SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014."

Transcrição

1 Desenvolvimento de um Dispositivo Mecânico para Rebarbar Peças de Grande Porte Fundidas em Aço Marcelo de Brito Steil Iveraldo de Aguiar Resumo: Este trabalho descreve o desenvolvimento e implantação de um dispositivo para fixação e manipulação de peças de grande porte, fundidas em aço, no setor de rebarbação. O dispositivo foi concebido para facilitar as operações de rebarbação em uma peça denominada cruzeta, que por ter mais de 500 kg de massa requer tradicionalmente a utilização de equipamentos de movimentação como empilhadeiras e pontes rolantes, o que torna o processo mais demorado. Após estudos de tempos e métodos observou-se que somente as operações de movimentação da cruzeta compõem 65% do tempo total de rebarbação. Desenvolveu-se então um dispositivo para manipulação das cruzetas na forma de um tubo de aço vertical fixado no chão onde foi acoplada uma viga em U que permite a fixação e giro horizontal e vertical da peça fundida. Após a fabricação do dispositivo e da instalação na linha de rebarbação, foram realizados testes que indicaram uma redução de tempo total de permanência da peça no setor de 41%. Palavras-chave: Dispositivo. Cruzetas. Manipulação de Peças. 1 Introdução Conforme Slack (2002), uma das estratégias das empresas para manterem-se competitivas em um mercado cada vez mais acirrado é o desenvolvimento e implantação de melhorias contínuas em seus processos de fabricação. No ramo de fundição, por utilizar várias etapas intermediárias durante a fabricação de uma peça, tais como modelação, moldagem, macharia, fusão, desmoldagem, rebarbação, tratamento térmico, dentre outros, conforme apresenta a Figura 1, sempre há novas possibilidades de melhorias no seu processo produtivo. 686

2 Figura 1 - Fluxograma da produção de peças fundidas Fonte: Steil (2007) Outro aspecto no ramo da fundição que demanda atenção e, igualmente, pode proporcionar possibilidades de melhorias é quando o produto a ser fundido é de grande porte, por exemplo, uma peça com mais de 500 kg de massa. Nessas condições sua movimentação entre os setores, e mesmo dentro de uma mesma operação se torna uma atividade delicada e perigosa, tanto para a qualidade da peça, quanto para a segurança dos operadores. Esta foi à situação enfrentada no setor de rebarbação de uma fundição da região de Blumenau, Santa Catarina, que produz peças de grande porte em aços especiais. Para a operação de rebarbação neste tipo de peça é necessário usinar várias de suas faces, obrigando os operadores a manipular o fundido, virando-o, periodicamente, para acessar as faces da base. Tradicionalmente, na operação de manipulação deste tipo de peça, devido ao elevado peso, os operadores necessitam utilizar tanto a empilhadeira quanto a ponte rolante, o que interfere no andamento das várias atividades da fundição que também utilizam estes equipamentos. A necessidade de utilização da ponte rolante e de empilhadeiras para as operações de rebarbação torna-se, portanto, um fator de restrição da produtividade, pois, por mais que se tente balancear os tempos de execução das atividades de produção de 687

3 uma peça fundida, esse sistema possibilita o desperdício de tempo na espera do equipamento. Além da restrição a uma maior produtividade do setor, a forma de trabalho desenvolvido tradicionalmente na rebarbação de peças fundidas de grande porte, exige esforço físico por parte dos operadores, pois a peça, apoiada no piso, por vezes faz com que se trabalhe com posturas ergonomicamente não apropriadas, como se vê na Figura 2. Figura 2 - Processo de rebarbação sem o dispositivo de manipulação Diante desta situação, vislumbrou-se uma possibilidade de melhoria no setor de rebarbação de peças de grandes dimensões no sentido de desenvolver seus trabalhos sem depender da disponibilidade da ponte rolante e das empilhadeiras e ao mesmo tempo, oferecer condições apropriadas para execução da tarefa. Para tal, foi proposta a fabricação de um dispositivo mecânico para manipular a peça, visando solucionar problemas de produtividade, movimentação de peças, prevenir acidentes e aumentar a motivação dos funcionários do setor. 2 Procedimentos metodológicos 688

4 Inicialmente, após análise dos tempos de produção, optou-se por desenvolver um dispositivo de manipulação para a peça fundida em aço denominada cruzeta, que se vê na Figura 3. Figura 3: Cruzeta A cruzeta é uma peça utilizada no sistema de movimentação da caçamba de tratores de grande porte, como visto na Figura 4, indicada pela seta. Figura 4: Cruzeta montada no trator A operação de rebarbação da cruzeta se dá em dois postos de trabalho. Os trabalhos iniciam com a transferência da peça até o primeiro posto de trabalho com a 689

5 utilização de uma empilhadeira. Após o trabalho de desbaste, a peça é virada, também com a utilização de uma empilhadeira. Depois a peça é transferida por uma empilhadeira para um segundo posto de trabalho, onde ocorrem as principais operações de desbaste. Depois de rebarbada é retirada do setor com a ponte rolante. A opção pelo desenvolvimento do dispositivo de manipulação para esta peça se deu após a realização de um estudo de tempos e métodos para a fabricação desta cruzeta, onde se mediu o tempo total de rebarbação e os tempos envolvidos nas movimentações, mostrado no quadro 1. Quadro 1: Tempos na operação de rebarbação através do método convencional OPERAÇÃO TEMPO (min) Uso da empilhadeira para transferência até o primeiro posto de trabalho 15 Movimentação da peça no primeiro posto de trabalho 23 Transporte de empilhadeira do primeiro para o segundo posto de trabalho 10 Movimentação da peça no segundo posto de trabalho 1166 Retirada da peça por ponte rolante 75 Tempo total utilizado em movimentação 1289 Tempo total para o acabamento (nos dois postos de trabalho) 696 TEMPO TOTAL PARA A OPERAÇÃO 1985 Como se percebe no Quadro 1, 35% do tempo total da operação de rebarbação da cruzeta são utilizados nas operações efetivas de retirada de rebarbas, e 65 % na movimentação da peça, dados apresentados em forma gráfica na Figura 5: Figura 5: Estratificação dos tempos na rebarbação da Cruzeta 690

6 Neste sentido, este projeto tem por objetivo desenvolver um dispositivo de manipulação para facilitar a movimentação de cruzetas fundidas de grande porte no setor de rebarbação. Busca-se assim, aumentar a produtividade do processo produtivo e melhorar a ergonomia na área de trabalho, possibilitando fácil manuseio para que as peças pudessem ser movimentadas de maneira mais segura e rápida. 3 Desenvolvimento do trabalho Para que o dispositivo atenda as necessidades requeridas pela operação é necessário que uma série de características seja garantida, entre elas deve-se assegurar a fixação da peça de modo a manter as especificações dimensionais estipuladas pelo cliente. Para tal o dispositivo deve ser robusto para que se garanta ausência de vibrações. Quanto ao aspecto dimensional o dispositivo deve igualmente garantir o esquadro correto em relação aos seus apoios, bem como permitir o acesso das ferramentas de corte e desbaste. Para o desenvolvimento de um dispositivo ou estrutura mecânica, é necessário em primeiro lugar analisar a forma tridimensional da cruzeta para verificar as áreas que serão usinadas ou pré-usinadas indicadas no desenho técnico mecânico da peça, que por razões de sigilo industrial, não será reproduzido neste trabalho. De posse do desenho metalúrgico da peça, foram observados, inicialmente, os posicionamentos das linhas de partição do molde, mostradas na Figura 6, ao longo das quais é realizada a retirada das rebarbas oriundas no encaixe entre as partes superior e inferior do molde. Figura 6: Linhas de partição do molde 691

7 Foram observados, igualmente, os locais onde o sistema de enchimento comunica-se com a peça, pois são por esses dutos que o metal líquido preencherá a cavidade da peça. Depois da peça solidificada, esses canais são seccionados, e por conta disso necessitam das operações de acabamento para nivelamento da superfície. A Figura 7 mostra os locais de contato entre a cruzeta e os canais de enchimento do conjunto fundido. Figura 7: Locais de entrada do metal líquido na cavidade do molde Por fim foram identificados os locais onde são acoplados os massalotes junto à peça fundida, mostrados na Figura 8, pois estas áreas também serão rebarbadas. Figura 8: Locais de contato dos massalotes com a cavidade do molde De posse dos locais onde a cruzeta recebe as operações de rebarbação buscou-se determinar os pontos para topagem, ou seja, para a sustentação da peça durante as 692

8 operações de usinagem e movimentação. No caso da peça não possuir esses pontos, deverão ser analisados os desenhos de fundição, para identificação dos melhores locais, ou seja, pontos de superfícies mais adequados como áreas planas sem rebarbas de aço. Outro aspecto que deve ser observado é que o plano determinado para a fixação deve necessariamente coincidir com o centro de massa da peça de modo a possibilitar um giro suave e equilibrado. O centro de massa da cruzeta foi determinado e está mostrado na Figura 9. Figura 9: Centro de massa da cruzeta Observando-se os aspectos considerados anteriormente, ou seja, as linhas de partição do molde, os locais de entrada do metal líquido e de contato dos massalotes com a cavidade do molde, bem como os possíveis planos que cortam o centro de massa da peça, optou-se por fixar a peça junto às laterais do corpo cilíndrico da cruzeta, como se vê na Figura 10. Outro argumento que corrobora com o local escolhido para o apoio é o fato de que esta parte da cavidade está composta por machos, que produzem um acabamento superficial na face da peça fundida, melhor do que as faces dos moldes. 693

9 Figura 10: Locais para fixação da peça no dispositivo Depois de determinado os locais de fixação da peça no dispositivo e após estudo das faces a serem usinadas, optou-se por desenvolver um dispositivo de manipulação constituído por uma base tubular de aço fixado ao solo no qual é adaptado um par de braços giratórios. O dispositivo pode ser visto em cinza na ilustração da Figura 11, onde se vê a peça em verde adaptada no mesmo. As setas em vermelho indicam os planos de giro. Figura 11: Dispositivo manipulador de cruzetas 694

10 A Figura 12 apresenta o desenho mecânico de conjunto do dispositivo para manipulação de cruzetas de grande porte. Figura 12: Desenho de conjunto do dispositivo para manipulação de cruzetas Como se observa na Figura 12, na concepção mecânica do dispositivo utilizaram-se sete componentes principais, descritos no Quadro 2. Quadro 2: Componentes do dispositivo para manipulação de cruzetas COMPONENTE MATERIAL Pino de Encaixe da Garra Aço ASTM A7743 Tubo mecânico Aço ABNT 1020 Rolamento de esferas blindado Comercial Capa do mancal Aço ABNT 1045 Eixo do mancal Aço ASTM 743 Junção do eixo à viga U Aço ABNT 1045 Viga U Aço ABNT

11 Após as definições de peças e materiais passou-se a construção do dispositivo, mostrado na Figura 13, já com a peça fixada na posição horizontal. Figura 13: Dispositivo para manipulação de cruzetas na posição horizontal A Figura 14 apresenta o dispositivo com a peça fixada e basculhada na posição vertical. Figura 14: Dispositivo para manipulação de cruzetas na posição vertical 4 Discussão dos resultados 696

12 Depois de construído o dispositivo, foram realizados testes de fixação e movimentação, bem como um novo estudo de tempos e métodos da operação de rebarbação da cruzeta, cujos resultados estão apresentados no Quadro 3 em comparação com os tempos necessários para as mesmas operações através do procedimento tradicional, sem o dispositivo. Quadro 3: Comparativo entre os tempos na operação de rebarbação OPERAÇÃO Espera pela empilhadeira para transferência até o primeiro posto de trabalho Sem dispositivo TEMPO (min) Com dispositivo 15 0 Movimentação da peça no primeiro posto de trabalho 23 4 Transporte de empilhadeira para o outro posto de trabalho 10 0 Movimentação da peça no segundo posto de trabalho Retirada da peça por ponte rolante 75 7 Tempo total utilizado em movimentação Tempo total para o acabamento TEMPO TOTAL PARA A OPERAÇÃO O Quadro 3 apresenta o impacto da melhoria em relação aos tempos de fabricação da cruzeta. Inicialmente pode-se observar a eliminação da utilização da empilhadeira durante toda a operação de rebarbação. Além do ganho do tempo médio de espera pela empilhadeira no setor de rebarbação, a utilização do dispositivo possibilita o uso da empilhadeira para outras atividades. A Figura 15 mostra os ganhos comparativos entre os tempos de rebarbação sem e com a utilização do dispositivo. 697

13 Figura 15: Gráfico comparativo entre os tempos de rebarbação A utilização do dispositivo possibilitou uma redução de 46% no tempo de operação de desbaste efetivo no setor de rebarbação, além de diminuição de 40% no tempo de movimentação da peça. A redução de tempo total de permanência da peça no setor foi de 41%. O impacto da utilização do dispositivo no custo de fabricação da peça foi igualmente positivo. Considerando-se o custo unitário da operação de rebarbação em R$ 500,00 (este custo é fictício para preservar as informações gerenciais da empresa parceira) a utilização do dispositivo fez com que o custo de rebarbação da peça caísse para R$ 274,00, ou seja, uma economia de R$ 246,00 por peça só no setor de rebarbação. Considerando-se a produção anual média de 864 peças, a melhoria levou a uma economia de R$ ,00 por ano. O Quadro 4 apresenta as melhorias financeiras obtidas com a implantação do dispositivo. 698

14 Quadro 4: Redução do custo de rebarbação da cruzeta CUSTO (R$) Sem Com dispositivo dispositivo GANHO (R$) Custo de rebarbação por cruzeta 500,00 274,50 246,00 Custo anual de rebarbação (864 cruzetas) , , ,00 A Figura 16 apresenta de forma gráfica a melhoria obtida em relação ao custo da operação de rebarbação. Figura 16: Custo de rebarbação por cruzeta 5 Conclusão 699

15 Pode-se concluir que o dispositivo para manipulação de peças fundidas de grande porte desenvolvido e aplicado por uma fundição de aço do vale do Itajaí, Santa Catarina, apresentou uma significativa melhoria no processo rebarbação da cruzeta. A melhoria foi observada com a diminuição no tempo de movimentação de peças, levando a uma melhoria na eficiência do setor. Além disso, a dispensa da utilização da empilhadeira, igualmente, acarreta ganhos financeiros na diminuição do tempo total da operação, bem como na diminuição de riscos decorrentes da movimentação de peças de grande porte. A diminuição do tempo na manipulação das peças com o uso do dispositivo representou ganho de 318 minutos por peça, o que equivale a 5 horas, ao longo do trabalho dispendido para obtenção da peça finalizada. Outro ganho percebido pelos operadores foi à melhoria nas condições de trabalho, tornando-o mais humanizado e ergonômico pelo fato de poder desenvolver seu trabalho em uma posição mais confortável. Referências SLACK, N.; JOHNSTON, R.; CHAMBERS, S. Administração da Produção, 2ª. ed. São Paulo: Atlas, STEIL, Marcelo de Brito. Processos de fundição. Blumenau: Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SC,

FUNDIÇÃO CENTRIFUGADA QUANDO E POR QUAIS MOTIVOS ESCOLHER. comercial@fvtecnologia.com.br http://www.fvtecnologia.com.br

FUNDIÇÃO CENTRIFUGADA QUANDO E POR QUAIS MOTIVOS ESCOLHER. comercial@fvtecnologia.com.br http://www.fvtecnologia.com.br FUNDIÇÃO CENTRIFUGADA QUANDO E POR QUAIS MOTIVOS ESCOLHER comercial@fvtecnologia.com.br http://www.fvtecnologia.com.br 1 VANTAGENS DO PROCESSO DE FUNDIÇÃO CENTRIFUGADA 1. O que é fundição centrifugada?

Leia mais

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril.

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril. A UU L AL A Mandrilamento Nesta aula, você vai tomar contato com o processo de mandrilamento. Conhecerá os tipos de mandrilamento, as ferramentas de mandrilar e as características e funções das mandriladoras.

Leia mais

FORMATO DA REDE. Basicamente existem dois formatos de rede: aberto ou em circuito fechado (anel). Formato Aberto: Formato Fechado:

FORMATO DA REDE. Basicamente existem dois formatos de rede: aberto ou em circuito fechado (anel). Formato Aberto: Formato Fechado: FORMATO DA REDE Basicamente existem dois formatos de rede: aberto ou em circuito fechado (anel). Formato Aberto: Quando não justifica fazer um anel, pode-se levar uma rede única que alimente os pontos

Leia mais

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga 16 Valores Introdução No âmbito da ufcd 5811 Sistemas de transporte e elevação de cargas, foi-nos

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR DE MANDÍBULAS - ZL EQUIPAMENTOS.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR DE MANDÍBULAS - ZL EQUIPAMENTOS. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS BRITADOR DE MANDÍBULAS - ZL EQUIPAMENTOS. 1. DESCRIÇÃO. Os britadores de mandíbulas projetados e fabricados pela ZL Equipamentos são maquinas robustas confeccionadas com matéria-prima

Leia mais

Processo de fundição: Tixofundição

Processo de fundição: Tixofundição Processo de fundição: Tixofundição Disciplina: Processos de Fabricação. Professor Marcelo Carvalho. Aluno: Gabriel Morales 10/44940. Introdução O processo de fabricação conhecido como fundição pode ser

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade.

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade. Aula 10: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas emprwegadas 02:

Leia mais

Introdução. elementos de apoio

Introdução. elementos de apoio Introdução aos elementos de apoio A UU L AL A Esta aula - Introdução aos elementos de apoio - inicia a segunda parte deste primeiro livro que compõe o módulo Elementos de máquinas. De modo geral, os elementos

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

Equipamentos para Estamparia

Equipamentos para Estamparia Equipamentos para Estamparia CLIENTES EQUIPAMENTOS PARA LINHA DE PRENSAS Mesa destaque de platinas; METALURGIA Braço com imã para destaque; Mesa transferência platina; Sistema de centralização platina;

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. ESTRUTURA E BLINDAGEM DOS MODULOS 1.1 - Estruturas Laterais Externas Deverão ser confeccionadas em chapa de aço SAE1010 #18, com varias dobras formando colunas, sem quinas ou

Leia mais

Rodas Laminadas EXL e Discos Roloc EXL Scotch-Brite Industrial

Rodas Laminadas EXL e Discos Roloc EXL Scotch-Brite Industrial 3 Rodas Laminadas EXL e Discos Roloc EXL Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Fevereiro/2004 Substitui: Janeiro/2002 Página 1 de 8 Introdução: As Rodas Laminadas EXL e EXL Roloc Scotch-Brite para rebarbação

Leia mais

Verano. guarda-sóis manual de troca de corda

Verano. guarda-sóis manual de troca de corda Verano guarda-sóis manual de troca de corda Verano guarda-sóis manual de troca de corda Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de fácil montagem,

Leia mais

Acesse: http://fuvestibular.com.br/

Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Esse molde é (quase) para sempre Manuais ou mecanizados, de precisão, não importa qual o processo de fundição que tenhamos estudado até agora, todos tinham em comum duas coisas: o fato de que o material

Leia mais

Tolerância dimensional

Tolerância dimensional Tolerância dimensional Introdução É muito difícil executar peças com as medidas rigorosamente exatas porque todo processo de fabricação está sujeito a imprecisões. Sempre acontecem variações ou desvios

Leia mais

1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA Os processos de conformação mecânica são processos de fabricação que empregam a deformação plástica de um corpo metálico, mantendo sua massa e integridade. Alguns

Leia mais

PROCESSOS METALÚRGICOS DE FABRICAÇÃO

PROCESSOS METALÚRGICOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS METALÚRGICOS DE FABRICAÇÃO Amanda Alves PEIXOTO 1 Chelinton Silva SANTOS 1 Daniel Moreira da COSTA 1 Rosângela Chaves dos Santos GUISELINI 1 Eduardo Tambasco MONACO 2 RESUMO Este trabalho visa

Leia mais

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Apresentação Fundada no ano de 000, a TEMEC Terra Maquinas Equipamentos e Construções LTDA é uma empresa especializada no fornecimento de Soluções de Engenharia

Leia mais

PÓRTICO LIMPA GRADES E CARRO LIMPAS GRADES. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DISPOSITIVO LIMPA GRADES E CARRO LIMPA GRADE.

PÓRTICO LIMPA GRADES E CARRO LIMPAS GRADES. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DISPOSITIVO LIMPA GRADES E CARRO LIMPA GRADE. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DISPOSITIVO LIMPA GRADES E CARRO LIMPA GRADE. DESCRIÇÃO. Existem inúmeros tipos e modelos de equipamentos limpa grades no mercado, para que o cliente possa escolher. Mas é verdade

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER

MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER MANUAL PASSO A PASSO DE APLICAÇÃO: GS-SUPER 1. INTRODUÇÃO Este Manual de Aplicação do GS-Super demonstra passo a passo o procedimento correto para aplicação do material bem como os cuidados necessários

Leia mais

Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO

Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO 2010 2 Cortadora de Pisos HCC14 I HCC16 O design da Cortadora de Pisos Menegotti foi desenvolvido para aumentar a performance, força e vida útil do produto. É um equipamento

Leia mais

59 Brunimento, lapidação, polimento

59 Brunimento, lapidação, polimento A U A UL LA Brunimento, lapidação, polimento Apesar de todos os cuidados, as peças usinadas e mesmo as de acabamento em máquina, como é o caso da retificação, apresentam sulcos ou riscos mais ou menos

Leia mais

As peças a serem usinadas podem ter as

As peças a serem usinadas podem ter as A U A UL LA Fresagem As peças a serem usinadas podem ter as mais variadas formas. Este poderia ser um fator de complicação do processo de usinagem. Porém, graças à máquina fresadora e às suas ferramentas

Leia mais

Você já pensou o que seria do ser humano

Você já pensou o que seria do ser humano A UU L AL A Eixos e árvores Você já pensou o que seria do ser humano sem a coluna vertebral para lhe dar sustentação. Toda a estrutura de braços, pernas, mãos, pés seria um amontoado de ossos e músculos

Leia mais

MANUSEIO DE SUCATA MEMBRO DA BIR

MANUSEIO DE SUCATA MEMBRO DA BIR MANUSEIO DE SUCATA MEMBRO DA BIR MENOR CUSTO OPERACIONAL, CICLOS DE TRABALHO MAIS CURTOS, MAIS FÁCIL DE OPERAR... O E do E-Crane não significa apenas EQUILÍBRIO ele também representa: Operação Elétrica

Leia mais

Solares. guarda-sóis manual de troca de corda

Solares. guarda-sóis manual de troca de corda Solares guarda-sóis manual de troca de corda Solares guarda-sóis manual de troca de corda Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de fácil montagem,

Leia mais

Os revestimentos de parede Decopainel são fabricados com tecnologia de última geração para deixar o seu ambiente com a elegância e beleza que você

Os revestimentos de parede Decopainel são fabricados com tecnologia de última geração para deixar o seu ambiente com a elegância e beleza que você Catálogo Virtual 2 Os revestimentos de parede Decopainel são fabricados com tecnologia de última geração para deixar o seu ambiente com a elegância e beleza que você sempre desejou. São duas linhas de

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO 2013-2

CATÁLOGO TÉCNICO 2013-2 CATÁLOGO TÉCNICO 2013-2 PRODUTO CONTRA PONTO MESA DIVISORA HV-240 TAMBOR GRADUADO - Pode ser acoplado no lugar do disco perfurado sendo possível fazer divisões de 2 em 2 minutos. FLANGE PORTA PLACA - Para

Leia mais

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO:

1. DESCRIÇÃO: - Renovação do ar; - Movimentação do ar. 1.1 SISTEMA ADOTADO: 1. DESCRIÇÃO: OBJETO: O sistema de ventilação mecânica visa propiciar as condições de qualidade do ar interior nos vestiários do mercado público de Porto Alegre. Para a manutenção das condições serão controlados

Leia mais

Processo de Forjamento

Processo de Forjamento Processo de Forjamento Histórico A conformação foi o primeiro método para a obtenção de formas úteis. Fabricação artesanal de espadas por martelamento (forjamento). Histórico Observava-se que as lâminas

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

3 Aplicação do Programa de Inspeção Baseado em Risco.

3 Aplicação do Programa de Inspeção Baseado em Risco. 30 3 Aplicação do Programa de Inspeção Baseado em Risco. Este capítulo detalhará as etapas do trabalho de aplicação de IBR ao conjunto de pontes rolantes da empresa ThyssenKrupp Fundições Ltda., uma empresa

Leia mais

1/6 1 2 "SUPORTE RETRÁTIL PARA INSTALAÇÃO DE TELA FACHADEIRA". Apresentação Refere-se a presente invenção ao campo técnico de suportes para telas fachadeiras de edifícios em construção ou em reformas,

Leia mais

Manipuladores Industriais

Manipuladores Industriais Equipamentos realizados para a pega e a movimentação em ausência de peso de lâminas, chapas, painéis etc. Fácil de usar permitem ao operador a movimentação no espaço operativo, de maneira veloz, precisa

Leia mais

TRABALHO EM ESTRUTURAS ESPACIAIS

TRABALHO EM ESTRUTURAS ESPACIAIS TRABALHO EM ESTRUTURAS ESPACIAIS INTRODUÇÃO: O crescente desenvolvimento das técnicas de montagem das estruturas espaciais torna, a cada dia, mais rápida a colocação das colunas e vigas, porém, os atuais

Leia mais

JATEAMENTO - INTRODUÇÃO APLICAÇÃO

JATEAMENTO - INTRODUÇÃO APLICAÇÃO www.sinto.com.br JATEAMENTO - INTRODUÇÃO APLICAÇÃO O Jateamento com abrasivo é um método de trabalho a frio que consiste no arremesso de partículas contra uma determinada superfície, a elevadas velocidades,

Leia mais

PROJETO DE OPERAÇÕES DE USINAGEM

PROJETO DE OPERAÇÕES DE USINAGEM Tarefas Envolvidas no Projeto de Operações de Usinagem: Planejamento do roteamento operações para fabricar uma peça ordem lógica Instruções suficientemente detalhadas para execução da usinagem? Projeto

Leia mais

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TODA DIFUSORES PARA LUMINÁRIAS O conjunto de difusão de ar completamente embutido, contribui para um visual leve e sem distorções. Sua flexibilidade própria,

Leia mais

Gerenciamento da produção

Gerenciamento da produção 74 Corte & Conformação de Metais Junho 2013 Gerenciamento da produção Como o correto balanceamento da carga de dobradeiras leva ao aumento da produtividade e redução dos custos (I) Pedro Paulo Lanetzki

Leia mais

MANUAL SUSPENSÃO MECÂNICA SENSOR DE ÂNGULO

MANUAL SUSPENSÃO MECÂNICA SENSOR DE ÂNGULO 2015 MANUAL SUSPENSÃO MECÂNICA SENSOR DE ÂNGULO SUSPENSÃO MECÂNICA SENSOR DE ÂNGULO Passo 1: O primeiro passo é determinar qual versão do Sensor de Ângulo foi incluído no seu kit. Existe uma versão Direita

Leia mais

SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS

SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS Fundada em 2006, a Tuksen Equipamentos atua na área de fabricação e venda de equipamentos para construção civil e área agrícola. Lançou em 2009 os Containers

Leia mais

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação

Acoplamento. Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, Conceito. Classificação A U A UL LA Acoplamento Introdução Uma pessoa, ao girar o volante de seu automóvel, percebeu um estranho ruído na roda. Preocupada, procurou um mecânico. Ao analisar o problema, o mecânico concluiu que

Leia mais

escoramento Sistema de Escoramento Metálico

escoramento Sistema de Escoramento Metálico escoramento Sistema de Escoramento Metálico para Lajes e Vigas. ESCORAMENTO MECAN Pela facilidade de montagem e versatilidade, o escoramento metálico Mecan permite montagens rápidas e seguras, proporcionando

Leia mais

SHX100. Módulo Shunt. Manual do Produto. AQX Instrumentação Eletrônica S.A.

SHX100. Módulo Shunt. Manual do Produto. AQX Instrumentação Eletrônica S.A. SHX100 Módulo Shunt Manual do Produto Rua Lauro Linhares, 589, Sobreloja, sala 1 - Trindade - Florianópolis - SC - 88036-001 Fone: +55 (48) 2107-2724 / 3333-2770- Fax: +55 (48) 3333-3745 Visite nosso site

Leia mais

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores

VENTILADORES. Aspectos gerais. Detalhes construtivos. Ventiladores VENTILADORES Aspectos gerais As unidades de ventilação modelo BBS, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para frente, e BBL, com ventiladores centrífugos de pás curvadas para trás, são fruto de

Leia mais

O Dimensionamento do Centro de Produção

O Dimensionamento do Centro de Produção O Dimensionamento do Centro de Produção (posto de trabalho) ANTROPOMETRIA estudo e sistematização das medidas físicas do corpo humano. ANTROPOMETRIA ESTÁTICA - refere-se a medidas gerais de segmentos corporais,

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP

PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP PLANEJAMENTO DO PROCESSO ASSISTIDO POR COMPUTADOR - CAPP Prof. João Carlos Espíndola Ferreira, Ph.D. www.grima.ufsc.br/jcarlos/ jcarlos@emc.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais

SISTEMA T-TRACK. Sequência Típica de. Fabricação e Instalação

SISTEMA T-TRACK. Sequência Típica de. Fabricação e Instalação SISTEMA T-TRACK Sequência Típica de Fabricação e Instalação INTRODUÇÃO Esta apresentação tem a finalidade de mostrar a sequência típica de Fabricação dos Módulos e da Instalação de uma Via Permanente com

Leia mais

Carony TRANSFERÊNCIA DO BANCO DO SISTEMA CARONY. Carony 12" 214 426 919. www.automobilidade.pt. info@automobilidade.pt.

Carony TRANSFERÊNCIA DO BANCO DO SISTEMA CARONY. Carony 12 214 426 919. www.automobilidade.pt. info@automobilidade.pt. Carony é um sistema de cadeira de rodas simples e confortável tanto para o utilizador como para a pessoa que o auxilia. Nas operações de entrada e saída do veículo o sistema Carony elimina a necessidade

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Grupo Setorial de Metalurgia do Pó

Grupo Setorial de Metalurgia do Pó DIREITOS AUTORAIS O material contido neste documento é parte integrante do livro A METALURGIA DO PÓ: alternativa econômica com menor impacto ambiental Autor: Editora: METALLUM EVENTOS TÉCNICOS E CIENTÍFICOS

Leia mais

Introdução. Bem vindo, ao mundo dos automatizadores para portas de enrolar!!!

Introdução. Bem vindo, ao mundo dos automatizadores para portas de enrolar!!! D I S T R I B U I D O R Introdução Bem vindo, ao mundo dos automatizadores para portas de enrolar!!! A NEW AUTOMATIZADORES atua no mercado nacional há 1 ano, distribuindo para todo Brasil e America Latina.

Leia mais

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

VÁLVULAS MANIFOLD MANIFOLD 3 VIAS MANIFOLD 5 VIAS

VÁLVULAS MANIFOLD MANIFOLD 3 VIAS MANIFOLD 5 VIAS MANIFOLD As válvulas Manifold, produzidas pela Detroit, foram desenvolvidas e dimensionadas para tornar uma tubulação de instrumentos de diferencial de pressão mais simples, mais segura e mais confiável.

Leia mais

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Eng. Carlos Alberto Alvarenga Solenerg Engenharia e Comércio Ltda. Rua dos Inconfidentes, 1075/ 502 Funcionários - CEP: 30.140-120 - Belo Horizonte -

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais Contextualização A transformação da matéria-prima em produto acabado requer que pelo menos um dos três elementos básicos de produção (trabalhador, máquina e material) seja movimentado. Para a maioria dos

Leia mais

MÁQUINA CORTADORA / ABRIDORA PARA FILTROS AUTOMOTIVOS DEMONSTRATIVO DO EQUIPAMENTO RETORNO DO INVESTIMENTO DESCRITIVO TÉCNICO

MÁQUINA CORTADORA / ABRIDORA PARA FILTROS AUTOMOTIVOS DEMONSTRATIVO DO EQUIPAMENTO RETORNO DO INVESTIMENTO DESCRITIVO TÉCNICO MÁQUINA CORTADORA / ABRIDORA PARA FILTROS AUTOMOTIVOS DEMONSTRATIVO DO EQUIPAMENTO RETORNO DO INVESTIMENTO DESCRITIVO TÉCNICO FUNCIONAMENTO E OPERAÇÃO DA MÁQUINA. Projeto e fabricação Aprovado de acordo

Leia mais

6. CILINDROS PNEUMÁTICOS

6. CILINDROS PNEUMÁTICOS 6. CILINDROS PNEUMÁTICOS Os cilindros, também conhecidos como atuadores lineares, são elementos pneumáticos de trabalho os quais transformam a energia proveniente do ar comprimido em energia mecânica,

Leia mais

Sistema modular universal de transporte de encabidados

Sistema modular universal de transporte de encabidados SSI Translog Single SSI Translog Single Sistema modular universal de transporte de encabidados Flexibilidade e transporte fora do chão O sistema 'SSI Translog Single' da SSI Schaefer proporciona novas

Leia mais

Sistema para Quebra de Canais e Refugo em Ferro

Sistema para Quebra de Canais e Refugo em Ferro Sistema para Quebra de Canais e Refugo em Ferro Aumento de Produtividade com Redução de Custos Vantagens ECONOMIA e PRODUÇÃO Ganho em até 12% no tempo de fusão da carga; Retirada da areia de fundição em

Leia mais

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Os discos de corte e desbaste são produzidos e controlados com rigor, sendo submetidos a testes internos que objetivam a reprodução da qualidade lote

Leia mais

ANEXO A.1 Especificações dos Bens de Mobiliário. Lote 1 - Mobiliário de Escritório. # Artigo Características do Artigo Cadeiras

ANEXO A.1 Especificações dos Bens de Mobiliário. Lote 1 - Mobiliário de Escritório. # Artigo Características do Artigo Cadeiras # Artigo Características do Artigo Cadeiras 1.1 Cadeira giratória sem braços 1.2 Cadeira giratória com braços - Cadeira giratória sem braços. - Mecanismo com estrutura e componentes em aço e de contacto

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

Elementos de Máquinas

Elementos de Máquinas Professor: Leonardo Leódido Sumário Correias e Polias Correntes Definição Polia: São peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo do motor e pelas correias. Correias: É o elemento da máquina que,

Leia mais

Parede de Garrafa Pet

Parede de Garrafa Pet CONCEITO As paredes feitas com garrafas pet são uma possibilidade de gerar casas pré fabricadas através da reciclagem e é uma solução barata e sustentável. As garrafas pet são utilizadas no lugar dos tijolos

Leia mais

Soluções ergonômicas para manipulação de materiais. Novo! Sistemas de manipulação a vácuo

Soluções ergonômicas para manipulação de materiais. Novo! Sistemas de manipulação a vácuo Soluções ergonômicas para manipulação de materiais Novo! Sistemas de manipulação a vácuo Tubo de elevação a vácuo JumboFlex Tubo de elevação a vácuo JumboFlex Manipulação flexível e eficiente do material

Leia mais

Armazenagem temporária Investimento em eficiência

Armazenagem temporária Investimento em eficiência Armazenagem temporária Investimento em eficiência Por que utilizar a armazenagem temporária? Características e Benefícios A melhor relação Custo-Benefício O de armazenagem temporária de grãos Temp Stor

Leia mais

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015

9º ENTEC Encontro de Tecnologia: 23 a 28 de novembro de 2015 DETERMINAÇÃO DA CORRENTE DE CURTO - CIRCUITO FASE TERRA NO MEIO INDUSTRIAL Felipe Miquelino¹; Edilberto Teixeira² 1 Universidade de Uberaba, Uberaba-MG 2 Universidade de Uberaba, Uberaba-MG fmiquelinof@gmail.com;

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE VIDROS EM TERESINA PI GEDAÍAS RODRIGUES VIANA 1 FRANCISCO DE TARSO RIBEIRO CASELLI 2 FRANCISCO DE ASSIS DA SILVA MOTA 3

Leia mais

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A AUTOR ANTONIA TASSILA FARIAS DE ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ RESUMO O presente

Leia mais

Brocas Escalonadas para Telhas Arcos de Pua Garra para Mandril de Arco de Pua Verrumas para Arco de Pua. Verrumas Manuais. Ferros de Pua Mathieson

Brocas Escalonadas para Telhas Arcos de Pua Garra para Mandril de Arco de Pua Verrumas para Arco de Pua. Verrumas Manuais. Ferros de Pua Mathieson Brocas para Madeira Brocas de 3 Pontas Brocas de 3 Pontas para Mourão Brocas para Fibrocimento e Mourão Brocas em Aço Cromo 46 47 48 48 Brocas Escalonadas para Telhas Arcos de Pua Garra para Mandril de

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

PEÇAS MECÂNICAS Manipuladores Industriais

PEÇAS MECÂNICAS Manipuladores Industriais PEÇAS MECÂNICAS Equipamentos realizados para a pega e a movimentação em ausência de peso, de peças mecânicas diversas com auxílio de dispositivos de pega estudados e realizadas sob medida. Simples de usar

Leia mais

Eficiência Energética Chocolates Garoto

Eficiência Energética Chocolates Garoto Eficiência Energética Chocolates Garoto 1 CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA Nome fantasia: Chocolates Garoto Ramo de atividade: Alimentício Localização: Vila Velha / ES Estrutura tarifária: Horo-sazonal Azul

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

Cabos. Um motorista dirigia, quando, de repente, Conceito

Cabos. Um motorista dirigia, quando, de repente, Conceito A U A UL LA Cabos Introdução Um motorista dirigia, quando, de repente, surgiu um problema na embreagem do carro. Por mais que tentasse, o motorista não conseguia engatar a marcha. O carro foi rebocado

Leia mais

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora.

Essa ferramenta pode ser fixada em máquinas como torno, fresadora, furadeira, mandriladora. Brocas A broca é uma ferramenta de corte geralmente de forma cilíndrica, fabricada com aço rápido, aço carbono, ou com aço carbono com ponta de metal duro soldada ou fixada mecanicamente, destinada à execução

Leia mais

A Utilização de Etiquetas de Detecção de Inconveniências na Manutenção Autônoma do TPM

A Utilização de Etiquetas de Detecção de Inconveniências na Manutenção Autônoma do TPM XIII SIMPEP Bauru, SP, Brasil, 6 a 8 de novembro de 6. A Utilização de Etiquetas de Detecção de Inconveniências na Manutenção Autônoma do TPM Marcos Roberto Bormio (UNESP) mbormio@feb.unesp.br Nilson Damaceno

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA.

HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA. HTS ELEVADORES IND. E COM. LTDA. ELEVADORES DE OBRA ELEVADOR DE OBRA ELEVADOR DE OBRA Controle automático digital Eficiência de consumo: quando o a velocidade ou carga está abaixo da condição de regime

Leia mais

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 Conheça o funcionamento, diagnóstico e reparo do ajustador de freio automático, um componente primordial para segurança, aplicado em veículos pesados. Que a

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Série do Curso: 4ª SÉRIE Nome da Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

Buchas. Não se sabe quem inventou a roda. Supõe-se. Bucha

Buchas. Não se sabe quem inventou a roda. Supõe-se. Bucha A U A UL LA Buchas Introdução Não se sabe quem inventou a roda. Supõe-se que a primeira roda tenha sido um tronco cortado em sentido transversal. Com a invenção da roda, surgiu, logo depois, o eixo. O

Leia mais

e Birdie Compact Invacare Birdie Facilidade de transporte e Conforto do utilizador : De mãos dadas!

e Birdie Compact Invacare Birdie Facilidade de transporte e Conforto do utilizador : De mãos dadas! Invacare Birdie e Birdie Compact Facilidade de transporte e Conforto do utilizador : De mãos dadas! Com o máximo de espaço para o utilizador, os elevadores de transferência Invacare Birdie e Invacare Birdie

Leia mais

Manipulador de dormentes rodoferroviário

Manipulador de dormentes rodoferroviário Manipulador de dormentes rodoferroviário Clerildo Vieira¹, Decio Vincenzi²*, Helder Torres³ 1 Engenharia Ferroviária Railway Engineering - Vale S.A. Praça João Paulo Pinheiro, s/n,35010-330 Governador

Leia mais

IRMÃOS ZEN S.A IND. METALÚRGICA

IRMÃOS ZEN S.A IND. METALÚRGICA IRMÃOS ZEN S.A IND. METALÚRGICA Sumário 1. TENSIONADOR DE BORRACHA ZEN... 1 1.1. Partes do Tensionador... 1 1.2. Alocação na Bancada... 1 1.3. Melhorias na Bancada... 2 2. TANQUES DE COMBUSTÍVEL DE RETORNO...

Leia mais

Sistema de Tensionamento de Correias SKF. A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo

Sistema de Tensionamento de Correias SKF. A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo Sistema de Tensionamento de Correias SKF A forma da SKF apoiar a transmissão Fácil Rápido Repetitivo Sistema de Tensionamento de Correias SKF Uma solução inovadora para as transmissões por correias É sabido

Leia mais

29 Recuperação de guias ou vias deslizantes I

29 Recuperação de guias ou vias deslizantes I A U A UL LA Recuperação de guias ou vias deslizantes I Uma máquina foi retirada do setor de produção e levada para o setor de manutenção porque havia atingido o seu ponto de reforma. A equipe de manutenção

Leia mais

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento Prof. Msc. Marcos Dorigão Manfrinato prof.dorigao@gmail.com Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento 1 Introdução: O forjamento

Leia mais

Dimensão da peça = Dimensão do padrão ± diferença

Dimensão da peça = Dimensão do padrão ± diferença Relógio comparador Um problema Como vocês podem perceber, o programa de qualidade da empresa envolve todo o pessoal. Na busca constante de melhoria, são necessários instrumentos de controle mais sofisticados

Leia mais

FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE

FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE FACEAMENTO DA SUPERFÍCIE DE ASSENTAMENTO DO CONJUNTO DE FORÇA DO MOTOR DIESEL DE LOCOMOTIVAS GE 1/7 RESUMO Realização de faceamento de blocos de motores diesel 7FDL, de locomotivas GE, usinando a superfície

Leia mais

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano

Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Método construtivo com CLT : Recomendações construtivas e de acabamentos. Autor: Alexandre Lopes Veneziano Studio Veneziano Motivação Esqueça o que você já ouviu falar sobre casa de madeira, isto aqui

Leia mais

Autoclave Compacta. 1 m de diâmetro x 7 m de comprimento

Autoclave Compacta. 1 m de diâmetro x 7 m de comprimento engenharia aplicada à valorização da madeira www.envalma.com Autoclave Compacta para tratamento de madeira 1 m de diâmetro x 7 m de comprimento Quem está começando no tratamento de preservação de madeira

Leia mais

TUBOS & ADUELAS DE CONCRETO

TUBOS & ADUELAS DE CONCRETO Schlüsselbauer Technology GmbH & Co KG, 4673 Gaspoltshofen, Áustria Alto nível de automação e novidades técnicas possibilitam o aumento da produção diária de tubos subterrâneos de saneamento com revestimento

Leia mais