Características dos Nematoides

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Características dos Nematoides"

Transcrição

1 Nematoides

2 Características dos Nematoides Possuem o corpo cilíndrico e alongado, com pontas afiladas e musculatura desenvolvida. Apresentam tamanhos variados. Tubo digestório completo (boca e ânus). Podem ser de vida livre (água doce, salgada ou em solo úmido) que se alimentam de pequenos animais ou plantas, enquanto outros são parasitas. Reprodução Sexuada (macho menor e fêmea maior) Podem causar verminoses

3 Ascaridíase ou Ascaríase Causada pelo Ascaris lumbricoides, nome científico da popular lombriga. Parasita que provoca doença ao ser humano (hospedeiro) ao ingerir seus ovos na água e alimentos contaminados. Liberam até 200 mil ovos por dia!!

4 Os ovos ingeridos liberam larvas que perfuram o intestino e entram na corrente sanguínea, as larvas irão atingir diversos órgãos até chegar a boca onde são engolidas. De volta ao intestino, elas se desenvolvem e tornam-se adultas, capazes de se reproduzir e liberar ovos pelas fezes.

5 Sintomas, tratamento e diagnóstico Sintomas: cansaço, dores abdominais, emagrecimento, enjoo, fraqueza, lesões nos pulmões e outros órgãos e falta de disposição. Em casos mais graves, obstrução abdominal e necessidade de intervenções cirúrgicas. Diagnóstico: exame de fezes Tratamento: medicamentos para verme

6 Prevenção da verminose Instalação de fossas ou rede de esgotos tratados (Saneamento básico) Consumo de água tratada para beber e preparar os alimentos; Hábitos de higiene pessoal adequados; Higiene com os alimentos, como frutas e verduras devem ser friccionadas e não lavadas somente em água corrente; Crianças, não levar objetos à boca.

7 Ancilostomose ou Ancilostomíase Pode ser causada por duas espécies de nematoides: ancilóstomo (Ancylostoma duodenale) e o necátor (Necator americanus). Verme que se fixa nas paredes do intestino delgado com estruturas parecidas com dentes ou lâminas cortantes que tem na boca. Popularmente conhecida como Amarelão.

8

9 As larvas do verme entram pela pele, circulam pela corrente sanguínea e se fixam na parede do intestino delgado. Perfurando a parede intestinal, atinge os vasos sanguíneos e se alimentar do sangue da pessoa contaminada. No intestino, elas se desenvolvem e tornam-se adultas, capazes de se reproduzir e liberar ovos pelas fezes.

10 Sintomas, tratamento e diagnóstico Sintomas: perda de sangue, anemia, cansaço, fraqueza, tontura, desânimo, palidez, dores musculares, falta de ar (devido ao transporte de oxigênio pelas hemácias estar prejudicado), deficiência circulatória e até morte. Diagnóstico: exame de fezes Tratamento: medicamentos para verme, alimentação rica em ferro

11 Prevenção da verminose Instalação de fossas ou rede de esgotos tratados (Saneamento básico) Hábitos de higiene pessoal e alimentar adequados; Higiene com os alimentos, como frutas e verduras devem ser friccionadas e não lavadas somente em água corrente; Uso constante de calçados principalmente, nas regiões com foco da doença. Tratamento dos portadores da doença

12 Oxiurose ou Enterobíase Causada pelo oxiúro, Enterobius vermicularis. Parasita fino como um fio de linha e vive no intestino grosso do ser humano. Doença que provoca intensa coceira no ânus pela movimentação das fêmeas. Onde elas põem seus ovos. A transmissão pode ocorrer pela inalação da poeira que contém ovos do verme ou ingestão de alimentos e água contaminados. É comum reinfestação em crianças.

13 Sintomas, tratamento e diagnóstico Sintomas: coceira anal, lesões na mucosa do reto, cólica, tontura, vômito e enjoo Diagnóstico: exame de fezes Tratamento: medicamentos para verme.

14 Prevenção da verminose Instalação de fossas ou rede de esgotos tratados (Saneamento básico) Hábitos de higiene pessoal, com lavagem cuidadosa e frequente das mãos Troca frequente de toalhas e de lençóis.

15 Filariose ou Elefantíase Causada pelo nematoide, filária, Wuchereria bancrofti. Parasita que vive nos vasos linfáticos do ser humano (braços, mamas, saco escrotal e pernas). O vasos linfáticos têm a função drenar o excesso de líquido (linfa) que sai do sangue, banhar as células e devolver após o processo. A transmissão pode ocorrer quando o mosquito hospedeiro intermediário do gênero Culex, e em algumas regiões o do gênero Anopheles, estando contaminado, pica outro ser humano introduzindo a forma larval do verme.

16 Sintomas, tratamento e diagnóstico Sintomas: inflamações e obstrução dos vasos linfáticos, causando grandes inchaços, febre alta e dor muscular Diagnóstico: avaliação clínica completa com identificação dos sintomas do paciente. Tratamento: medicamentos para verme e cirurgias reconstrutivas.

17 Prevenção Evitar água parada em qualquer local; Colocar telas e mosquiteiros para dormir; Usar repelentes e inseticidas; Exigir medidas de saneamento básico para evitar proliferação de moscas e mosquitos; Saneamento ambiental, com drenagem das águas pluviais.

18 Larvas migrans ou Bicho geográfico Causada pelo Ancylostoma braziliensis. Parasita encontrado habitualmente em cães e gatos. A transmissão pode ocorrer quando a larva do verme penetra na pele humana, se deslocando sob a pele, provocando lesões semelhantes às linhas de um mapa, que causa intensa coceira. Prevenção: tratamento de cães e gatos, remoção ou incineração das fezes infectadas, proibição de cães e gatos nas praias, jardins e parquinhos, limpeza periódica dos locais com areia onde crianças brincam.

Os Invertebrados. Prof. Luis Bruno

Os Invertebrados. Prof. Luis Bruno Os Invertebrados Prof. Luis Bruno Os Poríferos Animais simples que habitam o planeta; Não apresentam órgãos; Sésseis; Maioria de ambiente marinho, mas existem poucas espécies de água doce; São animais

Leia mais

Nematódeos parasitas do ser humano. Prof.: Chico Pires

Nematódeos parasitas do ser humano. Prof.: Chico Pires Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires Ascaris lumbricoides Ascaris lumbricoides (lombriga) Doença: Ascaridíase Modo de transmissão: Ingestão de alimentos e de água contaminados por ovos

Leia mais

REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA

REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS VERMINOSES - DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES: PLATELMINTOS: NEMATELMINTOS: TENÍASE (Taenia solium ou Taenia saginata) NEUROCISTICERCOSE

Leia mais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais 1- Ascaridíase gênero Ascaris 2- Ancilostomíase gênero Ancylostoma 3- Oxiuríase gênero Enterobius 4- Filaríase gênero Wuchereria Ascaris O gênero Ascaris

Leia mais

25/03/2014. Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral;

25/03/2014. Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral; FILO PLATYHELMINTES FILO NEMATODA(NEMATELMINTOS) Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral; Revestimento Vida livre : muco e

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 3 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS 1 Ao abrir o envelope com o resultado de seu exame parasitológico de fezes, Jequinha leu Positivo para ovos de Ascaris

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

Sumário 1. A PREVENÇÃO CONTRA AS DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES PODE SER FÁCIL... 2

Sumário 1. A PREVENÇÃO CONTRA AS DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES PODE SER FÁCIL... 2 Sumário 1. A PREVENÇÃO CONTRA AS DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES PODE SER FÁCIL.... 2 2. LOMBRIGA... 4 2.1. O QUE A LOMBRIGA CAUSA AO HOMEM?... 4 2.2. COMO É TRANSMITIDA A LOMBRIGA?... 5 2.3. COMO EVITAR A

Leia mais

Parasitoses - Ve V rminoses Prof. Tiago

Parasitoses - Ve V rminoses Prof. Tiago Parasitoses - Verminoses Prof. Tiago INTRODUÇÃO PLATELMINTOS E NEMATÓDEOS: RESPONSÁVEIS POR ALGUMAS PARASITOSES CONHECIDAS COMO VERMINOSES. TENÍASE E ESQUISTOSSOMOSE SÃO CAUSADAS POR PLATELMINTOS; ASCARIDÍASE

Leia mais

PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro. Endoparasitas dentro do

PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro. Endoparasitas dentro do BA. 07 -Parasitismo: aspectos gerais e protozooses Apostila 1 Página 39 Generalidades PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro.

Leia mais

GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp)

GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp) GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp) São todos: bilatérias Protostômios trato digestivo completo pseudocelomados* Maioria

Leia mais

Platelmintos e Nematelmintos

Platelmintos e Nematelmintos Simuladão 2º ano Platelmintos e Nematelmintos 01 - No início do século, o Jeca Tatu, personagem criado por Monteiro Lobato, representava o brasileiro de zona rural, descalço, mal vestido e espoliado por

Leia mais

2ªsérie 2º período B I O L O G I A

2ªsérie 2º período B I O L O G I A 2.2 B I O L O G I A 2ªsérie 2º período QUESTÃO 1 O filo Platyhelminthes inclui tanto formas de vida livre como organismos endo e ectoparasitas. Considerando a biologia destes animais, marque a opção que

Leia mais

PARASITISMO E SAÚDE HUMANA

PARASITISMO E SAÚDE HUMANA PARASITISMO E SAÚDE HUMANA Antes de começar O que é um parasita? O que é um hospedeiro? Qual a diferença entre um ciclo monoxeno e um heteroxeno? Qual a diferença entre endemia, epidemia e pandemia? Endemia

Leia mais

DEFINIÇÕES AGENTE ETIOLÓGICO: HÁBITAT: INFECÇÃO: INFESTAÇÃO:

DEFINIÇÕES AGENTE ETIOLÓGICO: HÁBITAT: INFECÇÃO: INFESTAÇÃO: AGENTE ETIOLÓGICO: o responsável por causar uma certa doença (agente infeccioso). HÁBITAT: local em que o parasita vive e pode ser encontrado. INFECÇÃO: instalação e reprodução de um parasita dentro de

Leia mais

FILO PLATYHELMINTHES. nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo.

FILO PLATYHELMINTHES. nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo. FILO PLATYHELMINTHES nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo. Lesma do mar (platelminto turbelário) O filo Platyhelminthes (do grego platýs,

Leia mais

APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CIÊNCIAS. Aula: 17.2 Conteúdo: Doenças relacionadas à água II

APRENDER A APRENDER CONTEÚDO E HABILIDADES APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CIÊNCIAS. Aula: 17.2 Conteúdo: Doenças relacionadas à água II A A Aula: 17.2 Conteúdo: Doenças relacionadas à água II 2 A A Habilidades: Conhecer algumas medidas para prevenir as doenças veiculadas pela água. 3 A A Dengue A dengue é uma doença febril aguda causada

Leia mais

CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI

CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI Origem grega helmin: verme platy: achatado Variam de milímetros a metros de comprimento Surgiram na Terra há cerca de 600 milhões de anos.

Leia mais

Características gerais

Características gerais Características gerais Já foram denominados Aschelminthes. São vermes de corpo cilíndrico e com pontas afinadas. Podem ser aquáticos, terrestres ou parasitas. Possuem tubo digestivo completo. São triblásticos

Leia mais

Amebíase ou Disenteria Amebiana

Amebíase ou Disenteria Amebiana Amebíase ou Disenteria Amebiana Agente causador: Entamoeba histolytica, que vive no interior do intestino grosso, fagocitando partículas de alimento digerido e também atacando a própria mucosa intestinal.

Leia mais

BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos)

BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos) BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos) I. PLATELMINTOS São também conhecidos como vermes achatados. Dentre eles, os mais representativos são as planárias, tênias e o esquistossomo.

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Identificar algumas

Leia mais

Unidade 3 Os animais invertebrados

Unidade 3 Os animais invertebrados Sugestões de atividades Unidade 3 Os animais invertebrados 7 CIÊNCIAS 1 Cnidários 1. Os cnidários podem ocorrer na natureza sob a forma de pólipos e medusas. Esses animais apresentam um tipo de célula

Leia mais

Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus.

Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus. SAÚDE AMBIENTAL DOENÇAS CAUSADAS PELA FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO HEPATITE A Doença causada por vírus. Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus. Falta de higiene,

Leia mais

Introdução vermes cilíndricos galhas Alguns nematelmintos comuns. asquelmintos Galhas no caule produzidas por nematódeos em plantas.

Introdução vermes cilíndricos galhas Alguns nematelmintos comuns. asquelmintos Galhas no caule produzidas por nematódeos em plantas. Introdução O filo Nemathelminthes (do grego, nematos = fio;helminthes = verme) é formado por uma grande variedade de animais de corpo alongado e cilíndrico e, por isso, conhecidos como vermes cilíndricos.

Leia mais

24/8/2009. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea

24/8/2009. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea CICLO BIOLÓGICO Os cães e os gatos, que são os hospedeiros definitivos do parasita, podem infectar-se de formas diversas: Ingestão de ovos infectantes; Ingestão de larvas presentes em tecidos de hospedeiros

Leia mais

39 Por que ferver a água antes de beber?

39 Por que ferver a água antes de beber? A U A UL LA Por que ferver a água antes de beber? Todo ano seu Antônio viaja para o litoral com a família e enfrenta sempre os mesmos problemas: congestionamento na estrada, praias lotadas e sujas que,

Leia mais

Platelmintos e nematódeos

Platelmintos e nematódeos PARTE II Unidade D Capítulo 11 Platelmintos e Seções: 111 Filo Platyhelminthes (platelmintos ou vermes achatados) 112 Filo Nematoda ( ou vermes cilíndricos) Antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela

Leia mais

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula IV Protozoários Zoopatogênicos Professora: Luciana Alves de Sousa Doenças causadas por Protozoários Doença de Chagas Leishmaniose Malária Giardíase Amebíase Toxoplasmose Doença

Leia mais

ALBENDAZOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Suspensão Oral 40mg/mL

ALBENDAZOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Suspensão Oral 40mg/mL ALBENDAZOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Suspensão Oral 40mg/mL I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: ALBENDAZOL Medicamento genérico Lei n 9.787, 1999 APRESENTAÇÃO Suspensão Oral 40mg/mL

Leia mais

Exercícios de Ciências

Exercícios de Ciências nome: n o : 7 o urma Ivana Fundamental a no: t : e nsino: data: p rofessor(a): b imestre: nota: Exercícios de Ciências 1) (1,0) Começamos nosso estudo do reino animal pelo grupo dos Poríferos, os invertebrados

Leia mais

e) Doença do Sono ou Tripanossomíase Africana:

e) Doença do Sono ou Tripanossomíase Africana: a) Disenteria ou Amebíase: Doenças causadas por Protozoários Parasita Entamoeba histolytica Sintomas Dores abdominais, diarréia, náuseas, etc. Transmissão Água e alimentos contaminados b) Tricomoníase:

Leia mais

TEMA: VERMINOSES HUMANAS

TEMA: VERMINOSES HUMANAS TEMA: VERMINOSES HUMANAS COLEGIO ESTADUAL MARIO AUGUSTO TEIXIRA DE FREITAS NOME: DEISIANE FELZEMBOURGH N 10 2 ANO TURMA: F VESPERTINO PROFESSORA: CAROLINA INTRODUÇÃO Verminoses é um grupo de doenças causadas

Leia mais

CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE

CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE PLANTAS MEDICINAIS EM ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE PLANTAS MEDICINAIS CONTRA PARASITOSES INTESTINAIS (AMEBA E GIARDIA) E VERMINOSES INFORMAÇÕES

Leia mais

Platelmintos e Nematelmintos

Platelmintos e Nematelmintos Platelmintos e Nematelmintos Verminoses Características PLATELMINTOS:VERMES ACHATADOS Platelmintos: PLATELMINTOS:ESQUISTOSSOMOSE LARVA CERCÁRIA CARAMUJO Biomphalaria FEZES COM OVOS LARVA MIRACÍDIO PLATELMINTOS:ESQUISTOSSOMOSE

Leia mais

VERMINOSES HELMINTÍASES (causadas por Asquelmintes ou Nematelmintes ) 1. Ascaris lumbricoides (Ascaridíase, Lombriga, ou Bicha)

VERMINOSES HELMINTÍASES (causadas por Asquelmintes ou Nematelmintes ) 1. Ascaris lumbricoides (Ascaridíase, Lombriga, ou Bicha) Diotto Biologia VERMINOSES HELMINTÍASES (causadas por Asquelmintes ou Nematelmintes ) Eu ouço, e esqueço Eu vejo, e eu lembro Eu faço, e eu entendo. 1. Ascaris lumbricoides (Ascaridíase, Lombriga, ou Bicha)

Leia mais

albendazol Suspensão oral 40mg/mL

albendazol Suspensão oral 40mg/mL albendazol Suspensão oral 40mg/mL MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE albendazol Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÔES Suspensão oral 40mg/mL Embalagens contendo 1 e 50 frascos

Leia mais

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses Prof. João Carlos aula 3 botânica e parasitoses Briófitas : musgos Os musgos (verdes) produzem gametas, seus filhos produzem esporos Esporos gametas Pteridófitas: samambaias Ciclo das samambaias O gameta

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013 01 - (MACK SP) As verminoses representam um grande problema de saúde, principalmente nos países subdesenvolvidos. A falta de redes de água e

Leia mais

Colégio São Paulo. Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano

Colégio São Paulo. Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano Colégio São Paulo Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano Características principais do Reino Animalia Reúne organismos eucariotos, pluricelulares e com nutrição heterotrófica. O reino apresenta

Leia mais

NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO

NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO VERMINOSES TENÍASE AGENTES ETIOLÓGICOS GICOS: Taenia solium saginata,, platelmintos da classe Cestoda. e Taenia CONTÁGIO GIO: Direto,, através s do consumo

Leia mais

O reino animal. Poríferos. Como é o corpo das esponjas? Onde elas vivem? Como se alimentam? Esponja barril (Xestospongia muta).

O reino animal. Poríferos. Como é o corpo das esponjas? Onde elas vivem? Como se alimentam? Esponja barril (Xestospongia muta). JEFFREY L. / ROTMAN / CORBIS / LATINSTOCK Poríferos Como é o corpo das esponjas? Onde elas vivem? Como se alimentam? Esponja barril (Xestospongia muta). 2 FABIO COLOMBINI / ACERVO DO FOTÓGRAFO Esponjas

Leia mais

Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e

Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e filtradores. - Digestão intracelular. - Sustentação: Espículas

Leia mais

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO PROFESSOR DEBORA SOUZA DISCIPLINA CIÊNCIAS SIMULADO: P3 Estrada da Água Branca, 2551 Realengo RJ Tel: (21) 3462-7520 www.colegiomr.com.br ALUNO TURMA 701 Questão 1

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais São vermes achatados; Ausência de sistema respiratório/circulatório Outros sistemas muito simples; Apresentam simetria bilateral; São parasitas; Características Gerais Platelminto

Leia mais

Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios

Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios NEMATELMINTOS Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios triblástico pseudocelomado Habitat: vida livre: terrestres ou aquáticos (doce ou salgada) muitas espécies

Leia mais

COLÉGIO JOÃO PAULO I LABORATÓRIO DE BIOLOGIA - 2º ANO PROF. ANDRÉ FRANCO FRANCESCHINI MALÁRIA

COLÉGIO JOÃO PAULO I LABORATÓRIO DE BIOLOGIA - 2º ANO PROF. ANDRÉ FRANCO FRANCESCHINI MALÁRIA COLÉGIO JOÃO PAULO I LABORATÓRIO DE BIOLOGIA - 2º ANO PROF. ANDRÉ FRANCO FRANCESCHINI MALÁRIA AGENTE CAUSADOR: Plasmodium falciparum, P. vivax e P. malariae. protozoário esporozoário parasita da hemáceas.

Leia mais

REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS. Prof. Airton

REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS. Prof. Airton REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS Prof. Airton Características Gerais: Unicelulares Eucariontes Heterótrofos Geralmente microscópicos Podem viver isolados ou em grupos formando colônias CLASSIFICAÇÃO De acordo

Leia mais

Dione Arruda dos Santos. Produção Didático-Pedagógica

Dione Arruda dos Santos. Produção Didático-Pedagógica GOVERNO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL PDE Dione Arruda dos Santos Produção Didático-Pedagógica Inserção da Temática Verminoses

Leia mais

TENÍASE Homem: Boi ou porco: Contaminação: Sintomas: Tratamento: Profilaxia:

TENÍASE Homem: Boi ou porco: Contaminação: Sintomas: Tratamento: Profilaxia: TENÍASE Homem: hospedeiro definitivo. Boi ou porco: hospedeiro intermediário. Contaminação: ingestão de carne mal passada contaminada com cisticercos; autoinfecção. Sintomas: distúrbios intestinais, dores

Leia mais

É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS!

É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS! Filiado a: Dengue, Chikungunya e Zika Vírus É MUITO GRAVE! COMBATER O MOSQUITO É DEVER DE TODOS! AEDES AEGYPTI Aedes Aegypti e Aedes Albopictus são as duas espécies de mosquito que podem transmitir Dengue,

Leia mais

Malária. esporozoita

Malária. esporozoita Malária esporozoita Francisco Bergson Pinheiro Moura Médico Veterinário e-mails: bergson.moura@saude.ce.gov.br bergson.moura.live.com Definição Doença infecciosa febril aguda, cujos agentes etiológicos

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS Nome: Nº 7º Ano Data: / / 2015 Professor(a): Nota: (Valor 1,0) 3º Bimestre A - Introdução Neste bimestre começamos a estudar o reino animal com toda sua fantástica diversidade.

Leia mais

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc...

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Protozoários Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Estrutura: Realizam as funções vitais: Locomoção e respiração; Obtenção de alimentos; Digestão; Excreção; Reprodução.

Leia mais

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN 2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS 1. Um tipo de característica que pode ser levada em conta quando vamos trabalhar com Biologia Comparada são as características observadas

Leia mais

ÁGUA E SAÚDE NA COMUNIDADE ESCOLAR

ÁGUA E SAÚDE NA COMUNIDADE ESCOLAR ÁGUA E SAÚDE NA COMUNIDADE ESCOLAR Ana Paula Santos Fidelis; Andreza Barboza da Silva Universidade Federal de Pernambuco, ppfidelis@gmail.com INTRODUÇÃO As parasitoses intestinais constituem-se num grave

Leia mais

APRESENTAÇÃO Comprimidos de 500 mg de mebendazol em embalagem com 1 comprimido ou 50 comprimidos.

APRESENTAÇÃO Comprimidos de 500 mg de mebendazol em embalagem com 1 comprimido ou 50 comprimidos. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Pantelmin mebendazol comprimidos Anti-helmíntico de amplo espectro APRESENTAÇÃO Comprimidos de 500 mg de mebendazol em embalagem com 1 comprimido ou 50 comprimidos. USO ORAL

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: Farmácia Disciplina: Parasitologia Básica Integral Professor(es):Ligia Beatriz Lopes Persoli Carga horária: Ementa: DRT: 1086619 Código

Leia mais

Vermes. 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos. Professor Fernando Stuchi

Vermes. 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos. Professor Fernando Stuchi Vermes 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos Professor Fernando Stuchi Filo Platelminto Representantes (Classes) Vermes de corpo achatado: 1. 2. 3. Classe Cestoda Tênias; Classe Turbellaria

Leia mais

4º FILO - NEMATELMINTOS

4º FILO - NEMATELMINTOS 4º FILO - NEMATELMINTOS Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio + helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos: Ascaris lumbricoides Necator americanus Ancilostomo

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos PARNAMIRIM - RN Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto E Raphaella Madruga. Nematódeo Vermes de corpo cilíndrico, coberto por cutícula. Apresentam sexos separados (dimorfismo sexual

Leia mais

MENBEL. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido 500mg

MENBEL. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido 500mg MENBEL Geolab Indústria Farmacêutica S/A Comprimido 500mg Menbel mebendazol MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento.

Leia mais

Ascaris lumbricoides. Fernanda Aparecida Gonçalves da Silva. Nutrição

Ascaris lumbricoides. Fernanda Aparecida Gonçalves da Silva. Nutrição Ascaris lumbricoides Fernanda Aparecida Gonçalves da Silva Nutrição Introdução O A.lumbricoides é encontrado em quase todos os países do globo, estimando-se que 30% da população mundial estejam por ele

Leia mais

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS 1 O que são ITS? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios, que se transmitem de pessoas infectadas para outras, através das relações

Leia mais

6) Assinale a alternativa que mostra o filo, cujos representantes são os animais menos complexos.

6) Assinale a alternativa que mostra o filo, cujos representantes são os animais menos complexos. ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA TRABALHO ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO RESOLUÇÃO SEE Nº 2.197, DE 26 DE OUTUBRO DE 2012 Aluno: Ano Atual Data : Matéria: Turno: Valor :70pontos Nota:

Leia mais

LEVERCTIN EMS S/A. Comprimido. 6 mg

LEVERCTIN EMS S/A. Comprimido. 6 mg LEVERCTIN EMS S/A Comprimido 6 mg I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO LEVERCTIN ivermectina APRESENTAÇÕES Comprimidos 6 mg: Embalagem com 2 e 4 comprimidos VIA ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO (crianças acima

Leia mais

BIOLOGIA. Prof. Victor Rosalém

BIOLOGIA. Prof. Victor Rosalém BIOLOGIA Prof. Victor Rosalém 1. Pesquisadores de Pernambuco notificaram um surto de esquistossomose aguda na praia de Porto de Galinhas (PE) em 2000, quando 662 pessoas tiveram diagnóstico positivo. A

Leia mais

APÊNDICE D - Cartilha doenças veiculadas e transmitidas pela água. Erica Irene Dealessandri

APÊNDICE D - Cartilha doenças veiculadas e transmitidas pela água. Erica Irene Dealessandri 56 APÊNDICE D - Cartilha doenças veiculadas e transmitidas pela água Erica Irene Dealessandri CARTILHA: Principais doenças transmitidas e veiculadas pela água MATERIAL DE APOIO PARA PROFESSORES DO ENSINO

Leia mais

Platelmintos. Principais Verminoses: Esquistossomose ou Barriga d`água. Teníase. Cisticercose

Platelmintos. Principais Verminoses: Esquistossomose ou Barriga d`água. Teníase. Cisticercose Platelmintos Principais Verminoses: Esquistossomose ou Barriga d`água. Teníase. Cisticercose Esquistossomose ou Barriga d`água Agente Etiológico: Schistosoma mansoni. Hospedeiro Intermediário: Biomphlaria

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [VERMINOSES]

www.drapriscilaalves.com.br [VERMINOSES] [VERMINOSES] 2 Os cães e gatos podem albergar uma grande variedade de vermes (helmintos) que causam danos como perda de peso, crescimento tardio, predisposição a outras doenças, menor absorção e digestão

Leia mais

IVERMEC UCI-FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. COMPRIMIDOS 6 MG

IVERMEC UCI-FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. COMPRIMIDOS 6 MG IVERMEC UCI-FARMA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. COMPRIMIDOS 6 MG Ivermec ivermectina FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES IVERMEC : cartucho contendo 2 ou 4 comprimidos. USO ADULTO E PEDIÁTRICO (CRIANÇAS

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO 2010 Questão 1 PROVA DE CIÊNCIAS 4 ANO Boa alimentação

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 3 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS 1 Ao abrir o envelope com o resultado de seu exame parasitológico de fezes, Jequinha leu Positivo para ovos de Ascaris

Leia mais

Aula 4. Atividades. Mapeado o genoma do Schistosoma mansoni, parasito causador da esquistossomose

Aula 4. Atividades. Mapeado o genoma do Schistosoma mansoni, parasito causador da esquistossomose Aula 4 1. Leia a notícia a seguir. Atividades IV. o mapeamento genético do verme pode auxiliar no controle dos problemas ambientais, como a falta de saneamento básico. V. resolverá definitivamente os problemas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO Taenia sp Profª Cyntia Cajado Taxonomia Filo: Platyhelminthes Classe: Cestoda Família: Taenidae Hermafroditas Corpo achatado dorsoventralmente Gênero:

Leia mais

Cólera e Escarlatina

Cólera e Escarlatina Cólera e Escarlatina Nome do Aluno Daiane, Lisandra e Sandra Número da Turma 316 Disciplina Higiene e Profilaxia Data 30 de Maio de 2005 Nome da Professora Simone Introdução O presente trabalho irá apresentar

Leia mais

MITOS X VERDADES SOBRE A DENGUE

MITOS X VERDADES SOBRE A DENGUE Uma boa alimentação garante imunidade à doença? Mito. Não há algum alimento específico contra a dengue. Porém, uma alimentação incluindo frutas e vegetais, torna o organismo da pessoa mais saudável e o

Leia mais

Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO

Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS Belém /PA BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO 1. Dentre os grupos de doenças citados abaixo diga a quais filos

Leia mais

ALERGIA A INSETOS SUGADORES (ESTRÓFULO)

ALERGIA A INSETOS SUGADORES (ESTRÓFULO) ALERGIA A INSETOS SUGADORES (ESTRÓFULO) A maioria das pessoas não-alérgicas a picadas de insetos geralmente apresentam uma reação papulosa no local da picada do inseto. A pápula surge em 5 a 20 minutos

Leia mais

Ser humano e saúde / vida e ambiente. Voltadas para procedimentos e atitudes. Voltadas para os conteúdos

Ser humano e saúde / vida e ambiente. Voltadas para procedimentos e atitudes. Voltadas para os conteúdos Atividade de Aprendizagem 10 Dengue: aqui não! Eixo(s) temático(s) Ser humano e saúde / vida e ambiente Tema Água e vida / reprodução e ocupação de novos ambientes / saúde individual e coletiva Conteúdos

Leia mais

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR NEMATODA Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados. Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos:

Leia mais

35 Como o berne aparece no boi?

35 Como o berne aparece no boi? A U A UL LA Como o berne aparece no boi? A criação de gado requer dos fazendeiros, entre outras coisas, o cuidado com a saúde dos animais, pois os bois são atingidos por muitas doenças. Nesta aula vamos

Leia mais

RAIVA. A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado.

RAIVA. A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado. RAIVA A raiva é um doença viral prevenível de mamíferos, que geralmente é transmitida através da mordida de uma animal infectado. RAIVA PRINCIPAIS VETORES - Furão (ferrets) - Raposas - Coiotes - Guaxinins

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Campus Universitário de Sinop

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Campus Universitário de Sinop UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO Campus Universitário de Sinop PARASITOLOGIA ZOOTÉCNICA Introdução a Helmintologia Zootécnica (Nematóides bursados) Profº. Evaldo Martins Pires SINOP - MT Aula de hoje:

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre

Revisão de Ciências 3 Trimestre PARNAMIRIM - RN Revisão de Ciências 3 Trimestre Prof. José Roberto. Água e cidadania. Os diferentes usos da água Tudo em nossa vida depende da água, seja de forma direta, como na manutenção da vida: beber,

Leia mais

TODOS CONTRA O A PREVENÇÃO É A MELHOR SOLUÇÃO

TODOS CONTRA O A PREVENÇÃO É A MELHOR SOLUÇÃO TODOS CONTRA O MOSQUITO A PREVENÇÃO É A MELHOR SOLUÇÃO Sobre o Aedes aegypti O mosquito Aedes aegypti é o transmissor da Dengue, Chikungunya e e a infecção acontece após a pessoa receber uma picada do

Leia mais

02. Assinale a alternativa que contém, respectivamente, uma palavra trissílaba, dissílaba e polissílaba:

02. Assinale a alternativa que contém, respectivamente, uma palavra trissílaba, dissílaba e polissílaba: QUESTÕES OBJETIVAS AGENTE DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA 01. Nos vocábulos máquina e parede temos, respectivamente: a) Paroxítona e proparoxítona b) Paroxítona e paroxítona c) Proparoxítona e proparoxítona d)

Leia mais

Resolução Resolução OBJETIVO 2004

Resolução Resolução OBJETIVO 2004 1 Nas bactérias, a cadeia respiratória encontra-se associada à membrana plasmática e os ácidos nucléicos estão associados ao citoplasma. a) É assim também em um protista, em um animal e em um vegetal?

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: EVOLUÇÃO CLÍNICA E PARASITOLÓGICA DE ANCILOSTOMOSE CANINA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

DIGESTÃO: TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS

DIGESTÃO: TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS DIGESTÃO: TRANSFORMAÇÃO DOS ALIMENTOS DIGESTÃO E SISTEMA DIGESTÓRIO FUNÇÕES = Ingestão e Digestão = Alimentos = Absorção = Nutrientes = Eliminação = Restos (não-digeridos / não-absorvidos) 1. Mecânicos

Leia mais

Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO

Inimigo N 1 AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO Inimigo N 1 o AGORA E TODO MUNDO CONTRA O MOSQUITO O mosquito esta muito mais perigoso A Bahia está em alerta com a epidemia de três doenças: Dengue, Chikungunya e Zika. Elas são transmitidas pela picada

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia. Atividade Curricular em Comunidade Pró-Reitoria de Extensão

Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia. Atividade Curricular em Comunidade Pró-Reitoria de Extensão Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia Atividade Curricular em Comunidade Pró-Reitoria de Extensão ACC BIO 454 Dinâmica de Conscientização da Problemática do Lixo Beneficiamento de Solos Agrícolas

Leia mais