Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x"

Transcrição

1 Laboratório de RCO2 10 o experimento Objetivos: i) Configurar o controle de acesso IEEE 802.1x em uma LAN ii) Usar VLANs dinâmicas baseadas em usuário Introdução A norma IEEE 802.1x define o controle de acesso em nível de enlace em uma LAN. Um usuário ou equipamento deve primeiro se identificar frente à rede para somente então poder se comunicar. Esse controle de acesso depende de três componentes: i) Cliente (supplicant): o equipamento que deseja usar a rede ii) Autenticador: o equipamento da rede (switch ou AP) que faz o controle de acesso do cliente. iii) Servidor de autenticação: serviço (usualmente RADIUS) que verifica as credenciais fornecidas pelo cliente Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x O switch Dlink DES-3526 do laboratório de Redes 1 tem suporte a IEEE 802.1x. Com ele se pode fazer autenticação baseada em porta ou em endereço MAC. Cada porta do switch funciona como um autenticador separado, o que possibilita que existam portas com controle de acesso misturadas com portas sem controle de acesso. O switch recebe as credenciais fornecidas pelo supplicant, e as repassa a um servidor de autenticação Radius. A figura 2 mostra uma configuração possível com esse switch.

2 Ilustração 2: Rede com portas controladas com IEEE 802.1x e switch DES-3526 Além da identificação do usuário para que ele possa ter acesso à rede, é possível definir a VLAN em que ele deve ser colocado (ver RFC 3580). Isto possibilita a definição de VLANs dinâmicas, e o acesso de um usuário a uma VLAN predefinida independente do ponto da rede que ele utiliza. Por exemplo, em um mesmo computador no IFSC um professor cairia na VLAN dos professores, com acesso a servidores específicos e certos tipos de tráfego liberados, e um aluno cairia na VLAN dos alunos. O switch DES-3526 suporta a definição de VLANs dinâmicas desta forma, bastando que o servidor de autenticação Radius informe a VLAN onde o usuário deve ser colocado. Roteiro 1. Conecte os computadores de sua bancada ao switch DES Acesse a interface web do switch (switch da esquerda = , da direita = ). 3. Habilite no switch o controle de acesso por porta IEEE 802.1x, usando o menu Configuration -> Advanced Settings. 4. Configure as portas que estarão sujeitas ao controle de acesso em Security -> Port Access Entity->PAE. 5. Configure o servidor RADIUS em Security Management-> Port Access Entity ->RADIUS. Os valores a serem preenchidos são:

3 IP: Authentication port: 1812 Accounting port: 1813 Secret key: redes1 6. Inicie a máquina virtual (VirtualBox), selecionando Ubuntu. Após o boot logue como aluno, e em seguida obtenha um shell de root (com sudo -s). Em seguida instale no seu computador a configuração do supplicant, que está em: Copie esse arquivo de configuração (rco2.conf), e grave-o dentro do subdiretório /etc/wpa_suplicant. O conteúdo de rco2.conf segue abaixo: ctrl_interface=dir=/var/run/wpa_supplicant GROUP=wheel ap_scan=0 network={ key_mgmt=ieee8021x eap=md5 identity="aluno" password="notsecure" eapol_flags=0 } Repare que as opções informam que se use o método EAP-MD5 (sem encriptação), com usuário aluno e senha notsecure. 7. Tendo tudo isto pronto, tente estabelecer alguma comunicação usando um dos computadores conectados ao switch. Você pode tentar fazer ping (este é o computador do professor). Se conseguir, então significa que o controle de acesso não foi ativado, e assim verifique a configuração do 802.1x no switch. 8. Execute o programa wpa_supplicant para efetuar a autenticação no switch e ter acesso à rede. O comando a ser executado é wpa_supplicant -Dwired -i eth0 -c /etc/wpa_supplicant/rco2.conf. Repare nas mensagens informadas pelo wpa_supplicant. Após ele informar que a autenticação teve sucesso tente novamente se comunicar na rede. 9. Temine o processo wpa_supplicant, fazendo CTRL C. Depois disto você consegue ainda acessar a rede? 10. Reative o wpa_supplicant, e espere que ele se autentique. Teste a comunicação na rede e, após verificar que está funcionando, desconecte o computador do switch por alguns segundos e reconecte-o em seguida. O wpa_supplicant mostrou algum aviso relacionado a isto? 11. Desconecte o computador do switch e em seguida mate o wpa_supplicant (comando killall -9 wpa_supplicant ). Reconecte o computador, e teste a comunicação. Foi possível se comunicar pela rede? O que se pode concluir com isto? 12. Pare o wpa_supplicant, e em seguida execute o wireshark (fora da máquina virtual, usando o comando sudo wireshark), de forma a coletar o tráfego da interface eth0. Execute de novo o wpa_supplicant,, observando os quadros mostrados pelo wireshark.. Você deve conseguir ver as mensagens do protocolo de enlace EAPOL, que faz a autenticação entre o equipamento cliente (via wpa_supplicant) ) e a rede (o switch). 13. Termine o wpa_supplicant,, e observe as mensagens do EAPOL com o wireshark.. Note o

4 término de sessão (mensagem EAPOL Logoff), com consequente bloqueio da porta. 14. O controle de acesso feito se baseia na porta do switch. Assim, uma vez um usuário tendo se autenticado, a porta do switch é liberada. Para testar isto, conecte dois computadores ao hub 3Com e então conecte esse hub ao switch, para criar um cenário parecido com o da figura 3. Faça a autenticação em apenas um dos computadores e então verifique se o outro computador consegue usar a rede. Isto foi possível? Que consequências isto teria do ponto de vista de segurança? Ilustração 3: Rede com mais de um cliente por porta do switch 15. O controle de acesso pode ser feito também baseado em MAC. Assim, cada equipamento conectado ao switch precisaria se autenticar de forma independente, mesmo que use uma porta compartilhada com outros equipamentos. Mude a configuração do switch para habilitar o controle baseado em MAC, e repita o ítem A RFC 3580 define um mecanismo simples para definição de VLANs dinâmicas que possibilita que usuários autenticados com IEEE 802.1x sejam colocados em VLANs predefinidas, além do conceito de Guest VLAN mostrado na figura 4. Para testar isto crie duas VLANs no switch, com VID 5 e 10. Defina a VLAN 10 com sendo uma Guest VLAN (em Security Management -> Port Access Entity -> Guest VLAN), e deixe a VLAN 5 vazia. Tire da VLAN 1 as portas que estão sendo usadas com 802.1x. Em seguida refaça a autenticação com wpa_supplicant e verifique o status das VLANs no switch (veja que portas são membros das VLANs). O que aconteceu?

5 Ilustração 4: Processo de seleção de VLAN de acordo com a autenticação 17. Para demonstrar a possibilidade de definir a VLAN em função do usuário, crie uma nova VLAN com VID 7. Em seguida edite o arquivo /etc/wpa_supplicant/rco2.conf, e defina o usuário professor, com senha redes2. Depois refaça a autenticação com o wpa_supplicant. Verifique o status das VLANs no switch. Como estão as VLANs agora? 18. Para encerrar o experimento de hoje, deve ser implantada uma rede no laboratório com a seguintes características: i) Todo usuário deve ser autenticado na rede com IEEE x antes de poder usá-la. ii) Usuários pertencem a três categorias: alunos, professores, e visitantes. Alunos podem acessar somente os servidores do IFSC, visitantes podem apenas acessar o servidor Web do IFSC, e professores podem acessar qualquer serviço (externo ou interno). iii) As restrições de acesso a serem impostas a cada usuário devem ser ativadas assim que a autenticação tiver sucesso. Usuários que falhem em se autenticar são considerados visitantes. iv) Para testar sua configuração, existem os seguintes usuários: aluno com senha notsecure e professor com senha redes2. Guia de referência Comandos para editar as regras do filtro IP no Linux: Para liberar todo o tráfego de conexões já estabelecidas: iptables -A FORWARD -m state state ESTABLISHED -j ACCEPT

6 Para liberar todo o tráfego TCP que entra pela interface iface_entrada (ex: eth0.5), e que se destina ao endereço IP_destino na porta port_destino: iptables -A FORWARD -p tcp -i iface_entrada -d IP_destino dport port_destino -m state state NEW -j ACCEPT Para registrar todo o tráfego que entra pela interface iface_entrada: iptables -A FORWARD -i iface_entrada -j LOG Para bloquear todo o tráfego que entra pela interface iface_entrada: iptables -A FORWARD -i iface_entrada -j DROP Para liberar todo o tráfego que entra pela interface iface_entrada: iptables -A FORWARD -i iface_entrada -j ACCEPT Para fazer o NAT do tráfego que sai pela interface iface_saida (ex: eth0): iptables -t nat -A POSTROUTING -o iface_saida -j MASQUERADE Comandos para visualização e edição de rotas: Adicionar a rota default: route add default gw IP_gateway Remover a rota default: route delete default Adicionar uma rota estática: route add -net IP_rede/mascara gw IP_gateway Remover uma rota estática: route delete -net IP_rede/mascara gw IP_gateway Visualizar as rotas: netstat -rn

7 Comandos para criação de interfaces virtuais Adicionar uma interface virtual associada a uma VLAN: vconfig add eth0 VID Ex: VID = 5: vconfig add eth0 5 Configurar o endereço IP de uma interface virtual: ifconfig eth0.vid endereço_ip netmask mascara Ex: VID = 5 e IP /26: ifconfig eth netmask

Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x

Ilustração 1: Componentes do controle de acesso IEEE 802.1x Laboratório de IER 8 o experimento Objetivos: i) Configurar o controle de acesso IEEE 802.1x em uma LAN ii) Usar VLANs dinâmicas baseadas em usuário Introdução A norma IEEE 802.1x define o controle de

Leia mais

i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto

i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto Laboratório de IER 10 o experimento Objetivo: Introdução i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto O padrão

Leia mais

i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto

i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto Laboratório de IER 11 o experimento Objetivo: Introdução i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto O padrão

Leia mais

Laboratório de RCO2 17 o experimento. Objetivo:

Laboratório de RCO2 17 o experimento. Objetivo: Laboratório de RCO2 17 o experimento Objetivo: Introdução i) criar uma rede sem-fio em modo ad-hoc ii) investigar o impacto da mudança de BSS (handover) nas comunicações em andamento O padrão IEEE 802.11

Leia mais

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede

Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Laboratório de Redes de Computadores 2 8 o experimento Objetivos: i) Verificar o impacto de loops em redes locais ii) Configurar o protocolo STP para remover loops da rede Introdução A interligação de

Leia mais

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores

Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Laboratório de IER 7 o experimento Objetivo: Criar redes locais virtuais (VLANs) usando switches e computadores Introdução LANs Ethernet (padrão IEEE 802.3 e extensões) atualmente são construídas com switches

Leia mais

L A B O RATÓRIO DE REDES

L A B O RATÓRIO DE REDES L A B O RATÓRIO DE REDES TRÁFEGO, ENQUADRAMEN TO, DEFAU LT G A TEWA Y E ARP. VALE 2,0 P ONT OS. INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO Nosso laboratório é composto de três hosts Linux, representados pelo símbolo de

Leia mais

PRÁTICA DE VLAN - LINUX 1. AMBIENTE PARA REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS UTILIZAÇÃO DA IMAGEM NO DVD UTILIZAÇÃO DO SERVIDOR REMOTO ESPEC

PRÁTICA DE VLAN - LINUX 1. AMBIENTE PARA REALIZAÇÃO DAS PRÁTICAS UTILIZAÇÃO DA IMAGEM NO DVD UTILIZAÇÃO DO SERVIDOR REMOTO ESPEC PRÁTICA DE VLAN - LINUX Exercícios práticos sobre VLANs usando Linux. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br IMPORTANTE: Para facilitar a execução

Leia mais

Redes de Computadores. Guia de Laboratório Configuração de Redes

Redes de Computadores. Guia de Laboratório Configuração de Redes Redes de Computadores LEIC-T 2012/13 Guia de Laboratório Configuração de Redes Objectivos O objectivo do trabalho consiste em configurar uma rede simples usando o sistema Netkit. O Netkit é um emulador

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES I LINUX. Firewall. Frederico Madeira LPIC 1, CCNA fred@madeira.eng.br www.madeira.eng.br

ADMINISTRAÇÃO DE REDES I LINUX. Firewall. Frederico Madeira LPIC 1, CCNA fred@madeira.eng.br www.madeira.eng.br ADMINISTRAÇÃO DE REDES I LINUX Firewall Frederico Madeira LPIC 1, CCNA fred@madeira.eng.br www.madeira.eng.br São dispositivos que têm com função regular o tráfego entre redes distintas restringindo o

Leia mais

cio Roteamento Linux

cio Roteamento Linux Exercício cio Roteamento Linux Edgard Jamhour Exercícios práticos para configuração de roteamento usando Linux Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br

Leia mais

Autor: Armando Martins de Souza Data: 12/04/2010

Autor: Armando Martins de Souza <armandomartins.souza at gmail.com> Data: 12/04/2010 http://wwwvivaolinuxcombr/artigos/impressoraphp?codig 1 de 12 19-06-2012 17:42 Desvendando as regras de Firewall Linux Iptables Autor: Armando Martins de Souza Data: 12/04/2010

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Ilustração 1: Exemplo de uma rede Frame Relay

Ilustração 1: Exemplo de uma rede Frame Relay Laboratório de RCO2 12 o experimento Objetivo: Introdução Configurar uma rede Frame Relay A tecnologia WAN Frame Relay é uma rede de transporte implantada como infraestrutura em operadoras de serviço (por

Leia mais

Controle de congestionamento em TCP

Controle de congestionamento em TCP Controle de congestionamento em TCP Uma das funções principais do TCP é gerenciar o fluxo de mensagens entre origem e destino, adaptando a taxa de transmissão da origem à taxa de recepção no destino de

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

Prática NAT/Proxy. Edgard Jamhour. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.

Prática NAT/Proxy. Edgard Jamhour. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr. Prática NAT/Proxy Edgard Jamhour Exercícios práticos sobre NAT e Proxy, usando Linux. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais:.ppgia.pucpr.br OBS. Esse roteiro utiliza

Leia mais

IPTABLES. Helder Nunes Haanunes@gmail.com

IPTABLES. Helder Nunes Haanunes@gmail.com IPTABLES Helder Nunes Haanunes@gmail.com Firewall Hoje em dia uma máquina sem conexão com a internet praticamente tem o mesmo valor que uma máquina de escrever. É certo que os micros precisam se conectar

Leia mais

LABORATÓRIO III. ROTEAMENTO ESTÁTICO Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135

LABORATÓRIO III. ROTEAMENTO ESTÁTICO Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 LABORATÓRIO III ROTEAMENTO ESTÁTICO Documento versão 0.1 Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 Orientado pela Professora Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco Maio / 2010 Laboratório III Roteamento

Leia mais

Anexo IV. Tutorial de Implementação de Políticas de Segurança das Redes sem Fio das Unidades do CEFETES

Anexo IV. Tutorial de Implementação de Políticas de Segurança das Redes sem Fio das Unidades do CEFETES Anexo IV Tutorial de Implementação de Políticas de Segurança das Redes sem Fio das Unidades do CEFETES Este documento tem como objetivo documentar as configurações que devem ser feitas para a implementação

Leia mais

PRÁTICA DE IPV6: ENDEREÇAMENTO, AUTOCONFIGURAÇÃO E ROTEAMENTO 1. APRESENTAÇÃO DO CENÁRIO DIFERENÇAS NO ROTEIRO EM RELAÇÃO A IMAGEM DO DVD

PRÁTICA DE IPV6: ENDEREÇAMENTO, AUTOCONFIGURAÇÃO E ROTEAMENTO 1. APRESENTAÇÃO DO CENÁRIO DIFERENÇAS NO ROTEIRO EM RELAÇÃO A IMAGEM DO DVD PRÁTICA DE IPV6: ENDEREÇAMENTO, AUTOCONFIGURAÇÃO E ROTEAMENTO O objetivo dessa prática é ilustrar o processo de atribuição de endereços, roteamento e auto-configuração do IPv6. Como veremos, o IPv6 adota

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

Actividade 3: Configuração de VLANs

Actividade 3: Configuração de VLANs Actividade 3: Configuração de VLANs Gestão de Sistemas e Redes 1. Introdução As VLANs operam no nível 2 e permitem segmentar as redes locais em múltiplos domínios de difusão. Isto pode ser feito de forma

Leia mais

Confguração básica da rede

Confguração básica da rede Confguração básica da rede www.4linux.com.br - Sumário Capítulo 1 Confguração básica da rede...3 1.1. Objetivos... 3 1.2. Mãos a obra...4 Capítulo 2 Gerenciando... 13 2.1. Objetivos... 13 2.2. Troubleshooting...

Leia mais

Firewall - IPTABLES. Conceitos e Prática. Tópicos em Sistemas de Computação 2014. Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.

Firewall - IPTABLES. Conceitos e Prática. Tópicos em Sistemas de Computação 2014. Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity. Firewall - IPTABLES Conceitos e Prática Tópicos em Sistemas de Computação 2014 Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Estagiário Docente: Vinícius Oliveira viniciusoliveira@acmesecurity.org

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

01 - Entendendo um Firewall. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

01 - Entendendo um Firewall. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com 01 - Entendendo um Firewall. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com O que são Firewalls? São dispositivos constituídos por componentes de hardware (roteador capaz de filtrar

Leia mais

VLANs and IP networks. 1. Computadores ligados ao Switch

VLANs and IP networks. 1. Computadores ligados ao Switch LAB-VLANs 1 VLANs and IP networks Manuel P. Ricardo João Neves Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto LAB-VLANs 2 1. Computadores ligados ao Switch Bancada x, computador y Computadores gnuxy

Leia mais

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 260E para acesso via PPPoE Rev. 3.3 http://www.dslink.com.br/ Índice Como conectar o modem DSLink 260E ao meu computador?... 3 Configurando o modem como

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga OSPF O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 485 (GVT) Rev. 1.0gvt

Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 485 (GVT) Rev. 1.0gvt Guia de configuração para liberar Portas no DSLink 485 (GVT) Rev. 1.0gvt http://www.dslink.com.br/ Observação: As instruções contidas nesse documento, destinam-se a liberar portas de acesso a computadores

Leia mais

Uso de Bridges Linux no Controle de Tráfego entre Sub Redes em Uma Mesma Rede Lógica

Uso de Bridges Linux no Controle de Tráfego entre Sub Redes em Uma Mesma Rede Lógica Uso de Bridges Linux no Controle de Tráfego entre Sub Redes em Uma Mesma Rede Lógica Ricardo Kléber M. Galvão (rk@ufrn.br) http://naris.info.ufrn.br Núcleo de Atendimento e Resposta a Incidentes de Segurança

Leia mais

Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores

Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores Projeto Integrador Projeto de Redes de Computadores IMPLEMENTAÇÃO DO PROTOCOLO 802.1x UTILIZANDO SERVIDOR DE AUTENTICAÇÃO FREERADIUS Aluno: Diego Miranda Figueira Jose Rodrigues de Oliveira Neto Romário

Leia mais

Troubleshooting em rede básica

Troubleshooting em rede básica Troubleshooting em rede básica - 2 Sumário Capítulo 1 Troubleshooting em rede básica... 3 1.1. Objetivos... 3 1.2. Mãos a obra...4 Capítulo 2 Gerenciando... 14 2.1. Objetivos... 14 2.1. Troubleshooting...

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB)

Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB) Mecanismos de QoS em Linux Hierarchical Token Bucket (HTB) Este roteiro descreve um cenário prático onde o algoritmo Hierarchical Token Bucket (HTB) é utilizado para criar uma política de QoS flexível,

Leia mais

Protocolos básicos de LANs IP (primeiro trabalho laboratorial)

Protocolos básicos de LANs IP (primeiro trabalho laboratorial) Protocolos básicos de LANs IP (primeiro trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Bancada de trabalho equipamento Existem seis bancadas no laboratório

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux

Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux Oficina de ferramentas de Gerência para Redes em Linux Introdução Mesmo as pessoas menos familiarizadas com a tecnologia sabem que a internet não é um "território" livre de perigos. É por esta razão que

Leia mais

EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães

EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães EA080- Laboratório de Redes de Computadores Laboratório 2 Virtualização (Relatório Individual) Prof. Responsável: Mauricio Ferreira Magalhães A virtualização de processadores é uma tecnologia que foi inicialmente

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

Iniciando a configuração do BOT

Iniciando a configuração do BOT Iniciando a configuração do BOT Traduzido por: Antonio Edivaldo de O. Gaspar, edivaldo.gaspar(at)gmail(dot)com Texto original: http://www.blockouttraffic.de/gettingstarted.php Revisado em: 25/07/06 09:00

Leia mais

Uso do iptables como ferramenta de firewall.

Uso do iptables como ferramenta de firewall. Uso do iptables como ferramenta de firewall. Rafael Rodrigues de Souza rafael@tinfo.zzn.com Administração em Redes Linux Universidade Federal de Lavra UFLA RESUMO O artigo pretende abordar o uso de firewalls

Leia mais

Professor Claudio Silva

Professor Claudio Silva Filtragem caso o pacote não seja permitido, ele é destruído caso seja permitido, ele é roteado para o destino Além das informações contidas nos pacotes o filtro sabe em que interface o pacote chegou e

Leia mais

VIRTUAL PRIVATE NETWORKS

VIRTUAL PRIVATE NETWORKS VIRTUAL PRIVATE NETWORKS Documento versão 0.2 Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 Orientado pela Professora Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco Outubro / 2013 Laboratório XIV Redes Privadas

Leia mais

Firewalls, um pouco sobre...

Firewalls, um pouco sobre... Iptables Firewalls, um pouco sobre... Firewalls Realizam a filtragem de pacotes Baseando-se em: endereço/porta de origem; endereço/porta de destino; protocolo; Efetuam ações: Aceitar Rejeitar Descartar

Leia mais

Entendendo como funciona o NAT

Entendendo como funciona o NAT Entendendo como funciona o NAT Vamos inicialmente entender exatamente qual a função do NAT e em que situações ele é indicado. O NAT surgiu como uma alternativa real para o problema de falta de endereços

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento)

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Este roteiro descreve um cenário prático que ilustra o funcionamento dos mecanismos de policiamento e marcação utilizados pela metodologia

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Sistema Operacional Linux > Firewall NetFilter (iptables) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução O firewall é um programa que tem como objetivo proteger

Leia mais

10.3.1.9 Lab - Configurando o Firewall do Windows Vista

10.3.1.9 Lab - Configurando o Firewall do Windows Vista 5.0 10.3.1.9 Lab - Configurando o Firewall do Windows Vista Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você irá explorar o Firewall do Windows Vista e definir algumas configurações avançadas.

Leia mais

1. DHCP a. Reserva de IP

1. DHCP a. Reserva de IP Configuração de recursos do roteador wireless Tenda 1. DHCP a. Reserva de IP Ao se conectar uma rede que possua servidor DHCP, o host recebe um IP dentro da faixa de distribuição. A cada conexão, o host

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 8 Segurança nas Camadas de Rede, Transporte e Aplicação Firewall (Filtro de Pacotes) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

Trabalho de VLANs e Redes IP

Trabalho de VLANs e Redes IP Trabalho de VLANs e Redes IP FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2008/09 José Ruela Bancada de trabalho Configuração inicial Inicialmente todos os computadores gnuxy devem estar configurados na mesma

Leia mais

10.3.1.8 Lab - Configurando o Firewall do Windows 7

10.3.1.8 Lab - Configurando o Firewall do Windows 7 5.0 10.3.1.8 Lab - Configurando o Firewall do Windows 7 Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você irá explorar o Firewall do Windows 7 e definir algumas configurações avançadas. Equipamento

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 6 Firewall e Proxy

Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 6 Firewall e Proxy Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 6 Firewall e Proxy Prof.: Roberto Franciscatto Introdução FIREWALL Introdução Firewall Tem o objetivo de proteger um computador ou uma rede de computadores,

Leia mais

Configuração de Redirecionamento de Porta. Manual de configuração de redirecionamento de porta do modem TD5130.

Configuração de Redirecionamento de Porta. Manual de configuração de redirecionamento de porta do modem TD5130. Configuração de Redirecionamento de Porta Manual de configuração de redirecionamento de porta do modem TD5130. 1. Com o computador ligado via cabo ao modem, pela porta LAN 1, para acessar a interface web

Leia mais

www.professorramos.com

www.professorramos.com Iptables www.professorramos.com leandro@professorramos.com Introdução O netfilter é um módulo que fornece ao sistema operacional Linux as funções de firewall, NAT e log de utilização de rede de computadores.

Leia mais

PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO WISLIY LOPES JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA LUIZ GUILHERME MENDES PROTOCOLO 802.1X COM FRERADIUS GOIÂNIA JUNHO DE 2014 Sumário 1.

Leia mais

LABORATÓRIO V. NAT E FIREWALL Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135

LABORATÓRIO V. NAT E FIREWALL Documento versão 0.1. Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 LABORATÓRIO V NAT E FIREWALL Documento versão 0.1 Aluno: Paulo Henrique Moreira Gurgel #5634135 Orientado pela Professora Kalinka Regina Lucas Jaquie Castelo Branco Julho / 2010 Laboratório V NAT e Firewall

Leia mais

Firewalls. Prática de Laboratório. Maxwell Anderson INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA

Firewalls. Prática de Laboratório. Maxwell Anderson INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Firewalls Prática de Laboratório Maxwell Anderson INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA Sumário Firewall do Windows... 2 O que é um firewall?... 2 Ativar ou desativar o Firewall

Leia mais

Firewall Iptables. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves. Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática

Firewall Iptables. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves. Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Firewall Iptables Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Campus - Cachoeiro Curso Técnico de Informática Iptables -Introdução Os firewalls existem no Linux desde o kernel 1.1, com o ipfw, originário

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Índice Introdução 2 Interface administrativa 2 Status 2 Minha conta 3 Opções 3 Equipes de suporte 4 Jumpoint 5 Jump Clients 6 Bomgar Button 6 Mensagens

Leia mais

Instalação e Configuração Iptables ( Firewall)

Instalação e Configuração Iptables ( Firewall) Instalação e Configuração Iptables ( Firewall) Pág - 1 Instalação e Configuração Iptables - Firewall Desde o primeiro tutorial da sequencia dos passo a passo, aprendemos a configurar duas placas de rede,

Leia mais

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Ibirisol Fontes Monitor: Jundaí Abdon.

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Ibirisol Fontes Monitor: Jundaí Abdon. III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Ibirisol Fontes Monitor: Jundaí Abdon Prática 1 Cenário: Na figura acima temos uma pequena rede, que

Leia mais

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas

Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas 1 Procedimentos para Configuração de Redirecionamento de Portas O DIR 635 tem duas opções para liberação de portas: Virtual server: A opção Virtual Server permite que você defina uma única porta pública

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System

BlackBerry Mobile Voice System BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 2 Testes de verificação SWD-980801-0125102730-012 Conteúdo 1 Visão geral... 4 2 Tipos de telefones e contas de usuário... 5 3 Verificando a instalação

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian.

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Pré requisitos para pratica desse tutorial. Saber utilizar maquina virtual no virtual Box ou vmware. Saber instalar ubuntu ou debian na maquina virtual.

Leia mais

Alfamídia Linux: Administração de Redes em ambiente Linux I

Alfamídia Linux: Administração de Redes em ambiente Linux I Alfamídia Linux: Administração de Redes em ambiente Linux I UNIDADE 1 - CONCEITOS BÁSICOS DE REDES... 3 1.1 TCP/IP - O INÍCIO... 3 1.2 ENTENDENDO O IP... 3 1.3 ENTENDENDO O GATEWAY DE REDE... 5 1.4 O SERVIDOR

Leia mais

PRÁTICA DE DNS - LINUX DIFERENÇAS NO ROTEIRO EM RELAÇÃO A IMAGEM DO DVD 1.A) INSTALAÇÃO DO SERVIDOR DNS INICIALIZAÇÃO DO AMBIENTE DO DVD

PRÁTICA DE DNS - LINUX DIFERENÇAS NO ROTEIRO EM RELAÇÃO A IMAGEM DO DVD 1.A) INSTALAÇÃO DO SERVIDOR DNS INICIALIZAÇÃO DO AMBIENTE DO DVD PRÁTICA DE DNS - LINUX Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br ou através da imagem fornecida no DVD. DIFERENÇAS NO ROTEIRO EM RELAÇÃO A IMAGEM

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR I

PROJETO INTERDISCIPLINAR I PROJETO INTERDISCIPLINAR I Linux e LPI www.lpi.org João Bosco Teixeira Junior boscojr@gmail.com Certificação LPIC-1 Prova 102 105 Shell, Scripting, e Gerenciamento de Dados 106 Interface com usuário e

Leia mais

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso

Curso Firewall. Sobre o Curso de Firewall. Conteúdo do Curso Curso Firewall Sobre o Curso de Firewall Este treinamento visa prover conhecimento sobre a ferramenta de Firewall nativa em qualquer distribuição Linux, o "iptables", através de filtros de pacotes. Este

Leia mais

Curso Técnico em Informática. Informática Aplicada Instrutor Rafael Barros Sales

Curso Técnico em Informática. Informática Aplicada Instrutor Rafael Barros Sales Curso Técnico em Informática Informática Aplicada Instrutor Rafael Barros Sales Serviços de Rede Windows Apesar do prompt de comando ser muitas vezes marginalizado e relegado a segundo plano, o Windows

Leia mais

Administração de Sistemas Operacionais

Administração de Sistemas Operacionais Diretoria de Educação e Tecnologia da Informação Análise e Desenvolvimento de Sistemas INSTITUTO FEDERAL RIO GRANDE DO NORTE Administração de Sistemas Operacionais Serviço Proxy - SQUID Prof. Bruno Pereira

Leia mais

ConneXium TCSESM, TCSESM-E Managed Switch

ConneXium TCSESM, TCSESM-E Managed Switch ConneXium TCSESM, TCSESM-E Managed Switch Exemplo de configuração de VLAN s com portas compartilhadas e bloqueio das portas por endereçamento IP utilizando as ferramentas Ethernet Switch Configurator e

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER)

GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER) GUIA DE CONFIGURAÇÃO CONEXÕES VPN SSL (CLIENT TO SERVER) Conexões VPN SSL (Client to Server) 1- Introdução Uma VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) é, como o nome sugere, uma rede virtual,

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 5: VPN Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) criada para interligar duas redes distantes, através

Leia mais

EAI Manual do Administrador

EAI Manual do Administrador EAI Manual do Administrador 1 Definição de Host Application O que é um Host Application? Significa Aplicativo Hospedeiro, é o nome dado ao ambiente EAI que estará executando no seu computador ou em um

Leia mais

Obs: Endereços de Rede. Firewall em Linux Kernel 2.4 em diante. Obs: Padrões em Intranet. Instalando Interface de Rede.

Obs: Endereços de Rede. Firewall em Linux Kernel 2.4 em diante. Obs: Padrões em Intranet. Instalando Interface de Rede. Obs: Endereços de Rede Firewall em Linux Kernel 2.4 em diante Classe A Nº de IP 1 a 126 Indicador da Rede w Máscara 255.0.0.0 Nº de Redes Disponíveis 126 Nº de Hosts 16.777.214 Prof. Alexandre Beletti

Leia mais

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2

CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 CONFIGURANDO O SERVIÇO DE VPN NO WINDOWS SERVER 2008 R2 1. Antes de começar A tabela a seguir lista as informações que você precisa saber antes de configurar um servidor VPN de acesso remoto. Antes de

Leia mais

Laboratório 1. Configurando as Interfaces de redes

Laboratório 1. Configurando as Interfaces de redes Durante este laboratório iremos configurar as duas interfaces de rede (eth0 e ) do servidor Ubuntu Server. A interface eth0 será configurada como interface de entrada da Internet e a será a interface responsável

Leia mais

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5 Manual do usuário Softcall Java versão 1.0.5 Sumário Iniciando SoftCall...3 Tela Principal...3 Configurando o SoftCall...4 Agenda...5 Incluindo um contato...5 Procurando um contato...6 Apagando um contato...6

Leia mais

NAT com firewall - simples, rápido e funcional

NAT com firewall - simples, rápido e funcional NAT com firewall - simples, rápido e funcional Todo administrador de redes aprende logo que uma das coisas mais importantes para qualquer rede é um bom firewall. Embora existam muitos mitos em torno disto,

Leia mais

Aula Prática Roteador

Aula Prática Roteador Aula Prática Roteador INTRODUÇÃO Os roteadores são os equipamentos empregados na função de interconexão das redes como, por exemplo, redes IP. Diferentes redes IPs enviam suas informações/tráfego por meio

Leia mais

GUIA RÁPIDO SISTEMA ANTIFURTO THEFT DETERRENT

GUIA RÁPIDO SISTEMA ANTIFURTO THEFT DETERRENT GUIA RÁPIDO SISTEMA ANTIFURTO THEFT DETERRENT SUMÁRIO Prefácio... 1 A quem se destina... 1 Nomenclatura utilizada neste documento... 1 Tela de login... 2 Tela Inicial... 4 Gestão de Dispositivo Acompanhar

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Italo Valcy - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014 Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática - parte 2 Técnico Laboratório Informática NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TÉCNICO LABORATÓRIO

Leia mais

Laboratório 8.2.4 Verificando Configurações de VLANs.

Laboratório 8.2.4 Verificando Configurações de VLANs. Laboratório 8.2.4 Verificando Configurações de VLANs. Objetivo Criar uma configuração básica de switch e verificá-la. Criar duas VLANs. Nomear as VLANs e atribuir várias portas a elas. Testar a funcionalidade,

Leia mais

SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES

SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES O SMARTWEB é um servidor baseado na plataforma Mikrotik que permite o gerenciamento e controle de acessos à internet. Libera acesso

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Configuração de VLAN s entre DFL-210 e DGS-3024 (com DHCP Server)

Configuração de VLAN s entre DFL-210 e DGS-3024 (com DHCP Server) Configuração de VLAN s entre DFL-210 e DGS-3024 (com DHCP Server) Topologia DFL-210 Porta 1 com Vlan Default. Todas as portas estão c/ o VID da Vlan Default Tagged (Port Trunk) DGS-3024 Porta 2 à 8, correspondem

Leia mais

Tutorial: Autor: Osmar Santos de Souza. Revisado por: Adrielle Fernandes Anschau. Abril, 2011. http://www.spidersofthouse.

Tutorial: Autor: Osmar Santos de Souza. Revisado por: Adrielle Fernandes Anschau. Abril, 2011. http://www.spidersofthouse. Tutorial: Básica do Mikrotik RouterOS Abril, 2011 Autor: Osmar Santos de Souza Revisado por: Adrielle Fernandes Anschau http://www.spidersofthouse.com 67-4063-9436 Instalando o Mikrotik RouterOS Com o

Leia mais

Configuração de VLANS em ambientes CISCO

Configuração de VLANS em ambientes CISCO Configuração de VLANS em ambientes CISCO Vanderlei Lemke Kruger, André Moraes 1 Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas (FATEC - Senac) Rua Gonçalves Chaves, 602 Centro Curso Superior de Tecnologia em Redes

Leia mais

Kaspersky Security Center 10 SP1 (KSC 10 SP1) Como criar Exclusões

Kaspersky Security Center 10 SP1 (KSC 10 SP1) Como criar Exclusões Kaspersky Security Center 10 SP1 (KSC 10 SP1) Como criar Exclusões Regras de exclusão são grupos de condições que o Kaspersky Endpoint Security utiliza para omitir um objeto durante uma varredura (scan)

Leia mais

10.3.1.10 Lab - Configurando o Firewall do Windows XP

10.3.1.10 Lab - Configurando o Firewall do Windows XP 5.0 10.3.1.10 Lab - Configurando o Firewall do Windows XP Imprima e preencha este laboratório. Neste laboratório, você irá explorar o Firewall do Windows XP e definir algumas configurações avançadas. Equipamento

Leia mais

Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3

Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3 Tutorial de Instalação do CentOS Versão 3.3 Jamilson Dantas (jrd@cin.ufpe.br) Maria Clara Bezerra (mcsb@cin.ufpe.br) Rosângela Melo (rmm3@cin.ufpe.br) Recife, outubro de 2013. Finalidade do Tutorial O

Leia mais