FILO PLATYHELMINTHES. nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FILO PLATYHELMINTHES. nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo."

Transcrição

1 FILO PLATYHELMINTHES nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo. Lesma do mar (platelminto turbelário) O filo Platyhelminthes (do grego platýs, achatado, e hélmins, verme) reúne vermes de corpo achatado dorsoventralmente, alongado, de simetria bilateral. São triblásticos e acelomados. Algumas espécies têm vida livre e outras parasitam animais vertebrados ou invertebrados. Aparelhos presentes na planária Já se observa feixes de musculatura organizados, que permitem o deslocamento do animal em várias direções. CLASSIFICAÇÃO CLASSE TURBELLARIA A classe Turbellaria reúne os platelmintos de vida livre conhecidos popularmente como planárias, que podem ser aquáticas ou terrestres. Dentre as planárias de água doce a mais conhecida é Dugesia tigrina que pode ser encontrada em córregos e lagoas de água limpa sob galhos, pedras ou folhas submersos. As planárias terrestres vivem em ambientes úmidos sob pedras, folhas e troncos caídos. Existem também turbelários marinhos. Exemplares de platelmintos ESTRUTURA CORPORAL E FISIOLOGIA Os platelmintos constituem o primeiro grupo da escala animal a apresentar um sistema nervoso organizado, do tipo ganglionar, com dois gânglios cerebróides na região anterior do corpo (cabeça) de onde partem dois cordões nervosos que se ramificam pelo corpo todo. O sistema digestório é do tipo incompleto, ou seja, só tem boca por onde o alimento é ingerido e, depois de terminado o processo digestivo é pela boca que são eliminados os restos da digestão. O intestino é ramificado para aumentar a superfície de absorção e facilitar a distribuição dos nutrientes, já que não existe sistema circulatório. Não há sistema respiratório. As trocas gasosas são feitas diretamente entre as células epidérmicas e o meio, sendo o oxigênio distribuído para as demais células do corpo por difusão. O sistema excretor é constituído por estruturas denominadas células-flama que retiram os excretas Planária (estrutura) CLASSE TREMATODA A classe Trematoda reúne platelmintos parasitas. Algumas espécies são ectoparasitas (do grego, ektós, fora), isto é, vivem grudadas na superfície externa do corpo do hospedeiro enquanto outras são endoparasitas (do grego, éndon, dentro) e vivem no interior do corpo de animais vertebrados. Os trematódeos têm o corpo revestido de uma cutícula resistente que os protege contra as eventuais defesas do hospedeiro que parasitam. A boca fica localizada na região anterior do corpo e abre-se em uma faringe musculosa que desemboca em um intestino ramificado. Na região anterior geralmente existem ventosas

2 especializadas na fixação do verme ao corpo do hospedeiro. Como representantes temos o esquistossomo e a Fasciola hepatica. REPRODUÇÃO REPRODUÇÃO ASSEXUADA Uma planária cortada transversalmente em três pedaços pode regenerar-se e dar origem a três novos indivíduos. Uma planária com várias cabeças pode ser produzida por cortes longitudinais na região cefálica do animal. A elevada capacidade de regeneração permite que algumas espécies de planária reproduzam-se assexuadamente por divisão transversal do corpo. Schistosoma mansoni (trematódeo) CLASSE CESTODA A classe Cestoda reúne vermes endoparasitas que não possuem aparelho digestório: as tênias ou solitárias. O termo tênia (do grego tainía, fita, tira) refere-se à forma do corpo desses animais que lembra uma fita. Já o termo solitária deve-se ao fato de haver em algumas espécies de tênia, um único verme parasitando o hospedeiro. Uma tênia já instalada libera substâncias que impedem outra tênia de se instalar. Isso evita a superpopulação, que poderia levar à morte do hospedeiro e consequentemente do parasita. Escólex - Taenia solium Laceração em planária REPRODUÇÃO SEXUADA Os platelmintos podem ser monóicos como as planárias e tênias, ou dióicos como os esquistossomos. Uma planária possui vários testículos localizados nos dois lados do corpo e um par de ovários situados logo abaixo da região cefálica. Na cópula, dois animais justapõem os poros genitais e trocam espermatozóides (fecundação cruzada); em seguida se separam. Cada óvulo é fecundado por um espermatozóide e origina um zigoto. Os vários zigotos formados juntamente com células ricas em substâncias nutritivas (vitelo), são envolvidos por um casulo que é fixado a uma planta aquática. Dentro dele o desenvolvimento dos zigotos origina jovens planárias por desenvolvimento direto. Nas tênias, ocorre a autofecundação, pois, cada segmento do corpo do animal possui os dois sistemas reprodutores. Após a fecundação dos óvulos, o segmento grávido é eliminado, contendo aproximadamente 200 ovos que se desenvolvem de forma indireta. Escólex - Taenia saginata

3 Ascaris lumbricoides Solitária escólex e proglotes Nos esquistossomos ocorre dimorfismo sexual: a fêmea é maior que o macho e este possui um canal (canal ginecóforo) onde a fêmea se encaixa por ocasião da cópula. O desenvolvimento é indireto. Schistosoma mansoni (macho e fêmea) FILO NEMATYHELMINTHES O filo Nemathelminthes (do grego, nêma, fio, e hélmins, verme) reúne vermes de corpo cilíndrico, alongado não-segmentado e de extremidades afiliadas. São animais triblásticos, com simetria bilateral e pseudocelomados. Alguns nematelmintos têm poucos milímetros de comprimento, mas há espécies, cujos representantes podem atingir 1 metro ou mais. Os nematelmintos podem ter vida livre ou parasitária. As espécies de vida livre habitam o solo, a água doce ou o mar. Os nematelmintos são abundantes no solo; uma única colher de terra de jardim pode conter mais de 10 mil desses minúsculos vermes. Ancylostoma duodenale detalhe na boca do verme ESTRUTURA CORPORAL E FISIOLOGIA O corpo de um nematelminto é revestido de uma cutícula protetora, localizada externamente à epiderme. Sob a epiderme existe uma camada de feixes musculares que apresentam orientação unicamente no sentido longitudinal do corpo. Por isso, o movimento dos nematelmintos resume-se a flexões do corpo (em forma de C). O sistema nervoso consiste de um anel de células nervosas em torno da faringe, de onde partem dois cordões nervosos, um dorsal e um ventral, que percorrem longitudinalmente o corpo do verme. Entre a parede do corpo e o tubo digestório dos nematelmintos há uma cavidade cheia de líquido denominada pseudoceloma (do grego pseudés, falso, e kôidos, oco, cavidade). O sistema digestório é completo, com boca e ânus. O alimento é digerido ao longo do tubo e os nutrientes são absorvidos no intestino, de onde passam para o líquido do pseudoceloma, que faz a distribuição para as demais células do corpo, já que não há sistema circulatório. O sistema excretor é do tipo túbulos em forma de H. As excreções produzidas pelas células do nematelminto são lançadas no fluido pseudocelômico, de onde são removidas por dois canais excretores localizados um de cada lado do corpo. Na porção anterior do corpo esses tubos se unem e desembocam no poro excretor que se abre para o meio externo. Além das funções já citadas, o líquido do pseudoceloma funciona como um esqueleto hidrostático fornecendo apoio para os movimentos musculares do verme.

4 A respiração ocorre por difusão. Gás oxigênio e gás carbônico são absorvidos e eliminados por simples difusão que ocorre por toda a superfície do corpo. Corte transversal mostrando o pseudoceloma REPRODUÇÃO Os nematelmintos apresentam apenas reprodução sexuada e a maioria das espécies é dióica. As fêmeas possuem um par de ovários longos e finos. Os machos possuem um testículo único, longo e fino. Quando um macho e uma fêmea sexualmente maduros encontram-se pode ocorrer a cópula. A fecundação ocorre internamente ao corpo da fêmea. Nos nematelmintos de vida livre, a fêmea elimina os ovos que se desenvolvem diretamente, sem passar por estágios larvais. Já nos parasitas, o desenvolvimento é indireto. Origem da Boca protostômios protostômios Celoma acelomados pseudocelomados Simetria bilateral bilateral Revestimento Sustentação epiderme ciliada; cutícula espessa, cutícula parasitas epiderme sencicial várias camadas musculares musculatura longitudinal sistema digestório Sistema incompleto, só tem sistema digestório Digestório boca; ausente nos completo cestódeos Respiração difusão difusão Sistema Circulatório ausente ausente Sistema Excretor Sistema Nervoso Sistema Sensorial Sistema Reprodutor células-flama tubos em forma de H gânglios cefálicos, anel cordões periesofagiano ganglionares com dois cordões ventrais ventrais ocelos; aurículas sem (quimiorrecepção) particularidades monóicos; dióicos dióicos com com dimorfismo dimorfismo sexual sexual Fecundação interna interna Desenvolvimento direto (vida livre); indireto (parasitas) direto ou indireto VERMINOSES Desenvolvimento de larva de ancilóstomo QUADRO RESUMO Verminose é um tipo de parasitose intestinal provocada por vermes (platelmintos e nematelmintos). Infelizmente, ainda são muito comuns hoje, atingindo crianças e adultos, tanto na cidade como no campo. Tem maior incidência em regiões onde as orientações de educação e saúde e as condições de saneamento básico são deficientes e precárias e geralmente estão relacionadas à população de baixo poder aquisitivo. A maioria das verminoses, de diagnosticadas rapidamente, são de fácil tratamento, porém, algumas delas podem trazer complicações ou até a morte. Seguem agora as principais verminoses humanas. PLATELMINTOS NEMATELMINTOS VERMONISES CAUSADAS POR PLATELMINTOS Características vermes achatados vermes cilíndricos Exemplos Hábitat Nº de Folhetos Embrionários planária, Schistosoma, Taenia aquáticos, terra úmida, parasitas triblásticos ocorrência de mesoderma Ascaris, Ancylostoma, Wuchereria parasitas, livre triblásticos vida 1.ESQUISTOSSOMOSE MANSÔNICA (barriga d água) a) Parasita: Schistosoma mansoni b) Hospedeiro Intermediário: Caramujo Biomphalaria sp, da família dos Planorbídeos d) Ciclo de vida: Ovos de esquistossomo são liberados junto com as fezes de uma pessoa infectada. Na água, os ovos eclodem e liberam larvas ciliadas chamadas miracídios. Estes têm 24 horas para penetrar no

5 caramujo (HI). Após a entrada, o miracídio perde os cílios e se transforma em esporocisto, onde ocorre pedogênese e a formação de outras larvas chamadas cercárias. Um miracídio pode originar 200 mil cercárias, que tem vida livre aquática. Na água, as cercarias penetram ativamente na pele, provocando uma coceira característica. Por isso o nome das lagoas de coceira. As cercarias vão, via corrente sanguínea, até o sistema porta-hepático e ali permanecem na fase adulta. São vermes dióicos com dimorfismo sexual. Quando fecundada, a fêmea se desloca até a parede do intestino e libera os ovos. Uma fêmea adulta produz até 300 ovos por dia, que atravessam a parede do intestino e são expulsos junto com as fezes, reiniciando o ciclo. e) Profilaxia: Saneamento básico, evitar nadar em lagoas onde há caramujos, usar botas em banhados e lagoas rasas, eliminar o hospedeiro intermediário. 3. CISTICERCOSE a) Parasita: Taenia solium b) Hospedeiro Intermediário: porco (T. solium) e homem d) Ciclo d vida: As vezes, o homem pode ingerir o da tênia. Neste caso, a larva cisticerco, da mesma forma, se aloja na musculatura do homem, causando a cisticercose. Quando o cisticerco se instala no cérebro, chamamos de neurocisticercose, podendo provocar cefaláeias contantes, convulsões ou até danos irreversíveis ao cérebro. e) Profilaxia: Saneamento básico. Ciclo de vida da Taenia solium VERMONISES CAUSADAS POR NEMATELMINTOS Ciclo de vida do Schistosoma mansoni 2. TENÍASE (solitária) a) Parasita: Taenia solium, Taenia saginata b) Hospedeiro Intermediário: porco (T. solium) e boi (T. saginata) d) Ciclo d vida: A pessoa infectada libera proglotes grávidas junto com as fezes. Cada proglote está repleta de embriões. No ambiente, este ovo é ingerido pelo hospedeiro intermediário, o ovo eclode a larva chamada oncosfera atravessa a parede do intestino e via circulação, aloja-se na musculatura ou no sistema nervoso do HI. Nesta fase, a larva é chamada cisticerco. Se uma pessoa comer carne mal cozida com cisticercos, a pessoa pode adquirir a teníase, que é a tênia adulta no intestino. Como os cestóide são monóicos e fazem autofecundação, conforme as proglotes mais antigas (no final do corpo da tênia) vão amadurecendo, ocorre autofecundação e liberação da proglote grávida. Cada proglote grávida gera cerca de 80 mil ovos. Estas proglotes grávidas se soltam e são eliminadas junto com as fezes, reiniciando o ciclo. e) Profilaxia: Saneamento básico, fiscalização de abatedouros e evitar comer carne mal passada. 1. ASCARIDÍASE (lombriga) a) Parasita: Ascaris lumbricoides b) Hospedeiro Intermediário: não há d) Ciclo d vida: O áscaris é um verme dióico, que apresenta dimorfismo sexual. A fêmea pode chegar a até 30 cm, o macho geralmente a metade disso. O verme se concentra no intestino. Ocorre fecundação, a fêmea faz a postura dos ovos e a pessoa parasitada libera os ovos junto com as fezes. Uma fêmea põe em média 200 mil ovos diariamente. Estes ovos permanecem no ambiente o podem ser ingeridos com a água ou alimentos contaminados (frutas e verduras geralmente). Uma vez ingerido o ovo, este eclode e dá origem a uma larva no intestino. Esta larva pode atravessar a parede do intestino e cair na corrente sanguínea, subindo pela veia cava até o coração. Do coração, a larva vai aos pulmões pelas artérias pulmonares. Nos pulmões, a larva rompe a pleura e sobe pela traqueia e brônquios, chegando à faringe. Nesta fase, o verme pode sair pela boca ou fossas nasais ou pode ser deglutido, descendo pelo esôfago, estômago e chegando novamente ao intestino, onde os adultos permanecem. Novamente ocorre a fecundação e liberação dos ovos junto com as fezes, reiniciando o ciclo. e) Profilaxia: Saneamento básico, higiene pessoal, higiene de alimentos, ingestão de água tratada ou fervida.

6 Ciclo de vida do Ascaris lumbricoides 2. ANCILOSTOMOSE (amarelão) a) Parasita: Ancylostoma duodenale, Necator americanus b) Hospedeiro Intermediário: não há d) Ciclo d vida: São vermes pequenos (1,0 a 1,5 cm) e tem ciclo parecido com o do áscaris. Os adultos se fixam na parede do intestino, onde fazem o parasitismo. O quadro de desnutrição dá um aspecto de cansaço e palidez ao doente, por isso é chamado de amarelão. As pessoas doentes eliminam os ovos junto com as fezes. NO solo úmido, os ovos eclodem e as larvas ficam no solo. Estas larvas têm penetração ativa pela pele e logo atingem a circulação, onde passam pelo coração, pulmões, brônquios, traqueia e faringe, onde são engolidas, atingindo a maturidade no intestino, onde fecundam e liberam os ovos para serem expelidos junto com as fezes, fechando o ciclo. e) Profilaxia: Saneamento básico, higiene pessoal e não andar descalço em regiões alagadas e banhados. Ciclo de vida do Ancylostoma duodenale 3. FILARIOSE (elefantíase) a) Parasita: Wuchereria bamcrofti b) Hospedeiro Intermediário: fêmeas de mosquitos Culex sp d) Ciclo d vida: A fêmea do mosquito, ao picar uma pessoa doente, suga larvas chamadas microfilárias. Ao picar então uma pessoa sadia, transmite as larvas. Pelo sangue, estas larvas circulam no organismo e se dirigem aos vasos linfáticos, onde tomam a forma adulta (4 a 8 cm). Os adultos ali se reproduzem. Esta proliferação de vermes adultos nos vasos linfáticos provocam seu entupimento, causando um inchaço típico, principalmente nas mamas, pernas e saco escrotal, sendo por isso chamada de elefantíase. É uma doença de difícil tratamento, sendo endêmica nas regiões tropicais da África e Ásia. Ocorrem casos isolados nas Américas. e) Profilaxia: tratamento dos doentes, uso de telas, repelentes e inseticidas. Ciclo de vida do Wuchereria bancrofti 4. OXIUROSE / ENTEROBIOSE a) Parasita: Enterobius vermicularis b) Hospedeiro Intermediário: não há d) Ciclo d vida: São vermes pequenos (0,5 a 1 cm) que parasitam o intestino grosso. As fêmeas liberam os ovos junto com as fezes no ambiente. Pessoas sadias ingerem os ovos junto com água ou alimento contaminados. No intestino, os ovos eclodem e as vão ao intestino grosso, onde tomam a forma adulta. Lá os adultos fecundam e as fêmeas fecundadas se dirigem à região perianal, provocando uma coceira característica, na região anal. Neste momento os ovos podem contaminar o espaço embaixo das unhas e, se o doente levar a mão à boca, pode haver reinfestação. Esta parasitose é mais comum em crianças e tem fácil tratamento. e) Profilaxia: Saneamento básico, higiene de água e alimentos, higiene pessoal (lavar as mãos). 5. BICHO GEOGRÁFICO / DERMATITE SERPIGINOSA a) Parasita: Ancylostoma brasiliensis b) Hospedeiro Intermediário: não há c) Hospedeiro definitivo: Cães, gatos e homem d) Ciclo de vida: O verme adulto é parasita intestinal dos animais. Ovos são liberados nas fezes e as larvas

7 livres no solo larva migrans penetram ativamente na pele, formando caminhos típicos do bicho geográfico. e) Profilaxia: Saneamento básico, evitar a presença de animais em praias, andar calçado na areia. EXERCÍCIOS 1. (UEPG) Com relação às verminoses e suas medidas preventivas, assinale o que for correto. 01) Os cestódeos são parasitas de corpo achatado, e membros do seu grupo podem causar verminoses intestinais, como a teníase. 02) O Ancylostoma duodenale é um verme que apresenta formas em dois hospedeiros diferentes: o porco e o homem. 04) A ascaridíase pode ser evitada com medidas preventivas, tais como: consumo de água potável, instalações sanitárias adequadas e lavagem de alimentos crus com água tratada. 08) Os caramujos da família Planorbidae atuam como hospedeiros intermediários do Schistosoma mansoni, platelminto que causa a esquistossomose. 2. (CFTMG) A figura abaixo representa o ciclo de vida de um determinado verme. A imagem acima representa o ciclo de vida de um parasita que pode causar sérios problemas de saúde em seres humanos. Observando essa imagem, podemos afirmar que: ( ) as proglótides se formam na carne do porco e são ingeridas pelo homem. ( ) nessa parasitose, o porco assume o papel de hospedeiro definitivo. ( ) pelo ciclo apresentado, a ingestão acidental de alimentos contaminados com fezes humanas pode levar à formação de cisticercos no organismo humano. ( ) o amarelão e a ascaridíase são parasitoses que apresentam o mesmo ciclo vital. ( ) o ciclo apresentado é o da teníase. 4. (UFSJ) Leia atentamente o texto abaixo, que apresenta algumas informações sobre os platelmintos. Os platelmintos são animais acelomados. Nesses animais, a mesoderme preenche o espaço da blastocele, formando um tecido chamado mesênquima ou parênquima. Outra caracterísitca marcante nos platelmintos é que eles possuem o corpo achatado dorsoventralmente. Como não existem sistemas que permitam a circulação de substâncias, as mesmas são veiculadas por difusão célula a célula no mesênquima. Uma das principais medidas de controle da doença provocada pelo verme em foco é a) vacinar a população afetada da área ribeirinha. b) impedir a construção de casas de barro ou pau a pique. c) destruir criadouros das fases intermediárias dos barbeiros. d) evitar contato com águas possivelmente infestadas pela larva. 3. (UFPE) Sobre os platelmintos, assinale a alternativa CORRETA. a) A difusão de substâncias ocorre melhor nos animais acelomados, pois ocorre difusão célula a célula no mesênquima. Assim, o achatamento do corpo facilita a difusão, pois o volume (V) do corpo pode ser mantido mesmo com um crescimento inferior ao da superfície (S). b) A ausência de um sistema de circulação não pode ser um limitante para o tamanho corporal. O aumento do tamanho corporal (T) observado nos platelmintos maiores só está relacionado ao modo de vida dos mesmos e independe de fatores, tais como o crescimento da superfície do corpo (S) em relação ao volume (V), mesmo porque o achatamento do corpo é uma especialização para o modo de vida parasitário. c) A ausência de um sistema de circulação pode ser um limitante para o tamanho corporal. O aumento do tamanho corporal (T) observado nos platelmintos maiores só foi possível pela compensação do crescimento da superfície do corpo (S) em relação ao

8 volume (V), propiciada pelo achatamento do corpo. Isso acontece porque a superfície (S) sempre crescerá a uma razão S 2 e o volume a uma razão V 3. d) O achatamento do corpo dos platelmintos é resultante de um crescimento desigual da superfície do corpo (S), que cresce a uma razão S 3, e do volume do mesênquima (V), que tende a crescer a uma razão V 2. O achatamento resultante facilita a difusão, pois reduz as distâncias entre a parede do corpo e as células do mesênquima e do intestino. 5. (UEL) A figura mostra um modelo de organismo com simetria bilateral. Nos grupos animais, o aparecimento da bilateralidade está associado às seguintes características morfofisiológicas: a) Sistema circulatório fechado e digestão extracelular no estômago. b) Sistema digestório completo e cordão nervoso ganglionar dorsal. c) Sistema digestório incompleto e órgãos dos sentidos ocelares. d) Sistema nervoso central e coordenação motora para locomoção. e) Sistema nervoso difuso e sangue com hemácias anucleadas. 6. (PUCRJ) O filo Platyhelminthes inclui tanto formas de vida livre como organismos endo e ectoparasitas. Platelmintos endoparasitas se caracterizam por: a) ausência de cutícula, de tubo digestório e de ocelos. b) ausência de cutícula, presença de ganchos e ventosas e de estágios larvais. c) presença de cutícula, de ganchos e ventosas e de estágios larvais. d) presença de cutícula, ausência de tubo digestório, presença de ocelos no estágio adulto. e) presença de tubo digestório completo, com boca e ânus. 7. (Ufrn) Leia o texto que segue: A esquistossomose mansônica é uma endemia mundial, ocorrendo em 52 países e territórios, principalmente na América do Sul, Caribe, África e Leste do Mediterrâneo, onde atinge as regiões do Delta do Nilo, além de países como Egito e Sudão. No Brasil, a transmissão ocorre em 19 estados, numa faixa contínua ao longo do litoral, desde o Rio Grande do Norte até a Bahia, na região Nordeste, alcançando o interior do Espírito Santo e Minas Gerais, no Sudeste. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de vigilância epidemiológica / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. 6ª ed. Brasília: Ministério da Saúde, O texto ressalta a grande ocorrência da esquistossomose no Mundo e no Brasil, permitindo pensar suas formas de prevenção. Sabe-se que as ações de educação em saúde e a mobilização comunitária são muito importantes no controle desse mal, e que o saneamento ambiental é da maior eficácia para as modificações de caráter permanente das condições de transmissão da esquistossomose. Com o objetivo de quebrar o ciclo de vida do parasita, para prevenir essa doença, deve-se a) exterminar as populações de caramujos que infectam os hospedeiros intermediários. b) incentivar o uso de água potável e construir aterros para eliminar coleções hídricas que sejam criadouros de mosquitos. c) impedir que os ovos do parasita presentes nas fezes de uma pessoa contaminem corpos aquáticos. d) controlar as populações de nematódeos, hospedeiros intermediários do parasita. 8. (UFF) A ascaridíase e a ancilostomose, causadas respectivamente pelo Ascaris lumbricoides e pelo Ancylostoma duodenale, são consideradas parasitoses intestinais. No entanto, essas parasitoses podem também causar lesões pulmonares. a) Considerando o ciclo desses parasitas, explique por que eles são capazes de causar lesões pulmonares. b) Cite um método profilático para prevenir cada uma dessas parasitoses e justifique a eficácia do método citado. 9. (UESPI) A Tenia saginata e a Tenia solium são vermes prevalentes em comunidades humanas de várias partes do mundo. Considerando o ciclo de

9 vida das tênias, ilustrado abaixo, é correto concluir que: a) ovos (1) depositados pelo homem, através das fezes, em solo ou vegetação, tornam-se a fonte de infecção de hospedeiros intermediários. b) animais mamíferos (2 e 3) são susceptíveis à doença, pois os ovos de tênia ingeridos eclodem no intestino causando infecção gastrintestinal. c) quando a infecção do hospedeiro intermediário se dá através do sangue, o cisticerco pode migrar para os tecidos musculares através da circulação. d) após o consumo de carne suína contaminada com a tênia adulta (5), o homem contrai a infecção e se torna o hospedeiro definitivo. e) os vermes adultos (6) migram do intestino humano para outros órgãos, produzindo uma infecção sistêmica que pode levar à morte. 10. (UFPE) Uma série de verminoses acomete o homem, especialmente na infância, como os helmintos - Ascaris lumbricoides (lombriga) e Enterobius vermicularis (oxiúro) que podem ser veiculados por alimentos. Sobre esse assunto, considere as afirmativas abaixo. ( ) Nematelmintos, como A. lumbricoides e E. vermicularis, possuem o corpo cilíndrico, simetria bilateral e pseudoceloma. ( ) O A. lumbricoides, depois de ingerido, migra do intestino para os alvéolos pulmonares através da corrente sanguínea. ( ) A ascaridíase provoca a barriga d água, doença caracterizada pelo aumento do fígado e do baço, o que gera uma expansão abdominal. ( ) No ciclo de vida de E. vermicularis, as fêmeas migram à noite do intestino grosso para a região anal, onde põem seus ovos. ( ) A descarga de dejetos humanos ou animais no solo pode transmitir a oxiuriose e a ascaridíase; assim, andar calçado pode prevenir ambas as doenças. 11. (FATEC) No Brasil, há muitas cidades onde não há saneamento básico. Nesses locais, a população é obrigada a se servir de fossas sépticas ou de alternativas mais rudimentares, como fossas a céu aberto ou lançamento de dejetos em cursos d'água, o que aumenta a incidência de inúmeras doenças parasitárias. Para evitar essas doenças, a população deve pôr em prática medidas profiláticas simples, que envolvem desde hábitos básicos de higiene pessoal até medidas preventivas, que variam de acordo com a doença a se prevenir. Assinale a alternativa que associa corretamente a doença parasitária com sua específica medida profilática. Doença parasitária Medida profilática (preventiva) a) Giardíase Tomar vacinas. b) Amarelão Usar calçados. c) Teníase Lavar bem as frutas e verduras. d) Ascaridíase Combater os mosquitos transmissores. e) Esquistossomose Evitar comer carne crua ou mal cozida. 12. (UEM) A presença de uma cavidade corporal interna nos animais é uma importante característica evolutiva. Sobre as vantagens que essa cavidade oferece, assinale o que for correto. 01) Possibilita o transporte de nutrientes e de excretas e a proteção dos órgãos internos. 02) Permite uma melhor acomodação dos órgãos internos e fornece sustentação ao animal. 04) Organiza o corpo em segmentos iguais e melhora a flexibilidade. 08) Possibilita o crescimento dos órgãos internos e a cefalização. 16) Facilita a distribuição dos nutrientes e o acasalamento. 13. (UDESC) Assinale a alternativa correta, quanto aos poríferos, cnidários, platelmintos e nematelmintos. a) As esponjas pertencem ao filo dos poríferos. Possuem constante movimentação através de cílios e apresentam digestão exclusivamente extracelular. b) As águas vivas e as anêmonas pertencem ao filo dos cnidários. Apresentam digestão intracelular (células digestivas) da gastroderme e extracelular no tubo digestório incompleto, pois não têm ânus. c) Os Ascaris lumbricoides são vermes que pertencem ao filo dos platelmintos. Possuem corpos achatados com simetria bilateral e sua digestão é incompleta, pois não têm ânus. d) A Taenia saginata é um verme pertencente ao filo dos nematelmintos, pois seu corpo é achatado com simetria bilateral. Sua digestão é completa, pois tem ânus. e) Os corais pertencem ao filo dos poríferos. Possuem corpos com esqueleto calcário e sua digestão é completa, pois têm ânus.

10 14. (UFPA) Várias espécies de helmintos são agrupadas dentro do filo Nematoda, ou vermes cilíndricos. As principais novidades evolutivas que surgiram nesse filo, em comparação com os vermes achatados (Platelmintos), foram a) a presença de três folhetos germinativos; uma cavidade interna chamada pseudo-celoma; e o sistema digestório completo. b) a presença de três folhetos germinativos; uma cavidade interna chamada celoma; e o sistema circulatório fechado. c) a presença de três folhetos germinativos; ausência de cavidade interna; e sistema digestório completo. d) a presença de dois folhetos germinativos; uma cavidade interna chamada pseudo-celoma; e o sistema digestório completo. e) a presença de três folhetos germinativos; uma cavidade interna chamada celoma; e o sistema digestório completo. 15. (UEL) No cladograma a seguir, as letras representam grupos de animais caracterizados de acordo com a legenda. Na falta de saneamento básico e de inspeção das carnes de porco e de boi, observa-se a ocorrência de uma parasitose em humanos. a) Identifique a parasitose e, pelas letras, os animais nela envolvidos. b) Explique as formas de infestação nos hospedeiros. GABARITO 1: = 13. [02] Incorreto: O Ancylostoma duodenale é um verme nematelminto monogenético (ou monóxeno), isto é, completa o seu ciclo vital em um único hospedeiro, o homem. 2: [D] A esquistossomose (barriga d água) pode ser evitada através do saneamento básico, do combate ao caramujo transmissor, do tratamento dos doentes e não entrar em contato com águas infestadas pelas larvas cercárias que penetram ativamente a pele humana. 3: F F V F V. As proglótides são formadas assexuadamente pelas tênias e são eliminadas com as fezes humanas. Essas proglódites repletas de ovos da Taenia solium são ingeridas pelo porco. As proglótides liberam ovos do verme que são ingeridos pelo suíno. No porco hospedeiro intermediário, os ovos evoluem, formando larvas denominadas cisticercos. Os cisticercos podem ser ingeridos vivos e evoluir para vermes adultos no intestino humano. O amarelão e a ascaridíase são verminoses causadas por nematelmintos, cujo ciclo vital é diferente do ciclo do platelminto Taenia solium. 4: [C] O aumento do tamanho corporal de determinados platelmintos foi acompanhado pelo achatamento do corpo, como uma forma de compensar a ausência de um sistema circulatório verdadeiro e ausência de uma cavidade corpórea interna. 5: [D] A bilateralidade aparece nos platelmintos, juntamente com a cefalização e maior coordenação motora para a locomoção em diversos ambientes. 6: [C] Platelmintos endoparasitas possuem uma cutícula protetora sobre a epiderme, ganchos e ventosas para a fixação nos órgãos internos do hospedeiro e estágios larvais (desenvolvimento indireto), que nem sempre

11 estão presentes nas formas de vida livre. As espécies endoparasitas não possuem ocelos, e o tubo digestório, quando presente, não é completo (sem ânus). 7: [C] O platelminto causador da esquistossomose mansônica, denominado Schistosoma mansoni, é um endoparasita, cujas fêmeas liberam ovos que são eliminados do corpo humano, juntamente com as fezes. O saneamento básico, redes de esgoto e a educação sanitária são medidas eficazes para impedir a contaminação aquática pelos dejetos humanos e, consequentemente, diminuir a transmissão da verminose. 8: a) No ciclo de ambos os parasitas, as larvas caem na circulação e vão para o coração, do qual são levadas para os pulmões onde podem causar lesões. b) Um método profilático para a ascaridíase é a lavagem dos alimentos e das mãos, tendo em vista que a via de infecção é oral. Já para a ancilostomose é o uso de calçados para proteção da pele, que é, geralmente, a porta de entrada desses parasitas. 9: [A] No ciclo digenético das tênias, os suínos e os bovinos são os hospedeiros intermediários quando ingerem os ovos dos vermes, que desenvolvem larvas cisticercos em seus tecidos musculares e nervosos. 14: [A] As novidades evolutivas surgidas no filo Nematoda, em comparação com os vermes achatados (Platelmintos), foram o aparecimento de uma cavidade interna denominada pseudo-celoma e o sistema digestório completo. 15: a) O parasita é um platelminto cestoide (Taenia solium ou Taenia saginata), que é um endoparasita sem intestino, e é representado pela letra C. A letra H pode ser qualquer mamífero, devido à presença de glândulas mamárias. Considerando a relação de parasitismo posta, H pode ser o homem (hospedeiro definitivo), o porco ou o boi (hospedeiros intermediários). b) O homem pode ser infestado comendo carne de porco ou de boi crua ou mal-passada contendo cisticercos, desenvolvendo, assim, a teníase (tênias adultas no intestino, que se reproduzem por autofecundação). Pela ingestão direta de ovos de Taenia solium através de verduras mal-lavadas ou da água contaminada, o homem desenvolve a cisticercose (alojamento de cistos na musculatura, no cérebro, na pele ou nos olhos). No caso da cisticercose humana, o candidato pode considerar o homem também como hospedeiro intermediário, o que não está errado, mas como o consumo de carne humana é improvável, a condição de somente hospedeiro definitivo é aceitável. 10: V - V - F - V - F. A barriga-d água (esquistossomose) é causada pelo platelminto Schistosoma mansoni, parasita que causa aumento do abdome de humanos infestados. A utilização de calçados previne doenças como o amarelão e o bicho geográfico. O saneamento básico e cuidados com alimentos e água previnem a ascaridíase a oxiurose. 11: [B] O amarelão é uma verminose provocada pelos nematelmintos Ancylostoma duodenale e Necator americanus. Essa infestação, geralmente, é causada pela penetração ativa das larvas dos parasitas pela pele humana em contato com o solo, onde tenham sido depositadas fezes humanas com ovos dos nematoides. O uso de calçados é uma medida profilática contra essas verminoses. 12: = 03. A segmentação (metamerização) flexibiliza a movimentação animal. A cefalização não é uma consequência anatômica da ocorrência de cavidade corpórea em animais. A cavidade corpórea facilita a distribuição de nutrientes, acomoda novos órgãos e permite que esses órgãos cresçam, independentemente do crescimento geral do animal. 13: [B] Os cnidários possuem um tubo digestório incompleto, sem ânus. Eles digerem o alimento, inicialmente, na cavidade gastrovascular e completam o processo digestório no interior das células da gastroderme.

Os Invertebrados. Prof. Luis Bruno

Os Invertebrados. Prof. Luis Bruno Os Invertebrados Prof. Luis Bruno Os Poríferos Animais simples que habitam o planeta; Não apresentam órgãos; Sésseis; Maioria de ambiente marinho, mas existem poucas espécies de água doce; São animais

Leia mais

25/03/2014. Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral;

25/03/2014. Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral; FILO PLATYHELMINTES FILO NEMATODA(NEMATELMINTOS) Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral; Revestimento Vida livre : muco e

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 3 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS 1 Ao abrir o envelope com o resultado de seu exame parasitológico de fezes, Jequinha leu Positivo para ovos de Ascaris

Leia mais

REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA

REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS VERMINOSES - DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES: PLATELMINTOS: NEMATELMINTOS: TENÍASE (Taenia solium ou Taenia saginata) NEUROCISTICERCOSE

Leia mais

2ªsérie 2º período B I O L O G I A

2ªsérie 2º período B I O L O G I A 2.2 B I O L O G I A 2ªsérie 2º período QUESTÃO 1 O filo Platyhelminthes inclui tanto formas de vida livre como organismos endo e ectoparasitas. Considerando a biologia destes animais, marque a opção que

Leia mais

Características dos Nematoides

Características dos Nematoides Nematoides Características dos Nematoides Possuem o corpo cilíndrico e alongado, com pontas afiladas e musculatura desenvolvida. Apresentam tamanhos variados. Tubo digestório completo (boca e ânus). Podem

Leia mais

Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e

Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e filtradores. - Digestão intracelular. - Sustentação: Espículas

Leia mais

Colégio São Paulo. Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano

Colégio São Paulo. Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano Colégio São Paulo Disciplina: Ciências Profª. Marana Vargas 7º ano Características principais do Reino Animalia Reúne organismos eucariotos, pluricelulares e com nutrição heterotrófica. O reino apresenta

Leia mais

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN 2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS 1. Um tipo de característica que pode ser levada em conta quando vamos trabalhar com Biologia Comparada são as características observadas

Leia mais

Platelmintos e Nematelmintos

Platelmintos e Nematelmintos Simuladão 2º ano Platelmintos e Nematelmintos 01 - No início do século, o Jeca Tatu, personagem criado por Monteiro Lobato, representava o brasileiro de zona rural, descalço, mal vestido e espoliado por

Leia mais

BA B.. 0 6 0 6 Inv n e v rt r e t bra r dos o s m ais s si s m i ple l s s ( p ( la l t a e t lm l in i t n o t s o ) s Apostila 1 Pág.

BA B.. 0 6 0 6 Inv n e v rt r e t bra r dos o s m ais s si s m i ple l s s ( p ( la l t a e t lm l in i t n o t s o ) s Apostila 1 Pág. BA. 06 Invertebrados mais simples (platelmintos) Apostila 1 Pág. 34 REINO ANIMAL OU METAZOA -Pluricelular Eucarionte Heterótrofo - sem parede celular - PORÍFEROS Esponjas - CNIDÁRIOS Águas vivas, corais,

Leia mais

Parasitoses - Ve V rminoses Prof. Tiago

Parasitoses - Ve V rminoses Prof. Tiago Parasitoses - Verminoses Prof. Tiago INTRODUÇÃO PLATELMINTOS E NEMATÓDEOS: RESPONSÁVEIS POR ALGUMAS PARASITOSES CONHECIDAS COMO VERMINOSES. TENÍASE E ESQUISTOSSOMOSE SÃO CAUSADAS POR PLATELMINTOS; ASCARIDÍASE

Leia mais

Platelmintos e nematódeos

Platelmintos e nematódeos PARTE II Unidade D Capítulo 11 Platelmintos e Seções: 111 Filo Platyhelminthes (platelmintos ou vermes achatados) 112 Filo Nematoda ( ou vermes cilíndricos) Antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela

Leia mais

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria Filo Platyhelminthes Características: Do grego, platy = plano + helmins = verme Animais de corpo alongado e achatado dorsoventralmente; Maioria aquática (marinhos e dulcícolas). Os terrestres vivem em

Leia mais

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO PROFESSOR DEBORA SOUZA DISCIPLINA CIÊNCIAS SIMULADO: P3 Estrada da Água Branca, 2551 Realengo RJ Tel: (21) 3462-7520 www.colegiomr.com.br ALUNO TURMA 701 Questão 1

Leia mais

Platelmintos e Nematelmintos

Platelmintos e Nematelmintos Platelmintos e Nematelmintos Verminoses Características PLATELMINTOS:VERMES ACHATADOS Platelmintos: PLATELMINTOS:ESQUISTOSSOMOSE LARVA CERCÁRIA CARAMUJO Biomphalaria FEZES COM OVOS LARVA MIRACÍDIO PLATELMINTOS:ESQUISTOSSOMOSE

Leia mais

6) Assinale a alternativa que mostra o filo, cujos representantes são os animais menos complexos.

6) Assinale a alternativa que mostra o filo, cujos representantes são os animais menos complexos. ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA TRABALHO ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO RESOLUÇÃO SEE Nº 2.197, DE 26 DE OUTUBRO DE 2012 Aluno: Ano Atual Data : Matéria: Turno: Valor :70pontos Nota:

Leia mais

Exercícios com Gabarito de Biologia I 2º ano Professor Leandro

Exercícios com Gabarito de Biologia I 2º ano Professor Leandro 1. O 'Ancylostoma' é um parasita intestinal que provoca o "amarelão", doença que se pode adquirir: a) por picada de um hemíptero (barbeiro). b) comendo carne de porco mal cozida. c) comendo carne bovina

Leia mais

Aula 4. Atividades. Mapeado o genoma do Schistosoma mansoni, parasito causador da esquistossomose

Aula 4. Atividades. Mapeado o genoma do Schistosoma mansoni, parasito causador da esquistossomose Aula 4 1. Leia a notícia a seguir. Atividades IV. o mapeamento genético do verme pode auxiliar no controle dos problemas ambientais, como a falta de saneamento básico. V. resolverá definitivamente os problemas

Leia mais

CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI

CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI Origem grega helmin: verme platy: achatado Variam de milímetros a metros de comprimento Surgiram na Terra há cerca de 600 milhões de anos.

Leia mais

BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos)

BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos) BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos) I. PLATELMINTOS São também conhecidos como vermes achatados. Dentre eles, os mais representativos são as planárias, tênias e o esquistossomo.

Leia mais

BIOLOGIA. Prof. Victor Rosalém

BIOLOGIA. Prof. Victor Rosalém BIOLOGIA Prof. Victor Rosalém 1. Pesquisadores de Pernambuco notificaram um surto de esquistossomose aguda na praia de Porto de Galinhas (PE) em 2000, quando 662 pessoas tiveram diagnóstico positivo. A

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS

REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS REVISÃO PROTOZOÁRIOS, FUNGOS, PORÍFEROS E PLATELMINTOS REINO PROTOCTISTA Reino Protoctista - Protozoários Eucariontes, unicelulares (alguns coloniais) Vida livre e parasitária Relações Ecológicas: mutualismo

Leia mais

Características Gerais Classe Turbellaria Classe Trematoda Classe Cestoda. Platelmintos. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail.

Características Gerais Classe Turbellaria Classe Trematoda Classe Cestoda. Platelmintos. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail. Platelmintos Prof. Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com 2014 1 / 33 Sumário Características Gerais 1 Características Gerais 2 Características garais Sistema Digestório 3 Risco à saúde: esquistossomose

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais São vermes achatados; Ausência de sistema respiratório/circulatório Outros sistemas muito simples; Apresentam simetria bilateral; São parasitas; Características Gerais Platelminto

Leia mais

c) I e IV d) II e IV c) II e III. d) II e IV.

c) I e IV d) II e IV c) II e III. d) II e IV. COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Lista de Biologia (poríferos, cnidários, platelmintos e nematelmintos) Nanni. 01) (PUCMG modificado)

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS Nome: Nº 7º Ano Data: / / 2015 Professor(a): Nota: (Valor 1,0) 3º Bimestre A - Introdução Neste bimestre começamos a estudar o reino animal com toda sua fantástica diversidade.

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS. Reino Animalia CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS Reino Animalia Organização do corpo e principais filos São pluricelulares, eucariontes e heterótrofos Apresentam grande diversidade (1 milhão de espécies distribuídas

Leia mais

Nematódeos parasitas do ser humano. Prof.: Chico Pires

Nematódeos parasitas do ser humano. Prof.: Chico Pires Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires Ascaris lumbricoides Ascaris lumbricoides (lombriga) Doença: Ascaridíase Modo de transmissão: Ingestão de alimentos e de água contaminados por ovos

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 56 REINO ANIMAL

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 56 REINO ANIMAL BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 56 REINO ANIMAL ocelos (olhos) superfície dorsal faringe boca superfície ventral cabeça ou escólex colo no homem tronco ou estróbilo autofecundação tênia adulta cisticerco no

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013 01 - (MACK SP) As verminoses representam um grande problema de saúde, principalmente nos países subdesenvolvidos. A falta de redes de água e

Leia mais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais 1- Ascaridíase gênero Ascaris 2- Ancilostomíase gênero Ancylostoma 3- Oxiuríase gênero Enterobius 4- Filaríase gênero Wuchereria Ascaris O gênero Ascaris

Leia mais

Qual (is ) das imagens abaixo também representa/m uma esponja?

Qual (is ) das imagens abaixo também representa/m uma esponja? INVERTEBRADOS: Poríferos Qual (is ) das imagens abaixo também representa/m uma esponja? Os poríferos constituem o filo composto pelos animais de estrutura corporal mais simples. São conhecidos como esponjas.

Leia mais

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA - BIOLOGIA PROFESSOR (A): Renato Azevedo TURMA: 1ª série EM

ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA - BIOLOGIA PROFESSOR (A): Renato Azevedo TURMA: 1ª série EM ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PARALELA - BIOLOGIA PROFESSOR (A): Renato Azevedo TURMA: 1ª série EM REVISÃO 1) Os moluscos bivalvos (ostras e mexilhões) são organismos economicamente importantes como fonte

Leia mais

PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro. Endoparasitas dentro do

PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro. Endoparasitas dentro do BA. 07 -Parasitismo: aspectos gerais e protozooses Apostila 1 Página 39 Generalidades PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro.

Leia mais

Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO

Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS Belém /PA BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO 1. Dentre os grupos de doenças citados abaixo diga a quais filos

Leia mais

Fisiologia: Digestão, respiração, circulação, excreção, coordenação e reprodução

Fisiologia: Digestão, respiração, circulação, excreção, coordenação e reprodução Fisiologia: Digestão, respiração, circulação, excreção, coordenação e reprodução 1. No nosso organismo existem dois tipos de enzimas do tipo amilase, a amilase pancreática e a amilase salivar, com velocidades

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO Taenia sp Profª Cyntia Cajado Taxonomia Filo: Platyhelminthes Classe: Cestoda Família: Taenidae Hermafroditas Corpo achatado dorsoventralmente Gênero:

Leia mais

Flávio Oliveira Higino Email: fohigino@gmail.com

Flávio Oliveira Higino Email: fohigino@gmail.com Flávio Oliveira Higino Email: fohigino@gmail.com O filo é dividido em três classes: Turbelários: Planária (VIDA LIVRE) Trematódeos: Schistosoma sp (PARASITAS) Cestódeos: Taenia sp (PARASITAS) Corpo achatado

Leia mais

Vermes. 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos. Professor Fernando Stuchi

Vermes. 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos. Professor Fernando Stuchi Vermes 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos Professor Fernando Stuchi Filo Platelminto Representantes (Classes) Vermes de corpo achatado: 1. 2. 3. Classe Cestoda Tênias; Classe Turbellaria

Leia mais

1. Os óvulos de aves e répteis, por possuírem grande quantidade vitelo no pólo vegetativo, denominam-se:

1. Os óvulos de aves e répteis, por possuírem grande quantidade vitelo no pólo vegetativo, denominam-se: 1. Os óvulos de aves e répteis, por possuírem grande quantidade vitelo no pólo vegetativo, denominam-se: a) oligolécitos b) heterolécitos c) mediolécitos d) telolécitos e) centrolécitos 2. O esquema abaixo

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre MÓDULO 2 PORIFERA E CNIDARIA 1 - Em relação ao plano corporal dos animais, observamos que algumas espécies são assimétricas, enquanto outras apresentam

Leia mais

GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp)

GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp) GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp) São todos: bilatérias Protostômios trato digestivo completo pseudocelomados* Maioria

Leia mais

DEFINIÇÕES AGENTE ETIOLÓGICO: HÁBITAT: INFECÇÃO: INFESTAÇÃO:

DEFINIÇÕES AGENTE ETIOLÓGICO: HÁBITAT: INFECÇÃO: INFESTAÇÃO: AGENTE ETIOLÓGICO: o responsável por causar uma certa doença (agente infeccioso). HÁBITAT: local em que o parasita vive e pode ser encontrado. INFECÇÃO: instalação e reprodução de um parasita dentro de

Leia mais

BIOLOGIA III Volume 1 RESOLUÇÕES DE EXERCÍCIOS CAPÍTULO 1

BIOLOGIA III Volume 1 RESOLUÇÕES DE EXERCÍCIOS CAPÍTULO 1 CAPÍTULO 1 BIOLOGIA III Volume 1 RESOLUÇÕES DE EXERCÍCIOS TAREFA DE CASA (BLOCO 01) 01. C A reprodução pode ocorrer entre tipos ou subespécies diferentes (raças), mas os indivíduos devem ser da mesma espécie

Leia mais

Unidade 3 Os animais invertebrados

Unidade 3 Os animais invertebrados Sugestões de atividades Unidade 3 Os animais invertebrados 7 CIÊNCIAS 1 Cnidários 1. Os cnidários podem ocorrer na natureza sob a forma de pólipos e medusas. Esses animais apresentam um tipo de célula

Leia mais

2ªsérie B I O L O G I A QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 QUESTÃO 4 QUESTÃO 3. 4º período

2ªsérie B I O L O G I A QUESTÃO 1 QUESTÃO 2 QUESTÃO 4 QUESTÃO 3. 4º período ªsérie B I O L O G I A 4º período QUESTÃO A ilustração a seguir mostra vários personagens do popular desenho "Bob Esponja", muitos pertencentes ao reino Animal. Com o auxílio da ilustração, responda aos

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS. alternativa E. alternativa B. A, B e C pertenceriam, respectivamente, a organismos

Questão 1. Questão 3. Questão 2 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS. alternativa E. alternativa B. A, B e C pertenceriam, respectivamente, a organismos 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS Questão 1 O exame de um epitélio e do tecido nervoso de um mesmo animal revelou que suas células apresentam diferentes características. Isso ocorre porque a) as moléculas de

Leia mais

PARASITISMO E SAÚDE HUMANA

PARASITISMO E SAÚDE HUMANA PARASITISMO E SAÚDE HUMANA Antes de começar O que é um parasita? O que é um hospedeiro? Qual a diferença entre um ciclo monoxeno e um heteroxeno? Qual a diferença entre endemia, epidemia e pandemia? Endemia

Leia mais

NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO

NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO VERMINOSES TENÍASE AGENTES ETIOLÓGICOS GICOS: Taenia solium saginata,, platelmintos da classe Cestoda. e Taenia CONTÁGIO GIO: Direto,, através s do consumo

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Identificar algumas

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: Farmácia Disciplina: Parasitologia Básica Integral Professor(es):Ligia Beatriz Lopes Persoli Carga horária: Ementa: DRT: 1086619 Código

Leia mais

Zoologia. Escala zoológica. Celenterados

Zoologia. Escala zoológica. Celenterados Zoologia Escala zoológica Cnidários Habitat modo de vida Todos de vida livre, fixos ou moveis Podem ser individuais ou coloniais Embriologia Tipos morfológicos Pólipo boca cavidade gástrica cavidade gástrica

Leia mais

TEMA: VERMINOSES HUMANAS

TEMA: VERMINOSES HUMANAS TEMA: VERMINOSES HUMANAS COLEGIO ESTADUAL MARIO AUGUSTO TEIXIRA DE FREITAS NOME: DEISIANE FELZEMBOURGH N 10 2 ANO TURMA: F VESPERTINO PROFESSORA: CAROLINA INTRODUÇÃO Verminoses é um grupo de doenças causadas

Leia mais

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula IV Protozoários Zoopatogênicos Professora: Luciana Alves de Sousa Doenças causadas por Protozoários Doença de Chagas Leishmaniose Malária Giardíase Amebíase Toxoplasmose Doença

Leia mais

25/03/2013. Características gerais dos animais REINO ANIMALIA. Principais filos. Desenvolvimento embrionário

25/03/2013. Características gerais dos animais REINO ANIMALIA. Principais filos. Desenvolvimento embrionário Características gerais dos animais Eucariontes; Pluricelulares; Heterótrofos; Simetria bilateral, radial ou assimétricos; REINO ANIMALIA CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS ANIMAIS Principais filos Porífera: esponjas;

Leia mais

Exercícios de Ciências

Exercícios de Ciências nome: n o : 7 o urma Ivana Fundamental a no: t : e nsino: data: p rofessor(a): b imestre: nota: Exercícios de Ciências 1) (1,0) Começamos nosso estudo do reino animal pelo grupo dos Poríferos, os invertebrados

Leia mais

Filo PLATYHELMINTHES. (Platelmintos) Do grego: Platy achatado Helminthes - vermes

Filo PLATYHELMINTHES. (Platelmintos) Do grego: Platy achatado Helminthes - vermes Filo PLATYHELMINTHES (Platelmintos) Do grego: Platy achatado Helminthes - vermes Platelmintos Acelomados bilatérias, triblásticos Radiados, diblásticos CARACTERÍSTICAS corpo achatado dorsi-ventralmente

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS REINO ANIMAL - INVERTEBRADOS

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS REINO ANIMAL - INVERTEBRADOS UFRGS REINO ANIMAL - INVERTEBRADOS 1. (Ufrgs 2015) Com base nas características dos moluscos, assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo. ( ) Os moluscos apresentam simetria radial.

Leia mais

Identidade dos Seres Vivos (Animais)

Identidade dos Seres Vivos (Animais) Capítulo Identidade dos Seres Vivos (Animais) 01 Evolução e Padrões Anatômicos e Fisiológicos dos Animais Invertebrados e Saúde 01 01 (PUC RS) Quanto às características anatômicas dos espongiários, é correto

Leia mais

D) Presença de tubo digestivo completo em anelídeos, e incompleto em cnidários.

D) Presença de tubo digestivo completo em anelídeos, e incompleto em cnidários. QUESTÓES DE ESPECÍFICA BIOLOGIA PROFª: THAÍS ALVES/ DATA: 15/07/14 01. Critérios anatômicos, fisiológicos e embrionários servem também de base para estabelecer o grau de parentesco entre os seres e, consequentemente,

Leia mais

BIOLOGIA MÓDULO II do PISM (triênio 2004-2006)

BIOLOGIA MÓDULO II do PISM (triênio 2004-2006) BIOLOGIA MÓDULO II do PISM (triênio 2004-2006) QUESTÕES OBJETIVAS 01. A evolução das fases esporofítica (E) e gametofítica (G) em diferentes grupos de plantas está representada na figura ao lado. Assinale

Leia mais

Biologia. AIDS, dengue e gripe

Biologia. AIDS, dengue e gripe 01 - (PUC SP) Os recifes de corais são formados por colônias de animais providos de um esqueleto que protege um grande número de pólipos. Os animais presentes nos corais pertencem ao mesmo filo que a)

Leia mais

O reino animal. Poríferos. Como é o corpo das esponjas? Onde elas vivem? Como se alimentam? Esponja barril (Xestospongia muta).

O reino animal. Poríferos. Como é o corpo das esponjas? Onde elas vivem? Como se alimentam? Esponja barril (Xestospongia muta). JEFFREY L. / ROTMAN / CORBIS / LATINSTOCK Poríferos Como é o corpo das esponjas? Onde elas vivem? Como se alimentam? Esponja barril (Xestospongia muta). 2 FABIO COLOMBINI / ACERVO DO FOTÓGRAFO Esponjas

Leia mais

Gabarito: GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO. Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D]

Gabarito: GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO. Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D] GABARITO- 2ª CHAMADA- 1º ANO QUIMICA- EDUARDO Gabarito: Resposta da questão 1: [B] Resposta da questão 2: [D] Resposta da questão 3: [D] Resposta da questão 4: [A] Resposta da questão 5: [B] Resposta da

Leia mais

BIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PROF ESTEVAM DIGESTÃO

BIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PROF ESTEVAM DIGESTÃO BIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PROF ESTEVAM CONTEÚDO: Digestão e Circulação DIGESTÃO O processo de digestão é um dos primordiais dos seres vivos por ser por meio dele que se adquire a matéria necessária

Leia mais

39 Por que ferver a água antes de beber?

39 Por que ferver a água antes de beber? A U A UL LA Por que ferver a água antes de beber? Todo ano seu Antônio viaja para o litoral com a família e enfrenta sempre os mesmos problemas: congestionamento na estrada, praias lotadas e sujas que,

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 3 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS 1 Ao abrir o envelope com o resultado de seu exame parasitológico de fezes, Jequinha leu Positivo para ovos de Ascaris

Leia mais

PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO

PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO PROFESSORES DO POSITIVO COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova da segunda fase da UFPR foi muito bem distribuída em termos de conteúdo. As questões, de forma geral, foram bem elaboradas e se caracterizaram

Leia mais

ARTRÓPODES PROF. MARCELO MIRANDA

ARTRÓPODES PROF. MARCELO MIRANDA ARTRÓPODES Filo Arthropoda (Artrópodes) Do grego, arthros = articulado e podos = pés; É o filo mais abundante em quantidade de espécies descritas (~1 milhão); Vivem em praticamente todos os tipos de ambientes;

Leia mais

Introdução. 1. Características Gerais

Introdução. 1. Características Gerais Introdução Os platelmintos são os primeiros animais da escala zoológica a apresentarem simetria bilateral com um formato corporal tal que só podem ser divididos imaginariamente em duas metades iguais.

Leia mais

Nome: Nº Ano: 2º Turma: Disciplina: Biologia Professor: Wanessa Data: / / Lista de exercícios exame final 2ºano

Nome: Nº Ano: 2º Turma: Disciplina: Biologia Professor: Wanessa Data: / / Lista de exercícios exame final 2ºano Nome: Nº Ano: 2º Turma: Disciplina: Biologia Professor: Wanessa Data: / / Lista de exercícios exame final 2ºano Questão 01) O ser humano tem travado batalhas constantes contra os vírus. A mais recente

Leia mais

Sumário 1. A PREVENÇÃO CONTRA AS DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES PODE SER FÁCIL... 2

Sumário 1. A PREVENÇÃO CONTRA AS DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES PODE SER FÁCIL... 2 Sumário 1. A PREVENÇÃO CONTRA AS DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES PODE SER FÁCIL.... 2 2. LOMBRIGA... 4 2.1. O QUE A LOMBRIGA CAUSA AO HOMEM?... 4 2.2. COMO É TRANSMITIDA A LOMBRIGA?... 5 2.3. COMO EVITAR A

Leia mais

Os Platelmintos. Caracteristicas exclusivas

Os Platelmintos. Caracteristicas exclusivas Os Platelmintos Caracteristicas exclusivas 1) Apresentam o corpo achatado. 2) Apresentam uma cabeça com um par de ocelos, que são órgãos sensíveis a luz. A função do ocelo é detectar quando o ambiente

Leia mais

Resoluções de Exercícios

Resoluções de Exercícios Resoluções de Exercícios BIOLOGIA IV 01 Embriologia Humana A espermatogônia é uma célula diploide (2n) e o espermatócito II é uma célula haploide (n), portanto, a espermatogônia terá o dobro do número

Leia mais

CANDIDATO: CURSO PRETENDIDO:

CANDIDATO: CURSO PRETENDIDO: UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ GABARITO DE BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA INTERNA, EXTERNA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 01/12/2013 CANDIDATO: CURSO PRETENDIDO: OBSERVAÇÕES: 01 Prova SEM

Leia mais

e) Doença do Sono ou Tripanossomíase Africana:

e) Doença do Sono ou Tripanossomíase Africana: a) Disenteria ou Amebíase: Doenças causadas por Protozoários Parasita Entamoeba histolytica Sintomas Dores abdominais, diarréia, náuseas, etc. Transmissão Água e alimentos contaminados b) Tricomoníase:

Leia mais

Biologia. Sistema circulatório

Biologia. Sistema circulatório Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 10R Ensino Médio Equipe de Biologia Data: Biologia Sistema circulatório O coração e os vasos sanguíneos e o sangue formam o sistema cardiovascular ou circulatório.

Leia mais

Lista de exercícios 3º ano poríferos

Lista de exercícios 3º ano poríferos 1. (Pucmg) Possuem sistema nervoso, EXCETO: a) Agnatos. b) Cnidários. c) Anelídeos. d) Poríferos. e) Moluscos. 2. (Pucmg) Uma esponja-viva é um animal multicelular com pequena diferenciação celular. Suas

Leia mais

REINO ANIMAL OU METAZOA:

REINO ANIMAL OU METAZOA: REINO ANIMAL OU METAZOA: Diblásticos: são animais que apresentam dois folhetos embrionários: a ectoderme, (externo) e a endoderme, (interno). Triblásticos: são animais que apresentam três folhetos embrionários:

Leia mais

PROFa. DEBORAH ELYANA IOST FORNI QUESTÕES PARA REVISÃO DE BIOLOGIA 8º.ANO III BIMESTRE 2013

PROFa. DEBORAH ELYANA IOST FORNI QUESTÕES PARA REVISÃO DE BIOLOGIA 8º.ANO III BIMESTRE 2013 PROFa. DEBORAH ELYANA IOST FORNI QUESTÕES PARA REVISÃO DE BIOLOGIA 8º.ANO III BIMESTRE 2013 1. (Fgv 2012) O epitélio respiratório humano é composto por células ciliadas e pelas células caliciformes produtoras

Leia mais

Entende-se que a diversidade de seres vivos é resultante de processos evolutivos e que esses processos ocorrem por anagênese e por cladogênese.

Entende-se que a diversidade de seres vivos é resultante de processos evolutivos e que esses processos ocorrem por anagênese e por cladogênese. Sistemática Filogenética ou Cladística Entende-se que a diversidade de seres vivos é resultante de processos evolutivos e que esses processos ocorrem por anagênese e por cladogênese. As relações evolutivas

Leia mais

Lista 2º ano/1ºtrim Biologia/prof. Karina CFNP

Lista 2º ano/1ºtrim Biologia/prof. Karina CFNP 1. (Ufg 2014) Analise a figura a seguir que representa a gástrula, uma estrutura embrionária. 02) Animais em que o blastóporo dá origem a boca e posteriormente surge o ânus são denominados deuterostômios.

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - PORÍFEROS E CNIDÁRIOS Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - PORÍFEROS E CNIDÁRIOS Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Reino Animal - PORÍFEROS E CNIDÁRIOS Prof. Enrico Blota Biologia Reino animal Poríferos e cnidários Poríferos A linhagem que originou as esponjas atuais se separou da linhagem

Leia mais

Amebíase ou Disenteria Amebiana

Amebíase ou Disenteria Amebiana Amebíase ou Disenteria Amebiana Agente causador: Entamoeba histolytica, que vive no interior do intestino grosso, fagocitando partículas de alimento digerido e também atacando a própria mucosa intestinal.

Leia mais

Filo Porífera. Esponjas

Filo Porífera. Esponjas Filo Porífera Esponjas Filo Porifera Osculo Átrio Pinacócitos Amebócito poros Porocito Espícula Flagelo Esponja Mesogléia Coanócito Gonócito Pinacócito Espícula Átrio Póro Porócito Arqueócito Meio Externo

Leia mais

BIOLOGIA SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO

BIOLOGIA SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO BIOLOGIA Prof. Helder SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO 1. Anatomia do Sistema Respiratório O oxigênio do ar deve chegar aos alvéolos e passar para o sangue, fazendo o gás carbônico o caminho inverso. O caminho

Leia mais

01. Quando comparamos o caramujo e o caranguejo representados nas tiras abaixo, podemos afirmar corretamente que:

01. Quando comparamos o caramujo e o caranguejo representados nas tiras abaixo, podemos afirmar corretamente que: Aula n ọ 02 01. Quando comparamos o caramujo e o caranguejo representados nas tiras abaixo, podemos afirmar corretamente que: a) utilizam-se do ar atmosférico para respirar através de pulmão. b) o caramujo

Leia mais

Zoologia e Botânica. Biologia Monitores: Julio Junior e Thamirys Moraes 16, 17, 18 e 20/12/2015. Material de Apoio para Monitoria

Zoologia e Botânica. Biologia Monitores: Julio Junior e Thamirys Moraes 16, 17, 18 e 20/12/2015. Material de Apoio para Monitoria Zoologia e Botânica 1. A doença de Chagas atinge milhões de brasileiros, que podem apresentar, como sintoma, problemas no miocárdio, que levam à insuficiência cardíaca. Por que, na doença de Chagas, ocorre

Leia mais

Características Gerais dos Animais

Características Gerais dos Animais Características Gerais dos Animais 0 Reino Animalia ou Metazoa é formado por organismos pluricelulares; heterótrofos e eucariontes. No entanto, entre eles alguns não formam órgãos e portanto não apresentam

Leia mais

Alguns componentes da membrana plasmática estão representados na figura abaixo.

Alguns componentes da membrana plasmática estão representados na figura abaixo. Prova de Biologia 1 a Questão: (1,0 ponto) Alguns componentes da membrana plasmática estão representados na figura abaixo. Identifique a estrutura que está indicada pela seta e cite três atividades celulares

Leia mais

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor.

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Sistemas: Digestório Incompleto Respiratório Difusão Nervoso Ganglionar Circulatório

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS BIOLOGIA PROTISTAS PROFº. LINSMAR

LISTA DE EXERCÍCIOS BIOLOGIA PROTISTAS PROFº. LINSMAR LISTA DE EXERCÍCIOS BIOLOGIA PROTISTAS PROFº. LINSMAR 1- Considere as seguintes afirmações a respeito de medidas profiláticas às doenças parasitárias: I. As verduras que são ingeridas cruas, em saladas,

Leia mais

a) Indique a que filo cada um dos animais pertence: A: B:

a) Indique a que filo cada um dos animais pertence: A: B: valiação 1. baixo, temos a imagem de dois animais marinhos. mbos são muito simples estruturalmente. Observe ambos e responda aos questionamentos. Imagin/rchivo SM/ID/ES Imagin/rchivo SM/ID/ES a) Indique

Leia mais

Introdução vermes cilíndricos galhas Alguns nematelmintos comuns. asquelmintos Galhas no caule produzidas por nematódeos em plantas.

Introdução vermes cilíndricos galhas Alguns nematelmintos comuns. asquelmintos Galhas no caule produzidas por nematódeos em plantas. Introdução O filo Nemathelminthes (do grego, nematos = fio;helminthes = verme) é formado por uma grande variedade de animais de corpo alongado e cilíndrico e, por isso, conhecidos como vermes cilíndricos.

Leia mais

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos:

Aula 4 Os animais. Os seres vivos são classificados nos Reinos: Aula 4 Os animais Os seres vivos apresentam uma diversidade muito grande; a cada ano, novas espécies vêm sendo descritas. Fica compreensível a necessidade de um sistema de classificação para a organização

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE CIÊNCIAS Nome: Nº 7º Ano Data: / / 2015 Professor(a): Nota: (Valor 1,0/2,0) 3º e 4º Bimestres A - Introdução Neste semestre, fizemos um estudo sobre os invertebrados e sua ampla

Leia mais

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C.

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C. ESQUISTOSSOMOSE CID 10: B 65 a B 65.9 DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C. Marcon CARACTERÍSTICAS GERAIS DESCRIÇÃO

Leia mais