Página 2 de 9 SISTEMA DE COMPLIANCE INDICE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Página 2 de 9 SISTEMA DE COMPLIANCE INDICE"

Transcrição

1

2 Página 2 de 9 INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ORGANIZAÇÃO, RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES DO 3. POLÍTICA DE GESTÃO DE COMPLIANCE 4. CÓDIGO DE ÉTICA 5. ANÁLISE DE RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE 6. POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS 6.1. Relacionamentos Com Agentes Públicos, Privados E Procedimentos Competitivos 6.2. Relacionamentos com Terceiros 6.3. Política de Defesa da Concorrência 6.4. Política de Brindes 6.5. Política de Doação e Patrocínio 7. REGISTROS CONTÁBEIS 8. TREINAMENTO E COMUNICAÇÃO 9. AUDITORIAS INTERNAS 10. MEDIDAS CORRETIVAS E DISCIPLINARES Política de Não Retalhação - Proteção a Denunciantes Investigação e Remediação 11. MONITORAMENTO CONTÍNUO 12. CANAIS DE OUVIDORIA 13. DISPOSIÇÕES GERAIS 2/9

3 Página 3 de 9 COMPROMETIMENTO DA ALTA DIREÇÃO Ética, seriedade e integridade são princípios determinantes para a contínua caminhada da EPC Engenharia. Neste Documento Sistema de Compliance, reforçamos o compromisso da EPC em atuar com transparência, em conformidade com nossos princípios e valores, com as melhores práticas de governança e com a legislação vigente. Nossa meta é continuar os nossos trabalhos focados nestes princípios para alcançarmos, cada vez mais, o respeito com os públicos com que interagimos. Nunziato José Schettino Diretor Executivo Para garantir que todos respeitem os valores e obrigações enunciados no Sistema de Compliance, a Direção da EPC Engenharia se compromete a: Dar o exemplo, agindo sempre de acordo com os padrões do éticos mais elevados; Manter a cultura de integridade na empresa; Assegurar que o Sistema de Compliance seja conhecido por todos, em todos os níveis hierárquicos da empresa. André Martins Schettino Diretor Financeiro A EPC vem se adequando às melhores práticas de governança corporativa a fim de preservar e otimizar o seu valor; assim, a EPC iniciou a implantação do seu Sistema de Compliance. Comprometimento é a palavra chave para monitorar a conformidade do Sistema dentro da Empresa e com esta missão, asseguro disponibilizar em conjunto com a Alta Direção, todos os recursos necessários para que este Sistema seja maduro e disseminado entre todos os colaboradores e Terceiros da Empresa. Daniela Soriano Correa Gerente Corporativa da Qualidade, Meio Ambiente e Administradora de Compliance 3/9

4 Página 4 de 9 1. INTRODUÇÃO O Sistema de Compliance da EPC Engenharia Projeto e Consultoria visa prevenir, detectar e sanar quaisquer desvios de normas legais e regulamentares, políticas e diretrizes estabelecidas para o negócio e para as atividades da organização. Seu compromisso é atuar em conformidade com princípios e valores, com as melhores práticas de governança e com a legislação vigente. O Sistema de Compliance da EPC conta com o comprometimento da Alta Direção da empresa e é disseminado por todos os níveis hierárquicos da Empresa. 2. ORGANIZAÇÃO, RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES DO A Alta Direção da EPC supervisiona e monitora a gestão do Sistema de Compliance através do Comitê Executivo de Compliance e envolve a Diretoria Executiva, as Gerências da Engenharia e outras Gerências, conforme o organograma abaixo: Presidência: Estabelece as diretrizes e monitora o Sistema de Compliance da empresa através do Comitê Executivo de Compliance. Diretorias: Conduz suas práticas de negócio atendendo à legislação vigente, normas, regras, procedimentos e políticas internas aplicáveis à EPC e apoia o Administrador de Compliance na disseminação do Sistema de Compliance. Comitê de Auditorias Compliance: Formado pelos Setores da Qualidade, Subcontratação, Recursos Humanos e Departamento Pessoal. Responsável pela correta aplicação da Matriz de Riscos e condução de auditorias do Sistema Compliance. Comitê Executivo de Compliance: Formado pelo Comitê de Auditorias Compliance e pelo Administrador do Sistema de Compliance. Acompanha e sugere aprimoramento das políticas de Compliance, treinamentos e regras de ética e conduta. É responsável pelos planos de ações de mitigação de riscos, validação de investigações de denúncias e medidas corretivas. 4/9

5 Página 5 de 9 Administrador de Compliance: É a Gerência Corporativa da Qualidade. Monitora o cumprimento e a disseminação do Sistema de Compliance. Coordena o plano de treinamento no Sistema de Compliance para os colaboradores e terceiros. Realiza revisões periódicas no Sistema de Compliance a fim de assegurar seu cumprimento das leis aplicáveis e políticas da EPC. Agentes de Compliance: Grupo de colaboradores da EPC que além de executarem suas atividades fins, são responsáveis por apoiar na disseminação da cultura ética e compromissada em todos os níveis da empresa. Tais colaboradores também auxiliam na identificação de riscos e de melhorias nos processos de prevenção e detecção de desvios de conduta. Colaboradores e Terceiros da EPC: Responsáveis por conhecer e cumprir as obrigações e preceitos previstos no Sistema de Compliance e no Código de Ética e Conduta da EPC. 3. POLÍTICA DE GESTÃO DE COMPLIANCE A EPC afirma o compromisso em melhorar continuamente seus processos na gestão de Compliance e disseminar a prática de Compliance em todos os seus níveis. A EPC assegura o cumprimento do Sistema de Compliance, do Código de Ética e Conduta, das normas, regras e procedimentos internos e todas as leis e regulamentações aplicáveis, tendo o Administrador do Programa de Compliance autonomia e independência para agir: Quanto à Gestão - Melhorar continuamente os processos com responsabilidade para relatar as questões de Compliance e disseminar a prática do Sistema Compliance na Organização. Quanto à Partes Interessadas - Manter um Sistema de Compliance que seja instrumento para um gerenciamento das relações nos padrões requeridos e afins. Quanto às Pessoas - Disseminar a prática do Sistema de Compliance em todos os níveis da organização, incorporando-a em procedimentos e processos. De forma sucinta, clara e objetiva, ressalta a obrigação de todos os nossos colaboradores e terceiros, em conduzir suas atividades de maneira ética, confiável e íntegra. 4. CÓDIGO DE ÉTICA O Código de Ética e Conduta é um documento fundamental do Programa Compliance, pois, abrange, de forma geral, os valores da organização e as principais regras e políticas adotadas pela empresa. Em consonância com os requisitos da Lei Anti Corrupção, ele: Determina os princípios adotados pela EPC relacionados a questões de Ética e Compliance; Menciona as políticas da EPC para prevenir fraudes e atos ilícitos; Estabelece medidas disciplinares aos atos de prometer, oferecer ou dar, direta ou indiretamente, vantagem indevida; Determina a utilização de canais de denúncias e de orientações sobre questões de Compliance; Promove a integridade e a transparência na condução dos negócios; Regula o exercício das atividades profissionais da EPC, sobretudo no que diz respeito à integridade e legalidade. O Código de Ética da Empresa foi aprovado pela Alta Direção da EPC. É divulgado a todos os colaboradores e terceiros através do canal oficial da Empresa. Todos os colaboradores recebem cópia impressa do Código e devem assinar o Termo de Ciência e Compromisso pelo qual o colaborador se compromete ao cumprimento do Código, sob pena de se sujeitar às medidas disciplinares cabíveis. Maiores informações, acesse o Código de Ética e Conduta da EPC. 5/9

6 Página 6 de 9 5. ANÁLISE DE RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE Para realizar a análise de riscos, a EPC relacionou as suas obrigações de Compliance às suas atividades e demais aspectos pertinentes à execução de seus serviços, através da: Identificação de situações riscos: Realizado o mapeamento e identificação dos riscos gerais da EPC. Avaliação dos riscos identificados: Após a identificação dos riscos, foi criada a Matriz de Riscos de Compliance - documento que relaciona os principais riscos aos quais a EPC está exposta, bem como o impacto e a probabilidade de suas ocorrências. Ações para mitigar os riscos: com base na identificação das situações de risco, a EPC desenvolveu procedimentos, normas e políticas com o objetivo de aumentar o controle sobre as situações de risco e diminuir as chances de ocorrência de atos lesivos. Análise periódica dos riscos: Anualmente a EPC revisa seus riscos de Compliance, a fim de identificar eventuais novos riscos, e a necessidade de adaptações e, até mesmo, reformulações nas políticas e controles estabelecidos pela empresa. 6. POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS A EPC possui regras e procedimentos internos para prevenir a ocorrência de irregularidades, com fundamento nos riscos identificados. Estas políticas e procedimentos auxiliam a correta aplicação dos preceitos do Sistema de Compliance, regulando de forma mais específica temas pontuais e formas de conduta Relacionamentos Com Agentes Públicos, Privados E Procedimentos Competitivos De forma geral, interações com agentes públicos podem gerar situações propensas à ocorrência de corrupção e outros atos ilícitos contra a administração pública. Por essa razão, todos os colaboradores devem agir em conformidade com os padrões éticos em toda a interação com o Poder Público. No código de Ética e Conduta foi inserida a Política de Relacionamento com agentes públicos, privados e procedimentos competitivos com o objetivo de prevenir a ocorrência de atos ilícitos previstos nas Leis e Regulamentos aplicáveis Relacionamentos com Terceiros O relacionamento da Empresa com Terceiros representa potenciais riscos de fraude e corrupção, tendo em vista que o não cumprimento das leis e regulamentações por parte de terceiros poderá trazer implicações à Empresa, além de gerar possíveis danos à reputação. No código de Ética e Conduta foi inserida a Política de Relacionamento com Terceiros com o objetivo de garantir a ética e integridade e transparência dos negócios realizados Política de Defesa da Concorrência O relacionamento da Empresa com seus concorrentes e demais empresas representa potencial risco para ocorrência de práticas anticoncorrenciais tais como combinação de preços ou qualquer outra prática que impeça um mercado livre e justo. No código de Ética e Conduta foi inserida a Política de Relacionamento de Defesa da Concorrência Política de Brindes O oferecimento de brindes com o objetivo de iniciar ou estreitar relações comerciais é uma prática comum no mundo corporativo. No código de Ética e Conduta foi inserida a Política de Brindes com o objetivo de garantir ética e transparência nas relações comerciais com clientes, terceiros e fornecedores, a partir do estabelecimento de regras acerca do oferecimento e recebimento de brindes, presentes e entretenimento. 6/9

7 Página 7 de Política de Doação e Patrocínio A fim de evitar que doações e patrocínios possam ser eventualmente utilizados para camuflar pagamentos de vantagem indevida para agentes públicos, foi inserida a Política de Doação e Patrocínio no Código de Ética e Conduta da EPC. 7. REGISTROS CONTÁBEIS Os registros contábeis e financeiros da EPC devem ser realizados de forma precisa e clara, de acordo com as normas e regulamentos aplicáveis. Todos os pagamentos e os compromissos assumidos devem estar autorizados pelo nível hierárquico competente e respaldados por documentação legal. A EPC contrata anualmente uma auditoria externa do balanço patrimonial, revisão fiscal e controles internos da empresa, a fim de identificar possíveis pendências na apuração dos resultados e controles da EPC. 8. TREINAMENTO E COMUNICAÇÃO Todas as ações de treinamento e comunicação do Sistema de Compliance que ocorrem na EPC seguem diretrizes estabelecidas que visam assegurar o conhecimento e promover o compromisso de todos com uma atuação ética, íntegra e transparente. Nossos colaboradores e terceiros são submetidos a treinamentos (eletrônicos e presenciais) sobre o Sistema de Compliance, desde o momento em que são admitidos / contratados na empresa. Adicionalmente, são disponibilizados no site e nas redes sociais da empresa, versões mais sintéticas que favorecem a plena comunicação da Política de Gestão de Compliance, do Código de Ética e Conduta. 9. AUDITORIAS INTERNAS Uma das formas de monitorar e melhorar a efetividade das ações previstas no Sistema de Compliance da EPC é através de auditorias internas, que avaliam se o mesmo está em conformidade com: Os requisitos estabelecidos no Sistema de Compliance da EPC (ISO19600). A legislação vigente. Os resultados das auditorias são relatados pelo Administrador do Sistema de Compliance da EPC à Alta Direção e ao Comitê de Auditorias Compliance. 10. MEDIDAS CORRETIVAS E DISCIPLINARES Na EPC são adotadas medidas corretivas em decorrência de desvios de atuação ética, íntegra e transparente por parte de nossos colaboradores e terceiros. As medidas corretivas são proporcionais ao tipo de violação e o grau de responsabilidade dos envolvidos e são definidas pelo Comitê Executivo de Compliance. Colaboradores que descumprirem as determinações da Política de Compliance, Código de Ética e demais Políticas correlatas estarão sujeitos às sanções e medidas corretivas internas, além de eventuais responsabilidades perante a justiça brasileira. Após o término do Processo investigatório e do julgamento do caso pelo Comitê, que garantirão o direito de defesa aos infratores, poderão ser aplicadas sanções e medidas corretivas aos envolvidos por deliberação do Comitê de Ética, classificadas por sua gravidade: Desconformidade Leve: Aplicação de advertência verbal pelo superior imediato ou pelo Administrador de Compliance. 7/9

8 Página 8 de 9 Desconformidade Média: Advertência escrita pelo superior imediato ou pelo Administrador de Compliance. Desconformidade Grave: Advertência escrita junto da Aplicação de Treinamento corretivo pelo Administrador de Compliance. Desconformidade Gravíssima: Demissão por justa causa e eventual formalização de denúncia a órgão competentes, quando cabível. Na hipótese de reincidência de desconformidades, serão aplicadas: Reincidência de desconformidades Leve e Média: Realização das respectivas advertências junto da aplicação de treinamento corretivo. Reincidência de desconformidade Grave: Demissão por justa causa Política de Não Retalhação - Proteção a Denunciantes Diretores e demais colaboradores não podem praticar atos de Retaliação contra aquele que, de boa-fé: Denunciar ou manifestar queixa, suspeita, dúvida ou preocupação relativas a possíveis violações às diretrizes desta Política; Fornecer informações ou assistência nas apurações relativas a tais possíveis violações. Diretores e demais colaboradores devem preservar a confidencialidade das informações relativas às apurações de possíveis violações às diretrizes desta Política. Manifestações anônimas devem ser aceitas pelos Canais de Denúncia e o anonimato deve ser preservado. Medidas disciplinares devem ser aplicadas a todos os colaboradores que tentarem ou praticarem retaliação contra quem, de boa-fé, comunicar possíveis violações às diretrizes desta Política Investigação e Remediação As irregularidades e violações poderão ser conhecidas tanto através do canal de ouvidoria, como também em auditorias periódicas ou resultado da análise crítica dos processos. Após o recebimento do relato, será iniciado o processo de investigação a fim de apurar e tomar ações apropriadas a fim de interrompê-las e remediá-las. 11. MONITORAMENTO CONTÍNUO Para verificar sua eficácia e conformidade, o Sistema de Compliance da EPC é monitorado periodicamente através: Resultados das auditorias internas Análise Crítica da Alta Direção, etc. 12. CANAIS DE OUVIDORIA A EPC conta com Canais de Ouvidoria destinados ao recebimento de denúncias de qualquer pessoa que se sinta afetada pela empresa, devido à violação do Código de Ética e Conduta ou dos nossos valores. Todas as denúncias recebidas na EPC são tratadas conforme previsto no Item Política de Não Retalhação - Proteção a Denunciantes. As denúncias podem ser realizadas pessoalmente ao Administrador de Compliance, Sra. Daniela Soriano, ou através do 8/9

9 Página 9 de DISPOSIÇÕES GERAIS O Sistema de Complice da EPC entra em vigor na data de sua aprovação, ficando revogadas todas e quaisquer disposições em contrário. Esse Código é válido por tempo indeterminado e será atualizado sempre que for necessário. Deve estar disponível para consulta em nosso Site ( e distribuído a todos os Colaboradores sob a forma de cartilha, e que deverão assinar o termo de recebimento e compromisso anexo à esta. 9/9

SISTEMA DE COMPLIANCE

SISTEMA DE COMPLIANCE SISTEMA DE COMPLIANCE SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 4 DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS... 6 COMPROMETIMENTO DA ALTA DIREÇÃO... 7 ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE COMPLIANCE... 8 ESTRUTURA DO SISTEMA DE COMPLIANCE... 12 2 INTRODUÇÃO

Leia mais

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO VERSÃO NOV/2014 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. DEFINIÇÕES... 3 3. PÚBLICO-ALVO... 5 4. VEDAÇÕES... 5 5. ATOS PREVENTIVOS... 6 6. CANAL DE DENÚNCIAS... 7 7. PROTEÇÃO A DENUNCIANTES...

Leia mais

POLÍTICA DE CONFORMIDADE

POLÍTICA DE CONFORMIDADE Sumário 1. OBJETIVO... 1 2. ABRANGÊNCIA... 1 3. DEFINIÇÕES... 1 3.1 Conformidade... 1 3.2 Estrutura Normativa Interna... 1 3.3 Programa de Integridade... 1 4. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES... 1 4.1 Princípios

Leia mais

Governança e Compliance: novo paradigma no ambiente de negócios

Governança e Compliance: novo paradigma no ambiente de negócios Programa de Compliance do Cooperativismo Paranaense Governança e Compliance: Governança e Compliance: novo paradigma no ambiente de negócios Curitiba, 29 de abril de 2019 .: Programa de Compliance Do que

Leia mais

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO Sumário 1. OBJETIVO... 1 2. ABRANGÊNCIA... 1 3. DEFINIÇÕES... 1 3.1 Fraude... 1 3.2 Corrupção... 1 3.3 Programa de Integridade... 2 4. PRINCÍPIOS... 2 4.1 Repúdio a ações de fraude e corrupção direta ou

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE

POLÍTICA DE COMPLIANCE POLÍTICA DE COMPLIANCE SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 1 2. APLICAÇÃO... 2 3. DEFINIÇÕES... 2 4. DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE MRV... 2 5. ESTRUTURA DA ÁREA DE COMPLIANCE... 3 5.1. Funções da Área de Compliance...

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO 1.OBJETIVO A Política Corporativa de Prevenção à Corrupção tem o objetivo de reforçar o compromisso da MULTILOG

Leia mais

POLÍTICA PARA A PREVENÇÃO DE DELITOS 19 de julho de 2018.

POLÍTICA PARA A PREVENÇÃO DE DELITOS 19 de julho de 2018. 1 POLÍTICA PARA A PREVENÇÃO DE DELITOS 19 de julho de 2018. O Conselho de Administração da NEOENERGIA S.A. ("NEOENERGIA" ou Companhia ) tem a responsabilidade de formular a estratégia e aprovar as Políticas

Leia mais

Programa de Integridade. Fevereiro de 2019

Programa de Integridade. Fevereiro de 2019 Programa de Integridade Fevereiro de 2019 Índice 10. Canais de denúncia de irregularidades 13 1. Objetivo 3 11. Medidas disciplinares em caso de violação do Programa de Integridade 14 2. Introdução 3.

Leia mais

Termo de Compromisso - Compliance

Termo de Compromisso - Compliance Termo de Compromisso - Compliance Código de Conduta A seguir estão registradas as Condutas Adequadas e Inadequadas definidas e recomendadas pela Reta Engenharia a todos os seus stakeholders. Este Código

Leia mais

Programa de Integridade/ Compliance

Programa de Integridade/ Compliance Programa de Integridade/ Compliance Sumário Programa de Integridade... 3 Estrutura Organizacional... 4 Estrutura do Programa de Integridade... 6 1. Diretrizes Institucionais... 7 2. Governança Corporativa...

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Maio/2018 1. Apresentação da Política A tem como objetivo assegurar a adequação, o fortalecimento e o funcionamento eficiente do Sistema de Controles Internos da TAESA e suas subsidiárias

Leia mais

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS

COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. LEGISLAÇÃO... 3 3. ABRAGÊNCIA... 4 4. DEFINIÇÕES... 4 4.1... 4 4.2 CONFORMIDADE... 5 4.3 INTEGRIDADE... 5 5. DIRETRIZES GERAIS... 5 6. RESPONSABILIDADES... 6 6.1 ADMINISTRAÇÃO/DIRETORIA...

Leia mais

Programa de. Integridade REDE D OR SÃO LUIZ

Programa de. Integridade REDE D OR SÃO LUIZ Programa de Integridade REDE D OR SÃO LUIZ Introdução...03 O Programa de Integridade...04 Pilares do Programa...05 Principais Benefícios...09 Nosso Compromisso...10 Introdução O combate à corrupção depende

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance 1 Objetivo O objetivo desta Política é estabelecer diretrizes e procedimentos que assegurem o cumprimento das normas de Compliance definidas pelo Grupo VEOLIA e, que essas normas

Leia mais

POLÍTICA DE TRATAMENTO DE DENÚNCIAS EMAM ASFALTOS E EMAM LOGÍSTICA

POLÍTICA DE TRATAMENTO DE DENÚNCIAS EMAM ASFALTOS E EMAM LOGÍSTICA POLÍTICA DE TRATAMENTO DE DENÚNCIAS EMAM ASFALTOS E EMAM LOGÍSTICA 1 1. OBJETIVO A presente Política visa estabelecer os procedimentos para o Tratamento das Denúncias recebidas pela EMAM ASFALTOS ( EMAM

Leia mais

Programa de Integridade

Programa de Integridade Programa de Integridade 1 1. Introdução O Programa de Integridade do Grupo BR Partners, aprovado pela BR Partners Holdco Participações S.A. para todas as suas subsidiárias diretas e indiretas (em conjunto,

Leia mais

Política de Prevenção à. Corrupção

Política de Prevenção à. Corrupção Política de Prevenção à Corrupção Versão atualizada 22.04.2015 Page 1 of 5 1. OBJETIVOS A Política de Prevenção à Corrupção ( Política ) tem o objetivo de estabelecer as diretrizes para detectar e sanar

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À CORRUPÇÃO Esta Política é parte integrante do Código de Alinhamento de Conduta aprovado em 30/01/2015 pelo Conselho de Administração da Positivo Tecnologia S.A.. 1.

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRIDADE

PROGRAMA DE INTEGRIDADE PROGRAMA DE INTEGRIDADE Programa de integridade consiste, no âmbito de uma pessoa jurídica, no conjunto de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades

Leia mais

POLÍTICA DE CONFORMIDADE CORPORATIVA DA TRANSPETRO

POLÍTICA DE CONFORMIDADE CORPORATIVA DA TRANSPETRO POLÍTICA DE CONFORMIDADE CORPORATIVA DA TRANSPETRO SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. APLICAÇÃO E ABRANGÊNCIA 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES 3.1. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3.2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Política de Prevenção a Fraudes

Política de Prevenção a Fraudes Política de Prevenção a Fraudes Maio/2018 1. Apresentação da Política Esta Política tem como objetivo ser um dos pilares que visam assegurar a adequação, o fortalecimento e o funcionamento eficiente do

Leia mais

PBTI. Programa de Integridade. Maio 2018

PBTI. Programa de Integridade. Maio 2018 PBTI Programa de Integridade Maio 2018 Introdução A PBTI Soluções tem o compromisso de conduzir seus negócios de acordo com os mais elevados padrões de ética e integridade empresarial. Em 2012 a PBTI lançou

Leia mais

O procedimento de DDI é fundamentado em riscos e consiste nas seguintes etapas:

O procedimento de DDI é fundamentado em riscos e consiste nas seguintes etapas: PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE INTEGRIDADE O procedimento de DDI é fundamentado em riscos e consiste nas seguintes etapas: Etapa 1 - Aplicação do Questionário de Due Diligence de Integridade (DDI) O Questionário

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E À FRAUDE

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E À FRAUDE POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E À FRAUDE 11/08/2017 INFORMAÇÃO PÚBLICA SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIAS... 3 4 CONCEITOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 ORIENTAÇÕES GERAIS...

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA FORNECEDOR/ PARCEIRO DE NEGÓCIO OR. Janeiro 2018

CÓDIGO DE CONDUTA FORNECEDOR/ PARCEIRO DE NEGÓCIO OR. Janeiro 2018 CÓDIGO DE CONDUTA FORNECEDOR/ PARCEIRO DE NEGÓCIO OR Janeiro 2018 Sumário 1. Considerações Iniciais 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 3 2. DIRETRIZES 4 2.1 QUANTO À INTEGRIDADE NOS NEGÓCIOS 5 2.2 QUANTO À CORRUPÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRIDADE DA RAIA DROGASIL S.A. Minuta para apreciação de Diretores e aprovação pelo Conselho de Administração

PROGRAMA DE INTEGRIDADE DA RAIA DROGASIL S.A. Minuta para apreciação de Diretores e aprovação pelo Conselho de Administração PROGRAMA DE INTEGRIDADE DA RAIA DROGASIL S.A. Minuta para apreciação de Diretores e aprovação pelo Conselho de Administração outubro 2018 PROGRAMA DE INTEGRIDADE DA RAIA DROGASIL S.A. 1. INTRODUÇÃO A RD

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO... 3 2- ABRANGÊNCIA... 3 3- OBJETIVO... 4 4- TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5- DIRETRIZES... 6 6- ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 8 7- DOCUMENTOS RELACIONADOS...

Leia mais

PROGRAMA DE COMPLIANCE

PROGRAMA DE COMPLIANCE Sumário Introdução Público Os elementos do Programa de Compliance da Marfrig Governança e Cultura Análise de riscos de Compliance Papéis e Responsabilidades Normas e Diretrizes Internas Comunicação e Treinamento

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Junho 2017 POLÍTICA DE COMPLIANCE 1. OBJETIVO Esta Política estabelece princípios, diretrizes e funções de compliance em todos os níveis da FALCONI Consultores de Resultados, bem

Leia mais

ENGEMAN - MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS COM. E IND. LTDA. PROGRAMA DE INTEGRIDADE

ENGEMAN - MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS COM. E IND. LTDA. PROGRAMA DE INTEGRIDADE 1. OBJETIVO O Programa de Integridade da Engeman, em consonância com a Lei nº 12.846 e o Decreto nº 8.420, tem como seu objetivo a criação, desenvolvimento e manutenção de condutas e práticas de integridade,

Leia mais

Políticas Corporativas

Políticas Corporativas 1 IDENTIFICAÇÃO Título: Restrições para Uso: POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Acesso Controle Livre Reservado Confidencial Controlada Não Controlada Em Revisão 2 - RESPONSÁVEIS Etapa Área Responsável Cargo

Leia mais

POLÍTICA DE MONITORAMENTO E ATUALIZAÇÃO DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE

POLÍTICA DE MONITORAMENTO E ATUALIZAÇÃO DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA DE MONITORAMENTO E ATUALIZAÇÃO DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE A presente política de monitoramento e atualização integra a regulamentação pertinente ao Programa de Integridade da Fundação Instituto

Leia mais

MINASFAR AR COMÉRCIO, CIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE MATERIAIS HOSPITALARES LTDA POLÍTICA DE COMPLIANCE

MINASFAR AR COMÉRCIO, CIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE MATERIAIS HOSPITALARES LTDA POLÍTICA DE COMPLIANCE MINASFAR AR COMÉRCIO, CIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DE MATERIAIS HOSPITALARES LTDA POLÍTICA DE COMPLIANCE SUMÁRIO I Introdução...5 II O que é compliance...5 III Abrangência...6 IV Estrutura de compliance...6

Leia mais

II Seminário Operacional Veolia Brasil

II Seminário Operacional Veolia Brasil II Seminário Operacional Veolia Brasil Introdução O Programa de Integridade Veolia (PIVE.br) é movido por ações contínuas de prevenção, detecção e correção de atos de fraude e de corrupção, consolidadas

Leia mais

Política de Denúncias. Código Data da Emissão Área Emissora Versão POL-DIR-002 Julho/2017 Diretoria de Governança 1.0

Política de Denúncias. Código Data da Emissão Área Emissora Versão POL-DIR-002 Julho/2017 Diretoria de Governança 1.0 Política de Denúncias Área Emissora POL-DIR-002 Julho/2017 Diretoria de Governança 1.0 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. BASE LEGAL E NORMAS DE REFERÊNCIA... 3 4. ABRANGÊNCIA... 3 5. CANAL

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Capítulo 1 Objetivo do documento A Política de Conformidade (Compliance) da cooperativa estabelece princípios e diretrizes de conduta corporativa, para que todos os dirigentes, empregados

Leia mais

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira Seminário Nacional NTU - 2014 Lei Anticorrupção e Programa de Compliance Lélis Marcos Teixeira 28/agosto/2014 Iniciativas FETRANSPOR Lei 12.846/2013 Agenda Abertura Histórico Iniciativas Dúvidas Encerramento

Leia mais

POLÍTICA DE ALÇADA PARA APROVAÇÃO DE INVESTIMENTOS, CUSTOS E DESPESAS

POLÍTICA DE ALÇADA PARA APROVAÇÃO DE INVESTIMENTOS, CUSTOS E DESPESAS POLÍTICA DE ALÇADA PARA APROVAÇÃO DE INVESTIMENTOS, CUSTOS E DESPESAS R ÍNDICE 1-OBJETIVO....03 2-DEFINIÇÕES...04 3-DOCUMENTOS RELACIONADOS...05 4-PÚBLICO ALVO...06 5-RESPONSABILIDADES...06 5.1-SÓCIOS,

Leia mais

MANUAL DE INTEGRIDADE

MANUAL DE INTEGRIDADE MANUAL DE Controle de alterações Revisão Data Local da Revisão Descrição 1 - Emissão inicial Lista de Distribuição Diretoria Executiva Diretoria de Integridade Diretores das áreas Gestores de Integridade

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO, INTEGRIDADE, RISCOS E CONTROLES INTERNOS MGI MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE GESTÃO, INTEGRIDADE, RISCOS E CONTROLES INTERNOS MGI MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE GESTÃO, INTEGRIDADE, RISCOS E CONTROLES INTERNOS MGI MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. DEFINIÇÕES... 4 4. FUNDAMENTAÇÃO... 5 5. REVISÃO DESTA

Leia mais

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO A Vida Tratada Com Respeito

COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO A Vida Tratada Com Respeito FOLHA DE CONTROLE Título Política de Conformidade e Integridade Número de versão 1 Status Lançamento Autoria Superintendência de Controles Internos e Gestão de Riscos - SUCIR Pré-aprovação Diretoria Colegiada

Leia mais

POLÍTICA DE CONFORMIDADE (COMPLIANCE)

POLÍTICA DE CONFORMIDADE (COMPLIANCE) (COMPLIANCE) EXERCÍCIO 2017 (COMPLIANCE) 1. OBJETIVO A Política de Conformidade (Compliance) estabelece princípios, diretrizes e funções de conformidade em todos os níveis da CRECE, considerando estes

Leia mais

POLÍTICA Anticorrupção

POLÍTICA Anticorrupção POLÍTICA Escritório de Projetos e Processos Política Código VV-GCO-RCI-PL-2 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é estabelecer diretrizes gerais sobre práticas anticorrupção contribuindo no atendimento

Leia mais

MANUAL ANTICORRUPÇÃO

MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 1 MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 2 SUMÁRIO 1.Introdução... 3 2.Da abrangência... 3 3. Das condutas a serem observadas... 3 3.1 Vantagem indevida:... 3 3.2 Participação em

Leia mais

BM&FBOVESPA. Política de Controles Internos. Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo. Última Revisão: março de 2013.

BM&FBOVESPA. Política de Controles Internos. Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo. Última Revisão: março de 2013. BM&FBOVESPA Diretoria de Controles Internos, Compliance e Risco Corporativo Página 1 Última Revisão: março de 2013 Uso interno Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. REFERÊNCIA... 3 4. CONCEITOS...

Leia mais

Regras de Procedimentos e Integridade do Comitê de Compliance da FSB. Dezembro/2016

Regras de Procedimentos e Integridade do Comitê de Compliance da FSB. Dezembro/2016 1 Regras de Procedimentos e Integridade do Comitê de Compliance da FSB Dezembro/2016 2 Manual do Programa de Integridade da FSB 1. Introdução O presente Manual do Programa de Integridade da FSB ( Manual

Leia mais

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DO CANAL DE ÉTICA

POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DO CANAL DE ÉTICA POLÍTICA DE UTILIZAÇÃO DO CANAL DE ÉTICA Versão 03/2019 Compliance Grupo Alubar 2 1. INTRODUÇÃO A Política de Utilização do Canal de Ética do Grupo Alubar tem a finalidade de apresentar com simplicidade

Leia mais

DOCUMENTO CONTROLADO COM IMPRESSÃO PROIBIDA

DOCUMENTO CONTROLADO COM IMPRESSÃO PROIBIDA Cadastrado Ação Avaliação de Elaborador Revisão Aprovação Barra de Responsáveis BARBARA SANTOS MIRAGAYA JANDREY GUSTAVO PLISSARI BARBARA SANTOS MIRAGAYA Responsável ANA CRISTINA FREIRE DOS SANTOS Dados

Leia mais

Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONFORMIDADE E RISCOS DA COPASA MG

Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONFORMIDADE E RISCOS DA COPASA MG Companhia de Saneamento de Minas Gerais REGIMENTO INTERNO DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONFORMIDADE E DA COPASA MG Sumário Da Finalidade... 3 Da Estrutura... 3 Das Competências... 4 Do Orçamento Próprio... 5

Leia mais

Revisado em Abril de 2016

Revisado em Abril de 2016 Confidencial Este documento é propriedade intelectual da TWG/Virgínia, contém informações confidenciais e não deve ser lido por pessoas não autorizadas. Se você não está autorizado a lê-lo, devolva-o ao

Leia mais

PROGRAMA DE COMPLIANCE

PROGRAMA DE COMPLIANCE PROGRAMA DE COMPLIANCE VERSÃO 1.0 SETEMBRO/2016 1. NOME DO PROGRAMA Programa de Compliance criado em 30.09.2015 2. OBJETIVO Mitigar os riscos das operações e os negócios atuais e futuros, sempre em conformidade

Leia mais

Dezembro de 2015 Versão 1.1. Código de Compliance

Dezembro de 2015 Versão 1.1. Código de Compliance Dezembro de 2015 Versão 1.1 Código de Compliance 1. Finalidade 2 2. Amplitude 2 3. Compliance 2 3.1. Definição de Compliance 2 3.2. Risco de Compliance 3 3.3. Atribuições da estrutura de compliance 3 3.4.

Leia mais

Política de Compliance Elaborado em: 11/2017 Revisado em: 07/2018 Código Documento: CO-002 Versão: 001

Política de Compliance Elaborado em: 11/2017 Revisado em: 07/2018 Código Documento: CO-002 Versão: 001 Política de Compliance Código Documento: CO-002 1. OBJETIVO A presente Política visa a orientar a função de compliance do Grupo Mascarello por meio de diretrizes, princípios e responsabilidades observados

Leia mais

Lei nº /13. Decreto nº 8.420/15. Regulamentação Federal

Lei nº /13. Decreto nº 8.420/15. Regulamentação Federal Lei nº 12.846/13 Decreto nº 8.420/15 Regulamentação Federal ESTRUTURA DO DECRETO 1 Aspectos Gerais 2 4 3 Sanções Multa: Regras para o Cálculo Acordo de Leniência Programa de Integridade (Compliance) 5

Leia mais

Instrução Normativa IN CO Política de Compliance da CIP

Instrução Normativa IN CO Política de Compliance da CIP Instrução Normativa IN CO011 2017 Política de Objetivo: Estabelecer as diretrizes que regem o funcionamento da estrutura de Compliance, em consonância com a Visão, a Missão, os Valores e Princípios da

Leia mais

Política de Conformidade (Compliance) do Sistema CECRED

Política de Conformidade (Compliance) do Sistema CECRED Aprovado por: Conselho de Administração Data aprovação reunião: 23/ SUMÁRIO Capítulo 1 Objetivo do documento... 2 Capítulo 2 Responsabilidades... 3 Capítulo 3 Glossário / Definições... 8 Capítulo 4 Regras...

Leia mais

Código. de Conduta do Fornecedor

Código. de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor da Odebrecht Óleo e Gás 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS A atuação no mercado nacional e internacional e em diferentes unidades de negócios, regiões

Leia mais

Código de Conduta de Terceiros

Código de Conduta de Terceiros Código de Conduta de Terceiros ÍNDICE APRESENTAÇÃO...4 COMPROMISSO COM A INTEGRIDADE...5 CONFORMIDADE COM LEIS E NORMAS APLICÁVEIS...6 INTOLERÂNCIA ÀS PRÁTICAS DE CORRUPÇÃO E SUBORNO...6 RESPEITO AOS

Leia mais

POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES

POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES POLÍTICA DE CONFLITO DE INTERESSES SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DEFINIÇÕES... 2 4. DIRETRIZ GERAL... 2 5. DIRETRIZES ESPECÍFICAS... 3 5.1. Conflito de interesses na indicação e contratação

Leia mais

PAINEL 2 GOVERNANÇA CORPORATIVA NAS ESTATAIS - Metodologia de Avaliação de Integridade

PAINEL 2 GOVERNANÇA CORPORATIVA NAS ESTATAIS - Metodologia de Avaliação de Integridade PAINEL 2 GOVERNANÇA CORPORATIVA NAS ESTATAIS - Metodologia de Avaliação de Integridade PALESTRANTE: SÉRGIO SEABRA - SECRETÁRIO FEDERAL DE CONTROLE INTERNO-ADJUNTO Programa de Integridade: Conceito É um

Leia mais

Política de Integridade CM Comandos Lineares PRC (9) 9 Rev1

Política de Integridade CM Comandos Lineares PRC (9) 9 Rev1 Sumário 1 Apresentação... 3 1.1 Introdução... 3 2 Objetivo da... 3 3 Referências... 4 4 - Comissão Analisadora da... 4 5 Abrangência... 4 5.1 Princípios da... 4 6 Definições... 5 6.1 Requisitos Básicos...

Leia mais

ANEXO 4 DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO

ANEXO 4 DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO ANEXO 4 DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO 1. OBJETIVO: O objetivo principal é disseminar, no âmbito da ENGECOM, as diretrizes da Lei Anticorrupção brasileira, de modo a afastar e combater

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção Política Anticorrupção BRASILPREV SEGUROS E PREVIDÊNCIA S/A 1 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. DEFINIÇÕES... 5 4. PAPÉIS E RESPONSABILIDADES... 7 5. DIRETRIZES... 8 6. DISPOSIÇÕES GERAIS...

Leia mais

DOCUMENTO DE USO INTERNO 1

DOCUMENTO DE USO INTERNO 1 Política Data da última atualização Controles Internos 30.11.2017 Área Responsável Versão Compliance 07 1. Objetivo Estabelecer as diretrizes relacionadas aos controles internos, bem como a estrutura de

Leia mais

#pública BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção

#pública BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção 1 Área responsável 1.1 Superintendência de Riscos e Controles. 2 Abrangência 2.1 Esta Política orienta o comportamento da BB Seguridade e suas sociedades controladas. Espera-se que as empresas coligadas

Leia mais

REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA CORPORATIVA

REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA CORPORATIVA REGULAMENTO DA AUDITORIA INTERNA CORPORATIVA 15/05/2018 1. Definição da atividade de auditoria A Auditoria Interna da TOTVS é uma atividade independente e objetiva que presta serviços de avaliação e de

Leia mais

Polı tica de Compliance

Polı tica de Compliance + Versão: I Data da Publicação: 08/04/2016 Data da Vigência: Publicação Polı tica de Compliance 1. Objetivo: A Política objetiva formalizar os procedimentos para gerenciamento do Risco de Compliance. 2.

Leia mais

UBS Brasil: Procedimento de Denúncias Canal de Comunicação

UBS Brasil: Procedimento de Denúncias Canal de Comunicação UBS Brasil: Procedimento de Por que temos este procedimento? Este procedimento ( Procedimento ) tem por objetivo fornecer orientações acerca da tratativa de denúncias de indícios de ilicitude recebidas

Leia mais

Polı tica de Compliance

Polı tica de Compliance + Versão: I Data da Publicação: 08/04/2016 Data da Vigência: Publicação Última revisão: janeiro 2018 Polı tica de Compliance 1. Objetivo: A Política objetiva formalizar os procedimentos para gerenciamento

Leia mais

POLÍTICA DE RELAÇÃO COM ORGÃOS PÚBLICOS

POLÍTICA DE RELAÇÃO COM ORGÃOS PÚBLICOS Título: Data: Contrato/Unidade/Seção: CORPORATIVO 1 de 9 INDICE DE REVISÕES REVISÃO DESCRIÇÃO DAS ALTERAÇÕES E/OU PÁGINAS ALTERADAS 0 Primeira edição do procedimento. Revisão REV. 0 REV. 1 REV. 2 REV.

Leia mais

PADÃO DE SISTEMA POLÍTICA DO CANAL DE ÉTICA, NÃO RETALIAÇÃO E APURAÇÃO DE RELATOS

PADÃO DE SISTEMA POLÍTICA DO CANAL DE ÉTICA, NÃO RETALIAÇÃO E APURAÇÃO DE RELATOS 1/5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes e procedimentos relacionados ao Canal de Ética da Companhia e para apurações de relatos enviados ao referido Canal. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Aplica-se a todasb as áreas

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DA LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. 1. OBJETIVO 1.1. A presente Política de Gerenciamento de Riscos da LOG COMMERCIAL PROPERTIES E PARTICIPAÇÕES S.A. (

Leia mais

POLIÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS

POLIÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS Junho/2016. POLIÍTICA DE GERENCIAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLES INTERNOS Versão: 01 Revisada: Compliance Aprovação: Mario Celso Coutinho de Souza Dias Presidente 30/06/2016 1 APRESENTAÇÃO O Banco Central

Leia mais

Código de Ética, Normas e Condutas Compliance CPGeo

Código de Ética, Normas e Condutas Compliance CPGeo Código de Ética, Normas e Condutas Compliance CPGeo CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: - Sócio Representante Legal: Heron Schots - Sócio Presidente: José Tassini - Geofísico: Daniel Ferreira - Geofísico: Danilo

Leia mais

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento.

GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RISCOS CORPORATIVOS, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE. Histórico de Revisões. Elaboração do Documento. Histórico de Revisões Versão: 01 Data de Revisão: Histórico: Elaboração do Documento. Índice I. Objetivo... 1 II. Abrangência... 1 III. Documentação Complementar... 1 IV. Conceitos e Siglas... 2 V. Responsabilidades...

Leia mais

Política de Recepção e Tratamento de Denúncias

Política de Recepção e Tratamento de Denúncias Política de Recepção e Tratamento de Denúncias Maio/2018 1. Apresentação da Política Em cumprimento à Lei 12.846/13 Lei Anticorrupção e às boas práticas de governança corporativa, a TAESA disponibiliza

Leia mais

IT-SC-007 CODIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE

IT-SC-007 CODIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE IT-SC-007 CODIGO DE CONDUTA E INTEGRIDADE CONTROLE DE ALTERAÇÕES Revisão Data Página Descrição Responsável 00 05/03/18 -- Emissão inicial Fernando Torres 1. Introdução A Smart Control foi constituída com

Leia mais

Programa de Integridade. Ações falam mais alto que palavras.

Programa de Integridade. Ações falam mais alto que palavras. Programa de Integridade Ações falam mais alto que palavras. Carta do Presidente O Programa de Integridade Novelis tem o objetivo de reforçar o nosso compromisso de fazer negócios de maneira correta, de

Leia mais

#publica BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção

#publica BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção 1 Área responsável 1.1 Superintendência de Riscos e Controles. 2 Abrangência 2.1 Esta Política orienta o comportamento da BB Seguridade e suas sociedades controladas. Espera-se que as empresas coligadas

Leia mais

Política de Controles Internos e Gestão de Riscos

Política de Controles Internos e Gestão de Riscos Política de Controles Internos e Gestão de Riscos SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO... 3 2- ABRANGÊNCIA... 3 3- TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 4- OBJETIVO... 6 5- DIRETRIZES PARA O CONTROLE INTERNO E GESTÃO DE RISCOS...

Leia mais

ANEXO 6 DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇO

ANEXO 6 DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇO ANEXO 6 DO PROGRAMA DE INTEGRIDADE POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇO 1. OBJETIVO: Determinar as regras para o processo de relacionamento com fornecedores e prestadores

Leia mais

#publica BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção

#publica BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção 1 Área responsável 1.1 Superintendência de Riscos e Controles. 2 Abrangência 2.1 Esta Política orienta o comportamento da BB Seguridade e suas sociedades controladas. Espera-se que as empresas coligadas

Leia mais

PROGRAMA DE INTEGRIDADE GARANTIDA GESTÃO DO COMPLIANCE

PROGRAMA DE INTEGRIDADE GARANTIDA GESTÃO DO COMPLIANCE PROGRAMA DE INTEGRIDADE GARANTIDA GESTÃO DO COMPLIANCE SUMÁRIO 1. Introdução 2. Estrutura Organizacional 3. Código de Conduta 4. Gestão do Compliance 5. Riscos que afetam o Compliance 6. Glossário 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 PRINCÍPIOS... 3 4 REFERÊNCIAS... 4 5 CONCEITOS... 4 6 PRERROGATIVAS... 4 7 DIRETRIZES... 5 8 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Programa de Integridade do Banco Fibra

Programa de Integridade do Banco Fibra Lei Anticorrupção do Banco Fibra O Banco Fibra e suas controladas ( Banco Fibra ou Banco ) buscam, diariamente, preservar seus altos padrões de ética e conduta. Em vista disso, o Programa de Compliance

Leia mais

Compliance. Nosso Compromisso

Compliance. Nosso Compromisso Compliance Nosso Compromisso CARTA DO PRESIDENTE Prezados, Diante dos desafios atuais dos negócios e em linha com os Valores e Crenças, iniciamos a implementação do Programa de Compliance Votorantim. Para

Leia mais

Programa de Transparência Mais integridade e credibilidade à sua Empresa

Programa de Transparência Mais integridade e credibilidade à sua Empresa Programa de Transparência Mais integridade e credibilidade à sua Empresa Lei anticorrupção Com a Lei Anticorrupção, todas as empresas brasileiras e seus dirigentes estão sujeitos a penalidades por práticas

Leia mais

Workshop Controles Internos. Programa Destaque em Governança de Estatais Propostas para os Segmentos Especiais (N2 e NM)

Workshop Controles Internos. Programa Destaque em Governança de Estatais Propostas para os Segmentos Especiais (N2 e NM) Workshop Controles Internos Programa Destaque em Governança de Estatais Propostas para os Segmentos Especiais (N2 e NM) 21/11/2016 Confidencial Uso Informação Interno Informação Pública Público Pública

Leia mais