Calcule e imprima na tela, quantos segundos a partir da hora zero, correspondem a hora fornecida pelo usuário.

Algoritmo e Programação Matemática

Algoritmo e Programação Matemática Algoritmo e Programação Matemática Fundamentos de Algoritmos Parte 1 Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Dados A funcionalidade principal de um computador

Leia mais

[]: ;

<identificador>[<tamanho>]: <tipo>; Vetores e Constantes Imagine uma situação na qual fosse necessário armazenar 100 valores para processamento. Por exemplo, pode ser necessário armazenar as notas de 100 provas de uma turma de alunos. Uma

Leia mais

CONCEITOS DE ALGORITMOS

CONCEITOS DE ALGORITMOS CONCEITOS DE ALGORITMOS Fundamentos da Programação de Computadores - 3ª Ed. 2012 Editora Prentice Hall ISBN 9788564574168 Ana Fernanda Gomes Ascênsio Edilene Aparecida Veneruchi de Campos Algoritmos são

Leia mais

BCC Introdu c ao ` a Programa c ao Portugol Guillermo C amara-ch avez UFOP 1/35

BCC Introdu c ao ` a Programa c ao Portugol Guillermo C amara-ch avez UFOP 1/35 BCC 201 - Introdução à Programação Portugol Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/35 Introdução I Lógica A lógica é usada no dia a dia das pessoas que trabalham com computação para solucionar problemas de forma

Leia mais

Material Didático Unificado. Variáveis correspondem a nomes para endereços de memória que são gerenciados pelo Scilab.

Material Didático Unificado. Variáveis correspondem a nomes para endereços de memória que são gerenciados pelo Scilab. Universidade Federal de Ouro Preto -UFOP Departamento de Computação - DECOM Comissão da Disciplina Programação de Computadores I CDPCI Programação de Computadores I BCC701 www.decom.ufop.br/bcc701 Material

Leia mais

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 1

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 1 AULA 5 EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 1 5.1 Operadores aritméticos Os operadores aritméticos definem as operações aritméticas que podem ser realizadas sobre os números inteiros e reais. Para os inteiros,

Leia mais

Linguagem C: Introdução

Linguagem C: Introdução Linguagem C: Introdução Linguagem C É uma Linguagem de programação genérica que é utilizada para a criação de programas diversos como: Processadores de texto Planilhas eletrônicas Sistemas operacionais

Leia mais

Conceitos Básicos de Algoritmos

Conceitos Básicos de Algoritmos Conceitos Básicos de Algoritmos 35 TIPOS PRIMITIVOS Palavra-reservada: inteiro - define variáveis numéricas do tipo inteiro, ou seja, sem casas decimais Palavra-reservada: real - define variáveis numéricas

Leia mais

Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos. PET Computação - UFPR September 2016

Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos. PET Computação - UFPR September 2016 Mini apostila de Python - Oficina de Vestibulandos PET Computação - UFPR September 2016 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Obtenção e Instalação 3 3 Variáveis 3 4 Operações Matemáticas 5 5 Entrada de Dados 6 6

Leia mais

Apêndice A. Pseudo-Linguagem

Apêndice A. Pseudo-Linguagem Apêndice A. Pseudo-Linguagem Apostila de Programação I A.1 Considerações Preliminares Os computadores convencionais se baseiam no conceito de uma memória principal que consiste de células elementares,

Leia mais

Programação de Computadores I Dados, Operadores e Expressões PROFESSORA CINTIA CAETANO

Programação de Computadores I Dados, Operadores e Expressões PROFESSORA CINTIA CAETANO Programação de Computadores I Dados, Operadores e Expressões PROFESSORA CINTIA CAETANO Dados em Algoritmos Quando escrevemos nossos programas, trabalhamos com: Dados que nós fornecemos ao programa Dados

Leia mais

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza.

Fundamentos de Programação. Turma CI-240-EST. Josiney de Souza. Fundamentos de Programação Turma CI-240-EST Josiney de Souza josineys@inf.ufpr.br Agenda do Dia Aula 3 (12/08/15) Saídas Entradas Operadores Atribuição Aritméticos Expressões Aritméticas Saída Permite

Leia mais

Português Estruturado

Português Estruturado Português Estruturado Português Estruturado Para que o algoritmo possa ser executado por uma máquina é importante que as instruções sejam corretas e sem ambigüidades. O português estruturado é, na verdade,

Leia mais

Lógica de Programação I. Gilson de Souza Carvalho

Lógica de Programação I. Gilson de Souza Carvalho Gilson de Souza Carvalho gaucho.gilson@hotmail.com 1. Estruturas básicas Apresentaremos um resumo com os comandos estudados para criação de algoritmos. Para utilizar estes comandos, usaremos uma sintaxe

Leia mais

5. Expressões aritméticas

5. Expressões aritméticas 5. Expressões aritméticas 5.1. Conceito de Expressão O conceito de expressão em termos computacionais está intimamente ligado ao conceito de expressão (ou fórmula) matemática, onde um conjunto de variáveis

Leia mais

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados

ALGORITMOS 3ª Aula. 3. Introdução Tipos de dados, variáveis e operadores Tipos de dados 3. Introdução Segundo alguns especialistas, qualquer programa de computador pode ser escrito utilizando apenas três estruturas básicas: Seqüência, Condição e Repetição. Isto significa que, na construção

Leia mais

Fábio Rodrigues / Israel Lucania

Fábio Rodrigues / Israel Lucania Fábio Rodrigues / Israel Lucania Variável é um local na memória principal, isto é, um endereço que armazena um conteúdo. Em linguagem de alto nível nos é permitido dar nomes a esse endereço, facilitando

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Pampa Campus-Bagé Algoritmos e Programação Aula 2 - Elementos fundamentais de Algoritmos, Conceitos de Varíaveis Prof. Julio Saraçol juliodomingues@unipampa.edu.br Slide1 Aula de

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução As estruturas de repetição, permitem executar mais de uma vez um mesmo trecho de código. Trata-se de uma forma de executar blocos de comandos somente sob determinadas

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java

Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Algoritmos I Aula 13 Linguagem de Programação Java Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação IDE Eclipse IDE (Integrated development environment) Criar um projeto

Leia mais

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 2

EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 2 AULA 6 EXPRESSÕES ARITMÉTICAS PARTE 2 6.1 Operadores aritméticos sobre os reais Como vimos na aula anterior, os operadores aritméticos definem as operações aritméticas que podem ser realizadas sobre os

Leia mais

Introdução a Programação de Jogos

Introdução a Programação de Jogos Introdução a Programação de Jogos Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO 1 Tipos de dados Inteiro São os números pertencentes ao conjunto dos Inteiros, isto é, que

Leia mais

Unidade 5: Introdução à Programação com C/C++

Unidade 5: Introdução à Programação com C/C++ Lógica de Programação para Engenharia 1 Unidade 5: Introdução à Programação com C/C++ Prof. Daniel Caetano Objetivo: Explicitar os elementos básicos envolvidos na programação com a linguagem C/C++. Bibliografia:

Leia mais

Introdução a Algoritmos - Revisão

Introdução a Algoritmos - Revisão Introdução a Algoritmos - Revisão O computador é uma máquina capaz de seguir uma certa espécie de algoritmos, chamados programas Ele possui uma memória, capaz de armazenar dados, e uma unidade aritmética,

Leia mais

Variáveis e Entrada de Dados Marco André Lopes Mendes marcoandre.googlepages.

Variáveis e Entrada de Dados Marco André Lopes Mendes  marcoandre.googlepages. Variáveis e Entrada de Dados Marco André Lopes Mendes marcoandre@ifc-araquari.edu.br marcoandre@gmail.com marcoandre.googlepages.com Algoritmos é a base Primeiro programa Este programa possui apenas uma

Leia mais

Professora Martha Spalenza Professora de Informática da Faetec

Professora Martha Spalenza Professora de Informática da Faetec Algoritmos em Estrutura seqüencial 1. Tipos de dados São quatro os tipos básicos de dados, e podem assumir os seguintes valores válidos: - números inteiros: -,, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3,, + ; - números reais:

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 ALGORITMOS Profª ª Danielle Casillo ALGORITMOS Um algoritmo é uma sequência de instruções

Leia mais

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves.

Conceitos Básicos. Professor: Juliano Lucas Gonçalves. Conceitos Básicos Professor: Juliano Lucas Gonçalves juliano.goncalves@ifsc.edu.br Agenda Revisão Algoritmos Memória, variáveis e constantes Estrutura básica de um algoritmo em pseudocódigo 2 O que já

Leia mais

Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada e Saída básica

Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada e Saída básica Universidade Federal de Ouro Preto -UFOP Departamento de Computação - DECOM Programação de Computadores I BCC701 www.decom.ufop.br/moodle Ambiente Scilab Variáveis, expressões, comando de atribuição Entrada

Leia mais

Programação: Vetores

Programação: Vetores Programação de Computadores I Aula 09 Programação: Vetores José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/62 Motivação Problema Faça um programa que leia

Leia mais

Aula 10: Introdução a Vetores e Matrizes

Aula 10: Introdução a Vetores e Matrizes Aula 10: Introdução a Vetores e Matrizes Fernanda Passos Universidade Federal Fluminense Programação de Computadores IV Fernanda Passos (UFF) Vetores e Matrizes Programação de Computadores IV 1 / 50 Agenda

Leia mais

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Conhecendo a Linguagem C Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Variáveis e tipos Variáveis são simplesmente posições de memória que o compilador aloca ao programa Mas quantas posições

Leia mais

Variável. Expressões. Atribuição. Tipos básicos Declaração. Aritméticas Lógicas. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes

Variável. Expressões. Atribuição. Tipos básicos Declaração. Aritméticas Lógicas. Professor Leandro Augusto Frata Fernandes Programação de Computadores III Aula 3 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

Introdução à Programação em C. Prof. Ricardo Teixeira Tecnologia em Mecatrônica Industrial SENAI

Introdução à Programação em C. Prof. Ricardo Teixeira Tecnologia em Mecatrônica Industrial SENAI Introdução à Programação em C Prof. Ricardo Teixeira Tecnologia em Mecatrônica Industrial SENAI Linguagem C Criada em 1972 para uso no LINUX; Sintaxe base para diversas outras (Java, JavaScript, PHP, C++,

Leia mais

PORTUGUÊS ESTRUTURADO: INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO PROF. ALEXANDRO DOS SANTOS SILVA

PORTUGUÊS ESTRUTURADO: INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO PROF. ALEXANDRO DOS SANTOS SILVA PORTUGUÊS ESTRUTURADO: INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO PROF. ALEXANDRO DOS SANTOS SILVA SUMÁRIO Introdução Conceitos básicos Formato básico Tipos primitivos Variáveis Constantes Operadores Operações

Leia mais

Desenvolvimento de programas. Análise do problema. Análise do problema. Análise do problema. Desenvolvimento do algoritmo. Codificação do programa

Desenvolvimento de programas. Análise do problema. Análise do problema. Análise do problema. Desenvolvimento do algoritmo. Codificação do programa Desenvolvimento de programas 1 Análise do problema Desenvolvimento do algoritmo Codificação do programa Compilação e execução Teste e depuração Análise do problema 2 Conhecer exatamente o que o problema

Leia mais

Ambiente de desenvolvimento

Ambiente de desenvolvimento Linguagem C Ambiente de desenvolvimento Um programa em C passa por seis fases até a execução: 1) Edição 2) Pré-processamento 3) Compilação 4) Linking 5) Carregamento 6) Execução Etapa 1: Criação do programa

Leia mais

1 ESTRUTURA SEQUENCIAL

1 ESTRUTURA SEQUENCIAL Noções de Programação de Computadores Prof. Eduardo 1 1 ESTRUTURA SEQUENCIAL algoritmo Nome_do_algoritmo declaração de variáveis variáveis inicio bloco de comandos; fim_algoritmo 1.1 Declaração de variáveis

Leia mais

ERROS MAIS COMUNS EM ALGORITMOS

ERROS MAIS COMUNS EM ALGORITMOS 1/6 ERROS MAIS COMUNS EM ALGORITMOS Marcos Portnoi Última atualização: 17/5/2005 Este documento compila alguns erros mais comuns cometidos na confecção de algoritmos pelos estudantes de introdução a algoritmos.

Leia mais

TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS

TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS AULA 3 TIPOS DE DADOS E VARIÁVEIS 3.1 Tipos de dados Os dados manipulados por um algoritmo podem possuir natureza distinta, isto é, podem ser números, letras, frases, etc. Dependendo da natureza de um

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3. Revisão Estrutura de Decisão Se Então

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3. Revisão Estrutura de Decisão Se Então CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3 Revisão Estrutura de Decisão Se Então Revisão da aula anterior 1. Variáveis 2. Estrutura de um Algoritmo 3. Operadores 4. Visualg Variável Revisão da aula anterior É

Leia mais

Introdução a Programação

Introdução a Programação Introdução a Programação Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula 02 Primeiro Programa Roteiro Primeiros Passos Variáveis Expressões Comandos

Leia mais

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Métodos Computacionais. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Métodos Computacionais Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a escrever um programa em C que pode realizar cálculos Conceito de expressão Tipos de

Leia mais

Pseudolinguagem. BC0501 Linguagens de Programação t2 Aula 11. Prof. Alysson Ferrari ufabc.edu.br

Pseudolinguagem. BC0501 Linguagens de Programação t2 Aula 11. Prof. Alysson Ferrari ufabc.edu.br BC0501 Linguagens de Programação - 2008t2 Aula 11 Pseudolinguagem Prof. Alysson Ferrari alysson.ferrari @ ufabc.edu.br http://fma.if.usp.br/~alysson baseado em material elaborado por: Marcelo Zanchetta

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3. Revisão Estrutura de Decisão Se Então

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3. Revisão Estrutura de Decisão Se Então CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 3 Revisão Estrutura de Decisão Se Então Revisão da aula anterior 1. Variáveis 2. Estrutura de um Algoritmo 3. Operadores 4. Portugol Studio Variável Revisão da aula anterior

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo

Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Apresentação da ferramenta de programação. Comandos de entrada e saída Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Linguagem C A linguagem

Leia mais

Programação de Computadores I Introdução. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa

Programação de Computadores I Introdução. Prof. Ramon Figueiredo Pessoa Programação de Computadores I Introdução Prof. Ramon Figueiredo Pessoa 1 Conceitos Básicos O computador só consegue: Armazenar dados em disco Imprimir Relatórios gerar gráficos realizar cálculos 5 4 3

Leia mais

Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C. Profa. Elaine Faria UFU

Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C. Profa. Elaine Faria UFU Aula 5 Oficina de Programação Introdução ao C Profa. Elaine Faria UFU - 2017 Linguagem de Programação Para que o computador consiga ler um programa e entender o que fazer, este programa deve ser escrito

Leia mais

Aula 3 Conceitos de memória, variáveis e constantes Cleverton Hentz

Aula 3 Conceitos de memória, variáveis e constantes Cleverton Hentz Aula 3 Conceitos de memória, variáveis e constantes Cleverton Hentz Sumário de Aula } Conceito de Memória } Variáveis e Tipos de Dados } Constantes 2 Conceito de Memória } A memória de um computador é

Leia mais

Programação Aplicada à Engenharia

Programação Aplicada à Engenharia Universidade Federal Rural do Semi-Árido Departamento de Ciências Ambientais Programação Aplicada à Engenharia Aula 06: Introdução a C++ Silvio Fernandes 2009.1 1 História de C e C++ C++ é uma evolução

Leia mais

Programação de Computadores:

Programação de Computadores: Instituto de C Programação de Computadores: Introdução a Algoritmos (Parte II) Luis Martí Instituto de Computação Universidade ederal luminense lmarti@ic.uff.br - http://lmarti.com Roteiro da Aula de Hoje

Leia mais

CAPÍTULO III. Comandos de Atribuição, Entrada e Saída CAPÍTULO III COMANDO DE ATRIBUIÇÃO SINTAXE DO COMANDO DE ATRIBUIÇÃO EM ALGORITMOS

CAPÍTULO III. Comandos de Atribuição, Entrada e Saída CAPÍTULO III COMANDO DE ATRIBUIÇÃO SINTAXE DO COMANDO DE ATRIBUIÇÃO EM ALGORITMOS NB217 Algoritmos e Estruturas de Dados I Profa. Rosanna Mara Rocha Silveira Fevereiro/2012 - Versão 4.1 25 CAPÍTULO III COMANDO DE ATRIBUIÇÃO O comando de atribuição permite que se forneça um valor a uma

Leia mais

PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia

PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia PROGRAMAS BÁSICOS EM C++ Disciplina: Introdução à Ciência da Computação Prof. Modesto Antonio Chaves Universidade estadual do Sudoeste da Bahia Calculo da área de um triângulo Algoritmo Área Var base,

Leia mais

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo

Programação Básica. Estrutura de um algoritmo Programação Básica Estrutura de um algoritmo Código-fonte Como vimos na aula anterior um algoritmo pode ser representado usando um fluxograma Um algoritmo pode também ser representado usando texto Esse

Leia mais

Curso básico de JavaScript Aula 2

Curso básico de JavaScript Aula 2 Tópicos 1 JavaScript é case sensitive... 1 2 Comentários... 1 3 Saídas do JavaScript... 1 4 Entrada de dados usando window.prompt( )... 3 5 Variáveis... 3 1.1 Regras para criar uma variável... 3 6 Literais...

Leia mais

Working 03 : Conceitos Básicos II

Working 03 : Conceitos Básicos II Universidade Federal do Espirito Santo Centro Tecnologico Working 03 : Conceitos Básicos II Objetivos: Dominar a construção de estruturas de seleção em C; Aperfeiçoarse na resolução de problemas, da primeira

Leia mais

Conceitos básicos de algoritmos

Conceitos básicos de algoritmos Conceitos básicos de algoritmos Operadores Aritméticos Unários: +, - Exemplos: +1-5.9... var a: inteiro... a

Leia mais

Introdução à Linguagem Lua Variáveis e Expressões

Introdução à Linguagem Lua Variáveis e Expressões Introdução a Programação em Lua Introdução à Linguagem Lua Variáveis e Expressões 1 Tópicos Principais Programando em Lua Funções Variáveis Operadores e Expressões Entrada e Saída Exemplos 2 Programando

Leia mais

11 - Estrutura de um programa em C

11 - Estrutura de um programa em C 11 - Estrutura de um programa em C directivas para o compilador { main ( ) declarações instruções } -É possível utilizar comentários, exemplo: /* Comentário */ que não são traduzidos pelo compilador, pois

Leia mais

Capítulo 2 Operadores. A função scanf()

Capítulo 2 Operadores. A função scanf() Capítulo 2 Operadores A função scanf() A função scanf() é outra das funções de E/S implementadas em todos os compiladores e nos permite ler dados formatados da entrada padrão (teclado). Sintaxe: scanf(

Leia mais

Introdução à Computação (IC) Algoritmos: Comandos de entrada e saída

Introdução à Computação (IC) Algoritmos: Comandos de entrada e saída Introdução à Computação (IC) Algoritmos: Comandos de entrada e saída Prof.ª Dr.ª Symone Gomes Soares Alcalá Universidade Federal de Goiás (UFG) Regional Goiânia (RG) Campus Aparecida de Goiânia (CAP) Faculdade

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) Estruturas Condicionais e de Repetição 1 Comando while Deseja-se calcular o valor de: 1 + 2 + 3 +... + N. Observação: não sabemos, a priori, quantos termos

Leia mais

Exercícios: Comandos de Repetição

Exercícios: Comandos de Repetição Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação - FACOM Lista de exercícios de programação em linguagem C Exercícios: Comandos de Repetição 1. Faça um programa que determine o mostre os

Leia mais

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes

Introdução à Programação. Introdução a Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Introdução Variáveis Tipos de dados Operadores e Expressões: Operadores

Leia mais

Resolução de Algoritmos

Resolução de Algoritmos Resolução de Algoritmos Disciplina: Algoritmos e Programação Luciano Moraes Da Luz Brum Universidade Federal do Pampa Unipampa Campus Bagé Email: lucianobrum18@gmail.com Tópicos Resolução dos exercícios

Leia mais

ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PRÉ AULA PRÉ AULA 31/08/2015

ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PRÉ AULA PRÉ AULA 31/08/2015 ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com PRÉ AULA De acordo com a sua compreensão acerca da representação das fórmulas

Leia mais

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores

Variáveis, Tipos de Dados e Operadores ! Variáveis, Tipos de Dados e Operadores Engenharias Informática Aplicada 2.o sem/2013 Profa Suely (e-mail: smaoki@yahoo.com) VARIÁVEL VARIÁVEL É um local lógico, ligado a um endereço físico da memória

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO. Matrizes. Prof. Alex Camargo UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS BAGÉ ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO Matrizes Prof. Alex Camargo alexcamargoweb@gmail.com Definição Matriz é uma variável composta homogênea multidimensional. Conjunto de

Leia mais

Constantes, Variáveis, tipos de dados e expressões

Constantes, Variáveis, tipos de dados e expressões FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre Constantes, Variáveis, tipos de dados e expressões Rafael Barbosa Neiva rafael@prodados.inf.br Variáveis Como referenciar e recuperar

Leia mais

INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 -

INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 - INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO - EPET006 - Heleno Pontes Bezerra Neto - helenopontes@lccv.ufal.br Introdução ao MATLAB Tipos Primitivos 3. TÓPICOS PRELIMINARES Tipos Primitivos - ATÉ AGORA TRABALHAMOS NO MATLAB

Leia mais

Comandos em C (cont.)

Comandos em C (cont.) Comandos em C (cont.) Operador ternário:? O operador condicional possui uma opção um pouco estranha. É o único operador C que opera sobre três expressões. Sua sintaxe geral possui a seguinte construção:

Leia mais

Variáveis primitivas e Controle de fluxo

Variáveis primitivas e Controle de fluxo Variáveis primitivas e Controle de fluxo Material baseado na apostila FJ-11: Java e Orientação a Objetos do curso Caelum, Ensino e Inovação, disponível para download em http://www.caelum.com.br/apostilas/

Leia mais

Algoritmos e Lógica de Programação. Prof. Marcos Antonio Estremoe. 1 - Faça um programa que imprima a frase: Bem Vindo à Engenharia Firb 2014.

Algoritmos e Lógica de Programação. Prof. Marcos Antonio Estremoe. 1 - Faça um programa que imprima a frase: Bem Vindo à Engenharia Firb 2014. Algoritmos e Lógica de Programação Prof. Marcos Antonio Estremoe 1 - Faça um programa que imprima a frase: Bem Vindo à Engenharia Firb 2014. 2 - Faça um programa que imprima a palavra Bem Vindo à Engenharia

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Parte 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

01/08/2011. Tipos de dados Numéricos Alfanuméricos Lógicos. Numéricos. Tipos de dados. Dados Numéricos Inteiros. Dados Numéricos Reais.

01/08/2011. Tipos de dados Numéricos Alfanuméricos Lógicos. Numéricos. Tipos de dados. Dados Numéricos Inteiros. Dados Numéricos Reais. Engenharia de Controle e Automação Programação I Prof. Ricardo Sobjak ricardo.sobjak@ifsc.edu.br Tipos de dados Numéricos Alfanuméricos Lógicos Tipos de dados Os tipos de dados primitivos ou básicos são

Leia mais

Disciplina de Algoritmos e Programação

Disciplina de Algoritmos e Programação Disciplina de Algoritmos e Programação Aula Passada Prática com declaração e inicialização de variáveis Capacidade de representação (estouro de representação) Tamanho ocupado pela variável na memória (comando

Leia mais

Fluxogramas. Leandro Tonietto ago-09

Fluxogramas. Leandro Tonietto ago-09 Fluxogramas Leandro Tonietto ltonietto@unisinos.br ago-09 Introdução Planejar, modelar e projetar primeiro, depois fazer (programar). Maiores chances de sucesso na programação Facilita a resolução, pois

Leia mais

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo

Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Lógica e Linguagem de Programação Convertendo um algoritmo em pseudocódigo para a linguagem C Professor: Danilo Giacobo Este documento explica como transformar um algoritmo escrito na forma pseudocódigo

Leia mais

Aula 3. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética.

Aula 3. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética. Objetivos Sequências de escapes ; Um aplicativo que adiciona inteiro; Aritmética. Sequências de escape \n Nova linha. Posiciona o cursor de tela no início da próxima linha. \t Tabulação horizontal. Move

Leia mais

Exercícios: Vetores e Matrizes

Exercícios: Vetores e Matrizes Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação - FACOM Lista de exercícios de programação em linguagem C Exercícios: Vetores e Matrizes 1 Vetores 1. Faça um programa que possua um vetor

Leia mais

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I

Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF Programação I Introdução à Algoritmos INF 1005 e INF1004 - Programação I Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática 1 Algoritmo: Conceito Sequência finita e não ambígua de passos para a solução de

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS. 2) Explique a diferença entre algoritmo computacional e não computacional.

LISTA DE EXERCÍCIOS. 2) Explique a diferença entre algoritmo computacional e não computacional. LISTA DE EXERCÍCIOS 1) Qual a definição de lógica de programação? 2) Explique a diferença entre algoritmo computacional e não computacional. 3) Qual a definição de instruções em computação? 4) Qual a definição

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4

Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1. Estruturas Básicas. Aula Tópico 4 Algoritmos e Estruturas de Dados I (DCC/003) 2013/1 Estruturas Básicas Aula Tópico 4 1 Problema 3 Exibir o maior número inteiro que pode ser representado no computador. 2 Qual o maior número inteiro? Para

Leia mais

4ª Lista de Exercícios de Programação I

4ª Lista de Exercícios de Programação I 4ª Lista de Exercícios de Programação I Instrução As questões devem ser implementadas em C. 1. Faça um algoritmo que leia 10 valores inteiros armazenando-os em um vetor e depois calcule a soma dos valores

Leia mais

LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO

LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO LINGUAGEM C: COMANDOS DE REPETIÇÃO Prof. André Backes ESTRUTURAS DE REPETIÇÃO Uma estrutura de repetição permite que uma sequência de comandos seja executada repetidamente, enquanto determinadas condições

Leia mais

Algoritmos: Conceitos Fundamentais. Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza

Algoritmos: Conceitos Fundamentais. Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza Algoritmos: Conceitos Fundamentais Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza DADOS E EXPRESSÕES Uso da Informação Computador manipula informações contidas em sua memória. Classificadas

Leia mais

Sabe-se que as unidades de entrada e saída são dos dispositivos que possibilitam a comunicação entre o usuário e o computador.

Sabe-se que as unidades de entrada e saída são dos dispositivos que possibilitam a comunicação entre o usuário e o computador. Comandos de entrada e saída Sabe-se que as unidades de entrada e saída são dos dispositivos que possibilitam a comunicação entre o usuário e o computador. Seja a seguinte situação: No início da execução

Leia mais

Aula 4 Estruturas Condicionais

Aula 4 Estruturas Condicionais Departamento de Sistemas de Computação Universidade de São Paulo SSC 600 Introdução a Ciência de Computação I Aula 4 Estruturas Condicionais Seiji Isotani, Rafaela V. Rocha sisotani@icmc.usp.br rafaela.vilela@gmail.com

Leia mais

INTRODUÇÃO A ALGORITMOS

INTRODUÇÃO A ALGORITMOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA RIO GRANDE DO NORTE Campus João Câmara INTRODUÇÃO A ALGORITMOS Prof. Alba Lopes alba.lopes@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/albalopes INTRODUÇÃO

Leia mais

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa:

Algoritmos. Algoritmos. Linguagem de programação. Conceitos. Conceitos. Conceitos. Sintaxe do comando para incluir bibliotecas no programa: Algoritmos Algoritmos Leandro Tonietto Unisinos ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto/inf/pg1/algoritmosi_java.pdf Mar-2008 Possuem sintaxe flexível e são mais úteis para descrição

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 03 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo OPERADORES Um operador é um símbolo

Leia mais

CAPÍTULO 5 - UMA LINGUAGEM ALGORÍTMICA

CAPÍTULO 5 - UMA LINGUAGEM ALGORÍTMICA 5.1 - INTRODUÇÃO CAPÍTULO 5 - UMA LINGUAGEM ALGORÍTMICA Até agora, escrevemos alguns algoritmos utilizando uma linguagem com caráter narrativo. Nós praticamente contamos a história das ações praticadas

Leia mais

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente:

Vetores. e o programa deverá ler os valores separadamente: Vetores Vetor é um tipo de dado usado para representar uma certa quantidade de variáveis de valores homogêneos (do mesmo tipo). Imagine o seguinte problema: calcular a média das notas da prova de 5 alunos.

Leia mais

Introdução ao VisuALG

Introdução ao VisuALG Introdução ao VisuALG Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda VisuALG: Introdução ao VisuALG; Apresentação do Software; Entrada, Processamento e Saída; Depuração; Comandos de Condições

Leia mais

Capítulo 10. MATRIZES

Capítulo 10. MATRIZES Capítulo 10. MATRIZES OBJETIVOS DO CAPÍTULO Conceitos de: conjunto multidimensional (matriz), ciclo implícito, ciclo duplo Comandos do FORTRAN: DIMENSION(:,:), MATMUL 10.1 programa10a.f90 Para inicializar

Leia mais

EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I

EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I EXERC EXAME DISCIPLINA: ALG ESTRUTURA DE DADOS I CURSO: ENG CIVIL PROFESSOR: ANDRÉ LUÍS DUARTE PERÍODO 1º BIMESTRE 1 1) Identifique as afirmações como verdadeira (V) ou falsa (F): a) Existem três tipos

Leia mais

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos.

Apostila de Fortran. É uma pseudo-linguagem a qual oferece recursos para que o programador possa codificar e testar os seus algoritmos. Apostila de Fortran Fortran Uma das linguagens de programação mais velhas, o FORTRAN foi desenvolvido por uma equipe de programadores conduzida por John Backus na IBM, e foi primeiramente publicada em

Leia mais

ESTRUTURA CONDICIONAL E SELEÇÃO

ESTRUTURA CONDICIONAL E SELEÇÃO Algoritmos e Estruturas de Dados 1 Prof. Eduardo 1 ESTRUTURA CONDICIONAL E SELEÇÃO 1 - ESTRUTURA CONDICIONAL (ESTRUTURAS DE CONTROLE OU DECISÃO) Até o momento da disciplina vimos algoritmos e programas

Leia mais