CIRCUITO REGIONAL GIRA PRAIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CIRCUITO REGIONAL GIRA PRAIA"

Transcrição

1 Associação de Voleibol do ALENTEJO e ALGARVE 2015

2 = REGULAMENTO = Artigo 1º Enquadramento da prova e dos atletas participantes 1 O Circuito Regional de Gira Praia é uma competição regional organizada em exclusivo pela Associação de Voleibol do Alentejo (AVAL), com o apoio da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) através do Projeto Volley Summer Alive e é denominada, para efeitos de interpretação deste regulamento, de Circuito Regional (CR). 2 - O Circuito Regional, destina-se a Clubes Desportivos, Clubes de Desporto Escolar, Centros Gira Volei e Gira Praia pertencentes a clubes, escolas, autarquias entre outras entidades e representadas por várias equipas, cada uma delas constituída por dois jogadores duplas. 3 A classificação obtida por cada clube, mediante a participação das suas equipas, no final deste CR, terá uma equivalência correspondente em pontos que serão contabilizados no Programa Mega Clube instituído pela AVAL e que se encontra devidamente regulamentado e disponível na sua página web no endereço 4 - Será realizada uma competição conjunta para as equipas masculinas e femininas, disputadas sob a forma de Torneios (adstrito a cada etapa) mas com natureza e importância diferenciadas pelas designações de Etapas Ouro, pelas Etapas Prata e pelas Etapas Bronze, consoante o nível de patrocínios, parcerias ou apoios locais afetos à organização do certame, quer sejam de origem pública ou privada, designação essa apenas atribuível pela AVAL mediante a análise efetuada ao contexto dos recursos mobilizados. 5 No cartaz referente à organização de cada etapa do CR deverá ser referida a menção que lhe corresponde de acordo com os critérios estabelecidos no ponto anterior. 6 Quando no cartaz do evento ou etapa não for mencionada a sua designação, deve considerar-se, para todos os efeitos, a sua correspondência e equiparação a uma Etapa Prata. 7 As etapas constituintes da prova podem assumir a sua natureza de etapa regular ou etapa não regular de acordo com a sua fidelização ao depósito de pontos para integrar a classificação de cada atleta no ranking regional e que ajudará a apurar os campeões regionais da prova. 8 Uma etapa regular dedica pontos ao ranking regional e uma etapa não regular não configura a atribuição de pontos para o ranking regional. 9 Todas as etapas da competição serão consideradas regulares à excepção da Etapa de Abertura e de Encerramento que têm outros objectivos para a sua realização.

3 10 A etapa de encerramento configura uma intenção de apuramento para as fases seguintes da competição, nomeadamente, as fases nacionais, e será realizada de acordo com os critérios definidos pela Federação Portuguesa de Voleibol. 11 Poderão ainda, eventualmente, ser incorporados alguns Encontros Regionais de Gira Praia que permitirão apurar atletas para participação na fase nacional de diferentes pontos geográficos da zona de intervenção territorial da AVAL, desde que autorizados pela Federação Portuguesa de Voleibol. Artigo 2º Inscrições 1- Poderão participar nesta competição, sem restrições, equipas representantes de Clubes Desportivos, Clubes Desporto Escolar ou Centros Gira Volei/Gira Praia oriundos da região geográfica do Alentejo e Algarve, integrando os distritos de Portalegre, Évora, Setúbal, Beja e Faro, desde que os seus atletas estejam regularmente inscritos na FPV. 2 Poderão ainda participar atletas oriundos da região geográfica não intervencionada pela AVAL, com direito a atribuição de pontuação no ranking regional mas sem direito à atribuição de título de Campeão Regional. 3 Apenas poderão participar nas diferentes etapas, atletas devidamente inscritos no projecto GIRA PRAIA fazendo representação de qualquer estrutura com identidade jurídica. 4 A AVAL não se responsabiliza por qualquer dano que surja decorrente da participação de atletas não inscritos na FPV, pertencentes a clubes participantes, que estejam em competição. 5 Caberá ao clube e atleta participante conhecer o estado em que se encontra a sua inscrição no projecto perante a Federação Portuguesa de Voleibol. 6 Todos os atletas participantes que à data da prova não tenham sido inscritos na FPV, a sua prestação desportiva não é considerada para efeitos de contabilização de pontos no ranking de atletas e de clube. 7 Todas as etapas nas quais se verifique que até ao dia anterior, pelas 12:00 horas, não ocorreu a inscrição mínima de oito duplas, a organização reserva-se no direito de cancelar a mesma, decidindo ou não pela sua repetição em data alternativa. 8 Nos casos de cancelamento/adiamento de provas, a organização emitirá um aviso aos clubes/centros inscritos pelos vários canais de comunicação de que dispõe.

4 9 Os treinadores e responsáveis pelas equipas são obrigados a comprovar a inscrição regular dos atletas participantes na FPV assim como certificar as suas idades através do Cartão de Atleta emitido pela FPV ou pela cópia do Cartão de Cidadão de cada um dos atletas, antes do início de cada Torneio/Etapa. 10 As inscrições de duplas para participação em cada torneio deverão ser feitas via correio electrónico ou outro suporte digital dado a conhecer e poderá carecer de preenchimento de um boletim próprio. 11 Todos os Clubes ou Centros Gira Volei/Gira Praia que pretendam participar em qualquer Etapa deste CR deverão formalizar o seu interesse junto da AVAL, sem quaisquer custos ou taxas. 12 Os clubes/centros associados estarão isentos do pagamento de taxa de inscrição ou participação. Artigo 3º Participação e prémios 1 A participação de cada um dos atletas no CR é cometida ao escalão etário/sexo correspondente, não sendo viabilizada a classificação pela participação de equipas mistas, com atletas de sexos diferentes, de acordo com a seguinte indicação para a época em curso. 2 Os limites das idades que definem cada escalão deverão ser verificados atendendo à idade do atleta no último dia do mês de dezembro correspondente à época desportiva em curso. 3 Serão utilizados os escalões definidos ao abrigo do Projecto Gira Praia da FPV, a saber: Escalões Etários Gira Volei/Gira+ Gestos Técnicos a utilizar Observações anos Recepção do serviço obrigatória em anos manchete, 2º toque livre e 3º anos toque com bola batida para o anos campo adversário anos Regras do Voleibol Praia 23+ Campos 8x4 ou 6x3 Campos 12x6 Campos 16x8 4 - As equipas de jogadores (duplas) poderão pertencer a escalões etários diferentes (no máximo, um nível) sendo inscritas no escalão correspondente à idade do atleta mais velho. 5 - O título de Campeão Regional será atribuído numa lógica de Clube com as equipas melhores pontuadas ao longo da totalidade do Circuito que integram as diferentes Etapas. 6 Serão também distinguidas as melhores equipas (duplas) de cada escalão/sexo com prémios individualizados e menções honrosas, nomeadamente, atribuindo o título de campeão regional na Etapa Final.

5 7 Haverá ainda um prémio de distinção para os melhores atletas classificados no ranking regional individual registados no final da competição, em qualquer escalão contemplado pela competição. 8 A organização poderá atribuir prémios de natureza diferenciada entre pecuniários, taças, troféus, medalhões e medalhas, opções qua variarão de acordo com o orçamento da associação no ano de enquadramento da competição. Artigo 4º Modelo de competição e sistema de classificação e pontuação 1 - Os Torneios do CR serão disputados numa primeira fase num sistema de grupos para um número ilimitado de equipas e, numa fase seguinte, de eliminatória simples para as 4 melhores equipas de cada escalão/sexo, ou da totalidade das equipas quando os quadros competitivos se disputarem com um número mais reduzido de equipas. 2 - A prova será disputada no sistema de ponto por jogada (rally-point), organizada, de acordo com o n.º de duplas inscritas ou n.º de campos de competição disponíveis: (1) à melhor de três sets ou, (2) por limitação de tempo (10 minutos) ou ainda, (3) um set único disputado até aos 15 pontos ou 21 pontos sendo comunicado o modelo às equipas participantes no decorrer da reunião técnica que antecede cada torneio. 3 No caso de uma prova ser disputada por limitação de tempo, o jogo termina quando uma equipa atingir primeiro os 15 pontos desde que alcance pelo menos, uma diferença de dois pontos para a equipa adversária. 4 - Na fase de grupos, a classificação é determinada pela soma de pontos: a) vitória - 2 pontos b) derrota - 1 ponto c) falta de comparência - 0 pontos (15-0 em cada set) 5 - Em caso de empate entre duas ou mais equipas, dentro da mesma série, a classificação será ordenada do seguinte modo: a) o que tiver melhor cociente entre pontos ganhos e perdidos; b) o que tiver melhor cociente entre os set s ganhos e perdidos; c) subsistindo o empate, a classificação é ordenada em função do que tiver maior pontuação classificativa nos jogos disputados entre si. d) subsistindo ainda o empate a classificação é ordenada em função do que tiver melhor cociente entre pontos ganhos e perdidos entre as equipas empatadas.

6 e) subsistindo ainda o empate a classificação é ordenada em função do que tiver melhor cociente entre set s ganhos e perdidos entre as equipas empatadas. 6 - Cada torneio, em cada etapa, conta com uma organização muito específica da competição originada pelo número de equipas inscritas até ao dia limite para inscrição de jogadores nas vésperas da competição. 7 - Em cada Torneio do CR os procedimentos de pontuação das diversas equipas variam de acordo com a classificação/denominação atribuída a cada uma das etapas em ouro, prata ou bronze. 8 Uma Etapa Ouro é caracterizada por atribuir o dobro da pontuação de uma Etapa Prata nos seguintes termos: * A cada uma das equipas ( duplas ) que no seu quadro competitivo se posiciona, no final do Torneio, entre o 1º e o 4º lugar da classificação final e cujos ponto se repartem igualmente por cada atleta para efeitos de ranking individual de atletas; * Ao clube que no somatório das pontuações obtidas pelas suas equipas participantes em cada um dos quadros competitivos se posiciona entre o 1º e o último lugar da classificação final por equipas; Pontuação por Duplas Pontuação de Clubes 1º Class. 100 pontos 1º Class. 100 pontos 2º Class. 80 pontos 2º Class. 60 pontos 3º Class. 60 pontos 3º Class. 50 pontos 4º Class. 40 pontos 4º Class. 40 pontos >4º Class. 20 pontos >4º Class. 20 pontos 9 Uma Etapa Prata é caracterizada por atribuir a seguinte pontuação ao clube e suas duplas de acordo com o seu posicionamento na classificação e nos seguintes termos: * A cada uma das equipas ( duplas ) que no seu quadro competitivo se posiciona, no final do Torneio, entre o 1º e o 4º lugar da classificação final e cujos ponto se repartem igualmente por cada atleta para efeitos de ranking individual de atletas; * Ao clube que, mediante o somatório das pontuações obtidas pelas suas equipas participantes em cada um dos quadros competitivos, se posiciona entre o 1º e o último lugar da classificação final; Pontuação por Duplas Pontuação de Clubes 1º Class. 50 pontos 1º Class. 50 pontos 2º Class. 40 pontos 2º Class. 30 pontos 3º Class. 30 pontos 3º Class. 25 pontos 4º Class. 20 pontos 4º Class. 20 pontos >4º Class. 10 pontos >4º Class. 10 pontos

7 10 Uma Etapa Bronze é caracterizada por ser uma etapa regular que confere a pontuação descrita na tabela seguinte, contabilizada para efeitos da pontuação geral do Torneio e que advêm da organização de Encontros Convívios ou Inter Escolares por parte dos Clubes e Centros Gira Praia ou Gira Volei desde que adquira o reconhecimento e homologação da AVAL Poderão ainda existir etapas bronze em simultâneo com a organização de prvas de Voleibol de Praia (seniores) A pontuação auferida nestas competições pode ser contabilizada na classificação geral do CR e é atribuída nos seguintes termos: * A cada uma das equipas ( duplas ) que no seu quadro competitivo se posiciona, no final do Torneio, entre o 1º e o 4º lugar da classificação final e cujos ponto se repartem igualmente por cada atleta para efeitos de ranking individual de atletas; * Ao clube que, mediante o somatório das pontuações obtidas pelas suas equipas participantes em cada um dos quadros competitivos, se posiciona entre o 1º e o último lugar da classificação final; Pontuação por Duplas Pontuação de Clubes 1º Class. 20 pontos 1º Class. 25 pontos 2º Class. 15 pontos 2º Class. 15 pontos 3º Class. 10 pontos 3º Class. 10 pontos 4º Class. 5 pontos 4º Class. 8 pontos >4º Class. 4 pontos >4º Class. 5 pontos 13 As Etapas de Bronze serão devidamente divulgadas junto de todas as entidades e atletas que pretendam realizar a pré-inscrição para esta competição, devendo a entidade organizadora aceitar a participação de qualquer atleta oriundo de um Clube de Voleibol ou de um Centro Gira Praia em funcionamento. 14 A participação das diferentes duplas no CR é gerida livremente por cada clube, não sendo obrigatória a participação na totalidade das etapas que compõem a competição. 15 Os clubes/entidades inscritas neste CR terão vantagens no apuramento de duplas para os Encontros Nacionais ou Etapas Finais Nacionais de Gira Praia/Sub s desde que as melhores duplas regionais apuradas para essa prova tenham participado pelo menos em 50% do número de etapas do CR, organizados oficialmente pela FPV e/ou AVAL e atendendo também à sua posição no ranking regional. 16 A contabilização de pontos para apuramento do Campeão Regional a nível individual (dupla) ou coletivo (clube) é feita a partir do somatório de pontos adquiridos em cada torneio de cada etapa não

8 havendo lugar a qualquer outra forma de contabilização, sendo privilegiado um equilíbrio entre a quantidade e qualidade da participação de cada equipa ou clube. 17 Todas as etapas de encerramento do CR são consideradas etapas de Ouro mas apenas conferem pontuação para efeito de classificação de clube. 18 Para efeitos de classificação de clube, a sua participação nas etapas de encerramento (etapas ouro não regulares) que conferem o apuramento de atletas para as fases seguintes da competição atribuem uma classificação suplementar ao clube de 5 pontos por cada dupla classificada em 1º lugar na prova. 19 No final de cada etapa será feito o somatório dos pontos obtidos por cada dupla de cada um dos clubes/centros participantes não havendo restrições à inscrição de atletas/equipas com um número mínimo ou máximo. 20 Todas as equipas inscritas pontuam para a classificação de clube e, no final do torneio, em cada etapa, a pontuação a atribuir faz-se pela ordem descendente da classificação obtida, de acordo com os critérios definidos nas tabelas dos pontos 8 a 12 do artigo 4º do presente regulamento. 21 Os clubes serão ordenados, em termos classificativos, em cada etapa, pela ordem descendente do número de pontos obtidos sendo posteriormente atribuída a pontuação referida na tabela dos pontos 8 a 12 do artigo 4º do presente regulamento. 22 Em caso de empate entre dois ou mais clubes, ao nível de pontos obtidos no final de uma etapa, serão utilizados os seguintes critérios de desempate: (1) clube que apresentou um menor número de atletas em competição e com uma participação pontuável; (2) clube com maior número de vitórias individuais das suas equipas participantes. 23 Caso os critérios acima definidos não sejam suficientes para o desempate, os clubes empatados beneficiarão da divisão igual de pontos entre as equipas, obtida do somatório dos pontos atribuíveis às posições ocupadas por estes clubes na classificação final. 24 No caso de empate entre atletas no ranking individual, a organização fará a distinção igual entre os atletas empatados melhores posicionados na classificação. 25 A pontuação obtida por cada clube em cada Etapa do CR será transferida, nos termos seguintes, para o Programa Mega Clube cujo objeto se prende com o financiamento a clubes promotores de voleibol. 26 No final do CR, cada clube/centro será classificado pelo somatório de pontos obtidos na sua dimensão coletiva, de cada Etapa. Serão fixados, no final do CR, para efeitos de participação no Programa Mega Clube, os critérios de pontuação apresentados na tabela seguinte:

9 Programa Mega Clube Pontuação a atribuir a clubes/centros no final do CR CLASSIFICAÇÃO PONTUAÇÃO 1º Class. (Campeão Regional) 1000 pontos 2º Class. (Vice-campeão Regional) 700 pontos 3º Class. no Circuito Regional 500 pontos 4º Class. no Circuito Regional 300 pontos 5º Class. no Circuito Regional 200 pontos 6º Class. e seguintes 150 pontos Artigo 5º Delegado Técnico e Reunião Técnica 1 - Para cada competição a AVAL designará um Delegado Técnico como seu representante, que terá autoridade para, durante a competição, tomar decisões no que concerne aos jogadores, inscrições, programação de jogos e interpretação de orientações previstas nas normas e regulamentos em vigor. 2 - Antes de se iniciar cada Torneio terá lugar uma reunião técnica. 3 A participação na reunião técnica é obrigatória para todos os responsáveis pelos clubes participantes ou pelos jogadores das duplas inscritas quando não se fazem acompanhar pelo seu treinador. 4 Na reunião técnica, na qual todos os clubes participantes poderão apresentar sugestões de alteração ao planeado ou programado na prova em questão ou apresentar dúvidas no que concerne ao funcionamento da prova ou competição, as tomadas de decisão finais deverão respeitar a natureza da intervenção estratégica da AVAL na promoção do voleibol e sempre em natureza de consensualidade entre todas as equipas envolvidas. 5 - A reunião mencionada no número anterior iniciar-se-á à hora marcada pela direcção da prova, podendo eventualmente aguardar-se até que estejam presentes pelo menos 50% das duplas inscritas, período findo o qual se dará início à tarefa, não sendo necessário proceder à justificação da ausência mas com o compromisso de aceitação tácita de todas as decisões tomadas ou comunicadas no decorrer da reunião. Artigo 6º Disposições Finais 1 Os jogos disputados no âmbito desta competição serão norteados pelos regulamentos específicos oficiais do Gira Praia editados pela Federação Portuguesa de Voleibol. 2 A organização dos jogos assumirá uma lógica de presença e utilização de recintos cujo piso seja a areia.

10 3 A arbitragem dos jogos é feita pelos elementos das equipas presentes, assumindo a alternância estipulada pela chave e programação da competição. 4 A chave de competição é definida de acordo com a receção das fichas de inscrição dos clubes interessados. Artigo 7º Casos omissos e resoluções finais Em todas as questões eventualmente omissas neste regulamento regem os Regulamentos da Federação Portuguesa de Voleibol ou, na falta de disposições destes, os Regulamentos da F.I.V.B. Artigo 8º Horário tipo e calendário da competição Horário Manhã Tarde 7h30 11h30 Programa Montagem dos Campos (Bases, postes, redes, fitas de marcação, varetas), tendas de organização, mesas e cadeiras, entre outros. Tipo de Atividade Organização Sponsorização Competição X 8h15 13h15 Montagem dos elementos de publicidade X 9h00 14h00 Receção dos atletas (horário indicado em cartaz) X 9h45 14h15 Reunião Técnica e eventual sorteio X 10h00 14h30 Início do primeiro round de jogos X 10h-12h 14h30 16h30 Competição da Primeira Fase do Quadro Principal (Fase de grupos) X 12h 12h45 16h45 17h30 Início da Segunda Fase (eliminatórias) X 13h15 18h00 Entrega de prémios e encerramento da competição X Nota: sujeito a alterações em cada etapa da competição e de acordo com a hora marcada no cartaz de competição que se reporta sempre à hora de chegada das equipas ao local da prova A Direção da AVAL em CASTRO VERDE, 23ABR. 2015

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS O QUE É O Gira Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida entre os 8 e os 16 onde apenas se pode utilizar uma técnica: o passe. OBJECTIVOS: Contribuir para

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA CAMPEONATO NACIONAL DAS ASSOCIAÇOES MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA

REGULAMENTO DE PROVA CAMPEONATO NACIONAL DAS ASSOCIAÇOES MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA FEDERAÇÃO PORTUGUESA MATRAQUILHOS E FUTEBOL DE MESA FUNDADA EM 0 DE FEVEREIRO DE 200 FILIADA NA ITSF - INTERNATIONAL TABLE SOCCER FEDERATION SEDE OFICIAL AV. ENG.º ARMANDO MAGALHAES, 31 4440-505 VALONGO

Leia mais

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento 2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS Normas de Funcionamento Normas de Funcionamento Considerando a importância que a promoção da dinâmica desportiva assume no concelho, a Câmara Municipal da Lourinhã,

Leia mais

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto B O C C I A REGULAMENTAÇÃO GERAL NACIONAL 2008/2009 1 INTRODUÇÃO Todos os intervenientes em competições de zona e nacionais, acções de formação e classificação médico - desportiva, deverão reger-se pelos

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014 ARTIGO 1º O Campeonato Nacional de Gira- Praia de Subs é uma competição de Voleibol de Praia de âmbito nacional, organizada pela

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS. Taça Fundação INATEL

NORMAS ESPECÍFICAS. Taça Fundação INATEL NORMAS ESPECÍFICAS Taça Fundação INATEL FUTEBOL - ÉPOCA 2009-2010 Taça Fundação INATEL NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direcção Desportiva, em complemento do Código

Leia mais

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00 Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015 1. Calendário Federativo Nacional Data Dia da Semana Evento Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA Departamento de Lazer e Desporto para Todos NORMAS ESPECÍFICAS

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TÉNIS DE MESA Departamento de Lazer e Desporto para Todos NORMAS ESPECÍFICAS NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela F.P.T.M.- Departamento de Lazer e Desporto para Todos, para as provas por ela organizadas. As normas específicas aplicam-se a todos

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20)

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20) REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20) I DISPOSIÇÔES GERAIS ARTIGO 1º O Campeonato Nacional Gira-Praia é uma competição de Voleibol de Praia de âmbito nacional, organizada pela

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL XIRA 2016

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL XIRA 2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL XIRA 2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 ESCALÕES ETÁRIOS, TEMPO DE JOGO E BOLA... 4 2.1. ESCALÕES ETÁRIOS... 4 2.2. DURAÇÃO DOS JOGOS... 4 2.3. A BOLA... 4 REGULAMENTO DO ESCALÃO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE S. MIGUEL Instituição de Utilidade Pública Pessoa Colectiva n.º 512019673 Fundada em 26.03.86 Filiada na Federação Portuguesa Atletismo RUA PINTOR DOMINGOS REBELO N.º 4 TELEFONE

Leia mais

Associação de Voleibol ALENTEJO E ALGARVE VOLEIBOL DE PRAIA. Projeto e Programa de Competição

Associação de Voleibol ALENTEJO E ALGARVE VOLEIBOL DE PRAIA. Projeto e Programa de Competição Associação de Voleibol ALENTEJO E ALGARVE VOLEIBOL DE PRAIA Projeto e Programa de Competição 2015 INTRODUÇÃO Assumindo uma lógica de continuidade, a atividade aqui descrita está enquadrada no Projeto Volley

Leia mais

Regulamento do Circuito Smashtour 2013

Regulamento do Circuito Smashtour 2013 REGULAMENTO CIRCUITO SMASHTOUR 2014 Regulamento do Circuito Smashtour 2013 1 - O Circuito será disputado em três fases, com um mínimo de 19 provas de cada fase de desenvolvimento Mínimo de 1 e máximo de

Leia mais

XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 R E G U L A M E N T O

XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 R E G U L A M E N T O XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 R E G U L A M E N T O DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O XXIV CIRCUITO ESTADUAL DE VOLEIBOL DE PRAIA 2013 / 2014 é uma promoção e realização da Federação

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE TÉNIS XIRA 2015

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE TÉNIS XIRA 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DE TÉNIS XIRA 2015 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 INSCRIÇÕES... 4 DATAS E LOCAIS DOS ENCONTROS 4 ESCALÕES ETÁRIOS/DURAÇÃO DE JOGO... 4 CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... Erro! Marcador não definido.

Leia mais

FUTEBOL. www.inatel.pt

FUTEBOL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTEBOL www.inatel.pt FUTEBOL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

REGULAMENTO. 1. O Circuito Padel Portugal, é composto por eventos constantes do Calendário Oficial de Provas da Federação Portuguesa de Ténis.

REGULAMENTO. 1. O Circuito Padel Portugal, é composto por eventos constantes do Calendário Oficial de Provas da Federação Portuguesa de Ténis. Regulamento CIRCUITO PADEL PORTUGAL 2014 REGULAMENTO 1. O Circuito Padel Portugal, é composto por eventos constantes do Calendário Oficial de Provas da Federação Portuguesa de Ténis. 2. O Circuito Padel

Leia mais

FUTSAL. www.inatel.pt

FUTSAL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS FUTSAL www.inatel.pt FUTSAL NORMAS ESPECIFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais. Campeonato Juvenil de Goalball REGULAMENTO

Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais. Campeonato Juvenil de Goalball REGULAMENTO Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais Campeonato Juvenil de Goalball REGULAMENTO Preâmbulo O Goalball é uma modalidade desportiva coletiva, originariamente concebida para pessoas com

Leia mais

CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015. - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única.

CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015. - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única. CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015 I DIVISÃO - SENIORES MASCULINOS - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única. - O Campeonato compreenderá duas fases distintas:

Leia mais

1ª Liga de Futsal 2014/2015

1ª Liga de Futsal 2014/2015 1ª Liga de Futsal 2014/2015 Patrono RICARDINHO 1 I Liga Futsal 2014/2015 Regulamento Equipas Artigo 1º Esta liga de futsal encontra-se aberta a equipas de empresas devidamente certificadas, podendo ser

Leia mais

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não REGULAMENTO DO TORNEIO INTER-REGIONAL DE SEVENS FEMININO 2014/2015 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em

Leia mais

Regulamento Interno Liga Futsal AEISCSN 2010/2011

Regulamento Interno Liga Futsal AEISCSN 2010/2011 1 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Organização e direcção do torneio II. ORGANIZAÇÃO DA PROVA Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Pontuação de Jogo Artigo 4º - Critérios de Desempate Artigo

Leia mais

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO

Câmara Municipal de Montemor-o-Velho. Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO Câmara Municipal de Montemor-o-Velho Unidade de Desporto XVII TORNEIO DE FUTEBOL JUVENIL 2014 REGULAMENTO Montemor-o-Velho, Maio de 2014 Índice REGULAMENTO... 3 1. ORGANIZAÇÃO... 3 2. DESTINATÁRIOS/ESCALÕES

Leia mais

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO

Feminino 2ª Divisão 2010_11. FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO Campeonato Nacional Feminino 2ª Divisão 2010_11 FASE FINAL APURADOS (1º ao 6º LUGAR) REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO A. Clubes Apurados B. Modelo Competitivo C. Marcação de Jogos D. Arbitragem E. Inscrição das

Leia mais

Convite. Grupo Desportivo ecultural Actuais e Antigos Alunos

Convite. Grupo Desportivo ecultural Actuais e Antigos Alunos Grupo Desportivo ecultural Actuais e Antigos Alunos A.A. e Alunos Guilhabreu Contribuinte 503635758 G.P.S. N 41.292939 W 8.635334 Rua Senhora do Amparo, 4485-266 Guilhabreu, Vila do Conde Convite O Grupo

Leia mais

CIRCUITO VERÃO SESC DE ESPORTES 2013/2014

CIRCUITO VERÃO SESC DE ESPORTES 2013/2014 CIRCUITO VERÃO SESC DE ESPORTES 2013/2014 I. DA COMPETIÇÃO II. DA COORDENAÇÃO III. DAS FASES DA COMPETIÇÃO IV. DAS INSCRIÇÕES E PARTICIPAÇÕES V. DA PREMIAÇÃO VI. DA ARBITRAGEM VII. DA IDENTIFICAÇÃO VIII.

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL. (Revisto em setembro 2015)

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL. (Revisto em setembro 2015) REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013 2017 (Revisto em setembro 2015) Índice 1. Introdução 2 2. Escalões Etários, tempo de jogo e variantes da modalidade 3 2.1. Escalões Etários 3 2.2. Tempo de Jogo e variantes

Leia mais

Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011

Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011 Regulamento do Campeonato Nacional de Veteranos 2011 O Campeonato Nacional de Veteranos é organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez, e conta com os apoios do Hotel Golfmar, IDP, Câmara Municipal de

Leia mais

REGULAMENTO DO 1º TORNEIO DE FUTSAL MOSAICO DE PAISAGENS 2013

REGULAMENTO DO 1º TORNEIO DE FUTSAL MOSAICO DE PAISAGENS 2013 REGULAMENTO DO 1º TORNEIO DE FUTSAL MOSAICO DE PAISAGENS 2013 1. INTRODUÇÃO O 1º Torneio de Futsal Mosaico de Paisagens 2013, organizado pelo Município de Caminha, será disputado por um total máximo de

Leia mais

TAXAS ÉPOCA 2010/2011 American Pool. * Jogadores com idade até 21 anos contados em 31 de Dezembro do acto da inscrição.

TAXAS ÉPOCA 2010/2011 American Pool. * Jogadores com idade até 21 anos contados em 31 de Dezembro do acto da inscrição. Federação Portuguesa de Bilhar Rua Gonçalves Crespo, 28, 4º - 1150-186 LISBOA Tel: 21 3153220 Fax: 213538497 email: fpbilhar@fpbilhar.pt Site: www.fpbilhar.pt TAXAS ÉPOCA 2010/2011 American Pool Filiação

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013-2017

REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013-2017 REGULAMENTO ESPECÍFICO FUTSAL 2013-2017 Índice 1. Introdução 2 2. Escalões Etários, tempo de jogo e variantes da modalidade 2 2.1. Escalões Etários 3 2.2. Tempo de Jogo e variantes da modalidade 3 2.3.

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS II CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS II CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL MASTER DE ÁGUAS ABERTAS 2009 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE NATAÇÃO / CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL 0 1. ÂMBITO O II Campeonato Nacional Masters de Águas Abertas atribuirá o título

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS

REGULAMENTO GERAL DOS REGULAMENTO GERAL DOS II JOGOS UNIVERSITARIOS UNIBRASIL 2009 I - DOS OBJETIVOS II JOGOS UNIVERSITARIOS UNIBRASIL 2009 Artigo 1º - Os II Jogos Universitários das Faculdades Integradas do Brasil, promovido

Leia mais

SÁBADO, 27 JUNHO 2015

SÁBADO, 27 JUNHO 2015 1 1. ENQUADRAMENTO No âmbito da realização na cidade de Setúbal, da FINA 10 km Marathon Swimming World Cup - Setúbal 2015, competição integrada na Taça do Mundo de Águas Abertas FINA 2015, a Federação

Leia mais

CÂMARA MUNICPAL DO NORDESTE GABINETE DO DESPORTO TORNEIO DE FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO NORDESTE 2015

CÂMARA MUNICPAL DO NORDESTE GABINETE DO DESPORTO TORNEIO DE FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO NORDESTE 2015 CÂMARA MUNICPAL DO NORDESTE I.INTRODUÇÃO Com a organização do Torneio de Futsal Inter-Freguesias do Nordeste 2015, o gabinete do Desporto pretende proporcionar à população concelhia um espaço privilegiado

Leia mais

CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL

CLUB INTERNACIONAL DE FOOT-BALL REGULAMENTO GERAL DE PROVAS de Futebol 11 (categoria sénior) Capítulo I - Da realização dos torneios e jogos Capítulo II - Das inscrições Capítulo III - Da disciplina Capítulo IV - Da representação das

Leia mais

Liga de Rugby do Vale

Liga de Rugby do Vale REGULAMENTO DO TORNEIO Torneio de Rúgbi de Areia 58º Jogos Regionais de Caraguatatuba Liga de Rugby do Vale Capítulo I - Disposições Gerais Art. 1º - O Torneio de Rúgbi de Areia em Caraguatatuba, é um

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE PROVAS

REGULAMENTO GERAL DE PROVAS REGULAMENTO GERAL DE PROVAS Aprovado em Reunião de Direcção de 31 de Julho de 2013 Aprovado em Reunião de Direcção de 31 de Julho de 2013 1/22 Artigo 1º ÉPOCA DESPORTIVA 1) A Federação estabelece como

Leia mais

FUTSAL INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA

FUTSAL INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA INTER CURSOS 2013/14 REGULAMENTO GERAL DA PROVA 1 MODELO COMPETITIVO DO INTER CURSOS 1.1 ESTA COMPETIÇÃO SERÁ DISPUTADA ENTRE 35 EQUIPAS, DISTRIBUIDAS 12 PELA PRIMEIRA DIVISÃO, E DOIS GRUPOS NA SEGUNDA

Leia mais

II ÁGUAS ABERTAS AQUAPOLIS ABRANTES

II ÁGUAS ABERTAS AQUAPOLIS ABRANTES II ÁGUAS ABERTAS AQUAPOLIS ABRANTES IX CIRCUITO NACIONAL DE ÁGUAS ABERTAS Regulamento 02.Agosto.2009 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE NATAÇÃO / CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL 0 1. ORGANIZAÇÃO Associação de Natação

Leia mais

REGULAMENTO_2015. Página 1

REGULAMENTO_2015. Página 1 1 - Regras 1.1 - O Sesimbra Summer Cup será disputado em conformidade com as regras da FIFA, com excepção do previsto neste regulamento. 1.2 As equipas participantes podem ser equipas federadas, equipas

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVAS

REGULAMENTO DE PROVAS REGULAMENTO DE PROVAS CAPITULO I DA ORGANIZAÇÃO DAS PROVAS ARTIGO 1º - LIMITES DA ÉPOCA OFICIAL 1 - É considerada Época Oficial, o período compreendido entre 1 de Agosto e 31 de Julho. ARTIGO 2º - PROVAS

Leia mais

I TORNEIO DE FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE SHORINJI KEMPO DE SINTRA. Dia 3 de Julho de 2011 Escola Secundária Gama Barros - Cacém

I TORNEIO DE FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE SHORINJI KEMPO DE SINTRA. Dia 3 de Julho de 2011 Escola Secundária Gama Barros - Cacém I TORNEIO DE FUTSAL ASSOCIAÇÃO DE SHORINJI KEMPO DE SINTRA Dia 3 de Julho de 2011 Escola Secundária Gama Barros - Cacém APRESENTAÇÃO Este torneio é o primeiro da Associação de Shorinji Kempo de Sintra

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE PROVAS OFICIAIS DE POLO-AQUATICO 2015/2016 INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS...

REGULAMENTO ESPECIFICO DE PROVAS OFICIAIS DE POLO-AQUATICO 2015/2016 INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS... REGULAMENTO ESPECÍFICO DE PROVAS OFICIAIS 2015/2016 INDICE INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS... 5 1 PRÉMIOS... 5... 5... 5 PO2 CAMPEONATO NACIONAL DA 2.ª DIVISÃO MASCULINOS...

Leia mais

REGULAMENTO BASQUETE 2009

REGULAMENTO BASQUETE 2009 REGULAMENTO BASQUETE 2009 Organização: Fórum das Associações dos Servidores das Agências Reguladoras Patrocínio: DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO BASQUETE - 2009 Art.01 - Este regulamento é o conjunto

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS Em vigor a partir de 21 de Agosto de 2015 1. PRIMEIRAS PAGAIADAS 1.1. Objetivos O quadro competitivo promovido

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DO PORTO www.atmporto.com

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DO PORTO www.atmporto.com COMUNICADO NRº 01 ÉPOCA 2015/2016 DATA 01/08/15 1 - ABERTURA DA ÉPOCA 2015/2016 2 - INSCRIÇÕES 3 - ESCALÕES ETÁRIOS OFICIAIS 4 - FILIAÇÃO DO CLUBE NA ATM PORTO 5 - SEGURO DESPORTIVO 6 - INSCRIÇÕES DE ATLETAS

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 4 ÉPOCA 2014/2015 Associação de Andebol do Algarve

COMUNICADO OFICIAL N.º 4 ÉPOCA 2014/2015 Associação de Andebol do Algarve Distribuição: Clubes Filiados 1. Direcção 1.1 Acão de Formação Inicio Época - 6 de Setembro - Tavira (Auditório da Escola D. Manuel I) 9:30 - Abertura 10:00 - Direção da AAA 11:00 - Intervalo 11:20 - Apresentação

Leia mais

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS:

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS: INTRODUÇÃO NÍVEL I O Gira-Volei é um jogo de iniciação à modalidade destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 8 e 15 anos, onde através do jogo simplificado (2x2) e utilização do passe faz

Leia mais

3º Prova ÁGUAS ABERTAS Fluviário de Mora. Açude do Gameiro Mora 12 Julho de 2015

3º Prova ÁGUAS ABERTAS Fluviário de Mora. Açude do Gameiro Mora 12 Julho de 2015 3º Prova ÁGUAS ABERTAS Fluviário de Mora Açude do Gameiro Mora 12 Julho de 2015 1. Organização Município de Mora. 2. Apoios Associação de Natação do Alentejo Bombeiros Voluntários de Mora Fluviário de

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL INFANTIL A SENIOR DE NATAÇÃO - 2012

CAMPEONATO ESTADUAL INFANTIL A SENIOR DE NATAÇÃO - 2012 FEDERAÇÃO AQUÁTICA NORTERIOGRANDENSE www.fanrn.com.br - aquaticarn@gmail.com Fone: 84-32018008 CAMPEONATO ESTADUAL INFANTIL A SENIOR DE NATAÇÃO - 2012 REGULAMENTO Art. 1º - O Campeonato Estadual Infantil

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE SETAS DE LISBOA REGULAMENTO 2012-2013 DARDOS ELECTRÓNICOS

ASSOCIAÇÃO DE SETAS DE LISBOA REGULAMENTO 2012-2013 DARDOS ELECTRÓNICOS ASSOCIAÇÃO DE SETAS DE LISBOA REGULAMENTO 2012-2013 DARDOS ELECTRÓNICOS REGULAMENTO 2012-2013 Ponto 1. Máquinas e distância de jogo Nas competições de dardos eletrónicos da Associação de Setas de Lisboa

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

V Prova de Águas Abertas. Barragem dos Minutos Montemor-o-Novo 2 Junho de 2012

V Prova de Águas Abertas. Barragem dos Minutos Montemor-o-Novo 2 Junho de 2012 V Prova de Águas Abertas Barragem dos Minutos Montemor-o-Novo 2 Junho de 2012 1. Organização Município de Montemor-o-Novo. 2. Apoios Associação de Natação do Alentejo Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo

Leia mais

1.3 - A primeira jornada da liga, será sorteada numa reunião, em que a organização espera ter presentes, os representantes de todas as equipas.

1.3 - A primeira jornada da liga, será sorteada numa reunião, em que a organização espera ter presentes, os representantes de todas as equipas. Regulamento DISPOSIÇÕES GERAIS a) A Liga FutsalSport não se responsabiliza por acidentes extradesportivos, sejam eles de que natureza for, que venham a ocorrer antes e depois dos jogos. b) Em todos os

Leia mais

Apoios e Subsídios 2014/2015

Apoios e Subsídios 2014/2015 Apoios e Subsídios 2014/2015 Notas prévias: Apenas serão apoiados e subsidiados os atletas e equipas vinculados a clubes que tenham a sua situação financeira regularizada perante a FPB; As equipas e atletas

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES E FILIAÇÕES. Federação Portuguesa de Xadrez

REGULAMENTO DE COMPETIÇÕES E FILIAÇÕES. Federação Portuguesa de Xadrez E FILIAÇÕES Federação Portuguesa de Xadrez PARTE I - DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 ARTIGO 1 - (Âmbito de aplicação)... 3 ARTIGO 2 - (Época)... 3 PARTE II - COMPETIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS...

Leia mais

VOLEI MASTER 2015 REGULAMENTO OFICIAL

VOLEI MASTER 2015 REGULAMENTO OFICIAL VOLEI MASTER 2015 REGULAMENTO OFICIAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, REALIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO Artigo 1º - Vôlei Master é o nome fantasia do 12º Campeonato Brasileiro de Voleibol Master 2015, instituído pela

Leia mais

Circuito Nacional de Bodysurf, Campeonato Nacional de Surf Masters e Campeonato Nacional de Kneeboard 2015

Circuito Nacional de Bodysurf, Campeonato Nacional de Surf Masters e Campeonato Nacional de Kneeboard 2015 CADERNO DE ENCARGOS Circuito Nacional de Bodysurf, Campeonato Nacional de Surf Masters e Campeonato Nacional de Kneeboard 2015 1. INTRODUÇAO Com o objectivo de aumentar o número de provas existentes em

Leia mais

I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015

I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO BTT DE SANTANA 2015 I DUATLO JOVEM BTT DE SANTANA 2015 Sábado, 24 de Outubro de 2015 Distância Sprint: 5kms Corrida / 16 kms BTT / 2.5 kms Corrida Distância S.Sprint: 2.5kms Corrida / 8 kms BTT

Leia mais

Projeto ESCOLINHA DE VOLEIBOL

Projeto ESCOLINHA DE VOLEIBOL Associação de Voleibol do ALENTEJO Projeto ESCOLINHA DE VOLEIBOL CASTRO VERDE, JULHO DE 2012 INTRODUÇÃO Assumindo uma lógica de continuidade, a atividade aqui descrita está enquadrada no Projeto Volley

Leia mais

REGULAMENTO DE FUTSAL

REGULAMENTO DE FUTSAL REGULAMENTO DE FUTSAL Capítulo I DAS FINALIDADES Art. 1º O campeonato de futsal masculino, é promovido como uma das modalidades dos VI JOGOS NACIONAIS DA MAGISTRATURA, promovido e organizado pela AMB Associação

Leia mais

NORMATIVO DA LIGA MUNICIPAL DE FUTSAL DA MAIA

NORMATIVO DA LIGA MUNICIPAL DE FUTSAL DA MAIA NORMATIVO DA LIGA MUNICIPAL DE FUTSAL DA MAIA PELOURO DO DESPORTO DEPARTAMENTO DE DESPORTO Aprovado por: 11/11/2015 Página 1/7 Praça do Doutor José Vieira de Carvalho 4474-006 Maia Tel. 229 408 600 Fax

Leia mais

CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO

CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO O Campeonato será realizado nos meses de Junho, Agosto,Outubro e a Etapa Master final do ano(local e data a confirmar),

Leia mais

PÓLO AQUÁTICO. associação de natação de lisboa. Regulamentos Específicos

PÓLO AQUÁTICO. associação de natação de lisboa. Regulamentos Específicos PÓLO AQUÁTICO Regulamentos Específicos Época 2015/2016 TORNEIO DE ABERTURA DE ABSOLUTOS MASCULINOS A divulgar em circular. 2. PARTICIPAÇÃO Podem participar os jogadores do género masculino com idade mínima

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA CAN U BEAT A PRO?

REGULAMENTO DA CAMPANHA CAN U BEAT A PRO? REGULAMENTO DA CAMPANHA CAN U BEAT A PRO? O Tietennis Players Network, plataforma de promoção do Ténis pertencente a NETCAOS Software (doravante Tietennis ) com sede no Parque Empresarial do Algarve, 8400-431,

Leia mais

REGULAMENTO DOS JOGOS DA SAÚDE

REGULAMENTO DOS JOGOS DA SAÚDE REGULAMENTO DOS JOGOS DA SAÚDE 2015 ÍNDICE CAPÍTULO I Da Organização...3; CAPÍTULO II Dos Objetivos...3; CAPÍTULO III Da Coordenação...3; CAPÍTULO IV Data e local...4; CAPÍTULO V Das Inscrições...4; CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DESPORTIVO

REGULAMENTO DESPORTIVO TORNEIO DE FUTEBOL INFANTIL JOSÉ TORRES AMADORA 2014 FUTEBOL 7 INFANTIS COMPLEXO DESPORTIVO MUNICIPAL DO MONTE DA GALEGA 4 e 5 de outubro de 2014 REGULAMENTO DESPORTIVO 01 Regras 02 Escalão etário 03 Equipas

Leia mais

JOGOS MUNICIPAIS 2015 REGULAMENTO

JOGOS MUNICIPAIS 2015 REGULAMENTO JOGOS MUNICIPAIS 2015 REGULAMENTO PARTICIPAÇÃO Podem participar munícipes federados ou não federados, em representação de clubes, grupos informais e a título individual, de acordo com o regulamento específico

Leia mais

TAÇA CIDADE SÃO JOSÉ DE FUTSAL 2014 REGULAMENTO GERAL I - DA ORGANIZÇÃO E DIREÇÃO

TAÇA CIDADE SÃO JOSÉ DE FUTSAL 2014 REGULAMENTO GERAL I - DA ORGANIZÇÃO E DIREÇÃO TAÇA CIDADE SÃO JOSÉ DE FUTSAL 2014 REGULAMENTO GERAL I - DA ORGANIZÇÃO E DIREÇÃO Art. 1º - A organização da Taça Cidade São José de Futsal é de inteira responsabilidade da Prefeitura Municipal de São

Leia mais

Comunicado da Direção Filiações e Revalidações - 2014

Comunicado da Direção Filiações e Revalidações - 2014 Comunicado da Direção Filiações e Revalidações - 2014 As normas para filiações, revalidações e transferências encontram-se devidamente descriminadas no respetivo Regulamento que pode ser consultado no

Leia mais

Campeonato Regional de Ténis 2009 Iniciados e Juvenis CLUBE DE TÉNIS DO ESTORIL

Campeonato Regional de Ténis 2009 Iniciados e Juvenis CLUBE DE TÉNIS DO ESTORIL 1 Introdução DOCUMENTO ORIENTADOR O Campeonato Regional de Ténis enquadra-se num conjunto de Campeonatos Regionais da responsabilidade da Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo. O presente

Leia mais

CDE - CLUBE DESPORTIVO ESTRELA REGULAMENTO PARA O FUTEBOL

CDE - CLUBE DESPORTIVO ESTRELA REGULAMENTO PARA O FUTEBOL CDE - CLUBE DESPORTIVO ESTRELA REGULAMENTO PARA O FUTEBOL ÍNDICE CAPITULO I - PARTE GERAL Artigo 1º - Disposição Geral Artigo 2º - Formação e Competição Artigo 3º - Formação Artigo 4º - Competição Artigo

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL REGULAMENTO ESPECÍFICO DE FUTSAL 2007 2008 e 2008-2009 ÍNDICE INTRODUÇÃO.. 3 1. CONSTITUIÇÃO / IDENTIFICAÇÃO DAS EQUIPAS... 4 2. DURAÇÃO DOS JOGOS... 5 3. A BOLA.. 6 4. CLASSIFICAÇÃO / PONTUAÇÃO.... 6

Leia mais

4 a 6 de Setembro de 2015

4 a 6 de Setembro de 2015 A Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro, com a chancela da Confederação Brasileira de Judô, vem por meio deste, convidá-lo a participar da XII Copa Rio Internacional de Judô que acontecerá no Rio

Leia mais

Regulamento da Prova

Regulamento da Prova II Torneio Internacional de Águas Abertas do Mondego Regulamento da Prova 19.Setembro.2010 1. ORGANIZAÇÃO Câmara Municipal do Município Associação de Natação de Coimbra 2. APOIOS Arena Polisport EaFit

Leia mais

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO

Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO Troféu de Sintra em BTT 2014 REGULAMENTO DIVISÃO DE DESPORTO E JUVENTUDE NÚCLEO DE DESPORTO AVENTURA Versão 10/3/2014 1 INTRODUÇÂO O Ciclismo nas suas diversas variantes e como modalidade desportiva torna-se

Leia mais

Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau M a c a o I n t e r n a t i o n a l D r a g o n B o a t R aces REGULAMENTO DA PROVA

Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau M a c a o I n t e r n a t i o n a l D r a g o n B o a t R aces REGULAMENTO DA PROVA REGULAMENTO DA PROVA. Evento: 2 2. Data: 3,4 e 2 de Junho de 2 3. Organização: Instituto do Desporto Associação de Barcos de Dragão de Macau, China 4. Co-organização: Instituto para os Assuntos Cívicos

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE RALIS CENTRO 2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE RALIS CENTRO 2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO DE RALIS CENTRO 2014 REGULAMENTO I - ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO Art. 1 - A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) organiza em 2014 uma manifestação desportiva denominada

Leia mais

APRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA ÉPOCA 2014-2015

APRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA ÉPOCA 2014-2015 www.associaçãodebilhardonorte.com Email: abnorte@gmail.com t. APRESENTAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DA ÉPOCA 2014-2015 SOMOS A ASSOCIAÇÃO ORGANIZADORA DE EVENTOS, E CAMPEONATOS DE BILHAR, COM UMA ESTRUTURA PROFISSIONAL

Leia mais

DOCUMENTO DAS SELEÇÕES NACIONAIS GINÁSTICA ACROBÁTICA 2014/2015. Versão 13 Nov. 2015. Ginástica Acrobática

DOCUMENTO DAS SELEÇÕES NACIONAIS GINÁSTICA ACROBÁTICA 2014/2015. Versão 13 Nov. 2015. Ginástica Acrobática DOCUMENTO DAS SELEÇÕES NACIONAIS GINÁSTICA ACROBÁTICA 2014/2015 Versão 13 Nov. 2015 Índice 1. Notas Introdutórias... 3 2. Objetivos... 3 3. Seleção, Representação e Equipa Nacional... 4 4. Ingresso no

Leia mais

REGULAMENTO I Copa Integração de Futsal e Vôlei de Praia do IFPB Campus Sousa

REGULAMENTO I Copa Integração de Futsal e Vôlei de Praia do IFPB Campus Sousa REGULAMENTO I Copa Integração de Futsal e Vôlei de Praia do IFPB Campus Sousa Sousa, 20 de abril de 2012 CAPÍTULO I DAS INSCRIÇÕES Art. 1º. Os times interessados em participar I Copa Integração de Futsal

Leia mais

Curso Regional de Juizes F.P.S. 2015

Curso Regional de Juizes F.P.S. 2015 Curso Regional de Juizes F.P.S. 2015 I Inscrições De acordo com o projecto de formação de Recursos Humanos da F.P.S. para 2013-2017 irá decorrer emviana do Castelo nos dias de 21 e 22 de Março um curso

Leia mais

CAMPEONATO BRASILEIRO INFANTO-JUVENIL CIRCUITO NACIONAL CORREIOS ETAPA BRASÍLIA

CAMPEONATO BRASILEIRO INFANTO-JUVENIL CIRCUITO NACIONAL CORREIOS ETAPA BRASÍLIA CAMPEONATO BRASILEIRO INFANTO-JUVENIL CIRCUITO NACIONAL CORREIOS ETAPA BRASÍLIA REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO O Campeonato será realizado no mês de julho, regendo-se pelo presente regulamento,

Leia mais

2 DOS REQUISITOS MÍNIMOS PARA REALIZAÇÃO DOS EVENTOS

2 DOS REQUISITOS MÍNIMOS PARA REALIZAÇÃO DOS EVENTOS REQUISITOS MÍNIMOS PARA ORGANIZAÇÃO DE TORNEIOS NACIONAIS INFANTO-JUVENIS EM 2015 Atualizado em 10 de Julho de 2015 Vigente a partir de 13 de Julho de 2015 Dando continuidade na atualização do material

Leia mais

FPAMC. Federação Portuguesa de Artes Marciais Chinesas REGULAMENTO PARA OS CAMPEONATOS NACIONAIS DE WUSHU/KUNG FU SANDA SÉNIORES E ESPERANÇAS

FPAMC. Federação Portuguesa de Artes Marciais Chinesas REGULAMENTO PARA OS CAMPEONATOS NACIONAIS DE WUSHU/KUNG FU SANDA SÉNIORES E ESPERANÇAS FPAMC Federação Portuguesa de Artes Marciais Chinesas REGULAMENTO PARA OS CAMPEONATOS NACIONAIS DE WUSHU/KUNG FU SANDA SÉNIORES E ESPERANÇAS 26 e 27 de Junho de 2010 REGULAMENTO DAS PROVAS DESPORTIVAS

Leia mais

Comunicado Oficial n.º 1 Época 2014-2015

Comunicado Oficial n.º 1 Época 2014-2015 Época 2014-2015 Aprovado pela Direção da Federação Portuguesa de Futebol, de acordo com o disposto no artigo 10.º e alíneas a) e c) do número 2 do artigo 41.º, do Decreto-Lei n.º 248-B/2008, de 31 de Dezembro

Leia mais

REGULAMENTO GERAL INTERATLÉTICAS

REGULAMENTO GERAL INTERATLÉTICAS REGULAMENTO GERAL INTERATLÉTICAS DAS FINALIDADES Art. 1 o O I Interatléticas Anhembi Morumbi é uma competição promovida pelo Centro Esportivo Anhembi Morumbi, cujo objetivo é incentivar a prática de atividades

Leia mais

REGULAMENTO TEMPORADA DOS CAMPEÕES 2014 MODALIDADE: TÊNIS CAPÍTULO I

REGULAMENTO TEMPORADA DOS CAMPEÕES 2014 MODALIDADE: TÊNIS CAPÍTULO I REGULAMENTO TEMPORADA DOS CAMPEÕES 2014 MODALIDADE: TÊNIS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1º - O Torneio de Tênis tem por finalidade promover a integração dos colaboradores do Grupo FIAT através da atividade

Leia mais

Regulamentos do Inter-Residências 2014 e das modalidades

Regulamentos do Inter-Residências 2014 e das modalidades Regulamentos do Inter-Residências 2014 e das modalidades Inter-Residências 2014 Regulamento geral Artigo 1 (Preâmbulo) Assumindo-se como uma das atividades mais emblemáticas organizadas pela Direção da

Leia mais

XXVI TRAVESSIA DOS TEMPLÁRIOS

XXVI TRAVESSIA DOS TEMPLÁRIOS Regulamento 28 Setembro.2014 APROVADO PELA FPN EM 22 DE JULHO DE 2014 FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE NATAÇÃO / CÂMARA MUNICIPAL DE SETÚBAL 0 1. ORGANIZAÇÃO Associação de Natação do Distrito de Santarém. Associação

Leia mais

7º JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE REGULAMENTO

7º JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE REGULAMENTO 7º JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE REGULAMENTO I - DOS OBJETIVOS Art. 01 - A 7º edição dos JOGOS REGIONAIS DA SAÚDE é um evento promovido pelos Servidores da Secretaria de Estado da Saúde SES Art. 02 - O campeonato

Leia mais

3º TORNEIO PATRICIUS GRANDE ESCOLHA 2015

3º TORNEIO PATRICIUS GRANDE ESCOLHA 2015 3º TORNEIO PATRICIUS GRANDE ESCOLHA 2015 - ARTIGO 1 O 3º Torneio PATRICIUS GRANDE ESCOLHA realiza-se no Campo de 5 situado no Parque da Cidade do Porto. - ARTIGO 2 Estrutura - 1ª Fase: Um Grupo de oito

Leia mais

«atrevo.me 13» concurso de ideias de negócio. REGULAMENTO Preâmbulo

«atrevo.me 13» concurso de ideias de negócio. REGULAMENTO Preâmbulo «atrevo.me 13» concurso de ideias de negócio REGULAMENTO Preâmbulo A Universidade de Évora, através da Divisão de Projetos e Informação (SCC-DPI), enquanto parte integrante do Serviço de Ciência e Cooperação,

Leia mais

NORMA OFICIAL 21/2015 TIRO ÀS VENTOINHAS FAN32 REGULAMENTO DAS COMPETIÇÕES

NORMA OFICIAL 21/2015 TIRO ÀS VENTOINHAS FAN32 REGULAMENTO DAS COMPETIÇÕES REGULAMENTO COMPETIÇÕES OFICIAIS DE TIRO ÀS VENTOINHAS FAN32 CAPÍTULO I COMPETIÇÕES OFICIAIS 1.- O presente regulamento será obrigatoriamente aplicado em todas as provas oficiais da disciplina de Tiro

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL

REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL REGULAMENTO GERAL DO JICOF JOGOS INTERNOS DO COLÉGIO FRACTAL CAPÍTULO I DAS FINALIDADES Os jogos internos do COLÉGIO FRACTAL (JICOF) têm por finalidade principal humanizar a prática desportiva, valorizando

Leia mais

PORTUGAL OPEN 2015 REGULAMENTO

PORTUGAL OPEN 2015 REGULAMENTO Oeiras - Portugal 30 de Agosto a 5 de setembro de 2015 1. ORGANIZADOR Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) Rua Francisco Foreiro, n.º2, 4º esq 1150-166 Lisboa Portugal Tel: (+ 351) 213 579 144, Fax: (+

Leia mais

Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015

Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015 Regulamento do Programa do Desporto Escolar 2014-2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA DO DESPORTO ESCOLAR 2014-2015 ( a que se refere o Despacho nº9302/2014 de 17 de julho) 1. ÂMBITO O presente regulamento define

Leia mais

VI Prova de Águas Abertas do Grande Lago de Alqueva Amieira-Marina

VI Prova de Águas Abertas do Grande Lago de Alqueva Amieira-Marina VI Prova de Águas Abertas do Grande Lago de Alqueva Amieira-Marina ORGANIZAÇÃO Município de Portel Associação de Natação do Alentejo 1. APOIOS Gestalqueva Amieira Marina Gescruzeiros Junta de Freguesia

Leia mais