Citologia Clínica. Exame qualitativo da urina. Exame de urina de rotina. Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Citologia Clínica. Exame qualitativo da urina. Exame de urina de rotina. Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos"

Transcrição

1 Citologia Clínica Aula 9 Exame qualitativo de Urina Profa. MsC Priscila P. S. dos Santos Exame qualitativo da urina Diagnóstico de doença renal, no trato urinário, sistêmicas não relacionadas com o rim. Exame de urina de rotina doenças Propriedades Físico-Químicas: Cor Aspecto Odor densidade ph

2 Exame de urina de rotina Pesquisa de Elementos Químicos Bilirrubina Urobilinogênio Glicose Leucócitos Nitrito Proteína Sangue Corpos cetônicos Exame de urina de rotina Exame Microscópio (Sedimentoscopia) Cilindros Hemácias Leucócitos Células Epiteliais Cristais Flora microbiana Outros Amostra de escolha Primeira urina da manhã, jato médio, sem preservativos. Alternativa Amostra aleatória, colhida após 4 horas da última micção. Volume de amostra: Entre ml; Volume mínimo: 12 ml. EXAME DE URINA DE ROTINA A Fase Pré Analítica: Coleta Orientações para o paciente Evitar atividade física antes da coleta; Investigar a presença de secreção vaginal ou fluxo menstrual; Verificar uso de vitaminas e medicamentos; Avaliar necessidade de coleta assistida.

3 EXAME DE URINA DE ROTINA A Fase Pré Analítica: Armazenamento Condições ideais de armazenamento: Temperatura entre 15 e 25 C, ao abrigo da luz; Realizar o exame até 2 horas após a coleta. Alternativa: Refrigerar a amostra entre 2 e 8 C após a coleta; Realizar o exame entre 6 e 8 horas. EXAME DE URINA DE ROTINA A Fase Pré Analítica: Armazenamento Armazenamento sob refrigeração: - Não interfere na pesquisa com a tira reagente; - Útil para exames microbiológicos; - Precipitação de solutos: uratos e fosfatos; - Não impede a lise de hemácias e leucócitos (2-4 h); - Não impede a dissolução de cilindros; - Proteger da luz: Bilirrubina e Urobilinogênio. Fase Pré Analítica: Tira Reagente Observar as recomendações do fabricante: Procedimentos podem variar entre diferentes produtos: Ordem das áreas de reação; Tempo de leitura das reações. Ler as instruções de uso a cada novo lote; Conhecer a sensibilidade e especificidade de cada teste da tira reagente em uso; Verificar fatores interferentes e outras limitações dos testes da tira reagente. Fase Pré Analítica: Tira Reagente Precauções e cuidados As tiras devem ser armazenadas no recipiente original que deve ser mantido bem tampado; Remover do frasco somente a quantidade de tiras necessária para uso imediato; Exposição das tiras à luz solar direta, vapores químicos e umidade ambiental pode afetar as áreas de reação; Não tocar nas áreas de reação;

4 A Fase Analítica Cor Amarelo citrino ou amarelo âmbar fraco Alterações: Amarelo-claro ou incolor: pacientes poliúricos, diabetes mellitus, diabetes insípido, insuficiência renal avançada, medicamentos diuréticos Amarelo-escuro ou castanho: estados oligúricos, anemia perniciosa, estados febris, início das icterícia (presença anormal de bilirrubina), exercício vigoroso. Alaranjada ou avermelhada : hematúria, hemoglobinúria, icterícias hemolíticas, beterraba, vitamina A, derivados de piridina, nitrofurantoína e contaminação menstrual. Cor Marrom-escuro ou enegrecida : ocorre no carcinoma de bexiga (borra de café), GNA Azulada ou esverdeada : infecção por Pseudomonas, icterícias antigas, cólera, amitriptilina. Esbranquiçada ou branco leitosa: lipidúria maciça, hiperoxalúria primária, fosfatúria e infecções purulentas do trato urinário. Aspecto Límpida Variações: Límpida opaca leitosa - levemente turva turva - fortemente turva Opacidade: cristais Leucócitos, hemácias, bactérias, células epiteliais. Observação de coágulo, muco, tecidos

5 Densidade A capacidade renal de reabsorver seletivamente substâncias químicas essenciais e água é uma das funções mais importantes do organismo. Informação sobre a capacidade de concentração renal função renal, desidratação, anormalidade de ADH; Densidade Densidade Princípio: Concentração de íons; Influência do ph urinário e proteína (>100 mg/dl); Grande influência do estado de hidratação do paciente; Valores: 1,015 a 1,025 ph Bilirrubina ph Não constitui, isoladamente, índice da capacidade renal de excreção de ácidos; Grande influência da dieta, medicamentos e distúrbios metabólicos; Valores elevados: Infecção urinária; Urina armazenada inadequadamente; Lise de hemácias e leucócitos. Pigmento amarelo, produto de degradação de hemoproteínas, principalmente hemoglobina. No SRE, o grupo Heme é convertido em bilirrubina, que é liberada na circulação, se liga a albumina e é transportada para o fígado Bilirrubina indireta insolúvel em água. No fígado, se conjuga com o ac. Glicurônico Bilirrubina conjugada (direta) hidrossolúvel. Bilirrubina direta excretada no intestino urobilinogênio urobilina fezes

6 Bilirrubina Bilirrubina Aumento da concentração de bilirrubina conjugada no sangue (bloqueio na captação e excreção hepática) Obstrução das vias biliares Lesão de hepatócitos (extravasamento de BD para o sangue): hepatite, cirrose Falso negativo: exposição a luz, concentrações elevadas de ácido ascórbico (>100 mg/dl) e nitrito; Falso positivo: medicamentos que coram a urina de laranja ou vermelho e urobilinogênio. Urobilinogênio É um pigmento biliar formado no intestino pela redução da bilirrubina conjugada, por ação de enzimas bacterianas. 10% é reabsorvido, circula, é filtrado pelos glomérulos, volta para o fígado, sendo lançado novamente no intestino pela bile. É excretado nas fezes, após oxidação, sendo convertido em urobilina - pigmento responsável pela cor das fezes. Urina normal: cerca de 1 mg/dl Urobilinogênio Urobilinogênio Hemólise aumento da degradação de hemoglobina: produção elevada de bilirrubina não-conjugada intestino urobilinogênio reabsorvido - urina; Nas disfunções ou lesões hepáticas

7 Urobilinogênio Cetonas Urobilinogênio Falso negativo: Exposição a luz e formaldeído; Falso positivo Medicamentos que coram a urina de laranja ou vermelho Sulfonamidas, metildopa. Cetonas Corpos cetônicos: metabolismo de lipídios Produzidos quando o uso dos carboidratos está comprometido Incapacidade de metabolizar carboidratos (diabetes melito, perda de carboidrato por vômito, jejum prolongado) Cetonas Cetonas Diabetes mellitus não controlado, alcoolismo e raras doenças metabólicas hereditárias; Jejum prolongado, dieta pobre em carboidratos, ingestão de grande quantidade de alimentos contendo lipídios; Falso negativo: exposição da tira a umidade; Falso positivo: densidade elevada, medicamentos. Glicose Excreção depende do nível da glicemia, da capacidade de reabsorção. É praticamente toda reabsorvida nos túbulos proximais por um mecanismo de transporte ativo de acordo com o limiar renal de mg/dl. Quando a concentração plasmática ultrapassa o limiar renal, é excretada e detectada na urina. Outros açucares também podem ser excretados na urina, porém não detectados pela tira reagente.

8 Glicose Glicose Causas: Hiperglicemia: concentração de glicose no sangue alcança valores entre 150 e 180 mg/dl; Glicosúria renal, gravidez; Disfunção tubular (nefropatia tubular proximal) Falso negativo: ácido ascórbico, urinas com temperaturas <15 C, bacteriúria; Falso positivo: agentes oxidantes (hipoclorito de sódio, desinfetantes), exposição da tira a umidade ou a luz. Leucócitos Interpretação dos Achados Leucócitos Indica a presença de processo inflamatório em qualquer ponto do trato urinário; Associado com ph ( ), nitrito (+) e bacteriúria infecção urinária; Leucócitos agrupados presença de processo inflamatório agudo; Cilindros leucocitários localização renal do processo inflamatório.

9 Interpretação: Tira reagente x Microscopia Sangue (Hemácias Hemoglobina) Leucócitos Detecção de leucócitos íntegros ou lisados; Limite de detecção: 10 e 20 leucócitos/µl de urina; Falso negativo: ácido ascórbico, antibióticos Falso positivo: agentes oxidantes, contaminação com secreções uretral ou vaginal. Detecção de leucócitos íntegros Limite de detecção: <10 leucócitos/µl de urina Falso negativo: armazenamento inadequado, ph>7,0, densidade <1.010; Falso positivo: contaminação com secreções uretral ou vaginal. Significado: Sangramento em qualquer ponto do trato urinário; Hematúria: cálculos renais, doenças glomerulares, tumores, traumatismo, pielonefrite, exposição a produtos tóxicos ou drogas Exercício vigoroso ou menstruação (não patológico) Hemoglobinúria Hemólise intravascular Interpretação dos Achados Interpretação: Tira reagente x Microscopia Sangue Sangue Detecta: Hematúria: 5 10/µL de urina Hemoglobinúria: 0,015 mg/dl de urina Falso negativo: ácido ascórbico, nitrito, proteínas Falso positivo: mioglobina, agentes oxidantes, bactérias, fluxo menstrual. Detecta: Hemácias integras (<5/µL de urina); Cilindros hemáticos Falso negativo: armazenamento inadequado, ph > 7,0, densidade <1.010; Falso positivo: contaminação com fluxo menstrual.

10 Nitrito Nitrito Resultado positivo indica quantidade 10 5 bactérias/ml de urina: Cistite, pielonefrite Avaliação de terapia com antibióticos Monitoramento de pacientes com risco de IU Seleção de amostras para cultura de urina Bactérias capazes de converter nitrato em nitrito: Interpretação dos Achados Falso negativo: Tempo de permanência da urina na bexiga <4 horas; Urina armazenada inadequadamente; Bactérias não redutoras de nitrato; Ausência de nitrato na urina; Uso de antibióticos. Falso positivo: Contaminação bacteriana; Fenazopiridina. Nitrito nitrato nitrato redutase nitrito Proteínas Principal marcador laboratorial indicativo de doença renal: lesão glomerular ou tubular; Outras condições: Proteinúria postural; Estado febril; Exercício físico vigoroso; Gravidez; Exposição prolongada ao frio ou calor; Estresse emocional. Interpretação dos Achados Proteínas Teste semi-quantitativo; Falso negativo: Proteinúria sem albuminúria; Falso positivo: ph>9,0 e densidade elevada; Desinfetantes e detergentes.

11 Valores de referência -Proteínas: inferior a 0,1g/L. -Glicose: inferior a 0,3 g/l. - Corpos cetônicos: negativo. - Bilirrubina: negativa. -Urobilinogenio: inferior a 1mg/dL. -Nitrito: negativo - Densidade: a ph: 5.0 a Aspecto: límpido - Pesquisa de elementos figurados: -homens, até leucócitos por ml e até eritrócitos por ml; -mulheres, até leucócitos por ml e até eritrócitos por ml. Leitura da tira reagente

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. URINÁLISE CONSENSOS E CONTROVÉRSIAS Exame Físico - Químico Kaline Maria Nogueira de Lucena Fonseca Centro de Patologia Clínica Natal - RN Exame de

Leia mais

Após a leitura deste texto não deixe de ler também nossas outras postagens sobre exames laboratoriais:

Após a leitura deste texto não deixe de ler também nossas outras postagens sobre exames laboratoriais: Aula Prática Profa. Dra. Fernanda Ayala O exame de urina é usado como método diagnóstico complementar desde o século II. Trata-se de um exame indolor e de simples coleta, o que o torna muito menos penoso

Leia mais

Procedimentos Técnicos NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR

Procedimentos Técnicos NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Versão: 1 Pg: 1/6 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Ivo Fernandes Sobreiro Gerente da Qualidade 01/09/2009 DE ACORDO Renato de Lacerda Diretor Técnico 05/09/2009 APROVADO POR Jose Carlos Santos

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema PROTEINÚRIA, HEMATÚRIA E GLOMERULOPATIAS Elaboradora Texto Introdutório Questão 1 Luciene Alves Silva, Biomédica, Gestora de Qualidade, Laboratório Central do Hospital do Rim e Hipertensão-Fundação

Leia mais

UROVIT (cloridrato de fenazopiridina)

UROVIT (cloridrato de fenazopiridina) UROVIT (cloridrato de fenazopiridina) União Química Farmacêutica Nacional S.A 100 mg e 200 mg UROVIT cloridrato de fenazopiridina IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES 100 mg: embalagem

Leia mais

Kavit fitomenadiona. Solução Injetável 10 mg/ml. Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Kavit fitomenadiona. Solução Injetável 10 mg/ml. Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Kavit fitomenadiona Solução Injetável 10 mg/ml Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO KAVIT fitomenadiona APRESENTAÇÃO Caixa contendo

Leia mais

Solução Glicofisiológica

Solução Glicofisiológica Solução Glicofisiológica Solução injetável cloreto de sódio + glicose 9 mg/ml + 50 mg/ml 1 Forma farmacêutica e apresentações: Solução injetável MODELO DE BULA Solução Glicofisiológica cloreto de sódio

Leia mais

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL Bioquímica Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes Referências Bioquímica Clínica M A T Garcia e S Kanaan Bioquímica Mèdica J W Baynes e M H Dominiczack Fundamentos

Leia mais

Anexo A ACFOL CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Comprimidos e Solução Oral (gotas) 5 mg

Anexo A ACFOL CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Comprimidos e Solução Oral (gotas) 5 mg Anexo A ACFOL CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA Comprimidos e Solução Oral (gotas) 5 mg MODELO DE BULA (adequação à RDC n.º 47/09 Republicada em DOU 19/01/2010) INFORMAÇÕES AO PACIENTE ACFOL I

Leia mais

INFECÇÃO URINÁRIA NO ADULTO

INFECÇÃO URINÁRIA NO ADULTO INFECÇÃO URINÁRIA NO ADULTO INTRODUÇÃO ITU invasão por microorganismos que desencadeiam resposta inflamatória. Bactérias que atingem via ascendente, hematogência ou linfática Cistite : mucosa vesical -

Leia mais

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO MATERNIDADEESCOLAASSISCHATEAUBRIAND Diretrizesassistenciais INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO Gilberto Gomes Ribeiro Francisco Edson de Lucena Feitosa IMPORTÂNCIA A infecção do trato

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS

ORIENTAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS ORIENTAÇÕES PARA REALIZAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS Tempo de Jejum O jejum para alguns exames não é obrigatório, para outros, é necessário que ele seja de 4, 8 ou 12 horas. Verifique com antecedência no

Leia mais

Stresstabs 600 com zinco polivitamínico e polimineral

Stresstabs 600 com zinco polivitamínico e polimineral Stresstabs 600 com zinco polivitamínico e polimineral Nome comercial: Stresstabs 600 com zinco Nome genérico: polivitamínico e polimineral Forma farmacêutica e apresentação referente a esta bula: Stresstabs

Leia mais

O CICLO DO ERITRÓCITO

O CICLO DO ERITRÓCITO O CICLO DO ERITRÓCITO Rassan Dyego Romão Silva Faculdade Alfredo Nasser Aparecida de Goiânia GO Brasil rassandyego@hotmail.com Orientador: Amarildo Lemos Dias de Moura RESUMO: Os eritrócitos são discos

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RENAL. Profa. Dra.Monica Akemi Sato

INSUFICIÊNCIA RENAL. Profa. Dra.Monica Akemi Sato INSUFICIÊNCIA RENAL Profa. Dra.Monica Akemi Sato REVISÃO DE FISIOLOGIA RENAL FILTRAÇÃO GLOMERULAR TÚBULO PROXIMAL ALÇA DE HENLE CAPILAR GLOMERULAR ARTERÍOLA EFERENTE TUBULO PROXIMAL TUBULO DISTAL ESPAÇO

Leia mais

Patologia por imagem Abdome. ProfºClaudio Souza

Patologia por imagem Abdome. ProfºClaudio Souza Patologia por imagem Abdome ProfºClaudio Souza Esplenomegalia Esplenomegalia ou megalosplenia é o aumento do volume do baço. O baço possui duas polpas que são constituídas por tecido mole, polpa branca

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO. Quitéria Paravidino

SISTEMA DIGESTÓRIO. Quitéria Paravidino SISTEMA DIGESTÓRIO Quitéria Paravidino PROCESSOS DIGESTÓRIOS Ingestão:captar alimento pela boca; Mistura e movimentação do alimento:contrações musculares misturam o alimento e as secreções e movimentam

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS UROLOGIA 21. Dentre os cristais urinários relacionados a seguir, aquele que tem significado patológico, quando visto na microscopia de pequeno aumento, durante um exame

Leia mais

VITERGYL C SOLUÇÃO ORAL 200 MG/ML

VITERGYL C SOLUÇÃO ORAL 200 MG/ML VITERGYL C SOLUÇÃO ORAL 200 MG/ML Vitergyl C ácido ascórbico DCB: 00104 I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Vitergyl C Nome genérico: ácido ascórbico (DCB 00104) APRESENTAÇÃO Solução oral/gotas

Leia mais

Boletim Informativo 11 e 12-2009

Boletim Informativo 11 e 12-2009 PPEETT IMAGEEM I DIAGNÓSSTTI ICOSS VEETTEERRI INÁRRI IOSS UUM FFEELLI IIZZ NNAATTAALL EE UUM ÓTTI IIMO 22001100 O Natal é um tempo para avaliação, renovação e reabastecimento de Deus E seu infinito amor.

Leia mais

Estudo Morfofuncional do Sistema Urinário Unidade III Material de Apoio

Estudo Morfofuncional do Sistema Urinário Unidade III Material de Apoio Estudo Morfofuncional do Sistema Urinário Unidade III Material de Apoio 1 Generalidades As células corporais quando desempenham suas funções: Consome O 2 e nutrientes, Bem como produzem substâncias como

Leia mais

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS

I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS Emergência CT de Medicina I CURSO DE CONDUTAS MÉDICAS NAS INTERCORRÊNCIAS EM PACIENTES INTERNADOS CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CREMEC/Conselho Regional de Medicina do Ceará Câmara Técnica de Medicina Intensiva

Leia mais

SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E

SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E O que não é assimilado pelo organismo O que o organismo não assimila, isto é, os materiais inúteis ou prejudiciais ao seu funcionamento, deve ser eliminado.

Leia mais

INTRODUÇÃO À BASES DIAGNÓSTICAS. Profa Sandra Zeitoun Aula 1

INTRODUÇÃO À BASES DIAGNÓSTICAS. Profa Sandra Zeitoun Aula 1 INTRODUÇÃO À BASES DIAGNÓSTICAS Profa Sandra Zeitoun Aula 1 Importância dos dados laboratoriais e de imagem Principais objetivos da medicina laboratorial: Confirmar ou complementar o diagnóstico clínico;

Leia mais

VITACIN 500MG E 1G PÓ EFERVESCENTE

VITACIN 500MG E 1G PÓ EFERVESCENTE VITACIN 500MG E 1G PÓ EFERVESCENTE MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Vitacin ácido ascórbico FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Alburex 20 albumina humana APRESENTAÇÃO Alburex 20: embalagem contendo 1 frasco-ampola com 50 ml de solução hiperoncótica de albumina humana para infusão (20%). VIA INTRAVENOSA

Leia mais

Prof. Ms. Elton Pallone de Oliveira. Exames laboratoriais: definição, tipos, indicação, cuidados pré e pós exame. Urinálise

Prof. Ms. Elton Pallone de Oliveira. Exames laboratoriais: definição, tipos, indicação, cuidados pré e pós exame. Urinálise Exames laboratoriais: definição, tipos, indicação, cuidados pré e pós exame. Urinálise Objetivos Saber a definição, tipos, indicações e principais cuidados pré e pós exame de urinálise e parasitológico.

Leia mais

LEPTOSPIROSE?? Bruna Coelho

LEPTOSPIROSE?? Bruna Coelho LEPTOSPIROSE?? Bruna Coelho M. V. do Serviço de Clínica Médica de Pequenos Animais HOVET FMVZ USP Residência em Clínica e Cirurgia de Pequenos animais HOVET FMVZ USP Especialização em Clínica Médica FMVZ

Leia mais

CEBION Cálcio. Merck S/A. comprimidos efervescentes 500 mg + 600 mg. ácido ascórbico (vitamina C) carbonato de cálcio

CEBION Cálcio. Merck S/A. comprimidos efervescentes 500 mg + 600 mg. ácido ascórbico (vitamina C) carbonato de cálcio CEBION Cálcio ácido ascórbico (vitamina C) carbonato de cálcio comprimidos efervescentes 500 mg + 600 mg Merck S/A Cebion Cálcio ácido ascórbico, carbonato de cálcio APRESENTAÇÕES Comprimidos efervescentes.

Leia mais

HIDROCLOROTIAZIDA Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Simples 50mg

HIDROCLOROTIAZIDA Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Simples 50mg HIDROCLOROTIAZIDA Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Simples 50mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: HIDROCLOROTIAZIDA Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÃO Comprimido

Leia mais

VITAXON C Airela Indústria Farmacêutica Ltda Comprimido efervescente 1G/comp. eferv.

VITAXON C Airela Indústria Farmacêutica Ltda Comprimido efervescente 1G/comp. eferv. VITAXON C Airela Indústria Farmacêutica Ltda Comprimido efervescente 1G/comp. eferv. VITAXON C ácido ascórbico APRESENTAÇÕES Forma farmacêutica: comprimido efervescente Concentração: 1 g de ácido ascórbico

Leia mais

Excipientes: albumina humana, cloreto de sódio, cloridrato de arginina, citrato de sódio.

Excipientes: albumina humana, cloreto de sódio, cloridrato de arginina, citrato de sódio. Haemocomplettan P fibrinogênio APRESENTAÇÃO Haemocomplettan P 1g: embalagem contendo 1 frasco-ampola com 1 g de pó liofilizado para solução injetável e infusão. VIA INTRAVENOSA USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Leia mais

Cevita. Solução injetável 100mg/mL

Cevita. Solução injetável 100mg/mL Cevita Solução injetável 100mg/mL MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Cevita ácido ascórbico APRESENTAÇÕES Solução injetável 100mg/mL Embalagens contendo 100 e 120 ampolas

Leia mais

n Calcium Sandoz + Vitamina C laranja carbonato de cálcio lactogliconato de cálcio ácido ascórbico

n Calcium Sandoz + Vitamina C laranja carbonato de cálcio lactogliconato de cálcio ácido ascórbico Calcium Sandoz + Vitamina C laranja carbonato de cálcio lactogliconato de cálcio ácido ascórbico Forma farmacêutica, via de administração e apresentação: Comprimidos efervescentes. Uso oral. Embalagem

Leia mais

BIOLOGIA SISTEMA EXCRETOR

BIOLOGIA SISTEMA EXCRETOR BIOLOGIA Prof. Helder SISTEMA EXCRETOR ANATOMIA O sistema excretor é formado por um conjunto de órgãos que filtram o sangue, produzem e excretam a urina - o principal líquido de excreção do organismo.

Leia mais

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES 1 Copyright 2014 por Publicado por: Diabetes & Você Autora: Primeira edição: Maio de 2014 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta apostila pode

Leia mais

PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado

PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado MODELO DE BULA PARA O PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado APRESENTAÇÃO

Leia mais

ORLIPID (orlistate) EMS SIGMA PHARMA LTDA. cápsula. 120mg

ORLIPID (orlistate) EMS SIGMA PHARMA LTDA. cápsula. 120mg ORLIPID (orlistate) EMS SIGMA PHARMA LTDA cápsula 120mg 1 ORLIPID (orlistate) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ORLIPID (orlistate) APRESENTAÇÕES Cápsulas de 120mg: Embalagem contendo 21, 30, 42, 60, 84 ou

Leia mais

Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco.

Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco. Função renal: excreção, controle do volume e composição dos líquidos corporais. Composto por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela uretra. Os rins situam-se na parte dorsal do

Leia mais

Diabetes: diagnóstico e clínica

Diabetes: diagnóstico e clínica Diabetes: diagnóstico e clínica J. Vilela Gonçalves Unidade de Diabetes/HCIS 11º Curso Pos-Graduado/NEDO Luso, Junho 2010 Diabetes: classificação (sumária) Diabetes Mellitus tipo 1 Diabetes Mellitus tipo

Leia mais

VITACIN. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pó efervescente 1g

VITACIN. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pó efervescente 1g VITACIN Geolab Indústria Farmacêutica S/A Pó efervescente 1g MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Vitacin ácido

Leia mais

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016 Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda DENGUE O Brasil têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos 10 anos com aumento

Leia mais

APARELHO EXCRETOR HUMANO

APARELHO EXCRETOR HUMANO Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Aparelho Excretor Humano APARELHO EXCRETOR HUMANO O descarte dos produtos indesejáveis e a regulação hidrossalina

Leia mais

nitrofurantoína Cápsula 100mg

nitrofurantoína Cápsula 100mg nitrofurantoína Cápsula 100mg MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES TÉCNICAS AOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE nitrofurantoína Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Cápsula 100mg Embalagens contendo

Leia mais

Resfenol Thermus Gotas. Kley Hertz Farmacêutica S.A. Solução oral paracetamol 200 mg/ml

Resfenol Thermus Gotas. Kley Hertz Farmacêutica S.A. Solução oral paracetamol 200 mg/ml Resfenol Thermus Gotas Kley Hertz Farmacêutica S.A. Solução oral paracetamol 200 mg/ml IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Resfenol Thermus Gotas paracetamol 200mg/mL APRESENTAÇÃO Solução oral contendo 200mg/mL

Leia mais

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira Introdução O sistema urinário é constituído pelos órgãos uropoéticos, isto é, incumbidos de elaborar a urina e armazená- la temporariamente até a oportunidade de ser eliminada para o exterior. Na urina

Leia mais

PYR-PAM pamoato de pirvínio

PYR-PAM pamoato de pirvínio PYR-PAM pamoato de pirvínio DRÁGEA 100 MG Bula do Paciente Pyr-Pam UCI-FARMA Conforme RDC 47/09 Página 1 PYR-PAM pamoato de pirvínio FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO PYR-PAM DRÁGEA 100 MG: cartucho contendo

Leia mais

Nome do medicamento: FORTEVIT Forma farmacêutica: Solução Oral Concentração: 3,00 mg/ml ferro quelato + 0,05 mg/ml cloridrato de piridoxina + 0,80

Nome do medicamento: FORTEVIT Forma farmacêutica: Solução Oral Concentração: 3,00 mg/ml ferro quelato + 0,05 mg/ml cloridrato de piridoxina + 0,80 Nome do medicamento: FORTEVIT Forma farmacêutica: Solução Oral Concentração: 3,00 mg/ml ferro quelato + 0,05 mg/ml cloridrato de piridoxina + 0,80 mg/ml nicotinamida FORTEVIT ferro quelato cloridrato de

Leia mais

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 CDS19NOV10 HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 APRESENTAÇÕES HUMALOG KWIKPEN é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea contendo 100 unidades

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos 40 mg e 80 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos 40 mg e 80 mg MICARDIS (telmisartana) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos 40 mg e 80 mg Micardis telmisartana APRESENTAÇÕES Comprimidos de 40 mg e 80 mg: embalagens com 10 ou 30 comprimidos

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Solução oral Caixa com 50 frascos frascos com 30 ml de solução oral na concentração de 25 mg/ml de ferro elementar

Solução oral Caixa com 50 frascos frascos com 30 ml de solução oral na concentração de 25 mg/ml de ferro elementar FURP-SULFATO FERROSO 25 mg Fe++/ml Gotas PARTE I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO FURP-SULFATO FERROSO sulfato ferroso FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Solução oral Caixa com 50 frascos frascos com 30 ml

Leia mais

Diagnóstico Microbiológico

Diagnóstico Microbiológico Diagnóstico Microbiológico Identificação e Tipagem Bacteriana Prof. Vânia Lúcia Diagnóstico clínico Sinais (mensuráveis) e sintomas (subjetivos) Origem Etiologia Natureza Diagnóstico laboratorial Identificação

Leia mais

GUIA DE COLETA DE AMOSTRAS

GUIA DE COLETA DE AMOSTRAS Diretrizes para coleta da amostra As análises laboratoriais e seus resultados dependem da coleta adequada da amostra, como também, do armazenamento e transporte apropriados até o laboratório. A equipe

Leia mais

Humalog Mix 25 Eli Lilly do Brasil Ltda. Suspensão injetável Refis de 3 ml

Humalog Mix 25 Eli Lilly do Brasil Ltda. Suspensão injetável Refis de 3 ml Humalog Mix 25 Eli Lilly do Brasil Ltda. Suspensão injetável Refis de 3 ml Página 1 de 29 CDS19NOV10 HUMALOG MIX 25 insulina lispro (25% de insulina lispro e 75% de insulina lispro protamina) derivada

Leia mais

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue Universidade Estadual Paulista DIABETES E EXERCÍCIO FÍSICO Profª Dnda Camila Buonani da Silva Disciplina: Atividade Física e Saúde Tópicos da Aula 1. Carboidrato como fonte de energia 2. Papel da insulina

Leia mais

Mecanismos renais de absorção e equilíbrio ácido-básico

Mecanismos renais de absorção e equilíbrio ácido-básico Mecanismos renais de absorção e equilíbrio ácido-básico A absorção no túbulo contornado proximal A característica base do túbulo contornado proximal é reabsorção ativa de sódio, com gasto energético, na

Leia mais

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções.

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções. INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA (IRC) Os Rins e suas funções. Possuímos dois rins que têm cor vermelho-escura, forma de grão de feijão e medem cerca de 12 cm em uma pessoa adulta.localizam-se na parte posterior

Leia mais

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL Prof. Hélder Mauad CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL São variáveis e sujeitas a controle fisiológico São variáveis e sujeitas a controle fisiológico 1. Sistema Nervoso

Leia mais

NUTRICIONISTA PORTUGUÊS

NUTRICIONISTA PORTUGUÊS NUTRICIONISTA PORTUGUÊS 01. Seus amigos realmente confiam em que você vença na vida?. Sintaticamente a oração em destaque classifica-se como: a.( ) Oração subordinada substantiva subjetiva b.( ) Oração

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o doente

Folheto informativo: Informação para o doente Folheto informativo: Informação para o doente Hiperbiótico 250 mg Pó para solução injectável Hiperbiótico 500 mg Pó para solução injectável Hiperbiótico 1000 mg Pó para solução injectável Ampicilina Leia

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaborador Texto Introdutório O EXAME DOS ELEMENTOS FIGURADOS DA URINA Adagmar Andriolo. Médico Patologista Clínico, Professor Livre Docente de Patologia Clínica do Departamento de Medicina - EPM

Leia mais

Calcium Sandoz F. Calcium Sandoz FF NOVARTIS BIOCIÊNCIAS S.A. Comprimido Efervescente. 500mg de cálcio. 1.000mg de cálcio

Calcium Sandoz F. Calcium Sandoz FF NOVARTIS BIOCIÊNCIAS S.A. Comprimido Efervescente. 500mg de cálcio. 1.000mg de cálcio Calcium Sandoz F Calcium Sandoz FF NOVARTIS BIOCIÊNCIAS S.A. Comprimido Efervescente 500mg de cálcio 1.000mg de cálcio Calcium Sandoz F Calcium Sandoz FF carbonato de cálcio + lactogliconato de cálcio

Leia mais

DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg

DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg Diaformin cloridrato de metformina Comprimido IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Leia mais

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si A função da insulina é fazer com o que o açúcar entre nas células do nosso corpo, para depois poder

Leia mais

Unasyn Oral. sultamicilina

Unasyn Oral. sultamicilina Unasyn Oral sultamicilina I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Unasyn oral Nome genérico: sultamicilina APRESENTAÇÕES Unasyn pó para suspensão oral em embalagens contendo 1 frasco com 60 ml

Leia mais

Sistema biliar. Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC

Sistema biliar. Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC Fisiologia hepática e Sistema biliar Dr. Marcos Mendes Disciplina de Fisiologia FMABC ANATOMIA DO FÍGADO LOCALIZAÇÃO: quadrante superior direito do abdome, no espaço peritoneal embaixo do diafragma Maior

Leia mais

Cartilha. pela Saúde da Mulher

Cartilha. pela Saúde da Mulher Cartilha pela Saúde da Mulher Cólica Menstrual Excesso de Gorduras no Sangue A cólica menstrual ou dismenorreia é uma dor abdominal provocada pelas contrações uterinas que ocorrem durante a menstruação.

Leia mais

DROGAS HIPOGLICEMIANTES

DROGAS HIPOGLICEMIANTES DROGAS HIPOGLICEMIANTES Secreção da insulina Insulina plasmática Receptor de insulina Ações da insulina DIABETES: Síndrome de múltipla etiologia, decorrente da falta de insulina e/ou sua incapacidade

Leia mais

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg JARDIANCE (empagliflozina) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Comprimidos Revestidos 10 mg e 25 mg Jardiance empagliflozina APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos de 10 mg ou 25

Leia mais

Principais exames laboratoriais e interferentes pré-analíticos

Principais exames laboratoriais e interferentes pré-analíticos II Curso Introdutório da Liga Acadêmica de Farmacologia Principais exames laboratoriais e interferentes pré-analíticos Josana Martins Rodrigues Agreli Universidade de Uberaba 31 de Maio de 2012 O IMPACTO

Leia mais

Platistine CS cisplatina

Platistine CS cisplatina Platistine CS cisplatina PARTE I - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome: Platistine CS Nome genérico: cisplatina APRESENTAÇÕES Platistine CS 1 mg/ml em embalagens contendo 1 frasco-ampola de 50 ml (50 mg) ou

Leia mais

ESTUDO SUMÁRIO DA URINA. Pesquisa de albumina, corpos cetónicos, pigmentos e sais biliares

ESTUDO SUMÁRIO DA URINA. Pesquisa de albumina, corpos cetónicos, pigmentos e sais biliares Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Ano Lectivo 2009/2010 Unidade Curricular de BIOQUÍMICA II Mestrado Integrado em MEDICINA 1º Ano ENSINO PRÁTICO E TEORICO-PRÁTICO 1ª AULA PRÁTICA ESTUDO

Leia mais

SULFERBEL (SULFATO FERROSO)

SULFERBEL (SULFATO FERROSO) SULFERBEL (SULFATO FERROSO) BELFAR LTDA. Xarope 25mg/mL Solução oral 125mg/mL Comprimido 40mg e 50mg SULFERBEL Sulfato ferroso APRESENTAÇÕES Xarope: frasco com 100mL. Solução oral: frasco gotejador com

Leia mais

VITERGYL C SOLUÇÃO ORAL 200 MG/ML

VITERGYL C SOLUÇÃO ORAL 200 MG/ML VITERGYL C SOLUÇÃO ORAL 200 MG/ML Vitergyl C ácido ascórbico DCB: 00104 I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Vitergyl C Nome genérico: ácido ascórbico (DCB 00104) APRESENTAÇÃO Solução oral/gotas

Leia mais

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920

HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 CDS19NOV10 HUMALOG KWIKPEN insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 APRESENTAÇÕES HUMALOG KWIKPEN é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea contendo 100 unidades

Leia mais

Regulação dos níveis iônicos do sangue (Na +, K +, Ca 2+, Cl -, HPO 4. , K +, Mg 2+, etc...)

Regulação dos níveis iônicos do sangue (Na +, K +, Ca 2+, Cl -, HPO 4. , K +, Mg 2+, etc...) Regulação dos níveis iônicos do sangue (Na +, K +, Ca 2+, Cl -, HPO 4 2-, K +, Mg 2+, etc...) Regulação do equilíbrio hidrossalino e da pressão arterial; Regulação do ph sanguíneo (H +, HCO 3- ); Síntese

Leia mais

VITAFER (sulfato ferroso) EMS S/A. comprimido revestido. 109 mg

VITAFER (sulfato ferroso) EMS S/A. comprimido revestido. 109 mg VITAFER (sulfato ferroso) EMS S/A comprimido revestido 109 mg I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Vitafer sulfato ferroso APRESENTAÇÃO Comprimido revestido de 109 mg. Embalagem contendo frasco com 50 comprimidos

Leia mais

HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920

HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 1 CDS12JUL06 HUMALOG insulina lispro (derivada de ADN* recombinante) D.C.B. 04920 FORMAS FARMACÊUTICAS, APRESENTAÇÕES E COMPOSIÇÃO HUMALOG é uma solução aquosa clara, incolor, para administração subcutânea

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 16. Sobre a coleta de uma amostra de sangue, foram feitas algumas afirmações.

PROVA ESPECÍFICA Cargo 16. Sobre a coleta de uma amostra de sangue, foram feitas algumas afirmações. 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 16 QUESTÃO 31 Sobre a coleta de uma amostra de sangue, foram feitas algumas afirmações. I- A venopunção é efetuada usando-se uma agulha presa a um tubo de teste de vidro com vácuo,

Leia mais

Trabalho do sistema excretor

Trabalho do sistema excretor GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE PEDAGOGIA Trabalho do sistema excretor

Leia mais

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO Preparatório Concursos- 2012 DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Distúrbio hidro-eletrolítico e ácido-básico Distúrbios da regulação da água; Disnatremias;

Leia mais

Anexo II Capítulo 5. ROTINAS DE ANÁLISES FÍSIC0 QUÍMICAS DE LEITE (Procedimentos Para Avaliação Do Estado de Conservação do Leite)

Anexo II Capítulo 5. ROTINAS DE ANÁLISES FÍSIC0 QUÍMICAS DE LEITE (Procedimentos Para Avaliação Do Estado de Conservação do Leite) 80 Anexo II Capítulo 5 ROTINAS DE ANÁLISES FÍSIC0 QUÍMICAS DE LEITE (Procedimentos Para Avaliação Do Estado de Conservação do Leite) (Créditos: Mariza Sobreira de Mendonza Sessa) 1.1 DETERMINAÇÃO DA ACIDEZ

Leia mais

LIPNEO (ciprofibrato)

LIPNEO (ciprofibrato) LIPNEO (ciprofibrato) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido 100mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: LIPNEO ciprofibrato APRESENTAÇÃO Comprimido de 100mg: Embalagem com 30 comprimidos.

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina

Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Departamento de Biologia Celular e Molecular Projeto: Desenvolvimento de Casos Clínicos para Aplicação no Ensino de Biologia Celular e Molecular para Medicina Tema: Metabolismo do Ferro e Anemias Monitores:

Leia mais

Keflaxina Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Pó para Suspensão Oral 50 mg/ml

Keflaxina Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Pó para Suspensão Oral 50 mg/ml Keflaxina Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Pó para Suspensão Oral 50 mg/ml I. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Keflaxina cefalexina APRESENTAÇÃO Suspensão oral 250 mg/5ml. Embalagem contendo frasco com pó

Leia mais

Urocultura. Introdução

Urocultura. Introdução Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais http://www.icb.ufmg.br/mic Urocultura Introdução A infecção do trato urinário (ITU) situa-se entre as

Leia mais

Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes

Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes O Dia Mundial da Saúde é celebrado todo 7 de abril, e neste ano, o tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientização

Leia mais

ácido acetilsalicílico

ácido acetilsalicílico ácido acetilsalicílico EMS S/A Comprimido 100mg I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ácido acetilsalicílico Medicamento genérico Lei n 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimidos Comprimidos contendo 100 mg de

Leia mais

MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A. GOTAS

MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A. GOTAS VOMISTOP cloridrato de metoclopramida MEDQUÍMICA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A. GOTAS 4 mg/ml VOMISTOP cloridrato de metoclopramida gotas I- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome Genérico: cloridrato de metoclopramida

Leia mais

O nitrogênio é um dos elementos constituintes mais abundantes nos animais, junto com o Carbono, Hidrogênio, Oxigênio, Enxofre e Fósforo.

O nitrogênio é um dos elementos constituintes mais abundantes nos animais, junto com o Carbono, Hidrogênio, Oxigênio, Enxofre e Fósforo. SISTEMA EXCRETOR O nitrogênio é um dos elementos constituintes mais abundantes nos animais, junto com o Carbono, Hidrogênio, Oxigênio, Enxofre e Fósforo. O Nitrogênio do ar, não é fixado pelos animais,

Leia mais