CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCEE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência. Submódulo 3.2 CONTRATOS DO AMBIENTE REGULADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCEE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência. Submódulo 3.2 CONTRATOS DO AMBIENTE REGULADO"

Transcrição

1 CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCEE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.2 AMBIENTE REGULADO

2 CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA CCEE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência Revisão Motivo da Revisão Instrumento de aprovação pela ANEEL Data de Vigência 1.0 Primeira versão aprovada (após realização da AP xx.2012) Resolução Normativa nº xx.2012 xx.xx.2012

3 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS Itaipu Contratos de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado - CCEAR Sazonalização e Modulação de CCEAR Para os CCEAR por quantidade Para os CCEAR por disponibilidade Suspensão de registro de CCEAR Rescisão contratual de CCEAR Contratos de Ajuste - CA Sazonalização e Modulação de Contrato de Ajuste Contratos de Constituição de Garantias CCG para celebração do CCEAR ou CA Contratos de Energia de Reserva - CER Contratos de Uso da Energia de Reserva - CONUER PROINFA Sazonalização das quotas de energia do PROINFA Transferência de quotas de energia do PROINFA Opção pelo não recebimento de quota de energia do PROINFA Cotas de Garantia Física de Energia Sazonalização de cotas de Garantia Física Contratos de Compra de Energia Regulada - CCER Alterações contratuais Alteração de dados contratuais por solicitação do agente Alteração contratual por meio de aditamentos Substituição de Contrato de Constituição de Garantias - CCG 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE ATIVIDADES CER CCEAR 3

4 Sazonalização e modulação de CCEAR Suspensão de registro de CCEAR Retomada de registro de CCEAR suspenso Rescisão contratual de CCEAR Contrato de Ajuste - CA CCG ou equivalente para CCEAR ou CA Contratos de Compra de Energia Regulada 6. DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES 7. ANEXOS PROINFA Declaração de Opção de não recebimento de cota de energia do PROINFA Planilha de Informações do Consumidor para cálculo de Quotas de Energia do Proinfa Modelos de documentos para alteração de dados de contratos: Alteração de denominação ou razão social do vendedor (=item 14.1 do PdC AC.06) (para CCEAR, CCG, CER, Termo Aditivo e Termo de Cessão) Alteração de denominação ou razão social do comprador (=item 14.2 do PdC AC.06) (para CCEAR, CCG e Termo de Cessão) Alteração de denominação ou razão social do banco gestor (=item 14.3 do PdC AC.06) (para CCG, Termo Aditivo e Termo de Cessão) Alteração de endereço do vendedor (=item 14.4 do PdC AC.06) (para CCEAR, CCG, CER, Termo Aditivo e Termo de Cessão) Alteração de endereço do comprador (=item 14.5 do PdC AC.06) (para CCEAR, CCG, Termo Aditivo e Termo de Cessão) Alteração de endereço do banco gestor (=item 14.6 do PdC AC.06) (para CCG, Termo Aditivo e Termo de Cessão) Alteração de conta centralizadora de CCG do comprador (=item 14.7 do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) Alteração de conta movimento no CCG do comprador (=item 14.8 do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) 4

5 Alteração de conta reserva no CCG do comprador (=item 14.9 do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) Alteração de conta corrente do vendedor no CCG (=item do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) Alteração de conta vinculada do comprador no CCG (=item do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) Alteração de dados do comprador referente à comunicação de uma parte à outra (=item do PdC AC.06) (para CCEAR, e CCG) Alteração de dados do vendedor referente à comunicação de uma parte à outra (=item do PdC AC.06) (para CCEAR, CER, CCG e Termo de Cessão) Termo de cessão de CCEAR no caso de transferência de titularidade da outorga do vendedor (=item do PdC AC.06) (para CCEAR e CCG) Termo de cessão de CCEAR no caso de transferência de titularidade da concessão do comprador (=item do PdC AC.06) (para CCEAR e CCG) Termo de cessão de CER no caso de transferência de titularidade da outorga do vendedor (=item do PdC AC.06) (para CER) Distrato ao CCG (=item do PdC AC.06) (para CCG) Alteração de conta especial na procuração do comprador (=item do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) Alteração de conta suplementar do comprador (=item do PdC AC.06) (para CCG e Termo Aditivo) Termo Aditivo ao CCEAR por quantidade com relação à mudança de Matriz para Filial (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade) Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade com relação à mudança de Matriz para Filial (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por disponibiliddae) Termo Aditivo ao CCEAR de energia existente para o caso de alteração do Anexo I ao CCEAR - Comprovação de Lastro para Venda (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade) 1º Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade em razão de habilitação do vendedor ao Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infra-Estrutura - REIDI (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por disponibilidade) 5

6 1º Termo Aditivo ao CCEAR por quantidade em razão de habilitação do vendedor ao Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infra-Estrutura - REIDI (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade) Termo Aditivo ao CCEAR no caso de sucessão do vendedor (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade ou disponibilidade) Termo Aditivo ao CCG, via vinculação de receita, no caso de sucessão do vendedor (=item do PdC AC.06) (para CCG) Termo Aditivo ao CCEAR no caso de mudança de matriz para filial do comprador como interveniente anuente (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade ou disponibilidade) Termo Aditivo ao CER no caso de sucessão do vendedor (=item do PdC AC.06) (para CER) Termo Aditivo ao CCEAR por quantidade no caso de mudança de matriz para filial do vendedor com mais de uma usina (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade) Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade no caso de mudança de matriz para filial do vendedor com mais de uma usina (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por disponibilidade) Termo Aditivo ao CCEAR por quantidade para transferência da parcela de energia correspondente à cota de Furnas da UHE Baguari (tem do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade) Termo Aditivo ao CCEAR no caso de faturamento filial para filial do vendedor e do comprador (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade ou disponibilidade) Distrato de CCEAR no caso de transferência de titularidade para assinatura de outro CCEAR com agrupamento de montantes (=item do PdC AC.06) (para CCEAR por quantidade ou disponibilidade) Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade biomassa resultante do 2º Leilão de Fontes Alternativas em decorrência da postergação do início do período de suprimento (Despacho SEM 1.896/2012) Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade biomassa resultante do 2º Leilão de Fontes Alternativas em decorrência do rateio do montante de energia elétrica relativo à declaração de necessidade de compra da CEA no leilão em função de sua exclusão do certame (Despacho SEM 1.896/2012) 6

7 Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade eólica decorrente do 2º Leilão de Fontes Alternativas em decorrência da postergação do início do período de suprimento (Despacho SEM 1.896/2012) Termo Aditivo ao CCEAR por disponibilidade eólica resultante do 2º Leilão de Fontes Alternativas em decorrência do rateio do montante de energia elétrica relativo à declaração de necessidade de compra da CEA no leilão em função de sua exclusão do certame (Despacho SEM 1.896/2012) Termo Aditivo ao CCEAR por quantidade em decorrência da postergação do início do período de suprimento (Despacho SEM 1.896/2012) Termo Aditivo ao CCEAR por quantidade em decorrência do rateio do montante de energia elétrica relativo à declaração de necessidade de compra da CEA no leilão em função de sua exclusão do certame (Despacho SEM 1.896/2012) Modelo de Termo Aditivo ao CCEAR de Energia Nova para postergação de período de suprimento (inciso I do art. 6º da REN 508/2012) Modelo de Termo Aditivo ao CCEAR de Energia Nova para suspensão temporária de período de suprimento (inciso II do art. 6º da REN 508/2012) Modelo de Termo Aditivo ao CCEAR de Energia Nova para redução temporária ou permanente de energia contratada (inciso III do art. 6º da REN 508/2012) Modelo de Distrato de CCEAR de Energia Nova por rescisão contratual amigável (inciso IV do art. 6º da REN 508/2012) Modelo de Cessão de CCEAR de Energia Nova para transferência direta, temporária ou permanente, de posição contratual integral ou parcial, para outra distribuidora (inciso V do art. 6º da REN 508/2012) Modelo de Termo Aditivo ao CCEAR com incorporação do impacto positivo do REIDI na Receita de Venda ( Despacho SFF/SEM 3.195/2012) Modelo de Termo Aditivo ao Contrato de Energia de Reserva - CER para postergação de período de suprimento (por decisão da Diretoria Colegiada da ANEEL) Modelo de Termo Aditivo ao Contrato de Energia de Reserva - CER para suspensão temporária de período de suprimento (por decisão da Diretoria Colegiada da ANEEL) Termo de Distrato do Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado CCEAR por quantidade decorrente de leilão de energia elétrica proveniente de empreendimentos existentes (art. 5º do Decreto n o 7.805) 7

8 Termo Aditivo ao Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado CCEAR por quantidade decorrente de leilão de energia elétrica proveniente de empreendimentos existentes para redução de montantes de energia contratada (art. 5º do Decreto n o 7.805) Termo de Cessão ao Contrato de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado CCEAR por quantidade ou disponibilidade decorrente de leilão de energia elétrica proveniente de novos empreendimentos, empreendimentos existentes, fontes alternativas de geração ou de empreendimentos estruturantes para ajuste de montantes de energia cedidos para outra distribuidora (art. 4º do Decreto n o 7.805) 8

9 1. INTRODUÇÃO Este submódulo se destina ao tratamento de atividades de registro, sazonalização e modulação dos contratos regulados, incluindo os contratos de energia de reserva, cotas-partes de Itaipu e quotas de energia do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica - PROINFA, tratamento dos Contratos de Constituição de Garantias CCG, alteração de dados cadastrais, aditamentos de contratos regulados, além das hipóteses de suspensão de registro desses contratos. Portanto, são objeto deste submódulo os contratos firmados no Ambiente de Comercialização Regulado ACR, no âmbito do Sistema Interligado Nacional SIN, por concessionárias, permissionárias e autorizadas de serviço público de distribuição, e os agentes permissionários, autorizados ou concessionários de geração, os autorizados de comercialização ou importação de energia. Os contratos tratados neste submódulo são: a) Itaipu: na forma de cotas-partes 1, compulsoriamente aplicadas às concessionárias de distribuição de energia elétrica dos submercados Sul e Sudeste/Centro-Oeste que comercializam energia em quantidade anual igual ou superior a 500 GWh e às distribuidoras dos submercados citados que deixaram de adquirir energia diretamente de suas distribuidoras supridoras; b) Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado CCEAR: decorrentes de leilões promovidos pelo poder concedente, tanto para contratação de energia nova, incluindo os leilões de fontes alternativas e estruturantes, como os de energia existente, firmados entre cada agente vendedor no leilão e todos os agentes do segmento de distribuição, compradores no certame. Existem duas modalidades de CCEAR: por quantidade ou por disponibilidade; c) Contratos de Ajuste - CA: decorrentes de leilões de ajuste para compra de energia, firmados entre cada agente vendedor no leilão e todos os agentes do segmento de distribuição, compradores no certame; d) Contratos de Constituição de Garantias CCG: contrato firmado entre as PARTES e instituição financeira (Banco Gestor), que estabelece a forma de cumprimento das obrigações relativas ao pagamento previsto no CCEAR ou CA, constituindo-lhe como Anexo; e) Contratos de Energia de Reserva CER: decorrentes de leilões de energia de reserva, firmados entre a CCEE e os agentes vendedores no leilão; f) Contratos de Uso da Energia de Reserva CONUER: firmado entre os agentes com perfil de consumo e a CCEE, na forma do Agente Comercializador de Energia de Reserva - ACER 2 ; 1 Definidas anualmente pela ANEEL por meio de publicação de Resolução Homologatória. 2 Conforme determina o art. 2º do Decreto n o 6.353, de 16/01/2008 e a Resolução Normativa n o 337/

10 g) PROINFA: na forma de quotas 3 de energia e de custeio, compulsoriamente aplicadas a todos os agentes de consumo (concessionárias de distribuição, consumidores livres e especiais e autoprodutores) integrantes do Sistema Interligado Nacional SIN; h) Contratos de Cotas de Garantia Física 4 de Energia: o montante de energia contratada por uma distribuidora de uma determinada usina representa uma parcela do valor de 95% da garantia física da usina na forma de cotas de energia; i) Contratos de Compra de Energia Regulada CCER 5 : abrangendo os contratos firmados entre a distribuidora local e o consumidor livre ou especial que opta por contratar parte das necessidades de energia e potência das unidades consumidoras com essa distribuidora local. Demais contratos regulados firmados por agentes de distribuição, tais como os decorrentes de contratação por geração distribuída, contratos firmados antes da Lei n o , contratos com distribuidoras com mercado próprio inferior a 500 GWh/ano, quando couberem, estão tratados no PdC Submódulo 3.1 Contratos do Ambiente Livre, pois assim são considerados nas Regras de Comercialização. Para serem contabilizados no Sistema de Contabilização e Liquidação SCL é necessário que o volume de energia contratada, inclusive por meio de CCEAR, CA e CCER, seja discriminado para o período de comercialização por meio de dois processos: i) sazonalização, que é a distribuição do volume anual de energia contratada entre os meses do ano, e ii) modulação, que distribui o volume mensal de energia por hora ou patamar de carga, ao longo do mês. 2. OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para as tratativas entre a CCEE e os agentes de mercado com relação aos contratos firmados no ambiente regulado. Este submódulo é aplicável ao agente de comercialização da energia de Itaipu, agentes cotistas de Itaipu, agentes vendedores de energia de reserva, agentes do segmento de distribuição e vendedores vencedores de leilões de energia elétrica, agente comercializador da energia do PROINFA, agentes quotistas de energia do PROINFA e consumidores livres ou especiais com contratação regulada e à CCEE. 3. PREMISSAS 3.1. A contagem dos prazos estabelecidos neste Procedimento de Comercialização é realizada observando-se apenas os dias úteis (du) referenciados à Cidade de São Paulo. 3 Definidas anualmente pela ANEEL por meio de publicação de Resolução Homologatória. 4 Definido no Decreto n o 7.805, de 17 de setembro de Definido na Resolução Normativa n o 376, de 25/8/

11 3.2. Os horários informados neste Procedimento de Comercialização baseiam-se no horário de Brasília Procedimentos especiais para o Horário de Verão serão informados por meio de comunicado emitido pela CCEE com antecedência mínima de trinta dias corridos (30 dc 6 ) do início do horário O processo de contratação de energia por novo agente será iniciado somente após a deliberação favorável de sua adesão à CCEE, nos termos do Submódulo 1.1 Adesão à CCEE, dos Procedimentos de Comercialização O SCL está disponível para entrada de dados por parte dos agentes da CCEE até às 18h00 nas datas limites estipuladas, conforme cronograma divulgado pela CCEE A CCEE deve divulgar o cronograma para os períodos de entrada de dados com antecedência mínima de trinta dias corridos (30 dc) das datas de início do período O agente que, por motivo técnico de inviabilidade operacional do SCL e/ou por problema de conectividade com a CCEE, for impedido de enviar os dados eletronicamente, deve seguir os procedimentos constantes no Submódulo 1.4 Atendimento, dos Procedimentos de Comercialização A CCEE deve efetuar, automaticamente, o registro no SCL dos contratos firmados no ambiente regulado decorrentes de leilões de energia nova e existente (CCEAR), de ajuste (CA), de reserva (CER), e as cotas-partes referentes à energia de Itaipu, do PROINFA e cotas 7 de garantia física de energia de empreendimentos Os contratos de compra e venda de energia firmados como GERAÇÃO DISTRIBUÍDA, bem como os FIRMADOS ANTES DA LEI n o /2004, assim como seus aditivos contratuais, quando couber, devem ser registrados no SCL pelos agentes de distribuição contratantes Os contratos firmados entre agentes de distribuição, caracterizado como suprimento a agente de distribuição com mercado próprio inferior a 500 GWh/ano, devem ser registrados no SCL, quando couber, pelos próprios agentes de distribuição supridores. 6 dc= dias corridos 7 Nos termos do Decreto n o 7.805, de 17/09/

12 3.11. A CCEE deve informar à ANEEL sobre agente que se recusar a assinar os contratos decorrentes de leilões e/ou que não atenda o chamado da CCEE para resolução de pendência(s) no(s) contrato(s) e/ou seu(s) anexo(s), imediatamente apos os prazos para manifestação estabelecidos neste documento findarem A CCEE deve encaminhar à ANEEL, com periodicidade bimestral e até o quinto dia útil do mês correspondente, o relatório sobre a situação da assinatura dos contratos decorrentes dos leilões, nomeando os agentes envolvidos em pendências nos respectivos certames, bem como a descrição das pendências e os números e datas de chamados emitidos pela Câmara O atendimento às condições estabelecidas no Edital do certame para assinatura dos contratos deve ser rigorosamente observado pela CCEE e cumprido pelos agentes participantes Para cada certame, a CCEE deve encaminhar à ANEEL em até dez dias úteis (10 du) após a validação do último contrato assinado, o relatório com os dados sobre cada um dos contratos firmados, no formato do disposto no Anexo Os contratos que compõem anexos de editais de leilão de energia, tais como os CCEAR, CER, CA e CCG, contém cláusulas e condições fixas e não são passíveis de alteração pelos agentes e pela CCEE sem a expressa autorização da ANEEL Os contratos decorrentes de leilões serão validados pela CCEE somente após a apresentação, quando couber, das respectivas garantias financeiras contratuais válidas Os contratos decorrentes de leilões serão registrados na CCEE somente após sua respectiva validação pela CCEE No caso de existir diferença entre o montante anual de energia contratado e o somatório mensal da energia sazonalizada nos contratos tratados neste documento, essa diferença é alocada no mês de dezembro ou no último mês de vigência do contrato. 12

13 Itaipu A energia da usina de Itaipu é comercializada, no âmbito da CCEE, pela Eletrobrás, denominado ACEI As cotas-partes de energia vinculadas à potência contratada de Itaipu 9 são representadas no SCL como contratos entre o agente cotista (agente de distribuição comprador) e a Eletrobrás ACEI As cotas são registradas no SCL pela CCEE no submercado em que se localiza o agente comprador, sendo dispensada a validação de seu registro, e devem estar registradas no início de sua vigência A sazonalização e a modulação dos contratos de Itaipu são realizadas automaticamente pela CCEE, conforme descrito nas Regras de Comercialização específicas A CCEE deve disponibilizar a consulta dos montantes registrados no SCL aos agentes cotistas e à Eletrobrás, no espaço de Conteúdo Exclusivo no seu site em até cinco dias uteis (5 du) antes do início de sua vigência O agente ACEI tem direito ao Alívio de Exposição relativamente às cotaspartes comercializadas no submercado sul. Contrato de Comercialização de Energia no Ambiente Regulado CCEAR Em até um dia útil (1 du) após a publicação da homologação e adjudicação do resultado do leilão, a CCEE deve disponibilizar no Conteúdo Exclusivo de seu site a relação de documentos e informações a serem fornecidos pelos agentes vendedores vencedores e compradores, para elaboração e celebração do CCEAR A CCEE deve solicitar ao agente vendedor vencedor no leilão de compra de energia de novos empreendimentos e aos compradores a documentação e informações para a elaboração do CCEAR em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de publicação do ato autorizativo do empreendimento pelo órgão competente. 8 Agente de Comercialização de Energia de Itaipu ACEI, conforme determina o art. 19 da Lei / As cotas-partes de energia de Itaipu são definidas pela ANEEL e publicadas anualmente por meio de Resolução Homologatória. 13

14 3.27. Para os agentes compradores e vendedores vencedores no leilão de compra de energia de empreendimentos existentes a CCEE deve solicitar a documentação e informações para a elaboração do CCEAR em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de publicação da adjudicação e homologação do resultado do leilão Os agentes vendedores declarados vencedores no leilão de energia e os agentes compradores devem apresentar os documentos e informar os dados à CCEE para a elaboração do CCEAR em até dois dias úteis (2 du) a partir da solicitação da CCEE Em até quatro dias úteis (4 du) a partir do recebimento da documentação e informações dos agentes no período estipulado na premissa 3.28, a CCEE deve disponibilizar no Conteúdo Exclusivo de seu site os arquivos eletrônicos dos CCEAR para a validação pelos agentes Caso o vendedor e o comprador identifiquem inconsistência nos documentos, devem comunicar imediatamente à CCEE, nos termos do Submódulo 1.4 Atendimento, dos Procedimentos de Comercialização, para que sejam feitas as devidas correções Após as devidas alterações, a CCEE disponibilizará novo(s) arquivo(s) eletrônico(s) para validação Os agentes vendedor e comprador devem validar as informações constantes nos contratos em até dois dias úteis (2 du) após a primeira apresentação do documento pela CCEE no site O prazo definido na premissa 3.32 incorpora também os prazos necessários para todas as correções A CCEE deve disponibilizar o CCEAR no Conteúdo Exclusivo no site para assinatura do vendedor e do comprador em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de validação do documento pelos respectivos agentes Os agentes vendedor e comprador devem assinar o CCEAR em até tres dias úteis (3 du) a partir da disponibilização do documento pela CCEE O CCEAR deve ser assinado pelos agentes vendedor e comprador de forma biométrica, conforme préviamente estabelecido e orientado pela CCEE Excepcionalmente, os contratos podem ser assinados pelos agentes de forma física, se estabelecido e informado com antecedência aos agentes pela CCEE. 14

15 3.38. O CCEAR deve ser assinado pelos representantes com poderes legais constituídos para essa finalidade As partes signatárias do CCEAR devem apresentar à CCEE a comprovação de poderes conferidos ao(s) seu(s) signatário(s) Em até um dia útil (1 du) a partir da data de assinatura pelos agentes, a CCEE deve verificar se há pendências e, nesse caso, informar imediatamente os agentes, pelo Conteúdo Exclusivo Caso haja pendência, os agentes devem saná-la em até um dia útil (1 du) a partir da data de comunicação da CCEE, definida na premissa A CCEE deve validar as informações corrigidas e/ou o contrato assinado em até um dia util (1 du) e solicitar imediatamente aos agentes a apresentação da garantia contratual, o CCG ou equivalente, válido Os agentes devem apresentar a garantia contratual válida em até dois (2 du) a partir as solicitação da CCEE Os CCEAR somente poderão ser considerados válidos se os respectivos CCG ou equivalentes também estiverem validados pela CCEE A CCEE deve validar e informar os agentes sobre a validade do CCEAR em até dois dias uteis (2 du) após a apresentação do respectivo instrumento de garantia contratual válido A efetivação do registro do CCEAR no SCL ocorre somente após a validação da assinatura do contrato pela CCEE O registro do CCEAR no SCL é de responsabilidade da CCEE e deve ser efetuado após a validação da assinatura dos contratos O registro do CCEAR no SCL dispensa a validação pelas partes signatárias O registro dos CCEAR deve ser efetuado pela CCEE para todo o período de suprimento, no submercado em que a energia for gerada Imediatamente após o registro do ultimo contrato do agente vendedor, a CCEE deve informar às partes o cronograma para sazonalização e modulação, quando esta se aplicar Concluída a validação de todos os CCEAR do agente, a CCEE deve informar à ANEEL para a liberação das garantias retidas para esse fim, em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de registro dos CCEAR no sistema. 15

16 3.52. O relatório sobre os CCEAR firmados decorrentes do certame deve ser encaminhado pela CCEE à ANEEL, na forma estabelecida na regulamentação, em até dez dias úteis (10 du) após a informação para liberação das garantias financeiras do último agente A CCEE deve manter os CCEAR disponíveis, caso requisitado pela ANEEL Os mesmos prazos estabelecidos para as atividades relacionadas aos contratos são aplicáveis aos respectivos aditivos constantes nos ANEXOS deste PdC, quando couber Para os aditivos contratuais, o marco para inicio da contagem dos prazos deve ser a data de publicação do ato deliberativo sobre a questão pela ANEEL ou poder concedente Até a divulgação da validação do CCEAR ou aditivos pela CCEE, os agentes signatários são igualmente responsáveis pelo contrato, independente da etapa em que ele se encontrar e, portanto, todo o processo descrito neste PdC deve ser acompanhado pelas partes. Sazonalização e Modulação de CCEAR Imediatamente após o registro no SCL do ultimo CCEAR do agente no certame, a CCEE deve solicitar aos agentes os nomes e respectivos contatos dos responsáveis pela sazonalização e modulação da energia contratada disponibilizar a informação a todos os agentes envolvidos, por meio do Conteúdo Exclusivo no site da CCEE Os montantes referentes à sazonalização e modulação dos contratos provenientes de leilão devem respeitar os limites máximo e mínimo de potência associada especificados no edital Quando não informado no edital do leilão, o valor de potência mínima deve ser considerado igual a zero e o de potência máxima deve ser igual à potência associada à energia contratada. Para os CCEAR por quantidade Até tres dias uteis (3 du) antes do final do mês de dezembro de cada ano, a sazonalização do CCEAR por quantidade deve ser realizada diretamente no SCL pelo agente comprador, uma única vez, para todos os meses contratuais do ano civil seguinte O agente vendedor deve avaliar e validar a sazonalização feita pelo comprador, se assim desejar, em até dois dias uteis (2 du) antes do final do mês de dezembro de cada ano. 16

17 3.62. Caso o agente comprador não respeite os prazos estabelecidos no cronograma e neste PdC ou não haja acordo entre as partes, a sazonalização do CCEAR por quantidade será realizada pela CCEE, aplicando o perfil de carga declarado pelo agente de distribuição, consolidado pelo Sistema de Informação de Mercado para o Planejamento do Setor Elétrico - SIMPLES ou seu sucedâneo, conforme Regras de Comercialização, em até um dia util (1 du) antes do final do mês de dezembro A sazonalização de CCEAR por quantidade deve utilizar os montantes contratados no leilão, ressalvado o disposto na premissa Excepcionalmente, empreendimento de geração cuja entrada em operação comercial de unidades geradoras ocorre de forma escalonada e desde que a condição de integralização, total ou parcial, da Garantia Física esteja estabelecida no CCEAR, tem a energia contratada no CCEAR sazonalizada e modulada de forma flat durante a fase de motorização, conforme o cronograma de entrada em operação comercial das unidades geradoras estabelecido no contrato de concessão do empreendimento As alterações provenientes de cessão e/ou redução de CCEAR ocorridas durante o ano pela aplicação do MCSD são consideradas no cálculo da sazonalização conforme submódulos que compõem o Módulo 8 Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficit - MCSD, dos Procedimentos de Comercialização A tolerância para eventuais divergências entre o montante anual contratado e o somatório dos valores mensais sazonalizados está compreendida no intervalo entre -0,01 MWh e +0,01 MWh A modulação é realizada de forma automática conforme o perfil da carga remanescente, descontados todos os outros contratos registrados na CCEE em nome da distribuidora, respeitando o limite de potência associada ao contrato, de acordo com o descrito nas Regras de Comercialização. Para os CCEAR por disponibilidade Até três dias úteis (3 du) antes do final do mês de dezembro de cada ano, o Operador Nacional do Sistema Elétrico ONS deve repassar à CCEE as informações acerca dos montantes mensais de inflexibilidade ajustado com o agente gerador. 17

18 3.69. A sazonalização da energia contratada por meio de CCEAR por disponibilidade é feita a cada ano pela CCEE, uma única vez, até dois dias uteis (2 du) antes do final do mês de dezembro, para todos os meses contratuais do ano civil seguinte, de forma uniforme ao longo do ano, sazonalização flat A sazonalização da inflexibilidade contratual definida no CCEAR por disponibilidade (com CVU diferente de zero) deverá ser preenchida no SCL pela CCEE, uma única vez, para todos os meses contratuais do ano civil seguinte, nos termos do contrato, nos prazos descrito na premissa A modulação da energia contratada por meio de CCEAR por disponibilidade é realizada conforme regras de comercialização, considerando-se os limites conferidos pela Potencia Associada. Suspensão de registro de CCEAR A suspensão de registro de CCEAR deve ser realizada pela CCEE, de Ofício, a cada processo de contabilização caso o agente vendedor se enquadre nos termos da regulamentação vigente Na ocorrência de suspensão do registro do CCEAR, as partes envolvidas devem ser informadas pela CCEE em até dois dias úteis (2 du) contados da data da suspensão No caso de suspensão do registro, a distribuidora pode, a critério da ANEEL, encerrar o CCEAR, desde que acione a cláusula de resolução contratual em até trinta dias corridos (30 dc) a contar da data de recebimento da notificação referente à suspensão do registro do CCEAR Caso o CCEAR não seja encerrado pela distribuidora, o seu registro pode ser retomado, não produzindo efeitos retroativos, caso o agente vendedor: a) promova o equacionamento dos débitos relacionados à exposição financeira do mercado de curto prazo assumida pelas distribuidoras signatárias dos CCEAR, no período em que esses contratos não foram contabilizados, devendo as partes notificar a CCEE; e b) retome a condição de agente de mercado adimplente no âmbito da CCEE. Rescisão contratual de CCEAR 10 Referência: REN n o 437/

19 3.76. Na hipótese de rescisão do CCEAR, o registro no SCL e no Sistema de Gestão de Contratos SGC pode ser cancelado pela CCEE, observado o disposto na Convenção de Comercialização Após o recebimento da notificação de rescisão, a CCEE encaminha o respectivo Termo Aditivo às partes para assinatura O registro do CCEAR pela CCEE somente pode ser cancelado após o recebimento do Termo Aditivo de rescisão assinado pelas partes e validado pela CCEE Caso o CCEAR tenha gerado efeitos, observadas as disposições do Submódulo 5.1 Contabilização e Recontabilização e após análise do CAd, a CCEE deve processar a recontabilização para os meses já liquidados O CCEAR deve estar cancelado nos sistemas da CCEE em até oito dias úteis (8 du) a partir da data de recebimento da notificação emitida pelo agente pela CCEE. Contratos de Ajuste - CA Em até um dia útil (1 du) após a data de publicação da adjudicação e homologação do resultado do leilão, a CCEE deve disponibilizar no Conteúdo Exclusivo de seu site a relação de documentos e informações necessárias, a serem fornecidas pelos agentes vendedores vencedores e compradores, para elaboração e celebração do CA A CCEE deve solicitar aos agentes vendedores vencedores no leilão de ajuste e aos compradores a documentação e informações para a elaboração do CA em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de publicação da adjudicação e homologação do resultado do leilão Os agentes declarados vencedores no leilão de ajuste e os agentes compradores devem apresentar os documentos e informar os dados à CCEE para a elaboração do CA em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de solicitação pela CCEE Em até quatro dias úteis (4 du) a partir do recebimento da documentação e informações dos agentes, a CCEE deve disponibilizar no Conteúdo Exclusivo de seu site o arquivo eletrônico do CA para a validação pelos agentes. 19

20 3.85. Caso os agentes vendedor e comprador identifiquem alguma inconsistência nos documentos, devem comunicar imediatamente à CCEE, nos termos do Submódulo 1.4 Atendimento, para que sejam feitas as devidas correções Após as devidas alterações, a CCEE disponibilizará novo(s) arquivo(s) eletrônico(s) para validação Os agentes vendedor e comprador devem validar as informações constantes nos contratos em até dois dias úteis (2 du) após a primeira apresentação do documento pela CCEE no site O prazo definido na premissa incorpora também os prazos necessários para todas as correções A CCEE deve disponibilizar o CA no Conteúdo Exclusivo no site para assinatura do vendedor e do comprador em até dois dias úteis (2 du) a partir da data de validação do documento pelos respectivos agentes Os agentes vendedor e comprador devem assinar o CA em até tres dias úteis (3 du) a partir da disponibilização do documento pela CCEE O CA deve ser assinado pelos agentes vendedor e comprador de forma biométrica, conforme préviamente estabelecido pela CCEE Excepcionalmente, os contratos podem ser assinados pelos agentes de forma física, se estabelecido e informado com antecedência aos agentes pela CCEE O CA deve ser assinado pelos representantes com poderes legais constituidos para essa finalidade As partes signatárias do CA devem apresentar à CCEE a comprovação de poderes conferidos ao(s) seu(s) signatário(s) Em até um dia útil (1 du) a partir da data de assinatura pelos agentes, a CCEE deve verificar se há pendências e, nesse caso, informar imediatamente os agentes, pelo Conteúdo Exclusivo Caso haja pendência, os agentes devem saná-la em até um dia útil (1 du) a partir da data de comunicação da CCEE, definida na premissa A CCEE deve validar as informações corrigidas e/ou o contrato assinado em até um dia util (1 du) e solicitar imediatamente aos agentes a apresentação da garantia contratual, o CCG ou equivalente, válido Os agentes devem apresentar a garantia contratual válida em até dois (2 du) a partir as solicitação da CCEE. 20

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo3.1 Contratos do ambiente livre Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.1 Contratos do Ambiente Livre Revisão 1.0 Vigência 12/11/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS

Leia mais

Versão: 2 Início de Vigência: 27.11.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 2.773, de 27 de novembro de 2006

Versão: 2 Início de Vigência: 27.11.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 2.773, de 27 de novembro de 2006 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 2.773, de 27 de novembro de 2006 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 3 3. PROCESSO

Leia mais

Caderno Algébrico Contratos Contratos Versão 1.0

Caderno Algébrico Contratos Contratos Versão 1.0 Caderno Algébrico Contratos Contratos Versão 1.0 Versão 1.0 ÍNDICE CONTRATOS 3 1. O Esquema Geral 3 2. Etapas dos Contratos no Ambiente de Contratação Livre 5 2.1. Contratos no Ambiente de Contratação

Leia mais

Módulo 7 Energia de Reserva

Módulo 7 Energia de Reserva Submódulo3.1 Contratos do ambiente livre Módulo 7 Energia de Reserva Submódulo 7.3 Cessões de energia de reserva Revisão 1.0 Vigência 12/11/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA

Leia mais

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Procedimento de Comercialização REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/200X

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: xx.xx.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nºxxxx, de xxx de xxxxx de 2006

Versão: 3 Início de Vigência: xx.xx.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nºxxxx, de xxx de xxxxx de 2006 Procedimento de Comercialização Versão: 3 Início de Vigência: xx.xx.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nºxxxx, de xxx de xxxxx de 2006 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES...3 3.

Leia mais

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Procedimento de Comercialização REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Versão: 1 Início de Vigência: REGISTRO,

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 6 Penalidades Submódulo 6.1 Penalidades de medição Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE

Leia mais

Regras de Comercialização 2013. Apresentação no InfoPLD 25.02.2013

Regras de Comercialização 2013. Apresentação no InfoPLD 25.02.2013 Regras de Comercialização 2013 Apresentação no InfoPLD 25.02.2013 Agenda Alterações aprovadas Contribuições acatadas 2 Alterações Aprovadas 1) Regime de Cotas de Garantia Física 2) Sazonalização de Garantia

Leia mais

Versão: 2 Início de Vigência: XX. XX.2006 Instrumento de Aprovação:

Versão: 2 Início de Vigência: XX. XX.2006 Instrumento de Aprovação: Procedimento de Comercialização MANUTENÇÃO DE CADASTRO DE AGENTES DA CCEE E USUÁRIOS DO SCL Versão: 2 Início de Vigência: XX. XX.2006 Instrumento de Aprovação: ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES...3

Leia mais

Contrato nº XXX/2015 Chamada Pública nº XXX/2015 CONTRATO DE ADESÃO DE GERAÇÃO PRÓPRIA N.º 000/2015 QUE ENTRE SI FAZEM A E, NA FORMA ABAIXO:

Contrato nº XXX/2015 Chamada Pública nº XXX/2015 CONTRATO DE ADESÃO DE GERAÇÃO PRÓPRIA N.º 000/2015 QUE ENTRE SI FAZEM A E, NA FORMA ABAIXO: A CONTRATO DE ADESÃO DE GERAÇÃO PRÓPRIA N.º 000/2015 QUE ENTRE SI FAZEM A E, NA FORMA ABAIXO:, com sede na cidade de, Endereço, inscrita no CNPJ/MF sob o n., doravante denominada DISTRIBUIDORA, neste ato

Leia mais

PdC Versão 1 PdC Versão 2

PdC Versão 1 PdC Versão 2 Procedimento de Comercialização Controle de Alterações PdC Glossário de Termos da CCEE PdC Versão 1 PdC Versão 2 METODOLOGIA DO CONTROLE DE ALTERAÇÕES Texto em realce refere-se à inserção de nova redação.

Leia mais

Consolidação de Resultados. Versão 2015.1.0

Consolidação de Resultados. Versão 2015.1.0 Consolidação de Resultados ÍNDICE CONSOLIDAÇÃO DE RESULTADOS 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 5 1.2. Conceitos Básicos 6 2. Detalhamento das Etapas de Consolidação de Resultados 12 2.1. Determinação

Leia mais

Leilão de Venda de Energia Elétrica ANEXO III DAS DEFINIÇÕES

Leilão de Venda de Energia Elétrica ANEXO III DAS DEFINIÇÕES EDITAL Nº: 25/2015_lp AGENTES Leilão de Venda de Energia Elétrica ANEXO III DAS DEFINIÇÕES Objetivando o perfeito entendimento e a precisão da terminologia técnica empregada no EDITAL 25/2015_LPe n o CONTRATO,

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 531, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 531, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 531, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012. Altera a metodologia de cálculo das garantias financeiras associadas ao mercado de curto prazo, estabelece

Leia mais

3 Comercialização de energia elétrica

3 Comercialização de energia elétrica 3 Comercialização de energia elétrica As relações comerciais 4 entre os Agentes participantes da CCEE são regidas predominantemente por contratos de compra e venda de energia, e todos os contratos celebrados

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.2 Notificação e gestão do pagamento de penalidades

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.2 Notificação e gestão do pagamento de penalidades Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 6 Penalidades Submódulo 6.2 Notificação e gestão do Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 Submódulo 6.2 Notificação e gestão do ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_03-15

EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_03-15 EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_03-15 A BRASIL COMERCIALIZADORA DE ENERGIAS LTDA (VENDEDORA), com sede na Rua Helena, 260, conjunto 72, CEP 04552-050, Bairro Vila Olímpia, Cidade de São

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 1 Agentes. Submódulo 1.3 Votos e contribuições

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 1 Agentes. Submódulo 1.3 Votos e contribuições Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 1 Agentes Submódulo 1.3 Votos e contribuições 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE ATIVIDADES 6. DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_02-15

EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_02-15 EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_02-15 A BRASIL COMERCIALIZADORA DE ENERGIAS LTDA (VENDEDORA), com sede na Rua Helena, 260, conjunto 72, CEP 04552-050, Bairro Vila Olímpia, Cidade de São

Leia mais

Leilão de Venda de Energia Elétrica ATENÇÃO. É necessário habilitar as macros do MS Word e preencher os dados no formulário que aparece na tela.

Leilão de Venda de Energia Elétrica ATENÇÃO. É necessário habilitar as macros do MS Word e preencher os dados no formulário que aparece na tela. EDITAL Nº: 23/2015_cp AGENTES Leilão de Venda de Energia Elétrica ATENÇÃO O TERMO DE ADESÃO foi automatizado para facilitar o preenchimento dos dados obrigatórios. É necessário habilitar as macros do MS

Leia mais

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015.

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015. EDITAL 1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO, CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015. A Companhia Energética de Alagoas CEAL, doravante chamada DISTRIBUIDORA, nos termos da Portaria

Leia mais

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015

1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015 1ª CHAMADA PÚBLICA PARA INCENTIVO DA GERAÇÃO CONFORME PORTARIA MME Nº 44, DE 10 DE MARÇO DE 2015 A (DISTRIBUIDORA), nos termos da Portaria do Ministério de Minas e Energia - MME, nº 44, de 10 de março

Leia mais

Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº X.XXX de XX de XXXX de 2006

Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº X.XXX de XX de XXXX de 2006 Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº X.XXX de XX de XXXX de 2006 GLOSSÀRIO DE TERMOS DA CCEE ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 4 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 4 3. OBJETIVO

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS NO BRASIL MAIO 2010

ENERGIAS RENOVÁVEIS NO BRASIL MAIO 2010 ENERGIAS RENOVÁVEIS NO BRASIL MAIO 2010 Índice Conceito de Energia Renovável Energias Renováveis no Brasil Aspectos Gerais de Projetos Eólicos, a Biomassa e PCHs Outorga de Autorização de Projetos Incentivos

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_03-14

EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_03-14 EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA BRC_03-14 A BRASIL COMERCIALIZADORA DE ENERGIAS S/A (COMPRADORA), com sede na Rua Helena, 260, conjunto 72, CEP 04552-050, Bairro Vila Olímpia, Cidade de

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. Módulo 6.8: Bandeiras Tarifárias. S u b m ó d u l o 6. 8

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. Módulo 6.8: Bandeiras Tarifárias. S u b m ó d u l o 6. 8 A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 6.8: Bandeiras Tarifárias S u b m ó d u l o 6. 8 B A N D E I R A S T A R I F Á R I A S Revisão Motivo da revisão Instrumento de aprovação

Leia mais

Em 13 de janeiro de 2012.

Em 13 de janeiro de 2012. Nota Técnica nº 003/2012-SEM/ANEEL Em 13 de janeiro de 2012. Processo: 48500.005140/2011-21 Assunto: Instauração de Audiência Pública, na modalidade Intercâmbio Documental, para subsidiar o processo de

Leia mais

Versão: Consulta Pública Início de Vigência: XX.XX.XXX Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº XXXX, de XX de mês de 200X

Versão: Consulta Pública Início de Vigência: XX.XX.XXX Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº XXXX, de XX de mês de 200X Procedimento de Comercialização LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA RELATIVA À CONTRATAÇÃO DE ENERGIA DE RESERVA Versão: Consulta Pública Início de Vigência: XX.XX.XXX Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº XXXX,

Leia mais

CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO - CCEAR CCEAR Nº / 08 PRODUTO 2008/2012

CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO - CCEAR CCEAR Nº / 08 PRODUTO 2008/2012 CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO - CCEAR CCEAR Nº / 08 PRODUTO 2008/2012 CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CCEAR, NA MODALIDADE QUANTIDADE

Leia mais

EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A, agente gerador de energia elétrica, inscrita no CNPJ/MF sob o n 23.274.194/0001-19, com sede na Rua Real Grandeza 219, Botafogo, Rio

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008

Versão: 3 Início de Vigência: 01.10.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 Procedimento de Comercialização Versão: 3 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 3.042, de 14 de agosto de 2008 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 3 3. PROCESSO

Leia mais

pdc_me_04_minuta_01 Página 1 de 29 Versão: 1 Início de Vigência: XX.XX.200X Instrumento de Aprovação:

pdc_me_04_minuta_01 Página 1 de 29 Versão: 1 Início de Vigência: XX.XX.200X Instrumento de Aprovação: pdc_me_04_minuta_01 Página 1 de 29. Procedimento de Comercialização MAPEAMENTO DE PONTOS DE MEDIÇÃO NO SCDE Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: CÓDIGO ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

Simpósio Brasileiro sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétrica. Comercialização 1/20. DCM Diretoria Comercial

Simpósio Brasileiro sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétrica. Comercialização 1/20. DCM Diretoria Comercial Legislação de Geração de Energia Elétrica Comercialização 1/20 AGENDA: 1. Geração de serviço público, produtores independentes e autoprodução de energia elétrica; 2. Incentivos para a autoprodução de energia

Leia mais

Relação dos Dados e Informações a serem fornecidos pelo ONS à CCEE

Relação dos Dados e Informações a serem fornecidos pelo ONS à CCEE Anexo I ao Acordo Operacional entre o ONS e CCEE Relação dos Dados e Informações a serem fornecidos pelo ONS à CCEE 1. Objetivo O presente Anexo tem por objetivo estabelecer a relação dos dados e informações

Leia mais

PROPOSTA DE NOVA VERSÃO DAS REGRAS

PROPOSTA DE NOVA VERSÃO DAS REGRAS PROPOSTA DE NOVA VERSÃO DAS REGRAS DE COMERCIALIZAÇÃO AP Nº 56/2014 VERSÃO 2015.1.0 Regras de Comercialização Versão 2015.1.0 Vigência a partir de Janeiro/2015 Audiência Pública nº 056/2014 Período de

Leia mais

Leilões de Energia. Eng. José Jurhosa Junior ANEEL

Leilões de Energia. Eng. José Jurhosa Junior ANEEL Leilões de Energia Eng. José Jurhosa Junior ANEEL Cidade do México, D.F. Jan/ 2013 Conteúdo Visão geral Leilões e contratos Processo e sistemáticas 2 Modelo Setor Elétrico Brasileiro Ambiente de contratação

Leia mais

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A, agente gerador de energia elétrica, inscrita no CNPJ/MF sob o n 23.274.194/0001-19, com sede na Rua Real Grandeza 219, Botafogo, Rio de

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA INCENTIVADA - CP Produto 1

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA INCENTIVADA - CP Produto 1 CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA INCENTIVADA, QUE ENTRE SI CELEBRAM BTG PACTUAL COMERCIALIZADORA DE ENERGIA LTDA. E PROPONENTEVENDEDOR. Pelo presente Instrumento: De um lado, o BTG PACTUAL COMERCIALIZADORA

Leia mais

Riscos e Garantias para a Comercialização de Energia de PCHs Encontro Nacional de Operadores e Investidores em Pequenas Centrais Hidrelétricas

Riscos e Garantias para a Comercialização de Energia de PCHs Encontro Nacional de Operadores e Investidores em Pequenas Centrais Hidrelétricas Riscos e Garantias para a Comercialização de Energia de PCHs Encontro Nacional de Operadores e Investidores em Pequenas Centrais Hidrelétricas Luciano Macedo Freire Conselho de Administração 07 de abril

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. Módulo 7: Estrutura Tarifária das Concessionárias de Distribuição

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. Módulo 7: Estrutura Tarifária das Concessionárias de Distribuição A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 7: Estrutura Tarifária das Concessionárias de Distribuição S u b m ó d u l o 7. 1 P R O C E D I M E N T O S G E R A I S Revisão 1.0

Leia mais

29/06/12 Data de assinatura do Contrato Até 10/07/12

29/06/12 Data de assinatura do Contrato Até 10/07/12 O BTG PACTUAL COMERCIALIZADORA DE ENERGIA LTDA. ( BTG PACTUAL ENERGIA ), sociedade regularmente constituída, com sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3729 9º andar Itaim Bibi São Paulo SP, inscrita

Leia mais

CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO - CCEAR. CCEAR Nº... / 05 PRODUTO.. (INÍCIO e TÉRMINO DO SUPRIMENTO)

CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO - CCEAR. CCEAR Nº... / 05 PRODUTO.. (INÍCIO e TÉRMINO DO SUPRIMENTO) CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO - CCEAR CCEAR Nº... / 05 PRODUTO.. (INÍCIO e TÉRMINO DO SUPRIMENTO) CONTRATO DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO

Leia mais

Preço de Liquidação de Diferenças. Versão 1.0

Preço de Liquidação de Diferenças. Versão 1.0 Preço de Liquidação de Diferenças ÍNDICE PREÇO DE LIQUIDAÇÃO DE DIFERENÇAS (PLD) 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 6 1.2. Conceitos Básicos 7 2. Detalhamento das Etapas da Formação do PLD 10 2.1.

Leia mais

Nota Técnica n o 136/2013-SEM/ANEEL. Em 4 de outubro de 2013.

Nota Técnica n o 136/2013-SEM/ANEEL. Em 4 de outubro de 2013. Nota Técnica n o 136/2013-SEM/ANEEL Em 4 de outubro de 2013. Processo: 48500.004241/2013-46 Assunto: Instauração de Audiência Pública para colher subsídios para aprovação das minutas dos Contratos de Comercialização

Leia mais

Glossário de Termos/Interpretações e Relação de Acrônimos. Versão 1.0

Glossário de Termos/Interpretações e Relação de Acrônimos. Versão 1.0 Glossário de Termos/Interpretações e Relação de Acrônimos ÍNDICE Glossário de Termos/Interpretações e Relação de Acrônimos 4 1. Termos 4 2. Definições 15 3. Dimensões 16 4. Conjuntos 19 5. Acrônimos 34

Leia mais

Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/2005 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº XX, de XX de Mês de 200X

Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/2005 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº XX, de XX de Mês de 200X Procedimento de Comercialização Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº XX, de XX de Mês de 200X ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES...3 3. PROCESSO ORIGEM...4

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 039/2011

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 039/2011 at CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 039/2011 NOME DA INSTITUIÇÃO: CCEE AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: (Especificar Nome/Tipo, nº e data, caso existam) EMENTA

Leia mais

Simpósio sobre Estratégias de Gestão de Comercialização de Energia e Eficiência Energética SIBGECE3

Simpósio sobre Estratégias de Gestão de Comercialização de Energia e Eficiência Energética SIBGECE3 Simpósio sobre Estratégias de Gestão de Comercialização de Energia e Eficiência Energética SIBGECE3 Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - 28 a 30nov12 Comercialização de Energia Elétrica

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2 A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 10: Ordem e Condições de Realização dos Processos Tarifários e Requisitos de Informações e Obrigações Periódicas S u b m ó d u l o

Leia mais

MODELO CONTRATO DE USO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST Modelo 25mai10.doc

MODELO CONTRATO DE USO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST Modelo 25mai10.doc MODELO CONTRATO DE USO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO Arquivo: Motivo: Adequação à Resolução 399/10 - Contratação do Uso do Sistema de Transmissão Modelo aplicado a: Distribuidores conectados à Rede Básica;

Leia mais

Leilões de Energia Elétrica Mercado Regulado Brasileiro Visão Panorâmica

Leilões de Energia Elétrica Mercado Regulado Brasileiro Visão Panorâmica Leilões de Energia Elétrica Mercado Regulado Brasileiro Visão Panorâmica Reunião Técnica da ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica 19 de novembrode 2013 Alexandre Viana Gerência

Leia mais

INFORMAÇÕES AO MERCADO

INFORMAÇÕES AO MERCADO Panorama 2014 1 índice Panorama 2014 Governança do setor elétrico brasileiro A comercialização de energia A CCEE A CCEE Principais atividades Conta-ACR A CCEE em números Quem pode se associar à CCEE? DADOS

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES PARA A AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 36/2009

CONTRIBUIÇÕES PARA A AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 36/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: ABRADEE CONTRIBUIÇÕES PARA A AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 36/2009 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado

Leia mais

Objetivo da Audiência

Objetivo da Audiência Audiência Pública n o. 033/2005 Contribuição da CPFL Energia Objetivo da Audiência Obter subsídios e informações adicionais para o aprimoramento de ato regulamentar a ser expedido pela ANEEL, que estabelece

Leia mais

pdc_me_04 Página 1 de 24 Versão: 1 Início de Vigência: 11.03.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 934, de 07 de março de 2008.

pdc_me_04 Página 1 de 24 Versão: 1 Início de Vigência: 11.03.2008 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 934, de 07 de março de 2008. pdc_me_04 Página 1 de 24. Procedimento de Comercialização Versão: 1 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 934, de 07 de março de 2008. ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE

Leia mais

Definições e Premissas Aplicáveis ao Edital e Contrato

Definições e Premissas Aplicáveis ao Edital e Contrato ANEXO III AO EDITAL PÚBLICO DE AQUISIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE ACL 5-1-2014 Definições e Premissas Aplicáveis ao Edital e Contrato a) Agência Nacional de Energia Elétrica

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA INCENTIVADA, QUE ENTRE SI CELEBRAM E VENTOS POTIGUARES COMERCIALIZADORA DE ENERGIA S.A

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA INCENTIVADA, QUE ENTRE SI CELEBRAM E VENTOS POTIGUARES COMERCIALIZADORA DE ENERGIA S.A CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA INCENTIVADA, QUE ENTRE SI CELEBRAM E VENTOS POTIGUARES COMERCIALIZADORA DE ENERGIA S.A Pelo presente Instrumento: De um lado, VENTOS POTIGUARES COMERCIALIZADORA DE

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 583, DE 22 DE OUTUBRO DE 2013

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 583, DE 22 DE OUTUBRO DE 2013 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 583, DE 22 DE OUTUBRO DE 2013 Estabelece os procedimentos e condições para obtenção e manutenção da situação operacional e definição de

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 514, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 514, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 514, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Texto Compilado Voto Estabelece as condições para a contratação de Cotas de Garantia Física de Energia e

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO nº 04/2013-ANEEL

EDITAL DE LEILÃO nº 04/2013-ANEEL EDITAL DE LEILÃO nº 04/2013-ANEEL 11º LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA PROVENIENTE DE EMPREENDIMENTOS DE GERAÇÃO EXISTENTES 1/39 PROCURADORIA EDITAL DE LEILÃO nº 04/2013-ANEEL 11º LEILÃO DE COMPRA

Leia mais

Nota Técnica nº 47/2015-CEL/ANEEL. Em 7 de dezembro de 2015. Processo nº: 48500.004029/2015-41

Nota Técnica nº 47/2015-CEL/ANEEL. Em 7 de dezembro de 2015. Processo nº: 48500.004029/2015-41 Nota Técnica nº 47/2015-CEL/ANEEL Em 7 de dezembro de 2015. Processo nº: 48500.004029/2015-41 Assunto: Instauração de Audiência Pública, exclusivamente por intercâmbio documental, para subsidiar o processo

Leia mais

Texto de Discussão do Setor Elétrico n.º 25 Contratação de Energia Elétrica: Aspectos Regulatórios e Econômicos

Texto de Discussão do Setor Elétrico n.º 25 Contratação de Energia Elétrica: Aspectos Regulatórios e Econômicos Texto de Discussão do Setor Elétrico n.º 25 Contratação de Energia Elétrica: Aspectos Regulatórios e Econômicos Christiano Vieira da Silva CONTRATAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA: ASPECTOS REGULATÓRIOS E ECONÔMICOS

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 2.655, DE 2 DE JULHO DE 1998. Regulamenta o Mercado Atacadista de Energia Elétrica, define as regras de organização do Operador

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 563, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL nº 006/2015 Regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias

AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL nº 006/2015 Regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL nº 006/2015 Regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias Contribuição da AES Brasil à AP 006/2015, relativa à Conta Centralizadora dos Recursos de

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CONTRATO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CONTRATO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CONTRATO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº, FIRMADO ENTRE A E A Espírito Santo Centrais Elétricas

Leia mais

ADMINISTRAR VOTOS E CONTRIBUIÇÃO ASSOCIATIVA

ADMINISTRAR VOTOS E CONTRIBUIÇÃO ASSOCIATIVA l Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 1497, de 27 de maio de 2010 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 3 3. PROCESSO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL. RESOLUÇÃO No 281, DE 01 DE OUTUBRO DE 1999. (*)

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL. RESOLUÇÃO No 281, DE 01 DE OUTUBRO DE 1999. (*) AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO No 281, DE 01 DE OUTUBRO DE 1999. (*) (*) Vide alterações e inclusões no final do texto Estabelece as condições gerais de contratação do acesso, compreendendo

Leia mais

Parágrafo Quinto Integram este CONTRATO de forma inseparável os seguintes Anexos, devidamente rubricados pelas PARTES:

Parágrafo Quinto Integram este CONTRATO de forma inseparável os seguintes Anexos, devidamente rubricados pelas PARTES: CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA INCENTIVADA, QUE ENTRE SI CELEBRAM AMÉRICA ENERGIA S.A. E [COMPRADOR] Pelo presente Instrumento: De um lado, AMÉRICA ENERGIA S.A., com sede na Rua Olimpíadas, 200 5º andar

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 1 Agentes Submódulo 1.2 Cadastro de agentes

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 1 Agentes Submódulo 1.2 Cadastro de agentes Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 1 Agentes Submódulo 1.2 Cadastro de agentes 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE ATIVIDADES 6. DESCRIÇÃO DE ATIVIDADES 7.

Leia mais

CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - CCEE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência. Submódulo 3.5 REAJUSTE DA RECEITA DE VENDA - RRV

CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - CCEE Módulo 3: Contratação de Energia e Potência. Submódulo 3.5 REAJUSTE DA RECEITA DE VENDA - RRV CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - Módulo 3: Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.5 DE VENDA - RRV CÂMARA DE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - Módulo 3: Contratação de Energia

Leia mais

Subchefia de Assuntos Parlamentares SUPAR

Subchefia de Assuntos Parlamentares SUPAR Quadro comparativo Medida Provisória nº 688, de 18 de agosto de 2015. Repactuação do Risco Hidrológico de Geração de Energia Elétrica Publicada em 18 de agosto de 2015 (DOU EXTRA). Dispõe sobre a repactuação

Leia mais

ANEXO IV MINUTA DE CCVEE CHAMADA PÚBLICA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA

ANEXO IV MINUTA DE CCVEE CHAMADA PÚBLICA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA ANEXO IV MINUTA DE CCVEE CHAMADA PÚBLICA GERAÇÃO DISTRIBUÍDA CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA NO AMBIENTE REGULADO CONTRATO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 001/2014 - Leilão A de 2014

AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 001/2014 - Leilão A de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: NEOENERGIA AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 001/2014 - Leilão A de 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL OBJETO: obter subsídios ao aperfeiçoamento do Edital Nº 05/2014-ANEEL do 13º

Leia mais

Módulo 1 Agente. Submódulo 1.6 Comercialização Varejista

Módulo 1 Agente. Submódulo 1.6 Comercialização Varejista Módulo 1 Agente Submódulo 1.6 Comercialização Varejista 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS Condições gerais para a habilitação do varejista Condições gerais para a habilitação de representados

Leia mais

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 CÓDIGO ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...

Leia mais

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. DECRETO N.º 7.892, DE 23 DE JANEIRO DE 2013. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que

Leia mais

EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA

EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A, agente gerador de energia elétrica, inscrita no CNPJ/MF sob o n 23.274.194/0001-19, com sede na Rua Real Grandeza 219, Botafogo, Rio

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APURAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS A CONTABILIZAÇÃO E FATURAMENTO DA ENERGIA EXPORTADA PARA A ARGENTINA E O URUGUAI.

PROCEDIMENTOS PARA APURAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS A CONTABILIZAÇÃO E FATURAMENTO DA ENERGIA EXPORTADA PARA A ARGENTINA E O URUGUAI. PROCEDIMENTOS PARA APURAÇÃO DOS DADOS NECESSÁRIOS A CONTABILIZAÇÃO E FATURAMENTO DA ENERGIA EXPORTADA PARA A ARGENTINA E O URUGUAI. 1 Sumário Conteúdo 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3. PREMISSAS OPERACIONAIS...

Leia mais

ECOM ENERGIA LTDA. LEILÃO CP ECOM nº 04/2015 EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA DE CURTO PRAZO NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE - ACL

ECOM ENERGIA LTDA. LEILÃO CP ECOM nº 04/2015 EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA DE CURTO PRAZO NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE - ACL ECOM ENERGIA LTDA. LEILÃO CP ECOM nº 04/2015 EDITAL DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA DE CURTO PRAZO NO AMBIENTE DE CONTRATAÇÃO LIVRE - ACL APRESENTAÇÃO e OBJETO 1.1. A ECOM ENERGIA LTDA. ( ECOM ), autorizada

Leia mais

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19. Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

Audiência Pública nº 006/2015

Audiência Pública nº 006/2015 Audiência Pública nº 006/2015 Aprimoramento do sistema de Bandeiras Tarifárias e da regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifária Contribuições do Grupo Energisa Rio de Janeiro,

Leia mais

Comercialização de Energia Elétrica. Nara Rúbia de Souza Assessora da Diretoria

Comercialização de Energia Elétrica. Nara Rúbia de Souza Assessora da Diretoria Comercialização de Energia Elétrica Nara Rúbia de Souza Assessora da Diretoria ENCONSEL Novembro de 2011 Visão Geral Setor Elétrico Brasileiro Reestruturação do SEB Evolução das alterações no SEB Modelo

Leia mais

SANTO ANTÔNIO ENERGIA S.A. CHAMADA PÚBLICA SAE nº 001/2015 EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

SANTO ANTÔNIO ENERGIA S.A. CHAMADA PÚBLICA SAE nº 001/2015 EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA SANTO ANTÔNIO ENERGIA S.A. CHAMADA PÚBLICA SAE nº 001/2015 EDITAL DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA A SANTO ANTÔNIO ENERGIA S.A. ( SAE ), com endereço na Av. das Nações Unidas, n o 4.777, 6º andar, sala 1 CEP

Leia mais

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE Richard Lee Hochstetler Instituto Acende Brasil Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE MERCADO DE ENERGIA:

Leia mais

MODELO CONTRATO DE USO TEMPORÁRIO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST T Modelo 18Mar08.doc

MODELO CONTRATO DE USO TEMPORÁRIO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO. Arquivo: CUST T Modelo 18Mar08.doc MODELO CONTRATO DE USO TEMPORÁRIO DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO Arquivo: Motivo: Adequação à Resolução 304/08 que altera a Res.715/01 Acesso Temporário Modelo aplicado a: Geradoras e Importadoras, inclusive

Leia mais

OFERTA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA

OFERTA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA OFERTA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE LEILÃO - CGTEE Nº 002/2014 OFERTA PÚBLICA DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA EDITAL DE LEILÃO CGTEE Nº 002/2014 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Leia mais

O Novo Ciclo do Mercado Livre de Energia Elétrica

O Novo Ciclo do Mercado Livre de Energia Elétrica O Novo Ciclo do Mercado Livre de Energia Elétrica PAINEL 2 ENTRE DOIS MUNDOS: O REGULADO E O LIVRE Flávio Antônio Neiva Presidente da ABRAGE Belo Horizonte 16 de outubro de 2008 Entre dois mundos: o regulado

Leia mais

Comercialização de Energia Elétrica: Gerador de Fonte Alternativa X Consumidor ou Conjunto de Consumidores com Carga > 500 kw.

Comercialização de Energia Elétrica: Gerador de Fonte Alternativa X Consumidor ou Conjunto de Consumidores com Carga > 500 kw. Comercialização de Energia Elétrica: Gerador de Fonte Alternativa X Consumidor ou Conjunto de Consumidores com Carga > 500 kw. AP 033 - Sugestões Proposta da AP 033: Possibilidade de retorno do Consumidor

Leia mais

Contribuições da Energia Sustentável do Brasil ESBR para a Audiência Pública 32/2015 4ª Fase

Contribuições da Energia Sustentável do Brasil ESBR para a Audiência Pública 32/2015 4ª Fase Contribuições da Energia Sustentável do Brasil ESBR para a Audiência Pública 32/2015 4ª Fase Energia Sustentável do Brasil S.A, ESBR, concessionária de uso de bem público para exploração da Usina Hidrelétrica

Leia mais

EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº 01/2014 DME DISTRIBUIÇÃO S.A. - DMED

EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº 01/2014 DME DISTRIBUIÇÃO S.A. - DMED EDITAL DE LEILÃO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº 01/2014 DME DISTRIBUIÇÃO S.A. - DMED A DME Distribuição SA. DMED, empresa pública de direito privado, com sede na Rua Pernambuco, 265 - CEP 37701-021 -

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA N o 506, DE 4 DE SETEMBRO DE 2012. (*) Vide alterações e inclusões no final do texto. Voto Estabelece as condições de acesso ao sistema de

Leia mais

Não Aceita 4. Contribuições Recebidas Contribuição: ABRADEE Justificativa Avaliação ANEEL: Parcialmente Aceita Art. 1º

Não Aceita 4. Contribuições Recebidas Contribuição: ABRADEE Justificativa Avaliação ANEEL: Parcialmente Aceita Art. 1º COMPLEMENTO AO Anexo I da Nota Técnica n o Nota Técnica no 077/2015-SRM-SRD-SRG-SGT-SFF-SCG/ANEEL de 08/05/2015 (Análise de contribuições que não constaram do RAC Minuta de Resolução, Anexo I da NT 08/05/2015)

Leia mais

PREZADO ACESSANTE, ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO EM 10 PASSOS

PREZADO ACESSANTE, ACESSO AO SISTEMA DE TRANSMISSÃO EM 10 PASSOS PREZADO ACESSANTE, A legislação vigente assegura a todos os Agentes do setor elétrico e consumidores livres o acesso aos sistemas de transmissão de concessionário público de energia elétrica. O Operador

Leia mais

02 de outubro 2014 LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONVENCIONAL EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº 01/2014

02 de outubro 2014 LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONVENCIONAL EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº 01/2014 02 de outubro 2014 LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA CONVENCIONAL EDITAL DE LEILÃO DE VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA Nº 01/2014 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1. O presente edital ( Edital ) estabelece as regras

Leia mais

DECRETO Nº 29 993, de 09 de dezembro de 2009.

DECRETO Nº 29 993, de 09 de dezembro de 2009. DECRETO Nº 29 993, de 09 de dezembro de 2009. REGULAMENTA A LEI COMPLEMENTAR ESTADUAL Nº 81, DE 02 DE SETEMBRO DE 2009, QUE INSTITUI O FUNDO DE INCENTIVO À ENERGIA SOLAR DO ESTADO DO CEARÁ FIES, E DÁ OUTRAS

Leia mais