MANUAL DO PROPRIETÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO PROPRIETÁRIO"

Transcrição

1 MANUAL DO PROPRIETÁRIO O nosso bairro está inserido em Zona Exclusivamente Residencial e é classificado como Bolsão Residencial, conforme Decreto Municipal 4275/00. O Residencial Santapaula possui uma das maiores concentrações de Mata Atlântica secundária da Região. Sua fauna é rica, incluindo uma enorme diversidade de pássaros, pequenos répteis, mamíferos e roedores, todos, típicos da nossa região. É um patrimônio que poucos loteamentos da Região possuem, então, devemos preservá-lo. É fundamental que ao estudar um novo projeto, seja preservada a configuração original dos lotes, o máximo de vegetação natural e área permeável, adotando conceitos que integrem harmoniosamente as edificações à paisagem local. O nosso bairro pertence ao corredor ecológico da Reserva do Morro Grande, a segunda maior do estado, onde se encontra a estação de tratamento de água do Alto Cotia, monitorada constantemente pela Sabesp e órgãos de pesquisa. Pertencemos a este corredor, devido as características topográficas, onde formaram-se vários vales e áreas de mananciais, condições ideais para preservação da mata original. Estamos praticamente cercados pela mata e a nossa proximidade com a Reserva do Morro Grande, propicia uma maior incidência de polinização vegetal, e integração entre o Residencial Santapaula, Bairros vizinhos e a reserva do Morro Grande, decretada em 89 Patrimônio da Humanidade, pela UNESCO. O Residencial Santapaula conta, que além da observância destas normas, os novos integrantes atuem com bom senso na ocupação de seus lotes, procurando não prejudicar seus vizinhos e a comunidade local. 1. Legislação Ambiental Vigente Código Florestal - Lei 4771/65: As florestas existentes no território nacional e as demais formas de vegetação, reconhecidas de utilidade às terras que revestem, são bens de interesse comum a todos os habitantes do País, exercendo-se os direitos de propriedade, com as limitações que a legislação em geral e especialmente esta Lei estabelecem. As ações e omissões contrárias às disposições deste Código na utilização e exploração das florestas são consideradas uso nocivo da propriedade (Art. 302, XI, b, do Código de Processo Civil). Consideram - se de preservação permanente, pelo só efeito desta Lei, as florestas e demais formas de vegetação natural situadas: 1

2 a) A 30 mts (trinta metros) dos cursos d água com menos de 10 mts (dez metros) de largura. b) Nas nascentes, ainda que intermitentes e nos chamados olhos d água, qualquer que seja a sua situação topográfica, num raio mínimo de 50 m (cinqüenta metros) de largura. Portanto, deverão ser respeitados, faixa de 30,00 metros, ao longo das margens de córregos, 50,00 metros de raio para as nascentes, e 50,00 mts das margens dos lagos, sendo que, nestes recuos fica proibida a derrubada de árvores e ou qualquer tipo de construção. O abastecimento de água não pode ser feito através das nascentes, nada deve interromper seu curso natural. Fossas sépticas e poços absorventes (sumidouros) devem ser construídos de maneira, que não poluam rios, córregos e lençóis freáticos, conforme indicação neste manual. 2. Procedimentos para solicitação de corte de árvores a. Os lotes devem conservar, uma porcentagem de mata e espécies importantes e obter autorização prévia da CETESB: 1º etapa Levantamento Planialtimétrico do Lote, através de profissional habilitado, topógrafo ou Engº Agrimensor 2º etapa Projeto Estudo prevendo localização da área a ser preservada, Laudo de Flora e Fauna, elaborados por Engº Agrônomo, Biólogo ou Engº Florestal. 3ª etapa Protocolar o processo junto a CETESB. 4º etapa Cartório Averbação da área a ser preservada. Antes de iniciar o corte das árvores, deixar cópia da Autorização e projeto, na Portaria principal, aos cuidados da Diretoria de Meio Ambiental. b. Orientamos que, além da área verde determinada pela Cetesb, seja deixada uma árvore para cada 100,00 m² de terreno. c. Qualquer desmatamento ou limpeza (pesada), envolve a doação e o replantio de uma quantidade de mudas de espécies nativas, proporcional à área desmatada. d. A disposição do lixo, inclusive o decorrente de podas e limpeza de terrenos, é de responsabilidade do proprietário, lembramos que a Prefeitura não recolhe este tipo de material, e que atear fogo é crime ambiental. e. Ressaltamos que, quando a mata está seca, os cipós e a capoeira se transformam em um catastrófico agente de combustão, danificando terrenos vizinhos e colocando em alerta nossas reservas. Na maioria das vezes isso ocorre por falta de informação ambiental do funcionário que executa a limpeza do terreno, e da ausência do proprietário, que não tem orientação adequada. 2

3 3. Procedimentos de Obras O Bolsão do Residencial Santapaula, é composto por Lotes que possuem áreas entre 900,00 e 3.000,00 m², estes, são cercados por vales e nascentes, com grande concentração de mata atlântica. Conforme Lei Complementar de Uso e Ocupação do Solo nº95/08, o nosso Bairro está inserido em área classificada como ZER- Zonas Exclusivamente Residencial, portanto não é permitidos nenhum tipo de estabelecimento comércial. 3.1 Aprovação de Projetos O processo de aprovação de projetos que envolvam novas construções ou reformas, junto à Prefeitura, deverá ter como primeiro passo a contratação de um profissional habilitado, Arquiteto ou Engº Civil. Deverá ser desenvolvido projeto de acordo com a Legislação Municipal e Estadual. 3.2 Restrições segundo a Lei Municipal de Uso e Ocupação do Solo a. Índices Urbanísticos Obrigatórios: o Taxa de Ocupação = 50 %. o Coeficiente de aproveitamento =1 o Taxa Permeável = 50 % b. Recuos Obrigatórios: Frente - 5,00 metros, contados a partir do alinhamento do terreno; fundos - 3,00 metros. lateral - 1,50 metros nas divisas laterais dois lados Edículas estas poderão ocupar o recuo dos fundos(3,00 mts) e duas laterais, obrigatoriamente deve ser térrea e estar a 3,00 mts da construção principal. Fossas sépticas, filtros e poços absorventes deverão manter no mínimo afastamento de 1,50 mts das divisas e construções. Poços freáticos devem estar afastados 25,00 mts da fossa séptica. 3.3 Sistema de Tratamento de Esgotos a. As dimensões amplas dos lotes e a sua baixa ocupação permitem um perfeito equilíbrio entre a quantidade de efluentes líquidos gerados e a capacidade de absorção do solo; b. Porém, esta segurança depende do correto tratamento dos efluentes, que obrigatoriamente devem seguir a orientação das Normas Técnicas Brasileiras (7229/82 e 13969/97). As fossas sépticas devem ser vedadas e os resíduos são filtrados e descarregados em sumidouro. 3

4 c. Não será em qualquer hipótese permitida a execução, extravasão e drenagem de sumidouros para: sistema de águas pluviais, canaletas, ruas, cursos de água e córregos. d. Verificar posicionamento de poço freático em relação aos lotes vizinhos, antes de iniciar a execução da fossa séptica e poço absorvente, mantendo distância de 25 metros dos mesmos. e. Caso o terreno possua lençol freático superficial, utilizar valas de infiltração para escoamento de líquidos proveniente da fossa séptica. f. A Fossa, Filtro e Sumidouro, devem obrigatoriamente ser executados dentro do Lote, onde a Obra está sendo construída, respeitando o recuo mínimo de 1.50 mts, das divisas e construções. 3.4 Documentação Necessária para Aprovação de Projeto junto à Prefeitura de Cotia. a. Requerimento solicitando aprovação; b. Projeto conforme Legislação Municipal e estadual c. Memorial Descritivo; d. Memorial de fossa séptica, filtro e sumidouro. e. ART recolhida; f. Cópia do documento de propriedade (matrícula ou escritura); g. Cópia do IPTU, em nome do atual proprietário, e número oficial; h. Declaração com firma reconhecida (modelo Prefeitura); i. Caderneta de Obras (Associação de Engºs e Arquitetos de Cotia - AETEC); Antes de iniciar a Obra, deixe a cópia do Alvará do Construção e Projeto aprovado, na portaria principal, aos cuidados do Departamento de Planejamento, do Residencial Santapaula. 3.5 Ao iniciar a construção: A placa do profissional responsável, deverá ser fixada em local visível. a. Solicitar ligação de energia elétrica, à Eletropaulo, através de Engº Eletrecista. b. Executar o canteiro de obras dentro do lote. c. Manter a faixa do passeio público sempre limpa e livre de materiais; d. Nunca indevidamente descarregar esgoto e/ ou águas servidas nas ruas; 4

5 e. Condicionar todo o lixo em sacos plásticos e colocados à pelo menos 1,50 m de altura do chão em lixeiras vedadas; f. Manter a obra sempre limpa, isenta de restos de alimentos e materiais inservíveis; g. Não fazer massa e / ou concreto nas ruas, calçadas ou lotes de apoio; h. Não fazer entrega de materiais e descarregar em terrenos vizinhos ou jardins públicos; i. Somente será permitido o estoque de materiais nos terrenos vizinhos quando houver autorização do proprietário; j. O banheiro dos funcionários da obra não devem ocupar os recuos laterais e possuir aberturas voltadas para via pública; k. Lotes em aclive devem proteger materiais a granel (terra, areia, pedra, etc.); l. Afixar somente as placas com os dados do autor do projeto, responsável técnico da obra, número do alvará e da obra; m. Procurar manter na obra todos os comunicados, circulares, alvarás e plantas aprovadas; 3.6 Cuidados gerais: a. Às Ruas, calçadas, vielas e áreas verdes são de domínio público e nelas são vedadas edificações, devendo permanecer sempre com livre acesso e não cercadas. b. Em qualquer área ou terreno, assim como córregos, lagos e depressões, é proibido depositar lixo, resíduos, detritos, animais mortos, mobiliário usado, folhagens, material de podações, terra, resíduos de limpeza de fossas ou poços absorventes e qualquer material ou sobras. 3.7 Movimentação de Terra a. A responsabilidade por eventuais problemas de deslizamentos de terra, queda de árvores, ou por qualquer outro fato dessa natureza, será exclusivamente do proprietário do lote, que responderá pelos danos causados a outros lotes ou áreas comuns. b. Sempre que houver entulho de obra e terra excedente, os mesmos deverão ser retirados através de caçambas e caminhões, contratados pelo Proprietário. 3.8 Marcação do Lote a. Qualquer erro de locação e / ou marcação do terreno que implique em invasão de lotes vizinhos, áreas verdes ou redução do próprio lote, é de responsabilidade do proprietário. b. A associação dispõe de uma planta geral do loteamento a qual poderá ser consultada para facilitar a localização dos lotes. 5

6 c. Um topógrafo deverá ser contratado pelo proprietário para demarcar corretamente o lote. 3.9 Reformas a. Para qualquer modificação nas residências, que implique em acréscimo de área construída, o proprietário deverá apresentar previamente o projeto à Prefeitura, para analise e aprovação Pessoal na Obra a. Pela manhã de segunda a sexta - feira, nenhuma obra ou atividade, poderá ser iniciada antes das 8:00 horas. b. Aos sábados, os trabalhos nas Obras deverão iniciar as 8:00 h, com encerramento obrigatório ao 12:30 h, sem utilização de equipamentos que produzam barulho. c. Toda e qualquer pessoa que preste serviço na obra deverá ser cadastrada antecipadamente junto à portaria do Residencial Santapaula, mediante apresentação de cópia R.G e C.P.F. d. O proprietário do lote é o responsável pela conduta de seu pessoal, e responderá pelos problemas que seus contratados possam causar dentro do Residencial. e. O proprietário compromete-se a comunicar imediatamente à Associação o desligamento de qualquer empregado cadastrado. f. Para que seja permitido o pernoite de empregados na obra, obriga-se o proprietário a construir barraco para este fim, dentro de seu lote, observando os recuos com alojamento e sanitários apropriados. Os sanitários para empregados deverão ter uma fossa séptica provisória. g. Não é permitida permanência de família do empreiteiro, no canteiro de obras, este, deve ser utilizado apenas para material e pessoal da obra. Procure sempre profissionais capacitados para orientá-lo. O projeto deve atender às normas constantes deste Manual do Proprietário. Caso queira apontar ou denunciar alguma irregularidade, informe o RESAP, através do site ou através de formulários, que podem ser preenchidos na Portaria Principal. Lembramos que os órgãos Municipais e Estaduais, deverão ser acionados somente diante da verdadeira constatação dos fatos. Desejamos divulgar e orientar você, sobre alguns aspectos relacionados a Legislação Municipal e Estadual, no que diz respeito ao Meio ambiente e Normas de Edificações, afinal, trabalhamos visando à qualidade de vida das famílias do Residencial, que têm o privilégio de poder respirar ar puro e conviver em equilíbrio com a natureza. Estamos à disposição para ajudá-lo. Residencial Santapaula RESAP 6

7 FOSSA SÉPTICA EM DETALHES 7

8 MAPA - BOLSÃO RESIDENCIAL SANTAPAULA 8

9 TELEFONES UTEIS: Portaria: Admistradora Condominium: Eletropaulo: Sabesp Cotia: Corpo de Bombeiros: Policia Militar Caucaia : Guarda Municipal Cotia: Hospital de Cotia: Prefeitura Cotia: Sub- Prefeitura Caucaia: Disc Denuncia Policia Florestal: Clube Santa Paula:

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo de Área

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS PORTARIA Nº. 24, DE 14 DE SETEMBRO DE 2011. Regulamenta o artigo 18 da Lei nº 2.863/2008 Código de Obras e dá providências para avaliação e aprovação de Projetos de Edificações. O Secretário Municipal

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO ( ) Este documento Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido e assinado pelo requerente

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS 1 1. AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO: Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização

Leia mais

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ADEQUAÇÃO AO SISTEMA MUNICIPAL DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS Este documento. Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal. Cadastro Descritivo da Atividade - Geral devidamente

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA LOTEAMENTO PRAIA DE JURERÊ VI ETAPA- A JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS/SC O presente programa contempla o conjunto de normas, diretrizes e condicionantes

Leia mais

CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS

CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS Que entre si celebram, de um lado, a SOCIEDADE ALPHAVILLE RESIDENCIAL 5, inscrita no C.G.C./MF, sob o n.º 51.244.861/0001-56, isenta

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE RESOLUÇÃO COPLAN Nº 001/2012 O Coordenador do COPLAN/ALTO VALE, no exercício de suas atribuições e, atendendo a deliberação ocorrida na reunião ordinária do dia 07/12/2011, resolve: Art. 1º Fica aprovado,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES EM GERAL

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES EM GERAL TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE ATIVIDADES EM GERAL O processo administrativo para aprovação e licenciamento de atividades em geral junto à Prefeitura Municipal de Santa Clara do Sul

Leia mais

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários;

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários; PROJETO DE: EMENDA À LEI ORGÂNICA LEI COMPLEMENTAR LEI ORDINÁRIA RESOLUÇÃO NORMATIVA DECRETO LEGISLATIVO ( X ) Nº /2013 AUTOR/SIGNATÁRIO: Ver. GILBERTO PAIXÃO EMENTA: Dispõe sobre os serviços e obras para

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA LOTEAMENTO PRAIA DE JURERÊ VI ETAPA - B (AMORAEVILLE FASE 2) JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS/SC O presente programa contempla o conjunto de normas,

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO LEI COMPLEME TAR º 203, DE 17 DE MARÇO DE 2010 Regulamenta os usos admitidos e índices urbanísticos da Área de Urbanização de Interesse Turístico - AUIT do município de Palmas seguinte Lei: O PREFEITO

Leia mais

Professor: Dr. Gilberto Fernandes ESCOLA DE MINAS - UFOP

Professor: Dr. Gilberto Fernandes ESCOLA DE MINAS - UFOP Professor: Dr. Gilberto Fernandes ESCOLA DE MINAS - UFOP Obra de uma residência no bairro Bauxita Ouro Preto Características da edificação: Área do terreno: 360m²; Área a ser construída: 150m²; Obra de

Leia mais

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS 1. ROTEIRO PARA APROVAÇÃO E LIBERAÇÃO DE PROJETOS E OBRAS: PROJETOS A. Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação B. Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA 1 TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA Termo de compromisso para aprovação de projeto e execução de obra que entre si celebram, de um lado a SOCIEDADE ALDEIA DA SERRA RESIDENCIAL

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1 AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização por

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

Sociedade loteamento MONT BLANC PROCEDIMENTO PARA INÍCIO DE OBRA

Sociedade loteamento MONT BLANC PROCEDIMENTO PARA INÍCIO DE OBRA PROCEDIMENTO PARA INÍCIO DE OBRA 1. Apresentar cópia de Planta Aprovada pela Prefeitura Municipal de Campinas, cópia do Alvará de Execução para liberação de obra e cópia da ART recolhida do responsável

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008

LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 LEI COMPLEMENTAR Nº126, DE 18 DE ABRIL DE 2008 Acrescenta dispositivos à Lei nº 1041, 11 de julho de 1979, que regula o loteamento de terrenos urbanos no Município de Dourados, e dá outras providências

Leia mais

Manual da Construção. Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico

Manual da Construção. Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico Manual da Construção Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico APRESENTAÇÃO A presente cartilha é uma contribuição da Prefeitura Municipal de Viana, através da Secretaria de Planejamento

Leia mais

Normas de Construção

Normas de Construção Normas de Construção As presentes normas foram elaboradas em complemento as normas e procedimentos já existentes do Residencial Granja Carneiro Viana, objetivando ampliar as disposições e regras da Prefeitura

Leia mais

TEXTO PROPOSTO - PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS (Lei n.º 4.669/06)

TEXTO PROPOSTO - PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS (Lei n.º 4.669/06) TEXTO PROPOSTO - PLANO DIRETOR DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS (Lei n.º 4.669/06) Título IV DO USO DO SOLO URBANO E RURAL... CAPÍTULO III Do Macrozoneamento... Seção II Do Macrozoneamento Ambiental Art. 26. (Antigo

Leia mais

Instruções Técnicas Licenciamento Prévio para Destinação Final de RESIDUOS DE FOSSA SÉPTICA

Instruções Técnicas Licenciamento Prévio para Destinação Final de RESIDUOS DE FOSSA SÉPTICA Instruções Técnicas Licenciamento Prévio para Destinação Final de RESIDUOS DE FOSSA SÉPTICA DISA INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO: As instruções necessárias para o preenchimento da folha de rosto deste formulário,

Leia mais

Importante: Ler atentamente todo o manual para a instalação e uso correto deste produto.

Importante: Ler atentamente todo o manual para a instalação e uso correto deste produto. Guia de Instalação BIODIGESTOR ECOLIMP 600 L 1.300 L Importante: Ler atentamente todo o manual para a instalação e uso correto deste produto. guia_biodigestor_1397x2159_v02.indd 1 07/06/2010 10:58:54 1.

Leia mais

DICAS PARA COMPRAR UM TERRENO

DICAS PARA COMPRAR UM TERRENO DICAS PARA COMPRAR UM TERRENO Informações úteis para uma boa escolha do terreno Jamais desconsidere a assistência técnica de um profissional na avaliação do terreno que se pretende adquirir Na escolha

Leia mais

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I CONTRATO N.º ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO DO RESIDENCIAL SANTA MÔNICA A INFRAESTRUTURA DE IMPLANTAÇÃO DO LOTEAMENTO RESIDENCIAL SANTA MONICA OBEDECERÁ

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS Estado de São Paulo Secretaria Municipal de Administração LEI Nº. 5.126 De 04 de janeiro de 2007. Dispõe sobre a colocação e a permanência de caçambas para a coleta de resíduos inorgânicos nas vias e logradouros públicos do município de Ourinhos. A Câmara Municipal

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo normatizar o direito de utilização e aproveitamento dos lotes, sendo que tais limitações são supletivas

Leia mais

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN)

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN) Logradouro: Rua Francisco Manoel, 10 1ª Categoria Terreno: 1400m² Observações: PMP: SIP3 INEPAC: Conjunto XI / 3 IPHAN: 1ª categoria, tipo V Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo Taxa de ocupação 30% - 30% 30%

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE. PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE. PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1 COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1 RELATÓRIO: De autoria do Vereador Amauri Cardoso, este projeto

Leia mais

MANUAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE

MANUAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE MANUAL DE ATENDIMENTO AO CLIENTE LOTEAMENTO GOLF GARDENS 1 INTRODUÇÃO VOCÊ É NOSSO CLIENTE ESPECIAL. Na parceria estabelecida entre as três empresas, caberá a CONSURB o relacionamento com os clientes.

Leia mais

LICENCIAMENTO MATADOUROS

LICENCIAMENTO MATADOUROS LICENÇA PRÉVIA (LP): LICENCIAMENTO MATADOUROS 1. Requerimento; 2. Publicações no diário oficial e jornal de grande circulação; 3. Comprovante de pagamento da taxa de licenciamento; 4. Cadastro do empreendimento

Leia mais

RESPONSÁVEL TÉCNICO: Claudio Marcos Piotrowski Engenheiro Civil CREA 0601452877

RESPONSÁVEL TÉCNICO: Claudio Marcos Piotrowski Engenheiro Civil CREA 0601452877 INSTRUMENTO PARTICULAR DE INCORPORAÇÃO Condomínio Horizontal Fechado RESIDENCIAL VILLAVERDE (Identificado no Cartório de Registro Civil do Distrito de Monte Verde Camanducaia Livro 05-B 1º Traslado Fls

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO LOTEAMENTOS E DESMEMBRAMENTOS 04 vias do processo contendo na capa o número

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE TAPEJARA SECRETARIA DE AGRICULATURA E MEIO AMBIENTE AUDIÊNCIA PÚBLICA - ESTUDOS TÉCNICOS MACRODRENAGEM E APP S EM ÁREAS URBANA CONSOLIDADA PROPOSTA DE CONDICIONANTES E RESTRIÇÕES

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL 1 APROVAÇÃO DE PROJETOS TRANSCRIÇÃO DE TRECHOS LEGISLAÇÃO PERTINENTE CÓDIGO

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 )

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE RESOLUÇÃO INEA Nº 25 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010 ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA REQUERIMENTO DAS LICENÇAS

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES

SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES 1. Considerações Gerais 1.1. O presente Regulamento estabelece regras gerais para as construções e alterações que

Leia mais

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP CARTILHA DE CONSTRUÇÃO Seguem especificações para as construções nos lotes do Loteamento Villaggio Di Firenze: A) Conforme

Leia mais

LEI Nº 311/2003. O Prefeito Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia;

LEI Nº 311/2003. O Prefeito Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia; LEI Nº 311/2003 Dispõe sobre Loteamentos e Parcelamento do Solo de Teixeira de Freitas BA. O Prefeito Municipal de Teixeira de Freitas, Estado da Bahia; Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono

Leia mais

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Introdução Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de esgotos, especialmente

Leia mais

REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE EXECUÇÃO DE OBRAS NO BAIRRO ÁGUAS DE SERRA MORENA ZONA RESIDENCIAL UNIFAMILIAR

REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE EXECUÇÃO DE OBRAS NO BAIRRO ÁGUAS DE SERRA MORENA ZONA RESIDENCIAL UNIFAMILIAR REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE EXECUÇÃO DE OBRAS NO BAIRRO ÁGUAS DE SERRA MORENA ZONA RESIDENCIAL UNIFAMILIAR 1. DEFINIÇÕES E PROPÓSITOS 1.1. As regras e disposições limitativas do uso e ocupação

Leia mais

SEMMA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005.

SEMMA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. SEMMA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para gestão dos resíduos da construção civil, disciplinando as ações necessárias de forma a

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA Art. 1. O presente Regimento Interno é instituído com o objetivo de estabelecer normas, diretrizes e condicionantes atinentes à conservação e ordem interna do

Leia mais

OFICINAS MECÂNICAS E POSTOS DE LAVAGEM

OFICINAS MECÂNICAS E POSTOS DE LAVAGEM Informações para Solicitação de Licenciamento Ambiental de OFICINAS MECÂNICAS E POSTOS DE LAVAGEM no Âmbito do Município de Charqueadas (5.220,00 Oficina Mecânica / 3.421,00 Posto de Lavagem de Veículos)

Leia mais

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal ASCOM t ru ir l e g a legal construir cons Quero l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Elaboração: Lilian Márcia Neves Haddad Arquiteta Urbanista, CREA 90.776/D MG - Especialista em Planejamento

Leia mais

DECRETO Nº 27.989, de 25 de maio de 2007

DECRETO Nº 27.989, de 25 de maio de 2007 DECRETO Nº 27.989, de 25 de maio de 2007 REGULAMENTA O ESTABELECIMENTO E FUNCIONAMENTO DOS CEMITÉRIOS PARTICULARES DE ANIMAIS. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012 Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF O Idaf por definição O IDAF, é a entidade responsável pela execução da política, florestal, bem como

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2015

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2015 I. OBRAS I.1. I.1.1 1.1. ORIENTAÇÃO PARA INÍCIO DAS OBRAS Documentos necessários Para o início da obra será necessária a apresentação ao, dos seguintes documentos que devem permanecer na obra durante sua

Leia mais

REGULARIZAÇÃO DE TERRENOS E IMÓVEIS

REGULARIZAÇÃO DE TERRENOS E IMÓVEIS REGULARIZAÇÃO DE TERRENOS E IMÓVEIS A regularização tira o imóvel da clandestinidade. Se o imóvel estiver irregular, pode sofrer ação da fiscalização a qualquer momento e ser multado pela infração que

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA :

ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA : ESTUDO PRÉVIO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA : 1- INFORMAÇÕES GERAIS : IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO : Trata-se de uma Fábrica de Artefatos de Materiais Plásticos ( Sacos para Lixo ). IDENTIFICAÇÃO E QUALIFICAÇÃO

Leia mais

FOSSA SÉPTICA. 1. Processos de disposição

FOSSA SÉPTICA. 1. Processos de disposição Fossa séptica 1 FOSSA SÉPTICA Em locais onde não há rede pública de esgoto, a disposição de esgotos é feita por meio de fossas, sendo a mais utilizada a fossa séptica. Esta solução consiste em reter a

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO

DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO DAS RESTRIÇÕES AO DIREITO DE USO E GOZO DOS IMÓVEIS NO JARDINS MÔNACO Art. 52 - É condição essencial e imperativa a observância dos termos deste Estatuto Social, Regimento Interno e das Normas para Construção

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA 369/06

RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 Dispõe de casos excepcionais no casos de utilidade pública, interesse social e de baixo impacto ambiental, que possibilitam a intervenção ou supressão de vegetação em áreas de preservação

Leia mais

REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO

REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO REGULAMENTO E NORMAS PARA AS MONTADORAS DE ESTANDES ANEXO CONTRATUAL 55ª EXPOSIÇÃO AGROPECUÁRIA E INDUSTRIAL DE LONDRINA REALIZAÇÃO A Exposição Agropecuária e Industrial de Londrina é uma promoção e realização

Leia mais

Oficinas, serviços de reparação e manutenção, e similares com lavagem automotiva

Oficinas, serviços de reparação e manutenção, e similares com lavagem automotiva Oficinas, serviços de reparação e manutenção, e similares com lavagem automotiva 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço para correspondência: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail:

Leia mais

O Prefeito Municipal de Joinville, no exercício de suas atribuições, e com fundamento no inciso IX, do art. 68, da Lei Orgânica do Município,

O Prefeito Municipal de Joinville, no exercício de suas atribuições, e com fundamento no inciso IX, do art. 68, da Lei Orgânica do Município, DECRETO Nº 18.250, de 15 de setembro de 2011. Regulamenta o processo administrativo de aprovação de projetos, alvará para construção, reforma, ampliação, demolição, e vistoria final de edificações, uniformizando

Leia mais

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO

Leia mais

MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ORIENTAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS REALIZADOS E OS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVILVIMENTO URBANO SMDU, PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS NO MUNICÍPIO

Leia mais

FORMULÁRIO 11 PADARIAS, PASTELARIAS, CONFEITARIAS, RESTAURANTES, SUPERMERCADOS E SIMILARES

FORMULÁRIO 11 PADARIAS, PASTELARIAS, CONFEITARIAS, RESTAURANTES, SUPERMERCADOS E SIMILARES FORMULÁRIO 11 PADARIAS, PASTELARIAS, CONFEITARIAS, RESTAURANTES, SUPERMERCADOS E SIMILARES FORMULÁRIO DE REQUERIMENTO PARA LICENCIAMENTO AMBIENTAL A pessoa jurídica de direito privado, abaixo identificada,

Leia mais

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS FLORAIS DA MATA

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS FLORAIS DA MATA REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS FLORAIS DA MATA É condição essencial ao Contrato de Venda e Compra de Bem Imóvel, Com Pacto Adjeto de Financiamento Com Alienação Fiduciária a observância

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. O que são e como criá-las

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. O que são e como criá-las COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são e como criá-las COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são e como criá-las! Olá! Você já ouviu falar das Cotas de Reserva Ambiental (CRAs)? O que são Cotas de Reserva Ambiental?

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE

SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE Página 1 de 6 SECRETARIA MUNICIPAL DA AGRICULTURA, DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E MEIO AMBIENTE A Secretaria Municipal da Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, através do Departamento de

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA ÍNDICE ORIENTAÇÕES PRELIMINARES IMPORTANTES pág. 02 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA pág. 03 NORMAS PARA EXECUÇÃO DE OBRAS pág. 08

Leia mais

Roteiros de Processos PASSO A PASSO

Roteiros de Processos PASSO A PASSO SECRETARIA DE PLANEJAMENTO Roteiros de Processos PASSO A PASSO Roteiro dos Processos da SEPLAN À Secretaria de Planejamento compete formular, planejar e implementar a política de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL ASA Paragominas Agência de Serviços Ambientais de Paragominas COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são, como criá-las e como negociá-las ASA Paragominas Agência de Serviços Ambientais de Paragominas COTAS

Leia mais

Telefone p/ contato: ( ) FAX: ( ) e-mail: Coordenadas geográficas * (Lat/Long) no Sistema Geodésico, SAD-69 Lat. -. Long ( )

Telefone p/ contato: ( ) FAX: ( ) e-mail: Coordenadas geográficas * (Lat/Long) no Sistema Geodésico, SAD-69 Lat. -. Long ( ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDEDOR NOME / RAZÃO SOCIAL *: End.: rua/av *: n *: Bairro *: CEP *: Município *: Telefone *: ( ) FAX *: ( ) e-mail: CNPJ (CGC/MF n.º) *: CGC/TE n. *: CPF/CIC n. *: End. P/ correspondência:

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA BOM SUCESSO MANUAL TÉCNICO DE PROJETOS E OBRAS

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA BOM SUCESSO MANUAL TÉCNICO DE PROJETOS E OBRAS ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA BOM SUCESSO MANUAL TÉCNICO DE PROJETOS E OBRAS 1 OBJETIVO Este Manual Técnico de Projetos e Obras tem por objetivo orientar e informar aos proprietários dos lotes, bem como

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE

REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE Sociedade Residencial REGULAMENTO INTERNO SOCIEDADE RESIDENCIAL ECOVILLE Aqui a vida se renova. 1) APRESENTAÇÃO: 1.1 A filosofia deste Regulamento é apresentar limitações supletivas, ou seja, prevalecem

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE EVENTOS Centro de Exposições do CIETEP / FIEP

REGULAMENTO GERAL DE EVENTOS Centro de Exposições do CIETEP / FIEP REGULAMENTO GERAL DE EVENTOS Centro de Exposições do CIETEP / FIEP PARTE I DOS ASPECTOS GERAIS CLÁUSULA PRIMEIRA. Intransferibilidade. É vedado ao CESSIONÁRIO transferir a terceiros, total ou parcialmente,

Leia mais

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO

ÓRGÃO: 14000 - SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO-AMBIENTE PROGRAMA DE TRABALHO PLANO PLURIANUAL 2010-2013 CÓDIGO ESPECIFICAÇÃO - FUNCIONAL PROGRAMÁTICA 18000000 GESTÃO AMBIENTAL 18542000 CONTROLE AMBIENTAL 18542010 PROGRAMA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE 185420102.074 COORDENAÇÃO DOS

Leia mais

Laudo Técnico Ambiental

Laudo Técnico Ambiental E-MAIL: tnm_1984@hotmail.com Laudo Técnico Ambiental Atendimento a Notificação Nº 104/2013 Laudo Anual para Atender as exigências da Lei nº 4.123 de 04 de maio de 2007. Ano de referência: 2012 Valinhos

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS DO RESIDENCIAL (C.O.R)

CÓDIGO DE OBRAS DO RESIDENCIAL (C.O.R) CÓDIGO DE OBRAS DO RESIDENCIAL (C.O.R) A ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO RESIDENCIAL ITATIBA COUNTRY CLUB, a seguir simplesmente designada como Associação, conforme disposto no artigo 74 do Capítulo XXII Das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 644/2005 Dispõe sobre o Código de Arborização e Ajardinamento Urbano do Município de Juranda. A CÂMARA MUNICIPAL DE JURANDA, ESTADO DO PARANÁ, APROVOU

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS LEI COMPLEMENTAR Nº 292, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2014. Dispõe sobre a criação da Zona Especial de Interesse Social ZEIS Palmas Sul, estabelece normas para a implantação de Empreendimento Habitacional de Interesse

Leia mais

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO Laudo de Vistoria Ambiental I Identificação da Propriedade: Associação Condomínio Parque Primavera CNPJ 60.549.656/0001-90 Rua Eurico Gaspar Dutra 255 - Carapicuíba CEP 06342-200 ÁREA DE ESTUDO II Característica

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA -CENTRO COMERCIAL

ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA -CENTRO COMERCIAL 2013 ESTUDO DE IMPACTO DE VIZINHANÇA -CENTRO COMERCIAL IAB ADMINISTRADORA DE BENS LTDA, CNPJ 08.111.520/0001 POMERODE/SC 03/10/2013 Dados do Projeto O projeto trata-se do empreendimento de um Centro Comercial

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. O que são, como cria-las e como negocia-las

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. O que são, como cria-las e como negocia-las COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são, como cria-las e como negocia-las COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são, como cria-las e como negocia-las! 3 Olá! Você já ouviu falar das Cotas de Reserva Ambiental

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRAS ÍNDICE. Assunto Itens Página

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRAS ÍNDICE. Assunto Itens Página TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRAS ÍNDICE Assunto Itens Página I Principios Gerais 01 a 05 02 II Restrições da Construção e do Uso do Lote 06 a 24 03 III Inicio das Edificações,

Leia mais

LEI Nº 1226, DE 12 DE SETEMBRO DE 2003.

LEI Nº 1226, DE 12 DE SETEMBRO DE 2003. LEI Nº 1226, DE 12 DE SETEMBRO DE 2003. DISPÕE SOBRE O MANEJO, A PODA E O CORTE DE VEGETAÇÃO DE PORTE ARBÓREO E ARBUSTIVO EXISTENTE OU QUE VENHA A EXISTIR NO MUNICÍPIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. JOAQUIM

Leia mais

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO

SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO, IMPLANTAÇÃO E OPERAÇÃO DA ETE - ROTEIRO DO ESTUDO Projetos de interceptor, emissário por gravidade, estação elevatória de esgoto e linha de recalque,

Leia mais

Manual do Associado 2013/2014

Manual do Associado 2013/2014 Manual do Associado 2013/2014 Praça Conde de Barcelos 1 2 A SAAP E SUA ORIGEM Somos uma associação da sociedade civil sem fins lucrativos, fundada e legalmente constituída em dezembro de 1977, com o objetivo

Leia mais

LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987

LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987 LEI Nº 10.365 - de 22 DE SETEMBRO DE 1987 Disciplina o corte e a poda de vegetação de porte arbóreo existente no Município de São Paulo, e dá outras providências. Jânio da Silva Quadros, Prefeito do Município

Leia mais

LEI ORDINÁRIA Nº 1.068/03, de 5 de junho de 2003

LEI ORDINÁRIA Nº 1.068/03, de 5 de junho de 2003 LEI ORDINÁRIA Nº 1.068/03, de 5 de junho de 2003 Disciplina a arborização urbana no Município de Imperatriz e dá outras providências. JOMAR FERNANDES PEREIRA FILHO, PREFEITO MUNICIPAL DE IMPERATRIZ, ESTADO

Leia mais

ARQUIVO MODELO PADRÃO de APRESENTAÇÃO DE PROJETOS (PDF)

ARQUIVO MODELO PADRÃO de APRESENTAÇÃO DE PROJETOS (PDF) 1. OBJETIVO... 2 2. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO DE LOTES... 2 2.1. Documentações necessárias... 2 2.2. Modelo Prancha Única Remembramento (fig. 01)... 2 2.3. Restrições para Áreas...

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 1 - PROJETO - ESTUDOS PRELIMINARES APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Elaborar um bom projeto arquitetónico; Utilizando métodos

Leia mais