Problemas e perspectivas do maracujá ornamental

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Problemas e perspectivas do maracujá ornamental"

Transcrição

1 E assim tão de repente a noite se fez dia. A vida acordou muito alegre e humorada nesta manhã festiva e tão ensolarada, De um maracujá mimosa flor se abria. No céu espessas nuvens soberbas flutuavam Como quem embala a jovem flor mais bela. Da terra as palmeiras suas folhas balançavam Declarando amor tão fraternal a ela.

2 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental Mauro Peixoto Introdução O gênero Passiflora, apesar de seu imenso potencial ornamental, com dezenas de espécies se prestando a esse fim, é praticamente ignorado pelos nossos paisagistas e também pelo público em geral. Países do hemisfério norte, com o clima bem menos favorável que o nosso, perceberam há mais de um século que poderiam fazer dele um elemento de decoração e também de renda para os seus produtores. Hoje em dia, é comum se avistar, nas seções de jardinagem de supermercados europeus e norte-americanos, diversas variedades de maracujá ornamental, tanto espécies, notadamente clones selecionados de Passiflora caerulea L. e P. incarnata L. quanto numerosos híbridos artificiais. Breve histórico do uso do maracujá como planta ornamental O cultivo como planta ornamental em casas de vegetação remonta ao século XVII, na Europa, por volta de 1625, com as Passiflora caerulea L. e P. incarnata L. A planta foi enviada para o velho mundo envolvida na aura mística criada pelos jesuítas que a usavam para auxiliar na catequização dos índios como símbolo da Paixão de Cristo. Toda a planta era usada para esse fim, desde as folhas trilobadas que representariam as lanças dos soldados até as 5 anteras que eram símbolos das chagas de Cristo. 457

3 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético Por quase 200 anos, o cultivo ficou restrito às espécies, mas em 1819 Thomas Milne, da Inglaterra, conseguiu o primeiro híbrido artificial: Ele cruzou a P. racemosa. Brot com Passiflora caerulea L. obtendo assim a Passiflora Violacea, ainda hoje em cultivo. Os dias de glória declinaram com o advento das duas guerras mundiais, principalmente, devido ao alto custo de manutenção das casas de vegetação, durante o inverno, e muitas espécies e híbridos foram perdidos, somente sendo reintroduzidos no cultivo recentemente como o caso da Passiflora kermesina Link & Otto que foi perdida na segunda guerra mundial e devolvida ao cultivo no final dos anos 90. Situação atual no Brasil e no mundo Pode-se dizer, com pequena margem de erro, que é virtualmente inexistente o uso no Brasil do maracujá com a finalidade exclusiva de ornamentação. O que vemos esporadicamente no Sudeste é o uso misto do maracujá-doce - Passiflora alata Dryand. e mais raramente do maracujá-azedo Passiflora edulis Sims. Em pérgulas ou cercas para aproveitar os frutos e ter como bônus uma bela e perfumada flor. Na Região Norte, a Passiflora coccinea Aubl. substitui a Passiflora alata. Dryand e, no Nordeste, usa-se a Passiflora cincinatta Mast. Passiflora coccinea Aubl. 458

4 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental No hemisfério norte, a situação se inverte. Lá o maracujá é ornamental por definição e não existe a preocupação com os frutos que, por sua vez, são raros devido ao cultivo de um único clone de cada espécie ou variedade híbrida. Desde a Passiflora Violacea, já se produziram e registraram mais de 400 híbridos com a finalidade de gerar flores para todos os gostos e ambientes. Atualmente, um dos maiores pólos de produção de híbridos fica na Alemanha e o Dr. Roland Fischer é um dos expoentes, fazendo melhoramento genético e induzindo plantas à tetraploidia, conseguindo, assim, flores maiores e mais vistosas em plantas adaptadas ao cultivo em vasos. Foto: Dr. Roland Fischer Perspectivas Passiflora Jara Devido ao nosso clima extremamente favorável, grande parte das mais de 500 espécies e 400 híbridos registrados se prestam ao cultivo ornamental, seja como soluções paisagísticas para áreas grandes e médias, seja como plantas para vaso que são usadas em varandas ou dentro de casa. 459

5 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético Em lugares que necessitam de grande massa foliar, como para a cobertura de um barranco exposto ao sol, poder-se-á usar a P. malacophylla Mast, P. Cordelia (P. coccinea Aubl. x P. vitifolia H.B. & K.), P. Lady Margret (P. coccinea Albl. x P. incarnata Linn). Se o lugar for sombreado é possível usar a P. amethystina Mikan para esse fim. Passiflora Lady Margret Para uma pérgula ao sol, as P. seemannii Griseb., P. actinia Hook, P. sidaefolia M. Roem, P. serrulata Jacq., P. triloba, Ruiz & Pav. Ex DC são ótimas escolhas, pois todas têm flores pendentes, vistosas e perfumadas. P. triloba, Ruiz & Pav. Ex DC Passiflora seemanii Griseb 460

6 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental Caso ela esteja situada em lugar à meia sombra, a P. racemosa Brot. é imbatível, com seus lindos cachos de flores que se abrem sucessivamente por um longo período de tempo. Passiflora racemosa Brot. Se a intenção for uma cerca viva separando ambientes, pode-se usar as P. sanguinolenta Mast & Linden, P. tulae Urb., P. auriculata H.B. & K. que possuem folhas pequenas e apresentam grande quantidade de flores abertas simultaneamente. P. auriculata H.B. & K. Passiflora sanguinolenta Mast & Linden. 461

7 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético Vasos: É perfeitamente possível cultivar praticamente todas as passifloras em vasos grandes ou médios, desde que a planta tenha um suporte adequado e se faça uma poda criteriosa para mantê-la dentro dos limites desejados. Para varandas ou lugares à meia sombra, pode-se usar a. P. racemosa Brot., ou P. kermesina Link & Otto., pois, além de a flor ser ornamental, tem também o verso das folhas avermelhado, o que a torna atrativa mesmo sem as flores. Aliás, algumas passifloras são cultivadas exatamente por causa das folhas decorativas e variegadas, como as, P. coriacea A. Rich. ou P. tricuspis Mast. Para o cultivo dentro de casa, próximo de uma janela bem iluminada, existem plantas muito compactas, porém, com flores belíssimas como a P. murucuja Linn. ou com folhas variegadas, como a P. organensis Gardn. Passiflora murucuja P. kermesina Link & Otto 462

8 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental Problemas Os problemas são basicamente dois: 1. Problema cultural: O maracujá é visto, de maneira geral, como fruto e não como flor. Esse é um paradigma enraizado em nossa cultura e apesar de não ser difícil sua erradicação, é necessário que se faça um trabalho de conscientização sistemática pelas vias competentes. 2. Problema de cultivo: O maior empecilho para o cultivo do maracujá como planta ornamental é sua facilidade para atrair borboletas e, conseqüentemente, suas larvas que podem desfolhar uma planta em pouco tempo. O controle deve ser feito pela retirada manual das larvas ou pulverização com inseticidas, no caso de infestações graves. Conclusões O cultivo do maracujá como planta ornamental é viável tanto do ponto de vista econômico como paisagístico, necessitando apenas de divulgação que poderia ser feita por meio de revistas especializadas em jardinagem e paisagismo possibilitando assim a quebra do paradigma e constatando que o maracujá pode ser usado também para fruto e não somente apenas para fruto. Referências Bibliográficas CERVI, A. C. Passifloraceae do Brasil: estudo do gênero Passiflora L., subgênero Passiflora. Madrid: Fontqueria XLV, FISCHER, R. Hybrids and Hybridization. In: ULMER, T.; MacDOUGAL, J. M. Passiflora: passionflowers of the world. Portland: Timberpress, p VANDERPLANK, J. Passionflowers. 2th ed. London: Cassel,

9 464 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético

MELHORAMENTO GENÉTICO do MARACUJÁ: Passado e Futuro" Laura Maria Molina Meletti Marta D. Soares-Scott Luís Carlos Bernacci Ilene Ribeiro da S.

MELHORAMENTO GENÉTICO do MARACUJÁ: Passado e Futuro Laura Maria Molina Meletti Marta D. Soares-Scott Luís Carlos Bernacci Ilene Ribeiro da S. MELHORAMENTO GENÉTICO do MARACUJÁ: Passado e Futuro" Laura Maria Molina Meletti Marta D. Soares-Scott Luís Carlos Bernacci Ilene Ribeiro da S. Passos SITUAÇÃO ATUAL DOS POMARES BRASIL : 1996 44.000 ha

Leia mais

É muito mais que encanto é saúde é sustento, É a mão da natureza aos mortais exibida Na condição de flor delicada e inocente.

É muito mais que encanto é saúde é sustento, É a mão da natureza aos mortais exibida Na condição de flor delicada e inocente. Cai a noite escura, e no céu estendidas, As estrelas cintilam com pele reluzente. E a flor da paixão, toda em seda vestida, Enfeita a nossa terra da aurora ao poente. Planta audaciosa e de flor colorida

Leia mais

Chope na Ilha. Rústico aconchego. c a s e. Da Redação A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM

Chope na Ilha. Rústico aconchego. c a s e. Da Redação A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM c a s e Chope na Ilha Da Redação Rústico aconchego A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM da capital paulista, acaba de ganhar uma casa que oferece serviços e ambientes de restaurante, choperia e estar.

Leia mais

Seleção Hydrangea macrophylla Magical

Seleção Hydrangea macrophylla Magical Seleção Hydrangea macrophylla Magical Magical Four Seasons Especialmente selecionadas Mudança sasonal de cor Qualidade excecional As quatro estações das Magical As Hydrangeas macrophylla Magical são um

Leia mais

Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas

Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas Descubra os Segredos das Orquídeas de Exposição! Autor Alberto Schuman Edição atualizada Todos os direitos reservados, esta cópia é de uso pessoal. É proibida a

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2014

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2014 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2014 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria Nesta sexta-feira, 14

Leia mais

RELAÇÃO DE PLANTAS E FORMA DE CUIDADOS. Espécies: Orquídeas Dendrobium, Oncidium (chuva de ouro); Dendrobium loddigessi

RELAÇÃO DE PLANTAS E FORMA DE CUIDADOS. Espécies: Orquídeas Dendrobium, Oncidium (chuva de ouro); Dendrobium loddigessi RELAÇÃO DE PLANTAS E FORMA DE CUIDADOS. Espécies: Orquídeas Dendrobium, Oncidium (chuva de ouro); Dendrobium loddigessi Planta compacta, originária da China e região de Laos. Floresce na primavera com

Leia mais

Mercado deverá crescer 6,24%, em relação ao mesmo período do ano passado

Mercado deverá crescer 6,24%, em relação ao mesmo período do ano passado PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O NATAL E FESTAS DE FINAL DE ANO DE 2014 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria Inteligência

Leia mais

Manejo dos Polinizadores e Polinização de flores do Maracujazeiro

Manejo dos Polinizadores e Polinização de flores do Maracujazeiro Manejo dos Polinizadores e Polinização de flores do Maracujazeiro cláudia inês da silva paola marchi kátia paula aleixo bruno nunes-silva breno magalhães freitas carlos alberto garófalo vera lucia imperatriz-fonseca

Leia mais

A ÁRVORE DO BETO. ILUSTRAÇÕES Mariana Massarani

A ÁRVORE DO BETO. ILUSTRAÇÕES Mariana Massarani Você sabe plantar uma árvore? Então venha se divertir ainda mais com Catapimba e sua turma! A ÁRVORE DO BETO Brincadeiras ILUSTRAÇÕES Mariana Massarani 1 Assim como o Beto, todos nós temos desejos que

Leia mais

SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1

SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1 SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 2 Limpeza: 2 CUIDADOS DO JARDIM NO OUTONO 2 Limpeza: 2 Adubação:

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS Intituição: Embrapa Cerrados / Centro de Pesquisa Agropecuária do Projeto: IV Reunião Técnica de Pesquisas em Maracujazeiro Responsável:

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015 Hórtica Consultoria Neste sábado do Carnaval de 2015, 14 de fevereiro, comemora-se em boa parte do mundo especialmente nos Estados Unidos da

Leia mais

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA PROPAGAÇÃO VEGETATIVA A VIOLETA AFRICANA (Saintpaulia) O gênero Saintpaulia conta com 6 espécies, denominadas habitualmente violetas africanas em homenagem ao barão Walter von Saint Paul St Claire, quem

Leia mais

- MONTE PARQUES UA,, S.A. FORMAÇÃO JARDINAGEM SÁBADOS AOS

- MONTE PARQUES UA,, S.A. FORMAÇÃO JARDINAGEM SÁBADOS AOS PARQUES DE SINTRA INTRA - M - MONTE DA LUA UA,, S.A. FORMAÇÃO 2010 Respondendo à procura crescente de acções de formação, a Parques de Sintra disponibiliza este ano cursos sobre vários temas. Para além

Leia mais

DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: %

DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: % SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

ORQUÍDEA, a flor que virou paixão

ORQUÍDEA, a flor que virou paixão ORQUÍDEA, a flor que virou paixão Evolução das pesquisas sobre manejo e o plantio em estufas reduzem custos e popularizam esta flor 42 A Lavoura N O 692/2012!ALAV692-42-49-Floricultura-orquid.pmd 42 SXC.HU

Leia mais

Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo

Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo Os polos irrigados do Estado do Ceará são seis, conforme relacionados: Baixo

Leia mais

HORTICULTURA: FRUTICULTURA OLERICULTURA FLORICULTURA. Parte da horticultura que estuda. o cultivo de flores e de plantas ornamentais

HORTICULTURA: FRUTICULTURA OLERICULTURA FLORICULTURA. Parte da horticultura que estuda. o cultivo de flores e de plantas ornamentais FLORICULTURA FRUTICULTURA OLERICULTURA FLORICULTURA HORTICULTURA: Parte da horticultura que estuda o cultivo de flores e de plantas ornamentais CARACTERIZA-SE: POR SER ATIVIDADE AGRÍCOLA DE EXPLORAÇÃO

Leia mais

Cristian Perroni Professor: Fernando Pires Disciplina: Fotografia Ambiental Flora Ipê Amarelo /Roxo

Cristian Perroni Professor: Fernando Pires Disciplina: Fotografia Ambiental Flora Ipê Amarelo /Roxo Cristian Perroni Professor: Fernando Pires Disciplina: Fotografia Ambiental Flora Ipê Amarelo /Roxo Ipê - Amarelo Nome científico: Tabebuia pulcherrima Nomes populares: ipê-amarelo, ipê-da-praia Família:

Leia mais

GraalBio anuncia primeira planta de etanol celulósico do Hemisfério Sul

GraalBio anuncia primeira planta de etanol celulósico do Hemisfério Sul GraalBio anuncia primeira planta de etanol celulósico do Hemisfério Sul Precursora da produção do biocombustível de segunda geração no Hemisfério Sul, com planta em Alagoas, GraalBio quer se tornar referência

Leia mais

A FLORICULTURA NO DISTRITO FEDERAL

A FLORICULTURA NO DISTRITO FEDERAL A FLORICULTURA NO DISTRITO FEDERAL CLEISON MEDAS DUVAL Eng. Agrônomo M.Sc. Fitopatologia Maio/2011 Distrito Federal e RIDE Área DF : 5.801Km² Área RIDE: 50.056Km² Área total: 55.857Km² População DF : ~

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.03 16 de dezembro de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PABLIANE RAMOS LAWINSCKY

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PABLIANE RAMOS LAWINSCKY UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PABLIANE RAMOS LAWINSCKY CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA, REPRODUTIVA E FENOLÓGICA DE Passiflora alata CURTIS E Passiflora cincinnata MAST ILHÉUS-BAHIA-BRASIL JULHO de 2010

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI PROF. DR. MÁRCIO CLEBER DE MEDEIROS CORRÊA Departamento de Fitotecnia Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal do Ceará Fortaleza - CE III Simpósio

Leia mais

CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS

CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS CUIDADOS PRÉ-PLANTIO ERRADICAÇÃO DE ERVAS DANINHAS Você deve erradicar as ervas daninhas da área a ser gramada. Esta operação pode ser feita através da capina mecânica ou

Leia mais

A irrigação à noite também não é uma boa ideia porque pode deixar as folhas molhadas durante a noite um convite ao crescimento de fungos.

A irrigação à noite também não é uma boa ideia porque pode deixar as folhas molhadas durante a noite um convite ao crescimento de fungos. MANEIRAS DE ECONOMIZAR ÁGUA NA IRRIGAÇÃO: TÓPICO I: IRRIGAÇÃO PARA PAISAGISMO RESIDENCIAL. Agora vamos iniciar as maneiras de economizar água de irrigação. 1 Se você já tem um sistema instalado: 1.1. Faça

Leia mais

LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS FORRAÇÕES DISPONÍVEIS EM VIVEIROS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - GO RESUMO

LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS FORRAÇÕES DISPONÍVEIS EM VIVEIROS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - GO RESUMO LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS FORRAÇÕES DISPONÍVEIS EM VIVEIROS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - GO Patrícia Corrêa de França 1 ; Marcus Vinícius Vieitas Ramos 2 1 Mestranda em Engenharia de Sistemas Agroindustriais,

Leia mais

VII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG Câmpus Bambuí VII Jornada Científica e I Mostra de Extensão 21 a 23 de outubro de 2014

VII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG Câmpus Bambuí VII Jornada Científica e I Mostra de Extensão 21 a 23 de outubro de 2014 Plantando a Semente, Cultivando Vidas Alex Lopes Carvalho 1 ; Vagner Aparecido Vítor² Ricardo Monteiro Corrêa ³; ¹ Estudantes de Agronomia. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Bambuí MG.

Leia mais

C. D. Costa Maria do Carmo de C. D. Maria do Carmo de

C. D. Costa Maria do Carmo de C. D. Maria do Carmo de C. D. Costa Maria do Carmo de C. D. Costa ANGIOSPERMAS FAMÍLIA ARACEAE Maria do Carmo de CLASSIFICAÇÃO - ENGLER DIVISÃO ---> Angiospermae CLASSE ---> Monocotyledonae ORDEM ---> Spathiflorae FAMÍLIA --->

Leia mais

Silêncio. O silêncio do campo

Silêncio. O silêncio do campo Silêncio O silêncio do campo OS DADOS PODEM SER COMPROVADOS PELAS FOTOS QUE MOSTRAM QUE INFELISMENTE ESSA É A OS DADOS PODEM SER COMPROVADOS PELAS FOTOS QUE MOSTRAM QUE INFELISMENTE ESSA É A MOGNO AFRICANO

Leia mais

CONCURSO FREGUESIA DE BUARCOS EM FLOR MAIO 2015

CONCURSO FREGUESIA DE BUARCOS EM FLOR MAIO 2015 CONCURSO FREGUESIA DE BUARCOS EM FLOR MAIO 2015 REGULAMENTO 1 Concurso Freguesia de Buarcos em Flor 2015 A realização do concurso Freguesia de Buarcos em Flor 2015 rege-se pelas normas que a seguir se

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PLANTAS ORNAMENTAIS NATIVAS NO ASSENTAMENTO RURAL ZUMBI DOS PALMARES EM UBERLÂNDIA-MG

IDENTIFICAÇÃO DE PLANTAS ORNAMENTAIS NATIVAS NO ASSENTAMENTO RURAL ZUMBI DOS PALMARES EM UBERLÂNDIA-MG CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

EVOLUÇÃO DA FLORICULTURA NO ESTADO DE SANTA CATARINA

EVOLUÇÃO DA FLORICULTURA NO ESTADO DE SANTA CATARINA EVOLUÇÃO DA FLORICULTURA NO ESTADO DE SANTA CATARINA Marcelo Santos da Silva, Mestrando em Agroecossistemas-UFSC, Professor da Universidade Estadual de Roraima-UERR, Brasil, xmarcelo5@yahoo.com.br Evelyn

Leia mais

Eliseu Figueiredo Neto

Eliseu Figueiredo Neto Eliseu Figueiredo Neto 1 O QUE É UM JARDIM Tirado do dicionário on line: http://www.dicio.com.br/jardim/ s.m. Espaço ordinariamente fechado, onde se cultivam árvores, flores, plantas de ornato. Jardim

Leia mais

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES Nome: Data: / / 2015 ENSINO FUNDAMENTAL Visto: Disciplina: Natureza e Cultura Ano: 1º Lista de Exercícios de VC Nota: BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES QUANDO OS PORTUGUESES CHEGARAM AO BRASIL, COMANDADOS

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE JARDINS BOTÂNICOS. Documento Colaborativo Oficial para Criação e Implantação de Jardins Botânicos CONTEÚDO 1.

REDE BRASILEIRA DE JARDINS BOTÂNICOS. Documento Colaborativo Oficial para Criação e Implantação de Jardins Botânicos CONTEÚDO 1. REDE BRASILEIRA DE JARDINS BOTÂNICOS CONTEÚDO 1. APRESENTAÇÃO 2. DEFINIÇÃO DE JARDIM BOTÂNICO 3. OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DOS JARDINS BOTÂNICOS BRASILEIROS 4. O PAPEL DOS JARDINS BOTÂNICOS 5. CONTEXTO 6.

Leia mais

Comunicação. As flores da Bahia

Comunicação. As flores da Bahia As flores da Bahia Andréa Mendes Sampaio Scherer* O mercado de flores O mercado de flores movimenta hoje algo em torno de US$ 64 bilhões por ano. Dois terços dele pertencem à Holanda. Apesar de crescente,

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB13.02 16 de dezembro de 2013 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria- Inteligência de

Leia mais

MELHORAMENTO DO MARACUJAZEIRO-AZEDO (Passiflora edulis Sims) VISANDO À RESISTÊNCIA AO Cowpea aphid-borne mosaic virus

MELHORAMENTO DO MARACUJAZEIRO-AZEDO (Passiflora edulis Sims) VISANDO À RESISTÊNCIA AO Cowpea aphid-borne mosaic virus MELHORAMENTO DO MARACUJAZEIRO-AZEDO (Passiflora edulis Sims) VISANDO À RESISTÊNCIA AO Cowpea aphid-borne mosaic virus EILEEN AZEVEDO SANTOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO UENF

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 73 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O plantio de algodão

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA CASA VIZINHA

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.01 9 de abril de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 6 Figuras Figura 1. Adoção da

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU CARACTERIZAÇÃO DA VARIABILIDADE MORFOAGRONÔMICA DE MARACUJAZEIRO (Passiflora cincinnata Mast.)

Leia mais

PROJETO OLIVOPAMPA. Olivicultura Brasileira. Fernando Rotondo Sant Ana do Livramento Agosto 2009

PROJETO OLIVOPAMPA. Olivicultura Brasileira. Fernando Rotondo Sant Ana do Livramento Agosto 2009 PROJETO OLIVOPAMPA Olivicultura Brasileira Fernando Rotondo Sant Ana do Livramento Agosto 2009 Áreas de Atuação OlivoPampa Produção e venda de mudas de oliveiras; Produção de azeitonas de mesa; Processamento

Leia mais

Vive aonde piou o inhambu Na floresta serrana de Minas. E ao norte, em selvagens colinas, Nas paragens do Uirapuru.

Vive aonde piou o inhambu Na floresta serrana de Minas. E ao norte, em selvagens colinas, Nas paragens do Uirapuru. Desde o verde Brasil tropical Prosperou bela flor secular. Cuja espécie ousou propagar Acudindo ao reino animal. Vive aonde piou o inhambu Na floresta serrana de Minas. E ao norte, em selvagens colinas,

Leia mais

UMA PEREGRINAÇÃO AOS SANTUÁRIOS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

UMA PEREGRINAÇÃO AOS SANTUÁRIOS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS UMA PEREGRINAÇÃO AOS SANTUÁRIOS DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS por Sri Daya Mata S E L F R E A L I Z A T I O N F E L L O W S H I P Fundada em 1920 por Paramahansa Yogananda Sri Daya Mata, Presidente UMA PEREGRINAÇÃO

Leia mais

Cenário atual da Pesquisa Nacional de Flores e Plantas Ornamentais, Estruturação da Rede de PD&I

Cenário atual da Pesquisa Nacional de Flores e Plantas Ornamentais, Estruturação da Rede de PD&I Cenário atual da Pesquisa Nacional de Flores e Plantas Ornamentais, Estruturação da Rede de PD&I CARLOS EDUARDO FERREIRA DE CASTRO ASSISTENTE TÉCNICO DE DIREÇÃO CCASTRO@IAC.SP.GOV.BR 13/05/2015 Instituto

Leia mais

CRESCIMENTO DE PLANTAS ORNAMENTAIS EM SOLOS CONTAMINADOS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA/PA.

CRESCIMENTO DE PLANTAS ORNAMENTAIS EM SOLOS CONTAMINADOS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA/PA. CRESCIMENTO DE PLANTAS ORNAMENTAIS EM SOLOS CONTAMINADOS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA/PA. Maria da Glória Gonçalves Luz Instituto Federal do Pará-IFPA, Acadêmica do curso de Tecnologia

Leia mais

ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS

ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS O foco do trabalho com conhecimentos o é o aluno entender a sociedade em que vive. Assim,

Leia mais

CONSULTORIA TÉCNICA EM ÁREAS VERDES DOMÉSTICAS URBANAS

CONSULTORIA TÉCNICA EM ÁREAS VERDES DOMÉSTICAS URBANAS CONSULTORIA TÉCNICA EM ÁREAS VERDES DOMÉSTICAS URBANAS NUNES, Marcelo; Nunes, Bárbara Faria; BERNARDES, Laryssa Moreira; COELHO, Tamylla Rodrigues; FERRARI, Juliana Marques; AGUIAR, Lorrana Campos de Oliveira;

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr.

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr. DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS Prof. Olayr Modesto Jr. INTRODUÇÃO A domesticação é um processo evolucionário conduzido pelo homem visando adaptar plantas e animais às necessidades humanas. Plantas

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION LIÇÕES DE PORTUGUÊS E HISTÓRIA / 4º ano Semana de 24 a 28 de agosto Troca do livro 4º A 4º B 4º C sexta-feira terça-feira quinta-feira Leia o texto abaixo para responder as

Leia mais

Presença indesejável no Brasil

Presença indesejável no Brasil Presença indesejável no Brasil Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos mosca-branca (Bemisia argentifolii) é uma velha conhecida da comunidade científica. Os problemas que causa à agricultura

Leia mais

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo:

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo: Honestidade Honestidade Esta é a qualidade de honesto. Ser digno de confiança, justo, decente, consciencioso, sério. Ser honesto significa ser honrado, ter um comportamento moralmente irrepreensível. Quando

Leia mais

Utilidades do 3dsMax na Arquitetura

Utilidades do 3dsMax na Arquitetura 3ds- Max 2009 Autodesk Utilidades do 3dsMax na Arquitetura ARQUITETURA PERSPECTIVAS INTERNAS & EXTERNAS Índice Autocad e 3ds Max são amigos...01 Autocad e 3ds Max são amigos II...02 Melhore a experiência

Leia mais

População e Povoamento

População e Povoamento Prof. Sandra Custódio L/O/G/O População e Povoamento 8.º ano de escolaridade Resumo 1 Distribuição da população 2 Fatores naturais 3 Fatores humanos 4 Focos populacionais / Vazios humanos Distribuição

Leia mais

ESTUDO DE CASO. São Paulo, novembro de 2009

ESTUDO DE CASO. São Paulo, novembro de 2009 ESTUDO DE CASO São Paulo, novembro de 2009 O PROJETO PATRIMÔNIO DO CARMO Local: residência em condomínio fechado em São Roque / SP Área: 2.700 m² (que se unem às áreas de reserva, comuns a todos os condôminos)

Leia mais

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso Água do Espírito De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso EXISTE O DEUS PODEROSO QUE DESFAZ TODO LAÇO DO MAL QUEBRA A LANÇA E LIBERTA O CATIVO ELE MESMO ASSIM FARÁ JESUS RIO DE ÁGUAS LIMPAS QUE NASCE

Leia mais

etanol e bioeletricidade!!). Ora a cana de açúcar se presta a ambas as tecnologias mencionadas. Ao converter açúcar em etanol, nas dornas de

etanol e bioeletricidade!!). Ora a cana de açúcar se presta a ambas as tecnologias mencionadas. Ao converter açúcar em etanol, nas dornas de Comentários sobre o Resumo do Segundo Seminário Internacional sobre Uso Eficiente do Etanol, realizado nos dias 17 e 18 de setembro de 2015, no Auditório do BNDES, Rio de Janeiro, RJ, organizado pelo INEE.

Leia mais

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Autor: Paulo Vitor Tavares, Ms. Palavras-chave: EAD, Televisão, Videoaula, IFSC.

Leia mais

Projeto de cromoterapia para Quarto de Estudos Baseado em informações oferecidas e confirmadas pelo cliente. Observação: o amarelo deve ser aplicado

Projeto de cromoterapia para Quarto de Estudos Baseado em informações oferecidas e confirmadas pelo cliente. Observação: o amarelo deve ser aplicado Projeto de cromoterapia para Quarto de Estudos Baseado em informações oferecidas e confirmadas pelo cliente. Observação: o amarelo deve ser aplicado em tonalidades claras, lembramos que no momento da aplicação

Leia mais

Quando você escolhe certo, sua família é quem comemora.

Quando você escolhe certo, sua família é quem comemora. Quando você escolhe certo, sua família é quem comemora. Bem-estar, ótima localização, lazer e segurança: bem-vindo ao seu futuro endereço. escolha VIVER BEM COM A SUA FAMÍLIA. Perspectiva ilustrada do

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DE ESPÉCIES SILVESTRES DE PASSIFLORA VIA ANÁLISE MEIÓTICA E CONTEÚDO 2C DNA

CARACTERIZAÇÃO DE ESPÉCIES SILVESTRES DE PASSIFLORA VIA ANÁLISE MEIÓTICA E CONTEÚDO 2C DNA CARACTERIZAÇÃO DE ESPÉCIES SILVESTRES DE PASSIFLORA VIA ANÁLISE MEIÓTICA E CONTEÚDO 2C DNA INGRID GASPAR DA COSTA GERONIMO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO UENF CAMPOS DOS GOYTACAZES

Leia mais

II ENCONTRO DE ESTUDOS DA CADEIA PRODUTIVA DA FLORICULTURA TROPICAL DO PIAUÍ II CARTA FLORICULTURA TROPICAL

II ENCONTRO DE ESTUDOS DA CADEIA PRODUTIVA DA FLORICULTURA TROPICAL DO PIAUÍ II CARTA FLORICULTURA TROPICAL 1 APRESENTAÇÃO Após alguns anos atuando no segmento da Floricultura no Estado do Piauí, instituições públicas, privadas e produtores(as) do setor já têm o que comemorar. Em 2008, foram feitos e apresentados

Leia mais

Plantas do Estado de São Paulo ameaçadas de extinção cultivadas no Jardim Botânico de São Paulo

Plantas do Estado de São Paulo ameaçadas de extinção cultivadas no Jardim Botânico de São Paulo Plantas do Estado de São Paulo ameaçadas de extinção cultivadas no Jardim Botânico de São Paulo Trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Pesquisa em Educação para Conservação Fonte: INSTITUTO DE BOTÂNICA/SECRETARIA

Leia mais

Arborização no contexto do planejamento urbano

Arborização no contexto do planejamento urbano Arborização no contexto do planejamento urbano Eng. Florestal Edinilson dos Santos Prefeitura de Belo Horizonte Dr. Edinilson dos Santos Araçuaí - MG, 20 de maio de 2015 Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

JARDINAGEM PRÁTICA TÉCNICAS DE PROPAGAÇÃO

JARDINAGEM PRÁTICA TÉCNICAS DE PROPAGAÇÃO 50 TÉCNICAS DE PROPAGAÇÃO Uma das atividades mais prazerosas da jardinagem é a duplicação das plantas. As plantas se reproduzdem de duas maneiras - sexuada com geração de sementes e assexuada ou vegetativa,

Leia mais

Prof. Dr. Leandro Machado Rocha Laboratório de Tecnologia de Produtos Naturais Faculdade de Farmácia UFF

Prof. Dr. Leandro Machado Rocha Laboratório de Tecnologia de Produtos Naturais Faculdade de Farmácia UFF Prof. Dr. Leandro Machado Rocha Laboratório de Tecnologia de Produtos Naturais Faculdade de Farmácia UFF R. Mário Viana 523 Santa Rosa - Niterói - R.J. E-mail: lean@vm.uff.br BIOMAS DO BRASIL Biomas são

Leia mais

FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber. Ipê Amarelo

FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber. Ipê Amarelo FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber Ipê Amarelo Fatores que influenciam na distribuição das formações vegetais: Clima 1. Temperatura; 2. Umidade; 3. Massas de ar; 4. Incidência

Leia mais

Floricultura e Plantas Ornamentais. Dr. Paulo Hercílio Viegas Rodrigues

Floricultura e Plantas Ornamentais. Dr. Paulo Hercílio Viegas Rodrigues Produção de Rosas Floricultura e Plantas Ornamentais Dr. Paulo Hercílio Viegas Rodrigues Produção de Rosas 1.Áreas Produtoras e seus Produtos em ha Rosas Gipsofila Crisântemo São Paulo 950 180 250 Minas

Leia mais

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha Os Grandes Biomas Terrestres PROF Thiago Rocha Bioma: Uma comunidade de plantas e animais, com formas de vida e condições ambientais semelhantes. (Clements, 1916) Florestas tropicais A área de ocorrência

Leia mais

Cartilha dos Canteiros coletivos. Manual Básico de Intervenção Urbana

Cartilha dos Canteiros coletivos. Manual Básico de Intervenção Urbana Cartilha dos Canteiros coletivos Manual Básico de Intervenção Urbana UM SONHO COLETIVO Em fevereiro de 2012, um grupo de moradores de Salvador cria o movimento Canteiros Coletivos com o objetivo de recuperar

Leia mais

Clarissa é uma mulher apaixonada pela beleza e sua Sala de Estar. não poderia deixar de ser um local onde fotos e quadros de arte

Clarissa é uma mulher apaixonada pela beleza e sua Sala de Estar. não poderia deixar de ser um local onde fotos e quadros de arte Clarissa é uma mulher apaixonada pela beleza e sua Sala de Estar não poderia deixar de ser um local onde fotos e quadros de arte estivessem presentes. A Sala de Estar de Clarissa, vamos entrar? sala de

Leia mais

Como Vemos as Coisas? Uma proposta para o ensino de Óptica e Visão no Ensino Fundamental

Como Vemos as Coisas? Uma proposta para o ensino de Óptica e Visão no Ensino Fundamental Como Vemos as Coisas? Uma proposta para o ensino de Óptica e Visão no Ensino Fundamental Valéria Rangel Soares Uma pergunta antiga que desde a Antiguidade despertou a curiosidade do homem. Como Vemos as

Leia mais

PAISAGISMO PARQUES E JARDINS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

PAISAGISMO PARQUES E JARDINS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto PAISAGISMO PARQUES E JARDINS Prof. Eliseu Figueiredo Neto 1 CONCEITOS PAISAGEM Refere-se ao espaço de terreno abrangido em um lance de vista, ou extensão territorial a partir de um ponto determinado. 2

Leia mais

Geada. Tipos de Geada. Quanto à sua formação. Geada de advecção ou de vento frio:

Geada. Tipos de Geada. Quanto à sua formação. Geada de advecção ou de vento frio: Geada Do ponto de vista meteorológico, geada é quando há deposição de gelo sobre as superfícies expostas ao relento em noites de intenso resfriamento. Neste caso, temperatura de 0 o C é o suficiente para

Leia mais

02- Agrupamento de estrelas que juntas formam figuras imaginárias. R.: 03- Ciência que estudo os corpos celestes. R.:

02- Agrupamento de estrelas que juntas formam figuras imaginárias. R.: 03- Ciência que estudo os corpos celestes. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 5º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== De acordo com as dicas, responda: 01- Foi

Leia mais

O Pequeno Mundo de Maria Lúcia

O Pequeno Mundo de Maria Lúcia Eric Ponty O Pequeno Mundo de Maria Lúcia Pinturas de Fernando Campos [2005] Virtual Book s Numa noite de outubro a pequena Maria Lúcia viu o azul do céu escuro da tarde um homem andando de bicicleta.

Leia mais

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno,

Oficina de CNII/EF Material do Aluno. Tema: Sistema Solar. Prezado Aluno, Tema: Sistema Solar Prezado Aluno, Nesta oficina, você desenvolverá atividades que abordam a constituição do Sistema Solar, os movimentos dos astros, os fenômenos celestes e sua relação com o planeta Terra.

Leia mais

JUQUEHY S I N G U L A R, C O M O V O C Ê.

JUQUEHY S I N G U L A R, C O M O V O C Ê. JUQUEHY S I N G U L A R, C O M O V O C Ê. Foto do local FRONT BEACH JUQUEHY. UM BRINDE AO SEU MELHOR MOMENTO. Contemplar o mar, o nascer e o pôr do sol. Sentir a brisa do oceano tocar o seu corpo. Pisar

Leia mais

Ecologia da Polinização

Ecologia da Polinização Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia Programa de Pós- Graduação em Ecologia e Biomonitoramento Patrícia Ferreira Salvador Setembro/Outubro 2007 Fenologia Fases Reprodutivas Fase Vegetativa

Leia mais

ATIVIDADE AGRÍCOLA - UVA

ATIVIDADE AGRÍCOLA - UVA CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA CURSO DE CIÊNCIAS CONTABÉIS CONTABILIDADE DE AGRONEGOCIOS LARISSA COSTA PEREITA MILAGRES MAIRA APARECIDA DE OLIVEIRA RAPHAEL DINIZ MELO ATIVIDADE AGRÍCOLA - UVA BELO HORIZONTE

Leia mais

HISTÓRIA DO PAISAGISMO

HISTÓRIA DO PAISAGISMO 1 EMENTA Introdução. Aspectos relacionados ao mercado de flores no Brasil; métodos de propagação de flores e plantas ornamentais. Cultivo de flores de corte e vaso (gladíolo, crisântemo, violeta, rosa,

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DAS PLANTAS CULTIVADAS

DOMESTICAÇÃO DAS PLANTAS CULTIVADAS DOMESTICAÇÃO DAS 2 PLANTAS CULTIVADAS INTRODUÇÃO A domesticação é um processo evolucionário conduzido pelo homem visando adaptar plantas e animais às necessidades humanas. Plantas domesticadas são geneticamente

Leia mais

Paula Daniel Fogaça (Identificação das árvores e fotos) Camila Pianca (Coordenação do projeto) Complemento das informações do georreferenciamento de

Paula Daniel Fogaça (Identificação das árvores e fotos) Camila Pianca (Coordenação do projeto) Complemento das informações do georreferenciamento de Paula Daniel Fogaça (Identificação das árvores e fotos) Camila Pianca (Coordenação do projeto) Complemento das informações do georreferenciamento de árvores presentes nas trilhas no Parque do Zizo. Janeiro

Leia mais

Estudo do Hino Nacional. Salve! Salve!

Estudo do Hino Nacional. Salve! Salve! Estudo do Hino Nacional Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante E o sol da liberdade em raios fúlgidos, Brilhou no céu da Pátria nesse instante. Se o penhor dessa

Leia mais

A interdependência entre os elementos na BIOSFERA.

A interdependência entre os elementos na BIOSFERA. A interdependência entre os elementos na BIOSFERA. A biosfera contém inúmeros ecossistemas (conjunto formado pelos animais e vegetais em harmonia com os outros elementos naturais). Biomas: conjuntos dinâmicos

Leia mais

CONHEÇA UMA NOVA FONTE DE QUALIDADE DE VIDA. UM CONDOMÍNIO CLUBE PERFEITO PARA VOCÊ E SUA FAMÍLIA.

CONHEÇA UMA NOVA FONTE DE QUALIDADE DE VIDA. UM CONDOMÍNIO CLUBE PERFEITO PARA VOCÊ E SUA FAMÍLIA. Desde que foram criadas, as fontes sempre tiveram o mesmo papel dentro da sociedade. Ao levar beleza e frescor para as cidades, não demorou para se transformarem em verdadeiros pontos de encontro. No Rio

Leia mais

I. OBJETIVO II. AMOSTRA VIVA

I. OBJETIVO II. AMOSTRA VIVA ANEXO I INSTRUÇÕES PARA A EXECUÇÃO DOS ENSAIOS DE DISTINGUIBILIDADE, HOMOGENEIDADE E ESTABILIDADE DE CULTIVARES DE ORQUÍDEA DO GÊNERO DENDROBIUM (Dendrobium Sw.) PERTENCENTES ÀS SEÇÕES Brachyanthe, Callista,

Leia mais

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída.

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. PROJETO RFU 1. Tema Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. 2. Contexto Casal com uma filha que moram na cidade e tem uma chácara para lazer.

Leia mais

Aula 3 de 4 Versão Aluno

Aula 3 de 4 Versão Aluno Aula 3 de 4 Versão Aluno As Comunidades Indígenas Agora vamos conhecer um pouco das características naturais que atraíram essas diferentes ocupações humanas ao longo dos séculos para a Região da Bacia

Leia mais

PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches

PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches Resumo O presente projeto foi desenvolvido pelas professoras, com crianças de dois a três anos

Leia mais

Capítulo XV Custos e Rentabilidade

Capítulo XV Custos e Rentabilidade Capítulo XV Custos e Rentabilidade Marcelo do Amaral Santana Clóvis Oliveira de Almeida José da Silva Souza As estimativas de custos de produção e de rentabilidade para uma cultura podem proporcionar informações

Leia mais

1º Lugar CONCURSO JOGOS FLORAIS 2009. Poesia Subordinada a Mote

1º Lugar CONCURSO JOGOS FLORAIS 2009. Poesia Subordinada a Mote CORTEJO DIVINO I As ruas são um jardim E na festa mais singela, Ao abrir duma janela, Um perfume de alecrim. Gentes que mostram assim, Que o Mundo tem mais valor E, em traços de pintor, Há quem pinte bem

Leia mais

Cultura do algodoeiro (Gossypium ssp.)

Cultura do algodoeiro (Gossypium ssp.) Cultura do algodoeiro (Gossypium ssp.) Março de 2013 Originário da Ìndia Origem e histórico O algodoeiro americano teria sua origem no México e no Peru Em 1576, os índio usavam a pluma para fazer cama

Leia mais

ARTIGO. Morfologia polínica de Passifloraceae Juss. ex Kunth. no Rio Grande do Sul, Brasil

ARTIGO. Morfologia polínica de Passifloraceae Juss. ex Kunth. no Rio Grande do Sul, Brasil Revista Brasileira de Biociências Brazilian Journal of Biosciences ARTIGO Instituto de Biociências UFRGS ISSN 1980-4849 (on-line) / 1679-2343 (print) Morfologia polínica de Passifloraceae Juss. ex Kunth.

Leia mais

Fruticultura. A Cultura do Abacaxi. Nome Cultura do Abacaxi Produto Informação Tecnológica Data Setembro - 2000 Preço - Linha Fruticultura Resenha

Fruticultura. A Cultura do Abacaxi. Nome Cultura do Abacaxi Produto Informação Tecnológica Data Setembro - 2000 Preço - Linha Fruticultura Resenha 1 7 10/16/aaaa 11:31 Fruticultura A Cultura do Abacaxi Nome Cultura do Abacaxi Produto Informação Tecnológica Data Setembro - 2000 Preço - Linha Fruticultura Resenha Informações resumidas sobre a Cultura

Leia mais

Ex.: A B C D E 2 Boa Sorte! TESTE -1ªEliminatória

Ex.: A B C D E 2 Boa Sorte! TESTE -1ªEliminatória Este teste é constituído por 20 questões que abordam diversas temáticas da Biologia. Lê-as atentamente e seleciona a opção correta unicamente na Folha de Respostas, marcando-a com um X no quadrado respetivo.

Leia mais