Internet Mercado de vídeos on-line Marcelo Azambuja. Internet Marco civil. Neutralidade de rede Oripide Cilento. Internet Transmedia live events

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Internet Mercado de vídeos on-line Marcelo Azambuja. Internet Marco civil. Neutralidade de rede Oripide Cilento. Internet Transmedia live events"

Transcrição

1 .. SET EXPO 2014 CONGRESSO 24 a 27 de agosto de Programa resumido (sujeito a ajustes) QUARTA Sala 11 Sala 12 Sala 13 SALA 15 09:00/ 11:00 Normas & Regulamentações Switch off: estamos preparados? Luiz Gurgel 11:30/ 13:30 Áudio Produção: Radio/ TV/ Multimídias Marco Túlio 15:00/ 17:00 Rádio Migração AM: implantação, faixa estendida. Eduardo Cappia Internet Mercado de vídeos on-line Marcelo Azambuja Internet Marco civil. Neutralidade de rede Oripide Cilento Internet Transmedia live events Rodrigo Arnaut Exibição & Consumo TV 2020: o futuro da TV conectada Aguinaldo Boquimpani Cenários & Tendências HOT SESSION: As novas tendências de exibição e consumo de mídia Nelson Faria Exibição & Consumo APP. Segunda tela. Salustiano Fagundes DTV & Consumo Brasil 4D André Barbosa DTV & Consumo Recepção na TV digital Eduardo Bicudo Produção Projeto Olimpíadas José Marcelo Amaral. SET EXPO 2014 CONGRESSO 24 a 27 de agosto de 2014 Programa detalhado (sujeito a ajustes). QUARTA 27/08/ Quarta 09:00/ 11:00 Sala 11 Idiomas: português/ inglês Exibição & Consumo Estamos preparados para o Switch off? Cobertura. Infraestrutura. Operação. Mod.: Luiz Gurgel - SET/ TV Jornal - Recife Estamos preparados para o switch off? Infraestrutura. Usuários. Cobertura. É determinante avaliarmos considerando a questão da cobertura do canal digital comparado com a cobertura do canal analógico, inclusive tratando da necessidade, dimensionamento e instalação de gap fillers. Necessidade de planejamento para regularização da cobertura; Palestrante: Valderez Donzelli SET/ ADTHEC O projeto piloto de switch off. Disponibilidade dos equipamentos pelos fabricantes. O problema das retransmissoras. A divulgação Reforçadores de sinais para melhoramento da cobertura do sinal de TV digital na região metropolitana da cidade de Goiânia. Palestrante: Danilo Carlos de Oliveira Rosa - Televisão Anhanguera S/A (Goiânia) O sistema brasileiro de televisão digital terrestre (SBTVD) (do inglês: Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial, brazilian version ISDB-Tb) foi implementado a partir da modificação de alguns aspectos do padrão japonês, o ISDB-T, porém conservou uma importante característica de transmissão do sinal digital que torna possível a utilização de Rede de Frequência Única (RFU) (do inglês: Single Frequency Network - SFN), que é a utilização da modulação OFDM (do inglês: Orthogonal Frequency Division Multiplexing). Fundamentado no conceito de Rede de Frequência Única (RFU), este trabalho baseia-se em um tipo específico de rede SFN que são as compostas por estações reforçadoras de sinal (do inglês: gap filler) para o preenchimento de lacunas, ou regiões de sombra, na área de cobertura de uma estação já existente em uma determinada cidade ou região. Simulações, baseadas em um estudo de caso, mostram que estações gap filler utilizadas em regiões urbanas metropolitanas são ferramentas úteis e necessárias para a melhoria da cobertura de TV Digital, preenchendo algumas regiões que podem estar obstruídas por edificações, vegetações, relevo ou outro obstáculo. É esperado que simulações e análises detalhadas devam ser cuidadosamente consideradas antes da implementação para mitigar riscos de interferência em áreas que já estão cobertas e para assegurar que a estação gap filler irá cobrir apropriadamente todas as lacunas. Medições de campo a fim de verificar diferenças nível e atraso entre sinais interferentes além da qualidade do sinal recebido também são imprescindíveis neste tipo de implementação. Além das fronteiras técnicas Palestrante: Frederico Rehme SET/ RPC TV/ UP A experiência da RPC TV na interiorização do sinal e na divulgação da TV digital, envolvendo questões técnicas de engenharia, de marketing e de negócio; Um estudo multidisciplinar (engenharia, marketing, administração, economia, direito, comunicação social) da Universidade Positivo como proposta de guia do processo de desligamento da TV analógica. 1

2 GAP FILLERS: Problemas a serem considerados em seus cálculos. Palestrante: Rolaid Stein Palestrante: Cristiano Akamine Universidade Mackenzie Utilização do Rádio Definido por Software na regularização da cobertura urbana e nas retransmissoras Resumo: O Rádio Definido por Sofware (Software Defined Radio - SDR) é uma das mais importantes tecnologias emergentes para o futuro das comunicações sem fio. As principais funcionalidades do SDR são realizadas no software permitindo a reconfiguração para diversos sistemas e padrões. Esta seção tem como objeto explicar a tecnologia SDR e propor soluções modernas de monitoramento do espectro, controle e repetição do sinal da TV Digital com o SDR. Internet: mercado de vídeos on-line Mod.: Marcelo Azambuja SET/ Globo.com 27/08/ Quarta 09:00/ 11:00 Sala 12 Idiomas: português/ inglês Case da transmissão da Copa realizada pela Globo.com Palestrante: Rafael Pereira Globo.com Relação Audiência x Fã Palestrante: Sandra Jimenez You Tube Mercado de Vídeos On-line Palestrante: Rodrigo Paolucci - SambaTech Palestrante: Werner Michels - Terra Exibição & Consumo: TV 2020: o futuro da TV conectada. Mod.: Aguinaldo Boquimpani SET 27/08/ Quarta 09:00/ 11:00 Sala 13 Idiomas: português/ inglês Esta sessão discutirá sobre as tendências e o futuro da TV conectada à Internet. O painel trará um debate sobre o tema das tendências de tecnologia e da evolução da indústria e da audiência conectada. As conversas devem girar em torno das seguintes questões: - Quais são as tendências atuais da indústria de televisão levando em conta a conexão da TV com a Internet? O que muda na descoberta de conteúdo, navegação e entrega do conteúdo? - Que inovações já existem que poderiam ser reformuladas para atender a essas tendências? - Quais são os novos pensamentos sobre como a inovação tecnológica podem impactar positivamente a integração entre TV e Internet? - Como integrar a crescente oferta de conteúdo online/ on-demand e a expansão das novas telas ao ambiente da TV? - Como esculpir o panorama das tendências em pedaços digeríveis que podem ser resolvidos com a implementação gradual das inovações de tecnologia? - O que os consumidores exigem e que eles estão prontos para aceitar? 2

3 Avanços no sistema Hybridcast no Japão Novos serviços e tecnologias Palestrante: Masaru Takechi, Mr NHK O Hybridcast é o sistema Integrado Broadcast-Broadband (IBB) usado no Japão baseado em HTML5. A especificação V1.0, padronizada in Março 2013 pelo IPTV Forum Japan, define a arquitetura básica do sistema e suas funções focando em aplicações chamadas 'broadcast-oriented managed application'. Este tipo de aplicações permite serviços de radiodifusão flexíveis. Desde o lançamento do Hybridcast em Setembro 2013, estes serviços são continuamente evoluídos. Em adição ao esforço de evolução dos serviços Hybridcast, diversos avanços tecnológicos foram incorporados. A especificação V2.0, publicada em Junho 2014, adiciona funcionalidades significativas ao Hybridcast definindo novos modelos de comportamento, modelos de aplicações e APIs. Nesta apresentação os desenvolvimentos tecnológicos e de serviços do Hybridcast serão discutidos. Além disso a especificação do Hybridcast para TV Digital Ultra-HD (UHDTV) sob MMT (MPEG Media Transport) que foi padronizado em Julho também será discutida. Interatividade Tecnologias convergentes para TV Broadcast & Broadband Palestrante: David Britto - TOTVS / TQTVD Esta palestra foca em novas tecnologias que evoluem o caminho de convergência entre o Broadcast e o Broadband. O palestrante irá abordar as tecnologias para interatividade de conteúdos Broadcast & Broadband exercitando casos de uso inovadores onde o conteúdo linear e não linear podem ser usados para ajudar a desenvolver novos modelos de negócio para radiodifusores. Social TV - A TV mudou-se para as redes sociais Palestrante: Gil Giardelli - Gaia Creative O século XXI será de pessoas individualmente livres e voluntariamente juntas, o caminho é a Social TV. Não importa o nome, alguns chamam de Transmídia, Crossmídia, Multimídia, Storytelling. O importante é que nos tornamos contadores de histórias globais. O importante é que a era digital mudou a forma de fazer TV, notícia e entretenimento. Agora somos todos fotógrafos, investigadores e construtores de um novo mundo. Por isso, esta sessão vai mostrar vários cases que estão mudando a TV, cinema, entretenimento e o jornalismo. Boa viagem! Produtos Multi-plataforma na Globosat Palestrante: Cassiano Fróes - GLOBOSAT Com a popularização de devices conectados e o aumento da capacidade da conexão, a experiência de assistir a vídeos sobre IP se torna cada vez mais simples e agradável. Definitivamente a TV não é o único dispositivo para ver TV ; a experiência de consumir conteúdo audiovisual em outras telas (ou com telas complementares) é uma realidade cada vez mais presente para os telespectadores. A Globosat é pioneira no lançamento de produtos de TV-Everywhere e de Vídeo On Demand no Brasil. O Muu foi o primeiro produto de TVE lançado no Brasil, em agosto de Desde então ampliamos a oferta, com novos produtos disponíveis em diversas plataformas e em parceria com as principais operadoras de TV do país. Vamos apresentar os desafios enfrentados e as dificuldades que surgiram durante esse processo e apontar as possibilidades que enxergamos para o futuro. DTV & INTERATIVIDADE Brasil 4D Mod.: Andre Barbosa Filho SET/ EBC 27/08/ Quarta 09:00/ 11:00 SALA 15 Idiomas: português/ inglês O Brasil quando da adoção de um sistema da TV Digital não escolheu apenas o ISDB-T. O País fez um esforço colaborativo com as Universidades e Centro de Pesquisa para que oferecessem respostas as necessidades para suas necessidades de implantação. Destas ações nasceram grandes ideias, entre estas, o Ginga, o middleware que interfaceia as camadas de transporte, modulação e codificação com as de conteúdos. Esta contribuição, que é responsável pela exibição de audiovisuais dinâmicos e a interatividade com canal de retorno, configura-se na base tecnológica para o teste de conceito da TV Digital Interativa realizado sob a coordenação da EBC, com a participação das Universidades, 12 empresas privadas e o Banco Mundial em João Pessoa na Paraíba em 2013 e no Distrito Federal em Um programa de inclusão digital que permite através interatividade plena, o acesso a conteúdos e aplicativos audiovisuais com uso dos serviços de telefonia móvel 3G como canal de retorno. Este é o Brasil 4D. 3

4 Conteúdos e aplicativos digitais Palestrante: Cosette Castro - Casaca - Oi Carlos Alberto - HMA Rodrigo Cascão Araujo EITV RADIO Produção Mod.: Marco Tulio SET/ Sistema Globo de Radio 27/08/ Quarta 11:30/ 13:30 Sala 11 Idiomas: português/ inglês Palestrante: Carlos Ronconi TV Globo Palestrante: Luiz Fausto SET/ TV Globo Palestrante: Jose Carlos Barbedo (Formiga) - SET INTERNET Marco Civil. Neutralidade de rede. Mod.: Oripede Cilento SET/ NIC.br 27/08/ QUARTA 11:30/ 13:30 Sala 12 Idiomas: português/ inglês Marco Civil. A neutralidade de rede e os desafios para impedir a discriminação de serviços multimídias na Internet. Um dos pontos mais relevantes do Marco Civil da Internet no Brasil, sancionado como Lei é o artigo 9, que trata da neutralidade da rede. O conceito central da neutralidade é o de tratamento isonômico do tráfego de dados por parte dos fornecedores de trânsito Internet (ISP). Provedores de banda larga, querem que as agências reguladoras autorizem a prática de cobrar valores adicionais para priorizar tráfego de certos serviços de Internet (áudio e vídeo, por exemplo) em detrimento de outros. Assim, a neutralidade da rede do lado do usuário estaria comprometida pela manipulação e monetização arbitrária de seu tráfego na conexão de banda larga. O Marco Civil procura impedir essas práticas discriminatórias e arbitrárias cujos custos, monetários e na qualidade de serviço, acabam sempre onerando o usuário final. Nesta sessão pretendemos esclarecer os conceitos sobre a neutralidade da rede, os desafios a enfrentar para construir a legislação e regulação pertinentes, quais seriam as exceções técnicas previsto na lei e apresentando a posição dos principais atores envolvidos. 4

5 Marco Civil e a Neutralidade de rede Palestrante: CARLOS ALBERTO AFONSO - CGI.br / ISOC-Brasil Por que devemos manter a neutralidade da rede? Palestrante: EDUARDO FUMES PARAJO - CGI.br / ABRANET A regulamentação das exceções à neutralidade de rede. Palestrante: ALEXANDER CASTRO Sinditelebrasil Cenários & Tendências HOT SESSION: As novas tendências de exibição e consumo de mídia Mod.: NELSON FARIA JR SET 27/08/ Quarta 11:30/ 13:30 Sala 13 Idiomas: português/ inglês Este talk show terá o objetivo de ouvir e discutir, com a experiente visão e profundo conhecimento de Diretores da SET e um renomado profissional convidado da área de marketing, quais serão as tendências nas áreas de exibição e de consumo de mídia. Entre os fatores a serem evidenciados no painel iremos discutir em como atender as necessidades e desejos mais profundos dos consumidores a que estas tendências se referem. Quais são os fatores na evolução da tecnológica que poderão impulsionar estas mudanças nos próximos anos? Como e onde as empresas e os profissionais podem aplicar estas tendências aos seus interesses? Como a formação e desenvolvimento dos atuais e novos talentos serão impactados por essas tendências e como se preparar para atender às demandas na preparação intelectual e tecnológica desses profissionais? A SET aproveita para agradecer e homenagear o Lula Vieira que muito contribui para a nossa associação desde a nossa fundação: CRIANDO A LOGOMARCA SET Convidado SET especial: Lula Vieira Palestrante: Adilson Pontes Malta SET "Eventos ao vivo - O modelo de TV híbrida "IBB", a plataforma ideal para disponibilização de conteúdo ao vivo em múltiplas telas" Palestrante: David Britto SET/ TQTVD Eventos ao vivo captam informações de inúmeras fontes e trazem o grande desafio para os Radiodifusores de como disponibilizar esta grande variedade de conteúdos para os telespectadores, de forma sincronizada, em televisores e dispositivos pessoais chamados "segunda tela". O modelo de TV híbrida IBB é uma proposição recomendada pelo ITU-T (J.205/J.206) para conjugar a robustez da tecnologias de RF utilizados na TV Digital com a flexibilidade da tecnologia IP (Internet Protocol) de forma a criar experiências consistentes de consumo de conteúdo em múltiplas telas. 5

6 Palestrante: Rodrigo Arnaut SET/ TV GLOBO/ Era Trasmídia A TV na Internet das Coisas Palestrante: Salustiano Fagundes SET/ HXD Estamos começando a viver na era da Internet das Coisas. Em 2015 mais de 25 bilhões de dispositivos estarão conectados à nuvem, aumentando o poder de processamento e trazendo novas possibilidade de interações entre pessoas e negócios. Áreas como telecomunicações, energia, meio ambiente, logística, segurança entre outras já utilizam os progressos alcançados nos últimos anos com as tecnologias relacionadas a Internet das Coisas (georreferenciamento, robótica, biometria, big data e nuvem). Com a televisão cada vez mais conectada, a forma como nos divertimos e nos informamos também vai ser impactada pela criação de novos formatos de aplicações que podem expandir as fronteiras da experiência interativa. DTV & CONSUMO Recepção da TV digital Mod.: Eduardo Bicudo SET/ EBC 27/08/ Quarta 11:30/ 13:30 Sala 15 Idiomas: português/ inglês Recepção terrestre DTV, impacto nos condomínios, residências. Palestrante: Marcello Martins SET/ CENTURY Apresentaremos aspectos relevantes considerando o ponto de vista da Indústria de recepção e outras condições relativas ao complexo modelo existente no Brasil. Analisaremos um ponto critico: locais de grande concentração de pessoas/moradores. Iniciaremos debate para entender melhor de que forma os usuários assistem TV no Brasil atualmente? E com a chegada da TV Digital? Como a TV do consumidor é conectada hoje e como será? Usaremos o tradicional CATV? E o que precisa ser mudado de imediato? Quantos são atualmente os telespectadores que recebem sinal do ar (DTV)? Qual a situação nos grandes centros c/ edifícios residências? Como fazer com o switch off sem deixar os usuários órfãos? Alem disso, quais são as ações e os desafios para Emissoras de TV, Governo e Indústrias... Interatividade Palestrante: Renato Favilla EBC O uso da televisão digital para alertas de catástrofes - EWBS. Palestrante: Emerson Weirich EBC No sistema de televisão digital japonês é possível transmitir e receber alertas de catástrofes estabelecendo uma comunicação essencial nestes casos para a população. Nesta palestra será apresentado como isso é feito no Japão pela TV pública japonesa NHK, como pode ser aplicado no Brasil e países da América Latina e os testes que a EBC está realizando nesta área. RADIO Migração AM, implantação e faixa estendida Mod.: Eduardo Cappia SET/ EMC 27/08/ Quarta 15:00/ 17:00 Sala 11 Idiomas: português/ inglês Migração OM & FM: equipamentos, planificação, canalização, regime de autorizações, governança. A sessão tem foco no mais importante marco da radiodifusão brasileira nas últimas décadas, setor RÁDIO, que é absorção do conteúdo das emissoras de Onda Média, por novas estações em Frequência Modulada, incluindo a faixa estendida FM, de 76 a 88 MHz. Iniciará com a apresentação da antena protótipo da faixa estendida FM, pela SHIVELY LABS com detalhamento de seu comportamento e diagramas, passando pela palestra do Engº JOSÉ MAURO DE ÁVILA, que Vice-Líder do Comitê Técnico AESP apresentará os principais tópicos técnico-legais, com equipamentos e adaptações ao processo migratório. 6

7 O Engº ANDRÉ CINTRA abordará a planificação da canalização FM resultante da Migração com foco nas Consultas Públicas da Região Norte / Nordeste do Brasil e novos desafios na região SUL / SUDESTE, altamente congestionada espectralmente. O Ministério das Comunicações, através de seu representante, discorrerá sobre o estágio atual do processo, com ênfase na finalização das Consultas e contratos de permissão das novas FMs resultantes e informações correlatas. Antenas FM transmissoras na faixa estendida Palestrante: Jonathan Corkey - Shively Labs Apresentação de protótipo, propagação, cobertura e outras características. Equipamentos na migração: como operacionalizar novas emissoras FM - faixa convencional e estendida. Palestrante: José Mauro Ávila AESP Operação analógica, equipamentos, estações reforçadoras, e como a indústria de transmissão e recepção encontra-se preparada para o processo. Estação e FM em análise. Canalização FM: afetada pela migração. Acomodação de canais. Faixa convencional FM. Palestrante: André Cintra SET/ ALUC Avaliação. Respeito às margens de proteção. Canalização com ênfase na preparação das consultas públicas dos Estados Brasileiros. Palestrante: Ministério da Comunicação Apresentação pelo representante do MC/SCE relativa ao andamento do processo de outorgas, avaliações sobre o regime de outorgas, operacionalização, prazos e primeiras estações a serem implantadas. INTERNET Transmedia live events Mod.: Rodrigo Arnaut SET/ TV GLOBO/ ERA TRANSMIDIA 27/08/ Quarta 15:00/ 17:00 SALA 12 Idiomas: português/ inglês A ideia da sessão é trazer profissionais da área de comunicação e tecnologia que se envolvam com ações multiplataformas em eventos ao vivo, para trocar experiências sobre a criação, produção e operação desses eventos, onde ocorre grandes fenômenos de participação da audiência, que vão além da tela da TV ou do som de uma rádio, sejam pelas mídias sociais, por aplicativos, presencialmente nas ações offline e também fomentando debates calorosos e populares entre amigos e familiares. Transformando um evento em uma grande disseminação de histórias, opiniões e engajamento do tema que está sendo transmitido. Live Technology Palestrante: Shay David Kaltura In todays world, every company is a media company. in the last few years Kaltura had the opportunity and pleasure to be able to power some of the worlds largest events inside and outside the firewall. whether for sporting, news, entertainment or for corporate communication, distance learning, or even tele-medicine, video offers new modes for the audience to engage, learn, and participate. Jornalismo Transmidia Palestrante: Eduardo Ricci Jornalista/ Cineasta Eduardo Ricci (Jornalista e Cineasta) O processo criativo do Attimo Transmedia - Cultura em instantes de vida, um projeto que é uma performance audiovisual de videoativismo, com dispositivos móveis, em formato de jornalismo transmídia. Tem como foco oferecer ao espectador/consumidor maior acesso à diversidade da informação convergente, nas múltiplas plataformas e dispositivos móveis que possibilitam um recorte de fatos socioculturais significativos, usando a narrativa e a estética do audiovisual expandido. Ricci trabalha com registros em vídeos, fotos e sonoros, com aplicativos como Fragment, Snapseed, Twitcasting, Blux camera, Time Lapse, entre outros. Todos com tablet, smartphone e câmera fotográfica DSRL. O processo final da cobertura são exibições com edição em tempo real, usando o aplicativo Vidibox, para mixar as imagens captadas e exibidas em lugares como bares, restaurantes, cineclubes e outros espaços culturais. Eventos Transmidia Palestrante: Rodolfo Oliveira - Corazonada Brand Storytelling / EraTransmídia A experiência de um evento não dever estar presa apenas na vivência no momento. Deve-se buscar a ampliação dos pontos de contato com sua audiência, aumentando assim, a experiência do usuário. 7

8 Concertos Ao Vivo Palestrante: Marcos Rombino - TV Cultura / FAAP Democratizar a informação, como tornar possivel a vários espectadores estarem próximos a um conteúdo singular e que por inúmeros fatores pode se tornar restrito. Estudando a obra da maioria dos compositores eruditos descobri que suas composições visavam o público, o maior e mais diverso possivel. Quebrar a barreira das distancias, das salas de concerto e mesmo da grade de programação das emissoras agora é cada vez mais possivel. A transmissão de espetáculos digitais ao vivo oferece a chance de todos acessarem Concertos, Balets, Óperas em diversos formatos. A arte navega livremente atravessando o tempo e o espaço sem limites, sem fronteiras e sem restrições. Televisão ao vivo Palestrante: Fernando Gueiros - TV Globo O que se deve considerar ao receber uma encomenda para transmissão ao vivo, em televisão. Quais os níveis de complexidade que se encontra para operacionalizar (((uma))) atividade realizada fora da emissora. Exemplos do fluxo, ações e soluções que devem ser levados em conta entre o planejamento e a realização de uma operação ao vivo. Cinema interativo ao vivo Palestrante: Fabio Hofnik - Cine Imersão / IMERSIVOS A imersão como ferramenta de aproximação do público com produto tem sido cada vez mais usada no entretenimento ao vivo. Vemos uma demanda crescente de atividades narrativas e participativas nos grandes museus do mundo, que dão a oportunidade do público ter contato com o assunto de uma forma inédita, por exemplo. No universo do teatro/cinema imersivo, a narrativa ganha conteúdo e camadas extras que dão ao participante infinitas possibilidades de consumo do produto e o coloca no centro da ação. Internet ao vivo Palestrante: DORIAN GUIMARAES - ABRANET Toda história tem diferentes formas de serem contadas, e também de serem assistidas pelos telespectadores. Quando falamos da eventos ao vivo, logo remetemos a TV como referência. Na minha perspectiva, vejo o evento ao vivo a partir de algo criado para a Internet que muitas vezes não chega a TV. Desta forma percebo que existem centenas de eventos acontecendo na Internet que são práticas vivas do uso da transmidia. Pretendo explorar estes eventos sejam eles na área de entretenimento ou se educação. Algo que vem mudando a forma de transferir o conhecimento e ampliar as experiências cognitivas e a inclusão de coautores destes eventos onde o telespectador passa a ser um integrante ativo do evento. Exibição & Consumo: APPS e segunda tela: construindo pontes entre a TV e as plataformas digitais. Mod.: Salustiano Fagundes SET/ HXD 27/08/ Quarta 15:00/ 17:00 Sala 13 Idiomas: português/ inglês Cada vez mais os consumidores assistem à televisão conectados a uma ou mais telas simultâneas. Muito mais do que uma tendência, a realização Copa do Mundo da FIFA de 2014 (que já é considerada a mais conectada da história registrando tráfego de dados superior a 32 terabytes nos seus primeiros dias) veio comprovar que a segunda tela já se firmou nos hábitos e costumes dos brasileiros. A interatividade entrou em destaque: os principais canais disponibilizaram aplicativos de segunda tela e as interações sobre programas televisivos nas redes sociais têm tido crescimento exponencial. O Painel vai apresentar cases e discutir os desafios e oportunidades que o uso de segunda tela traz para broadcasters e marcas. Ecossistema por trás da segunda tela Palestrante: Tom Jones Moreira SET / Tvdigitalbr/Tecsys do Brasil Os Tablets estão se tornando uma verdadeira commodity nas casas mundo a fora, e isto obviamente tem levantado um grande interesse não só dos broadcasters, mas também de todos os provedores de conteúdo. As razões para isso vão desde: Dispositivos sempre conectados que podem fornecer informação quantificada e qualitativa em tempo real sobre os hábitos desses espectadores, além do que esses dispositivos permitem ainda estender a experiência do usuário além do programa de TV, fortalecendo assim o engajamento do telespectador e o mais importante aumentando o valor do "canal/operadora" para o cliente e com isso fazendo a diferença sobre seus concorrentes. Pegando carona nessa vertente começam a surgir novos aplicativos chamados de : "Sync-to-TV" apps. A sincronização para TV refere-se a um aplicativo desenvolvido para a segunda tela (neste caso um tablet ou ipad) que reconhece um programa transmitido através de um aparelho de TV e lança módulos interativos na segunda tela correspondente com a programação. 8

9 As mudanças em relação à experiência multitelas. A publicidade em multitelas na era da mídia social. Palestrante: Kirssy Valles - Harmonic Esta apresentação aborda os desafios e oportunidades da implementação desta nova experiência de conexão de TV móvel e social. A experiência de visualização de televisão tradicional está dando lugar a um ambiente múltiplo no qual as pessoas, programas e telas são móveis - os telespectadores podem consumir conteúdo de vídeo onde quer que eles tenham acesso a dispositivos conectados à internet. Esta emergente visualização em multitelas traz novos padrões de audiência, e novos modelos de negócios de mídia. Somando a isso, as redes sociais tornaram-se relevantes, como forma de comunicação, porta de entrada de conteúdo e descoberta de vídeo. Os telespectadores estão simultaneamente on-line enquanto assistem televisão e oferecendo possibilidades para a interação social sobre os shows que eles estão assistindo. As multitelas e mídias sociais têm o potencial de ampliar significativamente a visualização e permitir publicidade endereçável. Os anunciantes e provedores de conteúdo e de serviços precisam estabelecer estratégias para otimizar sua presença na mídia social e oferecer ao consumidor uma experiência de usuário unificada. Esta apresentação aborda os desafios e oportunidades relativos implementação destas novas experiências de TV social e conectada móvel. Palestrante: Luis Renato Olivalves - Facebook Palestrante: Eliane Leme Rede Band A Band é uma das emissoras que mais investem em segunda tela. As experiências começaram em 2012, evoluindo ano a ano e culminando com ações de conteúdo e publicidade na Copa do Mundo. A apresentação vai mostrar a relação da televisão com a segunda tela; os ganhos para o telespectador, para os programas de TV e para os anunciantes. Palestrante: Carlos H. Moreira Jr Twitter Palestrante: Mauricio Vieira Civolution Produção Projeto olimpíadas Mod.: Jose Marcelo Amaral SET/ Rede Record 27/08/ Quarta 15:00/ 17:00 Sala 15 Idiomas: português/ inglês Palestrante: LUIZ FERNANDO DE CASTRO BOURDOT - Embratel Palestrante: NIEL UGO NORIAKI Panasonic EVS nos Jogos Olímpicos de Inverno Sochi 2014 Palestrante: Benjamin Mariage - EVS Descrição das estruturas montadas nos locais de competições, todo o workflow do International Broadcast Center, a recepção das múltiplas gravações simultâneas, os replays em slow e super slow motions, gerenciamento, o sistema de logging, a distribuição de sinais e arquivos, o Storage Central, os sistemas de procura Browsing on site dentro do IBC e Browsing off site procura feita por WebBrowse direto das empresas em seus países de origem, até os múltiplos playouts que exibiram ao vivo mais de 2200 horas para que todo o mundo não perdesse nenhum detalhe de tudo que aconteceu nos Jogos Olímpicos de Inverno realizado entre 6 e 23 de fevereiro de 2014 em Sochi na Rússia.. Português SIGLAS English Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT Brazilian Association of Technical Standards Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão. ABPITV Brazilian Association of Independent Television production companies Aplicativo APP APPlication 9

10 Associação de Indústrias e Negócios de Radio ARIB Association of Radio Industries and Businesses Interface serial assíncrona ASI Asynchronous Serial Interface Switch off analógico ASO Analogue Switch Off TV a Cabo CATV Cable TeleVision Conversores DC-DC DCDC DC-DC Converters Televisão Digital Terrestre DTT Digital Terrestrial Television Televisão Digital DTV Digital Television Aquisição Eletrônica de Notícias ENG Electronic News Gathering Sistema de Broadcasting de Alerta de EWBS Emergency Warning Broadcasting System Emergências Sistemas de Alerta de Emergências EWS Emergency Warning Systems Federação Internacional de Futebol Associado FIFA Fédération Internationale de Football Association Alta Definição completa FULL HD High definition Full Alta Definição HD High Definition Faixa de alcance dinâmica HDR high Dynamic Range TV de Alta Definição HDTV High Definition TeleVision Padrão de codificação vídeo de alta eficiência HEVC High Efficiency Video Coding standard Taxas altas de frame HFR higher frame rates Gerenciamento de Armazenamento Hierárquico HSM Hierarchical Storage Management Centro Internacional de Transmissão IBC International Broadcasting Center Serviço Integrado de Transmissão Digital ISDB Integrated Services Digital Broadcasting Serviço Integrado de Transmissão Digital Terrestre ISDB-T Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial Fornecedores de trânsito Internet ISP Internet service provider Tecnologia da informação IT Information Technology Agencia japonesa de cooperação internacional JICA Japan International Cooperation Agency Evolução de Longo Prazo LTE Long term evolution Sistema de armazenamento de fitas linear LTFS Linear Tape File System Gerenciamento de acervos de mídia MAM Media Asset Management Taxa de erros de modulação MER Modulation Error Ratio Notificação sobre o arquivo master MFN Master File Notification Companhia de TV a cabo que atende a diversas comunidades MSO Multiple-Systems Operator Associação Nacional de Broadcasters (EUA) NAB National Association of Broadcasters Corporação de Radiodifusão Japonesa NHK Japan Broadcasting Corporation Arquitetura de documentos do Office ODA Office Document Architecture Sistema Aberto de Interconexão OSI Open System Interconnection Qualidade do serviço QOS Quality of service Protocolo de transporte rapido RTP Rapid Transport Protocol Protocolo em tempo real RTP Real-Time Protocol Sistema Brasileiro de Televisão Digital SBTVD Brazilian Digital TV System Definição padrão SD Standard Definition Disseminação Seletiva da Informação SDI Selective Dissemination of Information Interface de documento único SDI Single Document Interface Interface de desenvolvimento de software SDI Software Development Interface Interface Digital Serial SDI Serial Digital Interface Sociedade Brasileira de Engenharia de SET Brazilian Society of Television Engineering Televisão Rede de frequência única SFN Single Frequency Network Aquisição Eletrônica de Notícias SNG Satellite News Gathering sistema-em-um-chip SoC System-on-a-chip Biblioteca Padrão de Gabaritos STL Standard Template Library 10

11 . Enlace entre estúdio de TV e o transmissor STL Studio Transmitter Link TV Digital TVD Digital TV 11

Internet Mercado de vídeos on-line Marcelo Azambuja. Internet Marco civil. Neutralidade de rede Oripide Cilento. Internet Transmedia live events

Internet Mercado de vídeos on-line Marcelo Azambuja. Internet Marco civil. Neutralidade de rede Oripide Cilento. Internet Transmedia live events .. SET EXPO 2014 CONGRESSO 24 a 27 de agosto de 2014 - Programa resumido (sujeito a ajustes) QUARTA Sala 11 Sala 12 Sala 13 SALA 15 09:00/ 11:00 Normas & Regulamentações Switch off: estamos preparados?

Leia mais

Transmissão & Distribuição TV por Assinatura: o que podemos esperar da TV paga para o futuro próximo. Antonio João

Transmissão & Distribuição TV por Assinatura: o que podemos esperar da TV paga para o futuro próximo. Antonio João . SET EXPO 2014 CONGRESSO 24 a 27 de agosto de 2014 - Programa resumido (sujeito a ajustes) DOMINGO Sala 11 Sala 12 Sala 13 SALA 15 09:00/ 11:00 Gerenciamento Dimensionamento de redes para sistemas Tapeless

Leia mais

Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão

Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão SET 2014 A SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão) é a principal associação de profissionais que trabalham com tecnologias e sistemas operacionais

Leia mais

SET Sudoeste 2014. Realizados anualmente em diferentes cidades. Reportagem

SET Sudoeste 2014. Realizados anualmente em diferentes cidades. Reportagem SET Sudoeste 2014 Oferecemos nesta reportagem um resumo do acontecido no primeiro encontro regional de 2014 organizado pela SET em Vitoria (ES). Nele foram abordados temas tão diversos como migração de

Leia mais

SET EXPO 2014: Feira e Congresso Expo Center Norte São Paulo SP Brasil

SET EXPO 2014: Feira e Congresso Expo Center Norte São Paulo SP Brasil .. SET EXPO 2014: Feira e Congresso Expo Center Norte São Paulo SP Brasil Feira: 25 a 27 de agosto de 2014 12:00 as 20:00 horas 3 dias + de 130 estandes + de 300 empresas expositoras + de 10.000 visitantes

Leia mais

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T

NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T ANEXO 5 NOVAS APLICAÇÕES DO ISDB-T Uma das vantagens mais marcantes do ISDB-T é a sua flexibilidade para acomodar uma grande variedade de aplicações. Aproveitando esta característica única do ISDB-T, vários

Leia mais

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television

TV Digital : Convergência e Interatividade. 2010 HXD Interactive Television TV Digital : Convergência e Interatividade. A TELEVISÃO. A Televisão... o mais subversivo instrumento da comunicação deste século!" Assis Chateaubriand (1950). A Televisão Sem TV é duro de dizer quando

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social

Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Comunicação Social O SISTEMA DE RÁDIO DIGITAL: A MODERNIZAÇÃO DO M.C.M. MAIS POPULAR DO PLANETA Texto redigido para embasar apresentação de seminário na

Leia mais

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal Rádio Digital Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal Roberto Pinto Martins Secretário rio de Telecomunicações Ministério das Comunicações Sumário 1. Cenário

Leia mais

O Panorama da TV Digital no Brasil. Leandro Miller Leonardo Jardim

O Panorama da TV Digital no Brasil. Leandro Miller Leonardo Jardim O Panorama da TV Digital no Brasil Leandro Miller Leonardo Jardim Tópicos Abordados TV Aberta no Brasil Vantagens da TV Digital Padrões de TV Digital Sistema Brasileiro de TV Digital Oportunidades na TV

Leia mais

Tecnologia Broadcast ao serviço da educação

Tecnologia Broadcast ao serviço da educação reportagem Universidades Tecnologia Broadcast ao serviço da educação A Anhanguera Educacional conta com cerca de 40 estúdios de televisão com sinais via satélite para transmitir aulas a distancia para

Leia mais

A Tecnologia Digital na Radiodifusão

A Tecnologia Digital na Radiodifusão A Tecnologia Digital na Radiodifusão Painel Setorial de Telecomunicações INMETRO/XERÉM-RJ 27 de outubro de 2006 Ronald Siqueira Barbosa O O pobre e o emergente de hoje são s o aqueles que no passado, perderam

Leia mais

CONTENIDOS de TV DIGITAL y FORO TDT-OTT. La Televisión Universitaria. Experiencias internacionales

CONTENIDOS de TV DIGITAL y FORO TDT-OTT. La Televisión Universitaria. Experiencias internacionales CONTENIDOS de TV DIGITAL y FORO TDT-OTT La Televisión Universitaria. Experiencias internacionales Valderez de Almeida Donzelli Leite 01/10/2014 La Televisión Universitaria - SET Sociedade Brasileira de

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social

Desenvolvimento de Aplicações Interativas. GINGA NCL e LUA. Projeto TV Digital Social Desenvolvimento de Aplicações Interativas GINGA NCL e LUA Projeto TV Digital Social Marco Antonio Munhoz da Silva DATAPREV Gestor do Proejeto TV Digital Social AGENDA Divisão dos assuntos em quatro partes

Leia mais

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br

Jornalismo Multiplataforma. Tecnologias Redes e Convergência. eduardo.barrere@ice.ufjf.br Jornalismo Multiplataforma Tecnologias Redes e Convergência eduardo.barrere@ice.ufjf.br Panorama Em 2011, a TV atingiu 96,9% (http://www.teleco.com.br/nrtv.asp) TV Digital Uma novidade???? TV Digital Resolve

Leia mais

SEMINÁRIO RÁDIO DIGITAL - MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. Auditório dos Correios em Brasília, DF. 1º DE SETEMBRO DE 2011. COMITE TÉCNICO AESP PÁGINA 1

SEMINÁRIO RÁDIO DIGITAL - MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. Auditório dos Correios em Brasília, DF. 1º DE SETEMBRO DE 2011. COMITE TÉCNICO AESP PÁGINA 1 COMITE TÉCNICO AESP PÁGINA 1 SEMINÁRIO RÁDIO DIGITAL - MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES 1º DE SETEMBRO DE 2011. Local: Auditório dos Correios em Brasília, DF. Neste seminário promovido pelo Ministério das Comunicações,

Leia mais

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long 16 1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long Term Evolution) e WiMAX [11]. A tecnologia LTE é um

Leia mais

O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO

O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática Brasília, 20 de outubro de 2009 O IMPACTO DA DIGITALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RADIODIFUSÃO NOS PROCEDIMENTOS DE OUTORGA DE RÁDIO E TELEVISÃO Prof.

Leia mais

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel

A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA. Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel A TV DIGITAL COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE MATEMÁTICA Adriano Aparecido de Oliveira, Juliano Schimiguel Universidade Cruzeiro do Sul/CETEC, Av. Ussiel Cirilo, 225 São Paulo Resumo A TV é um importante

Leia mais

O Uso Racional do Espectro em beneficio da sociedade: a utilização da faixa dos 700 MHz Fiesp

O Uso Racional do Espectro em beneficio da sociedade: a utilização da faixa dos 700 MHz Fiesp O Uso Racional do Espectro em beneficio da sociedade: a utilização da faixa dos 700 MHz Fiesp 7-8-2013 Agenda Atribuições e missão da SET Grupos SET de Trabalho Testes e estudos no Japão Proposta de consulta

Leia mais

2 TV digital e TV de alta definição 2.1. A tecnologia digital

2 TV digital e TV de alta definição 2.1. A tecnologia digital 2 TV digital e TV de alta definição 2.1. A tecnologia digital Neste capítulo, serão abordados os aspectos principais da tecnologia digital e suas conseqüências em termos de mercado consumidor (telespectadores).

Leia mais

Comissão de Ciência e Tecnologia,

Comissão de Ciência e Tecnologia, Seminário de Rádio R Digital Comissão de Ciência e Tecnologia, Informática e Inovação Brasília 22 de novembro de 2007 Ronald Siqueira Barbosa O O pobre e o emergente de hoje são aqueles que no passado,

Leia mais

Entretenimento e Interatividade para TV Digital

Entretenimento e Interatividade para TV Digital Entretenimento e Interatividade para TV Digital Desenvolvimento de Aplicativos para TV Digital Interativa Rodrigo Cascão Araújo Diretor Comercial Apresentação da Empresa A EITV desenvolve software e provê

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

Radiodifusão Sonora Digital

Radiodifusão Sonora Digital 1 Radiodifusão Sonora Digital Lúcio Martins da Silva AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL ASSUNTO: A ADOÇÃO DE UMA NOVA TECNOLOGIA PARA

Leia mais

TV Digital: Visão Geral do Sistema Brasileiro

TV Digital: Visão Geral do Sistema Brasileiro TV Digital: Visão Geral do Sistema Brasileiro O conteúdo deste tutorial foi obtido do trabalho elaborado pelos autores Aldilenice e Rodrigo para a etapa de classificação do III Concurso Teleco de Trabalhos

Leia mais

MDD Mídias Interativas. TV Digital no Brasil

MDD Mídias Interativas. TV Digital no Brasil Pós-Graduação MDD Mídias Interativas TV Digital no Brasil Apresentações Profª. Graciana Simoní Fischer de Gouvêa Email: graciana.fischer@prof.infnet.edu.br COMO FUNCIONAVA A TV NO BRASIL? Analógico Analógico

Leia mais

Plataforma Interativa de Vídeo

Plataforma Interativa de Vídeo Plataforma Interativa de Vídeo Milonga DWM Soluções em Comunicação e Tecnologia Interativa, empresa do Grupo Ciclotron. Desenvolvemos soluções com foco na experiência do usuário, implantado um novo conceito

Leia mais

apresentação de serviços

apresentação de serviços apresentação de serviços Nos últimos 50 anos a humanidade gerou mais informações do que em toda sua história anterior. No mercado corporativo, o bom gerenciamento de informações é sinônimo de resultados.

Leia mais

TIM faz teste inédito no Brasil de conexão móvel de alta velocidade na Futurecom

TIM faz teste inédito no Brasil de conexão móvel de alta velocidade na Futurecom TIM faz teste inédito no Brasil de conexão móvel de alta velocidade na Futurecom Demonstração é a primeira de uma rede LTE Advanced agregando três faixas de frequências distintas (2600 MHz, 1800 MHz e

Leia mais

TV Dig ital - S ocial

TV Dig ital - S ocial Edson Luiz Castilhos Gerente Célula Software Livre - RS Marco Antonio Munhoz da Silva Gestor Projeto TV Digital Social 1 AGENDA O que é TV Digital? Histórico TV Analógica x TV Digital Sistema de TV Digital

Leia mais

RPC TV. no caminho da TV Digital. reportagem RPC TV

RPC TV. no caminho da TV Digital. reportagem RPC TV reportagem RPC TV RPC TV no caminho da TV Digital A primeira cidade a ter transmissão digital foi Curitiba, a capital do Estado e sede da RPC TV. Empresa completou em 2012 o ciclo de cobertura digital

Leia mais

TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema?

TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema? TV Digital: Como serão as Antenas Transmissoras no novo Sistema? Este tutorial apresenta conceitos básicos sobre antenas empregadas na transmissão de TV Digital que começam em 2 de dezembro de 2007 em

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: STRS 2 MOURA LACERDA A TV digital O surgimento da TV digital se deu em função do desenvolvimento da TV de alta definição (HDTV) no Japão e na Europa, há mais de duas décadas,

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

"TV digital não é panaceia" Valério Brittos deixa um vazio na Pesquisa da Comunicação

TV digital não é panaceia Valério Brittos deixa um vazio na Pesquisa da Comunicação "TV digital não é panaceia" Valério Brittos deixa um vazio na Pesquisa da Comunicação Carlos Alberto Moreira Tourinho* Valério Cruz Brittos nos deixou em 27 Julho de 2012, aos 48 anos. Jornalista, Professor

Leia mais

Seja certificado pelo CENP e tenha acesso a análises de audiência de TV

Seja certificado pelo CENP e tenha acesso a análises de audiência de TV Consulta.net Seja certificado pelo CENP e tenha acesso a análises de audiência de TV Pequenas e médias agências de publicidade podem ter acesso a dados e relatórios de audiência de TV por meio do Consulta.net,

Leia mais

Qualidade. Confiança. Inovação.

Qualidade. Confiança. Inovação. Qualidade. Confiança. Inovação. Soluções em Radiodifusão, Vídeo e Comunicação do Brasil para o mundo. Transmissores Excitadores Multiplexadores Encoders Gap-fillers Micro-ondas Rádio Digital Câmeras Broadcast

Leia mais

Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios

Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios Impacto da TV Digital no Futuro dos Negócios Congresso SUCESU-SP 2007 Integrando Tecnologia aos Negócios 29/11/07 Juliano Castilho Dall'Antonia Diretor de TV Digital w w w. c p q d. c o m. b r 1 Sumário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS Trabalho final da disciplina Computadores, Redes, IP e Internet Professor: Walter Freire Aluno:

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Fundado em 1965, o Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel - é um centro de excelência em ensino e pesquisa na área de Engenharia, e tem se consolidado cada vez mais, no Brasil e no exterior, como

Leia mais

BRASIL 4D. A REALIDADE DA TV DIGITAL INTERATIVA

BRASIL 4D. A REALIDADE DA TV DIGITAL INTERATIVA BRASIL 4D. A REALIDADE DA TV DIGITAL INTERATIVA Prof. Dr. André Barbosa Filho Quando iniciamos, em 2012, a trajetória em busca de soluções para a introdução de vídeos interativos no projeto de TV Digital

Leia mais

Testes SET interferências 4G/LTE em 700MHz sobre a recepção de TV Digital

Testes SET interferências 4G/LTE em 700MHz sobre a recepção de TV Digital Testes SET interferências 4G/LTE em 700MHz sobre a recepção de TV Digital Coletiva de imprensa 13-2-2014 São Paulo SP Brasil Agenda Grupos de Estudos SET Estudos, Testes e Procedimentos no Japão Grupo

Leia mais

Qualidade. Confiança. Inovação.

Qualidade. Confiança. Inovação. Qualidade. Confiança. Inovação. Soluções em Radiodifusão, Vídeo e Comunicação do Brasil para o mundo. Transmissores Excitadores Multiplexadores Encoders Gap-fillers Micro-ondas Rádio Digital Câmeras Broadcast

Leia mais

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos

Me Engº Leonardo Ortolan. Me Engº Thiago L. S. Santos TV Digital Me Engº Leonardo Ortolan Me Engº Thiago L. S. Santos Sumário Introdução Desenvolvimento TV Digital: O que é? Padrões de TV Digital TV Digital Brasileira Participação da PUCRS no SBTVD Conclusão

Leia mais

1 Introdução. 1.1. Motivação

1 Introdução. 1.1. Motivação 1 Introdução A adoção do Ginga-NCL como middleware declarativo do SBTVD (Sistema Brasileiro de Televisão Digital) estabeleceu um marco no desenvolvimento de aplicações interativas para TV Digital terrestre

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU / CURSO: TECNOLOGIA EM PRODUÇÃO AUDIOVISUAL DISCIPLINA: TRANSMISSÕES DE ÁUDIO / PROFESSOR: JOHAN VAN HAANDEL

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU / CURSO: TECNOLOGIA EM PRODUÇÃO AUDIOVISUAL DISCIPLINA: TRANSMISSÕES DE ÁUDIO / PROFESSOR: JOHAN VAN HAANDEL AULA: SUPORTE DIGITAL E RADIODIFUSÃO DIGITAL AULA II (PÁGINA 1) RADIODIFUSÃO DIGITAL Tecnologia que utiliza sinais digitais para transmitir informação através de ondas eletromagnéticas através da modulação

Leia mais

GfK Audience Measurements & Insights MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO

GfK Audience Measurements & Insights MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO Em nenhum momento de toda a história dos meios de comunicação modernos houve tantas mudanças fundamentais na distribuição e mensuração da mídia. Com o surgimento da transmissão

Leia mais

www.philips.com/welcome

www.philips.com/welcome Register your product and get support at www.philips.com/welcome SDV1225T/55 PT Manual do Usuário Sumário 1 Importante 4 Segurança 4 Aviso para os EUA 4 Aviso para o Canadá 4 Reciclagem 4 Português 2

Leia mais

Tradição, pioneirismo e credibilidade.

Tradição, pioneirismo e credibilidade. Tradição, pioneirismo e credibilidade. A Converge Comunicações desenvolve serviços convergentes com foco em novas tecnologias, soluções e tendências. Nosso portfólio inclui a organização de feiras, congressos

Leia mais

Sistemas de comunicação e novas tecnologias

Sistemas de comunicação e novas tecnologias Sistemas de comunicação e novas tecnologias Módulo 3: Capitalismo informacional 3.3: Ascensão da TV paga Esta obra estálicenciada sob umalicença CreativeCommons. Prof. Dr. Marcos Dantas 1948 Pequenos empreendedores

Leia mais

Alertas emergenciais difundidos pelo rádio e televisão

Alertas emergenciais difundidos pelo rádio e televisão Alertas emergenciais difundidos pelo rádio e televisão Flávio Archangelo O Congresso da Sociedade de Engenharia de Televisão (SET) tratou de um tema tecnológico socialmente relevante: como a radiodifusão

Leia mais

web2way Comunicações e Vídeos LTDA

web2way Comunicações e Vídeos LTDA web2way Comunicações e Vídeos LTDA Soluções em Comunicação da web2way que podem ser úteis para sua empresa Preparada por: Adriana Grasso sócia/administradora Data: 21/05/2012 Sobre a web2way A web2way

Leia mais

TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras. Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD

TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras. Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD TDC 2011 - T-Commerce e T-Banking- Aplicações Seguras Julho de 2011 Aguinaldo Boquimpani Gerente Senior de Produtos TOTVS TQTVD TDC 2011 AGENDA I. Cadeia de valor da TV Digital Interativa II. O Ginga e

Leia mais

Modelo de Camadas OSI

Modelo de Camadas OSI Modelo de Camadas OSI 1 Histórico Antes da década de 80 -> Surgimento das primeiras rede de dados e problemas de incompatibilidade de comunicação. Década de 80, ISO, juntamente com representantes de diversos

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD)

Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Final da Transição ao Sistema Brasileiro de Televisão Digital (SBTVD) Início das transmissões 100% digitais Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 07 de abril

Leia mais

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento

Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital. Desenvolvimento de Aplicações Interativas. Trabalhos em andamento Introdução Padrão Brasileiro de TV Digital Middleware GINGA Desenvolvimento de Aplicações Interativas Linguagem NCL (Nested Context Language) Trabalhos em andamento 1 2 3 4 Maior resolução de imagem Melhor

Leia mais

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução Formalmente, o IP Multimedia Subsystem (IMS) é definido como:... um novo 'domínio' principal da rede (ou

Leia mais

UM PASSEIO PELA NAB 2011. Geraldo Cesar de Oliveira Star One

UM PASSEIO PELA NAB 2011. Geraldo Cesar de Oliveira Star One UM PASSEIO PELA NAB 2011 Geraldo Cesar de Oliveira Star One NAB 2011 em Números Mais de 1500 Expositores 151 países representados 92.708 visitantes cadastrados 25.601 visitantes internacionais Brasil uma

Leia mais

A Faixa de 700 MHz Para Serviços Públicos. Brasília, 29 de Abril de 2014

A Faixa de 700 MHz Para Serviços Públicos. Brasília, 29 de Abril de 2014 A Faixa de 700 MHz Para Serviços Públicos Brasília, 29 de Abril de 2014 Happy 50 th Birthday in 2014! IDC tem posição única na indústria de TI e Telecom da América Latina Provedores Canais 16,903 Menções

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

SET Centro Oeste 2013 15 e 16 de Outubro - Brasília - DF

SET Centro Oeste 2013 15 e 16 de Outubro - Brasília - DF SET Centro Oeste 2013 15 e 16 de Outubro - Brasília - DF Índice: Programação dias 15 e 16...pág 2 Patrocinadores...pág 7 Local: Espaço Cultural da Anatel SAUS - quadra 6 - Bloco C - Brasília - DF Realização:

Leia mais

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL

PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Niterói, RJ, Brasil, 8-10 de novembro de 2005. PADRÕES DE MIDDLEWARE PARA TV DIGITAL Alexsandro Paes, Renato H. Antoniazzi, Débora C. Muchaluat Saade Universidade Federal Fluminense (UFF) / Centro Tecnológico

Leia mais

EXPERIMENTO DIGITAL PARA TRANSMISÃO INTERATIVA DE JOGOS DE FUTEBOL

EXPERIMENTO DIGITAL PARA TRANSMISÃO INTERATIVA DE JOGOS DE FUTEBOL EXPERIMENTO DIGITAL PARA TRANSMISÃO INTERATIVA DE JOGOS DE FUTEBOL Ranieri Alves dos Santos 1 Vitor Freitas Santos 2 Marcos Paes Peters 3 Resumo: O presente trabalho apresenta uma abordagem interativa

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

ANÁLISE DA PROPAGAÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL NA CIDADE DE UBERLÂNDIA - MG

ANÁLISE DA PROPAGAÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL NA CIDADE DE UBERLÂNDIA - MG ANÁLISE DA PROPAGAÇÃO DE SINAIS DE TV DIGITAL NA CIDADE DE UBERLÂNDIA - MG Tiago Nunes Santos, Gilberto Arantes Carrijo Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Engenharia Elétrica, Uberlândia-MG.

Leia mais

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL

SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL SISTEMA BRASILEIRO DE TELEVISÃO DIGITAL Questões Centrais Manoel Rangel, Diretor da Agência Nacional do Cinema. Esta apresentação: De que maneira a tecnologia deve ser ponderada na decisão? O uso do espectro

Leia mais

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America

4G no Brasil: Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações. Alexandre Jann FIESP. Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America 5º Encontro de Telecomunicações Respeito ao Consumidor 4G no Brasil: FIESP Demanda dos Usuários e Exemplos de Aplicações Alexandre Jann Marketing & Strategy General Manager NEC Latin America Tópicos Perfil

Leia mais

Este tutorial apresenta o Rádio Digital, abordando suas características e os padrões existentes.

Este tutorial apresenta o Rádio Digital, abordando suas características e os padrões existentes. Rádio Digital Este tutorial apresenta o Rádio Digital, abordando suas características e os padrões existentes. Juarez Quadros do Nascimento Ex-Ministro das Comunicações, é Engenheiro Eletricista. Sócio

Leia mais

O NOVO FORMATO PARA MATERIAIS DE EXIBIÇÃO NA GLOBO

O NOVO FORMATO PARA MATERIAIS DE EXIBIÇÃO NA GLOBO BOLETIM DE INFORMAÇÃO PARA PUBLICITÁRIOS comercialredeglobocombr Maio de 2010 n 570 XDCAM O NOVO FORMATO PARA MATERIAIS DE EXIBIÇÃO NA GLOBO As emissoras da Rede Globo inovam mais uma vez, lançando um

Leia mais

SITUAÇÃO DA TELEVISÃO DIGITAL NO JAPÃO

SITUAÇÃO DA TELEVISÃO DIGITAL NO JAPÃO ANEXO 4 SITUAÇÃO DA TELEVISÃO DIGITAL NO JAPÃO 1. Padrão de televisão digital adotado A discussão sobre o sistema de televisão digital terrestre no Japão foi conduzida pelo Telecommunications Technology

Leia mais

Engenheiro Eletrônico pela PUC-RJ e mestrando da Universidade Federal Fluminense.

Engenheiro Eletrônico pela PUC-RJ e mestrando da Universidade Federal Fluminense. Padrões de Middleware para TV Digital Este tutorial apresenta o conceito de middleware para TV Digital, os atuais padrões de mercado e uma comparação entre eles, em termos de funcionalidades disponibilizadas.

Leia mais

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 O Rio ao Vivo é a primeira plataforma de transmissão online, em tempo real,com imagens de alta qualidade dos locais mais movimentados do Rio de Janeiro para o mundo.

Leia mais

A OFERTA DE CONTEÚDO MULTIPLATAFORMA NA TELEVISÃO ABERTA BRASILEIRA ENTRE OS ANOS DE 2005 E 2011

A OFERTA DE CONTEÚDO MULTIPLATAFORMA NA TELEVISÃO ABERTA BRASILEIRA ENTRE OS ANOS DE 2005 E 2011 Ciências Humanas e Sociais Comunicação A OFERTA DE CONTEÚDO MULTIPLATAFORMA NA TELEVISÃO ABERTA BRASILEIRA ENTRE OS ANOS DE 2005 E 2011 Ingo A.F. von Ledebur 1 Thiago H. Ruotolo da Silva 2 Gabriela Rufino

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

GUIA DE RECURSOS SMART

GUIA DE RECURSOS SMART GUIA DE RECURSOS SMART Características dos aplicativos da SMART TV 1.Android 4.2 dual-core smart TV 2.Conexão de rede (com fio/sem fio/pppoe/wlan HP) 3. Sync-View (opcional) 4. Multi-screen Interativa

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N.º 3.398, DE 2000

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N.º 3.398, DE 2000 COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N.º 3.398, DE 2000 Modifica a Lei n.º 8.977 de 6 de janeiro de 1995. Autor: Deputado JOSÉ CARLOS MARTINEZ Relator: Deputado IRIS

Leia mais

TECNOLOGIA DISSEMINANDO ARTE: QUAIS AS PERSPECTIVAS PARA O FUTURO DA TV DIGITAL?

TECNOLOGIA DISSEMINANDO ARTE: QUAIS AS PERSPECTIVAS PARA O FUTURO DA TV DIGITAL? 277 TECNOLOGIA DISSEMINANDO ARTE: QUAIS AS PERSPECTIVAS PARA O FUTURO DA TV DIGITAL? TECHNOLOGY SPREADING ART: WHAT ARE THE PROSPECTS FOR THE FUTURE OF DIGITAL TV Alexandre Navarro Teixeira 1, Vânia Cristina

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital. Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves

Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital. Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves Desenvolvimento de Sistemas para TV Digital Prof. Fabrício J. Barth fbarth@tancredo.br Faculdades Tancredo Neves Objetivo Apresentar os conceitos básicos para o desenvolvimento de sistemas para TV Digital.

Leia mais

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS PERGUNTAS E RESPOSTAS CENTRO ABERTO DE MÍDIA 1) O que é o Centro Aberto de Mídia (CAM)? É um espaço físico e virtual para atendimento aos jornalistas, credenciados ou não credenciados pela FIFA, que desejam

Leia mais

SET EXPO 2014 CONFERENCE August 24 27, 2014 - Summarized Program (subject to adjustment) SUNDAY Room 11 Room 12 Room 13 ROOM 16

SET EXPO 2014 CONFERENCE August 24 27, 2014 - Summarized Program (subject to adjustment) SUNDAY Room 11 Room 12 Room 13 ROOM 16 . SET EXPO 2014 CONFERENCE August 24 27, 2014 - Summarized Program (subject to adjustment) SUNDAY Room 11 Room 12 Room 13 ROOM 16 09:00AM/11:00AM 11:30AM/13:30PM 03:00PM/05:00PM MONDAY 09:00AM/11:00AM

Leia mais

Promovendo a Memória de Pelotas pela TV Digital

Promovendo a Memória de Pelotas pela TV Digital Promovendo a Memória de Pelotas pela TV Digital Flávia P. dos Santos, Cauane Blumenberg, Christian Brackmann, Paulo R. G. Luzzardi Centro Politécnico Universidade Católica de Pelotas (UCPEL) Rua Félix

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

Trilha TV Digital. Plataformas Interoperáveis de TV Interativa: o projeto Global ITV. Dr. Alan Angeluci

Trilha TV Digital. Plataformas Interoperáveis de TV Interativa: o projeto Global ITV. Dr. Alan Angeluci Trilha TV Digital Plataformas Interoperáveis de TV Interativa: o projeto Global ITV Dr. Alan Angeluci Centro Interdisciplinar em Tecnologias Interativas da USP CITI-USP São Paulo, SP, Brasil. 2014 Agenda

Leia mais

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações 24 de Março de 2011 As exigências de infraestrutura de TIC para a Copa do Mundo e Olimpíada no Brasil Desafios e Oportunidades na construção do IBC. A perspectiva de Operadoras Competitivas de Telecomunicações

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações

Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense Mestrado em Engenharia de Telecomunicações Fundamentos de Sistemas Multimídia Padrões de Rádio Digital Agosto/2006 Jailton Neves Padrões de Rádio Digital Agenda - IBOC In

Leia mais

Seja certificado pelo CENP ou associado ao SINAPRO e tenha acesso a análises de audiência de TV

Seja certificado pelo CENP ou associado ao SINAPRO e tenha acesso a análises de audiência de TV Consulta.net Seja certificado pelo CENP ou associado ao SINAPRO e tenha acesso a análises de audiência de TV Pequenas e médias agências de publicidade podem ter acesso a dados e relatórios de audiência

Leia mais

WEB TV. O Seu canal de Televisão na Internet

WEB TV. O Seu canal de Televisão na Internet WEB TV O Seu canal de Televisão na Internet Apresentamos-lhe a WEB TV Uma nova forma de comunicar! A Televisão via Internet VISIBILIDADE INTERATIVIDADE CONECTIVIDADE COMUNICAÇÃO O que é a WEB TV? A Web

Leia mais

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014.

Mobile Device Management MDM. SAP Forum, Fev2014. Mobile Device Management MDM SAP Forum, Fev2014. A EMBRATEL ENTREGA Porque é a mais completa operadora de Telecomunicações e TI Referência e líder na oferta de serviços de telecomunicações em toda a América

Leia mais

Guia de Consulta Rápida sobre TV Digital Terrestre

Guia de Consulta Rápida sobre TV Digital Terrestre Para mais informações sobre Ministério do Interior e Comunicações Call center sobre TV TEL: 0570-07-0101 Dias úteis, das 9h às 21h, e sábados, domingos e feriados, das 9h às 18h * Para aqueles que não

Leia mais

Painel IV Aspectos Jurídicos de VoIP. Prof. Dr. Cláudio R. M. Silva

Painel IV Aspectos Jurídicos de VoIP. Prof. Dr. Cláudio R. M. Silva Painel IV Aspectos Jurídicos de VoIP Prof. Dr. Cláudio R. M. Silva 1 Participantes * Cláudio Rodrigues Muniz da Silva DCO / UFRN; * Fabiano André de Sousa Mendonça DPUB / UFRN; * Lívio Peixoto do Nascimento

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais