SISTEMA ONLINE DE INTEGRAÇÃO PARA OS COMPONENTES DA ETEC IRMÃ AGOSTINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA ONLINE DE INTEGRAÇÃO PARA OS COMPONENTES DA ETEC IRMÃ AGOSTINA"

Transcrição

1 CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL IRMÃ AGOSTINA ANA PAULA ROCHA DE OLIVEIRA ELIVELTON SANTOS SOUSA FELIPPE DE LIMA MORAES GUSTAVO BOUZAZ PAIXÃO LEANDRO FERNANDES VIEIRA MAYARA SOARES JUSTINO SISTEMA ONLINE DE INTEGRAÇÃO PARA OS COMPONENTES DA ETEC IRMÃ AGOSTINA SÃO PAULO SP 2012

2 ANA PAULA ROCHA DE OLIVEIRA ELIVELTON SANTOS SOUSA FELIPPE DE LIMA MORAES GUSTAVO BOUZAZ PAIXÃO LEANDRO FERNANDES VIEIRA MAYARA SOARES JUSTINO SISTEMA ONLINE DE INTEGRAÇÃO PARA OS COMPONENTES DA ETEC IRMÃ AGOSTINA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola Técnica Estadual Irmã Agostina como prérequisito para a aprovação no curso técnico em Informática, sob orientação dos Professores Josias dos Santos e Márcio Veleda. SÃO PAULO SP 2012

3 ANA PAULA ROCHA DE OLIVEIRA ELIVELTON SANTOS SOUSA FELIPPE DE LIMA MORAES GUSTAVO BOUZAZ PAIXÃO LEANDRO FERNANDES VIEIRA MAYARA SOARES JUSTINO SISTEMA ONLINE DE INTEGRAÇÃO PARA OS COMPONENTES DA ETEC IRMÃ AGOSTINA Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola Técnica Estadual Irmã Agostina como pré-requisito para a aprovação no curso técnico em Informática, sob orientação dos Professores Josias dos Santos e Márcio Veleda. Data de Aprovação: / / Nota: Aprovado por: João Carlos Lima e Silva Luiz Fernando Lucas Márcio Veleda São Paulo SP 2012

4 RESUMO O Sistema de Integração Online é um projeto direcionado, inicialmente, a ETEC Irmã Agostina (antiga Capela do Socorro). Seu intuito, como já informa o próprio nome, é promover a integração dos componentes da escola técnica, com enfoque no corpo docente e discente. Para tanto o sistema foi dividido em duas partes com distintas funções: o software de gerenciamento e a rede social online. O software de gerenciamento foi construído através da linguagem JAVA e sua principal função é controlar os acontecimentos da versão online do software. A rede social acadêmica é o ambiente onde alunos e professores podem participar e manter contato, levando, desta forma, a escola técnica para fora de seu ambiente físico. Este projeto, portanto, prevê fins acadêmicos, proporcionando aos alunos e professores da ETEC a capacidade de continuar interagindo em seus respectivos campos de atuação de forma online e onde quer que esteja, fato que torna a escola técnica cada vez mais presente no dia-a-dia de seus componentes. Palavras-chave: Integração, ETEC Irmã Agostina, software de gerenciamento, rede social.

5 ABSTRACT The Online Integration System is a Project direct, initially, to ETEC Irmã Agostina (old Capela do Socorro). It was developed, as it name says, to promote the integration of the components of the technical school, with focus on teaching staff and students. Therefore, the system was divided into two parts with distinct functions: the management project and the online social network. The management software was built through JAVA and your main function is to control the activities from the online version of the software. The academic social network is the environment where students and teachers can participate and keep contact, therefore, taking the tech school out of it physical environment. This project, therefore, foresee academic results, providing to students and teachers from ETEC the ability to keep interacting on your respective fields of actuation online, wherever they are. Fact that turn the technical school even more present on the daily routine of your integrants. Keywords: Integration, ETEC Irmã Agostina, management software, social networking.

6 Dedicamos este trabalho primeiramente a Deus e em seguida aos nossos pais, bem como a todos os que nos ajudaram de alguma forma.

7 AGRADECIMENTO Agradecemos primeiramente a Deus, em seguida aos nossos pais, à Larry Page e Sergey Brin por sua brilhante criação conjunta e a todos os professores da ETEC Irmã Agostina que nos ajudaram a compor esse trabalho, em especial, aos professores João, Josias e Patrícia que tiveram uma maior participação no desenvolvimento do projeto.

8 Há duas formas de construir um projeto de software: Uma maneira de fazer isso deve ser tão simples que, obviamente, não deixem deficiências, e a outra forma é a de torná-lo tão complicado que não percebam as evidentes deficiências. O primeiro método é muito mais difícil. CAR Hoare

9 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Diagrama Entidade-Relacionamento (DER) Figura 2 - Porcentual por Sexo - Pesquisa por Amostragem Figura 3 - Idades dos Entrevistados - Pesquisa por Amostragem Figura 4 - Participação dos Cursos - Pesquisa por Amostragem Figura 5 - Questão 1 - Pesquisa por Amostragem Figura 6 - Questão 2 - Pesquisa por Amostragem Figura 7 - Questão 3 - Pesquisa por Amostragem Figura 8 - Questão 4 - Pesquisa por Amostragem Figura 9 - Questão 5 - Pesquisa por Amostragem Figura 10 - Questão 6 - Pesquisa por Amostragem Figura 11 - Questão 7 - Pesquisa por Amostragem Figura 12 - Porcentual por sexo - Pesquisa Online Figura 13 - Idade dos Entrevistados - Pesquisa Online Figura 14 - Parcicipação dos Cursos- Pesquisa Online Figura 15 - Questão 1 - Pesquisa Online Figura 16 - Questão 2 - Pesquisa Online Figura 17 - Questão 3 - Pesquisa Online Figura 18 - Questão 4 - Pesquisa Online Figura 19 - Questão 5 - Pesquisa Online Figura 20 - Questão 6 - Pesquisa Online Figura 21 - Questão 7 - Pesquisa Online Figura 22 - Diagrama de funcionamento da rede Figura 23 - Página Inicial do Sistema de Gerenciamento da Rede Social Figura 24 - Aba para Cadastro de Períodos Figura 25 - Aba para Cadastro de Cursos Figura 26 - Aba para Cadastro de Alunos Figura 27 - Aba para Cadastro de Professores Figura 28 - Aba para Postagem de Avisos e Informações no Mural Principal da Rede Social Figura 29 - Histórico de Postagens do Mural Figura 30 - Aba Administradores Figura 31 - Página Inicial 78 Figura 32 - Página Sobre a Instituição Figura 33 - Página Sobre o Tooeasy Figura 34 - Página Fale Conosco Figura 35 Página inicial do espaço empresarial Figura 36 - Validação de CNPJ que antecipa o cadastro da empresa Figura 37 Cadastro da empresa Figura 38 Login da empresa Figura 39 Página principal da empresa (página de consulta de currículos) Figura 40 Resultados da pesquisa de currículos Figura 41 Página de edição e envio da mensagem da empresa para os alunos

10 Figura 42 - Mural Principal Figura 43 - Oportunidades de Emprego Figura Página de Perfil Figura 45 Página Provas de Eventos de Professores Figura 46 - Página de Edição do Currículo do Aluno Figura 47 - Página de Recados Figura 48 - Fóruns Figura 49 - Página de Upload e Download de Arquivos Figura 50 - Página de Visualização de Menções Figura 51 - Calendário do Professor Figura 52 - Link do questionário Figura 53 - Idade dos entrevistados - Pesquisa de Campo Figura 54 - Sexo dos Entrevistados - Pesquisa de Campo Figura 55 - Participação dos Cursos - Pesquisa de Campo Figura 56 - Questão 1 - Pesquisa de Campo Figura 57 - Questão 2 - Pesquisa de Campo Figura 58 Diagrama de casos de uso do Sistema De Gerenciamento da Rede Social Figura 59 - Diagrama de casos de uso da entidade Aluno no Sistema de Integração Online Rede Social Tooeasy Figura 60 Diagrama de casos de uso da entidade Empresa no Sistema de Integração Online Rede Social Tooeasy Figura 61 Diagrama de Casos de Uso da Entidade Professor no Sistema de Integração Online Rede Social Tooeasy Figura 62 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento da Rede Social Figura 63 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento Online Entidade Empresa Figura 64 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento Online Entidade Aluno Figura 65 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento Online Entidade Professor

11 SUMÁRIO INTRODUÇÃO SOBRE AS JUSTIFICATIVAS E DESENVOLVIMENTO DO PROJETO OBJETIVOS GERAL ESPECÍFICOS JUSTIFICATIVA A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS NA ATUALIDADE REDE SOCIAL E REDE VIRTUAL, O QUE SÃO E QUAL A DIFERENÇA PRINCIPAIS REDES SOCIAIS VIRTUAIS AS REDES SOCIAIS E A POLÍTICA GLOBAL MUNDO CORPORATIVO E REDES SOCIAIS RECONHECIMENTO MESMO NO MEIO ACADÊMICO LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA JAVASCRIPT CSS SQL PHP DOCUMENTAÇÃO LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL REDE SOCIAL DIAGRAMA DE CASOS DE USO DIAGRAMA DE CLASSES DIAGRAMA ENTIDADE-RELACIONAMENTO ANÁLISES DE VIABILIDADE DO PROJETO CUSTOS SERVIDOR DOMÍNIO MÃO DE OBRA PARA CONFIGURAÇÃO E TREINAMENTO PESQUISA DE CAMPO PESQUISA POR AMOSTRAGEM... 40

12 PESQUISA ONLINE METODOLOGIA DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DESCRIÇÃO DO SOFTWARE VERSÕES E ATUALIZAÇÕES DO SISTEMA DESCRIÇÃO GERAL DO SOFTWARE DESCRIÇÃO DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL PERÍODO CURSOS ALUNOS PROFESSORES MURAL ADMINISTRADORES MANUAL DESCRIÇÃO DA REDE SOCIAL A PÁGINA INICIAL ESPAÇO EMPRESARIAL DESCRIÇÃO DO ALUNO PÁGINA DO PROFESSOR RESULTADOS PESQUISA DE CAMPO RELATÓRIO DA IMPLANTAÇÃO E TESTES CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS ANEXO A - DIAGRAMAS DE CASOS DE USOS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL REDE SOCIAL TOOEASY ANEXO B DIAGRAMAS DE CLASSES SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL REDE SOCIAL TOOEASY ANEXO C ESTRUTURA DO BANCO DE DADOS

13 12 INTRODUÇÃO O Projeto é em suma um Sistema de Integração Online para uso exclusivo dos componentes da ETEC Irmã Agostina. Ele é dividido em duas partes: a primeira tem como finalidade o gerenciamento de usuários do sistema preferencialmente manuseado pela secretaria, e a segunda parte é o site para uso livre e para fins acadêmicos dos alunos e professores da unidade escolar. O projeto surgiu com o intuito de amenizar as diversas carências da Escola Técnica Irmã Agostina quanto a sistemas como um todo, bem como a visível necessidade de uma forma mais acessível de visualização de menções e frequências e integração dos componentes da Etec como um todo. Além de, servir de auxílio aos professores que muitas vezes tinham dificuldade quanto à disponibilização de conteúdos extraclasse para os alunos, fornecimento de relatórios e outras informações para a secretaria e direção que, por sua vez, encontrava problemas ao divulgar avisos gerais e específicos de cada sala de uma forma rápida (em geral isso era feito pessoalmente). A ideia em si foi o primeiro problema encontrado pelo grupo, afinal, como sanar tantas necessidades e ao mesmo tempo, atender de forma eficiente assuntos sérios e burocráticos como menções, frequências e avisos, sem que isso se torne chato ou desagradável? Como concentrar junto a isso, funcionalidades como disponibilização de conteúdos extraclasse e integração entre alunos, professores e secretaria? A partir disso, várias discussões foram feitas pelo grupo antes de se chegar à ideia que virou tema do nosso trabalho, algumas das hipóteses levantadas e que nortearam a escolha do tema foram as seguintes: Desenvolver um sistema para a secretaria que pudesse substituir as planilhas do Excel empregadas até então e que agregasse outras funcionalidades como, por exemplo, uma parte que permitisse o agendamento de livros da biblioteca para empréstimos;

14 13 Desenvolver um sistema acadêmico voltado para divulgação de menções e frequências que trabalhasse com a internet e pudesse ser implementado em celulares; Virtualizar os diversos campos da Etec em uma rede social acadêmica que trabalhe como um sistema de integração online, possibilitando a divulgação de menções e frequências postadas pelos professores e conferidas pela secretaria, criação de fóruns de discussão e esclarecimento de dúvidas sobre os diversos componentes curriculares, podendo inclusive virtualizar listas de presença e servir de canal para envio de relatórios, postagem de conteúdos extracurriculares e avisos gerais. A partir disso, chegamos à escolha do nosso tema, e ao longo desse trabalho descreveremos nossos objetivos, justificativas, e buscaremos explicar melhor o que é o projeto, sua essência, construção e resultados.

15 14 1. SOBRE AS JUSTIFICATIVAS E DESENVOLVIMENTO DO PROJETO 1.1. OBJETIVOS GERAL Integrar os componentes da Etec, facilitando a comunicação e transmissão de ESPECÍFICOS informação entre todos. Tornar mais acessíveis informações, tais como menções e frequências; Permitir uma relação mais harmônica e envolvente entre todos os membros da Unidade Técnica Escolar; Substituir os atuais meios pelos quais se realiza a transmissão e disponibilização de informações aos alunos e Unidade, sendo estas de natureza administrativa ou acadêmica; Sanar dificuldades de alunos com problemas em tirar dúvidas diretamente com os professores, bem como aquelas que não são esclarecidas por falta de tempo ou outros empecilhos; Fazer com que os conteúdos aprendidos no ambiente escolar tenham continuidade fora da Etec por meio de fóruns de discussão e esclarecimento de dúvidas; Fortalecer laços de amizade entre todos os componentes da Etec JUSTIFICATIVA O projeto surgiu com o propósito de sanar necessidades provenientes da ausência de um sistema próprio da Etec, bem como a divulgação de menções e frequências e integração entre alunos, corpo docente e demais componentes da unidade técnica. Tendo ainda como ideal a facilitação de serviços que envolvam envio, entrega e recebimento de informações e documentos que possam ser virtualizados.

16 15 Com isso, seriam criadas interfaces que possibilitassem a troca de conhecimentos entre os alunos, de modo que o conhecimento e o desejo de estudar não se fixem apenas ao ambiente físico da escola, mas possa ser prolongado à vida cotidiana do aluno, numa forma de aprendizagem contínua e prazerosa. Isso permitirá aos professores uma maior interação com seus alunos, de modo que a percepção das dificuldades dos estudantes se torne mais fácil, o que trará melhoras ao ensino técnico como um todo. O software facilitaria os serviços da coordenação e tornaria o ambiente escolar ainda mais democrático, possibilitando apontamentos sobre o ano letivo, criação de enquetes em fóruns em que a secretaria pode consultar os alunos quanto aos mais diversos assuntos pertinentes à sua necessidade, conseguindo ainda divulgar eventos e transmitir recados e avisos de forma rápida e segura, uma vez que o sistema será de acesso exclusivo dos componentes da Etec.

17 16 2. A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS NA ATUALIDADE 2.1. REDE SOCIAL E REDE VIRTUAL, O QUE SÃO E QUAL A DIFERENÇA Uma rede é um conjunto de nós interconectados. A formação em redes é uma prática humana muito antiga, mas as redes ganharam vida nova em nosso tempo transformando-se em redes de informação energizadas pela Internet (CASTELLS, 2003, p.7 apud OLIVEIRA, Elizabeth e IRVING, Marta, 2008). Em geral é muito comum relacionar o conceito de rede social diretamente com os famosos web sites de relacionamento em massa que vem ganhando destaque atualmente, Facebook, Orkut, Twitter, entre outros. No entanto, o conceito real de rede social está relacionado com um conjunto de pessoas se relacionando e trocando informações, aprendendo e convivendo entre si, o que não está estritamente preso ao ambiente virtual da internet, mas que se faz presente em diversos outros lugares, como na escola, na vida família e pessoal (com os amigos), no trabalho e em diversos outros. Porém, quando o conceito é restringido ao ambiente web, isso recebe o nome de rede social virtual. O conceito básico de redes social virtual é local onde os indivíduos podem se comunicar online, desta maneira, ela é instituída com a intenção de unir diferentes usuários em prol de um objetivo. As redes mais utilizadas nos dias de hoje visam, principalmente, o entretenimento do público e mundo empresarial. Ou seja, essas redes conseguiram atingir além das pessoas físicas o mundo corporativo, fato que demonstra claramente sua forte influência na sociedade contemporânea. Além dos fatores entretenimento / mundo corporativo em que as redes sociais atuam, elas podem de diversas maneiras moldar as pessoas que as utilizam: pesquisas realizadas na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, chegaram conclusão de que além da influência direta das pessoas com quem nos relacionamos, os indivíduos são afetados também por pessoas que

18 17 nem conhecem, ou seja, as redes sociais obtiveram a grande possibilidade de estabelecer sentimentos e comportamentos. As redes sociais virtuais passaram cada vez mais a funcionar como as redes de relacionamentos do mundo real. A própria Internet, de um modo geral, já se tornou uma grande rede de comunicação e dissipação dados ou informações PRINCIPAIS REDES SOCIAIS VIRTUAIS As redes sociais, voltadas ao entretenimento, mais utilizadas em território nacional hoje são: Orkut, rede social filiada ao Google, criada em 24 de Janeiro de 2004 com o objetivo de ajudar seus membros a criar novas amizades e manter relacionamentos; Flickr, site de hospedagem e partilha de imagens fotográficas (e eventualmente de outros tipos de documentos gráficos, como desenhos e ilustrações); Facebook, website de relacionamento social lançado em 4 de fevereiro de Twitter, rede social e servidor para microblogging que permite aos usuários que enviem e leiam atualizações pessoais de outros contatos. Tabela 1 - Principais Redes Sociais Facebook Twitter Linkedin Google+ Estabelecido em Estabelecido Estabelecido em Estabelecido em 2004 em

19 bilhões de 121 milhões 140 milhões de Sem rendimento rendimento de rendimento rendimento Mais de 50% dos usuários acessam diariamente Cerca de 1 bilhão tweets semana de por 64 milhões de usuários são da América do Norte Custou 585 milhões para desenvolvimento Fontes: e AS REDES SOCIAIS E A POLÍTICA GLOBAL Como dito anteriormente, as redes sociais cada vez mais têm trabalhado como uma parte essencial à vida da Internet e dos próprios usuários. Alguns acontecimentos mundiais importantes tiveram forte influência ou foram impulsionados pelas redes. Tabela 2 - Fatos Envolvendo Redes Sociais Fato Redes Sociais utilizadas Importância das Redes Sociais Tragédia na região serrana do Rio de Janeiro, Brasil. Twitter, Facebook, Orkut. Perfis e comunidades criadas para contato com órgãos públicos. Revolta do Mundo Árabe Facebook. Reunir esforços e criar um movimento social. Fonte: _arabe_ d.htm

20 MUNDO CORPORATIVO E REDES SOCIAIS As redes sociais têm adquirido grande importância também no mundo corporativo, cada vez mais empresas de diversos segmentos as utilizam em seus processos. Empresas utilizam redes principalmente o Facebook estritamente ligadas aos seus processos de marketing, oferecendo vantagens aos seus fãs ativos na rede social. As vantagens oferecidas online por essas empresas incentiva os usuários a buscarem estes segmentos comerciais. Os processos comerciais são estritamente ligados às redes, como por exemplo em: Fornecimento de vantagens aos fãs ou seguidores da empresa em redes; Divulgação de informações sobre a empresa, tais como sua política e sua atuação no mercado RECONHECIMENTO MESMO NO MEIO ACADÊMICO Diante do crescimento das redes sociais virtuais na atualidade e de sua importância e papel enquanto formadoras de opiniões, meio de comunicação e expressão e em alguns casos fonte de conhecimento, a grande temática com relação a elas tem sido a privacidade e a segurança das informações vinculadas por meio delas. Questões como: até onde podemos vincular informações pela internet? Privacidade e o papel das redes sociais, suas vantagens e desvantagens foram fortemente empregadas como tema de redações em vestibulares do ano passado (2011). No Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) o tema da redação foi VIVER EM REDE NO SÉCULO XXI: OS LIMITES ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO, enquanto que o mesmo assunto foi abordado no vestibular da Fatec (Faculdades de Tecnologia) com o tema PAPEL DAS REDES SOCIAIS NA VIDA MODERNA.

21 20 Isso mostra claramente o quanto o assunto tem ganhado força e importância na atualidade e a grande questão desafiadora, não só nas escolas, mas também em empresas, tem sido com relação à restrição do acesso às redes sociais, o que diante do potencial que estes meios de vinculação em massa têm ganhado é algo cada vez mais delicado, afinal não seria melhor fazer uso das redes sociais para proveito próprio a fim de gerar ganhos tanto no meio acadêmico como empresarial? Ou o melhor é realmente combatê-las? Questões como essas são cada vez mais discutidas e as vantagens e desvantagens de ambas as coisas são diversas. Por tanto dentro da temática do nosso projeto buscamos em suma encontrar meios de trazer o meio acadêmico e as práticas que favorecem o uso das mídias e redes sociais como fonte de discussão e obtenção de conhecimento à tona, de modo a obter uma maior integração entre os alunos da Etec Irmã Agostina, sem que isso afete a rotina e aprendizagem dentro da Etec, o projeto faz uso das redes sociais como meio para facilitação e integração para a aprendizagem, uma vez que isso tende a ter maior aceitação por parte dos alunos e não se prende apenas a assuntos burocráticos como vinculação de avisos e divulgação de menções e frequências, mas nos permite amplitude para que o projeto (dentro de seus objetivos) possa trabalhar aquilo que aprendemos ao decorrer do curso das mais diversas formas possíveis.

22 21 3. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO Para o desenvolvimento do projeto foi necessária à utilização de diversas linguagens de programação, sendo estas o Java, usado para desenvolvimento do Sistema de Gerenciamento da Rede Social e o Javascript, o CSS (linguagem de estilo), o SQL (linguagem para banco de dados) e o PHP, para desenvolvimento da Rede Social Online. Dentre os motivos que nos levaram a escolha de tais linguagens, o peso e aplicabilidade no mercado, bem como as vantagens de cada, foram fatores que levamos muito em conta. Segundo o TIOBE (Programming Community Index ou Índice TIOBE) que é uma lista ordenada de linguagens de programação, classificada pela frequência de pesquisa na web usando o nome da linguagem como a palavrachave, servindo, portanto para medir a popularidade de linguagens de programação, num dos rankings de linguagens mais populares lançado em Fevereiro de 2010 (Tabela 1), o Java foi à linguagem de programação mais popular nos anos de 2009 e 2010, logo era a linguagem de destaque para desenvolvimento de aplicações Desktop. Enquanto que o PHP em 2009 era o 4º do ranking em 2009 e subiu para 3º em Tabela 3 Ranking de linguagens de programação mais populares segundo o TIOBE, divulgado em Fevereiro de Positio n Jun 2012 Positio n Jun 2011 Delta in Position Programming Language Ratings Jun 2012 Delta Jun 2011 Statu s 1 2 C 2 1 Java % % +1.45% A -2.32% A 3 3 C % -0.47% A

23 Objective-C 9.094% +4.66% A 5 4 C# 7.026% +0.18% A 6 6 (Visual) Basic 6.047% +1.32% A 7 5 PHP 5.287% -1.31% A 8 8 Python 3.848% -0.05% A 9 9 Perl 2.221% -0.09% A Ruby 1.683% +0.20% A Javascript 1.474% -0.03% A Visual Basic.NET 1.216% +0.78% A Delphi/Object Pascal 1.150% +0.08% A Lisp 0.986% +0.05% A Logo 0.860% +0.31% A Pascal 0.844% +0.11% A Transact-SQL 0.705% +0.05% A Ada 0.681% +0.08% B PL/SQL 0.637% +0.13% A Lua 0.635% -1.40% B Fonte: A seguir descreveremos vantagens e desvantagens que nos levaram a usar de tais linguagens.

24 JAVA O Java é uma linguagem de programação orientada a objeto desenvolvida na década de 90 por uma equipe de programadores chefiada por James Gosling, na empresa Sun Microsystems. Diferentemente das linguagens convencionais, que são compiladas para código nativo ela é compilada para um bytecode que é executado por uma máquina virtual. FONTE VANTAGENS A tecnologia Java é Free ITÁLICO, o custo é quase totalmente zero, os editores e ambientes de produção também são gratuitos (NetBeans, Eclipse, entre outros.) e ainda tem a gratuidade dos Servidores de Aplicação (TomCat, Jboss, Jetty e outros.). A Linguagem é Orientada a Objetos (OO), segue o paradigma O.O., o que a torna uma ferramenta extremamente poderosa. E é também Multi- Threaded, o que significa dizer que ela suporta processamento paralelo múltiplo. Possui portabilidade, onde o mesmo código Java roda em diversas plataformas sem a necessidade de alteração de código e as aplicações podem ser facilmente migradas entre servidores. Tornado desnecessário ficar preso a somente um fabricante. a a é padronizada e mantida pela C ( a a Communit rocess. A JCP é mantida por diversas empresas: Sun, Oracle, IBM, Novell, Xerox. Pelo fato de Java ser OO, é possível fazer reutilização do código já produzido. O suporte dado a Tecnologia Java é satisfatório, pois a comunidade Java, hoje, é a mais extensa. Existem inúmeros JUGs (Java User Groups), que promovem eventos, disponibilizam material, artigos, revistas especializadas e fórum de discussões. Ela é uma linguagem usada em larga escala no mercado hoje. DESVANTAGENS

25 24 A pré-compilação exige tempo, o que faz com que programas Java demorem um tempo significativamente maior para começarem a funcionar. Isso não é um grande problema para programas que rodam em servidores. No entanto isso pode ser bastante indesejável para computadores pessoais. O padrão Java tem uma especificação rígida de como devem funcionar os tipos numéricos. Essa especificação não condiz com a implementação de pontos flutuantes na maioria dos processadores o que faz com que o Java seja significativamente mais lento para aplicações que utilizem bastante processamento numérico quando comparado a outras linguagens. Os bytecodes produzidos pelos compiladores Java podem ser usados num processo de engenharia reversa para a recuperação do programa-fonte original. Esta é uma característica que atinge em menor grau todas as linguagens compiladas. Lembrando que as desvantagens de Java em relação à performance não significam que suas aplicações sejam lentas ao ponto de não serem viáveis para utilização em desktops. Java hoje já possui um desempenho próximo do C++. A grande diferença na performance das aplicações escritas em Java em relação as outras linguagens pré-compiladas se dá no Start da aplicação, quando ocorre a geração dos bytecodes. Entretanto Java não suporta herança múltipla de implementação e nem aritmética de ponteiros, que são aceitos em C++, isso tem um pequeno e importante impacto na produtividade do programador JAVASCRIPT Javascript é uma linguagem muito simples e de fácil aprendizagem. Semelhante ao Java, C, C++ e PHP, que foi criada para ter uma utilização Web based (isto é, em sistemas totalmente via web acessados através de um browser) por Brendan Eich da Netscape em 1995, como uma extensão para o browser Navigator v2.0, com o principal propósito de permitir uma interatividade superior à que se conseguia com o HTML e para atender principalmente às seguintes necessidades:

26 25 Validação de formulários em client side (do inglês lado cliente, designa uma aplicação que é executada no micro do usuário e não no servidor que hospeda a aplicação); Iteração com a página, o que fez com que fosse desenvolvida como uma linguagem de script. A principal característica do Javascript é a forma como interage com o browser, podendo juntar-se aos objetos da página. O Javascript é uma linguagem embebida no seio do HTML, é orientada a objetos e a eventos que se juntam ao DOM (Document Object Model - Modelo de Objetos de Documento) do browser. É independente da plataforma onde corre, não é compilada e sim interpretada pelo browser, baseando-se em objetos. Algumas das potencialidades do Javascript a ter em conta são: Gerar código HTML; Reagir conforme as ações do visitante; Gerar conteúdos dinâmicos; Validar formulários; Criar efeitos gráficos. VANTAGENS Fácil aprendizagem; Não exige recursos server side (do lado do servidor, isto é, não precisa de um servidor assim como outras linguagens como o PHP, por exemplo); É rápida por ser interpretada no browser; Existem muitos recursos na Internet. DESVANTAGENS O código pode ser facilmente copiado, pois fica exposto;

27 26 Não é uma boa ferramenta para interagir com base de dados; É menos versátil que a sua parente Java CSS O Cascading Style Sheets (ou simplesmente CSS) é uma linguagem de estilo desenvolvida pelo consórcio internacional World Wide Web Consortium e utilizada para definir a apresentação de documentos escritos em uma linguagem de marcação, como HTML ou XML. De uma forma geral ela separa a formatação e a programação visual da estrutura mais complexa da aplicação Web, deixando tudo o que é relativo à aparência separado do que é mais funcional (a parte lógica). Com ele, o desenvolvedor, em vez de colocar a formatação dentro do documento, cria um link (ligação) para uma página que contém os estilos, procedendo de forma idêntica para todas as páginas de um portal. Com isso, quando ele quiser alterar a aparência do site basta, portanto modificar o arquivo CSS. VANTAGENS Uma das principais vantagens do CSS passa pela diminuição do peso de uma página Web. Imaginemos um site com imensas páginas, definir todos os estilos nessas páginas ocuparia imensas linhas e perderíamos muito tempo. Outra vantagem muito interessante na utilização do CSS é a facilidade de estruturar uma página Web, de forma eficaz, leve e rápida. Antes da utilização em massa do CSS os webmasters recorriam a tabelas, Gifts in isí eis de 1px (para dar espaçamentos e muitas outras formas manhosas de obter a estruturação pretendida para o site. Por exemplo, com CSS é possível de forma simples e rápida posicionar uma imagem em qualquer lugar de uma página Web, apenas com posicionamentos absolutos e relativos. Uma das grandes vantagens do CSS é a possibilidade de combinar numa única imagem todas as imagens de um site. Isto é uma técnica avançada usada pelos grandes portais onde através do CSS vão buscar as

28 27 diferentes porções da imagem que pretendem para determinado local do site. Isto é sem dúvida muito eficaz, desta forma apenas fazemos uma requisição ao servidor (um servidor faz 2 requisições por domínio / subdomínio em simultâneo), aumentado (em sites com muitas imagens) de forma surpreendente a velocidade do site, essa imagem é ainda guardada em cache pelo browser evitando futuras requisições. DESVANTAGENS A única principal des antagem do CSS é o fato de alguns elementos mais avançados do CSS não serem suportados por todos os browsers ou terem comportamentos diferentes nos diferentes browsers. Isto verifica-se principalmente entre o Internet Explorer (em especial nas versões mais antigas) e os restantes browsers, digamos que o IE é a o elha negra do CSS (e não só) em relação aos restantes browsers. Para resolver estes problemas os desenvolvedores têm duas opções: Escrever ficheiros de estilos muito simples e suportados por todos os browsers. Usar Javascript para detectar o browser do visitante e carregar as regras de CSS de acordo com o browser. Qualquer programador web, webmaster, web designer ou site usa CSS. Hoje em dia o CSS está presente em praticamente todos os sites que visitamos no dia a dia. Um site otimizado para motores de busca tem obrigatoriamente de usar CSS, de forma a tornar o código fonte mais limpo e leve SQL O SQL (Structured Query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é uma linguagem voltada para bancos de dados relacionais, tida como padrão de banco de dados dada a sua simplicidade e facilidade de uso. Ela foi desenvolvida originalmente no início dos anos 70 nos laboratórios da

29 28 IBM em San Jose, dentro do projeto System R, que tinha por objetivo demonstrar a viabilidade da implementação de modelos relacionais. VANTAGENS Independência de fabricante: A linguagem SQL é adotada por praticamente todos os SGBD s relacionais existentes no mercado, além de ser uma linguagem padronizada (ANSI). Com isso, pelo menos em tese, posso mudar de SGBD sem me preocupar em alterar os programas de aplicação. Portabilidade entre plataformas de hardware e software: Pode ser utilizada tanto em máquinas Intel rodando Windows, passando por Workstations RISC rodando UNIX, até mainframes rodando sistemas operacionais proprietários. Redução dos custos com treinamento: Com base no item anterior, as aplicações podem se movimentar de um ambiente para o outro sem que seja necessária uma reciclagem da equipe de desenvolvimento. DESVANTAGENS A padronização leva a uma, natural, inibição da criatividade, pois quem desenvolve aplicações fica preso a soluções padronizadas, não podendo sofrer melhorias ou alterações; Mesmo enfrentando alguns problemas e críticas, a linguagem SQL veio para ficar, auxiliando de forma bastante profunda a vida dos usuários e analistas no trabalho de manipulação dos dados armazenados em um banco de dados relacional. E é sobre esse auxílio que iremos tratar, mostrando comandos e funcionalidades da SQL, por meio de exemplos práticos. Não iremos mostrar todos os comandos, principalmente os que foram definidos para serem utilizados dentro de uma linguagem hospedeira (cursor); apresentaremos os comandos para criação, atualização, alteração, pesquisa e eliminação de tabelas dentro de um ambiente relacional típico.

30 PHP PHP (PHP: Hypertext Preprocessor, originalmente Personal Home Page) é uma linguagem interpretada livre e utilizada para gerar conteúdo dinâmico na World Wide Web (Rede de alcance mundial). A linguagem surgiu em meados de 1994, como um pacote de programas CGI criados por Rasmus Lerdorf. É uma linguagem que trabalha do lado do servidor, o que significa que nenhum código PHP é executado pelo browser, eles necessitam de um servidor PHP que interprete-os, execute-os e os devolva convertidos para uma linguagem compreensível pelo browser (HTML). VANTAGENS Fácil aprendizado - A linguagem PHP pegou elementos do Perl, Java e do C. A maioria dos programadores para Web conhece ao menos uma destas linguagens, facilitando o aprendizado. Acesso a dados - O PHP se conecta facilmente a sistemas Sybase, MySQL, MS-SQL, Oracle e muitos outros compatíveis com o padrão ODBC. Velocidade e robustez - O ASP tende a deixar o servidor mais lento, o PHP raramente causa este problema. A diferença entre ambos já foi maior, mas o ASP foi sendo otimizado pela Microsoft enquanto que o PHP cresceu, aglutinando mais e mais funções. Multi-plataforma - Como já vimos, o PHP funciona em qualquer plataforma onde for possível instalar um servidor Web. Só para lembrar, há versões para Linux, FreeBSD, Solaris, Windows NT, IRIX, HP-UX e até para o Amiga. Código-fonte aberto - Muitas organizações, principalmente governamentais, relutam em criar sistemas usando ferramentas da Microsoft pelo fato de serem proprietárias, isto é, não há acesso ao código-fonte. Estas entidades precisam de extremo cuidado com a segurança e não podem confiar seu destino cegamente em uma única empresa. É preciso inspecionar o códigofonte dos programas utilizados não só para garantir que estejam isentos de

31 30 falhas, mas também para possivelmente modificá-lo para cumprir determinadas tarefas. DESVANTAGENS Compatibilidade entre versões - Nota-se que falta um pouco de padronização. Por exemplo, um comando que funciona em determinada revisão pode não funcionar em outra. Documentação incompleta - Como a maioria dos programas Open Source, frequentemente os recursos surgem antes de estarem documentados. O site da organização ajuda bastante, mas é comum encontrar recursos sem documentação e, principalmente, sem exemplos que possam facilitar o aprendizado. Mas é preciso dizer que os recursos sem documentação só serão importantes para quem é usuário bem avançado, ou seja, ele já saberá o que fazer para contornar a falta de documentação. Aplicativos de servidor - Segundo algumas correntes de pensamento, o Java leva clara vantagem sobre o PHP, mas isto vem mudando com a implantação das ferramentas para Web 2.0. Web services - Segundo os mesmos especialistas, o PHP precisava desenvolver melhor interligação com os serviços via Web. Isto já foi feito, hoje o PHP pode competir de igual para igual com ferramentas da Microsoft e da Adobe na criação de sites dinâmicos com todos os requisitos da Web 2.0.

32 31 4. DOCUMENTAÇÃO Uma outra coisa de grande importância em qualquer projeto de software é a documentação de tudo o que foi feito, isto é, o registro de toda a programação por meio de diagramas que permitam a compreensão do sistema, mesmo por pessoas que não estiveram presentes no processo de desenvolvimento do software. Isso é importante, pois se em algum dia, após a implantação do sistema, a empresa que está usando o software (no caso a ETEC), resolver fazer alguma alteração na estrutura do software, ou precisar reparar algum bug (erro), ela não depende exclusivamente dos desenvolvedores iniciais do projeto, podendo, portanto solicitar o serviço de qualquer outra pessoa. No caso do nosso projeto, isso vem a ser algo crucial dentro de uma das fortes características percebidas pelo grupo, como fator diferencial do tema, que é a continuidade do projeto, isto é, o projeto nos permite contínuas implementações, podendo sempre crescer mais, o que nos levou a afirmar que nunca estará acabado, mas ficará em eterna implementação de recursos (sendo que isso cabe a outros que queiram acrescentar recursos à nossa Rede Social, ou ao nosso grupo no futuro), afinal, por mais que hoje nossa Rede Social tenha diversos recursos, é sempre possível melhorar alguma coisa, acrescentar uma aba ou link e criar um novo recurso. Inicialmente, nós realizamos um levantamento de requisitos, isto é, pensamos em tudo o que o sistema poderia conter como essencial para o alcance dos objetivos proposto e a partir disso montamos diagramas de casos de uso e de classes, que são parte do que chamamos UML (Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada) é uma linguagem de modelagem não proprietária que é tida como padrão para a documentação de sistemas e softwares. A UML não é uma metodologia de desenvolvimento, o que significa que ela não diz para você o que fazer primeiro e em seguida como projetar seu sistema, mas ela lhe auxilia a visualizar seu software e a comunicação entre os objetos que o compõem. Além disso, documentamos o nosso banco de dados, criando um Modelo Entidade Relacionamento e esboçamos um diagrama de funcionamento do sistema como um todo.

33 LEVANTAMENTO DE REQUISITOS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL Como requisitos iniciais para o desenvolvimento do projeto, nós pensamos para o Sistema de Gerenciamento: Praticidade e facilidade principalmente para o cadastro, afinal o administrador possivelmente seria uma pessoa que não possui muito tempo extra (o programa não deve ser mais uma tarefa para dificultar o trabalho dele); Trabalhar conjuntamente com a Rede Social Online suprindo o banco; Efetuar cadastro prévio de usuários professor e aluno; Efetuar cadastro de cursos, períodos e turmas. Com o tempo, no entanto o sistema foi ganhando complexidade e surgiu a necessidade de muitas outras coisas como, por exemplo: Importação de dados provenientes de uma planilha do Excel, a fim de facilitar o cadastro dos alunos por parte do administrador, uma vez que a ETEC já possui planilhas com os dados dos alunos necessários ao sistema. Relacionamento do professor com os cursos e períodos por meio de disciplinas; Postagem de avisos em um mural principal exibido na própria Rede Social; Login e gerenciamento de senhas e administradores para garantir uma maior segurança; Entre outras REDE SOCIAL Assim como no Sistema de Gerenciamento, houveram requisitos iniciais e implementações posteriores. Requisitos iniciais: Logins de autenticação de usuário; Cadastro complementar de usuários por meio de RG cadastrado previamente no Sistema de Gerenciamento;

34 33 Parte do site reservada para o aluno e outra com algumas diferenças para o professor; Sistema de visualização de menções e frequências (que posteriormente tornou-se inviável, pois a ETEC lançou um e o grupo não viu sentido em continuar com a ideia, sendo, no entanto, feita uma parceria com o professor João para integração dos dois sistemas); Sistema de upload e download de arquivos; Calendário de eventos do professor; Fóruns de discussão e esclarecimento de dúvidas; Implementações posteriores: Perfil e gerenciamento de amizades; Currículos e espaço empresarial; Espaço para exibição ao aluno de oportunidades de estágio; Troca de recados; Integração de outras redes sociais; Recuperação de senha; Sistemas de busca de arquivos e amigos; Entre outros DIAGRAMA DE CASOS DE USO O diagrama de caso de uso descreve as ações de todos aqueles que interagem com o sistema, dentro do sistema. Um caso de uso é um documento narrativo que descreve a sequencia de eventos de um ator, o qual usa um sistema para completar um processo (Jacobson, 1992 apud LUTKMEIER e D.AGOSTINI). Um caso de uso representa uma unidade discreta da interação entre um usuário (humano ou máquina) e o sistema. Um caso de uso é uma unidade de um trabalho significante.

35 34 Para criação dos diagramas foi usado o software Astah Community que também foi usado para os diagramas de classes. Os diagramas encontram-se no Anexo A DIAGRAMA DE CLASSES Um diagrama de classes é uma representação da estrutura e relações das classes que servem de modelo para objetos, isto é, das diversas abstrações feitas no sistema, com relação a coisas do mundo real e que servem de modelo para construção de minhas próprias classes criadas a partir dessa inicial (este é o conceito de objeto, uma instância da classe). Um diagrama de classe exibe um conjunto de classes, interfaces e colaboração, bem como seus relacionamentos (BOOCH, Grady; RUMBAUGH, James; e JACOBSON, Ivar, 2006). É uma modelagem muito útil para o sistema, pois define todas as classes que o sistema necessita possuir e é a base para a construção de diversos outros diagramas. Nosso sistema usou a modelagem por classes como base para idealização do projeto, muito embora ao longo do projeto não se utilizaram todas as classes ou mesmo a orientação a objetos, devido ao pouco conhecimento por parte do grupo quanto a esse padrão de programação, logo os diagramas de classe dispostos no Anexo B são meramente um modelo para planejamento do projeto (algo idealizado pelo grupo), mas que não descreve a realidade do projeto DIAGRAMA ENTIDADE-RELACIONAMENTO Um diagrama entidade relacionamento é um modelo gráfico (visual) que descreve o modelo de dados de um sistema com alto nível de abstração, isto significa que ele vem a representar coisas do mundo real sendo levadas ao mundo digital (abstraídas). Ele é a principal representação gráfica do Modelo

36 35 de Entidades e Relacionamentos (Conjunto de conceitos e elementos de modelagem que o projetista de banco de dados precisa conhecer). É usado para representar o modelo conceitual do negócio. A técnica mais difundida de modelagem conceitual é a abordagem entidade-relacionamento (ER). Nesta técnica, um modelo conceitual é usualmente representado através de um diagrama, chamado diagrama entidade-relacionamento (ALBERTO HEUSER, Carlos. 1998). no Anexo C. Figura 1 Diagrama Entidade-Relacionamento (DER). A descrição mais detalhada da estrutura do banco de dados encontra-se

37 36 5. ANÁLISES DE VIABILIDADE DO PROJETO Antes de realizar qualquer projeto, seja de software ou de qualquer outro tipo é preciso realizar estudos que garantam a aceitação ou sucesso do projeto, afinal, o que adianta lançar um software que ninguém irá usar, ou ainda, iniciar um projeto que não tem chances de ser concluído por falta de recursos, tempo ou estrutura. Sabendo disso, nós realizamos diversas análises e pesquisas afim, de obter maior segurança, quanto ao sucesso do projeto e firmar requisitos mínimos, levantar custos e estabelecer um orçamento para a implantação do projeto CUSTOS Para a implantação do projeto seria necessário equipamentos e pessoas a fim de efetuar um perfeito funcionamento do sistema de gerenciamento e do site. Abaixo faremos uma relação dos custos para implantação e manutenção do projeto SERVIDOR Um dos únicos gastos que o desenvolvimento de uma aplicação WEB requer é com relação ao servidor. Um Servidor nada mais é que um computador que oferece algum tipo de serviço a uma rede. Para nosso projeto o servidor tem a finalidade de hospedar o site, para isso é necessário que o servidor tenha suporte a MySQL para o banco de dados e suporte a PHP para fazer a estrutura do site. Custo, Vantagens e Desvantagens de se Alugar um Servidor O preço do servidor varia muito, pois é possível alugar ou comprar isso vai da necessidade do projeto, efetuados uma pesquisa para comparar os custos do aluguel e compra do servidor.

38 37 Custo: O preço do aluguel de um servidor Premium está entre R$ 49,90 á 199,90 por mês. Suporte: Toda parte de manutenção dos servidores e realizada pela empresa que oferece o serviço de aluguel do servidor alem de suporte 24h para todos os tipos de problemas. Controle: Algumas liberações e configurações do servidor só podem ser feitas pela empresa responsável pelos servidores. Custo, Vantagens e Desvantagens de se Comprar um Servidor Controle: A empresa que decide comprar o servidor terá controle total sobre ele podendo alterar qualquer tipo de configuração a hora que bem entender. Custo: O preço médio de um servidor de porte pequeno é de R$ 1.699,00 isso sem contar com custos de sistemas operacional e pessoas capacitadas para fazer a manutenção do servidor DOMÍNIO Para que fosse possível acessar o site e entrar na pagina inicial da nossa Rede Social foi necessário comprar um domínio que é um registro único do nome do site nesse caso Tooeasy. Abaixo uma tabela com alguns tipos de extensões de domínios: Tabela 4 - Extenções de Domínios EXTENSÃO PREÇO REGISTRO / ANO.com.br (Comercial Brasil) R$ 30,00.com (Comercial) R$ 29,90.net (network) R$ 29,90.Org (Organização sem fins lucrativos) R$ 29,90

39 38.info (Informação) R$ 29,90.biz (business) R$ 29,90 Fonte: O nosso nome de domínio foi de extensão.com.br o que nos custou R$ 40,00, devido ao fato de termos efetuado o registro junto à empresa que estava alugando o servidor e que portanto acabou encarecendo o preço do domínio MÃO DE OBRA PARA CONFIGURAÇÃO E TREINAMENTO Para a manutenção do site e criação de novas ferramentas é necessário à mão de obra de no mínimo dois desenvolvedores WEB que trabalhem administrando apenas o site. Além de um outro para o Sistema de Gerenciamento do Site que trabalhe com Java e fique responsável pela manutenção e criação de novas funcionalidade no sistema a fim de melhorar a vida daquele que vai operar o programa. Sem falar em um administrador de banco de dados para fazer todo o controle dos arquivos no servidor principalmente com relação aos dados que estão entrando dentro do banco. Pensando nisso, realizamos pesquisas com relação à média de salários desses profissionais, chegando à seguinte tabela: Tabela 5 - Média de Salários PROFISSÃO CUSTO (BASE) Desenvolvedor Web R$ 1.500,00 Desenvolvedor Java R$ 1.200,00 Administrador de banco de dados R$ 1.500,00 Fonte: Com relação a treinamento para cadastro de alunos na Rede e administração do sistema como um todo, efetuamos pesquisas com relação a custos com relação a outros softwares, o que de certa forma foi algo difícil de

40 39 encontrar, uma vez que não é em todo lugar que se divulgam preços de treinamento, uma vez que em geral este, ou vem embutido no preço do software ou é negociado após a compra, mesmo assim encontramos um site, o JáCotei que fornece relações de preços para aquisição de produtos não só de softwares, mas artigos em geral da área de informática, onde são relacionados e comparados preços de treinamento. Segundo ele, este serviço, em softwares pequenos e médios varia de R$ 17,90 à R$ 2.299,00. A partir disso pensamos no custo de um treinamento futuro de instituições que possivelmente se interessassem pelo software e com as quais temos menos conhecimento com relação ao funcionamento. Numa possível implantação do software, seria necessário no máximo, uma breve orientação (treinamento) com relação ao software de gerenciamento, o que não requereria grandes gastos por parte da instituição, até mesmo, porque o software de gerenciamento possui um manual acoplado ao software que fornece orientações para a utilização. Sendo assim, isso poderia ser feito na própria instalação do software e não traria gastos adicionais PESQUISA DE CAMPO 1 Ainda com relação a análises realizadas pelo grupo, realizamos uma pesquisa de campo, a fim firmar uma espécie de marco zero para avaliação do projeto, e ter uma noção maior da situação da ETEC, forma como os alunos percebem isso, necessidade do nosso projeto e aceitação posterior. A pesquisa aconteceu em duas etapas: a primeira ocorreu por amostragem com questionários impressos e entregues a dois meninos e duas meninas de cada uma das salas dos cursos técnicos do período da tarde e a segunda etapa foi uma pesquisa online por meio de um site improvisado que hospedava o mesmo questionário que foi entregue impresso por amostragem, o objetivo disso era possibilitar uma pesquisa que teria uma quantidade qualitativa de entrevistados, mas que possibilitasse a participação de todos os

41 40 que se interessassem. Para fins avaliativos o questionário usado na pesquisa encontra-se em anexo, mas os resultados serão demonstrados a seguir PESQUISA POR AMOSTRAGEM A pesquisa aconteceu entre 06 e 20 de março de 2012 na própria ETEC Irmã Agostina, onde foram entrevistados 40 alunos dos três principais cursos técnicos do período da tarde, sendo estes: Química, Informática e Contabilidade, de uma forma proporcional com quatro questionários por sala, em geral destinados a dois meninos e duas meninas. De um modo geral o que norteou a pesquisa de campo e seu funcionamento foi à preocupação do grupo com relação à variedade e representatividade dos dados coletados, afinal quanto mais variado o perfil dos entrevistados, mais próxima será a opinião deles com relação ao todo ao qual a pesquisa não conseguiu abranger. Tabela 6 - Perfil dos Entrevistados na Pesquisa de Campo por Amostragem PERFIL DOS ENTREVISTADOS Curso Módulo Nº De Entrevistados Sexo Masc. Femin. Química 1ºI Química 2ºI Química 3ºI Química 4ºI Total De Química Informática 1ºG Informática 2ºG Informática 3ºG Total De Informática

42 N DE ENTREVISTADOS 41 Contabilidade 1ºF Contabilidade 2ºF Contabilidade 3ºF Total De Contabilidade Total Geral Idade Dos Entrevistados Idades Total PORCENTUAL POR SEXO MENINOS MENINAS SEXO Figura 2 - Porcentual por Sexo - Pesquisa por Amostragem. Com relação ao sexo dos entrevistados, foram entrevistadas por pouca coisa, mais meninas do que meninos, o que torna esse um dos poucos pontos desproporcionais da pesquisa.

43 N DE ENTREVISTADOS N DE ENTREVISTADOS 42 IDADES DOS ENTREVISTADOS IDADE (EM ANOS) Figura 3 - Idades dos Entrevistados - Pesquisa por Amostragem. A idade dos entrevistados variou entre 15 e 33 anos, sendo que os menores de 18 anos tiveram participação majoritária, até mesmo pela composição real do corpo discente da ETEC. 20 PARTICIPAÇÃO DOS CURSOS NA PESQUISA QUÍMICA INFORMÁTICA CONTABILIDADE CURSOS ENTREVISTADOS Figura 4 - Participação dos Cursos - Pesquisa por Amostragem Quanto à participação dos cursos, esta seguiu proporcional ao número de turmas de cada curso no período da tarde, o que fez com que o curso de Química tivesse mais participantes na pesquisa, uma vez que o curso é o mais longo e, portanto conta com um módulo a mais.

44 43 QUESTÃO 1 - Como você (aluno, professor) avalia os meios empregados pela ETEC para a divulgação de menções e frequências aos alunos? 3% 5% MB B 46% 46% R I Figura 5 - Questão 1 - Pesquisa por Amostragem A primeira questão do formulário de pesquisa questionava os alunos com relação aos meios empregados pela ETEC para a divulgação de menções e frequências, na data de aplicação do questionário ainda não havia sido implantado o sistema de menções e frequências da ETEC, logo até então, tudo ocorria por meio de cartazes com as menções individuais de cada aluno e/ou estes ficavam sabendo em sala por parte dos professores. Sendo questionados com relação a isso 46% dos entrevistados avaliaram a maneira como a ETEC divulgava estes dados com irregulares ou péssimos e outros 46 % avaliaram como regulares ou ruins, o que demonstrava a necessidade de uma nova maneira de fazer isso.

45 44 Figura 6 - Questão 2 - Pesquisa por Amostragem A segunda questão buscava sondar a aceitação dos alunos quanto ao sistema, perguntando o que eles achariam de um sistema que facilitasse o acesso a menções e frequências e mudasse a forma como isso acontecia até então. Com isso foi constatado com 77% das respostas que eles gostariam muito e que 20% achariam legal, o que nos leva a crer que existe a vontade por parte dos alunos quanto a um sistema que facilite tal coisa e que, portanto um sistema com tal funcionalidade seria bem visto e aceito por parte do corpo discente.

46 Nº DE USUÁRIOS 45 QUESTÃO 3 - Você costuma usar alguma rede social em seu dia-adia? Se sim qual(is)? REDES SOCIAIS Figura 7 - Questão 3 - Pesquisa por Amostragem Na questão 3 nosso objetivo era saber dos alunos com relação à utilização de redes sociais virtuais, a fim de estabelecer padrões e ter uma noção com relação à aceitação e participação deles na nossa. No todo percebemos que a grande maioria utiliza as redes sociais no seu dia-a-dia, com exceção de apenas dois alunos. Destes a grande maioria acessa o Facebook e o Twitter, em seguida vimos que outros acessam ainda o MSN, o Orkut, Blogs, o Tumbler e uma rede social que foi desenvolvida por um dos alunos da ETEC chamada HPCSYS.

47 46 QUESTÃO 4 - Qual a importância das redes sociais hoje? 5% 3% MUITA POUCA NENHUMA 92% Figura 8 - Questão 4 - Pesquisa por Amostragem Na questão 4 perguntamos aos alunos quanto à importância das redes sociais na opinião deles. 92% afirmaram que as redes sociais tem muita importância hoje, 5% disseram que tem pouca e apenas 3% disseram que não tem nenhuma.

48 Nº DE PESSOAS 47 QUESTÃO 5 - Quando um professor utiliza algum material de apoio (texto digitado, apresentação em PowerPoint, vídeo, etc.) e deseja disponibilizá-lo à sala, como isso é feito? XEROX AULAS PRÁTICAS SALAS MULTIMÍDIA MEIO EMPREGADO PORTAL/SITE DA SALA PENDRIVE Figura 9 - Questão 5 - Pesquisa por Amostragem A partir da questão 5, começamos a sondar com relação à troca de recados e divulgação de avisos por parte da secretaria, além da disponibilização de conteúdos por parte dos professores. Para isso perguntamos aos alunos sobre a forma (meio) empregada pelos professores dos diferentes cursos para a divulgação e disponibilização de conteúdos extraclasse como artigos, apresentações de slides e coisas do tipo. A partir da pesquisa, o da sala foi diagnosticado como principal meio empregado para isso, seguido da exibição em si, em salas multimídia e da disponibilização na xerocadora.

49 Nº DE PESSOAS 48 QUESTÃO 6 - Sua sala possui um próprio? SIM NÃO RESPOSTA Figura 10 - Questão 6 - Pesquisa por Amostragem Na questão 6 perguntamos aos alunos sobre a adoção de s de sala, e foi diagnosticado que todas as salas dos cursos técnicos da tarde possuem um de sala, pelo qual os professores, divulgam e disponibilizam atividades e conteúdos. Figura 11 - Questão 7 - Pesquisa por Amostragem Por fim, perguntamos com relação à avaliação que os alunos fazem da forma como a ETEC divulga avisos aos alunos, até então isso era feito

50 49 pessoalmente por parte do coordenador do curso ou outro funcionário da ETEC que se dirigia até as salas e repassava aos alunos informes gerais e avisos, ou ainda pelo site (algo mais raro). Com isso percebemos que existe uma certa aceitação dos alunos com relação a tal forma como essas coisas acontecem, muito embora 43% dos entrevistados avaliassem o método atual como regular PESQUISA ONLINE A pesquisa online acontece simultânea à pesquisa por amostragem entre 06 e 20 de março, onde os alunos podiam acessar uma página web onde estava disponível o questionário e com isso participar da pesquisa. Por ser algo menos formal e que não exige ou possibilita cobrança por parte do nosso grupo com relação à participação dos alunos a pesquisa foi caracterizada por uma maior liberdade por parte dos alunos a respeito do responder ou não o questionário, por consequência, apenas 9 pessoas preencheram o formulário online. Tabela 7 - Perfil dos Entrevistados Pesquisa Online PERFIL DOS ENTREVISTADOS CURSO MÓDULO SEXO M F QUÍMICA 4ºL 1 1 TOTAL INFORMÁTICA 1ºG 1 INFORMÁTICA 3ºG 6 TOTAL TOTAL GERAL IDADE DOS ENTREVISTADOS IDADE Nº DE ENTREVISTADOS

51 Nº DE ENTREVISTADOS Nº DE ENTREVISTADOS 50 PORCENTUAL POR SEXO MENINOS MENINAS Figura 12 - Porcentual por sexo - Pesquisa Online Com relação ao sexo dos entrevistados, participaram da pesquisa online, 7 meninos e duas meninas, o que vai de contrapartida com relação à pesquisa por amostragem, onde as meninas eram a maioria. IDADE DOS ENTREVISTADOS 15 anos 16 anos 17 anos 20 anos IDADES Figura 13 - Idade dos Entrevistados - Pesquisa Online Já no que diz respeito à idade dos entrevistados, esta variou entre 15 e 20 anos, sendo a maioria de 16 anos.

52 Nº DE ENTREVISTADOS 51 PARTICIPAÇÃO DOS CURSOS QUÍMICA CURSOS INFORMÁTICA Figura 14 - Participação dos Cursos- Pesquisa Online Além disso, participaram da pesquisa duas pessoas do curso de química e sete de informática. Figura 15 - Questão 1 - Pesquisa Online

53 52 Na primeira questão sendo questionados com relação aos meios empregados para divulgação de menções e frequências anteriores aos atuais criados pelo professor João, 45% dos alunos avaliaram os meios como bons e 44% avaliaram como regulares, o que nos leva a crer que mesmo havendo grandes críticas as formas como menções e frequências eram divulgados, havia alguma aceitação, mesmo que pequena se compararmos com a pesquisa por amostragem, onde muitas mais pessoas foram entrevistadas. Figura 16 - Questão 2 - Pesquisa Online Na questão 2 nós perguntamos aos alunos a respeito da opinião deles a respeito da nossa ideia de facilitar essa divulgação de menções e frequências. Com isso foi avaliado que 70% dos entrevistados gostariam muito que a ideia fosse implantada.

54 Nº DE ENTREVISTADOS Nº DE ENTREVISTADOS 53 QUESTÃO 3 - Você costuma usar alguma rede social em seu dia-adia? Se sim qual(is)? FACEBOOK ORKUT BLOGS MSN TWITTER TUMBLER HPCSYS OUTROS REDES SOCIAIS Figura 17 - Questão 3 - Pesquisa Online Com relação à utilização de redes sociais, a grande maioria dos entrevistados respondeu usar o Facebook, sendo que em segundo ficou o Twitter e por fim o Orkut. QUESTÃO 4 - Qual a importância das redes sociais hoje? MUITA POUCA NENHUMA MUITA POUCA NENHUMA Figura 18 - Questão 4 - Pesquisa Online Além disso, dos nove entrevistados sete consideraram as redes sociais como muito importantes, enquanto dois disseram que elas têm pouca importância hoje.

55 Nº DE PESSOAS Nº DE ENTREVISTADOS 54 QUESTÃO 5 - Quando um professor utiliza algum material de apoio (texto digitado, apresentação em PowerPoint, vídeo, etc.) e deseja disponibilizá-lo à sala, como isso é feito? XEROX AULAS PRÁTICAS SALAS PORTAL/SITE MULTIMÍDIA DA SALA PENDRIVE Figura 19 - Questão 5 - Pesquisa Online Na questão 5 do questionário online, foi perguntado aos alunos a respeito da disponibilização de materiais extraclasse como textos, apresentações de slides, entre outros. Disto, a maioria respondeu que em geral, essas coisas são disponibilizadas por ou pendrive (fato este que atribuímos à maioria dos alunos que responderam à pesquisa online pertencerem ao curso de informática). QUESTÃO 6 - Sua sala possui um próprio? SIM NÃO Figura 20 - Questão 6 - Pesquisa Online A respeito de de sala, a resposta continuou sendo uma só, todas as salas dos cursos técnicos da tarde possuem um de sala.

56 55 QUESTÃO 7 - Como você (aluno, professor) avalia os métodos empregados pela ETEC para a divulgação avisos e informes gerais ou específicos de cada sala? 11% 0% 33% 56% MB B R I Figura 21 - Questão 7 - Pesquisa Online Por fim, quando questionados a respeito da divulgação de informes gerais e avisos, 56% dos entrevistados avaliam os meios empregados até a presente data pela ETEC como muito bons, 33% avaliam como regulares e 11% avaliam como irregulares ou péssimos.

57 56 6. METODOLOGIA Estando o projeto estritamente ligado à comunidade escolar técnica, começamos a desenvolver nosso trabalho buscando a opinião dos funcionários da secretaria e dos professores, com o intuito de conhecer o funcionamento da gestão de informações por eles empregada e validarmos nossa proposta, a apresentando a eles por meio de um breve texto introdutório, Um questionário foi também elaborado, contendo nele questões relacionadas às necessidades quanto à divulgação de menções, frequências, relatórios e materiais extraclasse e disponibilidade da secretaria e / ou professores quanto à administração futura do software. Além disso, buscamos desde o inicio a fundamentação teórica do software, trabalhando toda a parte de projeto, levantamento de requisitos e análise prévia dos requisitos. Desenvolvendo diagramas de casos de uso e classes ligados à parte funcional e operacional do software, bem como modelo entidade-relacionamento que se destina a modelagem do banco de dados empregado. O sistema se divide em duas partes, a fim de tornar mais seguro e prático o trabalho de gestão da rede social por quem quer que venha a ser o administrador após a conclusão do projeto. São elas: o software administrativo programado em Java e o software de integração online programado em PHP, HTML e Java Script. Quanto às fontes de pesquisa e informações relacionadas às linguagens empregadas no desenvolvimento e demais necessidades teóricas do projeto, utilizaremos a internet como vasto campo de conhecimento, anotando sempre as devidas referências, site e data de acesso, livros sobre os assuntos abordados e consultas quanto os próprios professores da Etec. Como instrumentos de registro do andamento do projeto empregamos, inicialmente, um diário do grupo que foi preenchido com relatórios de todas as nossas reuniões, mas que posteriormente foi substituído por outros sete diários pessoais, a fim de coletar detalhes mais específicos do processo de criação do sistema; além de um portfólio de documentos e um do grupo onde postamos tudo o que fazemos e nos comunicamos sempre.

58 57 7. DESCRIÇÃO DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO PROJETO Abaixo, faremos uma sucinta descrição do processo de desenvolvimento do software, onde apresentaremos os principais acontecimentos da formação do grupo à finalização do software e parte escrita. Tabela 8 - Quadro Cronológico de Desenvolvimento do Projeto 25/07/2011 Formação do grupo. Escolha e confirmação da nossa professora orientadora 18/08/2011 específica para desenvolvimento do projeto. Primeira reunião formal do grupo, para formulação do 19/08/2011 cronograma de atividades para PTCCI. Discussão e levantamento de justificativas para o 23/08/2011 desenvolvimento do projeto, a partir das hipóteses que já haviam sido levantadas. 23/08/2011 Entrega do cronograma de atividades de PTCCI. Fechamento do tema vigente do projeto, sendo que isso já se estava discutindo desde 25/07/2011. Discussão de 25/08/2011 Plataformas para desenvolvimento do projeto: até então, pensava-se em usar HTML, Javascript, PHP, MySQL e Animações em Flash. Desenvolvimento e aplicação da primeira pesquisa de campo realizada pelo grupo destinada à secretaria e professores da Etec (durante a pesquisa encontramos 23/08/2011 à problemas que serão descritos mais a frente). No dia 25/09/ /08/2011 o grupo realizou uma reunião para discutir as questões que seriam levantadas na pesquisa de campo, formular o questionário e planejar a forma como esse seria aplicado, o público e o tempo ideal da aplicação. Levando em conta os dados necessários para o 30/08/2011 funcionamento do projeto, fizemos nossa primeira solicitação à secretaria e ao diretor acadêmico com relação

59 58 à planilha ou modelo de planilha com dados dos alunos (como RM e nome dos alunos). 14/08/2011à 27/08/ /08/2011à 10/09/ /09/201 em diante. 12/09/ /09/ /09/ /09/2011 à 25/09/2011 Levantamento de requisitos e definição de possíveis páginas do sistema. Elaboração e definição do diagrama de casos de uso. Elaboração e discussão do diagrama de classes (este foi interrompido para início do desenvolvimento do projeto e cumprimento de prazos estabelecidos pelo professor orientador geral). Percebemos alguns erros e problemas que poderíamos ter com o modelo de sistema pensado no diagrama de classes elaborado até então e em sua documentação (a dificuldade de uma lista de presença unificada com a da secretaria com relação a números de chamada; O problema da manutenção dos dados no sistema de forma automática, uma vez que existem muitas informações que dependem da análise de determinadas pessoas e variam de caso em caso dados que entram nesse caso ou não; organização da entidade curso no sistema, com módulos e componentes curriculares que podem variar em ordem de semestre e período). Entrega do tema, objetivos, justificativas e cronograma revisado para avaliação pelo professor orientador geral de PTCCI. Início do desenvolvimento do projeto, iniciando pelo sistema de login e cadastro de alunos. Paralelo a isso fizemos estudos integrados quanto a PHP e HTML. Construção das primeiras tabelas do banco e esboço quanto ao Modelo Entidade Relacionamento (MER) do nosso sistema (feito às pressas).

60 59 22/09/ /09/ /09/ /10/ /10/ /10/2011à 29/10/ /10/2011 Criação do do grupo de TCC como meio de comunicação e registro das atividades pelo grupo. Retomamos o diagrama de classes com foco na parte em que estávamos desenvolvendo (login e cadastros) a fim de melhor nos situarmos no desenvolvimento dessa primeira parte do projeto. Primeira vez que se falou em uma parte do sistema feita em Java, com fins de gerenciamento da rede social por parte da secretaria. 1ª Reunião do grupo na casa de um dos integrantes do grupo (Ana Paula Rocha) para planejamento da apresentação da primeira parte do projeto, discussão das páginas até então desenvolvidas e do banco de dados. Apresentação da versão 1.0 do sistema (Login e cadastro de alunos) para avaliação pelo professor orientador geral de PTCCI. Foi decidido que usaríamos o RM do aluno como chave primária dele no sistema, constatou-se problemas pela elaboração do sistema às pressas com relação à padronização das tabelas do banco de dados e falou-se em uma parte do sistema que envolveria o cadastro de currículos para consulta por parte de empresas. Montou-se um resumo prévio do projeto. Foi falado na falta de layout para o sistema, que até então estava direcionado para a funcionalidade e não para o layout. Elaboração de uma página contendo um mural da sala para avisos e postagens por parte da secretaria. Juntamos todas as páginas PHP feitas até então, fizemos as correções necessárias tanto nela como na parte feita em Java. Revisamos o diagrama de classes e padronizamos as tabelas do banco de dados definidas até então. Começamos a pensar e dividimos as tarefas para elaboração do calendário do professor e aplicação do layout nas páginas até então desenvolvidas.

61 60 30/10/ /11/ /11/ /11/2011 Divisão de tarefas para elaboração do calendário (professor/sala), menus, layout das páginas, principalmente da index.php que conterá logins, fale conosco, instituição, link para cadastro, currículos com login da empresa, link de cadastro da empresa (razão social, nome fantasia, nome da pessoa que está efetuando o cadastro, para contato, telefones para contato, ramo de atuação da empresa, localização/endereço, sistema de busca por candidato por características como: sexo, idade, cursos, experiência profissional, habilidades) cadastro de postagens do mural da Etec em Java, mural da Etec em PHP, conclusão da parte em Java dos professores, alunos, cursos, turmas e disciplinas. Apresentação da versão 1.1 do sistema web (rede social), onde se deu uma maior preocupação com o layout do sistema. Foi agregado além da página inicial, com login de acesso e cadastro de aluno e professor, a home e um mural. Por motivo de segurança, o RG tanto do aluno como do professor passaram a serem nossas chaves-primárias no sistema. Surge também um calendário na parte do professor dentro do sistema, onde ele posta avisos de provas e coisas do gênero. Além disso, apresentou-se a versão 1.0 do sistema de gerenciamento em Java onde inicialmente ocorria um cadastro prévio de alunos e professores (já com uma preocupação de segurança e restrição do sistema ao ambiente técnico-escolar). Padronização formal do banco de dados: o grupo se juntou via e- mail e começou a verificar falhas, ajustar MER e elaborar tabelas ainda não pensadas, seguindo desta vez um padrão para nomes de tabelas e campos. 2ª Reunião do grupo na casa de um dos integrantes do grupo (André Ciornavei) para discussão da parte em Java e ajustes no site, bem como planejamento para apresentação da próxima parte do projeto ao professor orientador geral de PTCCI. Falou-se em uma nova forma de organização do

62 61 layout e reformulação dos links, usando divs que fazem include das páginas. 05/11/2011 Ajustes quanto ao mural e calendário, bem como no login e banco. 08/11/ /11/ /11/ /11/ /12/2011 Implementações quanto ao layout, login e cadastro de empresas para a consulta de currículos. Ajustes de layout integrando cadastro, login e home da empresa ao restante do site. Mostramos o projeto para o professor João para avaliação e sugestões por parte do mesmo. 3ª Reunião do grupo na casa de um dos integrantes do grupo (Gustavo Bouzaz), para planejamento da apresentação para o nosso professor orientador geral e para a sala, bem como para preparação para a pré-banca, apresentaram-se desenhos feitos para ilustração e personalização da rede e começamos a implementar recursos que integraram nossa rede social a outras como Orkut e Facebook, além de recursos de importação de dados de planilhas do Excel no Java. Montamos um cronograma para as apresentações. Elaboração do pré-projeto (parte escrita) e conclusão do sistema de pesquisas de currículos. Mostramos o projeto para o professor Laércio para avaliação e sugestões por parte do mesmo. Fizemos ajustes na segurança do site. 02/12/2011 Conclusão da parte de cadastros quanto ao currículo.

63 62 03/12/ /12/2011 e 05/12/ /12/ /01/ /01/ /02/ /02/ /03/ /03/2012 à 20/03/ /03/2012 Ajustes quanto à organização do layout do site e links usados para funcionar com includes em divs, mudando seu funcionamento e aderindo maior dinamicidade. Ajustes finais e organização para a pré-banca, bem como elaboração de slides para apresentação do Power Point que será usada na pré-banca. Apresentação do projeto para validação da proposta de trabalho de conclusão de curso e avaliação por parte dos integrantes da pré-banca. Elaboração de check list para organização de itens restantes para conclusão do projeto, bem como para auxiliar no retorno às atividades do projeto. Revisão e discussões quanto ao pré-projeto apresentado na pré-banca. Desistência por parte do integrante André Ciornavei quanto ao curso, se desligando por tanto das atividades formais do projeto. Conclusão e apresentação do fórum para discussões e esclarecimentos de dúvidas dentro da rede social. Término do cronograma de atividades para desenvolvimento do trabalho de conclusão do curso técnico em informática. Discussões quanto a custos e orçamentos referentes ao servidor que alugamos para hospedagem da rede social. Pesquisa de Campo 1, para diagnosticar a aceitação e necessidade do software, representando com isso o marco zero, para comparações posteriores. Apresentação de perfil para alunos e professores dentro da rede social.

64 63 14/03/2012 Organização e separação de tarefas específicas para as últimas partes do projeto. 30/03/2012 Implementações quanto ao sistemas de menções e frequências. 01/04/2012 Sistema de upload e download de arquivos na rede social. 03/04/ /04/ /04/ /04/ /04/2012 Implementações quanto à recuperação de senha por parte de alunos e professores. Atualizações quanto à implementação de um sistema maior de segurança por parte de empresas com validação de CNPJ e recuperação de senha por parte de alunos e professores. Lançamento do sistema do professor João e do Nylon quanto à para divulgação e postagem de menções e frequências, o que nos fez repensar a proposta. Conclusão do perfil de alunos e professores, incorporando fotos de perfil, troca de recados e adesão de amigos. Reunião com o professor João, para discussão e proposta de parceria quanto ao sistema de menções e frequência por ele formulado. Ajustes quanto ao mural, sistema de pesquisas de currículos e login empresa, bem como do sistema de recuperação de senhas. 20/04/2012 Término e apresentação de ajustes no fórum.

65 64 28/04/2012 Elaboração de tópicos para formulação do trabalho escrito. 01/05/2012 à 31/05/2012 Hospedagem dos arquivos no servidor e início de teste e ajustes gerais para conclusão do projeto. 04/06/ /06/2012 à 17/06/2012 Lançamento da Rede Social ao público efetuando cadastros e repassando RGs. Pesquisa de campo 2, a fim de diagnosticar a aceitação do software servindo para comparação com a pesquisa de campo 1. 12/06/2012 Entrega do projeto e apresentação previa para a sala.

66 65 8. DESCRIÇÃO DO SOFTWARE Abaixo, descreveremos o software como produto final do projeto, apresentando suas versões e atualizações ao longo do projeto, além de funcionalidades e partes como um todo. Antes de mais nada, no entanto, falaremos do funcionamento geral do software. Figura 22 - Diagrama de funcionamento da rede Como podemos ver na Figura 10 o sistema divide-se em duas grandes partes, o Sistema de Gerenciamento da Rede Social e o site que é a própria rede. Ainda pela Figura vemos, que ambas as partes estão conectadas ao servidor e principalmente ao banco de dados online, onde o Sistema de Gerenciamento junto ao administrador do sistema enviam e recebem e informações do servidor, suprindo e fornecendo dados à Rede Social que é utilizada por alunos e professores e que fazendo uso de suas funcionalidades enviam dados também ao servidor. Tudo isso demonstra a dinâmica do sistema e a dependência das partes que o compõem

67 66 centralizadas pelo servidor que hospeda a Rede e o banco de dados suprindo com isso todo o sistema VERSÕES E ATUALIZAÇÕES DO SISTEMA Tabela 9 - Versões do Software PARTE VERSÃO DO DO ATRIBUTOS AGREGADOS DATA PROJETO PROJETO SITE 1.0 SITE 1.1 JAVA 1.0 Sistema de login, com validação de acesso e cadastro de alunos com base no RM do aluno (chave primária no sistema), ainda sem grande preocupação com o layout. Deu-se uma maior preocupação com o layout do sistema. Foi agregado além da página inicial, com login de acesso e cadastro de aluno e professor, a home e um mural. Por motivo de segurança, o RG tanto do aluno como do professor passaram a serem nossas chaves-primárias no sistema. Surge também um calendário na parte do professor dentro do sistema, onde ele posta avisos de provas e coisas do gênero. Sistema de gerenciamento da rede social em Java, onde ocorre um cadastro prévio de alunos, cursos e turmas. 18 de outubro de de novembro de de novembro de 2011

68 67 SITE 1.2 Cadastro de empresas, consulta de currículos e sistema para edição e criação de destes por parte do aluno. Foram feitos ajustes no layout do site. A rede social que até então era somente nomeada como Rede Social Acadêmica, recebe o nome de Tooeasy. 22 de novembro de 2011 JAVA 1.1 Cadastro de professores. 23 de novembro de SITE 2.0 JAVA 1.2 SITE 2.2 SITE 2.1 O layout foi reformulado e modernizado, recebendo ajustes que incluíam códigos em JavaScript a fim de dinamizar as páginas. Foram feitos ajustes na parte de consulta e edição de currículos. Adicionou-se um recurso de importação de dados provenientes de planilhas do Excel, bem como detalhes dos cursos. Página institucional da Etec, página com informações do projeto e de contato. Reconfigurou-se o funcionamento do site quanto aos links de navegação, mudando com isso a dinamicidade do site que até então recarregava sempre que se clicava em um link, agora passou-se a usar divs que faziam includes das partes do site. 28 de novembro de de novembro de de dezembro de de dezembro de 2011.

69 68 SITE 3.0 JAVA 2.0 Ajustes gerais e estabilização do sistema, com ajustes de segurança e layout, bem como das partes gerais do sistema. Ajustes gerais e estabilização do sistema, com tratamentos de erro e ajustes gerais e de layout. 05 de dezembro de de dezembro de SITE 3.1 Fórum. SITE 3.2 Upload e download de arquivos. SITE 3.3 Recuperação de senha. 14 de fevereiro de de abril de de abril de SITE 3.4 JAVA 2.1 SITE 4.0 JAVA 2.2 Página de perfil de alunos e professores, incluindo trocas de recados, solicitações de amizade e dados pessoais, bem como foto de perfil. Login, ajustes nas configurações de gerenciamento e cadastros, bem como segurança do sistema. Ajustes gerais, estabilização do sistema com componentes gerais do sistema. Mudança de layout e ajustes no mesmo. Implementação de registros de administrador e controles de acesso. 09 de abril de de abril de de abril de de maio de 2012.

70 69 SITE 5.0 Ajustes finais, reparos quanto ao layout e configuração de divs. Ajustes com relação a mural, calendário, perfil e upload de arquivos. Implementação de um módulo para visualização de menções provenientes do sistema da ETEC. 11 de maio de DESCRIÇÃO GERAL DO SOFTWARE A seguir descreveremos parte a parte todo o nosso projeto, no entanto antes de qualquer coisa é necessário que entendamos que o projeto é no todo um sistema de integração que visa facilitar a comunicação entre os membros da unidade técnica escolar e agregar recursos ao ensino, bem como fóruns de discussão, postagem de conteúdos e arquivos online, construção de currículos e divulgação de vagas de estágio, entre outros. Para tanto o sistema se divide em duas grandes partes: A primeira voltada principalmente para a manipulação por parte da secretaria e/ou professores que se sintam responsáveis por isso, tem como função gerenciar a rede social e permitir um maior controle dela como um todo, mesmo por parte de alguém que não entenda de programação. Esta busca facilitar ao máximo o trabalho dos seus administradores e é importante ressaltar que, se trata de um software de gerenciamento quanto à rede social Tooeasy e não um software administrativo da Etec. A segunda parte direciona-se a todos os componentes da Etec, focando, no entanto a pessoa do docente e discente, tratando-se da rede social em si, que incorpora a real finalidade e proposta do projeto que é integrar as diversas pessoas que fazem parte de alguma forma, possuindo, portanto vínculo com a Etec Irmã Agostina. Esta é, portanto a parte principal do nosso projeto e que como tal incorpora o maior número de funcionalidades e recursos.

71 DESCRIÇÃO DO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL O Sistema de gerenciamento do Tooeasy é um aplicativo desenvolvido na linguagem Java, e tem o objetivo de efetuar cadastros de diversos itens, entre eles alunos e professores, os cursos fornecidos pela unidade, os períodos de aula e até o gerenciamento do mural principal do site, alguns fundamentais para o funcionamento da rede. Mas também busca otimizar a restrição de acesso de indivíduos que não fazem parte da ETEC Irmã Agostina, assim sendo exclusiva aos componentes da escola. Este sistema será manuseado preferencialmente pelos integrantes da secretaria da unidade escolar. Nesta descrição, serão citadas todas as janelas, junto com as suas respectivas funções, que compõem o sistema. Figura 23 - Página Inicial do Sistema de Gerenciamento da Rede Social

72 71 Tabela 10 - Requisitos Requisitos mínimos do Tooeasy gerenciador Windows XP, Vista e 7 (Sistema em que ele foi testado) Processador: Pentium IV 1.8 GHz Memória RAM: 128 MB JAVA: Version 7 Update 5 Java: SE Development Kit 7 (JDK 7) Disco Rígido: 80 GB PERÍODO Figura 24 - Aba para Cadastro de Períodos

73 72 Essa aba foi criada para que a secretaria possa cadastrar os períodos de aula na da instituição Etec Irma Agustina, o cadastro do período é fundamental para o sistema, pois é com base nos períodos que serão cadastrados os curso e alunos CURSOS Figura 25 - Aba para Cadastro de Cursos Na aba Cursos é efetuado a cadastro dos cursos que são fornecidos pela Etec Irmã Agustina, os semestres que esse curso tem, os períodos disponíveis para cada curso e turma. Alem disso com a criação da aba cursos foi possível identificar os alunos por meio do curso que o mesmo está cadastrado, assim facilitando a disponibilização material especifico para um curso, após cadastrar um curso podes se adicionar os componentes curriculares do curso cadastrado.

74 73 Ainda nessa aba é possível visualizar detalhes sobre os cursos que já foram cadastrados, esses detalhes são (Nome do Curso, Coordenador do curso e os Componentes curriculares cadastrados no curso) ALUNOS Figura 26 - Aba para Cadastro de Alunos Para realizar o cadastro do aluno é necessário ter RG, Nome, RM, Curso e Turma, caso algum desses dados não sejam preenchido o funcionário vai se depara com uma tela de erro mostrando que um ao mais campos não foram preenchidos corretamente. Após esse cadastro o aluno já está liberado para efetuar o seu cadastro no site Tooeasy.

75 74 Aba aluno conta uma um importador de arquivos XML para facilitar a copia de planilhas do Excel para o sistema de gerenciamento PROFESSORES Figura 27 - Aba para Cadastro de Professores O cadastro de professor segue a mesma ideia do cadastro do aluno, mas para efetuarmos esse cadastro precisamos apenas do Nome do professor e RG, após concluir o cadastro, é possível adicionar componentes curriculares para um professor clicando em Componente Curricular, depois de adicionar os componentes podemos visualizar as disciplinas cadastradas em um professor basta clicar em Disciplinas

76 75 Professor vai aparecer uma janela listando todas as disciplinas que esse professor ministra. Aba professor conta uma um importador de arquivos XML para facilitar a copia de planilhas do Excel para o sistema de gerenciamento MURAL Figura 28 - Aba para Postagem de Avisos e Informações no Mural Principal da Rede Social. Essa parte do sistema de gerenciamento é responsável por enviar postagens ou mensagens para o mural do aluno, dentro do site. Para enviar, basta informar a data de envio, o assunto, digitar o conteúdo e enviar. Contudo, é possível melhorar a

77 76 comunicação entre a secretaria e os alunos da ETEC, uma vez que o mural do aluno fica na página inicial dele, aumentando a probabilidade do aluno ler essa mensagem. Histórico de Postagens Tem a finalidade de listar todas as postagens enviadas para o mural do aluno e permitir a edição, visualização e exclusão das mesmas. Se algo foi enviado indesejavelmente, basta acessar essa janela, a partir da aba Mural, e excluir a postagem ou editá-la, ficando a critério do administrador. Figura 29 - Histórico de Postagens do Mural Edição de Postagens Ao selecionar uma postagem e clicar no botão de edição, no Histórico de Postagens, a janela de edição abre para que a mensagem possa ser editada, para que isso aconteça, basta informar a data em que está ocorrendo à edição e modificar o texto. O assunto da postagem não pode ser renomeado. Para salvar as alterações feitas, basta clicar no botão Sal ar, no canto inferior esquerdo da janela. Visualização de Postagens

78 77 Ao selecionar uma postagem e clicar no botão de visualização, no Histórico de Postagens, a mensagem é mostrada em uma janela, para que os administradores possam ler as postagens do sistema. As mensagens não podem ser editadas quando abertas para visualização ADMINISTRADORES Figura 30 - Aba Administradores Parte do sistema onde são gerenciados os administradores do sistema, ou seja, quem tem acesso ao sistema. Existem dois tipos de administradores, o Master e o Normal. O Master tem acesso a todas as funções do programa, já o Normal, só não tem acesso ao gerenciamento de Administradores, ou seja, apenas os administradores Master tem o direito de cadastrar outros administradores, sejam eles Masters ou Normais.

79 MANUAL Tem o objetivo de esclarecer as duvidas e sanar as dificuldades dos usuários do sistema. Neste manual, todas as janelas são explicadas detalhadamente com imagens e tópicos. São no total dezesseis páginas de manual, cada uma com uma imagem do sistema, explicando item por item do sistema. Contudo, percebe-se que o sistema poderia sim ser desenvolvido no próprio site do Tooeasy, porém qualquer um que entrasse no site teria o acesso à rede, sendo que ela é exclusiva aos componentes da ETEC, e por isso foi criado o Sistema de Gerenciamento, para que apenas a secretaria tenha acesso à parte de gerenciamento de quem tem acesso ou não à rede DESCRIÇÃO DA REDE SOCIAL A PÁGINA INICIAL Figura 31 - Página Inicial A Rede Social como um site, foi hospedada num servidor WEB, e recebeu como nome de domínio onde ao digitar o link

80 79 na barra de endereços do browser o usuário é levado à página inicial da rede (Figura), onde está o login principal e os links gerais e descritivos da rede, possibilitando acesso a todas as funcionalidades da rede, segundo permissões por usuário. INSTITUCIONAL Figura 32 - Página Sobre a Instituição. Dentro da página inicial, é possível acessar o link Sobre a Instituição, nesta página (Figura) nós falamos um pouco da ETEC Irmã Agostina, a fim de esclarecer principalmente à empresas que venham a acessar nossa Rede Social, quem é a instituição para quem esse sistema foi desenvolvido.

81 80 SOBRE O PROJETO Figura 33 - Página Sobre o Tooeasy. Também na página inicial, podemos acessar a página Sobre o Tooeasy, nesta página (Figura), nós mostramos o que é o projeto, como nasceu e com quais objetivos. Figura 34 - Página Fale Conosco Por fim é possível, ainda na página inicial acessar uma página de Fale Conosco, onde disponibilizamos um para contato.

82 ESPAÇO EMPRESARIAL Figura 35 Página inicial do espaço empresarial. Nesta parte do site nós permitimos que empresas façam um cadastro com verificação de CNPJ, e após isso tenham possibilidade de buscar por currículos de alunos cadastrados e preenchidos pelos mesmos em suas páginas na rede. Tendo selecionado os alunos com o perfil buscado, essas empresas podem convidá-los a participar de entrevistas, enviando uma mensagem direta para a página dos alunos. Figura 36 - Validação de CNPJ que antecipa o cadastro da empresa.

83 82 Clicando em Cadastrar-se o sistema redireciona a empresa para uma página onde ocorre a verificação do CNPJ (figura 2), o que é extremamente importante tendo que, sem isso qualquer pessoa poderia entrar no sistema e efetuar cadastros sem nenhum vínculo empresarial ou ainda sem poder ser reconhecido. Isso não acaba com o problema, mas dificulta que uma pessoa mal-intencionada entre e se passe por uma empresa. Figura 37 Cadastro da empresa. Após digitar um CNPJ válido e dar enter ou clicando em Continuar o usuário é redirecionado para a página de cadastro da empresa (Figura 25), onde a mesma preenche um formulário com informações mais detalhadas que serão parcialmente passadas para os alunos que forem de seu interesse. Figura 38 Login da empresa.

84 83 Se na página inicial do espaço empresarial (Figura 1), a empresa tivesse clicado no link Já é Cadastrado? Ela seria direcionada para o login da empresa (Figura 4), onde ela digitaria sua senha cadastrados na página de cadastro da empresa (Figura 3), e estando estes (ambos) corretos, seria direcionada para a página principal da empresa (índex). Figura 39 Página principal da empresa (página de consulta de currículos). A página principal da empresa (Figura 39) é a página de pesquisa de currículos, onde ela pode filtrar o número de candidatos dentro de suas preferências por critérios iniciais de sexo, idade mínima, curso técnico e escolaridade e a partir disso obter uma lista de possíveis candidatos para suas vagas de emprego e/ou estágio. Figura 40 Resultados da pesquisa de currículos.

85 84 Tendo preenchido os campos de filtro dos currículos (que por default, se não forem alterados levam a listagem de todos os currículos cadastrados) e clicando em Pesquisar (ou dando enter), a empresa é redirecionada para a página de resultados da pesquisa (Figura 40), onde são listados todos os currículos que atendem à filtragem inicial, podendo estes serem visualizados, analisados e selecionados pela empresa, que conta com o recurso de clicando no botão Enviar mensagem para todos os selecionados enviar um recado (Figura 41) diretamente para a página do aluno (dentro da rede) convidando-o para um processo seletivo, vaga ou ainda para um evento da empresa. Figura 41 Página de edição e envio da mensagem da empresa para os alunos. A página de edição da mensagem, conta com um texto pré-definido e uma assinatura com dados próprios da empresa, a fim de facilitar essa parte do contato da empresa com o aluno, além de padronizar, isso. Clicando em Enviar, a mensagem será direcionada para o aluno e aparecerá uma confirmação para a empresa, com um link de volta para a página principal da empresa (Figura 39).

86 DESCRIÇÃO DO ALUNO O usuário de tipo aluno é totalmente voltado aos corpo discente da Etec Irmã Agostina, trata-se da maior parte da comunidade escolar técnica. O usuário do tipo aluno tem as seguintes funcionalidades: MURAL Figura 42 - Mural Principal. No mural (Figura 42), o Aluno pode visualizar postagens feitas pela direção, servindo, portanto como meio de divulgação de avisos e comunicados gerais.

87 86 OPORTUNIDADES DE EMPREGO Figura 43 - Oportunidades de Emprego. Dentro do Mural existe um link que redireciona o aluno para a página Oportunidade de Emprego, onde ele tem acesso a mensagens enviadas por empresas cadastradas que gostaram do currículo dele e por isso quiseram entrar em contato. PERFIL Figura Página de Perfil.

88 87 O Aluno tem a possibilidade de editar seu perfil pessoal e deixá-lo disponível a outros usuários da rede social. Esta funcionalidade garante a integração e contato entre alunos de diferentes cursos da escola técnica. A aba Perfil do sistema agrega um menu com diversas outras funcionalidades interessantes ao Aluno, são elas: Currículo, Editar Perfil, menções, provas e eventos de professores, entre outros. PROVAS E EVENTOS DE PROFESSORES Figura 45 Página Provas de Eventos de Professores. No perfil o aluno pode acessar com o link a página Provas e Eventos de Professores (Figura 45), onde ele pode visualizar avisos, provas e trabalhos postados pelos professores.

89 88 CURRÍCULO Figura 46 - Página de Edição do Currículo do Aluno. A sessão de Currículo propicia ao aluno a capacidade de editar seu próprio currículo. É a partir dessa aba que o Aluno pode administrar um currículo tradicional via web. O currículo editado pelo Aluno possibilitará um futuro contato de empresas cadastradas no sistema. SOLICITAÇÃO DE AMIZADE A funcionalidade de Solicitação de Amizade é um dos processos que se referem à integração que a rede social proporciona. Alunos e Professores podem se adicionar mutuamente dentro da rede a fim de estabelecer contato e criar laços.

90 89 RECADOS Figura 47 - Página de Recados. É na sessão de recados que o Aluno poderá ser contatado por outros Alunos, Professores e por seus próprios contatos. FÓRUM Figura 48 - Fóruns.

91 90 A funcionalidade Fórum é onde os alunos podem tirar suas dúvidas referentes às disciplinas de seu respectivo curso e contatar outros usuários de maneira pública e múltipla. Por essa razão o Fórum divide-se em duas abas: Sala de Intervalo e sala do curso em que o aluno está cadastrado. ARQUIVOS Figura 49 - Página de Upload e Download de Arquivos. É na sessão de Arquivos que os alunos têm contato com o conteúdo extraclasse distribuído pelos professores. Com essa aba, a utilização de um e- mail de classe prática comum para compartilhamento de conteúdo dentro da escola técnica não será mais necessária, otimizando assim a obtenção destes arquivos, já que os alunos terão acesso a eles dentro da própria rede. MENÇÕES Figura 50 - Página de Visualização de Menções.

92 91 Dentro da rede social o aluno ainda tem a possibilidade de conferir suas menções e frequência do semestre, além de sua média final. A visualização online das próprias notas ajuda na obtenção destas notas, já que o aluno não terá a necessidade de comparecer até a escola técnica para ter esse tipo de informação PÁGINA DO PROFESSOR O Mural (Figura 30) faz parte da página Home do professor. Ali são postados informações e avisos importantes por parte da administração e da secretaria. Ao acessarmos a página de perfil do professor, temos o topo da página igual ao resto das páginas, mas aqui se vê ao lado direito da tela: Uma foto de perfil do professor. Logo abaixo: Caixa de recados Solicitações de amizade. Currículo Menções Editar perfil Ao centro da tela temos as informações pessoais e profissionais do professor, como por exemplo: relacionamento data de aniversário, um descritivo sobre o professor, seus livros, filmes e esportes favoritos. Logo abaixo, temos um sistema de busca por . Ele busca o digitado na sua lista de amigos. Ao lado esquerdo, temos uma lista de amigos do professor.

93 92 Figura 51 - Calendário do Professor. No calendário é possível cadastrar as notificações, eventos importantes e compromissos e enviá-los a um destinatário escolhido. No centro da tela há um quadro onde se pode selecionar: data do evento, as disciplinas e o destinatário. Há um espaço onde se digita a descrição do evento e há o botão Publicar. Logo abaixo, visualizam-se as postagens feitas por ele. E também há a opção de cancelar um evento, no botão Cancelar. Nesta parte, o professor tem opções de busca por arquivos postados e pode fazer download dos mesmos, podendo ainda fazer ele mesmo o upload de arquivos para que outros possam baixar. Na página de busca, ele digita o nome ou parte do nome do arquivo que deseja encontrar e tecla enter ou clica em Buscar. Em seguida todos os arquivos com aquele nome, ou parte dele são exibidos e podem ser baixados. Ao clicar no botão Fazer upload do arquivo, o professor será redirecionado a uma página, aonde se vai procurar pelo arquivo, e seu destinatário e escre er uma descrição. No botão En iar, podemos sal ar essas alterações. Logo abaixo temos u quadro com o link para download dos arquivos, sua data de emissão, seu remetente e a opção de excluir o arquivo. Como especificidade do professor, ele é o único (com relação a professor e aluno) que pode postar arquivos.exe,.rar e.zip (por consequência pode postar

94 93 todos os tipos de arquivo, uma vez que qualquer outro pode ser compactado e postado como.rar ou.zip). O fórum é igual ao do aluno, servindo para que o professor tire dúvidas dos alunos e/ou crie tópicos de discussão, podendo ainda promover debates, entre outras coisas. O professor em especial tem acesso ao fórum de todas as salas em que leciona e à sala de intervalo (fórum público, aberto para todos, independentemente do curso).

95 94 9. RESULTADOS Por fim, neste último capítulo, serão apresentados todos os resultados e demonstrativos com relação a estudos posteriores ao término do projeto com relação à forma como foi desenvolvido e implantado. Será descrita a Pesquisa de Campo 2, complementar à Pesquisa de Campo 1 (marco zero), mas com um objetivo um tanto diferente, e falaremos da implantação e testes do projeto fazendo com isso nossa conclusão PESQUISA DE CAMPO 2 Figura 52 - Link do questionário Para começo de conversa, a Pesquisa de Campo 2 tinha como objetivo principal a avaliação do projeto a fim de compará-la com a avaliação do sistema anterior (cuja avaliação foi feita na Pesquisa de Campo 1), com isso nosso objetivo embora também fosse à qualidade e diversidade da pesquisa, não podia se limitar a isso, pois desta vez o interesse do aluno em participar, cadastrar-se e avaliar nosso projeto era requisito essencial para a participação na Pesquisa de Campo 2, portanto, ela aconteceu entre os dias 08 e 18 de junho do ano de 2012 diretamente por meio de um link (Figura) dentro da Rede Social e que redirecionava o aluno ou professor para uma página com o formulário da pesquisa. Este link como pode ser visto na Figura ficou visível na

96 Nº DE ENTREVISTADOS 95 home tanto do aluno como do professor por meio do mural, havendo ainda um outro link no perfil do aluno e professor. A seguir demonstraremos os resultados da pesquisa: IDADE DOS ENTREVISTADOS 13% 13% 12% 62% 16 anos 15 anos 19 anos 18 anos Figura 53 - Idade dos entrevistados - Pesquisa de Campo 2 Participaram da pesquisa apenas 8 alunos com idades que variavam entre 16 e 18 anos, ainda como nas pesquisas anteriores, sendo a maioria de 16 anos. SEXO DOS ENTREVISTADOS Masculino SEXO Feminino Figura 54 - Sexo dos Entrevistados - Pesquisa de Campo 2

97 96 Com relação ao sexo dos entrevistados, assim como na pesquisa online os meninos foram os que tiveram a maior participação na pesquisa, o que nos leva a crer que dentre os alunos da ETEC, os meninos são os que mais acessam a internet, ou ainda são os mais interessados (estimamos que seriam os que mais utilizariam nossa rede social). PARTICIPAÇÃO DOS CURSOS 13% 12% Informática Ensino Médio Contabilidade 75% Figura 55 - Participação dos Cursos - Pesquisa de Campo 2 Usando cursos como o referencial, participaram da pesquisa alunos de Informática, Ensino Médio (provavelmente alunos que além do ensino médio fazem técnico à tarde) e Contabilidade, sendo a maioria de Informática. QUESTÃO 1 - Como você (aluno, professor) avalia os novos meios empregados pela ETEC para a divulgação online de menções e frequências aos alunos? 25% 63% 12% Bons Regulares ou ruins Muito Bons Figura 56 - Questão 1 - Pesquisa de Campo 2

98 97 A primeira questão da pesquisa dizia respeito ao novo sistema empregado pela ETEC (criado pelo professor João) e a avaliação feita pelos alunos com relação a ele. Na pesquisa foi levantado que 63% dos entrevistados avaliam o sistema como muito bom, 25% como bom e 12% como regular ou ruim. Com isso vemos que o sistema tem tido grande aceitação dos alunos (fato este que nós já esperávamos, afinal ele era exatamente a funcionalidade que queríamos no início do nosso projeto lançar como solução para facilitar tal processo, no entanto que foi feito antes do nosso ficar pronto). QUESTÃO 2 - O que você acharia se nosssa Rede Social estivesse conectada ao Sistema de Menções da ETEC e com isso permitisse a visualização de suas menções dentro de sua conta? 13% Gostaria Muito Acharia Legal 87% Figura 57 - Questão 2 - Pesquisa de Campo 2 A segunda questão colocava em avaliação a nossa parceria com o sistema da ETEC trazendo menções para dentro da nossa rede social, a fim de facilitar ainda mais o acesso a tais informações agregando-as as demais funcionalidades do nosso sistema. Para isso perguntamos a respeito da opinião dos alunos com relação a isso e com isso 87% dos participantes da pesquisa responderam que gostariam muito se a ideia fosse implantada, sendo que os outros 13% achariam a ideia legal.

99 98 Por fim, como era o objetivo desta pesquisa de campo, lançamos a avaliação das diversas funcionalidades da rede social, pedindo aos alunos e professores que dessem uma nota de 0 a 10 a cada uma das funcionalidades, o resultado será discutido a partir da tabela abaixo: Tabela 11 - Avaliação do Projeto FUNCIONALIDADE NOTAS MÉDIA ARITM. Layout ,5 Login e cadastros ,9 Mural ,3 Oportunidades de Emprego (para alunos) ,9 Perfil (Geral) e Edição ,9 Busca, Solicitação e Aceitação de Amizades ,8 Troca de Recados ,9 Currículo (só para alunos) ,4 Fórum ,3 Upload de Arquivos ,6 Busca e Download de Arquivos O Projeto Como um Todo (Ideia, Utilidade, Entre Outros) , ,5 MÉDIA FINAL DE AVALIAÇÃO DO PROJETO 8,7 Pela tabela, vemos que as notas foram bem variadas de acordo com as funcionalidades do projeto, variando entre 5 e 10 e onde a média das notas

100 99 para o layout foi de 8,5, para login e cadastros 8,9, para o mural 8,3, para oportunidades de emprego e perfil 8,9, busca, solicitação e aceitação de amizades 8,8, troca de recados 8,9, currículo 9,4, para o fórum a média foi de 8,3, para upload 8,6 e para busca e download de arquivos a nota foi de 7,9. Por fim o projeto como um todo foi avaliado com uma média de 9,5, sendo que a média das médias das notas dadas pelos entrevistados foi de 8, RELATÓRIO DA IMPLANTAÇÃO E TESTES Agora descreveremos o processo de implantação e testes do sistema, onde os testes oficiais começaram em 01 de maio de 2012 e a rede foi lançada ao público em 08 de junho de A implantação ocorreu de informalmente por meio da divulgação de RGs fictícios cadastrados no sistema e que eram repassados a alunos da ETEC com quem o nosso grupo tinha contato e com o qual eles efetuavam cadastro complementar na rede e passavam a utilizá-la. A seguir mostraremos detalhadamente dados de utilização da rede até o dia 18 de junho de Tabela 12 - Utilização por Cursos UTILIZAÇÃO POR CURSOS Informática 28 Contabilidade 2 Tabela 13 - Utilização por Sexo UTILIZAÇÃO POR SEXO Masculino 21 Feminino 8 Até a data indicada 28 a rede contava com 29 alunos com cadastro confirmado no rede, isto é, 29 alunos que já haviam entrado com o RG repassado a eles e efetuado seu cadastro complementar para utilização da

101 100 rede. Destes, 28 eram do curso de informática e 2 eram de contabilidade, sendo ainda 21 meninos e 8 meninas. Tabela 14 - Utilização da Rede Social em Junho de 2012 UTILIZAÇÃO DA REDE SOCIAL EM JUNHO DE 2012 Período Mês Jun 2012 considerado Primeira visita 01 Jun :29 Última visita 19 Jun :47 Visitantes Numero de únicos visitas Páginas Hits Bytes Tráfego visualizado * ,751 25, MB (1.42 visitas (42.66 Páginas ( Hits ( KB / / visitante) / Visita) / Visita) Visita) Tráfego não visualizado * 299 3, MB * Tráfego "não visto" é tráfego gerado por robots, worms ou respostas a códigos de status HTTP especiais. Com relação à utilização geral da rede, até 18 de junho, 177 visitantes únicos acessaram a rede, isto é, 177 IPs diferentes acessaram o site sendo 252 o número de visitas no total, o que a considerar pelo número de utilitários dá em média 8,6 visitas por pessoa, o que em 10 dias é um número razoável.

102 101 Tabela 15 - Frequência e Utilização por Dias em Junho de 2012 Com relação aos dias, o dia em que mais se acessou rede foi no dia 08 (dia do lançamento oficial), sendo que houve grande utilização também no dia 17, variando bastante nos demais dias do mês.

103 102 CONSIDERAÇÕES FINAIS Por fim, o projeto buscou desde sua idealização a integração e a facilitação das formas de comunicação por parte dos alunos, professores e membros da comunidade escolar técnica, e para isso desenvolvemos dentro dele ferramentas que facilitassem e pudessem nos ajudar a suprir tais necessidades, sendo que estas foram constatadas inicialmente pelo grupo e confirmadas ao longo do processo por meio de pesquisas realizadas pelo grupo. Entre as ferramentas desenvolvidas destacaram-se o currículo como meio de integração do aluno com empresas e meio de facilitação e divulgação para empregos e estágios, além do perfil, troca de recados, gerenciamento de amizades e a divulgação de menções e frequências. Com isso, de um modo geral, nosso projeto disponibilizou ferramentas para que se tornem mais acessíveis informações como menções e frequências, possibilitando ainda uma relação mais harmônica que consegue abranger todos os membros da ETEC, podendo inclusive substituir os atuais meios pelos quais se realiza a transmissão e disponibilização de informações aos alunos e Unidade, sendo estas de natureza administrativa como avisos e informes gerais ou acadêmica como a disponibilização de conteúdos extraclasse. O sistema ainda possibilita a discussão e o esclarecimento de dificuldades de alunos com problemas ao entender conteúdos ensinados nas aulas, e que por meio da rede podem entrar em fóruns e criar tópicos para discussão e esclarecimento dessas dúvidas tanto por outros alunos como por professores, com isso, nosso sistema conseguiu com que conteúdos aprendidos no

104 103 ambiente escolar tivessem continuidade mesmo fora da ETEC, fortalecendo assim os laços de amizade entre todos os componentes da ETEC. Concluindo, portanto, nosso sistema por parte do grupo alcançou seus objetivos geral e específicos e, portanto foi concluído, muito embora ao longo do desenvolvimento do projeto tenhamos percebido um caráter de continuidade explícito no projeto, o que significa que o ele pode ser melhorado e acrescido de diversas outras funcionalidades, sem danos à estrutura ou ideia pela qual foi elaborado, o que faz com que ao mesmo tempo que ele se faz concluído agora, ele todo possa voltar a ser trabalhado com novos objetivos, integrando outras causas e englobando novas estruturas a qualquer momento, mas como nosso objetivo por hora foi contemplado, damos o projeto por concluído.

105 104 REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS LUTKMEIER, Fernanda & D.AGOSTINI, Leonardo, Projeto de implantação de um portal de ensino.estudo de caso. Florianópolis, disponível em projeto_534/projeto_final_fernanda_lutkmeier_leonardo_dagostini.pdf. OLIVEIRA, Elizabeth & IRVING, Marta, 2008, Redes virtuais: da discussão teórica às potencialidades contemporâneas para a consolidação de redes sociais, Revista TEXTOS de la CiberSociedad, pg.13. Temática Variada. Disponível em DELL. Soluções para Primeiro Servidor, disponível em /br/pt/empresa/ servers-first.aspx, acesso em 01 de junho de MALINA, Como Funciona um Servidor Web, disponível em acesso em 01 de junho de FAPESP, O que é registro de domínio?, disponível em oque_e.htm, acesso em 01 de junho de PLUG WEB, Reserva de Domínio, disponível em site/reserva.php, acesso em 01 de junho de ESOTERICA, Qual é a plataforma certa para mim?, disponível em acesso em 01 de junho de UOL HOST, Hospedagem de sites, disponível em promocao-hospedagem.html?psid=1, acesso em 01 de junho de AGENCEHOST, Hospedagem de sites, disponível em hospedagem.html, acesso em 01 de junho de FRHOST, Planos de Contratação, disponível em hospedagem-de-sites.html, acesso em 01 de junho de 2012.

106 105 INFO ABRIL, Salários dos Profissionais de TI, disponível em acesso em 01 de junho de CEVIU, Tabela Salários em TI - Pesquisa Salarial, disponível em acesso em 01 de junho de PROFISSIONAIS TI, Qual o salário médio dos profissionais de TI no Brasil? disponível em acesso em 01 de junho de PHILIP OLSON, Manual do PHP, disponível em acesso em 25 de maio de PABLO DALLOGLIO, PHP: Cortando strings (substr), disponível em acesso em 04 de novembro de GUSTAVO PAES, PHP: Como ler e escrever dados no formato JSON, disponível em acesso em 11 de junho de IMASTERS FFPA INFORMÁTICA LTDA, imasters Fóruns, disponível em acesso em 27 de julho de MIGUEL ANGEL ALVAREZ, Word-wrap em CSS 3, disponível em Acessado dia 17/02/2012 APOSTILAS E TUTORIAIS, Manual do PHP, disponível em acesso em 09/02/2012 REFSNES DATA, w3schools.com, disponível em Acessado dia 05/08/2011. THIAGO B. FIORENZA Principais atributos para manipulação de objetos em JavaScript, disponível em

107 /09/12/principais-atributos-para-manipulacao-de-objetos-em-javascript/, acesso em 14/01/2012. BATTISTI, Tecnologia, Web e um pouco de cultura inútil, disponível em acesso em16/06/2012 às 17:31 CASERTA, Juliana. Pegando dados não repetidos (consulta MYSQL), disponível em acesso em 12/02/2012. MCLAUGHLIN, Brett. Use a Cabeça (Iniciação Rápida) Ajax, E-DOMINIOS. Preços, disponível em acesso em 11 de junho de 2012.

108 107 ANEXO A - DIAGRAMAS DE CASOS DE USOS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL Figura 58 Diagrama de casos de uso do Sistema De Gerenciamento da Rede Social. Abaixo, serão descritos detalhadamente cada um dos casos de uso representados no diagrama e que designam as ações dos administradores do sistema com relação a ele.

109 108 Número Do Caso De Uso 1 Nome Do Caso De Uso Manter Administradores Eventuais Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do administrador efetivo como responsável Resumo pelo gerenciamento de administradores eventuais, adicionando, editando e excluindo. Pré-Condições Estar logado no sistema. Pós-Condições Abrir a aba de administradores. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Entra na aba Administradores. 2. Exibe opções de gerenciamento da conta e de administradores. 3. Efetua rotinas de gerenciamento e cadastro de administradores. Restrições / Validações Estar logado como administrador efetivo (principal). Número Do Caso De Uso 2 Nome Do Caso De Uso Efetuar Login Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo ou eventual Resumo enquanto responsáveis pela administração do sistema fazendo um login que os permita fazer isso. Estar com o sistema em um Pré-Condições computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local.

110 109 Pós-Condições Ações Do Ator 1. Abre o programa. 3. Digita seu usuário e senha e clica em Entrar. Restrições / Validações Conhecer usuário e senha cadastrados no sistema. Ações Do Sistema 2. Conecta-se ao banco e exibe tela de login. 4. Faz a consulta do usuário e senha no banco para a validação do login e a partir disso permite ou nega acesso ao sistema. O usuário e senha digitados precisam estar cadastrados no sistema como usuário e senha de um mesmo administrador. Número Do Caso De Uso 3 Nome Do Caso De Uso Manter Conta de Administrador Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações do administrador efetivo e eventual como Resumo responsáveis pela manutenção de suas contas, usuário e senha respectivamente. Estar com o sistema em um Pré-Condições computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe opções de gerenciamento da 1. Entra na aba Administradores. conta e de administradores. 3. Efetua rotinas de gerenciamento da própria conta de

111 110 administradores. Restrições / Validações Estar logado no sistema como o administrador dono da conta em questão. Número Do Caso De Uso 4 Nome Do Caso De Uso Ator Principal Ator Secundário Resumo Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Entra na aba Períodos. 3. Efetua rotinas de gerenciamento ou cadastro de períodos. Restrições / Validações Manter Períodos Administrador Efetivo Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e eventual enquanto responsáveis pelo gerenciamento, cadastro, edição e exclusão de períodos. Estar com o sistema em um computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer alterar ou cadastrar períodos. Ações Do Sistema 2. Exibe períodos cadastrados e formulários para o gerenciamento e cadastro de períodos. Estar logado no sistema. Número Do Caso De Uso 5 Nome Do Caso De Uso Manter Cursos

112 111 Ator Principal Ator Secundário Resumo Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Entra na aba Cursos. 3. Efetua rotinas de gerenciamento ou cadastro de cursos. Restrições / Validações Administrador Efetivo Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e eventual, enquanto responsáveis pelo cadastro, gerenciamento, edição e exclusão de cursos. Além de cadastrar coordenador do curso e gerenciar isso. Estar com o sistema em um computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer alterar ou cadastrar cursos. Ações Do Sistema 2. Exibe cursos cadastrados e formulários para o gerenciamento e cadastro de cursos. Estar logado no sistema. Número Do Caso De Uso 6 Nome Do Caso De Uso Ator Principal Ator Secundário Resumo Manter Componentes Curriculares Administrador Efetivo Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e eventual, enquanto responsáveis pelo cadastro, gerenciamento, edição e exclusão de componentes curriculares, relacionando-os com seus respectivos cursos e módulos.

113 112 Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Dentro da aba Cursos clica em um dos cursos listados e em seguida clica em adicionar componentes curriculares (para cadastrar um) ou em detalhes para efetuar o gerenciamento. 3. Efetua rotinas de cadastro ou gerenciamento do componente curricular. Restrições / Validações Estar com o sistema em um computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer alterar, cadastrar ou gerenciar componentes curriculares. Ações Do Sistema 2. Exibe janela de cadastro ou de gerenciamento dos componentes curriculares relativos ao curso selecionado a partir do clique. Estar logado no sistema. Número Do Caso De Uso 7 Nome Do Caso De Uso Manter Alunos Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e Resumo eventual, enquanto responsáveis pelo cadastro, gerenciamento, edição e exclusão de alunos. Estar com o sistema em um Pré-Condições computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer alterar, cadastrar ou gerenciar Pós-Condições alunos. Ações Do Ator Ações Do Sistema

114 Entra na aba Alunos. 3. Efetua rotinas de gerenciamento ou cadastro de alunos. Restrições / Validações 2. Exibe formulários para cadastro além da listagem de alunos cadastrados no sistema, permitindo edição, exclusão e gerenciamento como um todo. Estar logado nos sistema. Número Do Caso De Uso 8 Nome Do Caso De Uso Manter Professores Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e Resumo eventual, enquanto responsáveis pelo cadastro, gerenciamento, edição e exclusão de professores. Estar com o sistema em um Pré-Condições computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer alterar, cadastrar ou gerenciar Pós-Condições professores. Ações Do Ator 1. Entra na aba Professores. 3. Efetua rotinas de gerenciamento ou cadastro de professores. Ações Do Sistema 2. Exibe formulários para cadastro além da listagem de professores cadastrados no sistema, permitindo edição, exclusão e gerenciamento como um todo.

115 114 Restrições / Validações Estar logado nos sistema. Número Do Caso De Uso 9 Nome Do Caso De Uso Ator Principal Ator Secundário Resumo Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Dentro da aba Professores clica em um dos professores listados e em seguida clica no botão componente Curricular para vincular um componente curricular cadastrado ao professor selecionado com o clique ou em Disciplinas do Professor para visualizar disciplinas vinculadas ao professor selecionado, podendo ainda excluí-las. Atribuir Disciplinas aos Professores Administrador Efetivo Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e eventual, enquanto responsáveis pelo cadastro, gerenciamento, edição e exclusão de disciplinas, vinculando-as com seus respectivos professores. Estar com o sistema em um computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer gerenciar ou atribuir disciplinas com relação aos professores cadastrados no sistema. Ações Do Sistema 2. Exibe janela de vinculação do componente curricular com o professor em um curso ou de gerenciamento dos componentes curriculares vinculados ao professor selecionado a partir do clique.

116 Efetua rotinas de gerenciamento e vinculação dos componentes curriculares com relação ao professor. Restrições / Validações Estar logado nos sistema. Número Do Caso De Uso 10 Nome Do Caso De Uso Manter Mural Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e eventual, enquanto responsáveis pelo Resumo cadastro, gerenciamento, edição e exclusão de postagens no mural principal. Estar com o sistema em um Pré-Condições computador ligado ao banco de dados online (via internet) ou local. Querer alterar, cadastrar ou gerenciar Pós-Condições postagens do mural principal. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe formulário para cadastro de postagem no mural principal. 1. Entrar na aba Mural. Permitindo ainda visualização, edição e gerenciamento de postagens do histórico. 3. Efetua rotinas de criação ou gerenciamento de postagens. Restrições / Validações Estar logado nos sistema.

117 116 Número Do Caso De Uso 11 Nome Do Caso De Uso Efetuar Logout Ator Principal Administrador Efetivo Ator Secundário Administrador Eventual Este caso de uso descreve as ações dos administradores efetivo e Resumo eventual, enquanto únicos usuários com acesso ao sistema, podendo sair do sistema quando desejarem. Pré-Condições Estar logado nos sistema. Ter terminado todas as rotinas e Pós-Condições ações desejadas no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Finaliza todas as sessões, 1. Clica no botão Logout ao fim de desabilitando todas as abas e todas as abas. direcionando o usuário para a tela de login. Restrições / Validações

118 117 REDE SOCIAL TOOEASY Devido a complexidade do sistema, e ao tamanho e quantidade de casos de uso, dividimos o diagrama por entidades (atores). Figura 59 - Diagrama de casos de uso da entidade Aluno no Sistema de Integração Online Rede Social Tooeasy. Número Do Caso De Uso 1 Nome Do Caso De Uso Acessar Index.php Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do aluno enquanto usuário que tem Resumo acesso a página principal do site, index.php, podendo visualiza a tela de login, ter informações da instituição,

119 118 do projeto e de contato para conosco, entre outras coisas. Pré-Condições - Pós-Condições - Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Digita na barra de endereço o site da rede social e tecla Enter. 2. Exibe a página index.php. Restrições / Validações - Número Do Caso De Uso 2 Nome Do Caso De Uso Visualizar Mural Principal Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno para visualização do mural principal. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Clica em Home no menu da barra que fica no topo da página. 2. Exibe o mural principal e todas as postagens feitas até então. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 3 Nome Do Caso De Uso Visualizar Oportunidades de Emprego Ator Principal Aluno Ator Secundário -

120 119 Resumo Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Na Home, clica em Oportunidades de Estágio. Restrições / Validações Este caso de uso descreve as ações do aluno para a visualização de oportunidades de emprego enviadas por empresas no espaço empresarial. Estar conectado à internet. Estar logado no sistema. Ações Do Sistema 2. Exibe todas as oportunidades enviadas até então da mais recente para a mais antiga, permitindo a exclusão por parte do aluno que as recebeu. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 4 Nome Do Caso De Uso Manter Perfil Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno enquanto gerenciador do próprio perfil, podendo editá-lo ou alterá-lo sempre que desejar. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe a página do perfil, permitindo 1. Clica em Perfil no menu da barra gerenciamento da conta como um que fica no topo da página. todo e edição do perfil. 3. Efetua rotinas de gerenciamento da conta ou edição do perfil.

121 120 Restrições / Validações O usuário deve estar cadastrado no sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 5 Nome Do Caso De Uso Trocar Recados Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno para envio e recebimento de recados. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Clica em Recados no menu do 2. Lista todos os recados recebidos perfil ou no da barra que fica no até então, permitindo que o aluno topo da página. responda ao recado ou o exclua. 3. Visualiza e/ou efetua rotinas de resposta ao recado ou exclusão do mesmo. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 6 Nome Do Caso De Uso Gerenciar Amizades Ator Principal Aluno Ator Secundário -

122 121 Resumo Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Clica em Solicitações de Amizade no menu da barra que fica no topo da página. 3. Aceita ou recusa a amizade. Restrições / Validações Este caso de uso descreve as ações do aluno aceitando ou recusando solicitações de amizade ou ainda efetuando uma solicitação de amizade no perfil de um outro usuário do sistema. Estar conectado à internet. Estar logado no sistema. Ações Do Sistema 2. Exibe aba com as solicitações de amizade, caso exista alguma, permitindo que o aluno aceite ou recuse a amizade. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 7 Nome Do Caso De Uso Visualizar Menções Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno para a visualização de menções. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Efetua solicitação no sistema de 1. No Perfil clica em Menções. menções da Etec e exibe as menções do aluno.

123 122 Restrições / Validações O usuário deve estar cadastrado no sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 8 Nome Do Caso De Uso Fazer Postagens em Fóruns Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do aluno efetuando postagens nos Resumo fóruns, comentando-as ou excluindoas. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Clica em Fórum na barra que fica 2. Exibe menu de fóruns aos quais o no topo da página. aluno tem acesso. 4. Exibe o fórum escolhido com os 3. Clica no fórum em que deseja tópicos e informações dos efetuar postagem ou visualizar. mesmos, permitindo ainda busca e acesso aos tópicos. 5. Efetua rotinas de visualização, comentário em postagens e/ou criação de tópico no fórum escolhido. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 9 Nome Do Caso De Uso Manter Currículo Ator Principal Aluno

124 123 Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do aluno quanto à edição, alteração e Resumo manutenção do seu currículo no sistema para consulta de empresas. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe os formulários e abas para edição, gerenciamento e 1. No Perfil clica em Currículo. manutenção do currículo por parte do aluno. 3. Preenche e efetua rotinas de edição do currículo. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 10 Nome Do Caso De Uso Fazer Download de Arquivos Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno efetuando busca por arquivos e tendo-os encontrado realizando o download dos mesmos. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe barra de busca por arquivos, 1. Clico em Arquivos na barra que permitindo buscar e fazer fica no topo da página. download de arquivos.

125 Clica na barra de pesquisa, digita o nome do arquivo que deseja buscar e tecla Enter clica em Buscar. 5. Clica no arquivo que deseja baixar. Restrições / Validações 4. Efetua a busca e exibe os arquivos com o nome digitado pelo aluno. 6. Efetua o download do arquivo para o computador do aluno. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 11 Nome Do Caso De Uso Fazer Upload de Arquivos Permitidos Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno fazendo upload de arquivos no sistema. Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 1. Em Arquivos clica em Fazer Upload de Arquivos. 3. Preenche o formulário e seleciona o arquivo ao qual deseja fazer upload e em seguida clica em Enviar. Restrições / Validações Estar conectado à internet. Estar logado no sistema. Ações Do Sistema 2. Exibe formulário para preenchimento de nome e descrição do arquivo, permitindo ainda o upload do arquivo. 4. Efetua o upload do arquivo, listando-o em seguida junto aos demais arquivos já enviados logo abaixo do formulário. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta.

126 125 Número Do Caso De Uso 12 Nome Do Caso De Uso Efetuar Logout Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno efetuando logout do sistema, isto é, desconectando-se do sistema. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Destrói todas as sessões e 1. Clica em Sair na barra que fica no encaminha o aluno de volta à topo da página. página index.php. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o aluno dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 13 Nome Do Caso De Uso Efetuar Cadastro Complementar Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno efetuando o seu cadastro no sistema. Ter sido cadastrado por um Pré-Condições administrador do sistema no Software de Gerenciamento da Rede Social. Pós-Condições Estar conectado à internet. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Na index.php clica em Cadastrase. 2. Exibe página autenticação, onde o aluno deve digitar seu RG.

127 Digita seu RG. 5. Preenche o formulário de cadastro e em seguida clica em Enviar. Restrições / Validações 4. Verifica se o RG foi cadastrado no sistema e se sim redireciona para a página de cadastro. 6. Verifica se todos os campos foram preenchidos corretamente e em seguida efetua o cadastro, exibindo link que o redireciona para o login. É preciso digitar o RG cadastrado pelo administrador no Sistema de Gerenciamento da Rede Social. Número Do Caso De Uso 14 Nome Do Caso De Uso Ator Principal Efetuar Login Aluno Ator Secundário - Resumo Este caso de uso descreve as ações do aluno ao efetuar login no sistema. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Ações Do Ator 1. Na página index.php digita o e senha cadastrados por ele no sistema. Restrições / Validações Ter efetuado o cadastro complementar no sistema. Ações Do Sistema 2. Verifica se ambos estão cadastrados no sistema e caso estejam redireciona para a página do aluno. O aluno deve digitar um e senha cadastrados no sistema. Número Do Caso De Uso 15 Nome Do Caso De Uso Recuperar Senha

128 127 Ator Principal Aluno Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do aluno para a recuperação de sua senha, caso este a tenha esquecido. Pré-Condições Estar conectado à internet. Ser o aluno dono da conta da qual se Pós-Condições quer recuperar a senha. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe página de autenticação onde é solicitado o do aluno, 1. Na página index.php clica em permitindo, no entanto, que se Esqueci minha senha. avance no caso de se ter esquecido o Digita o e clica em 4. Caso o aluno tenha esquecido seu Continuar ou caso tenha esquecido é requerido o RG do aluno, o , clica em Esqueci meu e- caso contrário este é solicitado na mail. próxima página. 5. Caso tenha clicado em esqueci 6. Redireciona para um formulário de meu , ele digita seu RG e autenticação com diversos dados clica em Continuar, caso contrário, pessoais a serem preenchidos e ele efetua a próxima ação. com códigos de segurança. 8. Verifica os dados preenchidos e em seguida, caso tudo esteja certo 7. Preenche o formulário e clica em exibe um formulário para a Continuar. alteração do e senha cadastrados no sistema. 9. Efetua a alteração do e senha cadastrados no sistema e 10. Atualiza os dados no sistema. em seguida clica em Alterar. O aluno precisa conhecer informações Restrições / Validações pessoais e digitar códigos de segurança.

129 128 Figura 60 Diagrama de casos de uso da entidade Empresa no Sistema de Integração Online Rede Social Tooeasy. Número Do Caso De Uso 1 Nome Do Caso De Uso Acessar Index.php Ator Principal Empresa Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações da empresa enquanto usuário que tem acesso a página principal do site, Resumo index.php, podendo visualiza a tela de login, ter informações da instituição, do projeto e de contato para conosco, entre outras coisas. Pré-Condições - Pós-Condições -

130 129 Ações Do Ator Ações Do Sistema 3. Digita na barra de endereço o site da rede social e tecla Enter. 4. Exibe a página index.php. Restrições / Validações - Número Do Caso De Uso 2 Nome Do Caso De Uso Fazer Cadastro Ator Principal Empresa Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo da empresa ao efetuar seu cadastro no sistema. Pré-Condições Estar conectada à internet. É preciso que a empresa digite seu Pós-Condições CNPJ. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Redireciona a empresa para a 1. Na página index.php Clica em página Espaço Empresarial. Onde Espaço Empresarial. ela pode cadastrar-se ou efetuar login. 4. Redireciona para a página onde é 3. Clica em Cadastrar-se. solicitado o CNPJ da empresa. 6. Verifica a validade do CNPJ e se 5. Digita seu CNPJ. ele for válido redireciona para a página de cadastro. 8. Verifica se todos os campos foram preenchidos corretamente e se 7. Preenche o formulário de cadastro sim, efetua o cadastro exibindo um e clica em Enviar. link que redireciona para a página de login. Restrições / Validações O CNPJ deve ser válido.

131 130 Número Do Caso De Uso 3 Nome Do Caso De Uso Ator Principal Efetuar Login Empresa Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo da empresa ao efetuar login no sistema. Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 3. Na página Espaço Empresarial clica em Já é Cadastrado? 5. Digita o e senha cadastrados por ela no sistema. Restrições / Validações Estar conectada à internet. Ter efetuado o cadastro no sistema. Ações Do Sistema 4. Redireciona a empresa para a página de login. 6. Verifica se ambos estão cadastrados no sistema e caso estejam redireciona para a página da empresa. A empresa deve digitar um e senha cadastrados no sistema. Número Do Caso De Uso 4 Nome Do Caso De Uso Buscar por Currículos. Ator Principal Empresa Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo da empresa para a busca de currículos no sistema. Pré-Condições Estar conectada à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema

132 Clica em Pesquisar Currículos. 3. Preenche o formulário com as informações desejadas e clica em Pesquisar. Restrições / Validações 2. Exibe formulário onde a empresa pode filtrar a pesquisa de currículos, selecionando prérequisitos mínimos como idade, sexo, curso, entre outros. 4. Lista currículos a partir das informações selecionadas no filtro. O usuário deve estar cadastrado no sistema como a empresa dona da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 5 Nome Do Caso De Uso Selecionar Currículos Ator Principal Empresa Ator Secundário - Resumo Este caso de uso descreve as ações da empresa Pré-Condições Estar conectada à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema e ter efetuado rotina de busca por currículos. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Tendo feito uma busca seleciona os currículos listados após 2. Marca os currículos selecionados. visualizá-los e avaliá-los. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como a empresa dona da conta e ter efetuado o login com esta conta.

133 132 Número Do Caso De Uso 6 Nome Do Caso De Uso Enviar Mensagem para Alunos Ator Principal Empresa Ator Secundário - Resumo Este caso de uso descreve as ações da empresa Pré-Condições Estar conectada à internet. Estar logado no sistema ter Pós-Condições selecionado currículos para envio da mensagem. Ações Do Ator Ações Do Sistema 1. Tendo selecionado currículos clica em Enviar Mensagem a Todos os Selecionados. 2. Exibe caixa para edição da mensagem, contendo texto prédefinido. 3. Digita a mensagem e em seguida clica em Enviar. 4. Envia a mensagem aos alunos e exibe mensagem de confirmação. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como a empresa dona da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 7 Nome Do Caso De Uso Efetuar Logout Ator Principal Empresa Ator Secundário - Resumo Este caso de uso descreve as ações da empresa Pré-Condições Estar conectada à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 3. Clica em Sair na barra que fica no topo da página. 4. Destrói todas as sessões e encaminha a empresa de volta à

134 133 página index.php. Restrições / Validações O usuário deve estar cadastrado no sistema como a empresa dona da conta e ter efetuado o login com esta conta. Figura 61 Diagrama de Casos de Uso da Entidade Professor no Sistema de Integração Online Rede Social Tooeasy. Número Do Caso De Uso 1 Nome Do Caso De Uso Acessar Index.php

135 134 Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do professor enquanto usuário que tem acesso a página principal do site, Resumo index.php, podendo visualiza a tela de login, ter informações da instituição, do projeto e de contato para conosco, entre outras coisas. Pré-Condições - Pós-Condições - Ações Do Ator Ações Do Sistema 5. Digita na barra de endereço o site 6. Exibe a página index.php. da rede social e tecla Enter. Restrições / Validações - Número Do Caso De Uso 2 Nome Do Caso De Uso Efetuar Cadastro Complementar Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor efetuando o seu cadastro no sistema. Ter sido cadastrado por um Pré-Condições administrador do sistema no Software de Gerenciamento da Rede Social. Pós-Condições Estar conectado à internet. Ações Do Ator Ações Do Sistema 7. Na index.php clica em Cadastrase. 8. Exibe página autenticação, onde o professor deve digitar seu RG.

136 Digita seu RG. 11. Preenche o formulário de cadastro e em seguida clica em Enviar. Restrições / Validações 10. Verifica se o RG foi cadastrado no sistema e se sim redireciona para a página de cadastro. 12. Verifica se todos os campos foram preenchidos corretamente e em seguida efetua o cadastro, exibindo link que o redireciona para o login. É preciso digitar o RG cadastrado pelo administrador no Sistema de Gerenciamento da Rede Social. Número Do Caso De Uso 3 Nome Do Caso De Uso Recuperar Senha Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor para a recuperação de sua senha, caso este a tenha esquecido. Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 11. Na página index.php clica em Esqueci minha senha. 13. Digita o e clica em Continuar ou caso tenha esquecido o , clica em Esqueci meu e- Estar conectado à internet. Ser o professor dono da conta da qual se quer recuperar a senha. Ações Do Sistema 12. Exibe página de autenticação onde é solicitado o do professor, permitindo, no entanto, que se avance no caso de se ter esquecido o Caso o professor tenha esquecido seu é requerido o RG do professor, caso contrário este é

137 136 mail. solicitado na próxima página. 15. Caso tenha clicado em esqueci meu , ele digita seu RG e clica em Continuar, caso contrário, ele efetua a próxima ação. 17. Preenche o formulário e clica em Continuar. 19. Efetua a alteração do e senha cadastrados no sistema e em seguida clica em Alterar. Restrições / Validações 16. Redireciona para um formulário de autenticação com diversos dados pessoais a serem preenchidos e com códigos de segurança. 18. Verifica os dados preenchidos e em seguida, caso tudo esteja certo exibe um formulário para a alteração do e senha cadastrados no sistema. 20. Atualiza os dados no sistema. O professor precisa conhecer informações pessoais e digitar códigos de segurança. Número Do Caso De Uso 4 Nome Do Caso De Uso Efetuar Login Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor ao efetuar login no sistema. Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator Estar conectado à internet. Ter efetuado o cadastro complementar no sistema. Ações Do Sistema

138 Na página index.php digita o e senha cadastrados por ele no sistema. Restrições / Validações 8. Verifica se ambos estão cadastrados no sistema e caso estejam redireciona para a página do professor. O professor deve digitar um e senha cadastrados no sistema. Número Do Caso De Uso 5 Nome Do Caso De Uso Visualizar Mural Principal Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor para visualização do mural principal. Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 3. Clica em Home no menu da barra que fica no topo da página. Restrições / Validações Estar conectado à internet. Estar logado no sistema. Ações Do Sistema 4. Exibe o mural principal e todas as postagens feitas até então. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 6 Nome Do Caso De Uso Manter Perfil Ator Principal Professor Ator Secundário -

139 138 Resumo Pré-Condições Pós-Condições Ações Do Ator 4. Clica em Perfil no menu da barra que fica no topo da página. 6. Efetua rotinas de gerenciamento da conta ou edição do perfil. Restrições / Validações Este caso de uso descreve as ações do professor enquanto gerenciador do próprio perfil, podendo editá-lo ou alterá-lo sempre que desejar. Estar conectado à internet. Estar logado no sistema. Ações Do Sistema 5. Exibe a página do perfil, permitindo gerenciamento da conta como um todo e edição do perfil. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 7 Nome Do Caso De Uso Trocar Recados Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor para envio e recebimento de recados. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 5. Lista todos os recados recebidos 4. Clica em Recados no menu do até então, permitindo que o perfil ou no da barra que fica no professor responda ao recado ou o topo da página. exclua.

140 Visualiza e/ou efetua rotinas de resposta ao recado ou exclusão do mesmo. Restrições / Validações O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 8 Nome Do Caso De Uso Gerenciar Amizades Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do Professor aceitando ou recusando Resumo solicitações de amizade ou ainda efetuando uma solicitação de amizade no perfil de outro usuário do sistema. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 5. Exibe aba com as solicitações de 4. Clica em Solicitações de Amizade amizade, caso exista alguma, no menu da barra que fica no topo permitindo que o professor aceite da página. ou recuse a amizade. 6. Aceita ou recusa a amizade. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da Restrições / Validações conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 9 Nome Do Caso De Uso Manter Calendário

141 140 Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações do professor gerenciando, editando, Resumo postando eventos e excluindo-os do calendário. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 2. Exibe Calendário onde o professor 1. Clica em Calendário. pode postar eventos, editá-los ou excluí-los. 3. Efetua rotinas de gerenciamento, edição e/ou postagem de eventos no calendário. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da Restrições / Validações conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 10 Nome Do Caso De Uso Participar de Fóruns Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor efetuando postagens nos fóruns, comentando-as ou excluindoas. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema

142 Clica em Fórum na barra que fica no topo da página. 8. Clica no fórum em que deseja efetuar postagem ou visualizar. 10. Efetua rotinas de visualização, comentário em postagens e/ou criação de tópico no fórum escolhido. Restrições / Validações 7. Exibe menu de fóruns aos quais o Professor tem acesso. 9. Exibe o fórum escolhido com os tópicos e informações dos mesmos, permitindo ainda busca e acesso aos tópicos. O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 11 Nome Do Caso De Uso Fazer Upload de Arquivos Permitidos Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor fazendo upload de arquivos no sistema. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 6. Exibe formulário para 5. Em Arquivos clica em Fazer preenchimento de nome e Upload de Arquivos. descrição do arquivo, permitindo ainda o upload do arquivo. 7. Preenche o formulário e seleciona 8. Efetua o upload do arquivo, o arquivo ao qual deseja fazer listando-o em seguida junto aos upload e em seguida clica em demais arquivos já enviados logo

143 142 Enviar. abaixo do formulário. Restrições / Validações O usuário deve estar cadastrado no sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta. Número Do Caso De Uso 12 Nome Do Caso De Uso Fazer Download de Arquivos Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor efetuando busca por arquivos e tendo-os encontrado realizando o download dos mesmos. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 8. Exibe barra de busca por arquivos, 7. Clico em Arquivos na barra que permitindo buscar e fazer fica no topo da página. download de arquivos. 9. Clica na barra de pesquisa, digita o 10. Efetua a busca e exibe os arquivos nome do arquivo que deseja com o nome digitado pelo buscar e tecla Enter clica em professor. Buscar. 11. Clica no arquivo que deseja baixar. 12. Efetua o download do arquivo para o computador do professor. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta.

144 143 Número Do Caso De Uso 13 Nome Do Caso De Uso Efetuar Logout Ator Principal Professor Ator Secundário - Este caso de uso descreve as ações Resumo do professor efetuando logout do sistema, isto é, desconectando-se do sistema. Pré-Condições Estar conectado à internet. Pós-Condições Estar logado no sistema. Ações Do Ator Ações Do Sistema 6. Destrói todas as sessões e 5. Clica em Sair na barra que fica no encaminha o professor de volta à topo da página. página index.php. O usuário deve estar cadastrado no Restrições / Validações sistema como o professor dono da conta e ter efetuado o login com esta conta.

145 144 ANEXO B DIAGRAMAS DE CLASSES SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA REDE SOCIAL Figura 62 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento da Rede Social. O Diagrama do Sistema de Gerenciamento Online (Figura ) representa todas as classes, objetos e atributos do sistema que foi desenvolvido para administração e controle da Rede Social.

146 145 REDE SOCIAL TOOEASY Com relação ao diagrama de Classes da Rede Social, devido à quantidade de classes e tamanho do diagrama, este foi dividido em partes, sendo separado em entidades do sistema. Figura 63 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento Online Entidade Empresa Na Figura são apresentadas as classes que dizem respeito à entidade empresa, sendo esta responsável dentro do sistema, por visualizar currículos e selecionar candidatos para estágios ou empregos.

147 146 Figura 64 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento Online Entidade Aluno Na Figura são apresentadas as classes que dizem respeito à entidade Aluno, sendo este, quem exerce o papel de usuário direto da Rede Social, enviando recados, visulizando mural, menções, participando de fóruns, entre outras coisas. Na Figura são apresentadas as classes que dizem respeito à entidade professor, sendo este, junto com o aluno um outro usuário direto da Rede Social, realizando as principais tarefas que o aluno faz (não todas), além de possuir maiores permissões e poder postar eventos e provas para seus alunos.

148 Figura 65 Diagrama de Classes do Sistema de Gerenciamento Online Entidade Professor 147

1ª QUESTÃO Linguagem C Vantagens: Desvantagens: Linguagem C++ Vantagens: Desvantagens:

1ª QUESTÃO Linguagem C Vantagens: Desvantagens: Linguagem C++ Vantagens: Desvantagens: 1ª QUESTÃO Linguagem C Vantagens: É uma linguagem simples que nos permite trabalhar com funções matemáticas, ficheiros, entre outras sendo necessário para tal a inclusão de bibliotecas padrão as quais

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Tecnologia Java Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Origem da Tecnologia Java Projeto inicial: Oak (liderado por James Gosling) Lançada em 1995 (Java) Tecnologia

Leia mais

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS

AULA 1 PHP O QUE É APACHE FRIENDS O QUE É PHP Se você já programa PHP, aconselho que pule para o capítulo 7 desse livro. Pois até esse capitulo iremos abordar algoritmos em PHP até a construção de uma classe com seus métodos e atributos

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO SISTEMA DE GERENCIAMENTO E CONTROLE DE DOCUMENTOS DE TCC E ESTÁGIO Marcelo Karpinski Brambila 1, Luiz Gustavo Galves Mahlmann 2 1 Acadêmico do Curso de Sistemas de Informação da ULBRA Guaíba < mkbrambila@terra.com.br

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Palavras-chaves: Informática, Rede Social, Ambiente Virtual de Aprendizagem e Educação.

Palavras-chaves: Informática, Rede Social, Ambiente Virtual de Aprendizagem e Educação. INSTITUTO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFESSOR ISAÍAS REDE SOCIAL COM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM RAVA Leandra Gaspar Dos Santos; Frederico dos Santos Nunes; Cristiano Gomes Carvalho; Franciele da Silva

Leia mais

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS.

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Clara Aben-Athar B. Fernandes¹, Carlos Alberto P. Araújo¹ 1 Centro Universitário Luterano de Santarém Comunidade Evangélica Luterana (CEULS/ULBRA)

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 4 REFLEXÃO 4 Módulos 0776, 0780, 0781, 0786 e 0787 1/10 8-04-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0776 - Sistema de informação da empresa, 0780 - Aplicações

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Banco de Dados Multimídia

Banco de Dados Multimídia Banco de Dados Multimídia Nomes: Ariane Bazilio Cristiano de Deus Marcos Henrique Sidinei Souza Professor Mauricio Anderson Perecim Conteúdo Banco de Dados Multimídia... 3 Conceitos... 3 Descrição... 3

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

Aula 01: Apresentação da Disciplina e Introdução a Conceitos Relacionados a Internet e WEB

Aula 01: Apresentação da Disciplina e Introdução a Conceitos Relacionados a Internet e WEB Aula 01: Apresentação da Disciplina e Introdução a Conceitos Relacionados a Internet e WEB Regilan Meira Silva Professor de Informática do Campus Ilhéus Formação em Ciência da Computação com Especialização

Leia mais

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI Dr. George SILVA; Dr. Gilbert SILVA; Gabriel GUIMARÃES; Rodrigo MEDEIROS; Tiago ROSSINI; Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

SQL APOSTILA INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL SQL APOSTILA INTRODUÇÃO Uma linguagem de consulta é a linguagem por meio da qual os usuários obtêm informações do banco de dados. Essas linguagens são, tipicamente, de nível mais alto que as linguagens

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Componentes da Infraestrutura de TI Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013

ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização do Desenvolvimento Tecnológico na UERJ

Leia mais

A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5

A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5 A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5 Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de TI (GTI034) 06/11/2012 RESUMO Escrever programas de computador,

Leia mais

História e Evolução da Web. Aécio Costa

História e Evolução da Web. Aécio Costa Aécio Costa A História da Web O que estamos estudando? Período em anos que a tecnologia demorou para atingir 50 milhões de usuários 3 As dez tecnologias mais promissoras 4 A evolução da Web Web 1.0- Passado

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2 AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA CONTEÚDO DA AULA Tipos de Software Serviços Web Tendências 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1 DESAFIO Um dos maiores avanços percebidos pela área de qualidade de software foi comprovar que a qualidade de um produto final (software) é uma consequência do processo pelo qual esse software foi desenvolvido.

Leia mais

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4

DMS Documento de Modelagem de Sistema. Versão: 1.4 DMS Documento de Modelagem de Sistema Versão: 1.4 VERANEIO Gibson Macedo Denis Carvalho Matheus Pedro Ingrid Cavalcanti Rafael Ribeiro Tabela de Revisões Versão Principais Autores da Versão Data de Término

Leia mais

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB)

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) RELATÓRIO DE ENTREGA DO PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) PARA A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PMGIRS PARA OS MUNICÍPIOS DE NOVO HORIZONTE, JUPIÁ, GALVÃO,

Leia mais

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB ATIVIDADE 1 Redes Windows Falar sobre Samba e redes mistas Windows / Linux, sem antes explicar o conceito básico de uma rede não parece correto e ao mesmo tempo, perder páginas e mais páginas explicando

Leia mais

Navegador ou browser, é um programa de computador que permite a seus usuários a interagirem com documentos virtuais da Internet.

Navegador ou browser, é um programa de computador que permite a seus usuários a interagirem com documentos virtuais da Internet. TERMINOLOGIA Navegador ou Browser Navegador ou browser, é um programa de computador que permite a seus usuários a interagirem com documentos virtuais da Internet. Os Browsers se comunicam com servidores

Leia mais

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa 1. Apresentação 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social A conexão Digital para o Desenvolvimento Social é uma iniciativa que abrange uma série de atividades desenvolvidas por ONGs em colaboração

Leia mais

UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ENTRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA E C#

UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ENTRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA E C# UMA ABORDAGEM COMPARATIVA ENTRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO JAVA E C# Robson Bartelli¹, Wyllian Fressatti¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil robson_lpbartelli@yahoo.com.br,wyllian@unipar.br

Leia mais

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM

SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM SISTEMA PARA CONTROLE DE RESERVA DE EQUIPAMENTOS MULTIMEIOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM Marcelo Karpinski Brambila Acadêmico em Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil Guaíba mkbrambila@connect-rs.com.br

Leia mais

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas;

Ferramentas desenvolvidas internamente não atendem às necessidades de crescimento, pois precisam estar sendo permanentemente aperfeiçoadas; APRESENTAÇÃO O Myself é um sistema de gerenciamento de conteúdo para websites desenvolvido pela Genial Box Propaganda. Seu grande diferencial é permitir que o conteúdo de seu website possa ser modificado

Leia mais

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE)

1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) 1 UML (UNIFIED MODELING LANGUAGE) Segundo Tonsig (2003), para conseguir desenvolver um software capaz de satisfazer as necessidades de seus usuários, com qualidade, por intermédio de uma arquitetura sólida

Leia mais

OOP - Java. Artur Duque Rossi Mestrado em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora

OOP - Java. Artur Duque Rossi Mestrado em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora OOP - Java Artur Duque Rossi Mestrado em Modelagem Computacional Universidade Federal de Juiz de Fora 1 Sumário Java Aviso! História do Java Programação Orientada à Objetos Os quatro pilares da OOP Abstração

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS

ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS Rosiane da Silva Biscaia Discente do curso Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Faculdades

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO

SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO SISTEMATIZAÇÂO DOS TIPOS DE INFORMAÇÂO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL E DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÂO E COMUNICAÇÂO Danilo Freitas Silvas Sistemas de informação CEATEC danilofs.ti@gmail.com Resumo:

Leia mais

UML 01. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan

UML 01. Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED UML 01 Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional 1 Prof.: Fernando Hadad Zaidan Referências BARBIERI, Carlos. Análise e Programação

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Curso Engenharia Civil Modalidade Superior Professora Michelle Nery Agenda Introdução a Programação Algoritmos VS Programa 2 Algoritmos Um algoritmo pode ser definido como uma

Leia mais

SISCAI - SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO À INTERNET RESUMO

SISCAI - SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO À INTERNET RESUMO SISCAI - SISTEMA DE CONTROLE DE ACESSO À INTERNET Fábio Junior Alves 1 Ernani Vinícius Damasceno 2 RESUMO A Internet é um dos fenômenos mais interessantes em redes, sendo que seu impacto reflete em toda

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA

Linguagem de Programação JAVA Linguagem de Programação JAVA Curso Técnico em Informática Modalida Integrado Instituto Federal do Sul de Minas, Câmpus Pouso Alegre Professora: Michelle Nery Agenda JAVA Histórico Aplicações Pós e Contras

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura!

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura! APRESENTAÇÃO A Informatiza Soluções Empresariais está no mercado desde 2006 com atuação e especialização na criação de sites e lojas virtuais. A empresa conta com um sistema completo de administração de

Leia mais

Trabalho sobre o Facebook. De Sistemas Formador Tomás Lima

Trabalho sobre o Facebook. De Sistemas Formador Tomás Lima Trabalho sobre o Facebook De Sistemas Formador Tomás Lima Formando Marco Silva S - 13 Índice Facebook... 3 Porque todas essas perguntas para criar um perfil?... 3 O Facebook fornece várias maneiras de

Leia mais

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br Desenvolvimento Web Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas http://www.saymonyury.com.br Vantagens Informação em qualquer hora e lugar; Rápidos resultados; Portabilidade absoluta; Manutenção facilitada

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

guia prático 2a Edição Gilleanes T.A. Guedes Novatec

guia prático 2a Edição Gilleanes T.A. Guedes Novatec guia prático 2a Edição Gilleanes T.A. Guedes Novatec Copyright 2007, 2014 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP. VitorFariasCoreia

DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP. VitorFariasCoreia DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP VitorFariasCoreia INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO Autor Vitor Farias Correia Graduado em Sistemas de Informação pela FACITEC e especialista em desenvolvimento de jogos

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

SENAI SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM - MT CUIABÁ. Amanda Correa da Silva Augusto Cesar de Paula Junior Dayenny Cristina de Almeida Gonçalves

SENAI SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM - MT CUIABÁ. Amanda Correa da Silva Augusto Cesar de Paula Junior Dayenny Cristina de Almeida Gonçalves SENAI SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM - MT CUIABÁ Amanda Correa da Silva Augusto Cesar de Paula Junior Dayenny Cristina de Almeida Gonçalves SISTEMA DE MONITORIA CUIABÁ/MT 2014 Amanda Correa da Silva

Leia mais

Análise e Projeto de. Aula 01. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Análise e Projeto de. Aula 01. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Análise e Projeto de Sistemas I Aula 01 Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Análise e Projeto de Sistemas I Horário das Aulas: 2as feiras das 10h10 às 11h40 e 5as feiras das 08h25

Leia mais

Algumas propriedades dos objetos:

Algumas propriedades dos objetos: Orientação a Objetos Vivemos num mundo de objetos. Esses objetos existem na natureza, nas entidades feitas pelo homem, nos negócios e nos produtos que usamos. Eles podem ser categorizados, descritos, organizados,

Leia mais

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML.

Palavras-Chaves: engenharia de requisitos, modelagem, UML. APLICAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS PARA COMPREENSÃO DE DOMÍNIO DO PROBLEMA PARA SISTEMA DE CONTROLE COMERCIAL LEONARDO DE PAULA SANCHES Discente da AEMS Faculdades Integradas de Três Lagoas RENAN HENRIQUE

Leia mais

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML

WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Carlos Henrique Pereira WebUML: Uma Ferramenta Colaborativa de Apoio ao Projeto e Análise de Sistemas Descritos em Classes UML Florianópolis - SC 2007 / 2 Resumo O objetivo deste trabalho é especificar

Leia mais

Thursday, October 18, 12

Thursday, October 18, 12 O Site Legado do IFP é uma comunidade online e global dos ex-bolsistas do programa. É um recurso e um lugar para você publicar notícias profissionais, recursos e teses para a comunidade global do IFP,

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services - Windows SharePoint Services... Page 1 of 11 Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Ocultar tudo O Microsoft Windows

Leia mais

World Wide Web e Aplicações

World Wide Web e Aplicações World Wide Web e Aplicações Módulo H O que é a WWW Permite a criação, manipulação e recuperação de informações Padrão de fato para navegação, publicação de informações e execução de transações na Internet

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012. Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012. Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA REFERENTE AO CONVÊNIO MDIC nº 39/2012 SICONV 781212/2012 Tipo: Menor Preço e Melhor Técnica Este documento contém a descrição detalhada do objeto a ser contratado, os serviços

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE BIBLIOTECAS GRÁFICAS I TEGRADAS COM OPE GL

ESTUDO COMPARATIVO DE BIBLIOTECAS GRÁFICAS I TEGRADAS COM OPE GL ESTUDO COMPARATIVO DE BIBLIOTECAS GRÁFICAS I TEGRADAS COM OPE GL Francisco Tiago Avelar, Vitor Conrado F. Gomes, Cesar Tadeu Pozzer Universidade Federal de Santa Maria UFSM Curso de Ciência da Computação

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Fabrício Viero de Araújo, Gilse A. Morgental Falkembach Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Universidade

Leia mais

Moodle. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens

Moodle. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens Moodle Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens O que é? Alternativa às soluções comerciais de ensino on-line

Leia mais

PROPOSTA DE CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE

PROPOSTA DE CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE PROPOSTA DE CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE Através do presente documento, a agência ACNBRASIL tem como objetivo apresentar uma proposta de criação e desenvolvimento de Website para COOPERATIVA DE

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

BANCO DE DADOS PARA WEB

BANCO DE DADOS PARA WEB BANCO DE DADOS PARA WEB PROF. FABIANO TAGUCHI http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com INTRODUÇÃO O desenvolvimento de aplicações para Web tem sido uma das maiores tendências no panorama

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 6.1 ARQUIVOS E REGISTROS De um modo geral os dados estão organizados em arquivos. Define-se arquivo como um conjunto de informações referentes aos elementos

Leia mais

Lógica e Programação Java

Lógica e Programação Java Lógica e Programação Java Agenda Orientação a Objetos Parte 2 UML (software astah) Diagramas Estruturais Diagramas Comportamentais Diagramas de Interação astah Diagrama de Classes Antigo Jude Versão Community

Leia mais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais

CURSO TECNOLÓGICO 2008/01 1º SEMESTRE. Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 1º SEMESTRE Programação e Estruturas de Dados Fundamentais 8 Créditos Desenvolver a lógica de programação através da construção de algoritmos utilizando português estruturado Representar a solução de problemas

Leia mais

Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG

Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG Adoniran Dias Ribeiro Andrade, Renato de Freitas Bulcão Neto Instituto de Informática Universidade Federal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 08 APRESENTAÇÃO Na aula de hoje vamos apresentar e discutir como definir

Leia mais

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO

MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO MANUAL DO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM - NETAULA CURSOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PERFIL ALUNO MANUAL NETAULA PERFIL ALUNO Caro aluno da EAD da ULBRA Para você ter acesso às salas das disciplinas ofertadas

Leia mais

CAPÍTULO 4. AG8 Informática

CAPÍTULO 4. AG8 Informática 2ª PARTE CAPÍTULO 4 Este capítulo têm como objetivo: 1. Tratar das etapas do projeto de um Website 2. Quais os profissionais envolvidos 3. Administração do site 4. Dicas para não cometer erros graves na

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel A linguagem JAVA A linguagem Java O inicio: A Sun Microsystems, em 1991, deu inicio ao Green Project chefiado por James Gosling. Projeto que apostava

Leia mais

CLASSCEEP MATEMÁTICA NAS REDES SOCIAIS

CLASSCEEP MATEMÁTICA NAS REDES SOCIAIS Mostra Brasileira de Ciência e Tecnologia e Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia MOSTRATEC Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira Ilhéus

Leia mais

Programação de Computadores II: Java. / NT Editora. -- Brasília: 2014. 82p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Programação de Computadores II: Java. / NT Editora. -- Brasília: 2014. 82p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor José Jesse Gonçalves Graduado em Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual de São Paulo - UNESP, de Presidente Prudente (1995), com especialização em Análise de Sistemas (1999) e mestrado

Leia mais

Apache + PHP + MySQL

Apache + PHP + MySQL Apache + PHP + MySQL Fernando Lozano Consultor Independente Prof. Faculdade Metodista Bennett Webmaster da Free Software Foundation fernando@lozano.eti.br SEPAI 2001 O Que São Estes Softwares Apache: Servidor

Leia mais

SISTEMÁTICA WEBMARKETING

SISTEMÁTICA WEBMARKETING SISTEMÁTICA WEBMARKETING Breve descrição de algumas ferramentas Sobre o Webmarketing Web Marketing é uma ferramenta de Marketing com foco na internet, que envolve pesquisa, análise, planejamento estratégico,

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - MÓDULO 3 - MODELAGEM DE SISTEMAS ORIENTADA A OBJETOS COM UML 1. INTRODUÇÃO A partir de 1980, diversos métodos de desenvolvimento de sistemas surgiram para apoiar o paradigma orientado a objetos com uma

Leia mais

IIH Introdução à Informática e Hardware

IIH Introdução à Informática e Hardware INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO - CAMPUS VOTUPORANGA Técnico em Manutenção e Suporte em Informática IIH Introdução à Informática e Hardware Aula: Linguagens de Programação

Leia mais

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Orivaldo V. Santana Jr A partir de slides elaborados por Ivan G. Costa Filho Fernando Fonseca & Robson Fidalgo 1 Sistemas de Arquivos Sistemas de arquivos Principal

Leia mais

Aluno: Paulo Roberto Alves de Oliveira Trabalho da disciplina Segurança em Windows 2010. Comparativo entre Apache e IIS.

Aluno: Paulo Roberto Alves de Oliveira Trabalho da disciplina Segurança em Windows 2010. Comparativo entre Apache e IIS. Aluno: Paulo Roberto Alves de Oliveira Trabalho da disciplina Segurança em Windows 2010 Comparativo entre Apache e IIS. Apache versus IIS 1. Resumo Os programas de computador Apache, da fundação Apache

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais