APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08"

Transcrição

1

2

3

4 APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA: ALA/BRA/2004/6189 ABDI/PAIIPME/01 REFERÊNCIA: ALA/BRA/2004/6189 ABDI/PAIIPME/01 REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08

5 O PROJETO Inicialmente foram previstas 20 atividades; Com a concordância da UGP/PAIIPME atualmente o projeto encontra-se com 17 atividades; Orçamento total da ação: R$ ,00; Participantes Previstos: 1300; Duração do Projeto:15 meses Out/08 a Dez/09.

6 SETORES Biomedicina; Metal-Mecânico; Tecnologia da Informação; Alimentos; Petróleo e Gás; Couro e Calçados.

7 PARCEIROS

8 PARCEIROS ENTIDADES ASSOCIADAS NACIONAIS

9 PARCEIROS ENTIDADES ASSOCIADAS INTERNACIONAIS

10 INTEGRANTES DO SISTEMA FIERGS ENVOLVIDOS

11 PARCEIROS INTEGRANTES DO SISTEMA FIERGS ENVOLVIDOS ATIVIDADES EXECUTADAS EM 2009 E SEUS RESULTADOS

12 ATIVIDADES EXECUTADAS EM 2009 E SEUS RESULTADOS Valor total executado em 2009 R$ ,80 = 64,14% PMES Beneficiadas: 534 Participantes: 1614

13 ATIVIDADE 01 CAPACITAR EXECUTIVOS DE PMES EM GESTÃO PARA INTERNACIONALIZAÇÃO Resultados Alcançados 25 participantes; Curso de extensão de 80h; Temas abordados: - O Comércio Exterior Brasileiro; - Práticas de Exportação e Importação; - Logística e Transportes Internacionais; - Marketing Internacional; - Negociação Internacional; - Planejamento Internacionalização.

14 ATIVIDADE 01 CAPACITAR EXECUTIVOS DE PMES EM GESTÃO PARA INTERNACIONALIZAÇÃO Folder

15 ATIVIDADE 01 CAPACITAR EXECUTIVOS DE PMES EM GESTÃO PARA INTERNACIONALIZAÇÃO

16 ATIVIDADE 02 PROMOVER SEMINÁRIO EM GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA PMES Resultados Alcançados Realização da Semana de Cooperação Brasil- Alemanha para a Inovação nos dias 5, 6, 7 e 8 de outubro na sede da FIERGS; 204 participantes; Setores contemplados: Tecnologia de Informação e Comunicação, Biotecnologia e Tecnologia da Produção. Parceria com o Instituto Fraunhofer - Alemanha

17 ATIVIDADE 02 PROMOVER SEMINÁRIO EM GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA PMES Folder

18 ATIVIDADE 02 PROMOVER SEMINÁRIO EM GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA PMES

19 ATIVIDADE 02 PROMOVER SEMINÁRIO EM GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA PMES

20 ATIVIDADE 02 PROMOVER SEMINÁRIO EM GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PARA PMES

21 ATIVIDADE 05 REALIZAR ESTUDOS SETORIAIS PARA DISPONIBILIZAR NO SISTEMA DE HELP DESK PARA NORMAS E CERTIFICAÇÕES INTERNACIONAIS Orientação técnica ao empresário, com informações referentes à implementação do requisito técnico específico: Regulamentos técnicos; Normas técnicas; Exigências de ensaios e calibrações; Exigências de procedimentos de avaliação da conformidade; Certificações.

22 ATIVIDADE 05 REALIZAR ESTUDOS SETORIAIS PARA DISPONIBILIZAR NO SISTEMA DE HELP DESK PARA NORMAS E CERTIFICAÇÕES INTERNACIONAIS Resultados Alcançados Foram entregues 5 estudos: Arroz beneficiado; Placas de circuito impresso; Relé fotoelétrico; Suco de uva; Vinho. O último está em andamento (proteína da soja), com entrega prevista para dezembro de 2009.

23 ATIVIDADE 05 REALIZAR ESTUDOS SETORIAIS PARA DISPONIBILIZAR NO SISTEMA DE HELP DESK PARA NORMAS E CERTIFICAÇÕES INTERNACIONAIS Capa dos Estudos

24 ATIVIDADE 07 CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA DAS EMPRESAS DO SETOR-ALVO ALIMENTOS EM PRODUTO E PROCESSOS Resultados Alcançados Atendimento de 10 empresas do setor; Previsão de uma adequação de produto / processo por empresa. BPF - Boas Práticas de Fabricação; APPCC - Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle; DESIGN HIGIÊNICO - máquinas, equipamentos e instalações.

25 ATIVIDADE 07 CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA DAS EMPRESAS DO SETOR-ALVO ALIMENTOS EM PRODUTO E PROCESSOS

26 ATIVIDADE 08 CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA DAS EMPRESAS DO SETOR-ALVO COURO & CALÇADOS EM PRODUTOS E PROCESSOS Resultados Alcançados Atendimento de 4 empresas do setor; Previsão de uma adequação de produto por empresa. Capacitação tecnológica das empresas do setor de calçados em produtos e processos, com foco em adequação técnica à exportação.

27 ATIVIDADE 08 CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA DAS EMPRESAS DO SETOR-ALVO COURO & CALÇADOS EM PRODUTOS E PROCESSOS

28 ATIVIDADE 09 WORKSHOP I HELP DESK Resultados Alcançados A atividade será realizada no dia 10 de dezembro de 2009; A programação está definida; Equipe CIN-RS está trabalhando na organização e na divulgação; Participação da ABDI e INMETRO como palestrantes. 30 participantes.

29 ATIVIDADE 09 WORKSHOP I HELP DESK Convite

30 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR Logomarca

31 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR Congresso Internacional de Cooperação União Européia América Latina realizado nos dias 12 e 13 de novembro de 2009; Promoção e realização: CNI, REDE BRASILEIRA DOS CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS, FIERGS E CIN-RS; Apoio: COMISSÃO EUROPEIA / PAIIPME, MDIC, ABDI, APEX BRASIL, BANCO DO BRASIL, PROGRAMA AL-INVEST, SESI-RS, SEBRAE NACIONAL E SEBRAE-RS, BANRISUL E CAIXA RS;

32 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

33 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

34 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR Atividades realizadas: Palestras e painéis; Mostra de serviços e oportunidades em comércio exterior dos patrocinadores do evento; Agendas estratégicas: - Reunião Anual da REDE CIN (42 participante 23 estados); - Reunião da Coalizão Empresarial Brasileira - CEB (34 participantes); - Reunião do Conselho de Integração da CNI COINTER com o Conselho de Relações Internacionais e Comércio Exterior CONCEX da FIERGS (42 participantes); Capacitações do Banco do Brasil (65 participantes).

35 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

36 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

37 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

38 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

39 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

40 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR

41 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR MAPA LOGÍSTICO

42 Mapa logístico Congresso Internacional de Cooperação EU -AL Erechim Ijuí Panambi Passo Fundo Caxias do Sul Lajeado Novo Hamburgo Uruguaiana Santa Cruz do Sul São Leopoldo Canoas Taquara Porto Alegre Bagé Pelotas Rio Grande

43 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR Universidades (35) Centro de Ensino Superior de Bento Gonçalves Centro Universitário La Salle ESPM FACCAT FACOS FAACS Faculdade AtlânticoSul Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas São Judas Tadeu, Faculdade Metodista de Santa Maria Faculdades SENAC FAPA - Faculdade Porto- Alegrense de Educação, Ciências e Letras FARGS FEEVALE FEMA FSG FTEC FURG IPA UPF URCAMP URI PUCRS Ritter UCPEL UCS UFPEL UFRGS UFSM ULBRA UNICRUZ UNIFRA UNIJUI UNISC UNISINOS UNIVATES

44 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR Resultados Alcançados Aproximação estratégica com: Sindicatos Setoriais da Indústria; Associações Comerciais e Industriais Centros de Comércio e indústria; Universidades; Câmaras de Comércio e Indústria bilaterais. Participação: 1348 pessoas;

45 ATIVIDADE 16 FÓRUM DE COMÉRCIO EXTERIOR Flyer frente e verso

46 ATIVIDADE 19 ENCONTRO SETORIAL NA FEIRA EXPODIRETO

47 ATIVIDADE 19 ENCONTRO SETORIAL NA FEIRA EXPODIRETO

48 ATIVIDADE 19 ENCONTRO SETORIAL NA FEIRA EXPODIRETO

49 ATIVIDADE 19 ENCONTRO SETORIAL NA FEIRA EXPODIRETO Resultados Alcançados Participação de 4 importadores provenientes da Alemanha, Hungria e Polônia. 59 encontros agendados para as empresas européias sendo 57 considerados positivos. De acordo com as fichas de avaliação, TODOS os empresários consideraram como ótima a qualidade das agendas e das empresas brasileiras. Os importadores sinalizaram terem feito contatos preliminares com possibilidades de gerar aproximadamente U$ em negócios.

50 ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS EM 2010 E PREVISÃO DE RESULTADOS

51 ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS EM 2010 E PREVISÃO DE RESULTADOS Valor a ser executado em 2010 R$ ,20 = 35,86% PMES a serem beneficiadas: 50 Participantes previstos: 155

52 ATIVIDADES A SEREM EXECUTADAS EM 2010 E PREVISÃO DE RESULTADOS Atividades a serem realizadas em estudos de mercado; 2 missões internacionais (outbound); 2 rodadas de negócios (reedição da Rodada de negócios na feira Expodireto); 10 adequações de produto/processo (reedição das atividades 7 e 8); 3 workshops; Implantação do HelpDesk Normas e Certificações Internacionais.

53 OBRIGADO Kurt Ziegler Supervisor do CIN-RS FIERGS

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

PROGRAMA RS TECNÓPOLE. Outubro de 2013.

PROGRAMA RS TECNÓPOLE. Outubro de 2013. PROGRAMA Outubro de 2013. Programa Estadual que visa o desenvolvimento regional através do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação em todas as regiões do Estado do Rio Grande do Sul, objetivando

Leia mais

Cursos Superiores Cadastrados

Cursos Superiores Cadastrados Instituição Cidade Curso Título Atribuições Pasta INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO- GRANDENSE - IFSUL (Antigo: CEFET - Pelotas /Escola Técnica Federal de Pelotas) Tecnologia Mecânica Horizontina Mecânica Curso

Leia mais

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na competitividade e acesso a mercados, através da articulação

Leia mais

Cursos Superiores Cadastrados

Cursos Superiores Cadastrados Instituição Cidade Curso Título Atribuições Pasta INSTITUTO FEDERAL SUL-RIO- GRANDENSE - IFSUL (Antigo: CEFET - Pelotas /Escola Técnica Federal de Pelotas) Tecnologia Mecânica Horizontina Mecânica Curso

Leia mais

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Comentários de Peter Hansen sobre interação Universidade- Empresa no Brasil e Experiências Práticas. VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Apresentação Prof. Peter

Leia mais

RS 2030 - Texto de Referência 4 Redes de Ensino e Inovação Tecnológica no Rio Grande do Sul 1

RS 2030 - Texto de Referência 4 Redes de Ensino e Inovação Tecnológica no Rio Grande do Sul 1 RS 2030 - Texto de Referência 4 Redes de Ensino e Inovação Tecnológica no Rio Grande do Sul 1 O presente texto tem por finalidade identificar iniciativas que possibilitem a desconcentração territorial

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira n. alunos presente s Enade

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira n. alunos presente s Enade Área Sigla IES Município Rede (funcionamento do curso) Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira n. alunos presente s Enade Particip antes Ingressa ntes

Leia mais

DIVULGAÇÃO FINAL DOS RESULTADOS

DIVULGAÇÃO FINAL DOS RESULTADOS DIVULGAÇÃO FINAL DOS RESULTADOS COTAS APROVADAS - EDITAL 14/2012 - BOLSAS DE MESTRADO INSTITUIÇÃO PPG aprovados FEEVALE Diversidade e Inclusão 2 FEEVALE Processos e Manifestações Culturais 2 FEEVALE Qualidade

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR

INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO Divisão de Recursos Humanos INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR Todas escolas da Rede Pública Estadual são conveniadas ao Ministério

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR

INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO Divisão de Recursos Humanos INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR Todas escolas da Rede Pública Estadual são conveniadas ao Ministério

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR

INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO Divisão de Recursos Humanos INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS PARA FINS DE ESTÁGIO CURRICULAR Todas escolas da Rede Pública Estadual são conveniadas ao Ministério

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

36º JUGs JOGOS UNIVERSITÁRIOS GAÚCHOS

36º JUGs JOGOS UNIVERSITÁRIOS GAÚCHOS FEDERAÇÃO UNIVERSITÁRIA GAÚCHA DE ESPORTES 1 36º JUGs JOGOS UNIVERSITÁRIOS GAÚCHOS 2015 REGULAMENTO GERAL e ESPECÍFICOS FEDERAÇÃO UNIVERSITÁRIA GAÚCHA DE ESPORTES 2 REGULAMENTO GERAL Art. 1º- Os 36º Jogos

Leia mais

APL Máquinas e Equipamentos Industriais. Síntese de Apresentação do APL MERS Carlos Homero Dornelles

APL Máquinas e Equipamentos Industriais. Síntese de Apresentação do APL MERS Carlos Homero Dornelles APL Máquinas e Equipamentos Industriais Síntese de Apresentação do APL MERS Carlos Homero Dornelles Conceito de APL Um Arranjo Produtivo Local APL é caracterizado como um aglomerado de empresas localizadas

Leia mais

Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS

Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS Rede CIN CIN MS Centro Internacional de Negócios FIEMS O que é a REDE CIN? Coordenada pela Confederação Nacional da Indústria - CNI, e criada com o apoio da Agência Nacional de Promoção de Exportações

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA O ENEM

PREPARANDO-SE PARA O ENEM PREPARANDO-SE PARA O ENEM Profª Maria Tereza Faria Profº Gustavo Piaia EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO MEC INEP Instituto Nacional de Ensino e Pesquisa Anísio Teixeira Histórico o2009: reformulação do Enem

Leia mais

Reunião com Entidades Parceiras do APL Carlos Homero Dornelles Agosto 2013

Reunião com Entidades Parceiras do APL Carlos Homero Dornelles Agosto 2013 Reunião com Entidades Parceiras do APL Carlos Homero Dornelles Agosto 2013 O que é um APL?? Um Arranjo Produtivo Local se caracteriza por: Conjunto significativo de empresas com vínculo entre si: Associação

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

A PÓS-GRADUAÇÃO NAS UNIVERSIDADES GAÚCHAS

A PÓS-GRADUAÇÃO NAS UNIVERSIDADES GAÚCHAS Título: A PÓS-GRADUAÇÃO NAS UNIVERSIDADES GAÚCHAS Área Temática: Política Educacional e Gestão da Educação Autoras: MARIA DA GRAÇA GOMES RAMOS (1) e MARIA ESTELA DAL PAI FRANCO (2) Instituição: Universidade

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR - Edital FAPERGS 14/2013 - MESTRADO

RESULTADO PRELIMINAR - Edital FAPERGS 14/2013 - MESTRADO RESULTADO PRELIMINAR - Edital FAPERGS 14/2013 - MESTRADO IES PPG Concedidas Mestrado em Processos e Manifestações Culturais 3 Programa de Pós- Graduação em Qualidade Ambiental-Mestrado FEEVALE Acadêmico

Leia mais

Programa de Atração de Investimentos

Programa de Atração de Investimentos 1 Programa de Atração de Investimentos Oficina de Trabalho da RENAI - Rede Nacional de Informação sobre o Investimento Brasília, 08 de Junho de. Antecedentes 2 O Governo Brasileiro quer dar prioridade

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS Programas para fortalecer a PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE MADEIRA E MÓVEIS 1 Madeira e Móveis Estratégias: conquista de mercados, focalização, diferenciação e ampliação do acesso Objetivos:

Leia mais

Exportações gaúchas recuam 27%

Exportações gaúchas recuam 27% S E M A N A Porto Alegre / 13 de março de 2009 / nº 10 / Ano XIV / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L O custo do governo Muito antes dos impactos da crise financeira internacional na economia brasileira,

Leia mais

Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador

Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador Programa Inovar Seed Forum e Forum de Anjos como Politica Pública de Promoção do Empreendedorismo Inovador Rochester Gomes da Costa Chefe do Departamento de Empreendedorismo Inovador Area de Investimentos

Leia mais

ENCONTRO ECONÔMICO BRASIL - ALEMANHA DEUTSCH - BRASILIANISCHE WIRTSCHAFTSTAGE

ENCONTRO ECONÔMICO BRASIL - ALEMANHA DEUTSCH - BRASILIANISCHE WIRTSCHAFTSTAGE BRASIL - ALEMANHA PALAVRA DO PRESIDENTE Desde que foi idealizado, o Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA) reúne autoridades governamentais, lideranças empresariais e formadores de opinião para desenvolvermos

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

35ª Reunião do CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA

35ª Reunião do CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA 35ª Reunião do CAMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA Brasília, 22 de outubro de 2013 Convênio SENAC-SP - curso de formação do Sommelier especializado em Cachaças Capacitar Sommeliers com ênfase

Leia mais

2. FACULDADE INEDI / CESUCA COMPLEXO DE ENSINO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE CACHOEIRINHA

2. FACULDADE INEDI / CESUCA COMPLEXO DE ENSINO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE CACHOEIRINHA CURSOS DE CAPACITAÇÃO EM BOAS PRÁTICAS PARA SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO HOMOLOGADOS PELA DIVISÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ACORDO COM A PORTARIA 78/09, VÁLIDOS PARA O ANO DE 2012. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Inovação, Regulação e Certificação I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde São Paulo 11/04/2012 ABDI Criada pelo Governo Federal em 2004 Objetivo Objetivos Desenvolver ações

Leia mais

TRINO POLO APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA SERRA GAÚCHA. 06 de junho 2013

TRINO POLO APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA SERRA GAÚCHA. 06 de junho 2013 TRINO POLO APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA SERRA GAÚCHA 06 de junho 2013 O TRINO POLO A estruturação do Trino Polo iniciou em meados de 2002. É uma iniciativa que visa desenvolver o setor de informática

Leia mais

Francisco de Paula Marques Rodrigues 1, Viviane Leite Dias de Mattos 2, Ana Paula Pereira da Silva 3, Renata Prestes Dutra 4

Francisco de Paula Marques Rodrigues 1, Viviane Leite Dias de Mattos 2, Ana Paula Pereira da Silva 3, Renata Prestes Dutra 4 RIO GRANDE DO SUL, SELETIVIDADE NO INGRESSO, ENADE, EXAME DA OAB. A MESMA PRAÇA, O MESMO BANCO, AS MESMAS FLORES, O MESMO JARDIM. Francisco de Paula Marques Rodrigues 1, Viviane Leite Dias de Mattos 2,

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014

Plano Brasil Maior 2011/2014 Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer 1ª. Reunião do Conselho de Competitividade Serviços Brasília, 12 de abril de 2012 Definições O PBM é: Uma PI em sentido amplo: um

Leia mais

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados

Sistema Indústria. 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57 milhões de alunos capacitados Sistema Indústria CNI 27 Federações de Indústrias 1.136 Sindicatos Associados 622.874 Indústrias SENAI SESI IEL 28 Áreas de atuação 730 Unidades de Operação 4 Milhões de matrícula/ano (2014), mais de 57

Leia mais

Promoção de APLs para o Desenvolvimento Regional. Rio de Janeiro, 02 de setembro de 2009

Promoção de APLs para o Desenvolvimento Regional. Rio de Janeiro, 02 de setembro de 2009 Promoção de APLs para o Desenvolvimento Regional Rio de Janeiro, 02 de setembro de 2009 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. DIRETRIZES GERAIS Missão Programas Estratégias 2. ESTUDO DE CASO 3. VÍDEO: PROMOÇÃO DE

Leia mais

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6

Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Indústria Oceânica (offshore) do Rio Grande do Sul Porto Alegre, Agosto de 2011 Rev. 6 Panorama Ciclo econômico do Pré-Sal Prioridade de Governo Sustentabilidade socioeconômica e ambiental Indústria offshore

Leia mais

Relatório Geral. Abril - 2015

Relatório Geral. Abril - 2015 Relatório Geral Abril - 015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL DE HPPC Objetivo Promover o desenvolvimento das empresas do setor de HPPC de forma sustentável, por meio da gestão e difusão de conhecimento,

Leia mais

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015

IV Reunião das Administradoras de ZPE. Brasília, 15 de abril de 2015 IV Reunião das Administradoras de ZPE Brasília, 15 de abril de 2015 I. Atuação da RENAI Roteiro: II. Possibilidades de parceria RENAI - ZPEs Parte I RENAI O que é a RENAI? Rede Nacional de Informações

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO SUMÁRIO 4 APRESENTAÇÃO DO PROJETO 6 JUSTIFICATIVA 7 OBJETIVOS 7 PÚBLICO ALVO 8 HISTÓRICO DO EVENTO 12 EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PARCEIRAS APRESENTAÇÃO DO PROJETO Foto 1: Vista aérea do evento A Expoarroz

Leia mais

Por que investir no Rio Grande do Sul

Por que investir no Rio Grande do Sul Por que investir no Rio Grande do Sul Motivado pelo Brasil Mais próximos da riqueza Crescimento sustentável do Brasil, uma das nações que menos sofreu com a crise financeira de 2009, reduzindo a distância

Leia mais

Atividade da indústria gaúcha cresce em outubro

Atividade da indústria gaúcha cresce em outubro S E M A N A Porto Alegre / 4 de dezembro de 2009 / nº 48 / Ano XIV / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L Pagando a crise Os efeitos da crise internacional na economia gaúcha geraram, na prática, um déficit

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

36º JUGs JOGOS UNIVERSITÁRIOS GAÚCHOS

36º JUGs JOGOS UNIVERSITÁRIOS GAÚCHOS FEDERAÇÃO UNIVERSITÁRIA GAÚCHA DE ESPORTES 1 36º JUGs JOGOS UNIVERSITÁRIOS GAÚCHOS 2015 REGULAMENTO GERAL e ESPECÍFICOS FEDERAÇÃO UNIVERSITÁRIA GAÚCHA DE ESPORTES 2 REGULAMENTO GERAL Art. 1º- Os 36º Jogos

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

FACULDADES DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADES DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADES DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL UNILASALLE Centro Universitário La Salle http://www.unilasalle.edu.br (51) 3476-8646 Eduardo Ramos da Silva edfisica@unilasalle.edu.br/ eduardo.ramos@unilasalle.edu.br

Leia mais

Integração Produtiva MERCOSUL

Integração Produtiva MERCOSUL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria do Desenvolvimento da Produção Integração Produtiva MERCOSUL XLV Reunião Ordinária de Coordenadores Nacionais FCCR O tema Integração

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás

APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento. CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás APLs como Estratégia de Desenvolvimento: Inovação e conhecimento CNI e o Projeto de APLs Petróleo e Gás Dezembro 2013 Tópicos Cenário P&G Rede de Núcleos de P&G - CNI e Federações Desenvolvimento de APLs

Leia mais

A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas

A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas Balneário Camboriú-SC 21 de julho de 2011 O padrão IFRS é adotado, atualmente, por cerca de 140 países(1) e por milhões de pequenas

Leia mais

CIÊNCIA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO: AS NOVAS OPORTUNIDADES. Ghissia Hauser

CIÊNCIA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO: AS NOVAS OPORTUNIDADES. Ghissia Hauser CIÊNCIA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO: AS NOVAS OPORTUNIDADES Ghissia Hauser COMPROMISSOS DA SCIT Inovação; Desenvolvimento Tecnológico; Transferência de Tecnologia; FINANCIA DESENVOLVIMENTO

Leia mais

31956 Monografia II 31926

31956 Monografia II 31926 Currículo Novo 2006/01 Duração: 182 créditos 2.730h, acrescidas de 270h de atividades complementares, totalizando 3.000h 31544 Teoria das Organizações I - 31554 Matemática I - 31564 Teoria das Organizações

Leia mais

Inserção Competitiva e Sustentável de Micro e Pequenas Empresas na Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás do Rio Grande do Norte

Inserção Competitiva e Sustentável de Micro e Pequenas Empresas na Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás do Rio Grande do Norte Inserção Competitiva e Sustentável de Micro e Pequenas Empresas na Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás do Rio Grande do Norte FATOS E DADOS Micro e Pequenas Empresas formais 4,8 milhões de empresas formais

Leia mais

Indicadores de Evolução das Pequenas Empresas Pós Capacitação para Fornecimento à CPP&G.

Indicadores de Evolução das Pequenas Empresas Pós Capacitação para Fornecimento à CPP&G. Indicadores de Evolução das Pequenas Empresas Pós Capacitação para Fornecimento à CPP&G. Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 07/08/2014 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br Instituições

Leia mais

PROJETO 10 A 13 PELOTAS/RS BRASIL

PROJETO 10 A 13 PELOTAS/RS BRASIL PROJETO 10 A 13 EXPOARROZ MAIO 2011 PELOTAS/RS BRASIL ÍNDICE 1 - CARACTERIZAÇÃO DA PROPOSTA 03 2 JUSTIFICATIVA 04 3 OBJETIVO 06 4 - PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR 09 5 - INFRA-ESTRUTURA DO EVENTO 11 6 - PLANTAS

Leia mais

ESTRATÉGIA SEBRAE PARA O DESENVOLVIMENTO DOS EMPRESÁRIOS

ESTRATÉGIA SEBRAE PARA O DESENVOLVIMENTO DOS EMPRESÁRIOS ESTRATÉGIA SEBRAE PARA O DESENVOLVIMENTO DOS EMPRESÁRIOS Fonte: Sebrae Mais prático Mais flexível Mais personalizado www.sebraemais.com.br Programa SEBRAETEC = Consultorias Tecnológicas O que

Leia mais

EDITAL FAPERGS 16/2012 PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOBRE GESTÃO PÚBLICA

EDITAL FAPERGS 16/2012 PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOBRE GESTÃO PÚBLICA EDITAL FAPERGS 16/2012 PROGRAMA DE PESQUISA EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO SOBRE GESTÃO PÚBLICA A FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL FAPERGS torna público o presente Edital,

Leia mais

Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo. Organização e Realização

Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo. Organização e Realização Programa SEBRAE SP & SUCESU-SP de Competitividade da MPE de Software e Serviços da cidade de São Paulo Organização e Realização Perfil do Público Alvo Empresários e executivos de MPE de Software e Serviços

Leia mais

Resultados do GTP APL

Resultados do GTP APL 2ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Resultados do GTP APL Cândida Maria Cervieri Secretária Técnica do GTP APL Diretora do Departamento de Micro, Pequena e Média Empresa/SDP/MDIC

Leia mais

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA

Integração produtiva e cooperação industrial: LEONARDO SANTANA Integração produtiva e cooperação industrial: a experiência da ABDI LEONARDO SANTANA Montevidéu, 15 de julho de 2009 Roteiro da Apresentação 1. Política de Desenvolvimento Produtivo PDP 2. Integração Produtiva

Leia mais

GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec

GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec GT INDUSTRIAL Proposta Minas Biotec de temas para a agenda do GT Industrial 2010 27 de Novembro de 2009 MDIC - Brasília SINDUSFARQ Base sindical 750 empresas dos setores representados: Indústria Farmacêutica

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed)

9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed) 9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed) 18 de agosto de 2015 PALESTRA: Internacionalização dos laboratórios farmacêuticos nacionais: acesso a novos mercados O Projeto A

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Porto Alegre (1 vaga) Área: Assessoria de Planejamento

ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Porto Alegre (1 vaga) Área: Assessoria de Planejamento SISTEMA FECOMÉRCIO-RS SELECIONA: O Senac-RS Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, Administração Regional no Estado do Rio Grande do Sul, está selecionando profissionais para desenvolver suas atividades

Leia mais

CENTRAL EXPORTAMINAS e ações para o desenvolvimento do comércio exterior mineiro

CENTRAL EXPORTAMINAS e ações para o desenvolvimento do comércio exterior mineiro Your trade partner in Brazil CENTRAL EXPORTAMINAS e ações para o desenvolvimento do comércio exterior mineiro AGROEX Viçosa, 27 de abril de 2009 Jorge Duarte de Oliveira Diretor 1 Minas Gerais Facts and

Leia mais

A Formplast e o Símbolo da Qualidade

A Formplast e o Símbolo da Qualidade OPINIÃO DO CLIENTE Equipe da Formplast A Formplast e o Símbolo da Qualidade O CETEMO sempre esteve presente na FORMPLAST. Desde o início das nossas atividades buscamos nesta entidade os referenciais de

Leia mais

Projeto Apoio à Inserção Internacional das PMEs Brasileiras ALA/BRA/2004/006-189. Levando o Software Gaúcho ao Mercado Internacional

Projeto Apoio à Inserção Internacional das PMEs Brasileiras ALA/BRA/2004/006-189. Levando o Software Gaúcho ao Mercado Internacional Projeto Apoio à Inserção Internacional das PMEs Brasileiras ALA/BRA/2004/006-189 Projeto Internacionaliza-RS Projeto Internacionaliza-RS Levando o Software Gaúcho ao Mercado Internacional A Universidade

Leia mais

SILVER SUDOE Produtos e Serviços para a Silver Economy

SILVER SUDOE Produtos e Serviços para a Silver Economy SILVER SUDOE Produtos e Serviços para a Silver Economy 2º Congresso Regional sobre o Envelhecimento Ativo e Saudável Coimbra, 7 de Março de 2014 Luísa Bernardes CEC CEC Câmara de Comércio e Indústria do

Leia mais

PROGRAMA AL-INVEST. Cooperação Internacional Centro Internacional de Negócios MG

PROGRAMA AL-INVEST. Cooperação Internacional Centro Internacional de Negócios MG PROGRAMA AL-INVEST Cooperação Internacional Centro Internacional de Negócios MG O QUE É O PROGRAMA AL-INVEST Um programa de internacionalização de PMEs co-financiado pela Comissão Europeia para estimular

Leia mais

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES MSc.RICARDO LOZANO PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS US$ bilhões Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Exportações Brasileiras 256 243 198

Leia mais

NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR ENCOMEX 2014 JARAGUÁ DO SUL

NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR ENCOMEX 2014 JARAGUÁ DO SUL NOTA TÉCNICA 0036_V1_2014 REALIZAÇÃO DO ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR Jaraguá do Sul (SC), Junho de 2014. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente e sustentável, cidade para pessoas.

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de uma empresa para Prestação de Serviços Especializados para a Criação de Instrumentos visando atender o Sistema de Sensibilização e Prospecção e ao Sistema de

Leia mais

A Rede Escola de Governo e os desafios avaliativos da formação continuada

A Rede Escola de Governo e os desafios avaliativos da formação continuada A Rede Escola de Governo e os desafios avaliativos da formação continuada Sandra Bitencourt, Ana Cristina Ghisleni Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos do Estado do Rio Grande do Sul - FDRH

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore

O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore O potencial do Rio Grande do Sul na indústria de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Porto Alegre, 27 de julho de 2011 Panorama Brasileiro Novo

Leia mais

Mapa dos Investimentos RF 9 2011-2014

Mapa dos Investimentos RF 9 2011-2014 Mapa dos Investimentos RF 9 2011-2014 Gestão Pública Focos de Atuação Sociedade MAPA ESTRATÉGICO: Governo do Estado do Rio Grande do Sul Visão: RETOMAR O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM EQUIDADE E PARTICIPAÇÃO

Leia mais

- PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBARÁ DO SUL (Secretaria Municipal de Turismo) Plano de Fortalecimento da Gestão Municipal do Turismo.

- PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBARÁ DO SUL (Secretaria Municipal de Turismo) Plano de Fortalecimento da Gestão Municipal do Turismo. 1) Apresentação A Stratégia Comunicação, Marketing e Projetos - atua na orientação ao desenvolvimento coletivo de entidades, grupos produtivos, cidades e regiões, buscando continuamente oferecer soluções

Leia mais

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje?

Entrevista Como é o trabalho desenvolvido pelo Departamento? Quantos Fóruns Permanentes de Micro e Pequenas empresas existem hoje? Entrevista A diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Cândida Cervieri, foi entrevistada pelo Informativo RENAPI.

Leia mais

AGENDA SOBRE A ENDEAVOR SOBRE O PAIIPME BUSCA E SELEÇÃO SERVIÇOS A EMPREENDEDORES PRÓXIMOS PASSOS - OBJETIVOS - ESTRATÉGIA DE OPERAÇÃO

AGENDA SOBRE A ENDEAVOR SOBRE O PAIIPME BUSCA E SELEÇÃO SERVIÇOS A EMPREENDEDORES PRÓXIMOS PASSOS - OBJETIVOS - ESTRATÉGIA DE OPERAÇÃO PAIIPME AGENDA SOBRE A ENDEAVOR SOBRE O PAIIPME - OBJETIVOS - ESTRATÉGIA DE OPERAÇÃO BUSCA E SELEÇÃO - AUMENTO DA PROSPECÇÃO E SELEÇÃO SERVIÇOS A EMPREENDEDORES - AUMENTO DA COMPETITIVIDADE - INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal

Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Audiência Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) Senado Federal Brasília 22 de março o de 2009 Inovação Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

SOMANDO FORÇAS PREFIRA O QUE É NOSSO! Selo do associado: ESTA EMPRESA AJUDA NOSSA CIDADE CRESCER

SOMANDO FORÇAS PREFIRA O QUE É NOSSO! Selo do associado: ESTA EMPRESA AJUDA NOSSA CIDADE CRESCER Nossa visão é de um futuro próspero para nossa cidade motivado pelo empreendedorismo cooperativo, p r o s s i o n a l i z a ç ã o d a g e s t ã o e n e g ó c i o s, dando notoriedade regional aos sócios.

Leia mais

Legenda da priorização das propostas:

Legenda da priorização das propostas: Ações que já foram iniciadas, devemos MONITORAR o andamento. Articular para 2013 o inicio da execução das Propostas. Sem prazo definido. Articular o inicio a medida do possível. Legenda da priorização

Leia mais

PRODUÇÃO GESSO NO BRASIL de 1999 a 2006 em 10 3 ton. Ano 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006. Gesso 960 1.080 1.240 1.400 1.680 1.920 2.123 2.

PRODUÇÃO GESSO NO BRASIL de 1999 a 2006 em 10 3 ton. Ano 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006. Gesso 960 1.080 1.240 1.400 1.680 1.920 2.123 2. PRODUÇÃO GESSO NO BRASIL de 1999 a 2006 em 10 3 ton. Ano 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Gesso 960 1.080 1.240 1.400 1.680 1.920 2.123 2.130 Premoldado 396 420 480 590 730 782 928 1.120 Acartonado**

Leia mais

Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA

Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA Seminário ENQUALAB_RESAG / DEMANDAS EMPRESARIAIS DE TECNOLOGIA Formação da Rede Nacional de Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria

Leia mais

EDITAL SISTEMA DE ENSINO

EDITAL SISTEMA DE ENSINO EDITAL SISTEMA DE ENSINO 01/2015 O Sistema de Ensino da Faculdade de Tecnologia - FTEC, no uso de suas atribuições, torna público o Processo Seletivo Interno e Externo de Professores, para ingresso no

Leia mais

Histórico do Programa Brasileiro do Design

Histórico do Programa Brasileiro do Design Histórico do Programa Brasileiro do Design 1995 Lançamento do Programa Brasileiro do Design; Exposição: "O Brasil Mostra sua Marca". 1996 Concurso da Logomarca do PBD; Estudo: "Design para a Competitividade".

Leia mais

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012.

1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS 1ª Conferência Estadual de APLs Oficina Inovação e Sustentabilidade Porto Alegre, 22 de novembro de 2012. IEL/RS Instituição criada em 1969, vinculada à Confederação Nacional da Indústria CNI. O

Leia mais

EDITAL SISTEMA DE ENSINO

EDITAL SISTEMA DE ENSINO EDITAL SISTEMA DE ENSINO 01/2015 O Sistema de Ensino da Faculdade de Tecnologia - FTEC, no uso de suas atribuições, torna público o Processo Seletivo Interno e Externo de Professores, para ingresso no

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

TRINO POLO APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA SERRA GAÚCHA

TRINO POLO APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA SERRA GAÚCHA TRINO POLO APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA SERRA GAÚCHA O TRINO POLO O APL de Tecnologia da Informação iniciou suas atividades em 2002 Origens Criação da associação das empresas do Polo de Informática

Leia mais

Porto Alegre / 9 de julho de 2010 / nº 27 / Ano XV / www.fiergs.org.br

Porto Alegre / 9 de julho de 2010 / nº 27 / Ano XV / www.fiergs.org.br S E M A N A Porto Alegre / 9 de julho de 2010 / nº 27 / Ano XV / www.fiergs.org.br E D I T O R I A L Finanças Públicas O comportamento da arrecadação tributária no decorrer de 2010 vem ocorrendo no rumo

Leia mais

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores

A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores A agenda de inovação das micro e pequenas empresas e o desenvolvimento da cadeia de fornecedores Reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação São Paulo 05.11.2010 Micro e Pequenas Empresas no Brasil

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria de Inovação

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria de Inovação A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL COMO INDUTORA DE: PRODUTIVIDADE NA INDÚSTRIA ; COMPETITIVIDADE NO COMEX E INOVAÇÃO DE BENS E PRODUTOS. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Secretaria

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

JOÃO ADALBERTO MEDEIROS FERNANDES JÚNIOR

JOÃO ADALBERTO MEDEIROS FERNANDES JÚNIOR JOÃO ADALBERTO MEDEIROS FERNANDES JÚNIOR 1. ESCOLARIDADE 1.1. COLÉGIO ANCHIETA 1 e 2º Grau Término 1985; 1.2. UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL - ULBRA Curso: Ciências Jurídicas e Sociais DIREITO. Colação

Leia mais

0267 - Equalização de Juros para Promoção das Exportações - PROEX (Lei nº 10.184, de 2001)

0267 - Equalização de Juros para Promoção das Exportações - PROEX (Lei nº 10.184, de 2001) Programa 2024 - Comércio Exterior Número de Ações 13 Tipo: Operações Especiais 0027 - Cobertura das Garantias Prestadas pela União nas Operações de Seguro de Crédito à Exportação (Lei nº 9.818, de 1999)

Leia mais

O Cenário Econômico Brasileiro e as Oportunidades de Investimentos

O Cenário Econômico Brasileiro e as Oportunidades de Investimentos O Cenário Econômico Brasileiro e as Oportunidades de Investimentos Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos Apex-Brasil Alessandro Teixeira Presidente Novo Ciclo do Crescimento Econômico

Leia mais

O melhor do Brasil para o mundo

O melhor do Brasil para o mundo O melhor do Brasil para o mundo Promoção das exportações de bens e serviços Promover a internacionalização das empresas Atração de investimentos estrangeiros diretos Promoção da Marca Brasil PRINCIPAIS

Leia mais