Eles Também Podem Cair

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Eles Também Podem Cair"

Transcrição

1 Quedas de UFOs Introdução Eles Também Podem Cair A Humanidade terrestre não sobreviverá mais mil anos se não iniciar a ocupação espacial imediatamente. Stephen Hawking Afalta de uma evidência contundente sobre a existência do Fenômeno UFO é um problema com o qual os ufólogos constantemente se deparam. Temos nos perguntado repetidamente: se os UFOs são reais, onde estão as provas? Por que não existe uma evidência física de sua existência? Por que ainda não encontramos os restos de um deles? A resposta para essas questões é que já encontramos restos de um, dois ou mais. Em 1950, Frank Scully publicou o livro Behind the Flying Saucers (Por Trás dos Discos Voadores), no qual relatava vários casos de acidentes com naves extraterrestres e os projetos ultra-secretos desenvolvidos pelo governo norte-americano para encobrir o assunto. Scully fornecia ainda os nomes de quem estava envolvido nos desastres e revelava onde as quedas tinham acontecido. O grande problema é que não possuía evidências concretas, e suas fontes, quando existiam, não eram confiáveis. Resultado: o livro tornou-se uma grande farsa. A conseqüência disso foi um completo desinteresse da opinião pública pelas histórias de quedas de UFOs. Toda vez que um novo relato surgia, era chamado de mais um caso de Scully. Então surgiu o Caso Roswell, no Novo México, em Após anos de investigações, vários ufólogos, dentre eles Kevin Randle, Stanton Friedman e Wendelle Stevens, haviam entrevistado centenas 21

2 Thiago Luiz Ticchetti de testemunhas e revisto diversos documentos relacionados ao caso, à procura de uma explicação para o episódio. Até que chegaram à conclusão de que alguma coisa extraordinária havia acontecido. Dentre os envolvidos estava o general-brigadeiro Thomas J. DuBose, comandante da 8º Comando da Força Aérea Norte-Americana (USAF). Ele contou que a história dos balões inventada para explicar o Caso Roswell foi o acobertamento da verdade. Em outras palavras, um disco voador realmente tinha caído em Roswell. Com a crença novamente restabelecida, outros eventos surgiram, mas em sua maioria não foram encontradas provas, evidências ou testemunhas com credibilidade. Por outro lado, alguns deles forneciam muito mais informações do que parecia. Um exemplo disso ocorreu em Las Vegas (EUA), em 1962, considerado hoje como mais um caso autêntico de queda de UFOs. Em Kingman, Arizona, centenas de testemunhas afirmaram ter visto um objeto voador não identificado cruzar o Canadá e os Estados Unidos e posteriormente cair. A USAF, como sempre, negou, afirmando tratarse de um meteoro. A polícia local, por sua vez, afirmou que nada havia sido encontrado, e os agentes do Projeto Moon Dust [Poeira lunar], de busca e recuperação de fragmentos de mísseis e satélites, centralizado na Base Aérea de Wright-Patterson, em Dayton, Ohio, foram então acionados. Mas afinal, o que aconteceu? Noutro episódio, desta vez em nosso país, tivemos um dos casos mais espetaculares da Ufologia mundial quando um objeto metálico explodiu sobre a praia de Ubatuba, no litoral paulista, em Fragmentos dele foram recolhidos e enviados para estudo. O surpreendente é que a Marinha brasileira analisou os fragmentos e alegou que não poderia explicá-los, pois haviam sido destruídos durante suas experiências. Propositadamente? No ano de 1996, o mundo voltou seus olhos e ouvidos para o Brasil. O Exército brasileiro havia capturado estranhos seres, vítimas do acidente de uma nave extraterrestres, que apresentou problemas e caiu na cidade de Varginha (MG) [Vide capítulo 8]. Contudo, muita coisa ainda continua encoberta. Com o aparecimento da Internet, das novas tecnologias de comunicação e da globalização, as notícias rodam o mundo mais rápido do que nunca. Se um UFO cai na China, no mesmo dia várias pessoas tomam conhecimento desse fato. A notícia alastra-se rapidamente. Diferente de 22

3 Quedas de UFOs muitos pesquisadores e escritores, o autor fornece neste livro uma longa lista com os materiais necessários para que os leitores possam ter uma referência para suas próprias investigações sobre o Fenômeno UFO. Os casos não foram enfeitados, apenas apresentados de forma jornalística, para dar margem às conclusões do leitor. 23

4 24 Thiago Luiz Ticchetti

5 Quedas de UFOs Capítulo 1 O Incidente de Roswell Este é o melhor e mais bem documentado caso ufológico e possui dezenas de testemunhas. Até hoje, ninguém conseguiu dar outra explicação senão a de que uma nave extraterrestre caiu no deserto norte-americano. Leonard Stringfield Desde o início, acreditava-se que o acidente em Roswell ocorreu na noite do dia 02 de julho de Essa data baseia-se no testemunho de Dan Wilmot, morador de Roswell, que relatou ter visto um objeto em forma de disco sobrevoar a cidade e partir em direção nordeste. Sem outra data, os investigadores assumiram que o objeto observado por Wilmot era o mesmo que havia caído na fazenda de Brazel, um fazendeiro residente a sudeste da cidade de Corona, em Lincoln County, Novo México. Tal suposição estava errada. O avistamento de Wilmot não teve nada a ver com o acidente na propriedade de Brazel, em 02 de julho. Na verdade, os militares já estavam rastreando o objeto antes desta data. Por quatro dias o UFO entrava e saía do espaço aéreo mexicano, ao sul do país. Os radares naquela região e na cidade de Albuquerque detectaram-no e perderam-no na noite do dia 04 de julho. Os militares em Roswell sabiam que o UFO tinha no mínimo descido a menos de 60 km da cidade. Willian Woody, que vivia a leste de Roswell em julho daquele ano, estava na varanda de sua casa, juntamente com seu pai, na noite do dia 04, quando viu um brilhante objeto no céu mergulhar em direção ao solo. Ele disse que era uma luz branca muito brilhante, com linhas vermelhas, e o objeto demorou a cair, diferentemente dos meteoros que já havia observado anteriormente. Não havia nenhuma forma por trás da luz e nenhum som 25

6 Thiago Luiz Ticchetti foi associado àquilo. Um ou dois dias depois, Woody e seu pai procuraram encontrar o local onde o objeto tinha caído. Dirigiram-se pela Rodovia 285, ao norte de Roswell, mas sempre que tentavam entrar na pista eram impedidos por um cordão de isolamento militar, pois todos os acessos às estradas estavam bloqueados. Somente junto aos primeiros raios de Sol do dia 05 de julho os militares encontraram o local do acidente. Eles isolaram a área, mantendo todos os civis e pessoas não autorizadas afastadas. Durante todo aquele dia recolheram os corpos de cinco vítimas do acidente, vários caminhões carregaram os destroços do objeto e em seguida dirigiram-se para a base militar. No final do dia, já haviam retirado quase tudo da área. No dia seguinte, foram trazidos especialistas em acobertamento. Os militares queriam eliminar qualquer traço visível da queda e da operação de resgate. Na tarde do dia 05 algo inusitado aconteceu. Glenn Dennis, funcionário da Funerária Ballard, recebeu o primeiro de uma série de estranhos telefonemas da base aérea militar. O oficial funerário da base perguntou-lhe sobre o tamanho e os tipos de caixões que poderiam ser lacrados hermeticamente. Dennis respondeu que possuía quatro caixões de 1,20 m, mas que poderia conseguir um menor na cidade de Amarillo. O oficial apenas mencionou que voltaria a ligar para ele. Trinta ou quarenta minutos depois, o oficial ligou novamente e perguntou sobre a preparação dos cadáveres. Ele queria saber como preparar um corpo decomposto e como tratar cadáveres queimados em casos muito traumáticos. Enfim, como preservar um cadáver sem alterar a composição química do sangue ou fluídos. Eu sabia que algo tinha acontecido. Algo para o qual não estavam preparados. Pensei que fosse uma pessoa VIP (muito importante). Então disse-lhes que poderia ir até lá e ajudá-los, mas o oficial falou que a informação era para futuras referências, comentou. Uma hora depois do último telefonema, Dennis voltou a receber outra ligação do oficial, que agora pedia-lhe para que fosse socorrer um militar que havia sofrido um acidente na cidade. O soldado tinha apenas algumas escoriações e o nariz quebrado. Depois do socorro, Dennis dirigiu-se até a base militar de Roswell. Chegando lá, ingressou pelo portão da frente e foi em direção à entrada de emergência do hospital. No local estavam estacionadas três ambulâncias antigas, do tipo caixote, e ao lado de cada uma havia um policial militar. Dennis conduziu o soldado ferido pela rampa de acesso à sala de emergência, 26

7 Quedas de UFOs e enquanto passava pelas ambulâncias, viu que no interior de uma delas havia pedaços de alguma coisa que não soube definir. Pensou, a princípio, que fossem os destroços de um avião. Na segunda ambulância havia coisas parecidas. Na terceira, no entanto, Dennis acredita que não possuía nada, apesar de um policial militar estar vigiando-a. O agente funerário explicou que durante o resgate de corpos de um acidente aéreo, alguns destroços são colocados nas ambulâncias de maneira rotineira. Por isso, não estava surpreso com o que acabara de observar. E, ainda, que aquelas ambulâncias antigas eram utilizadas para vários fins, inclusive carregar materiais. Dennis tentou aproximar-se de uma delas: O que vi lembrou-me a frente de uma canoa, com uns 95 cm de largura, e estava deitada de lado. Havia algumas inscrições, de uns 6 cm. Pareciam inscrições egípcias. Com o soldado já recebendo os cuidados médicos na sala de emergência, Dennis, que conhecia a maioria dos médicos, decidiu ir tomar um refrigerante no saguão. Enquanto andava pelo corredor, uma das enfermeiras o reconheceu. Ela estava muito apreensiva e perguntou ao rapaz qual a razão de estar ali, sugerindo-lhe que deveria ir embora o mais rápido possível. Depois entrou numa sala e desapareceu. Mas Dennis não saiu de imediato. Um militar, aparentando seus 45 anos, surgiu repentinamente no corredor do hospital e questionou-lhe a razão de sua presença naquele local. Então disse-lhe que trabalhava na Funerária Ballard e que tinha acabado de atender um soldado. Estava indo pegar um refrigerante no saguão e resolvi fazer o comentário: parece que vocês tiveram um acidente aéreo aqui, pois vi alguns destroços nas ambulâncias. Foi quando percebi que havia arranjado problemas. O militar pediu para o rapaz esperar um momento, entrou numa das salas e logo depois saíram dois policiais militares. Ele disse aos policiais para me tirarem dali o mais rápido possível. Quando estávamos saindo, ouvi uma voz pronunciar: eu ainda não terminei com esse filho da p... Tragamno de volta. Dennis retornou e ficou cara-a-cara com o capitão de cabelos ruivos. Havia com ele um sargento, um homem negro, que segurava uma prancheta. O capitão de cabelos ruivos então disse: não houve nenhum acidente aqui. Você não viu nada. Não vai voltar para a cidade e dizer que viu alguma coisa, pois terá sérios problemas. Naquele momento, Dennis ficou muito irritado, ainda mais por ter sido xingado pelo capitão. Mas respondeu ao militar que não poderia fazer nada contra sua pessoa, já que era um civil, e mandou todos para o inferno. Essas foram exatamente as minhas 27

8 Thiago Luiz Ticchetti palavras. Lembro-me claramente, comentou. O militar de cabelos ruivos então respondeu: Não brinque consigo mesmo, meu jovem. Alguém estará recolhendo seus ossos no deserto. Ou você será uma excelente refeição para os cachorros. Em seguida, conduziram-no para fora do hospital, em direção à sua ambulância e seguiram-no até à funerária. Tudo isso acontecia enquanto Brazel checava suas pastagens e encontrou o campo cheio de destroços metálicos. Ele carregou alguns e foi mostrá-los aos seus vizinhos mais próximos, Floyd e Loretta Proctor. Loretta disse que o metal parecia ser extremamente forte, leve e resistente ao fogo. Para a senhora Proctor, o objeto lembrava plástico, mas era muito mais resistente. O casal sugeriu a Brazel que alertasse o xerife sobre os destroços. Ele então foi até Corona e falou com algumas pessoas. Tudo indica que foi com o xerife ou com militares. Para o fazendeiro, o que havia encontrado podia ser os restos de algum tipo de experimento secreto. No domingo, dia 06 de julho, o fazendeiro fez uma viagem de três horas até Roswell e mostrou ao xerife do município de Chaves, George Wilcox, uma caixa cheia dos estranhos objetos metálicos. Mais tarde, seria determinado pelos militares que os destroços eram parte de uma aeronave acidentada, mas, naquela hora, nem Brazel ou Wilcox sabiam exatamente o que o fazendeiro tinha encontrado. Sabiam apenas que era algo incomum, mas não conseguiram identificar a sua origem. Wilcox então decidiu que o melhor a fazer era alertar os militares e telefonou para o oficial de inteligência do 509º Grupamento de Bombardeiro, major Jesse A. Marcel. Eu estava almoçando quando recebi o telefonema do xerife dizendo que queria conversar comigo. Que estava na delegacia um fazendeiro que tinha lhe contado uma história estranha. Em seguida, disse que tinha encontrado alguma coisa que havia se acidentado e que eles não sabiam do que se tratava. Achei que deveria investigar melhor aquilo. O coronel Willian Blanchard, do 509 Grupamento aconselhou Marcel a ir até a cidade para dar uma olhada no que haviam encontrado. Deveria levar consigo um conhecido seu, agente da Contra-Inteligência. O escolhido foi o capitão Sheridan Cavitt. Ele dirigia o jipe e eu o meu carro. Nós seguimos o caminhão do fazendeiro. Chegamos à fazenda ao anoitecer. Como estava muito tarde para procurarmos algo, decidimos pernoitar por lá. Quando foi entrevisto pelo pesquisador Kevin Randle, Cavitt afirmou que não tinha estado no local. Apenas mencionou que durante a primeira semana de julho de 1947 encontrava-se em viagem. Entretanto, quando entrevistado 28

9 Quedas de UFOs Cortesia Mapaquest Mapa do estado norte-americano do Novo México indicando a cidade de Roswell, onde em julho de 1947 um UFO acidentou-se e foi resgatado por militares, juntamente com seus tripulantes. O caso até hoje não foi admitido pelo governo dos EUA no final de 1994 pelo coronel da Força Aérea Norte-Americana (USAF), Richard Weaver, Cavitt confirmou que estava envolvido com o caso, mas que, entretanto, não tinha dirigido o jipe sozinho até a fazenda. Na verdade, Cavitt não se lembrava de ter ao menos conhecido Brazel, mas recordava-se de que havia se dirigido para o norte de Roswell. Sem mais nada a fazer, Marcel inspecionou um grande pedaço de metal que Brazel tinha trazido até o seu celeiro. Numa entrevista dada em 1978 para Leonard Stringfield, Marcel comentou que não tinha encontrado sinais de radioatividade no material. Quando viu pela primeira vez os destroços no campo, estava claro que alguma coisa devia ter se chocado contra o solo. Com Cavitt e Brazel, verificou a área e pôde determinar de qual direção o objeto veio e para qual se dirigiu. Havia descoberto um padrão que mostrava onde começavam e onde terminavam as marcas do impacto do objeto. Eles vasculharam a área toda. Marcel disse que os pedaços estavam espalhados por uma grande extensão, que estimou em 200 ou 300 m de comprimento e algumas dezenas de metros de largura. Nós encontramos alguns metais 29

10 Thiago Luiz Ticchetti e os recolhemos. Para ele era algo fabricado. Eu queria queimar um pedaço daquilo, mas só tinha um isqueiro comigo... Então o acendi e coloquei embaixo de uma porção, mas o objeto nem sequer ficou escuro. Marcel também descreveu estruturas em forma de I, tão sólidas que não era possível dobrá-las ou quebrá-las, mas que não se pareciam com metal. Eu me lembro que tinham uns 6 cm de comprimento por 0,25 cm de espessura. A maior de todas possuía cerca de 120 cm e não tinha peso algum. Você nem percebia que estava segurando uma delas!, exclamou. Também contou ao investigador Stringfield que havia encontrado vários fragmentos metálicos, parecidos com pergaminhos. Quando questionado se havia marcas nos objetos, respondeu afirmativamente. Algumas delas eram indecifráveis. Eu nunca tinha visto nada igual antes. Não sei se foram decifrados ou não. Ao longo de alguns deles havia pequenos desenhos de duas cores... Como escrita chinesa. Mas nada com o que você pudesse comparar. Cavitt, por outro lado, negou em suas primeiras entrevistas com os pesquisadores Kevin Randle e Don Schmitt que esteve presente no local do incidente. Continuou dizendo que não sabia porque Marcel tinha dito que estivera em sua presença. Mas quando entrevistado por um coronel da USAF, Cavitt não só confirmou que havia estado no local, como também que, no instante que viu os destroços, percebeu que eram de um balão. Não explicou, no entanto, porque nunca havia mencionado isso anteriormente a Marcel, ou então porque passou um dia inteiro no campo cheio de pedaços de um balão. Marcel disse que ele e Cavitt recolheram o máximo de material que puderam. Embora tenham carregado muita coisa, a maior parte ainda ficou espalhada na área. Marcel então mandou Cavitt de volta à base e retornou ao local do acidente para recolher mais destroços, enchendo o seu carro. Antes disso, porém, passou em casa. Contou mais tarde que ficou tão impressionado com os destroços que quis que sua família também visse aquilo, mesmo que tivesse que acordá-los. Ficou claro que aqueles pedaços não eram parte de nenhum tipo de míssil, avião ou balão meteorológico. Eu nunca vi nada igual. Não sabia o que estava recolhendo. E ainda não sei... Aquilo não podia ser parte de um avião ou de um balão, e mesmo que fosse de um balão não poderia ser poroso como era. Já vi foguetes sendo lançados da Base de Testes de White Sands e definitivamente aquilo não era parte de um foguete, míssil ou avião. 30

11 Quedas de UFOs Ilustrações Cortesia Kevin Randle Segundo testemunhas, o UFO acidentado em Roswell encontrava-se nesta posição quando foi descoberto. Diferentemente do que pensavam os ufólogos, o UFO não era discóide (detalhe). Note a semelhança entre o objeto e os atuais aviões secretos norte-americanos Seu filho, Jesse Marcel Júnior, lembra-se de ter sido acordado por seu pai tarde da noite. Sob hipnose, conduzida posteriormente pelo doutor John Watkins, em maio de 1990, Jesse Júnior contou que estava confuso por ter sido acordado àquela hora. Ele então levantou-se e o seguiu até o carro, para pegarem uma caixa cheia de fragmentos metálicos. De volta, pai e filho espalharam os pedaços no chão da cozinha, tentando encaixar alguns deles, como se fossem um enorme quebra-cabeças. Os objetos tomaram quase todo o piso, desde a porta dos fundos até o corredor. Jesse Júnior descreveu chapas e vigas em forma de I e alguns pequenos pedaços que pareciam plásticos, de cor escura, mais finos que as chapas, só que muito fortes. Pareciam baquelite [Nome comercial de um plástico termofixo obtido pelo aquecimento, sob pressão, de uma mistura de fenol e formol]. Enquanto tentavam juntar as peças, a esposa de Marcel, Viaud, pegou uma das pequenas vigas e comentou: Tem alguma coisa escrita nisso. Sob hipnose, Jesse Júnior relatou que aquilo 31

12 Thiago Luiz Ticchetti era de cor púrpura, estranha, com formas geométricas, como círculos. Os símbolos eram brilhantes e pequenos, menor do que uma unha. Havia várias figuras separadas. Para ele, era um disco voador. Eu perguntei ao meu pai o que era um disco voador, pois não tinha conhecimento. Quando acabaram de examinar o material, Jesse Júnior ajudou seu pai a colocá-los de volta na caixa e de novo no carro. Marcel estava pronto para retornar a base. Ao chegar, encontrou-se com Blanchard e mostroulhe os destroços, explicando-lhe que não conseguiu identificar qual era a sua origem. Na manhã do dia 08 de julho, o coronel Blanchard mandou-o para Roswell, para conversar com o general Ramey, comandante da 8ª Força Aérea. O comandante disse-me para voar até o Campo Aéreo de Wright-Patterson, em Ohio, mas, chegando lá, não encontrei o general Ramey. Segundo Robert Porter, tripulante do vôo para Fort Worth, só havia quatro pequenas caixas no avião. A tripulação fez a pré-checagem do vôo num B-29 e um carro trouxe o material. A caixa maior tinha 120 cm de comprimento por 10 cm espessura e uma forma triangular. As outras três possuíam o tamanho de caixas de sapato e eram muito leves. Uma vez que elas já estavam dentro do avião, a tripulação foi impedida de se aproximar do compartimento de bagagens. Ao chegarem à Base Aérea do Exército em Fort Worth, Porter e outro recruta receberam ordem para permanecer no avião até que soldados se postassem. Quando isso foi feito, a tripulação foi liberada para o almoço. Em seguida, as caixas foram transferidas para um avião B-25, que partiu para a Base Aérea de Wright Field. Quando Porter e os outros militares voltaram ao avião, disseram-lhes que dentro da caixa havia pedaços de um balão meteorológico, mas que não deviam comentar com ninguém sobre o vôo. Walter Haut, oficial de relações públicas da Base de Roswell, ao conversar com Marcel anos depois do evento, disse-lhe que ele tinha levado alguns pedaços dos destroços até o escritório de Ramey, para que ele dar uma olhada. O material foi colocado em cima da mesa do general. Ele então pediu para que Marcel mostrar o local exato da área do acidente, depois os dois foram até uma sala no final do corredor. Quando retornaram, os destroços que estavam em cima da mesa tinham sumido e um balão meteorológico encontrava-se espalhado no chão. Algumas fotos de Marcel ajoelhado próximo aos restos do balão foram tiradas pelo major Charles A. Cashon, relações públicas de Fort Worth. 32

13 Quedas de UFOs Cortesia Kevin Randle Imagem de um oficial da Força Aérea Norte-Americana (USAF) segurando um pedaço do UFO acidentado em 1947 no Novo México, com estranhas inscrições. Esta fotografia aparece em vários livros sobre o caso, mas ainda não foi autenticada Marcel deixou o escritório por alguns minutos. Enquanto estava fora, o repórter do jornal Fort Worth Star-Telegram, J. Bond Johnson, entrevistou o general Ramey. De acordo com Johnson... eu posei com Ramey ao lado dos destroços. Naquela hora ele me disse que o que foi encontrado não era um disco voador e sim um balão meteorológico, afirmou o general. Johnson é o autor de quatro fotografias do episódio, divulgadas pelo mundo todo. De volta à redação do jornal, ele escreveu a história, que foi publicada no dia seguinte. No último parágrafo aparecia: Depois de ver os destroços, Ramey declarou que aquilo era um balão meteorológico. O oficial meteorológico confirmou isso. No final daquela noite, Ramey deu uma entrevista coletiva sobre o evento. Embora Marcel estivesse presente, ele foi impedido de falar sobre o assunto. Os repórteres queriam entrevistá-lo, mas somente o general comentou sobre o episódio. Presente à coletiva também estava o sub-tenente Irving Newton, um oficial de Meteorologia da Base Aérea do Exército em Fort Worth. Ele ficou sozinho na sua sala quando Ramey mandou que viesse ao seu escritório. 33

14 Thiago Luiz Ticchetti Newton comentou que havia sido solicitado a ele que identificasse os destroços espalhados no chão e que fora alertado por um coronel que... o pessoal de Roswell acha que encontraram um disco voador, mas o general acredita que seja um balão meteorológico. Ele quer que você dê uma olhada nisso. Newton chegou e encontrou um balão espalhado no chão. Estava quase totalmente destruído. O general Ramey perguntou-me o que achava que era e eu lhe respondi. Parecia que queria ridicularizar Marcel por não ter conseguido identificar um simples balão. Depois que Newton identificou os destroços, Ramey ordenou que um vôo especial fosse cancelado. Ninguém deveria ir para a Base Aérea de Wright Field. Ainda assim, soube-se que um documento do FBI, datado do dia 08 de julho, relatava que um disco e um balão estão sendo transferidos para Wright Field, em um vôo especial. O documento também revelava que o major Curtin Kirton havia informado que o objeto assemelhava-se a um balão meteorológico para grandes altitudes, com um refletor de radar. Com o final da coletiva para a Imprensa, Marcel foi dispensado e mandado de volta a Roswell. Embora Ramey tivesse cancelado o vôo especial, aparentemente houve outros vôos para Wright Field. Este local era, à época, o centro dos laboratórios e locais de pesquisas das Forças Armadas. Se fosse descoberta alguma coisa incomum, aquele era o lugar ideal para os cientistas a estudarem. O general Arthur Exon afirmou que os destroços foram, sim, para Wright Field. Ele servia na base como tenente-coronel e lembrava-se dos vôos que chegavam a toda hora naquela data. A idéia de que o balão seria o acobertamento surgiu com o general brigadeiro Thomas DuBose. Em julho de 1947, DuBose era o comandante do 8ª Comando da Força Aérea. Aquilo foi uma história para acobertar o caso. Era a que queríamos que o público e a imprensa acreditassem, afirmou. Os militares tentaram convencer a imprensa de que o objeto encontrado próximo a Roswell não era nada mais do que um balão, mas os oficiais que estavam a cargo disso na época confirmaram que tudo não passava de uma grande mentira. Os militares em Roswell também tentaram enterrar os fatos. Frank Joyce, repórter da estação de rádio KGFL, de Roswell, falou com Brazel no domingo, após encontrar os destroços. Ele não revelou o conteúdo da conversa, mas afirmou que não era a primeira vez que discorriam sobre o incidente. No entanto, a conversa que tiveram na primeira e na segunda vez teve um tom bem diferente desta última. 34

15 Quedas de UFOs Cortesia Kevin Randle Foto do local onde foram encontrados o UFO e seus tripulantes. Mesmo na vastidão do deserto ao redor da pequenina Roswell, os ufólogos conseguiram determinar com exatidão que esta área seria o local de impacto da nave extraterrestre Joyce contou que Brazel foi até a estação de rádio à noite escoltado por militares. Enquanto esperavam do lado de fora, Brazel entrou na sala de rádio onde Joyce estava trabalhando. Por um momento não disse uma palavra. Ele se agachou e apoiou as costas na parede. Para Joyce, Brazel estava muito estressado. Apenas disse que se não cooperasse, as coisas não saíram bem. Depois contou a sua nova versão, agora envolvendo o balão e os membros da sua família, que também tocaram nos destroços. Joyce articulou que essa história não era a mesma que ele havia contado anteriormente, mas Brazel insistiu nessa nova versão. Depois de longos minutos antes de deixar a sala de rádio, ele finalizou: Sabe daquela história que as pessoas falam sobre homenzinhos verdes? Bem, eles não são verdes. E foi embora. Os militares não estavam contentes em só controlar as pessoas envolvidas diretamente com o incidente. Eles começaram uma campanha para silenciar as testemunhas civis também. No dia 07 de julho, o xerife George Wilcox dirigiu-se até a casa do pai de 35

16 Thiago Luiz Ticchetti Dennis Glenn. Wilcox disse que Glenn tinha se metido em problemas na base. Ele não sabia o que Dennis havia feito, mas um certo sargento o havia informado na delegacia, e Wilcox deveria alertar seu pai para conversar com o filho, a fim de manter a boca fechada. Quando o pai perguntou-lhe o que havia acontecido, Glenn alegou que não tinha feito nada. Então seu pai mencionou que um sargento negro havia lhe perguntado sobre seus irmãos e irmãs. Ele foi o único a fazer ameaças contra a sua família. Barbara Dugger, neta do xerife Wilcox, também comentou sobre as ameaças que a família de seu avô havia sofrido. Pelo conhecimento do público, Wilcox não teve muito envolvimento com o caso e nem tinha visto nada. Marcel disse que Wilcox só havia ligado para a base naquela data. Mas Dugger sugeriu que ele sabia algo mais. Numa entrevista realizada em março de 1991, Barbara contou que sua avó havia lhe relatado uma intrigante história no início dos anos 70. O xerife havia sido chamado para uma área ao norte de Roswell não no lugar dos destroços, mas mais perto da cidade, onde os corpos e a nave foram encontrados. Ela afirmou que seu falecido avô fora testemunha de tudo. Ela me pediu para não contar para ninguém, então perguntei se minha mãe sabia de alguma coisa, mas ela respondeu que não. Barbara também comentou que seus avós foram ameaçados de morte pelos militares, tal como a família de Glenn. Outro episódio semelhante ocorreu naquele ano, desta vez com Frank Rowe, de apenas 12 anos. Seu pai era tenente dos bombeiros e, certo dia, estava na garagem do Esquadrão quando um grupo de homens apareceu com um pedaço de metal. Seu pai então falou: Amigos, vocês não vão acreditar no que trouxemos. E tirou do seu bolso um pedaço de metal. Era áspero. Todos tentaram cortá-lo, queimá-lo ou arranhá-lo, mas ninguém conseguiu. A parte mais importante da história de Rowe aconteceu alguns dias depois, quando ela estava em casa. Neste dia, toda a família estava reunida quando militares apareceram. Eles mandaram Suzy, Donnie e Pat para fora e perguntaram à sua mãe quem tinha sido a menina que estava no Corpo de Bombeiros no dia em que seu pai havia chegado com o objeto. Sua mãe apontou para Rowe. Um dos soldados levou as outras crianças para fora e mãe e filha ficaram sentadas no sofá. Ele não mediu suas palavras. Disse que poderia nos levar para o deserto e ninguém nunca mais iria nos encontrar. Ou havia outra opção: poderia nos mandar para Orchard Park ou Artesia, nos campos de prisioneiros japoneses. 36

17 Quedas de UFOs Cortesia Nicholas Redfern Documento do FBI desmentindo a afirmação de que o que havia caído em Roswell teria sido um balão meteorológico com refletor de radares. Com uma escuta telefônica ilegal, o órgão ouviu a conversa entre as Bases de Roswell e Wright-Patterson, ambas nos Estados Unidos, para determinar o que houve Voltando à história de Glenn Dennis, depois que ele ouviu as ameaças dirigidas a seu pai, não se intimidou mais, e enquanto o xerife visitava seu pai foi até o hospital da base para obter maiores informações. Ele encontrou uma enfermeira conhecida e perguntou-lhe se poderiam se encontrar mais tarde para conversar. A enfermeira ligou marcando um encontro no clube dos oficiais. Eles conversaram por algum tempo, quando então ela disse a Dennis: Quero te contar o que está acontecendo, mas você tem que prometer que nunca vai relatar para ninguém, ou terei problemas. Não acredito no que vi. É a coisa mais horrível!. Dennis mencionou que a enfermeira sempre levava consigo um bloco de anotações e que numa folha desenhou o que tinha visto. Naquele dia, ela estava trabalhando no hospital e resolveu entrar numa sala de exames para pegar alguns medicamentos. Quando abriu a porta, viu dois médicos nunca antes vistos no hospital. Um deles lhe falou: Fique aqui, vamos precisar de 37

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo Era uma vez a família Rebolo, muito simpática e feliz que vivia na Amadora. Essa família era constituída por quatro pessoas, os pais Miguel e Natália e os seus dois filhos Diana e Nuno. Estávamos nas férias

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

ulher não fala muito Mulher pensa alto

ulher não fala muito Mulher pensa alto ulher não fala muito Mulher pensa alto bla bla PROF. GRETZ Mulher não fala muito. Mulher pensa alto. Reflexões bem humoradas para uma ótima vida a dois Florianópolis 2014 1. Silêncio 7 2. Percepção 13

Leia mais

DAVI, O REI (PARTE 1)

DAVI, O REI (PARTE 1) Bíblia para crianças apresenta DAVI, O REI (PARTE 1) Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

1. O que existe por trás do mundo?

1. O que existe por trás do mundo? Existem vários caminhos para se chegar à verdade. Os raciocínios que acabamos de discutir são apenas alguns deles e, talvez, não sejam completos nem suficientes para muitas pessoas. No entanto, existem

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Local: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial Esta é uma história de mudança que ocorre em um labirinto em que quatro personagens

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus.

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. JÓ Lição 05 1 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. 2. Lição Bíblica: Jô 1 a 42 (Base bíblica para a história e o professor)

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil

INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil INFORMES SETORIAL Aeronáutica fala sobre a segurança nos céus do Brasil A reportagem exibida na semana passada mostrava algumas falhas na comunicação entre o avião monomotor em que estava o nosso repórter

Leia mais

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido.

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Assim que ela entrou, eu era qual um menino, tão alegre. bilhete, eu não estaria aqui. Demorei a vida toda para encontrá-lo. Se não fosse o

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo.

JOÁS, O MENINO REI Lição 65. 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. JOÁS, O MENINO REI Lição 65 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos permanecer fiéis a Deus embora nossos amigos parem de segui-lo. 2. Lição Bíblica: 2 Reis 11; 2 Crônicas 24.1-24 (Base bíblica para a história

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

Portadores. Luz. Por Neale Donald Walsch. Autor de Conversando com Deus

Portadores. Luz. Por Neale Donald Walsch. Autor de Conversando com Deus Portadores da Luz Por Neale Donald Walsch Autor de Conversando com Deus Em memória de Francis H. Treon um Futzu (Mestre) em Gohn Dagow (uma clássica, chinesa, suave, monacal forma de autodesenvolvimento)

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

Nada de telefone celular antes do sexto ano

Nada de telefone celular antes do sexto ano L e i n º1 Nada de telefone celular antes do sexto ano Nossos vizinhos da frente estão passando uma semana em um cruzeiro, então me pediram para buscar o jornal e a correspondência todos os dias, enquanto

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

O passageiro. 1.Edição. Edição do Autor

O passageiro. 1.Edição. Edição do Autor 1 1.Edição Edição do Autor 2012 2 3 Jonas de Paula Introdução Esse conto relata um mal entendido que poderia acontecer com qualquer pessoa em qualquer lugar, tem haver com a questão da globalização e seu

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grátis a um clique! http://www.portaldetonando.com.br

Visite nossa biblioteca! Centenas de obras grátis a um clique! http://www.portaldetonando.com.br Sobre a digitalização desta obra: Esta obra foi digitalizada para proporcionar de maneira totalmente gratuita o benefício de sua leitura àqueles que não podem comprá-la ou àqueles que necessitam de meios

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS

SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS Bíblia para crianças apresenta SAMUEL, O MENINO SERVO DE DEUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Lyn Doerksen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia

Leia mais

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012.

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. MALDITO de Kelly Furlanetto Soares Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. 1 Em uma praça ao lado de uma universidade está sentado um pai a

Leia mais

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10 PÁGINA 1 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10

Leia mais

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação.

por ano para trocar o sangue. Page leu todos os livros do Aleister Crowley. Em 1977, eles já tinham se tornado a banda definitiva de iniciação. O Led Zeppelin sempre foi complicado. Esse era o problema inicial deles. Os shows deles sempre tinham violência masculina. Isso foi um desvio nos anos 1970, que foi uma época muito estranha. Era uma anarquia

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 1 1. Objetivos: Ensinar que quando Moisés aproximou-se de Deus, os israelitas estavam com medo. Ensinar que hoje em dia, por causa de Jesus, podemos nos sentir perto de Deus

Leia mais

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53 Rio de Janeiro Sumário Para início de conversa 9 Família, a Cia. Ltda. 13 Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35 Cardápio de lembranças 53 O que o homem não vê, a mulher sente 75 Relacionamentos: as Cias.

Leia mais

Amar Dói. Livro De Poesia

Amar Dói. Livro De Poesia Amar Dói Livro De Poesia 1 Dedicatória Para a minha ex-professora de português, Lúcia. 2 Uma Carta Para Lúcia Querida professora, o tempo passou, mas meus sonhos não morreram. Você foi uma pessoa muito

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI

Bíblia para crianças. apresenta O SÁBIO REI Bíblia para crianças apresenta O SÁBIO REI SALOMÃO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte:

Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte: Exmos. Senhores. Sou Helena Maria Ferreira de Morais Gusmão, Cliente NOS C827261492, Contribuinte Nr.102 297 878 e venho reclamar o seguinte: Sou cliente desde a época da TVTel nunca, até hoje, mudei de

Leia mais

1 SANews. 2 Noticias LS. 3 Anúncios. 4 (( Servidor ))

1 SANews. 2 Noticias LS. 3 Anúncios. 4 (( Servidor )) 1 SANews 2 Noticias LS 3 Anúncios 4 (( Servidor )) 1 SANews Todos os habitantes de SA, puderam enviar noticias/historias para a nossa redacção ( fórum ). A SANews espera chegar a todos os habitantes de

Leia mais

Homens. Inteligentes. Manifesto

Homens. Inteligentes. Manifesto Homens. Inteligentes. Manifesto Ser homem antigamente era algo muito simples. Você aprendia duas coisas desde cedo: lutar para se defender e caçar para se alimentar. Quem fazia isso muito bem, se dava

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

A Sociedade dos Espiões Invisíveis

A Sociedade dos Espiões Invisíveis A Sociedade dos Espiões Invisíveis Tem dias em que tudo o que mais quero é embarcar na minha rede mágica e viajar para bem longe! Talvez, em algum outro lugar, não me sinta tão, tão... diferente! Eu sei

Leia mais

Profissão: Estudantes de Jornalismo

Profissão: Estudantes de Jornalismo Profissão: Estudantes de Jornalismo Gus Vieira O jornalista tem uma função social bem clara: disponibilizar para a sociedade informação ética, de qualidade e democrática, atendendo ao interesse público.

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

Laudo Pericial. Caso detenção ilegal de advogados Daniel Biral e Silvia Daskal

Laudo Pericial. Caso detenção ilegal de advogados Daniel Biral e Silvia Daskal Laudo Pericial Caso detenção ilegal de advogados Daniel Biral e Silvia Daskal Contextualização do local e da cena. O episódio ocorreu aproximadamente a 70 metros de onde estava acontecendo um debate publico

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

UMA ESPOSA PARA ISAQUE Lição 12

UMA ESPOSA PARA ISAQUE Lição 12 UMA ESPOSA PARA ISAQUE Lição 12 1 1. Objetivos: Ensinar que Eliézer orou pela direção de Deus a favor de Isaque. Ensinar a importância de pedir diariamente a ajuda de Deus. 2. Lição Bíblica: Gênesis 2

Leia mais

A Maior Triagem Odontológica do Mundo. Tá, entendi. Agora, como eu vou fazer isso?

A Maior Triagem Odontológica do Mundo. Tá, entendi. Agora, como eu vou fazer isso? A Maior Triagem Odontológica do Mundo. Em 18 de Março de 2013, o mundo inteiro vai sorrir mais bonito. Neste dia, realizaremos juntos em todo o Brasil, 10 países da América Latina e Portugal a MAIOR TRIAGEM

Leia mais

Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida, e (habitarei) à casa do Senhor enquanto eu viver. (Salmo 23.

Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida, e (habitarei) à casa do Senhor enquanto eu viver. (Salmo 23. Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias da minha vida, e (habitarei) à casa do Senhor enquanto eu viver. (Salmo 23.6) Sei que a bondade e a fidelidade me acompanharão todos os dias

Leia mais

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO FAÇA ACONTECER AGORA MISSÃO ESPECIAL SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO RENATA WERNER COACHING PARA MULHERES Página 1 Q ue Maravilha Começar algo novo

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015

Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015 Segunda-feira, dia 04 de maio de 2015 Pousamos no pequeno aeroporto de Katmandu um pouco depois das 6 da manhã. Apenas três aviões cargueiros estavam no aeroporto e poucas caixas com produtos para a população.

Leia mais

1º Domingo de Agosto Primeiros Passos 02/08/2015

1º Domingo de Agosto Primeiros Passos 02/08/2015 1º Domingo de Agosto Primeiros Passos 02/08/2015 JESUS ESTÁ COMIGO QUANDO SOU DESAFIADO A CRESCER! OBJETIVO - Saber que sempre que são desafiados a crescer ou assumir responsabilidades, Jesus está com

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 A língua, a ciência e a produção de efeitos de verdade Programa Hora de Debate. Campanhas de prevenção contra DST: Linguagem em alerta SOM: abertura (Vinheta de abertura do

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Língua Portuguesa. Nome: ARTE NA CASA

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Língua Portuguesa. Nome: ARTE NA CASA 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Língua Portuguesa Nome: ARTE NA CASA Certo domingo, meus donos saíram e eu passeava distraidamente no jardim, quando vi que tinham esquecido uma janela aberta.

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A.

Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A. Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A. Portugal ISBN 9789892311340 Reservados todos os direitos Edições

Leia mais

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Bíblia para crianças apresenta O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: E. Frischbutter; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

Em um campo inabitado, cheio de flores, em

Em um campo inabitado, cheio de flores, em Para onde foi o meu dinheiro? A fábula das abelhas. Em um campo inabitado, cheio de flores, em uma terra distante, havia uma colméia diferente das demais. Tudo nessa colméia era muito bem organizado, limpo

Leia mais

"A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste"

A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste "A felicidade consiste em preparar o futuro, pensando no presente e esquecendo o passado se foi triste" John Ruskin "O Instituto WCF-Brasil trabalha para promover e defender os direitos das crianças e

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

PROJETO O AR EXISTE? PICININ, Maria Érica ericapicinin@ig.com.br. Resumo. Introdução. Objetivos

PROJETO O AR EXISTE? PICININ, Maria Érica ericapicinin@ig.com.br. Resumo. Introdução. Objetivos PROJETO O AR EXISTE? PICININ, Maria Érica ericapicinin@ig.com.br Resumo O presente projeto O ar existe? foi desenvolvido no CEMEI Juliana Maria Ciarrochi Peres da cidade de São Carlos com alunos da fase

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA

PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA Memorial da Resistência de São Paulo PROGRAMA LUGARES DA MEMÓRIA CEMITÉRIO MUNICIPAL DE AREIA BRANCA Endereço: Avenida Nossa Senhora de Fátima, 768, Areia Branca, Santos,SP. Classificação: Cemitério Identificação

Leia mais

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2 Ficava intrigado como num livro tão pequeno cabia tanta história. O mundo ficava maior e minha vontade era não morrer nunca para conhecer o mundo inteiro e saber muito da vida como a professora sabia.

Leia mais

PACIÊNCIA ZERO. Do atendimento ao cliente chato. De Wellington Rianc Della Sylva

PACIÊNCIA ZERO. Do atendimento ao cliente chato. De Wellington Rianc Della Sylva PACIÊNCIA ZERO Do atendimento ao cliente chato De Wellington Rianc Della Sylva 2013 SINOPSE Você que trabalha ou já trabalhou com atendimento ao usuário por telefone vai dizer que é verdade. Tem usuário

Leia mais

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA DIANA + 3 INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA Pablo, rapaz gordinho, 20 anos, está sentado na areia da praia ao lado de Dino, magrinho, de óculos, 18 anos. Pablo tem um violão no colo.

Leia mais

POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE?

POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE? POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE? Rafael chegou em casa um tanto cabisbaixo... Na verdade, estava muito pensativo. No dia anterior tinha ido dormir na casa de Pedro, seu grande amigo, e ficou com a cabeça

Leia mais

BRINCADEIRA. por. Vinícius Bernardes

BRINCADEIRA. por. Vinícius Bernardes BRINCADEIRA por Vinícius Bernardes baseado na crônica "Brincadeira" de Luís Fernando Veríssimo oliverplentz@gmail.com Copyright (c) 2015 This screenplay may not be used or reproduced without the express

Leia mais

UNIFORMES E ASPIRINAS

UNIFORMES E ASPIRINAS SER OU NÃO SER Sujeito desconfiava que estava sendo traído, mas não queria acreditar que pudesse ser verdade. Contratou um detetive para seguir a esposa suspeita. Dias depois, se encontrou com o profissional

Leia mais

JESUS, MOISÉS E ELIAS Lição 30. 1. Objetivos: Mostrar que Jesus está sobre todas as pessoas porque é o filho de Deus..

JESUS, MOISÉS E ELIAS Lição 30. 1. Objetivos: Mostrar que Jesus está sobre todas as pessoas porque é o filho de Deus.. JESUS, MOISÉS E ELIAS Lição 30 1 1. Objetivos: Mostrar que Jesus está sobre todas as pessoas porque é o filho de Deus.. 2. Lição Bíblica: Mateus 17.1-13; Marcos 2.1-13; Lucas 9.28-36 (Leitura bíblica para

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A PROFISSÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL - V

REFLEXÕES SOBRE A PROFISSÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL - V REFLEXÕES SOBRE A PROFISSÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL - V edilbertodonsantos@gmail.com Vocês já ouviram alguém dizer que polícia é igual criança, quando está perto incomoda e quando está longe faz falta?

Leia mais

Dos quatro investigadores principais da história que estavam

Dos quatro investigadores principais da história que estavam Capítulo 9 Meu envolvimento com o caso Dos quatro investigadores principais da história que estavam envolvidos e liderando as pesquisas quando fizemos a denúncia sobre a morte de Marco Eli Chereze e sua

Leia mais

Mostrei minha obra-prima à gente grande, perguntando se meu desenho lhes dava medo.

Mostrei minha obra-prima à gente grande, perguntando se meu desenho lhes dava medo. I Uma vez, quando eu tinha seis anos, vi uma figura magnífica num livro sobre a floresta virgem, chamado Histórias vividas. Representava uma jiboia engolindo uma fera. Esta é a cópia do desenho. O livro

Leia mais

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO)

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Antes da leitura Peça para que seus alunos observem a capa por alguns instantes e faça perguntas: Qual é o título desse livro?

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

Recomendação Inicial

Recomendação Inicial Recomendação Inicial Este estudo tem a ver com a primeira família da Terra, e que lições nós podemos tirar disto. Todos nós temos uma relação familiar, e todos pertencemos a uma família. E isto é o ponto

Leia mais

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 09 DE JUNHO DE 2014 Às vinte horas do dia nove de junho de dois mil e quatorze, na sede da Câmara Municipal, reuniu-se

ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 09 DE JUNHO DE 2014 Às vinte horas do dia nove de junho de dois mil e quatorze, na sede da Câmara Municipal, reuniu-se ATA DA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 09 DE JUNHO DE 2014 Às vinte horas do dia nove de junho de dois mil e quatorze, na sede da Câmara Municipal, reuniu-se em Sessão Ordinária a totalidade dos Vereadores, sob

Leia mais

Brincar às guerras. Está muito calor para jogar basquete. Vamos fazer outra coisa sugeriu Luke.

Brincar às guerras. Está muito calor para jogar basquete. Vamos fazer outra coisa sugeriu Luke. Brincar às guerras Está muito calor para jogar basquete. Vamos fazer outra coisa sugeriu Luke. Os amigos sentaram-se à sombra do salgueiro a decidir o que fazer. Tens mais balões de água? perguntou Danny.

Leia mais

Argumento para Série Não Conte a Ninguém

Argumento para Série Não Conte a Ninguém UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Curso: 1069/432 - Curso Superior De Tecnologia Em Produção Audiovisual Disciplina: Roteiro para Televisão Professor: Ricardo J. Sekula Turma: Período: 2 Ano/Semestre

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais