Introdução ao Sistema de Informação Geográfica Quantum Gis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução ao Sistema de Informação Geográfica Quantum Gis"

Transcrição

1 2013 Introdução ao Sistema de Informação Geográfica Quantum Gis Leonardo Sousa dos Santos geopara.blogspot.com.br 18/08/2013 1

2 ELABORAÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO Leonardo Sousa dos Santos: Graduando em Eng. Cartográfica e de Agrimensura (UFRA), Graduado em Licenciatura Plena em Geografia (IFPA), Graduado em Gestão de Sistema de Segurança (UNAMA), Esp. Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto (IESAN), Esp. Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável (IBPEX), Esp. Meio Ambiente (UOV) e Tec. em Geodésia e Cartografia (IFPA). Trabalho no Corpo de Bombeiro Militar do Pará, atuando principalmente nos seguintes temas: Sensoriamento Remoto, Sistemas geográficos de Informações, Geoprocessamento, Cartografia temática, Tutoriais, Prevenção de incêndio, Segurança SOFTWARES UTILIZADOS Quantum GIS Lisboa Geopará - (91)

3 SUMÁRIO ÍTEM TÓPICOS PÁGINA 1 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE QUANTUM GIS 1.8 Lisboa 4 2 ESTRUTURA DO SOFTWARE QUANTUM GIS 1.8 Lisboa 5 3 FORMATO DE DADOS ESPACIAIS E TABULARES. 5 4 INICIANDO A UTILIZAÇÃO NO Q GIS 5 5 CONFIGURANDO O QUANTUM GIS PARA DOWNLOAD E ATUALIZAÇÃO DE COMPLEMENTOS. 6 6 CONFIGURANDO OPÇÕES. 8 7 CONFIGURANDO AS PROPRIEDADES DO PROJETO. 9 8 ADICIONAND ACESSO AS PROPRIEDADES DO QUANTUM GIS 9 9 ACESSO AS PROPRIEDADES DO QUANTUM GIS ACESSO A TABELA DE ATRIBUTO DA CAMADA CALCÚLO DE ÁREA E PERÍMETRO NO QUANTUM GIS BAIXANDO DADOS DE SUPERFICIE DE ANÁLISE MOSAICO DE IMAGEM DE SENSORES REMOTOS RECORTE DE IMAGEM DE SENSORIAMENTO REMOTO GERANDO SUPERFICIE DE ANÁLISE CONVERSÃO DE RASTER PARA VETOR COMPOSIÇÃO DE BANDAS GERAR NDVI (sigla em inglês para índice de vegetação por diferença normalizada) 19 3

4 1. INSTALAÇÃO DO SOFTWARES QUANTUM GIS. 1. Sistemas Operacionais suportados: Windows XP 32-bit e 64-bit com os service packs mais recentes Windows Vista 32-bit e 64-bit com os service packs mais recentes Windows 7 32-bit e 64-bit com os service packs mais recentes 2. Ambientes suportados: Windows, Linux e Unix 3. Software necessários: NET Framework 3.5 SP1 ou acima. Deve ser instalado antes da instalação do Quantum GIS Internet Explorer ou Firefox Para os iniciados a melhor opção é descarregar o instalador do QuantumGIS (QGIS) a partir de Trata-se de um one click installer clássico, com que a maioria dos utilizadores está familiarizado. Passo 1. Após baixado o arquivo *.exe na máquina dê um duplo clique para iniciar o processo de instalação Passo 2. Caso questionado sobre a execução do programa clique em Executar Passo 3: Clique em Avançar na tela de Boas Vindas Passo 4: Clique em Concordo no contrato de licença. Passo 5: Clique em Avançar Passo 6: Deixe marcada apenas a opção Quantum GIS e clique em Instalar Passo 7: Após instalados os componentes do software clique em Avançar Passo 8: Clique em Terminar Passo 9: Abra o Aplicativo Quantum GIS 4

5 2. ESTRUTURA DO SOFTWARE QUANTUM GIS Lisboa. A primeira parte da estrutura de um SIG a ser abordada neste curso será a interface de um software de Sistemas de Informações Geográficas. O Quantum GIS (QGis) apresenta uma interface bastante amigável e que pode ser completamente customizada de acordo com as suas necessidades. Abaixo é apresentada a tela inicial do programa em sua configuração padrão. Nesta etapa iremos entender a estrutura de um dos principais softwares livres da área, O esquema abaixo nos mostra a divisão da interface do Quantum GIS: 1 - Barra Principal de Menus: Localização dos principais comandos do software 2 - Barras de Ferramentas: Barras de ferramentas dinâmicas para acesso rápido às funcionalidades do software. 3 - Área de Visualização do Mapa: Local onde são visualizadas as camadas geográficas 4 - Área de Controle: Local de gerenciamento das camadas 3. FORMATO DE DADOS ESPACIAIS E TABULARES. 4. INICIANDO A UTILIZAÇÃO NO Q GIS Lisboas. O Quantum GIS possibilita o uso de vários formatos de dados espaciais e tabulares nas suas consultas e análises. Alguns destes formatos de dados estão exemplificados na tabela abaixo: Os dados em formato shapefile são atualmente o tipo de dados espacial mais popular do mercado, por apresentarem uma estrutura simples que pode ser trabalhada na maioria dos softwares de SIG, sejam estes livres ou de mercado. Apresentam geometria vetorial de pontos, linhas ou polígonos, e uma tabela de atributos associada às feições geográficas. Caso tenha curiosidade, verifique no Windows Explorer que as camadas em shapefile são formadas por uma série de arquivos, dentre estes os mais importantes são: shp (geometria), dbf (banco de dados), shx (ligação entre a geometria e o banco de dados) e prj (informações cartográficas). No Quantum GIS você vê todos estes arquivos integrados, permitindo assim que você possa executar análises espaciais e tabulares. O QGIS possibilita trabalhar com diversos tipos de dados vetoriais dentre os quais podemos destacar: Arquivo shape ESRI (*.shp*.shp): Formato nativo do principal software comercial de Sistemas de Informação Geográfica, geralmente é formado por pelo menos 3 arquivos com as seguintes extensões.shp (dados vetoriais),.dbf (banco de dados) e.shx (arquivo de ligação entre o. SHP e.dbf), outro arquivo que pode acompanhar estes três e o arquivo de projeção.prj (nativo do principal software comercial, mas reconhecido pelo QGIS) ou o arquivo.qpj (nativo do QGIS) estes dois arquivos armazenam o sistema de coordenadas e datum da camada. Os arquivos podem ser visualizado ao lado Microstation DGN (*.dgn*.dgn): Formato do software de Desenho Assistido por Computador (CAD). Valores separados por vírgula (*.csv*.csv): Formato bastante leve e rápido de ser processado que pode ser produzido em editores de texto; GPS exchange Format [GPX] (*.gpx*.gpx): Formato em que a maioria dos programas que processam dados de GPS conseguem exportar as informações coletados em campo; Keyhole Markup Language [KML] (*.kml*.kml): Formato produzido inicialmente para ser visualizado no software Google Earth, diversos sites atualmente distribuem informações neste formato; 5

6 AutoCAD DXF (*.dxf*.dxf): Formato do principal software de Desenho Assistido por Computador (CAD) utilizado em todo o mundo; OBS: A forma como os arquivos vetoriais são produzidos nos programas CAD pode dificultar a abertura dos mesmos, por exemplo, hachuras, arquivos atachados, pontos e pedaços de linha que não fazem parte ( sujam ) do mapa devem ser evitados. Quanto mais o desenho se basear em estruturas como pontos, linhas e polígonos mais facilmente serão reconhecidos e menores a possibilidade de conflitos. File - encontram-se as operações básicas de ficheiro: new; open; save; save as; print. Manage Layers ferramentas que permitem adicionar informação ao projecto: add vector layer; add raster Layer; add postgis Layer; add spatialite layer; add wms layer; new vector layer; remove layer. Attributes - permite aferir as propriedades básicas da informação que for carregada:identify feature; select feature; deselect features from all layers;measure line; measure area; measure angle; maptips; show bookmarks; new bookmark Digitizing e Advanced Digitizing- ferramentas para edição de dados vectoriais. Map Navigation - ferramentas de visualização: zoom e pan. Labels opções de etiquetagem e descrição (labels) GRASS interface de ligação às ferramentas do programa GRASS Plugins Funcionalidades adicionais criadas por utilizadores de todo o mundo 5. CONFIGURANDO O QUANTUM GIS PARA DOWNLOAD E ATUALIZAÇÃO DE COMPLEMENTOS. Com o QGIS aberto, Clique na Barra de Menus na aba Configurações/ Opções. No menu Opções acesse a aba Rede, caso sua superintendência utilize um Proxy para acessar a internet, procure saber no setor de informática qual é o número, marque a caixa e preencha os campos com o número do proxy, a porta, o seu nome de usuário e senha, não esqueça de escolher no item Tipo de Proxy Http Proxy como na figura abaixo. Em casa ou caso sua SR não utilize proxy é só desmarcar a já citada caixa e finalizar esta etapa. 6

7 Em seguida, Na barra de menu Click em Complementos aparecerá uma nova opção, clique nela e será aberta a janela abaixo que contém3 abas: Complementos, Repositórios, Opções; clique na aba Repositórios. Na aba Repositórios (1), acione o botão Adicionar... (2) um grupo terceiro de repositórios. Em seguida, passe para a aba Opções (2) configure-a conforme a figura abaixo (3) a cada semana e (4) Mostra todos o complementos exceto aquele marcados como experimentais: Finalmente clique na aba Complementos, ela deverá mostrar vários plugins disponíveis para instalação, cada plugin traz o nome e uma breve descrição da sua funcionalidade, agora é só escolher e clicar no botão instalar/atualizar complemento para que ele seja instalado. Feito isso, basta ir novamente ao menu Complementos / Gerenciar complementos, clicar na caixa do plugin instalado e pronto, ele deverá estar disponível na Barra de Complementosda área de trabalho ou caso não apareça, clique novamente no menu Complementose ele deverá estar habilitado. Neste curso utilizamos alguns desses plug-ns para nos auxiliarmos na execução de Neste curso utilizamos alguns desses plug-ins para nos auxiliarmos na execução de determinadas práticas: GdalTools: Utilizado para conversão de vetor para raster ou de raster para vetor. Plugin Select: SelectInverse e SelectAll Complemento consulta espacial: Utilizado para executar seleção espacial. Plugin ftools: Ferramenta para análise de dados espaciais. Table Manager: Ferramenta utilizada para editar tabelas. No caso de não encontre os plug-ins acima vá ao PYQGIS (www.pyqgis.org) que é um site onde são disponibilizados diversos plugins para o Quantum GIS. O usuário pode conectar com esse repositório de forma direta por dentro do ambiente do Quantum GIS e baixar o complemento desejado. Vejamos neste passo como criar uma conexão 7

8 6. CONFIGURANDO OPÇÕES. CONFIGURANDO OPÇÕES. Acesse a barra de menus Configurações / Opções, aperte a aba Geral e marque as opções conforme a figura (1). Em seguida passaremos para a aba Ferramentas de Mapa, configure as ferramentas de medida de acordo a figura (2). A próxima aba a ser configurada é Digitalizar, configure o campo Atração para que ele funcione, como mostrado na figura (3). A última aba a ser configurada é a SRC, que permite definir o sistema de coordenadas projeção e datum. Importante saber que o QGIS permite a visualização de dados em diferentes sistemas de coordenadas sem que você tenha que transformá-los primeiro, bastando para isso ativar Habilitar reprojeção on the fly como padrão. Para configurar esta aba siga o padrão da figura (4). Finalmente clique OK e passaremos para as Configurações do Projeto. 8

9 7. CONFIGURANDO AS PROPRIEDADES DO PROJETO. Para acessar as configurações do projeto acesse o menu Configurações / Propriedades do Projeto... ou Crtl + Shift + P Será aberta uma janela com as abas ao lado. A primeira aba das propriedades do projeto, Geral, permite dar um nome ao projeto, definir as cores de fundo e seleção, as unidades e a precisão do projeto (**IMPORTANTE**) neste item, escolher para o campo Salvar caminhos: a opção Relativo pois a mesma permite que o projeto seja salvo em HDs externos ou pendrives diminuindo problemas quando o projeto for aberto em outras máquinas. A segunda aba permite definir o sistema de referência de coordenadas (SRC). Como já explicado anteriormente ative Habilita transformação SRC on the fly. As outras abas da configuração do projeto não necessitam ter suas configurações padrão alteradas. Depois dessas configurações o QGIS está pronto para ser utilizado, sendo assim vamos Salvar o nosso projeto. O projeto para o Quantum GIS um arquivo na extensão *.qgs que reúne as informações sobre as camadas adicionadas, as propriedades de visualização das camadas, a projeção e datum em que a visualização do mapa ocorrerá e a última visualização salva das camadas. Só é possível trabalhar com um projeto de cada vez. Acesse o menu dê o nome que preferir e clique no botão OK. 8. ADICIONANDO CAMADAS VETORIAIS NO QUANTUM GIS Para adiciona um arquivos no QGIS há 3 opções: I. Utilizar a Barra de Menu Camada > Adicionar camada vetorial; II. Utilizar o atalho Ctrl+Shift+V; III. Utilizar a Barra de Ferramentas / Gerenciar Camadas clicando no item Adicionar camada 9

10 Nota: Para efetuar a sobreposição de vetores e imagem é necessário (Raste). Clicando que ambos agora estejam em com o Sistema de Coordenadas de Referências (CRS). Veja: ACESSO AS PROPRIEDADES DO QUANTUM GIS > Propriedades da Camada > Geral. 9. ACESSO AS PROPRIEDADES DO QUANTUM GIS Utilizando a Barra de Menu Camada > Adicionar camada vetorial; Selecione a opção Arquivo (2) mude a codificação para CP1252 (2) para permitir que na tabela de atributos não haja problemas no reconhecimento de caracteres e acentuação e finalmente clique em Buscar (3) para que seja aberta a tela abaixo em que é possível escolher os arquivos. Selecione a camada vetorial para o Cálculo de Área (4), clique em Abrir e em seguida clique em Open. Repita o processo para adicionar uma imagem Para acessar as propriedades do Quantum clique com botão direito do mouse na camada (1) deseja e selecione no menu suspenso Propriedade (2). Em Propriedade da Camada (3). No menu da Propriedades da Camada pode-se configurar Estilo, Rótulo, Campos, Geral, Metadados, Ações, Uniões, Diagramas e Sobreposição da camada 10

11 10. ACESSO A TABELA DE ATRIBUTO DA CAMADA Para acessar as propriedades do Quantum clique com botão direito do mouse na camada (1) e selecione no menu suspenso Propriedade (2). Em (3) Visualize a Tabela de Atributo da Camada. 11. CALCÚLO DE ÁREA E PERÍMETRO NO QUANTUM GIS. Para começar o procedimento, clique com botão direito em Camada (1), em seguida clique me propriedade da Camada (2). Em Geral observe o Sistema de referência cartográfica (SRC) (3). Nesse curso utiliza-se EPSG: WGS 84 / UTM zone22). Depois dessas confirmações vá à tabela de atributos e coloque seu vetor em edição (1) e em seguida clique em Abrir tabela de atributo (2). Em nova coluna (3) crie a coluna para receber a área calculada. Na Janela Adicionar coluna (4) defina o Nome da coluna (Área), Tipo (número décima real), Largura (12) e Precisão (4). Clique em Ok e a nova coluna Área estará criada. O tipo da coluna é número decimal (real) configurado em duble, Largura (12) compõe os números antes da vírgula e Precisão (4) os números após a vírgula. 11

12 Com a coluna criada clique sobre a calculadora de campo e na janela que abrir coloque para ser Atualizar o campo existente (1), em seguida defina o campo Área (2). Em (3) defina a função desejada (Geometria $area) com dois clique e depois dê OK. Com isso o programa calculará sua área em m² (metros quadrados). Feche a edição, feche a tabela e reabra para que o dado seja atualizado. Agora realize o mesmo procedimento para cálculo do perímetro. Contudo, nesta etapa apenas a função será diferente, sendo escolhido agora ($perimeter) em (3). 12. BAIXANDO DADOS DE SUPERFICIE DE ANÁLISE O material complementar deste capítulo pode ser obtida em: mnt.pdf O projeto Topodata/INPE trabalha com dados morfométricos do Brasil e disponibiliza o Modelo Digital de Elevação (DEM) e suas derivações locais básicas em cobertura nacional, ora elaborados a partir dos dados SRTM disponibilizados pelo USGS na rede mundial de computadores. Iremos entender a estrutura da página, qual a estrutura dos dados e como baixá-los e usá-los. Os dados altimétricos da região de Tailândia-Pará já estão salvos, mas abaixo você encontra um passo a passo para baixá-los, caso você tenha interesse em outras áreas de trabalho após o treinamento. Para baixar os dados do DEM Topodata vá até o endereço: Após analisar a página, clique em Acesso para abrir o mapa índice dividido em Folhas: Desloque-se até a região do Estado do Pará e Perceba que uma das cartas da região de São Félix do Xingu tem o código: 02s495 Na área abaixo do mapa, perceba que há a definição dos tipos de dados e termos usados para baixar os arquivos. 12

13 Vá até a opção 3 (Camadas em TIF) e escolha para baixar Altitude (ZN), clicando no link do cabeçalho: Planos de Informação em GeoTiff (32 bits, extensão.tif) Será aberta uma nova janela e você irá escolher o arquivo da região pela junção do nome do cógido da folha (02s495) + o código das camadas (ZN) e (03s495) + o código das camadas. Baixe o arquivo zipado, com atenção aos nomes. 13. MOSAICO DE IMAGEM DE SENSORES REMOTOS O processo de mosaicagem de imagens nos permite unir imagens separadas em uma única imagem, para se ter uma visão contínua de uma determinada área. Adicione, à área de controle do Quantum GIS, as imagens SRTM 02S495ZN e 03S495ZN, assim como o shape LIM_Tailandia_A armazenado no diretório B_Area_Estudo, referente ao município de Tailândia PA. Caso a imagem apareça com apenas uma cor preta ou cinza, abra as propriedades da imagem e, na guia Estilo (Style), escolha a opção Estender e Corta para MinMax em Melhorar Contraste. Em seguida, no menu principal do Quantum GIS, clique em Raster > Miscellaneous > Merge. Preencha os dados como na figura Meclar. Para Arquivo de entrada (Input Files), selecione as duas imagens STRM 02S495ZN e 03S495ZN a serem mosaicadas. Para Arquivo de saída (Output File), salve a imagem na pasta Resultados com nome de Topo_Tailandia_Mosaico.tif. Marque a opção Carregar na tela ao concluir (Load into canvas when finished), para carregar a imagem na área de visualização do Quantum GIS. 13

14 Clique em Ok para executar o processamento das imagens. Como são duas cenas inteiras e, dependendo da sua máquina, o processamento pode demorar um pouco. 14. RECORTE DE IMAGEM DE SENSORIAMENTO REMOTO Agora, você irá recortar as imagens usando como referência o limite vetorial do município da Área de Estudo. Abra a imagem Topo_Tailandia_Mosaico e LIM_Area_Estudo_A (vetor) sobrepondo as imagens. Mude a simbologia da camada LIM_Area_Estudo_A, sem cor de preenchimento, cor da linha externa vermelha e largura da linha com valor 2. Properties > Estilo (Style). Você irá recortar estas imagens usando como referência o limite da LIM_Area_Estudo_A. Na área de menus do Quantum GIS, clique em Raster > Extraction > Clipper. Preencha a janela de Recorte Raster (Cortador) como na figura acima, para o corte do mosaico de imagens. Defina como raster de entrada a imagem Topo_Tailandia_Mosaico.tif. Para raster de saída, salve a imagem na pasta Resultados como Topo_Talandia_Clip.tif. Marque a opção de Camada máscara (Mask Layer), para a camada LIM_Area_Estudo_A, e marque a opção Carregar na tela ao concluir (Load into canvas) para carregar a imagem na área de visualização após o processamento. 14

15 Clique em OK e analise se sua imagem foi realmente cortada. Caso a imagem apareça com apenas uma cor preta ou cinza, abra as propriedades da imagem e, na guia Estilo (Style), escolha a opção Estender e Corta para MinMax em Melhorar Contraste. 15. GERANDO SUPERFICIE DE ANÁLISE Abra o Quantum GIS com um mapa em branco e Adicione o Topo_Talandia_Clip.tif. Se questionado (a) sobre criar os pyramid layers, clique em Sim para agilizar a visualização. Caso a imagem apareça com apenas uma cor preta ou cinza, abra as propriedades da imagem e, na guia Estilo (Style), escolha a opção Estender e Corta para MinMax em Melhorar Contraste. Clique em Ok para ver o resultado. Perceba que, agora, seu arquivo representa as irregularidades topográficas do terreno com uma visão da estrutura hidrográfica. Para gerar arquivos de Curvas de Nível e Declividade para analisar seu resultado no Quantum GIS. No Quantum GIS, clique em Analysis > Sextante Toolbox para abrir o conjunto de ferramentas de Álgebra de mapas e análise espacial. A extensão Sextante, que pode ser comparada à interface do ArcToolbox no ArcGIS, é composta por um conjunto de ferramentas e algoritmos que possibilitam ao usuário uma ampla possibilidade de processamento nos dados geográficos. 15

16 Em Sextante Toolbox Raster > Raster (r.*) dê um duplo clique na ferramenta r.contour.step. Na janela que será aberta, preencha a ferramenta como na figura abaixo, onde para raster de entrada (Input Raster) selecione o Topo_Tailandia, para a opção Increment Between Contour levels (Equidistância das curvas de nível) digite o valor de (5). Na opção Contours, clique no botão de reticências (...) e salve a camada no diretório Resultados com nome de Topo_Tailandia_C_Nivel.shp. Perceba que será gerado um arquivo em formato Shapefile, contendo as curvas de nível da região com equidistância de 5 metros e adicionado à tela de visualização do Quantum GIS. Abra a tabela de atributos da camada Topo_Tailandia_C_Nivel botão direito (1) > Abrir Tabela de Atributo (2) (Open Attribute Table) e analise o campo level, contendo as cotas das curvas de nível Em seguida, iremos gerar uma análise de declividade da Região pelo Sextante. Na extensão Sextante do Quantum GIS, pesquise o termo Slope, referente a declividade em inglês. Em seguida, iremos gerar uma análise de declividade da Região pelo Sextante. Na extensão Sextante do Quantum GIS, pesquise o termo Slope, referente a declividade em inglês. 16

17 Preencha os dados como na figura abaixo, escolhendo como entrada o arquivo Topo_Tailandia_Clip, deixe a saída como graus (degree) e na opção Output Slope layer salve o arquivo com nome de Topo_Tailandia_Decliv.tif. Desmarque todas as opções de visualização, deixando marcada apenas a opção Open output file after running algorithm. Clique em Ok. Perceba que será gerado um raster representando a declividade da região, em graus, e adicionado à tela de visualização do Quantum GIS. Caso tenha sido gerada uma imagem cinza, você precisará alterar alguns parâmetros de visualização. Na área de controle do Quantum GIS, clique com o botão direito no raster de declividade > Properties Clique na guia Style e selecione a opção Pseudocolor, em Color Map. Clique em Ok e veja o resultado como na figura acima. 16. CONVERSÃO DE RASTER PARA VETOR O objetivo é apresentar como o Quantum Gis realiza conversão de raster (Matriz) para vetor. Na área de controle do Quantum GIS, adicione o B_Uso_Solo_APA_08. Caso a imagem apareça com apenas uma cor preta ou cinza, abra as propriedades da imagem e, na guia Estilo (Style), escolha a opção Estender e Corta para MinMax em Melhorar Contraste. Em seguida, clique em Raster > Conversion > Polygonize (Raster to Vector). Arquivo de entrada (Input Raster) : B_Uso_Solo_APA_08.tif Em Arquivo de saída para polígono (arquivo shape): Navegue até seu diretório de Resultados e salve a nova camada com o nome de Uso_Solo_APA_Poly.shp Campo de nome (Field Name): Marque a opção (DN) Marque a opção Carregar na tela ao concluir (Load into Canvas when finished) Clique em Ok e em seguida close para fechar a ferramenta. Analise os resultados gerados e perceba que as classes do raster, representadas por pixels, são agora polígonos. 17

18 Abra a tabela de atributos da nova camada de polígonos Uso_Solo_APA_poly. Perceba que você não possui a descrição das classes, apenas o campo DN representando o código de cada classe. 17. COMPOSIÇÃO DE BANDAS Em muitas situações, em uma imagem é necessário que seja feita a composição das bandas que estejam separadas (faixas do espectro eletromagnético). Desta forma, pode-se criar diferentes composições coloridas, seja na região do visível ou falsa cor. Neste exercício nós iremos unir e separar bandas de uma imagem no Quantum GIS. Como obter imagens de satélite LANDSAT?: Procedimentos de PDI para o mapeamento do uso e cobertura das terras: Em seguida, no diretório B_Landsat_2008, adicione as bandas 1, 2 e 3 da imagem do satélite Landsat 7 de Iremos unir bandas que nos possibilitem trabalhar no visível R3, G2, B1. Inicialmente, caso ainda não possua a ferramenta para combinação de bandas, você precisará clicar em Plugins > Fetch Python Plugins Na área de filter, digite RGB e selecione a ferramenta RGB composition. Em seguida, clique em Install Plugin. Clique na guia Layer e perceba que foi instalada a ferramenta Add RGB Composition. Clique na ferramenta para abri-la. Na janela que será aberta, defina a configuração como: Red (R) = Banda 1; Green (G) = Banda 2; Blue (B) = Caso fique confusa a escolha das bandas, na janela da ferramenta, use o botão Browse e selecione cada banda (*.TIF). 18

19 Clique em Ok. Perceba que será adicionada à sua área de controle uma imagem temporária, com link para a imagem Composição_R3G2B1.tif. Caso queira abra as propriedades, na guia Metadata veja as informações completas da imagem. Ainda na janela de Propriedades, clique na guia Estilo (Style) e perceba que você possui as três bandas da imagem unidas na cor visível. Altere a ordem das bandas em Modo RBG de seleção de bandas e escala (1) para ver os efeitos na imagem, onde para cada sequência de bandas haverá exibição mais detalhada de alguns temas, como água, áreas urbanas, áreas agrícolas etc. Clique em Apply e em seguida OK (2). Veja como ficou sua Coposição de bandas. 18. GERAR NDVI (sigla em inglês para índice de vegetação por diferença normalizada) Imagem de NDVI (sigla em inglês para índice de vegetação por diferença normalizada) possui um intervalo de valores de -1 a +1. Este índice usa as bandas do infra vermelho próximo e do vermelho, com a seguinte fórmula (Band 4 Band 3) / (Band 4 + Band 3). Perceba que, para gerar o NDVI, precisaremos separar as bandas 3 e 4, sendo respectivamente nas faixas espectrais do vermelho e do infravermelho próximo. Na faixa do vermelho a clorofila absorve a energia solar ocasionando uma baixa reflectância, enquanto na faixa do infravermelho próximo, tanto a morfologia interna das folhas quanto a estrutura da vegetação ocasionam uma alta reflectância da energia solar incidente (Medeiros, 2013). Portando, quanto maior o contraste, maior o vigor da vegetação na área imageada. 19

20 Na janela que se abre, digitar a fórmula apresentada abaixo na Calculadora raster (utilizando o teclado apenas quando o que se deseja inserir na calculadora não tenha nos Operadores), inserir a Camada de saída e verificar se a expressão foi validada (Expressão válida): No exemplo a seguir, foi utilizada a imagem de satélite Landsat TM 5, baixada pelo site do INPE, e os procedimentos metodológicos foram feitos utilizando-se o software livre Quantum GIS versão No comando Adicionar imagem raster, inserir as imagens Landsat correspondentes às Bandas 3 e 4; para realizar o cálculo de NDVI acesse o menu Raster >> Calculadora Raster. Atenção na grafia da expressão e, em seguida, clique em OK e veja a imagem resultado na área de visualização do Quantum GIS. Analise a imagem NDVI gerada e perceba que, quanto mais clara (laranja), maior a quantidade de vegetação e quanto mais escura (azul) menor. As cores podem variar de acordo com os tons escolhidos na paleta de cores do software. 20

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Helio Larri Vist Geógrafo Mestre em Sensoriamento Remoto Ayr Müller Gonçalves Educador Físico e Graduando em Segurança da Informação Rai Nunes dos Santos

Leia mais

QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE)

QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE) QGIS 2.8 Rampa de Cores para Representação Topográfica do Modelo Digital de Elevação (MDE) Jorge Santos 2015 QGIS 2.8: Novas Rampas de Cores Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Download e Processos no MDE...

Leia mais

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers Conversão de Raster para Polígono usando o ArcMap Nos posts anteriores, conhecemos uma situação onde uma empresa solicita, além do produto esperado, imagens no canal alfa para geração de polígonos envolventes

Leia mais

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS I Encontro Brasileiro de usuários QGIS Uso do QGIS no Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto Jorge Santos jorgepsantos@outlook.com www.processamentodigital.com.br Dicas, tutoriais e tudo

Leia mais

4ª aba do cadastro: Mapa Orientações para upload de shapefiles

4ª aba do cadastro: Mapa Orientações para upload de shapefiles Conteúdo: 1. Como fazer upload de arquivos espaciais no SiCAR-SP? Formato dos arquivos Características do shapefile Sistema de Coordenadas requerido Como preparar o shapefile para o upload 2. O que fazer

Leia mais

Objetivo: desenvolver um Plano de Bacia Hidrográfica

Objetivo: desenvolver um Plano de Bacia Hidrográfica Tutorial de Aplicações do geoprocessamento em Sistema de Informação Geográfica livre Elaborado por: ¹Loide Angelini Sobrinha; ²Leandro Guimarães Bais Martins; ³João Luiz Boccia Brandão ¹ ²Engenheiro(a)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

MAPA - Orientações. Conteúdo desse documento:

MAPA - Orientações. Conteúdo desse documento: Conteúdo desse documento: 1. Como fazer upload de arquivos espaciais no CAR 1.a. Formato do arquivo 1.b. Características do shapefile 1.c. Sistema de coordenadas requerido 1.d. Como preparar o shapefile

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD 1 - INTRODUÇÃO O ArcPad é um software de mapeamento e tratamento de Informações Geográficas desenvolvido pela ESRI cujo objetivo principal é a portabilidade e mobilidade dos dados. O ArcPad pode ser utilizado

Leia mais

IMPORTANDO ARQUIVOS SHAPEFILE PARA O POSTGIS VIA PROMPT DO DOS

IMPORTANDO ARQUIVOS SHAPEFILE PARA O POSTGIS VIA PROMPT DO DOS IMPORTANDO ARQUIVOS SHAPEFILE PARA O POSTGIS VIA PROMPT DO DOS INTRODUÇÃO Neste tutorial iremos tratar de uma situação comum durante os trabalhos de geoprocessamento que envolvam banco de dados geográficos,

Leia mais

QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)

QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC) QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC) Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Introdução... 3 1.1 Referência Espacial... 3 1.2 Sistema de Referência de Coordenadas (SRC)...3 1.3

Leia mais

LANDSAT-8: Download de imagens através dos sites Earth Explorer e GLOVIS

LANDSAT-8: Download de imagens através dos sites Earth Explorer e GLOVIS LANDSAT-8: Download de imagens através dos sites Earth Explorer e GLOVIS 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar imagens

Leia mais

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento Atividade Prática: Laboratório SIG Docentes: Prof. Dr Claudio Luiz Marte Prof. Dr. José Alberto Quintanilha Elaboração Roteiro: Mariana Abrantes Giannotti Colaboração:

Leia mais

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source 1 02 DESTINATÁRIOS Todos os que trabalhando ou que virão a trabalhar com tecnologia

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Autor: Julho de 2010 Material para Exercícios Práticos APRENDENDO TerraView 3x tem graduação e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso e atualmente

Leia mais

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar

Leia mais

Tutoriais Geoprocessamento QGIS Acessando Imagens Versão 1.1

Tutoriais Geoprocessamento QGIS Acessando Imagens Versão 1.1 Tutoriais Geoprocessamento QGIS Acessando Imagens Versão 1.1 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 16/01/2014 1.0 Elaboração do documento Frederico dos Santos Soares 05/06/2014 1.1 Atualização

Leia mais

Utilização do QuantumGIS (QGIS)

Utilização do QuantumGIS (QGIS) Utilização do QuantumGIS (QGIS) Actividade Criação de mapas temáticos a partir de dados estatísticos Descrição do trabalho: Utilização do QGIS para a criação de mapas temáticos a partir de dados estatísticos

Leia mais

OpenJUMP. Pontos fracos do OpenJUMP

OpenJUMP. Pontos fracos do OpenJUMP OpenJUMP No início foi chamado apenas de JUMP (JAVA Unified Mapping Platform), e se tornou popular no mundo livre de SIG(Sistema de informação Geográfica), desenhado por Vivid Solutions. Atualmente é desenvolvido

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas à manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

AULA 1 Iniciando o uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o uso do TerraView Essa aula apresenta a interface principal do TerraView e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados nesse documento são disponibilizados junto

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Tutorial. Edição de dbf usando Excel e Acess. versão 1.0-08/02/2012. Autores: Mauricio Schiavolin Silva, Vitor Pires Vencovsky

Tutorial. Edição de dbf usando Excel e Acess. versão 1.0-08/02/2012. Autores: Mauricio Schiavolin Silva, Vitor Pires Vencovsky Tutorial Edição de dbf usando Excel e Acess versão 1.0-08/02/2012 Autores: Mauricio Schiavolin Silva, Vitor Pires Vencovsky 1. INTRODUÇÃO Esse tutorial apresentará um procedimento para a edição de arquivos

Leia mais

Mundo GEO#Connect LatinAmerica 29 a 31 de maio de 2012

Mundo GEO#Connect LatinAmerica 29 a 31 de maio de 2012 Mundo GEO#Connect LatinAmerica 29 a 31 de maio de 2012 Curso Introdução ao Sensoriamento Remoto Exercícios Práticos Equipe Técnica Docente: Dr. Luiz Eduardo Vicente Analistas: Ms. Daniel Gomes Ms. Gustavo

Leia mais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais A Edição de Parcelas de Fábrica é um poderoso recurso de edição do ArcGIS 10. Essa ferramenta é fundamental para divisão de arquivos shapefile

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais

Luciana Cristina de Almeida Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC Universidade Federal de Santa Catarina lualmeida4@gmail.

Luciana Cristina de Almeida Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC Universidade Federal de Santa Catarina lualmeida4@gmail. ANÁLISE ESPACIAL DE DADOS COM O QUANTUM GIS: exercícios realizados durante tópico especial ofertado pelo programa de Pós-Graduação em Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Universidade Federal de

Leia mais

SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY. Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO

SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY. Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO ************************************************************

Leia mais

Exercício prático GPS Thales MobileMapper

Exercício prático GPS Thales MobileMapper Exercício prático GPS Thales MobileMapper Criar biblioteca: - Abrir o software Mobile Mapper Office e, no menu Tools, seleccionar a opção Feature Library Editor. - Para criar os ficheiros de pontos, linhas

Leia mais

QGIS 2.4 Recorte de Raster em Lote (Clip Raster in Batch Mode)

QGIS 2.4 Recorte de Raster em Lote (Clip Raster in Batch Mode) QGIS 2.4 Recorte de Raster em Lote (Clip Raster in Batch Mode) Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Informações Complementares... 3 1.1 Camada Máscara (Vetor)... 3 1.2 Referência Espacial...

Leia mais

QGIS 2.8 + SAGA GIS Álgebra de Mapas para Substituição de Pixels Negativos no MDE Topodata

QGIS 2.8 + SAGA GIS Álgebra de Mapas para Substituição de Pixels Negativos no MDE Topodata QGIS 2.8 + SAGA GIS Álgebra de Mapas para Substituição de Pixels Negativos no MDE Topodata Jorge Santos 2015 1 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Download e Análise do Topodata... 3 1.1. Download do Topodata

Leia mais

GIMP 2.8 Guia para Remoção do Pixel Valor Zero nas Imagens Landsat-8

GIMP 2.8 Guia para Remoção do Pixel Valor Zero nas Imagens Landsat-8 GIMP 2.8 Guia para Remoção do Pixel Valor Zero nas Imagens Landsat-8 Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 4 O Problema do Pixel Valor Zero... 4 1.1 Transformação Radiométrica... 4 1.2 Equalização

Leia mais

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP 1. Abrir o Arcmap, clicar no ícone Arcmap (seta preta na figura abaixo), que pode

Leia mais

Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH. Departamento de Geografia

Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH. Departamento de Geografia Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH Departamento de Geografia Mini-curso Mapeamento de APP (áreas de preservação permanente) através de técnicas de Geoprocessamento

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Instalando o Software Topcon Tools e Topcon Link:

Instalando o Software Topcon Tools e Topcon Link: Instalando o Software Topcon Tools e Topcon Link: Crie uma pasta em seu computador, em seguida faça download da Pasta TOPCON TOOLS disponibilizada no FTP da Santiago & Cintra (ftp.santiagoecintra.com.br

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geologia e Recursos Naturais (DGRN) GE 804 Sistema de Informações Georreferenciadas Prof. Carlos Roberto de Souza Filho PREPARAÇÃO

Leia mais

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView

AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView 1.1 AULA 1 Iniciando o Uso do TerraView Essa aula apresenta o software TerraView apresentando sua interface e sua utilização básica. Todos os arquivos de dados mencionados neste documento bem como o executável

Leia mais

QGIS 2.4 Estatísticas de Grupo Somatório de Áreas

QGIS 2.4 Estatísticas de Grupo Somatório de Áreas QGIS 2.4 Estatísticas de Grupo Somatório de Áreas Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Introdução... 3 1.1 Demanda... 3 1.2 O Complemento Group Stats...3 1.3 Instalação do Complemento Group

Leia mais

Manual de Sistema - 03/2014 Versão 4.15.0.4766

Manual de Sistema - 03/2014 Versão 4.15.0.4766 Manual de Sistema - 03/2014 Versão 4.15.0.4766 O Geocloud depende de alguns softwares para o seu melhor funcionamento. Depois de diversos testes e ajustes, para oferecer aos nossos usuários a melhor experiência

Leia mais

Prof. Tiago Badre Marino Geoprocessamento Departamento de Geociências Instituto de Agronomia - UFRRJ. Aquisição de dados cartográficos a partir da Web

Prof. Tiago Badre Marino Geoprocessamento Departamento de Geociências Instituto de Agronomia - UFRRJ. Aquisição de dados cartográficos a partir da Web Exercício Objetivo Aplicativos Entrar nas diferentes fontes de dados cartográficos e imagens de sensoriamento remoto existentes no Brasil e executar os procedimentos para download destes dados disponíveis

Leia mais

Introdução ao gvsig portable v1.11 SIG-RB Módulo Básico

Introdução ao gvsig portable v1.11 SIG-RB Módulo Básico Introdução ao gvsig portable v1.11 SIG-RB Módulo Básico Equipe SIG-RB: Alex Joci dos Santos Arlei Benedito Macedo Fábio Rodrigo de Oliveira Gilberto Cugler Lays dias Silva Marcelo da Silva AUTORES Revisão:

Leia mais

QGIS 2.2 Manual técnico para Utilização do SIG QGIS 2.2 e Instalação dos aplicativos, GRASS 6.4.3, GRASS 7.0, Orfeo Monteverdi e SAGA GIS no Sistema

QGIS 2.2 Manual técnico para Utilização do SIG QGIS 2.2 e Instalação dos aplicativos, GRASS 6.4.3, GRASS 7.0, Orfeo Monteverdi e SAGA GIS no Sistema QGIS 2.2 Manual técnico para Utilização do SIG QGIS 2.2 e Instalação dos aplicativos, GRASS 6.4.3, GRASS 7.0, Orfeo Monteverdi e SAGA GIS no Sistema Operacional Windows Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6 Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação CCE/FAED Deapartamento de Geografia DG Curso Mestrado em Planejamento Regional e Desenvolvimento Sócio Ambiental

Leia mais

ebook Guia prático para download das imagens gratuitas do INPE

ebook Guia prático para download das imagens gratuitas do INPE ebook Guia prático para download das imagens gratuitas do INPE Guia prático para download das imagens gratuitas do INPE Este guia vai ajudar você a como fazer download, e a visualizar as imagens de satélite

Leia mais

PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7

PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 PostgreSQL & PostGIS: Instalação do Banco de Dados Espacial no Windows 7 Sobre o PostGIS PostGIS é um Add-on (complemento, extensão)

Leia mais

EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD

EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD O ArcMap permite que se trabalhe com arquivos de formato CAD. Antes se realizar qualquer operação de edição sobre este arquivo, é importante converter a extensão

Leia mais

Manual de baixa do Certificado Digital AR SOLUTI. Versão 2.0 de 7 de Maio de 2014. Classificação: Ostensiva

Manual de baixa do Certificado Digital AR SOLUTI. Versão 2.0 de 7 de Maio de 2014. Classificação: Ostensiva Catalogação do Documento Titulo Classificação Versão 2.0 de 7 de Maio de 2014 Autor Raphael Reis Aprovador Bruno Barros Número de páginas 57 Página 2 de 57 Sumário 1 Sistema operacional compatível para

Leia mais

Manual de baixa do Certificado Digital AR SOLUTI. Versão 2.0 de 22 de Maio de 2014. Classificação: Ostensiva

Manual de baixa do Certificado Digital AR SOLUTI. Versão 2.0 de 22 de Maio de 2014. Classificação: Ostensiva Catalogação do Documento Titulo Classificação Versão 2.0 de 22 de Maio de 2014 Autor Raphael Reis Aprovador Bruno Barros Número de páginas 43 Página 2 de 43 Sumário 1 Sistema operacional compatível para

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX. Vinícius Barreto de Sousa Neto

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX. Vinícius Barreto de Sousa Neto INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO DE JOGOS COM LIBGDX Vinícius Barreto de Sousa Neto Libgdx é um framework multi plataforma de visualização e desenvolvimento de jogos. Atualmente ele suporta Windows, Linux,

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão 01 Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão Rodrigo G. Trevisan¹; José P. Molin² ¹ Eng. Agrônomo, Mestrando em Engenharia de Sistemas Agrícolas (ESALQ-USP); ² Prof. Dr. Associado

Leia mais

SIG - Sistemas de Informação Geográfica

SIG - Sistemas de Informação Geográfica SIG - Sistemas de Informação Geográfica Gestão da Informação Para gestão das informações relativas ao desenvolvimento e implantação dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Leia mais

AULA 4 Manipulando Tabelas

AULA 4 Manipulando Tabelas 4.1 AULA 4 Manipulando Tabelas Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades relativas a manipulação de tabelas de atributos no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado nas Aulas

Leia mais

Composição de Layout no Terraview

Composição de Layout no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

AULA 6 - Operações Espaciais

AULA 6 - Operações Espaciais 6.1 AULA 6 - Operações Espaciais Essa aula descreve as operações espaciais disponíveis no TerraView. Antes de iniciar sua descrição é necessário importar alguns dados que serão usados nos exemplos. Exercício:

Leia mais

Tutorial. Exportando mapas para KML. Versão 1.0 16/01/2009. Autores: Natalia Estevam, Vitor Pires Vencovsky

Tutorial. Exportando mapas para KML. Versão 1.0 16/01/2009. Autores: Natalia Estevam, Vitor Pires Vencovsky Tutorial Exportando mapas para KML Versão 1.0 16/01/2009 Autores: Natalia Estevam, Vitor Pires Vencovsky 1. Introdução O tutorial tem como objetivo fornecer informações básicas para exportar os mapas gerados

Leia mais

Google Earth para disseminação pública

Google Earth para disseminação pública Google Earth para disseminação pública http://earth.google.com.br O que é o Google Earth? Google Earth é um programa instalado no seu computador que permite interagir com imagens e mapas em 3 dimensões

Leia mais

AULA 10- Plugins Tema Shapefile e Tema Externo

AULA 10- Plugins Tema Shapefile e Tema Externo 10.1 AULA 10- Plugins Tema Shapefile e Tema Externo Nessa aula serão apresentados dois plugins do TerraView que permitem acesso a fontes de dados externos ao banco de dados ao qual se está conectado, como

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Aplicados

Sistemas de Informação Geográfica Aplicados Sistemas de Informação Geográfica Aplicados Exercício 4 A região de Pombal é conhecida pela presença de argilas especiais negras e cinzentas com parâmetros químicos e mineralógicos que lhe conferem grande

Leia mais

Quanto menor o comprimento de onda mais o efeito da atmosfera. A Banda 1 do Landsat 5 TM serve para estudar sedimentos (menor comprimento de onda)

Quanto menor o comprimento de onda mais o efeito da atmosfera. A Banda 1 do Landsat 5 TM serve para estudar sedimentos (menor comprimento de onda) Para mapear áreas de cultura (áborea) natural (floresta, reflorestamento) usar imagens de agosto, setembro. Para mapear produtividade, contaminação, praga, usar imagens de janeiro ou dezembro. Para mapear

Leia mais

Geração de mapas temáticos utilizando os programas GPS TrackMaker, Google Earth e Surfer

Geração de mapas temáticos utilizando os programas GPS TrackMaker, Google Earth e Surfer Geração de mapas temáticos utilizando os programas GPS TrackMaker, Google Earth e Surfer Para produzir os mapas de campo, que são baseados em pontos instantâneos de atributos específicos, como a produtividade,

Leia mais

Iniciando o ArcView 3.2

Iniciando o ArcView 3.2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS DEGEO LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Iniciando o ArcView 3.2 Selma Regina Aranha Ribeiro Ricardo Kwiatkowski Silva Carlos André

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 3 RESTAURAÇÃO DE IMAGENS Qualquer tipo de tratamento de imagens deve ser efetuado antes de seu registro, ou seja, com a imagem original. As imagens CBERS aparecem com aspecto

Leia mais

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Polígono Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Material de Apoio... 3 1.1 Cartografia de Referência... 3 1.2 Base Cartográfica Vetorial de Referência...

Leia mais

MANUAL BÁSICO PARA O USO DO TRACKMAKER. I Organizar os arquivos para uso, baixar e instalar o programa.

MANUAL BÁSICO PARA O USO DO TRACKMAKER. I Organizar os arquivos para uso, baixar e instalar o programa. MANUAL BÁSICO PARA O USO DO TRACKMAKER I Organizar os arquivos para uso, baixar e instalar o programa. 1. Entrar na site www.gpstm.com/downloads.php?lang=port, clique no Download da versão GPS TrackMaker

Leia mais

Aula prática - Modelo Numérico. do Terreno. do Terreno (MNT) ou Modelo Digital do Terreno

Aula prática - Modelo Numérico. do Terreno. do Terreno (MNT) ou Modelo Digital do Terreno Aula prática - Modelo MDT correspondem a Digital Terrain Model (DTM) ou Digital Elevation Model (DEM). Uma das modelagens mais utilizadas em geotecnologias que procura representar digitalmente o comportamento

Leia mais

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map:

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map: ArcMAP (parte 2) Nesta parte do tutorial, você irá mapear cada tipo de uso da terra dentro do noise contour. Você adicionará dados ao seu mapa, desenhará feições baseadas em atributos, selecionará feições

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: Acesse o seguinte endereço e faça o download gratuito do SQL SRVER EXPRESS, conforme a sua plataforma x32 ou

Leia mais

Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3

Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3 Manual do Usuário BDGEx Versão: 2.3 Ministério da Defesa Exército Brasileiro Maio/2012 Sumário 1- Introdução...2 1.1- O que é o BDGEx?...2 1.2- Entrando no Sistema...2 1.3- Apresentando a Área de Trabalho

Leia mais

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um Aula de ArcGIS Criando uma planta de um topográfico Prof. Frederico D. Bortoloti Introdução No menu Iniciar, vá no grupo de programas ArcGIS e clique em ArcMap No ArcMap, feche a janela inicial. Passo

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002)

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002) Tutorial do Sistema GeoOffice Todos os direitos reservados (1999-2002) Sistema GeoOffice Sistema Topográfico Solution Softwares Tutorial Passo a Passo Conteúdo I Tabela de Conteúdos Foreword 0 Parte I

Leia mais

Instalação do e-token do Governo federal para acesso ao Siapenet e SIAPE.

Instalação do e-token do Governo federal para acesso ao Siapenet e SIAPE. Instalação do e-token do Governo federal para acesso ao Siapenet e SIAPE. 25/07/2013 - pág. 1 Instalação e-token do Governo Federal para acesso ao SIAPE. Baixe os arquivos de instalação de leitura do e-token

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO E SENSORIAMENTO REMOTO

FOTOINTERPRETAÇÃO E SENSORIAMENTO REMOTO FOTOINTERPRETAÇÃO E SENSORIAMENTO REMOTO PROFESSOR: RICARDO T. ZAIDAN ALAN BRONNY ALMEIDA PIRES DE MOURA ICH/DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS GEO 019 PRÉ-REQUISITO: CARTOGRAFIA TEMÁTICA 1 SOFTWARE ENVI O software

Leia mais

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN

COMO GERAR UM ARQUIVO NÃO IDENTIFICADO NO TABWIN O programa TabWin pode ser utilizado para calcular indicadores epidemiológicos e operacionais da tuberculose bem como para análise da qualidade da base de dados do Sinan. O usuário deve ter a versão atualizada

Leia mais

QGIS 2.6 + GDAL Transformação Radiométrica para Imagens Landsat-8: Conversão de 16 Bit para 8 Bit

QGIS 2.6 + GDAL Transformação Radiométrica para Imagens Landsat-8: Conversão de 16 Bit para 8 Bit QGIS 2.6 + GDAL Transformação Radiométrica para Imagens Landsat-8: Conversão de 16 Bit para 8 Bit Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 4 Sobre a Conversão Radiométrica... 4 1.1. Tipo de Dado...

Leia mais

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Manual da Placa de Interface e Acionamento. SnowFlakes 4S

Manual da Placa de Interface e Acionamento. SnowFlakes 4S Manual da Placa de Interface e Acionamento SnowFlakes 4S Introdução O SnowFlakes é uma placa eletrônica Open Source desenvolvida com o controlador programável Tibbo AKTEM-203, vendido no e-commerce do

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

O software ILWIS Integrated Land and Water Information System)

O software ILWIS Integrated Land and Water Information System) O software ILWIS Integrated Land and Water Information System) A idéia deste pequeno tutorial é divulgar o uso do software livre ILWIS e suas aplicações em Sistema de Informação Geográfica e Geoprocessamento.

Leia mais

Sistema Click Principais Comandos

Sistema Click Principais Comandos Sistema Click Principais Comandos Sumário Sumário... 1 1. Principais Funções:... 2 2. Inserção de Registro (F6):... 3 3. Pesquisar Registro (F7):... 4 3.1 Pesquisa por letras:... 5 3.2 Pesquisa por números:...

Leia mais

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos

Fluxo de trabalho do Capture Pro Software: Indexação de código de barras e separação de documentos Este procedimento corresponde ao fluxo de trabalho de Indexação de código de barras e de separação de documentos no programa de treinamento do Capture Pro Software. As etapas do procedimento encontram-se

Leia mais

EAD Sistema CR Campeiro 7

EAD Sistema CR Campeiro 7 EAD Sistema CR Campeiro 7 Tópico 1 Interface com Sistema de Posicionamento Global 1.1 Introdução: O Sistema Campeiro, disponibiliza para emprego nas rotinas de topografia, Geoprocessamento e Agricultura

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 Manual do Usuário Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 1. CONFIGURAÇÕES E ORIENTAÇÕES PARA ACESSO... 4 2 GUIAS... 11 2.1 DIGITANDO AS GUIAS... 11 2.2 SALVANDO GUIAS... 12 2.3 FINALIZANDO UMA GUIA... 13

Leia mais

TUTORIAL PARA ATUALIZAÇÃO DO PORTAL DO TJRN

TUTORIAL PARA ATUALIZAÇÃO DO PORTAL DO TJRN Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte TUTORIAL PARA ATUALIZAÇÃO DO PORTAL DO TJRN Agosto/2012 Versão 1.0 1. ACESSANDO O PORTAL Acesse o site do TJ no endereço www.tjrn.jus.br Observação: utilize

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

Utilizando Kosmo 2.0.1 (SIG livre) para criar arquivos shapefile do tipo POLÍGONO

Utilizando Kosmo 2.0.1 (SIG livre) para criar arquivos shapefile do tipo POLÍGONO Utilizando Kosmo 2.0.1 (SIG livre) para criar arquivos shapefile do tipo POLÍGONO Objetivo: Criar arquivos shapefile do tipo Polígono, diretamente em um Sistema de Informações Geográficas (Kosmo 2.0.1),

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Manual de uantum GIS

Manual de uantum GIS Gabinete de Sistemas de Informação Geográfica Manual de uantum GIS Versão 1.6.0 Elaborado por: Ana Abrantes Fevereiro de 2012 Índice Sistema de Informação Geográfica Open Source... 1 Formatos de dados

Leia mais

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 1 Levante e ande - Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Ano: 02/2011 Nesta Edição

Leia mais

Tutorial de gvsig básico aplicado a estudos históricos

Tutorial de gvsig básico aplicado a estudos históricos Tutorial de gvsig básico aplicado a estudos históricos Sumário O Hímaco Parte I Definições Importantes O que é SIG? - Objetivos diversos de um SIG - Criando um SIG histórico - O gvsig - Características

Leia mais