Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil"

Transcrição

1 Súmula da Reunião Ordinária n 1025, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 21 de Outubro de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Conselheiro Analista de Processos Analista de Processos Assistente Administrativo Assistente Administrativo Assistente Administrativo Oficial Administrativo Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes Eng. Civ. Nelson Kalil Moussalle Geog. André Luis Queiroz Araujo Eng. Civ., Eng. Seg. Trab. Augusto Portanova Barros Eng. Civ. Carlos Giovani Fontana Eng. Civ. Edival Silveira Balen Eng. Civ. Elizabeth Trindade Moreira Eng. Civ. Jorge Alberto Albrecht Filho Eng. Civ. Jorge Augusto Peres Moojen Eng. Civ. José Ascânio Vilaverde Moura Eng. Civ. José Homero Finamor Pinto Eng. Civ. Julio Cesar Touguinha De Almeida Eng. Civ. Luiz Carlos Karnikowski De Oliveira Eng. Civ., Eng. Mec., Eng. Seg. Trab. Luiz Inácio De Souza Sebenello Eng. Civ. Marcelo Schuler Eng. Civ. Marcos Fernando Uchôa Leal Eng. Civ. Silverius Kist Junior Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Viviane Mattje Juliana Ritt Vera Regina Pereira Mendonca Elaine Lourdes A. Viegas Manoela Schumacher Triches Dos Santos Luciana Guimaraes Barbieri OBSERVAÇÕES.: Justificaram previamente a ausência os conselheiros: Evandro Krebs Gonçalves e seu suplente José Ubirajara Martins Flores, Fernando Martins Pereira da Silva, Flávio Pezzi e seu suplente Marcelo João Valandro,Hilário Pires e seu suplente Odilon Carpes Moraes, Lia Maria Herzer Quintana,Luiz Fernando Castro do Amaral e seu suplente Alexandre Gabriel Chanas, Marcos Wetzel da Rosa e seu suplente Hermes Luis Siqueira. Não justificaram a ausência em tempo hábil os conselheiros: Emídio Marques Ferreira e Maria Izabel Brener da Rosa. Não foram convocados os conselheiros: Noel da Silva Santos, Gerson Sonaglio e Júlio César da Rosa Malfatti Bianchi. O conselheiro Ricardo Scavuzzo Machado está licenciado até 08 de novembro de VERIFICAÇÃO DO QUÓRUM CONCLUSÃO : Quórum foi verificado. 2. APROVAÇÃO DA(S) SÚMULA(S) nº

2 CONCLUSÃO : Aprovada com quinze votos favoráveis, nenhum contrário, nenhuma abstenção.d ANÁLISE DO EXPEDIENTE ANÁLISE DO EXPEDIENTE - PARA CONHECIMENTO REFERÊNCIA : Portaria n 127, de 12/09/2011, do Gabinete da Presidência do Crea-RS. ASSUNTO : Prorroga prazo concedido aos empregados do Conselho para adesão ao Programa de Demissão Incentivada do Crea-RS - PDI CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Comissão de Coordenadores das Câmaras Especializadas do Crea - CCAM-RS ASSUNTO : Encaminha Ata da Reunião da Comissão de Coordenadores das Câmaras Especializadas do Crea - CCAM-RS CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Memorando/JURCircular n. 1216/2011 do Departamento Juridico - Execução Fiscais ASSUNTO : Ação Ordinária c/c Pedido de Antecipação de Tutela: suspender os efeitos da notificação n e deverá o Conselho, todavia, levar em consideração, no exame do pedido de registro da empresa a condição técnica reconhecida ao segundo demandante nesta decisão. OBS : A Assessoria Técnica respondeu ao Departamento Jurídico: "Esclarecemos que a notificação n constante na Decisão (liminar/antecipação da Tutela) se refere à pessoa jurídica praticando ato privativo de profissional habilitado ao executar terraplenagem na Rua Candido Godoi, n. 501 Vivendas do Arvoredo Gramado/RS, datada em 13 de maio de A referida notificação (fl. 46) se encontra arquivada, conforme nosso banco de dados (fl. 47) pelo motivo de obra regular, pois foi apresentada ART n (fl. 48), referente a terraplenagem. Quanto ao pedido de habilitação do registro da empresa constante na Decisão (liminar/antecipação da tutela), informamos que a empresa Vivendas Urbanismo Ltda já possui registro no Crea-RS desde 22/10/2010, com Eng. Civil José Carlos Silveira, como responsável técnico (fls. 44 e 45). Esclarecemos que a empresa não solicitou a isenção da exigibilidade de registro ou responsável técnico." CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : Consulta da Gerência do DEC datada de 11/10/2011. ASSUNTO : Solicita que seja verificado, no Edital 08/2011, do Departamento Municipal de Água e Esgoto - DMAE, se o profissional citado no código CP72 do item 02, do quadro de cargos em concurso-nível médio e técnico estão corretamente nominados, frente ao definido no item Prova de conhecimentos Especificos, item OBS : A Assessoria Técnica respondeu ao Departamento Executivo das Câmaras: "Considerando o Decreto n /33 e Resolução n. 218/73, constatamos ao analisar os temas constantes no item que detalha o conteúdo programático das provas, do cargo Técnico em Tratamento de Água e Esgotos, que vários tópicos devido a sua amplitude seriam para outros cargos como Engenheiro Civil, Engenheiro Sanitarista e Engenheiro Ambiental. Contudo, o conteúdo programático das provas não define a atividade que vai ser desenvolvida pelo profissional que assume o cargo, o que define é a atribuição do cargo constante no anexo IV Atribuição Sintética dos Cargos. No caso 2

3 CONCLUSÃO consultado as atividades de atuar na operação e no controle de qualidade dos sistemas de tratamento e distribuição de água e tratamento e destinação de esgotos; de executar atividades relacionadas à pesquisa em saneamento poderão ser desenvolvidas por engenheiro civil, engenheiro sanitarista, e engenheiro ambiental, técnico em saneamento e técnico em meio ambiente, desde que os profissionais de nível médio citados tenham cursado disciplinas referentes a sistema de tratamento e distribuição de água e esgotos. Quanto ao técnico em Química a CEEQ deverá se manifestar". : Ciente REFERÊNCIA : datado de 19/10/2011, da CEEF. ASSUNTO : Encaminha relação atualizada da jurisdição das inspetorias do Crea=RS. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : MEMO/FISC/SU n 1656/2011, datado de 18/10/2011, do Departamento de Fiscalização/Supervisão, do Crea-RS ASSUNTO : Informa sobre ação de fiscalização nas licitações da Prefeitura de Alegrete. CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : datado de 18/10/2011, Eng. Seg. Trab. Rogério Luiz Balbinot. ASSUNTO : Encaminha convite para o 10º Seminário e Feira Norte-Nordeste de Saúde, Segurança no Trabalho e Emergência - PREVENOR 2011, a realizar-se nos dias 19 e 21/10/2011, na cidade de Salvador (BA). CONCLUSÃO : Ciente REFERÊNCIA : datado de 18/10/2011, do Eng. Seg. Trab. Rogério Luiz Balbinot. ASSUNTO : Comunica a realização do curso "Como elaborar programas ambientais desde o PPRA até o preenchimento do PPP como uso de ferramenta eletrônica", destinado a todos os profissionais da área de segurança, além de profissionais de RH contadores. CONCLUSÃO : Ciente ANÁLISE DO EXPEDIENTE - PARA MANIFESTAÇÃO REFERÊNCIA : da Assesoria Parlamentar do Confea, datado de 13/10/ Encaminha Consulta n. 013/2011 -APAR - Informação I-889/2011 (Projeto Lei n. 2203/2011) ASSUNTO : Restruturação de cargos, planos de cargos e carreiras no âmbito da Admnistração Pública Federal. OBS : Prazo:13/11/2011 CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. Foi distribuído ao Cons. Marcos Fernando Uchôa Leal REFERÊNCIA : Memorando n 108/2011, datado de 17/10/2011-DEARQ, da Câmara Especializada de Arquitetura. ASSUNTO : Informa procedimentos para o tratamento dos processos nas Câmaras Especializadas de Arquitetura durante o período anterior à instalação do CAU, em cumprimento ao que determinam os artigos 55 e 56, em vigor, da Lei n /2010, no que diz respeito à transição e perspectivas para a migração. CONCLUSÃO : Ciente. 3

4 3.2.3 REFERÊNCIA : RECADASTRAMENTO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO - INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA - PROTOCOLO: CONCLUSÃO : Somos pelo deferimento do cadastramento da Instituição de Ensino. Encaminhar para aprovação do Plenário do Crea/RS e após, ao Confea para conhecimento e anotação das informações no Sistema de Informações Confea/Crea SIC. Informar à Instituição de Ensino que deverá providenciar o cadastramento dos cursos regulares oferecidos vinculados ao Sistema Confea/Crea, que ainda não foram devidamente cadastrados nos termos do anexo III da Resolução n. 1010/05, conforme proposto no Relatório Fundamentado da CEAP Comissão de Educação e Atribuição Profissional. Aprovado com quinze votos favoráveis, nenhum contrário, nenhuma abstenção. D REFERÊNCIA : RECADASTRAMENTO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO - ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO ILDEFONSO SIMÕES LOPES - PROTOCOLO: CONCLUSÃO : Somos pelo deferimento do cadastramento da Instituição de Ensino. Encaminhar para aprovação do Plenário do Crea/RS e após, ao Confea para conhecimento e anotação das informações no Sistema de Informações Confea/Crea SIC. Informar à Instituição de Ensino que deverá providenciar o cadastramento dos cursos regulares oferecidos vinculados ao Sistema Confea/Crea, que ainda não foram devidamente cadastrados nos termos do anexo III da Resolução n. 1010/05, conforme proposto no Relatório Fundamentado da CEAP Comissão de Educação e Atribuição Profissional, que consta nas fls. 24 a 27. Aprovado com quinze votos favoráveis, nenhum contrário, nenhuma abstenção. D COMUNICADOS APRESENTAÇÃO DA PAUTA DISCUSSÃO DOS ASSUNTOS PERTINENTES À CÂMARA ESPECIALIZADA REFERÊNCIA : enviado pelo Prof. Paulo Soares do Departamento de Geografia da UFRGS - Datado: 22/09/2011 ASSUNTO : Encaminha consulta sobre as discussões da "Matriz de conhecimento" dos cursos de Geografia. RELATOR : Cons. André Luis Queiroz Araujo CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.2 REFERÊNCIA : datado de 03/08/2011, da Comissão de Meio Ambiente, do Crea-RS ASSUNTO : Encaminha Programação da Conferência Regional Sul do GT-Sustentabilidade, dia 19/08/2011, em Porto Alegre. Encaminha o Manual de Fiscalização do Confea. RELATOR : Cons. José Homero Finamor Pinto CONCLUSÃO : Da análise do documento supra referido, depreende-se que o manual foi elaborado sem uma sistematização única, ou seja cada área seguiu um roteiro pré-definido, porém imprimindo as suas características próprias no texto que não guarda muita semelhança de forma e formato entre as diversas áreas da 4

5 engenharia e Arquitetura lá descritas. Careceria portanto um aprimoramento futuro na forma de sistematização única, para que a estrutura do manual seja semelhante em cada uma das profissões abordadas. De resto, é positiva a orientação expedida pelo documento, carecendo apenas desta sistematização. Aprovado com dezesseis votos favoráveis, nenhum contrário, nenhuma abstenção. D REFERÊNCIA : Atividades constantes nas ARTs- Modalidade civil e Modalidade Agrimensura RELATOR : Cons. André Luis Queiroz Araujo - José Homero Finamor Pinto - Maria Izabel Brener da Rosa CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.4 REFERÊNCIA : do Cons. Mélvis Barrios Júnior - Datado: 19/09/2011 ASSUNTO : Esclarecimentos sobre Processo Eleitoral - Confea. Aprovação de manifestação da CEEC sobre o assunto. OBS : Participação do Cons. Federal Mélvis Barrios Junior CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.5 REFERÊNCIA : Comissão do Meio Ambiente. OBS : O Cons. José Homero Finamor Pinto na Reunião nº 1024 comunicou que é representante do Crea no Consema e salientou sua preocupação com possíveis decisões que venham dificultar o uso do carvão mineral como energia, como aconteceu com a nova norma que reduziu ao nível de nitrato e fosfato, diminuindo a porcentagem de esgoto tratado no Estado do Rio Grande do Sul. E sugere que a CEEC se manifeste sobre o assunto e que seja pautado as propostas que foram encaminhadas no Consema. Ficou decidido encaminhar as duas propostas para análise de CEEC, na próxima reunião. RELATOR : Cons. Jose Homero Finamor Pinto CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião. 6.6 REFERÊNCIA : Indicação da CEEC para Diretor Financeiro da Mútua OBS : Prazo: até 08 de novembro de RELATOR : Cons. Silverius Kist Júnior CONCLUSÃO : O Cons. Silverius Kist Júnior sugeriu o nome do Cons. Jorge Alberto Albrecht Filho para compor a Diretoria da Mútua. Vários conselheiros se manifestaram. Foram escolhidos os nomes dos Cons. Jorge Alberto Albrecht Filho e Cons. Silverius Kist Júnior RELATO DE PROCESSOS Processos de Denúncia e Ética Profissional PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : L.W. RELATOR : Cons. Elizabeth Trindade Moreira CONCLUSÃO : Encaminhou-se para a próxima reunião PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : T.C.L. RELATOR : Cons. Marcos Fernando Uchôa Leal CONCLUSÃO : Considerando que os atestados em questão tenham sofrido adulteração indevida 5

6 com o único intuito de atender Edital de certame licitatório. Considerando que os atestados referem-se à ART s de responsabilidade técnica do Eng.º Civil, L D. Entendo que há fortes indícios de o profissional infringiu o Código de Ética no Art. 10. No exercício da profissão, são condutas vedadas ao profissional: I - ante ao ser humano e a seus valores:... b) usar de privilégio profissional ou faculdade decorrente de função de forma abusiva, para fins discriminatórios ou para auferir vantagens pessoais. E, II ante à profissão:... b) utilizar indevida ou abusivamente do privilégio de exclusividade de direito profissional; c) omitir ou ocultar fato de seu conhecimento que transgrida a ética profissional; Encaminhar o presente processo à Comissão Permanente de Ética Profissional, para que instrua o processo, apure os fatos e emita relatório conclusivo. Dar conhecimento às partes do teor da decisão. Aprovado com dezessete votos favoráveis, nenhum contrário, nenhuma abstenção. D Processos de Auto de Infração PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. 6

7 Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. Deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento da respectiva ART de execução do arquitetônico, estrutural, fundações, instalações elétricas e instalações hidrossanitárias. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. 7

8 nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. Deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento da respectiva ART. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana 8

9 CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. Deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento da respectiva ART de execução do arquitetônico, do estrutural, das instalações elétricas e das instalações hidrossanitárias. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. 9

10 Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº:

11 INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARMA CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Carlos Giovani Fontana CONCLUSÃO : Da análise do presente processo não se constatam elementos capazes para desconstituir o Auto de Infração, haja vista o não atendimento das disposições legais antes citadas, restando configurada a falta de ART, de acordo com a Lei nº 6.496, de 1977, art. 1º e 3º. Assim sendo, sou pela procedência do Auto de Infração com a manutenção da multa imposta, prevista no art. 73, alínea "a", da Lei 5.194, de 1966, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. Deverá providenciar a regularização junto a este Conselho, através do recolhimento da respectiva ART de execução do arquitetônico, do estrutural, das instalações elétricas e das instalações hidrossanitárias relativas à edificação objeto deste auto de infração. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : AURI MARQUES E CIA LTDA RELATOR : Cons. Augusto Portanova Barros CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim 11

12 o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. nenhuma abstenção. D PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SOS DEDETIZADORA RELATOR : Cons. Augusto Portanova Barros CONCLUSÃO : O(A) autuado(a), regularmente notificado, não produziu defesa, ensejando assim o JULGAMENTO À REVELIA do Auto de Infração, presumindo-se verdadeiro o fato da autuada ter exercido atividades abrangidas pela área de fiscalização do Crea sem, no entanto, possuir registro, contrariando o que dispõe o art. 59, caput, da Lei nº 5.194, de 1966, antes citada. Sendo o Auto de Infração procedente, mantenha-se a multa, cujo valor está previsto no art. 73, alínea "c", da citada Lei, devendo o processo ter seu prosseguimento até o pagamento da dívida, atualizada. O(A) autuado(a) deverá providenciar a regularização do ilícito junto a este Conselho, através do registro. nenhuma abstenção. D Processos de registro profissional e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SERGIO AUGUSTO BECKE CONCLUSÃO : Somos pelo deferimento da anotação do curso de Especialização em Engenharia de Avaliações e Perícias Processos de Registro Pessoa Jurídica e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PNTSUL PINTURAS E REFORMAS LTDA - ME CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro da Pessoa Jurídica PNTSUL PINTURAS E REFORMAS LTDA.ME. O Indeferimento é devido o descumprindo do Parágrafo único - artigo 18º da Resolução n. 336/89. 12

13 Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SPRAY MONTADORA E LOCAÇÃO LTDA-ME CONCLUSÃO : Esta Especializada está ciente da manifestação da empresa de fl. 33, em resposta ao parecer de fl. 29. Somos pelo arquivamento do presente processo PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CLAUDIO DOMINGOS MACHADO & CIA LTA CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro da Pessoa Jurídica CLAUDIO DOMINGOS MACHADO & CIA LTDA. O indeferimento é devido o profissional Eng. Civil Thiago Brezolin, não possuir disponibilidade de horário. Salientamos que, concentrou sua carga horária fora do horário comercial e no final de tarde. E a empresa tem como objeto social prestação de serviços da construção civil, entre outras atividades, ou seja, devido sua amplitude. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FORTE ATIVA CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÕES LTDA ME CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro da Pessoa Jurídica FORTE ATIVA CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÕES LTDA.ME. O indeferimento é devido o profissional Eng. Civil Nilson Rodrigues Karam, não possuir disponibilidade de horário. Salientamos que, concentrou sua carga horária fora do horário comercial e no final de tarde. E a empresa tem como objeto social construções residenciais e comerciais, entre outras atividades, ou seja, devido sua amplitude. Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : A. CARVALHO CONSTRUÇÕES LTDA RELATOR : Cons. Silverius Kist Junior CONCLUSÃO : Deferir a baixa de registro da Pessoa Jurídica A. CARVALHO CONSTRUÇÕES LTDA. Cumprir a Instrução da Presidência n. 109/2009. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : INEZ CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA RELATOR : Cons. Silverius Kist Junior 13

14 CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL ELINOR FERNANDO DALLA LANA, pela Pessoa Jurídica requerente. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CASA MIA CONSTRUTORA LTDA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL ROGÉRIO MIGOTTO, pela Pessoa Jurídica requerente. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : LUXTRAN SOLUÇÕES AMBIENTAIS LTDA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL HERMES MATZEMBACHER FILHO, pela Pessoa Jurídica requerente. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TELEAR TECNOLOGIA ELETRO-ELETRÔNICA E CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA RELATOR : Cons. Silverius Kist Junior CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL JULIANO CRECZYNSKI, pela Pessoa Jurídica requerente PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FERRARI ORGANIZAÇÃO E AVALIAÇÕES PATRIMONIAIS LTDA RELATOR : Cons. Marcos Fernando Uchôa Leal CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL CARLOS VANDERLEI MALLMANN, pela Pessoa Jurídica requerente PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : FERRETTO PENA ENGENHARIA LTDA. CONCLUSÃO : Oficiar ao ENG.º CIVIL WILMAR PEÑA RODRIGUES FILHO, dando ciência que possui 1(uma) ART em Demais exigências de nº B está em Exigência Assinatura Original do Profissional e Exigência - Assinatura Original do Contratante, devendo ser regularizada. 14

15 Concedemos o prazo de 10 (dez) dias a contar do recebimento deste para providências PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CARLOS LANG ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL DAGOBERTO PINO DA ROSA, pela Pessoa Jurídica requerente PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : BENJAMIM TOCHETTO & CIA. LTDA. CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL JOÃO ALEIXO BRUSCHI, pela Pessoa Jurídica requerente. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : G.SELL DO BRASIL CONSTRUTORA E GESTAO DE PROJETOS LTDA RELATOR : Cons. Marcos Fernando Uchôa Leal CONCLUSÃO : Oficiar à empresa e ao profissional ENG. CIVIL BOLÍVAR DA SILVEIRA TEIXEIRA, esclarecendo que conforme a Norma de Fiscalização da Câmara de Engenharia Civil NF 001/2010, deverá atender à empresa G. SELL DO BRASIL CONSTRUTORA E GESTÃO DE PROJETOS LTDA., no mínimo 15 horas semanais e para esta carga horária deverá perceber no mínimo 4 salários mínimos(r$ 2.180,00). Solicitamos ainda, que o referido profissional esclareça detalhadamente sua carga horária, indicando os dias e os horários que assumirá a responsabilidade técnica pela referida empresa, que deverão ser idênticos aos demais documentos apresentados para sua Anotação. Caso seja efetuada alguma alteração deverá ser anexado ao processo novo Requerimento, alteração do vínculo empregatício e de ART de cargo ou função, conforme os padrões Operacionais do CREA-RS. Concedemos o prazo de 10 (dez) dias a contar do recebimento deste para providências Processos para Homologar PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ASSESSORIA E PLANEJAMENTO PAGNUSSAT LTDA RELATOR : Cons. Volnei Pereira da Silva CONCLUSÃO : Deferir o registro da pessoa jurídica ASSESSORIA E PLANEJAMENTO PAGNUSSAT LTDA sob a responsabilidade técnica do engenheiro civil José Paulo Becker, passando a estar registrada na área de engenharia civil para: prestação de serviços de topografia, prestação de serviços de instalação e manutenção elétrica (restrito à baixa tensão em edificações), prestação de serviços de instalação 15

16 e manutenção hidráulicas e sanitárias privadas e públicas, assessoria técnica em projetos, prestação de serviços de assessoria e elaboração de projetos técnicos nas seguintes áreas: planejamento urbano, limitado ao parcelamento do solo urbano, restrito aos itens 1.1, 1.2, 1.3, 1.5, 2, 4.1, 6, 7, 8, 9.1, 9.2, 10, 11 da Decisão Normativa 047/92 do CONFEA, engenharia civil, assessoria aos municípios e orientação técnica nas áreas de: infra-estrutura urbana, habitação de interesse social, saneamento, transporte, meio ambiente (na área da engenharia civil). Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MARCO PROJETOS E CONSTRUÇÕES LTDA. RELATOR : Analista de Processos Juliana Ritt CONCLUSÃO : Deferir a anotação do Engenheiro Civil FÁBIO SUTOFF (Protocolo nº ) e da Engenheira Civil DIANA MORUSSI AZAMBUJA (Protocolo nº ) como Responsáveis Técnicos pela pessoa jurídica requerente. Oficiar aos profissionais e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente pelo prazo de 90 dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ANGRA ENGENHARIA ELÉTRICA LTDA EPP RELATOR : Analista de Processos Viviane Mattje Dalpiaz CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL ROBSON RIBEIRO MULLER, pela Pessoa Jurídica requerente. Informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado engenheiro civil como responsável técnico. Depto de Registro: caso não haja anotação de engenheiro civil como responsável técnico no prazo solicitado, retirar as atividades constantes no registro da empresa na área da engenharia civil. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : SERKI FUNDAÇÕES LTDA. RELATOR : Analista de Processos Viviane Mattje Dalpiaz CONCLUSÃO : Deferir a anotação do Eng. Civil Sérgio Fernandes Gonçalves como Responsável Técnico pela pessoa jurídica requerente. A empresa deve ser registrada na área da engenharia civil para: execução de fundações de qualquer tipo; obras e serviços de infraestruturas; engenharia civil em todas as suas modalidades; estudos técnicos e consultoria; fiscalização e administração de obras de terceiros; aluguel de equipamentos. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias PROTOCOLO Nº:

17 INTERESSADO : DEFENDER SOLUÇÕES AMBIENTAIS LTDA.-ME CONCLUSÃO : Deferir a baixa de responsabilidade técnica do ENG. CIVIL PAULO SOARES BLESSMANN, pela Pessoa Jurídica requerente. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar ao profissional e à Pessoa Jurídica dando-lhes ciência da decisão.informar à Pessoa Jurídica que, no prazo de 10(dez) dias, deverá anotar profissional habilitado como responsável técnico. Depto de Registro: Caso não ocorra a anotação de engenheiro civil no prazo acima estabelecido, retirar do registro da empresa as atividades constantes na área da engenharia civil, conforme parecer desta Especializada, fl PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PROELT ENGENHARIA LTDA RELATOR : Analista de Processos Juliana Ritt CONCLUSÃO : Deferir a anotação da Engenheira Civil MARIA IZABEL WILLEMANN como Responsável Técnico pela pessoa jurídica requerente. Oficiar ao profissional e à pessoa jurídica dando-lhes ciência da decisão. Encaminhar o processo para a Câmara de Engenharia Elétrica PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : WYDE ENGENHARIA E EMPREITEIRA DE OBRAS LTDA CONCLUSÃO : Deferir o registro da pessoa jurídica WYDE ENGENHARIA E EMPREITEIRA DE OBRAS LTDA., sob a responsabilidade técnica do ENG. CIVIL LUIZ ANDRÉ GUSSO, sendo registrada na área da Engenharia Civil para: PROJETOS E CONSTRUÇÃO DE ESTRADAS, SERVIÇOS DE TERRAPLANAGEM EM GERAL E CONSTRUÇÃO CIVIL, EXERCENDO AS SEGUINTES ATIVIDADES: TECNOLOGIA DE SOLOS E MATERIAIS DE QUALQUER NATUREZA; PROSPECÇÃO GEOTÉCNICA; IMPERMEABILIZAÇÃO; PROJETO E EXECUÇÃO DE ESTRUTURAS, FUNDAÇÕES, EDIFICAÇÕES E CONSTRUÇÕES EM GERAL; REFORÇO E RECUPERAÇÃO DE ESTRUTURAS E FUNDAÇÕES; PROJETOS E EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTENÇÃO E ESTABILIZAÇÃO DE TERRENOS; PROJETO E EXECUÇÃO DE PROVAS DE CARGA, INSTRUMENTAÇÃO, INJEÇÕES E REBAIXAMENTO DE LENÇOL FREÁTICO. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à pessoa jurídica dando-lhe ciência da decisão. Após, encaminhar à Câmara Especializada de Geologia e Minas para análise do objeto social de fl Processos de Cadastro Pessoa Jurídica e suas alterações cadastrais PROTOCOLO Nº:

18 INTERESSADO : GIOVANE ZANARDO DOS SANTOS ME CONCLUSÃO : Somos pelo INDEFERIMENTO do Registro de Firma Individual de Leigo GIOVANE ZANARDO DOS SANTOS. O indeferimento é pelo não atendimento da Decisão PL 1230/07 do Confea, item 1). Oficiar ao profissional e à empresa dando-lhes ciência desta decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : PIONEIRA SANEAMENTO E LIMPEZA URBANA LTDA. RELATOR : Cons. Silverius Kist Junior CONCLUSÃO : Deferir a alteração contratual da Pessoa Jurídica PIONEIRA SANEAMENTO E LIMPEZA URBANA LTDA., passando a estar registrada na área da Engenharia Civil para: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA PÚBLICA EM GERAL, COLETA DE LIXO(resíduos sólidos urbanos e industriais não perigosos inertes), VARRIÇÃO, CAPINAÇÃO E RASPAGEM DE VIAS E LOGRADOUROS, TERRAPLANAGEM, REMOÇÃO DE TERRA, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DE ATERRO SANITÁRIO, LOCAÇÃO DE MÃO DE OBRA, LOCAÇÃO DE VEÍCULO E EQUIPAMENTO PRÓPRIO PARA TERCEIRO DESTINADO A LIMPEZA EM GERAL. Encaminhar à Câmara Especializada de Engenharia Química, para análise do objeto social de fl. 107 e conhecimento do RPJ de fl Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : KLA ENGENHARIA LTDA CONCLUSÃO : Deferir a alteração contratual da Pessoa Jurídica KLA ENGENHARIA LTDA., passando a estar registrada na área da Engenharia Civil para: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA CIVIL, ESTUDOS, PROJETOS, CONSULTORIA, AVALIAÇÃO, ANÁLISE, PARECERES TÉCNICOS, ASSESSORIA, SUPERVISÃO, FISCALIZAÇÃO E EXECUÇÃO DE OBRAS; AUDITORIA TÉCNICA DE PROJETOS, SERVIÇOS E OBRAS DE ENGENHARIA CIVIL PARA FINS JUDICIAIS, EXTRAJUDICIAIS E ADMINISTRATIVOS; CONSTRUÇÃO DE ESTAÇÕES DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA(obras civis); INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO ELÉTRICA(restrito a baixa tensão em edificações) E; CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão Processos para Homologar PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : GOOL TECNOLOGIA COMERCIAL E INDUSTRIAL LTDA. CONCLUSÃO : Oficiar à empresa informando que, para exercer as atividades de construção de edifícios e obras de urbanização-ruas e calçadas; impermeabilização em obras de engenharia civil; instalações hidráulicas e sanitárias, deverá anotar engenheiro civil como responsável técnico no prazo de (10)dez dias. 18

19 Encaminhar à Câmara Especializada de Arquitetura, para análise do objeto social de fl PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : TREVIPLAM ENGENHARIA LTDA. CONCLUSÃO : Deferir a alteração contratual da Pessoa Jurídica TREVIPLAM ENGENHARIA LTDA., passando a estar registrada na área da Engenharia Civil para: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, EM PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS DO RAMO DE ENGENHARIA CIVIL; REALIZAÇÃO DE LOTEAMENTOS(limitado ao parcelamento do solo urbano restrito aos itens 1.1, 1.2, 1.3, 1.5, 2, 4.1, 6, 7, 8, 9.1, 9.2, 10, 11 da decisão normativa 047/92 do CONFEA); INCORPORAÇÕES IMOBILIÁRIAS(LEI 4.591/64); PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERRAPLENAGEM; CONSTRUÇÃO E PAVIMENTAÇÃO DE ESTRADAS, BEM COMO A EXECUÇÃO DE OBRAS ESPECIAIS; ELABORAÇÃO E CONFECÇÃO DE PROJETOS NA ÁREA DA CONSTRUÇÃO CIVIL; SERVIÇOS DE ADMINISTRAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE OBRAS; CONSULTORIA TÉCNICA DE ENGENHARIA CIVIL E ELABORAÇÃO DE PERÍCIAS, LAUDOS, AVALIAÇÕES IMOBILIÁRIAS E CÁLCULOS NESTA ÁREA; INSTALAÇÃO DE REDES DE SANEAMENTO EM GERAL; PRODUÇÃO DE CONCRETO BETUMINOSO USINADO A QUENTE(CBUQ) BEM COMO A EXECUÇÃO DE OBRAS VIÁRIAS, COMO CONSTRUÇÃO DE RODOVIAS, INCLUSIVE PAVIMENTAÇÃO COM A UTILIZAÇÃO DE CONCRETO BETUMINOSO USINADO A QUENTE. O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão. Após, encaminhar à Câmara Especializada de Geologia e Minas para análise do objeto social de fls. 196 e PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : RCH PAVIMENTAÇÕES E CONSTRUÇÕES LTDA ME CONCLUSÃO : Deferir a alteração contratual da Pessoa Jurídica RCH PAVIMENTAÇÕES E CONSTRUÇÕES LTDA.ME, passando a estar registrada na área da Engenharia Civil para: OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO, DE URBANIZAÇÃO(limitado ao parcelamento do solo urbano, restrito aos itens 1.1, 1.2, 1.3, 1.5, 2, 4.1, 6, 7, 8, 9.1, 9.2, 10, 11 da Decisão Normativa 047/92 do CONFEA); CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS E SERVIÇOS DE PINTURA; FABRICAÇÃO DE ARTEFATOS DE CIMENTO; CONSTRUÇÃO DE REDES DE ÁGUA E INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS; OBRAS DE TERRAPLENAGEM; SERVIÇO DE COLETA E RECICLAGEM (limitado à triagem) DE LIXO (resíduos sólidos urbanos e industriais não perigosos inertes). O deferimento neste parecer é válido provisoriamente, pelo prazo de 90 dias. Oficiar à Pessoa Jurídica dando-lhe ciência da decisão. Após, encaminhar à Câmara Especializada de Arquitetura, para análise do objeto social de fl Processos de Registro de ART pela Resolução

20 Processos para Homologar PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : ADAURI FANTINEL CABRAL RELATOR : Cons. Marcos Fernando Uchôa Leal CONCLUSÃO : Analisando a documentação apresentada frente ao que dispõe a Resolução n 394/95 do CONFEA e a Decisão Plenária do CREA/RS PL/RS-101/2007, somos favoráveis ao registro da(s) ART(s) nº(s) , , , , sendo que o Departamento de Acervo Técnico e Art deverá: a) alterar a previsão de fim das arts acima para 01/12/2006, conforme o atestado (fl. 05) e a declaração apresentada (fl. 41). b) incluir na art , logo após as atividades técnicas, em "observações": "área urbana". Somos pelo indeferimento do registro da art , tendo em vista que os engenheiros civis não possuem atribuição para exercer atividades relacionadas à recuperação de áreas de preservação permanente. Salientamos ao Departamento de Acervo Técnico e Art que no processo de registro do atestado (fl. 05), a atividade de programa de recuperação de áreas de preservação permanente deverá ser objeto de ressalva na CAT, tendo em vista que não faz parte das atribuições do profissional Processos de Consulta Diversos PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CARGNIN FILHO & CIA LTDA CONCLUSÃO : Solicitamos, conforme legislação vigente, oficiar ao Comando do Corpo de Bombeiros informando que a empresa possui PPCI não atualizado. Após, arquivar este processo Processos de Relatório de Fiscalização PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : MUNICIPIO DE CAXIAS DO SUL CONCLUSÃO : Considerando a solicitação de prorrogação de prazo, oficiar à empresa Mentor Engenharia e Incorporações Ltda para que, no prazo de 30 dias, apresente a art do serviço realizado referente à Tomada de Preços nº 421/2008 da Prefeitura Municipal de Caxias do Sul, em relação à execução de obra de construção de quadra poliesportiva, com área de lazer, no Bairro Bela Vista em Caxias do Sul. CASO a empresa não apresente a art solicitada, encaminhar à INSPETORIA DE CAXIAS DO SUL, para notificar a empresa Mentor Engenharia e Incorporações Ltda, por infringência aos Artigos 1º e 3º da Lei 6496/77, falta de art referente à Tomada de Preços nº 421/2008 da Prefeitura Municipal de Caxias do Sul, em relação à execução de obra de construção de quadra poliesportiva, com área de lazer, no Bairro Bela Vista em Caxias do Sul, seguindo o Rito Processual da Resolução 1008/ PROTOCOLO Nº: INTERESSADO : CONDOMINIO EDIFICIO OXFORD CENTER 20

Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1023, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 23 de Setembro de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1008, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 17 de Dezembro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Coordenador-Adjunto

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1014, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1014, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1014, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Maio de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1004, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 22 de Outubro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1012, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1012, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1012, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 1 de Abril de 2011 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes Coordenador

Leia mais

Súmula da Reunião Ampliada n 1006, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ampliada n 1006, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ampliada n 1006, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 25 de Novembro de 2010 a 27 de Novembro de 2010 Local: FARROUPILHA - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 656, DE 11/06/2012, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 656, DE 11/06/2012, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITULARIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 4. LEITURA DE EXTRATO DE CORRESPONDÊNCIAS RECEBIDAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003.

RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. RESOLUÇÃO Nº 1.007, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre o registro de profissionais, aprova os modelos e os critérios para expedição de Carteira de Identidade Profissional e dá outras providências.

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1047, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Outubro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Analista de Processos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INSTRUÇÃO Nº 2560 Dispõe sobre procedimentos para a interrupção de registro profissional. O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 34,

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1076, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 28 de Março de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia

Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos. Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia Responsabilidade Técnica na Pesquisa com Agrotóxicos Eng. Agr. Gilberto Guarido Coordenador da Câmara Especializada de Agronomia CONFEA CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA CREA CONSELHO REGIONAL

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 644, DE 14/06/2011, 18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 643, DE

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1005, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1005, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1005, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Novembro de 2010 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Eng. Civ. Volnei Pereira Da Silva Adjunto Eng. Civ. Jorge

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 659, DE 10/09/2012-18:00 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 659, DE 10/09/2012-18:00 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITULARIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR: SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 658, DE 13/08/2012,

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE ORDEM SF I. I - A.N.I. - MANUTENÇÃO UGI NORTE 1 SF-659/2012 SANDRA REGINA TEIXEIRA SANTIAGO CARLOS ALBERTO GUIMARÃES GARCEZ Processo: SF- 659/2012 Interessado: SANDRA REGINA TEIXEIRA

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Dezembro de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 637, DE 15/10/2010, 18 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 637, DE 15/10/2010, 18 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 635, DE

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1051, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 7 de Dezembro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Analista de Processos Analista de Processos Assistente

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1077, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 11 de Abril de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Representante do Plenário

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1052, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 14 de Dezembro de 2012 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coord. Adjunto Analista de Processos Analista

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE ATOS DE PESSOAL Inspetoria 1 DIVISÃO 1 PROCESSO Nº: REP 11/00278840 UNIDADE GESTORA: PREFEITURA MUNICIPAL DE TIJUCAS INTERESSADO:

Leia mais

Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Pauta da Reunião Ordinária n 1072, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 6 de Dezembro de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Nelson Kalil Moussalle Coordenador

Leia mais

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER

CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER CARTILHA CAU/RS 2014 INSTRUÇÕES PARA ARQUITETURA DE INTERIORES SHOPPING CENTER APRESENTAÇÃO O CAU/RS Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio Grande do Sul, na qualidade de Autarquia Federal deve na

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO DISTRITO FEDERAL (CREA-DF)

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO DISTRITO FEDERAL (CREA-DF) SINOPSES DE PROCESSOS 619ª Sessão Ordinária da CEECMGA, realizada em 21.07.2015 Número de Ordem: 01 IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Nº PROC. 201887/2015 DATA: Interessado: Iracema Maria Durão Moreira Assunto:

Leia mais

NORMA nº 02/2011 - CEGM

NORMA nº 02/2011 - CEGM NORMA nº 02/2011 - CEGM Dispõe sobre a fiscalização e regularização das atividades de planejamento, pesquisa, locação, perfuração, ensaios, limpeza e manutenção de poços tubulares para captação de água

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1058, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 10 de Maio de 2013 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenador Adjunto Conselheiro Conselheiro

Leia mais

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL

INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL INGRESSO DE PROFISSIONAIS ESTRANGEIROS NO BRASIL REGISTRO PROFISSIONAL E ACERVO TÉCNICO A EXPERIÊNCIA DO CREA-PR Eng. Civ. Joel Krüger Presidente CREA-PR Sistema CONFEA/CREAs 977.750 Profissionais 306

Leia mais

Colocar a portaria ou Decisão PL

Colocar a portaria ou Decisão PL Aprova o Manual de Procedimentos para o julgamento dos Processos de fiscalização do CREA-AP pela CEEC/CE's - Câmara Especializada de Engenharia Civil/Câmaras Especializadas. Colocar a portaria ou Decisão

Leia mais

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece procedimentos administrativos para fins de Registro de Atestado de obra/serviço no Crea-RS, conforme disposto na Resolução do Confea

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1079, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 9 de Maio de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 18, DE 2 DE MARÇO DE 2012 Dispõe sobre os registros definitivos e temporários de profissionais no Conselho de Arquitetura e Urbanismo e dá outras providências. O Conselho de Arquitetura e

Leia mais

Eng. Ind. Mec. e de Seg. Trab. Elio Lopes dos Santos Creasp nº 0601832438 Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho

Eng. Ind. Mec. e de Seg. Trab. Elio Lopes dos Santos Creasp nº 0601832438 Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP 93ª REUNIÃO ORDINÁRIA DE 18/02/2016 ORDEM DO DIA Data: 18/02/2016 Horário: 13h30min. Local: Centro Técnico

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DA CÂMARA DE ENGENHARIA CIVIL E QUÍMICA N 001/09 DE ABRIL DE 2009.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DA CÂMARA DE ENGENHARIA CIVIL E QUÍMICA N 001/09 DE ABRIL DE 2009. NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DA CÂMARA DE ENGENHARIA CIVIL E QUÍMICA N 001/09 DE ABRIL DE 2009. Esclarece a competência dos Engenheiros: Civis, de Fortificações, Sanitaristas e Químicos quanto projetos,

Leia mais

SÚMULA DA 85ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 85ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 19 de maio de 2015 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. Indl. Mec. e Seg. Trab. Elio Lopes

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO Superintendência de Urbanismo e Produção Habitacional Coordenação de Projetos PROGRAMA DE APOIO OPERACIONAL PARA SERVIÇOS DE ENGENHARIA,

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1093, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 5 de Dezembro de 2014 Local: PORTO ALEGRE - RS PARTICIPANTES: Coordenador Coordenadora Adjunta Conselheiro Conselheiro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA PARA EMISSÃO DE CERTIDÃO DE ACERVO TÉCNICO:

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA PARA EMISSÃO DE CERTIDÃO DE ACERVO TÉCNICO: O QUE É ACERVO TÉCNICO? O Acervo Técnico é o conjunto das atividades desenvolvidas ao longo da vida do profissional, compatíveis com suas atribuições desde que registradas no Crea-ES por meio de ARTS -Anotações

Leia mais

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1960 (ORDINÁRIA) DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012

SESSÃO PLENÁRIA Nº 1960 (ORDINÁRIA) DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012 SESSÃO PLENÁRIA Nº 1960 (ORDINÁRIA) DE 13 DE DEZEMBRO DE 2012 IV. Discussão e aprovação da ata da sessão plenária nº 1957 (ordinária) de 08 de novembro de 2012. PAUTA Nº: 1 PROCESSO: Interessado: Crea-SP

Leia mais

Legislação em Vigilância Sanitária

Legislação em Vigilância Sanitária Legislação em Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO - RDC Nº 189, DE 18 DE JULHO DE 2003 Dispõe sobre a regulamentação dos procedimentos de análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos de estabelecimentos

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Fl. 1 de 5 CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA ARQUITETURA E AGRONOMIA DO RIO GRANDE DO SUL NORMA DE FISCALIZAÇÃO DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Nº 002, DE 26 DE AGOSTO DE 2011. Dispõe sobre

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA. Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE VISTAS I. I - PROCESSOS QUE RETORNAM À CÂMARA APÓS "VISTA" CONCEDIDA 2 UGI PRESIDENTE PRUDENTE Nº de Ordem 1 Processo/Interessado PR-661/2012 Relator JOÃO BATISTA PEREIRA ANTONIO MOACIR

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho FISCALIZAÇÃO EXTERNA IT. 06 08 1 / 9 1. OBJETIVO Coordenar, programar e acompanhar a execução do trabalho de fiscalização executado pelos agentes/analistas de fiscalização, com o objetivo de fiscalizar

Leia mais

Análise e Aprovação dos Projetos. dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS. junho 2013. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Análise e Aprovação dos Projetos. dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS. junho 2013. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária Análise e Aprovação dos Projetos dos Estabelecimentos de Saúde no SNVS junho 2013 RDC ANVISA 51 de 06/10/2011 Dispõe sobre os requisitos mínimos para a análise, avaliação e aprovação dos projetos físicos

Leia mais

Boletim Eletrônico do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná - Edição nº 10 - segunda-feira, 3 de dezembro de 2012.

Boletim Eletrônico do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná - Edição nº 10 - segunda-feira, 3 de dezembro de 2012. Boletim Jurídico Boletim Eletrônico do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Norte do Paraná - Edição nº 10 - segunda-feira, 3 de dezembro de 2012. PROJETO DE LEI Nº 04715/2012 - Obrigatoriedade

Leia mais

SÚMULA DA 374ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS

SÚMULA DA 374ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE GEOLOGIA E ENGENHARIA DE MINAS Data: 26 de novembro de 2012 Local: Auditório Rebouças - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Geólogo Fábio Augusto Gomes

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia

Conselho Federal de Farmácia RESOLUÇÃO Nº 566 DE 6 DE DEZEMBRO DE 2012 Ementa: Aprova o Regulamento do Processo Administrativo Fiscal dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia. O CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA, no uso das atribuições

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO CEARÁ

COMPANHIA DOCAS DO CEARÁ 1 COMPANHIA DOCAS DO CEARÁ TOMADA DE PREÇOS Nº 001/2011 PROCESSO Nº 2010.0967-1 Os membros da Comissão Permanente de Licitações da Companhia Docas do Ceará, Carlos Alberto Câmara de Vasconcelos (Presidente),

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Distrito Federal SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA N.º 531/2015 (quingentésima trigésima primeira) DIVISÃO DE APOIO AO COLEGIADO - DAC ASSUNTO: Pauta da Sessão Ordinária n.º 531/2015, do Plenário do Crea-DF. 11/FEV/2015 HORÁRIO:

Leia mais

PREFEITU R A MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO

PREFEITU R A MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO D E L I B E R A Ç Ã O C M E N º 0 1 / 2 0 0 6 Fixa normas para autorização de funcionamento e supervisão de instituições de Educação Infantil, no Sistema M unicipal de Ensino. O Conselho Municipal de Educação,

Leia mais

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições

RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições RESOLUÇÃO Confea 313 - Atribuições Dispõe sobre o exercício profissional dos Tecnólogos das áreas submetidas à regulamentação e fiscalização instituídas pela Lei nº 5.194, de 24 DEZ 1966, e dá outras providências.

Leia mais

PROGRAMA CONSELHEIROS

PROGRAMA CONSELHEIROS PROGRAMA CONSELHEIROS Um projeto de cooperação entre as Instituições de Ensino Superior e o CREA-MG Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais LOMBARDO, Antonio lombardo@net.em.com.br,

Leia mais

I Seminário de Licitações e Contratos Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes DNIT

I Seminário de Licitações e Contratos Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes DNIT I Seminário de Licitações e Contratos Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes DNIT -ATESTAÇÃO TÉCNICA - Palestrante: Engenheiro Civil Reinaldo Teixeira Vieira - CONFEA - O Conselho Federal

Leia mais

Ficha Técnica. Manual de Procedimentos Operacionais. Supervisão. Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP. Documento original

Ficha Técnica. Manual de Procedimentos Operacionais. Supervisão. Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP. Documento original 1 Referência Ficha Técnica Manual de Procedimentos Operacionais Resolução n 1.025, de 30 de outubro de 2009 Revisão 01 Data 28/01/2011 Supervisão Comissão de Organização, Normas e Procedimentos CONP Documento

Leia mais

FISCALIZAÇÃO NA ÁREA DA ENGENHARIA CIVIL

FISCALIZAÇÃO NA ÁREA DA ENGENHARIA CIVIL FISCALIZAÇÃO NA ÁREA DA ENGENHARIA CIVIL Eng. ª Civil Cristiane de Oliveira Analista de Processos CEEC Rogério Fernando G. de Oliveira Supervisor Temas a serem abordados: - Fiscalização em obras de Profissionais

Leia mais

O Sistema Confea/ Crea

O Sistema Confea/ Crea O Sistema Confea/Crea é regido pela Lei nº 5.194, de 24/dez/1966. O Sistema Confea/ Crea O Conselho Federal e os Conselhos Regionais são autarquias* dotadas de personalidade jurídica de direito público,

Leia mais

URBES TRÂNSITO E TRANSPORTES

URBES TRÂNSITO E TRANSPORTES CADASTRO DE FORNECEDORES RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA CADASTRAMENTO NESTA EMPRESA PÚBLICA, CONFORME ARTIGOS 27 A 31 DA LEI FEDERAL 8.666/93 E SUAS ALTERAÇÕES, EM ATENDIMENTO AO ARTIGO 35 DA REFERIDA

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA (Cópias e originais ou cópias autenticadas) 1- Requerimento; 2- Contrato Social + Aditivos (se tiver, todos); 3- CNPJ (atualizado); 4- Indicação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000 RESOLUÇÃO Nº 672, DE 16 DE SETEMBRO DE 2000 Fixa normas de fiscalização de procedimentos administrativos, e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA-CFMV, no uso das atribuições

Leia mais

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA

PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA PROPOSTA REFERENTE AO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE ANÁLISE SANITÁRIA 1- DO CURSO O Curso de Especialização em Gestão em Análise Sanitária destina-se a profissionais com curso superior em áreas correlatas

Leia mais

I DA SÍNTESE DOS FATOS

I DA SÍNTESE DOS FATOS CONCORRÊNCIA Nº 189/2013 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE ENGENHARIA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE APOIO À SUPERVISÃO DA EXECUÇÃO DAS OBRAS DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MATHIAS.

Leia mais

RESOLUÇÃO N 22, DE 4 DE MAIO DE 2012

RESOLUÇÃO N 22, DE 4 DE MAIO DE 2012 RESOLUÇÃO N 22, DE 4 DE MAIO DE 2012 Dispõe sobre a fiscalização do exercício profissional da Arquitetura e Urbanismo, os procedimentos para formalização, instrução e julgamento de processos por infração

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 96, DE 16 JANEIRO DE 2012 Dispõe sobre procedimentos para a divulgação e fiscalização do cumprimento da legislação

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ASSESSORIA DA FISCALIZAÇÃO IT. 42 01 1 / 5 1. OBJETIVO Assessorar o Departamento de nas ações fiscalizatórias de verificação do exercício das profissões pertencentes ao sistema Confea/Crea, junto às empresas,

Leia mais

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA

LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL ENGENHARIA ELÉTRICA TÓPICOS INSTRUMENTOS LEGAIS APLICÁVEIS LEGISLAÇÃO: CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LEIS, DECRETOS e RESOLUÇÕES FORMAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL DELIBERAÇÕES NORMATIVAS

Leia mais

JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO LEIS DE AVALIAÇÕES TÉCNICAS

JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO LEIS DE AVALIAÇÕES TÉCNICAS JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO E LEIS DE AVALIAÇÕES TÉCNICAS JURISPRUDÊNCIA / LEGISLAÇÃO 1) Desapropriação - Perícia Avaliatória - Habilitação a Engenheiros A nomeação de perito para avaliação de imóvel deve

Leia mais

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP

João Fernando Custodio da Silva Engenheiro Cartógrafo, Conselheiro CREA-SP 2007-2009 Professor Titular do Departamento de Cartografia, FCT/UNESP Regulamentação da atribuição de títulos profissionais, atividades, competências e caracterização do âmbito de atuação dos profissionais inseridos no Sistema CONFEA-CREA João Fernando Custodio da Silva

Leia mais

MARCO ANTÔNIO TEOBALDI, ex-prefeito MUNICIPAL DE JOINVILLE ASSUNTO

MARCO ANTÔNIO TEOBALDI, ex-prefeito MUNICIPAL DE JOINVILLE ASSUNTO Fls. 353 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA DIRETORIA DE CONTROLE DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES INSPETORA 2 DIVISÃO 6 PROCESSO Nº REP 09/00054654 UNIDADE GESTORA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOINVILLE

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO ENGENHARIA CIVIL RESUMO DA LEI NÚMERO 5.194 DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Petrópolis 2013 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho é um resumo

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A RESOLUÇÃO N o 1010/05 As perguntas abaixo foram compiladas após a série de treinamentos sobre a Resolução nº 1.010, de 2005, ministrados pelo Confea aos Creas durante o primeiro

Leia mais

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012.

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. *Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO. Assessoria de Infraestrutura - INFRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO. Assessoria de Infraestrutura - INFRA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Assessoria de Infraestrutura - INFRA Petrolina Junho de 2013 APRESENTAÇÃO A Assessoria de Infraestrutura INFRA é um órgão da administração superior da Univasf

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Decisão 41/96 - Plenário - Ata 05/96 Processo nº TC 010.652/95-7 Interessado: Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul - Dr.

Leia mais

TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL

TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL TRIBUNAL PLENO - SESSÃO: 05/11/2014 EXAME PRÉVIO DE EDITAL SEÇÃO MUNICIPAL (M-003) EXPEDIENTE: TC - 005074.989.14-6. REPRESENTANTE: CONTE & CONTE COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA. REPRESENTADA: PREFEITURA

Leia mais

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

SÚMULA DA 69ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Data: 17 de dezembro de 2013 Local: Sala de GT s - Edifício "Santo Antônio de Sant'Anna Galvão" Av. Rebouças, 1028 2º andar Jardim Paulista São Paulo / SP Coordenação: Eng. civil, eng. oper. mec. máq.

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO Origem: ICP 0288/2007 PRT/2ª S. Bernardo do Campo Procurador oficiante: Dr. João Filipe Moreira Lacerda Sabino Interessado: Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do

Leia mais

http://www.fonoaudiologia.org.br//servlet/consultalegislacao?acao=pi&leiid=17

http://www.fonoaudiologia.org.br//servlet/consultalegislacao?acao=pi&leiid=17 Page 1 of 7 Número: 339 Ano: 2006 Ementa: Dispõe sobre o registro de Pessoas Jurídicas nos Conselhos de Fonoaudiologia e dá outras providências. Cidade: - UF: Conteúdo: Brasilia-DF, 25 de Fevereiro de

Leia mais

Súmula da Reunião Ordinária n 1035, da Câmara Especializada de Engenharia Civil

Súmula da Reunião Ordinária n 1035, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Súmula da Reunião Ordinária n 1035, da Câmara Especializada de Engenharia Civil Data: 27 de Abril de 2012 Local: SANTA MARIA - RS PARTICIPANTES: Coordenador Eng. Civ. Jefferson Luiz De Freitas Lopes Coordenador

Leia mais

EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015.

EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015. EDITAL Nº001, DE 13 DE JANEIRO DE 2015. A Presidente do no uso de suas atribuições legais e regulamentadas pela Lei Nº 2.750 de 31 de Dezembro publica as normas para o processo eleitoral das entidades

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA Artigo 1º A Comissão de Ética, pretende de maneira independente, imparcial, sigilosa e soberana, assegurar a apuração das representações, apresentadas pelos associados

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

ATA DE SESSÃO DA CONCORRÊNCIA Nº 15/2014

ATA DE SESSÃO DA CONCORRÊNCIA Nº 15/2014 ATA DE SESSÃO DA CONCORRÊNCIA Nº 15/2014 PROCESSO: Nº 062/2014 OBJETO: Contratação de empresa de engenharia especializada para o fornecimento, instalação e montagem dos sistemas de exaustão e captação

Leia mais

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012

DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 DECISÃO COREN/RJ N.º 1821/2012 Dispõe sobre a criação de Comissão de Ética de Enfermagem Institucional. CONSIDERANDO o disposto no artigo 8º, I, da Lei 5.905/73, que possibilita ao COFEN aprovar seu regimento

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO DIRETORIA DE VISTORIAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/2015 - DIVIS/DESEG APLICAÇÃO DE PENALIDADES

Leia mais

Taxas: Certidão R$ 36,89 ART R$ 60,00

Taxas: Certidão R$ 36,89 ART R$ 60,00 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA IDICAÇÃO DE RESPONSÁVEL TÉCNICO (Cópias e originais ou cópias autenticadas) 1- Requerimento; 2- Indicação de responsável (eis) técnico (s) para atividades técnicas da Empresa

Leia mais

CREDENCIAMENTO PROFISSIONAIS FBF

CREDENCIAMENTO PROFISSIONAIS FBF CREDENCIAMENTO PROFISSIONAIS FBF Relação de Profissionais credenciados e aptos para a Prestação de Serviços de Emissão de Laudos de Vistoria de Engenharia em Estádios de Futebol, conforme Termo de Cooperação

Leia mais

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES.

DISPÕE SOBRE O REGISTRO DE EMPRESAS DE MINERAÇÃO DE PEQUENO PORTE NO CREA/ES. Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Espírito Santo Av. César Hilal, 700 1º andar Bento Ferreira Vitória ES CEP 290 522 232 Tel.: (27) 3334 9900 FAX: (27) 3324 3644 CEEI DISPÕE SOBRE

Leia mais

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA EXTRAORDINÁRIA Nº 634, DE 30/04/2010, 18 HORAS

PAUTA DA SESSÃO PLENÁRIA EXTRAORDINÁRIA Nº 634, DE 30/04/2010, 18 HORAS 1. VERIFICAÇÃO DE QUORUM 1.1. JUSTIFICATIVA 1.2. TITUTALIRIDADE 2. EXECUÇÃO DO HINO NACIONAL 3. DISCUSSÃO E APROVAÇÃO DA ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ANTERIOR 3.1. ATA DA SESSÃO PLENÁRIA ORDINÁRIA Nº 633, DE

Leia mais

Portaria nº 319 de 29 de julho de 2011. Considerando o disposto no artigo 8º da Lei nº 9.933, de 20 de dezembro de 1999;

Portaria nº 319 de 29 de julho de 2011. Considerando o disposto no artigo 8º da Lei nº 9.933, de 20 de dezembro de 1999; Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria nº 319 de 29 de julho de 2011

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO-TRIBUTÁRIO CONSELHO DE CONTRIBUINTES E RECURSOS FISCAIS ACÓRDÃO N o : 147/2011 RECURSO VOLUNTÁRIO N o : 7.953 PROCESSO N

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA TCE-TO Nº 003, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. Consolidada pela IN nº 03/2012 de 02/05/2012. Acresce o 7 ao artigo 9º da Instrução Normativa nº 003, de 23 de setembro de 2009, que estabelece

Leia mais

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica

Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Serviços Relacionados à Pessoa Jurídica Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em Cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos obrigatórios

Leia mais

Semanário Oficial Nº 2.348 Campina Grande, 10 a 14 de Fevereiro de 2014. Pág. 1

Semanário Oficial Nº 2.348 Campina Grande, 10 a 14 de Fevereiro de 2014. Pág. 1 Semanário Oficial Nº 2.348 Campina Grande, 10 a 14 de Fevereiro de 2014. Pág. 1 SEMANÁRIO OFICIAL ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO Lei Municipal nº.

Leia mais

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO

LEI Nº 2.998/2007 CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO LEI Nº 2.998/2007 REGULAMENTA O CONSELHO MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO URBANO - COPLAN, CRIADO NO ARTIGO 2º, DA LEI COMPLEMENTAR N.º 037/2006, DE 15 DE DEZEMBRO, QUE DISPOE SOBRE NORMAS DE

Leia mais

1º A taxa de ART referente à execução incide sobre o valor do custo da obra.

1º A taxa de ART referente à execução incide sobre o valor do custo da obra. ATO NORMATIVO Nº. 34/09 Dispõe sobre os valores das taxas de registro de ART devidas ao Crea-ES, para o exercício de 2010 e dá outras providências. O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidade Art.1º A Comissão de Ética no Uso de

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO CEEST CREA-RS

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO CEEST CREA-RS CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO CEEST CREA-RS ATRIBUIÇÕES DOS ENGENHEIROS DE SEGURANÇA DO TRABALHO Resolução do CONFEA nº 359, de 31/07/1991 Dispõe sobre o exercício profissional,

Leia mais