Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1

2 PERMEABILÍMETRO DE BLAINE NBR NM 76 Determinação da finura pelo método de permeabilidade ao ar (Método de Blaine) Permeâmetro Aparelho para determinação da superfície específica do cimento, composta por tubo em U, célula (êmbolo) de permeabilidade com pistão de socamento e disco perfurado, papel filtro Ø 9cm, óleo colorido, vazador e pipetador de borracha de 3 vias, acondicionado em estojo de madeira. 1. Diâmetro interno de célula de permeabilidade: Φ12.7 ± 0,05 milímetros 2. Altura da amostra na célula: 15 ± 0,5 mm 3. Disco perfurado: 35holes 4. Diâmetro do furo: 1-0,10 milímetros 5. Espessura do disco: 0,1-1mm 6. Tensão: 220V 7. Peso líquido: 3,2 kg 8. Tamanho: milímetros PERMEABILÍMETRO DE BLAINE AUTOMÁTICO Determinação da finura pelo método de NBR NM 76 permeabilidade ao ar (Método de Blaine) Permeâmetro Aparelho automático para determinação da superficíe específica do cimento. Expressa resultados em cm²/g diretamente, sem a necessidade de complicadas conversões e uso de ábacos. O ensaio é feito sem a intervenção do operador - 220V-60Hz. 1. Diâmetro interno de célula de permeabilidade: Φ12.7 ± 0,05 milímetros 2. Altura da amostra na célula: 15 ± 0,5 mm 6. Tensão: 220V 7. Peso líquido: 4,3 kg 8. Tamanho: milímetros 2. Intervalo de tempo: 0.1s Precisão: 0.2s 4. Testes de precisão: melhor que 1% 5. Faixa de temperatura: MEDIDOR DE UMIDADE AUTOMÁTICO DIGITAL Umidade Solos, Cimentos, Agregados Umidade Medidor portátil, de simples manuseio e baixo custo, composto de uma unidade digital, que pode efetuar a leitura de diversos tipos de materiais. O secador de umidade, aplica calor sob a amostra através de luz infravermelho, permitindo a evaporação da umidade contida na amostra. A balança eletrônica permite a leitura da massa específica. A variação das medições (antes) e (depois) do processo de secagem determina o teor de umidade. Este equipamento é indicado também para a medição da umidade do solo em locais onde um tensiômetro não pode ser usado (solos muito secos). 2

3 SPEEDY CONJUNTO COMPLETO DNER-ME 052 Solos e agregados miúdos Determinação da umidade pelo método expedito Speedy Umidade, Speedy, expedito, teor, garrafa de carbureto Solos Umidade O umidímetro Speedy desenvolvido para determinar a umidade percentual contida em amostras de solos, areias e outros materiais granulares. No ensaio de determinação da umidade pelo método expedito, a umidade contida na amostra reage com o carbureto, criando uma reação instantânea medida pelo Manômetro, essa medição se regula a tabela de comparação, determinando desta maneira a pressão correspondente a um nível de teor de umidade. (É recomendado calibrar o manômetro para cada Solo). ACESSÓRIOS/REPOSIÇÃO/COMPONENTES Anel de borracha para garrafa Garrafa em alumínio sem manômetro Manômetro com escala 0 a 35psi, 0 a Garrafa em alumínio com manômetro Estojo de madeira (caixa) Estojo de metal galvanizado Suporte aço de 32cm de altura para balança Tampa da garrafa ACESSÓRIOS/REPOSIÇÃO/COMPONENTES Almofariz chapa aço 95x20mm Balança digital 500g divisão de 0,1gr Balança portátil analógica Caixa carbureto com 100 unidades Cápsula alumínio com tampa 4x2cm Escova fio nylon para limpeza garrafa Esferas de aço 5/8 (par) Espátula aço inox flexível 10x2 FRASCO DE LE CHATELIER NBR NM 23 NBR Cimento portland e outros materiais em pó - Determinação de massa específica Determinação da expansabilidade de Le Chatelier Ensaios, De Le Chatelier Diversos, cimento, argamassa, cal Vidraria Frasco de Le Chatelier utilizado para determinação do peso específico do cimento e outros materiais finos. Capacidade 250ml e 500ml, com rolha esmerilhada e graduações de 0,01ml. MODELOS Frasco DE LE CHATELIER, capacidade 250ml Frasco DE LE CHATELIER, capacidade 500ml TACHO DE ALUMINIO Recipiente, preparação Diversos Preparação de Corpos de Prova Usado na fase de preparação do corpo de prova. 3

4 ARGAMASSADEIRA ELETROMECÂNICA AUTOMÁT. 5L NBR 7215 Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão Argamassa, Cimento, corpo de prova, moldagem Argamassas Preparação de amostras/formas Argamassadeira eletromecânica automática, capacidade de 5 litros com duas velocidades e movimento planetário para misturas de argamassas conforme normas NBR. Possui cuba em aço inox e pá (batedor) em aço carbono, possui dosador de areia e controlador automático digital. 220 ou 380V TRIFÁSICO. Potência do Motor: - Alta velocidade: 550W - Baixa Velocidade: 370W OBS. Este equipamento obedece criteriosamente as velocidades exigidas por Nomas Técnicas brasileiras ARGAMASSADEIRA ELETROMECÂNICA AUTOMÁT. 2L NBR 7215 Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão Argamassa, Cimento, corpo de prova, moldagem Cimento (Calda de Cimento), Cal Preparação de amostras/formas Argamassadeira eletromecânica automática, capacidade de 2 litros com duas velocidades e movimento planetário para misturas de caldas de cimento e cales conforme normas NBR. Possui cuba em aço inox de 2 litros e pá (batedor) em aço carbono e controlador automático digital. 220 ou 380V TRIFÁSICO. Potência do Motor: - Alta velocidade: 370W - Baixa Velocidade: 170W OBS. Este equipamento obedece criteriosamente as velocidades exigidas por Nomas Técnicas brasileiras FUNIL PARA VISCOSIDADE MARSH, (TRIPÉ E CONE) NBR 7682 NBR 7681 Calda de cimento para injeção - Determinação do índice de fluidez Calda de cimento para injeção Densidade, viscosidade Cimento Ar incorporado/densidade Funil ou cone Marsh, permite realizar ensaios de análises da viscosidade em cimentos, determinando o índice de fluidez da calda. Provido de suporte em aço, cone fabricado em alumínio. 4

5 APARELHO DE VICAT CI Cimento, Argamassa, Vicat Cimento e Argamassa Aparelho tipo Vicat para determinação do tempo de início e fim de pega do cimento, construído em ferro fundido. Acompanha: forma em aço carbono medindo 80X70X40mm, 2 placas de vidro, agulhas para início e fim de pega e sonda Tetmajer para determinação da consistência normal MESA FLOW TABLE MANUAL NBR NBR NBR 9290 NBR 9207 NBR 7215 Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Preparo da mistura e determinação do índice de consistência Agregados - Reatividade álcali-agregado Cal hidrata para argamassas - Determinação de retenção de água Cal hidratada para argamassas - Determinação da capacidade de incorporação de areia no plastômetro de Voss Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão Argamassa, consistência, cal, gesso Cimento Consistência/Finura/Cal livre Flow Table (mesa para consistência) manual permite realizar ensaios de consistência em misturas finas de cimento, cal, gesso MESA FLOW TABLE ELÉTRICA DIGITAL NBR NBR Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Preparo da mistura e determinação do índice de consistência Agregados - Reatividade álcali-agregado NBR 9290 NBR 9207 NBR 7215 Cal hidrata para argamassas - Determinação de retenção de água Cal hidratada para argamassas - Determinação da capacidade de incorporação de areia no plastômetro de Voss Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão Argamassa, consistência, cal, gesso Cimento Consistência/Finura/Cal livre Flow Table (mesa para consistência) elétrica digital, permite realizar ensaios de consistência em misturas finas de cimento, cal, gesso. 5

6 MESA DE ADENSAMENTO POR CHOQUE AUTOMÁTICA, ENCLAUSURADA PARA FORMA 4X4X16 TRIPLA Adensamento Cimento Vibração Mesa de adensamento por choque, destinada ao adensamento de formas 4X4X16cm, com forma, funil e espátula. Possui contador de golpes digital com programador para 30 e 60 golpes. O equipamento realiza o ciclo de golpes programado e paralisa sem interferência do operador. Parâmetros: 1. Queda: 15mm, 3mm; 2.Ciclos: 60 rpm 3. Tensão: 220V 4. Dimensão: 1040x260x360mm, peso: 78 kg MESA DE ADENSAMENTO POR CHOQUE AUTOMÁTICA, PARA FORMA 4X4X16 TRIPLA Adensamento Cimento Vibração Mesa de adensamento por choque, destinada ao adensamento de formas 4X4X16cm, com forma, funil e espátula. Possui contador de golpes digital com programador para 30 e 60 golpes. O equipamento realiza o ciclo de golpes programado e paralisa sem interferência do operador. Parâmetros: 1. Queda: 15mm, 3mm; 2.Ciclos: 60 rpm 3. Tensão: 220V 4. Dimensão: 1040x260x360mm, peso: 61 kg AGULHA DE LE CHATELIER NBR Cimento de alvenaria Le Chatelier, expansão, cimento, cal Cimentos Expansão Aplicação: A Agulha de Le Chatelier é usada para medir expansão dos cimentos ou dos cales. Peso líquido: 30g 6

7 MEDIDOR DE AR INCORPORADO PARA ARGAMASSAS NBR ASTM C 231 Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Determinação da densidade de massa e do teor de ar incorporado Standard Test Method for Air Content of Freshly Mixed Concrete by the Pressure Method AASHTO T-152 Standard Method of Test for Air Content of Freshly Mixed Concrete by the Pressure Method Ar incorporado, argamassa, densidade Cimento Cura de Corpo de Prova O medidor de ar incorporado determina a percentagem de ar incorporado no concreto fresco. No método de pressão, a certeza da medição não é afetada pela pressão barométrica natural. O volume do ar da amostra é determinado pelo princípio da lei de Boyle. Composto por um vaso pressurizador com capacidade de 1 (um) litro, manômetro e acessórios SOQUETE PARA ARGAMASSA NBR 5751 NBR 7215 NBR 9207 NBR NBR NBR NBR NBR NBR NBR NM 30 Materiais pozolânicos - Determinação de atividade pozolânica - Indice de atividade pozolânica com cal Cimento Portland - Determinação da resistência à compressão Cal hidratada para argamassas - Determinação da capacidade de incorporação de areia no plastômero de Voss Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Preparo da mistura e determinação do índice de consistência Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Determinação da retenção de água Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Determinação da densidade de massa e do teor de ar incorporado Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Determinação da resistência à tração na flexão e à compressão Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - Determinação da densidade de massa aparente no estado endurecido Agregados - Reatividade álcali-agregado - Parte 4: Determinação da expansão em barras de argamassa pelo método acelerado Agregado miúdo - Determinação da absorção de água MB-1, preparação, amostragem, corpo de prova Cimento Preparação de amostras/formas Soquete para ensaios em argamassa, utilizado para socar pasta de argamassa e auxiliar na preparação de amostras também em cimentos e outros materiais refratários. Fabricado em aço com tratamento de zinco. 7

8 FORMA PARA ARGAMASSA NBR 7684 Calda de cimento para injeção - Determinação da resistência à compressão Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos - NBR Determinação da resistência à tração na flexão e à compressão Preparação, amostragem, corpo de prova, moldagem Cimento, Calda de Cimento Preparação de amostras/formas Forma cilíndrica para argamassas e caldas de cimentos, Ø 5x10cm de altura, permite moldar corpos de prova para ensaios de compressão e determinação de resistência, garante um molde com superfícies regulares e melhor apresentação do corpo de prova FORMA PRISMÁTICA TRIPLA 4X4X16 CM Argamassa para assentamento de paredes e NBR revestimento de paredes e tetos - Determinação da resistência à compressão Argamassa, primatico, moldagem Argamassas Moldagem Forma prismática tripla, medindo 40X40X160mm cada molde, em aço com tratamento anticorrosivo, utilizada para moldagem de Corpos de Prova no formato de prisma, utilizados em ensaios específicos de flexão, compressão axial e outros. As formas prismáticas são construídas com chapas de aço robustas que garantem um melhor manuseio da argamassa na fase de dosagem e melhor estanqueidade na fase de cura FORMA PRISMÁTICA TRIPLA 25X25X28,5 CM NBR 8490 Argamassas endurecidas p/alvenaria estrutural retração por secagem Cimento Portland - Determinação da variação dimensional de barras de argamassa de NBR cimento Portland expostas à solução de sulfato de sódio Argamassa, primatico, moldagem Argamassas Moldagem Forma prismática tripla, medindo 25X25X285mm cada molde, em aço com tratamento anticorrosivo, utilizada para ensaios de retração e expansibilidade em argamassa. As formas prismáticas são construídas com chapas de aço robustas que garantem um melhor manuseio da argamassa na fase de dosagem e melhor estanqueidade na fase de cura. 8

9 FACEADOR PARA CORPO DE PROVA DE ARGAMASSA NBR 5738 NBR 7680 Procedimento para moldagem e cura de corpos-de-prova Extração, preparo e ensaio de testemunhos de concreto DNER ME 046 Moldagem e cura de corpos-de-prova cilíndricos ou prismáticos Capeador, faceador, corpo de prova, moldagem Cimento Preparação de amostras/formas Faceador ou capeador (gabarito) para corpos de prova Ø 5x10cm em argamassa, garante os 90 de ângulo no capeamento dos corpos de prova em concreto e argamassa. Fabricado em aço com tratamento anticorrosivo. CONCHA PARA ENXOFRE Enxofre, preparação Concreto Preparação de Corpos de Prova Concha em aço para manipular enxofre fundido RETIFICADOR VERTICAL PARA CORPOS DE PROVA MBR12767, 10906, 8045,7680, 5738; DNER- ME046, ASTM C-1252 Preparação de Corpos de Prova, faceador, capeador Concreto Preparação de Corpos de Prova Aparelho retificador de Corpo de Prova, cilíndrico de Concreto Ø 10x20cm, Ø 15x30cm ou cúbico, de Argamassas Ø 5x10cm, ou materiais Rochosos nesses diâmetros. Possui haste com regulagem de altura para corpos de prova e sistema de entrada de água para refrigeração do disco. Este equipamento permite retificar Corpos de Prova, por meio de um rebolo abrasivo diamantado, com velocidade e limite de retifica controlados, eliminando assim o uso de enxofre e outros produtos químicos. RETIFICADOR HORIZONTAL PARA CORPOS DE PROVA Preparação de Corpos de Prova, faceador, capeador Concreto Preparação de Corpos de Prova Aparelho retificador de Corpo de Prova, cilíndrico de Concreto Ø 10x20cm, Ø 15x30cm ou cúbico, de Argamassas Ø 5x10cm, ou materiais Rochosos nesses diámetros, fixação pneumática e posicionador para regular a espess ura do corte, descida e retorno manual do disco diamantado, com sistema de proteção para o motor e sistema de entrada de água para refrigeração do disco. Este equipamento permite retificar Corpos de Prova, por meio de um rebolo abrasivo diamantado, com velocidade e limite de retifica controlados, eliminando assim o uso de enxofre e outros produtos químicos. 220v monofásico 9

10 DISCOS DE NEOPRENE PARA FACEADOR ELASTOMÉRICO (ARGAMASSA) ASTM C 1231 AASHTO T-22 Standard Practice for Use of Unbonded Caps in Determination of Compressive Strength of Hardened Concrete Cylinders Standard Method of Test for Compressive Strength of Cylindrical Concrete Specimens Prensa, máquina, força, carga, faceador Cimentos, Argamassas Prensas para ensaios de Compressão/Tração na flexão Discos de neoprene nos Ø 5x10cm para usar com pratos, juntos configuram a função do faceador elastomérico. Veja também, sua aplicação na área de concretos. PRATO PARA DISCO DE NEOPRENE (ARGAMASSA) Prensa, máquina, força, carga, faceador, capeador Cimentos, argamassas Prensas para ensaios de Compressão/Tração na flexão Prato para colocar discos de neoprene, em conjunto configuram o faceador elastomérico para corpos de prova de Cimento e Argamassa, no Ø 5x10cm DISPOSITIVO DE HILEN Prensa, máquina, força, carga, dispositivos Concreto Dispositivos para Prensa As prensas para concreto trabalham normalmente com corpos de prova de Ø 15x30cm. O dispositivo Hilen permite a adaptação e conseqüentemente trabalhar com corpos de provas de Ø 10x20 ou Ø 5x10cm, que são referenciados em alguns ensaios especiais de Concreto ou Argamassa. O uso deste dispositivo evita que ao trabalhar com corpos de prova Ø 10x20 ou Ø 5x10cm se corra o risco de romper por cisalhamento devido a que a rótula da prensa é proporcional aos corpos de prova Ø 15x30cm. O dispositivo de Hilen resolve este problema para os corpos de provas que não sejam do padrão Ø 15x30cm CÂMARA DE CURA PARA CORPOS DE PROVA Cura, Úmida Concretos, cimentos, argamassas Cura de CP Gabinete com controle automático para cura de corpos de prova de cimento, argamassa e concretos, com duas portas articuladas e indicador digital. Possui controle de temperatura regulável entre 15ºC e 30ºC, mantém automaticamente a umidade acima de 95%, possui dimensões interna de 600x550x1380mm e dimensões externa de 1180x860x1640mm. Potência de 600W, 220V monofásico. 10

11 PRENSA HIDRÁULICA 100Tf MANUAL DIGITAL NBR NBR 7680 NBR 5739 Rochas para revestimento - Determinação da resistência à compressão uniaxial. Concreto - Extração, preparo e ensaio de testemunhos de concreto. Concreto - Ensaio de compressão de corpos-deprova cilíndricos. DNER ME 091 Concreto - ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos Prensa, máquina, força, carga, digital, concreto, cimento Concretos, Cimentos, Argamassas, Agregados Prensas Prensa hidráulica manual com manômetro, permite realizar ensaios de compressão simples, axial e resistência em materiais e corpos de prova com ø 10x20cm e ø 15x30cm cilíndricos e prismáticos de concreto. Estrutura em aço resistente; para uso em bancada; com acionamento por mecanismo hidráulico manual; com capacidade para 100 tf ( kgf.); velocidade de operação dada pelo operador; pistão com curso 50 mm com guia e vedação em teflon/bronze para maior durabilidade; vão livre útil total de 36 cm; indicador digital micro processado com função s.u.p. para memorização automática da carga máxima atingida; medição da força através de transmissor de pressão; bomba manual hidráulica; menor divisão do mostrador 0.01 tf (10kgf); porta para proteção contra estilhaços quando o corpo de prova rompe; tensão de alimentação 110/220 v - 50/60 Hz; com manual técnico em português. Após a entrega, garantia de 12 meses ACESSÓRIOS/REPOSIÇÃO/COMPONENTES Prensa manual 120 Ton. com 1 manômetro - mod. CA Prensa manual 120/24 Ton, com 2 manômetros - mod. CA Prensa manual 100 Ton. c/ transdutor de pressão e indicador digital mod CA PRENSA 100 Tf HIDRÁULICA ELETRICA DIGITAL NBR NBR 7680 NBR 5739 DNER ME 091 Rochas para revestimento - Determinação da resistência à compressão uniaxial. Concreto - Extração, preparo e ensaio de testemunhos de concreto. Concreto - Ensaio de compressão de corposde-prova cilíndricos. Concreto - ensaio de compressão de corpos de prova cilíndricos Prensa, máquina, força, carga Concretos, Cimentos, Argamassas, Agregados Prensa OUTROS MODELOS Prensa manual 120 Ton. com 1 manômetro - mod. CA Prensa manual 120/24 Ton, com 2 manômetros - mod. CA Prensa manual 100 Ton. c/ transdutor de pressão e indicador digital mod CA Prensa elétrica 100 Ton. com célula de carga e indicador digital com saída serial RS232 mod 4H 11

12 PENEIRAS GRANULOMÉTRICAS REDONDAS 8X2 LATÃO OU INÓX Peneiras de ensaio - Requisitos técnicos e NBR NM ISSO verificação - Parte 1: Peneiras de ensaio com tela de tecido metálico Granulometria, peneiramento Solos Granulometria As peneiras fornecidas são fabricadas com caixilho em latão ou inox e malha em aço inoxidável. PENEIRAS REDONDAS COM MALHA EM AÇO INOXIDAVEL CAIXILHO EM LATÃO ABERTURA DIÂMETRO NOMINAL NORMALIZADA Ø 8x2 Nº 4 4,75mm Nº 5 4,00mm Nº 6 3,35mm Nº 7 2,80mm Nº 8 2,36mm Nº 16 1,18mm Nº µm Nº µm Nº µm Nº µm Nº µm AGITADOR DE PENEIRAS ELETROMECÂNICO COM TIMER DIGITAL MBR NM 52 Agregado miúdo - Determinação de massa específica, massa específica aparente Absorção, água, NBR 9777 Diversos Granulometria/Densidade.Usado principalmente para peneirar gradativamente materiais não coesivos.. Frequência de vibração: 42 Hz. Modo de vibração: Alta e baixa vibração. Amplitude de vibração: 1.5 mm. Controle de tempo de peneiramento: 0-99 mim. Potência do motor: 185W. Configuração de peneiras: 8 peneiras Ø 8 x2 ou 17 peneiras Ø 8 x1, mais tampa e fundo. Alimentação: 220 V/60 Hz. Tamanho: 430 x 550 x 750 mm AGITADOR DE PENEIRAS ELETROMECÂNICO COM TIMER ANALÓGICO MBR NM 52 Agregado miúdo - Determinação de massa específica, massa específica aparente Absorção, água, NBR 9777 Diversos Granulometria/Densidade.Usado principalmente para peneirar gradativamente materiais não coesivos.. Frequência de vibração: 42 Hz. Modo de vibração: Alta e baixa vibração. Amplitude de vibração: 1.5 mm. Controle de tempo de peneiramento: 0-60 mim. Potência do motor: 185W. Configuração de peneiras: 8 peneiras Ø 8 x2 ou 17 peneiras Ø 8 x1, mais tampa e fundo. Alimentação: 220 V/60 Hz. Tamanho: 430 x 430 x 750 mm 12

13 FORMA TRÔNCO CÔNICA PARA ENSAIO DE ABSORÇÃO D ÁGUA NBR NM 52 NBR NM 30 Agregado miúdo - Determinação de massa específica e massa específica aparente Agregado miúdo - Determinação da absorção de água Absorção, água, NBR 9777 Diversos Índice de Forma/Resistência Abrasão Forma tronca cônica usada no ensaio de absorção de água. Fabricada em latão, com diâmetros 90x40mm e 75mm de altura FORMA TRONCO CONICA FERRO FUNDIDO MOD CI Absorção, água, NBR 9777 Concreto Índice de Forma/Resistência Abrasão Usado para testar a densidade, densidade aparente, densidade seca de agregado por utilizar o método de cone queda. 1. diametro superior 40mm diametro inferior: Φ90mm 2. Altura: 75 milímetros 3. Diametro do soquete: Φ25mm, peso: 340g ESTUFAS PARA ENSAIO DE LABORATÓRIO Betume, misturas, temperatura, aquecimento Diversos Efeito calor e do ar/termômetros Um dos equipamentos mais importantes para configurar um laboratório de Asfalto e Betuminosos; é sem dúvidas, a estufa. Este aparelho permite realizar diversos ensaios em ambiente aquecido para amolecer e manter condições específicas do ensaio. Com controlador de temperatura de 50 a 250 C. Confeccionada em chapa de aço com tratamento anti-corrosivo, pintada internamente com tinta alumínio resistente a altas temperaturas, externamente em pintura eletrostática. Isolamento térmico em lã de vidro em todas as paredes inclusive porta e teto. Vedação da porta com gaxeta de silicone. Chave liga/desliga, fusível de segurança, lâmpada piloto, suporte para termômetro e dispositivo superior para saída do ar quente. Acompanha uma prateleira interna, móvel e removível em chapa de aço perfurada. Confeccionada em diversas medidas internas e tipos de controladores de temperatura. 110 ou 220V. MODELOS Estufa elétrica, com dimensões de 45x40x45cm, 81 litros Estufa elétrica, com dimensões de 50x40x50cm, 100 litros Estufa elétrica, com dimensões de 50x50x60cm, 150 litros Estufa elétrica, com dimensões de 60x60x70cm, 252 litros Estufa elétrica, com dimensões de 80x60x70cm, 336 litros Estufa elétrica, com dimensões de 100x70x90cm, 630 litros ACESSÓRIOS/REPOSIÇÃO Chave liga/desliga Fusível Porta fusível Resistência Termostato 13

BRASIL SOLOS LTDA CATÁLOGO DE CONCRETO CONCRETO CATÁLOGO DE PRODUTOS

BRASIL SOLOS LTDA CATÁLOGO DE CONCRETO CONCRETO CATÁLOGO DE PRODUTOS BRASIL SOLOS LTDA CATÁLOGO DE CONCRETO CATÁLOGO DE PRODUTOS CONCRETO 01/01/2015 CATÁLOGO DE PRODUTOS Concreto PRENSA HIDRÁULICA MANUAL COM MANÔMETRO DIGITAL Prensa manual hidráulica, capacidade 100 e 200

Leia mais

Disco de neoprene Ø 5x10 cm INFORMAÇÕES ADICIONAIS TIPO MONTAGEM OPERACIONAL MANTENÇAO HISTÓRIA OUTROS VIDEO MANUAL LINKS

Disco de neoprene Ø 5x10 cm INFORMAÇÕES ADICIONAIS TIPO MONTAGEM OPERACIONAL MANTENÇAO HISTÓRIA OUTROS VIDEO MANUAL LINKS Prensas para ensaios de Compressão/Tração na flexão DISCOS DE NEOPRENE PARA FACEADOR ELASTOMÉRICO (ARGAMASSA) ASTM C 1231 Standard Practice for Use of Unbonded Caps in Determination of Compressive Strength

Leia mais

CIMENTOS. Prensas para ensaios de Compressão/Tração na flexão

CIMENTOS. Prensas para ensaios de Compressão/Tração na flexão Prensas para ensaios de Compressão/Tração na flexão DISCOS DE NEOPRENE PARA FACEADOR ELASTOMÉRICO (ARGAMASSA) ASTM C 1231 Standard Practice for Use of Unbonded Caps in Determination of Compressive Strength

Leia mais

Asfalto, Betume e Óleos

Asfalto, Betume e Óleos E2.01 AGREGADO GRAÚDO - ADESIVIDADE A LIGANTE BETUMINOSO DNER-ME 078 PALAVRA-CHAVE: Adesividade, agregado graúdo, liga, Betume C-4028-D CÁPSULA DE PORCELANA, DIÂMETRO 16 CM, CAPACIDADE 580ML 0,240 C-4026-B

Leia mais

1.03.013.04.00 - PRENSA HIDRÁUL. MANUAL ANALOGICA 120 TN 1

1.03.013.04.00 - PRENSA HIDRÁUL. MANUAL ANALOGICA 120 TN 1 Prensas CODIGO ACESSÓRIOS 2.03.019.01.00 Manômetro - disco de acrílico 2.03.019.02.00 Manômetro - escala 2.03.019.03.00 Manômetro - máquina 1.03.013.01.02 Manômetro capacidade 120 kgf 1.03.013.01.01 Manômetro

Leia mais

1.03.013.04.00 PRENSA HIDRÁUL. MANUAL ANALOGICA 120T COM MANÔMETRO MOD. CA NBR 12767 NBR 7680 NBR 5739 DNER ME 091 CÓDIGO: Rochas para revestimento Determinação da resistência à compressão uniaxial. Extração,

Leia mais

Concreto e Agregados CATÁLOGO DE PRODUTOS. Pág. 1. Seção C

Concreto e Agregados CATÁLOGO DE PRODUTOS. Pág. 1. Seção C I-3001 PRENSA HIDRÁULICA MANUAL 100T COM 1 MANÔMETRO NBR NM-ISO 7500-1; NBR 12767, 7680, 5739; DNER-ME091; MN 101 PALAVRA-CHAVE: Prensa, Corpos de Prova, compressão, tração, flexão, diametral Prensa manual

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

ENSAIOS BÁSICOS DE CIMENTO PORTLAND Prof. Dario de Araújo Dafico, Dr.

ENSAIOS BÁSICOS DE CIMENTO PORTLAND Prof. Dario de Araújo Dafico, Dr. ENSAIOS BÁSICOS DE CIMENTO PORTLAND Prof. Dario de Araújo Dafico, Dr. Versão: Abr./2012 NBR NBR 5741 (1993) Extração e preparação de amostras de cimento Esta norma estabelece os procedimentos pelos quais

Leia mais

bloco de vidro ficha técnica do produto

bloco de vidro ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para assentamento e rejuntamento de s. 02 Classificação técnica: ANTES 205 Bloco votomassa

Leia mais

Concreto - ensaio de compressão de corpos-de-prova cilíndricos RESUMO 0 PREFÁCIO ABSTRACT 1 OBJETIVO SUMÁRIO 2 REFERÊNCIAS

Concreto - ensaio de compressão de corpos-de-prova cilíndricos RESUMO 0 PREFÁCIO ABSTRACT 1 OBJETIVO SUMÁRIO 2 REFERÊNCIAS MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

MATERIAIS COMPONENTES DO CONCRETO

MATERIAIS COMPONENTES DO CONCRETO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IFRS LABORATÓRIO DE ESTRUTURAS E MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL - LEMCC TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL MATERIAIS COMPONENTES DO

Leia mais

Agitador magnético sem aquecimento, modelo F20mini, Falc Instruments

Agitador magnético sem aquecimento, modelo F20mini, Falc Instruments Agitador magnético sem aquecimento, modelo F20mini, Falc Instruments Especialmente desenhado para uso continuo. Estrutura construída inteiramente em chapa de aço pintado com antiácido em pó epóxi. Inclui

Leia mais

ME-30 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DO EFEITO DO CALOR E DO AR SOBRE MATERIAIS ASFÁLTICOS (MÉTODO DA PELÍCULA DELGADA)

ME-30 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DO EFEITO DO CALOR E DO AR SOBRE MATERIAIS ASFÁLTICOS (MÉTODO DA PELÍCULA DELGADA) ME-30 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DO EFEITO DO CALOR E DO AR SOBRE MATERIAIS ASFÁLTICOS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...

Leia mais

Agregados - determinação da abrasão Los Angeles RESUMO 0 PREFÁCIO ABSTRACT 1 OBJETIVO SUMÁRIO 2 REFERÊNCIAS

Agregados - determinação da abrasão Los Angeles RESUMO 0 PREFÁCIO ABSTRACT 1 OBJETIVO SUMÁRIO 2 REFERÊNCIAS MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

3) Erlenmeyer Devido ao gargalo estreito é usado para agitar soluções e dissolver substâncias.

3) Erlenmeyer Devido ao gargalo estreito é usado para agitar soluções e dissolver substâncias. VIDRARIAS E MATERIAIS DIVERSOS DE LABORATÓRIO Professora: Juliana Rovere 1) Béquer É usado para dissolver substâncias, efetuar reações e aquecer líquidos sobre tela de amianto, pois é feito de vidro pyrex,

Leia mais

ME-42 MÉTODOS DE ENSAIO MÉTODO DA DETERMINAÇÃO DA ESTABILIDADE E DE FLUÊNCIA MARSHALL

ME-42 MÉTODOS DE ENSAIO MÉTODO DA DETERMINAÇÃO DA ESTABILIDADE E DE FLUÊNCIA MARSHALL ME-42 MÉTODOS DE ENSAIO MÉTODO DA DETERMINAÇÃO DA ESTABILIDADE E DE FLUÊNCIA MARSHALL 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES... 3

Leia mais

- Termômetro graduado até 50ºC - divisão 0,5ºC. C-4017 0,040 Kg

- Termômetro graduado até 50ºC - divisão 0,5ºC. C-4017 0,040 Kg RELAÇÃO DE EQUIPAMENTOS POR ENSAIOS (Solos, Asfalto e Concreto) E.1.01 - DETERMINAÇÃO DA UMIDADE DE SOLOS. Normas: ABNT-MB-27 / NBR 6457 / AASHO-T-87-49. - Almofariz com mão de gral recoberta de borracha,

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: controle tecnológico; ensaio de arrancamento; equipamento de baixo custo e acessível

RESUMO. Palavras-chave: controle tecnológico; ensaio de arrancamento; equipamento de baixo custo e acessível POPULARIZAÇÃO DA TECNOLOGIA DO CONCRETO ATRAVÉS DA CRIAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO DE BAIXO CUSTO E ACESSÍVEL PARA DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DO CONCRETO Thiago Dias de Araújo e Silva /IFTO /Thiagod.a.s@terra.com.br

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

DER/PR EM-R 01/05 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PARA SERVIÇOS RODOVIÁRIOS: RELAÇÃO

DER/PR EM-R 01/05 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PARA SERVIÇOS RODOVIÁRIOS: RELAÇÃO ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PARA SERVIÇOS RODOVIÁRIOS: RELAÇÃO Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax

Leia mais

CONSTRUÇÃO DA SUPERESTRUTURA Tipos de Serviços em Pavimentação

CONSTRUÇÃO DA SUPERESTRUTURA Tipos de Serviços em Pavimentação CONSTRUÇÃO DA SUPERESTRUTURA Tipos de Serviços em Pavimentação IMPRIMAÇÃO (Prime Coat) ADP Bases Granulares - Aumentar coesão superficial - Impermeabilização - Aderência com revestimento ADP: CM-30 e CM-70

Leia mais

ME-23 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DE ABRASÃO LOS ANGELES DE AGREGADOS

ME-23 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DE ABRASÃO LOS ANGELES DE AGREGADOS ME-23 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DE ABRASÃO LOS ANGELES DE AGREGADOS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...3 4. DEFINIÇÕES...4

Leia mais

Cimento - Argamassa -Refratário C-1

Cimento - Argamassa -Refratário C-1 Cimento - Argamassa -Refratário C-1 Cimento - A rgamassa - R efratário PREPARAÇÃO DE AMOSTRAS 1.330.300 3.589.001 3.238.020 Tacho para Preparo de Amostras de cimento e argamassa, medindo Ø28XØ21X11cm,

Leia mais

Fundação Universidade Estadual de Maringá

Fundação Universidade Estadual de Maringá Fundação Universidade Estadual de Maringá PAD/DIRETORIA DE MATERIAL E PATRIMÔNIO AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL N 131/2008 PREGÃO PRESENCIAL PROC.: N 3932/2008 OBJETO: AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DIVERSOS PARA

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO MAJ MONIZ DE ARAGÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II TECNOLOGIA DA ARGAMASSA E DO CONCRETO Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Resistência do Concreto

Leia mais

Apostila de ensaios de concretos e agregados 3ª Edição

Apostila de ensaios de concretos e agregados 3ª Edição Apostila de ensaios de concretos e agregados 3ª Edição Este material é baseado no Manual Ensaios de agregados, concreto fresco e concreto endurecido MT 6 da Associação Brasileira de Cimento Portland. A

Leia mais

ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO E VIABILIDADE DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM CONCRETO 1

ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO E VIABILIDADE DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM CONCRETO 1 ESTUDO PARA UTILIZAÇÃO E VIABILIDADE DE AREIA DE FUNDIÇÃO EM CONCRETO 1 Geannina Terezinha Dos Santos Lima 2, Pedro Goecks 3, Cristiane Dos Santos 4, Gabriela Blatt 5, Diorges Lopes 6, Cristina Pozzobon

Leia mais

ME-38 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS DE CONCRETO

ME-38 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS DE CONCRETO ME-38 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS DE CONCRETO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...

Leia mais

Propriedades do Concreto

Propriedades do Concreto Universidade Federal de Itajubá Instituto de Recursos Naturais Propriedades do Concreto EHD 804 MÉTODOS DE CONSTRUÇÃO Profa. Nívea Pons PROPRIEDADES DO CONCRETO O concreto fresco é assim considerado até

Leia mais

Asfalto, Betume e Óleos

Asfalto, Betume e Óleos I-1078 EQUIPAMENTO TRIAXIAL DINÂMICO SERVO CONTROLADO NBR NM-ISO 7500-1; DNER ME 133, 138; ensaios (6225), pavimento flexível (2944), reforço (3471), solo (4156) PALAVRA-CHAVE: Triaxial, dinâmico, resiliência,

Leia mais

ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO

ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO ME-37 MÉTODOS DE ENSAIO MOLDAGEM E CURA DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS DE CONRETO 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...

Leia mais

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA 1 ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA LOCALIZAÇÃO: Avenida Jacob Wagner Sobrinho NOVA BOA VISTA / RS JUNHO DE 2013 1 2 1.0 INTRODUÇÃO

Leia mais

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE

Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Propriedades do concreto JAQUELINE PÉRTILE Concreto O preparo do concreto é uma série de operações executadas de modo a obter, á partir de um determinado número de componentes previamente conhecidos, um

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

Concreto - determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone

Concreto - determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA EXECUTIVA COORDENAÇÃO DO INSTITUTO DE PESQUISAS RODOVIÁRIAS - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra, km 163 - Centro

Leia mais

Aditivos para argamassas e concretos

Aditivos para argamassas e concretos Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Aditivos para argamassas e concretos Materiais de Construção II Professora: Mayara Moraes Introdução Mehta: Quarto componente do concreto ; Estados

Leia mais

Acustimix. Características: Cor: Dimensões: Aplicações: BARREIRA & ABSORÇÃO ACÚSTICA

Acustimix. Características: Cor: Dimensões: Aplicações: BARREIRA & ABSORÇÃO ACÚSTICA Acustimix BARREIRA & ABSORÇÃO ACÚSTICA ACUSTIMIX é uma lâmina flexível bifásica, formada por dois materiais de densidades diferentes, que confere ao conjunto, além da característica de barreira acústica,

Leia mais

17/04/2015 AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO REFERÊNCIAS CAL HIDRÁULICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia

17/04/2015 AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO REFERÊNCIAS CAL HIDRÁULICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil e Ambiental Laboratório de Geotecnia e Pavimentação (LAPAV) AGLOMERANTES HIDRÁULICOS PARA PAVIMENTAÇÃO Prof. Ricardo

Leia mais

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aulas 1 e 2: Aglomerantes Cal, Gesso e Cimento. Prof. Eduardo Cabral

Universidade Federal do Ceará. Curso de Engenharia Civil. Aulas 1 e 2: Aglomerantes Cal, Gesso e Cimento. Prof. Eduardo Cabral Universidade Federal do Ceará Curso de Engenharia Civil Aulas 1 e 2: Aglomerantes Cal, Gesso e Cimento Prof. Eduardo Cabral Definições Aglomerantes É o material ligante, ativo, geralmente pulverulento,

Leia mais

ANTISAGTEST Norma ASTM Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros.

ANTISAGTEST Norma ASTM Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros. ANTISAGTEST Aparelho determina a tendência de escorrimento vertical de tinta com aplicação de 10 faixas com espessura de 75 a 300 micros. APARELHO TIPO PENTE Medidor de camada úmida escalas de medição:

Leia mais

a) DNER-ME 051/94 - Solo-análise granulométrica;

a) DNER-ME 051/94 - Solo-análise granulométrica; MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS

DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS DESENVOLVIMENTO DE COMPOSIÇÃO DE CONCRETO PERMEÁVEL COM AGREGADOS ORIUNDOS DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DA REGIÃO DE CAMPINAS Katrine Krislei Pereira Engenharia Civil CEATEC krisleigf@hotmail.com Resumo:

Leia mais

PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina Materiais de Construção Civil A

PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Disciplina Materiais de Construção Civil A PUC CAMPINAS Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Disciplina Materiais de Construção Civil A Agregados para concreto Profa. Lia Lorena Pimentel 1 1. AGREGADOS PARA ARGAMASSAS E CONCRETOS Uma vez que cerca

Leia mais

Definição. laje. pilar. viga

Definição. laje. pilar. viga Definição É a rocha artificial obtida a partir da mistura, e posterior endurecimento, de um aglomerante (normalmente cimento portland), água, agregado miúdo (areia quartzoza), agregado graúdo (brita),

Leia mais

LISTA DE PREÇOS - PROMOCIONAL 2011 PLATAFORMA TIPO JACK MODELO

LISTA DE PREÇOS - PROMOCIONAL 2011 PLATAFORMA TIPO JACK MODELO Página 1 PLATAFORMA TIPO JACK PLATAFORMA TIPO JACK LATÃO E COM PINTURA EPÓXI LARGURA ELEVAÇÃO 069-1 10 cm 10 cm 17 cm 069-2 15 cm 12 cm 25 cm 069-3 15 cm 15 cm 25 cm 069-4 20 cm 16 cm 35 cm 069-5 20 cm

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Braçadeira para Injeção Intravenosa ARS 01 Braçadeira para Injeção Intravenosa ARS 01 Braçadeira de apoio de piso para suporte de braço e aplicação de injeção. Altura regulável por mandril,base de ferro,

Leia mais

ME-52 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE ( SLUMP-TEST )

ME-52 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE ( SLUMP-TEST ) ME-52 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE ( SLUMP-TEST ) DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO...3 3. S E

Leia mais

Aditivos para argamassas e concretos

Aditivos para argamassas e concretos Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Aditivos para argamassas e concretos Materiais de Construção II Professora: Mayara Moraes Introdução Mehta: Quarto componente do concreto ; Estados

Leia mais

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm 01 DESCRIÇÃO: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade, ideal para assentamento de revestimentos cerâmicos, porcelanatos, pedras rústicas em áreas internas e externas em pisos e paredes; Aplicação

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

ME-10 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DA UMIDADE PELO MÉTODO EXPEDITO ( SPEEDY )

ME-10 MÉTODOS DE ENSAIO DETERMINAÇÃO DA UMIDADE PELO MÉTODO EXPEDITO ( SPEEDY ) ME-10 MÉTODOS DE ENSAIO EXPEDITO ( SPEEDY ) DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...3 4. DEFINIÇÕES...4 5. APARELHAGEM E MATERIAL...4

Leia mais

MUNICÍPIO DE BOM PRINCÍPIO Estado do Rio Grande do Sul

MUNICÍPIO DE BOM PRINCÍPIO Estado do Rio Grande do Sul HOMOLOGO em favor de COMERCIAL RIZZI & AGNISCHOCK o item a seguir, do Pregão Presencial nº 001/2014, cujo objeto é a aquisição de materiais de consumo e materiais permanentes para equipar e EMEI Branca

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL M.Sc. Arq. Elena M. D. Oliveira GESSO É um aglomerante natural resultante da queima do CaSO4 2H2O (gipsita). Também chamado de gesso de estucador, gessoparisougessodepegarápida.

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO FRESCO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes CONCRETO FRESCO Conhecer o comportamento

Leia mais

ATA DE SESSÃO PÚBLICA POR ITEM

ATA DE SESSÃO PÚBLICA POR ITEM ATA DE SESSÃO PÚBLICA POR ITEM Informações geradas em 26/02/2015 10:09:47 Por FABRICIO DANIEL Unidade compradora SENAI - CAMPUS DA INDUSTRIA Número do processo 0224/2015 Em adjudicação Objeto AQUISIÇÃO

Leia mais

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO MATERIAIS BÁSICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTOS

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO MATERIAIS BÁSICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTOS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO MATERIAIS BÁSICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTOS INTRODUÇÃO O empirismo durante a especificação dos materiais A complexidade do número de variáveis envolvidas

Leia mais

LISTA DE NORMAS DER P-208 PALAVRA-CHAVE: Trado, amostragem, campo ÁREA DE APLICAÇÃO: Solos ROTINA: Amostragem INFORMAÇÕES ADICIONAIS

LISTA DE NORMAS DER P-208 PALAVRA-CHAVE: Trado, amostragem, campo ÁREA DE APLICAÇÃO: Solos ROTINA: Amostragem INFORMAÇÕES ADICIONAIS Amostragem e perfuração 1.01.004.02.00 AMOSTRADOR DER P-208 DER P-208 PALAVRA-CHAVE: Trado, amostragem, campo ROTINA: Amostragem Fácil de utilizar e eficiente para extrair amostras indeformadas superficiais

Leia mais

O cimento é um aglomerante hidráulico produzido a partir de uma mistura de rocha calcária e argila.

O cimento é um aglomerante hidráulico produzido a partir de uma mistura de rocha calcária e argila. Cimento Portland O cimento é um aglomerante hidráulico produzido a partir de uma mistura de rocha calcária e argila. A calcinação dessa mistura dá origem ao clinker, um produto de natureza granulosa, cuja

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Pavimentação - sub-base de concreto de cimento Portland adensado por vibração

Pavimentação - sub-base de concreto de cimento Portland adensado por vibração MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

O fluxograma da Figura 4 apresenta, de forma resumida, a metodologia adotada no desenvolvimento neste trabalho.

O fluxograma da Figura 4 apresenta, de forma resumida, a metodologia adotada no desenvolvimento neste trabalho. 3. METODOLOGIA O fluxograma da Figura 4 apresenta, de forma resumida, a metodologia adotada no desenvolvimento neste trabalho. DEFINIÇÃO E OBTENÇÃO DAS MATÉRIAS PRIMAS CARACTERIZAÇÃO DAS MATÉRIAS PRIMAS

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: Pavimentação Asfáltica em Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ) sobre revestimento existente. LOCAL: Rua Olímpio Maciel e Rua José Coelho. Fevereiro / 2010 1 SUMÁRIO

Leia mais

TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO

TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO TIJOLOS CRUS COM SOLO ESTABILIZADO João Maurício Fernandes Souza¹; José Dafico Alves² ¹ Bolsista PIBIC/CNPq, Engenheiro Agrícola, UnUCET - UEG 2 Orientador, docente do Curso de Engenharia Agrícola, UnUCET

Leia mais

Materiais e Processos Construtivos. Materiais e Processos Construtivos. Concreto. Frank Cabral de Freitas Amaral 1º º Ten.-Eng.º.

Materiais e Processos Construtivos. Materiais e Processos Construtivos. Concreto. Frank Cabral de Freitas Amaral 1º º Ten.-Eng.º. Concreto Frank Cabral de Freitas Amaral 1º º Ten.Eng.º Instrutor Abril / 2006 1 Programação SEMANA DATA TÓPICOS 1 2 3 4 5 6 7 8 06/mar 09/mar 13/mar 16/mar 20/mar 23/mar 27/mar 30/mar 3/abr 6/abr 10/abr

Leia mais

Dosagem dos Concretos de Cimento Portland

Dosagem dos Concretos de Cimento Portland (UFPR) (DCC) Disciplina: Materiais de Construção IV - Laboratório Dosagem dos Concretos de Cimento Portland Eng. Marcelo H. F. de Medeiros Professor Dr. do Professor Dr. do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Rua Luiz Antônio Padrão, 395 - Osasco - São Paulo - CEP. 06080-120 - Tel: (11) 3685.1512 - Fax: (11) 3685.9832 Site: www.conteste.com.

Rua Luiz Antônio Padrão, 395 - Osasco - São Paulo - CEP. 06080-120 - Tel: (11) 3685.1512 - Fax: (11) 3685.9832 Site: www.conteste.com. Site: www.conteste.com.br - E-mail: conteste@conteste.com.br 1 ÍNDICE 1 Controle Tecnológico em Pavimentação SOLOS 2 Controle Tecnológico em Pavimentação MATERIAIS BETUMINOSOS 3 Materiais Metálicos Ensaio

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II CBUQ Ana Elza Dalla Roza e Lucas Ribeiro anaelza00@hotmail.com - luccasrsantos@gmail.com Dosagem Marshall O primeiro procedimento de dosagem

Leia mais

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

Keystone RMI DUBEX Válvula Borboleta

Keystone RMI DUBEX Válvula Borboleta Keystone RMI DUBEX Válvula Borboleta Dubex é uma válvula de sede resiliente triexcêntrica com flange duplo, projetada para serviços na indústria de água Características Aplicação geral Estação de bombeamento

Leia mais

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2)

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IT836

Leia mais

Linha completa de aquecimento para banho e piscina

Linha completa de aquecimento para banho e piscina Linha completa de aquecimento para banho e piscina Aquecedor solar Aquecedor de piscina Bomba de calor www.heliotek.com.br Coletores solares Heliotek A força da nova geração Ao contrário dos coletores

Leia mais

COMPRASNET - O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino-Americana

COMPRASNET - O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino-Americana Página 1 de 167 Pregão Eletrônico 158658.332014.166432.4439.59568667470.390 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal da Integração Latino-Americana Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00033/2014

Leia mais

CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO

CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO CONCRETO COM CIMENTO PORTLAND O SEGUNDO MATERIAL MAIS CONSUMIDO NO MUNDO CONCRETO É UM PRODUTO VERSÁTIL PR SC PR RS SC SC China SC CONCRETO É UTILIZADO EM TODAS AS CLASSES SOCIAIS Tecnologia Formal Tecnologia

Leia mais

FORMA CORPO DE PROVA. Med. (Cm) Banho Acabamento. 5X10 Zinco Zinco. 10x20 Zinco Colorida. 15x30 Zinco Colorida. 10x20 Zinco C/Tampa FORMA PRISMÁTICA

FORMA CORPO DE PROVA. Med. (Cm) Banho Acabamento. 5X10 Zinco Zinco. 10x20 Zinco Colorida. 15x30 Zinco Colorida. 10x20 Zinco C/Tampa FORMA PRISMÁTICA FORMA CORPO DE PROVA Med. (Cm) Banho Acabamento 5X10 Zinco Zinco 10x20 Zinco Colorida 15x30 Zinco Colorida 10x20 Zinco C/Tampa FORMA PRISMÁTICA Med. (Cm) Banho Peso (Kg) 10x10x10 Zinco 8 15x15x15 Zinco

Leia mais

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras

Caixa para medidores com ou sem leitura por vídeo câmeras Dobradiça Furação para passagem de cabo de Ø21 mm ( 12x ) Vista Inferior Item 1 e 2 Adaptador para parafuso A.A. Fixação dos trilhos através de parafuso e porca ( possibilitando regulagem ) Trilho de fixação

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA

DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA DOSAGEM DE CONCRETO ASFÁLTICO USINADO A QUENTE UTILIZANDO LIGANTE ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA Jean Pier Vacheleski 1, Mauro Leandro Menegotto 2, RESUMO: Com o grande número de pneus descartados surge

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00033/2014-000

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00033/2014-000 26267 - UNIVERSIDADE FED DA INTEGR LATINO-AMERICANA 58658 - UNIVERSIDADE FED. DA INTEGR. LATINO-AMERICANA RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00033/20-000 - Itens da Licitação - APARELHO ENSAIOS FÍSICOS

Leia mais

ME-9 MÉTODOS DE ENSAIO ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA DE SOLOS

ME-9 MÉTODOS DE ENSAIO ÍNDICE DE SUPORTE CALIFÓRNIA DE SOLOS ME-9 MÉTODOS DE ENSAIO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO...3 2. OBJETIVO...3 3. S E NORMAS COMPLEMENTARES...3 4. APARELHAGEM...4 5. ENERGIAS DE COMPACTAÇÃO...7 6. EXECUÇÃO DO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O cimento é um dos materiais de construção mais utilizados em obras civis. Com relação a esse aglomerante, julgue os itens a seguir. 61 No recebimento em uma obra, os sacos devem

Leia mais

Concretos e Agregados

Concretos e Agregados E3.01 AGREGADO AVALIAÇÃO DA DURABILIDADE PELO EMPREGO DE SOLUÇÕES DE SULFATO DE SÓDIO OU DE MAGNÉSIO DNER-ME 089; ASTM C 88 PALAVRA-CHAVE: Durabilidade, agregado, sulfato de sódio, magnésio, concreto C-1014-100

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1.261, DE 20 DE AGOSTO DE 2015

LEI MUNICIPAL Nº 1.261, DE 20 DE AGOSTO DE 2015 LEI MUNICIPAL Nº 1.261, DE 20 DE AGOSTO DE 2015 Autoriza o Poder Executivo Municipal a doar equipamentos médicos ao Hospital São Roque de Cacique Doble. CLAIRTON PASINATO, Prefeito Municipal de Cacique

Leia mais

Critérios de Avaliação Fabril. Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência)

Critérios de Avaliação Fabril. Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência) Critérios de Avaliação Fabril Artefatos de Concreto para uso no SEP (Sistema Elétrico de Potência) O presente subitem tem como objetivo orientar fabricantes de artefatos de concreto para redes de distribuição

Leia mais

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice

------------------------------- -----------------------------Henflex. Henflex------------------------------ Índice Índice 1.Características Gerais... 2 2.Seleção do Tamanho do Acoplamento... 2 2.1- Dimensionamento dos acoplamentos Henflex HXP para regime de funcionamento contínuo... 2 2.2 Seleção do Acoplamento...

Leia mais

ME-25 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE PENETRAÇÃO DE MATERIAIS BETUMINOSOS

ME-25 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE PENETRAÇÃO DE MATERIAIS BETUMINOSOS ME-25 MÉTODOS DE ENSAIO ENSAIO DE PENETRAÇÃO DE MATERIAIS BETUMINOSOS DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. E NORMAS COMPLEMENTARES... 3 4. DEFINIÇÃO... 3

Leia mais

SALA DE PRÉ AMPLIFICAÇÃO. Área de preparo de reagentes. Pipetas e ponteiras

SALA DE PRÉ AMPLIFICAÇÃO. Área de preparo de reagentes. Pipetas e ponteiras Área de preparo de reagentes Pipetas e ponteiras Área de preparo de amostras/controles - 1 Pipetas, tubos e ponteiras Área de preparo de amostras/controles - 2 Centrífuga Termobloco Vórtex Área de preparo

Leia mais

Anexo A 30/10/2014 10:01

Anexo A 30/10/2014 10:01 Licitação: PR-32/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS 23065.16923/2014-38 Anexo A 30/10/2014 10:01 Assunto: AQUISIÇÃO DE MATERIAIS PERMANENTES PARA O BIOTÉRIO CENTRAL Item Especificação do Material 1 5.208.005.026

Leia mais

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA

DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA Anais do XX Encontro de Iniciação Científica ISSN 1982-0178 DETERMINAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DE CONCRETO C40 E C50 EXECUTADO COM AGREGADOS RECICLADOS CINZA Caio Henrique Tinós Provasi

Leia mais

MÉTODO EXECUTIVO ME 33

MÉTODO EXECUTIVO ME 33 Objetivo: FOLHA 1 de 8 O objetivo do MÉTODO EXECUTIVO ME 33 é detalhar o Processo Membrana Acrílica Estruturada Impermeável (MAI), de modo a propiciar o treinamento da mão de obra e por conseqüência garantir

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PROCESSO Nº 23502.000008.2014-24

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014. Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014. Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014 Município: ESTAÇÃO/RS Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon INTRODUÇÃO Tem este Memorial Descritivo por finalidade orientar

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Modelo TS-242 ESCOVA GIRATÓRIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Modelo TS-242 ESCOVA GIRATÓRIA Modelo TS-242 ESCOVA GIRATÓRIA Para prevenir ferimentos ou danos, antes de usar o aparelho leia e siga atentamente a todas as instruções contidas neste manual. MANUAL DE INSTRUÇÕES PRECAUÇÕES As instruções

Leia mais

MÉTODO EXECUTIVO ME - 40

MÉTODO EXECUTIVO ME - 40 Objetivo: O método tem como objetivo detalhar o processo de proteção estanque para evitar eflorescência em piscina, utilizando membrana polimérica, de modo a propiciar o treinamento da mão de obra e por

Leia mais

PROJETO DE CHURRASQUEIRA EM ALVENARIA

PROJETO DE CHURRASQUEIRA EM ALVENARIA Faz mais pelo seu churrasco! PROJETO DE CHURRASQUEIRA EM ALVENARIA Existem muitos modelos de churrasqueiras de alvenaria. Este projeto que recomendamos tem especialmente uma exaustão segura na maioria

Leia mais

PROJETO DE CHURRASQUEIRA EM ALVENARIA SC 584 SC. www.giragrill.com

PROJETO DE CHURRASQUEIRA EM ALVENARIA SC 584 SC. www.giragrill.com PROJETO DE CHURRASQUEIRA EM ALVENARIA 584 SC 584 SC www.giragrill.com ELEVGRILL Medidas: E A C B D QUADRO BASE Modelo Prime / SC Medidas em centímetros A B C D E Qtde. Espetos ELEVGRILL 584 49 38 59 49

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND Entidade Setorial Nacional Mantenedora ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE CIMENTO PORTLAND Av. Torres de Oliveira, 76 (11) 3760 5300, www.abcp.org.br. fernando.dalbon@abcp.org.br Entidade Gestora Técnica ASSOCIAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN

MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN MANUAL DE OPERAÇÃO SECADORA CIRCULAR H80 DMAN * Foto meramente ilustrativa Manual de Instalação e Funcionamento 2 ÍNDICE 1Instalações 1.1 Esquemas Elétricos 2 Operação 2.1 Formas de Operação do Equipamento

Leia mais

PISO EM CONCRETO ARMADO COM TELA E JUNTAS DE DILATAÇÃO (ESP=10CM) - FCK=>20MPa

PISO EM CONCRETO ARMADO COM TELA E JUNTAS DE DILATAÇÃO (ESP=10CM) - FCK=>20MPa CPU 01 SINAPI 88245 ARMADOR COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,02 15,05 0,30 SINAPI 88309 PEDREIRO COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,26 15,05 3,91 SINAPI 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 1,94 11,25

Leia mais

CONCRETOS O CONCRETO NO ESTADO FRESCO. Professora: Mayara Custódio

CONCRETOS O CONCRETO NO ESTADO FRESCO. Professora: Mayara Custódio CONCRETOS O CONCRETO NO ESTADO FRESCO Professora: Mayara Custódio CONSISTÊNCIA DO CONCRETO CONSISTÊNCIA TRABALHABILIDADE É a propriedade do concreto fresco que identifica sua maior ou menor aptidão para

Leia mais