programa sebrae 2014:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "programa sebrae 2014:"

Transcrição

1 programa sebrae 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e pequenas empresas nas cidades-sede caderno de conhecimento: madeira e móveis

2 FICHA TÉCNICA SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões Diretor-Presidente Luiz Barretto Diretor Técnico Carlos Alberto dos Santos Diretor de Administração e Finanças José Claudio dos Santos Gerente da Unidade de Atendimento Coletivo Serviços Vinicius Lages Coordenação Nacional do Programa Sebrae 2014 Dival Schmidt Filho Larissa Xavier Natário Teixeira Unidades Estaduais do Sebrae Dirigentes Amazonas: Maurício Seffair Bahia: Lauro Ramos Ceará: Alci Gurgel Distrito Federal: Rodrigo Sá Mato Grosso: José Guilherme Ribeiro Minas Gerais: Afonso Rocha Paraná: Allan Costa Pernambuco: Roberto Castelo Branco Rio de Janeiro: Cezar Vasquez Rio Grande do Norte: José Ferreira de Melo Rio Grande do Sul: Marco Antônio Ribeiro São Paulo: Ricardo Tortorella Coordenadores Estaduais Amazonas: José Araújo Gomes Bahia: Richard Alves Ceará: Antônio Luiz do Nascimento Neto Distrito Federal: Roberto Faria Santos Filho Mato Grosso: Marisbeth Maria Gonçalves Minas Gerais: Mônica Stela de Alencar Castro Paraná: Aldo Cesar Carvalho Pernambuco: Jose Oswaldo Ramos Rio de Janeiro: Danuza Costa Magalhães de Almeida Rio Grande do Norte: Célio José Vieira de Moura Rio Grande do Sul: Amanda B. H. Paim São Paulo: José Bento Desie FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Presidente Carlos Ivan Simonsen Leal Diretor Executivo da FGV Projetos Cesar Cunha Campos Coordenação do Núcleo de Turismo Luiz Gustavo M. Barbosa EQUIPE DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS Coordenação Geral do Estudo Airton Pereira Luiz Gustavo M. Barbosa Coordenação Executiva Roberto Pascarella Justa Equipe Técnica Agnes Dantas André Meyer Coelho Gabriela Serpa Isabel Farias Roberto Pascarella Justa Thais Padinha DIAGRAMAÇÃO Quattri Design

3 Índice 5 INTRODUÇÃO 6 Notação Metodológica do Mapeamento de Oportunidades 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS 11 Função: 14 Função: 20 Função: Projetos 21 anexos 22 anexo 1 - Estrutura Analítica e Principais Atividades do Setor 25 anexo II - Requisitos de Contratação

4 4 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Abreviaturas e Siglas ABNT ANP ANTT ASO CA CADIN CERFLOR CIPA CNAE CNPJ CPF CTPS DOF EPI FGTS FGV FIFA FISPQ FSC GLP GPS IBAMA Associação Brasileira de Normas Técnicas Agência Nacional de Petróleo Agência Nacional de Transportes Terrestres Atestado de Saúde Ocupacional Certificado de Aprovação Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados do Setor Público Federal Certificação Florestal Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Classificação Nacional das Atividades Econômicas Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica Cadastro de Pessoas Físicas Carteira de Trabalho e Previdência Social Documento de Origem Florestal Equipamentos de Proteção Individual Fundo de Garantia do Tempo de Serviço Fundação Getulio Vargas Fédération Internationale de Football Association Ficha de Informação de Segurança do Produto Químico Forest Stewardship Council Gás de Petróleo Liquefeito Guia da Previdência Social Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis INEA Instituto Estadual do Ambiente INMETRO Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia IRPJ Imposto de Renda Pessoa Jurídica ISO International Organization for Standardization LTCAT Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho MPE Micro e Pequenas Empresas MOPP Movimentação Operacional de Produtos Perigosos OHSAS Occupational Health and Safety Assessment Services PCA Programa de Conservação Auditiva PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional PCP Planejamento e Controle de Produção PDRE Plano Diretor de e Efluentes PPP Perfil Profissiográfico Previdenciário PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Proergo Programa de Gerenciamento Ergonômico RAIS Relação Anual de Informações Sociais RG Registro Geral SA8000 Social Accountability 8000 SBAC Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade SEBRAE Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SERASA Centralização dos Serviços Bancários SESMT Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho TI Tecnologia da Informação

5 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 5 Introdução Este documento, realizado em conjunto pela Fundação Getulio Vargas (FGV), SEBRAE Nacional e unidades estaduais no âmbito do PROGRAMA SEBRAE 2014, apresenta o mapeamento de oportunidades, decorrentes do evento mobilizador Copa do Mundo FIFA 2014, para as micro e pequenas empresas (MPEs) do setor de MADEIRA E MÓVEIS. Além dos resultados encontrados em termos de oportunidades de negócios para as MPEs no setor em estudo e de seus requisitos de mercado, também são descritos, de forma sucinta, os aspectos metodológicos específicos no processo de mapeamento das oportunidades do setor de MADEIRA E MÓVEIS. Mais detalhes sobre a construção da metodologia do mapeamento de oportunidades em geral e as implicações para o PROGRAMA SEBRAE 2014 podem ser encontrados em seus respectivos cadernos de conhecimento. É importante salientar que os resultados contidos neste estudo não se esgotam em si mesmos. Na verdade, as conclusões do trabalho devem ser vistas como o insumo inicial de dados e informações do Programa SEBRAE Nesse sentido, é fundamental o aprimoramento e o detalhamento dessas conclusões para que o SEBRAE Nacional e suas unidades estaduais possam auxiliar, de maneira mais efetiva possível, as MPEs brasileiras no contexto da Copa do Mundo FIFA 2014.

6 6 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Notação Metodoló- gica do Mapeamento de Oportunidades A identificação das oportunidades para as MPEs do setor de MADEIRA E MÓVEIS, decorrentes do evento mobilizador Copa do Mundo FIFA 2014, foi realizada com base em uma metodologia desenvolvida especificamente para essa finalidade. A Figura 1, a seguir, apresenta esquematicamente as etapas percorridas para o desenvolvimento metodológico do estudo. Mais detalhes sobre cada uma das etapas podem ser encontrados no Caderno de Conhecimento Metodologia. Figura 1 - Metodologia de Estudo do Mapeamento de Oportunidades Nacional Como mostra a Figura 1, inicialmente foi elaborado, por um painel de especialistas, o instrumento de coleta de dados do setor de MADEIRA E MÓVEIS. Nesse instrumento é listado o conjunto de atividades do setor, totalizando 120 diferentes tipos de atividades (Anexo 1), distribuídas em 3 funções e 19 áreas. Esse conjunto de atividades deu origem à estrutura analítica do estudo no setor, mostrada na Figura 2.

7 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 7 Figura 2 - Estrutura analítica das atividades do setor de MADEIRA E MÓVEIS Após a elaboração do instrumento de coleta de dados, o levantamento de oportunidades, no âmbito nacional, foi realizado junto aos especialistas consultados pela FGV. Assim, o objetivo era identificar a chance de atuação de uma MPE em cada uma das atividades do setor. Dessa forma, os especialistas classificaram cada atividade de acordo com a possibilidade de contratação/atuação de uma MPE, considerando determinados parâmetros, listados a seguir: a) Existência de grandes parceiros nacionais: significa a parceria firmada, em determinadas atividades, entre grandes empresas e alguns de seus fornecedores de produtos e prestadores de serviços. Essa parceria em âmbito nacional é capaz de reduzir o espaço de atuação de MPEs locais em algumas áreas; b) Exclusividade de fornecedores: quando uma empresa é detentora de tecnologia, matéria-prima, insumo ou serviço exclusivos, reduz-se a possibilidade de concorrência ou participação de outras empresas, sendo MPEs ou não; c) Grau de complexidade de recursos técnicos envolvidos: quando as atividades a serem executadas são muito complexas, do ponto de vista técnico, a participação de micro e pequenas empresas pode ser dificultada; d) Histórico do setor: trata-se da memória institucional do setor, seu histórico de contratação e relacionamento com parceiros, podendo existir ou não evidências de contratação de MPEs para a atividade; e) Necessidade de investimentos: dependendo da oportunidade, eventuais investimentos necessários para sua concretização podem impactar, positiva ou negativamente, a chance de atuação das MPEs. Para que as oportunidades identificadas possam ser aproveitadas pelas empresas é necessário que as mesmas estejam adequadas às exigências de seus contratantes. Dessa maneira, como parte da metodologia, o painel de especialistas e a pesquisa de campo levantaram o conjunto de requisitos de contratação a serem cumpridos pelas empresas fornecedoras. Os requisitos, esquematicamente exemplificados na Figura 3, foram organizados em quatro diferentes tipos: > > Documentação geral documentos exigidos pela legislação brasileira para formalização e funcionamento de empresas em qualquer área de atuação, como, por exemplo, CNPJ, alvará de funcionamento e nota fiscal. > > Documentação específica documentação voltada ao setor de MADEIRA E MÓVEIS, considerada, por vezes, obrigatória para a atuação de empresas em determinadas atividades do setor. > > Gestão requisitos gerais de gestão de negócios, comuns a qualquer empresa. Contudo, podem conter especificidades para o setor, como, por exemplo, avaliação de controle de risco e planejamento para identificação de perigos. > > Sustentabilidade programas e certificações voltados à sustentabilidade e à responsabilidade social e ambiental. Refere-se à preocupação dos empreendimentos em minimizar os impactos ocasionados por suas atividades.

8 8 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Figura 3 - Estrutura analítica e exemplificação dos requisitos de contratação A natureza dos diferentes tipos de requisitos estão explicadas no Caderno de Conhecimento Metodologia deste estudo. Finalmente, a última etapa da metodologia no nível nacional, após a identificação das oportunidades e definição dos requisitos de contratação, refere-se ao levantamento da densidade de micro e pequenas empresas nas atividades consideradas como oportunidades. Mais detalhes sobre o cálculo de densidade podem ser encontrados no Caderno de Conhecimento Metodologia.

9 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 9 Resultados consolidados Além dos parâmetros considerados para avaliação das oportunidades (mencionados anteriormente) é relevante destacar alguns aspectos gerais que permeiam as oportunidades de negócios para as MPEs do setor de MADEIRA E MÓVEIS. Nesse sentido, de forma geral, as empresas do setor podem se beneficiar das oportunidades de duas maneiras: em primeiro lugar, sendo contratadas por outras empresas (hotéis, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais, por exemplo) para pequenas reformas, construções de pequeno porte, decoração de ambientes etc. Nesses casos, não existe investimento público; os recursos são todos privados. Em segundo lugar, por meio das chamadas subcontratações em licitações de preparação das cidades-sede. Nesses casos, geralmente os grandes contratos de licitação de preparação do País para sediar a Copa do Mundo FIFA 2014 (construção de estádios, obras de acesso etc.) são vencidos pelas empresas de maior porte. Logo, as oportunidades para as MPEs nesse contexto estarão disponíveis na condição de fornecedoras ou prestadoras de serviço para empresas de maior porte. Assim, das 120 atividades do setor de MADEIRA E MÓVEIS levantadas inicialmente (Anexo 1), 106 foram apontadas como potencial oportunidade de atuação de MPEs de acordo com a coleta de dados primários. A possibilidade de participação de MPEs foi identificada em áreas como programação visual, fornecimento de maquinário, revestimento têxtil e gerenciamento.

10 10 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Funções Nas próximas seções é apresentado o mapeamento de oportunidades para o setor de MADEIRA E MÓ- VEIS no contexto da Copa do Mundo FIFA Os resultados serão mostrados por função da estrutura analítica do estudo, em quadros individualizados. Cada quadro apresenta cinco colunas: 1) Área: significa em qual área da estrutura analítica do setor de MADEIRA E MÓVEIS a atividade mapeada se encontra; 2) Atividade: é o micro dado do estudo e sua parte mais importante. É a efetiva atividade identificada com chance alta de atuação de uma MPE; 3) Código CNAE 2.0: a estrutura analítica do estudo foi elaborada com base na experiência de profissionais da área e da realidade diária e prática do setor. Assim, as atividades descritas não necessariamente se enquadram na classificação de atividades econômicas do Brasil. Além disso, as empresas brasileiras podem realizar mais de um tipo de atividade econômica, mas elas se registram de acordo com a principal atividade. Para cada atividade, foi elaborada uma lista de códigos CNAE sob os quais estas atividades podem se encaixar; 4) Descrição CNAE 2.0: é a descrição dos códigos CNAE selecionados para as atividades; 5) Densidade de MPEs: o cálculo explicado na metodologia deste estudo leva em consideração o universo de empresas classificadas sob o código CNAE em análise e a respectiva parcela de MPEs nesse mesmo universo. Quanto mais próximo de 1, mais MPEs existem na atividade econômica.

11 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 11 Função: As oportunidades na função, em decorrência da Copa do Mundo FIFA 2014, do setor de MA- DEIRA E MÓVEIS, são relativas a serviços especializados descritos no quadro a seguir. Tais oportunidades podem ser aproveitadas por empresas especializadas em fornecimento de equipamentos, armazenamento, representação comercial e consultoria. Quadro 1 - Oportunidades na função Função Área Atividade Automação industrial Automação industrial Maquinário Maquinário Maquinário Gerenciamento Gerenciamento Desenvolvimento e implementação de soluções em engenharia e automação Controle de processos e desenvolvimento de software Fornecimento de acessórios para maquinário (ex.: para exaustores, grampeadores, serras etc.) Serviços de manutenção e assistência técnica em máquinas e equipamentos Fornecimento de material de manutenção (ex.: fluidos, protetores elétricos, limpacontatos, desengraxantes, removedores) Fornecimento de software específicos e sistemas PCP Serviços de consultoria técnica e tecnológica (processos produtivos, racionalização de produção etc.) Código CNAE Descrição CNAE 2.0 Atividades de consultoria em gestão empresarial Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda Comércio atacadista de máquinas, aparelhos e equipamentos não especificados anteriormente; partes e peças de máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente Manutenção e reparação de máquinas e equipamentos da indústria mecânica Comércio atacadista de combustíveis sólidos, líquidos e gasosos, exceto gás natural e GLP Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis Atividades de consultoria em gestão empresarial Gerenciamento Serviço de treinamento operacional Atividades de apoio à educação 0,18 Gerenciamento Serviço de treinamento em controle de qualidade Atividades de apoio à educação 0,18 Gerenciamento Consultoria em processos produtivos Atividades de consultoria em gestão empresarial 0,33 Gerenciamento Consultoria em racionalização de produção Atividades de consultoria em gestão empresarial 0,33 Gerenciamento Consultoria para adequação às normas ABNT Embalagem Fornecimento de bobinas de papel e papelão Embalagem Fornecimento de bobinas plásticas Embalagem Fornecimento de cantoneiras plásticas Atividades de consultoria em gestão empresarial de produtos de papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado para uso comercial e de escritório Comércio atacadista de papel e papelão em bruto e de embalagens de artefatos de material plástico não especificados anteriormente Comércio atacadista especializado de outros produtos intermediários não especificados anteriormente de artefatos de material plástico não especificados anteriormente Comércio atacadista especializado de outros produtos intermediários não especificados anteriormente Densidade de MPEs 0,33 0,31 0,65 0,39 0,64 0,41 0,33 0,33 0,60 0,76 0,54 0,69 0,54 0,69

12 12 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Função Área Atividade Embalagem Embalagem Embalagem Armazenamento e estoque Armazenamento e estoque Fornecimento de etiquetas adesivas para máquinas impressoras Fornecimento de embalagens de papel para componentes e peças pequenas Fornecimento de sacos plásticos para embalagem de componentes Fornecimento de carrinhos para transporte de componentes e cargas, rebocadores elétricos e empilhadeiras Fornecimento de mobiliário específico para armazenamento: Estrutura (metálica) Porta- Paletes Convencional; Estrutura (metálica) Porta-Paletes Tipo Drive-in com dupla profundidade; Palete Misto (Aço e Madeira) formando UPC Unidade Padrão de Carga Serviço especializado em tratamento de efluentes Código CNAE 2.0 Descrição CNAE de produtos de papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado para uso comercial e de 0,60 escritório Comércio atacadista de artigos de escritório e de papelaria; livros, jornais e outras publicações 0, de embalagens de papel 0, Comércio atacadista de papel e papelão em bruto e de embalagens 0, de embalagens de material plástico 0, Comércio atacadista de papel e papelão em bruto e de embalagens 0,76 de máquinas, equipamentos e aparelhos para transporte e elevação 0,37 de cargas e pessoas Comércio atacadista de máquinas, aparelhos e equipamentos não especifi 0,65 cados anteriormente; partes e peças de máquinas, equipamentos e aparelhos para transporte e elevação de cargas e pessoas Tratamento e disposição de resíduos não-perigosos Tratamento e disposição de resíduos perigosos Análise química de amostras Testes e análises técnicas 0,37 Fornecimento de máquinas coletoras de pó e serragem ex.: sugadoras Serviço especializado na coleta de resíduos químicos Serviço de coleta seletiva de resíduos de papelão Serviço de coleta seletiva de latas de tinta descartadas Serviço de coleta seletiva de resíduos de madeira (ex.: serragem, maravalhas e cavacos destinados à venda a terceiros granjas cerâmicas e olarias) Fornecimento de lixeiras e caçambas para coleta de lixo Serviço de coleta de lixo extraordinário (plástico, isopor, etc.) de máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente Comércio atacadista de máquinas, aparelhos e equipamentos não especifi cados anteriormente; partes e peças Densidade de MPEs 0,37 0,11 0,26 0, Coleta de resíduos perigosos 0, Coleta de resíduos não-perigosos 0, Coleta de resíduos não-perigosos 0, Coleta de resíduos não-perigosos 0, Coleta de resíduos não-perigosos 0, Coleta de resíduos não-perigosos 0,10

13 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 13 O desejo brasileiro é de preparar uma Copa do Mundo FIFA com base no conceito de sustentabilidade abrangente a todos os envolvidos, públicos e privados (hotéis, por exemplo) que realizem construções ou reformas levando em consideração aspectos de sustentabilidade. Durante as reuniões com os especialistas, bem como a partir da consulta de documentos relacionados com obras para preparação das cidades-sede para a Copa do Mundo FIFA 2014, chamou a atenção o potencial de oportunidades para MPEs especializadas em coletas seletivas e de material químico, tratamentos de efluentes e coleta de lixo extraordinário que podem oferecer seus serviços de forma customizada ao perfil de cada cliente. A complexidade da fabricação de determinados produtos demandará maquinário específico, normalmente de grande porte, fornecido em sua maioria diretamente pelo fabricante e por seu alto valor agregado ficam muitas vezes restritas a médias e grandes empresas. Contudo, também haverá demanda por máquinas manuais e de pequeno porte que representam oportunidades MPEs especializadas e que atuem como representantes de maquinários de fabricação estrangeira. O segmento de gerenciamento apresenta oportunidades na contratação de MPEs especializadas em consultoria técnica e tecnológica relacionadas a processos produtivos, racionalização de produção, treinamento operacional e controle de qualidade. Esses serviços serão necessários para preparação das MPEs do setor de forma que essas estejam aptas a transformar as oportunidades surgidas em decorrência do Evento em realização de negócios e desenvolvimento empresarial em longo prazo, transformando assim a oportunidade em legado.

14 14 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Função: A função é composta por atividades que são impactadas pelo aumento na demanda dos setores de construção civil, da rede hoteleira entre outros. As atividades relacionam-se ao fornecimento de matérias-primas, itens para acabamento, acessórios e outros. Quadro 2 - Oportunidades na função Função Área Atividade Madeira Madeira Madeira Fornecimento de chapas de aglomerado, MDF e compensado (madeira beneficiada) Fornecimento de madeira maciça para fabricação de móveis Fornecimento de painéis em madeira maciça Lyptus e Teca Madeira Fornecimento de resíduos de serraria Acessórios e ferragens Acessórios e ferragens Acessórios e ferragens Acessórios e ferragens Fornecimento de corrediças Fornecimento de dobradiças Fornecimento de cabideiros e suportes Fornecimento de pés e sapatas niveladoras Código CNAE 2.0 Descrição CNAE de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, 0,45 prensada e aglomerada Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0, Desdobramento de madeira 0,79 Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0, Desdobramento de madeira 0,79 Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0,88 de artefatos de madeira, palha, cortiça, vime e material trançado não especificados 0,81 anteriormente, exceto móveis Comércio atacadista de resíduos e sucatas 0, de artigos de serralheria, exceto esquadrias 0,82 Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0, de artigos de serralheria, exceto esquadrias 0,82 Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0, de artigos de serralheria, exceto esquadrias 0,82 Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens de artefatos de borracha não especificados anteriormente 0,37 Comércio atacadista especializado de outros produtos intermediários não 0,69 especificados anteriormente Densidade de MPEs

15 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 15 Função Área Atividade Código CNAE 2.0 Descrição CNAE 2.0 Densidade de MPEs Acessórios e ferragens Fornecimento de puxadores metálicos de artigos de serralheria, exceto esquadrias Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de construção e ferragens 0,82 0,73 Acessórios e ferragens Fornecimento de puxadores plásticos de artefatos de material plástico não especificados anteriormente Comércio atacadista especializado de outros produtos intermediários não especificados anteriormente 0,54 0,69 Acessórios e ferragens Fornecimento de puxadores em madeira de artefatos de madeira, palha, cortiça, vime e material trançado não especificados anteriormente, exceto móveis Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0,81 0,88 Acessórios e ferragens Fornecimento de acessórios plásticos (tapafuros, pinos, suportes, perfis etc.) de artefatos de borracha não especificados anteriormente Comércio atacadista especializado de outros produtos intermediários não especificados anteriormente 0,37 0, de lâmpadas e outros equipamentos de iluminação 0,55 Acessórios e ferragens Fornecimento de material de iluminação (luminárias e lâmpadas) Comércio atacadista de material elétrico Comércio atacadista de equipamentos e artigos de uso pessoal e doméstico não especificados anteriormente 0,57 0, de material elétrico para instalações em circuito de consumo 0,36 Acessórios e ferragens Fornecimento de material elétrico (fios, interruptores, fitas) Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de construção e ferragens 0, Comércio atacadista de material elétrico 0,57 Acessórios e ferragens Fornecimento de cavilhas, hastes, tarugos e pinos de madeira de artefatos de madeira, palha, cortiça, vime e material trançado não especificados anteriormente, exceto móveis Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0,81 0,88 Acessórios e ferragens Fornecimento de grampos para aplicação em madeira (estofados) de produtos de metal não especificados anteriormente Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de construção e ferragens 0,73 Acessórios e ferragens Fornecimento de pregos, parafusos, porcas, arruelas de produtos de trefilados de metal Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de construção e ferragens 0,72 0,73 Componentes Fornecimento de rodízios para aplicação em móveis de artigos de serralheria, exceto esquadrias Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de construção e ferragens 0,82 0,73

16 16 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Função Área Atividade Componentes Fornecimento de encaixes e conexões Componentes Componentes Componentes Componentes Fornecimento de adesivos para fixação de peças Fornecimento de peças tubulares em plástico para aplicação em móveis Fornecimento de peças tubulares em aço e ferro para aplicação em móveis Fornecimento de bases, colunas à gás e componentes plásticos para cadeiras de escritório Fornecimento de martelos Fornecimento de chaves de fenda Fornecimento de cortador de laminado Fornecimento de paquímetro Fornecimento de compasso Fornecimento de serra de arco Fornecimento de riscador Fornecimento de grampo sargento Fornecimento de graminho Código CNAE 2.0 Descrição CNAE de artefatos de madeira, palha, cortiça, vime e material trançado não especificados 0,81 anteriormente, exceto móveis Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista de madeira e produtos derivados 0, de adesivos e selantes 0,58 Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de artefatos de material plástico não especificados 0,54 anteriormente Comércio atacadista especializado de outros produtos intermediários não 0,69 especificados anteriormente Produção de outros tubos de ferro e aço 0,58 Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de artefatos de material plástico não especificados 0,54 anteriormente de 0, de 0, de máquinas-ferramenta 0,55 de aparelhos e equipamentos de medida, teste e 0,48 controle de aparelhos e equipamentos de medida, teste e 0,48 controle de máquinas-ferramenta 0, de máquinas-ferramenta 0, de 0, de 0,60 Densidade de MPEs

17 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 17 Função Área Atividade Fornecimento de repuxo Fornecimento de punção Fornecimento de trena Fornecimento de formão Fornecimento de esquadro Fornecimento de grampeador manual Fornecimento de serrote Fornecimento de grosa Fornecimento de lima Fornecimento de alicates Fornecimento de pinças Fornecimento de tesoura Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Fornecimento de mesa de corte Fornecimento de lâminas, acessórios de serra Fornecimento de lixas Fornecimento de furadeiras e aparafusadeiras Fornecimento de serra tico-tico Código CNAE 2.0 Descrição CNAE de 0, de 0, de 0, de 0,60 de aparelhos e equipamentos de medida, teste e 0,48 controle de máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente de 0, de 0, de 0, de 0, de 0, de artigos de cutelaria 0,24 de máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente Comércio atacadista de máquinas e equipamentos para uso industrial; 0,64 partes e peças de 0, de 0, de máquinas-ferramenta 0, de máquinas-ferramenta 0,55 Densidade de MPEs

18 18 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Função Área Atividade Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Maquinário de pequeno porte Acrílicos Acrílicos Fornecimento de plaina elétrica Fornecimento de tupia manual Fornecimento de lixadeira de cinta Fornecimento de lixadeira orbital Fornecimento de grampeador Fornecimento de chapas acrílicas para aplicação em móveis Fornecimento de divisões e componentes internos de móveis em acrílico (organizadores de gavetas, cinteiros, gravateiros, porta objetos) Revestimento têxtil Fornecimento de tecidos para estofamentos Revestimento têxtil Fornecimento de aviamentos (ex.: linhas, botões, cinta de náilon) Químicos Fornecimento de colas Químicos Fornecimento de vernizes Químicos Fornecimento de solventes Código CNAE 2.0 Descrição CNAE de máquinas-ferramenta 0, de máquinas-ferramenta 0, de máquinas-ferramenta 0, de máquinas-ferramenta 0, de 0, de laminados planos e tubulares de material plástico 0,37 Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de artefatos de material plástico não especificados 0,54 anteriormente Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de tecidos especiais, inclusive artefatos 0,39 Representantes comerciais e agentes do comércio de têxteis, vestuário, 0,79 calçados e artigos de viagem Comércio atacadista de tecidos, artefatos de tecidos e de armarinho 0, de produtos diversos não especificados anteriormente 0, Comércio atacadista de tecidos, artefatos de tecidos e de armarinho 0, de adesivos e selantes 0,58 Representantes comerciais e agentes do comércio de combustíveis, minerais, 0,57 produtos siderúrgicos e químicos Comércio atacadista de produtos químicos e petroquímicos, exceto 0,68 agroquímicos de tintas, vernizes, esmaltes e lacas 0,49 Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de impermeabilizantes, solventes e produtos afins 0,53 Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral Comércio atacadista de produtos químicos e petroquímicos, exceto 0,68 agroquímicos Densidade de MPEs

19 Caderno de Conhecimento: MADEIRA E MÓVEIS 19 Função Área Atividade Químicos Fornecimento de tintas Materiáis frágeis Materiáis frágeis Outros tipos de insumos Outros tipos de insumos Outros tipos de insumos Fornecimento de vidros para aplicação em móveis Fornecimento de espelhos para aplicação em móveis Fornecimento de espumas para estofados em geral Fornecimento de fitas de borda em PVC e ABS Fornecimento de laminados melamínicos standard, post forming, TS e revestimento auto adesivo Código CNAE 2.0 Descrição CNAE de tintas, vernizes, esmaltes e lacas 0, Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de materiais de construção em geral 0, de vidro plano e de segurança 0,28 Representantes comerciais e agentes do comércio de madeira, material de 0,73 construção e ferragens Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de artigos de vidro 0,41 Comércio atacadista especializado de materiais de construção não especificados anteriormente e de 0,75 materiais de construção em geral de artefatos de borracha não especificados anteriormente 0, de laminados planos e tubulares de material plástico 0, de intermediários para plastificantes, resinas e fibras Densidade de MPEs 0,36 Ressalta-se que de acordo com o tipo de fabricação (móveis seriados ou sob encomenda) o fornecimento de insumos é feito em geral por empresas de médio ou grande porte quando o volume de compras é muito alto como ocorre com grandes projetos. Contudo, MPEs que se organizarem para fornecimento conjunto podem oferecer a escala necessária para atender essas demandas. Destaca-se a necessidade de formação de redes e alianças entre as MPEs do segmento para melhor aproveitarem as oportunidades. O fornecimento de materiais frágeis, como vidro, oferece uma oportunidade viável para as MPEs, dado que suas características dificultam e encarecem o transporte em longas distâncias, sendo normalmente comprado de fornecedores locais próximos aos locais de fabricação.

20 20 PROGRAMA SEBRAE 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Função: Projetos As oportunidades na função Projetos, em decorrência da Copa do Mundo FIFA 2014, do setor de Madeira e Móveis, são relativas às áreas de projeto de produto, projeto de embalagens e programação visual. Essas áreas correspondem por serviços especializados dentro do setor e representam oportunidades para escritórios de consultoria, elaboração e desenvolvimento de projetos de produtos e design gráfico. Quadro 3 - Oportunidades na função Projetos Função Área Atividade Código CNAE 2.0 Descrição CNAE 2.0 Projetos Projeto do produto Elaboração de projetos de produtos Design e decoração de interiores 0,86 Projetos Projeto do produto Confecção de protótipos Design e decoração de interiores 0,86 Projetos Projeto de embalagens Elaboração de projetos de embalagens para produtos Projetos Programação visual Projeto gráfico para logomarca e aplicações Projetos Programação visual Serviços de adesivagem de frota Projetos Programação visual Fornecimento de equipamento de fotocópia Atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas anteriormente Atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas anteriormente Atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas anteriormente de máquinas e equipamentos de uso geral não especificados anteriormente Comércio atacadista de máquinas, aparelhos e equipamentos não especificados anteriormente; partes e peças Projetos Programação visual Serviços de fotografia Atividades fotográficas e similares 0,75 Projetos Programação visual Serviços de filmagem Atividades fotográficas e similares 0,75 Projetos Programação visual Projeto gráfico para catálogos e malas diretas Projetos Programação visual Serviços de plottagem Atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas anteriormente Fotocópias, preparação de documentos e outros serviços especializados de apoio administrativo Densidade de MPEs 0,57 0,57 0,57 0,65 0,57 0,80 Destaca-se nesse segmento o potencial de oportunidades nos serviços especializados relativos ao desenvolvimento de projetos de produtos seriados e sob encomenda, como mobiliário exclusivo para rede hoteleira, para bares e restaurantes, para casas de festas e, também, mobiliário convencional para residências. Por conseguinte, aumentará a demanda de projetos de embalagens para mobiliário seriado, projetos relacionados ao design gráfico, no que diz respeito à elaboração de identidade visual de produtos e empresas e criação de marcas com apelo relacionado ao evento. Além disso, as obras relacionadas à adequação e criação de estádios e outros espaços públicos como aeroportos, aumentarão a demanda de projetos exclusivos de mobiliário e também relacionados a urbanização. Empresas especializadas, muitas vezes, podem concorrer com seus projetos em concursos promovidos pelas três esferas governamentais.

PROGRAMA SEBRAE COPA:

PROGRAMA SEBRAE COPA: PROGRAMA SEBRAE COPA: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede CONSTRUÇÃO CIVIL Relatório Nacional PROGRAMA SEBRAE COPA: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

Atualizada.: 20/08/2013 BAIXA COMPLEXIDADE

Atualizada.: 20/08/2013 BAIXA COMPLEXIDADE BAIXA COMPLEXIDADE Atualizada.: 20/08/2013 OUTROS ANEXO 1 B Depósito de produtos não relacionados à saúde; Estação rodoviária; veículo de transporte coletivo interestadual com banheiro (ônibus); Academias

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA FORUM DO IMPACTO DA CRISE NA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA LINHAS DE FINANCIAMENTO E ACESSO AO CRÉDITO PARA MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO 13 / 4 / 09 ACESSO AO CRÉDITO PARA AS MICROS E

Leia mais

Atualizada.: 20/04/2012 COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E AMBIENTAL BAIXA COMPLEXIDADE

Atualizada.: 20/04/2012 COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E AMBIENTAL BAIXA COMPLEXIDADE BAIXA COMPLEXIDADE OUTROS ANEXO 1 B Depósito de produtos não relacionados à saúde; Estação rodoviária; veículo de transporte coletivo interestadual com banheiro (ônibus); Academias para práticas de esportes;

Leia mais

programa sebrae 2014:

programa sebrae 2014: programa sebrae 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e pequenas empresas nas cidades-sede caderno de conhecimento: construção civil FICHA TÉCNICA SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS

Leia mais

COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA BAIXA COMPLEXIDADE COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA OUTROS ANEXO 1 B Depósito de produtos não relacionados à saúde; Estação rodoviária; veículo de transporte coletivo interestadual com banheiro (ônibus);

Leia mais

artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e

artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e 1 NR-1- Disposição Geral, embasado nos artigos 154 a 159 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT. 2 NR-5 - Estruturar, Implantar, Registrar e acompanhar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA),

Leia mais

Anexo 7 Requisitos para prestadores de serviços

Anexo 7 Requisitos para prestadores de serviços Para execução dos serviços o contratado deve enviar a documentação abaixo conforme a atividade que será desenvolvida. Para outras atividades que não constam na lista, o contratado deve enviar os documentos

Leia mais

Programa Sebrae 2014: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede. Relatório São Paulo

Programa Sebrae 2014: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede. Relatório São Paulo Programa Sebrae 2014: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede Relatório São Paulo 1 MAPEAMENTO DE OPORTUNIDADES NACIONAL Diante do cenário positivo de investimentos e movimentação

Leia mais

COMO PRODUTORES E EMPRESAS PRECISAM SE PREPARAR PARA PARTICIPAR E GANHAR ESSE JOGO?

COMO PRODUTORES E EMPRESAS PRECISAM SE PREPARAR PARA PARTICIPAR E GANHAR ESSE JOGO? COMO PRODUTORES E EMPRESAS PRECISAM SE PREPARAR PARA PARTICIPAR E GANHAR ESSE JOGO? Léa Lagares Coordenadora Nacional da Fruticultura e Vitivinicultura Unidade de Atendimento Coletivo Agronegócio - UAGRO

Leia mais

Marcos Damas. www.bethaconsultoria.com.br. Prezados (as) Senhores (as),

Marcos Damas. www.bethaconsultoria.com.br. Prezados (as) Senhores (as), Prezados (as) Senhores (as), A BETHA CONSULTORIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO é uma empresa especializada em assessoria e prestação de serviços na área de segurança e medicina do trabalho para os mais diversos

Leia mais

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Segue abaixo checklist que será utilizado na auditoria no fornecedor ou subcontratado das empresas signatárias.. Formalização da Empresa Peso.

Leia mais

Copa do Mundo FIFA 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede

Copa do Mundo FIFA 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Copa do Mundo FIFA 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede Resumo das oportunidades COMÉRCIO VAREJISTA / MADEIRA E MÓVEIS / AGRONEGÓCIO Figura 1 - Estrutura analítica

Leia mais

Rev007 CRITÉRIOS PARA FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS QUE POSSAM IMPACTAR NO MEIO AMBIENTE

Rev007 CRITÉRIOS PARA FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS QUE POSSAM IMPACTAR NO MEIO AMBIENTE CRITÉRIOS PARA FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS QUE POSSAM IMPACTAR NO MEIO AMBIENTE Revisão: Data 007 04.09.2013 Elaborador: Chaiane Ruaro da Silva Item Material / Serviço Areia extraída no Município

Leia mais

1. FORNECIMENTOS. Requisitos para Fornecedores e Prestadores de Serviços. RG-GE-101 Revisão 12

1. FORNECIMENTOS. Requisitos para Fornecedores e Prestadores de Serviços. RG-GE-101 Revisão 12 1. FORNECIMENTOS Fornecimentos 1.1 - Ácido Clorídrico Comercial Licença da Polícia Federal 1.2 - Hidróxido de Sódio Licença da Polícia Federal 1.3 Produtos químicos em geral 1.4 - Gases Industriais 1.5

Leia mais

II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE DO CRMV-RJ. Licenciamento Ambiental e o Controle da Comercialização de Agrotóxicos

II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE DO CRMV-RJ. Licenciamento Ambiental e o Controle da Comercialização de Agrotóxicos II FÓRUM DE SAÚDE PÚBLICA E MEIO AMBIENTE DO CRMV-RJ Licenciamento Ambiental e o Controle da Comercialização de Agrotóxicos NOVO SISTEMA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DECRETO Nº

Leia mais

INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS

INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS INFOMAÇÕES IMPORTANTES CATEGORIAS Para efeito de seleção das categorias que possuem divisão de 1 o, 2 o,3 o, vigoram os seguintes paramentos abaixo listados: 1 o categoria Contrato social acima de R$ 30.000,00

Leia mais

Contato: (041) 3365-9406 (041) 9910-3494/8467-2429 www.edtrab.com.br

Contato: (041) 3365-9406 (041) 9910-3494/8467-2429 www.edtrab.com.br Contato: (041) 3365-9406 (041) 9910-3494/8467-2429 A Empresa Profissionalismo, Credibilidade e Qualidade são sinônimos do trabalho realizado pela empresa EDTRAB Serviços e Segurança do Trabalho. Pioneira

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS PLANTAÇÃO/VEGETAÇÃO NATIVA IBAMA, 2014 Guia de Preenchimento

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA sca.com.br Parabéns! Agora, a mudança faz parte da sua vida. Neste manual, você encontrará as principais informações para garantir que seu mobiliário S.C.A.

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental Programa de Gestão Ambiental Cartilha Ambiental Índice Responsabilidade Ambiental 1. Responsabilidade Ambiental 2. Organograma 4. Política Ambiental 6. Coleta Seletiva Interna 12. Dicas Importantes A preocupação

Leia mais

Kayrós Consultoria. Soluções em EHS. Este é o tempo certo para investir em Segurança! kayrosehs@hotmail.com.br

Kayrós Consultoria. Soluções em EHS. Este é o tempo certo para investir em Segurança! kayrosehs@hotmail.com.br Soluções em EHS Soluções em EHS - Apresentação A Kayrós Consultoria atua nas áreas de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho trazendo soluções para micro, pequenas e médias empresas em toda a Baixada

Leia mais

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011

Apoio às MPMEs. Sorocaba/SP. 30 de novembro de 2011 Apoio às MPMEs Sorocaba/SP 30 de novembro de 2011 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Infra-estrutura

Leia mais

Política e Estratégia para a Indústria da Construção Civil e Materiais de Construção. Maputo. 07 de dezembro de 2012

Política e Estratégia para a Indústria da Construção Civil e Materiais de Construção. Maputo. 07 de dezembro de 2012 Política e Estratégia para a Indústria da Construção Civil e Materiais de Construção Maputo 07 de dezembro de 2012 1 Objetivo Geral Analisar as condições atuais e um possível desenho de política e estratégia

Leia mais

Serviços. Técnicos e Tecnológicos

Serviços. Técnicos e Tecnológicos Serviços Técnicos e Tecnológicos Serviços Técnicos e Tecnológicos Pas Psati Meio Ambiente Segurança do Trabalho Design de moda, calçados e Artesanato Design Moveleiro Gestão Haverá Título?! Sumário A exigência

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 Regulamentação do descarte de resíduos comuns, recicláveis, pilhas e baterias e lâmpadas no Centro de Ciências da Saúde da UFRJ - CCS-UFRJ. 1 Objetivo e aplicação Com o

Leia mais

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas IPAAM foi criado no dia 11/03/1996, através do Decreto Estadual Nº 17.033.

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas IPAAM foi criado no dia 11/03/1996, através do Decreto Estadual Nº 17.033. CRIAÇÃO DO IPAAM O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas IPAAM foi criado no dia 11/03/1996, através do Decreto Estadual Nº 17.033. É vinculado diretamente a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

programa sebrae 2014:

programa sebrae 2014: programa sebrae 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e pequenas empresas nas cidades-sede caderno de conhecimento: comércio VareJiSta FICHA TÉCNICA SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS

Leia mais

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Sumário Abreviaturas...3 Resumo...4 Introdução...5 Cronograma dos processos...5 Análise crítica...8 Proposta de melhoria...9 Anexos...10 1 Abreviaturas

Leia mais

Manual de Relacionamento com Fornecedores de Materiais e Serviços

Manual de Relacionamento com Fornecedores de Materiais e Serviços Manual de Relacionamento com Fornecedores de Materiais e Serviços 2 1. Introdução Para que possamos crescer e nos desenvolver de forma sustentável garantindo a melhoria contínua nos processos, acreditamos

Leia mais

I - SERVIÇOS 1) A empresa contratada para prestar qualquer tipo de serviço com duração superior a 30 dias, deverá: a) Fornecer cópia do PPRA;

I - SERVIÇOS 1) A empresa contratada para prestar qualquer tipo de serviço com duração superior a 30 dias, deverá: a) Fornecer cópia do PPRA; ANEXO 4: Os produtos e/ou serviços abaixo listados possuem requisito legal associado. Para adquiri-los é obrigatório o atendimento dos requisitos conforme relação abaixo: Fornecer cópia do PCMSO; I - SERVIÇOS

Leia mais

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975

Documento sujeito a revisões periódicas CEP 59056-450 Tel: (84) 3232-2102 / 3232-2118 / 3232-1975 / 0800-281-1975 Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Armazenamento e Comercialização de Produtos Agroquímicos

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

LICENÇA AMBIENTAL. Lanns Alves de Almeida Filho Secretário de Agricultura e Meio Ambiente

LICENÇA AMBIENTAL. Lanns Alves de Almeida Filho Secretário de Agricultura e Meio Ambiente LICENÇA AMBIENTAL Licença Ambiental Simplificada nº 26/2015 Processo nº. 9481/2015 O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente no exercício de sua competência definida pelo Decreto Municipal nº 10.076

Leia mais

Norma de Referência Selo de Qualificação ABPM

Norma de Referência Selo de Qualificação ABPM Histórico das alterações: Nº Data de alteração Sumário das Alterações Revisão 00 24.02.2012 Emissão inicial do documento. 01 16.07.2014 Alteração geral no documento devido à categorização Adesão e Pleno.

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

CHECKLIST DA RDC 16/2013

CHECKLIST DA RDC 16/2013 CHECKLIST DA RDC 16/2013 Checklist para a RDC 16 de 2013 Página 2 de 10 Checklist 1. 2.1 Disposições gerais Existe um manual da qualidade na empresa? 2. Existe uma política da qualidade na empresa? 3.

Leia mais

programa sebrae 2014:

programa sebrae 2014: programa sebrae 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e pequenas empresas nas cidades-sede caderno de conhecimento: tecnologia da informação FICHA TÉCNICA SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO

Leia mais

ANEXO 1 CHECKLIST PARA AVALIAÇÃO DOS RECEPTORES FINAIS E TRANSPORTADORES TERRESTRES

ANEXO 1 CHECKLIST PARA AVALIAÇÃO DOS RECEPTORES FINAIS E TRANSPORTADORES TERRESTRES EAP - Estudo Ambiental de Perfuração Blocos PAMA-M-265 e PAMA-M-337 - Bacia do Pará-Maranhão ANEXO 1 CHECKLIST PARA AVALIAÇÃO DOS RECEPTORES FINAIS E TRANSPORTADORES TERRESTRES Outubro/2015 Revisão 00

Leia mais

ANEXO 1 CHECKLIST PARA AVALIAÇÃO DOS RECEPTORES FINAIS E TRANSPORTADORES TERRESTRES

ANEXO 1 CHECKLIST PARA AVALIAÇÃO DOS RECEPTORES FINAIS E TRANSPORTADORES TERRESTRES Estudo de Impacto Ambiental Atividade de Perfuração Marítima de Poços no Bloco FZA-M-90, Bacia da Foz do Amazonas ANEXO 1 CHECKLIST PARA AVALIAÇÃO DOS RECEPTORES FINAIS E TRANSPORTADORES TERRESTRES Junho/2015

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Tipos de painés: compensados, aglomerados OSB, chapas de fibra (HDF/MDF/LDF), tamburato

Tipos de painés: compensados, aglomerados OSB, chapas de fibra (HDF/MDF/LDF), tamburato Montagem de Móveis Sistema métrico e conversão de unidades Tipos de painés: compensados, aglomerados OSB, chapas de fibra (HDF/MDF/LDF), tamburato Vantagens na utilização dos painéis Revestimentos de superfícies:

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno SEGURANÇA NO TRABALHO Eng. Daiana Paterno ATUALMENTE?? PORQUE? O cenário atual da Segurança e Saúde no Trabalho no Brasil ainda é muito distante do desejável. A Previdência Social registra, anualmente,

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Programa de Rotulagem de Sustentabilidade Selo SustentaX para Empresa Prestadora de Serviços de Limpeza Pós-Obra e Pré-Ocupação

Programa de Rotulagem de Sustentabilidade Selo SustentaX para Empresa Prestadora de Serviços de Limpeza Pós-Obra e Pré-Ocupação para Empresa Prestadora de Serviços de Limpeza Pós-Obra e Pré- Revisão de 11/05/21 2ª. Revisão 31/05/21 Revisão Técnica Nome: Eng. Alexandre Schinazi Cargo: Engenheiro CREA: 246223 Assinatura: Data: Aprovação

Leia mais

Aspectos e Impactos Ambientais

Aspectos e Impactos Ambientais PÁGINA: 1/18 1 OBJETIVO Estabelecer e garantir uma sistemática para identificar, avaliar e gerenciar os aspectos e impactos ambientais das atividades, produtos ou serviços, da empresa x que possam ser

Leia mais

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas

Rótulo Ecológico para o processo de tratamento de solução eletrolítica de baterias automotivas Pág. Nº 2/10 0 Introdução O programa de Rotulagem Ambiental da ABNT foi desenvolvido para apoiar um esforço contínuo para melhorar e/ou manter a qualidade ambiental por meio da redução do consumo de energia

Leia mais

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas IMA Diretoria da Presidência DIPRE Diretoria Técnica DIT Diretoria de Licenciamento DILIC POSTOS DE COMBUSTÍVEIS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS LICENÇA PRÉVIA 1. Formulário de requerimento padrão dirigido à Presidência do IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Comprovante de pagamento da Taxa de Concessão da Licença

Leia mais

programa sebrae 2014:

programa sebrae 2014: programa sebrae 2014: Mapa de Oportunidades para as Micro e pequenas empresas nas cidades-sede caderno de conhecimento: SerViÇoS FICHA TÉCNICA SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO b SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO A SIG CONSULTORIA E ASSESSORIA LTDA é uma empresa especializada em Gestão Empresarial com foco em Qualidade; Meio Ambiente; Higiene Industrial; Segurança & Saúde no Trabalho;

Leia mais

Programa Sebrae 2014: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede. Relatório Belo Horizonte

Programa Sebrae 2014: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede. Relatório Belo Horizonte Programa Sebrae 2014: Mapa de oportunidades para as micro e pequenas empresas nas cidades-sede Relatório Belo Horizonte 1 MAPEAMENTO DE OPORTUNIDADES NACIONAL Diante do cenário positivo de investimentos

Leia mais

TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR

TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR 1 o SIMPÓSIO SINDIREPA-RS TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR Felipe Saviczki - cntl.att@senairs.org.br Engenheiro Ambiental Técnico de Desenvolvimento - Área de Consultoria

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL (PGRCC) 1 JUSTIFICATIVA Este Termo de Referência tem como finalidade orientar os grandes e pequenos geradores

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

ROTEIRO PARA AUTO INSPEÇÃO

ROTEIRO PARA AUTO INSPEÇÃO Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde Gerência de Produtos e Serviços de Interesse da Saúde Subgerência de Produtos Para a Saúde, Saneantes Domissanitários e Cosméticos Roteiro

Leia mais

PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009. 2.2.1. Painéis da caixa, inclusive o vertical interno, portas e prateleiras.

PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009. 2.2.1. Painéis da caixa, inclusive o vertical interno, portas e prateleiras. 1 CÓDIGO SUPRI: 71.654.002.001.0029-1 PRODUTO: ARMÁRIO DE MADEIRA Portaria nº 69/SMG-G/2009 de 03/07/2009 1. DESTINAÇÃO Para guarda de materiais de escritório em geral. 2. REQUISITOS GERAIS (VER DESENHOS

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Norma de Referência Selo de Responsabilidade Socioambiental ABPC

Norma de Referência Selo de Responsabilidade Socioambiental ABPC Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração Sumário das Alterações 00 03.08.2009 Emissão inicial do documento. 01 18.09.2009 Revisão geral com inclusão dos requisitos para Certificação Categorias

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 Dispõe sobre as empresas industriais enquadráveis nos Artigos 59 e 60 da Lei n.º 5.194/66. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA, no uso das

Leia mais

OS INVESTIMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SEUS EFEITOS SOBRE AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS:

OS INVESTIMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SEUS EFEITOS SOBRE AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: OS INVESTIMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SEUS EFEITOS SOBRE AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: PROPOSTA DE METODOLOGIA Renata Lèbre La Rovere e Julia Paranhos IE/UFRJ Introdução > Recuperação da economia

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

Cap 4: Principais Aspectos Jurídicos na Distribuição de Insumos no Brasil

Cap 4: Principais Aspectos Jurídicos na Distribuição de Insumos no Brasil Cap 4: Principais Aspectos Jurídicos na Distribuição de Insumos no Brasil AGRODISTRIBUIDOR: O Futuro da Distribuição de Insumos no Brasil. São Paulo: Atlas, 2011. Org: Matheus Alberto Cônsoli, Lucas Sciencia

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR-MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 189,de 17 de novembro de 2004. CONSULTA PÚBLICA

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

RUA: BENTO GERALDO DE CAMARGO, 741 WERNER PLASS AMERICANA-SP

RUA: BENTO GERALDO DE CAMARGO, 741 WERNER PLASS AMERICANA-SP CLIENTES TRA CLIENTES JÁ ATENDIDOS MBIGUCCI ORTOBOM STELA SELAMIL PREDIAL IN-HAUS FUSAM COSAN GRUPO FEREZIN SOGEFI GROUP A TRA ATUA EM TODO TERRITÓRIO NACIONAL O QUE FAZEMOS AUTOMAÇÃO ADEQUAÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG

TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG TOTVS Manutenção de Ativos powered by NG Gestão da engenharia de manutenção Otimização no uso de equipamentos Gestão de custos e mão de obra Aumente a confiabilidade e disponibilidade dos equipamentos

Leia mais

2016! Ano que a revista Revenda Construção completa 28 anos de liderança no segmento editorial de material da construção.

2016! Ano que a revista Revenda Construção completa 28 anos de liderança no segmento editorial de material da construção. Mídia Kit 2016 1 2016! Ano que a revista Revenda Construção completa 28 anos de liderança no segmento editorial de material da construção. Sem vínculos com associações ou sindicatos, o que muito nos orgulha,

Leia mais

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E

Atualizada.: 19/04/2012 ANEXO 1 E COORDENADORIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA E AMBIENTAL MEDIA COMPLEXIDADE ANEXO 1 E Ótica; Creches; Instituições de longa permanência para idosos; Instituições que prestem serviços de atenção a pessoas com

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o licenciamento ambiental das atividades de transporte rodoviário de produtos perigosos (exceto os das classes 1 e 7 da Resolução ANTT 42) que circulam apenas no

Leia mais

LISTA DE VERIFICAÇÃO / CHECK LIST EM MARMORARIAS

LISTA DE VERIFICAÇÃO / CHECK LIST EM MARMORARIAS LISTA DE VERIFICAÇÃO / CHECK LIST EM MARMORARIAS Manuel Adacio Ramos Paulo Médico do Trabalho Subgerência da Vigilância em Saúde do Trabalhador/GVISAM Coordenação de Vigilância em Saúde/SMS/PMSP LISTA

Leia mais

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento associado 0810-0/03 Extração de mármore e beneficiamento

Leia mais

Anexo contratual: Health and Safety (HAS)

Anexo contratual: Health and Safety (HAS) Com a premissa fundamental de perpetuar a visão preventiva e o controle eficaz dos riscos operacionais, este anexo contratual determina os princípios legais e gerenciais para a manutenção da integridade

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

O funcionário deve ser avisado de suas férias sempre 30 dias antes de tirá-las.

O funcionário deve ser avisado de suas férias sempre 30 dias antes de tirá-las. Informativo aos Clientes 01 O arquivo PAF ECF deverá gerado e enviado para tca@tcacontabil.com.br todo dia 05 de cada mês, referente ao mês anterior. Ex.: em 05/06/2014 deverá ser enviado o arquivo do

Leia mais

Palestra MPME. 30 de junho de 2011

Palestra MPME. 30 de junho de 2011 Palestra MPME 30 de junho de 2011 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Empresário Informação e Relacionamento

Leia mais

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR

BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR BRASÍLIA, 2013 CAPITAL DE GIRO COMO AS MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PODEM SE BENEFICIAR CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI Robson Braga de Andrade Presidente Diretoria de Comunicação Carlos Alberto

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Serviços de Limpeza e Disposição

Leia mais

Cartão BNDES. Volta Redonda RJ. 06 de abril de 2011

Cartão BNDES. Volta Redonda RJ. 06 de abril de 2011 Cartão BNDES Volta Redonda RJ 06 de abril de 2011 Cartão BNDES Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar de forma ágil e simplificada os investimentos das MPMEs. Como Funciona? Ambiente

Leia mais

Técnico de Segurança do Trabalho

Técnico de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

Prazo: 6 meses (a partir publicação da medida provisória em

Prazo: 6 meses (a partir publicação da medida provisória em LINHAS DE CAPITAL INFORME DE GIRO DEMPI e SIMPLES 1/2009 NACIONAL São Paulo, 04 de fevereiro de 2009. Prezado O Departamento Presidente encontro ampliar com as suas da Micro, propostas Pequena e objetivos,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEMA N 109, 22 de setembro de 2005.

RESOLUÇÃO CONSEMA N 109, 22 de setembro de 2005. ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - CONSEMA RESOLUÇÃO CONSEMA N 109, 22 de setembro de 2005. "Estabelece diretrizes para elaboração do Plano Integrado

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

Relatório de Avaliação de Fornecedores

Relatório de Avaliação de Fornecedores Relatório de Avaliação de Fornecedores 1. Dados da organização Razão Social: Techfive Comércio e Gestão de Equipamentos de Telec LTDA CNPJ nº 09203925/0001 04 Endereço Rua Wilton Reis Costa, 165 - Condomínio

Leia mais

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES

MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES MANUAL DE REQUISITOS PARA FORNECEDORES Requisitos e diretrizes para o sistema de gestão da qualidade e ambiental Página 1 de 9 1. REQUISITOS ESPECÍFICOS... 3 1.1 Objetivo... 3 1.2 Geral... 3 1.3 Documentos

Leia mais

APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de

APÊNDICE D Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de APÊNDICE "D" Descrição Técnica dos Pequenos Serviços de A INTRODUÇÃO Neste apêndice estão discriminados os Serviços de Adequação (PSA) de menor complexidade para atendimento da dinâmica funcional da ECT,

Leia mais

Instituto do Meio Ambiente ESTADO DE ALAGOAS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS

Instituto do Meio Ambiente ESTADO DE ALAGOAS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS DOCUMENTAÇÃO PARA POSTOS DE COMBUSTÍVEIS NOVOS LICENÇA PRÉVIA - Documentação necessária 1. Requerimento Padrão definido pelo IMA, devidamente preenchido e assinado; 2. Cadastro do empreendimento, definido

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

TECNOLOGIA O QUE É O SEBRAETEC A QUEM SE DESTINA COMO PARTICIPAR SETORES ATENDIDOS VANTAGENS AÇÕES NÃO COBERTAS CONTATO

TECNOLOGIA O QUE É O SEBRAETEC A QUEM SE DESTINA COMO PARTICIPAR SETORES ATENDIDOS VANTAGENS AÇÕES NÃO COBERTAS CONTATO Um investimento indispensável para o crescimento da sua empresa. O Sebrae viabiliza serviços de consultoria prestados por uma rede de instituições/empresas detentoras de conhecimento tecnológico. Através

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE DEDETIZADORAS, LIMPA FOSSA E EMPRESAS QUE PRESTA SERVIÇO DE LIMPEZA. Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO AMBIENTAL

Leia mais

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 1 1. O Programa de Gestão Ambiental O Programa de Gestão Ambiental da

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL São Paulo, 26/09/2011 VALÉRIA APARECIDA FARIA Bióloga Especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE TERMO DE REFERÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

Leia mais