Reprodução e Melhoramento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reprodução e Melhoramento"

Transcrição

1 2015, Hugo Novo e Laura Moura Animais em estado natural: 1 gestação/ano, parto a Primavera (crescimento dos dias, aumento de temperatura, maior produção vegetal) Animais domesticados: gestação em qualquer altura do ano, médias de 3 partos em 2 anos para rebanhos bem geridos. (Tendência de regresso à estação de partos natural.)

2 Fisiologia reprodutiva em ovelhas e cabras Nos países de elevada latitude, como nos países do Norte da Europa, tanto as ovelhas como as cabras, apresentam cios apenas numa época do ano. Esta época é controlada pelo fotoperíodo, quando os dias começam a decrescer, mas a raça e a nutrição das ovelhas também influenciam a duração da estação sexual.

3 Fisiologia reprodutiva em ovelhas e cabras À medida que vamos descendo em latitude e caminhamos para os trópicos, há menos variação da duração do dia, ovelhas e cabras tendem a reproduzir-se durante todo o ano.. Quando se deslocam ovelhas e cabras de zonas temperadas (latitude mais elevada) para os trópicos (latitudes mais baixas), gradualmente vão perdendo a sua estacionalidade reprodutiva e adquirem os padrões reprodutivos das raças do seu novo meio

4 Fisiologia reprodutiva em ovelhas e cabras Em Portugal, ovinos e caprinos, podem reproduzir-se em qualquer época do ano, ainda que mais facilmente numas que noutras. O outono é mais favorável, em termos reprodutivos, que a Primavera.

5 FILME: raças e cruzamentos ovinos

6 FILME: Raças e cruzamentos - ille de france

7 FILME: Ovinos Dorper seus cruzamentos

8 Puberdade e maturidade Em geral, os machos aos meses de idade e as fêmeas aos 9-10 meses. Dependendo da raça e do tipo de alimentação e maneio. Regra fácil é observar seu peso e só colocar a fêmea a acasalar quando ela atingir um mínimo de 70% do peso de uma fêmea adulta da mesma raça. A UTILIZAÇÃO DE FÊMEAS MUITO JOVENS PARA REPRODUÇÃO PODE PREJUDICAR O SEU CRESCIMENTO, O DESENVOLVIMENTO DA CRIA E AUMENTARÁ O RISCO DE PROBLEMAS DE PARTO.

9 Deteção de cios A duração média do cio na cabra é de 36 a 48 horas e na ovelha varia de 24 a 36 horas. A cabra entra no cio, em média, a cada 21 dias. A ovelha, entra em média, a cada 17 dias.

10 Deteção de cios Os principais sinais observados quando a cabra está no cio são: A vulva apresenta-se inchada e avermelhada, com a presença de muco esbranquiçado. Procura o macho com muito interesse. Monta e deixa-se montar por outras fêmeas ou pelo macho. Fica agitada, muito inquieta e berra com muita frequência. Abana a cauda repetidamente. Diminui o apetite. A ovelha apresenta os mesmos sinais de cio, porém bem mais discretos, a vulva apresenta-as inchada e avermelhada, com presença de muco e procura o macho.

11 Deteção de cios Métodos de deteção Colocar um macho junto de um grupo de fêmeas que estejam isoladas durante algumas semanas. Se se destinam a inseminação artificial, os machos devem ser estéreis (rufiões). A presença de um rufião aumenta a taxa de detecção de cios, aumentando o nº de animais gestantes, e consequentemente a produtividade do rebanho.

12 Sincronização de cios Efeito macho como método de provocação de cio Consiste na introdução brusca de machos num rebanho e provoca o aparecimento de cios e de ovulações de forma mais ou menos sincronizada.

13 Monta natural em liberdade O número de machos a ser utilizado é de 1 para cada fêmeas. Apresenta os seguintes problemas: Permite a cobertura de fêmeas ainda muito jovens, prejudicando seu futuro desenvolvimento. Dificulta o uso de outras práticas de maneio do rebanho: dificulta a identificação de fêmeas que repetem o cio, alimentação diferenciada, tratamento sanitário, etc.

14 Monta natural controlada Os reprodutores permanecem separados das fêmeas, e apenas na época planeada para cruzar é que os dois são colocados juntos, por um período de 24 horas, para cruzar. As fêmeas só são levadas para cruzar se estiverem no cio. Basta um reprodutor para cada fêmeas. Se o cio começar a ocorrer pela manhã, o reprodutor deve ser colocado com a fêmea à tarde; se o cio ocorrer à tarde, o reprodutor deve ser colocado com a fêmea no outro dia pela manhã. VANTAGEM: DETEÇÃO E DESCARTE DE ANIMAIS POUCO PRODUTIVOS

15 FILME: Maneio reprodutivo

16 Estação de monta Estação de monta é o período (ou períodos) do ano em que o produtor coloca os reprodutores para cruzarem com as ovinas ou caprinas. As principais vantagens são: Permite concentrar os nascimentos em épocas de boa pastagem; Facilita o maneio sanitário, concentrando tratamentos sanitários, vermifugações e vacinações num mesmo período. Facilita a identificação de fêmeas inférteis ou de baixa fertilidade para serem descartadas. Produz lotes mais uniformes de animais (da mesma idade e peso) e em épocas de preços de mercados mais favoráveis.

17 FILME: Estação de monta

18 Estação de monta 1) Em sistemas mais extensivos (muito mais comida no pasto que no cocho) aconselha-se utilizarem uma estação de monta por ano, com duração de 60 a 90 dias. Nesse sistema, cada fêmea pare uma única vez por ano. 2) Outra alternativa, é programar para partos três vezes a cada 2 anos. Nesse sistema, a duração recomendada de cada estação é de 42 a 51 dias para as ovelhas e 49 a 63 dias para as cabras.

19 Inseminação artificial O sêmen retirado dos machos é congelado e armazenado, onde pode durar vários anos. São várias as vantagens: Dispensa o produtor de comprar e manter machos reprodutores, comprando só o sêmen e o guardando em botijões na propriedade. Permite utilizar machos de grande valor genético Reduz a disseminação de doenças sexualmente transmissíveis;

20 FILME: Inseminação convencional

21 FILME: Inseminação transcervical

22 FILME: Inseminação laparoscopia e ultra-som

23 Gestação: Diagnóstico Duração média de 152 dias Os principais sinais observados nas fêmeas que estão prenhes são: Não entram mais em cio, enquanto durar a gestação. Se desinteressam pelo macho. Aumentam os volumes da barriga e do úbere. Ficam mais calmas, engordam com facilidade e ficam com o pêlo bonito.

24 Gestação: diagnóstico Para confirmar a prenhez das ovelhas e cabras existem diversos métodos modernos: Ultra-sonografia equipamento especial capaz de ouvir os batimentos do coração do feto a partir de 28 dias após ela ter cruzado com o reprodutor. Palpação abdominal externa exame realizado por técnicos, palpando a parte inferior do flanco direito ( pé- da-barriga ) da fêmea. Só consegue diagnosticar prenhez 80 dias depois da cobertura da fêmea pelo reprodutor.

25 Gestação: cuidados Manter as cabras e ovelhas em boas condições de saúde e bem alimentadas (sem excessos). Manter as fêmeas prenhes em lote separado das demais, evitando contatos com animais de temperamento agressivo ou estranhos ao rebanho. Ter o máximo de cuidado quando for maneá-las em currais, bretes, balanças, porteiras, evitando traumatismos. Evitar mudanças bruscas de alimentação, longas caminhadas e seu transporte. Colocar as cabras e ovelhas que estejam perto de parir em piquete maternidade Pouco antes do parto, aparar os pêlos da cauda e manter limpa a região da vulva, com água e sabão.

26 Gestação: Sinais de parto Volume do úbere aumentado e tetas dilatadas. Garupa descarnada e caída. Inquietação (deitando e levantando), respiração ofegante, berros frequentes. Presença de corrimento na vulva. Contrações (ao iniciar o parto). Em condições normais, o parto tem duração média de trinta minutos. Logo que ocorre o rompimento da bolsa d água, aparecem os primeiros sinais de saída do feto.

27 Gestação: Assistência ao parto SÓ SE FOR NECESSÁRIO E O MÍNIMO POSSÍVEL Ajudar no ato de expulsão da cria; Ajudar na limpeza da cria, retirando os restos de parto (placenta). Ajudar a estimular a respiração da cria, limpando as secreções das narinas (caso necessário, pegar a cria pelas pernas e colocá-la de cabeça para baixo por

28 Gestação: Cuidados com as crias observar se a mãe limpou a cria e iniciou a amamentação da cria O COLOSTRO. Dá proteção segura contra várias doenças.. É rico em minerais, vitaminas, proteínas e em outras substâncias que limpam os intestinos (efeito laxativo) e protegem contra intoxicações.

29 FILME: Melhoramento genético 1

30 FILME: Melhoramento genético 2

31 FILME: Melhoramento genético 3

(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo

(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo 1. A fertilização é o evento que decorre a partir do encontro dos gametas masculino e feminino. No trato reprodutivo da fêmea bovina em qual local ocorre a fertilização? (a) Útero (b) Tuba uterina (c)

Leia mais

MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO. C. Otto de Sá e J. L. Sá

MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO. C. Otto de Sá e J. L. Sá MANEJO DO CORDEIRO RECÉM-NASCIDO C. Otto de Sá e J. L. Sá Um dos maiores problemas na ovinocultura é a alta mortalidade de cordeiros. Quando muitos cordeiros morrem antes mesmo do desmame, o prejuízo do

Leia mais

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Importância Produtividade do rebanho => obter sucesso

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Introdução Brasil -> Nordeste Maior Produtor II)Canindé - Leite I)Boer - Carne III)Saanen - Leite Retirado de: www.caprilproduction.com Manejo Reprodutivo

Leia mais

Caprinocultura. Caprinocultura. Nome Caprinocultura Informação Produto Tecnológica Data Setembro -2000 Preço - Linha Caprinocultura Informações

Caprinocultura. Caprinocultura. Nome Caprinocultura Informação Produto Tecnológica Data Setembro -2000 Preço - Linha Caprinocultura Informações 1 de 9 10/16/aaaa 11:10 Caprinocultura Caprinocultura Nome Caprinocultura Informação Produto Tecnológica Data Setembro -2000 Preço - Linha Caprinocultura Informações Resenha resumidas sobre Caprinocultura

Leia mais

AULA 06 MANEJO REPRODUTIVO DOS SUÍNOS

AULA 06 MANEJO REPRODUTIVO DOS SUÍNOS AULA 06 MANEJO REPRODUTIVO DOS SUÍNOS O Processo Reprodutivo Característica importantes dos seres vivos, determinante para sua capacidade em reproduzir. A Eficiência Reprodutiva Medida pelo número de leitões

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS

MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS MANEJO REPRODUTIVO DE CAPRINOS E OVINOS Prof. Dr. Jurandir Ferreira da Cruz Eng. Agr. Rita de Cássia Nunes Ferraz Introdução A eficiência da produção de um rebanho está diretamente relacionada com o número

Leia mais

Entendendo os Resultados

Entendendo os Resultados Entendendo os Resultados Clarifide são marcadores de DNA que predizem o potencial genético de cada animal. Clarifide Dairy é um painel de 6.000 marcadores (6K) para 30 características de produção, saúde

Leia mais

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia Martin Halverson 67-9996-8739 mmhalver@terra.com.br Realidade da Industria do Paiche Hoy Industria pouca Consolidada- Precisa se Organizar Custo Elevada de

Leia mais

Parto Normal. A importância de conhecer as vantagens.

Parto Normal. A importância de conhecer as vantagens. Parto Normal A importância de conhecer as vantagens. PARTO NORMAL Ser mãe é ter o prazer de se sentir especial não só durante os nove meses de gestação, mas pelo resto da vida. O momento do nascimento

Leia mais

MANEJO DE MATRIZES DE CORTE. Alexandre Pires Rosa

MANEJO DE MATRIZES DE CORTE. Alexandre Pires Rosa MANEJO DE MATRIZES DE CORTE Alexandre Pires Rosa MATRIZ DE CORTE O QUE É UMA MATRIZ DE CORTE? PQ A MATRIZ NÃO PODE SER GORDA? O QUE É UNIFORMIDADE DE LOTE? PQ UM LOTE DE MATRIZES DEVE SER UNIFORME? O QUE

Leia mais

MELHORES OS LUCROS DA PECUÁRIA UTILIZANDO TÉCNICAS COMPROVADAS DE BAIXO CUSTO

MELHORES OS LUCROS DA PECUÁRIA UTILIZANDO TÉCNICAS COMPROVADAS DE BAIXO CUSTO MELHORES OS LUCROS DA PECUÁRIA UTILIZANDO TÉCNICAS COMPROVADAS DE BAIXO CUSTO SITUAÇÃO ATUAL DAS PASTAGENS DO CENTRO OESTE 95% da nossa produção de carne depende do capim Alto grau de degradação Principais

Leia mais

Alto grão,dieta que vai bem,

Alto grão,dieta que vai bem, Alto grão,dieta que vai bem, sendo uma alternativa para o confinamento. Engorda de bovinos sem o uso de volumoso, uma dieta de oportunidade e democrática, podendo ser utilizada desde pequenos a grandes

Leia mais

Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013

Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013 Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Caprinocultura 2013 Manejo reprodutivo de caprinos Qual a importância de um bom manejo reprodutivo? Determina a eficiência do sistema de produção Estacionalidade

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Bovinocultura de Corte e Leite Código: VET244 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 7 p Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência a partir

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

2 LEILÃO DORPER BURIÁ

2 LEILÃO DORPER BURIÁ 2 LEILÃO DORPER BURIÁ # Tivemos o cuidado de escolher nossa melhor genética, baseada em: 1 - Fertilidade - Todas as fêmeas estão prenhas, a maioria para parir no proximo mês (todos os lotes já estão confirmados).

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR/A DE ANIMAIS EM CATIVEIRO

PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR/A DE ANIMAIS EM CATIVEIRO PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR/A DE ANIMAIS EM CATIVEIRO Publicação e atualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de Qualificações. PERFIL

Leia mais

Resíduos Agrícolas. SERVIÇO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DAS FLORES E CORVO Alice Correia da Rocha - Eng.ª Zootécnica

Resíduos Agrícolas. SERVIÇO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DAS FLORES E CORVO Alice Correia da Rocha - Eng.ª Zootécnica Resíduos Agrícolas Explorações Agrícolas Actualmente existem: 330 explorações na Ilha das Flores; 50 explorações na Ilha do Corvo Os agricultores das Flores e do Corvo, têm vindo a consciencializar-se

Leia mais

Por quê o conforto das aves é importante?

Por quê o conforto das aves é importante? Checar se suas aves estão confortáveis Por quê o conforto das aves é importante? Logo após o nascimento as aves não são capazes de controlar sua temperatura corporal A temperatura correta da sala de pintinhos

Leia mais

BIRIBA S Genética de Suínos

BIRIBA S Genética de Suínos MANEJO DE REPRODUÇÃO MANEJO E PREPARAÇÃO DE MARRÃS: Puberdade: A puberdade da fêmea suína é caracterizada pelo primeiro cio fértil, que poderá ocorrer entre 165 a 169 dias de idade, podendo ter variações

Leia mais

Eco new farmers. Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica. Sessão 3 Qualidade alimentar

Eco new farmers. Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica. Sessão 3 Qualidade alimentar Eco new farmers Módulo 1 - Introdução á agricultura biológica Sessão 3 Qualidade alimentar Módulo 1 Introdução à agricultura biológica Sessão 3 Qualidade dos alimentos biológicos www.econewfarmers.eu 1.

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

Avaliação da condição corporal em porcas através da medição da espessura de toucinho dorsal e sua influência na fertilidade

Avaliação da condição corporal em porcas através da medição da espessura de toucinho dorsal e sua influência na fertilidade INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Escola Superior Agrária de Santarém Curso de engenharia da produção animal Unidade curricular Projecto Avaliação da condição corporal em porcas através da medição da espessura

Leia mais

CUROS DE OVINOCULTOR Disciplina: Manejo geral de Ovinos Prof. Weberte Alan Sombra Curso FIC

CUROS DE OVINOCULTOR Disciplina: Manejo geral de Ovinos Prof. Weberte Alan Sombra Curso FIC Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará CUROS DE OVINOCULTOR Disciplina: Manejo geral de Ovinos

Leia mais

Valdy Bedê Médico Veterinário

Valdy Bedê Médico Veterinário Valdy Bedê Médico Veterinário Avicultura como Atividade Industrial Produção em Escala pintos, ovos e ração Surgimento do Sistema de Integração Década de 70 Ovo é banido da alimentação pelo seu teor de

Leia mais

SUINOCULTURA DINÂMICA Ano II N o 11 Janeiro/1993 Periódico técnico-informativo elaborado pela EMBRAPA CNPSA

SUINOCULTURA DINÂMICA Ano II N o 11 Janeiro/1993 Periódico técnico-informativo elaborado pela EMBRAPA CNPSA SUINOCULTURA DINÂMICA Ano II N o 11 Janeiro/1993 Periódico técnico-informativo elaborado pela EMBRAPA CNPSA Diagnóstico do cio e manejo da cobertura: Tarefas importantes na criação Isabel R. Scheid 1 Ivo

Leia mais

Um novo membro da família chegou, e agora?

Um novo membro da família chegou, e agora? Um novo membro da família chegou, e agora? O novo membro da família chegou, e agora?? Você já criou um animalzinho antes? Se sim, já sabe que ele possui algumas necessidades básicas! Se não, vou listar

Leia mais

Alimentação em Fases Críticas do Ciclo Reprodutivo da Cabra

Alimentação em Fases Críticas do Ciclo Reprodutivo da Cabra Alimentação em Fases Críticas do Ciclo Reprodutivo da Cabra II Jornadas da Cabra Serpentina V Feira do Montado Portel Manuel Cancela de Abreu Departamento de Zootecnia A cabra Serpentina é uma raça autóctone,

Leia mais

Lifting da Face - Terço Médio

Lifting da Face - Terço Médio Lifting da Face - Terço Médio A identidade humana é determinada primeiramente pelo rosto sua estrutura, aparência e expressões. As alterações determinadas pela idade que afetam a aparência do rosto podem

Leia mais

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO

MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO MANUAL DE CAMPO RELATÓRIOS RELATÓRIO 4 SUMÁRIO DO REBANHO Este relatório tem por finalidade apresentar mensalmente os índices do rebanhos para o controle atual, medias dos últimos 12 meses e de 12 a 24

Leia mais

(seleção, sexagem, vacinação, condições de armazenagem, temperatura umidade e ventilação da sala, expedição dos pintos).

(seleção, sexagem, vacinação, condições de armazenagem, temperatura umidade e ventilação da sala, expedição dos pintos). a arte de incubar parte 4 sala de pintos (seleção, sexagem, vacinação, condições de armazenagem, temperatura umidade e ventilação da sala, expedição dos pintos). Os manejos de Sala de Pintos dependem da

Leia mais

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil

Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Programa Alta Gestação promove democratização da inseminação artificial em ovinos no Brasil Parceria entre Alta Genetics, Pfizer e Sérgio Nadal promete acelerar os rebanhos comerciais do país. A carne

Leia mais

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. "Seu resultado é o nosso compromisso." EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com.

PROGRAMA NUTRICIONAL PARA SUÍNOS. Seu resultado é o nosso compromisso. EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL. www.guabi.com. PROGRAMA NUTRICIONAL "Seu resultado é o nosso compromisso." PARA SUÍNOS EXCELÊNCIA EM NUTRIÇÃO ANIMAL www.guabi.com.br 0800 16 90 90 s para as fases de Maternidade e Creche A linha Nutriserviços para nutrição

Leia mais

HÍBRIDOS EM ESPÉCIES AUTÓGAMAS

HÍBRIDOS EM ESPÉCIES AUTÓGAMAS HÍBRIDOS EM ESPÉCIES AUTÓGAMAS INTRODUÇÃO Edson Perez Guerra & João Carlos Bespalhok F. Como discutido anteriormente, o tipo mais usado de variedade em espécies autógamas é a linha pura. Entretanto, para

Leia mais

estratégias para melhorar seu rebanho

estratégias para melhorar seu rebanho CRI Genética Brasil estratégias para melhorar seu rebanho Por que tanta ênfase em touros? Um touro em serviço de monta natural normalmente emprenha de 20 a 40 vacas cada ano, e através da inseminação

Leia mais

Lixo Eletrônico x Aedes Aegypti

Lixo Eletrônico x Aedes Aegypti Lixo Eletrônico x Aedes Aegypti Aedes Aegypti Informações Importantes - O Aedes Aegypti é um mosquito que transmite várias doenças perigosas como, por exemplo, dengue e febre amarela urbana. O Aedes Aegypti

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Recria - Gestação Lactação. Cachaço 08/06/2014. Levar em consideração: Exigências nutricionais de fêmeas suínas NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO Recria - Gestação Lactação Cachaço Msc. Daniela Junqueira Rodrigues Exigências nutricionais de fêmeas suínas 1. Linhagem 2. Estágio de desenvolvimento do animal 3. Consumo de ração

Leia mais

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 3.0

Manual de Instruções DataCollection. Nome do Documento. Novas Funcionalidades DataCollection versão 3.0 Nome do Documento Novas Funcionalidades DataCollection versão 3.0 1. Classificação Etária do Rebanho. Agora existem 5 faixas de classificação etária do rebanho ( de 0 a 4 meses, de 5 a 12 meses, de 13

Leia mais

ASPECTOS IMPORTANTES PARA O SUCESSO DA. Zootecnista: Cledson Augusto Garcia Docente da Graduação

ASPECTOS IMPORTANTES PARA O SUCESSO DA. Zootecnista: Cledson Augusto Garcia Docente da Graduação ASPECTOS IMPORTANTES PARA O SUCESSO DA PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE Zootecnista: Cledson Augusto Garcia Docente da Graduação Jacó: o precursor do Pastoreio Racional O BOM PASTOR COMEÇA DESDE CEDO PASTOR:

Leia mais

Boas Práticas para a Conservação dos Alimentos. Palestrante: Liza Ghassan Riachi CICLO DE PALESTRAS ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Boas Práticas para a Conservação dos Alimentos. Palestrante: Liza Ghassan Riachi CICLO DE PALESTRAS ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Boas Práticas para a Conservação dos Alimentos Palestrante: Liza Ghassan Riachi CICLO DE PALESTRAS ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Evitar contaminação e DTAs Qualidade do Alimento Proteção da Saúde Contaminação Física

Leia mais

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE

PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE PRIMEIRO CIO PÓS-PARTO DAS CABRAS E OVELHAS NO NORDESTE Prof. Adelmo Ferreira de Santana Caprinocultura e Ovinocultura E-mail afs@ufba.br Departamento de Produção Animal Escola de Medicina Veterinária

Leia mais

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana.

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. : 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. Conteúdo: Doenças relacionadas ao sedentarismo Diabetes. Doenças relacionadas ao sedentarismo Hipertensão arterial e dislipidemias. Habilidades:

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA CAMPUS: São Mateus CURSO: Agronomia DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Ciências Agrárias e Biológicas-DCAB PROFESSOR RESPONSÁVEL: Thasia Martins Macedo CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO PERIODIZAÇÃO

Leia mais

As funções das proteínas no organismo :

As funções das proteínas no organismo : PROTEINAS As funções das proteínas no organismo : As principais funções das proteínas - Construção de novos tecidos do corpo humano. - Atuam no transporte de substâncias como, por exemplo, o oxigênio.

Leia mais

Artigo: Lucro pela eficiência

Artigo: Lucro pela eficiência Artigo: Lucro pela eficiência Na atual pecuária, há vantagens em criar animais que sejam adaptados, férteis, funcionalmente eficientes e hábeis conversores de alimentos. Com esta filosofia de trabalho

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO

A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO A IMPORTÂNCIA DO MANEJO NO PERÍODO SECO Ricardo Dias Signoretti 1 Na prática, o período seco e transição (pré-parto) constituem-se num desafio aos técnicos e produtores de leite, que devem ficar atentos

Leia mais

AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE SALMONICULTURA

AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE SALMONICULTURA AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE SALMONICULTURA Dr ASCÂNIO DE FARIA Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Campos do Jordão SP PARA SE CRIAR TRUTA ARCO-ÍRIS é fundamental

Leia mais

Nota Introdutória. É anónimo e garante-se confidencialidade dos dados.

Nota Introdutória. É anónimo e garante-se confidencialidade dos dados. Nota Introdutória Daniela Filipa Soares Dores, a frequentar o 4º ano de Licenciatura em Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa, encontra-se a elaborar um Trabalho

Leia mais

OSTEOPOROSE: PREVENIR É POSSÍVEL!

OSTEOPOROSE: PREVENIR É POSSÍVEL! OSTEOPOROSE: PREVENIR É POSSÍVEL! 17 de Outubro a 2 de Novembro Exposição promovida pelo Serviço de Ginecologia do HNSR EPE OSTEOPOROSE: O QUE É? Osteoporose significa "osso poroso". É uma doença que se

Leia mais

Guia de Utilização Bovinfor

Guia de Utilização Bovinfor Guia de Utilização Bovinfor ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA ESTAÇÃO DE APOIO À BOVINIVULTURA LEITEIRA BOVINFOR O BOVINFOR é a Base de Dados Nacional para o armazenamento da informação produtiva, reprodutiva

Leia mais

Producote Feed O que é? Como devo fornecer o Producote Feed? Producote Feed Por que utilizar Ureia (NNP) na dieta?

Producote Feed O que é? Como devo fornecer o Producote Feed? Producote Feed Por que utilizar Ureia (NNP) na dieta? Producote Feed O que é? Producote Feed é um aditivo nutricional de liberação controlada, indicado para a suplementação proteica segura de ruminantes, com alta concentração de nitrogênio não proteico de

Leia mais

Métodos anticoncepcionais

Métodos anticoncepcionais Métodos anticoncepcionais Métodos anticoncepcionais A partir da puberdade, o organismo dos rapazes e das garotas se torna capaz de gerar filhos. Mas ter filhos é uma decisão muito séria. Cuidar de uma

Leia mais

A Raça Girolando. Desenvolvimento, Oportunidades e Expectativas. Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico

A Raça Girolando. Desenvolvimento, Oportunidades e Expectativas. Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico A Raça Girolando Desenvolvimento, Oportunidades e Expectativas Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico O Início de Tudo! PROCRUZA 1978 a 1988 Uberaba, décadas de 1970 e 1980 ORIGEM DO PROGRAMA

Leia mais

ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE

ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE ECOLOGIA E BIODIVERSIDADE DIEGO DANTAS AMORIM Contado: diego.dantas@ifmg.edu.br Engenheiro Agrônomo Universidade Vale do Rio Doce UNIVALE Msc. em Agricultura Tropical Universidade Federal do Espírito Santo

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV

INFORMATIVO MENSAL LAPBOV Rússia libera frigoríficos brasileiros O Serviço Federal de Fiscalização Veterinária e Fitossanitária da Rússia fez a liberação dos frigoríficos, que antes estavam embargados para exportação devido a problemas

Leia mais

Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV

Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV Assunto: COMERCIALIZAÇÃO DE REBENTOS Esclarecimento 11/2013 A presente nota de esclarecimento pretende elucidar os operadores de empresas do setor alimentar

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

Porto Alegre 22 e 23 de setembro de 2011

Porto Alegre 22 e 23 de setembro de 2011 Porto Alegre 22 e 23 de setembro de 2011 Ing.Agr. MBA Catalina Boetto Universidad Católica de Córdoba MBG División Ganadería SAGRA SA Sumário 1. Introdução 2. Intensificação da pecuária bovina: pasto ou

Leia mais

FABRICACAO DE SAL MINERAL VISANDO A ADEQUADA NUTRICAO DE BOVINOS

FABRICACAO DE SAL MINERAL VISANDO A ADEQUADA NUTRICAO DE BOVINOS FABRICACAO DE SAL MINERAL VISANDO A ADEQUADA NUTRICAO DE BOVINOS BPF - MANUAL DEFINIÇÃO Normas e procedimentos que garantem a conformidade e inocuidade dos produtos utilizados na pecuária, visando o homem

Leia mais

Plano de aula. ZOOTECNIA I (Suínos) 01/04/2016. Resíduos de origem animal. Produção Animal vs Impacto Ambiental. Dejetos. Problemas.

Plano de aula. ZOOTECNIA I (Suínos) 01/04/2016. Resíduos de origem animal. Produção Animal vs Impacto Ambiental. Dejetos. Problemas. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Jaboticabal Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias 1 Plano de aula ZOOTECNIA I (Suínos) Resíduos Dejetos Msc. Fabrício Faleiros de

Leia mais

NATURAMIA FAQ. O granito é uma pedra cinzenta e monótona, como muitas pessoas pensam?

NATURAMIA FAQ. O granito é uma pedra cinzenta e monótona, como muitas pessoas pensam? NATURAMIA FAQ O granito é uma pedra cinzenta e monótona, como muitas pessoas pensam? A colecção NATURAMIA, NÃO. Muito pelo contrário, a natureza ocupou-se de criar, durante milhares de anos, uma ampla

Leia mais

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S O presente regulamento visa dar cumprimento ao disposto no artigo 5.º do REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO do MUNICIPIO DE BARCELOS. Pretende-se estabelecer um conjunto de normas

Leia mais

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg Produto Min. Mais AVES FRANGO (+ 1.300 Kg.) AVES FRANGO (1.100-1.300 Kg.) AVES FRANGO (600-700 g.) AVES FRANGO (700-900 g.) AVES FRANGO (900 g. - 1.100 Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO

Leia mais

Introdução. Não confundir com As veias que formam um padrão e podem ser vistas por baixo da pele das pernas (especialmente em pessoas de

Introdução. Não confundir com As veias que formam um padrão e podem ser vistas por baixo da pele das pernas (especialmente em pessoas de Introdução O que são as varizes? As veias varicosas, vulgarmente chamadas varizes, são muito comuns. São veias dilatadas e nodulares, de cor azulada que vemos nas pernas das pessoas quando usam calções,

Leia mais

II PROVA DE DESEMPENHO DE TOUROS JOVENS 2013

II PROVA DE DESEMPENHO DE TOUROS JOVENS 2013 II PROVA DE DESEMPENHO DE TOUROS JOVENS 2013 Oficializada pela Prova de Desempenho de Touros Jovens - PDTJ A Prova de Desempenho, de Touros Jovens (PDTJ) consiste em submeter animais machos, portadores

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL Daniel Cardoso PqC do Pólo Regional do Noroeste Paulista/APTA danielcardoso@apta.sp.gov.br 1. Introdução O Brasil possui

Leia mais

2) Observe o esquema. Depois, seguindo a numeração, responda às questões. C) Onde a urina é armazenada antes de ser eliminada do corpo?.

2) Observe o esquema. Depois, seguindo a numeração, responda às questões. C) Onde a urina é armazenada antes de ser eliminada do corpo?. Professor: Altemar Santos. Exercícios sobre os sistemas urinário (excretor), reprodutores masculino e feminino e fecundação para o 8º ano do ensino fundamental. 1) Analise o esquema: Identifica-se pelas

Leia mais

Aula 6: Sistema respiratório

Aula 6: Sistema respiratório Aula 6: Sistema respiratório Sistema respiratório Tem início no nariz e na boca e continua através das vias aéreas até os pulmões, onde ocorre a troca dos gases. Sistema respiratório - Funções Condução

Leia mais

Banco Português de Germoplasma Animal e Tecnologias da Reprodução

Banco Português de Germoplasma Animal e Tecnologias da Reprodução Banco Português de Germoplasma Animal e Tecnologias da Reprodução AEM Horta Investigador Coordenador Unidade de Recursos Genéticos Reprodução e Melhoramento Animal Instituto Nacional de Recursos Biológicos

Leia mais

A Energia que vem do campo Linha de Produtos

A Energia que vem do campo Linha de Produtos A Energia que vem do campo Linha de Produtos CASTELHANO Santa Cecília 10 anos Visão Estar entre os três maiores produtores de biodiesel no Brasil Missão Participar do desenvolvimento sustentável do planeta

Leia mais

Nossos Produtos. Solução completa em ELETRIFICAÇÃO RURAL. Eletrificadores Acessórios para cerca Diversos

Nossos Produtos. Solução completa em ELETRIFICAÇÃO RURAL. Eletrificadores Acessórios para cerca Diversos Nossos Produtos Solução completa em ELETRIFICAÇÃO RURAL Eletrificadores Acessórios para cerca Diversos Cerca Elétrica Rural Muito mais que SEGURANÇA a cerca elétrica rural é altamente utilizada no PIQUETEAMENTO

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012 Jean Berg Alves da Silva Médico Veterinário UFERSA (2001) Dr. Ciências Veterinárias UECE (2006) Professor do Departamentos de Ciências Animais da UFERSA HIGIENE ANIMAL Jean Berg Jean Berg Alves da Silva

Leia mais

As exigências por parte do laticínio têm-se refletido nas organizações das

As exigências por parte do laticínio têm-se refletido nas organizações das 215 Foto 1: Imagem do curral situado no lote nº 15. A infra-estrutura existente não está adequada de acordo com as exigências que o laticínio tem solicitado aos produtores. A infra-estrutura de cobertura

Leia mais

Melhoramento genético Evolução e novas tecnologias

Melhoramento genético Evolução e novas tecnologias 24/09/2011 Melhoramento genético Evolução e novas tecnologias Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Departamento de Ciências Básicas Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos Universidade de São Paulo

Leia mais

Introdução. estacionalidade reprodutiva é o fotoperíodo, caso a nutrição esteja adequada.

Introdução. estacionalidade reprodutiva é o fotoperíodo, caso a nutrição esteja adequada. !"#"! $"%!! Introdução Durante sua evolução, os ovinos e os caprinos desenvolveram alternativas reprodutivas para assegurar o nascimento de suas crias nos períodos de maior fartura de água e alimentos.

Leia mais

CONTROLE DE PARASITAS INTERNOS EM OVINOS

CONTROLE DE PARASITAS INTERNOS EM OVINOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA E SAÚDE PÚBLICA DISCIPLINA DE DOENÇAS PARASITÁRIAS MATERIAL DE APOIO DIDÁTICO Professor: sanavria@ufrrj.br

Leia mais

NUTRIÇÃO DE OVELHAS GESTANTES

NUTRIÇÃO DE OVELHAS GESTANTES NUTRIÇÃO DE OVELHAS GESTANTES Acadêmicas: Caroline Wrague e Luiza P. Nunes INTRODUÇÃO: A produção ovina ocorre predominantemente em sistemas de criação extensiva no Sul do Brasil. A quantidade e qualidade

Leia mais

Nome científico: Nome Popular: Classe: Ordem: Família: Subfamília: Género: Espécie: Características:

Nome científico: Nome Popular: Classe: Ordem: Família: Subfamília: Género: Espécie: Características: Nome científico: Meles meles Nome Popular: Texugo, Texugo Euroasiático Classe: Mammalia Ordem: Carnívora Família: Mustelidae Subfamília: Melinae Género: Meles Espécie: Meles meles Características: O texugo

Leia mais

Manual de Utilização YA XUN 858D

Manual de Utilização YA XUN 858D Manual de Utilização YA XUN 858D Cabo Ferro Solda Cabo Ar Quente Estação 858 Suporte Ferro Solda Especificações da Estação Ar Quente: 1. Entrada de Alimentação: AC 220V/60Hz. 2. Consumo de Corrente Máximo

Leia mais

Situação epidemiológica da tuberculose bovina no Estado de Mato Grosso

Situação epidemiológica da tuberculose bovina no Estado de Mato Grosso Situação epidemiológica da tuberculose bovina no Estado de Mato Grosso São Paulo, 2012 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Orientador: Prof. Dr. José Soares Ferreira Neto Secretaria de

Leia mais

Bacalhau. (Gadus morhua) O legítimo bacalhau. Características:

Bacalhau. (Gadus morhua) O legítimo bacalhau. Características: Bacalhau (Gadus morhua) O legítimo bacalhau. Características: Pratos sugeridos: Coloração: Cauda: É o legítimo Bacalhau da Noruega, com postas altas, claras e tão macias que derretem na boca. Ideal para

Leia mais

Ponto de Situação Sobre os Recursos Genéticos Animais em Moçambique

Ponto de Situação Sobre os Recursos Genéticos Animais em Moçambique Ilidio Hele REPUBLICA DE MOCAMBIQUE MINISTERIO DA AGRICULTURA DIRECCAO NACIONAL DE SERVICOS DE VETERINARIA Ponto de Situação Sobre os Recursos Genéticos Animais em Moçambique Inception workshop of the

Leia mais

Guia Prático de Instalação Completo Forros Minerais OWA. Revisão: 2

Guia Prático de Instalação Completo Forros Minerais OWA. Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Completo Forros Minerais OWA Revisão: 2 Guia Prático de Instalação Forros Minerais OWA Cuidados Iniciais Cuidados iniciais: SEMPRE manter as mãos limpas para manusear os forros

Leia mais

Propriedades do aço das cavidades

Propriedades do aço das cavidades Propriedades do aço das cavidades alta dureza (para boa resistência ao desgaste); boa polibilidade; alta resiliência (para suportar pressão de injeção); baixo coeficiente de dilatação térmica; alta condutividade

Leia mais

DÚVIDAS E PERGUNTAS FREQUENTES

DÚVIDAS E PERGUNTAS FREQUENTES 1. Qual idade mínima para fazer o teste? 2 2. O teste me ajuda a emagrecer? 2 3. Qual o prazo de validade do produto? 2 4. Quanto tempo leva para realizar o teste? 2 5. O teste identifica Intolerância

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Ciências 7 o ano Unidade 2 5 Unidade 2 Nome: Data: 1. As cores das flores e o período do dia em que elas abrem são duas adaptações importantes das plantas e que facilitam a sua

Leia mais