A ponte que atravessa o rio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A ponte que atravessa o rio"

Transcrição

1 A ponte que atravessa o rio Patrus Ananias, ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Falar do combate à fome no Brasil requer falar de combate à desigualdade social. Requer compreender que o problema ultrapassa a discussão sobre disponibilidade de alimentos porque sabemos que há pessoas que comem num dia sem saber o que acontecerá no outro e há quem passe fome enquanto assiste a muito desperdício. O genial João Cabral de Melo Neto nos legou o poema-síntese de nossa realidade em Morte e Vida Severina, desenhando ao longo do Rio Capiberibe um contundente retrato dos desafios que se nos apresentam para cumprir a meta estabelecida pelo presidente Lula de erradicar a fome e a miséria no país. O retirante Severino sai da serra da Costela, no profundo sertão de Pernambuco, nos limites da Paraíba, para buscar uma vida menos Severina mais adiante, onde o rio traga abundância em terra fértil. Ele sai de onde o Capiberibe é ainda uma criança fraca e só pode correr quando chove, até chegar ao litoral, onde o rio, forte e perene, rasga o Recife em suas águas a caminho do mar. A fome que doía a alma do retirante na nascente pobre do rio continuou a consumilo também na terra da fartura. Então ele deixou-se tomar pelo desespero sem saber o que fazer quando os vazios da fome / não se tem com o que cruzar. A responsabilidade do Estado é interferir ao longo de todo o trecho do rio para estancar um ciclo que produz a miséria e faz com que tantos vivam uma vida a retalho, cada dia adquirida. Numericamente, disponibilidade de alimentos no Brasil não é o grande problema. Dados da FAO dão conta de que em 2001 atingimos a disponibilidade de calorias/pessoa ao dia; cerca de mil calorias a mais do que o recomendado para o Brasil segundo padrões internacionais de saúde. No entanto, na última Pesquisa de Orçamentos Familiares realizada pelo IBGE, 47% dos adultos brasileiros consideram a quantidade de alimentos adquiridos insuficientes para suas necessidades diárias. Isso acontece principalmente por causa de insuficiência de renda. A comida está disponível, mas nem todo mundo tem acesso em quantidade e qualidade suficiente e nem com a regularidade necessária e a dignidade de escolher o que comer. Temos aí um grave quadro de insegurança alimentar, provocado pela perversa associação da pobreza com desigualdade social, e que o Fome Zero quer combater. É importante entender que o Fome Zero não é um único programa, mas uma estratégia definida pelo governo federal

2 para assegurar a todos o direito humano à alimentação, priorizando as pessoas, famílias e comunidades com dificuldade de acesso aos alimentos. Quando o presidente Lula colocou a estratégia como prioridade de governo, assumiu o desafio de transformar as ações estatais de maneira integrada e articulando com a sociedade para implantar uma política de segurança alimentar. A estratégia do governo consiste em implementar, de maneira integrada e articulada, programas, planos e ações emergenciais e estruturais de modo a promover e proteger as famílias pobres, impedindo que elas resvalem para a indigência. O que queremos é evitar a fome, a total iniqüidade. Partimos, então, do pressuposto de que a fome é parte de um problema maior, estrutural. O mesmo problema que levou o retirante Severino do poema a deixar os limites da Paraíba para procurar vida melhor no litoral. Assim o Fome Zero consolidou-se como o articulador das nossas políticas sociais, unificadas em torno de um projeto de desenvolvimento nacional com vistas à inclusão social; um projeto que vincula desenvolvimento econômico e desenvolvimento social. Nesse projeto, a ação pública é norteada pelo princípio da segurança alimentar e nutricional, nosso ponto de convergência entre várias ações estruturantes, articuladas interministerialmente, entre as esferas de governo e também com amplo diálogo com setores da sociedade civil comprometidos com esse objetivo. Nesses quase dois anos à frente do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, nossas ações seguem esse norte e assim, estamos conseguindo vencer a luta contra a pobreza, contra a fome e a desnutrição. Para as famílias severinas do semi-árido brasileiro, o Fome Zero chega, por exemplo, por meio das cisternas de captação de água de chuva que, junto com o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), ajudam a fixar o homem no campo ao mesmo tempo em que ampliam acesso à comida. Das 200 mil cisternas, cerca de 160 mil foram construídas com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Os R$ 660 milhões investidos no PAA desde 2003, garantiram a compra da produção de 120 mil pequenos produtores e atenderam 6 milhões de pessoas. O PAA está presente em várias regiões no Brasil e, no semi-árido, trabalha também com a modalidade do Programa do Leite, responsável pela compra da produção de 25 mil

3 pequenos produtores e distribuição de leite para 2,7 milhões de pessoas. O leite é comprado daqueles agricultores que produzem não mais do que 100 litros de leite dia, dando a eles o incentivo que faltava para continuar com o trabalho e até mesmo melhorando a produção. Mas como já dizia o saudoso Betinho, quem tem fome tem pressa, o Fome Zero também prevê ações emergenciais para aquelas famílias e comunidades que precisam da ajuda direta do governo para se alimentarem. O programa de distribuição de cestas alimentares, destinado principalmente para famílias sem terra acampadas, comunidades indígenas e quilombolas e comunidades atingidas por barragens, já distribuiu mais de 4 milhões de cestas. Em 2007, a previsão é de empregar R$ 46 milhões para distribuir 915 mil unidades. Nos centros urbanos de médio e grande porte, nós estamos incentivando a criação de sistemas públicos de segurança alimentar, por meio de Restaurantes Populares, bancos de alimentos e cozinhas, hortas e lavouras comunitárias. Temos, prontas ou em construção, 101 unidades de restaurantes populares divididos em todas as regiões do país com capacidade de servir 162 mil refeições por dia, com cardápio variado, alimentos de alta qualidade e a um custo subsidiado. Estamos seguindo os mais vigorosos critérios republicanos para ampliação deste programa, com a aprovação de restaurantes populares em estados e municípios escolhidos por meio de processo de seleção. Além disso, estamos cumprindo a meta de implantar 87 bancos de alimentos, 383 cozinhas comunitárias e 6,5 mil hortas e lavouras comunitárias, envolvendo a comunidade em soluções coletivas para melhorar o acesso a alimentação boa e barata. Dando sustentação a tudo isso, o Bolsa Família vem se consolidando como o maior programa de transferência de renda com condicionalidades da América Latina. São 11 milhões de lares que se beneficiam de uma renda básica para suprir as necessidades mais elementares da formação da dignidade humana. O programa envolve mais de 40 milhões de pessoas e tem sido um importante instrumento para promover a inclusão dessas famílias, de introduzi-las no universo de direitos básicos de cidadania. Os últimos levantamentos dão conta que nas famílias atendidas pelo Bolsa Família, 95% das crianças freqüentam regularmente a escola e 91% de crianças estão com cartão de vacinação rigorosamente em dia.

4 Estamos promovendo a integração do Bolsa Família com o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), o que permite maior alcance dos dois programas. Essa iniciativa atinge o aspecto estrutural do problema as famílias precisam de uma renda básica para manter seus meninos e meninas na escola e isso será feito com pagamento dos benefícios do Bolsa Família. Ao mesmo tempo, redireciona todo recurso hoje previsto para pagamento das bolsas do Peti para financiamento das atividades socioeducativas e de convivência, que são instrumentos de inserção social, oferecendo oportunidade de desenvolvimento integral da criança e do adolescente. Em torno desse núcleo do Fome Zero, outros programas tecem a rede de proteção social que estamos construindo no país. Ainda que não formalmente ligados a essa estratégia, trabalham em regime de integração, formando o suporte necessário para consolidar a estratégia de mudar a realidade da vida Severina daqueles que sempre construíram o Brasil, mas historicamente permaneceram devedores de nosso desenvolvimento. Reconhecer a assistência social como um direito regulamentado pode parecer óbvio porque isso é uma determinação da Constituição Cidadã de 1988 que a institui como direito constitutivo da seguridade social ao lado da saúde e da previdência social. Mas a consolidação desse direito só foi possível de se concretizar agora, por meio do Sistema Único de Assistência Social (Suas), que estamos implantando agora. O Suas significa a superação definitiva de qualquer forma de assistencialismo e clientelismo porque integra as políticas de assistência social e estabelece padrões de atendimento e de qualidade dos serviços prestados em todos os municípios do Brasil, com transferência automática e regular de recursos de fundo a fundo. A referência do Suas são as Casas das Famílias, que dão acompanhamento às famílias pobres, com orientação pedagógica e psicológica e identificando as demandas e carências de cada localidade. Hoje, temos 2,4 milhões de famílias atendidas em 3,2 mil unidades. Para este ano, serão mais 1004 novas casas das Famílias. Do total, 649 serão destinadas a comunidades específicas (quilombolas e populações indígenas). Esse é um programa estratégico, porque concentra o atendimento à família, foco de todos os nossos programas sociais, de modo a oferecer o apoio necessário para evitar dissolução dos núcleos familiares. Na linha de proteção e promoção das famílias, os Benefícios de Prestação Continuada (BPC), com orçamento de R$ 13,5 bilhões,

5 desempenham um papel significativo porque garante uma renda de um salário mínimo ao idoso e ao deficiente físico que não tenha condição de sustento por sua família. Em conjunto com os programas de transferência de renda, esse programa atua em duas linhas: garantem renda básica as famílias carentes e ao mesmo tempo dinamizam as economias locais porque cria novos consumidores. Queremos promover o encontro do Brasil consigo mesmo. Se não é ainda o Brasil dos nossos sonhos sempre queremos um pouco mais, será certamente o país que reconhece o potencial de transformação de seu povo. Queremos que o retirante Severino possa encontrar esperança em qualquer trecho do rio, seja na cabeceira ainda seca, seja no curso da viagem, seja no meio da multidão da cidade grande. Temos de construir as pontes para que nossa gente possa cruzar os vazios da fome. A dificuldade da empreitada é do tamanho do nosso desafio, mas temos de pensar como o Mestre Carpina, aquele que salva o retirante Severino do desespero absoluto: a miséria é mar largo / não é como qualquer poço / mas sei que para cruzá-la / vale bem qualquer esforço.

Ações executadas em 2013 e previsões para 2014

Ações executadas em 2013 e previsões para 2014 Ações executadas em 2013 e previsões para 2014 61 CRAS JÁ LICITADOS E CONTRATADOS EM 2013 Centro de Referência de Assistência Social 18% DE INCREMENTO DE TODA A REDE EXISTENTE INVESTIMENTO DE R$ 23,8 MILHÕES

Leia mais

PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO

PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO PRESIDENTE ALVES OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: Distribuição de leite: Distribuídos 24.420 litros de leite de Jan a Nov/2011 Custo: R$ 34 mil, beneficiando 148 famílias carentes,

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 20 de janeiro de 2017.

Clipping de notícias. Recife, 20 de janeiro de 2017. Clipping de notícias Recife, 20 de janeiro de 2017. Recife, 20 de janeiro de 2017. Recife, 20 de janeiro de 2017. 20/01/2017 Agricultores se reúnem com representantes do Mapa e discutem modelo de assistência

Leia mais

Cadastro Único para Políticas Sociais

Cadastro Único para Políticas Sociais Cadastro Único para Políticas Sociais O que é o Cadastro Único? Políticas Universais Saúde Políticas Contributivas Políticas nãocontributivas e seletivas Educação Previdência Social Cadastro Único O que

Leia mais

Módulo 4 do curso: Diagnóstico Comunitário Participativo.

Módulo 4 do curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Módulo 4 do curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. 1 2 Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Créditos Coordenação: Gleyse Peiter e Marcos Carmona. Modelo do questionário: Marcelo Vale Elaboração

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO TRABALHO, EMPREGO E PROMOÇÃO SOCIAL

SECRETARIA DE ESTADO DO TRABALHO, EMPREGO E PROMOÇÃO SOCIAL COMISSÃO INTERGESTORA BIPARTITE CIB RESOLUÇÃO 007/2004 CIB A Comissão Intergestora Bipartite CIB, em reunião ordinária realizada no dia 23 de novembro de 2004 RESOLVE Art. 1º - Aprovar o documento CRITÉRIOS

Leia mais

Mostra de Projetos Projeto Municipal + Leite das Crianças

Mostra de Projetos Projeto Municipal + Leite das Crianças Mostra de Projetos 2011 Projeto Municipal + Leite das Crianças Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: Projetos Finalizados Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura Municipal de Paranavaí - Secretaria

Leia mais

Oficina Base. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN

Oficina Base. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN Oficina Base A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN Programação da Oficina 10h Histórico da SAN no Brasil 10h40 Intervalo 11h Construindo o conceito de SAN 12h Almoço 14h Check-in da tarde

Leia mais

Brasil Sem Miséria RURAL

Brasil Sem Miséria RURAL Brasil Sem Miséria RURAL O desafio de acabar com a miséria Nos últimos anos, 28 milhões de brasileiros superaram a pobreza; Apesar disso, ainda há 16 milhões de pessoas extremamente pobres no Brasil; Para

Leia mais

A TRADICÃO DE PAULO FREIRE

A TRADICÃO DE PAULO FREIRE A TRADICÃO DE PAULO FREIRE A PESQUISA DO UNIVERSO VOCABULAR TIRADO DE O MENINO QUE LIA O MUNDO VERSÃO DA UNESP Pois Paulo Freire pensou essa pergunta muitas vezes, quando ele começou a pensar em uma forma

Leia mais

Indicadores Físico / Financeiro Produto Unidade de Medida Meta Física Meta Financeira P GERAL UNIDADE 1, ,00

Indicadores Físico / Financeiro Produto Unidade de Medida Meta Física Meta Financeira P GERAL UNIDADE 1, ,00 Programa: 0001 - PROCESSO LEGISLATIVO 01 - CAMARA MUNICIPAL DE NOBRES 001 - CAMARA MUNICIPAL DE NOBRES 01 - CAMARA MUNICIPAL DE NOBRES 001 - CAMARA MUNICIPAL DE NOBRES 01 - CAMARA MUNICIPAL DE NOBRES 001

Leia mais

Pobreza multidimensional: Um proposta instrumental para desenho e avaliação de políticas para sua superação

Pobreza multidimensional: Um proposta instrumental para desenho e avaliação de políticas para sua superação Pobreza multidimensional: Um proposta instrumental para desenho e avaliação de políticas para sua superação Paulo Jannuzzi Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação SAGI/MDS www.mds.gov.br/sagi www.mds.gov.br/sagi

Leia mais

PRATÂNIA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00

PRATÂNIA. OBRAS E AÇÕES Gestão R$ ,00 PRATÂNIA OBRAS E AÇÕES Gestão 2007-2010 2010 R$ 2.870.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 54.840 litros de leite, de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 69 mil, beneficiando 120 famílias

Leia mais

NARANDIBA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00

NARANDIBA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00 NARANDIBA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 7.728.300,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 86.332 litros de leite, no período de Jan/2007 a Fev/2009 Custo: R$ 106 mil, beneficiando 190 famílias

Leia mais

Lista de Siglas e Abreviaturas

Lista de Siglas e Abreviaturas Lista de Siglas e Abreviaturas - ADENE - Agência de Desenvolvimento do Nordeste - APA - Área de Proteção Ambiental - ASA - Projetos de Articulação do Semi-Árido - BDMG - Banco de Desenvolvimento de Minas

Leia mais

Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013

Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013 Fenómenos de pobreza e exclusão social no contexto atual Palmela, 6 de dezembro de 2013 Maria José Domingos Objetivos Sobre a Estratégia 2020 A pobreza e a exclusão social na Europa em números A pobreza

Leia mais

Trabalho de Conclusão da Disciplina-TCD

Trabalho de Conclusão da Disciplina-TCD Trabalho de Conclusão da Disciplina-TCD História Anos 50: Era das proteínas Anos 70: Fiasco da proteínas Natureza multifatorial Descrição Desnutrição Energético- Proteico Definição Causas Ingestão insuficiente

Leia mais

CORUMBATAÍ OBRAS E AÇÕES GESTÃO

CORUMBATAÍ OBRAS E AÇÕES GESTÃO CORUMBATAÍ OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Programa Melhor Caminho: estão sendo recuperados 4,60 km de estradas rurais CBT-342 e CBT-10 Bairro Palmares Bacia Hidrográfica Piracicaba/Capivari/Jundiaí

Leia mais

50 anos de direitos proclamados

50 anos de direitos proclamados 50 anos de direitos proclamados a situação da criança brasileira 1 Léa Tiriba Julho 2009 1 Trabalho apresentado no Ciclo de Debate: escola hoje, promovido pelo MSE (Movimento Sócio-Educativo) e MEDH (Movimento

Leia mais

Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e

Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e étnico/raciais Debate nacional sobre a implantação das políticas

Leia mais

ASPECTOS GENÉRICOS DA TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

ASPECTOS GENÉRICOS DA TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ASPECTOS GENÉRICOS DA TECNOLOGIA DE ALIMENTOS O campo da ciência dos alimentos não é novo, estando nos dias de hoje a se desenvolver como uma importante ciência aplicada. Ela tem recebido novas dimensões

Leia mais

Carga Tributária Líquida

Carga Tributária Líquida Carga Tributária Líquida 19 de dezembro de 2014 Os INFORMATIVOS ECONÔMICOS da Secretaria de Política Econômica (SPE) são elaborados a partir de dados de conhecimento público, cujas fontes primárias são

Leia mais

Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento

Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento 1. Objectivos Relacionar a população e os recursos em países com diferentes níveis de desenvolvimento Identificar os obstáculos ao

Leia mais

Quadro das Dotações Por Órgãos de Governo e Administração (Consolidado) Código Especificação Desp. Correntes Desp.

Quadro das Dotações Por Órgãos de Governo e Administração (Consolidado) Código Especificação Desp. Correntes Desp. Artigo 2º Parágrafo 1º - Item IV da Lei 4.320/64 - (Detalhamento do Programa de Trabalho) Pág. 1 Órgão: 1 - Câmara Municipal de Seritinga Unidade: 01 - Corpo Legislativo Sub-Unidade: - Corpo Legislativo

Leia mais

8 dados que mostram o abismo social entre negros e brancos

8 dados que mostram o abismo social entre negros e brancos 8 dados que mostram o abismo social entre negros e brancos Fonte: Exame.com São Paulo - A população negra brasileira ainda enfrenta um abismo de desigualdade. São os negros as maiores vítimas da violência

Leia mais

Evolução Recente das Contas Públicas no Brasil e Impactos sobre os Municípios. - Prof. Claudio Burian Wanderley-

Evolução Recente das Contas Públicas no Brasil e Impactos sobre os Municípios. - Prof. Claudio Burian Wanderley- Evolução Recente das Contas Públicas no Brasil e Impactos sobre os Municípios - Prof. Claudio Burian Wanderley- Questão relevante para entender o caso brasileiro: Teorema do eleitor mediano. Países democráticos

Leia mais

LISTA DE RETROCESSOS, NO GOVERNO TEMER, ATÉ O MOMENTO

LISTA DE RETROCESSOS, NO GOVERNO TEMER, ATÉ O MOMENTO LISTA DE RETROCESSOS, NO GOVERNO TEMER, ATÉ O MOMENTO Primeiro governo sem mulheres desde a ditadura Extinto o Ministério do Desenvolvimento Agrário Extinto o Ministério de Ciência e Tecnologia (agregou-se

Leia mais

NANTES OBRAS E AÇÕES GESTÃO

NANTES OBRAS E AÇÕES GESTÃO NANTES OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 AGRICULTURA: Casa da Agricultura: celebrado convênio, relativo a municipalização da Casa da Agricultura, atendendo a pequenos e médios agricultores. Vigência: 31/12/2011.

Leia mais

A evolução das políticas sociais brasileiras: do Bolsa Família ao Plano Brasil sem Miséria

A evolução das políticas sociais brasileiras: do Bolsa Família ao Plano Brasil sem Miséria A evolução das políticas sociais brasileiras: do Bolsa Família ao Plano Brasil sem Miséria BRASIL População (est. 2015): 204 milhões de pessoas Área: 8,5 milhões km² República Federativa: 26 estados, 5.570

Leia mais

A agricultura portuguesa apresenta uma diversidade significativa em resultado de uma série de fatores físicos e humanos...

A agricultura portuguesa apresenta uma diversidade significativa em resultado de uma série de fatores físicos e humanos... A agricultura portuguesa apresenta uma diversidade significativa em resultado de uma série de fatores físicos e humanos... FATORES CONDICIONANTES DA AGRICULTURA PORTUGUESA Fatores Naturais Clima (Precipitação,

Leia mais

Curso de Especialização em Educação Pobreza e Desigualdade Social Promoção:Depto Ciências Sociais e MEC

Curso de Especialização em Educação Pobreza e Desigualdade Social Promoção:Depto Ciências Sociais e MEC Curso de Especialização em Educação Pobreza e Desigualdade Social Promoção:Depto Ciências Sociais e MEC Políticas Públicas e Participação Social 13 de maio de 2016 Elza Franco Braga Profª da UFC/ MAPP

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Programa Bolsa Família

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Programa Bolsa Família Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Programa Bolsa Família Brasil na América do Sul População: 175 milhões Área: 8.514.215,3 km² 26 estados e DF 5.562 municípios População pobre: em torno

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Governadora do Estado ROSALBA CIARLINI SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA, DA PECUÁRIA E DA PESCA SAPE.

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Governadora do Estado ROSALBA CIARLINI SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA, DA PECUÁRIA E DA PESCA SAPE. GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Governadora do Estado ROSALBA CIARLINI SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA, DA PECUÁRIA E DA PESCA SAPE. Secretário TARCÍSIO DANTAS BEZERRA INSTITUTO DE ASSISTENCIA

Leia mais

Análise da situação alimentar e nutricional no Brasil. Eduardo Nilson CGAN/DAB/MS

Análise da situação alimentar e nutricional no Brasil. Eduardo Nilson CGAN/DAB/MS Análise da situação alimentar e nutricional no Brasil. Eduardo Nilson CGAN/DAB/MS Grande redução da desnutrição em crianças menores de 5 anos de idade nas últimas décadas: alcance antecipado de meta do

Leia mais

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Determinantes Sociais da Saúde. Professor: Dr. Eduardo Arruda Determinantes Sociais da Saúde Professor: Dr. Eduardo Arruda Conteúdo Programático desta aula Epidemiologia social e os Determinantes Sociais da Saúde (DSS); Principais Iniquidades em Saúde no Brasil;

Leia mais

12 de dezembro de 2016

12 de dezembro de 2016 PNSR Programa Nacional de Saneamento Rural Panorama delimitado pela pesquisa qualitativa os trabalhos de campo 12 de dezembro de 2016 Política Federal de Saneamento Básico / PLANSAB / PNSR O CONCEITO DE

Leia mais

O Ordenamento Fundiário no Brasil. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária

O Ordenamento Fundiário no Brasil. Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária O Ordenamento Fundiário no Brasil Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA MISSÃO Implementar a política de reforma agrária e realizar

Leia mais

Redação. Profª Jullia Godoi

Redação. Profª Jullia Godoi Redação Profª Jullia Godoi CARTA AO LEITOR A Carta do leitor é um tipo de carta (gênero epistolar) veiculada geralmente em jornais e revistas, onde os leitores podem apresentar suas opiniões. OBS: GÊNERO

Leia mais

ARQUIVO DISPONIBILIZADO NA BIBLIOTECA VIRTUAL DO PROJETO REDESAN

ARQUIVO DISPONIBILIZADO NA BIBLIOTECA VIRTUAL DO PROJETO REDESAN ARQUIVO DISPONIBILIZADO NA BIBLIOTECA VIRTUAL DO PROJETO REDESAN http://redesan.ufrgs.br/ Título: TR 07-II Programa de Aquisiçâo de Alimentos Autor: Claudia Romeiro d Ávila. 2011 Palavras Chave: PAA, Agricultura

Leia mais

BOLSA FAMÍLIA: OS IMPACTOS POSITIVOS NAS FAMÍLIAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA NO SETOR AEROPORTO NO MUNICÍPIO DE OURILÂNDIA DO NORTE/PA

BOLSA FAMÍLIA: OS IMPACTOS POSITIVOS NAS FAMÍLIAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA NO SETOR AEROPORTO NO MUNICÍPIO DE OURILÂNDIA DO NORTE/PA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Gezeir Farias da Silva Juliana Sousa Porto Maurício Carlos da Silva

Leia mais

Política Nacional de Assistência Social

Política Nacional de Assistência Social SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL RELATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO 2009 Olímpia SP Se, na verdade, não estou no mundo para simplesmente a ele me adaptar, mas para transformá-lo; se não é possível

Leia mais

AGENDA NACIONAL DE TRABALHO DECENTE PARA A JUVENTUDE. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 27 de junho de 2012

AGENDA NACIONAL DE TRABALHO DECENTE PARA A JUVENTUDE. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 27 de junho de 2012 AGENDA NACIONAL DE TRABALHO DECENTE PARA A JUVENTUDE Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Brasília, 27 de junho de 2012 Esquema da apresentação A. Por que uma agenda de trabalho decente

Leia mais

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DIREITO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Aula 1 Sistema Jurídico dos Direitos da Criança e do Adolescente Prof. Diego Vale de Medeiros 1.1 INTRODUÇÃO Especialização da organização judiciária Contextualização

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO À PRODUÇÃO LEITEIRA Nova Candelária/RS

PROGRAMA DE INCENTIVO À PRODUÇÃO LEITEIRA Nova Candelária/RS MUNICÍPIO DE NOVA CANDELÁRIA - RS PROGRAMA DE INCENTIVO À PRODUÇÃO LEITEIRA Nova /RS Prefeito Municipal: Carlos Alberto Dick Secretário da Agricultura: Jorge Luis Steiger Responsáveis Técnicos: Engº Agrº

Leia mais

ALVINLÂNDIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00

ALVINLÂNDIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO R$ ,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: ALVINLÂNDIA OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2007-2010 R$ 3.849.900,00 distribuídos 65.844 litros de leite, de Jan/2007 a Fev/2009 Custo: R$ 81 mil, beneficiando 174 famílias carentes,

Leia mais

Simpatia das 3 fitas a verdadeira e única. Conheça!

Simpatia das 3 fitas a verdadeira e única. Conheça! Simpatia das 3 fitas a verdadeira e única. Conheça! Uma poderosa simpatia que abrange de uma vez só, 3 áreas da nossa vida: AMOR, Dinheiro e Abundância (do que existir de melhor). Experimente, é super

Leia mais

Perfil Territorial. Salgado - PA. Desenvolvimento Territorial. Dados Básicos do Território

Perfil Territorial. Salgado - PA. Desenvolvimento Territorial. Dados Básicos do Território Salgado - PA O Território Rural Salgado - PA está localizado na região Norte e é composto por 16 municípios: Castanhal, Colares, Curuçá, Igarapé-Açu, Inhangapi, Magalhães Barata, Maracanã, Marapanim, Santa

Leia mais

Cadastro Único de Programas Sociais Seminário Pan- Amazônico de Proteção Social Belém - PA

Cadastro Único de Programas Sociais Seminário Pan- Amazônico de Proteção Social Belém - PA Cadastro Único de Programas Sociais Seminário Pan- Amazônico de Proteção Social Belém - PA Tiago Falcão Secretário da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL PEQUENAS BARRAGENS DE TERRA As barragens de

Leia mais

Uma Reforma Previdenciária Abrangente

Uma Reforma Previdenciária Abrangente Uma Reforma Previdenciária Abrangente Eqüidade x Redistribuição Se a Previdência Social for entendida como Seguro Compulsório visando garantir renda ao indivíduo ou grupo familiar quando da perda da capacidade

Leia mais

Criatividade e Inovação Chaves do Sucesso

Criatividade e Inovação Chaves do Sucesso Criatividade e Inovação Chaves do Sucesso Uma resposta à crise no Distrito de Castelo Branco Promotor do Projecto: Execução do Projecto: 1. O retrato da crise no Distrito 2. A economia social no Distrito

Leia mais

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Bolsa Família na ótica dos direitos humanos. Clóvis Roberto Zimmermann

Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Bolsa Família na ótica dos direitos humanos. Clóvis Roberto Zimmermann Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Bolsa Família na ótica dos direitos humanos Clóvis Roberto Zimmermann Políticas Sociais e os direitos Euzéby (2004) assim como Kaufmann (2003), Abramovich (2005)

Leia mais

PREÇO DO ARROZ E DA CARNE VAI SUBIR NOS PRÓXIMOS MESES

PREÇO DO ARROZ E DA CARNE VAI SUBIR NOS PRÓXIMOS MESES PROFESSOR: EQUIPE DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA E GEOGRAFIA 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ================================================================= PREÇO DO ARROZ E DA CARNE

Leia mais

Resumo de Direito Previdenciário para o INSS

Resumo de Direito Previdenciário para o INSS Resumo de Direito Previdenciário para o INSS 5ª PARTE LEI ORGÂNICA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL A Assistência Social é um dos 3 ramos da Seguridade Social. Diferentemente da Previdência Social, que possui caráter

Leia mais

Cooperativas Sociais. Marcelo Mauad Assessor jurídico da UNISOL/Brasil Professor Universitário Autor do livro: Cooperativas de Trabalho Editora LTr

Cooperativas Sociais. Marcelo Mauad Assessor jurídico da UNISOL/Brasil Professor Universitário Autor do livro: Cooperativas de Trabalho Editora LTr Cooperativas Sociais Marcelo Mauad Assessor jurídico da UNISOL/Brasil Professor Universitário Autor do livro: Cooperativas de Trabalho Editora LTr Ressalva inicial Não se pretende substituir o imprescindível

Leia mais

O Programa de Aquisição de Alimentos - modalidade leite (PAA- Leite) na regional de Arapiraca no agreste alagoano: limites e potencialidades

O Programa de Aquisição de Alimentos - modalidade leite (PAA- Leite) na regional de Arapiraca no agreste alagoano: limites e potencialidades Diversitas Journal ISSN 2525-5215 DOI: 10.17648/diversitas-journal-v1i1.247 Volume 1, Número 1 (jan./abr. 2016) pp: 21-25. www.kentron.ifal.edu.br/index.php/diversitas_journal Diversitas Journal O Programa

Leia mais

POPULAÇÃO DO BRASIL NO CONTEXTO MUNDIAL

POPULAÇÃO DO BRASIL NO CONTEXTO MUNDIAL ARGUMENTO 2017 2º ANO E.M. MÓDULO 2 POPULAÇÃO DO BRASIL NO CONTEXTO MUNDIAL INTRODUÇÃO O estudo da população de qualquer área deve ser iniciado com a obtenção de informações sobre os valores de sua POPULAÇÃO

Leia mais

GESTÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS REGIÃO CENTRO-OESTE. RIO VERDE/GO, 03 e 04 de abril de 2013

GESTÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS REGIÃO CENTRO-OESTE. RIO VERDE/GO, 03 e 04 de abril de 2013 Encontro Regional CONGEMAS GESTÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DO SUAS NOS MUNICÍPIOS REGIÃO CENTRO-OESTE RIO VERDE/GO, 03 e 04 de abril de 2013 Cadastro Único para Programas Sociais Definição Instrumento de identificação

Leia mais

O primeiro suspiro de um poeta insano!

O primeiro suspiro de um poeta insano! 1 O primeiro suspiro de um poeta insano! 2012 2 O primeiro suspiro de um poeta insano Jonas Martins 1ª.Edição..Poesia Todos os direitos reservados ao autor A reprodução total ou parcial desta obra só é

Leia mais

CONQUISTAS SOCIAIS COMPROMISSOS DE UM BRASIL SEM MISÉRIA

CONQUISTAS SOCIAIS COMPROMISSOS DE UM BRASIL SEM MISÉRIA CONQUISTAS SOCIAIS COMPROMISSOS DE UM BRASIL SEM MISÉRIA CONQUISTAS SOCIAIS COMPROMISSO DE UM BRASIL SEM MISÉRIA Brasília, maio de 2016 APRESENTAÇÃO Os resultados das políticas de enfrentamento da extrema

Leia mais

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança

Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Apresentação de Angola na XII Reunião dos Ministros do Trabalho e dos Assuntos Sociais Os Desafios na Protecção Social para alcançar a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 25 de Abril de 2013 Constituição

Leia mais

Produção Local: Estratégias e Desafios Agroal, 18 de Maio de 2016 Um projeto promovido por: Cofinanciado por: Em parceria com: Com o apoio de:

Produção Local: Estratégias e Desafios Agroal, 18 de Maio de 2016 Um projeto promovido por: Cofinanciado por: Em parceria com: Com o apoio de: Políticas globais e estratégias locais para o desenvolvimento sustentável Produção Local: Estratégias e Desafios Agroal, 18 de Maio de 2016 Um projeto promovido por: Cofinanciado por: Em parceria com:

Leia mais

O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de

O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de O Programa Nacional de Reformas constitui um elemento essencial na definição da estratégia de médio prazo que permitirá a Portugal, no horizonte de 2020, lançar um conjunto de reformas estruturais que

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF

PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF C. S. Tecnologia do Agronegócio 3º Semestre PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR PRONAF Acadêmicos: Bruno Farias, Clodinei Uria,Mauricio, Renan Fontoura, Milton Fábrica, Ricardo

Leia mais

Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Percepção sobre pobreza: causas e soluções Assistência Social

Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Percepção sobre pobreza: causas e soluções Assistência Social Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS) Percepção sobre pobreza: causas e soluções Assistência Social SIPS O Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), elaborado pelo IPEA, é uma pesquisa

Leia mais

SOBERANIA ALIMENTAR: Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável e a Erradicação da Pobreza 1

SOBERANIA ALIMENTAR: Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável e a Erradicação da Pobreza 1 SOBERANIA ALIMENTAR: Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável e a Erradicação da Pobreza 1 Resumo: Daine Moreira Madeira 2 Gessica Leite Layber 2 Jane Ellen Vieira Santos 2 Janaina Jesus Ribeiro 2 Lucas

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO SOCIOEDUCACIONAL COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO SOCIOEDUCACIONAL

Leia mais

Matemática Revisão de Decimais

Matemática Revisão de Decimais Matemática Revisão de Decimais Aluno: Ficha: Turma: Data: Material\Fundamental_II\Matemática\F7\F_078 1) Complete o quadro abaixo: Escrita de Números Decimais com algarismos por extenso 1,3 dezoito milésimos

Leia mais

PROGRAMAS FEDERAIS DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA NOVA REPÚBLICA

PROGRAMAS FEDERAIS DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA NOVA REPÚBLICA 1 PROGRAMAS FEDERAIS DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA NOVA REPÚBLICA Márcia Cristina Dalla Costa 1 INTRODUÇÃO: Alimentação e nutrição são direitos humanos pouco garantidos no Brasil. A concretização destes

Leia mais

Responsável pela Candidatura Cargo Departamento Ana Gonçalves / Gestora Inovação & Embaxadora CSR/ Marketing

Responsável pela Candidatura Cargo Departamento Ana Gonçalves / Gestora Inovação & Embaxadora CSR/ Marketing FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Fromageries Bel Portugal, S.A. Diretor(a) Ana Cláudia Sá Setor de Atividade Agro-Indústria Número de Efetivos 521 NIF 503130630 Morada Urbanização João Chagas, nº4b

Leia mais

DIRCE REIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

DIRCE REIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 DIRCE REIS OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 2010 R$ 3.500.000,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 31.615 litros de leite, no período Jan/2007 a Ago/2009 - Custo: R$ 40 mil, beneficiando

Leia mais

PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA

PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA PERFIL DA POLÍTICA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM PONTA GROSSA Secretaria Munic. de Assistência Social Estrutura Ponta Grossa é considerada pelo Sistema Único de Assistência Social como município de

Leia mais

JOÃO RAMALHO. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

JOÃO RAMALHO. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 JOÃO RAMALHO OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 3.304.100,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 45.248 litros de leite, no período de Jan/2007 a Out/2008 Custo: R$ 51 mil, beneficiando 202

Leia mais

POR UMA EDUCAÇÃO QUE O BRASIL

POR UMA EDUCAÇÃO QUE O BRASIL POR UMA EDUCAÇÃO QUE O BRASIL MERECE C E N P E C anos À SERVIÇO DE UMA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE PARA TODOS. O QUE INDICAM OS RESULTADOS DA PESQUISA SOBRE CURRÍCULO Currículos para os anos finais do

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009

PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 PORTARIA INTERMINISTERIAL MDA e MDS e MMA Nº 239 DE 21 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações para a implementação do Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade, e dá outras

Leia mais

PISO 3. T3 FRACÇÃO A ÁREA BRUTA PRIVATIVA 88M2 ÁREA DE VARANDA 14M2 TERRAÇO 20M2

PISO 3. T3 FRACÇÃO A ÁREA BRUTA PRIVATIVA 88M2 ÁREA DE VARANDA 14M2 TERRAÇO 20M2 PISO 3. T3 FRACÇÃO A ÁREA BRUTA PRIVATIVA 88M2 ÁREA DE 1 TERRAÇO 20M2 COZINHA 17M2 11M2 HALL 2M2 3M2 9M2 SALA 28M2 8M2 6M2 RUA LUZ SORIANO TERRAÇO 20M2 TODOS OS ELEMENTOS CONSTANTES NESTE DOCUMENTO SÃO

Leia mais

Ivan Cupertino. Textos selecionados GRILHÕES

Ivan Cupertino. Textos selecionados GRILHÕES Textos selecionados GRILHÕES e nossa voz era um lamento, que subia aos céus evolando-se de nossa alma, e nossos olhos, também negros, reluziam a nossa fé e nosso amor. Nossos medos. e por este motivo fomos

Leia mais

SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO GLOBAL ATRAVÉS DA TRANSFORMAÇÃO ECÔNOMICA E CRIAÇÃO DE EMPREGOS

SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO GLOBAL ATRAVÉS DA TRANSFORMAÇÃO ECÔNOMICA E CRIAÇÃO DE EMPREGOS SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO GLOBAL ATRAVÉS DA TRANSFORMAÇÃO ECÔNOMICA E CRIAÇÃO DE EMPREGOS AGRICULTURA COMERCIAL E A REDUÇÃO DA POBREZA AÇÕES DO GOVERNO PARA ASCENSÃO DE 30 MILHÕES DE BRASILEIROS ACIMA

Leia mais

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 Água Energia Evolução da População Mundial 1950 2011 2050 2,5 bi 7,5 bi 9,3 bi Evolução dos Famintos 1950 2011 2050 0,5 bi 0,9 bi 1,3 bi Alimentos Lixo Pobreza

Leia mais

Os mercados institucionais: mecanismos e modalidades de compras públicas

Os mercados institucionais: mecanismos e modalidades de compras públicas Os mercados institucionais: mecanismos e modalidades de compras públicas Lecian Gilberto Conrad Especialista em cooperativismo e Consultor em Políticas Públicas para a Agricultura Familiar. leciangilberto@yahoo.com.br

Leia mais

Clipping de notícias. Recife, 07 de fevereiro de 2017.

Clipping de notícias. Recife, 07 de fevereiro de 2017. Clipping de notícias Recife, 07 de fevereiro de 2017. Recife,07 de fevereiro de 2017. 03/02/2017 Compras institucionais devem movimentar R$ 260 milhões para a agricultura familiar em 2017 Brasília O

Leia mais

Programa Bolsa Família Desenho, Instrumentos, Evolução Institucional e Impactos. Brasília, 2 de abril de 2014

Programa Bolsa Família Desenho, Instrumentos, Evolução Institucional e Impactos. Brasília, 2 de abril de 2014 Programa Bolsa Família Desenho, Instrumentos, Evolução Institucional e Impactos Brasília, 2 de abril de 2014 O que é? A quem se destina? Qual sua dimensão? Qual o desenho básico do programa? Que desafios

Leia mais

alimentar e nutricional das populações, em especial as mais vulneráveis socialmente. Em nosso país esta realidade torna-se mais agressiva quando

alimentar e nutricional das populações, em especial as mais vulneráveis socialmente. Em nosso país esta realidade torna-se mais agressiva quando CARTA DE PERNAMBUCO No período de 26 a 29 de setembro de 2012 a cidade de Olinda, em Pernambuco sediou o CONBRAN 2012 - XXII Congresso Brasileiro de Nutrição, III Congresso Ibero- americano de Nutrição,

Leia mais

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17 ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha São Paulo junho/17 Estudo VIGITEL 2016* do Ministério da Saúde aponta: brasileiros trocam alimentos naturais por industrializados

Leia mais

Mostra Científica Regional Passo do Sobrado, RS Junho de 2012

Mostra Científica Regional Passo do Sobrado, RS Junho de 2012 Mostra Científica Regional Passo do Sobrado, RS Junho de 2012 2 3 Condição da propriedade Total % ARRENDADA MEEIRO ALUGADA 8,24 14 5,29 9 5,29 9 PRÓPRIA 81,76 139 0 20 40 60 80 100 120 140 4 Grau de Instrução

Leia mais

Biodiesel: produção e benefícios

Biodiesel: produção e benefícios Audiência Pública da Comissão Especial sobre Motores a Diesel para Veículos Leves Biodiesel: produção e benefícios Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia Câmara dos Deputados Brasília DF 2 de março 2016

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E AGROECOLOGIA: UMA REFLEXÃO SOBRE OS DESAFIOS ASSOCIAÇÃO DOS GRUPOS ECOLÓGICOS DE TURVO (AGAECO)

POLÍTICA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E AGROECOLOGIA: UMA REFLEXÃO SOBRE OS DESAFIOS ASSOCIAÇÃO DOS GRUPOS ECOLÓGICOS DE TURVO (AGAECO) POLÍTICA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E AGROECOLOGIA: UMA REFLEXÃO SOBRE OS DESAFIOS ASSOCIAÇÃO DOS GRUPOS ECOLÓGICOS DE TURVO (AGAECO) RESUMO: O presente trabalho traz uma reflexão sobre a Polít (AGAECO). A

Leia mais

Octavas Jornadas sobre Mercado de Trabajo y Equidad en Argentina. A queda recente na desigualdade de renda no Brasil: determinantes e obstáculos

Octavas Jornadas sobre Mercado de Trabajo y Equidad en Argentina. A queda recente na desigualdade de renda no Brasil: determinantes e obstáculos A queda recente na desigualdade de renda no Brasil: determinantes e obstáculos Fernando Gaiger Silveira IPEA/Brasil Buenos Aires, 13 de agosto de 2010 A desigualdade da renda no Brasil diminui de modo

Leia mais

Foto: Alejandra Martins Em apenas 35% das cidades a totalidade das crianças de 0 a 6 anos estão imunizadas (vacinadas) contra sarampo e DTP.

Foto: Alejandra Martins Em apenas 35% das cidades a totalidade das crianças de 0 a 6 anos estão imunizadas (vacinadas) contra sarampo e DTP. 23 Para a maioria dos que nascem no Semi-árido brasileiro, vencer a primeira etapa da vida não é tarefa fácil. Na região, existem poucas condições de infra-estrutura social que garantam às mães uma gestação

Leia mais

População e Povoamento

População e Povoamento População e Povoamento 8º ano Trabalho realizado na Terapia da Fala por Nelson Carvalho Novembro de 2016 Focos populacionais A nível mundial, existem grandes assimetrias (diferenças) de densidade populacional

Leia mais

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro

LEI Nº , DE VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS. Ricardo Carneiro LEI Nº 20.922, DE 16.10.2013 VELHAS NOVIDADES E NOVOS PROBLEMAS Ricardo Carneiro youtu.be/_zmuohub3wo.webloc HISTÓRICO E ESTRUTURA DA LEGISLAÇÃO FLORESTAL BRASILEIRA QUATRO GRANDES NORMATIVAS FLORESTAIS

Leia mais

DESENHO UNIVERSAL 7 PRINCÍPIOS PARA PROJETAR RENATA MELLO ARQUITETA DA DIVERSIDADE

DESENHO UNIVERSAL 7 PRINCÍPIOS PARA PROJETAR RENATA MELLO ARQUITETA DA DIVERSIDADE DESENHO UNIVERSAL 7 PRINCÍPIOS PARA PROJETAR ARQUITETA DA DIVERSIDADE REFLEXÃO USUÁRIOS COMO SENTEM A ARQUITETURA DE HOJE? COMO SENTEM A ARQUITETURA DE HOJE? 1.CONFORTÁVEL??? ELEMENTO: LONGO PERCURSO LAVATÓRIO

Leia mais

TEMPO PARA A FAMÍLIA E PARA A COMUNIDADE. Jörg Garbers Ms. de Teologia

TEMPO PARA A FAMÍLIA E PARA A COMUNIDADE. Jörg Garbers Ms. de Teologia TEMPO PARA A FAMÍLIA E PARA A COMUNIDADE Jörg Garbers Ms. de Teologia Introdução A família hoje talvez é o elo mais fraco na distribuição de tempo. Entre trabalho, lazer próprio, amigos, comunidade e sono

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Senhor Pedro Paulo)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Senhor Pedro Paulo) PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Senhor Pedro Paulo) Acrescenta os parágrafos 18, 19, 20, 21 e 22 ao artigo 2º da lei nº 10.836, de 09 de janeiro de 2004, que cria o Programa Bolsa Família, visando possibilitar

Leia mais

Poluição do Rio Paraibuna

Poluição do Rio Paraibuna MOGI GUAÇU 1ª Avaliação de Geografia Profª Mariane Almeida Data: Nome: Educação Infantil Ensino Fundamental Ensino Médio Pré-vestibular 7 ano EF 3 Trimestre 2012 Valor: 10,0 Nº: Leia com atenção o texto

Leia mais

Iraquara - Cidade das Grutas

Iraquara - Cidade das Grutas Iraquara- BA Iraquara - Cidade das Grutas População-22.601 hab. Área-1.029,407 km 2 Bioma - Caatinga A Rede Municipal de Ensino comporta 35 Escolas, com o total de 5.745 alunos em 2013. A rede atende os

Leia mais

POPULINA. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00

POPULINA. OBRAS E AÇÕES - Gestão R$ ,00 POPULINA OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 2010 R$ 24.151.100,00 AGRICULTURA: Distribuição de Leite: distribuídos 112.845 litros de leite, no período de Jan/2007 a Jul/2009 Custo: R$ 137 mil, beneficiando

Leia mais

REFORMA PREVIDENCIÁRIA GRANDES MUDANÇAS PARA OS RURAIS. Brasília, 18/02/2017

REFORMA PREVIDENCIÁRIA GRANDES MUDANÇAS PARA OS RURAIS. Brasília, 18/02/2017 REFORMA PREVIDENCIÁRIA GRANDES MUDANÇAS PARA OS RURAIS Brasília, 18/02/2017 CONTRIBUIÇÃO O segurado especial passaria a efetuar uma contribuição individual, a ser instituída em lei posteriormente (no prazo

Leia mais

DA MESA A HORTA APRENDO A GOSTAR DE FRUTA E VEGETAIS! Um guia prático para pais e cuidadores de crianças em idade pré-escolar

DA MESA A HORTA APRENDO A GOSTAR DE FRUTA E VEGETAIS! Um guia prático para pais e cuidadores de crianças em idade pré-escolar - DA MESA A HORTA APRENDO A GOSTAR DE FRUTA E VEGETAIS! Um guia prático para pais e cuidadores de crianças em idade pré-escolar Mais do que consumidores, as crianças são influenciadores no processo de

Leia mais