Instruções para o uso Kit densidade para sólidos e líquidos Balanças versão M/L/S

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instruções para o uso Kit densidade para sólidos e líquidos Balanças versão M/L/S"

Transcrição

1 Instruções para o uso Kit densidade para sólidos e líquidos Balanças versão M/L/S KIT_DENSIDADE_SÓLIDOS_LÍQUIDOS_GRAF_rev1_0.doc

2

3 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO CONTEÚDO DA EMBALAGEM INSTALAÇÃO DO KIT PARA A DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE PRINCÍPIO DA DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE CONDIÇÕES PARA MEDIÇÕES EXATAS DERIVA DA INDICAÇÃO DA BALANÇA CALIBRAGEM DA BALANÇA COM CALIBRAGEM EXTERNA CALIBRAGEM DA BALANÇA COM CALIBRAGEM INTERNA DETERMINAÇÃO DENSIDADE DE CORPOS SÓLIDOS FUNDAMENTAS PREPARAÇÃO DO KIT PARA A DETERMINAÇÃO DOS SÓLIDOS PREPARAR A BALANÇA PARA O CÁLCULO AUTOMÁTICO DA DENSIDADE DOS SÓLIDOS FATORES QUE INFLUEM NO ERRO DE MEDIÇÃO PRESENÇA DE BOLHAS DE AR TEMPERATURA TENSÃO SUPERFICIAL DO LÍQUIDO POROSIDADE DO SÓLIDO DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE DOS LÍQUIDOS FUNDAMENTAS PREPARAÇÃO DO KIT PARA A DETERMINAÇÃO DOS LÍQUIDOS PREPARAR A BALANÇA PARA O CÁLCULO AUTOMÁTICO DA DENSIDADE DOS LÍQUIDOS FATORES QUE INFLUEM NO ERRO DE MEDIÇÃO PRESENÇA DE BOLHAS DE AR TABELA DA DENSIDADE DA ÁGUA DESTILADA...18

4 1 INTRODUÇÃO Obrigado por ter comprado o Kit para a determinação da densidade de sólidos e líquidos. As presentes instruções explicam como instalar e utilizar o kit de determinação da densidade. ATENÇÃO: Pedimos por favor para ler atentamente estas instruções para a instalação e o uso antes de iniciar o trabalho. Uma utilização do instrumento diferente daquela referida neste manual não garante mais a segurança do produto nem que as medições sejam corretas. 1.1 CONTEÚDO DA EMBALAGEM O kit para a determinação da densidade contém os seguintes elementos: SUPORTE CESTO CESTO DE PESAGEM SUPORTE PARA BECKER PORTA PESCANTE BECKER PARA SÓLIDOS BECKER PARA LÍQUIDOS TERMÓMETRO PESCANTE 3.356g/cm3

5 2 INSTALAÇÃO DO KIT PARA A DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE FASES DE MONTAGEM VERSÃO M/L Remover o prato e o descanso de prato do prato de pesagem padrão. Posicionar o suporte do cesto no cone de pesagem. Posicionar o suporte para becker prestando atenção que não toque em nenhum ponto o suporte do cesto. Posicionar o becker no centro do seu suporte. Instalar o cesto de pesagem na parte superior do suporte do cesto. VERSÃO S VERSÃO MW/LW

6 3 PRINCÍPIO DA DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE A densidade [ ρ ] é a relação entre a massa [ M ] e o volume [ V ]. = M V O sistema internacional de unidade de medida indica os kg/m 3 como unidade de medida da densidade. A unidade g/cm 3 é em todo caso mais apta para o uso no laboratório. Para a determinação da densidade aplica-se o princípio de Arquimedes. Segundo tal princípio, um corpo mergulhado num fluido perde aparentemente peso em quantidade igual ao peso do fluido que desloca. O procedimento para a determinação da densidade é diferente para determinar a densidade de um sólido e de um líquido.

7 4 CONDIÇÕES PARA MEDIÇÕES EXATAS Durante a determinação da densidade é possível que ocorram situações que provoquem erro de medição. Para obter resultados exatos utilizando este kit é indispensável seguir as seguintes indicações. 4.1 DERIVA DA INDICAÇÃO DA BALANÇA Na determinação da densidade dos líquidos com uso do pescante em vidro são requeridos valores de pesagem exatos. No caso de variação da temperatura ou reposicionamento da balança é necessário efetuar a calibragem da mesma. A tal fim é necessário remover o kit de pesagem, posicionar o prato de pesagem standard do instrumento e executar os procedimentos de calibragem descritos a seguir CALIBRAGEM DA BALANÇA COM CALIBRAGEM EXTERNA. Calibragem externa A calibragem é efetuada por meio da tecla CAL. 1. Premir a tecla CAL com o prato descarregado; será visualizada a escrita CAL. 2. Quando o valor do peso de calibragem inicia a piscar, carregar o peso indicado pelo display no prato. 3. O display não piscará mais, indicando o valor do peso de calibragem com o indicador de estabilidade aceso. Uma vez executada a calibragem, será visualizado o peso calibrado com a indicação da unidade de medição corrente. 7

8 4. Remover o peso de calibragem A balança está pronta para as operações de pesagem. NOTA: se houver alguma interferência durante o processo de calibragem, será visualizada uma mensagem de erro. Para interromper o processo de calibragem premir a tecla ON/OFF enquanto a indicação do peso de calibragem estiver a piscar CALIBRAGEM DA BALANÇA COM CALIBRAGEM INTERNA Calibragem interna Nestes modelos a calibragem é efetuada através de um sistema automático interno: 1. Premir a tecla CAL com o prato descarregado. O display visualizará a mensagem CAL e será então executada automaticamente a calibragem da balança. 2. No fiml da calibragem a balança voltará às condições normais de pesagem Se devido a vibrações ou correntezas de ar não for possível completar a calibragem, será visualizada a mensagem CAL but. Premir novamente a tecla CAL, se o problema persistir, selecionar a calibragem externa e contatar o fornecedor. 8

9 5 DETERMINAÇÃO DENSIDADE DE CORPOS SÓLIDOS 5.1 Fundamentos A densidade de um sólido é determinada com o uso do líquido numa densidade conhecida (água destilada na temperatura de 20 C ou etanol). A amostra de sólido é antes pesada no ar (A) e depois no líquido (B). A densidade ρ pode ser calculada a partir dos dois valores medidos: Densidade: A ρ = A-B ρ o ρ = densidade sólido ρ = densidade conhecida líquido A = peso no ar sólido A = peso em imersão sólido 5.2 Preparação do kit para a determinação dos sólidos Ilustra-se a seguir como utilizar o kit para a determinação da densidade dos sólidos utilizando o software da balança para o cálculo automático. Será ainda possível executar o cálculo manualmente, consultando a fórmula acima ilustrada. Para a determinação da densidade dos sólidos utilizar o cesto universal para sólidos flutuantes e não flutuantes. Encher o becker com o líquido de densidade conhecida. Acrescentar líquido suficiente até que o sólido esteja coberto pelo menos 1 centímetro após a imersão. Líquido Fig. 1 Líquido Acomodar o suporte para sólidos, como ilustrado na figura 1. Esta configuração é válida para sólidos com densidade superior a 1, para sólidos flutuantes o cesto deve ser montado virado, como ilustrado na figura 2, e eventualmente deve-se posicionar um peso suplementar na parte superior do suporte, para contrastar o impulso do sólido quando este for superior ao peso do suporte. Certificar-se que não haja bolhas de ar na superfície da parte mergulhada do cesto e no caso elimina-las sacudindo o suporte do cesto. Fig. 2 9

10 5.3 Preparar a balança para o cálculo automático da densidade dos sólidos. 1. Selecionar o programa Densidade utilizando a tecla MENU e selecionar então a modalidade sólidos. No display será visualizada a seguinte tela: 2. Premir a tecla PRINT para confirmar a seleção. 3. Será visualizado o valor da densidade do líquido a ser utilizado, de default o valor é igual a (água destilada a 20 C). 4. É possível definir um valor diferente utilizando as teclas CAL e MENU, para incrementar e decrementar o número, enquanto premindo a tecla O/T passa-se ao número sucessivo. Durante esta fase a pressão demorada da tecla O/T permite cancelar o valor entrado. Notas: É ainda possível definir facilmente o valor utilizando o pequeno teclado alfanumérico opcional. 5. Uma vez definido o valor desejado, premir a tecla PRINT. 6. Será requerido agora de efetuar a pesagem do sólido no ar. 10

11 7. Efetuar uma tara, se necessário, e carregar o sólido no cesto superior. Aguardar que o símbolo de estabilidade acenda e premir a tecla PRINT para adquirir o valor. Durante a aquisição do valor será visualizada a escrita aguardar. Amostra sólida 7. Remover o sólido do cesto 8. Será então requerida a pesagem do sólido no líquido. Efetuar a tara do cesto no líquido, posicionar o sólido no cesto inferior mergulhado no líquido, aguardar que o indicador de estabilidade acenda e premir a tecla PRINT. Durante a aquisição do valor será visualizada a escrita 'aguardar...'. Amostra sólida 11

12 9. Será agora visualizado o resultado do cálculo da densidade do sólido. Premindo a tecla PRINT, se a balança for dotada de impressora, será possível imprimir o valor da densidade. 10. No caso de erro no display será visualizada a seguinte cadeia: 11. Premir agora a tecla ON/OFF para sair da função densidade, ou a tecla MENU para executar a medição de outro sólido. 5.4 FATORES QUE INFLUEM NO ERRO DE MEDIÇÃO PRESENÇA DE BOLHAS DE AR Durante as fases de medição do peso de corpos mergulhados na água, é possível que se formem pequenas bolhas de ar em volta do corpo mergulhado. Mesmo pequenas bolhas de ar podem determinar grandes erros, em particular com amostras leves. É necessário, portanto, que ao corpo mergulhado no líquido não adiram bolhas de ar. Para eliminar eventuais bolhas de ar sacudir o suporte mergulhado na água ou o pescante até à eliminação de todas as bolhas de ar. As amostras do corpo sólido e o pescante não devem ser tocados com os dedos nus, para evitar de sujar com gordura o óleo as superfícies que uma vez mergulhadas na água podem criar bolhas de ar TEMPERATURA Os sólidos geralmente são insensíveis às variações de temperatura, as relativas mudanças de densidade, portanto, são insignificantes. É necessário, contudo, levar em conta a temperatura do líquido utilizado na determinação da densidade dos sólidos, pois para cada C de variação a densidade varia na ordem de grandeza de 0,1 a 1%.Tal efeito influi já no terceiro algarismo decimal do resultado. O kit é dotado de um termómetro para medir o valor de temperatura do líquido, detectar então a temperatura e corrigir o valor da densidade do 12

13 líquido, como antes descrito, com base no valor correspondente à temperatura medida. Na seção 7 é representada a tabela com os valores correspondentes para a água destilada e o etanol nas diversas temperaturas TENSÃO SUPERFICIAL DO LÍQUIDO Devido à adesão do líquido ao fio de suporte do cesto, gera-se um aparente aumento do peso. Visto que o cesto está mergulhado no líquido, quer durante a pesagem do sólido no ar que na água, e a balança é zerada antes de cada pesagem, o efeito pode ser ignorado. Para medições que exigem o máximo esmero, utilizar algumas gotas de detergentes para louças como agente lubrificante POROSIDADE DO SÓLIDO Ao mergulhar um sólido poroso num líquido, nem todo o ar é expulso completamente pelos poros. Isso produz valores errados no impulso para cima. A densidade dos corpos porosos, portanto, só pode ser determinada aproximativamente. 13

14 6 DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE DOS LÍQUIDOS. 6.1 Fundamentos A densidade de um líquido é determinada com o uso de um pescante cujo volume é conhecido. O pescante é antes pesado no ar e sucessivamente no líquido do qual deseja-se determinar a densidade. A densidade do líquido pode ser calculada utilizando uma balança com a fórmula abaixo descrita: Densidade: A-B ρ L = A ρ s ρ L = densidade do líquido ρ s = densidade do pescante A = peso no ar do pescante B = peso em imersão do sólido 6.2 Preparação do kit para a determinação dos líquidos Ilustra-se a seguir como utilizar o kit para a determinação da densidade dos líquidos, utilizando o software da balança para o cálculo automático. Será ainda possível executar o cálculo manualmente, consultando a fórmula acima ilustrada. Para a determinação da densidade dos líquidos utilizar o pescante fornecido. Posicionar o becker com dentro o termómetro como na figura 1. Remover o pescante do seu recipiente e posiciona-lo na estrutura porta pescante. 14

15 6.3 Preparar a balança para o cálculo automático da densidade dos líquidos. 1. Selecionar o programa Densidade pressionando a tecla MENU. No display será visualizada a seguinte tela: 2. Premir a tecla MENU para selecionar a modalidade líquido. Premir então a tecla PRINT para confirmar 3. Será visualizado o valor da densidade do sólido, de default o valor é igual a g/cm3. 4. Digitar o valor indicado na placa colocada no pescante ou no recipiente do mesmo. Com as teclas CAL e MENU é possível incrementar e decrementar o algarismo, enquanto premindo a tecla O/T passa-se ao algarismo sucessivo. Durante esta fase a pressão demorada da tecla O/T permite cancelar o valor entrado g/cm3 Valor densidade do pescante a ser digitada para o cálculo automático Recipiente porta pescante 15

16 5. Uma vez definido o valor desejado, premir a tecla PRINT. 6. Será requerido agora de efetuar a pesagem do sólido no ar. 7. Efetuar uma tara, se necessário, e engatar o pescante na parte superior do arco, como ilustrado na figura abaixo. Aguardar que o símbolo de estabilidade acenda e premir a tecla PRINT para adquirir o valor. Durante a aquisição do valor será visualizada a escrita 'aguardar...'. 8. Efetuar a tara, se necessário, e encher o becher com o líquido do qual se deseja determinar a densidade, até cerca de 1 centímetro acima do pescante, como ilustrado abaixo. Certificar-se de que não haja bolhas de ar na superfície do pescante. Eventualmente sacudir o pescante para remove-las. 16

17 9. Aguardar o acendimento do indicador de estabilidade e premir a tecla PRINT. Durante a aquisição do valor será visualizada a escrita 'aguardar...'. 10. Será agora visualizado o resultado do cálculo da densidade do líquido, calculada na temperatura indicada pelo termómetro. Premindo a tecla PRINT, se a balança for dotada de impressora, será possível imprimir o valor da densidade. 11. No caso de erro no display será visualizada a seguinte cadeia: 12. Premir agora a tecla ON/OFF para sair da função densidade, ou a tecla MENU para executar a medição de outro líquido. 6.4 FATORES QUE INFLUEM NO ERRO DE MEDIÇÃO PRESENÇA DE BOLHAS DE AR Durante as fases de medição do peso do pescante mergulhado no líquido do qual deve-se determinar a densidade, é possível que se formem pequenas bolhas de ar em volta do corpo mergulhado. Mesmo pequenas bolhas de ar presentes podem determinar importantes. É necessário, portanto, garantir que ao corpo mergulhado no líquido não adiram bolhas de ar. Para eliminar eventuais bolhas de ar sacudir o pescante ou utilizar um pequeno pincel até eliminar todas as bolhas de ar. O pescante não deve ser tocado com os dedos nus, para evitar de sujar com gordura o óleo as superfícies que uma vez mergulhadas na água podem criar bolhas de ar. Manter limpa a superfície do pescante após cada medição. 17

18 7 TABELA DA DENSIDADE DA ÁGUA DESTILADA Expressa em g/cm 3 T( C) 0,0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 5 0, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Instrução de uso Kit para cálculo densimétrico para balança analítica KERN ABT

Instrução de uso Kit para cálculo densimétrico para balança analítica KERN ABT KERN & Sohn GmbH Ziegelei 1 D-72336 Balingen E-Mail: info@kern-sohn.com Tel: +49-[0]7433-9933-0 Fax: +49-[0]7433-9933-149 Internet: www.kern-sohn.com Instrução de uso Kit para cálculo densimétrico para

Leia mais

Manual de Operação Balança Eletrônica Mod: EB 2001

Manual de Operação Balança Eletrônica Mod: EB 2001 Manual de Operação Balança Eletrônica Mod: EB 2001 1 Descrição: A balança eletrônica produzida por nossa empresa utiliza tecnologia de ponta, baixo consumo de energia e conversores analógicos/digitais

Leia mais

Manual de Operação BALANÇA ELETRÔNICA US 30/2

Manual de Operação BALANÇA ELETRÔNICA US 30/2 Manual de Operação BALANÇA ELETRÔNICA US 30/2 1- CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Prato em aço inoxidável 340 x 310 mm. Saída serial para impressora matricial Urano USE-PII. Temperatura de operação: 0 a 50 ºC.

Leia mais

Manual Balanças Kids. Balança Pesadora Kids Manual do Usuário. www.upxsolution.com.br Vendas: 11 4096-9393 Página: 1

Manual Balanças Kids. Balança Pesadora Kids Manual do Usuário. www.upxsolution.com.br Vendas: 11 4096-9393 Página: 1 Balança Pesadora Kids Manual do Usuário www.upxsolution.com.br Vendas: 11 4096-9393 Página: 1 Indice 1. Instalação 2. Localização da Funções 3. Ligando a Balança 4. Operação 5. Configurações 6. Mensagens

Leia mais

L-PCR, PCR SERIES MAGNA COMÉRCIO DE BALANÇAS LTDA DISTRIBUIDOR EXCLUSIVO TORREY NO BRASIL BALANÇA ELETRÔNICA MANUAL DE USUÁRIO REVISAO: 1.

L-PCR, PCR SERIES MAGNA COMÉRCIO DE BALANÇAS LTDA DISTRIBUIDOR EXCLUSIVO TORREY NO BRASIL BALANÇA ELETRÔNICA MANUAL DE USUÁRIO REVISAO: 1. MAGNA COMÉRCIO DE BALANÇAS LTDA DISTRIBUIDOR EXCLUSIVO TORREY NO BRASIL BALANÇA ELETRÔNICA L-PCR, PCR SERIES MANUAL DE USUÁRIO REVISAO: 1.1 IMPORTANTE: ANTES DE OPERAR ESTA BALANÇA, FAVOR LER COMPLETAMENTE

Leia mais

Indicador de pesagem. WT3000-I-Plus. Manual Técnico. Versão 04, Revisão 05. Soluções Globais em Sistemas de Pesagem

Indicador de pesagem. WT3000-I-Plus. Manual Técnico. Versão 04, Revisão 05. Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Indicador de pesagem Manual Técnico Versão 04, Revisão 05 Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Obrigado por escolher a WEIGHTECH! Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO BALANÇA ROR LINHA RS

MANUAL DE OPERAÇÃO BALANÇA ROR LINHA RS MANUAL DE OPERAÇÃO BALANÇA ROR LINHA RS ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 02 II - RECEBENDO SUA BALAÇA ROR... 02 III - MONTAGEM DO EQUIPAMENTO... 02 IV - LIGANDO SUA BALANÇA... 03 V - RECURSOS PARA OPERAÇÃO...

Leia mais

Indicador de pesagem. WT3000-I-Plus. Manual Técnico. Versão 03. Soluções Globais em Sistemas de Pesagem

Indicador de pesagem. WT3000-I-Plus. Manual Técnico. Versão 03. Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Indicador de pesagem Manual Técnico Versão 03 Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Obrigado por escolher a WEIGHTECH! Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você contará com

Leia mais

Manual de Instruções 98310 BALANÇA DE CARGA DE REFRIGERANTE SEM FIO 98315 BALANÇA DE CARGA DE REFRIGERANTE SEM FIO COM SOLENOIDE

Manual de Instruções 98310 BALANÇA DE CARGA DE REFRIGERANTE SEM FIO 98315 BALANÇA DE CARGA DE REFRIGERANTE SEM FIO COM SOLENOIDE Manual de Instruções 98310 BALANÇA DE CARGA DE REFRIGERANTE SEM FIO 98315 BALANÇA DE CARGA DE REFRIGERANTE SEM FIO COM SOLENOIDE INSTRUÇÕES OPERACIONAIS BALANÇA SEM FIO DE CARGA DE REFRIGERANTE BALANÇA

Leia mais

Manual de Operação e Configuração Versão Dosador de Óleo 1.1. Dosador de Óleo PESO EXATO

Manual de Operação e Configuração Versão Dosador de Óleo 1.1. Dosador de Óleo PESO EXATO Manual de Operação e Configuração Versão Dosador de Óleo 1.1 Dosador de Óleo PESO EXATO DEZEMBRO / 2009 2 ÍNDICE 1 MENU F1:... 4 1.1 Programação do peso do Óleo a ser dosado... 4 2 MENU F2... 5 2.1 Quantidade

Leia mais

Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você contará

Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você contará Obrigado por escolher a LIBRACOM! Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você contará com uma equipe de suporte ágil, dinâmica e diferenciada para resolver todos os problemas que

Leia mais

MinyScan Home. Leitor Manual de Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.0b. Data da Revisão: 26/08/05

MinyScan Home. Leitor Manual de Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.0b. Data da Revisão: 26/08/05 MinyScan Home Leitor Manual de Código de Barras Manual do Usuário Versão 2.0b Data da Revisão: 26/08/05 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APRESENTANDO O MINYSCAN HOME... 4 2.1. COMPOSIÇÃO... 4 3. INSTALANDO

Leia mais

Soluções Globais em Sistemas de Pesagem. Indicador de pesagem WT1000-LED. Manual Técnico. Versão A12-03

Soluções Globais em Sistemas de Pesagem. Indicador de pesagem WT1000-LED. Manual Técnico. Versão A12-03 Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Indicador de pesagem WT1000-LED Manual Técnico Versão A12-03 ÍNDICE 1 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS... 4 2 RECOMENDAÇÕES GERAIS... 4 3 FUNÇÕES DAS TECLAS... 5 4 OPERAÇÃO...

Leia mais

Manual do Usuário Balança SA-110 WWW.ELGIN.COM.BR

Manual do Usuário Balança SA-110 WWW.ELGIN.COM.BR Manual do Usuário Balança SA-110 WWW.ELGIN.COM.BR Índice Capítulo 1: O Produto Acessórios que compõem o produto Função do modelo Capítulo 2: Instalação do Produto Instalação física Conexão a tomada Cabo

Leia mais

FRITADEIRA MEGA FRY INOX

FRITADEIRA MEGA FRY INOX 02/13 973-09-05 782264 REV.0 FRITADEIRA MEGA FRY INOX SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO MANUAL DE INSTRUÇÕES INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha da Fritadeira Philco. Para garantir o melhor desempenho de seu produto,

Leia mais

Manual de Operação LINHA UR LIGHT

Manual de Operação LINHA UR LIGHT Manual de Operação LINHA UR LIGHT 1 APRESENTAÇÃO Este equipamento atende os usuários que necessitam automatizar ou agilizar processos que envolvam pesagem ou dosagens de receitas. O comando UR LIGHT possui

Leia mais

LASERTECK LTA450 MANUAL DE USO

LASERTECK LTA450 MANUAL DE USO LASERTECK LTA450 MANUAL DE USO 2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 3 3 CALIBRAGEM DOS MÓDULOS LASER (AFERIÇÃO E TEMPORIZAÇÃO)... 3 3.1 AFERIÇÃO DO LASER PONTO LONGITUDINAL...3 3.2

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Manual do Utilizador TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO SDILAB Investigação e Desenvolvimento de Software, Lda. Parque Industrial de Celeirós - 1ª Fase, Lote C 4705 Celeirós Braga, Portugal +351 253 678

Leia mais

Boletim Eletrônico de Recolhimento Manual do Sistema. Boletim Eletrônico de Recolhimento. Manual do Sistema

Boletim Eletrônico de Recolhimento Manual do Sistema. Boletim Eletrônico de Recolhimento. Manual do Sistema Boletim Eletrônico de Recolhimento Manual do Sistema Versão 1.2 Junho / 2013 Sumário 1. Introdução... - 3-2. O Sistema BOLETIM ELETRÔNICO DE RECOLHIMENTO... - 3-3. Pré-requisitos... - 3-4. Primeiro Acesso...

Leia mais

BALANÇAS PARA PONTE ROLANTE MODELO BGB RADIO

BALANÇAS PARA PONTE ROLANTE MODELO BGB RADIO BALANÇAS PARA PONTE ROLANTE MODELO BGB RADIO ÍNDICE I Cuidados de Uso... 2 II Características... 2 III Características Técnicas.... 2 IV Capacidade..... 3 V Dimensões. 3 VI Operação 4 VII Diagrama de Funcionamento..

Leia mais

Manual de uso - DIMEP

Manual de uso - DIMEP DTIC - Manual DIMEP - Volume 1, 2011 Manual de uso - DIMEP IFSul - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE DTIC - Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação Pelotas

Leia mais

LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO

LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO LASERTECK SOFTECK FC MANUAL DO USUÁRIO 2015 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 REQUISITOS DO SISTEMA... 3 3 INSTALAÇÃO... 3 4 O QUE MUDOU... 3 5 COMO COMEÇAR... 4 6 FORMULÁRIOS DE CADASTRO... 5 7 CADASTRO DE

Leia mais

INDICE. TPW- ZATC - ZQHC guia de usuário 2

INDICE. TPW- ZATC - ZQHC guia de usuário 2 1 INDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ESPECIFICAÇÕES...3 2.1 TPW...3 2.2 ESPECIFICAÇÕES COMUNS...3 3. INSTALAÇÃO...4 3.1. Instalação geral...4 3.2. Instalação dos modelos TPW...4 4. DESCRIÇÃO...4 5. DISPLAYS...5

Leia mais

KF2.4 MANUAL DE UTILIZADOR

KF2.4 MANUAL DE UTILIZADOR MANUAL DE UTILIZADOR Conteúdo Marcas comerciais IKIMOBILE é uma marca registada da Univercosmos, Lda., uma empresa do Grupo FF, com uma participação na Technology Solutions IT INT. Android e Google Search

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA ROR

MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA ROR MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA ROR ÍNDICE I - INTRODUÇÃO... 02 II - RECEBENDO SEU SISTEMA ROR... 02 III - MONTAGEM DO EQUIPAMENTO... 03 IV - LIGANDO SUA BALANÇA... 03 V - RECURSOS PARA OPERAÇÃO... 04 VI -

Leia mais

Balança Especial tipo Silo para ensaque de Big- Bag Suspenso 0007-EV-00-M

Balança Especial tipo Silo para ensaque de Big- Bag Suspenso 0007-EV-00-M Balança Especial tipo Silo para ensaque de Big- Bag Suspenso 0007-EV-00-M MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Revisão 1.0 Alfa Instrumentos Eletrônicos Ltda R. Cel. Mário de Azevedo, 138 São Paulo - SP 02710-020

Leia mais

02/13 972-09-05 782259 REV.0. Fritadeira Inox 2,5L. Manual de Instruções SOMENTE SOMENTE PARA USO PARA DOMÉSTICO

02/13 972-09-05 782259 REV.0. Fritadeira Inox 2,5L. Manual de Instruções SOMENTE SOMENTE PARA USO PARA DOMÉSTICO 02/13 972-09-05 782259 REV.0 Fritadeira Inox 2,5L SOMENTE SOMENTE PARA USO PARA DOMÉSTICO USO DOMÉSTICO Manual de Instruções INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha da Fritadeira a óleo Britânia. Para garantir

Leia mais

Indicador de pesagem. WT3000-I-Pro. Manual Técnico. v02; r01. Soluções Globais em Sistemas de Pesagem

Indicador de pesagem. WT3000-I-Pro. Manual Técnico. v02; r01. Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Indicador de pesagem WT3000-I-Pro Manual Técnico v02; r01 Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Obrigado por escolher a WEIGHTECH! Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você

Leia mais

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2)

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2) Manual do Usuário (Ver. 2) 1. Introdução O software RedeMB5 é uma ferramenta que permite monitorar em tempo real 247 medidores de energia ou multitransdutores digitais KRON em uma rede padrão RS-485 com

Leia mais

WT-1000 LED INDICADOR DE PESAGEM

WT-1000 LED INDICADOR DE PESAGEM WT-1000 LED INDICADOR DE PESAGEM Manual do usuário Rev0 21/03/2006 Índice 1 Funções das teclas Página 2 2 Operação Página 2 2.1 Carregando a Bateria Página 2 2.2 Zero Manual Página 3 2.3 Função de Tara

Leia mais

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4

Sumário. 1. Instalando a Chave de Proteção 3. 2. Novas características da versão 1.3.8 3. 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 1 Sumário 1. Instalando a Chave de Proteção 3 2. Novas características da versão 1.3.8 3 3. Instalando o PhotoFacil Álbum 4 4. Executando o PhotoFacil Álbum 9 3.1. Verificação da Chave 9 3.1.1. Erro 0001-7

Leia mais

SP-6000/ES ENSAQUE SIMPLES

SP-6000/ES ENSAQUE SIMPLES SP-6000/ES ENSAQUE SIMPLES CAPS LOCK IMPRESSORA ATIVIDADE ESTÁVEL FUNÇÃO ESC F1 F2 F3 F4 F5 F6 F7 F8 F9 F10 F11 F12! @ # $ % / & * ( ) _ + BackSpace 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 - = TAB Q W E R T Y U I O P Enter

Leia mais

Manual de Operação. Balança UR10000 LIGHT 300/100

Manual de Operação. Balança UR10000 LIGHT 300/100 Manual de Operação Balança UR10000 LIGHT 300/100 1 - INTRODUÇÃO Este equipamento foi projetado para atender aos mais rigorosos requisitos de precisão em pesagem, possuindo componentes de altíssima qualidade,

Leia mais

BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO

BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO BAURU 2015 2 BR DOT COM SISPON: MANUAL DO USUÁRIO Manual do usuário apresentado para auxiliar no uso do sistema SisPon. BAURU 2015 3 SUMÁRIO 1 Instalação... 5 1.1 Sispon...

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado CCM44. Versão 0.xx / Rev.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado CCM44. Versão 0.xx / Rev. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado CCM44 Versão 0.xx / Rev. 03 Índice Ítem Página 1. Introdução... 02 2. Características...

Leia mais

Instrução de uso Balança escolar

Instrução de uso Balança escolar KERN & Sohn GmbH Ziegelei 1 D-72336 Balingen E-mail: info@kern-sohn.com Tel.: +49-[0]7433-9933-0 Fax: +49-[0]7433-9933-149 Internet: www.kern-sohn.com Instrução de uso Balança escolar KERN Versão 3.2 07/2011

Leia mais

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I.

Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. Manual do Usuário ipedidos MILI S.A. - D.T.I. MILI S.A. - D.T.I. Índice 1 ACESSANDO O PORTAL IPEDIDOS... 3 1.1 Login...5 1.2 Tela Principal, Mensagens e Atendimento On-line...6 2 CADASTRAR... 10 2.1 Pedido...10

Leia mais

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1.

Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais. Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130. V.1. Medição, Controle e Monitoramento de Processos Industriais Manual de Instruções Controlador Digital Microprocessado C130 V.1.01 / Revisão 4 ÍNDICE Item Página 1. Introdução...01 2. Características...01

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MANUTENÇÃO DOSADORES GRAVIMÉTRICOS

MANUAL DE OPERAÇÃO MANUTENÇÃO DOSADORES GRAVIMÉTRICOS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DOSADORES GRAVIMÉTRICOS MODELO: N O DE SÉRIE: FABRICAÇÃO: / / 1 INTRODUÇÃO É com grande satisfação que a INEAL ALIMENTADORES LTDA coloca mais um equipamento à sua disposição.

Leia mais

Manual de Operação e Configuração. Balança Dosadora de Ração

Manual de Operação e Configuração. Balança Dosadora de Ração Manual de Operação e Configuração Balança Dosadora de Ração 2 1- INTRODUÇÃO A (SPM e SPF) foi projetada para atender as necessidades no setor de pesagem e distribuição de ração em toda linha avícola, fornecendo

Leia mais

MADIS RODBEL SOLUÇÕES DE PONTO E ACESSO LTDA

MADIS RODBEL SOLUÇÕES DE PONTO E ACESSO LTDA MADIS RODBEL SOLUÇÕES DE PONTO E ACESSO LTDA Manual de operação Relógio MD 5705 Revisão 1.02 Maio de 2010 1 Índice Apresentação... 3 Display de LCD... 3 Leitor de crachás... 3 Leitor biométrico... 3 Teclado...

Leia mais

Manual de Operaça o. Pit-Caixa. Versão 3.1

Manual de Operaça o. Pit-Caixa. Versão 3.1 Manual de Operaça o Pit-Caixa Versão 3.1 Sumário 1. Inicialização... 3 2. Tela Principal... 5 3. Menu Operador... 6 3.1. Abrir/Fechar Sessão... 6 3.2. Relatório de Sessão... 9 3.3. Abrir Gaveta... 10 3.4.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES BANHO SECO DIGITAL MODELOS D1100 E D1200. Representante: Ciencor Scientific Ltda www.ciencor.com.br Fone: (11) 3673-7809

MANUAL DE INSTRUÇÕES BANHO SECO DIGITAL MODELOS D1100 E D1200. Representante: Ciencor Scientific Ltda www.ciencor.com.br Fone: (11) 3673-7809 MANUAL DE INSTRUÇÕES BANHO SECO DIGITAL MODELOS D1100 E D1200 Representante: Ciencor Scientific Ltda www.ciencor.com.br Fone: (11) 3673-7809 1 MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 ESPECIFICAÇÕES GERAIS : Faixa de temperatura

Leia mais

SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS

SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS SAV - SISTEMA DE AGENDAMENTO DE VEÍCULOS Introdução ao SAV Prezado Cliente SAV - Sistema de Agendamento de Veículos visa prover as empresas de transporte de um rápido, eficiente e consistente nível de

Leia mais

TECLADO VIAWEB TOUCH

TECLADO VIAWEB TOUCH TECLADO VIAWEB TOUCH GUIA DE USUÁRIO V1.0 R1.00 Julho 2013 Teclado Touch - 1 2 - Guia do Usuário Teclado VIAWEB TOUCH Sumário INDICAÇÕES DO TECLADO...3 MENU DE PROGRAMAÇÃO...4 ACESSAR MENU...5 OPÇÕES PARA

Leia mais

Ajuda On-line - Sistema de Central de Materiais Esterilizados. Versão 1.0

Ajuda On-line - Sistema de Central de Materiais Esterilizados. Versão 1.0 Ajuda On-line - Sistema de Central de Materiais Esterilizados Versão 1.0 Sumário Central de Materiais Esterilizados 3 1 Manual... de Processos - Central de Materiais Esterilizados 4 Fluxos do... Processo

Leia mais

DRIVER DA TELA SENSÍVEL AO TOQUE MANUAL DE OPERAÇÃO

DRIVER DA TELA SENSÍVEL AO TOQUE MANUAL DE OPERAÇÃO MONITOR LCD DRIVER DA TELA SENSÍVEL AO TOQUE MANUAL DE OPERAÇÃO para Mac Versão 1.0 Modelos aplicáveis PN-L802B/PN-L702B/PN-L602B Conteúdo Introdução...3 Requisitos do sistema...3 Configuração do computador...4

Leia mais

KERN KHP V20 Versão 1.0 11/2014 P

KERN KHP V20 Versão 1.0 11/2014 P KERN & Sohn GmbH Ziegelei 1 D-72336 Balingen E-mail: info@kern-sohn.com Telefone: +49-[0]7433-9933-0 Fax: +49-[0]7433-9933-149 Internet: www.kern-sohn.com Instrução de instalação Ponte de pesagem ( 3000

Leia mais

Manual. Usuário. Time Card

Manual. Usuário. Time Card Manual do Usuário Time Card 1 Índice 1- Introdução...3 2 - Conteúdo da embalagem...3 3 - Instalação do Relógio...3 4 - Instalação da Sirene...4 5 - Tabela de Códigos e Funções...5 6 - Conhecendo o Display...5

Leia mais

Chamada Pública Procedimentos para utilização da Chamada Pública no sistema SMARam Versão 1.0

Chamada Pública Procedimentos para utilização da Chamada Pública no sistema SMARam Versão 1.0 Chamada Pública Procedimentos para utilização da Chamada Pública no sistema SMARam Marcio Tomazelli Coordenador de Sistemas Gustavo Cezarino Programador Pleno Versão 1.0 Índice Índice...2 Índice de Figuras...2

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÕES AHC CRANE 21644

MANUAL DE OPERAÇÕES AHC CRANE 21644 MANUAL DE OPERAÇÕES AHC CRANE 21644 PÁGINA DO AHC Na figura acima são exibidas as seguintes informações: 1- Velocidade do cabo. 2- Pressão do Nitrogênio no Compensador do AHC. 3- Carga máxima permitida

Leia mais

OPL9815 Inventário Configurável

OPL9815 Inventário Configurável OPL9815 Inventário Configurável Versão: PXOINCG (OPL9815) 30/09/2015: Revisão 01 Opticon Latin America Versão: INCG - Página 1 1. Funcionalidades... 3 2. Teclas... 3 3. Estrutura de Menus... 4 3. 1. Coleta...

Leia mais

SIGA Manual -1ª - Edição

SIGA Manual -1ª - Edição SIGA Manual -1ª - Edição ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 4 2. MÓDULO DE PROCESSOS 4 3. ACESSO AO SISTEMA 4 3.1 Acessando o Sistema 4 3.2 Primeiro Acesso 5 3.3 Login do Fornecedor 5 o Teclado Virtual 5 o Máquina Virtual

Leia mais

Módulo WEB. Guia de acesso rápido usuário

Módulo WEB. Guia de acesso rápido usuário Módulo WEB Guia de acesso rápido usuário Para acessar sua consulta, clique no botão entrar 93 Por usuário Antes de consultar, o usuário deve se identificar digitando sua matrícula e sua senha. Caso a janela

Leia mais

Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:...

Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:... 0 Conteúdo Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:... 4 1.2 Acesso através do teclado (digitando a matrícula):...

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO 1 1. AVISOS Leia este manual cuidadosamente antes de instalar e operar o equipamento. A operação da máquina deve estar de acordo com as instruções

Leia mais

Manual do Usuário - Telefone e Facilidades. www.integrati.com.br

Manual do Usuário - Telefone e Facilidades. www.integrati.com.br Manual do Usuário - Telefone e Facilidades www.integrati.com.br Introdução Este Treinamento foi elaborado para auxiliá-lo na utilização do novo sistema de telefonia Alcatel-Lucent. A seguir, apresentaremos

Leia mais

Entendendo as luzes do painel do operador

Entendendo as luzes do painel do operador As luzes do painel do operador têm diferentes significados, dependendo de sua seqüência. As luzes que ficam apagadas, acessas e/ou piscando indicam condições da impressora como status, intervenção (por

Leia mais

Painel de Mensagens TXT 010556 TXT 010764 TXT 020764. Manual do Usuário

Painel de Mensagens TXT 010556 TXT 010764 TXT 020764. Manual do Usuário Painel de Mensagens TXT 010556 TXT 010764 TXT 020764 Manual do Usuário A GPTRONICS está capacitada a fabricar produtos de excelente qualidade e oferecer todo o suporte técnico necessário, tendo como objetivo

Leia mais

Início rápido. Para ajustar o aparelho à medição, este tem de ser configurado! Indicador Sensoface (estado do sensor) Indicador do conjunto

Início rápido. Para ajustar o aparelho à medição, este tem de ser configurado! Indicador Sensoface (estado do sensor) Indicador do conjunto Início rápido Modo de funcionamento de medição Depois de se ligar a tensão de funcionamento, o aparelho entra automaticamente no modo de funcionamento "Medição". Acesso ao modo de funcionamento de medição

Leia mais

Astra ThinClient Manual de Configuração

Astra ThinClient Manual de Configuração 2011 www.astralab.com.br Astra ThinClient Manual de Configuração Guia para configuração do software Astra ThinClient. Equipe Documentação Astra AstraLab 20/07/2011 1 Sumário Configurando padrões... 3 Configurando

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo Brisa 4 Plus produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. 1- PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica

Leia mais

Freedom Software. Sistema de Representação. Freedom Software Sistema de Representação Página 1

Freedom Software. Sistema de Representação. Freedom Software Sistema de Representação Página 1 Freedom Software Sistema de Representação Freedom Software Sistema de Representação Página 1 FREEVENDMOBILE (Sistema de Vendas Mó vel) Sumário INSTALAÇÃO:... 3 O SISTEMA... 7 MENU E BARRAS DO SISTEMA...

Leia mais

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas

Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Tutorial de Notas Fiscais Eletrônicas Geração e transmissão de NF-e Após preencher os dados da nota fiscal, se não houver alguma informação faltando, o sistema sugere a geração do arquivo texto necessário

Leia mais

Manual de Instruções. Posicionador e Incrementador Modelo PIS-01/72. Cód.: Frontal. Conexões Elétricas. Introdução

Manual de Instruções. Posicionador e Incrementador Modelo PIS-01/72. Cód.: Frontal. Conexões Elétricas. Introdução Introdução Características Técnicas O posicionador e incrementador Samrello é um equipamento utilizado para o comando de posicionamento dos eixos em máquinas e processos, em diversas áreas e aplicações.

Leia mais

Manual de Operação e Instalação. Microterminal TCP/IP MT740. versão 1.0

Manual de Operação e Instalação. Microterminal TCP/IP MT740. versão 1.0 Manual de Instalação e Operação MT740 1/16 Manual de Operação e Instalação Microterminal TCP/IP MT740 versão 1.0 Manual de Instalação e Operação MT740 2/16 Índice Descrição 3 Reconhecendo o Terminal 5

Leia mais

MaxHome. Mini Ferro de Viagem. MaxHome. Sm-110 Bivolt

MaxHome. Mini Ferro de Viagem. MaxHome. Sm-110 Bivolt Mini Ferro de Viagem Sm-110 Bivolt ÍNDICE NOTAS: Parabéns por ter adquirido o seu Mini Ferro de Viagem. Características do produto Dicas de Segurança Informações do aparelho Usando o aparelho Cuidados

Leia mais

Comprador: Endereço: Cidade: Bairro: CEP: Revendedor: Fone: Data da venda: / / ID: P18407 - Rev. 1

Comprador: Endereço: Cidade: Bairro: CEP: Revendedor: Fone: Data da venda: / / ID: P18407 - Rev. 1 A instalação por outrem implicará em exclusão da garantia em decorrência de defeitos causados pela instalação inadequada. Somente técnico autorizado está habilitado a abrir, remover, substituir peças ou

Leia mais

Manual de Instruções Nav Totem

Manual de Instruções Nav Totem Manual de Instruções Nav Totem Navegação comparada 1. Apresentação...2 2. Como funciona a navegação usando um NAV Totem...2 3. Aplicativos...2 4. Histórico das versões...2 5. Acessando Menu de Funções...3

Leia mais

SP - 4000 PROTEGIDO CONTRA EMI MANUAL DE OPERAÇÃO

SP - 4000 PROTEGIDO CONTRA EMI MANUAL DE OPERAÇÃO SP - 4000 PROTEGIDO CONTRA EMI MANUAL DE OPERAÇÃO MANUAL OPERAÇÃO SP-4000 E.P.M. Tecnologia e Equipamentos Ltda. Avenida Comendador Gumercindo Barranqueiros, 285. Jardim Samambaia Jundiaí SP CEP - 13211-410

Leia mais

Guia Rápido do Usuário

Guia Rápido do Usuário CERTIDÕES UNIFICADAS Guia Rápido do Usuário CERTUNI Versão 1.0.0 CASA DA MOEDA DO BRASIL Conteúdo Acessando o Sistema... 3 Alterando Senhas... 3 Encerrando sua Sessão... 4 Gerando Pedido... 4 Alterando

Leia mais

Passo a Passo Educação Especial

Passo a Passo Educação Especial Passo a Passo Educação Especial Objetivo Orientar as escolas que trabalham com Educação Especial na execução das atividades de criação e inclusão de alunos nas classes de AEE Atendimento Educacional Especializado

Leia mais

KERN YKD Version 1.0 1/2007

KERN YKD Version 1.0 1/2007 KERN & Sohn GmbH Ziegelei 1 D-72336 Balingen-Frommern Postfach 40 52 72332 Balingen Tel. 0049 [0]7433-9933-0 Fax. 0049 [0]7433-9933-149 e-mail: info@kern-sohn.com Web: www.kern-sohn.com P Instrução de

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções (Linha Exclusive Thermomatic) Exclusive III Obrigado por escolher a série dos desumidificadores Exclusive da Thermomatic. Para garantir o uso correto das operações, por favor, leia

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HERMES

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HERMES MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HERMES 1. Introdução Esse documento tem por objetivo descrever o funcionamento e formas de utilização do módulo de Requisição de Materiais do Sistema de Controle Patrimonial

Leia mais

Alterando as configurações da impressora 1

Alterando as configurações da impressora 1 Alterando as configurações da impressora 1 Você pode alterar a configuração da impressora utilizando um software aplicativo, o driver da impressora Lexmark, o painel do operador da impressora ou o painel

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO

MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO MANUAL DO UTILIZADOR TABLET PARA O SETOR DA RESTAURAÇÃO SDILAB Investigação e Desenvolvimento de Software, Lda. Parque Industrial de Celeirós - 1ª Fase, Lote C 4705 Celeirós Braga, Portugal +351 253 678

Leia mais

CERTIFICADO DE CONCLUSÃO LIVRO E CERTIFICADO

CERTIFICADO DE CONCLUSÃO LIVRO E CERTIFICADO LIVRO E CERTIFICADO 1. Informações Gerais. Esta opção do sistema controla formulários de certificados de conclusão dos cursos que são disponibilizados pelas escolas. O sistema controla o livro de registros

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEMARCADOR RODOVIÁRIO

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEMARCADOR RODOVIÁRIO MANUAL DE INSTRUÇÕES DEMARCADOR RODOVIÁRIO MDMR-3P/III 1 Equipamento Fabricado por: SENSORES INDUSTRIAIS MAKSEN LTDA Rua José Alves, 388 Mogi Guaçu - SP CNPJ 04.871.530/0001-66 I.E. 455.095.131.110 www.maksen.com.br

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções DESL. INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha do Liquidificador Philco. Para garantir o melhor desempenho de seu produto, ler atentamente as instruções a seguir. Recomenda-se não jogar fora

Leia mais

Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android )

Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android ) Guia de Imprimir/ Digitalizar Portátil para o Brother iprint&scan (Android ) Antes de utilizar o equipamento Brother Definições de notas Ao longo deste Manual do Utilizador, são utilizados os seguintes

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS ALAMEDA DOS ANAPURUS,1939 MOEMA SÃO PAULO BRASIL

MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS ALAMEDA DOS ANAPURUS,1939 MOEMA SÃO PAULO BRASIL MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS ALAMEDA DOS ANAPURUS,1939 MOEMA SÃO PAULO BRASIL TEL/FAX: (11) 535-7200 / 531-5945 / 531-8784 wcvtools@uol.com.br INDÍCE PRÓLOGO 4 REQUERIMENTO DO SISTEMA

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

MU-00xx - Manual do usuário Produto: Leitor de cartão de proximidade Telefones: (11) 3682-7197 (11) 3683-7141

MU-00xx - Manual do usuário Produto: Leitor de cartão de proximidade Telefones: (11) 3682-7197 (11) 3683-7141 Manual do técnico/usuário: Produto: Leitor de cartão de proximidade Versão deste manual: 1 Revisão deste manual: 1 Data do manual: 10/06/2008 M.c.u Tecnologia www.mcu.com.br 1 Leitor de cartão de proximidade.

Leia mais

Manual de operações e instruções

Manual de operações e instruções Manual de operações e instruções Transmissor e Indicador de Vazão de Ar TIVA Com display LCD Rua Cincinati, 101 - São Paulo -SP Tel. / Fax (011) 5096-4654 - 5096-4728. E-mail: vectus@vectus.com.br Para

Leia mais

Solucionando outros problemas de impressão

Solucionando outros problemas de impressão outros de impressão Use a tabela a seguir para achar soluções para outros de impressão. 1 O painel do operador está em branco ou só exibe diamantes. Os trabalhos não são impressos. O autoteste da impressora

Leia mais

Rotina para utilização do PALM (coletor de dados) no inventário. Biblioteca... Registros:... Estante:...1... + 1 + 10. Prateleira:...1...

Rotina para utilização do PALM (coletor de dados) no inventário. Biblioteca... Registros:... Estante:...1... + 1 + 10. Prateleira:...1... Rotina para utilização do PALM (coletor de dados) no inventário Leitura de Registros utilizando o Palm Ligue o Palm e aparecerá o Menu Principal. 1. Clique no ícone do SiCol para abrir o programa onde

Leia mais

MANUAL SICCL SQL SRTVS 701 Bloco O Ed. MultiEmpresarial Sala 804 Brasília/DF CEP 70340-000 Fone/Fax: (061) 3212-6700 E-mail: implanta@conselhos.com.

MANUAL SICCL SQL SRTVS 701 Bloco O Ed. MultiEmpresarial Sala 804 Brasília/DF CEP 70340-000 Fone/Fax: (061) 3212-6700 E-mail: implanta@conselhos.com. MANUAL SICCL SQL ÍNDICE ACESSANDO O SISTEMA SG - COMPRAS E CONTRATOS... 3 ATENDENDO SOLICITAÇÕES DE ITENS E SERVIÇOS... 5 VERIFICANDO A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS... 7 ATENDER SOLICITAÇÕES COM PROCESSO

Leia mais

Acessando o SVN. Soluções em Vendas Ninfa 2

Acessando o SVN. Soluções em Vendas Ninfa 2 Acessando o SVN Para acessar o SVN é necessário um código de usuário e senha, o código de usuário do SVN é o código de cadastro da sua representação na Ninfa, a senha no primeiro acesso é o mesmo código,

Leia mais

Português. Manual de uso. Balanças Top Loading Série L LW

Português. Manual de uso. Balanças Top Loading Série L LW Português Manual de uso Balanças Top Loading Série L LW Filename : MAN_L_(PTB)_S3_00_R1_0.doc Dicembre 2010 ÍNDICE 1 INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO... 3 2 CONDIÇÕES DE ARMAZENAGEM... 4 3 MONTAGEM DO PRATO

Leia mais

FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA

FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA FingerTech Importação e Comércio de produtos tecnológicos LTDA Avenida Tiradentes, 501 - Torre 2 5 Andar - Sala 502 Jardim Shangrilá A - 86070-565 Londrina - PR Sumário 1. Introdução...4 1.1 Características...4

Leia mais

CENTRAL DE ALARME ASD-260 SINAL/VOZ

CENTRAL DE ALARME ASD-260 SINAL/VOZ CENTRAL DE ALARME ASD-60 SINAL/VOZ Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo ASD-60 produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. - PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica que

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 2.2 DISPOSITIVO NÃO REGISTRADO...

Leia mais

PCT-3001 plus. Display LCD

PCT-3001 plus. Display LCD PCT3 plus CONTROLADOR DIGITAL DE PRESSÃO PARA CENTRAIS DE REFRIGERAÇÃO Ver.2 DESCRIÇÃO Controlador de pressão para sistemas de refrigeração que controla os estágios de sucção (compressores) e de descarga

Leia mais

XPontos. Manual de Instruções

XPontos. Manual de Instruções XPontos Manual de Instruções 2 XPontos LIGAR O EQUIPAMENTO Na parte inferior do equipamento, ligar o cabo de alimentação de acordo com a ilustração. COLOCAR O ROLO PARA IMPRESSÃO Pressionar o botão OPEN

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 3 INICIANDO PROCESSO DE LEITURA...

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais