DEFINIÇÕES AGENTE ETIOLÓGICO: HÁBITAT: INFECÇÃO: INFESTAÇÃO:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEFINIÇÕES AGENTE ETIOLÓGICO: HÁBITAT: INFECÇÃO: INFESTAÇÃO:"

Transcrição

1

2 AGENTE ETIOLÓGICO: o responsável por causar uma certa doença (agente infeccioso). HÁBITAT: local em que o parasita vive e pode ser encontrado. INFECÇÃO: instalação e reprodução de um parasita dentro de um hospedeiro. INFESTAÇÃO: alojamento, desenvolvimento e reprodução de um parasita na superfície do corpo, nas vestes ou na moradia de um hospedeiro. TRANSMISSÃO: modo pelo qual o agente etiológico passa de um indivíduo para outro. CICLO: DEFINIÇÕES monoxeno: parasitas que precisam de um só hospedeiro para completar seu ciclo vital. heteroxeno: parasitas que só completam seu desenvolvimento passando sucessivamente, e sempre na mesma ordem, por dois ou mais hospedeiros. A di/trigenético: número de hospedeiros necessários para completar o ciclo vital do parasita. RESERVATÓRIO: aquele que abriga um parasita capaz de realizar infecção. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: aquele em que a larva de um parasita encontra condições para se desenvolver, atingindo a fase adulta e de reprodução sexuada. HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO: aquele que abriga um parasita que nele se desenvolve apenas até a fase de larva (reprodução assexuada). VETOR: organismo que transporta um parasita entre hospedeiros. SINTOMAS: manifestações de uma alteração orgânica relatada ou declarada pelo paciente à uma inquirição médica. PROFILAXIAS: conjunto de medidas que visam a prevenção, controle e/ou erradicação das doenças parasitárias.

3

4 Canal ginecóforo

5 DOENÇA: esquistossomose, bilharziose ou barriga-d água. AGENTE: Schistosoma mansoni [classe Trematoda]. HABITAT (adulto): sistemas porta-hepático e mesentérico intestinal. TRANSMISSÃO: ativa, através da penetração das larvas cercárias pela pele ou mucosas. CICLO: heteroxênico digênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: humanos. HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO: moluscos gastrópodos, planorbídeos, do gênero Biomphalaria (B. glabrata, B. straminea, B. tenagophila). SINTOMAS: febre, emagrecimento, diarréia mucosanguinolenta, hepatoesplenomegalia, hipertensão portal, ascite e dermatite cercariana. PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, saneamento básico, combate ao caramujo e aos reservatórios naturais e evitar atividades em águas contaminadas confinadas.

6

7

8 eliminada com programa de controle sem programa de controle

9

10 escólex proglótide jovem Escólex Proglotes Taenia saginata Taenia solium Globoso Quadrangular Com rostro Sem rostro Com dupla fileira de Sem acúleos acúleos Ramificações uterinas Ramificações uterinas muito numerosas, de pouco numerosas, de tipo tipo dicotômico dendritico Saem ativamente no Saem passivamente com intervalo das defecações as fezes proglótide madura estróbilos Larva cisticerco Cysticercus bovis Cysticercus cellulosae Não apresenta acúleos Apresenta acúleos Capacidade de levar à cisticercose Não foi comprovada Possível Ovos Indistinguíveis Indistinguíveis proglótide grávida poro genital

11

12 DOENÇA: teníase ou solitária. AGENTE: Taenia solium (tênia do porco) e Taenia saginata (tênia do boi) [classe Cestoda]. HABITAT (adulto): intestino delgado. TRANSMISSÃO: passiva, através da ingestão de carne mal cozida do hospedeiro intermediário contaminada com as larvas encistadas (cisticercos). CICLO: heteroxênico digênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: humanos. HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO: porco ou boi. SINTOMAS: anorexia, indisposição abdominal, diarréia, vômitos, manifestações nervosas e alérgicas. PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, saneamento básico, evitar ingestão de carne mal passada, salgamento (afeta a osmorregulação dos cisticercos) e inspeção adequada da carne.

13 y x ingestão dos cisticercos através da carne crua ou mal cozida HOSPEDEIRO DEFINITIVO encistamento das oncosferas em larvas cisticercos na musculatura estriada w ovos liberam embriões (oncosferas) no duodeno que atingem a circulação sanguínea HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO z liberação dos escólex dos cisticercos que fixam-se e desenvolvem-se nas paredes do duodeno (2 meses) { estrobilização formando proglótides grávidas v bovinos e suínos ingerem alimentos contaminados com ovos e/ou proglótides grávidas u ovos e proglótides grávidas nas fezes (dias ou meses)

14

15

16 DOENÇA: cisticercose, canjiquinha, pipoquinha ou ladradia. AGENTE: Cysticercus cellulosae (larva da T. solium) ou Cysticercus bovis (larva da T. saginata) [classe Cestoda]. HABITAT (larva): musculatura, gengivas, olhos e cérebro. TRANSMISSÃO: passiva, através da ingestão de ovos de Taenia solium em água ou alimento contaminados (auto-infestação externa) ou através da liberação de ovos no intestino do indivíduo com teníase (auto-infestação interna). CICLO: monoxênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: não ocorre. HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO: humanos. SINTOMAS: variam conforme o local de instalação da larva, podendo provocar cefaléia, convulsão, hipertensão e perda de visão. PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, saneamento básico, evitar ingestão de carne mal passada, salgamento da carne de porco (afeta a osmorregulação dos cisticercos), inspeção adequada da carne, lavar adequadamente os alimentos crus e filtrar/ferver a água a ser tomada.

17 humanos ingerem alimentos contaminados com ovos e/ou proglótides grávidas ou provocam auto-infestação ovos liberam embriões (oncosferas) no duodeno que atingem a circulação sanguínea encistamento das oncosferas em larvas cisticercos na musculatura estriada, fígado, gengivas, olhos e cérebro humanos ingerem cisticercos através da carne crua ou mal cozida ovos liberam embriões (oncosferas) no duodeno que se encistam em larvas cisticercos na musculatura estriada suínos ingerem alimentos contaminados com ovos e/ ou proglótides grávidas liberação dos escólex dos cisticercos que fixam-se e desenvolvem-se na paredes do duodeno (2 meses) ovos e proglótides grávidas nas fezes estrobilização do adulto, formando proglótides grávidas

18

19

20 neurocisticercose

21

22 DOENÇA: ascaridíase, bicha ou lombriga. AGENTE: Ascaris lumbricoides. HABITAT (adulto): intestino delgado. TRANSMISSÃO: passiva, através da ingestão de água/alimentos contaminados com ovos, sexo oral-anal ou por auto-infestação. CICLO: monoxênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: humanos. SINTOMAS: Fase intestinal: náuseas, perda de peso, fraqueza, anemia carencial, cólica e obstrução intestinal. Fase pulmonar: febre, tosse, dispnéia (falta de ar), hemoptise (expectoração sanguínea), bronquite e pneumonia eosinofílica. PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, saneamento básico, educação sanitária, higiene pessoal e com os alimentos e água, assim como o combate a insetos que podem carregar os ovos (moscas e baratas).

23

24

25

26

27

28 DOENÇA: ancilostomíase, necatoríase, opilação, mal da terra ou amarelão. AGENTE: Ancylostoma duodenale ou Necator americanus. HABITAT (adulto): intestino delgado. TRANSMISSÃO: ativa, através da penetração pela pele de larvas livres no solo, ou passiva, através da ingestão dessas larvas. CICLO: monoxênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: humanos. SINTOMAS: Fase intestinal: náuseas, perda de peso, fraqueza, anemia espoliativa, cólica e obstrução intestinal. Fase pulmonar: febre, tosse, dispnéia (falta de ar), hemoptise (expectoração sanguínea), bronquite e pneumonia eosinofílica. PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, saneamento básico, educação sanitária, higiene pessoal e uso de calçados.

29

30

31

32 DOENÇA: dermatite serpiginosa, dermatite pruriginosa ou bicho-geográfico. AGENTE: Ancylostoma braziliensis ou Ancylostoma caninum. HABITAT: forma adulta intestino delgado de cães e gatos; forma larval pele de humanos (acidentalmente). TRANSMISSÃO: ativa, através da penetração pela pele de larvas migrans presentes em solos contaminados por fezes de cães ou gatos. CICLO: monoxênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: cães e gatos. HOSPEDEIRO ACIDENTAL: humanos. SINTOMAS: forte irritação na pele, prurido, edemas e manchas como mapas. PROFILAXIAS: tratamento de cães e gatos, evitar o acesso destes animais à ambientes com solo úmido e uso de calçados.

33

34

35

36 DOENÇA: filaríase ou elefantíase. AGENTE: Wuchereria bancrofti. HABITAT (adulto): vasos linfáticos. TRANSMISSÃO: passiva, através da saliva contaminada com larvas de fêmeas de mosquitos. CICLO: heteroxênico digênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: humanos. HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO: mosquitos dos gêneros Aedes, Anopheles e, principalmente, os da espécie Culex fatigans. SINTOMAS: febre, náuseas, sensibilidade dolorosa e vermelhidão ao longo do vaso linfático, linfangite (inflamação dos vasos linfáticos), linfadenite (inflamação dos nódulos linfáticos), rompimento de vasos e edemas que provocam deformações (elefantíase) das áreas afetadas (pernas, braços, escroto, mamas). PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, combate ao vetor (uso de repelentes, telas em janelas e portas e eliminação de criadouros) e evitar desmatamentos.

37

38

39

40 DOENÇA: enterobíase ou oxiuríase (oxiúrus). AGENTE: Oxyurus vermicularis ou Enterobius vermicularis. HABITAT (adulto): intestino grosso. TRANSMISSÃO: passiva, através de formas diretas (pela ingestão de ovos em ciclos fecal-oral por hetero-infestação ou auto-infestação) ou de formas indiretas (água, alimentos, poeira, roupas ou insetos, como moscas e baratas, contaminados com ovos). CICLO: monoxênico. HOSPEDEIRO DEFINITIVO: humanos. SINTOMAS: náuseas, vômitos, irritabilidade, dores abdominais, diarréias, intenso prurido (coceira) anal e onãnismo. PROFILAXIAS: tratamento dos doentes, saneamento básico, educação sanitária, higiene pessoal, com roupas e suas habitações, assim como o tratamento de água e alimentos.

41

Nematódeos parasitas do ser humano. Prof.: Chico Pires

Nematódeos parasitas do ser humano. Prof.: Chico Pires Nematódeos parasitas do ser humano Prof.: Chico Pires Ascaris lumbricoides Ascaris lumbricoides (lombriga) Doença: Ascaridíase Modo de transmissão: Ingestão de alimentos e de água contaminados por ovos

Leia mais

25/03/2014. Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral;

25/03/2014. Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral; FILO PLATYHELMINTES FILO NEMATODA(NEMATELMINTOS) Vermes achatados dorsoventralmente; Vida livre e parasitas; Triblásticos; Acelomados; Protostômios; Simetria bilateral; Revestimento Vida livre : muco e

Leia mais

PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro. Endoparasitas dentro do

PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro. Endoparasitas dentro do BA. 07 -Parasitismo: aspectos gerais e protozooses Apostila 1 Página 39 Generalidades PARASITAse alimenta dos tecidos ou fluídos de outro, no caso, o HOSPEDEIRO. Ectoparasitas superfície externa do hospedeiro.

Leia mais

Parasitoses - Ve V rminoses Prof. Tiago

Parasitoses - Ve V rminoses Prof. Tiago Parasitoses - Verminoses Prof. Tiago INTRODUÇÃO PLATELMINTOS E NEMATÓDEOS: RESPONSÁVEIS POR ALGUMAS PARASITOSES CONHECIDAS COMO VERMINOSES. TENÍASE E ESQUISTOSSOMOSE SÃO CAUSADAS POR PLATELMINTOS; ASCARIDÍASE

Leia mais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais 1- Ascaridíase gênero Ascaris 2- Ancilostomíase gênero Ancylostoma 3- Oxiuríase gênero Enterobius 4- Filaríase gênero Wuchereria Ascaris O gênero Ascaris

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 3 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS 1 Ao abrir o envelope com o resultado de seu exame parasitológico de fezes, Jequinha leu Positivo para ovos de Ascaris

Leia mais

Características dos Nematoides

Características dos Nematoides Nematoides Características dos Nematoides Possuem o corpo cilíndrico e alongado, com pontas afiladas e musculatura desenvolvida. Apresentam tamanhos variados. Tubo digestório completo (boca e ânus). Podem

Leia mais

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria

Filo Platyhelminthes. Planos de Simetria Filo Platyhelminthes Características: Do grego, platy = plano + helmins = verme Animais de corpo alongado e achatado dorsoventralmente; Maioria aquática (marinhos e dulcícolas). Os terrestres vivem em

Leia mais

PARASITISMO E SAÚDE HUMANA

PARASITISMO E SAÚDE HUMANA PARASITISMO E SAÚDE HUMANA Antes de começar O que é um parasita? O que é um hospedeiro? Qual a diferença entre um ciclo monoxeno e um heteroxeno? Qual a diferença entre endemia, epidemia e pandemia? Endemia

Leia mais

BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos)

BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos) BIOLOGIA - AULA 09: VERMES I (platelmintos e nematelmintos) I. PLATELMINTOS São também conhecidos como vermes achatados. Dentre eles, os mais representativos são as planárias, tênias e o esquistossomo.

Leia mais

Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus.

Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus. SAÚDE AMBIENTAL DOENÇAS CAUSADAS PELA FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO HEPATITE A Doença causada por vírus. Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus. Falta de higiene,

Leia mais

NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO

NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO NOÇÕES DE PARASITOLOGIA (3) PROF. C. FREDERICO VERMINOSES TENÍASE AGENTES ETIOLÓGICOS GICOS: Taenia solium saginata,, platelmintos da classe Cestoda. e Taenia CONTÁGIO GIO: Direto,, através s do consumo

Leia mais

TEMA: VERMINOSES HUMANAS

TEMA: VERMINOSES HUMANAS TEMA: VERMINOSES HUMANAS COLEGIO ESTADUAL MARIO AUGUSTO TEIXIRA DE FREITAS NOME: DEISIANE FELZEMBOURGH N 10 2 ANO TURMA: F VESPERTINO PROFESSORA: CAROLINA INTRODUÇÃO Verminoses é um grupo de doenças causadas

Leia mais

REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA

REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA REINO ANIMAL OS INVERTEBRADOS PROFESSORA PRISCILA PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS VERMINOSES - DOENÇAS CAUSADAS POR VERMES: PLATELMINTOS: NEMATELMINTOS: TENÍASE (Taenia solium ou Taenia saginata) NEUROCISTICERCOSE

Leia mais

Os Invertebrados. Prof. Luis Bruno

Os Invertebrados. Prof. Luis Bruno Os Invertebrados Prof. Luis Bruno Os Poríferos Animais simples que habitam o planeta; Não apresentam órgãos; Sésseis; Maioria de ambiente marinho, mas existem poucas espécies de água doce; São animais

Leia mais

Características Gerais

Características Gerais Características Gerais São vermes achatados; Ausência de sistema respiratório/circulatório Outros sistemas muito simples; Apresentam simetria bilateral; São parasitas; Características Gerais Platelminto

Leia mais

CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI

CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI CAPÍTULO 14 SISTEMA POLIEDRO DE ENSINO PROFESSORA GISELLE CHERUTTI Origem grega helmin: verme platy: achatado Variam de milímetros a metros de comprimento Surgiram na Terra há cerca de 600 milhões de anos.

Leia mais

Aula 4. Atividades. Mapeado o genoma do Schistosoma mansoni, parasito causador da esquistossomose

Aula 4. Atividades. Mapeado o genoma do Schistosoma mansoni, parasito causador da esquistossomose Aula 4 1. Leia a notícia a seguir. Atividades IV. o mapeamento genético do verme pode auxiliar no controle dos problemas ambientais, como a falta de saneamento básico. V. resolverá definitivamente os problemas

Leia mais

Platelmintos e nematódeos

Platelmintos e nematódeos PARTE II Unidade D Capítulo 11 Platelmintos e Seções: 111 Filo Platyhelminthes (platelmintos ou vermes achatados) 112 Filo Nematoda ( ou vermes cilíndricos) Antes de estudar o capítulo Veja nesta tabela

Leia mais

Características Gerais Classe Turbellaria Classe Trematoda Classe Cestoda. Platelmintos. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail.

Características Gerais Classe Turbellaria Classe Trematoda Classe Cestoda. Platelmintos. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail. Platelmintos Prof. Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com 2014 1 / 33 Sumário Características Gerais 1 Características Gerais 2 Características garais Sistema Digestório 3 Risco à saúde: esquistossomose

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS VERMINOSES PROFª. MAGDA 22 E 23/05/2013 01 - (MACK SP) As verminoses representam um grande problema de saúde, principalmente nos países subdesenvolvidos. A falta de redes de água e

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO Taenia sp Profª Cyntia Cajado Taxonomia Filo: Platyhelminthes Classe: Cestoda Família: Taenidae Hermafroditas Corpo achatado dorsoventralmente Gênero:

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/

Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Nematoda Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Reino Animalia Filos: 1) Porifera; 2) Cnidaria; 3) Platyhelminthes; 4) Nematoda;

Leia mais

Vermes. 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos. Professor Fernando Stuchi

Vermes. 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos. Professor Fernando Stuchi Vermes 1. Filo Platelminto; 2. Filo Nematelminto 3. Filo Anelídeos Professor Fernando Stuchi Filo Platelminto Representantes (Classes) Vermes de corpo achatado: 1. 2. 3. Classe Cestoda Tênias; Classe Turbellaria

Leia mais

TENÍASE Homem: Boi ou porco: Contaminação: Sintomas: Tratamento: Profilaxia:

TENÍASE Homem: Boi ou porco: Contaminação: Sintomas: Tratamento: Profilaxia: TENÍASE Homem: hospedeiro definitivo. Boi ou porco: hospedeiro intermediário. Contaminação: ingestão de carne mal passada contaminada com cisticercos; autoinfecção. Sintomas: distúrbios intestinais, dores

Leia mais

Platelmintos e Nematelmintos

Platelmintos e Nematelmintos Simuladão 2º ano Platelmintos e Nematelmintos 01 - No início do século, o Jeca Tatu, personagem criado por Monteiro Lobato, representava o brasileiro de zona rural, descalço, mal vestido e espoliado por

Leia mais

e) Doença do Sono ou Tripanossomíase Africana:

e) Doença do Sono ou Tripanossomíase Africana: a) Disenteria ou Amebíase: Doenças causadas por Protozoários Parasita Entamoeba histolytica Sintomas Dores abdominais, diarréia, náuseas, etc. Transmissão Água e alimentos contaminados b) Tricomoníase:

Leia mais

Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO

Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: INVERTEBRADOS: PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS Belém /PA BATERIA DE EXERCÍCIOS 7º ANO 1. Dentre os grupos de doenças citados abaixo diga a quais filos

Leia mais

GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp)

GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp) GASTROTRICHA (~430sp) ROTIFERA (1800 sp) NEMATODA (~12000 sp) Kynorhyncha (75 sp) Loricifera (?) Priapulida (18 sp) São todos: bilatérias Protostômios trato digestivo completo pseudocelomados* Maioria

Leia mais

Os Platelmintos. Caracteristicas exclusivas

Os Platelmintos. Caracteristicas exclusivas Os Platelmintos Caracteristicas exclusivas 1) Apresentam o corpo achatado. 2) Apresentam uma cabeça com um par de ocelos, que são órgãos sensíveis a luz. A função do ocelo é detectar quando o ambiente

Leia mais

FILO PLATYHELMINTHES. nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo.

FILO PLATYHELMINTHES. nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo. FILO PLATYHELMINTHES nitrogenados e o excesso de água da cavidade corporal eliminando-os através de canais para o meio externo. Lesma do mar (platelminto turbelário) O filo Platyhelminthes (do grego platýs,

Leia mais

VERMINOSES HELMINTÍASES (causadas por Asquelmintes ou Nematelmintes ) 1. Ascaris lumbricoides (Ascaridíase, Lombriga, ou Bicha)

VERMINOSES HELMINTÍASES (causadas por Asquelmintes ou Nematelmintes ) 1. Ascaris lumbricoides (Ascaridíase, Lombriga, ou Bicha) Diotto Biologia VERMINOSES HELMINTÍASES (causadas por Asquelmintes ou Nematelmintes ) Eu ouço, e esqueço Eu vejo, e eu lembro Eu faço, e eu entendo. 1. Ascaris lumbricoides (Ascaridíase, Lombriga, ou Bicha)

Leia mais

Platelmintos e Nematelmintos

Platelmintos e Nematelmintos Platelmintos e Nematelmintos Verminoses Características PLATELMINTOS:VERMES ACHATADOS Platelmintos: PLATELMINTOS:ESQUISTOSSOMOSE LARVA CERCÁRIA CARAMUJO Biomphalaria FEZES COM OVOS LARVA MIRACÍDIO PLATELMINTOS:ESQUISTOSSOMOSE

Leia mais

Exercícios de Ciências

Exercícios de Ciências nome: n o : 7 o urma Ivana Fundamental a no: t : e nsino: data: p rofessor(a): b imestre: nota: Exercícios de Ciências 1) (1,0) Começamos nosso estudo do reino animal pelo grupo dos Poríferos, os invertebrados

Leia mais

Introdução vermes cilíndricos galhas Alguns nematelmintos comuns. asquelmintos Galhas no caule produzidas por nematódeos em plantas.

Introdução vermes cilíndricos galhas Alguns nematelmintos comuns. asquelmintos Galhas no caule produzidas por nematódeos em plantas. Introdução O filo Nemathelminthes (do grego, nematos = fio;helminthes = verme) é formado por uma grande variedade de animais de corpo alongado e cilíndrico e, por isso, conhecidos como vermes cilíndricos.

Leia mais

Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e

Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e Filo Porifera - Poríferos ou espongiários. - Corpo coberto por poros. - Não possuem organização tissular. - Diblásticos. - Aquáticos, sésseis e filtradores. - Digestão intracelular. - Sustentação: Espículas

Leia mais

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses Prof. João Carlos aula 3 botânica e parasitoses Briófitas : musgos Os musgos (verdes) produzem gametas, seus filhos produzem esporos Esporos gametas Pteridófitas: samambaias Ciclo das samambaias O gameta

Leia mais

Introdução à Parasitologia

Introdução à Parasitologia Parasitologia Médica CBS06625 Carlos Eugênio Silva Aulas teóricas e práticas* Verificações Nota, conceito e aprovação Referências bibliográficas Representação Discente Todas as informações relativas à

Leia mais

Filo PLATYHELMINTHES. (Platelmintos) Do grego: Platy achatado Helminthes - vermes

Filo PLATYHELMINTHES. (Platelmintos) Do grego: Platy achatado Helminthes - vermes Filo PLATYHELMINTHES (Platelmintos) Do grego: Platy achatado Helminthes - vermes Platelmintos Acelomados bilatérias, triblásticos Radiados, diblásticos CARACTERÍSTICAS corpo achatado dorsi-ventralmente

Leia mais

2ªsérie 2º período B I O L O G I A

2ªsérie 2º período B I O L O G I A 2.2 B I O L O G I A 2ªsérie 2º período QUESTÃO 1 O filo Platyhelminthes inclui tanto formas de vida livre como organismos endo e ectoparasitas. Considerando a biologia destes animais, marque a opção que

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [VERMINOSES]

www.drapriscilaalves.com.br [VERMINOSES] [VERMINOSES] 2 Os cães e gatos podem albergar uma grande variedade de vermes (helmintos) que causam danos como perda de peso, crescimento tardio, predisposição a outras doenças, menor absorção e digestão

Leia mais

Cestódeos intestinais: Taenia sp. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br

Cestódeos intestinais: Taenia sp. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Cestódeos intestinais: Taenia sp. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Taenia sp. Reino: Animalia Filo: Platyhelminthes Classe: Cestoda Família:Taeniidae Gênero:Taenia

Leia mais

PARTE II Zoonoses causadas por parasitas intestinais do cão e gato

PARTE II Zoonoses causadas por parasitas intestinais do cão e gato Clínica Veterinária de Mangualde Dr. Benigno Rodrigues Dra. Sandra Oliveira PARTE II Zoonoses causadas por parasitas intestinais do cão e gato GIARDIA O protozoário Giardia lamblia é responsável por uma

Leia mais

24/8/2009. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea

24/8/2009. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea. Larva migrans cutânea CICLO BIOLÓGICO Os cães e os gatos, que são os hospedeiros definitivos do parasita, podem infectar-se de formas diversas: Ingestão de ovos infectantes; Ingestão de larvas presentes em tecidos de hospedeiros

Leia mais

Ascaris lumbricoides. Fernanda Aparecida Gonçalves da Silva. Nutrição

Ascaris lumbricoides. Fernanda Aparecida Gonçalves da Silva. Nutrição Ascaris lumbricoides Fernanda Aparecida Gonçalves da Silva Nutrição Introdução O A.lumbricoides é encontrado em quase todos os países do globo, estimando-se que 30% da população mundial estejam por ele

Leia mais

Introdução. 1. Características Gerais

Introdução. 1. Características Gerais Introdução Os platelmintos são os primeiros animais da escala zoológica a apresentarem simetria bilateral com um formato corporal tal que só podem ser divididos imaginariamente em duas metades iguais.

Leia mais

BIOLOGIA. Prof. Victor Rosalém

BIOLOGIA. Prof. Victor Rosalém BIOLOGIA Prof. Victor Rosalém 1. Pesquisadores de Pernambuco notificaram um surto de esquistossomose aguda na praia de Porto de Galinhas (PE) em 2000, quando 662 pessoas tiveram diagnóstico positivo. A

Leia mais

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor.

Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Planária, esquistossomo, solitária etc. Corpo achatado dorsoventralmente Vida livre ou parasitas. Surge o sistema excretor. Sistemas: Digestório Incompleto Respiratório Difusão Nervoso Ganglionar Circulatório

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 3 PLATELMINTOS E NEMATELMINTOS 1 Ao abrir o envelope com o resultado de seu exame parasitológico de fezes, Jequinha leu Positivo para ovos de Ascaris

Leia mais

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN

2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS A B C CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN 2ª SÉRIE ENS. MÉDIO MONITORIA DE BIOLOGIA 1 (OBJ. 2º PERÍODO) EXERCÍCIOS 1. Um tipo de característica que pode ser levada em conta quando vamos trabalhar com Biologia Comparada são as características observadas

Leia mais

CARACTERÍSTICAS EMBRIONÁRIAS. Simetria bilateral Triblásticos Protostômios Acelomados Ametaméricos

CARACTERÍSTICAS EMBRIONÁRIAS. Simetria bilateral Triblásticos Protostômios Acelomados Ametaméricos FILO PLATELMINTOS Reúne animais com corpo alongado e achatado dorsoventralmente. Inclui animais de vida livre (planárias) encontrados no mar, em água doce e ambientes terrestres úmidos, além de formas

Leia mais

Aula 21 Protozoários parasitas

Aula 21 Protozoários parasitas Aula 21 Protozoários parasitas Os protozoários são seres unicelulares, eucariontes e podem ser parasitas ou de vida livre. As células dos protozoários executam todas as funções vitais que nos grupos animais

Leia mais

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR

SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR SISTEMA BOM JESUS DE ENSINO COORDENAÇÃO DE BIOLOGIA CEP CURITIBA PR NEMATODA Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados. Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos:

Leia mais

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc...

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Protozoários Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Estrutura: Realizam as funções vitais: Locomoção e respiração; Obtenção de alimentos; Digestão; Excreção; Reprodução.

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I

FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CIÊNCIAS DESAFIO DO DIA. Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula: 17.1 Conteúdo: Doenças relacionadas à água I 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Identificar algumas

Leia mais

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos

Aula IV Protozoários Zoopatogênicos ZOOLOGIA E PARASITOLOGIA Aula IV Protozoários Zoopatogênicos Professora: Luciana Alves de Sousa Doenças causadas por Protozoários Doença de Chagas Leishmaniose Malária Giardíase Amebíase Toxoplasmose Doença

Leia mais

UFPI - CT - DRHGA SANEAMENTO SANEAMENTO SAÚDE PÚBLICA SANEAMENTO SAÚDE PÚBLICA. Definição

UFPI - CT - DRHGA SANEAMENTO SANEAMENTO SAÚDE PÚBLICA SANEAMENTO SAÚDE PÚBLICA. Definição UFPI CT DRHGA DISCIPLINA: Saneamento II Carga horária: horas 6 créditos Horário: Seguas, quartas e sextas 6: 8: horas Local: Sala 55 Professores: Carlos Ernao da Silva email: carlosernao@gmail.com 88 Página:

Leia mais

4º FILO - NEMATELMINTOS

4º FILO - NEMATELMINTOS 4º FILO - NEMATELMINTOS Nematelmintos (Asquelmintos) nematos = fio + helmintos = vermes Vermes cilíndricos e alongados Nematelmintos (Asquelmintos) Exemplos: Ascaris lumbricoides Necator americanus Ancilostomo

Leia mais

Características gerais

Características gerais Características gerais Já foram denominados Aschelminthes. São vermes de corpo cilíndrico e com pontas afinadas. Podem ser aquáticos, terrestres ou parasitas. Possuem tubo digestivo completo. São triblásticos

Leia mais

PROFESSOR: Leonardo Mariscal

PROFESSOR: Leonardo Mariscal PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES BIOLOGIA - 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== Doenças 01- (UFRS 2011)

Leia mais

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares.

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Dengue Dengue Agente Infectante Arbovirus Vetor / Transmissão Picada do mosquito Aedes Aegypti Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Profilaxia

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EXAMES LABORATORIAIS

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EXAMES LABORATORIAIS GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EXAMES LABORATORIAIS PARASITOLOGIA HUMANA O que é parasitologia? É a ciência que estuda os parasitas, os seus hospedeiros e relações entre eles. Parasitas são seres vivos que retiram

Leia mais

6) Assinale a alternativa que mostra o filo, cujos representantes são os animais menos complexos.

6) Assinale a alternativa que mostra o filo, cujos representantes são os animais menos complexos. ESCOLA ESTADUAL DR JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA TRABALHO ESTUDOS INDEPENDENTES DE RECUPERAÇÃO RESOLUÇÃO SEE Nº 2.197, DE 26 DE OUTUBRO DE 2012 Aluno: Ano Atual Data : Matéria: Turno: Valor :70pontos Nota:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS CURSO: NUTRIÇÃO Profª Cyntia Cajado Filo Platyhelmintes classe Trematoda Schisto : FENDIDO Soma: CORPO - Espécies: S. mansoni S.hematobium S. japonicum S. mekongi S.

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA DAS POPULAÇÕES HUMANAS. a DiSTRIBUIÇÃO DESIGUAL DA SAÚDE PELAS POPULAÇÕES: PARASITOSES

QUALIDADE DE VIDA DAS POPULAÇÕES HUMANAS. a DiSTRIBUIÇÃO DESIGUAL DA SAÚDE PELAS POPULAÇÕES: PARASITOSES QUALIDADE DE VIDA DAS POPULAÇÕES HUMANAS a DiSTRIBUIÇÃO DESIGUAL DA SAÚDE PELAS POPULAÇÕES: GUIA DO PROFESSOR (Áudio) SAÚDE SEM MISTÉRIO: Parasitoses (Softwares) CICLO DE VIDA DE PARASITAS: Schistosoma

Leia mais

APÊNDICE D - Cartilha doenças veiculadas e transmitidas pela água. Erica Irene Dealessandri

APÊNDICE D - Cartilha doenças veiculadas e transmitidas pela água. Erica Irene Dealessandri 56 APÊNDICE D - Cartilha doenças veiculadas e transmitidas pela água Erica Irene Dealessandri CARTILHA: Principais doenças transmitidas e veiculadas pela água MATERIAL DE APOIO PARA PROFESSORES DO ENSINO

Leia mais

PROTOZOÁRIOS PARASITAS INTESTINAIS

PROTOZOÁRIOS PARASITAS INTESTINAIS COLÉGIO JOÃO PAULO I LABORATÓRIO DE BIOLOGIA - 2º ANO PROF. ANDRÉ FRANCO FRANCESCHINI PROTOZOÁRIOS PARASITAS INTESTINAIS AMEBÍASE Agente causador: Entamoeba histolytica. Diagnóstico: E. P. F. exame parasitológico

Leia mais

39 Por que ferver a água antes de beber?

39 Por que ferver a água antes de beber? A U A UL LA Por que ferver a água antes de beber? Todo ano seu Antônio viaja para o litoral com a família e enfrenta sempre os mesmos problemas: congestionamento na estrada, praias lotadas e sujas que,

Leia mais

Platelmintos. Principais Verminoses: Esquistossomose ou Barriga d`água. Teníase. Cisticercose

Platelmintos. Principais Verminoses: Esquistossomose ou Barriga d`água. Teníase. Cisticercose Platelmintos Principais Verminoses: Esquistossomose ou Barriga d`água. Teníase. Cisticercose Esquistossomose ou Barriga d`água Agente Etiológico: Schistosoma mansoni. Hospedeiro Intermediário: Biomphlaria

Leia mais

c) I e IV d) II e IV c) II e III. d) II e IV.

c) I e IV d) II e IV c) II e III. d) II e IV. COLÉGIO CEC CENTRO EDUCACIONAL CIANORTE ED. INFANTIL, ENS. FUNDAMENTAL E MÉDIO - SISTEMA ANGLO DE ENSINO. Lista de Biologia (poríferos, cnidários, platelmintos e nematelmintos) Nanni. 01) (PUCMG modificado)

Leia mais

Biologia Fascículo 08 Juvenal Carlos Schalch

Biologia Fascículo 08 Juvenal Carlos Schalch Biologia Fascículo 08 Juvenal Carlos Schalch Índice Parasitas...1 Exercícios...11 Gabarito...13 Parasitas 01. O que são agentes emológicos ou patogênicos? Exemplifique. São organismos parasitas que utilizam

Leia mais

Cestódeos intestinais:

Cestódeos intestinais: Cestódeos intestinais: k Hymenolepis nana Hymenolepis diminuta Diphyllobothrium latum Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Hymenolepis nana Reino: Animalia Filo: Platyhelminthes

Leia mais

MITOS E VERDADES DA CARNE SUÍNA

MITOS E VERDADES DA CARNE SUÍNA Informativo Técnico N 03/Ano 02 março de 2011 MITOS E VERDADES DA CARNE SUÍNA Gustavo Nogueira Diehl * Pesquisas realizadas na década de 90 mostraram que a população brasileira considerava como principal

Leia mais

Exercícios para Recuperação Paralela: (Cecília)

Exercícios para Recuperação Paralela: (Cecília) Exercícios para Recuperação Paralela: (Cecília) 1) Uma determinada moléstia que pode causar lesões nas mucosas, pele e cartilagens é transmitida por um artrópode e causada por um protozoário flagelado.

Leia mais

Biologia. Setor 1423 Móds. 03 a 06. Prof. Rafa

Biologia. Setor 1423 Móds. 03 a 06. Prof. Rafa Biologia Setor 1423 Móds. 03 a 06 Prof. Rafa PROTISTAS PROTISTAS ALGAS FOTOSSINTETIZANTES PROTOZOÁRIOS PARASITAS Protozoários (Reino Protista) Características: Estrutura Formas de vida Eucariontes Unicelulares

Leia mais

Difilobotríase: alerta e recomendações

Difilobotríase: alerta e recomendações MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Difilobotríase: alerta e recomendações Desde março de 2005, a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS) tem sido notificada da

Leia mais

Amebíase ou Disenteria Amebiana

Amebíase ou Disenteria Amebiana Amebíase ou Disenteria Amebiana Agente causador: Entamoeba histolytica, que vive no interior do intestino grosso, fagocitando partículas de alimento digerido e também atacando a própria mucosa intestinal.

Leia mais

REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS. Prof. Airton

REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS. Prof. Airton REINO PROTISTA PROTOZOÁRIOS Prof. Airton Características Gerais: Unicelulares Eucariontes Heterótrofos Geralmente microscópicos Podem viver isolados ou em grupos formando colônias CLASSIFICAÇÃO De acordo

Leia mais

7 O ANO EF CIÊNCIAS. Thiago Judice REINO ANIMAL

7 O ANO EF CIÊNCIAS. Thiago Judice REINO ANIMAL 7 O ANO EF CIÊNCIAS COMPLEMENTO Thiago Judice REINO ANIMAL O reino animal reúne os animais, seres pluricelulares com células eucariontes e nutrição heterotrófica. Você já aprendeu o significado destas

Leia mais

Biologia. Adaptação I: Adaptação II:

Biologia. Adaptação I: Adaptação II: Biologia 01. A migração do ambiente aquático para o terrestre resultou na seleção de características adaptativas que permitiu a sobrevivência dos primeiros vertebrados terrestres. Com base no exposto,

Leia mais

Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia. Atividade Curricular em Comunidade Pró-Reitoria de Extensão

Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia. Atividade Curricular em Comunidade Pró-Reitoria de Extensão Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia Atividade Curricular em Comunidade Pró-Reitoria de Extensão ACC BIO 454 Dinâmica de Conscientização da Problemática do Lixo Beneficiamento de Solos Agrícolas

Leia mais

ALBENDAZOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Suspensão Oral 40mg/mL

ALBENDAZOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Suspensão Oral 40mg/mL ALBENDAZOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Suspensão Oral 40mg/mL I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: ALBENDAZOL Medicamento genérico Lei n 9.787, 1999 APRESENTAÇÃO Suspensão Oral 40mg/mL

Leia mais

Exercícios com Gabarito de Biologia I 2º ano Professor Leandro

Exercícios com Gabarito de Biologia I 2º ano Professor Leandro 1. O 'Ancylostoma' é um parasita intestinal que provoca o "amarelão", doença que se pode adquirir: a) por picada de um hemíptero (barbeiro). b) comendo carne de porco mal cozida. c) comendo carne bovina

Leia mais

Jornal de Piracicaba, Piracicaba/SP, em 4 de Junho de 1993, página 22. Animais de companhia: O verme do coração do cão

Jornal de Piracicaba, Piracicaba/SP, em 4 de Junho de 1993, página 22. Animais de companhia: O verme do coração do cão Jornal de Piracicaba, Piracicaba/SP, em 4 de Junho de 1993, página 22 Animais de companhia: O verme do coração do cão Quando se fala em vermes, as primeiras imagens que vêm à mente das pessoas são: "lombrigas"

Leia mais

Nematódeos. - infecção oral. Classificação. Reino: Animalia Filo: Aschelminthes Classe: Nematoda Ordem: Ascaridida Ascarididae Ascaris lumbricoides

Nematódeos. - infecção oral. Classificação. Reino: Animalia Filo: Aschelminthes Classe: Nematoda Ordem: Ascaridida Ascarididae Ascaris lumbricoides Classificação Reino: Animalia Filo: Aschelminthes Classe: Nematoda Ordem: Ascaridida Família: Ascarididae Espécie: Ascaris lumbricoides Características gerais É o maior nematódeos do intestino do homem

Leia mais

Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios

Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios NEMATELMINTOS Características gerais: animal de corpo fino e tubular simetria bilateral protostômios triblástico pseudocelomado Habitat: vida livre: terrestres ou aquáticos (doce ou salgada) muitas espécies

Leia mais

PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO

PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO PROFESSORES DO POSITIVO COMENTÁRIO DA PROVA DE BIOLOGIA A prova da segunda fase da UFPR foi muito bem distribuída em termos de conteúdo. As questões, de forma geral, foram bem elaboradas e se caracterizaram

Leia mais

Principais parasitas em cães e gatos:

Principais parasitas em cães e gatos: Principais parasitas em cães e gatos: Nematódeos: Ancylostoma caninum Ancylostoma caninum nenhum Comum em zonas tropicais e subtropicais Maior patogenicidade em filhotes Filhotes: anemia, perda de peso,

Leia mais

Os parasitas são tratados mesmo com o paciente assintomático... Se você flagrar algum parasita no exame de fezes, você deve tratar o paciente.

Os parasitas são tratados mesmo com o paciente assintomático... Se você flagrar algum parasita no exame de fezes, você deve tratar o paciente. Parasitologia Estuda dois grupos de m-os: A) Protozoários Seres unicelulares e invisíveis a olho nu. Amebas: Entamoeba hystolitica; Entamoeba díspar; Entamoeba coli; Endolimax nana. Giardia lamblia. Cryptosporidium.

Leia mais

Platelmintos: Existem três classes distintas: os turbelários, trematódios e cestódios.

Platelmintos: Existem três classes distintas: os turbelários, trematódios e cestódios. Platelmintos: Vermes Achatados Apresentam simetria bilateral; Acelomados Tubo digestivo incompleto; Ocorre o processo de cefalização (acúmulo de órgãos sensoriais na direção do movimento). Existem três

Leia mais

Boletim Epidemiológico UHE Santo Antônio do Jari

Boletim Epidemiológico UHE Santo Antônio do Jari Editorial A Usina Hidrelétrica Santo Antônio do Jari lança o primeiro número do Índice - Editorial - Doenças de Veiculação Hídrica: Por ingestão de água contaminada Por contato com água contaminada Por

Leia mais