Network Simulator (NS3)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Network Simulator (NS3)"

Transcrição

1 1 24 de outubro de Prof. DSc. do Curso de Ciência da Computação da UESPI

2 Sumário Introdução 1 Introdução Características Instalação Como instalar o NS3 2 3 Arquivo de saída Filtrar resultados

3 Características Instalação Como instalar o NS3 Sobre o O que é o NS3 NS3 a é um simulador para sistemas de Internet baseado em eventos discretos (definido por unidade de tempo) Desenvolvido para fins de pesquisa e educational Software livre e de código aberto (C++ e/ou Python) a Comunidade Permite que desenvolvedores da comunidade de redes contribuam em seu código a Lista de usuários do NS3 b a b groups.google.com/group/ns-3-users

4 Sobre o NS3 (Cont.) Introdução Características Instalação Como instalar o NS3 NS3 a vs NS2 b a b nsnam.isi.edu/nsnam/index.php/main_page O NS3 não é uma extensão do NS2 Não suporta as APIs do NS2 Algumas funcionalidades do NS2 foram portadas para o NS3 É um simulador novo

5 Pré-requisitos Introdução Características Instalação Como instalar o NS3 Aplicativos e bibliotecas Para que o NS3 funcione juntamente com geração de documentação, plotagem de gráficos e outras funcionalidades, é necessário a instalação de alguns pacotes Pacotes recomendados para os usuários do Ubuntu a a C++ e Python: >sudo apt-get install gcc g++ python python-dev Mercurial: >sudo apt-get install mercurial Árvore de desenvolvedores ns-3: >sudo apt-get install bzr Debugging: >sudo apt-get install gdb valgrind

6 Pré-requisitos (Cont.) Introdução Características Instalação Como instalar o NS3 Pacotes recomendados (Cont.) Modelos de erro para WiFi: >sudo apt-get install gsl-bin libgsl0-dev libgsl0ldbl Analisador léxico e parser: >sudo apt-get install flex bison libfl-dev Traces pcap: >sudo apt-get install tcpdump Database para estatística: >sudo apt-get install sqlite sqlite3 libsqlite3-dev Xml: >sudo apt-get install libxml2 libxml2-dev GTK: >sudo apt-get install libgtk2.0-0 libgtk2.0-dev Máquinas virtuais: >sudo apt-get install vtun lxc Utilitários: >sudo apt-get install uncrustify

7 Pré-requisitos (Cont.) Introdução Características Instalação Como instalar o NS3 Pacotes recomendados (Cont.) Documentação: >sudo apt-get install doxygen graphviz imagemagick texlive texlive-extra-utils texlive-latex-extra python-sphinx dia Visualizador: >sudo apt-get install python-pygraphviz python-kiwi python-pygoocanvas libgoocanvas-dev Openflow: >sudo apt-get install libboost-signals-dev libboost-filesystem-dev Emulador: >sudo apt-get install openmpi*

8 Características Instalação Como instalar o NS3 Passo a passo Recomendação de download O procedimento recomendado é baixar o NS3 através do Mercurial, pois a ferramenta copia o código do simulador no repositório Comandos >cd; mkdir repos; cd repos >hg clone >./download.py -n ns-3-dev >ls -la Tempo de espera O tempo de download vai variar de acordo com a conexão da Internet, mas pode levar alguns minutos ou horas

9 Características Instalação Como instalar o NS3 Passo a passo Compilação Para gerar o executável do NS3 é necessário que os códigos fontes baixados sejam compilados Comandos >cd ns-3-allinone >./build.py enable-examples enable-tests >cd ns-3-dev; ls -la Teste Para verificar o funcionamento, use os seguintes comandos: >./test.py -c core >./waf run hello-simulator

10 Aprendendo com exemplos Onde encontrar? Todos os arquivos do tutorial estão localizados no diretório examples/tutorial Testando um exemplo Comandos para testar o cenário a ser simulado: >cp examples/tutorial/first.cc scratch/myfirst.cc >./waf >./waf run scratch/myfirst Logs gerados pela simulação Verifique o tipo de log que é gerado na simulação. Isto pode ser definido dentro do script de simulação ou através de parâmetros.

11 Logs da simulação Introdução O que são logs? São as mensagens do simulador e estão distribuídas em 7 níveis Níveis das mensagens NS_LOG_ERROR: erro NS_LOG_WARN: alertas NS_LOG_DEBUG: depuração NS_LOG_INFO: informativo NS_LOG_FUNCTION: descreve a função chamada NS_LOG_LOGIC: fluxo lógico dentro de uma função NS_LOG_ALL: tudo

12 Dissecando o código Introdução // Adicionar bibliotecas básicas contendo o núcleo do simulador, // os nós e enlaces. #include ns3/core-module.h #include ns3/simulator-module.h #include ns3/node-module.h #include ns3/helper-module.h using namespace ns3; // Definição do log NS_LOG_COMPONENT_DEFINE ( FirstScriptExample ); // Função principal do código int main (int argc, char *argv[])

13 { // Tipo de log definido para a aplicação LogComponentEnable( UdpEchoClientApplication, LOG_LEVEL_INFO); LogComponentEnable( UdpEchoServerApplication, LOG_LEVEL_INFO); // Define e cria dois nós NodeContainer nodes; nodes.create (2); // Cria o enlace ponto a ponto entre dois nós PointToPointHelper pointtopoint;

14 // Configura a taxa da conexão do enlace pointtopoint.setdeviceattribute ( DataRate, StringValue ( 5Mbps )); // Configura o atraso do enlace pointtopoint.setchannelattribute ( Delay, StringValue ( 2ms )); // Configura o dispositivo de rede NetDeviceContainer devices; // Cria os dispositivos e associa-os ao enlace devices = pointtopoint.install (nodes);

15 // Configurar a pilha de protocolo IP nos nós InternetStackHelper stack; stack.install (nodes); // Configura o endereço IP da rede e sua máscara de subrede Ipv4AddressHelper address; address.setbase ( , ); // Atribui os endereços IP as interfaces de rede Ipv4InterfaceContainer interfaces = address.assign (devices); // Cria o servidor da aplicação de Echo na porta 9 UdpEchoServerHelper echoserver (9);

16 // Configura o segundo nó como servidor da aplicação de Echo ApplicationContainer serverapps = echoserver.install (nodes.get (1)); // Define o tempo de início e final da aplicação no servidor serverapps.start (Seconds (1.0)); serverapps.stop (Seconds (10.0)); // Configura o endereço IP do servidor e a porta // no cliente da aplicação de Echo Ipv4Address serveraddress = interfaces.getaddress (1); UdpEchoClientHelper echoclient (serveraddress, 9);

17 // Configura o número máximo de pacotes enviados pelo cliente echoclient.setattribute ( MaxPackets, UintegerValue (1)); // Intervalo de tempo entre pacotes no cliente echoclient.setattribute ( Interval, TimeValue (Seconds (1.))); // Tamanho máximo do pacote no cliente echoclient.setattribute ( PacketSize, UintegerValue (1024)); // Configura o cliente da aplicação no primeiro nó ApplicationContainer clientapps = echoclient.install (nodes.get (0));

18 // Define o tempo de início e final da aplicação no cliente clientapps.start (Seconds (2.0)); clientapps.stop (Seconds (10.0)); // Carrega a simulação após todas as definições Simulator::Run (); // Encerra a simulação no final Simulator::Destroy (); return 0; }

19 Dissecando o código Introdução // Adicionar bibliotecas básicas contendo o núcleo do simulador, // os nós, enlaces multiponto (csma/ethernet) e roteamento. #include ns3/core-module.h #include ns3/network-module.h #include ns3/csma-module.h #include ns3/internet-module.h #include ns3/point-to-point-module.h #include ns3/applications-module.h #include ns3/ipv4-global-routing-helper.h

20 // Descrição da topologia multiponto // Default Network Topology // // // n0 n1 n2 n3 n4 // point-to-point // // LAN using namespace ns3; // Definição do log NS_LOG_COMPONENT_DEFINE ( SecondScriptExample );

21 // Função principal do código int main (int argc, char *argv[]) { // Variáveis criadas para enviar parâmetros por linha de comando // Variável para habilitar ou desabilitar o log bool verbose = true; // Variável para atribuir a quantidade mínima de nós (multiponto) uint32_t ncsma = 3; // Variável para receber os parâmetros da linha de comando CommandLine cmd;

22 // Atribui os valores das variáveis digitadas na linha de comando cmd.addvalue ( ncsma, Number of \ extra\ CSMA nodes/devices, ncsma); cmd.addvalue ( verbose, Tell echo applications to log if true, verbose); cmd.parse (argc, argv); // Verificar se o log será habilitado if (verbose) { LogComponentEnable( UdpEchoClientApplication, LOG_LEVEL_INFO); LogComponentEnable( UdpEchoServerApplication, LOG_LEVEL_INFO); }

23 // Caso não seja enviado o número de nós, garante o número // mínimo ncsma = ncsma == 0? 1 : ncsma; // Define e cria dois nós para o enlace ponto a ponto NodeContainer p2pnodes; p2pnodes.create (2); // Define e cria a quantidade mínima de nós para o enlace // multiponto e configura o primeiro nó para conectar na // rede ponto a ponto NodeContainer csmanodes; csmanodes.add (p2pnodes.get (1)); csmanodes.create (ncsma);

24 // Cria o enlace ponto a ponto entre dois nós PointToPointHelper pointtopoint; // Configura a taxa da conexão do enlace ponto a ponto pointtopoint.setdeviceattribute ( DataRate, StringValue ( 5Mbps )); // Configura o atraso do enlace ponto a ponto pointtopoint.setchannelattribute ( Delay, StringValue ( 2ms )); // Configura o dispositivo de rede no enlace ponto a ponto NetDeviceContainer p2pdevices; // Cria os dispositivos e associa-os ao enlace ponto a ponto p2pdevices = pointtopoint.install (p2pnodes);

25 // Cria o enlace multiponto CsmaHelper csma; // Configura a taxa da conexão do enlace multiponto csma.setchannelattribute ( DataRate, StringValue ( 100Mbps )); // Configura o atraso do enlace multiponto csma.setchannelattribute ( Delay, TimeValue (NanoSeconds (6560))); // Configura o dispositivo de rede no enlace multiponto NetDeviceContainer csmadevices; // Cria os dispositivos e associa-os ao enlace multiponto csmadevices = csma.install (csmanodes);

26 // Configurar a pilha de protocolo IP nos nós InternetStackHelper stack; // Somente o primeiro nó ponto a ponto é configurado aqui // pois o segundo nó já pertence ao enlace multiponto stack.install (p2pnodes.get (0)); stack.install (csmanodes); // Configura o endereço IP da rede e sua máscara de subrede // para os dispositivos do enlace ponto a ponto Ipv4AddressHelper address; address.setbase ( , );

27 // Atribui os endereços IP as interfaces de rede // no enlace ponto a ponto Ipv4InterfaceContainer p2pinterfaces = address.assign (p2pdevices); // Configura o endereço IP da rede e sua máscara de subrede // para os dispositivos do enlace multiponto address.setbase ( , ); // Atribui os endereços IP as interfaces de rede // no enlace multiponto Ipv4InterfaceContainer csmainterfaces = address.assign (csmadevices);

28 // Cria o servidor da aplicação de Echo na porta 9 UdpEchoServerHelper echoserver (9); // Configura o último nó do enlace multiponto como // servidor da aplicação de Echo ApplicationContainer serverapps = echoserver.install (csmanodes.get (ncsma)); // Define o tempo de início e final da aplicação no servidor serverapps.start (Seconds (1.0)); serverapps.stop (Seconds (10.0));

29 // Configura a porta no cliente da aplicação de Echo no // último nó do enlace multiponoto UdpEchoClientHelper echoclient (csmainterfaces.getaddress (ncsma), 9); // Configura o número máximo de pacotes enviados pelo cliente echoclient.setattribute ( MaxPackets, UintegerValue (1)); // Intervalo de tempo entre pacotes no cliente echoclient.setattribute ( Interval, TimeValue (Seconds (1.))); // Tamanho máximo do pacote no cliente echoclient.setattribute ( PacketSize, UintegerValue (1024));

30 // Configura o cliente da aplicação no primeiro nó // do enlace ponto a ponto ApplicationContainer clientapps = echoclient.install (p2pnodes.get (0)); // Define o tempo de início e final da aplicação no cliente clientapps.start (Seconds (2.0)); clientapps.stop (Seconds (10.0)); // Configura o roteamento global na rede, // cada nó funciona como se fosse um roteador OSPF Ipv4GlobalRoutingHelper::PopulateRoutingTables (); // Habilita o PCAP/Sniffer no enlace ponto a ponto pointtopoint.enablepcapall ( second );

31 // Habilita o PCAP/Sniffer no enlace multiponto // apenas no primeiro nó de uma rede compartilhada. // True para configurar a interface em modo promíscuo. // Use > tcpdump -nn -tt -r <nome>-<nó>-<dispositivo>.pcap // para rastrear os arquivos PCAP csma.enablepcap ( second, csmadevices.get (1), true); // Carrega a simulação após todas as definições Simulator::Run (); // Encerra a simulação no final Simulator::Destroy (); return 0; }

32 Dissecando o código Introdução // Adicionar bibliotecas básicas contendo o núcleo do simulador, // os nós, enlaces multiponto (csma/ethernet) e roteamento. #include ns3/core-module.h #include ns3/point-to-point-module.h #include ns3/network-module.h #include ns3/applications-module.h #include ns3/wifi-module.h #include ns3/mobility-module.h #include ns3/csma-module.h #include ns3/internet-module.h

33 // Descrição da topologia multiponto // Default Network Topology // // Wifi // AP // * * * * // // // n5 n6 n7 n0 n1 n2 n3 n4 // point-to-point // // LAN using namespace ns3;

34 // Definição do log NS_LOG_COMPONENT_DEFINE ( ThirdScriptExample ); // Função principal do código int main (int argc, char *argv[]) { // Variáveis criadas para enviar parâmetros por linha de comando // Variável para habilitar ou desabilitar o log bool verbose = true; // Variável para atribuir a quantidade mínima de nós (multiponto) uint32_t ncsma = 3; // Variável para atribuir a quantidade mínima de nós (sem fio) uint32_t nwifi = 3;

35 // Variável para receber os parâmetros da linha de comando CommandLine cmd; // Atribui os valores das variáveis digitadas na linha de comando cmd.addvalue ( ncsma, Number of \ extra\ CSMA nodes/devices, ncsma); cmd.addvalue ( nwifi, Number of wifi STA devices, nwifi); cmd.addvalue ( verbose, Tell echo applications to log if true, verbose); cmd.parse (argc, argv); // Verificar se o log será habilitado if (verbose) {

36 LogComponentEnable( UdpEchoClientApplication, LOG_LEVEL_INFO); LogComponentEnable( UdpEchoServerApplication, LOG_LEVEL_INFO); } // Caso não seja enviado o número de nós, garante o número // mínimo ncsma = ncsma == 0? 1 : ncsma; // Define e cria dois nós para o enlace ponto a ponto NodeContainer p2pnodes; p2pnodes.create (2);

37 // Define e cria a quantidade mínima de nós para o enlace // multiponto e configura o primeiro nó para conectar na // rede ponto a ponto NodeContainer csmanodes; csmanodes.add (p2pnodes.get (1)); csmanodes.create (ncsma); // Cria o enlace ponto a ponto entre dois nós PointToPointHelper pointtopoint; // Configura a taxa da conexão do enlace ponto a ponto pointtopoint.setdeviceattribute ( DataRate, StringValue ( 5Mbps ));

38 // Configura o atraso do enlace ponto a ponto pointtopoint.setchannelattribute ( Delay, StringValue ( 2ms )); // Configura o dispositivo de rede no enlace ponto a ponto NetDeviceContainer p2pdevices; // Cria os dispositivos e associa-os ao enlace ponto a ponto p2pdevices = pointtopoint.install (p2pnodes); // Cria o enlace multiponto CsmaHelper csma; // Configura a taxa da conexão do enlace multiponto csma.setchannelattribute ( DataRate, StringValue ( 100Mbps ));

39 // Configura o atraso do enlace multiponto csma.setchannelattribute ( Delay, TimeValue (NanoSeconds (6560))); // Configura o dispositivo de rede no enlace multiponto NetDeviceContainer csmadevices; // Cria os dispositivos e associa-os ao enlace multiponto csmadevices = csma.install (csmanodes); // Define e cria a quantidade mínima de nós para o enlace // sem fio e configura o primeiro nó para ser o AP NodeContainer wifistanodes; wifistanodes.create (nwifi); NodeContainer wifiapnode = p2pnodes.get (0);

40 // Cria o canal e associa-o a camada física // da rede sem fio YansWifiChannelHelper channel = YansWifiChannelHelper:: Default (); YansWifiPhyHelper phy = YansWifiPhyHelper::Default (); phy.setchannel (channel.create ()); // Define a camada de enlace da rede sem fio // básica, sem QoS e usando AARF para controlar // a taxa do canal de dados WifiHelper wifi = WifiHelper::Default (); wifi.setremotestationmanager ( ns3::aarfwifimanager ); NqosWifiMacHelper mac = NqosWifiMacHelper::Default ();

41 // Configura o SSID da rede sem fio, com o tipo do MAC // e desabilita a sondagem nas STA (estações) Ssid ssid = Ssid ( ns-3-ssid ); mac.settype ( ns3::stawifimac, Ssid, SsidValue (ssid), ActiveProbing, BooleanValue (false)); // Configura o dispositivo de rede no enlace sem fio NetDeviceContainer stadevices; // Cria os dispositivos e associa-os ao enlace sem fio stadevices = wifi.install (phy, mac, wifistanodes);

42 // Configura o SSID da rede sem fio, como o tipo do MAC // no AP (ponto de acesso) mac.settype ( ns3::apwifimac, Ssid, SsidValue (ssid))); // Configura o dispositivo de rede no enlace sem fio NetDeviceContainer apdevices; // Cria o dispositivo e associa-o ao enlace sem fio apdevices = wifi.install (phy, mac, wifiapnode); // Configura o modelo de mobilidade para as estações, // definindo as dimenssões e o layout da grade MobilityHelper mobility; mobility.setpositionallocator ( ns3::gridpositionallocator,

43 MinX, DoubleValue (0.0), MinY, DoubleValue (0.0), DeltaX, DoubleValue (5.0), DeltaY, DoubleValue (10.0), GridWidth, UintegerValue (3), LayoutType, StringValue ( RowFirst )); // Define e instala o modelo de mobilidade aleatória, tanto // para direção quanto para velocidade nas estações mobility.setmobilitymodel ( ns3::randomwalk2dmobilitymodel, Bounds, RectangleValue (Rectangle (-50, 50, -50, 50))); mobility.install (wifistanodes);

44 // Define a posição constante (sem mobilidade) para o AP mobility.setmobilitymodel ( ns3::constantpositionmobilitymodel ); mobility.install (wifiapnode); // Configurar e instala a pilha de protocolo IP nos nós InternetStackHelper stack; stack.install (csmanodes); stack.install (wifiapnode); stack.install (wifistanodes); // Configura o endereço IP da rede e sua máscara de subrede // para os dispositivos dos enlaces ponto a ponto, // multiponto e sem fio Ipv4AddressHelper address;

45 address.setbase ( , ); Ipv4InterfaceContainer p2pinterfaces = address.assign (p2pdevices); address.setbase ( , ); Ipv4InterfaceContainer csmainterfaces = address.assign (csmadevices); address.setbase ( , ); address.assign (stadevices); address.assign (apdevices);

46 // Cria o servidor da aplicação de Echo na porta 9 UdpEchoServerHelper echoserver (9); // Configura o último nó do enlace multiponto como // servidor da aplicação de Echo ApplicationContainer serverapps = echoserver.install (csmanodes.get (ncsma)); // Define o tempo de início e final da aplicação no servidor serverapps.start (Seconds (1.0)); serverapps.stop (Seconds (10.0));

47 // Configura a porta no cliente da aplicação de Echo no // último nó do enlace multiponoto UdpEchoClientHelper echoclient (csmainterfaces.getaddress (ncsma), 9); // Configura o número máximo de pacotes enviados pelo cliente echoclient.setattribute ( MaxPackets, UintegerValue (1)); // Intervalo de tempo entre pacotes no cliente echoclient.setattribute ( Interval, TimeValue (Seconds (1.))); // Tamanho máximo do pacote no cliente echoclient.setattribute ( PacketSize, UintegerValue (1024));

48 // Configura o cliente da aplicação no penultimo nó // do enlace sem fio apontando para o servidor no // enlace multiponto ApplicationContainer clientapps = echoclient.install (wifistanodes.get (nwifi - 1)); // Define o tempo de início e final da aplicação no cliente clientapps.start (Seconds (2.0)); clientapps.stop (Seconds (10.0)); // Configura o roteamento global na rede, // cada nó funciona como se fosse um roteador OSPF Ipv4GlobalRoutingHelper::PopulateRoutingTables ();

49 // Evita que o AP crie pacotes sinalizadores // (beacons) indeterminadamente no simulador Simulator::Stop (Seconds (10.0)); // Habilita o PCAP/Sniffer no enlace ponto a ponto pointtopoint.enablepcapall ( third ); // Habilita o PCAP/Sniffer no enlace multiponto // apenas no primeiro nó de uma rede compartilhada. // True para configurar a interface em modo promíscuo. // Use > tcpdump -nn -tt -r <nome>-<nó>-<dispositivo>.pcap // para rastrear os arquivos PCAP csma.enablepcap ( second, csmadevices.get (0), true); // Habilita o PCAP/Sniffer no enlace sem fio phy.enablepcap ( third, apdevices.get (0));

50 // Carrega a simulação após todas as definições Simulator::Run (); // Encerra a simulação no final Simulator::Destroy (); return 0; }

51 Arquivo de saída Filtrar resultados Preparar o arquivo Como fazer? Existem várias ferramentas para tratar o arquivo de saída, entre elas estão as linguagens de script, as quais permitem filtrar, calcular e armazenar os resultados de acordo com as necessidades do usuário. Exemplos de ferramentas Shell Script Perl Python AWK GnuPlot O GnuPlot permite executar códigos AWK dentro de seus scripts.

52 Código exemplo com AWK Arquivo de saída Filtrar resultados BEGIN{ iip=0; iarp_rep=0; iarp_req=0; } { if ($2== IP ) { tempoip[iip]=$1; pacotesip[iip]=pacotesip[iip-1]+$8; iip++; };

53 Código exemplo com AWK Arquivo de saída Filtrar resultados if ($2== ARP, && $3== Request ) { tempoarp_req[iarp_req]=$1; pacotesarp_req[iarp_req]= pacotesarp_req[iarp_req-1]+$10; iarp_req++; }; if ($2== ARP, && $3== Reply ) { tempoarp_rep[iarp_rep]=$1; pacotesarp_rep[iarp_rep]= pacotesarp_rep[iarp_rep-1]+$8; iarp_rep++; }; }

54 Código exemplo com AWK Arquivo de saída Filtrar resultados END{ ip=0; arp_rep=0; arp_req=0; while (ip<iip) {print Bytes IP enviados pacotesip[ip] em tempoip[ip] segundos ; ip+=1;}; while (arp_rep<iarp_rep) {print Bytes ARP_REP enviados pacotesarp_rep[arp_rep] em tempoarp_rep[arp_rep] segundos ; arp_rep+=1;}; while (arp_req<iarp_req) {print Bytes ARP_REQ enviados pacotesarp_req[arp_req] em tempoarp_req[arp_req] segundos ; arp_req+=1;}; }

55 Executando o exemplo com AWK Arquivo de saída Filtrar resultados > tcpdump -nn -tt -r second-2-0.pcap awk -f exemplo1_awk.awk Saída (padrão/tela) do comando acima: Bytes IP enviados 1024 em segundos Bytes IP enviados 2048 em segundos Bytes ARP_REP enviados 50 em segundos Bytes ARP_REP enviados 100 em segundos Bytes ARP_REQ enviados 50 em segundos Bytes ARP_REQ enviados 100 em segundos

56 Executando o exemplo com AWK Arquivo de saída Filtrar resultados Comando para redirecionar a saída no arquivo de plotagem: > tcpdump -nn -tt -r second-2-0.pcap awk -f "exemplo1_awk.awk» plotagem.dat Não vai funcionar no Gnuplot, pois falta eliminar as strings/textos.

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA Introdução às Redes de Comunicação

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA Introdução às Redes de Comunicação i Universidade de Coimbra Faculdade de Ciências e Tecnologia DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA Introdução às Redes de Comunicação Network Simulator 3 (ns-3) Ano Lectivo de 2009/2010 www.nsnam.org

Leia mais

ns-3 Rastreamento Versão ns-3-dev ns-3 project

ns-3 Rastreamento Versão ns-3-dev ns-3 project ns-3 Rastreamento Versão ns-3-dev ns-3 project 04/07/2015 Sumário 1 Introdução 3 1.1 Para os usuários do ns-2......................................... 3 1.2 Contribuindo...............................................

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

3 Ferramenta de Simulação

3 Ferramenta de Simulação 3 Ferramenta de Simulação Para definir a ferramenta de simulação a ser utilizada para implementação do protocolo HIP e para coleta dos resultados de simulação com uso desse protocolo, realizou-se um estudo

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes (Continuação) 2 Camada de Rede 3 NAT: Network Address Translation restante da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

ns-3 Rastreamento Versão ns-3.18.1 ns-3 project

ns-3 Rastreamento Versão ns-3.18.1 ns-3 project ns-3 Rastreamento Versão ns-3.18.1 ns-3 project 16/11/2013 Sumário 1 Introdução 3 1.1 Para os usuários do ns-2......................................... 3 1.2 Contribuindo...............................................

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga OSPF O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Protocolos ARP e ICMP Aula 18 A camada de rede fornece um endereço lógico Uniforme, independente da tecnologia empregada pelo enlace

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes 2 O que acontece na camada de rede Transporta segmentos do hospedeiro transmissor para o receptor Roteador examina campos de cabeçalho em todos os datagramas

Leia mais

LABORATÓRIO I. UMA REDE DE DIFUSÃO SIMPLES USANDO HUB COMO DOMÍNIO DE COLISÃO Documento versão 0.2. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135

LABORATÓRIO I. UMA REDE DE DIFUSÃO SIMPLES USANDO HUB COMO DOMÍNIO DE COLISÃO Documento versão 0.2. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 LABORATÓRIO I UMA REDE DE DIFUSÃO SIMPLES USANDO HUB COMO DOMÍNIO DE COLISÃO Documento versão 0.2 Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 Orientado pela Professora Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo

Leia mais

ARP. Tabela ARP construída automaticamente. Contém endereço IP, endereço MAC e TTL

ARP. Tabela ARP construída automaticamente. Contém endereço IP, endereço MAC e TTL ARP Protocolo de resolução de endereços (Address Resolution Protocol) Descrito na RFC 826 Faz a tradução de endereços IP para endereços MAC da maioria das redes IEEE 802 Executado dentro da sub-rede Cada

Leia mais

Introdução Introduç ão Rede Rede TCP/IP Roteame Rotea nto nto CIDR

Introdução Introduç ão Rede Rede TCP/IP Roteame Rotea nto nto CIDR Introdução as Redes TCP/IP Roteamento com CIDR LAN = Redes de Alcance Local Exemplo: Ethernet II não Comutada Barramento = Broadcast Físico Transmitindo ESCUTANDO ESCUTANDO A quadro B C B A. DADOS CRC

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

cio Roteamento Linux

cio Roteamento Linux Exercício cio Roteamento Linux Edgard Jamhour Exercícios práticos para configuração de roteamento usando Linux Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br

Leia mais

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem 1 1. Introdução / 2. Conteúdo da embalagem 1. Introdução O Repetidor WiFi Multilaser é a combinação entre uma conexão com e sem fio. Foi projetado especificamente para pequenas empresas, escritórios e

Leia mais

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco Instituto Federal do Ceará IFCE Campus de Canindé Prof. DSc. Rodrigo Costa - rodrigo.costa@ifce.edu.br Introdução à Tecnologia Cisco Definições Básicas Mercado em Redes Componentes Básicos Funcionamento

Leia mais

Programação científica C++

Programação científica C++ Programação científica C++ NIELSEN CASTELO DAMASCENO Slide 1 Linguagens de Programação Uma linguagem de programação é um método padronizado para expressar instruções para um computador. É um conjunto

Leia mais

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site.

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Foi necessário configurar esse segundo adaptador, porque talvez seja necessário fazer o download de alguma

Leia mais

Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul

Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Redes Locais Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://professoreduardoaraujo.com Modelo de Rede Hierárquico Camada de

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

CRISTIAN TIAGO ERAZO MENDES AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ALGORITMOS DE ESCALONAMENTO DE DADOS EM REDES LTE

CRISTIAN TIAGO ERAZO MENDES AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ALGORITMOS DE ESCALONAMENTO DE DADOS EM REDES LTE CRISTIAN TIAGO ERAZO MENDES AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ALGORITMOS DE ESCALONAMENTO DE DADOS EM REDES LTE LAVRAS MG 2014 CRISTIAN TIAGO ERAZO MENDES AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DE ALGORITMOS DE ESCALONAMENTO

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Redes de Computadores II INF-3A

Redes de Computadores II INF-3A Redes de Computadores II INF-3A 1 ROTEAMENTO 2 Papel do roteador em uma rede de computadores O Roteador é o responsável por encontrar um caminho entre a rede onde está o computador que enviou os dados

Leia mais

LABORATÓRIO V. NAT E FIREWALL Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135

LABORATÓRIO V. NAT E FIREWALL Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 LABORATÓRIO V NAT E FIREWALL Documento versão 0.1 Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 Orientado pela Professora Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco Julho / 2010 Laboratório V NAT e Firewall

Leia mais

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral RCO2 LANs, MANs e WANs Visão geral 1 LAN, MAN e WAN Classificação quanto a alcance, aplicação e tecnologias Distâncias: WAN: : distâncias arbitrariamente longas MAN: : distâncias médias (urbanas) LAN:

Leia mais

Teleprocessamento e Redes (MAB-510) Gabarito da Segunda Lista de Exercícios 01/2010

Teleprocessamento e Redes (MAB-510) Gabarito da Segunda Lista de Exercícios 01/2010 Teleprocessamento e Redes (MAB-510) Gabarito da Segunda Lista de Exercícios 01/2010 Prof. Silvana Rossetto (DCC/IM/UFRJ) 1 13 de julho de 2010 Questões 1. Qual é a diferença fundamental entre um roteador

Leia mais

Laboratório. Assunto: endereçamento IP e roteamento.

Laboratório. Assunto: endereçamento IP e roteamento. Assunto: endereçamento IP e roteamento. Laboratório Objetivo: verificar conectivade básica com a rede, atribuir (estaticamente) endereços IP, adicionar rotas (manualmente) e verificar o caminho seguido

Leia mais

Sniffers de Rede e Kismet

Sniffers de Rede e Kismet Sniffers de Rede e Kismet Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 12 Aula 12 Rafael Guimarães 1 / 21 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 Wireshark 3 Kismet Aula 12 Rafael Guimarães 2 / 21 Motivação

Leia mais

Aula Prática Roteador

Aula Prática Roteador Aula Prática Roteador INTRODUÇÃO Os roteadores são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes como, por exemplo, redes IP. Diferentes redes IPs enviam suas informações/tráfego por meio

Leia mais

LABORATÓRIO III. ROTEAMENTO ESTÁTICO Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135

LABORATÓRIO III. ROTEAMENTO ESTÁTICO Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 LABORATÓRIO III ROTEAMENTO ESTÁTICO Documento versão 0.1 Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 Orientado pela Professora Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco Maio / 2010 Laboratório III Roteamento

Leia mais

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01

Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01. - 1 - Rev01 Application Note FBEE Comunicação Serial Wireless REV01-1 - Rev01 1. INTRODUÇÃO Aplicações com redes sem fio vêm se tornando bastante comuns. De aplicações industriais a projetos específicos, criou-se

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Camada de Aplicação A camada de Aplicação é a que fornece os serviços Reais para os usuários: E-mail, Acesso a Internet, troca de arquivos, etc. Portas

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Apple ipad ( ipad Primeira Geração, ipad 2, ou ipad terceira geração)

Apple ipad ( ipad Primeira Geração, ipad 2, ou ipad terceira geração) 1.0 Exigências de Sistema Apple ipad ( ipad Primeira Geração, ipad 2, ou ipad terceira geração) Yamaha M7CL ou LS9 ou CL series Ponto de acesso Wi-Fi ( preferencialmente com 802.11n, 5GHz, embora 2.4GHz

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva ROTEADOR Roteador CISCO 2600: INTERFACES DE UM ROTEADOR - Interface p/ WAN - Interface p/ LAN - Interface p/

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Modulo 3 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Protocolo ARP Address Resolution Protocol 2 IP utiliza endereços de 32 bits para localização de

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

Para começarmos as configurações, primeiramente vamos habilitar o DVR Veicular para o acesso. Clique em Menu e depois entre em Geral.

Para começarmos as configurações, primeiramente vamos habilitar o DVR Veicular para o acesso. Clique em Menu e depois entre em Geral. DVR Veicular Para começarmos as configurações, primeiramente vamos habilitar o DVR Veicular para o acesso. Clique em Menu e depois entre em Geral. Dentro do menu Geral, clique em rede, como mostra a figura.

Leia mais

Câmera IP Sem/Com Fio. Manual de Instalação Rápida. (Para MAC OS)

Câmera IP Sem/Com Fio. Manual de Instalação Rápida. (Para MAC OS) Modelo:FI8918W Câmera IP Sem/Com Fio Manual de Instalação Rápida (Para MAC OS) Modelo:FI8918W Color:Preta Modelo:FI8918W Color: Branca ShenZhen Foscam Intelligent Technology Co., Ltd Manual de Instalação

Leia mais

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma "mini-tabela" de roteamento:

Na Figura a seguir apresento um exemplo de uma mini-tabela de roteamento: Tutorial de TCP/IP - Parte 6 - Tabelas de Roteamento Por Júlio Cesar Fabris Battisti Introdução Esta é a sexta parte do Tutorial de TCP/IP. Na Parte 1 tratei dos aspectos básicos do protocolo TCP/IP. Na

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

Manual da Aplicação Water Monitor

Manual da Aplicação Water Monitor Manual da Aplicação Water Monitor 1. Descrição da Aplicação 2. Pré-Requisitos de Instalação 3. Passos para Execução 4. Instruções de Uso das Funcionalidades 5. Observações 1. Descrição da Aplicação A aplicação

Leia mais

Sumário. 4. Clique no botão Salvar & Aplicar para confirmar as alterações realizadas no. Reiniciar o SIMET- BOX

Sumário. 4. Clique no botão Salvar & Aplicar para confirmar as alterações realizadas no. Reiniciar o SIMET- BOX Manual do usuário Sumário Introdução... 3! Instalar o SIMET-BOX... 4! Primeiro acesso ao SIMET-BOX... 5! Estado Atual... 7! Visão Geral... 7! Gráficos... 8! Rede... 9! Rede sem fio... 9! Ativar rede sem

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina;

Aula prática. Objetivo IPCONFIG. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br. Informa a configuração atual de rede da máquina; Aula prática Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Objetivo Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede. No windows existem

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento)

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Este roteiro descreve um cenário prático que ilustra o funcionamento dos mecanismos de policiamento e marcação utilizados pela metodologia

Leia mais

Prática NAT/Proxy. Edgard Jamhour. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.

Prática NAT/Proxy. Edgard Jamhour. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr. Prática NAT/Proxy Edgard Jamhour Exercícios práticos sobre NAT e Proxy, usando Linux. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais:.ppgia.pucpr.br OBS. Esse roteiro utiliza

Leia mais

Faça mais. Saiba mais sobre o EX6200

Faça mais. Saiba mais sobre o EX6200 Faça mais Saiba mais sobre o EX6200 Conteúdo Conheça o WiFi da próxima geração................................. 3 Otimize seu WiFi.................................................. 4 Compartilhe arquivos

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 04 Prof. André Lucio Competências da aula 3 Servidor de DHCP. Servidor de Arquivos. Servidor de Impressão. Aula 04 CONCEITOS

Leia mais

Lista de Erros Discador Dial-Up

Lista de Erros Discador Dial-Up Lista de Erros Discador Dial-Up Erro Código Descrição Ok 1 Usuário autenticado com sucesso e conexão encerrada pelo usuário OK 11 Usuário autenticado com sucesso e discador terminado pelo usuário OK 21

Leia mais

Laboratório 1. Configurando as Interfaces de redes

Laboratório 1. Configurando as Interfaces de redes Durante este laboratório iremos configurar as duas interfaces de rede (eth0 e ) do servidor Ubuntu Server. A interface eth0 será configurada como interface de entrada da Internet e a será a interface responsável

Leia mais

Mobilidade em Redes 802.11

Mobilidade em Redes 802.11 Mobilidade em Redes 802.11 Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 14 Aula 14 Rafael Guimarães 1 / 37 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 O protocolo MAC 802.11 3 Quadro 802.11 4 802.11: Mobilidade

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2 1.1 Introdução... 2 1.2 Estrutura do IP... 3 1.3 Tipos de IP... 3 1.4 Classes de IP... 4 1.5 Máscara de Sub-Rede... 6 1.6 Atribuindo um IP ao computador... 7 2

Leia mais

Procedimentos para utilização do Sistema de Apoio a Gerência Unificada de Informações - SAGUI

Procedimentos para utilização do Sistema de Apoio a Gerência Unificada de Informações - SAGUI Procedimentos para utilização do Sistema de Apoio a Gerência Unificada de Informações - SAGUI Índice 1. - Histórico do Documento...1 2. - Introdução...2 3. - Requisitos...3 4. - Operacionalização do SAGUI...3

Leia mais

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian.

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Pré requisitos para pratica desse tutorial. Saber utilizar maquina virtual no virtual Box ou vmware. Saber instalar ubuntu ou debian na maquina virtual.

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Laboratório de Redes de Computadores 2 8 o experimento Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Introdução A interligação de

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

Configurando o Balanceamento de Carga em Concentradores VPN 3000

Configurando o Balanceamento de Carga em Concentradores VPN 3000 Configurando o Balanceamento de Carga em Concentradores VPN 3000 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Principais definições Diagrama de Rede Endereços Restrições

Leia mais

1. Alguns protocolos básicos da pilha TCP/IP

1. Alguns protocolos básicos da pilha TCP/IP 1. Alguns protocolos básicos da pilha TCP/IP 1.1 Exemplo de subredes HUB ROTEADOR HUB 1.2 ICMP - Internet Control Message Protocol ICMP é um protocolo que roda sobre IP e é usado para comunicar diversas

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento em OpenFlow

Projeto de Desenvolvimento em OpenFlow Projeto de Desenvolvimento em OpenFlow Prof. Cesar Marcondes 1 o Semestre 2011 Projeto - Balanceador de Carga March 19, 2011. 1 Projeto - Balanceador de Carga O balanceamento de carga é uma técnica para

Leia mais

Arquitetura de Rede de Computadores

Arquitetura de Rede de Computadores TCP/IP Roteamento Arquitetura de Rede de Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Ementa da Disciplina 4. Roteamento i. Máscara de Rede ii. Sub-Redes iii. Números Binários e Máscara de Sub-Rede iv. O Roteador

Leia mais

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet Edgard Jamhour Ethernet não-comutada (CSMA-CD) A Ethernet não-comutada baseia-se no princípio de comunicação com broadcast físico. a b TIPO DADOS (até 1500

Leia mais

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira

Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira Aula Prática Wi-fi Professor Sérgio Teixeira INTRODUÇÃO Os Access Points ou ponto de acesso wi-fi são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes sem fio e com fio (infraestrutura).

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº2 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº2 Configuração de TCP/IP numa rede de computadores Utilização de Ipconfig, Ping e Tracert

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Antes de começar a configurar o seu switch, você deve estabelecer suas conexões. Existem dois tipos de conexões: através da porta de console e através da porta Ethernet. A porta

Leia mais

Com o DPR-1260 podem ser utilizadas até 4 impressoras USB. Segue um exemplo de topologia a que o equipamento atende:

Com o DPR-1260 podem ser utilizadas até 4 impressoras USB. Segue um exemplo de topologia a que o equipamento atende: Com o DPR-1260 podem ser utilizadas até 4 impressoras USB. Segue um exemplo de topologia a que o equipamento atende: 1 1- Para configurar o DPR-1260 conecte um cabo de rede na porta LAN do DPR-1260 até

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 2.9 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

Guia de conexão. Sistemas operacionais suportados. Instalando a impressora. Guia de conexão

Guia de conexão. Sistemas operacionais suportados. Instalando a impressora. Guia de conexão Página 1 de 5 Guia de conexão Sistemas operacionais suportados Com o CD de Software e documentação, você pode instalar o software da impressora nos seguintes sistemas operacionais: Windows 8 Windows 7

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Lembrando...desempenho de redes ethernet Instituto de Informátic ca - UFRGS Redes de Computadores Equipamentos de Interconexão de redes Aula 12! Ethernet emprega meio compartilhado para transmitir dados

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Elementos de Redes Locais

Fundamentos de Redes de Computadores. Elementos de Redes Locais Fundamentos de Redes de Computadores Elementos de Redes Locais Contexto Implementação física de uma rede de computadores é feita com o auxílio de equipamentos de interconexão (repetidores, hubs, pontos

Leia mais

PRÁTICA DE VLAN - LINUX 1. AMBIENTE PARA REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS UTILIZAÇÃO DA IMAGEM NO DVD UTILIZAÇÃO DO SERVIDOR REMOTO ESPEC

PRÁTICA DE VLAN - LINUX 1. AMBIENTE PARA REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS UTILIZAÇÃO DA IMAGEM NO DVD UTILIZAÇÃO DO SERVIDOR REMOTO ESPEC PRÁTICA DE VLAN - LINUX Exercícios práticos sobre VLANs usando Linux. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br IMPORTANTE: Para facilitar a execução

Leia mais

Câmera IP Sem/Com Fio. Manual de Instalação Rápida. (Para Windows OS)

Câmera IP Sem/Com Fio. Manual de Instalação Rápida. (Para Windows OS) Câmera IP Sem/Com Fio Manual de Instalação Rápida (Para Windows OS) Modelo:FI8904W Modelo:FI8905W ShenZhen Foscam Intelligent Technology Co., Ltd Manual de Instalação Rápida Conteúdo da Embalagem 1) Câmera

Leia mais

Comandos Linux Comando tcpdump, guia de referência e introdução. Sobre este documento

Comandos Linux Comando tcpdump, guia de referência e introdução. Sobre este documento Comandos Linux Comando tcpdump, guia de referência e introdução Sobre este documento Este documento pode ser utilzado e distribído livremente desde que citadas as fontes de autor e referências, o mesmo

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Voltar. Placas de rede

Voltar. Placas de rede Voltar Placas de rede A placa de rede é o dispositivo de hardware responsável por envio e recebimento de pacotes de dados e pela comunicação do computador com a rede. Existem placas de rede on-board(que

Leia mais

Entendendo como funciona o NAT

Entendendo como funciona o NAT Entendendo como funciona o NAT Vamos inicialmente entender exatamente qual a função do NAT e em que situações ele é indicado. O NAT surgiu como uma alternativa real para o problema de falta de endereços

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

Instruções de Instalação do Agente RMON2

Instruções de Instalação do Agente RMON2 Instruções de Instalação do Agente RMON2 Débora Pandolfi Alves deborapa@terra.com.br Ricardo Nabinger Sanchez rnsanchez@cscience.org Lúcio Braga luciobraga@yahoo.com.br Luciano Paschoal Gaspary paschoal@exatas.unisinos.br

Leia mais

Manual de Instalação. Instalação via apt-get

Manual de Instalação. Instalação via apt-get Manual de Instalação Instalação via apt-get Índice de capítulos 1 - Pré-requisitos para instalação......................................... 01 2 - Instalando o SIGA-ADM.................................................

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB)

Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB) Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB) Este roteiro descreve um cenário prático onde o algoritmo Hierarchical Token Bucket (HTB) é utilizado para criar uma política de QoS flexível,

Leia mais

Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x

Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x Laboratório de RCO2 10 o experimento Objetivos: i) Configurar o controle de acesso IEEE 802.1x em uma LAN ii) Usar VLANs dinâmicas baseadas em usuário Introdução A norma IEEE 802.1x define o controle de

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

ROTEADOR WIRELESS N 300 ADSL2+ DSL-2740E GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA

ROTEADOR WIRELESS N 300 ADSL2+ DSL-2740E GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA ROTEADOR WIRELESS N 300 ADSL2+ GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CONTEÚDO DA EMBALAGEM CONTEÚDO ROTEADOR WIRELESS N 300 ADSL2+ ADAPTADOR DE ENERGIA ADAPTADOR CABO ETHERNET (CABO RJ-45) CONECTE O MODEM NO COMPUTADOR

Leia mais

VRV-300L VERO TECNOLOGIA. Para uma perfeita utilização leia completamente este manual antes de

VRV-300L VERO TECNOLOGIA. Para uma perfeita utilização leia completamente este manual antes de VRV-300L VERO TECNOLOGIA 1 - A embalagem contem. *1x Roteador VerOLine VRV-300L Para uma perfeita utilização leia completamente este manual antes de realizar os testes e a instalação. Lembramos que é necessário

Leia mais