ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ (R$) ,29"

Transcrição

1 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/ Informar o lucro líquido do exercício. (R$) ,29 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprios já declarados. Montante global Dividendo intermediário pago Dividendo a distribuir Valor por ação dos dividendos (Reais Unidade) (R$) , ,52 0, Informar o percentual do lucro líquido do exercício distribuído. 24% 4. Informar o montante global e o valor por ação de dividendos distribuídos com base em lucro de exercícios anteriores. Não aplicável por não haver resultado de exercícios anteriores a serem distribuídos. 5. Informar, deduzidos os dividendos antecipados e juros sobre capital próprios já declarados: a. O valor bruto de dividendo e juros sobre capital próprio, de forma segregada, por ação de cada espécie e classe. (R$) Por Ação (ON) (R$) Dividendo ,52 0, Para este exercício, considerando o atual cenário econômico adverso e as incertezas quanto às projeções de mercado das distribuidoras devido a campanhas de eficiência

2 energética e aumentos extraordinários de tarifas ocorridos durante, a Administração da Companhia está propondo a destinação de R$ ,68 à reserva estatutária - reforço de capital de giro. b. A forma e o prazo de pagamento dos dividendos e juros sobre capital próprio. Os dividendos, salvo deliberação em contrário da Assembleia Geral, são pagos no prazo máximo de 60 (sessenta) dias contados da data da deliberação de sua distribuição e, em qualquer caso, dentro do exercício social, nos termos do art. 31 do Estatuto Social. A Companhia tem por prática declarar dividendos apurados em balanços semestrais, que são pagos em data a ser definida pela Diretoria Executiva, de acordo com a disponibilidade de recursos, observado o prazo de pagamento acima mencionado, nos termos do art. 17 (U) do Estatuto Social. Além disso, o Conselho de Administração pode declarar juros sobre o capital próprio, nos termos do 7º do artigo 9º da Lei nº 9.249/95 e artigo 17 do Estatuto Social e imputá-los ao pagamento do dividendo mínimo obrigatório. Tendo em vista que, para o exercício social encerrado em 31 de dezembro de, não foi declarado dividendo semestral, a administração da Companhia está propondo a declaração do dividendo mínimo obrigatório no valor de R$ ,52 e a destinação de R$ ,68 à reserva estatutária - reforço de capital de giro. c. Eventual incidência de atualização e juros sobre os dividendos e juros sobre capital próprio. A Companhia não atualiza monetariamente e não há incidência de juros sobre os dividendos distribuídos aos seus acionistas ou em relação aos juros sobre capital próprio, nos termos do Art. 33 do Estatuto Social. d. Data da declaração de pagamento dos dividendos e juros sobre capital próprio considerada para identificação dos acionistas que terão direito ao seu recebimento. 29 de abril de Caso tenha havido declaração de dividendos ou juros sobre capital próprio com base em lucros apurados em balanços semestrais ou em períodos menores. a. Informar o montante dos dividendos ou juros sobre capital próprio já declarados. Não aplicável, pois não houve declaração de dividendos ou juros sobre capital próprio com base em lucros semestrais. b. Informar a data dos respectivos pagamentos. Não aplicável, pois não houve declaração de dividendos ou juros sobre capital próprio com

3 base em lucros semestrais. 7. Fornecer tabela comparativa indicando os seguintes valores por ação de cada espécie e classe: a. Lucro líquido do exercício e dos 3 (três) exercícios anteriores. (R$/ação) (1) 2014 (R$/ação) (1) 2013 (R$/ação) (1) 0, , , (1) O cálculo por ação foi realizado com base no lucro líquido apurado em 31 de dezembro dos respectivos exercícios sociais dividido pelo número de ações verificado na mesma data. b. Dividendo e juro sobre capital próprio distribuído nos 3 (três) exercícios anteriores. (R$/ação) (1) 2014 (R$/ação) (1) 2013 (R$/ação) (1) 0, , , (1) O cálculo por ação foi realizado levando-se em conta o valor do dividendo dos respectivos exercícios dividido pelo o número de ações verificado na mesma data. 8. Havendo destinação de lucros à reserva legal. a. Identificar o montante destinado à reserva legal. (R$) ,21 b. Detalhar a forma de cálculo da reserva legal. O montante destinado à composição da Reserva Legal corresponde a 5% (cinco por cento) do lucro líquido apurado no exercício social, até atingir 20% (vinte por cento) do capital social subscrito. 9. Caso a Companhia possua ações preferenciais com direito a dividendos fixos ou mínimos. a. Descrever a forma de cálculos dos dividendos fixos ou mínimos. b. Informar se o lucro do exercício é suficiente para o pagamento integral dos

4 dividendos fixos ou mínimos. c. Identificar se eventual parcela não paga é cumulativa. d. Identificar o valor global dos dividendos fixos ou mínimos a serem pagos a cada classe de ações preferenciais. e. Identificar os dividendos fixos ou mínimos a serem pagos por ação preferencial de cada classe. 10. Em relação ao dividendo obrigatório. a. Descrever a forma de cálculo prevista no estatuto. O Art. 28 do Estatuto Social da Companhia prevê a distribuição de, no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) do lucro líquido ajustado aos seus Acionistas, nos termos do Art. 202 da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada. b. Informar se ele está sendo pago integralmente. Sim. Nos últimos 3 (três) exercícios, o montante distribuído de dividendos tem sido igual ou superior ao mínimo previsto no Estatuto Social da Companhia. c. Informar o montante eventualmente retido. Não está sendo retida nenhuma parcela do dividendo obrigatório. Está sendo proposta a retenção do resultado não distribuído, no montante de R$ ,68, e sua alocação à reserva estatutária - reforço de capital de giro. 11. Havendo retenção do dividendo obrigatório devido à situação financeira da Companhia. a. Informar o montante da retenção. Não houve proposta de retenção do dividendo obrigatório. b. Descrever, pormenorizadamente, a situação financeira da Companhia, abordando, inclusive, aspectos relacionados à análise de liquidez, ao capital de giro e fluxos de caixa positivos.

5 Não houve proposta de retenção do dividendo obrigatório. c. Justificar a retenção dos dividendos. Não houve proposta de retenção do dividendo obrigatório. 12. Havendo destinação de resultado para reserva de a. Identificar o montante destinado à reserva. b. Identificar a perda considerada provável e sua causa. c. Explicar porque a perda foi considerada provável. d. Justificar a constituição da reserva. 13. Havendo destinação de resultado para reserva de lucros a realizar. a. Informar o montante destinado à reserva de lucros a realizar. lucros a realizar. b. Informar a natureza dos lucros não-realizados que deram origem à reserva. lucros a realizar. 14. Havendo destinação de resultado para reservas estatutárias. a. Descrever as cláusulas estatutárias que estabelecem a reserva. Além da reserva legal, o Estatuto Social prevê as seguintes reservas estatutárias, (i) Reserva de Ajustes do Ativo Financeiro da Concessão; (ii) Reservas para Contingências, de Incentivos Fiscais e de Lucros a Realizar; e (iii) reserva de reforço de capital de giro, conforme artigo 27, parágrafo 2º do Estatuto Social, in verbis:

6 Artigo 27 O exercício social terminará em 31 de dezembro de cada ano, quando serão elaboradas as demonstrações financeiras do exercício, observado que serão também elaboradas demonstrações financeiras a cada trimestre, excetuado o último de cada ano. Todas as demonstrações financeiras deverão incluir a demonstração dos fluxos de caixa da Companhia, a qual indicará, no mínimo, as alterações ocorridas no saldo de caixa e equivalentes de caixa, segregadas em fluxos das operações, dos financiamentos e dos investimentos. As demonstrações financeiras do exercício social serão, após manifestação dos Conselhos de Administração e Fiscal, submetidas à Assembleia Geral Ordinária, juntamente com proposta de destinação do resultado do exercício. (...) Parágrafo 2º - O lucro líquido do exercício terá obrigatoriamente a seguinte destinação: a) 5% (cinco por cento), antes de qualquer outra destinação, para a formação da reserva legal, até atingir 20% (vinte por cento) do capital social subscrito; b) pagamento de dividendo obrigatório, observado o disposto no artigo 29 deste Estatuto; c) constituição de Reserva de Ajustes do Ativo Financeiro da Concessão, mensalmente ou em outra periodicidade definida pela Companhia, com o ganho ou perda correspondente à variação da expectativa de fluxo de caixa do Ativo Financeiro da Concessão de sociedades controladas, reconhecido na Companhia através de equivalência patrimonial e contabilizado no resultado do período, líquido dos efeitos tributários. O valor a ser destinado para a constituição dessa reserva será limitado ao saldo da conta Lucro ou Prejuízo Acumulado, após a eventual constituição das Reservas para Contingências, de Incentivos Fiscais e de Lucros a Realizar: (i) a realização da Reserva de Ajustes do Ativo Financeiro da Concessão ocorrerá ao final do período de concessão das sociedades controladas, quando do pagamento da indenização pelo Poder Concedente, e resultará na reversão dos respectivos valores para Lucros ou Prejuízos Acumulados". (ii) o saldo da Reserva de Ajustes do Ativo Financeiro da Concessão não poderá exceder o saldo do Ativo Financeiro da Concessão registrado nas Demonstrações Financeiras consolidadas da Companhia; d) o lucro remanescente, ressalvada deliberação em contrário da Assembleia Geral, será destinado à formação de reserva de reforço de capital de giro, cujo total não poderá exceder o valor do capital social subscrito; e e) em caso de prejuízo no exercício, as reservas constituídas poderão ser utilizadas para absorver o prejuízo remanescente, sendo a Reserva de Ajustes do Ativo Financeiro da Concessão e a Reserva Legal, nesta ordem, as últimas a serem absorvidas; e b. Identificar o montante destinado à reserva. A constituição das reservas estatutárias no exercício de é composta por: (i) R$ ,68 para o ativo financeiro da concessão e (ii) R$ ,68 para a reserva de reforço de capital de giro. O saldo em 31 de dezembro de das reservas estatutárias é de (i) Ativo financeiro da concessão: R$ ,05 e (ii) Reforço de capital de giro: R$ ,68. c. Descrever como o montante foi calculado. Ativo financeiro da concessão A reserva estatutária é calculada com base no valor do ativo financeiro da concessão das distribuidoras do grupo, sendo este montante atualizado mensalmente pelo IGPM, e ajustado periodicamente por ocasião da Revisão Tarifária, com base na Base Regulatória de Remuneração ( BRR ).

7 Reforço de capital de giro Considerando o atual cenário econômico adverso e as incertezas quanto às projeções de mercado das distribuidoras devido a campanhas de eficiência energética e aumentos extraordinários de tarifas ocorridos em, a Administração da Companhia está propondo a destinação de R$ ,68 à reserva estatutária - reforço de capital de giro. 15. Havendo retenção de lucros prevista em orçamento de capital. a. Identificar o montante da retenção. Não aplicável em razão da Companhia não destinar parcela do resultado para orçamento de capital. b. Fornecer cópia do orçamento de capital. Não aplicável em razão da Companhia não destinar parcela do resultado para orçamento de capital. 16. Havendo destinação de resultado para a reserva de incentivos fiscais. a. Informar o montante destinado à reserva. Não aplicável em razão da Companhia não destinar parcela do resultado para a reserva de incentivos fiscais. b. Explicar a natureza da destinação. Não aplicável em razão da Companhia não destinar parcela do resultado para a reserva de incentivos fiscais. *******

BRPR 51 SECURITIZADORA CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF n / NIRE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

BRPR 51 SECURITIZADORA CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF n / NIRE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO BRPR 51 SECURITIZADORA CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF n. 04.800.265/0001-25 NIRE 35.300.1193.563 Nos termos do artigo 9º, parágrafo 1º, inciso II, da Instrução CVM n.º 481 de 17

Leia mais

RESTOQUE COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta ANEXO 9-1-II

RESTOQUE COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta ANEXO 9-1-II RESTOQUE COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. CNPJ/MF nº 49.669.856/0001-43 NIRE 35.300.344.910 Companhia Aberta ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO (Art. 9, 1º, inciso II, da Instrução CVM nº 481,

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1. Informar o lucro líquido do exercício R$ 92.177 mil 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros

Leia mais

PROPOSTA À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

PROPOSTA À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA SENHORES ACIONISTAS: CONSIDERANDO PROPOSTA À ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA ASSUNTO: Proposta de destinação do lucro líquido do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2014 e da distribuição de dividendos

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados PROPOSTA DE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO QUE CONTENHA, NO MÍNIMO, AS INFORMAÇÕES INDICADAS NO ANEXO 9.1.II DA INSTRUÇÃO NORMATIVA CVM n. 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro

Leia mais

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados

2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos, incluindo dividendos antecipados e juros sobre capital próprio já declarados 1. Informar o lucro líquido do exercício ANEXO 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO O lucro líquido do exercício de 2009 foi de R$198.263.226,61 (cento e noventa e oito milhões, duzentos e sessenta e três

Leia mais

R$ ,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos)

R$ ,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos) DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1) Lucro líquido do exercício: R$ 16.634.214,15 (dezesseis milhões, seiscentos e trinta e quatro mil, duzentos e quatorze reais e quinze centavos) 2) Montante global e valor

Leia mais

PROPOSTA DA DIRETORIA

PROPOSTA DA DIRETORIA PROPOSTA DA DIRETORIA Senhores Acionistas: A Diretoria da COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO ( Companhia ) vem propor à Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária o Plano de Investimentos para o ano

Leia mais

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09

PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NOS TERMOS DO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO N o CVM 481/09 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício de 2012 foi de R$ 1.448.887.908,07

Leia mais

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1. Informar o lucro líquido do exercício O lucro líquido do exercício social findo em 31.12.2010 foi de R$ 72.793.804,47 (setenta e dois milhões, setecentos e noventa e três

Leia mais

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO. - Exercício Srs. Acionistas,

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO. - Exercício Srs. Acionistas, DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO - Exercício 2012 Srs. Acionistas, Consoante as disposições da Lei 6.404, de 15.12.1976, e o Estatuto do Banco, apresento à deliberação desta Assembleia a destinação do Lucro

Leia mais

Lucro Líquido ,43. Lucros Acumulados ,71. Lucro Líquido Ajustado ,14. Reserva Legal

Lucro Líquido ,43. Lucros Acumulados ,71. Lucro Líquido Ajustado ,14. Reserva Legal DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO - Exercício 2011 Srs. Acionistas, Consoante as disposições da Lei 6.404, de 15.12.1976, e o Estatuto do Banco, apresento à deliberação desta Assembleia a destinação do Lucro

Leia mais

Sul América S.A. POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS

Sul América S.A. POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS Sul América S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CVM nº21121 CNPJ/MF 29.978.814/0001-87 NIRE 3330003299-1 POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS - abril de 2012 - Este documento, de caráter meramente

Leia mais

ODONTOPREV S.A. Senhores Acionistas,

ODONTOPREV S.A. Senhores Acionistas, ODONTOPREV S.A. Proposta de Destinação do Lucro Líquido do Exercício - Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária a ser realizada em 25/03/2010 (art. 9º da Instrução CVM 481/2009) Senhores Acionistas,

Leia mais

Patrimônio Líquido. Valor Patrimonial da Ação x Preço da Ação. Ativo Passivo Capital dos Sócios Capital Próprio BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO

Patrimônio Líquido. Valor Patrimonial da Ação x Preço da Ação. Ativo Passivo Capital dos Sócios Capital Próprio BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO Patrimônio Líquido Patrimônio Líquido Ativo Passivo Capital dos Sócios Capital Próprio BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO ATIVO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Valor Patrimonial da Ação x Preço da Ação Constituição do PL

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF 73.178.600/0001-18 NIRE 35.300.137.728 PROPOSTA DE DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO (ART. 9º DA ICVM 481/2009) ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO

Leia mais

A Proposta de Reforma do Estatuto Social segue anexa.

A Proposta de Reforma do Estatuto Social segue anexa. Senhores Acionistas da Companhia Siderúrgica Nacional A Administração da Companhia Siderúrgica Nacional submete à deliberação dos Srs. Acionistas proposta de reforma do Estatuto Social com o objetivo de

Leia mais

Item 10 do formulário de Referência CEMEPE INVESTIMENTOS S/A. a. Condições financeiras e patrimoniais gerais

Item 10 do formulário de Referência CEMEPE INVESTIMENTOS S/A. a. Condições financeiras e patrimoniais gerais Item 10 do formulário de Referência CEMEPE INVESTIMENTOS S/A 10. Comentários dos diretores sobre a situação financeira da Companhia 10.1. a. Condições financeiras e patrimoniais gerais A companhia tem

Leia mais

POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS

POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS TEXT_SP 7478196v1 6947/5 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS... 3 2. DIRETRIZES... 3 3. ATUAL POLÍTICA DE DIVIDENDOS COMPLEMENTARES... 3 4. DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS INTERCALARES/INTERMEDIÁRIOS... 4 5. CONCEITOS...

Leia mais

BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A

BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPÍRITO SANTO S/A 2014 PROPOSTA PARA DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 31/12/2014 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Srs. Acionistas, O Conselho de Administração do BANDES submete

Leia mais

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 2014 (R$) 949.176.907,56

ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 2014 (R$) 949.176.907,56 ANEXO II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO ANEXO 9-1-II DA INSTRUÇÃO CVM Nº. 481/2009 1. Informar o lucro líquido do exercício. 949.176.907,56 2. Informar o montante global e o valor por ação dos dividendos,

Leia mais

Estatuto Anterior 07/jun

Estatuto Anterior 07/jun Estatuto Anterior 07/jun jun/2000 Artigo 37 Apurado o resultado do exercício social, com observância de todas as disposições legais, dele serão feitas as seguintes deduções e destinações: Parágrafo 2º

Leia mais

KLABIN S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Nº ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

KLABIN S.A. CNPJ/MF nº / NIRE Nº ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CNPJ/MF nº 89.637.490/0001-45 NIRE Nº 35300188349 ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DATA, HORA E LOCAL DE REALIZAÇÃO Aos 20 dias do mês de dezembro de 2011, às 14:30 horas, na sede social, na Avenida

Leia mais

DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL

DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL DESTINAÇÃO DOS LUCROS: PL E DMPL (cap 4) Prof. Renê Coppe Pimentel Material e conteúdo padronizados elaborados por professores da FEA/USP 1 SITUAÇÃO ECONÔMICA Lucro - todo lucro obtido pela empresa pertence

Leia mais

JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: /

JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: / JOÃO FORTES ENGENHARIA S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF: 33.035.536/0001-00 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE JUNHO DE 2013 ANEXO 14 (Instrução CVM nº481 de 17 de dezembro

Leia mais

Contabilidade Introdutória

Contabilidade Introdutória Contabilidade Introdutória Profa. Mara Jane Contrera Malacrida 1 Ö : Parte residual do patrimônio Riqueza líquida da empresa PL = Ativo Passivo Evidencia os recursos dos proprietários aplicados no empreendimento

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos (BV 2011)

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos (BV 2011) COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 08 (R1) Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos (BV 2011) Índice Item REFERÊNCIAS ANTECEDENTES 1-12 Dividendo Obrigatório 1

Leia mais

Proposta da Administração

Proposta da Administração Proposta da Administração ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA EXPOSIÇÃO AOS ACIONISTAS ITEM I AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL COM SUBSCRIÇÃO DE AÇÕES. A administração da Companhia encaminha proposta à Assembleia

Leia mais

DIREITOS DOS ACIONISTAS

DIREITOS DOS ACIONISTAS DO GRUPO DE ESTUDOS DE DIREITO EMPRESARIAL FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DIREITO SOCIETÁRIO APLICADO Mário Tavernard Martins de Carvalho Patrocinadores: 2 Direitos essenciais

Leia mais

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO... 5

DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO... 5 EZ TEC EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. Av. República do Líbano, n 1921 São Paulo SP CNPJ/MF n 08.312.229/000173 Companhia Aberta de Capital Autorizado SUMÁRIO DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO... 5 1. Informar

Leia mais

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n / NIRE Companhia Aberta MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF n 02.762.115/0001-49 NIRE 3.33.002.6111-7 Companhia Aberta ANEXO 14 DA INSTRUÇÃO CVM 481/2009 AUMENTO DE CAPITAL Em conformidade com o artigo 14 da Instrução CVM

Leia mais

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 28 de dezembro de 2015 1.) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015

MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MANUAL PARA PARTICIPAÇÃO DE ACIONISTAS NA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2015 MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO Ecorodovias Infraestrutura e Logística S.A. ( Companhia ) convida seus

Leia mais

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015

ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 26 de junho de 2015 1.) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do aumento

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE FATO RELEVANTE

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ / Companhia Aberta NIRE FATO RELEVANTE ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 FATO RELEVANTE ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. ( Companhia ) comunica aos seus acionistas que o Conselho de Administração,

Leia mais

03- definição da forma e data do pagamento do dividendo obrigatório, no montante de R$ mil;

03- definição da forma e data do pagamento do dividendo obrigatório, no montante de R$ mil; COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS-CEMIG COMPANHIA ABERTA CNPJ 17.155.730/0001-64 - NIRE 31300040127 ASSEMBLÉIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA CONVOCAÇÃO Ficam os senhores acionistas convocados para

Leia mais

TOTVS S/A 1ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

TOTVS S/A 1ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 TOTVS S/A 1ª Emissão de Debêntures 1ª e 2ª Séries Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE TOTVS S/A Banco

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 ATIVO NE 31/12/2013 31/12/2012 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 85.142.911 86.881.544

Leia mais

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta

EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº / NIRE Companhia Aberta EMPRESA ENERGÉTICA DE MATO GROSSO DO SUL S.A - ENERSUL CNPJ/MF nº 15.413.826/0001-50 NIRE 54.300.000.566 Companhia Aberta Campo Grande - MS, 04 de outubro de 2010. Aos Srs. Acionistas da ENERSUL. PROPOSTA

Leia mais

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. Demonstrações Financeiras Regulatórias em 31 de Dezembro de 2012 e 2011

Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. Demonstrações Financeiras Regulatórias em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. Demonstrações Financeiras Regulatórias em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 EMPRESA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA VALE PARANAPANEMA S.A. DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AMBEV S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Acer Consultores em Imóveis S/A

Acer Consultores em Imóveis S/A Acer Consultores em Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e 31 de Dezembro de 2006 e 2005 Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO.

COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. COMUNICAÇÃO SOBRE AUMENTO DE CAPITAL DELIBERADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. 1. Informar o valor do aumento e do novo capital social: O aumento do capital social da Companhia proposto é de R$25.032.8

Leia mais

ANEXO 30-XXXII. Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 11 de maio de 2016

ANEXO 30-XXXII. Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 11 de maio de 2016 ANEXO 30-XXXII Comunicação sobre aumento de capital deliberado pelo Conselho de Administração em 11 de maio de 2016 1) Divulgar ao mercado o valor do aumento e do novo capital social: O valor do Aumento

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ AES TIETE ENERGIA S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. Companhia Aberta NIRE CNPJ/MF nº /

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. Companhia Aberta NIRE CNPJ/MF nº / DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S.A. Companhia Aberta NIRE 35.300.172.507 CNPJ/MF nº 61.486.650/0001-83 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 24 DE MARÇO DE 2014 Data, Hora e Local: Realizada

Leia mais

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. (Companhia Aberta) CNPJ/MF nº 16.590.234/0001-76 NIRE 31.300.025.91-8 AVISO AOS ACIONISTAS AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. ( Companhia ), COMUNICA aos seus acionistas

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil 01 1.1 Conceito 01 1.2 Métodos de escrituração 01 1.2.1 Método das partidas dobradas 02 1.2.1.1 Funcionamento das contas nas partidas dobradas 04 1.3 Normas legais

Leia mais

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A.

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS INTERMEDIÁRIAS PARA O TRIMESTRE FINDO EM 30 DE SETEMBRO DE 2014 (Em milhares de reais - R$,

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 E 2014 ATIVO NE 31/12/2015 31/12/2014 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO NE 31/12/2015 31/12/2014 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades 4 90.705.601 82.095.096

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 6) 25.888 67.330 Fornecedores 4.797 8.340 Aplicações financeiras 3.341

Leia mais

MRS LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta Registro CVM nº

MRS LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº / NIRE nº Companhia Aberta Registro CVM nº MRS LOGÍSTICA S.A. CNPJ/MF nº 01.417.222/0001-77 NIRE nº 33.300.163.565 Companhia Aberta Registro CVM nº 01794-9 Ata da Reunião do Conselho de Administração da MRS LOGÍSTICA S.A. ( Companhia ) realizada

Leia mais

Normas Brasileiras de Contabilidade NBC T IT.01 -Interpretação Técnica NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE

Normas Brasileiras de Contabilidade NBC T IT.01 -Interpretação Técnica NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE INTERPRETAÇÃO TÉCNICA NBC T 10.8 IT.01 ENTIDADES COOPERATIVAS Esta Interpretação Técnica (IT) visa esclarecer critérios e procedimentos específicos de avaliação, de

Leia mais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais

Dersa Desenvolvimento Rodoviário S.A. Balanços patrimoniais Balanços patrimoniais em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Ativo Nota 2014 2013 Passivo Nota 2014 2013 (Ajustado) (Ajustado) Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 5 48.650 835 Fornecedores 10

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE)

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE) O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações) estipula a Demonstração do Resultado do Exercício.

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos (BV 2011)

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos (BV 2011) COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 0808R1 Contabilização da Proposta de Pagamento de Dividendos (BV 2011) Índice Item REFERÊNCIAS ANTECEDENTES 1-12 Dividendo Obrigatório 1 5

Leia mais

MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A. Companhia Aberta CNPJ no / NIRE PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A. Companhia Aberta CNPJ no / NIRE PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Prezados Senhores Acionistas, MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A. Companhia Aberta CNPJ no 08.684.547/0001-65 NIRE 31.300.026.485 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Apresentamos a seguir a Proposta da Administração ( Proposta

Leia mais

Código CVM: FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002

Código CVM: FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 Entre 01.06.2013 e 30.06.2013: Código CVM: 01956-9 FORMULÁRIO CONSOLIDADO Negociação de Administradores e Pessoas Ligadas Art. 11 Instrução CVM nº 358/2002 (x) ocorreram somente as seguintes operações

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/ CIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Banco Bradesco S.A. Calendário Anual de Eventos Corporativos 2015

Banco Bradesco S.A. Calendário Anual de Eventos Corporativos 2015 Calendário Anual de s Corporativos 2015 Informações sobre a Companhia Denominação Social Endereço da Sede Endereço na Internet Diretor de Relações com Investidores Responsável pela Área de Relações com

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações da Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo de Investimento em Ações da Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo de Investimento em Ações da Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

ÉVORA SA CNPJ nº / NIRE Capital Aberto. Ata de Reunião do Conselho de Administração

ÉVORA SA CNPJ nº / NIRE Capital Aberto. Ata de Reunião do Conselho de Administração ÉVORA SA CNPJ nº 91.820.068/0001-72 NIRE 43.300.028.593 Capital Aberto Ata de Reunião do Conselho de Administração Data, hora e local: aos 3 dias do mês de fevereiro do ano de 2016, às 17:00 horas, na

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais

2. APRESENTAÇÃO E ELABORAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS Apresentação das informações contábeis intermediárias individuais TEREOS INTERNACIONAL S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTERMEDIÁRIAS INDIVIDUAIS PARA O PERIODO DE NOVE MESES FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 (Valores expressos em milhões de reais

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL POR SUBSCRIÇÃO PRIVADA DELIBERADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM

AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL POR SUBSCRIÇÃO PRIVADA DELIBERADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM CNPJ 97.837.181/0001-47 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL POR SUBSCRIÇÃO PRIVADA DELIBERADA PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 12.02.2016 (ANEXO 30-XXXII DA ICVM 480/09) 1. Informar

Leia mais

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A 9ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries

LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A 9ª Emissão de Debêntures. 1ª e 2ª Séries LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A 9ª Emissão de Debêntures 1ª e 2ª Séries Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 22 DE MARÇO DE 2010 ÀS 11 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 22 DE MARÇO DE 2010 ÀS 11 HORAS ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA 22 DE MARÇO DE 2010 ÀS 11 HORAS MANUAL DA ADMINISTRAÇÃO TARPON INVESTIMENTO S.A Companhia aberta: CVM 21.717 CNPJ: 05.341.549/0001 63 Avenida Brigadeiro Faria

Leia mais

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A.

Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Relatório da Administração Engetec Participações em Engenharia e Construção S.A. Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições estatuárias, submetemos a apreciação de V.Sas. o relatório anual da administração

Leia mais

AVISO AOS ACIONISTAS

AVISO AOS ACIONISTAS TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S/A TELESP COMPANHIA ABERTA CVM - nº 1767-1 CNPJ - MF nº 02.558.157/0001-62 NIRE 35.3.0015881-4 TELEFONICA DATA BRASIL HOLDING S.A. COMPANHIA ABERTA CVM - nº 18937 CNPJ -

Leia mais

Configurações da DMPL. Tutorial do Usuário Configurações da DMPL

Configurações da DMPL. Tutorial do Usuário Configurações da DMPL Tutorial do Usuário Configurações da DMPL 1 Conteúdo Apresentação... 3 Configurações... 4 Tela de configuração... 4 Aba Reserva de Capital (1)... 6 Aba Reserva de Lucros (2)... 7 Aba Ajustes (3)... 8 Aba

Leia mais

P o l í t i c a d e D i s t r i b u i ç ã o d e D i v i d e n d o s. Política de Distribuição de Dividendos

P o l í t i c a d e D i s t r i b u i ç ã o d e D i v i d e n d o s. Política de Distribuição de Dividendos Política de Distribuição de Dividendos 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Destinação do Lucro Líquido... 4 3. Exercício Social... 5 4. Declaração de Dividendos... 6 5. A quem pertence os Dividendos... 6 6.

Leia mais

Prolagos S.A. Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto

Prolagos S.A. Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto Prolagos S.A. Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PARA A ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A SER REALIZADA EM 24 DE MARÇO DE 2015 Prolagos S.A. Concessionária de Serviços

Leia mais

COBRASMA S/A. CNPJ n.º / Companhia Aberta

COBRASMA S/A. CNPJ n.º / Companhia Aberta COBRASMA S/A CNPJ n.º 61.080.313/0001-91 Companhia Aberta Informações requeridas pela Instrução CVM n.º 481, de 17 de dezembro de 2009, em atendimento ao Edital de Convocação da Assembléia Geral Ordinária

Leia mais

SUDESTE S.A. CNPJ/MF / NIRE

SUDESTE S.A. CNPJ/MF / NIRE PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO REFERENTE AO RESULTADO DO EXERCÍCIO DE 2015 Nos termos das disposições legais e estatutárias, a Administração da SUDESTE S.A. ( Companhia ) submete à apreciação do Conselho de

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais)

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 (Valores expressos em reais) BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 ATIVO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO Explicativa n o 31/12/2011 31/12/2010 CIRCULANTE CIRCULANTE Disponibilidades

Leia mais

ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015

ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures. Série Única. Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES S.A. 3ª Emissão de Debêntures Série Única Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2015 Data Base 31/12/2015 PARTICIPANTES EMISSORA COORDENADOR(ES) ESCRITURADOR LIQUIDANTE

Leia mais

PROMPT PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF: / NIRE:

PROMPT PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF: / NIRE: PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO REFERENTE AO RESULTADO DO EXERCÍCIO DE 2015 Nos termos das disposições legais e estatutárias, a Administração da Prompt Participações S.A. ( Companhia ) submete à apreciação do

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 1 de 5 31/01/2015 15:30 Tamanho do Texto + tamanho do texto - NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS A publicação de Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras está prevista no 4º do artigo

Leia mais

COMPANHIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA. COMPANHIA DE CAPITAL ABERTO CNPJ/MF Nº / NIRE nº

COMPANHIA DE PARTICIPAÇÕES ALIANÇA DA BAHIA. COMPANHIA DE CAPITAL ABERTO CNPJ/MF Nº / NIRE nº COMPANHIA DE CAPITAL ABERTO CNPJ/MF Nº 01.938.783/0001-11 NIRE nº 29300023230 PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO A SER SUBMETIDA À APROVAÇÃO DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE 2011 Identificação Companhia de Participações

Leia mais

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero...

https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... ENET Protocolo Página 1 de 1 https://www.rad.cvm.gov.br/enet/frmprotocolo.aspx?codigoinstituicao=1&numero... 15/08/2011 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ/MF nº / NIRE

CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES. CNPJ/MF nº / NIRE CYRELA BRAZIL REALTY S/A EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF nº 73.178.600/0001-18 NIRE - 35.300.137.728 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DATA, HORA E LOCAL: 23 de março de 2016, às 10:00

Leia mais

ANEXO 20 (Instrução CVM nº 481/09) DIREITO DE RECESSO

ANEXO 20 (Instrução CVM nº 481/09) DIREITO DE RECESSO ANEXO 20 (Instrução CVM nº 481/09) DIREITO DE RECESSO 1. Descrever o evento que deu ou dará ensejo ao recesso e seu fundamento jurídico Resposta: A incorporação pela Braskem S.A. ( Braskem ) de ações da

Leia mais

JUSTIFICAÇÃO DE CISÃO PARCIAL DA SÃO CARLOS EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. COM VERSÃO DE PARCELA CINDIDA PARA NOVA SOCIEDADE.

JUSTIFICAÇÃO DE CISÃO PARCIAL DA SÃO CARLOS EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. COM VERSÃO DE PARCELA CINDIDA PARA NOVA SOCIEDADE. JUSTIFICAÇÃO DE CISÃO PARCIAL DA SÃO CARLOS EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. COM VERSÃO DE PARCELA CINDIDA PARA NOVA SOCIEDADE Que celebra SÃO CARLOS EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A., companhia

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/ CENTRAIS ELETRICAS BRASILEIRAS SA Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 8 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

DMPL. Professora Yasmin F. S. Fernandes DMPL DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO P.L. CONCEITO

DMPL. Professora Yasmin F. S. Fernandes DMPL DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO P.L. CONCEITO DMPL Professora Yasmin F. S. Fernandes CONCEITO A Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL) é um relatório contábil que visa a evidenciar as variações ocorridas em todas as contas que compõem

Leia mais

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRINCIPAIS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Flávio Smania Ferreira 5 termo ADMINISTRAÇÃO GERAL e-mail: flavioferreira@live.estacio.br blog: http://flaviosferreira.wordpress.com Demonstrações Contábeis: Representa

Leia mais

FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Rua Professor Pedreira de Freitas, 401/415 Fone: Tatuapé

FACULDADE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Rua Professor Pedreira de Freitas, 401/415 Fone: Tatuapé de Oliveira 1.(Analista de Gestão Corporativa-Contabilidade-Empresa de Pesquisa Energética-2010-Cesgranrio) Considere a operação a seguir. A Cia. Ordem e Progresso, após a apuração do seu resultado, efetuou

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA EXPOSIÇÃO AOS ACIONISTAS ITEM I RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO, DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E PARECER DO CONSELHO FISCAL, RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2009 Senhores Acionistas, O Relatório

Leia mais

Formulário de Referência CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S/A Versão : Declaração e Identificação dos responsáveis 1

Formulário de Referência CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S/A Versão : Declaração e Identificação dos responsáveis 1 Índice 1. Responsáveis pelo formulário 1.1 - Declaração e Identificação dos responsáveis 1 1.1 Declaração do Diretor Presidente 2 1.2 - Declaração do Diretor de Relações com Investidores 3 1.3 - Declaração

Leia mais

Contabilidade Avançada. Prof. Esp. Geovane Camilo dos Santos Mestrando em Contabilidade e Controladoria UFU

Contabilidade Avançada. Prof. Esp. Geovane Camilo dos Santos Mestrando em Contabilidade e Controladoria UFU Contabilidade Avançada Prof. Esp. Geovane Camilo dos Santos Mestrando em Contabilidade e Controladoria UFU E-mail: geovane_camilo@yahoo.com.br Questões Sala de aula Avaliação de Investimentos 1. Quais

Leia mais

SARAIVA S/A LIVREIROS EDITORES

SARAIVA S/A LIVREIROS EDITORES SARAIVA S/A LIVREIROS EDITORES PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO São Paulo, 27 de março de 2015. Prezados Senhores, A Administração da SARAIVA S.A. LIVREIROS EDITORES ( Saraiva, Editora ou Companhia ) submete

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objeto e Duração

ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objeto e Duração ESTATUTO SOCIAL CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Objeto e Duração Artigo 1º - A Cemig Participações Minoritárias S.A. (a Sociedade ) é uma sociedade anônima de capital fechado, subsidiária integral, que

Leia mais

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS

Contabilidade ESTRUTURA PATRIMONIAL SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) FLUXO DE RECURSOS. Fluxo dos recursos SÍNTESE DO FUNCIONAMENTO DAS CONTAS ESTRUTURA PATRIMONIAL Patrimônio = Bens + Direitos ( ) Obrigações SITUAÇÃO LÍQUIDA (PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Ativo ( ) Passivo = Situação Líquida (Patrimônio Líquido) FLUXO DE RECURSOS ATIVO Aplicação dos Recursos

Leia mais

RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS

RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº / NIRE AVISO AOS ACIONISTAS RUMO LOGÍSTICA OPERADORA MULTIMODAL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF nº 71.550.388/0001-42 NIRE 35.300.170.865 AVISO AOS ACIONISTAS Nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE - DESO CNPJ / BALANÇO PATRIMONIAL - EM R$. 1,00 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE SERGIPE DESO CNPJ. 13.018.171/000190 BALANÇO PATRIMONIAL EM R$. 1,00 A T I V O 31.12.2007 31.12.2006 ATIVO CIRCULANTE 138.417.550 134.143.301 Caixa e Bancos 1.286.238 3.838.555

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E ATUÁRIA CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DISCIPLINA: EAC0111 NOÇÕES DE CONTABILIDADE PARA

Leia mais

CIELO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 30 DE JANEIRO DE 2017

CIELO S.A. CNPJ/MF nº / NIRE ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 30 DE JANEIRO DE 2017 CIELO S.A. CNPJ/MF nº 01.027.058/0001-91 NIRE 35.300.144.112 ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 30 DE JANEIRO DE 2017 Data, hora e local: Aos 30 (trinta) dias do mês de

Leia mais

ALL ORE MINERAÇÃO S.A.

ALL ORE MINERAÇÃO S.A. ALL ORE MINERAÇÃO S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 10.345.009/0001-98 Item 10 do Formulário de Referência All Ore Mineração S.A. ( Emissor ), de acordo com o Anexo 24 da Instrução CVM nº 480, de 7 de dezembro

Leia mais

POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE PROVENTOS DA AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. EXERCÍCIOS SOCIAIS 2014 e 2015

POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE PROVENTOS DA AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. EXERCÍCIOS SOCIAIS 2014 e 2015 POLÍTICA DE DISTRIBUIÇÃO DE PROVENTOS DA AREZZO INDÚSTRIA E COMÉRCIO S.A. EXERCÍCIOS SOCIAIS 2014 e 2015 Conforme deliberações do Conselho de Administração em 17 de março de 2014, a Arezzo Indústria e

Leia mais