Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil"

Transcrição

1 Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 23 de Setembro de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes Coordenador Adjunto Eng. Civ. Nelson Kalil Moussalle Conselheiro Eng. Civ., Eng. Ind. Mec. Alberto Stochero Conselheiro Geog. André Luis Queiroz Araujo Conselheiro Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Augusto Portanova Barros Conselheiro Eng. Civ. Carlos Giovani Fontana Conselheiro Eng. Civ. Edival Silveira Balen Conselheiro Eng. Civ. Elizabeth Trindade Moreira Conselheiro Eng. Civ. José Ubirajara Martins Flores Conselheiro Tec. Edif. Flavio Pezzi Conselheiro Eng. Civ. Hilário Pires Conselheiro Eng. Civ. Jorge Alberto Albrecht Filho Conselheiro Eng. Civ. Jorge Augusto Peres Moojen Conselheiro Eng. Civ. José Homero Finamor Pinto Conselheiro Eng. Civ. Julio Cesar Touguinha De Almeida Conselheiro Eng. Civ. Luiz Carlos Karnikowski De Oliveira Conselheiro Eng. Civ., Eng. Mec., Eng. Seg. Trab. Luiz Inácio De Souza Sebenello Conselheiro Eng. Civ. Marcelo Schuler Conselheiro Eng. Civ. Marcos Fernando Uchôa Leal Conselheiro Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Marcos Wetzel Da Rosa Conselheiro Eng. Civ. Maria Izabel Brener Da Rosa Conselheiro Eng. Civ. Ricardo Scavuzzo Machado Conselheiro Eng. Civ. Astor José Grüner Conselheiro Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Representante do Plenário Eng. Mec., Eng. Seg. Trab. Ary Pedro Slhessarenko Trevisan Assessor Téc Camara Regina F. Pinto Da Cunha Analista de Processos Viviane Mattje Analista de Processos Juliana Ritt Assistente Administrativo Vera Regina Pereira Mendonca Assistente Administrativo Elaine Lourdes A. Viegas Assistente Administrativo Manoela Schumacher Triches Dos Santos Oficial Administrativo Luciana Guimaraes Barbieri OBSERVAÇÕES.: Justificaram previamente a ausência os conselheiros: Emídio Marques Ferreira, Evandro Krebs Gonçalves, Fernando Martins Pereira da Silva e seu suplente Andr Maciel Zeni, José Ascânio Vilaverde Moura, Lia Maria Herzer Quintana e Silverius Kist Júnior. Não justificaram a ausência os conselheiros: Gerson Sonaglio e Luiz Fernando Castro do Amaral. Não foi convocado o conselheiro: Alexandre Gabriel Chanas. 1. VERIFICAÇÃO DO QUÓRUM 1

2 CONCLUSÃO : Quórum foi verificado. 2. APROVAÇÃO DA(S) SÚMULA(S) nº 1022 CONCLUSÃO : Aprovada com dezesseis votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D ANÁLISE DO EXPEDIENTE ANÁLISE DO EXPEDIENTE - PARA CONHECIMENTO REFERÊNCIA : Memorando n 56/2011, de 13/09/2011, do Departamento de Comunicação e Marketing do Crea-RS ASSUNTO : solicita relação das atividades que podem ser executadas ou contratadas pelo poder público e que precisam de profissionais tecnicamente habilitados, visto que este Departamento irá produzir, a pedido da CEEC e dos inspetores deste Regional, uma cartilha a ser entregue aos governos municipais do RS com todas as atividades que, no julgamento do Crea-RS, tenham que ter um profissional habilitado, registrado e responsável junto ao Conselho gaúcho. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Memorando 061/2011, datado de 15/09/2011, da Câmara Especializada de Engenharia Industrial - CEI - Crea-RS. ASSUNTO : Informa que a tabela que trata da definição dos profissionais com atribuição para desenvolver as atividades referentes à proteção contra incêndio em edificações residenciais e comerciais, bem como serviços afins e correlatos, será analisada pelos conselheiros da Câmara Especializada de Engenharia Industrial, sendo posteriormente apresentada sugestões dos conselheiros. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Revista edição mês de setembro/2011. ASSUNTO : Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros - FISENGE. CONCLUSÃO : Ciente ANÁLISE DO EXPEDIENTE - PARA MANIFESTAÇÃO REFERÊNCIA : datado de 12/09/2011, do Colégio de Presidentes - Confea/Creas. ASSUNTO : Encaminha manifestação do projeto de resolução de alteração da Resolução n 1010 que dispõe sobre a regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades, competências e caracterização do âmbito de atuação dos profissionais inseridos no Sistema Confea/Crea, para efeito de fiscalização do exercício profissional. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi distribuído ao Cons. Volnei Pereira da Silva REFERÊNCIA : Memorando 33/2011-CEE, datado de 09/09/2011, da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica, do Crea-RS. ASSUNTO : Encaminha Norma de Fiscalização n 002/2011, que dispõe sobre parâmetros para fiscalização das atribuições dos técnicos em eletrotécnica, definidas pela Lei n 5.524/68, pelo Decreto /85 e pelas Resoluções do Confea, e dá outras providências. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi distribuído ao Cons. Marcos Wetzel da Rosa. 2

3 3.2.3 REFERÊNCIA : datado de 21/09/2011, do Departamento de Comunicação e Marketing. ASSUNTO : Encaminha artigo para revista do Crea-RS - Ciclos Econômicos, de autoria do eng. civil Francisco Carlos Bragança de Souza. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi distribuído ao Cons. Marcos Fernando Uchôa Leal REFERÊNCIA : Memorando nº 055/2011 da Assessoria Institucional - Datado: 21/09/2011 ASSUNTO : A empresa "Gerson Martins - Cursos Empresariais de Curitiba" solicita ajuda logística do Crea-RS no processo de divulgação de seus cursos que serão oferecidos aos profissionais do RS, consistindo na inserção e manutenção de dados de cada curso no site do Conselho até sua realização e nos boletins eletrônicos enviados aos profissionais. OBS : O Cons. Jefferson Luiz de Freitas Lopes comunicou que este assunto foi pautado na reunião de Diretoria e que a posição dos Coordenadores foi unânime, em responder, que não é papel do Crea este tipo de prestação de serviços. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : do Cons. Mélvis Barrios Júnior - Datado: 19/09/2011 ASSUNTO : Esclarecimentos sobre Processo Eleitoral - Confea. Cons. José Homero Finamor Pinto solicitou que o Cons. Federal Mélvis Barrios Junior participasse da Sessão Plenária. OBS : O Cons. Ricardo Scavuzzo Machado comunicou que o Presidente do Confea encaminhou notificação extrajudicial ao Cons. Federal Mélvis Barrios Junior, devido ao constante na mensagem do Cons. Mélvis Barrios Júnior. O Cons. Hilário Pires declarou que se não fosse a iniciativa do Cons. Mélvis Barrios Junior não aconteceriam as eleições. O Cons. Flávio Pezzi solicitou que a CEEC adiasse até o dia 07/10/2011 para tomar um posição, oportunidade em que o Cons. Mélvis Barrios Júnior estaria presente na reunião desta Especializada. CONCLUSÃO : Foi aprovado convidar o Cons. Federal Mélvis Barrios Junior para participar da reunião de Câmara no dia 07 de outubro de Encaminhou-se para a próxima reunião REFERÊNCIA : enviado pelo Prof. Paulo Soares do Departamento de Geografia da UFRGS - Datado: 22/09/2011 ASSUNTO : Encaminha consulta sobre as discussões da "Matriz de conhecimento" dos cursos de Geografia. CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi distribuído ao Cons. André Luis Queiroz Araujo REFERÊNCIA : RECADASTRAMENTO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO - COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA - PROTOCOLO: CONCLUSÃO : Deferimento do recadastramento do COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA. Encaminhar para aprovação do plenário do Crea/RS e após, ao Confea para conhecimento e anotação das informações no Sistema de Informações Confea/Crea SIC. Informar à Instituição de Ensino que deverá providenciar o cadastramento dos cursos regulares oferecidos vinculados ao Sistema Confea/Crea, que ainda não foram devidamente cadastrados nos termos do anexo III da Resolução n. 1010/05. 3

4 Aprovado com vinte e dois votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D COMUNICADOS Comunicados Gerais REFERÊNCIA : Evento DRT e Sinduscon OBS : O Cons. Jefferson Luiz de Freitas Lopes comentou suscintamente que pelas palavras do Auditor do Trabalho a única solução são os profissionais se adequarem as exigências dos auditores da Delegacia Regional do Trabalho. O Cons. Astor José Gruner comentou sua experiência em Santa Cruz do Sul, e salientou as exigências da Delegacia Regional do Trabalho - DRT. O Cons. Luiz Inácio de Souza Sebenello pediu desculpas ao Coordenador e aos conselheiros da Câmara, por não ter comparecido. O Cons. Luiz Carlos Karnikowski de Oliveira declarou surpreso com o que ouviu do representante do Ministério do Trabalho, na data de ontem, o qual demonstrou o poder do Auditor. O Cons. Edival Silveira Balen ratificou este pensamento, pois já havia constatado o poder do Fiscal da Delegacia Regional do Trabalho. Por fim, o Cons. Jorge Alberto Albrecht filho chamou atenção das iniciativas que o Crea-RS já realizou, como por exemplo: emitiu pareceres, criou normas gerando ou retirando atribuições dos profissionais, realizou fiscalização de setores que não lhe competia. E salientou que devemos cuidar as nossas ações, pois talvez o Conselho esteja cometendo os mesmos erros que os outros estão realizando contra os profissionais inseridos neste Crea-RS. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Cadastramento da Unipampa OBS : O Cons. Jorge Augusto Peres Moojen comunicou que participou de reunião com os representantes da Unipampa, juntamente com o Presidente em exercício do Crea-RS Moisés Souza Soares e ficou esclarecido que a Unipampa irá encaminhar a documentação para o cadastramento da Instituição de Ensino e dos seus cursos. Declarou que a questão está resolvida. RELATOR : Cons. Jorge Augusto Peres Moojen CONCLUSÃO : Ciente APRESENTAÇÃO DA PAUTA DISCUSSÃO DOS ASSUNTOS PERTINENTES À CÂMARA ESPECIALIZADA REFERÊNCIA : datado de 03/08/2011, da Comissão de Meio Ambiente, do Crea-RS ASSUNTO : Encaminha Programação da Conferência Regional Sul do GT-Sustentabilidade, dia 19/08/2011, em Porto Alegre. Encaminha o Manual de Fiscalização do Confea. RELATOR : Cons. José Homero Finamor Pinto CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.2 REFERÊNCIA : Atividades constantes nas ARTs- Modalidade civil e Modalidade Agrimensura RELATOR : Cons. André Luis Queiroz Araujo CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi decidido formar comissão composta 4

5 pelos conselheiros André Luis Queiroz Araujo, José Homero Finamor Pinto e Maria Izabel Brener da Rosa. 6.3 REFERÊNCIA : Coordenação Nacional das Câmaras Especializadas de Engenharia Civil ASSUNTO : Matriz de Conhecimentos da Engenharia Civil CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi decidido convidar o Eng. Civil João Luis de Oliveira Collares Machado para participar da reunião RELATO DE PROCESSOS Processos de Denúncia e Ética Profissional PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : L.W. RELATOR : Cons. Elizabeth Trindade Moreira CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : J.F.K.A. RELATOR : Cons. Marcelo Schuler CONCLUSÃO : Somos pelo arquivamento do presente processo, dando ciência às partes. Aprovado com dezenove votos favoráveis, um contrário e nenhuma abstenção. D Processos de Auto de Infração PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CONSTRUTORA MINOSSO LTDA EPP RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Após a análise da documentação apresentada, na qual se constata que a OBRA / SERVIÇO OBJETO DA AUTUAÇÃO, estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Assim sendo, sou pela improcedência da autuação, com a extinção da multa imposta e o arquivamento do processo. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : JDHJ CONSTRUCOES LTDA. RELATOR : Cons. Marcos Wetzel da Rosa CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este 5

6 Conselho, através do registro. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CSA - COMERCIAL SERRANA DE ASFALTO LTDA. RELATOR : Cons. Elizabeth Trindade Moreira CONCLUSÃO : Da análise da defesa apresentada não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, visto o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. Deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento de ART referente a execução de fundações, estrutural, PPCI e SPDA, atividades que não estão contempladas na ART apresentada. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ONZE CONSTRUTORA E URBANIZADORA LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise da defesa apresentada não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, visto o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. Deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento de ART referente às atividades de "poda e corte de árvores", conforme Contrato nº 170/2009 e Termo Aditivo 01, referidos no objeto do presente auto de infração. Ao Departamento de Acervo Técnico e ART: Retirar da ART nº e da ART nº , emitidas pela profissional eng. civil ROSA DJANIRA MÜLLER MARCELINO, as atividades de "CORTES, PODAS", incluídas através do cód. W9999, por não fazerem parte de suas atribuições profissionais. Oficiar à profissional e ao contratante dando ciência. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ORLANDO KOEHLER ME RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da analise da defesa apresentada esta não possui elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista que a autuada possui objetivo social voltado à área de fiscalização do Crea e exerceu atividades abrangidas 6

7 por esta, sem, no entanto possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, "caput", da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração, com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "c", da Lei nº 5.194, de Deverá providenciar na sua regularização junto a este Conselho, através do registro. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ELIO ZANUZZI RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Após análise da documentação apresentada, na qual se constata que a OBRA / SERVIÇO OBJETO DA AUTUAÇÃO, estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Assim sendo, sou pela improcedência da autuação, com a extinção da multa imposta e o arquivamento do processo. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : BRENO SILVEIRA VERLINDO RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Após análise da documentação apresentada, na qual se constata que a OBRA / SERVIÇO OBJETO DA AUTUAÇÃO, estava regular na data da autuação, não subsistindo o Auto de Infração. Assim sendo, sou pela improcedência da autuação, com a extinção da multa imposta e o arquivamento do processo. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : BRAS SUL CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA RELATOR : Cons. Marcos Wetzel da Rosa CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº:

8 INTERESSADO : CONSTRUTORA NACRON LTDA. RELATOR : Cons. Marcos Wetzel da Rosa CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiros os fatos constatados, segundo os termos da autuação lavrada por infringência à Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "a", da Lei nº 5.194/66, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento da respectiva ART. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D Processos de registro profissional e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ANA KARINA ZAGO RELATOR : Cons. André Luis Queiroz Araujo CONCLUSÃO : 1- Somos pelo deferimento da anotação do curso de especialização em diagnóstico e planejamento ambiental, com a ressalva de que esta anotação não gera atribuições, tendo em vista a análise do fato/fundamentação legal. 2- Informar ao profissional também, que caso queira anotação do curso, juntamente com a extensão de atribuição, a Instituição de Ensino deverá solicitar o cadastramento do referido curso PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : JULIANA DE AZEVEDO BERNARDES CONCLUSÃO : 1- Somos pelo deferimento da anotação dos Cursos de pós-graduação em Engenharia Civil, MESTRE e DOUTOR em Engenharia, área de concentração: Geotecnia. 2- Arquivar o presente processo PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARCOS WETZEL DA ROSA OBS : Foi alterado o relator para o Cons. Volnei Pereira da Silva. RELATOR : Cons. Volnei Pereira da Silva CONCLUSÃO : 1- Deferir a revisão de atribuições no registro do eng. civil Marcos Wetzel da Rosa, segundo o Decreto n /33, artigo 28, alíneas a (com restrição em geodésia), b, c, d, e, f, g, h, i, j, k e artigo 29, alínea a, b, c, d. 2- Arquivar o presente processo Processos de Registro Pessoa Jurídica e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : LENZ PAINÉIS ELÉTRICOS LTDA ME CONCLUSÃO : Esta Especializada está ciente da manifestação da empresa de fl. 40, em resposta ao parecer de fl

9 Somos pelo arquivamento do presente processo PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : GETEC - PROJETOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS LTDA CONCLUSÃO : Esta Especializada está ciente da manifestação da empresa de fl. 28, em resposta ao parecer de fl. 25. Somos pelo arquivamento do presente processo PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : METROVIAS S.A. CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS CONCLUSÃO : Somos pelo ARQUIVAMENTO do presente processo. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência da decisão. Depto de Registro: Antes do arquivamento do presente processo, deverá ser verificado se o Eng. Civil José Roberto Ometto, terá a baixa de sua responsabilidade técnica em 21/06/2012, conforme vencimento de seu Vínculo, face fl Caso não seja apresentado novo documento comprovando Vínculo e/ou pedido de prorrogação anteriormente a referida data PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TERRAPLENAGEM OLIBONI LTDA CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO da Anotação de Responsabilidade Técnica do ENG. CIVIL ELTO JOSÉ VEADRIGO pela empresa TERRAPLENAGEM OLIBONI LTDA. O indeferimento é devido o não atendimento a diligência do parecer desta Especializada de fl. 105, até a presente data pela referida empresa. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : JSM & ELM LTDA CONCLUSÃO : Somos pela Anotação de Responsabilidade Técnica "DEFINITIVA" da ENG.ª CIVIL SISSI JAQUELINE FLORES DA SILVA pela empresa JSM & ELM LTDA., em caráter excepcional, face o atendimento do seu condicionamento. O presente processo deverá ser submetido ao Plenário conforme estabelece o parágrafo único do artigo 18 da Resolução n. 336/89 do Confea: Art Um profissional pode ser responsável técnico por uma única pessoa jurídica, além da sua firma individual, quando estas forem enquadradas por seu objetivo social no artigo 59 da Lei nº 5.194/66 e caracterizadas nas classes A, B e C do artigo 1º desta Resolução. Parágrafo único - Em casos excepcionais, desde que haja compatibilização de 9

10 tempo e área de atuação, poderá ser permitido ao profissional, a critério do Plenário do Conselho Regional, ser o responsável técnico por até 03 (três) pessoas jurídicas, além da sua firma individual. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FELICIANO MORAES & CIA LTDA CONCLUSÃO : Oficiar à empresa informando que, para exercer as atividades de serviços de engenharia civil, serviços de urbanização(limitado ao parcelamento do solo urbano, restrito aos itens 1.1, 1.2, 1.3, 1.5, 2, 4.1, 6, 7, 8, 9.1, 9.2, 10, 11 da Decisão Normativa 047/92 do CONFEA) ruas e calçadas, deverá anotar engenheiro civil como responsável técnico no prazo de (10)dez dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PROGETTO SUL LTDA CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro da Pessoa Jurídica PROGETTO SUL LTDA. O Indeferimento é devido o descumprindo do Parágrafo único - artigo 18º da Resolução n. 336/89. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TOP & GEO TOPOGRAFIA E GEOTECNIA LTDA CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro da Pessoa Jurídica TOP & GEO TOPOGRAFIA E GEOTECNIA LTDA., tendo em vista que as atividades constantes no objeto social da empresa não são de atribuição dos profissionais Técnicos em Estradas. E o fato da empresa também não estar cumprindo o artigo 9 da Resolução n. 336/89 e o 1 do artigo 59 da Lei n. 5194/66. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : M.J. DE OLIVEIRA - LOCAÇÕES ME. CONCLUSÃO : 1- Somos pelo indeferimento do visto em certidão e deferimento das arts e no acervo do profissional, sendo que o processo deverá ser encaminhado ao Departamento de Acervo Técnico e Art para substituir nas arts e art , o contratante para Standek Stands Ltda Epp e nas observações acrescentar que o contrato se refere entre a empresa Standek Stands Ltda Epp e M.J. de Oliveira - Locações - Me. 2- Arquivar o presente processo Processos para Homologar PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ÁLAMO ENGENHARIA S/A 10

11 RELATOR CONCLUSÃO : Cons. Jefferson Luiz de Freitas Lopes : Deferir a anotação do ENG. CIVIL RAFAEL BARRANQUEIRO EGEA como Responsável Técnico pela pessoa jurídica requerente, passando a estar registrada na área da Engenharia Civil para: A PARTICIPAÇÃO EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA CIVIL ENGLOBANDO PROJETOS, GERENCIAMENTO, ADMINISTRAÇÃO, CONSTRUÇÕES, MONTAGENS E CONSERVAÇÃO, INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PELZ CONSTRUTORES ASSOCIADOS LTDA CONCLUSÃO : Deferir o registro da pessoa jurídica PELZ CONSTRUTORES ASSOCIADOS LTDA., sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL HÉLIO JOSÉ POLLASTRINI PISTELLI, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: INCORPORAÇÃO, CONSTRUÇÃO CIVIL, LOCAÇÃO E MANUTENÇÃO(obras civis) DE EQUIPAMENTOS PARA EVENTOS, PERTINENTES AO RAMO DE CONSTRUÇÃO CIVIL. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à pessoa jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ULMA BRASIL FORMAS E ESCORAMENTOS LTDA CONCLUSÃO : Deferir o registro da pessoa jurídica ULMA BRASIL FORMAS E ESCORAMENTOS LTDA., sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL LEANDRO VERGELINO SILVEIRA, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: A EXPLORAÇÃO DAS ATIVIDADES LOCAÇÃO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO NA ÁREA DE ANDAIMES, FORMAS E ESCORAMENTOS, INCLUINDO QUANDO FOR O CASO A MONTAGEM DAS MESMAS; A EXECUÇÃO DE SERVIÇOS POR ADMINISTRAÇÃO, EMPREITADA OU SUB-EMPREITADA. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à pessoa jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FIRMA DE MERGULHO, ENGENHARIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA CONCLUSÃO : Deferir a anotação do ENG. CIVIL PAULO ROBERTO RUDIGER como Responsável Técnico pela pessoa jurídica requerente. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FOZ DE URUGUAIANA S.A 11

12 RELATOR CONCLUSÃO : Cons. Jefferson Luiz de Freitas Lopes : Deferir o registro da pessoa jurídica FOZ DE URUGUAIANA S.A., sob a responsabilidade técnica do ENG. SANITARISTA EDUARDO FREDIANI, sendo registrada na área da Modalidade Civil para: A CONCESSÃO DO SERVIÇO PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL E ESGOTAMENTO SANITÁRIO NA ÁREA DE CONCESSÃO DO MUNICÍPIO DE URUGUAIANA, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, QUE COMPREENDE A CONSTRUÇÃO, A OPERAÇÃO E A MANUTENÇÃO DAS UNIDADES INTEGRANTES DOS SISTEMAS FÍSICOS, OPERACIONAIS E GERENCIAIS DE PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL, COLETA, AFASTAMENTO, TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO DE ESGOTOS SANITÁRIOS, INCLUINDO A GESTÃO DOS SISTEMAS ORGANIZACIONAIS E O ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à pessoa jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : LARES CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA. CONCLUSÃO : Deferir o registro da Pessoa Jurídica LARES CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA., sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL DAVID POSTAL, em caráter excepcional, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: INCORPORAÇÃO; SERVIÇOS DE ALVENARIA E CONSTRUÇÃO DE OBRAS RESIDENCIAIS, INDUSTRIAIS, COMERCIAIS E DE SERVIÇOS. O presente processo deverá ser submetido ao Plenário conforme estabelece o parágrafo único do artigo 18 da Resolução n. 336/89: Art Um profissional pode ser responsável técnico por uma única pessoa jurídica, além da sua firma individual, quando estas forem enquadradas por seu objetivo social no artigo 59 da Lei nº 5.194/66 e caracterizadas nas classes A, B e C do artigo 1º desta Resolução. Parágrafo único - Em casos excepcionais, desde que haja compatibilização de tempo e área de atuação, poderá ser permitido ao profissional, a critério do Plenário do Conselho Regional, ser o responsável técnico por até 03 (três) pessoas jurídicas, além da sua firma individual. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : C.C. CONSTRUTORA & ENGENHARIA LTDA CONCLUSÃO : Deferir o registro da Pessoa Jurídica C.C. CONSTRUTORA & ENGENHARIA LTDA., sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL e de SEGURANÇA do TRABALHO CLÁUDIO ANTÔNIO ESPINDOLA, em caráter excepcional, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: SERVIÇOS DE ENGENHARIA CIVIL E CONSULTORIA, SERVIÇOS DE PINTURAS NA CONSTRUÇÃO CIVIL, SERVIÇOS DE SANEAMENTO, PAVIMENTAÇÕES, FUNDAÇÕES SUPERFICIAIS, ENGENHARIA DE SEGURANÇA, SERVIÇOS E CONSULTORIAS EM PROJETOS AMBIENTAIS. 12

13 O presente processo deverá ser submetido ao Plenário conforme estabelece o parágrafo único do artigo 18 da Resolução n. 336/89: Art Um profissional pode ser responsável técnico por uma única pessoa jurídica, além da sua firma individual, quando estas forem enquadradas por seu objetivo social no artigo 59 da Lei nº 5.194/66 e caracterizadas nas classes A, B e C do artigo 1º desta Resolução. Parágrafo único - Em casos excepcionais, desde que haja compatibilização de tempo e área de atuação, poderá ser permitido ao profissional, a critério do Plenário do Conselho Regional, ser o responsável técnico por até 03 (três) pessoas jurídicas, além da sua firma individual. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão. Após, encaminhar à Câmara Especializada de Arquitetura para análise do objeto social de fl PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : DELMAR BASTOS MENNA-ME CONCLUSÃO : Homologados dois pareceres: 1) Deferir a anotação da ENG.ª CIVIL GIOVANA MUNHOZ LLUVIERA, em caráter excepcional, como Responsável Técnico pela empresa requerente, que passará a estar registrada na área da Engenharia Civil para: SERVIÇOS DE TERRAPLANAGEM E MOVIMENTAÇÃO DE TERRA. O presente processo deverá ser submetido ao Plenário conforme estabelece o parágrafo único do artigo 18 da Resolução n. 336/89 do Confea: Art Um profissional pode ser responsável técnico por uma única pessoa jurídica, além da sua firma individual, quando estas forem enquadradas por seu objetivo social no artigo 59 da Lei nº 5.194/66 e caracterizadas nas classes A, B e C do artigo 1º desta Resolução. Parágrafo único - Em casos excepcionais, desde que haja compatibilização de tempo e área de atuação, poderá ser permitido ao profissional, a critério do Plenário do Conselho Regional, ser o responsável técnico por até 03 (três) pessoas jurídicas, além da sua firma individual. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão. Oficiar a empresa e ao referido profissional, dando ciência que sua anotação terá validade até 25/07/2012, conforme prazo estabelecido no seu contrato(fls. 68 e 69). Deverá retornar para homologação do parecer de fls. 64 e 65. 2) Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL CRISTIANO LEMOS MOREIRA, pela Pessoa Jurídica requerente. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. 13

14 Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão.informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : COMMEPP - MINERAÇÃO, OBRAS E SERVIÇOS LTDA. CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL JOÃO CARLOS PIRES BRATKOWSKI, pela Pessoa Jurídica requerente. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão. Oficiar ainda, ao Eng. Civil João Carlos Pires Bratkowski que possui ART's, sendo 1(uma) em situação de exigência pela Resolução nº 394/95 e que o prazo para solicitar a regularização da mesma é de 31/12/2011, conforme Decisão Plenária do Confea PL-1980/ PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : GOMES CAMARGO ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA. CONCLUSÃO : Somos pelo deferimento do restabelecimento do registro da empresa GOMES CAMARGO ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA., tendo como responsável técnico o ENG. CIVIL EROL GALINDO GOMES HAYGERT, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA CIVIL. Cumprir o parágrafo único do artigo 64 da Lei 5194/66 (pagamento de débitos). O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : EMPREITEIRA NETOS LTDA - EPP RELATOR : Analista de Processos Viviane Mattje Dalpiaz CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do Eng. Civil Leandro Sinclair Ebert pela Pessoa Jurídica EMPREITEIRA NETOS LTDA - EPP. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10 (dez) dias, deverá anotar profissional habilitado engenheiro civil como responsável técnico. Depto de Registro: Em não havendo manifestação dentro dos dez (10) dias, retirar do cadastro da pessoa jurídica as atividades constantes na área da engenharia civil. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias Processos de Cadastro Pessoa Jurídica e suas alterações cadastrais Processos para Homologar PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CONSTRUTORA GRK LTDA ME. RELATOR : Analista de Processos Cristiane de Oliveira CONCLUSÃO : Deferir a alteração contratual da Pessoa Jurídica CONSTRUTORA GRK LTDA ME, 14

15 passando a estar registrada na área da Engenhariqa Civil para: CONSTRUTORA, EXECUÇÃO DE OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL POR EMPREITADA TOTAL OU PARCIAL; SERVIÇOS DE ENGENHARIA CIVIL INCLUSIVE PROJETOS; LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA TERRAPLANAGEM E CONSTRUÇÃO CIVIL; PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, REFORMAS E EXECUÇÃO DE OBRAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL; EXECUÇÃO DE OBRAS EM LOTEAMENTOS (LIMITADO AO PARCELAMENTO DO SOLO URBANO RESTRITO AOS ITENS 1.1, 1.2, 1.3, 1.5, 2, 4.1, 6, 7, 8, 9.1, 9.2, 10, 11 DA DECISÃO NORMATIVA 047/92 DO CONFEA), OBRAS DE TERRAPLANAGEM, PAVIMENTAÇÃO E SANEAMENTO; DEMOLIÇÃO DE EDIFÍCIOS E OUTRAS ESTRUTURAS. Encaminhar à Câmara Especializada de Arquitetura para a análise do objeto social à fl. 53. Após, oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente pelo prazo de 90 dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SECUR CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA. CONCLUSÃO : Deferir a alteração de carga horária do ENG. CIVIL CARLOS FERNANDES CELESTINO, Responsável Técnico pela empresa SECUR CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA. Conforme carga horária de fl O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência da decisão. AO DEPTO DE ACERVO TÉCNICO E ART/SART:Solicitamos a alteração da ART Nº , fl. 71, no campo: Quantidade:(14) e Unid:(H/SEM) Processos relativos à ART - outros PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FRANCISCO JOSÉ VON AMELN LUZZARDI RELATOR : Cons. Alberto Stochero CONCLUSÃO : AO DEPARTAMENTO DE ACERVO TÉCNICO E ART Alterar a forma de baixa da ART para baixa por conclusão de obra, conforme manifestação do profissional à fl. 46. Informar ao profissional sobre a alteração feita em sua ART. Após, arquive-se o presente processo Processos de Consulta Externa PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MVC COMPONENTES PLÁTICOS LTDA CONCLUSÃO : 1- Em resposta aos seus questionamentos, informamos que é obrigatório o registro de pessoa jurídica que exerce atividade no âmbito da fiscalização 15

16 deste Conselho, devendo apresentar responsável técnico com atribuições compatíveis ao seu Objeto Social. Neste caso, a empresa em seu objeto social consta as atividades de prestação de serviços de engenharia civil, projetos e construção civil restando necessário seu registro no CREA/RS e a apresentação de profissional da Engenharia Civil para se responsabilizar tecnicamente pelas atividades citadas. 2- Encaminhar à CEEI para análise do questionamento e objeto social da empresa Processos de Consulta Diversos PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ANTÔNIO CESAR VILLELA RELATOR : Cons. Alberto Stochero CONCLUSÃO : Somos por arquivar o presente processo Processos para Homologar PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ALINE BORGES DA ROSA RELATOR : Cons. Volnei Pereira da Silva CONCLUSÃO : Em resposta à consulta, informamos que: A profissional possui atribuição para ser responsável técnica pela elaboração de plano de gerenciamento de resíduos sólidos urbanos e de resíduos industriais não perigosos inertes. Não possui atribuição para elaboração de plano de gerenciamento de resíduos não especificados acima. Não possui atribuição para ser responsável técnica por licenciamentos ambientais, nem para elaboração de laudos de cobertura vegetal PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SABRINA MAYER VEECK RELATOR : Cons. Volnei Pereira da Silva CONCLUSÃO : Em resposta à consulta, informamos que a tecnóloga em saneamento ambiental possui atribuição para ser responsável técnica pela elaboração de plano de gerenciamento de resíduos sólidos urbanos e de resíduos industriais não perigosos inertes. Não possui atribuição para elaboração de plano de gerenciamento de resíduos não especificados acima Processos de Relatório de Fiscalização PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA RELATOR : Cons. Alberto Stochero CONCLUSÃO : Encaminhar o presente processo à Câmara de Engenharia Química para a análise do que é pertinente à sua especializada, e principalmente com relação à ART que contemple a coleta, transporte e tratamento dos resíduos citados no item 1.2 do Contrato 249/2006 e de todos os contratos dos termos aditivos ao contrato principal, que deverá ser de Engenheiro Químico (conforme a NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DAS CÂMARAS DE ENG. CIVIL E DE ENG. QUÍMICA N 001/09, 16

17 art. 2º, item 2.1). Após, encaminhar à fiscalização para que verifique se já foram realizadas as licitações para complementação dos projetos (e então solicitar ARTs referentes a estes projetos), bem como verificar se já estão sendo executadas as obras de implantação do aterro sanitário, para que sejam solicitadas as ARTs pertinentes à execução das obras PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SCONNTEC CONSTRUTORA DE OBRAS LTDA RELATOR : Cons. Alberto Stochero CONCLUSÃO : AO DEPARTAMENTO DE ACERVO TÉCNICO E ART Retirar a atividade de "Manutenção - Eq. Multivaga Emissor de Ticket de Estacionamento un" da ART pois o eng. civil não tem atribuição. Informar ao profissional e à contratante sobre a decisão acima. Encaminhar o processo à Câmara de Engenharia Elétrica, para verificar o cumprimento do solicitado à fl PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : COOPERATIVA HABITACIONAL COOPERLAG LTDA RELATOR : Cons. Augusto Portanova Barros CONCLUSÃO : No que refere-se a esta Câmara Especializada de Engenharia Civil, não há mais providências a serem tomadas. Encaminhar à Câmara Especializada de Arquitetura para análise referente ao solicitado à fl. 35 (APRESENTAÇÃO DE ART DE PROFISSIONAL HABILITADO, REFERENTE AO PROJETO URBANÍSTICO DO LOTEAMENTO) PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PRT - PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS LTDA. RELATOR : Cons. Alberto Stochero CONCLUSÃO : Sou pela improcedência da Notificação e pelo arquivamento do processo, sem o prejuízo, se for o caso, de nova notificação dentro dos procedimentos estabelecidos pela Resolução nº 1.008, de 2004, e normas aplicáveis à espécie. Reiniciar o processo de fiscalização para este ilícito, dentro dos procedimentos estabelecidos pela Resolução nº 1.008, de 2004, e normas aplicáveis à situação específica PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MUNICIPIO DE DOUTOR MAURICIO CARDOSO RELATOR : Cons. Augusto Portanova Barros CONCLUSÃO : Solicitamos, conforme legislação vigente, oficiar ao Comando do Corpo de Bombeiros informando que a referida Prefeitura não possui PPCI. Após, arquivar este processo PROTOCOLO Nº:

18 INTERESSADO : EDSON FERREIRA MELCHIADES RELATOR : Cons. Augusto Portanova Barros CONCLUSÃO : No que é pertinente a esta Câmara Especializada, não foram encontradas irregularidades. Encaminhar o presente processo à Câmara Especializada de Arquitetura, para verificação do cumprimento do solicitado à fl. 14, e para a Câmara de Geologia e Eng. de Minas para verificação do cumprimento do solicitado à fl PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARIA DO CARMO CORDEIRO E CIA LTDA CONCLUSÃO : Oficiar ao engenheiro civil Ronaldo Antonio Marson para que apresente, no prazo de 10 dias, a art referente ao PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, elaborado para a empresa Lineon Indústria e Comércio de Luminosos Ltda. Encaminhar juntamente do ofício cópia do PPRA (fls. 31 a 53), no qual consta a assinatura do profissional. Caso não haja o atendimento ao ofício no prazo solicitado, o engenheiro civil Ronaldo Antonio Marson deverá ser notificado por infringência aos artigos 1º e 3º da Lei 6496/77, falta de art referente ao PPRA elaborado para a empresa Lineon Indústria e Comércio de Luminosos Ltda, seguindo o Rito Processual da Resolução 1008/2004. Encaminhar à Câmara de Engenharia Industrial para análise, conforme solicitado fl PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : JOSE DUTRA CORREA - EXTIM LUME CORREA CONCLUSÃO : Ao DEC Concordamos com o parecer da Câmara de Engenharia Elétrica (fl. 28 a 31), devendo ser cumprido o solicitado no mesmo. 8. APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS EXTRAPAUTA RELATO DE PROCESSOS Processos de Denúncia e Ética Profissional PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : J.B.P. RELATOR : Cons. José Homero Finamor Pinto CONCLUSÃO : Entendemos não ter havido falha do profissional no sentido de ofensa ao Código de Ética Profissional, razão pela qual recomendo o arquivamento do presente processo, e que sejam oficiadas as partes. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : C.A.O.R. RELATOR : Cons. José Homero Finamor Pinto CONCLUSÃO : Antes desta Câmara realizar o julgamento, necessário dar ciência às partes do 18

19 teor do citado relattório, abrindo-se prazo de 10(dez) dias para manifestação, de acordo com a Resolução n do Confea. Após encerrado o prazo, com ou sem manifestação das partes, volte para análise e julgamento PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : S.L.S. CONCLUSÃO : 1- SAF: Notificar o Sr. Sérgio Luiz da Silva para apresentar o seu registro como engenheiro civil, capitulação Lei n. 5194/66, artigo 6, alínea b. 2- DEC: Oficiar ao Sr. Sérgio Luiz da Silva informando que foi aberto processo de denúncia tendo em vista a correspondência da Prefeitura Municipal de Minas do Leão, fl. 03, fornecendo um prazo de 10 dias para manifestação. (Enviar cópia da correspondência, fl. 03) PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : L.A.S.L. RELATOR : Cons. José Homero Finamor Pinto CONCLUSÃO : Entendemos ter havido falha do profissional, passível de enquadramento em Código de Ética, razão pela qual recomendamos o encaminhamento deste expediente à Comissão de Ética. Oficiem-se as partes, denunciante e denunciado. Aprovado com vinte e um votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : A.R. RELATOR : Cons. Maria Izabel Brener da Rosa CONCLUSÃO : SOMOS DO PARECER PELO ARQUIVAMENTO DO PROCESSO. Aprovado com vinte e dois votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : J.A.S.H. RELATOR : Cons. Júlio César Touguinha de Almeida CONCLUSÃO : O documento apresentado pelo empreiteiro Sr. N F (fl.59) não contém aceite dos serviços por parte do denunciante Sr. J D R N. Solicitar ao Eng. Civil J A S N, documento que confirme o aceite, por parte do denunciante, dos serviços realizados ou Laudo Técnico realizado por perito que comprove o saneamento dos vícios construtivos denunciados Processos de Auto de Infração PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SELETA-INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CONCRETAGEM LTDA. RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise da documentação que consta no processo conclui-se pela ausência de pressupostos de constituição e de desenvolvimento válido e regular do processo, devendo o presente Auto de Infração ser arquivado, com a extinção da multa imposta. 19

20 Considerando que a multa foi paga, oficiar ao interessado a decisão da CEEC e que, neste caso, se quiser a restituição do pagamento da multa deverá solicitar a restituição através de um pedido devidamente formalizado. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ECILDA OZORIO DO AMARAL RELATOR : Cons. Marcos Wetzel da Rosa CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CIDADES.COM - SERVIÇOS DE ASSESSORIA E CONSTRUÇÕES LTDA ME RELATOR : Cons. Marcos Wetzel da Rosa CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiros os fatos constatados, segundo os termos da autuação lavrada por infringência à Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "a", da Lei nº 5.194/66, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento da respectiva ART. Votação em bloco. Aprovado com vinte votos favoráveis, nenhum contrário e nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CIDADES.COM - SERVIÇOS DE ASSESSORIA E CONSTRUÇÕES LTDA ME RELATOR : Cons. Marcos Wetzel da Rosa CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiros os fatos constatados, segundo os termos da autuação lavrada por infringência à Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está 20

Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 21 de Outubro de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1014, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1014, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1014, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Maio de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 17 de Dezembro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Coordenador-Adjunto

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1012, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1012, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1012, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 1 de Abril de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes Coordenador

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 22 de Outubro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Outubro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Analista de Processos

Leia mais

Súmula da Reunião Ampliada n 1006, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ampliada n 1006, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ampliada n 1006, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 25 de Novembro de 2010 a 27 de Novembro de 2010 Local: FARROUPILHA - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 28 de Março de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 656, DE 11/06/2012, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 656, DE 11/06/2012, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITULARIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 4. LEITURA DE EXTRATO DE CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS

Leia mais

Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Dezembro de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Nelson Kalil Moussalle Coordenador

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 659, DE 10/09/2012-18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 659, DE 10/09/2012-18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITULARIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR: SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 658, DE 13/08/2012,

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1005, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1005, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1005, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Novembro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Adjunto Eng. Civ. Jorge

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 7 de Dezembro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Analista de Processos Analista de Processos Assistente

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 14 de Dezembro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coord. Adjunto Analista de Processos Analista

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Dezembro de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 11 de Abril de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Representante do Plenário

Leia mais

SÚMULA DA 374ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS

SÚMULA DA 374ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS Data: 26 de novembro de 2012 Local: Auditório Rebouças - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Geólogo Fábio Augusto Gomes

Leia mais

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 17 de dezembro de 2013 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. civil, eng. oper. mec. máq.

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 637, DE 15/10/2010, 18 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 637, DE 15/10/2010, 18 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 635, DE

Leia mais

SÚMULA DA 85ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 85ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 19 de maio de 2015 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. Indl. Mec. e Seg. Trab. Elio Lopes

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE ORDEM SF I. I - A.N.I. - MANUTENÇÃO UGI NORTE 1 SF-659/2012 SANDRA REGINA TEIXEIRA SANTIAGO CARLOS ALBERTO GUIMARÃES GARCEZ Processo: SF- 659/2012 Interessado: SANDRA REGINA TEIXEIRA

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE VISTAS I. I - PROCESSOS QUE RETORNAM À CÂMARA APÓS "VISTA" CONCEDIDA 2 UGI PRESIDENTE PRUDENTE Nº de Ordem 1 Processo/Interessado PR-661/2012 Relator JOÃO BATISTA PEREIRA ANTONIO MOACIR

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 10 de Maio de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO DISTRITO FEDERAL (CREA-DF)

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO DISTRITO FEDERAL (CREA-DF) SINOPSES DE PROCESSOS 619ª Sessão Ordinária da CEECMGA, realizada em 21.07.2015 Número de Ordem: 01 IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Nº PROC. 201887/2015 DATA: Interessado: Iracema Maria Durão Moreira Assunto:

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 9 de Maio de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 643, DE

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Dezembro de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003.

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o registro de profissionais, aprova os modelos e os critérios para expedição de Carteira de Identidade Profissional e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012 Dispõe sobre os registros definitivos e temporários de profissionais no Conselho de Arquitetura e Urbanismo e dá outras providências. O Conselho de Arquitetura e

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Fl. 1 de 5 CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA ARQUITETURA E AGRONOMIA DO RIO GRANDE DO SUL NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Dispõe sobre

Leia mais

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC

Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC 1 Regimento Interno de Atuação do Conselho Fiscal da Fundação das Escolas Unidas do Planalto Catarinense Fundação UNIPLAC Capítulo I Da Natureza, Finalidade e Composição Art. 1 - O Conselho Fiscal é o

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INSTRUÇÃO Nº 2560 Dispõe sobre procedimentos para a interrupção de registro profissional. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 34,

Leia mais

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES.

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES. Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo Av. César Hilal, 700 1º andar Bento Ferreira Vitória ES CEP 290 522 232 Tel.: (27) 3334 9900 FAX: (27) 3324 3644 CEEI DISPÕE SOBRE

Leia mais

Eng. Ind. Mec. e de Seg. Trab. Elio Lopes dos Santos Creasp nº 0601832438 Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho

Eng. Ind. Mec. e de Seg. Trab. Elio Lopes dos Santos Creasp nº 0601832438 Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP 93ª REUNIÃO ORDINÁRIA DE 18/02/2016 ORDEM DO DIA Data: 18/02/2016 Horário: 13h30min. Local: Centro Técnico

Leia mais

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA TÓPICOS INSTRUMENTOS LEGAIS APLICÁVEIS LEGISLAÇÃO: CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LEIS, DECRETOS e RESOLUÇÕES FORMAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL DELIBERAÇÕES NORMATIVAS

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1 PROCESSO Nº: REP 11/00278840 UNIDADE GESTORA: PREFEITURA MUNICIPAL DE TIJUCAS INTERESSADO:

Leia mais

RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014

RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014 RESOLUÇÃO CRP16 Nº 005/2014 Dispõe sobre registro, cadastro, cancelamento e responsabilidade técnica das Pessoas Jurídicas da jurisdição do CRP16 e revoga a Resolução CRP 16 nº 004/2007, de 10 de novembro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO TOCANTINS COEMA CAPÍTULO I DAS COMPETÊNCIAS

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO TOCANTINS COEMA CAPÍTULO I DAS COMPETÊNCIAS REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO TOCANTINS COEMA CAPÍTULO I DAS COMPETÊNCIAS Art. 1 - O Conselho Estadual do Meio Ambiente do Estado do Tocantins COEMA, órgão colegiado

Leia mais

Análise e Aprovação dos Projetos. dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS. junho 2013. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Análise e Aprovação dos Projetos. dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS. junho 2013. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária Análise e Aprovação dos Projetos dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS junho 2013 RDC ANVISA 51 de 06/10/2011 Dispõe sobre os requisitos mínimos para a análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1960 (ORDINÁRIA) DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1960 (ORDINÁRIA) DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012 SESSÃO PLENÁRIA Nº 1960 (ORDINÁRIA) DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012 IV. Discussão e aprovação da ata da sessão plenária nº 1957 (ordinária) de 08 de novembro de 2012. PAUTA Nº: 1 PROCESSO: Interessado: Crea-SP

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE ENGENHARIA PARA REFORMA DOS BANHEIROS COLETIVOS DOS BLOCOS I E J DO CONDOMÍNIO ANEEL/ANP/CPRM.

CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE ENGENHARIA PARA REFORMA DOS BANHEIROS COLETIVOS DOS BLOCOS I E J DO CONDOMÍNIO ANEEL/ANP/CPRM. RELATÓRIO DE HABILITAÇÃO DA COMISSÃO DE LICITAÇÃO DA TOMADA DE PREÇOS N 01/2013 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE ENGENHARIA PARA REFORMA DOS BANHEIROS COLETIVOS DOS BLOCOS I E J DO CONDOMÍNIO ANEEL/ANP/CPRM.

Leia mais

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012.

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. *Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Boletim Eletrônico do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná - Edição nº 10 - segunda-feira, 3 de dezembro de 2012.

Boletim Eletrônico do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná - Edição nº 10 - segunda-feira, 3 de dezembro de 2012. Boletim Jurídico Boletim Eletrônico do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná - Edição nº 10 - segunda-feira, 3 de dezembro de 2012. PROJETO DE LEI Nº 04715/2012 - Obrigatoriedade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA N.º 531/2015 (quingentésima trigésima primeira) DIVISÃO DE APOIO AO COLEGIADO - DAC ASSUNTO: Pauta da Sessão Ordinária n.º 531/2015, do Plenário do Crea-DF. 11/FEV/2015 HORÁRIO:

Leia mais

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições Dispõe sobre o exercício profissional dos Tecnólogos das áreas submetidas à regulamentação e fiscalização instituídas pela Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966, e dá outras providências.

Leia mais

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CREA-RS Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL INSPEÇÃO TÉCNICA DE SEGURANÇA VEICULAR O QUE FISCALIZAR ONDE FISCALIZAR PARÂMETRO LEGISLAÇÃO Inspeção Empresas

Leia mais

PREFEITU R A MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITU R A MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO D E L I B E R A Ç Ã O C M E N º 0 1 / 2 0 0 6 Fixa normas para autorização de funcionamento e supervisão de instituições de Educação Infantil, no Sistema M unicipal de Ensino. O Conselho Municipal de Educação,

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

http://www.fonoaudiologia.org.br//servlet/consultalegislacao?acao=pi&leiid=17

http://www.fonoaudiologia.org.br//servlet/consultalegislacao?acao=pi&leiid=17 Page 1 of 7 Número: 339 Ano: 2006 Ementa: Dispõe sobre o registro de Pessoas Jurídicas nos Conselhos de Fonoaudiologia e dá outras providências. Cidade: - UF: Conteúdo: Brasilia-DF, 25 de Fevereiro de

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia

Conselho Federal de Farmácia RESOLUÇÃO Nº 566 DE 6 DE DEZEMBRO DE 2012 Ementa: Aprova o Regulamento do Processo Administrativo Fiscal dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia. O CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA, no uso das atribuições

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DE ALAGOAS CREA-AL SÚMULA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DE ALAGOAS CREA-AL SÚMULA SÚMULA Súmula da 152ª Reunião Ordinária da Câmara Especializada de Engenharia Mecânica, Metalúrgica, Geologia e Minas do CREA/AL, em 22 de fevereiro de 2016, às 17 horas, na sala da plenária do CREA/AL.

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL REGISTRO PROFISSIONAL E ACERVO TÉCNICO A EXPERIÊNCIA DO CREA-PR Eng. Civ. Joel Krüger Presidente CREA-PR Sistema CONFEA/CREAs 977.750 Profissionais 306

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: ICP 0288/2007 PRT/2ª S. Bernardo do Campo Procurador oficiante: Dr. João Filipe Moreira Lacerda Sabino Interessado: Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DO CONSELHO, ATRIBUIÇÕES E SUA COMPOSIÇÃO Art. 1.º- O Conselho Municipal de Educação de Carlos Barbosa, criado pela Lei Municipal nº1.176 de

Leia mais

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPE ATA DA 8ª SESSÃO PLENÁRIA DE 2011

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPE ATA DA 8ª SESSÃO PLENÁRIA DE 2011 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPE ATA DA 8ª SESSÃO PLENÁRIA DE 2011 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Aos vinte e quatro dias do mês de maio

Leia mais

Legislação em Vigilância Sanitária

Legislação em Vigilância Sanitária Legislação em Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO - RDC Nº 189, DE 18 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre a regulamentação dos procedimentos de análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos de estabelecimentos

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1035, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1035, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1035, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 27 de Abril de 2012 Local: SANTA MARIA - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes Coordenador

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER APRESENTAÇÃO O CAU/RS Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul, na qualidade de Autarquia Federal deve na

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88

R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88 R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFPI Aprova o Regimento do Conselho de Administração da UFPI. O Reitor da Universidade Federal do Piauí e Presidente do Conselho de Administração,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 525/2008 TCE PLENO

RESOLUÇÃO Nº. 525/2008 TCE PLENO RESOLUÇÃO Nº. 525/2008 TCE PLENO 1. Processo nº: 03755/2007 2. Classe de Assunto: Procedimento Licitatório Dispensa 3. Origem: Secretaria da Saúde SESAU 4. Responsável: Eugênio Pacceli de Freitas Coelho

Leia mais

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP Regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades, competências e caracterização do âmbito de atuação dos profissionais inseridos no Sistema CONFEA-CREA João Fernando Custodio da Silva

Leia mais

COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA

COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1 - A Comissão de Ética no Uso de Animal da Universidade Federal do Pampa (Unipampa/CEUA),

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE CARAPICUIBA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO Conforme aprovado em reunião do Conselho Municipal de Habitação, realizada aos 29 de maio de 2012; REGIMENTO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS ESTADO" DO CEARÁ RESOLUÇÃO N. 4VIS /2007 1a CÂMARA DE JULGAMENTO 76 a SESSÃO DE: 18.04.2007 PROCESSO N. 1/002917/2002 AUTO DE JNFRAÇÃO N 1/200210491 RECORRENTE: DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS FREIRE RECORRIDO:

Leia mais

ARSAM Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas

ARSAM Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas ATA DA DÉCIMA PRIMEIRA REUNIÃO ORDINÁRIA ADMINISTRATIVA REGULATÓRIA DO CONSELHO ESTADUAL DE REGULAÇÃO E CONTROLE DOS SERVIÇOS PÚBLICOS CONCEDIDOS DO ESTADO DO AMAZONAS. Aos onze dias do mês de setembro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1060, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1060, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1060, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 7 de Junho de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselherio Representante

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 09 /2008

RESOLUÇÃO Nº. 09 /2008 1 RESOLUÇÃO Nº. 09 /2008 Dispõe sobre o Regimento Interno da Junta Recursal do Programa Estadual de Proteção e Defesa ao Consumidor JURDECON e dá outras providências. O Colégio de Procuradores de Justiça

Leia mais

NORMA nº 02/2011 - CEGM

NORMA nº 02/2011 - CEGM NORMA nº 02/2011 - CEGM Dispõe sobre a fiscalização e regularização das atividades de planejamento, pesquisa, locação, perfuração, ensaios, limpeza e manutenção de poços tubulares para captação de água

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAURENTINO CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAURENTINO CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE LAURENTINO CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE APRESENTADO PARA SER DISCUTIDO E APROVADO na reunião do Conselho CAPÍTULO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS ACÓRDÃO N o : 147/2011 RECURSO VOLUNTÁRIO N o : 7.953 PROCESSO N

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação (CME) Venâncio Aires - RS

Regimento do Conselho Municipal de Educação (CME) Venâncio Aires - RS Regimento do Conselho Municipal de Educação (CME) Venâncio Aires - RS CAPITULO I DA NATUREZA Art. 1º O Conselho Municipal de Educação de Venâncio Aires, consolidado pela lei Municipal nº 3904 de 16 de

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ASSESSORIA DA FISCALIZAÇÃO IT. 42 01 1 / 5 1. OBJETIVO Assessorar o Departamento de nas ações fiscalizatórias de verificação do exercício das profissões pertencentes ao sistema Confea/Crea, junto às empresas,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: PRT 5ª Região Barreiras/BA Interessado(s) 1: Alessandro Cessário de Medeiros Interessado(s) 2: Galvani Indústria, Comércio e Serviços Ltda. JP Bechara Terraplanagem e Pavimentação Ltda. Bonfim

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000 RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000 Fixa normas de fiscalização de procedimentos administrativos, e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA-CFMV, no uso das atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS CEUA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS CEUA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS CEUA CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º. A Comissão

Leia mais

FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL

FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL FUNCASAL REGIMENTO INTERNO CONSELHO FISCAL dezembro/2008 Capítulo I Da competência do Conselho Fiscal Art. 1º Como órgão de controle interno da EFPC, compete ao Conselho Fiscal, na forma estabelecida no

Leia mais

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 Dispõe sobre a criação de Comissão de Ética de Enfermagem Institucional. CONSIDERANDO o disposto no artigo 8º, I, da Lei 5.905/73, que possibilita ao COFEN aprovar seu regimento

Leia mais

FACULDADE LEÃO SAMPAIO

FACULDADE LEÃO SAMPAIO CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE LEÃO SAMPAIO COORDENAÇÃO DE PESQUISA E EXTENSÃO COPEX Regimento Interno do Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade Leão Sampaio (CEP/LEÃO SAMPAIO) Atualizado

Leia mais

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA

D E C R E T A CAPÍTULO I DO RESPONSÁVEL E DA ABRANGÊNCIA Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 13.869 DE 02 DE ABRIL DE 2012 Estabelece procedimentos a serem adotados pelos órgãos e entidades da Administração

Leia mais

Cadastro Organizacional/PMS CMI/SETAD CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI

Cadastro Organizacional/PMS CMI/SETAD CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI ÓRGÃO COLEGIADO SECRETARIA MUNICIPAL DO TRABALHO, ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS DO

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

RESOLUÇÃO N. TC-0109/2015

RESOLUÇÃO N. TC-0109/2015 RESOLUÇÃO N. TC-0109/2015 Dispõe sobre o procedimento de reconstituição e restauração dos autos de processos do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROJETO DE LEI N o 6.125, DE 2013 I - RELATÓRIO

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROJETO DE LEI N o 6.125, DE 2013 I - RELATÓRIO COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 6.125, DE 2013 Dispõe sobre a obrigatoriedade de conservação e manutenção de elevadores elétricos, esteiras e escadas rolantes instalados em edifícios

Leia mais

A harmonia de procedimentos que deve existir entre os diversos Conselhos Regionais de Nutricionistas; CAPÍTULO I DO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO

A harmonia de procedimentos que deve existir entre os diversos Conselhos Regionais de Nutricionistas; CAPÍTULO I DO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO Página 1 de 1 RESOLUÇÃO CFN Nº 466/2010 Dispõe sobre a inscrição de Nutricionistas nos Conselhos Regionais de Nutricionistas, e dá outras providências O Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), no uso

Leia mais

PORTARIA Nº 98 DE 11/06/2010 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 12/06/2010

PORTARIA Nº 98 DE 11/06/2010 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 12/06/2010 PORTARIA Nº 98 DE 11/06/2010 (Estadual - Minas Gerais) Data D.O.: 12/06/2010 Dispõe sobre a autorização para recebimento e homologação de laudos técnico-ambientais e plantas georreferenciadas, elaborados

Leia mais

Minuta de Lei para criação do Sistema Municipal do Meio Ambiente

Minuta de Lei para criação do Sistema Municipal do Meio Ambiente Minuta de Lei para criação do Sistema Municipal do Meio Ambiente Faço saber que a Câmara Municipal de, Estado de Goiás, decreta e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: Art. 1.º - Esta lei, com

Leia mais

Assinatura: RELATÓRIO

Assinatura: RELATÓRIO Gerência/Diretoria: NUCLEO-RJ/SEGER Protocolo nº: 33902.566210/2012-01 Data: 23/11/2012 Hora: 14:33:25 Diretoria de Fiscalização Assinatura: Processo n.º: 33902.113433/2010-08 Demanda/Protocolo: 963822/959019

Leia mais

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece procedimentos administrativos para fins de Registro de Atestado de obra/serviço no Crea-RS, conforme disposto na Resolução do Confea

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA imprimir Norma: RESOLUÇÃO Órgão: Conselho Federal de Medicina Número: 1980 Data Emissão: 07-12-2011 Ementa: Fixa regras para cadastro, registro, responsabilidade técnica e cancelamento para as pessoas

Leia mais

TÍTULO VII SISTEMA DE GESTÃO URBANA. I - O sistema de gestão deve assegurar a participação democrática;

TÍTULO VII SISTEMA DE GESTÃO URBANA. I - O sistema de gestão deve assegurar a participação democrática; TÍTULO VII SISTEMA DE GESTÃO URBANA Art. 219. A institucionalização de mecanismos e instrumentos de gestão democrática da cidade é uma forma de promover a cidadania e aproxima o cidadão das instâncias

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL, REALIZADA EM

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL, REALIZADA EM REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL, REALIZADA EM 22/05/2014 PRESIDENTE DA CÂMARA: Raul Jorge Fernandes Cunha, Dr. VEREADORES PRESENTES: Pompeu Miguel Noval da Rocha Martins, Dr. Helena Marta de Oliveira

Leia mais

Semanário Oficial Nº 2.348 Campina Grande, 10 a 14 de Fevereiro de 2014. Pág. 1

Semanário Oficial Nº 2.348 Campina Grande, 10 a 14 de Fevereiro de 2014. Pág. 1 Semanário Oficial Nº 2.348 Campina Grande, 10 a 14 de Fevereiro de 2014. Pág. 1 SEMANÁRIO OFICIAL ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO Lei Municipal nº.

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE RESOLUÇÃO CONEMA Nº 42 DE 17 DE AGOSTO DE 2012 DISPÕE SOBRE AS ATIVIDADES QUE CAUSAM OU POSSAM CAUSAR IMPACTO AMBIENTAL LOCAL, FIXA

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, conforme Lei Orgânica Municipal, e;

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE LONDRINA, ESTADO DO PARANÁ, no uso das suas atribuições legais, conforme Lei Orgânica Municipal, e; DECRETO Nº 769 DE 23 DE SETEMBRO DE 2009 SÚMULA: Regulamenta a gestão dos resíduos orgânicos e rejeitos de responsabilidade pública e privada no Município de Londrina e dá outras providências. O PREFEITO

Leia mais