Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual"

Transcrição

1 Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual 24/07/2014

2 Sumário Título do documento 1. Questão Normas apresentadas pelo cliente Análise da Legislação Conclusão Referências Histórico de alterações Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP

3 1. Questão O cliente, empresa do ramo do comércio varejista, estabelecido em diversos Estados do país, utiliza o sistema Microsiga-Protheus para registrar suas operações e obrigações fiscais. Tem operações de venda presencial para consumidor final de mercadorias que posteriormente podem ser entregues em Estado diverso de onde foi efetuada a venda. Assim, um cliente residente no Estado da Bahia poderá adquirir um bem na loja situada no Estado de São Paulo e este ser entregue, por conta e ordem do estabelecimento vendedor, na residência do adquirente, em outro Estado. Ocorre que o estoque do cliente, geralmente, não está no mesmo local da loja, isto é, a loja fica em São Paulo e o estoque (centro de distribuição) fica em Barueri, por exemplo. A loja onde foi adquirido o bem mantém as mercadorias que entrega somente para exposição, como demonstração. Em resumo, a questão se refere a que: a loja de aquisição fica num local, o estoque em outro e a entrega em um terceiro local, fora do Estado da aquisição. Foi definido pelo cliente que a melhor forma de documentar estas operações seria constituir em cada Estado um centro de distribuição, de tal forma que, após concluir a venda na loja, seja emitida uma nota fiscal de transferência de mercadoria do centro de distribuição, onde mantém o estoque da mercadoria vendida, para o centro de distribuição do Estado de entrega da mercadoria, em seguida este centro de distribuição emitirá a nota fiscal de venda, conforme demonstrado abaixo: Em Minas Gerais há norma específica regulamentando esta operação, assim, o cliente deverá registrar as vendas decorrentes desses estabelecimentos, classificados como showroom, como venda para entrega futura: Na venda o estabelecimento deverá emitir nota fiscal de simples faturamento sem destaque do ICMS; Na saída de mercadoria do centro de distribuição, será emitida nota fiscal pelo: a) estabelecimento showroom, em nome do destinatário da mercadoria, com destaque do ICMS; b) estabelecimento remetente: b.1) em nome do destinatário, para acompanhar o transporte da mercadoria, sem destaque do ICMS; b.2) em nome do estabelecimento showroom, como Transferência simbólica, com destaque do ICMS; Questionam se as operações acima, propostas pela consultoria contratada pelo cliente são viáveis do ponto de vista fiscal. Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP 3

4 2. Normas apresentadas pelo Título cliente do documento A consultoria contratada pelo cliente deu as seguintes orientações quanto as suas operações: Avaliamos inicialmente os procedimentos estabelecidos pelos Estados de São Paulo e Minas Gerais, conforme segue abaixo (estimamos concluir a pesquisa para os demais Estados até o início da próxima semana). Minas Gerais A legislação do Estado de Minas Gerais dispõe que o estabelecimento que realiza operação de venda em virtude da exibição de mercadorias caracterizase como estabelecimento show-room (art. 350, 2º, Anexo IX do RICMS/MG). Neste sentido, as vendas decorrentes desses estabelecimentos deverão ser tratadas como venda para entrega futura. No ato da celebração do negócio (venda) realizada pela loja: 1) A legislação do ICMS estabelece que, em regra, todo contribuinte que promover vendas de mercadorias a varejo está obrigado a utilizar o equipamento emissor de cupom fiscal (ECF). Todavia, o estabelecimento que promover vendas pelo sistema show-room deverá emitir nota fiscal de simples faturamento, sem destaque do ICMS, para todas as operações de venda para entrega futura (artigo 305, 2º, Anexo IX do RICMS/MG). Por ocasião da saída das mercadorias do CD, deverão ser emitidos os seguintes documentos fiscais (artigo 2º, 3º da IN DLT/SRE nº02/1998): 2) pelo show-room (loja), em nome do destinatário da mercadoria, com destaque do imposto, indicando além dos requisitos legais exigidos pelo regulamento do ICMS, o nome, endereço, inscrição estadual e CNPJ do estabelecimento que promoverá a remessa da mercadoria. 3) pelo estabelecimento CD, em nome do destinatário, para acompanhar o transporte da mercadoria, sem destaque do imposto, indicando, além dos requisitos exigidos no regulamento do ICMS, como natureza da operação "remessa por conta de estabelecimento show-room", o número, série e data da nota fiscal indicada no item 2, e o nome, endereço, inscrição estadual e CNPJ do emitente. 4) pelo estabelecimento CD, em nome do estabelecimento "show-room", com destaque do imposto, se devido, indicando, como natureza da operação "transferência simbólica", o número, série e data da nota fiscal indicada no item 3. São Paulo A legislação do ICMS do Estado de São Paulo veda a emissão de documento fiscal que não corresponda a uma efetiva saída, exceto nas hipóteses expressamente previstas. Desse modo, no momento da celebração do negócio entre a loja e o consumidor final (captação do pedido) não deve ser emitido nenhum documento fiscal (artigo 204 do RICMS/SP). Todavia, opcionalmente, a loja poderá utilizar o equipamento emissor de cupom fiscal (ECF) para emissão de um Comprovante Não-Fiscal, que deverá ser emitido nos termos do artigo 29 da Portaria CAT 55/1998, conforme segue: a) o nome, o endereço e os números de inscrição municipal, estadual e o número do CNPJ; b) a denominação da operação ou da prestação realizada; c) a data, a hora inicial e final de emissão; d) o valor da operação ou da prestação; 4 Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP

5 e) a expressão: Não é Documento Fiscal para o ICMS, impressa no início e a cada dez linhas; f) o número do Contador de Ordem de Operação; g) o número do Contador de Comprovante Não Fiscal, específico para a operação, e não vinculado à operação ou prestação de serviço; h) o número do Contador Geral de comprovante não fiscal. Saída das mercadorias do CD A seguir transcrevemos as normas mencionadas no parecer da consultoria do cliente: O estabelecimento CD deverá emitir nota fiscal (Modelo 1/A ou NF-e) em nome do destinatário (consumidor final), com destaque do imposto (se devido), indicando além dos requisitos legais exigidos pelo regulamento do ICMS: a) operação de venda a não contribuinte; b) conste como observação, os dados do comprovante não-fiscal ou pedido, mesmo que este tenha sido efetuado por outro estabelecimento da mesma empresa. O procedimento fiscal indicado para o Estado de São foi formalizado pelo fisco por meio da Resposta à Consulta 767/2012. Minas Gerais RICMS (Decreto nº /2002) Da Venda para Entrega Futura Art Nas vendas para entrega futura, poderá ser emitida nota fiscal sem destaque do ICMS, mencionando-se no documento que a emissão se destina a simples faturamento, com o imposto sendo debitado por ocasião da efetiva saída da mercadoria. 2 O estabelecimento show room, assim entendido aquele que exibe mercadorias e realiza operações de venda em virtude da exibição, emitirá nota fiscal destinada a simples faturamento para todas as operações de venda para entrega futura, não se aplicando a faculdade de que trata o caput deste artigo. Instrução Normativa DLT/SRE nº 02, de 06 de maio de 1998 (MG de 09) Art. 2º - No ato da celebração do negócio, o contribuinte emitirá nota fiscal, sem destaque do ICMS, mencionando no documento que a emissão se destina a simples faturamento. 3º - Na saída de mercadoria de outro estabelecimento do mesmo titular, por ocasião de sua entrega global ou parcial, será emitida nota fiscal: 1) pelo estabelecimento show room, em nome do destinatário da mercadoria, com destaque do imposto, se devido, indicando, além dos requisitos exigidos no RICMS, o nome, endereço e números de inscrição, estadual e no CGC, do estabelecimento que promoverá a remessa da mercadoria; 2) pelo remetente: a - em nome do destinatário, para acompanhar o transporte da mercadoria, sem destaque do imposto, indicando, além dos requisitos exigidos no RICMS, como natureza da operação "remessa por conta de estabelecimento - show room", o número, série e data da nota fiscal de que trata o inciso anterior, e o nome, endereço e números de inscrição, estadual e no CGC, do emitente; b - em nome do estabelecimento show room, com destaque do imposto, se devido, indicando, como natureza da operação "transferência simbólica", o número, série e data da nota fiscal emitida na forma da alínea anterior. Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP 5

6 São Paulo Título do documento RICMS-SP/2000 Artigo É vedada a emissão de documento fiscal que não corresponda a uma efetiva saída ou entrada de mercadoria ou a uma efetiva prestação de serviço, exceto nas hipóteses expressamente previstas na legislação do Imposto sobre Produtos Industrializados ou do Imposto de Circulação de Mercadorias e de Prestação de Serviços (Lei 6.374/89, art. 67, 1º, Convênio de SINIEF, art. 44, e Convênio SINIEF-6/89, art. 89, "caput"). Portaria CAT - 55 de (DOE ; Retificação DOE ) Artigo 29 - É permitida a utilização de ECF para emissão, também de documento denominado Comprovante Não Fiscal desde que, além das demais exigências previstas nesta portaria, o documento contenha (Convênio ICMS-156/94, cláusula vigésima oitava, na redação do Convênio ICMS-2/98, cláusula primeira, IV): I - o nome, o endereço e os números de inscrição, municipal, se houver, estadual e no CGC; II - a denominação da operação ou da prestação realizada; III - a data, a hora inicial e final de emissão; IV - o valor da operação ou da prestação; V - a expressão: Não é Documento Fiscal para o ICMS, impressa no início e a cada dez linhas; VI - o número do Contador de Ordem de Operação: VII - o número do Contador de Comprovante Não Fiscal, específico para a operação, e não vinculado à operação ou prestação de serviço; VIII - o número do Contador Geral de comprovante não fiscal. 1º - Relativamente a cancelamento, acréscimo ou desconto referente às operações indicadas no Comprovante Não Fiscal, o software básico deverá ter contador e totalizador parcial específico. 2º - O nome do documento, o número do Contador de Comprovante Não Fiscal específico para a operação e do totalizador parcial respectivo, a serem indicados no Comprovante Não Fiscal emitido devem ser cadastrados na Memória de Trabalho após uma Redução Z e somente serão alterados por intervenção técnica. 3º - O Comprovante Não Fiscal não vinculado a documento fiscal emitido deve restringir-se a um registro por comprovante, sendo vedada a realização de operações algébricas sobre o valor da operação, exceto para acréscimos e descontos. 4º - A emissão de Comprovante Não Fiscal vinculado a uma operação ou prestação somente será permitida quando efetuada imediatamente após a emissão do correspondente documento fiscal e terá seu tempo de impressão limitado a dois minutos. 5º - No Comprovante Não Fiscal vinculado a uma operação ou prestação será impresso o valor da operação ou da prestação no documento fiscal correspondente, sob o comando exclusivo do software básico, podendo o aplicativo determinar sua posição no documento. 6º - Para os registros das operações ou das prestações referidas no parágrafo anterior fica facultada a utilização de Contador de Comprovante Não Fiscal específico e de totalizador parcial específico. 7º - A utilização do sistema previsto neste artigo obriga o contribuinte a manter, também, os documentos relacionados com a emissão de Comprovantes Não Fiscais, em ordem cronológica, pelo prazo previsto no artigo 193 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº de 14 de março de RESPOSTA À CONSULTA TRIBUTÁRIA 767/2012, de 09 de Outubro de ICMS - Contrato de compra e venda de execução futura realizado por estabelecimento usuário de equipamento ECF com adquirente que efetua o 6 Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP

7 pagamento por cartão de crédito no fechamento do acordo - A futura saída de mercadorias pode ser realizada pelo mesmo estabelecimento ou por outro da mesma empresa. I. No fechamento do contrato (captação do pedido) não pode ser emitido documento fiscal, por não haver uma operação de circulação de mercadoria (artigo 204 do RICMS/2000). II. Nesse momento, o estabelecimento usuário de Equipamento ECF pode emitir Comprovante Não-Fiscal nos moldes do artigo 29 da Portaria CAT-55/1998 e, na saída das mercadorias, deve ser emitido ou o Cupom Fiscal, caso a entrega seja em território paulista, ou a Nota Fiscal, mod. 1 ou 1A, ou a Nota Fiscal eletrônica - NFe (Artigos 135 c/c seus 2º e 3º, e 125, ambos do RICM/2000). III. Na hipótese de o mesmo estabelecimento usuário de ECF que receber o preço à vista antecipadamente também efetuar a saída da mercadoria, deve-se obedecer ao artigo 34-A da Portaria CAT-55/1998, podendo ser emitido, na saída das mercadorias, em lugar do Cupom fiscal (artigo 34-A, II), a Nota Fiscal, mod. 1 ou 1A, ou a Nota Fiscal eletrônica - NFe. IV. Ao usuário de equipamento ECF, é permitida a utilização de equipamento POS ( Point of Sale ) ou outro equipamento não integrado ao ECF, desde que conste, impresso no comprovante de pagamento emitido, o número de inscrição no CNPJ do estabelecimento onde se encontre instalado o ECF (artigo 33 da Portaria CAT-55/1998). 1. A Consulente, comerciante varejista de móveis e decorações, citando os artigos 2º, XXI, 29 e 34-A, todos da Portaria CAT-55/98, que dispõe sobre o uso, credenciamento e demais procedimentos relativos, entre outros, ao equipamento emissor de cupom fiscal-ecf, deseja realizar a captação de encomenda de mercadorias para entrega no prazo de 1 a 90 dias do pedido, uma vez que não as possui fisicamente nesse momento. 2. Explica que uma opção para registrar essa situação seria realizar um procedimento interno como encomenda, e se pago com cartão de crédito, passar as vendas em máquinas não vinculadas a ECF, o que não é de seu interesse, pois esta máquina não estaria vinculada a ECF e ao sistema integrado da empresa e assim haveria a possibilidade de falhas fiscais, financeiras e re-trabalhos de conciliação entre processos x recebimento financeiro. 3. Portanto, no caso de o pagamento se dar com cartão de crédito no ato do pedido, pretende emitir cupom não-fiscal pelo equipamento ECF para registrar o pedido e o pagamento e, quando da saída da mercadoria, emitir DANFE de Vendas da Loja ou da Central de Distribuição, mencionando a operação financeira, a modalidade de pagamento e o COO não fiscal emitido pela máquina. 4. Assim, indaga: a) É permitido utilizar máquinas de cartão de crédito não vinculadas e ECF para recebimento financeiro vinculado a uma DANFE de venda, ou Encomendas de produtos, ou em situações que mescle vendas + encomenda? b) É permitido fazer cupons não fiscais e depois, na entrega, emitir uma DANFE de venda para as mercadorias vendidas e a circulação? c) O Art. 34-A - diz sobre a emissão de um cupom fiscal, após a emissão de um cupom não fiscal sobre a encomenda, este pode ser substituído por uma DANFE? d) A DANFE, se permitida, deve ser emitida com os dados da Loja que emitiu o cupom não fiscal, ou pode ser emitida por outro CNPJ, filial ou matriz do grupo, isto é, a Central de Distribuição? e) Se a legislação diz que se for emitir uma DANFE, após a emissão do cupom fiscal e este (cupom) deve estar anexo ao documento (DANFE), um cupom não-fiscal seguiria o mesmo raciocínio? 5. De início, esclarecemos que o contrato efetuado pelo estabelecimento que não possui a mercadoria vendida constitui um negócio bilateral, onde vendedor (contribuinte) e adquirente concordam sobre a coisa, o preço e os demais Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP 7

8 elementos constitutivos contrato (pedido), sem que ocorra operação de Título do documento circulação de mercadoria. Desse modo, no momento da efetivação desse contrato não deve ser emitido nenhum documento fiscal (artigo 204 do RICMS/2000) Sendo a Consulente usuária do Equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF, caso seja do seu interesse, poderá, nesse momento, emitir um Comprovante Não-Fiscal nos moldes do artigo 29 da Portaria CAT-55/ Uma vez que a operação de circulação de mercadoria (fato gerador do ICMS) dá-se na efetiva saída da mercadoria para o adquirente, conforme artigo 2º, I, do RICMS/2000, que estabelece que o fato gerador do imposto ocorre na saída da mercadoria, a qualquer título, de estabelecimento de contribuinte, ainda que para outro estabelecimento do mesmo titular, é nesse momento que o documento fiscal deve ser emitido (artigo 125 do RICMS/2000). 7. O documento fiscal emitido no estabelecimento que efetuar a saída da mercadoria deve ser: 7.1. Cupom Fiscal: nas vendas à vista em que o próprio adquirente da mercadoria, pessoa natural ou jurídica não-contribuinte do imposto, a retira do estabelecimento que é usuário de ECF (caput do artigo 135 do RICMS/2000). No entanto, mesmo nesse caso, se solicitado pelo adquirente da mercadoria, o estabelecimento usuário de ECF deve emitir, além do Cupom Fiscal, a Nota Fiscal modelo 1 ou 1-A, seguindo o disposto no 2º do artigo 135 do RICMS/ Nota Fiscal, mod. 1 ou 1A ( ou, em substituição, a Nota Fiscal eletrônica - NF-e): quando, via de regra, o estabelecimento usuário de ECF efetua a entrega da mercadoria (artigo 125 do RICMS/2000). Entretanto, visando à simplificação de procedimentos, e em caráter excepcional, o cupom fiscal pode ser emitido na venda para entrega no domicílio do adquirente, pessoa física ou jurídica nãocontribuinte, desde que localizado neste Estado e atendidas as disposições do 3º do mesmo artigo 135, não havendo necessidade de emissão da Nota Fiscal, mod. 1 ou 1A, ( ou NF-e) Em qualquer dos casos acima, recomendamos que conste como observação, no documento fiscal emitido, os dados do comprovante não fiscal relativo ao pedido das mercadorias a que está dando saída, mesmo se a emissão desse comprovante não-fiscal for efetuada pelo outro estabelecimento da mesma empresa. 8. Especificamente em relação ao artigo 34-A da Portaria CAT-55/98, temos que considerar, antes, que as normas relativas ao ICMS são dirigidas ao estabelecimento de contribuinte, tratado individualmente, conforme o que preceitua o artigo 15 do RICMS/2000, como se lê abaixo: Artigo 15 - É de responsabilidade do respectivo titular a obrigação tributária atribuída pela legislação ao estabelecimento (Lei 6.374/89, art. 15). 1º - São considerados em conjunto todos os estabelecimentos do mesmo titular, relativamente à responsabilidade por débito do imposto, atualização monetária, multas e acréscimos de qualquer natureza. 2º - Para efeito de cumprimento de obrigação tributária, entende-se autônomo cada estabelecimento do mesmo titular, ainda que simples depósito Assim, quando o aludido artigo 34-A trata do procedimento a ser seguido pelo estabelecimento usuário de ECF na venda de mercadoria cujo preço (total ou parcial) é recebido antecipadamente, ele está se referindo a um único estabelecimento que receberá o preço antecipado e a posteriori entregará a mercadoria e não a dois estabelecimentos distintos que farão cada um uma parte da transação, ou seja, um recebe o preço e o outro dá saída à mercadoria. 9. Portanto, temos que o artigo 34-A da Portaria CAT-55/98 não se aplica quando um estabelecimento contribuinte do ICMS recebe o preço e um outro dá saída 8 Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP

9 à mercadoria, uma vez que o recebimento do preço, por si só (sem a correspondente entrega da mercadoria pelo mesmo estabelecimento), não se insere no âmbito do ICMS (observar o item 5 desta resposta). 10. Por último, na hipótese de o mesmo estabelecimento usuário de ECF que receber o preço antecipadamente também efetuar a saída da mercadoria, devese obedecer ao artigo 34-A da Portaria CAT-55/ No entanto, a leitura desse artigo deve ser realizada em consonância com as demais normas relativas ao ECF. Assim, considerando que o artigo 135, 3º, 1, do RICMS/2000, no caso de entrega de mercadoria em domicílio, prevê a possibilidade de emissão de Cupom Fiscal, o que substitui a emissão da NFe (que a Consulente emite em lugar da Nota Fiscal modelo 1 ou 1-A), chega-se à conclusão que o contribuinte que não queira exercer essa faculdade, deverá emitir a NF-e normalmente conforme artigo 125, I, do RICMS/2000, fazendo menção, como observação, ao valor já recebido e ao comprovante não-fiscal emitido à época da captação do pedido. 11. Quanto à indagação relativa à máquina de cartão de crédito não vinculada ao equipamento ECF, informamos que, pelo parágrafo único do artigo 33 da Portaria CAT-55/1998, até para emitir comprovante de pagamento, efetuado com cartão de crédito ou débito, relacionado à efetiva operação ou prestação realizada por estabelecimento usuário de equipamento ECF é admitida a utilização de equipamento POS ( Point of Sale ) ou outro equipamento não integrado ao ECF, desde que conste, impresso no comprovante de pagamento emitido, o número de inscrição no CNPJ do estabelecimento onde se encontre instalado o ECF. Daí, conclui-se que o mesmo procedimento pode ser utilizado para registrar o pagamento com cartão de crédito que se relacione com um comprovante não-fiscal emitido por equipamento ECF. 12. Por último, como a Consulente se refere apenas ao DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica), como o documento fiscal relativo à saída de suas mercadorias, esclarecemos que ele é apenas a representação gráfica simplificada da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), esse sim o efetivo documento fiscal emitido pelo contribuinte a fim de registrar suas operações ou prestações. 3. Análise da Legislação Nas operações e prestações que destinem bens e serviços a consumidor final localizado em outro Estado, será aplicada a alíquota interna quando o destinatário não for contribuinte do imposto. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Art Compete aos Estados e ao Distrito Federal instituir impostos sobre: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993) 2.º O imposto previsto no inciso II atenderá ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993) VII - em relação às operações e prestações que destinem bens e serviços a consumidor final localizado em outro Estado, adotar-se-á: b) a alíquota interna, quando o destinatário não for contribuinte dele; RICMS/SP - Decreto nº , de DOE SP Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP 9

10 Art. 56. Aplicam-se as alíquotas internas às operações ou às prestações que Título do documento destinarem mercadorias ou serviços a pessoa não-contribuinte localizada em outro Estado (Lei 6.374/1989, art. 34, 3º, na redação do inciso XVIII do artigo 1º da Lei /00 ). (Redação dada ao caput pelo Decreto nº , de , DOE SP de ) 4. Conclusão Em nosso entendimento, ainda que o fisco de São Paulo tenha se pronunciado no sentido de que se trata de simples negócio bilateral, sem a circulação de mercadoria, não configurando fato gerador para emissão de nota fiscal e incidência do ICMS, sendo estas obrigações prorrogadas para o momento da saída da mercadoria do centro de distribuição, outro estabelecimento da mesma empresa, esta resposta à consulta não se subsume completamente às operações que o cliente pretende fazer, dar saída da mercadoria a título de transferência para sua filial e a partir desta filial emitir a nota fiscal de venda, ambas operações interestaduais. Tratando-se de operação interestadual com destinatário não-contribuinte do ICMS o fisco teria uma perda de arrecadação, haja vista que para transferências entre filiais será aplicada a alíquota interestadual, em contraponto à venda diretamente do centro de distribuição para um outro Estado, na qual seria aplicada a alíquota interna do Estado emitente. Assim, por este motivo, a fim de resguardar os direitos do cliente, nossa sugestão é que o mesmo efetue uma consulta formal à Secretaria da Fazenda de cada Estado em que pretende atuar com estas operações, assegurando-se do entendimento e orientações do fisco, com exceção dos Estados nos quais há regulamentação expressão, como é o caso de Minas Gerais. Quanto a utilização das soluções TOTVS apresentadas para a emissão de documentos destas operações, como os cadastros e configurações do sistema ficarão a cargo do cliente, entendemos que não existe comprometimento de nossa parte sobre os documentos e tributação destas operações, no entanto, mediante o exposto acima, também sugerimos que para estas implementações seja emitido um termo de responsabilidade na qual o cliente ratifique sua inteira responsabilidade sobre as operações e tributações definidas nestas operações. 5. Referências m Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP

11 6. Histórico de alterações ID Data Versão Descrição Chamado LJAC 24/07/ Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP TQDYFV Parecer Consultoria Tributária Segmentos TQDYFV Operação de Venda Presencial com Entrega Interestadual - SP 11

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Endereço de entrega diferente do endereço principal da empresa - EFD ICMS-IPI - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Endereço de entrega diferente do endereço principal da empresa - EFD ICMS-IPI - SP empresa - EFD ICMS-IPI - SP 08/09/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos NF-e Venda para Órgão Público - Federal

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos NF-e Venda para Órgão Público - Federal NF-e 20/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6. Referências...

Leia mais

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e?

1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? 1. O que é a Nota Fiscal Eletrônica - NF-e? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Ressarcimento de ICMS ST Nota de Devolução BA

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Ressarcimento de ICMS ST Nota de Devolução BA 24/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Documentos Fiscais... 4 3.1.1. Operações do Substituto... 4 3.1.2. Operações

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA- PROCEDIMENTO FISCAL. Apresentação: Helen Mattenhauer Samyr Qbar

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA- PROCEDIMENTO FISCAL. Apresentação: Helen Mattenhauer Samyr Qbar INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA- PROCEDIMENTO FISCAL Apresentação: Helen Mattenhauer Samyr Qbar 27/09/2013 CONCEITO DE INDUSTRIALIZAÇÃO Art. 4 o Caracteriza industrialização qualquer operação que modifique

Leia mais

Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.785/14 - ICMS - NFC-e - Emissão, autorização, contingência e outros Alterações.

Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.785/14 - ICMS - NFC-e - Emissão, autorização, contingência e outros Alterações. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014. Of. Circ. Nº 137/14 Referência: Decreto Estadual-RJ nº 44.785/14 - ICMS - NFC-e - Emissão, autorização, contingência e outros Alterações. Senhor Presidente, Fazendo

Leia mais

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 Altera o Decreto nº 18.955, de 22 de dezembro de 1997, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre

Leia mais

GUERRA FISCAL: SÃO PAULO E ESPÍRITO SANTO ICMS - IMPORTAÇÃO

GUERRA FISCAL: SÃO PAULO E ESPÍRITO SANTO ICMS - IMPORTAÇÃO GUERRA FISCAL: SÃO PAULO E ESPÍRITO SANTO ICMS - IMPORTAÇÃO Fábio Tadeu Ramos Fernandes ftramos@almeidalaw.com.br Ana Cândida Piccino Sgavioli acsgavioli@almeidalaw.com.br I INTRODUÇÃO Desde a década de

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de cálculo do diferencial de alíquota EC87/2015 - MG

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Base de cálculo do diferencial de alíquota EC87/2015 - MG Segmentos Base 20/01/2016 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1 Orientação Tributária DOLT/SUTRI nº 002/2016... 6 4. Conclusão...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de quantidade e valor

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota Fiscal Complementar de quantidade e valor Nota Fiscal Complementar de quantidade e valor 28/11/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 6 4. Conclusão...

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 5 17 de Maio, 2011 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI ECF/TEF - Obrigatoriedade do Uso em Santa Catarina Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 12.05.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

ALTERAÇÕES NA SISTEMÁTICA DE COBRANÇA DO ICMS

ALTERAÇÕES NA SISTEMÁTICA DE COBRANÇA DO ICMS ALTERAÇÕES NA SISTEMÁTICA DE COBRANÇA DO ICMS LEGISLAÇÕES Emenda Constitucional 87/2015-17 de Abril de 2015; Lei nº 15.856/2015-03 de Julho de 2015; Convênio de ICMS 93/2015-21 de Setembro de 2015; Decreto

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno de NF-e Complementar fora do prazo determinado pela SEFAZ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Estorno de NF-e Complementar fora do prazo determinado pela SEFAZ Estorno de NF-e Complementar fora do prazo determinado pela SEFAZ 06/09/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Amazonas...

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário:

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário: NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA (NFA-e) - Preenchimento por não Contribuinte do ICMS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Conhecimento de Transporte Eletrônico Estado Bahia

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Conhecimento de Transporte Eletrônico Estado Bahia 22/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1. Ajuste Sinief nº09/2007... 3 3.2. Resolução n 95/1966... 5 3.3. Lei nº

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Produto de informática e automação redução de base de cálculo e alíquota - RJ

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Produto de informática e automação redução de base de cálculo e alíquota - RJ Produto de informática e automação redução de base de cálculo e alíquota - RJ 06/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

Anexos 4. 0 Substituição Tributária

Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4. 0 Substituição Tributária Anexos 4.8 Substituição Tributária nas Operações Interestaduais com Energia Elétrica não destinada à Comercialização ou à Industrialização Anexo 4.8 DA SUBSTITUIÇÃO

Leia mais

Guia do ICMS - São Paulo: Circulação de bens, materiais ou mercadorias por não contribuinte

Guia do ICMS - São Paulo: Circulação de bens, materiais ou mercadorias por não contribuinte Guia do ICMS - São Paulo: Circulação de bens, materiais ou mercadorias por não contribuinte Resumo: Estudaremos no presente Roteiro de Procedimentos as regras que envolvem a circulação de bens, materiais

Leia mais

NOTA FISCAL GAÚCHA INSTITUÍDA OFICIALMENTE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

NOTA FISCAL GAÚCHA INSTITUÍDA OFICIALMENTE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL NOTA FISCAL GAÚCHA INSTITUÍDA OFICIALMENTE NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL O governo do Estado do RS, por meio da Lei nº 14.020/12 e do Decreto nº 49.479/12, publicados, respectivamente, nas datas de 25.06.2012

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2013 IPI ESTABELECIMENTOS EQUIPARADOS A INDUSTRIAIS - CONCEITO PARA CARACTERIZAÇÃO COMO CONTRIBUINTE DO IPI... Pág. 79 ICMS ES MANIFESTAÇÃO

Leia mais

ICMS/SP - Principais operações - Venda para entrega futura

ICMS/SP - Principais operações - Venda para entrega futura ICMS/SP - Principais operações - Venda para entrega futura Sumário 1. Introdução... 2 2. Caracterização da venda para entrega futura... 3 3. Procedimentos fiscais perante o ICMS... 4 3.1 Emissão de nota

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO. DE NFe (Nota Fiscal Eletrônica) Protocolo ICMS 42/2009 Alterado pelo Protocolo ICMS 193/2010

ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO. DE NFe (Nota Fiscal Eletrônica) Protocolo ICMS 42/2009 Alterado pelo Protocolo ICMS 193/2010 ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO DE NFe (Nota Fiscal Eletrônica) Protocolo ICMS 42/2009 Alterado pelo Protocolo ICMS 193/2010 É um novo modelo de documento fiscal: modelo 55; de existência apenas digital cuja

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP Transferência de mercadoria entre estabelecimento de mesmo titular.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP Transferência de mercadoria entre estabelecimento de mesmo titular. ICMS-SP Transferência de mercadoria entre estabelecimento de mesmo titular. 13/02/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais 03/04/2014 Pergunte à CPA Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais Apresentação: José A. Fogaça Neto Devolução regras gerais Artigo 4º - Para efeito de aplicação da legislação do imposto, considera-se...

Leia mais

NORMA DE EXECUÇÃO Nº 01/2007. O SECRETÁRIO DA FAZENDA DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais e,

NORMA DE EXECUÇÃO Nº 01/2007. O SECRETÁRIO DA FAZENDA DO ESTADO DO CEARÁ, no uso de suas atribuições legais e, NORMA DE EXECUÇÃO Nº 01/2007 Estabelece procedimentos a serem adotados para atendimento dos pedidos de uso e de cessação de uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF). O SECRETÁRIO DA FAZENDA DO

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE JULHO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 30/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE JULHO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 30/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE JULHO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 30/2013 IPI LIVRO DE ENTRADA - NORMAS PARA ESCRITURAÇÃO DETERMINADAS PELO RIPI... Pág. 407 ICMS MS/MT/RO CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária

Parecer Consultoria Tributária Questão O cliente, no ramo de atividade industrial no segmento de produtos elétricos para profissionais de beleza, sediado em São Paulo, informa que na emissão da nota fiscal complementar de ICMS em sua

Leia mais

Em face da publicação do Decreto nº 1.565, de 28.07.2008 - DOE SC de 28.07.2008, este tópico foi atualizado. ICMS/SC - Mostruário - Tratamento fiscal Resumo: Este procedimento esclarece os aspectos fiscais

Leia mais

Guia do ICMS - São Paulo: Vending Machine - Máquinas Automáticas

Guia do ICMS - São Paulo: Vending Machine - Máquinas Automáticas Guia do ICMS - São Paulo: Vending Machine - Máquinas Automáticas Resumo: Veremos no presente Roteiro de Procedimentos as regras aplicáveis, no Estado de São Paulo, sobre as operações com máquinas automáticas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Ressarcimento ICMS-ST na devolução de mercadoria - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Ressarcimento ICMS-ST na devolução de mercadoria - SP 28/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações Complementares... 6 6. Referências... 6 7.

Leia mais

CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs.

CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs. CONVÊNIO ICMS N º99/98 Publicado no DOU de 25.09.98. Ratificação Nacional DOU de 15.10.98, pelo Ato COTEPE-ICMS 75/98. Alterado pelos Convs. ICMS nºs12/99, 119/11, 19/12, 97/12. Nova redação dada à ementa

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota fiscal de devolução com ICMS e IPI na NF-e

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Nota fiscal de devolução com ICMS e IPI na NF-e Nota fiscal de devolução com ICMS e IPI na NF-e 03/10/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

A Emenda Constitucional 87/2015 alcança as operações presenciais?

A Emenda Constitucional 87/2015 alcança as operações presenciais? Emenda Constitucional 87/2015 - PERGUNTAS FREQUENTES Observação: Material produzido em conformidade com a legislação paulista. No que couber, deve ser observada a legislação específica de cada Unidade

Leia mais

VENDA À ORDEM E VENDA PARA ENTREGA FUTURA. atualizado em 25/09/2015 alterado o item 2.2.2

VENDA À ORDEM E VENDA PARA ENTREGA FUTURA. atualizado em 25/09/2015 alterado o item 2.2.2 VENDA À ORDEM E VENDA PARA ENTREGA FUTURA atualizado em 25/09/2015 alterado o item 2.2.2 2 ÍNDICE 1. VENDA À ORDEM...5 1.1. Conceito...5 1.2. Procedimentos...5 1.2.1. Adquirente Originário...5 1.2.2. Vendedor

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação

Coordenação Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 4 Data 20 de agosto de 2012 Processo 15504.722162/2011 60 Interessado ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS PROVEDORES DE INTERNET E OPERADORES DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

PORTARIA Nº 133/2011-GS/SET, DE 19 DE OUTUBRO DE 2011.

PORTARIA Nº 133/2011-GS/SET, DE 19 DE OUTUBRO DE 2011. DOE Nº 12.567 Data: 20/10/2011 Alterada pelas Portarias nºs: 002/2012-GS/SET 059/2012-GS/SET PORTARIA Nº 133/2011-GS/SET, DE 19 DE OUTUBRO DE 2011. Dispõe sobre o credenciamento de contribuintes para recolhimento

Leia mais

DECRETO Nº 1.180, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014

DECRETO Nº 1.180, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014 DECRETO Nº 1.180, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014 Publicado no DOE(Pa) de 23.12.14. Altera dispositivos do Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços

Leia mais

ALTERAÇÕES RECENTES NA LEGISLAÇÃO DO ICMS

ALTERAÇÕES RECENTES NA LEGISLAÇÃO DO ICMS ALTERAÇÕES RECENTES NA LEGISLAÇÃO DO ICMS PROGRAMA Utilização da carta de correção Ajuste SINIEF 01/07 e Decreto n. 51.801/07 Nota Fiscal Eletrônica NF-e (Estadual) Obrigatoriedade de uso em 2008 Ajuste

Leia mais

CAPÍTULO III-A DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Seção I Da Nota Fiscal Eletrônica

CAPÍTULO III-A DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA. Seção I Da Nota Fiscal Eletrônica CAPÍTULO III-A DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA E DO DOCUMENTO AUXILIAR DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Seção I Da Nota Fiscal Eletrônica Vê Portaria n. 027/2010-SEFAZ, que dispõe sobre as especificações técnicas da

Leia mais

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO PARECER Nº 0154/2005/GETRI/CRE/SEFIN SÚMULA: OPERAÇÕES DE REMESSA PARA REPOSIÇÃO EM GARANTIA. APLICAÇÃO DO ARTIGO 555 DO RICMS/RO. SISTEMÁTICA DIFERENCIADA E RESTRITA A EMPRESAS PRESTADORAS DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 28/2015

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 28/2015 ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 28/2015 IPI SUSPENSÃO DO IPI NAS SAÍDAS DE INSUMOS PARA A INDUSTRIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DIVERSOS... Pág. 168 ICMS PA MANIFESTO ELETRÔNICO

Leia mais

Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM) Sumário

Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM) Sumário Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM) Sumário Como utilizar o cadastro de Tributos de Mercadorias (NCM)... 1 O que é o cadastro de Tributos de Mercadorias?... 2 O que é Tributação Padrão?...

Leia mais

ANEXOS 8.0 ADENDOS DECRETOS E LEIS

ANEXOS 8.0 ADENDOS DECRETOS E LEIS ANEXOS 8.0 ADENDOS DECRETOS E LEIS ANEXO 8.7 Dispõe sobre a Regulamentação da instituição do Documento de Autenticação de Nota Fiscal para Órgão Público- DANFOP. Acrescentado pelo Decreto nº 22.513 de

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 068/2011 COPEL DISTRIBUIÇÃO S/A

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 068/2011 COPEL DISTRIBUIÇÃO S/A CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 068/2011 COPEL DISTRIBUIÇÃO S/A AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 068/2011: Contribuições de 30/11/2011 a 30/12/2011 EMENTA:

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE JULHO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 30/2011 TRIBUTOS FEDERAIS ICMS - BA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE JULHO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 30/2011 TRIBUTOS FEDERAIS ICMS - BA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE JULHO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 30/2011 TRIBUTOS FEDERAIS CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - ALGUMAS CONSIDERAÇÕES Introdução - Autoridades Administrativas e o Abuso de

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - ACRÉSCIMO FINANCEIRO

1 - INTRODUÇÃO 2 - ACRÉSCIMO FINANCEIRO VENDAS A PRAZO - Emissão de Documentos Fiscais Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16.05.2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - ACRÉSCIMO FINANCEIRO 2.1 - Tributação do ICMS 2.2 - Exclusão

Leia mais

CONVÊNIO ECF 01/98 Publicado no DOU de 25.02.98.

CONVÊNIO ECF 01/98 Publicado no DOU de 25.02.98. CONVÊNIO ECF 01/98 Publicado no DOU de 25.02.98. O ATO COTEPE/ICMS Nº 52, de 07.08.98, disciplina procedimentos para análise de ECF, publicado no DOU de 12.08.98. Alterado pelos Convs. ECF 02/98, 04/99,

Leia mais

( RIPI/2010, art. 43, VII, art. 190, II, art. 191 e art. 497, e RICMS-SP/2000 - Decreto nº 45.490/2000 )

( RIPI/2010, art. 43, VII, art. 190, II, art. 191 e art. 497, e RICMS-SP/2000 - Decreto nº 45.490/2000 ) ICMS/SP - Industrialização - Operações triangulares de industrialização 20 de Agosto de 2010 Em face da publicação do novo Regulamento do IPI, aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, este procedimento foi

Leia mais

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012.

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. DECRETO N 1427/2012 Regulamenta a Lei municipal nº 8748/2010, que institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Venda entrega futura para optantes pelo regime Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Venda entrega futura para optantes pelo regime Simples Nacional Venda 20/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 2.1. Consulta Receita Federal... 3 2.2. PN CST 73/1973... 4 2.3. RIR/99... 4 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA PORTARIA SEFAZ N o 424, de 30 de março de 2010. Anexo I Anexo II Anexo III Dispõe sobre os procedimentos de lacração inicial do dispositivo de armazenamento

Leia mais

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 REVOGADO PELO DECRETO 13.501, DE 23/12/2008 *Ver Decreto 13.500/2008 DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 Regulamenta o disposto no inciso II, caput, e nos 1º

Leia mais

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628

Quarta-feira, 14 de Maio de 2014 N 628 LEI N 812 de 12 de maio de 2014. Institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica - NFS-e, a Ferramenta de Declaração Eletrônica de Serviços - DES, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPIMIRIM,,

Leia mais

d) não incidirá nas prestações de serviços de comunicação nas modalidades de radiodifusão sonora e de sons e imagens de recepção livre e gratuita.

d) não incidirá nas prestações de serviços de comunicação nas modalidades de radiodifusão sonora e de sons e imagens de recepção livre e gratuita. 1. (Analista de Planejamento e Orçamento/MPOG ESAF - 2010) Sobre o ICMS - Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte e Comunicação, é incorreto afirmar-se que: a) será

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP Sindicato dos Contabilistas de São Paulo (Ex-Instituto Paulista de Contabilidade - Fundado em 1919) ÓRGÃO DE PROFISSÃO LIBERAL NOTA FISCAL PAULISTA NOVAS DISPOSIÇÕES PROGRAMA Programa de Estímulo à Cidadania

Leia mais

Estado do Acre DECRETO Nº 4.971 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012

Estado do Acre DECRETO Nº 4.971 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 4.971 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012. Publicado no DOE nº 10.952 de 21-12-2012.. Alterado pelos Decretos nºs 5.089/2013, 6.287/2013, 7.299, 8.251/2014, 1.490/2015, 2.301/2015, 2.884/2015 e 3.472/2015..

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES CAPÍTULO II DA DEFINIÇÃO DE MICROEMPRESA SOCIAL ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.559, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2004 Publicada no DOE em 31 de dezembro de 2004 DISPÕE SOBRE A MICROEMPRESA SOCIAL, ESTABELECENDO TRATAMENTO TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO,

Leia mais

ICMS/SP Substituição Tributária

ICMS/SP Substituição Tributária Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

PARECER UNATRI/SEFAZ Nº 1284/2005

PARECER UNATRI/SEFAZ Nº 1284/2005 ASSUNTO: Saídas com fim específico de exportação CONCLUSÃO: Na forma do parecer A empresa, acima identificada, solicita esclarecimentos acerca de saídas com fim específico de exportação, relativamente

Leia mais

DECRETO Nº. 1336/11, DE 01 DE SETEMBRO DE 2011

DECRETO Nº. 1336/11, DE 01 DE SETEMBRO DE 2011 DECRETO Nº. 1336/11, DE 01 DE SETEMBRO DE 2011 Regulamenta a Lei Complementar nº. 92/07 de 13 de Dezembro de 2007, que dispõe sobre o Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN) - que altera o sistema

Leia mais

ANO XVIII - 2007-4ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2007 BOLETIM INFORMARE Nº 09/2007 IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP

ANO XVIII - 2007-4ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2007 BOLETIM INFORMARE Nº 09/2007 IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XVIII - 2007-4ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2007 BOLETIM INFORMARE Nº 09/2007 IPI CLASSIFICAÇÃO FISCAL DE MERCADORIAS - FORMALIZAÇÃO DA CONSULTA Introdução - Legitimidade Para Consultar - Apresentação da

Leia mais

SEÇÃO XXXI. Das Operações Realizadas por Estabelecimento de Construção Civil e Assemelhados

SEÇÃO XXXI. Das Operações Realizadas por Estabelecimento de Construção Civil e Assemelhados SEÇÃO XXXI Das Operações Realizadas por Estabelecimento de Construção Civil e Assemelhados NOTA: O art. 1º do Decreto nº 28.346, de 11/08/2006, alterou os arts. 725 a 731, nos seguintes termos: "Art. 725.

Leia mais

ANEXO V. DOS DOCUMENTOS E LIVROS FISCAIS (a que se referem os artigos 130, 131 e 160 deste Regulamento) SUMÁRIO

ANEXO V. DOS DOCUMENTOS E LIVROS FISCAIS (a que se referem os artigos 130, 131 e 160 deste Regulamento) SUMÁRIO RICMS (Decreto nº 43.080/2002) Anexo V ANEXO V DOS DOCUMENTOS E LIVROS FISCAIS (a que se referem os artigos 130, 131 e 160 deste Regulamento) SUMÁRIO ARTIGOS PARTE 1 DAS DISPOSIÇÕES RELATIVAS AOS DOCUMENTOS

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS RECOM Regulamentação Orientador Empresarial DECRETO nº 7.319/2010 DOU: 29.09.2010 Regulamenta a aplicação do Regime Especial de Tributação

Leia mais

CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO - CT-e CONHECIMENTODE TRANSPORTE ELETRÔNICO - CT-e Informações Gerais 1. O que é o Conhecimento de Transporte Eletrônico CT-e? O Conhecimento de Transporte Eletrônico

Leia mais

DEPÓSITO FECHADO. atualizado em 06/08/2015 alterados os itens 1 a 5

DEPÓSITO FECHADO. atualizado em 06/08/2015 alterados os itens 1 a 5 atualizado em 06/08/2015 alterados os itens 1 a 5 2 ÍNDICE 1. CONCEITO...5 2. SISTEMA DE TRIBUTAÇÃO...5 3. OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS...5 4. ESQUEMA OPERACIONAL...6 4.1. Remessa do Depositante para o Depósito

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16962, DE 1º DE AGOSTO DE 2012 PUBLICADO NO DOE Nº 2027, DE 1º.08.12 Acrescenta, altera e renomeia dispositivos do Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias

Leia mais

Pergunte à CPA. Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência

Pergunte à CPA. Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência 30/04/2013 Pergunte à CPA Nota Fiscal Eletrônica Modalidades de Contingência Apresentação: Helen Mattenhauer Oliveira 2 Conceito de Contingência para a NF- e A contingência é apenas de comunicação ou de

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP Crédito 17/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Crédito do ICMS próprio adquirido do Simples Nacional com destino

Leia mais

MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO

MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO VERSÃO: 01/7/2008 2/10 MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DO CREDENCIAMENTO

Leia mais

Comunicado CAT n.º 16, de 27-07-2011

Comunicado CAT n.º 16, de 27-07-2011 Comunicado CAT n.º 16, de 27-07-2011 (DOE 28-07-2011) O Coordenador da Administração Tributária declara que as datas fixadas para cumprimento das OBRIGAÇÕES PRINCIPAIS e ACESSÓRIAS, do mês de agosto de

Leia mais

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO.

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. Acrescentado pelo Decreto 24.441 de 14 de agosto de 2008. Publicado no DOE de 14.08.2008 Convênio ICMS nº 143/02 e

Leia mais

ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO

ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO ARMAZENS GERAIS BREVE ESTUDO Considera-se armazém geral o estabelecimento destinado à recepção, manutenção e guarda de mercadorias ou bens de terceiros, mediante o pagamento de uma tarifa préfixada ou

Leia mais

Aplicação da nova legislação do ICMS Emenda Constitucional 87/2015

Aplicação da nova legislação do ICMS Emenda Constitucional 87/2015 Aplicação da nova legislação do ICMS Emenda Constitucional 87/2015 O que é a emenda constitucional 87/2015? A Emenda Constitucional (EC) 87/2015, apresentou uma significativa alteração no conceito e no

Leia mais

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 IPI ANO XX - 2009-2ª SEMANA DE JANEIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 02/2009 INFRAÇÕES E ACRÉSCIMOS MORATÓRIOS Infrações - Procedimentos do Contribuinte - Pagamento - Acréscimos Moratórios - Multa de Mora

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 68

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 68 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 68 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Retenção na fonte sobre adiantamento pago por PJ a outra Pessoa Jurídica

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Retenção na fonte sobre adiantamento pago por PJ a outra Pessoa Jurídica Retenção na fonte sobre adiantamento pago por PJ a outra Pessoa Jurídica 19/10/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 3.1.

Leia mais

C O M U N I C A D O. Prezado Associado, Ref.: Nota Fiscal Eletrônica NF-e Varejo

C O M U N I C A D O. Prezado Associado, Ref.: Nota Fiscal Eletrônica NF-e Varejo C O M U N I C A D O Prezado Associado, Ref.: Nota Fiscal Eletrônica NF-e Varejo Enviamos a V.Sa. o trabalho desenvolvido pela ABRAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SUPERMERCADOS, que bem esclarece as providências

Leia mais

Portaria CAT-147, de 05-11-2012

Portaria CAT-147, de 05-11-2012 Página 1 de 7 Portaria CAT-147, de 05-11-2012 (DOE 06-11-2012) Dispõe sobre a emissão do Cupom Fiscal Eletrônico - CF-e-SAT por meio do Sistema de Autenticação e Transmissão - SAT, a obrigatoriedade de

Leia mais

PARECER UNATRI/SEFAZ Nº 206/2014

PARECER UNATRI/SEFAZ Nº 206/2014 ASSUNTO: CONCLUSÃO: Tributário. ICMS. Operações de Remessa para Venda Fora do Estabelecimento. Operações de Retorno de Remessa para Venda Fora do Estabelecimento. Obrigação Acessória. Emissão de Nota Fiscal.

Leia mais

TABELA I. CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 230 deste Regulamento)

TABELA I. CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 230 deste Regulamento) TABELA I CÓDIGOS FISCAIS DE OPERAÇÕES E PRESTAÇÕES (códigos a que se refere o artigo 230 deste Regulamento) B) DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS, BENS OU PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Grupo 5.000 Grupo 6.000 Grupo 7.000

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 20.029/13/2ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000184734-13 Impugnação: 40.

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Acórdão: 20.029/13/2ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000184734-13 Impugnação: 40. Acórdão: 20.029/13/2ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000184734-13 Impugnação: 40.010133151-29 Impugnante: Proc. S. Passivo: Origem: EMENTA Modelo Comércio e Exportação de Açúcar Ltda IE: 515302633.00-13 Marcelo

Leia mais

APOSTILA PARAMETRIZAÇÃO FICHA DE CONTEUDO DA IMPORTAÇÃO

APOSTILA PARAMETRIZAÇÃO FICHA DE CONTEUDO DA IMPORTAÇÃO APOSTILA PARAMETRIZAÇÃO FICHA DE CONTEUDO DA IMPORTAÇÃO (FCI) O que é FCI? A FCI (Ficha de conteúdo de importação) é um documento de controle do conteúdo do valor de insumos importados no produto acabado,

Leia mais

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO Assunto : Consulta sobre operações interestaduais de vendas para empresas de construção civil. PARECER Nº 015/05/GETRI/CRE/SEFIN O contribuinte que faz a consulta é empresa que comercializa produtos betuminosos,

Leia mais

DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014)

DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014) DECRETO Nº 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010 (Com as alterações introduzidas pelo Decreto nº 39.340 de 20/10/2014) Dispõe sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica-NFS-e NOTA CARIOCA e dá outras providências.

Leia mais

DECRETO Nº 7.678. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA:

DECRETO Nº 7.678. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA: DECRETO Nº 7.678 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA: Art. 1º. Ficam introduzidas no Regulamento do ICMS, aprovado

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0027, DE 10 DE SETEMBRO DE 2002

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0027, DE 10 DE SETEMBRO DE 2002 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0027, DE 10 DE SETEMBRO DE 2002 Publicado no DOE(Pa) de 11.09.02. Dispõe sobre a instituição do documento Passe Fiscal de Mercadoria, para fins de controle de mercadorias em trânsito

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições ICMS na Base de Cálculo do PIS e da COFINS nos Registros F500 e 1900 da EFD Contribuições 08/08/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011

ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO TÉCNICA/SP - NF-e 01/2011 ORIENTAÇÃO AOS AGENTES PÚBLICOS COM RELAÇÃO ÀS DISPOSIÇÕES PREVISTAS PELA PORTARIA CAT 162/08 A RESPEITO DA OBRIGATORIEDADE DE EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. ÍNDICE

Leia mais

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT.

Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Instruções para o cadastramento da Operação de Transporte e geração do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT. Versão: 01/2013 As presentes instruções aplicam-se a todas as Operações de Transportes

Leia mais

DEVOLUÇÃO OU TROCA DE MERCADORIA VENDIDA PELO ECF CUPOM FISCAL PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES

DEVOLUÇÃO OU TROCA DE MERCADORIA VENDIDA PELO ECF CUPOM FISCAL PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES DEVOLUÇÃO OU TROCA DE MERCADORIA VENDIDA PELO ECF CUPOM FISCAL PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES Tratando-se de devolução ou troca de mercadorias, além de observar as demais disposições constantes no artigo

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

NF-E E NFC-E ALTERAÇÕES PREVISTAS DEZEMBRO/2015

NF-E E NFC-E ALTERAÇÕES PREVISTAS DEZEMBRO/2015 NF-E E NFC-E ALTERAÇÕES PREVISTAS DEZEMBRO/2015 Versão (1.1) Histórico de Revisões DATA VERSÃO DESCRIÇÃO (PROJETO) AUTOR 12/11/2015 1.0 Desenvolvimento do documento. Estéfano Franco 13/11/2015 1.1 Alterações

Leia mais

DOCUMENTÁRIO ESPECÍFICO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES

DOCUMENTÁRIO ESPECÍFICO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES DOCUMENTÁRIO ESPECÍFICO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES RODOVIÁRIO DE CARGAS: Qualquer transportador rodoviário de cargas ou passageiros que executar ou, melhor dizendo, que prestar serviços de transportes

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE. Av. Conselheiro Aguiar, nº 4635, salas 407/408, Boa Viagem, Recife/PE 81-3325.0725 81-8639.0762

MANUAL DO CLIENTE. Av. Conselheiro Aguiar, nº 4635, salas 407/408, Boa Viagem, Recife/PE 81-3325.0725 81-8639.0762 MANUAL DO CLIENTE Av. Conselheiro Aguiar, nº 4635, salas 407/408, Boa Viagem, Recife/PE 81-3325.0725 81-8639.0762 www.hvrcontabil.com.br contato@hvrcontabil.com.br INTRODUÇÃO Este manual tem como finalidade

Leia mais

PRODUTOR PRIMÁRIO - Apuração e Recolhimento do ICMS em Santa Catarina. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 17.07.2014.

PRODUTOR PRIMÁRIO - Apuração e Recolhimento do ICMS em Santa Catarina. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 17.07.2014. PRODUTOR PRIMÁRIO - Apuração e Recolhimento do ICMS em Santa Catarina Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 17.07.2014. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - PRODUTOR PRIMÁRIO 2.1 - Extensão da Atividade

Leia mais

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977.

RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. RESOLUÇÃO CONFE No 87, de 26 de dezembro de 1977. DÁ NOVA REDAÇÃO À RESOLUÇÃO N o 18, DE 10.02.72, DO CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA, PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DE 27.03.72. CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA

Leia mais

Manual de Emissão de Notas Fiscais: Venda fora do estabelecimento

Manual de Emissão de Notas Fiscais: Venda fora do estabelecimento Manual de Emissão de Notas Fiscais: Venda fora do estabelecimento Resumo: Analisaremos no presente Roteiro de Procedimentos as regras previstas na legislação do ICMS do Estado de São Paulo para emissão

Leia mais

DIFAL e Partilha do ICMS

DIFAL e Partilha do ICMS DIFAL e Partilha do ICMS 1 Índice 1. 2. LEGISLAÇÃO NACIONAL... 4 EMENTA CONSTITUCIONAL 87/2015... 5 3. RESPONSABILIDADE PELO RECOLHIMENTO DO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS... 6 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12.

Leia mais

Base de cálculo= R$ 4.879,50

Base de cálculo= R$ 4.879,50 PUBLICAÇÃO DA DECISÃO DO ACÓRDÃO No D.O. 17 / 04 / 2015 Fls.: 38 SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL Rubrica: ID 42832756 Sessão de 12 de janeiro de 2015 PRIMEIRA CÂMARA RECURSO Nº - 53.937 ACÓRDÃO Nº 13.356 INSCRIÇÃO

Leia mais