Telefônica Brasil S.A.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Telefônica Brasil S.A."

Transcrição

1 Telefônica Brasil S.A. AVALIAÇÃO ECONÔMICO - FINANCEIRA DA GLOBAL VILLAGE TELECOM S.A. (GVT) PARA FINS SOCIETÁRIOS MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO VOLUME ÚNICO Data Base: Dezembro/2014

2 ÍNDICE 1. SUMÁRIO EXECUTIVO Principais informações e conclusões do laudo de avaliação Critérios adotados e as principais premissas utilizadas Método de avaliação Taxa de desconto utilizada Valor apurado e metodologia de avaliação utilizada OBJETIVO DA AVALIAÇÃO INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA AVALIADORA Instituição responsável pela elaboração do laudo de avaliação Descrição do processo interno de aprovação do laudo de avaliação pela Planconsult Identificação e qualificação dos profissionais responsáveis pelo laudo de avaliação Declaração do avaliador Informações comerciais e creditícias de qualquer natureza que possam impactar o laudo de avaliação Não existência de conflito de interesses EMPRESA AVALIADA E CONTEXTO DO NEGÓCIO Breve histórico da empresa Descrição sumária do mercado de atuação Breve análise do setor onde a empresa atua Premissas macroeconômicas utilizadas na elaboração do laudo; Projetos de investimentos relevantes que tenham sido considerados na avaliação, com indicação dos valores envolvidos e do impacto financeiro VALOR DA COMPANHIA PELOS DIFERENTES CRITÉRIOS CONSIDERAÇÕES SOBRE A METODOLOGIA

3 7. PREMISSAS ADOTADAS PARA O FLUXO DE CAIXA Horizonte Temporal Taxa de desconto Receitas de vendas Custos Operacionais S, G & A (Despesas Administrativas, Comerciais e Outras) Depreciações e amortizações Juros e amortização de empréstimos Investimentos Impostos Variação de Capital de Giro Sinergias Observações quanto à abrangência da avaliação Eventos Subsequentes Sumário das Projeções Operacionais e Financeiras CONCLUSÃO GLOSSÁRIO ANEXOS

4 1. SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Principais informações e conclusões do laudo de avaliação O presente trabalho de avaliação da GVT Participações S.A. ( GVTPar ) e Global Village Telecom S.A. (GVT ou Companhia), que tem como data base 31 de dezembro de 2014, utilizou informações de balanços dos exercícios de 2012 a 2014 e projeções estratégicas, complementadas com outras, documentos, informações e estimativas, tais como, investimentos, endividamento, impostos, despesas administrativas, despesas comerciais e previsão de evolução, fornecidas pelos administradores da GVT e Telefônica Brasil S.A. (Telefônica Brasil). As informações fornecidas são razoáveis e confiáveis e refletem a melhor estimativa à luz de plano de negócios da empresa. Foram realizadas considerações sobre eventos futuros, que podem ser alterados, modificando as conclusões do trabalho. Este laudo de avaliação é emitido no contexto da operação de aquisição, pela Telefônica Brasil, da totalidade das ações de emissão da GVTPar (Operação), titular de 99,96% das ações de emissão da GVT e, portanto, sua controladora direta. A avaliação mencionada neste Laudo foi realizada levando em consideração o fluxo de caixa gerado pela GVT, e, portanto, analisando a GVTPar de forma consolidada. Tendo isto em vista, referências à GVTPar são feitas indistintamente em relação à GVTPar e à GVT e viceversa. A GVTPar, é sociedade holding pura, que detém como único ativo o investimento na GVT. O trabalho realizado pela Planconsult não se constituiu em uma auditoria das informações da GVT fornecidas pela GVT e Telefônica Brasil, sendo a GVT uma sociedade anônima auditada por auditores independentes. As informações processadas não tiveram sua validade e eficácia jurídica analisadas pela Planconsult, pois tal analise foge ao seu âmbito profissional. Não foram igualmente analisadas a validade e exequibilidade dos ônus ou gravames sobre as propriedades da Companhia. No entanto, os valores referentes a ônus ou gravames que nos foram informados pela mesma, foram considerados em nossos trabalhos. Breve Descrição da Operação Nos termos do Fato Relevante divulgado em 18 de setembro de 2014, foi celebrado naquela data, entre Vivendi S.A., Société d Investissements et de Gestion 72 S.A. ( FrHolding72 ), Société d Investissements et de Gestion 108 SAS ( FrHolding108 ), Telefônica Brasil, Telefónica, S.A. e, na qualidade de intervenientes anuentes, GVTPar e GVT, o Stock Purchase Agreement and Other Covenants (Contrato de Compra e Venda de Ações e Outras Avenças) (Contrato de Compra e Venda). Referido Contrato de Compra e Venda tem como objeto a aquisição, pela Telefônica Brasil, da totalidade de ações de emissão da GVTPar, sociedade controladora da GVT, sociedade operacional. 3

5 Como contraprestação pela aquisição das ações da GVTPar pela Telefônica Brasil, esta última pagará parte do preço em recursos financeiros e parte em ações a serem por ela emitidas no âmbito da incorporação das ações de emissão da GVTPar pela Telefônica Brasil, com a correspondente entrega de ações ordinárias e preferenciais de emissão da Telefônica Brasil para a FrHolding108 em substituição às ações da GVTPar incorporadas, observado o número de ações negociado entre as partes e estabelecido no Contrato de Compra e Venda, conforme segue: (i) o valor de EUR ,00 (quatro bilhões, seiscentos e sessenta e três milhões de euros) correspondente á parcela do preço em recursos financeiros será pago à vista e em dinheiro na data de fechamento; e (ii) parte do preço correspondente a ações de emissão da Telefônica Brasil equivalentes a 12% de suas ações ordinárias e 12% de suas ações preferenciais após a incorporação de ações da GVTPar serão entregues à FrHolding108. Estrutura societária da GVTPar Pré Operação Telefónica Público Vivendi Telefônica Brasil GVT 4

6 Estimativa da Estrutura Societária da GVTPar pós Operação Telefônica Telefónica Público Vivendi Telefônica Brasil ampliada GVTPar GVT 5

7 1.2 Critérios adotados e as principais premissas utilizadas A presente avaliação foi desenvolvida sob um ambiente operacional, de acordo com o objetivo social da Companhia. A Companhia tem como objeto social: a prestação de serviços de telecomunicações, inclusive a transmissão de voz, dados e informações; a comercialização de equipamentos e/ou acessórios de telecomunicações e eletroeletrônicos; e a participação em outras sociedades, como acionista ou quotista. As seguintes metodologias podem ser utilizadas na avaliação de uma empresa: a) Preço médio ponderado das ações neste caso não foi utilizada, pois as ações de emissão da GVT não são negociadas em bolsa de valores ou mercado de balcão organizado, e, portanto não é uma base adequada para a avaliação da empresa. b) Valor do patrimônio contábil neste caso não foi utilizada porque focaliza o desempenho passado da empresa e não leva em conta as projeções futuras de potencial de retorno do capital aos acionistas. c) Múltiplos de transações comparativas e de mercado neste caso não foi utilizada em função da empresa não ter ações negociadas em Bolsa. Portanto não é possível estabelecer relação de valores com outras empresas comparáveis. d) Patrimônio Líquido Real (PLR) o PLR é uma fotografia estática e, portanto, descartada. Esta metodologia considera exclusivamente o valor de mercado dos ativos tangíveis e passivos ajustados, a mercado, sem incluir, portanto, valores de mercado dos ativos intangíveis, os quais estão presentes na maioria das empresas em marcha não considerando, portanto, a perspectiva de rentabilidade futura da empresa; e) Fluxo de Caixa Livre para a Empresa (FCFF) é o método utilizado por ser o mais adequado tendo em vista refletir a perspectiva de rentabilidade da empresa e considera o valor dos intangíveis. O trabalho de avaliação da Planconsult utilizou como base as seguintes informações: Demonstrações Financeiras e Balanços Patrimoniais Gerenciais de 2012 a 2014; Perspectivas de evolução dos mercados de atuação da Companhia, fornecida pela GVT e Telefônica Brasil; Informações sobre o planejamento estratégico da Companhia complementadas com outras, tais como investimentos, endividamento, impostos, despesas administrativas, despesas comerciais e previsão de evolução; Discussões com executivos da Telefônica Brasil em relação ao desempenho passado e às expectativas para o futuro dos negócios da GVT. 6

8 Premissas Macroeconômicas do FCFF As premissas macroeconômicas utilizadas na projeção do Fluxo de Caixa Livre foram preparadas em conjunto entre a Planconsult e a Telefônica Brasil, com base em informações públicas na data base de 31/12/2014, e estão descritas abaixo: Fonte Unidade 2015E 2016E 2017E 2018E 2019E 2020E 2021E 2022E 2023E 2024E Taxa de Câmbio Média Bacen R$/US$ 2,71 2,76 2,79 2,86 2,74 2,78 2,88 2,97 3,07 3,17 Final Bacen R$/US$ 2,78 2,81 2,84 2,92 2,74 2,83 2,92 3,02 3,12 3,22 Inflação IPCA Bacen % 6,66% 5,68% 5,73% 5,75% 5,75% 5,75% 5,75% 5,75% 5,75% 5,75% IGP-M Bacen % 6,14% 5,25% 4,50% 4,50% 4,50% 4,50% 4,50% 4,50% 4,50% 4,50% US CPI Gov % 2,30% 2,40% 2,40% 2,40% 2,40% 2,40% 2,40% 2,40% 2,40% 2,40% Diferencial de Inflação Brasil-USA Cálculo % 4,26% 3,20% 3,25% 3,27% 3,27% 3,27% 3,27% 3,27% 3,27% 3,27% Taxa de Juros SELIC Média Bacen % 12,25% 11,67% 10,83% 10,25% 9,50% 9,50% 9,50% 9,50% 9,50% 9,50% TJPL BNDES % 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% 5,00% Produto Interno Bruto Taxa de crescimento anual Bacen % 0,45% 1,75% 2,30% 2,50% 2,50% 2,50% 2,50% 2,50% 2,50% 2,50% Na presente avaliação foi adotado valor na perpetuidade. A avaliação compreende o período explícito do fluxo de caixa entre o dia 1º de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2024, e posteriormente a perpetuidade. Receita de Vendas As receitas de vendas do período explícito do Fluxo de Caixa Livre foram projetadas com base em informações fornecidas pelos administradores da Telefônica Brasil. Essas informações possuem grau de confiabilidade/razoabilidade à luz das práticas de mercado, tendo sido elencadas todas as cidades envolvidas no negócio, tanto aquelas em que a GVT está e as em que poderia estar, e dividas em 4 categorias que nortearam os cenários de projeções: Mercado Maduro (penetração de banda larga é superior a 50% dos domicílios) com NET (atualmente principal concorrente da Telefônica Brasil), Mercado Maduro sem NET, Não Maduro com NET e Não Maduro sem NET. Foram analisados os perfis de cada cidade em relação as estratégias de atuação da Telefônica Brasil e GVT e determinadas as projeções de evolução de receita ao longo do período projetado, com base no comportamento do mercado e penetração da banda larga nos domicílios de cada cidade. As receitas de TV por assinatura, voz e outras foram projetadas proporcionais a receita de banda larga. Foi projetado um crescimento real na perpetuidade de 1,09 % a.a. (Fonte: Bacen referente a média dos 10 menores resultados do PIB nos últimos 20 anos). Custos Operacionais Os custos operacionais (CPV) foram calculados com base nos percentuais sobre a Receita Operacional Bruta, obtidos através dos dados históricos das demonstrações de resultado de 2012, 2013 e 2014, bem como informações gerenciais fornecidas pelos administradores da Telefônica Brasil. 7

9 S, G & A (Despesas Administrativas, Comerciais e Outras) As despesas com vendas, administrativas e gerais foram determinadas de acordo com os dados históricos das demonstrações de resultado de 2012, 2013 e 31 de dezembro de 2014 e informações fornecidas pelas administrações da GVT e Telefônica Brasil. Impostos i. Impostos sobre vendas As projeções foram consideradas a partir da Receita Líquida de Vendas projetada da GVT, ao longo do período explícito do Fluxo de Caixa. ii. Imposto de Renda e Contribuição Social O IR e CSLL foram calculados de acordo com a legislação vigente do regime de lucro real, considerando-se o pagamento no exercício de competência. Juros e amortização de empréstimos Foram considerados os juros e amortizações dos empréstimos tomados pela empresa, de acordo com as condições de cada uma das operações, tanto no curto como no longo prazo, conforme informado pelos administradores da GVT. Ajustes e Contingências Não há ajustes nem contingências a considerar, tendo em vista tratar-se de avaliação da empresa através do FCFF (Fluxo de Caixa Livre para a Empresa). Observações quanto à abrangência da avaliação Não foi considerada, no Fluxo de Caixa Livre em questão, a realização de ativos não operacionais, ou qualquer resultado de caixa oriundo de coligadas ou controladas sem lucros ou de pequeno patrimônio líquido. 1.3 Método de avaliação Dentre os critérios de avaliação, o que consideramos mais adequado à definição do valor da GVT para embasamento do valor econômico da Companhia no mercado, é o de avaliação pelo Fluxo de Caixa Livre, inclusive para o fim de sua incorporação ao patrimônio da Telefônica Brasil, considerando o disposto nos artigos 252 e 256 da Lei 6404/76, conforme alterada. 8

10 1.4 Taxa de desconto utilizada A taxa de desconto foi calculada de acordo com a metodologia de Custo Médio Ponderado de Capital WACC (Weighted Average Cost of Capital) da Telefônica Brasil, com a devida aplicação da técnica CAPM (Capital Asset Princing Model Modelo de Precificação de Ativos). O WACC utilizado na presente avaliação é o da Telefônica Brasil visto que é a empresa que está adquirindo a GVT. O WACC da Telefónica Espanha não foi levado em conta porque inclui outros negócios em diversos países (além do Brasil) e diferentes aos do Brasil. A adoção do WACC da Telefônica Brasil se justifica em função de que a GVT passa a ser administrada sob as políticas e diretrizes da sua adquirente, onde os méritos e riscos no negócio passam a correr por conta da nova Controladora: a Telefônica Brasil. Os critérios utilizados no cálculo do WACC levam conta os dados de indicadores de mercado na data base de 31 de dezembro de 2014, considerando a estrutura de capital da Telefônica Brasil. Os indicadores utilizados no cálculo do WACC se baseiam no retorno histórico de 20 anos dos Títulos do Tesouro Americano e do S&P, beta de empresas comparáveis do setor, o Risco Brasil e o diferencial de inflação entre esses países. Assim, o resultado do WACC considerado na presente avaliação é de 12,535% (taxa nominal). 1.5 Valor apurado e metodologia de avaliação utilizada O resultado da presente avaliação foi determinado com base no critério de rentabilidade futura, através da metodologia do fluxo de caixa descontado, que estabeleceu o valor de R$ 26,4 bilhões, conforme indicado no quadro a seguir: Discriminação Resultado do Fluxo de Caixa Livre Taxa de Desconto (WACC) 12,535% Taxa de crescimento real na Perpetuidade 1,090% Valor do período explícito de projeção R$ mil ,8 Valor na Perpetuidade R$ mil ,6 VALOR TOTAL DA EMPRESA R$ mil ,4 9

11 De forma a atender ao artigo 256 da Lei 6404/76, foi estabelecido um intervalo de valor entre R$ 24,7 bilhões e R$ 28,3 bilhões, suportado pela análise de sensibilidade efetuada no WACC e no crescimento da perpetuidade, conforme indicado no quadro a seguir: Discriminação Valor mínimo Valor máximo Taxa de Desconto (WACC) 12,735% 12,335% Taxa de crescimento real na Perpetuidade 0,590% 1,590% Valor do período explícito de projeção R$ mil Valor na Perpetuidade R$ mil VALORES DA EMPRESA R$ mil

12 2. OBJETIVO DA AVALIAÇÃO A PLANCONSULT Planejamento e Consultoria Ltda (Planconsult) foi contratada pela Telefônica Brasil para avaliar o valor das ações da empresa GVT, por seu valor econômico, para a data base de 31 de dezembro de 2014, inclusive para o fim de sua incorporação ao patrimônio da Telefônica Brasil. De acordo com o disposto no artigo Parágrafo 1º, combinado com o artigo 8º da Lei 6404/76, conforme alterada, a presente avaliação também servirá como base para a (i) a aprovação da aquisição da GVTPar pela Assembleia Geral da Telefônica Brasil, nos termos do artigo 256 da Lei 6404/76, conforme alterada; e (ii) a determinação do valor do aumento de capital da Telefônica Brasil a ser realizado em decorrência da incorporação das ações da GVTPar pela Telefônica Brasil nos termos do artigo 252 da Lei 6404/76, conforme alterada. Importante mencionar que a avaliação mencionada neste Laudo foi realizada levando em consideração o fluxo de caixa gerado pela GVT, por tratar-se esta, empresa operacional. A GVTPar, é sociedade holding pura, que detém como único ativo o investimento na GVT. Tendo isto em vista, referências à GVTPar são feitas indistintamente em relação à GVTPar e à GVT e vice-versa. A avaliação foi conduzida com base no critério de rentabilidade futura, utilizando o método do Fluxo de Caixa Descontado a Valor Presente, utilizando-se como taxa de desconto o WACC (Weighted Average Cost of Capital) o qual contempla a determinação do Valor Total da Empresa FCFF (Free Cash Flow to Firm). 3. INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA AVALIADORA 3.1 Instituição responsável pela elaboração do laudo de avaliação A Planconsult é uma empresa que tem como foco clientes de médio e grande porte, especializada em avaliação econômico-financeira de empresas, bem como avaliação e gestão de ativos imobilizados. Nesse sentido a empresa possui uma grande experiência de sucesso com nossos clientes, há mais de 38 anos. Possui uma vasta experiência na avaliação de grandes empresas em que o conjunto de bens patrimoniais abrange um universo muito vasto, tanto em termos qualitativos como quantitativos. A Planconsult é cadastrada em diversos órgãos públicos brasileiros para a avaliação de ativos fixos e avaliações econômico-financeiras de grandes empresas, estando os mesmos renovados e válidos. Também possuímos tradição na aprovação de nossos trabalhos junto à CVM (Comissão de Valores Mobiliários Brasil), SEC (Securities Exchange Comission - EUA), USGAAP e IASC. Exemplos são os trabalhos no lançamento de ADRs da VCP, OPA da CIMPOR e da Construtora Adolfo Lindenberg, constituição das holdings da Telefônica e Portugal Telecom no Brasil, Avaliações Econômico-financeiras da CSN (Casa de Pedra), Metalúrgica Prada, NAMISA, VIVO e Telefônica Brasil, além da Avaliação de Patrimônio Líquido Real a Valor de Mercado (PLR) da VIVO, Telefônica PERDIGÃO, BATAVIA, ELEVA, entre outras. A Planconsult possui comprovada experiência na avaliação econômico-financeira de empresas dos mais diversos segmentos. Entre os projetos realizados, podemos citar: 11

13 EMPRESA 1) Alicante Comércio, Importação e Exportação Ltda. 2) Allied S.A. 3) Aricanduva S.A. 4) Banco do Brasil - BB Banco de Investimentos S.A. Brasilveículos Companhia de Seguros Brasilcap Capitalização S.A. Companhia de Seguros Aliança do Brasil Brasilsaúde Companhia de Seguros Brasilprev Seguros e Previdência S.A. 5) Braskem S.A. 6) BRINOX Metalúrgica Ltda. 7) Bunge Fertilizantes S/A Fertilizantes Fosfatados S/A - Fosfértil FosBrasil S/A. 8) CCL Label do Brasil 9) Companhia Siderúrgica de Mogi das Cruzes - COSIM 10) Company S.A. 11) CSN Companhia Siderúrgica Nacional Cia. Metalúrgica Prada Mineração Casa de Pedra 12) CPFL Geração de Energia S.A. 13) Damovo do Brasil S.A. 14) DIPIL Indústria Química Dipil Ltda. 15) ENESA Engenharia S.A. 16) Elevadores Atlas Schindler S.A. 17) Empresas Perdigão (incluindo ELEVA) 18) Fibra Experts Empreendimentos Imobiliários Ltda. 19) Fosfértil Fertilizantes Fosfatados S.A. 20) GEP Indústria e Comércio Ltda. 21) Givaudan do Brasil Ltda. 22) Grupo Camargo Corrêa Camargo Corrêa Industrial S.A. Cimento Cauê S.A. 23) Grupo Cimpor Companhia de Cimentos do Brasil (CCB) Companhia de Cimento Atol Companhia Paraíba de Cimento Portland (Cimepar) Cimento Brumado S.A. 12

14 EMPRESAS 24) Grupo Electrolux (Prosdócimo, Electrolux e WAP) 25) Grupo Eucatex 26) Grupo Julio Simões Lubiani Transportes Ltda. Original Veículos Ltda. 27) Gurpo LTM 28) Grupo Marchesan Marchesan Implementos e Máquinas Agrícolas "Tatu" S/A Marchesan Agro Industrial e Pastoril S/A 29) Grupo Votorantim Companhia de Cimento Portland Itaú Geral de Concreto S.A. Votorantim Celulose e Papel S.A. 30) Grupo Telefônica Adquira do Brasil Ltda. Katalyx Cataloguing do Brasil Ltda. Katalyx do Brasil Ltda. Katalyx Transportation do Brasil Ltda. 31) GuardeAqui Self Storage 32) Helbor Empreendimentos S.A. 33) Henkel do Brasil Indústrias Químicas Ltda. 34) Hispamar Satélites S/A 35) Hypermarcas S/A. DM Farmacêutica Ltda. Assolan Quimivale Industrial Ltda. Etti Produtos Alimentícios Ltda. Sul Química Ltda. FINN Administração de Marcas Ltda. ÉH Cosméticos S.A. 36) Indústrias Gessy Lever Ltda. 37) Lindencorp Desenvolvimento Imobiliário S.A 38) LOCAR Transportes Intermodais S.A. 39) LOG-IN Logística Intermodal S/A 40) Lojas Americanas S.A. 41) Maersk Brasil Brasmar Ltda. 42) MLS Wireless S.A. 43) NAMISA Nacional Minérios S/A 13

15 EMPRESAS 44) Orema Indústria e Comércio Ltda. 45) Profarma Distribuidora de Produtos Farmacêuticos S.A 46) Qualcomm do Brasil Ltda. 47) PAV Indústria e Comércio Ltda. 48) Grupo Politeno: Politeno Ind. e Com. S.A. e Politeno Linear Ind. e Com. S.A. 49) PROGEN Projetos Gerenciamento e Engenharia Ltda. 50) Schneider Electric Participações Ltda. 51) Scopel Desenvolvimento Urbano S.A. 52) SIN Sistema de Implante Nacional Ltda. 53) SONDA PROCWORK Informática Ltda. 54) Sur Tec do Brasil Ltda. 55) Tallento Engenharia Ltda. 56) Transportadora Grande ABC Ltda. 57) TRIKEM S.A. e Salgema Indústrias Químicas S.A. 58) Tópico Centro Logístico 59) Ultrafétil S.A. 60) VIVO telefonia celular: Tele Leste Celular Participações S.A.: Telebahia e Telergipe Tele Sudeste Celular Participações S.A.: Telerj e Telest Celular CRT Participações S.A.: CRT Telesp Celular Participações S.A.: Telesp e Global Telecom Tele Centro Oeste Participações S.A.: Telegoiás, Telemat, Telems, Teleron, Teleacre, NBT, TCO IP Telemig Celular S.A. e Telemig Celular Participações S.A. VIVO Celular S.A. e VIVO Participações S.A. Além da capacitação e know-how, instalações, pessoal e sistemas de computadores próprios (hardware e software) já desenvolvidos e comprovados, possui a necessária e imprescindível experiência em fusões, aquisições e reorganizações de empresas, realizando: I. Avaliações de empresas e negócios: Avaliações econômico-financeiras DCF (inclusive amortização de ágio); Avaliações de Patrimônio Líquido Real a valores de mercado; Avaliações de Patrimônio Líquido a valor contábil. II. Avaliações de ativos fixos e intangíveis, inclusive para fins de seguro. III. Projetos de viabilidade econômico-financeira e Business Plan. IV. Due diligences técnicas e financeiras. V. Inventários físicos, implantações e remodelação de dados para controle de ativos fixos. 14

16 3.2 Descrição do processo interno de aprovação do laudo de avaliação pela Planconsult O processo interno de avaliação e aprovação do trabalho ora apresentado deu-se através de um comitê formado por analistas, gerentes e sócios da Planconsult, além de consultores externos à empresa, com formação acadêmica nas áreas de administração de empresas, economia e contabilidade. Tal comitê aprovou o laudo em epígrafe a partir da exposição realizada pelos analistas, gerentes e o sócio-diretor responsável pela elaboração do trabalho. 3.3 Identificação e qualificação dos profissionais responsáveis pelo laudo de avaliação 15

17 3.4 Declaração do avaliador Este Laudo de Avaliação Econômico-Financeira foi preparado pela Planconsult com base em informações fornecidas pelos administradores da GVT e Telefônica Brasil, incluindo demonstrativos gerenciais contábeis e financeiros da empresa para a data base de 31 de dezembro de 2014, sendo certo que a Planconsult tomou todas as cautelas e agiu com elevados padrões de diligência de forma a requisitar que as informações fornecidas pelas empresas sejam verdadeiras e consistentes. Essas informações possuem grau de confiabilidade/razoabilidade à luz das práticas de mercado. Não obstante, não há garantias de que tais informações sejam corretas e completas. Também foram consideradas informações públicas, tais como taxas de juros, premissas macroeconômicas, projeções de crescimento da empresa, etc. A Planconsult não conduziu qualquer processo de auditoria legal, contábil ou qualquer outra nem investigou, de forma independente, as informações disponibilizadas para fins da elaboração do Laudo de Avaliação Econômico-Financeira. Assim sendo, os impactos de qualquer auditoria ou investigação não foram considerados neste trabalho e a Planconsult não assume qualquer responsabilidade pela veracidade, precisão ou extensão das informações obtidas, nem em relação à forma como elas foram elaboradas. A Planconsult foi assegurada pela Companhia que todas as Informações fornecidas são completas, corretas e suficientes, que todas as Informações fornecidas foram preparadas de forma razoável e que refletem as melhores estimativas e avaliações na época em que foram disponibilizadas e o melhor juízo por parte da administração da Companhia quanto ao seu desempenho financeiro futuro. 3.5 Informações comerciais e creditícias de qualquer natureza que possam impactar o laudo de avaliação Foram feitas considerações sobre eventos futuros, que poderão sofrer alterações, modificando as conclusões do trabalho. Não há quaisquer garantias de que quaisquer das premissas, estimativas, projeções, resultados parciais ou totais ou conclusões utilizadas ou apresentadas neste Laudo de Avaliação Econômico-Financeira serão efetivamente alcançados ou virão a se verificar, total ou parcialmente. Os resultados finais verificados poderão ser diferentes das projeções, e estas diferenças podem ser significativas, podendo, ainda, ser impactados, entre outros, pelas condições de mercado. Portanto, não existe nenhuma garantia por parte da Planconsult quanto à concretização ou não das projeções presentes neste documento, especialmente aquelas cuja ocorrência depende de eventos futuros e incertos. Essas considerações sobre eventos futuros, a despeito de poderem sofrer alterações, refletem a melhor estimativa possível diante dos elementos presentes. As informações processadas não tiveram sua validade e eficácia jurídica analisadas pela Planconsult, pois tal análise foge ao seu âmbito profissional. Não foram igualmente analisadas a validade e exequibilidade dos ônus ou gravames sobre as propriedades da Empresa. A Planconsult, portanto, não assume qualquer responsabilidade sobre matéria legal, de engenharia ou finanças, além das implícitas no exercício de suas funções específicas no caso, precipuamente estabelecidas em leis, códigos ou regulamentos próprios. 16

18 As equipes da GVT e Telefônica Brasil ou qualquer um de seus controladores, de nenhum modo, direcionou, limitou, dificultou ou praticou quaisquer atos que tenham comprometido o acesso, a utilização ou o conhecimento de informações, bens, documentos ou metodologias de trabalho relevantes para a qualidade do trabalho, tendo declarado que todos os documentos, e/ou outras informações existentes para a realização dos trabalhos e qualidade das respectivas conclusões foram colocados à disposição da Planconsult. Deve ser bem ressaltado que todos os valores considerados neste trabalho foram uniformizados como valores à vista, para a data-base de 31 de dezembro de Não existência de conflito de interesses A Planconsult, bem como seus sócios, diretores e demais funcionários não têm interesse direto ou indireto na GVT e na Telefônica Brasil, em relação à matéria envolvida neste Laudo de Avaliação e tampouco dele auferem qualquer vantagem, não havendo qualquer conflito ou comunhão de interesses, atual ou potencial, que lhe diminuam a independência necessária ao desempenho de suas funções ou que os impeça de preparar este laudo, incluindo, exemplificativamente, com os controladores da GVT e da Telefônica Brasil. No melhor conhecimento e crédito da Planconsult, as análises, opiniões e conclusões expressas no presente Laudo de Avaliação, são baseadas em dados, pesquisas e levantamentos verdadeiros e corretos. O Laudo de Avaliação apresenta todas as condições limitativas impostas pelas metodologias adotadas, que afetam as análises, opiniões e conclusões contidas nos mesmos. Os honorários profissionais da Planconsult não estão, de forma alguma, sujeitos às conclusões deste Laudo de Avaliação. Para elaboração deste Laudo de Avaliação, a Planconsult utilizou informações e dados auditados e não auditados por terceiros, fornecidos por escrito, ou verbalmente, pela administração da empresa, ou obtidos das fontes mencionadas. Sendo assim, a Planconsult, assumiu como verdadeiras as informações e dados gerenciais fornecidos pela GVT e Telefônica Brasil, não tendo qualquer responsabilidade com relação à sua veracidade. São Paulo, 27 de Abril de Planconsult Planejamento e Consultoria Ltda. CREA: SP CRA: E SP CORECON: RE / 2849 SP EDGAR VICTOR SALEM CREA: CRA: SP EDGAR VICTOR SALEM JUNIOR CRA: SP MARCOS BENEDITO JORGE CORECON: SP 17

19 4. EMPRESA AVALIADA E CONTEXTO DO NEGÓCIO 4.1 Breve histórico da empresa A GVT é uma sociedade anônima de capital fechado, com prazo de duração indeterminado, regida pelo seu Estatuto Social e pelas disposições legais aplicáveis, com sede na cidade de Maringá, Estado do Paraná, na Rua João Paulino Vieira Filho, n 752, CEP CNPJ: / NIRE: A Companhia tem como objeto social: a prestação de serviços de telecomunicações, inclusive a transmissão de voz, dados e informações; a comercialização de equipamentos e/ou acessórios de telecomunicações e eletroeletrônicos; e a participação em outras sociedades, como acionista ou quotista. O Capital Social da GVT, totalmente subscrito e integralizado, é de R$ ,00 (um bilhão, novecentos e dezenove milhões, duzentos e oitenta mil, trezentos e cinquenta e quatro reais), representado por (um bilhão, novecentos e dezenove milhões, duzentos e oitenta mil, trezentos e cinquenta e quatro) ações ordinárias nominativas e sem valor nominal, distribuído entre os acionistas da seguinte forma: a) GVTPar possui (99,96%) ações e b) SIG 72 possui (0,04%) ações. Balanço Patrimonial da Companhia 2012, 2013 e 2014 Valores em R$ mil ATIVO ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades Contas a receber Impostos a recuperar/compensar Despesas antecipadas Outras contas a receber REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Impostos diferidos Impostos a recuperar Outras contas a receber ATIVO PERMANENTE IMOBILIZADO LÍQUIDO INTANGÍVEL TOTAL DO ATIVO

20 Valores em R$ mil PASSIVO PASSIVO CIRCULANTE Fornecedores ICMS diferido a pagar Empréstimos e Financiamentos Obrigações sociais e fiscais Empréstimos com partes relacionadas Provisões para contingências Dividendos a pagar Tráfego a pagar (DETRAF) Imposto de renda e constibuição social a pagar Outras contas a pagar EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos e Financiamentos Receitas diferidas Empréstimos com partes relacionadas Provisão custos com desmontagem ativo imobilizado Tráfego a pagar (DETRAF) ICMS diferido a pagar Adiantamento para aumento de capital Provisão para contingências Outras contas a pagar PATRIMÔNIO LÍQUIDO CAPITAL SOCIAL RESERVA DE CAPITAL RESERVA DE LUCROS SUBVENÇÃO DE INCENTIVOS FISCAIS OPÇÕES OUTORGADAS RECONHECIDAS AJUSTES DE VARIAÇÃO PATRIMONIAL TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO Valores em R$ mil Discriminação RECEITA LÍQUIDA DE VENDAS CUSTO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS VENDIDOS - CPV+CSP S, G & A RESULTADO OPERACIONAL RESULTADO ANTES DO IR/CSLL PROV. PARA IRPJ/CONT.SOCIAL RESULTADO DO EXERCÍCIO

TELEFÔNICA BRASIL S.A.

TELEFÔNICA BRASIL S.A. PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO DE AÇÕES E INSTRUMENTO DE JUSTIFICAÇÃO DE GVT PARTICIPAÇÕES S.A. POR TELEFÔNICA BRASIL S.A. DATADO DE 12 DE MAIO DE 2015 TEXT_SP/9643470v13/2523/923 PROTOCOLO DE INCORPORAÇÃO

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO DA HFF PARTICIPAÇÕES S.A.

LAUDO DE AVALIAÇÃO DA HFF PARTICIPAÇÕES S.A. LAUDO DE AVALIAÇÃO DA HFF PARTICIPAÇÕES S.A. MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA VOLUME ÚNICO Dezembro/2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...2 2. APRESENTAÇÃO DA HFF E DO ATIVO SADIA...2 3. CONSIDERAÇÕES SOBRE A METODOLOGIA...5

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO DA EMPRESA

LAUDO DE AVALIAÇÃO DA EMPRESA SADIA S.A. LAUDO DE AVALIAÇÃO DA EMPRESA MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA VOLUME ÚNICO Dezembro/2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. APRESENTAÇÃO DA SADIA... 2 3. CONSIDERAÇÕES SOBRE A METODOLOGIA... 5 4. PREMISSAS

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

VIVO PARTICIPAÇÕES S/A

VIVO PARTICIPAÇÕES S/A VIVO PARTICIPAÇÕES S/A LAUDO DE AVALIAÇÃO DE PATRIMÔNIO LÍQUIDO REAL A VALORES DE MERCADO RESUMO EXECUTIVO Dezembro/2010 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 3 3. METODOLOGIA... 4 4. PROCEDIMENTOS...

Leia mais

CRITÉRIOS / Indicadores

CRITÉRIOS / Indicadores CRITÉRIOS / Indicadores A lista de conceitos desta MELHORES E MAIORES Os valores usados nesta edição são expressos em reais de dezembro de 2014. A conversão para dólares foi feita, excepcionalmente, com

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Laudo de Avaliação da Ferronorte. Data Base: Novembro de 2004

Laudo de Avaliação da Ferronorte. Data Base: Novembro de 2004 Laudo de Avaliação da Ferronorte Data Base: Novembro de 2004 Contexto Os administradores da Brasil Ferrovias nos solicitam a avaliação do preço das ações da Ferronorte a serem emitidas no aumento de capital

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Vivo Participações S/A (Nova Denominação Social da Telesp Celular Participações S/A)

Vivo Participações S/A (Nova Denominação Social da Telesp Celular Participações S/A) Vivo Participações S/A (Nova Denominação Social da Telesp Celular Participações S/A) 1ª Emissão de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2006 Vivo Participações S/A (Nova Denominação

Leia mais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais Conteúdo 1 Introdução... 1 2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais... 1 3 Questão 32 Natureza das contas... 3 4 Questão 33 Lançamentos - Operações de captação de recursos... 4 5 Questão

Leia mais

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 F A TO RELEV A N TE

TELEFÔNICA BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.157/0001-62 - NIRE 35.3.001.5881-4 F A TO RELEV A N TE F A TO RELEV A N TE A Telefônica Brasil S.A. ("Companhia" ou Telefônica Brasil ), na forma e para os fins das Instruções CVM nºs 319/99 e 358/02, conforme alteradas e, em complementação aos Fatos Relevantes

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 19/02/2010 CETIP S.A BALCÃO ORGANIZADO DE ATIVOS E DERIVATIVOS A Companhia A CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos ( Companhia ou CETIP ) opera o maior Mercado Organizado para Ativos de

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

Quanto vale FINANÇAS. Miguel A. Eiranova é diretor da área de corporate finance da Price Waterhouse, firma que integra a PricewaterhouseCoopers.

Quanto vale FINANÇAS. Miguel A. Eiranova é diretor da área de corporate finance da Price Waterhouse, firma que integra a PricewaterhouseCoopers. Quanto vale O preço de uma empresa, referência fundamental nas negociações de qualquer tentativa de fusão ou aquisição, nunca é aleatório. Ao contrário, sua determinação exige a combinação da análise estratégica

Leia mais

Preço Médio Ponderado das Ações 39. Fluxo de Caixa Descontado 42. Valor do Patrimônio Líquido Contábil 56

Preço Médio Ponderado das Ações 39. Fluxo de Caixa Descontado 42. Valor do Patrimônio Líquido Contábil 56 Preço Médio Ponderado das Ações 39 Fluxo de Caixa Descontado 42 Valor do Patrimônio Líquido Contábil 56 1. A Ceres Inteligência Financeira Ltda. Participações em Ativos de Energia Elétrica - 2. A CERES

Leia mais

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor Reestruturação Societária Grupo Criando Valor Novembro, 1999 Índice 8 Visão Geral da Reestruturação 2 8 Passos da Reestruturação 3 8 Benefícios da Reestruturação 4 8 Bases da Reestruturação 5 8 As Relações

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda. Suas unidades de negócio estão divididas em:

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda. Suas unidades de negócio estão divididas em: 23/04/2010 FERTILIZANTES FOSFATADOS S.A. - FOSFERTIL A Companhia COMPRA Código em Bolsa FFTL4 Setor FERTILIZANTES Cotação em 08/04/10 R$ 17,27 Preço Alvo R$ 28,43 Potencial de Valorização 64,61% Valor

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

Roteiro para elaboração de laudo de avaliação de empresa

Roteiro para elaboração de laudo de avaliação de empresa Roteiro de Laudo de Avaliação A elaboração de um Laudo de Avaliação de qualquer companhia é realizada em no mínimo 5 etapas, descritas sumariamente a seguir: 1ª. Etapa - Conhecimento inicial do negócio

Leia mais

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ).

Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 25 de Outubro de 2005. Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ). (Os

Leia mais

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008

AGENTE E ESCRIVÃO DA POLÍCIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Data: 07/12/2008 Alterações da Lei 6404/76 Lei 11638 de 28 de dezembro de 2007 Lei 11638/07 que altera a Lei 6404/76 Art. 1o Os arts. 176 a 179, 181 a 184, 187, 188, 197, 199, 226 e 248 da Lei no 6.404, de 15 de dezembro

Leia mais

Relatório de Avaliação Companhia de Saneamento do Paraná SANEPAR

Relatório de Avaliação Companhia de Saneamento do Paraná SANEPAR Relatório de Avaliação Companhia de Saneamento do Paraná SANEPAR 24 de julho de 2013 Este material não deverá ser utilizado ou servir de base para quaisquer propósitos que não os especificados em acordo

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

2010 Incapital Finance - 3

2010 Incapital Finance - 3 METODOLOGIAS PARA AVALIAÇÃO DE EMPRESAS BELO HORIZONTE - MG Apresentação: Palestra Fusões e Aquisições Cenários e Perspectivas Valuation Metodologias e Aplicações Desenvolvimento: Índice: 1. Introdução

Leia mais

ELEVA ALIMENTOS S.A. LAUDO DE AVALIAÇÃO DE PATRIMÔNIO LÍQUIDO REAL A VALORES DE MERCADO RESUMO EXECUTIVO

ELEVA ALIMENTOS S.A. LAUDO DE AVALIAÇÃO DE PATRIMÔNIO LÍQUIDO REAL A VALORES DE MERCADO RESUMO EXECUTIVO ELEVA ALIMENTOS S.A. LAUDO DE AVALIAÇÃO DE PATRIMÔNIO LÍQUIDO REAL A VALORES DE MERCADO RESUMO EXECUTIVO Novembro / 2007 ÍNDICE I - OBJETIVO... 2 II - APRESENTAÇÃO DA EMPRESA... 2 III - METODOLOGIA E BASE

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Avaliação econômico-financeira

Avaliação econômico-financeira Avaliação econômico-financeira 26 de julho de 2013 CONFIDENCIAL Nota Importante 1. O Banco Bradesco BBI S.A. ( Bradesco BBI ou Avaliador ) foi contratado pela Companhia de Saneamento do Paraná - SANEPAR

Leia mais

DATA BASE: 31 de agosto de 2006.

DATA BASE: 31 de agosto de 2006. LAUDO RJ-0237/06-01 DATA BASE: 31 de agosto de 2006. SOLICITANTE: ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A., companhia aberta, com sede na Cidade de Curitiba, Estado do Paraná, localizada na Rua Emílio Bertolini,

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Demonstrativo de Preço

Demonstrativo de Preço 11:24 1/13 Demonstrativo de Preço 1. Sumário das Análises Apresentadas Nas análises apresentadas nesse documento demonstramos: (i) Como foi atingido o valor implícito da Telemig Celular (Operadora) (ii)

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, os administradores das companhias abaixo qualificadas,

Pelo presente instrumento particular e na melhor forma de direito, os administradores das companhias abaixo qualificadas, INSTRUMENTO PARTICULAR DE PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DO BANCO ABN AMRO REAL S.A. PELO BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A. (NOVA DENOMINAÇÃO SOCIAL DO BANCO SANTANDER S.A., EM FASE DE HOMOLOGAÇÃO

Leia mais

PROPOSTA DA DIRETORIA PARA AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL DA FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A.

PROPOSTA DA DIRETORIA PARA AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL DA FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A. PROPOSTA DA DIRETORIA PARA AUMENTO DO CAPITAL SOCIAL DA FERROVIA CENTRO-ATLÂNTICA S.A. Senhores Conselheiros, Esta Diretoria, visando a restabelecer a estrutura de capital da Ferrovia Centro-Atlântica

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO, POR FIBRIA CELULOSE S.A., DE ARAPAR S.A. E DE SÃO TEÓFILO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO, POR FIBRIA CELULOSE S.A., DE ARAPAR S.A. E DE SÃO TEÓFILO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO, POR FIBRIA CELULOSE S.A., DE ARAPAR S.A. E DE SÃO TEÓFILO REPRESENTAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A. FIBRIA CELULOSE S.A. (nova denominação social de Votorantim Celulose

Leia mais

Suez Energia Renovável S.A. Laudo de Avaliação preparado exclusivamente para a Tractebel Energia S.A

Suez Energia Renovável S.A. Laudo de Avaliação preparado exclusivamente para a Tractebel Energia S.A Suez Energia Renovável S.A. Laudo de Avaliação preparado exclusivamente para a Tractebel Energia S.A 21 de dezembro de 2009 Índice I Descrição do Projeto 2 ESTRITAMENTE CONFIDENCIAL Nota Importante O Banco

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013

Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 R$ milhões R$ milhões R$ milhões R$ milhões Divulgação de Resultados do 4T13 e 2013 As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto quando indicado o contrário e, a partir de 2011,

Leia mais

INEPAR S.A. INDÚSTRIA E CONSTRUÇÕES LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL

INEPAR S.A. INDÚSTRIA E CONSTRUÇÕES LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL INEPAR S.A. INDÚSTRIA E CONSTRUÇÕES LAUDO DE AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL Data base 30/06/2011 Resumo Joinville (SC), 05 de setembro de 2011. Aos Diretores e Acionistas INEPAR S.A. INDÚSTRIA

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 39 partes

Leia mais

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada;

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada; RELATORIO DA ADMINISTRAÇÃO SENHORES ACIONISTAS, Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. sociedade anônima de capital aberto, submete à apreciação

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

Quanto vale o meu negócio?

Quanto vale o meu negócio? Quanto vale o meu negócio? Apoio: Publicação: Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital (ABVCAP) Edição: Março 2015 Coordenação: Ângela Ximenes Superintendente Executiva Gabriela Sant Anna

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO 2 -DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS. OBJETIVO E CONTEÚDO Os objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis podem ser variados. Cada grupo de usuários pode ter objetivos específicos para analisar as Demonstrações

Leia mais

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN)

QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) QUESTÕES PARA A PROVA ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO NA ÁREA DE AUDITORIA NAS INSTITUIÇÕES REGULADAS PELO BANCO CENTRAL DO BRASIL (BACEN) 1. As normas e os procedimentos, bem como as Demonstrações Contábeis padronizadas

Leia mais

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA DIREÇÃO PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA. PELA LINX SISTEMAS E CONSULTORIA LTDA.

PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA DIREÇÃO PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA. PELA LINX SISTEMAS E CONSULTORIA LTDA. LINX S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ: 06.948.969/0001-75 NIRE: 35.300.316.584 PROTOCOLO E JUSTIFICAÇÃO DE INCORPORAÇÃO DA DIREÇÃO PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA. PELA LINX SISTEMAS E CONSULTORIA

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

IBRACON NPC VI - INVESTIMENTOS - PARTICIPAÇÕES EM OUTRAS SOCIEDADES

IBRACON NPC VI - INVESTIMENTOS - PARTICIPAÇÕES EM OUTRAS SOCIEDADES IBRACON NPC VI - INVESTIMENTOS - PARTICIPAÇÕES EM OUTRAS SOCIEDADES INTRODUÇÃO 1. Este pronunciamento abrange as participações em sociedades coligadas e controladas e as participações minoritárias de natureza

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO. : Indústria de Papéis Sudeste Ltda. (Paraibuna Embalagens) SOLICITANTE. : Unidade Industrial de Sapucaia OBJETO

LAUDO DE AVALIAÇÃO. : Indústria de Papéis Sudeste Ltda. (Paraibuna Embalagens) SOLICITANTE. : Unidade Industrial de Sapucaia OBJETO LAUDO DE AVALIAÇÃO SOLICITANTE OBJETO TIPO : Indústria de Papéis Sudeste Ltda. (Paraibuna Embalagens) : Unidade Industrial de Sapucaia : Avaliação Econômico-Financeira NÚMERO DO LAUDO : P-43.861 N-764

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A.

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. As informações financeiras e operacionais abaixo, exceto onde indicado em contrário, referem-se a prática contábil

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS Mostra o fluxo de eventos ocorridos em um determinado período de tempo. Quanto a empresa lucrou no ano passado? BALANÇO PATRIMONIAL Fotografia

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008

IESA ÓLEO & GÁS S.A. Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Demonstrações Financeiras período findo em 30 de setembro de 2009 e 31 de dezembro de 2008 Conteúdo Balanços Patrimoniais

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 02/06/2010 YARA BRASIL FERTILIZANTES S.A. A Companhia A Yara International ASA é uma empresa global especializada em produtos agrícolas e agentes de proteção ambiental. A empresa, sediada em Oslo, tem

Leia mais

Resumo de Contabilidade Geral

Resumo de Contabilidade Geral Ricardo J. Ferreira Resumo de Contabilidade Geral 4ª edição Conforme a Lei das S/A, normas internacionais e CPC Rio de Janeiro 2010 Copyright Editora Ferreira Ltda., 2008-2009 1. ed. 2008; 2. ed. 2008;

Leia mais

2 Referencial Teórico

2 Referencial Teórico 2 Referencial Teórico Baseado na revisão da literatura, o propósito deste capítulo é apresentar a estrutura conceitual do tema de Avaliação de Investimentos, sendo dividido em diversas seções. Cada seção

Leia mais

VIVO PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.074/0001 73 NIRE 35.3.001.587 92 TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S.A. TELESP FATO RELEVANTE

VIVO PARTICIPAÇÕES S.A. Companhia Aberta CNPJ MF 02.558.074/0001 73 NIRE 35.3.001.587 92 TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S.A. TELESP FATO RELEVANTE FATO RELEVANTE As administrações da Vivo Participações S.A. ( Vivo Part. ) e da Telecomunicações de São Paulo S.A. Telesp ("Telesp") (conjuntamente referidas como Companhias ), na forma e para os fins

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00839-7 MANGELS INDUSTRIAL S.A. 61.065.298/0001-02 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

Demonstrações contábeis auditadas ACS - Algar Call Center Service S.A. (anteriormente denominada Engeset Engenharia e Serviços de Telemática S.

Demonstrações contábeis auditadas ACS - Algar Call Center Service S.A. (anteriormente denominada Engeset Engenharia e Serviços de Telemática S. Demonstrações contábeis auditadas ACS - Algar Call Center Service S.A. (anteriormente denominada Engeset Engenharia e Serviços de Telemática S.A) com Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Leia mais

Relatório de Resultados 2T 2015

Relatório de Resultados 2T 2015 MMX - Resultados Referentes ao 2º trimestre de 2015 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2015 A MMX Mineração e Metálicos S.A. ( Companhia ou MMX ) (Bovespa: MMXM3) anuncia seus resultados referentes ao 2º

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1

ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1 ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1 Índice Análise Vertical e Análise Horizontal...3 1. Introdução...3 2. Objetivos e técnicas de análise...4 3. Análise vertical...7 3.1 Cálculos da análise vertical do balanço

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. 04.295.166/0001-33

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01893-7 TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. 04.295.166/0001-33 ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 30/09/2004 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Amortização de ágio ou deságio somente influenciará o resultado quando da alienação do investimento

Amortização de ágio ou deságio somente influenciará o resultado quando da alienação do investimento Conheça o tratamento fiscal aplicável ao ágio e ao deságio apurados na aquisição dos investimentos avaliados pelo Método de Equivalência Patrimonial - MEP AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTOS - Ágio ou Deságio na

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA

ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA ALTERAÇÕES DA LEI DAS SOCIEDADES POR AÇÕES MARCELO CAVALCANTI ALMEIDA Sócio da Deloitte e autor de livros da Editora Atlas 1 EVOLUÇÃO Instrução CVM n 457/07 Demonstrações financeiras consolidadas a partir

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais