Problemas e perspectivas do maracujá ornamental

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Problemas e perspectivas do maracujá ornamental"

Transcrição

1 E assim tão de repente a noite se fez dia. A vida acordou muito alegre e humorada nesta manhã festiva e tão ensolarada, De um maracujá mimosa flor se abria. No céu espessas nuvens soberbas flutuavam Como quem embala a jovem flor mais bela. Da terra as palmeiras suas folhas balançavam Declarando amor tão fraternal a ela.

2 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental Mauro Peixoto Introdução O gênero Passiflora, apesar de seu imenso potencial ornamental, com dezenas de espécies se prestando a esse fim, é praticamente ignorado pelos nossos paisagistas e também pelo público em geral. Países do hemisfério norte, com o clima bem menos favorável que o nosso, perceberam há mais de um século que poderiam fazer dele um elemento de decoração e também de renda para os seus produtores. Hoje em dia, é comum se avistar, nas seções de jardinagem de supermercados europeus e norte-americanos, diversas variedades de maracujá ornamental, tanto espécies, notadamente clones selecionados de Passiflora caerulea L. e P. incarnata L. quanto numerosos híbridos artificiais. Breve histórico do uso do maracujá como planta ornamental O cultivo como planta ornamental em casas de vegetação remonta ao século XVII, na Europa, por volta de 1625, com as Passiflora caerulea L. e P. incarnata L. A planta foi enviada para o velho mundo envolvida na aura mística criada pelos jesuítas que a usavam para auxiliar na catequização dos índios como símbolo da Paixão de Cristo. Toda a planta era usada para esse fim, desde as folhas trilobadas que representariam as lanças dos soldados até as 5 anteras que eram símbolos das chagas de Cristo. 457

3 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético Por quase 200 anos, o cultivo ficou restrito às espécies, mas em 1819 Thomas Milne, da Inglaterra, conseguiu o primeiro híbrido artificial: Ele cruzou a P. racemosa. Brot com Passiflora caerulea L. obtendo assim a Passiflora Violacea, ainda hoje em cultivo. Os dias de glória declinaram com o advento das duas guerras mundiais, principalmente, devido ao alto custo de manutenção das casas de vegetação, durante o inverno, e muitas espécies e híbridos foram perdidos, somente sendo reintroduzidos no cultivo recentemente como o caso da Passiflora kermesina Link & Otto que foi perdida na segunda guerra mundial e devolvida ao cultivo no final dos anos 90. Situação atual no Brasil e no mundo Pode-se dizer, com pequena margem de erro, que é virtualmente inexistente o uso no Brasil do maracujá com a finalidade exclusiva de ornamentação. O que vemos esporadicamente no Sudeste é o uso misto do maracujá-doce - Passiflora alata Dryand. e mais raramente do maracujá-azedo Passiflora edulis Sims. Em pérgulas ou cercas para aproveitar os frutos e ter como bônus uma bela e perfumada flor. Na Região Norte, a Passiflora coccinea Aubl. substitui a Passiflora alata. Dryand e, no Nordeste, usa-se a Passiflora cincinatta Mast. Passiflora coccinea Aubl. 458

4 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental No hemisfério norte, a situação se inverte. Lá o maracujá é ornamental por definição e não existe a preocupação com os frutos que, por sua vez, são raros devido ao cultivo de um único clone de cada espécie ou variedade híbrida. Desde a Passiflora Violacea, já se produziram e registraram mais de 400 híbridos com a finalidade de gerar flores para todos os gostos e ambientes. Atualmente, um dos maiores pólos de produção de híbridos fica na Alemanha e o Dr. Roland Fischer é um dos expoentes, fazendo melhoramento genético e induzindo plantas à tetraploidia, conseguindo, assim, flores maiores e mais vistosas em plantas adaptadas ao cultivo em vasos. Foto: Dr. Roland Fischer Perspectivas Passiflora Jara Devido ao nosso clima extremamente favorável, grande parte das mais de 500 espécies e 400 híbridos registrados se prestam ao cultivo ornamental, seja como soluções paisagísticas para áreas grandes e médias, seja como plantas para vaso que são usadas em varandas ou dentro de casa. 459

5 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético Em lugares que necessitam de grande massa foliar, como para a cobertura de um barranco exposto ao sol, poder-se-á usar a P. malacophylla Mast, P. Cordelia (P. coccinea Aubl. x P. vitifolia H.B. & K.), P. Lady Margret (P. coccinea Albl. x P. incarnata Linn). Se o lugar for sombreado é possível usar a P. amethystina Mikan para esse fim. Passiflora Lady Margret Para uma pérgula ao sol, as P. seemannii Griseb., P. actinia Hook, P. sidaefolia M. Roem, P. serrulata Jacq., P. triloba, Ruiz & Pav. Ex DC são ótimas escolhas, pois todas têm flores pendentes, vistosas e perfumadas. P. triloba, Ruiz & Pav. Ex DC Passiflora seemanii Griseb 460

6 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental Caso ela esteja situada em lugar à meia sombra, a P. racemosa Brot. é imbatível, com seus lindos cachos de flores que se abrem sucessivamente por um longo período de tempo. Passiflora racemosa Brot. Se a intenção for uma cerca viva separando ambientes, pode-se usar as P. sanguinolenta Mast & Linden, P. tulae Urb., P. auriculata H.B. & K. que possuem folhas pequenas e apresentam grande quantidade de flores abertas simultaneamente. P. auriculata H.B. & K. Passiflora sanguinolenta Mast & Linden. 461

7 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético Vasos: É perfeitamente possível cultivar praticamente todas as passifloras em vasos grandes ou médios, desde que a planta tenha um suporte adequado e se faça uma poda criteriosa para mantê-la dentro dos limites desejados. Para varandas ou lugares à meia sombra, pode-se usar a. P. racemosa Brot., ou P. kermesina Link & Otto., pois, além de a flor ser ornamental, tem também o verso das folhas avermelhado, o que a torna atrativa mesmo sem as flores. Aliás, algumas passifloras são cultivadas exatamente por causa das folhas decorativas e variegadas, como as, P. coriacea A. Rich. ou P. tricuspis Mast. Para o cultivo dentro de casa, próximo de uma janela bem iluminada, existem plantas muito compactas, porém, com flores belíssimas como a P. murucuja Linn. ou com folhas variegadas, como a P. organensis Gardn. Passiflora murucuja P. kermesina Link & Otto 462

8 Problemas e perspectivas do maracujá ornamental Problemas Os problemas são basicamente dois: 1. Problema cultural: O maracujá é visto, de maneira geral, como fruto e não como flor. Esse é um paradigma enraizado em nossa cultura e apesar de não ser difícil sua erradicação, é necessário que se faça um trabalho de conscientização sistemática pelas vias competentes. 2. Problema de cultivo: O maior empecilho para o cultivo do maracujá como planta ornamental é sua facilidade para atrair borboletas e, conseqüentemente, suas larvas que podem desfolhar uma planta em pouco tempo. O controle deve ser feito pela retirada manual das larvas ou pulverização com inseticidas, no caso de infestações graves. Conclusões O cultivo do maracujá como planta ornamental é viável tanto do ponto de vista econômico como paisagístico, necessitando apenas de divulgação que poderia ser feita por meio de revistas especializadas em jardinagem e paisagismo possibilitando assim a quebra do paradigma e constatando que o maracujá pode ser usado também para fruto e não somente apenas para fruto. Referências Bibliográficas CERVI, A. C. Passifloraceae do Brasil: estudo do gênero Passiflora L., subgênero Passiflora. Madrid: Fontqueria XLV, FISCHER, R. Hybrids and Hybridization. In: ULMER, T.; MacDOUGAL, J. M. Passiflora: passionflowers of the world. Portland: Timberpress, p VANDERPLANK, J. Passionflowers. 2th ed. London: Cassel,

9 464 Maracujá: germoplasma e melhoramento genético

É muito mais que encanto é saúde é sustento, É a mão da natureza aos mortais exibida Na condição de flor delicada e inocente.

É muito mais que encanto é saúde é sustento, É a mão da natureza aos mortais exibida Na condição de flor delicada e inocente. Cai a noite escura, e no céu estendidas, As estrelas cintilam com pele reluzente. E a flor da paixão, toda em seda vestida, Enfeita a nossa terra da aurora ao poente. Planta audaciosa e de flor colorida

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO do MARACUJÁ: Passado e Futuro" Laura Maria Molina Meletti Marta D. Soares-Scott Luís Carlos Bernacci Ilene Ribeiro da S.

MELHORAMENTO GENÉTICO do MARACUJÁ: Passado e Futuro Laura Maria Molina Meletti Marta D. Soares-Scott Luís Carlos Bernacci Ilene Ribeiro da S. MELHORAMENTO GENÉTICO do MARACUJÁ: Passado e Futuro" Laura Maria Molina Meletti Marta D. Soares-Scott Luís Carlos Bernacci Ilene Ribeiro da S. Passos SITUAÇÃO ATUAL DOS POMARES BRASIL : 1996 44.000 ha

Leia mais

Seleção Hydrangea macrophylla Magical

Seleção Hydrangea macrophylla Magical Seleção Hydrangea macrophylla Magical Magical Four Seasons Especialmente selecionadas Mudança sasonal de cor Qualidade excecional As quatro estações das Magical As Hydrangeas macrophylla Magical são um

Leia mais

A ÁRVORE DO BETO. ILUSTRAÇÕES Mariana Massarani

A ÁRVORE DO BETO. ILUSTRAÇÕES Mariana Massarani Você sabe plantar uma árvore? Então venha se divertir ainda mais com Catapimba e sua turma! A ÁRVORE DO BETO Brincadeiras ILUSTRAÇÕES Mariana Massarani 1 Assim como o Beto, todos nós temos desejos que

Leia mais

Chope na Ilha. Rústico aconchego. c a s e. Da Redação A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM

Chope na Ilha. Rústico aconchego. c a s e. Da Redação A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM c a s e Chope na Ilha Da Redação Rústico aconchego A CIDADE DE LIMEIRA, LOCALIZADA A 150 KM da capital paulista, acaba de ganhar uma casa que oferece serviços e ambientes de restaurante, choperia e estar.

Leia mais

Manejo dos Polinizadores e Polinização de flores do Maracujazeiro

Manejo dos Polinizadores e Polinização de flores do Maracujazeiro Manejo dos Polinizadores e Polinização de flores do Maracujazeiro cláudia inês da silva paola marchi kátia paula aleixo bruno nunes-silva breno magalhães freitas carlos alberto garófalo vera lucia imperatriz-fonseca

Leia mais

Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo

Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo Implantação de unidades de observação para avaliação técnica de culturas de clima temperado e tropical no estado do Ceará Resumo Os polos irrigados do Estado do Ceará são seis, conforme relacionados: Baixo

Leia mais

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA PROPAGAÇÃO VEGETATIVA A VIOLETA AFRICANA (Saintpaulia) O gênero Saintpaulia conta com 6 espécies, denominadas habitualmente violetas africanas em homenagem ao barão Walter von Saint Paul St Claire, quem

Leia mais

RELAÇÃO DE PLANTAS E FORMA DE CUIDADOS. Espécies: Orquídeas Dendrobium, Oncidium (chuva de ouro); Dendrobium loddigessi

RELAÇÃO DE PLANTAS E FORMA DE CUIDADOS. Espécies: Orquídeas Dendrobium, Oncidium (chuva de ouro); Dendrobium loddigessi RELAÇÃO DE PLANTAS E FORMA DE CUIDADOS. Espécies: Orquídeas Dendrobium, Oncidium (chuva de ouro); Dendrobium loddigessi Planta compacta, originária da China e região de Laos. Floresce na primavera com

Leia mais

SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1

SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1 SUMÁRIO CUIDADOS DO JARDIM NO VERÃO 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 1 CUIDADOS DO JARDIM NA PRIMAVERA 1 Adubação: 1 Irrigação: 1 Poda: 2 Limpeza: 2 CUIDADOS DO JARDIM NO OUTONO 2 Limpeza: 2 Adubação:

Leia mais

Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas

Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas Manual Completo Como Cuidar de Orquídeas Descubra os Segredos das Orquídeas de Exposição! Autor Alberto Schuman Edição atualizada Todos os direitos reservados, esta cópia é de uso pessoal. É proibida a

Leia mais

PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches

PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches PLANTIO DE FLORES Profas Joilza Batista Souza, Isilda Sancho da Costa Ladeira e Andréia Blotta Pejon Sanches Resumo O presente projeto foi desenvolvido pelas professoras, com crianças de dois a três anos

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS

RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS RELATÓRIO TÉCNICO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DE APOIO À REALIZAÇÃO DE EVENTOS Intituição: Embrapa Cerrados / Centro de Pesquisa Agropecuária do Projeto: IV Reunião Técnica de Pesquisas em Maracujazeiro Responsável:

Leia mais

DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: %

DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: % SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015 Hórtica Consultoria Neste sábado do Carnaval de 2015, 14 de fevereiro, comemora-se em boa parte do mundo especialmente nos Estados Unidos da

Leia mais

Mercado deverá crescer 6,24%, em relação ao mesmo período do ano passado

Mercado deverá crescer 6,24%, em relação ao mesmo período do ano passado PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O NATAL E FESTAS DE FINAL DE ANO DE 2014 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria Inteligência

Leia mais

CONCURSO FREGUESIA DE BUARCOS EM FLOR MAIO 2015

CONCURSO FREGUESIA DE BUARCOS EM FLOR MAIO 2015 CONCURSO FREGUESIA DE BUARCOS EM FLOR MAIO 2015 REGULAMENTO 1 Concurso Freguesia de Buarcos em Flor 2015 A realização do concurso Freguesia de Buarcos em Flor 2015 rege-se pelas normas que a seguir se

Leia mais

HORTICULTURA: FRUTICULTURA OLERICULTURA FLORICULTURA. Parte da horticultura que estuda. o cultivo de flores e de plantas ornamentais

HORTICULTURA: FRUTICULTURA OLERICULTURA FLORICULTURA. Parte da horticultura que estuda. o cultivo de flores e de plantas ornamentais FLORICULTURA FRUTICULTURA OLERICULTURA FLORICULTURA HORTICULTURA: Parte da horticultura que estuda o cultivo de flores e de plantas ornamentais CARACTERIZA-SE: POR SER ATIVIDADE AGRÍCOLA DE EXPLORAÇÃO

Leia mais

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES Nome: Data: / / 2015 ENSINO FUNDAMENTAL Visto: Disciplina: Natureza e Cultura Ano: 1º Lista de Exercícios de VC Nota: BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES QUANDO OS PORTUGUESES CHEGARAM AO BRASIL, COMANDADOS

Leia mais

Cristian Perroni Professor: Fernando Pires Disciplina: Fotografia Ambiental Flora Ipê Amarelo /Roxo

Cristian Perroni Professor: Fernando Pires Disciplina: Fotografia Ambiental Flora Ipê Amarelo /Roxo Cristian Perroni Professor: Fernando Pires Disciplina: Fotografia Ambiental Flora Ipê Amarelo /Roxo Ipê - Amarelo Nome científico: Tabebuia pulcherrima Nomes populares: ipê-amarelo, ipê-da-praia Família:

Leia mais

ORQUÍDEA, a flor que virou paixão

ORQUÍDEA, a flor que virou paixão ORQUÍDEA, a flor que virou paixão Evolução das pesquisas sobre manejo e o plantio em estufas reduzem custos e popularizam esta flor 42 A Lavoura N O 692/2012!ALAV692-42-49-Floricultura-orquid.pmd 42 SXC.HU

Leia mais

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída.

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. PROJETO RFU 1. Tema Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. 2. Contexto Casal com uma filha que moram na cidade e tem uma chácara para lazer.

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2014

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2014 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2014 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria Nesta sexta-feira, 14

Leia mais

A irrigação à noite também não é uma boa ideia porque pode deixar as folhas molhadas durante a noite um convite ao crescimento de fungos.

A irrigação à noite também não é uma boa ideia porque pode deixar as folhas molhadas durante a noite um convite ao crescimento de fungos. MANEIRAS DE ECONOMIZAR ÁGUA NA IRRIGAÇÃO: TÓPICO I: IRRIGAÇÃO PARA PAISAGISMO RESIDENCIAL. Agora vamos iniciar as maneiras de economizar água de irrigação. 1 Se você já tem um sistema instalado: 1.1. Faça

Leia mais

LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS FORRAÇÕES DISPONÍVEIS EM VIVEIROS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - GO RESUMO

LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS FORRAÇÕES DISPONÍVEIS EM VIVEIROS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - GO RESUMO LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DAS FORRAÇÕES DISPONÍVEIS EM VIVEIROS DO MUNICÍPIO DE ANÁPOLIS - GO Patrícia Corrêa de França 1 ; Marcus Vinícius Vieitas Ramos 2 1 Mestranda em Engenharia de Sistemas Agroindustriais,

Leia mais

VII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG Câmpus Bambuí VII Jornada Científica e I Mostra de Extensão 21 a 23 de outubro de 2014

VII Semana de Ciência e Tecnologia IFMG Câmpus Bambuí VII Jornada Científica e I Mostra de Extensão 21 a 23 de outubro de 2014 Plantando a Semente, Cultivando Vidas Alex Lopes Carvalho 1 ; Vagner Aparecido Vítor² Ricardo Monteiro Corrêa ³; ¹ Estudantes de Agronomia. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Bambuí MG.

Leia mais

20o. Prêmio Expressão de Ecologia

20o. Prêmio Expressão de Ecologia 20o. Prêmio Expressão de Ecologia 2012-2013 Fotos: Projeto: Horta Vertical Organização: APAE de Foz do Iguaçu Página: 1/1 1. Título do projeto ambiental participante: Projeto Horta Vertical 2. Categoria

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE JARDINS BOTÂNICOS. Documento Colaborativo Oficial para Criação e Implantação de Jardins Botânicos CONTEÚDO 1.

REDE BRASILEIRA DE JARDINS BOTÂNICOS. Documento Colaborativo Oficial para Criação e Implantação de Jardins Botânicos CONTEÚDO 1. REDE BRASILEIRA DE JARDINS BOTÂNICOS CONTEÚDO 1. APRESENTAÇÃO 2. DEFINIÇÃO DE JARDIM BOTÂNICO 3. OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DOS JARDINS BOTÂNICOS BRASILEIROS 4. O PAPEL DOS JARDINS BOTÂNICOS 5. CONTEXTO 6.

Leia mais

C. D. Costa Maria do Carmo de C. D. Maria do Carmo de

C. D. Costa Maria do Carmo de C. D. Maria do Carmo de C. D. Costa Maria do Carmo de C. D. Costa ANGIOSPERMAS FAMÍLIA ARACEAE Maria do Carmo de CLASSIFICAÇÃO - ENGLER DIVISÃO ---> Angiospermae CLASSE ---> Monocotyledonae ORDEM ---> Spathiflorae FAMÍLIA --->

Leia mais

CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS

CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS CUIDADOS TÉCNICOS COM GRAMADOS CUIDADOS PRÉ-PLANTIO ERRADICAÇÃO DE ERVAS DANINHAS Você deve erradicar as ervas daninhas da área a ser gramada. Esta operação pode ser feita através da capina mecânica ou

Leia mais

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Autor: Paulo Vitor Tavares, Ms. Palavras-chave: EAD, Televisão, Videoaula, IFSC.

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PLANTAS ORNAMENTAIS NATIVAS NO ASSENTAMENTO RURAL ZUMBI DOS PALMARES EM UBERLÂNDIA-MG

IDENTIFICAÇÃO DE PLANTAS ORNAMENTAIS NATIVAS NO ASSENTAMENTO RURAL ZUMBI DOS PALMARES EM UBERLÂNDIA-MG CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

JARDINAGEM PRÁTICA TÉCNICAS DE PROPAGAÇÃO

JARDINAGEM PRÁTICA TÉCNICAS DE PROPAGAÇÃO 50 TÉCNICAS DE PROPAGAÇÃO Uma das atividades mais prazerosas da jardinagem é a duplicação das plantas. As plantas se reproduzdem de duas maneiras - sexuada com geração de sementes e assexuada ou vegetativa,

Leia mais

Representações do Corpo na Cultura Midiática

Representações do Corpo na Cultura Midiática Representações do Corpo na Cultura Midiática A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica Aluna: Juliana d Arêde Orientador: José Carlos Rodrigues Introdução A crescente procura por práticas

Leia mais

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade

DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI. III Simpósio Brasileiro sobre Nutrição de Plantas Aplicada em Sistemas de Alta Produtividade DIAGNOSE FOLIAR NAS CULTURAS DO CAJU E CAQUI PROF. DR. MÁRCIO CLEBER DE MEDEIROS CORRÊA Departamento de Fitotecnia Centro de Ciências Agrárias Universidade Federal do Ceará Fortaleza - CE III Simpósio

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DOS NAMORADOS DE 2015 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria- Inteligência de

Leia mais

Ex.: A B C D E 2 Boa Sorte! TESTE -1ªEliminatória

Ex.: A B C D E 2 Boa Sorte! TESTE -1ªEliminatória Este teste é constituído por 20 questões que abordam diversas temáticas da Biologia. Lê-as atentamente e seleciona a opção correta unicamente na Folha de Respostas, marcando-a com um X no quadrado respetivo.

Leia mais

Manual Completo Como cuidar de Peixe Betta

Manual Completo Como cuidar de Peixe Betta Manual Completo Como cuidar de Peixe Betta Conheça os Segredos Para Um Betta com Muita Saúde! Manual Completo Dedicado a todos Aqueles que Têm Muito Carinho por Bettas Autor Pedro Imperatore Todos os direitos

Leia mais

SOLUçÕES ESPORTIVAS. www.worldsports.com.br WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS

SOLUçÕES ESPORTIVAS. www.worldsports.com.br WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS SOLUçÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS SOLUÇÕES ESPORTIVAS WORLD SPORTS www.worldsports.com.br

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

CRESCIMENTO DE PLANTAS ORNAMENTAIS EM SOLOS CONTAMINADOS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA/PA.

CRESCIMENTO DE PLANTAS ORNAMENTAIS EM SOLOS CONTAMINADOS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA/PA. CRESCIMENTO DE PLANTAS ORNAMENTAIS EM SOLOS CONTAMINADOS DE ESGOTO NO MUNICÍPIO DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA/PA. Maria da Glória Gonçalves Luz Instituto Federal do Pará-IFPA, Acadêmica do curso de Tecnologia

Leia mais

A interdependência entre os elementos na BIOSFERA.

A interdependência entre os elementos na BIOSFERA. A interdependência entre os elementos na BIOSFERA. A biosfera contém inúmeros ecossistemas (conjunto formado pelos animais e vegetais em harmonia com os outros elementos naturais). Biomas: conjuntos dinâmicos

Leia mais

- MONTE PARQUES UA,, S.A. FORMAÇÃO JARDINAGEM SÁBADOS AOS

- MONTE PARQUES UA,, S.A. FORMAÇÃO JARDINAGEM SÁBADOS AOS PARQUES DE SINTRA INTRA - M - MONTE DA LUA UA,, S.A. FORMAÇÃO 2010 Respondendo à procura crescente de acções de formação, a Parques de Sintra disponibiliza este ano cursos sobre vários temas. Para além

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA CASA VIZINHA

Leia mais

Questões ambientais do Brasil

Questões ambientais do Brasil Questões ambientais do Brasil Ao longo da história do Brasil, o desmatamento esteve presente em todos os ciclos econômicos responsáveis pela construção do país, o que reduziu bastante a biodiversidade

Leia mais

A FLORICULTURA NO DISTRITO FEDERAL

A FLORICULTURA NO DISTRITO FEDERAL A FLORICULTURA NO DISTRITO FEDERAL CLEISON MEDAS DUVAL Eng. Agrônomo M.Sc. Fitopatologia Maio/2011 Distrito Federal e RIDE Área DF : 5.801Km² Área RIDE: 50.056Km² Área total: 55.857Km² População DF : ~

Leia mais

JUQUEHY S I N G U L A R, C O M O V O C Ê.

JUQUEHY S I N G U L A R, C O M O V O C Ê. JUQUEHY S I N G U L A R, C O M O V O C Ê. Foto do local FRONT BEACH JUQUEHY. UM BRINDE AO SEU MELHOR MOMENTO. Contemplar o mar, o nascer e o pôr do sol. Sentir a brisa do oceano tocar o seu corpo. Pisar

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 73 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O plantio de algodão

Leia mais

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo:

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo: Honestidade Honestidade Esta é a qualidade de honesto. Ser digno de confiança, justo, decente, consciencioso, sério. Ser honesto significa ser honrado, ter um comportamento moralmente irrepreensível. Quando

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica

A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica Departamento de Comunicação Social A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica Aluna: Juliana d Arêde Orientador: José Carlos Rodrigues Introdução A evolução de técnicas estéticas acompanha

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/pepino.htm

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/pepino.htm Página 1 de 5 Olericultura A Cultura do Pepino Nome Cultura do Pepino Produto Informação Tecnológica Data Abril - 1999 Preço - Linha Olericultura Informações gerais sobre a Resenha Cultura do Pepino Luiz

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PABLIANE RAMOS LAWINSCKY

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PABLIANE RAMOS LAWINSCKY UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PABLIANE RAMOS LAWINSCKY CARACTERIZAÇÃO MORFOLÓGICA, REPRODUTIVA E FENOLÓGICA DE Passiflora alata CURTIS E Passiflora cincinnata MAST ILHÉUS-BAHIA-BRASIL JULHO de 2010

Leia mais

02- Agrupamento de estrelas que juntas formam figuras imaginárias. R.: 03- Ciência que estudo os corpos celestes. R.:

02- Agrupamento de estrelas que juntas formam figuras imaginárias. R.: 03- Ciência que estudo os corpos celestes. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 5º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== De acordo com as dicas, responda: 01- Foi

Leia mais

ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.)... 611

ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.)... 611 ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.).... 611 ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE ROMÃ (Punica Granatum L.). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios/Apta will.takata@gmail.com narita@apta.sp.gov.br

Leia mais

ETAPAS DA CONSERVAÇÃO EX SITU DOS RECURSOS FITOGENÉTICOS.

ETAPAS DA CONSERVAÇÃO EX SITU DOS RECURSOS FITOGENÉTICOS. ETAPAS DA CONSERVAÇÃO EX SITU DOS RECURSOS FITOGENÉTICOS. 1. Introdução As etapas da conservação do germoplasma são as seguintes: 1) Aquisição do germoplasma; 2) Multiplicação prévia e armazenamento; 3)

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 12 e 18, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 O pote vazio 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Leia mais

EVOLUÇÃO DA FLORICULTURA NO ESTADO DE SANTA CATARINA

EVOLUÇÃO DA FLORICULTURA NO ESTADO DE SANTA CATARINA EVOLUÇÃO DA FLORICULTURA NO ESTADO DE SANTA CATARINA Marcelo Santos da Silva, Mestrando em Agroecossistemas-UFSC, Professor da Universidade Estadual de Roraima-UERR, Brasil, xmarcelo5@yahoo.com.br Evelyn

Leia mais

O Pequeno Mundo de Maria Lúcia

O Pequeno Mundo de Maria Lúcia Eric Ponty O Pequeno Mundo de Maria Lúcia Pinturas de Fernando Campos [2005] Virtual Book s Numa noite de outubro a pequena Maria Lúcia viu o azul do céu escuro da tarde um homem andando de bicicleta.

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr.

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr. DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS Prof. Olayr Modesto Jr. INTRODUÇÃO A domesticação é um processo evolucionário conduzido pelo homem visando adaptar plantas e animais às necessidades humanas. Plantas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRONÔMICAS CAMPUS DE BOTUCATU CARACTERIZAÇÃO DA VARIABILIDADE MORFOAGRONÔMICA DE MARACUJAZEIRO (Passiflora cincinnata Mast.)

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DAS ESPÉCIES ORNAMENTAIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ (CESUMAR), MARINGÁ, PARANÁ

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DAS ESPÉCIES ORNAMENTAIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ (CESUMAR), MARINGÁ, PARANÁ Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DAS ESPÉCIES ORNAMENTAIS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ (CESUMAR), MARINGÁ, PARANÁ Margarete

Leia mais

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Decor Store Interiores Loja de Decorações de Interiores Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Quem somos A Decor Store Interiores é uma loja que agrega em um único espaço vários itens relacionados a

Leia mais

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá c a s e Fotos: Rafael Leão Residência Por Claudia Sá Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais ATMOSFERA ACOLHEDORA PARA O DIA-A-DIA E FLEXIBILIDADE para criação de cenários para eventos distintos.

Leia mais

Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes Transgênicas de Milho 1 João Carlos Garcia 2 e Rubens Augusto de Miranda 2

Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes Transgênicas de Milho 1 João Carlos Garcia 2 e Rubens Augusto de Miranda 2 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Inovação Tecnológica e Controle de Mercado de Sementes Transgênicas de Milho 1 João Carlos Garcia 2 e Rubens Augusto

Leia mais

Geada. Tipos de Geada. Quanto à sua formação. Geada de advecção ou de vento frio:

Geada. Tipos de Geada. Quanto à sua formação. Geada de advecção ou de vento frio: Geada Do ponto de vista meteorológico, geada é quando há deposição de gelo sobre as superfícies expostas ao relento em noites de intenso resfriamento. Neste caso, temperatura de 0 o C é o suficiente para

Leia mais

O CAMINHO PARA REFLEXÃO

O CAMINHO PARA REFLEXÃO O CAMINHO PARA REFLEXÃO a 2 Semana EMPREENDER É DAR A SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A SOCIEDADE No mudo dos negócios existe a diferença visível do acomodado que nunca quer aprender a mesma coisa duas vezes e o

Leia mais

Critério de Classificação Roseira Mini Vaso.

Critério de Classificação Roseira Mini Vaso. Critério de Classificação Roseira Mini Vaso. Classificar é separar os produtos em lotes homogêneos quanto ao padrão e qualidade, caracterizados separadamente. O critério de classificação é o instrumento

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

PARQUE DA CIDADE DO PONTO DE VISTA DA VEGETAÇÃO BRASÍLIA DF - BRASIL

PARQUE DA CIDADE DO PONTO DE VISTA DA VEGETAÇÃO BRASÍLIA DF - BRASIL PARQUE DA CIDADE DO PONTO DE VISTA DA VEGETAÇÃO BRASÍLIA DF - BRASIL Autores: Leila Bueno de Oliveira¹; Eliete de Pinho Araujo¹ Afiliações: 1 - UniCEUB - Centro Universitário de Brasília 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Quando você escolhe certo, sua família é quem comemora.

Quando você escolhe certo, sua família é quem comemora. Quando você escolhe certo, sua família é quem comemora. Bem-estar, ótima localização, lazer e segurança: bem-vindo ao seu futuro endereço. escolha VIVER BEM COM A SUA FAMÍLIA. Perspectiva ilustrada do

Leia mais

maracujazeiro Guia de plantas e propágulos de

maracujazeiro Guia de plantas e propágulos de Guia de plantas e propágulos de maracujazeiro No Brasil, o maracujá-amarelo, também chamado de maracujáazedo, ocupa posição de destaque na fruticultura tropical, sobretudo na agricultura de pequeno porte.

Leia mais

Cartilha dos Canteiros coletivos. Manual Básico de Intervenção Urbana

Cartilha dos Canteiros coletivos. Manual Básico de Intervenção Urbana Cartilha dos Canteiros coletivos Manual Básico de Intervenção Urbana UM SONHO COLETIVO Em fevereiro de 2012, um grupo de moradores de Salvador cria o movimento Canteiros Coletivos com o objetivo de recuperar

Leia mais

MELHORAMENTO DE PLANTAS AUTÓGAMAS POR HIBRIDAÇÃO

MELHORAMENTO DE PLANTAS AUTÓGAMAS POR HIBRIDAÇÃO MELHORAMENTO DE PLANTAS AUTÓGAMAS POR HIBRIDAÇÃO 7 INTRODUÇÃO Vimos no capítulo anterior a utilização da seleção no melhoramento de espécies autógamas. O requisito básico para utilizarmos essa técnica

Leia mais

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia

Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Biodiversidade, Agrobiodiversidade e Agroecologia Hoje, um grande desafio para a agropecuária, principalmente em relação à inovação tecnológica, é a harmonização do setor produtivo com os princípios da

Leia mais

ESTUDO DE CASO. São Paulo, novembro de 2009

ESTUDO DE CASO. São Paulo, novembro de 2009 ESTUDO DE CASO São Paulo, novembro de 2009 O PROJETO PATRIMÔNIO DO CARMO Local: residência em condomínio fechado em São Roque / SP Área: 2.700 m² (que se unem às áreas de reserva, comuns a todos os condôminos)

Leia mais

Eliseu Figueiredo Neto

Eliseu Figueiredo Neto Eliseu Figueiredo Neto 1 O QUE É UM JARDIM Tirado do dicionário on line: http://www.dicio.com.br/jardim/ s.m. Espaço ordinariamente fechado, onde se cultivam árvores, flores, plantas de ornato. Jardim

Leia mais

Flor do Maracujá: porque é conhecida como "flor-da-paixão" Por: Rosane Volpatto

Flor do Maracujá: porque é conhecida como flor-da-paixão Por: Rosane Volpatto Flor do Maracujá: porque é conhecida como "flor-da-paixão" Por: Rosane Volpatto O maracujá é uma planta tipicamente brasileira, muito apreciada pelo sabor de seus frutos e pelo perfume de suas flores.

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA BIOCOMBUSTÍVEIS: ATRAÇÃO DE INVESIMENTOS PARA O ESTADO DO PARÁ CONTEXTO: A Agência de Desenvolvimento da Amazônia, deseja

Leia mais

II ENCONTRO DE ESTUDOS DA CADEIA PRODUTIVA DA FLORICULTURA TROPICAL DO PIAUÍ II CARTA FLORICULTURA TROPICAL

II ENCONTRO DE ESTUDOS DA CADEIA PRODUTIVA DA FLORICULTURA TROPICAL DO PIAUÍ II CARTA FLORICULTURA TROPICAL 1 APRESENTAÇÃO Após alguns anos atuando no segmento da Floricultura no Estado do Piauí, instituições públicas, privadas e produtores(as) do setor já têm o que comemorar. Em 2008, foram feitos e apresentados

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

ZONEAMENTO AGROCLIMÁTICO PARA A CULTURA DO DENDÊ (ELAEIS GUINEENSIS JACQ.)E EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO ESTADO DO TOCANTINS

ZONEAMENTO AGROCLIMÁTICO PARA A CULTURA DO DENDÊ (ELAEIS GUINEENSIS JACQ.)E EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO ESTADO DO TOCANTINS ZONEAMENTO AGROCLIMÁTICO PARA A CULTURA DO DENDÊ (ELAEIS GUINEENSIS JACQ.)E EFEITO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO ESTADO DO TOCANTINS Bruno Guimarães de Oliveira 1 ; Erich Collicchio 2 1 Aluno do Curso de

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB14.03 16 de dezembro de 2014 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA

INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA TEL +55 34 3229 1313 FAX +55 34 3229 4949 celeres@celeres.com.br celeres.com.br IB13.02 16 de dezembro de 2013 INFORMATIVO BIOTECNOLOGIA Conteúdo Análise Geral... 2 Tabelas... 5 Figuras Figura 1. Adoção

Leia mais

Ecologia da Polinização

Ecologia da Polinização Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia Programa de Pós- Graduação em Ecologia e Biomonitoramento Patrícia Ferreira Salvador Setembro/Outubro 2007 Fenologia Fases Reprodutivas Fase Vegetativa

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA BAIRRO

Leia mais

GraalBio anuncia primeira planta de etanol celulósico do Hemisfério Sul

GraalBio anuncia primeira planta de etanol celulósico do Hemisfério Sul GraalBio anuncia primeira planta de etanol celulósico do Hemisfério Sul Precursora da produção do biocombustível de segunda geração no Hemisfério Sul, com planta em Alagoas, GraalBio quer se tornar referência

Leia mais

COLÉGIO. Internacional. Escola verde Green School

COLÉGIO. Internacional. Escola verde Green School Escola verde Green School Sobre o Colégio Positivo Início das aulas: 18 de fevereiro de 2013 Lançamento oficial: 26 de março de 2013 Proposta de ensino bilíngue (português/inglês) Cerca de 350 alunos,

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DAS PLANTAS CULTIVADAS

DOMESTICAÇÃO DAS PLANTAS CULTIVADAS DOMESTICAÇÃO DAS 2 PLANTAS CULTIVADAS INTRODUÇÃO A domesticação é um processo evolucionário conduzido pelo homem visando adaptar plantas e animais às necessidades humanas. Plantas domesticadas são geneticamente

Leia mais

Iluminação ponto a ponto

Iluminação ponto a ponto luminotécnico Iluminação ponto a ponto Atender aos diferentes usos de cada ambiente sem deixar de proporcionar muito conforto aos moradores: eis os objetivos da proposta luminotécnica dessa casa em Itu,

Leia mais

Prof. Dr. Leandro Machado Rocha Laboratório de Tecnologia de Produtos Naturais Faculdade de Farmácia UFF

Prof. Dr. Leandro Machado Rocha Laboratório de Tecnologia de Produtos Naturais Faculdade de Farmácia UFF Prof. Dr. Leandro Machado Rocha Laboratório de Tecnologia de Produtos Naturais Faculdade de Farmácia UFF R. Mário Viana 523 Santa Rosa - Niterói - R.J. E-mail: lean@vm.uff.br BIOMAS DO BRASIL Biomas são

Leia mais

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha

Os Grandes Biomas Terrestres. PROF Thiago Rocha Os Grandes Biomas Terrestres PROF Thiago Rocha Bioma: Uma comunidade de plantas e animais, com formas de vida e condições ambientais semelhantes. (Clements, 1916) Florestas tropicais A área de ocorrência

Leia mais

10 Ideias de Promoções infalíveis para o Natal

10 Ideias de Promoções infalíveis para o Natal 10 Ideias de Promoções infalíveis para o Natal Ou para qualquer outra data que você desejar uma boa promoção! Este é um BÔNUS Grátis oferecido pelo Blog: Introdução Várias datas comemorativas representam

Leia mais

ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS

ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ENTRELAÇAMENTO DO CURRÍCULO DE CONHECIMENTOS O foco do trabalho com conhecimentos o é o aluno entender a sociedade em que vive. Assim,

Leia mais

Vejamos, Seguiremos, por isso, o vertido em ambos os pareceres. No parecer do Conselho Geral defendeu-se que:

Vejamos, Seguiremos, por isso, o vertido em ambos os pareceres. No parecer do Conselho Geral defendeu-se que: PARECER Nº 35/PP/2014-P CONCLUSÕES: 1. A placa identificativa do escritório de Advogado apenas deve conter informação que se destine a identificar a existência de um escritório de advogado naquele local

Leia mais

Fruticultura. Bananeira : Mal do Panamá. Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha

Fruticultura. Bananeira : Mal do Panamá. Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:32 Fruticultura Bananeira : Mal do Panamá Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha Informações sobre a doença do mal-do-panamá

Leia mais

Aula 3 de 4 Versão Aluno

Aula 3 de 4 Versão Aluno Aula 3 de 4 Versão Aluno As Comunidades Indígenas Agora vamos conhecer um pouco das características naturais que atraíram essas diferentes ocupações humanas ao longo dos séculos para a Região da Bacia

Leia mais

É neste pequeno e muito charmoso chalé abraçado pela natureza que o proprietário descansa e recarrega as energias para voltar ao trabalho

É neste pequeno e muito charmoso chalé abraçado pela natureza que o proprietário descansa e recarrega as energias para voltar ao trabalho chalés Refugiado na mata É neste pequeno e muito charmoso chalé abraçado pela natureza que o proprietário descansa e recarrega as energias para voltar ao trabalho Texto: Daniella Grinbergas Fotos: Pedro

Leia mais

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série:

COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Aluno (a): Série: COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO Aluno (a): Série: Nº. Data: / /2012 Professor(a): Rosilene Ardengui 7º Ano CALIGRAFIA TÉCNICA OU

Leia mais

ARTIGO. Morfologia polínica de Passifloraceae Juss. ex Kunth. no Rio Grande do Sul, Brasil

ARTIGO. Morfologia polínica de Passifloraceae Juss. ex Kunth. no Rio Grande do Sul, Brasil Revista Brasileira de Biociências Brazilian Journal of Biosciences ARTIGO Instituto de Biociências UFRGS ISSN 1980-4849 (on-line) / 1679-2343 (print) Morfologia polínica de Passifloraceae Juss. ex Kunth.

Leia mais