(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo"

Transcrição

1 1. A fertilização é o evento que decorre a partir do encontro dos gametas masculino e feminino. No trato reprodutivo da fêmea bovina em qual local ocorre a fertilização? (a) Útero (b) Tuba uterina (c) Ovários (d) Cervix (e) Vagina 2. Os gametas são células produzidas com a finalidade de reproduzir uma espécie ou individuo. Na espécie bovina, onde são produzidos os gametas masculinos e femininos respectivamente? (a) Testículos e útero (b) Testículos e Tuba uterina (c) Epidídimo e ovários (d) Próstata e cervix (e) Testículo e Ovarios. 3. Vacas não prenhes e saudáveis apesentam cios regulares e frequentes. Qual o intervalo médio normal entre cios? (a) 5 dias (b) 10 dias (c) 21 dias (d) 28 dias (e) 32 dias 4. Qual o período de gestação médio de uma fêmea bovina da raça holandesa. (a) 210 dias (b) 240 dias (c) 260 dias (d) 280 dias (e) 295 dias 5. Uma vaca mesmo prenha pode manifestar cio? Qual das alternativas abaixo melhor responde a questão? (a) Não, é impossível pois a placenta produz progesterona. (b) Não, pois o feto impede que isso ocorra. (c) Sim, após prenhes as vacas manifestam cios regulares. (d) Sim, é o popularmente conhecido como cio do encabelamento. Ocorre entre o 4 e o sexto mês de gestação. (e) Nenhuma das respostas anteriores. 6. Cerca de 15% dos cios são diagnosticados erroneamente. Qual sinal nos dá a certeza de que a vaca realmente esta em cio? (a) Aceitação da monta (b) Montar sobre as outras

2 (c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a monta controlada? (a) Melhoramento genético (b) redução de custo com compra e manutenção de touros (c) utilização de genética provada. (d)aumentar a concepção das vacas (e)nenhuma das respostas anteriores 8. O sêmen bovino utilizado para inseminação artificial deve ser descongelado em água em que faixa de temperatura? (a) 18 C a 20 C (b)28 C a 30 C (c) 35 C a 37 C (d) 39 C a 41 C (e) Nenhuma das expostas anteriores 9. Na técnica de inseminação artificial qual o correto local de deposição do sêmen no trato reprodutivo da vaca? (a) Vagina (b) Cérvix (c ) No início do corpo uterino (d) Apenas no corno uterino direito (e) Na tuba uterina 10. Uma vaca foi visualizada em cio pela manhã. Esta deve ser inseminada: (a) Na mesma manhã (b) Na tarde do mesmo dia (c) Na manhã do dia seguinte (d) Na tarde do dia seguinte (e) Esta não deve ser inseminada, pois ela já ovulou

3 11. Para conservar o sêmen bovino congelado este deve ser mantido em botijões com nitrogênio líquido. O nível de nitrogênio deve ser monitorado frequentemente. Qual o nível mínimo de nitrogênio aceitável para que não haja comprometimento na viabilidade do sêmen. (a) 2,0 cm (b) 4, 0 cm (c ) 8,0 cm (d) 15 cm (e) 20 cm 12. Após descongelamento do sêmen, a inseminação deve se realizada o mais rápido possível. A partir de quantos minutos ocorrem perdas substanciais na viabilidade do sêmen (a) 2 minutos (b) 5 minutos (c ) 8 mintos (d) 10 minutos (e) 15 minutos 13. A técnica de inseminação artificial em tempo fixo consiste em: (a) administração de hormônios para sincronizar a onda folicular e o exato momento da ovulação permitindo inseminar as vacas em um horário pré determinado (b) escolher um horário para visualizar o cio todos os dias para inseminação (c) esperar um tempo fixo após o descongelamento do sêmen para depositar o mesmo no trato reprodutivo da vaca. (d) fixar um horário todos os dias para realizar a inseminação artificial (e) NENHUMA DAS RESPOSTA ANTEIORES 14. Qual a principal vantagem da IATF em relação a observação de cio. (a)aumentar a taxa de serviço, ou seja inseminar um maior numero de vacas no mesmo período (b) aumentar a concepção da IA (c) diminuir a mão de obra (d)economizar doses de sêmen (e)melhoramento genético

4 15. A forma mais eficiente de monitorar o desempenho reprodutivo de um sistema de produção de leite é através da taxa de prenhes. A taxa de prenhes é igual a taxa de concepção multiplicada pela taxa de serviço. O que é taxa de serviço? (a) O número de vacas inseminadas dividido pelo número de vacas prenhes no período de 21 dias (b) O número de vacas que se tornaram gestantes dividido pelo número de vacas elegíveis de se tornarem gestante no período de 21 dias (c) O número de vacas inseminadas dividido pelo número de vacas elegíveis de se tornarem gestante no período de 21 dias (d)o número de vacas prenhes dividido pelo número de vacas inseminadas. (e) nenhuma das respostas anteriores 16. Quais dos fatores abaixo não afeta a eficiência reprodutiva de rebanhos leiteiros? (a) nutrição (b) estresse térmico (c) Técnica de inseminação (d)conforto animal (e) nenhuma das repostas anteriores 17. O sêmen bovino pode ser comercialmente congelado em palhetas de 0,25 e 0,5ml. Quantos segundos, no mínimo, as palhetas de 0,5 devem permanecer na água a temperatura ideal para seu completo descongelamento. (a) 5 segundos (b) 15 segundos (c) 20 segundos (d)30 segundos (e) 1 minuto 18. As centrais de produção de sêmen para inseminação artificial mantém touros geneticamente provados e superiores. Em sua rotinas de coleta de sêmen como estas empresas realizam esse procedimento. (a) puncionando o epidídimo. (b)simulando uma monta com o manequim e utilizando vagina artificial (c) sempre através de eletro ejaculador

5 (d) Contendo os touros em bretes (e) por palpação retal 19. Quais dos procedimentos abaixo descrevem melhor a técnica de inseminação? (a)visualização da vaca em cio, contenção da mesma, palpação para puxar e visualizar se o muco esta claro e cristalino, descongelamento da dose de sêmen próximo a vaca, higienização da vulva, inserção do aplicador na vagina, passar a cervix e deposição do sêmen (b)escolher as vacas, palpação para puxar e visualizar se o muco esta claro e cristalino, descongelamento da dose de sêmen próximo a vaca, higienização da vulva, inserção do aplicador na vagina, passar a cervix e deposição do sêmen (c) Visualização da vaca em cio, contenção da mesma, palpação para puxar e visualizar se o muco esta claro e cristalino, descongelamento da dose de sêmen próximo a vaca, inserção do aplicador na vagina, passar a cervix e deposição do sêmen. (d) Visualização da vaca em cio, contenção da mesma, palpação para puxar e visualizar se o muco esta claro e cristalino, descongelamento da dose de sêmen próximo a vaca, higienização da vulva, inserção do aplicador na vagina e depositar o sêmen (e) Visualização da vaca em cio, contenção da mesma, palpação para puxar e visualizar se o muco esta claro e cristalino, descongelamento da dose de sêmen a temperatura ambiente, higienização da vulva, inserção do aplicador na vagina, passar a cervix e deposição do sêmen 20. Existem varias técnicas cirúrgicas para se realizarem os rufiões. Todas as técnicas impedem que esses machos realizem a cópula com as fêmeas. Qual a principal finalidade da adoção desses animais no sistema de cria. (a) para que os rufiões emprenhem as vacas (b) aumentar a taxa de detecção de cio para inseminar mais vacas (c) estimular o cio (d) Aumentar a concepção das vacas (e) Vacas necessitam da presença do macho 21. Qual o hormônio responsável pela manifestação do cio? (a)estrogênio (b)progesterona (c)fsh (d)lh (e)gnrh

6 22. Qual o hormônio responsável pela manutenção da gestação? (a)estrogênio (b)progesterona (c)fsh (d)lh (e)gnrh 23. Qual o efeito de uma reprodução eficiente dentro dos sistemas de produção de leite e corte? (a)redução do intervalo entre partos (b) aumento do número de bezerros produzidos por ano (c)diminuição de descartes (d)aumento de produtividade (e)todas as alternativas acima. 24. O fenômeno de freemartin é produzido quando? (a) ocorrem partos gemelares de casal ( fêmea e macho) (b) ocorrem partos gemelares de dois machos (c) ocorrem partos gemelares de duas fêmeas (d) ocorrem partos distócicos (e) ocorrem partos naturais 25. Ao examinar o muco de uma vaca após visualização do cio, um inseminador observou a presença de sangue. Qual das alternativas abaixo melhor explica a presença de sangue no muco vaginal? (a) O muco sempre tem sangue. A vaca deve ser inseminada. (b) é a chamada hemorragia do metaestro, ocorre em alguns animais porém dentro da normalidade. Indica que a ovulação esta próxima de ocorrer ou já ocorreu. A vaca não deve ser inseminada. (c) Sempre relacionada a infecção uterina. A vaca não deve ser inseminada. (d)as fêmeas bovinas também apresentam hemorragias antes do cio. (e)nenhuma das respostas anteriores

7 1=B 2=E 3=C 4=D 5=D 6=A 7=D 8=C 9=C 10=B 11=D 12=E 13=A 14=A 15=C 16=E 17=D 18=B 19=A 20=B 21=A 22=B 23=E 24=A 25=B

8

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/27 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/27 Introdução PIB (pecuária): 21

Leia mais

ABS NEO. Genética Matinha. O futuro que começou há 40 anos inova mais uma vez.

ABS NEO. Genética Matinha. O futuro que começou há 40 anos inova mais uma vez. P R O N T O P A R A Q U E M Q U E R M A I S ABS NEO Genética Matinha O futuro que começou há 40 anos inova mais uma vez. P R O N T O P A R A Q U E M Q U E R M A I S CONHEÇA O ABS NEO Já são 75 anos conquistando

Leia mais

Manejo Reprodutivo em Suínos. Rafael Ulguim

Manejo Reprodutivo em Suínos. Rafael Ulguim Manejo Reprodutivo em Suínos Rafael Ulguim Reposição Oportunistas Creche Recria / Terminação Abate Parto Desmame Estro Parto Ciclo produtivo da porca Lactação IDE Gestação 18-25 dias 3-7 dias 114 dias

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Manejo reprodutivo em bovinos

Manejo reprodutivo em bovinos Manejo reprodutivo em bovinos Índices Zootécnicos Bovinos de corte Atual Preconizado Natalidade 60% 75-80% Desmame 55% 76% Idade ao primeiro parto Intervalo entre partos 21 meses Bovinos de leite 48 meses

Leia mais

MGA Premix. Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte. Mauro Meneghetti

MGA Premix. Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte. Mauro Meneghetti MGA Premix Praticidade e retorno comprovado na sincronização de cio de gado de corte Mauro Meneghetti mauro.menghetti@pfizer.com Pré-Monta + MGA Premix: Um novo conceito em sincronização de vacas de corte

Leia mais

Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF. Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa

Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF. Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa INTRODUÇÃO Questionamentos ligados à reprodução: O que é O que é mais economicamente viável,

Leia mais

CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA

CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA 1 CONTROLE ZOOTÉCNICO - TÉCNICA EFICIENTE E NECESSÁRIA O mercado de leite no Brasil é historicamente conhecido por apresentar tendências instáveis e impondo, principalmente, estreitas margens ao produtor.

Leia mais

Criação de Novilhas Leiteiras

Criação de Novilhas Leiteiras Criação de Novilhas Leiteiras Introdução Tópicos Objetivos da criação de novilhas Estimativa do número de novilhas no rebanho Manejo da Novilha Considerações Econômicas (Criar ou Terceirizar?) Salvador,

Leia mais

Reprodução e Melhoramento

Reprodução e Melhoramento 2015, Hugo Novo e Laura Moura Animais em estado natural: 1 gestação/ano, parto a Primavera (crescimento dos dias, aumento de temperatura, maior produção vegetal) Animais domesticados: gestação em qualquer

Leia mais

JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO?

JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO? JÁ IMAGINOU UMA SOLUÇÃO COM 100% DE MELHORAMENTO GENÉTICO PRONTA PARA ACELERAR O FUTURO DO SEU REBANHO? DESEMPENHO PRODU TIVI DADE A ABS está lançando um novo conceito no mercado de genética bovina: o

Leia mais

III SEMINÁRIO CRUZAMENTO ANGUS

III SEMINÁRIO CRUZAMENTO ANGUS III SEMINÁRIO CRUZAMENTO ANGUS Fazenda Ponte Queimada Proprietário: Eduardo Musa de Freitas Guimarães 08 DE AGOSTO DE 2014 Dados da Propriedade: Localização: Barra do Garças MT; Área total: 2379 hectares;

Leia mais

Ano Lectivo 2009/2010

Ano Lectivo 2009/2010 Ano Lectivo 2009/2010 Feito por: Carlos Grilo Caracteres sexuais primários e secundários.3 Sistema reprodutor masculino.4 Sistema reprodutor feminino.5 Ciclo ovário.5 Ciclo uterino.7 Fecundação 9 Caracteres

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO Anatomia Genitália externa: pênis e bolsa escrotal; Órgãos reprodutores internos: testículos culos, epidídimos dimos, ductos(deferente, ejaculador e uretra) e as glândulas

Leia mais

reprodução PR. Introduçãoo agropecuária são importante alternativa de desenvolvimento necessidades da população fêmeas em uma importância produção.

reprodução PR. Introduçãoo agropecuária são importante alternativa de desenvolvimento necessidades da população fêmeas em uma importância produção. ANAIS DA I MOSTRA CIENTÍFICA DE BUIATRIA WORKSHOP EM BOVINOS, URUGUAIANA, 2015 M MANEJO REPRODUTIVO ESTRATÉGICO EM FÊMEAS BOVINAS DE CORTE Sá Filho MF 1, Pessoa GA 2, Leivas FG 3, Marques MO 4, Vieira

Leia mais

Uma simples técnica para detectar metrite

Uma simples técnica para detectar metrite Uma simples técnica para detectar metrite Stephanie Stella, Anne Rosi Guadagnin, Angelica Petersen Dias, and Dr. Phil Cardoso Não existem dúvidas que o parto é uma situação estressante para a vaca e seu

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL Daniel Cardoso PqC do Pólo Regional do Noroeste Paulista/APTA danielcardoso@apta.sp.gov.br 1. Introdução O Brasil possui

Leia mais

Treinamento: Bovinocultura de corte (manejo e sanidade) Cód. 403

Treinamento: Bovinocultura de corte (manejo e sanidade) Cód. 403 SISTEMAS DE PRODUÇÃO 1. SISTEMA EXTENSIVO: Quando os animais são criados extensivamente, no pasto, só são trazidos para o centro de manejo para a práticas zootécnicas (vacinações, castrações, brincagem).

Leia mais

Avaliação e caracterização do perfil da genitália feminina de bovinos Nelore e mestiços do oeste goiano.

Avaliação e caracterização do perfil da genitália feminina de bovinos Nelore e mestiços do oeste goiano. Avaliação e caracterização do perfil da genitália feminina de bovinos Nelore e mestiços do oeste goiano. Beatriz Barbosa Coutinho 1 (IC)*, Joyce Caroliny dos Santos Lopes 1 (PG), Camila da Silva Castro

Leia mais

AULA 06 MANEJO REPRODUTIVO DOS SUÍNOS

AULA 06 MANEJO REPRODUTIVO DOS SUÍNOS AULA 06 MANEJO REPRODUTIVO DOS SUÍNOS O Processo Reprodutivo Característica importantes dos seres vivos, determinante para sua capacidade em reproduzir. A Eficiência Reprodutiva Medida pelo número de leitões

Leia mais

Maneio reprodutivo de caprinos. Carlos M.V. Bettencourt CEBA/DRAPAL - Herdade da Abóbada

Maneio reprodutivo de caprinos. Carlos M.V. Bettencourt CEBA/DRAPAL - Herdade da Abóbada Maneio reprodutivo de caprinos Carlos M.V. Bettencourt CEBA/DRAPAL - Herdade da Abóbada VII Jornadas da Cabra Serpentina Portel, 2009 + ETAPAS DO PROCESSO PRODUTIVO Nascimento Puberdade Concepção Gestação

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE CRESCIMENTO Michel A. Wattiaux Babcock Institute

CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE CRESCIMENTO Michel A. Wattiaux Babcock Institute Instituto Babcock para Pesquisa e Desenvolvimento da Pecuária Leiteira Internacional University of Wisconsin-Madison Essenciais em Gado de Leite CRIAÇÃO DE NOVILHAS DESMAMA AO PRIMEIRO PARTO 34) TAXA DE

Leia mais

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO

MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO MAIORES PRODUTORES DE LEITE DO MUNDO Anualpec, 2010 1 O - UNIÃO EUROPÉIA (27) 2 O - ÍNDIA 3 O - EUA 4 O - RÚSSIA 5 O - CHINA 6 O - BRASIL PRODUÇÃO MUNDIAL DE LEITE PERSPECTIVA MAIORES PRODUTORES DE LEITE

Leia mais

De criadores e técnicos, para técnicos e criadores

De criadores e técnicos, para técnicos e criadores De criadores e técnicos, para técnicos e criadores Haste revestida com silicone especial, que proporciona a liberação controlada da progesterona. DESIGN R INOVADO Patente requerida Estrutura com resistência

Leia mais

1 Corte em seres humanos 2 Diferenças entre os sexos 2.1 Sistema reprodutor masculino 2.2 Sistema reprodutor feminino 3 Fecundação 3.

1 Corte em seres humanos 2 Diferenças entre os sexos 2.1 Sistema reprodutor masculino 2.2 Sistema reprodutor feminino 3 Fecundação 3. 1 Corte em seres humanos 2 Diferenças entre os sexos 2.2 Sistema reprodutor feminino 3 Fecundação 3.1 Gêmeos 4 Gestação e nascimento 5 Gravidez na adolescência e sexo responsável 5.1 Métodos contraceptivos

Leia mais

BOVINOCULTURA LEITEIRA

BOVINOCULTURA LEITEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE VETERINÁRIA DISCIPLINA DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO BOVINOCULTURA LEITEIRA Aluno: Éverton Eicholz Storch Orientador Acadêmico: Marcio Nunes Corrêa Orientador

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR EU BIOLOGIA

SISTEMA REPRODUTOR EU BIOLOGIA SISTEMA REPRODUTOR EU BIOLOGIA Sistema Genital Feminino Ovários: produção de óvulos e hormônios (estrógeno e progesterona) Tuba uterina: durante a ovulação, recolhe o óvulo e conduz até o útero Útero:

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR HUMANO. Prof. Me. Cristino Rêgo 8º ANO Ensino Fundamental II

SISTEMA REPRODUTOR HUMANO. Prof. Me. Cristino Rêgo 8º ANO Ensino Fundamental II SISTEMA REPRODUTOR HUMANO Prof. Me. Cristino Rêgo 8º ANO Ensino Fundamental II SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO FUNÇÕES BÁSICAS Produção de gametas (espermatogênese) Produção de hormônio (testosterona) Condução

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Utilização de sêmen sexado em protocolos de IATF. Luciano Bastos Lopes

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Utilização de sêmen sexado em protocolos de IATF. Luciano Bastos Lopes PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Utilização de sêmen sexado em protocolos de IATF Luciano Bastos Lopes Médico Veterinário Doutor em Ciência Animal Resumo A inseminação artificial

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. DISCIPLINA: Ciências da natureza SÉRIE: 8º. ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. DISCIPLINA: Ciências da natureza SÉRIE: 8º. ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2016 No Anhanguera você é + PROFESSOR: Mário Neto DISCIPLINA: Ciências da natureza SÉRIE: 8º ALUNO(a): Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Sistema reprodutor masculino e feminino: origem, organização geral e histologia

Sistema reprodutor masculino e feminino: origem, organização geral e histologia Sistema reprodutor masculino e feminino: origem, organização geral e histologia CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DOS SISTEMAS TEGUMENTAR, LOCOMOTOR E REPRODUTOR Profa. Msc. Ângela Cristina Ito Sistema reprodutor

Leia mais

SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO COM ANÁLAGO DE PROSTAGLANDINA F2a RELATO DE CASO

SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO COM ANÁLAGO DE PROSTAGLANDINA F2a RELATO DE CASO SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO COM ANÁLAGO DE PROSTAGLANDINA F2a RELATO DE CASO BRUM, Valeska Anhanha 1 ; DURIGON, Raquel 1 ; BORGES, Luiz Felipe Kruel 2 Palavras-Chave: Bovinos. Cio. Cloprostenol. Introdução

Leia mais

Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym Christine de Freitas Cardoso, Anelise Ribeiro Peres, Fabiana Ferreira de Souza

Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym Christine de Freitas Cardoso, Anelise Ribeiro Peres, Fabiana Ferreira de Souza AVALIAÇÃO DA ESTERILIZAÇÃO APÓS A OCLUSÃO DOS VASOS SANGUÍNEOS OVARIANOS DE COELHAS UTILIZANDO ELÁSTICO DE AFASTAR OS DENTES OU ABRAÇADEIRAS DE NÁILON Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym

Leia mais

Características da vaca O que esperar de uma vaca. que afetam a economia. de produção de leite. leiteira. Vidal Pedroso de Faria.

Características da vaca O que esperar de uma vaca. que afetam a economia. de produção de leite. leiteira. Vidal Pedroso de Faria. Características da vaca O que esperar de uma vaca que afetam a economia leiteira de produção de leite Vidal Pedroso de Faria vpdfaria@gmail.com A responsabilidade das vacas em lactação na fazenda leiteira

Leia mais

MANEJO REPRODUTIVO EM SUÍNOS - RECOMENDAÇÕES BASICAS

MANEJO REPRODUTIVO EM SUÍNOS - RECOMENDAÇÕES BASICAS 1 MANEJO REPRODUTIVO EM SUÍNOS - RECOMENDAÇÕES BASICAS 2 Procedimentos para a detecção do cio É importante estabelecer um procedimento padrão para a atividade de diagnóstico de cio, obedecendo uma rotina

Leia mais

P R O N T O P A R A Q U E M Q U E R M A I S CONHEÇA O ABS NEO Já são 75 anos conquistando a confiança e o respeito do mercado de melhoramento genético bovino. E é com a credibilidade dessa história que

Leia mais

REVISÃO BIBLIOGRAFICA DA TÉCNICA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF)

REVISÃO BIBLIOGRAFICA DA TÉCNICA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) REVISÃO BIBLIOGRAFICA DA TÉCNICA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) Guilherme Vieira Rodrigues Graduando em Medicina Veterinária, Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Lauriellen Lohayne

Leia mais

2) Observe o esquema. Depois, seguindo a numeração, responda às questões. C) Onde a urina é armazenada antes de ser eliminada do corpo?.

2) Observe o esquema. Depois, seguindo a numeração, responda às questões. C) Onde a urina é armazenada antes de ser eliminada do corpo?. Professor: Altemar Santos. Exercícios sobre os sistemas urinário (excretor), reprodutores masculino e feminino e fecundação para o 8º ano do ensino fundamental. 1) Analise o esquema: Identifica-se pelas

Leia mais

Profª LETICIA PEDROSO

Profª LETICIA PEDROSO Profª LETICIA PEDROSO É composto por : Dois ovários Sistema reprodutor Duas tubas uterinas Útero Vagina Vulva (órgão genital externo). Tem como função secretar o óvulo (célula sexual) e abrigar e fornecer

Leia mais

URI:http://hdl.handle.net/ /25612

URI:http://hdl.handle.net/ /25612 Sexagem de sémen Autor(es): Publicado por: URL persistente: Fernandes, Joana Rita Carvalho; Rodrigues, Paulo Publindústria URI:http://hdl.handle.net/10316.2/25612 Accessed : 1-Jul-2017 22:41:08 A navegação

Leia mais

TRICOMONIASE GENITAL BOVINA

TRICOMONIASE GENITAL BOVINA TRICOMONIASE GENITAL BOVINA VERA LUCIA TEIXEIRA DE JESUS UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA SEROPÉDICA/RJ INTRODUÇÃO TRICOMONIASE GENITAL BOVINA Tritrichomoniasis é uma doença a sexualmente transmissível em

Leia mais

Nestlé GUIA TÉCNICO. Controles zootécnicos. Registros de produção e reprodução contribuem para o sucesso na atividade

Nestlé GUIA TÉCNICO. Controles zootécnicos. Registros de produção e reprodução contribuem para o sucesso na atividade Nestlé Controles zootécnicos Registros de produção e reprodução contribuem para o sucesso na atividade Ano 1 Número 6 Out./Nov. 2014 GUIA TÉCNICO Eficiência e qualidade na produção leiteira Nesta Edição

Leia mais

ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA. M.S. Cássio Cassal Brauner FAEM-UFPel

ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA. M.S. Cássio Cassal Brauner FAEM-UFPel ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA M.S. Cássio Cassal Brauner Prof. DZ-FAEM FAEM-UFPel ENDOCRINOLOGIA REPRODUTIVA Endocrinologia é parte das ciências médicas que trata da secreção das glândulas internas (hormônios)

Leia mais

Guia de Utilização Bovinfor

Guia de Utilização Bovinfor Guia de Utilização Bovinfor ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA ESTAÇÃO DE APOIO À BOVINIVULTURA LEITEIRA BOVINFOR O BOVINFOR é a Base de Dados Nacional para o armazenamento da informação produtiva, reprodutiva

Leia mais

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS Prof. Dr. Jurandir Ferreira da Cruz Eng. Agr. Rita de Cássia Nunes Ferraz Introdução A eficiência da produção de um rebanho está diretamente relacionada com o número

Leia mais

ANATOMIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

ANATOMIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO ANATOMIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Estruturas do Sistema Reprodutor Feminino Gônadas - Ovários Genitais - Ovidutos - Útero - Vagina - Vestíbulo - Vulva KÖNIG, 2002 Cada componente do trato reprodutivo

Leia mais

MANEJO REPRODUTIVO NOVILHAS. David R. Rocha

MANEJO REPRODUTIVO NOVILHAS. David R. Rocha MANEJO REPRODUTIVO NOVILHAS David R. Rocha Manejo reprodutivode de novilhas NOS SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE LEITE:??? venda, engorda, reprodutor, rufião, etc. CRIA E RECRIA Manejo reprodutivode de novilhas

Leia mais

Sistema Intensivo de Produção de leite da Embrapa Pecuária Sudeste

Sistema Intensivo de Produção de leite da Embrapa Pecuária Sudeste Pecuária Sudeste Minitério da Agricultura, Pecuária e Abasteciment

Leia mais

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008 MANEJO E EVOLUÇÃO DE REBANHO DE BOVINOS DE CORTE Prof. Dr. Cássio C. Brauner Prof. Dr. Marcelo A. Pimentel Departamento de Zootecnia FAEM -UFPel Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em

Leia mais

Flushing. Flushing 07/04/2014. Aspectos reprodutivos dos suínos. Aspectos reprodutivos dos suínos

Flushing. Flushing 07/04/2014. Aspectos reprodutivos dos suínos. Aspectos reprodutivos dos suínos DIESTRO 14 dias Corposlúteosmaduros prod.progesterona Útero recebe óvulos fertilizados embriões Fêmeanão-prenhe luteóliseerecomeçodo ciclo Flushing > aportede energiaparaa fêmea10 diasantes dadata prevista

Leia mais

1.1 Revisão de tópicos da morfologia e fisiologia do sistema genital feminino, sob o aspecto clínico nas diferentes espécies domésticas.

1.1 Revisão de tópicos da morfologia e fisiologia do sistema genital feminino, sob o aspecto clínico nas diferentes espécies domésticas. PROGRAMA PARA O CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DAS VAGAS PARA O CARGO DE PROFESSOR ADJUNTO, EDITAL Nº 764, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015, NA ÁREA DE REPRODUÇÃO ANIMAL 1) FÊMEA - PARTE TEÓRICA: 1.1 Revisão

Leia mais

Reprodução humana. Aula 01. Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese. Espermatogênese Ovogênese UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA

Reprodução humana. Aula 01. Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese. Espermatogênese Ovogênese UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA Reprodução humana UNIDADE 3 ESPÉCIE HUMANA Sistema genital masculino Sistema genital feminino Gametogênese CAPÍTULO 11 Espermatogênese Ovogênese Aula 01 1. SISTEMA GENITAL MASCULINO ÓRGÃOS DO SISTEMA GENITAL

Leia mais

Manejo Reprodutivo Dra. Fernanda Bovino

Manejo Reprodutivo Dra. Fernanda Bovino Manejo Reprodutivo Dra. Fernanda Bovino Manejo reprodutivo Orientar o produtor Organizar/ aumentar a produtividade Utilização racional do rebanho Ampliação do rebanho É o conjunto de medidas votadas para

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1806-9193 Dezembro, 2008 Documentos 246 Reciclagem

Leia mais

Transmissão da Vida Bases morfológicas e fisiológicas da reprodução 1.2. Noções básicas de hereditariedade. Ciências Naturais 9ºano

Transmissão da Vida Bases morfológicas e fisiológicas da reprodução 1.2. Noções básicas de hereditariedade. Ciências Naturais 9ºano Ciências Naturais 9ºano Transmissão da Vida 1.1. Bases morfológicas e 1.2. Noções básicas de hereditariedade A partir da puberdade, as gónadas atingem a maturidade e começam a produzir gâmetas. Ovários

Leia mais

MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO. C. Otto de Sá e J. L. Sá

MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO. C. Otto de Sá e J. L. Sá MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO C. Otto de Sá e J. L. Sá Um dos maiores problemas na ovinocultura é a alta mortalidade de cordeiros. Quando muitos cordeiros morrem antes mesmo do desmame, o prejuízo do

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO E CRUZAMENTOS DE OVINOS

MELHORAMENTO GENÉTICO E CRUZAMENTOS DE OVINOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE ZOOTECNIA OVINOCULTURA MELHORAMENTO GENÉTICO E CRUZAMENTOS DE OVINOS André Gustavo Leão Dourados - MS, 09 de outubro de 2013

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Profª Talita Silva Pereira

SISTEMA REPRODUTOR. Profª Talita Silva Pereira SISTEMA REPRODUTOR Profª Talita Silva Pereira O sistema reprodutor masculino é formado: Testículos Vias espermáticas: epidídimo, canal deferente, uretra. Pênis e Escroto Glândulas anexas: próstata, vesículas

Leia mais

Custos de produção e Planejamento do rebanho

Custos de produção e Planejamento do rebanho Custos de produção e Planejamento do rebanho A estimativa dos custos de produção permite avaliar a viabilidade do negócio. Custo Operacional (CO) Despesas de custeio / produção de leite. Custo Operacional

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS

LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS P1-4º BIMESTRE 8º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Identificar as principais mudanças pelas quais o indivíduo passa

Leia mais

(O enunciado a seguir serve às questões 3 e 4).

(O enunciado a seguir serve às questões 3 e 4). QiD 2 8º ANO PARTE 4 CIÊNCIAS 1. (1,0) Cite a função dos testículos no aparelho reprodutor masculino. 2. (1,0) Até o fim da gravidez, o bebe fica envolvido por membranas protetoras e permanece mergulhado

Leia mais

Reprodução e Embriologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA

Reprodução e Embriologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Reprodução e Embriologia. Leonardo Rodrigues EEEFM GRAÇA ARANHA Ciclo Menstrual Menstruação - fluxo de sangue e restos de mucosa uterina periodicamente eliminados pela vagina. Ciclo Menstrual Menstruação

Leia mais

OVÁRIOS. Fonte de gametas e hormônios

OVÁRIOS. Fonte de gametas e hormônios OVÁRIOS Fonte de gametas e hormônios OVOGÊNESE No feto células germinativas multiplicamse ovogônias Cresce meiose I para na prófase I ovócito I nascimento milhares de ovócitos primários. Ovócito primário

Leia mais

CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DO SISTEMA REPRODUTOR ESTUDO DIRIGIDO 3

CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DO SISTEMA REPRODUTOR ESTUDO DIRIGIDO 3 CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS DO SISTEMA REPRODUTOR ESTUDO DIRIGIDO 3 1. (Unir-RO) Sobre a reprodução humana, todos os itens abaixo estão corretos, exceto: a) A fecundação ocorre no útero. b) A espermatogênese

Leia mais

FERNANDES, I. C. 1 ; MATOS, A. T. de².

FERNANDES, I. C. 1 ; MATOS, A. T. de². 8 ISSN: 23170336 INDUÇÃO HORMONAL EM NOVILHAS NULÍPARAS COM POSTERIOR PROTOCOLO DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO (IATF) COMO ALTERNATIVA PARA MAXIMIZAR A EFICIÊNCIA REPRODUTIVA FERNANDES, I. C.

Leia mais

Colheita e Avaliação Seminal

Colheita e Avaliação Seminal UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ FACULDADE DE VETERINÁRIA BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Colheita e Avaliação Seminal Vicente José de F. Freitas Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Mário Neto DISCIPLINA: Ciências da natureza SÉRIE: 8º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Aditivo Nutracêutico

Aditivo Nutracêutico Bem Vindos Dia de Campo Fazenda True Type Aditivo Nutracêutico Rico em Ácidos Graxos Essenciais Linolêico Ômega 6 Linolênico Ômega 3 Ação Reprodução Saúde Animal Fontes de Ômega-3 e 6 400g de ingestão

Leia mais

Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras

Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras Impacto do pré e pós parto no resultado produtivo e reprodutivo em fazendas leiteiras Rafael Augusto Águido Técnico da Equipe Leite Rehagro Consultor SEBRAE-CE Período de Transição O que é o período de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIENCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS EDITAL 107/2016 CAMPUS BAMBUI

Leia mais

O sistema reprodutor feminino. Os ovários e os órgãos acessórios. Aula N50

O sistema reprodutor feminino. Os ovários e os órgãos acessórios. Aula N50 O sistema reprodutor feminino. Os ovários e os órgãos acessórios. Aula N50 Sistema reprodutor feminino Ovários = produz óvulos Tubas uterinas = transportam e protegem os óvulos Útero = prove meio adequado

Leia mais

Início do Desenvolvimento Humano: 1ª Semana

Início do Desenvolvimento Humano: 1ª Semana Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia Início do Desenvolvimento Humano: 1ª Semana Prof. Msc. Macks Wendhell Gonçalves mackswenedhell@gmail.com Fertilização Normalmente o local

Leia mais

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO Este relatório tem por finalidade apresentar mensalmente os índices do rebanhos para o controle atual, medias dos últimos 12 meses e de 12 a 24

Leia mais

BA.23: Ciclo menstrual, gestação e parto BIOLOGIA

BA.23: Ciclo menstrual, gestação e parto BIOLOGIA ATIVIDADES 1. (FGV 2006) Trata-se de um líquido constituinte do esperma que apresenta aspecto leitoso e é alcalino, contribui para neutralizar a acidez das secreções vaginais além de promover um aumento

Leia mais

FAZENDA EXEMPLO / PROPRIETÁRIO EXEMPLO Estação: ESTACAO 2014/2015

FAZENDA EXEMPLO / PROPRIETÁRIO EXEMPLO Estação: ESTACAO 2014/2015 Tabela 01 - Taxa de Gestação ao final da estação de monta Lote Qtd. Animais Diag. Prenhas (%) Gestação Sem DG LOTE 01 J MULTIPARAS 09 100 100 89 89.00 0 LOTE 02 J MULTIPARAS 09 132 130 116 89.23 2 LOTE

Leia mais

DIAGNÓSTICO E VALIDAÇÃO DAS NORMAS DO PROGRAMA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO MUNICÍPIO DE DOIS VIZINHOS

DIAGNÓSTICO E VALIDAÇÃO DAS NORMAS DO PROGRAMA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO MUNICÍPIO DE DOIS VIZINHOS DIAGNÓSTICO E VALIDAÇÃO DAS NORMAS DO PROGRAMA DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL NO MUNICÍPIO DE DOIS VIZINHOS Thaís Caroline De Mello Loureiro 1*, Jean Carlo Possenti 2* [orientador], Edison Antonio Pin 3 1 Acadêmica

Leia mais

Sistema reprodutor masculino

Sistema reprodutor masculino Sistema reprodutor masculino O sistema reprodutor masculino é composto por: Testículos Vias espermáticas Glândulas anexas Pênis Saco escrotal Assim como o pênis está localizado externamente ao corpo,

Leia mais

TÉCNICAS DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS PARA O AUMENTO NA PRODUÇÃO DE LEITE

TÉCNICAS DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS PARA O AUMENTO NA PRODUÇÃO DE LEITE SAÚDE E AMBIENTE ISSN IMPRESSO 2316-3313 ISSN ELETRÔNICO 2316-3798 TÉCNICAS DE MELHORAMENTO GENÉTICO EM BOVINOS PARA O AUMENTO NA PRODUÇÃO DE LEITE Edineide da Silva Machado 1 João Marcos Cézar 1 Luciana

Leia mais

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Por que devemos nos preocupar com Eficiência Reprodutiva? Eficiência Reprodutiva

Leia mais

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras.

Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Influências da primiparidade no tamanho ao nascimento, crescimento, eixo somatotrófico e fertilidade em novilhas leiteiras. Apresentadores: Guilherme Nunes Bolzan Igor Santa Bárbara Araújo Orientação:

Leia mais

Tio Ton Ciências. Cap Gravidez e Parto

Tio Ton Ciências. Cap Gravidez e Parto Tio Ton Ciências Cap. 17 - Gravidez e Parto Reprodução É a capacidade de gerar descendentes, uma propriedade da vida que pode ser realizada de diferentes formas. Reprodução Assexuada Reprodução sexuada

Leia mais

3. ANATOMIA E FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS

3. ANATOMIA E FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS 3. ANATOMIA E FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS 3.1. Introdução Simone Cristina Méo Niciura I A aplicação de biotécnicas da reprodução animal, como a IA, requer o conhecimento da anatomia e da

Leia mais

Diapositivo 1. RL1 Raquel Lopes;

Diapositivo 1. RL1 Raquel Lopes; Biologia Humana 11º ano Escola Secundária Júlio Dinis Ovar BIOLOGIA HUMANA 11º ano TD Reprodução Humana??? raquelopes 09 raquelopes15@gmail.com RL1 Diapositivo 1 RL1 Raquel Lopes; 05-01-2009 Biologia Humana

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO Recria - Gestação Lactação Cachaço Msc. Daniela Junqueira Rodrigues Exigências nutricionais de fêmeas suínas 1. Linhagem 2. Estágio de desenvolvimento do animal 3. Consumo de ração

Leia mais

Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte

Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte Ferramentas de Impacto no Melhoramento de Gado de Corte Leonardo Souza Qualitas Consultoria Agropecuária BRAVO BEEF GOIÁS Médico Veterinário leo.nz@terra.com.br 62-3097-1030 62-3383-1170 62-9994-1165 Melhoramento

Leia mais

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O

A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O A g r u p a m e n t o d e E s c o l a s A n t ó n i o S é r g i o V. N. G a i a E S C O L A S E C U N D Á R I A / 3 A N T Ó N I O S É R G I O BIOLOGIA Módulo 1 12º CTec CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO DE

Leia mais

A DEP é expressa na unidade da característica avaliada, sempre com sinal positivo ou negativo:

A DEP é expressa na unidade da característica avaliada, sempre com sinal positivo ou negativo: Melhoramento Genético A contínua evolução da pecuária de corte faz com que a Marca OB, sempre presente na vanguarda da produção pecuária, oferece a seus clientes o que há de mais moderno em melhoramento

Leia mais

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda.

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Manejo reprodutivo Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Para produzir é preciso reproduzir!!! Eficiência Reprodutiva Rebanho Bovino Brasileiro Vacas e novilhas > 24

Leia mais

Introdução. Seleção de Reprodutores. Importância das Fêmeas. Importância dos Machos. O que selecionar. Como selecionar

Introdução. Seleção de Reprodutores. Importância das Fêmeas. Importância dos Machos. O que selecionar. Como selecionar Disciplina AZ044 - Suinocultura Seleção de Reprodutores Prof. Marson Bruck Warpechowski Introdução Reposição de plantel Substituição de descartes Melhoramento dos produtos Produção: reprodutores x leitões

Leia mais

Curso Online: Índices Zootécnicos: como calcular, interpretar, agir

Curso Online: Índices Zootécnicos: como calcular, interpretar, agir Texto Complementar 1a Raça Holandesa: Pontos fortes e limitações de hoje, oportunidades no futuro Prof. Dr. Rodrigo de Almeida UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Observação: Artigo publicado no site MilkPoint

Leia mais

A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E O IMPACTO NO MERCADO DA PECUÁRIA

A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E O IMPACTO NO MERCADO DA PECUÁRIA A INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL E O IMPACTO NO MERCADO DA PECUÁRIA Bruno da Cruz Bueno Resumo Este artigo tem o objetivo de mostrar o impulso que a inseminação artificial vem trazendo para o mercado de bovinos,

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 8º

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Mário Neto. DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 8º GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Mário Neto DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 8º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Manejo reprodutivo determina resultados econômicos

Manejo reprodutivo determina resultados econômicos Eficiência Manejo reprodutivo determina resultados econômicos Ed Hoffmann Madureira e José Rodrigo Valim Pimentel * A eficiência reprodutiva é um dado que interfere diretamente nos resultados econômicos

Leia mais

U6 - REPRODUÇÃO ES JOSÉ AFONSO 09/10 PROFª SANDRA NASCIMENTO

U6 - REPRODUÇÃO ES JOSÉ AFONSO 09/10 PROFª SANDRA NASCIMENTO U6 - REPRODUÇÃO ES JOSÉ AFONSO 09/10 PROFª SANDRA NASCIMENTO A reprodução sexuada implica a produção de células sexuais, a promoção do seu encontro e, finalmente, a sua fusão - Fecundação Gónadas Locais

Leia mais