PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E RESGATE ARQUEOLÓGICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E RESGATE ARQUEOLÓGICO"

Transcrição

1 PROGRAMA DE PROSPECÇÃO E RESGATE ARQUEOLÓGICO O Programa de Prospecção e Resgate Arqueológico da CSP visa atender aos requisitos legais de licenciamento ambiental, identificar e preservar o patrimônio arqueológico da região. Este programa atingiu todas as atividades de movimentação de terras realizadas pela CSP, com o acompanhamento dos técnicos especializado do Laboratório de Arqueologia da UFPE Universidade Federal do Pernambuco. O Programa de Prospecção e Resgate Arqueológico contemplou as seguintes etapas: 1. Atividades de Prospecções de Superfície na área da CSP 2008; 2. Identificação do Patrimônio Histórico Cultural durante os estudos ambientais do EIA/RIMA-2009; 3. Atividades Prospecções Intensivas de Subsuperfície na área da CSP; 4. Monitoramento arqueológico na fase de obra de todas as atividades de movimentação de terras; 5. Realização de Educação ambiental com funcionários e comunidades sobre patrimônio material; 6. Atividades de Resgate, Análise e Salvamento de vestígios e sítios arqueológicos. Programa de Preservação da Biodiversidade em números: o Ao longo de 2 anos, foram acompanhadas mais de 1500 atividades em campo por técnicos da UFPE; o Foram encontrados 26 vestígios arqueológicos na área da CSP; o Destas ocorrências, foram identificados e resgatados 2 sítios arqueológicos, com características de Tradição ceramista Tupiguarani, datadas entre 670 e 800 anos. PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE O Programa de Preservação da Biodiversidade foi criado para conservar a Biodiversidade da região onde a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) está inserida, através de ações que propiciem o fortalecimento das Unidades de Conservação do Estado do Ceará, assegurando o uso sustentável dos recursos ambientais de forma justa e equitativa. O Programa de Preservação da Biodiversidade contempla uma série de ações: o Uso de Metodologia de Supressão Racional de Vegetação na fase de instalação da CSP;

2 o Ações de reflorestamento de áreas degradadas no entorno da CSP (Estação Ecológica do Pecém -206 ha e Lagoa do Bolso -15ha); o Ações de reflorestamento de áreas degradadas interna a CSP (183 ha); o Financiamento do 1º Banco de Germoplasma para o Estado Ceará, instalado no Parque Botânico em Caucaia, para armazenar sementes da flora local e realização de pesquisas cientificas; o Parcerias técnicas com fornecedores, universidades e órgãos ambientais para pesquisas cientificas; o Projeto de educação ambiental com cursos e palestras para comunidades no entorno, escolas, universidades e órgãos ambientais; o Atividades de monitoramento da fauna e flora na CSP e na Estação Ecológica do Pecém; o Implantação de um Viveiro de mudas dentro da CSP, com capacidade de produção para 300 mil mudas por ano. Programa de Preservação da Biodiversidade em números: o 89 correspondem ao número de diversidade de espécies da fauna encontradas; o animais foram resgatados da área da CSP entre janeiro de 2010 e junho de 2012; o 90%foi a taxa de sucesso no resgate de fauna; o 90 espécies florestais pertencentes a 75 gêneros e 33 famílias, típicas de ecossistema de tabuleiro litorâneo foram identificadas e catalogadas; o 300mil sementes de 43 espécies diferentes foram coletadas no site da CSP; o 150 mil mudas de espécies nativas foram plantadas na Estação Ecológica do Pecém entre 2011 e 2012 em uma área de 206 hectares; o 22 mil mudas de espécies nativas foram plantadas na Lagoa do Bolso entre janeiro e agosto de 2013 em uma área de 14,9 hectares; o Em 2013 foram plantadas mudas na área interna da CSP e na Lagoa do Bolso. PROGRAMA DE COMPENSAÇÃO AMBIENTAL A Resolução CONAMA Nº 371/2006 estabelece diretrizes para cálculo, cobrança, aplicação, aprovação e controle de gastos de recursos financeiros advindos da compensação

3 ambiental decorrente dos impactos causados pela implantação de empreendimentos de significativo impacto ambiental, assim considerado pelo órgão ambiental competente, com fundamento em Estudos de Impacto Ambiental - EIA e Relatório de Impacto Ambiental RIMA. Em atendimento a esta legislação, a CSP assinou dois Termos de Compromisso de Compensação Ambiental (TCCA) com a SEMACE, com a previsão de pagamento de R$ 26 milhões ao longo dos 4 anos de instalação da CSP. Até Julho/13 foram pagos pela CSP R$ 5,5 milhões. Os recursos de compensação ambiental devem priorizar criação, proteção e manutenção de unidades de conservação na região. SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO A CSP vem implantando um Sistema de Gestão Integrado, baseado nas normas de Meio Ambiente (ISSO ), de Responsabilidade Social (ABNT ) e Saúde e Segurança (OHSAS ) que envolve as atividades da CSP e de suas subcontratadas. O Sistema de Gestão Integrado visa implantar rotinas e procedimentos na CSP que irão contribuir para eliminar ou reduzir os impactos e perigos durante a instalação da siderúrgica. O Sistema de Gestão Integrado tem como principios básicos o atendimento aos requisitos legais aplicáveis e a melhoria contínua dos processos da CSP. Algumas das principais ações do Sistema de Gestão Integrado: o Definição de uma estrutura organizacional na CSP responsável pelo Sistema de Gestão Integrado; o Elaboração de 30 procedimentos para controle e monitoramento das atividades; o Identificação e monitoramento de 1400 requisitos legais aplicáveis; o Realização de treinamentos de capacitação dos funcionários. PROGRAMA DE MONITORAMENTO AMBIENTAL O Programa de Monitoramento Ambiental da CSP tem duas premissas: a avaliação dos impactos ambientais durante a instalação da CSP e a formação de um registro histórico da condição ambiental no entorno da CSP antes de sua operação. Este programa fornece informações precisas sobre a eficiência das ações de controle ambiental realizadas pela

4 CSP. Existem pontos de monitoramento internos e externos a CSP, com frequência variável entre semanal, mensal ou semestral. O Programa de Monitoramento Ambiental contempla os seguintes impactos: o Qualidade do ar, o Qualidade das águas superficiais, o Águas subterrâneas, o Sedimentos, o Qualidade dos solos, o Nível de ruídos. PROGRAMA DE RELACIONAMENTO COM A COMUNIDADE - DIÁLOGO SOCIAL A CSP chegou e está se instalando no Complexo Industrial e Portuário do Pecém. Com o objetivo de criar espaços de diálogo com seus novos vizinhos, a CSP tem feito ações proativas de comunicação com diversos setores da sociedade. Um deles merece uma atenção especial da área de Sustentabilidade: as comunidades vizinhas ao empreendimento. Por isso a CSP implantou um conjunto de canais que possibilitam o diálogo e a troca de informações entre a Companhia e o território de forma adequada e acessível a esse público específico. São sete canais de interação com a comunidade local, dentre os quais destacam-se: 1. Rede de Diálogo CSP É um canal de comunicação vivo e dinâmico, que funciona através de uma equipe de Agentes de Diálogo. No nosso caso, os agentes são jovens da própria comunidade, treinados para dar informações relevantes para a comunidade a respeito da CSP, bem como ouvir e registrar as demandas da população local, que é encaminhada para a CSP. A Rede opera atualmente com um corpo de 12 agentes e cobre oito comunidades dos municípios de São Gonçalo do Amarante e Caucaia. 2. Programa de Visitas CSP de portas abertas Consiste na realização de visitas guiadas ao site de construção da CSP. Voltado para os moradores das comunidades vizinhas, tem como objetivo gerar conhecimento sobre o empreendimento e sobre o andamento da obra, aproximando os dois lados da cerca.

5 3. Reuniões Comunitárias Fomentadas proativamente pela CSP, as reuniões presenciais são mais um esforço de aproximação com a comunidade. Abordando temáticas relacionadas ao empreendimento e à realidade das comunidades do entorno, esta ação tem por principal objetivo esclarecer, mobilizar e engajar a população local, contribuindo para o fortalecimento do capital social das comunidades. 4. Vai e Volta Canal direto de comunicação entre o território e a CSP. São dúvidas, perguntas e reclamações recolhidas no território pela equipe de diálogo e respondidas diretamente pela equipe da CSP. 5. Unidade Móvel Espaço itinerante de interação e troca com as comunidades, a unidade móvel percorre as 8 comunidades cobertas pela Rede de Diálogo CSP: Planalto Cauípe, Matões e Cumbuco, no município de Caucaia; e Bolso, Pecém, Parada, Taíba e Sede no município de São Gonçalo do Amarante. O objetivo é criar uma referência local próxima às comunidades para o diálogo com a empresa, onde as questões pertinentes poderão ser trabalhadas de maneira integrada, presencial e dinâmica com o público. EDITAL DE PROJETOS SOCIAIS - IDEIA DA GENTE A CSP deseja participar de forma colaborativa das soluções para o desenvolvimento da região na qual atua. Pensando nisso, elaborou o Projeto Ideia da Gente, um edital para seleção de projetos sociais realizados pela população local que possam contribuir pra o desenvolvimento sustentável local. Partimos do entendimento de que ninguém melhor que a própria população local para indicar quais são os problemas sociais mais relevantes e quais soluções são mais adequadas para cada comunidade. Assim, o edital veio buscar e selecionar idéias das entidades sem fins lucrativos locais que são, com o apoio da CSP, transformadas em projetos sociais e, entre eles, quais serão realizados com recursos da CSP ao longo de 2014.

6 As linhas de investimento do Edital são as seguintes: 1.Inclusão Social Ter intenção de promover a inclusão social de grupos em vulnerabilidade social ou em situação de risco, como população de baixa renda, mulheres, crianças e adolescentes, entre outros, com objetivo de inclusão e diminuição da desigualdade social; 2.Cultura Popular Promover o resgate às tradições locais e comunitárias, como festas e atividades tradicionais, habilidades manuais, na busca do fomento à diversidade cultural local; 3.Esporte e lazer Incentivar ações relacionadas a esporte e lazer para promover o acesso a maior qualidade de vida e convivência social. Números do Projeto Ideia da Gente o 83 inscrições recebidas no período de 16 de maio a 16 de junho de 2013; o 30 ideias selecionadas na fase 1; o 24 projetos sociais elaborados e 45 concluintes da Capacitação em Elaboração de Projetos Sociais em setembro de 2013; o 10 projetos selecionados em outubro de 2013 na fase 2 para realização em PROGRAMA DE MONITORAMENTO SOCIOECONÔMICO Com a aproximação de sua chegada ao território, uma das principais preocupações da CSP foi a de realmente conhecer a sua vizinhança e a realidade da região. Este conhecimento se deu através da realização de aprofundados estudos e diagnósticos e através dos seus canais de diálogo com a comunidade. O conhecimento e entendimento destas informações foram fundamentais para embasar todo o planejamento dos programas e projetos socioeconômicos da empresa. Tendo em mente que o contexto socioeconômico é extremamente dinâmico e influenciado pelas mudanças alavancadas pela chegada do CIPP, a CSP mantém monitora continuamente 100 indicadores para acompanhamento das transformações socioeconômicas do território. A análise destes dados embasa a avaliação dos programas e é uma das principais fontes de referência para o processo de planejamento dos esforços socioambientais da empresa.

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015.

1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETIVO E FOCO TEMÁTICO INSCRIÇÕES 14º DIA DO VOLUNTARIADO 2015. REV.: 03 Pág.: 1 de 6 A Manaus Ambiental torna público que estão abertas as inscrições para a seleção de Instituições e Projetos Sociais para o 14º Dia do Voluntariado. A empresa realizará o processo de

Leia mais

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis Diálogo com a Comunidade Um balanço das ações sustentáveis Veracel Celulose É uma empresa 100% baiana, presente em dez municípios do Extremo Sul do estado: Eunápolis, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália,

Leia mais

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011.

LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. 1 LEI Nº. 2.510, DE 23 DE MAIO DE 2011. Institui a Política Municipal de Educação Ambiental, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos

PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos PROGRAMA PETROBRAS SOCIOAMBIENTAL: Desenvolvimento Sustentável e Promoção de Direitos Pra começo de conversa, um video... NOVO PROGRAMA Programa Petrobras SOCIOAMBIENTAL 2014-2018 3 ELABORAÇÃO DO NOVO

Leia mais

TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE

TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE PESSOAS TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE BREVE HITÓRICO Empresa de construção pesada fundada em 1977; 2003: Início do programa de qualidade: SEG Sistema de Excelência em Gestão; 2004: ISO 9001; 2006: Certificações

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI PLANO DE TRABALHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PCS Plano de Trabalho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 2.1. Objetivos Específicos... 1 3. PÚBLICO ALVO... 2 4. METAS... 2 5.

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

APRESENTAÇÃO A BIOEC

APRESENTAÇÃO A BIOEC APRESENTAÇÃO Empresa especializada em elaboração, execução e gerenciamento de projetos ambientais. Formada por profissionais altamente qualificados, que buscam desenvolver projetos eficientes e inovadores,

Leia mais

VALLOUREC UNIDADE FLORESTAL

VALLOUREC UNIDADE FLORESTAL VALLOUREC UNIDADE FLORESTAL A EMPRESA Fundada em 1969, o objetivo principal da Vallourec unidade Florestal é o plantio de florestas de eucalipto para, a partir delas, produzir o carvão vegetal, um dos

Leia mais

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014)

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014) LIFE-BR-CS-3.0-Português Versão 3.0 Brasil Português (NOVEMBRO/2014) Próxima revisão planejada para: 2017 2 OBJETIVO A partir das Premissas LIFE, definir os Princípios, critérios e respectivos indicadores

Leia mais

Arqueologia Preventiva e Licenciamento Ambiental de Projetos no Brasil *

Arqueologia Preventiva e Licenciamento Ambiental de Projetos no Brasil * Arqueologia Preventiva e Licenciamento Ambiental de Projetos no Brasil * Solange Bezerra Caldarelli Scientia, Consultoria Científica (Brasil) solange@scientiaconsultoria.com.br Resumo: Apresentam-se, aqui,

Leia mais

A Fundação Espaço ECO

A Fundação Espaço ECO www.espacoeco.org Sustentabilidade que se mede A Fundação Espaço ECO (FEE ) é um Centro de Excelência em Educação e Gestão para a sustentabilidade, que mede e avalia a sustentabilidade por meio de metodologias

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA TOMO II SUMÁRIO DO ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA 5. IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.1 5.1. METODOLOGIA 5.1 5.2. IDENTIFICAÇÃO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS 5.3 5.3. DESCRIÇÃO DOS IMPACTOS

Leia mais

a Resolução CONAMA nº 422/2010 de 23 de março de 2010, que estabelece diretrizes para as campanhas, ações e projetos de educação ambiental;

a Resolução CONAMA nº 422/2010 de 23 de março de 2010, que estabelece diretrizes para as campanhas, ações e projetos de educação ambiental; Portaria Normativa FF/DE N 156/2011 Assunto: Estabelece roteiros para elaboração de Plano Emergencial de Educação Ambiental e de Plano de Ação de Educação Ambiental para as Unidades de Conservação de Proteção

Leia mais

Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012

Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012 Oi FUTURO ABRE INSCRIÇÕES PARA EDITAL DO PROGRAMA Oi NOVOS BRASIS 2012 Programa vai selecionar projetos socioambientais para receberem apoio técnico e financeiro Instituto de responsabilidade social da

Leia mais

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção Programa 0508 Biodiversidade e Recursos Genéticos - BIOVIDA Objetivo Promover o conhecimento, a conservação e o uso sustentável da biodiversidade e dos recursos genéticos e a repartição justa e eqüitativa

Leia mais

RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL

RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL Introdução Este documento é um resumo dos programas e procedimentos da International Paper para a gestão do seu processo florestal, sendo revisado anualmente. I N T

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

ATIVIDADE DE ANALISE CRITICA DOS EIXOS, PROG

ATIVIDADE DE ANALISE CRITICA DOS EIXOS, PROG ATIVIDADE DE ANALISE CRITICA DOS EIXOS, PROG EIXOS E PROGRAMAS EIXO 1 - Uso sustentável dos recursos naturais Programa de fortalecimento do sistema de gestão ambiental Programa de formação e manutenção

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 162

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 162 PROGRAMA Nº - 162 Monitoramento e Fiscalização Ambiental SUB-FUNÇÃO: 542 CONTROLE AMBIENTAL Promover o monitoramento da poluição do ar, hídrica e sonora indispensável ao desenvolvimento de de controle

Leia mais

PROJETO RIO ECOBARREIRA

PROJETO RIO ECOBARREIRA 1 PROJETO RIO ECOBARREIRA RESUMO: O RIO ECOBARREIRA é um projeto de pesquisa aplicada na área de desenvolvimento sustentável. O projeto envolve a análise da sustentabilidade sócio-econômica e ambiental

Leia mais

FICHA PROJETO - nº383-mapp

FICHA PROJETO - nº383-mapp FICHA PROJETO - nº383-mapp Mata Atlântica Pequeno Projeto 1) TÍTULO: Restauração da Região Serrana RJ: assistência técnica para consolidar uma rede de produtores rurais e viveiros comunitários. 2) MUNICÍPIOS

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004. O GOVERNADOR DO ESTADO DE RORAIMA: Faço saber que a Assembléia Legislativa aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 445 DE 07 DE JUNHO DE 2004 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental, cria o Programa Estadual de Educação Ambiental e complementa a Lei Federal nº 9.795/99,

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014

Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014 Resolução SMA nº 70 DE 02/09/2014 Norma Estadual - São Paulo Publicado no DOE em 03 set 2014 Define a metodologia a ser adotada em caráter experimental para a conversão das obrigações de reposição florestal

Leia mais

30 anos da FLONA do Jamari História e desafios

30 anos da FLONA do Jamari História e desafios 30 anos da FLONA do Jamari História e desafios Porto Velho- RO Outubro/2014 Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio Autarquia Federal vinculada ao MMA Missão: Proteger o patrimônio

Leia mais

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de trabalho de Meio Ambiente

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de trabalho de Meio Ambiente Histórico de Alterações Nº de Revisão Data de Revisão Alteração Efetuada 1-Foi alterado o texto do item 2, onde foram suprimidas as referências anteriores e referenciada a PGR-4.3.2 e ao IPHAN. 2-No item

Leia mais

MEIO AMBIENTE CARTA AMBIENTAL DE GOIÂNIA

MEIO AMBIENTE CARTA AMBIENTAL DE GOIÂNIA CARTA AMBIENTAL DE GOIÂNIA Documento referendado pela plenária da I Conferência Municipal de Meio Ambiente de Goiânia. O momento mais importante de qualquer reflexão sobre os problemas de uma cidade é

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL GERÊNCIA DE PROJETOS MINERÁRIOS ITAITUBA PA Junho/2012 O QUE É O LICENCIAMENTO AMBIENTAL? O Licenciamento

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade

Leia mais

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12.

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12. POL 5.3.1.16-1 1 / 12 POL 5.3.1.16-1 2 / 12 POL 5.3.1.16-1 3 / 12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. DA VALEC S.A.... 6 3. OBJETIVOS PROPOSTOS E METAS PARA O PRIMEIRO ANO... 7 4. NORMAS AMBIENTAIS PROPOSTAS...

Leia mais

Página 1 de 8. Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Página 1 de 8. Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Página 1 de 8 LEI Nº 3325, de 17 de dezembro de 1999 Dispõe sobre a educação ambiental, institui a política estadual de educação ambiental, cria o Programa estadual de Educação Ambiental e complementa

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

RESUMO PÚBLICO PLANO DE MANEJO FLORESTAL - 2015

RESUMO PÚBLICO PLANO DE MANEJO FLORESTAL - 2015 RESUMO PÚBLICO PLANO DE MANEJO FLORESTAL - 2015 Página2 Página3 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Madepar Indústria e Comércio de Madeiras LTDA certificou suas florestas de acordo com os Princípios e Critérios

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria do Meio Ambiente Secretaria da Agricultura e Abastecimento Dezembro de 2005 COBERTURA FLORESTAL (Inventário Florestal,

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff

PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR....o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff PLANO DE GOVERNO 2015-2018 EXPEDITO JÚNIOR...o futuro pode ser melhorado por uma intervenção ativa no presente. Russel Ackoff Julho/2014 0 APRESENTAÇÃO Se fôssemos traduzir o Plano de Governo 2015-2018

Leia mais

Edital de Seleção. Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil

Edital de Seleção. Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil Início das inscrições: 22 de fevereiro de 2013 Final das inscrições: 20 de março de

Leia mais

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011.

1.1. Fonte: Elaborado por STCP Engenharia de Projetos Ltda., 2011. 1 - APRESENTAÇÃO A Área de Proteção Ambiental (APA) Serra Dona Francisca, localizada no município de Joinville/SC, com área mapeada de 40.177,71 ha, foi criada através do Decreto n 8.055 de 15 de março

Leia mais

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS ILUMEXPO 2015 4ª Exposição e Fórum de Gestão de Iluminação Pública Luciana Hamada / Junho 2015 IBAM, MUNICÍPIO E

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.730, DE 9 DE JANEIRO DE 2002. (publicada no DOE nº 007, de 10 de janeiro de 2002) Dispõe sobre a Educação

Leia mais

PROGRAMAS AMBIENTAIS PARQUES EÓLICOS LER 2009

PROGRAMAS AMBIENTAIS PARQUES EÓLICOS LER 2009 PROGRAMAS AMBIENTAIS PARQUES EÓLICOS LER 2009 RELATÓRIO TRIMESTRAL FEVEREIRO DE 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1 2 COMUNICAÇÃO SOCIAL 4 EDUCAÇÃO EM SAÚDE 10 3 MONITORAMENTO DE NASCENTES 13 4 VIVEIRO DE MUDAS

Leia mais

Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores

Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Estrutura e Metodologia da Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Oficina 1: Sensibilização de Agentes Multiplicadores Integração do grupo; Sensibilização para os problemas e potencialidades

Leia mais

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global II Congresso de Mineração da Amazônia Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global Vânia Somavilla Vale - Diretora de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Novembro de

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Proponente: Sociedade de Amigos do Museu de Biologia Mello

Leia mais

EXERCÍCIO DA CIDADANIA E O TRABALHO DE CAMPO NA ESCOLA

EXERCÍCIO DA CIDADANIA E O TRABALHO DE CAMPO NA ESCOLA EXERCÍCIO DA CIDADANIA E O TRABALHO DE CAMPO NA ESCOLA ESTEVAN LISKA 1, DENIS DE OLIVEIRA RODRIGUES 1, GUSTAVO COSTA 1, GUSTAVO FIALHO 1, JENNIFER SILVA 1, JOSIAS OLIVEIRA 1, RENAN FERNANDO 1, TAMARES

Leia mais

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Programa Viver é Melhor Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Legião da Boa Vontade (LBV) Cidade: Londrina/PR

Leia mais

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES I ÁREAS DE INTERESSE Criança e Adolescente Apoio aos Fóruns, Comitês, Associações

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM

Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Plano de Fiscalização de Unidades de Conservação - SIM Formação Socioambiental 3º Encontro Planejando intervenções Polo 6 P.E. Serra do Mar Núcleo Caraguatatuba Algo que pode provocar ou, também, inspirar...

Leia mais

Grupo Temático: Áreas de Proteção. Ambiental Natural. Coordenador: Walter Koch. Facilitador: Karla. Relator:Eloísa

Grupo Temático: Áreas de Proteção. Ambiental Natural. Coordenador: Walter Koch. Facilitador: Karla. Relator:Eloísa Grupo Temático: Áreas de Proteção Coordenador: Walter Koch Facilitador: Karla Ass.: Ass.: Ass.: Relator:Eloísa Porto Alegre, 06 e 07 de maio de 2006. No. Grupo Temático 58 Áreas de Proteção Rejeitado Proposta

Leia mais

TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA

TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA TÍTULO: PRINCÍPIOS E GESTÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GUARULHOS: SANEAMENTO AMBIENTAL E QUALIDADE DE VIDA Autora: Erotides Lacerda Choueri Outros autores: Marcos Tsutomu Tamai, Vânia Maria Nunes

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012 EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012 Aviso de Divulgação de Seleção de Instrutor Pleno para as atividades de incubação de empreendimentos produtivos. REF: CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE

LEI Nº 4.791 DE 2 DE ABRIL DE Lei nº 4791/2008 Data da Lei 02/04/2008 O Presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro nos termos do art. 79, 7º, da Lei Orgânica do Município do Rio de Janeiro, de 5 de abril de 1990, não exercida

Leia mais

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013 Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos Junho, 2013 1 Contexto Concentração espacial, econômica e técnica; Indústria é de capital intensivo e business to business

Leia mais

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica

Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica Política Estadual de Governança Climática e Gestão da Produção Ecossistêmica R E A L I Z A Ç Ã O : A P O I O : A Razão Diversos estados e municípios também estão avançando com suas políticas de mudanças

Leia mais

S O L U Ç õ e S a m b i e n t a i S

S O L U Ç õ e S a m b i e n t a i S SOLUÇões ambientais 01 Quem somos A Ambiens é uma empresa de assessoria e consultoria ambiental que, desde 1997, oferece soluções eficazes e economicamente competitivas para empresas de diversos segmentos,

Leia mais

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP PROJETO A inserção das Famílias no CAMP APRESENTAÇÃO O CAMP-Gna é uma entidade filantrópica sediada em Goiânia, no Setor Central, onde funciona ininterruptamente há 36 anos. Desde 01 de julho de 1973,

Leia mais

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF

XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF XX RAPAL DI 11 Presentado por Brasil Punto agenda 12a SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA ESTAÇÃO ANTÁRTICA COMANDANTE FERRAZ SGA/EACF Sistema de Gestão Ambiental na Estação Antártica Comandante Ferraz SGA/EACF

Leia mais

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Setembro/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1. O que são unidades de conservação (UC)?

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 15 de setembro de 2015.

Clipping de notícias. Recife, 15 de setembro de 2015. Clipping de notícias Recife, 15 de setembro de 2015. Recife, 15 de setembro de 2015. Recife,15 de setembro de 2015. Recife,15 de setembro de 2015. Recife, 15 de setembro de 2015. 14/09/2015 ProRURAL DEBATE

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Fortuna II Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Fortuna II Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.1 Programa de Gerenciamento Ambiental NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 2 2. Justificativa... 4 3. Objetivos... 4 4. Área de Abrangência...

Leia mais

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis.

Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis. Nossos Valores Quem Somos? Nossa Missão Nossa Visão Nossa Atuação Nossos Resultados Modelos de Ecovilas e Projetos Sustentáveis Localização Missão, Valores e Visão Os 5 Pilares Objetivos e estratégias

Leia mais

Projeto Espaço de Praticas Sustentáveis

Projeto Espaço de Praticas Sustentáveis Projeto Espaço de Praticas Sustentáveis A Brindes Caiçara junto com os seus idealizadores criarão o Espaço de Praticas Sustentáveis. Objetivo deste espaço é nos unirmos com empresas que tenha visão socioambientais

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO

CIDADANIA AMBIENTAL PROJETO ARBORETO CIDADANIA AMBIENTAL A resposta da sociedade de Araxá aos problemas ambientais se dá através das ações de educação ambiental. Destacam-se as atividades de educação ambiental promovidas por escolas, organizações

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

5.9 - Programa de Comunicação Social... 1/8. 5.9.1 - Objetivos... 1/8. 5.9.2 - Justificativas... 2/8. 5.9.3 - Metas... 2/8. 5.9.4 - Metodologia...

5.9 - Programa de Comunicação Social... 1/8. 5.9.1 - Objetivos... 1/8. 5.9.2 - Justificativas... 2/8. 5.9.3 - Metas... 2/8. 5.9.4 - Metodologia... 2818-00-EIA-RL-0000-00 LT 500 KV ESTREITO FERNÃO DIAS ÍNDICE 5.9 - Programa de Comunicação Social... 1/8 5.9.1 - Objetivos... 1/8 5.9.2 - Justificativas... 2/8 5.9.3 - Metas... 2/8 5.9.4 - Metodologia...

Leia mais

PARCERIA: SUSTENTABILIDADE

PARCERIA: SUSTENTABILIDADE Contabilidade Ambiental e a Sustentabilidade nas Empresas Luis Fernando de Freitas Penteado luisfernando@freitaspenteado.com.br www.freitaspenteado.com.br PARCERIA: SUSTENTABILIDADE Dificuldade de definição

Leia mais

Paisagens Socioambientais em Bacias Hidrográficas

Paisagens Socioambientais em Bacias Hidrográficas Paisagens Socioambientais em Bacias Hidrográficas Yanina Micaela Sammarco Bióloga, Ms em Engenharia Ambiental Dtnda pela Universidade Autonoma de Madrid-Espanha Consultora do Instituto Pró-Terra Educadora,

Leia mais

Viva Rio lança trabalho socioambiental que contempla Nova Friburgo

Viva Rio lança trabalho socioambiental que contempla Nova Friburgo Início Notícias Viva Rio lança trabalho socioambiental que contempla Nova Friburgo Iniciativa é parte do projeto Rios da Serra. Sede provisória da organização é montada no Prado TERÇA FEIRA, 19 DE MAIO

Leia mais

Unidades de Conservação da Natureza

Unidades de Conservação da Natureza Unidades de Conservação da Natureza Emerson A. de Oliveira, MSc., Doutorando em Ciências Florestais/Conservação da Natureza - UFPR Técnico Especializado - DAP/SBF/MMA Rio do Sul - SC Julho, 2009 DEFINIÇÕES

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011 EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011 Aviso de Divulgação de Seleção de Instrutor Pleno para as. REF: CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PARA ATENDIMENTO AO CONVENIO Nº 711591/2009 MDS/ITS/CEDEP

Leia mais

CÂMARA TEMÁTICA SOBRE TURISMO SUSTENTÁVEL N.CARAGUATATUBA PESM 25/05/15. Apresentação dos partícipes CAFÉ. DIVISÃO EM 5 GRUPOS (municípios-regional)

CÂMARA TEMÁTICA SOBRE TURISMO SUSTENTÁVEL N.CARAGUATATUBA PESM 25/05/15. Apresentação dos partícipes CAFÉ. DIVISÃO EM 5 GRUPOS (municípios-regional) CÂMARA TEMÁTICA SOBRE TURISMO SUSTENTÁVEL N.CARAGUATATUBA PESM 25/05/15 Apresentação dos partícipes Síntese dos processos participativos Comdial/CEDS e Litoral Sustentável Apresentação do Observatório

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DA TERRA INDIGENA SETE DE SETEMBRO EM CACOAL-RONDÔNIA-BRASIL. PAITER X PROJETO REDD+

PLANO DE GESTÃO DA TERRA INDIGENA SETE DE SETEMBRO EM CACOAL-RONDÔNIA-BRASIL. PAITER X PROJETO REDD+ PLANO DE GESTÃO DA TERRA INDIGENA SETE DE SETEMBRO EM CACOAL-RONDÔNIA-BRASIL. PAITER X PROJETO REDD+ GASODÁ SURUI TURISMOLOGO E COORDENADOR DE CULTURA PAITER NA ASSOCIAÇÃO METAREILA DO POVO INDIGENA SURUI.

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE MARANGUAPE-CE EDITAL N 20/2015 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante

Leia mais

Meio Ambiente Como iniciar a gestão ambiental no Município?

Meio Ambiente Como iniciar a gestão ambiental no Município? Meio Ambiente Meio Ambiente Como iniciar a gestão ambiental no Município? Tendo vontade política Buscando apoio da CNM, das Federações, e Associações Regionais Criando as Leis Capacitando os técnicos Sistema

Leia mais

Dimensão Ambiental. Critério I - Responsabilidade e Compromisso. Indicador 1 - Abrangência. Indicador 2 - Responsabilidade Ambiental

Dimensão Ambiental. Critério I - Responsabilidade e Compromisso. Indicador 1 - Abrangência. Indicador 2 - Responsabilidade Ambiental Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Ambiental Critério I - Responsabilidade e Compromisso Indicador 1 - Abrangência 1. A empresa possui uma política ambiental? Caso "" para a pergunta

Leia mais

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina

Primeiro escritório de inclusão social da América Latina Primeiro escritório de inclusão social da América Latina 18 de setembro Nós do Centro: mais uma ação para a comunidade do Grupo Orsa O Grupo Orsa, por meio da Fundação Orsa, inaugura um espaço inovador

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL APA SERRA DO LAJEADO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL APA SERRA DO LAJEADO PLANO DE AÇÃO EDUCAÇÃO AMBIENTAL APA SERRA DO LAJEADO 2014 1 -OBJETIVO GERAL APA Serra do Lajeado foi instituída pela Lei nº 906 de 20 de maio de 1997, está no entorno do Parque Estadual do Lajeado e tem

Leia mais

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc Sustentabilidade em energia e o concreto Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL GRI IBASE Responsabilidade Social & Sustentabilidade Empresarial 1999 2001 a 2003 2006 AÇÃO

Leia mais

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Indução de reflorestamento no Rio de Janeiro: Das compensações ambientais ao desafio olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Seminário Reflorestamento da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

5ª reunião do Colegiado do Fórum de Acompanhamento Social (FAS) da UHE Sinop. Sinop, 12 de Junho de 2015

5ª reunião do Colegiado do Fórum de Acompanhamento Social (FAS) da UHE Sinop. Sinop, 12 de Junho de 2015 5ª reunião do Colegiado do Fórum de Acompanhamento Social (FAS) da UHE Sinop Sinop, 12 de Junho de 2015 AGENDA 9h30 Boas vindas 9h45 Apresentação dos programas do Meio Socioeconômico 10h20 Detalhamento

Leia mais

Licenciamento ambiental de projetos com a presença de cavidades naturais subterrâneas: a evolução com a nova legislação

Licenciamento ambiental de projetos com a presença de cavidades naturais subterrâneas: a evolução com a nova legislação Licenciamento ambiental de projetos com a presença de cavidades naturais subterrâneas: a evolução com a nova legislação 14º Congresso Brasileiro de Mineração Belo Horizonte, 26-29 setembro de 2011 Maria

Leia mais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NA AMAZÔNIA COMO FERRAMENTA. PARA PRESERVAÇÃO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS Estudo de caso:

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NA AMAZÔNIA COMO FERRAMENTA. PARA PRESERVAÇÃO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS Estudo de caso: UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NA AMAZÔNIA COMO FERRAMENTA PARA PRESERVAÇÃO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS Estudo de caso: Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã Carlos Gabriel Koury 1,. Eduardo Rizzo Guimarães

Leia mais