Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira"

Transcrição

1 Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance Lélis Marcos Teixeira 28/agosto/2014

2 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Agenda Abertura Histórico Iniciativas Dúvidas Encerramento

3 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Histórico 2012 Reestruturação na Fetranspor em 2011/2012 Aprimoramento das práticas de Governança Corporativa, incluindo: Implantação do Comitê de Auditoria e Auditoria Interna Lançamento do Código de Ética 2013 Aprimoramento do ambiente de controles internos / processos 2014 Definição de Programa de Compliance para aderência à Lei /2013

4 Cultura Organizacional Negócio Missão Valores Visão Cultura Diretrizes de Conduta

5

6

7 Lançamento Código de Conduta Agosto/2012

8 Tópicos do Código de Conduta Cumprimento de Leis e Pagamentos de Tributos Uso de Ativos da Organização Conflitos de Interesse Relações com a Mídia Prevenção e Tratamento de Fraudes Pagamentos ou Recebimentos de Valor ou Presentes e Favorecimentos Doações Informações Privilegiadas e Direito a Privacidade Segurança do Trabalho Meio Ambiente Relações com a Comunidade Relações com o Governo Relações com Empregados Relações com clientes Relações com Fornecedores

9 Código de Conduta do Rodoviário Junho/2014

10

11 RESULTADOS

12

13

14

15

16

17

18

19 Plano de Comunicação BUSDOOR SITE

20

21 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Item VIII do Art. 7 da Lei /2013 a existência de mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e a aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta no âmbito da pessoa jurídica Conforme previsto no Parágrafo Único do Art. 7 da Lei /13, o governo estabelecerá uma regulamentação para definir os parâmetros de avaliação dos mecanismos esperados para atenuar potenciais penalizações, entretanto até a presente data o Poder Executivo Federal não divulgou a mesma assim como não foi publicada regulamentação específica para o estado/municípios do Rio de Janeiro. As PJ que fazem parte de um grupo econômico deverão estender a abrangência de seu programa de aderência à Lei /13 a todo o conglomerado.

22 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Iniciativas sobre o tema no mundo UK Act 2010/11 UE 1997 FCPA 1977 OCDE 1997/9 Lei China 2006 Brasil 2013/8 Fonte: e workshop KPMG

23 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Considerações relevantes: Entendimento efetivo da Lei Avaliação do contexto da organização Mapeamento das atividades / processos críticos Mapeamento dos intermediadores com entes do governo Due diligence dos fornecedores Mapeamento das não conformidades com a Lei Definição de Programa de Compliance Ambiente de Controles Internos

24 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Ambiente de Controles Internos Considerações relevantes: Estruturada em 2012 Com reporte ao Comitê de Auditoria da Fetranspor Composta por equipe qualificada e multidisciplinar Atuação proativa, com foco em gestão de riscos e melhoria de processos Acompanha planos de ação resultantes das revisões realizadas Prestação de assessoria desde que não impacte sua independência

25 Organograma FETRANSPOR 2014 CAD Fetranspor Comitê de Auditoria Presidência Executiva Auditoria Integrada Gestão de Pessoas Marketing e Comunicação Financeira Mobilidade Urbana Operações & Adm. Jurídica Responsabili dade Social

26 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Considerações relevantes: Foco regulatório e institucional Em processo de estruturação Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Ambiente de Controles Internos

27 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Ambiente de Controles Internos Considerações relevantes: Implantado em 2012; revisado em 2014 incluindo a itens da Lei Define as diretrizes de comportamento esperadas Referencia o Canal de Denúncia Anônimo assim como políticas, normas e procedimentos Requer aceite formal de todos os Colaboradores Nova versão divulgada em 2014

28 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Considerações relevantes: Garante anonimato do denunciante Possibilita o acompanhamento por meio do número de protocolo Divulgado para Colaboradores, fornecedores, Sindicatos e Operadoras Contratação de empresa terceirizada para captura das denúncias em 2014 Canal de Denúncia Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Ambiente de Controles Internos

29 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Considerações relevantes: Definição de processo para identificação, investigação e tratamento de atos ilícitos (incluindo processo, pessoas e infraestrutura) Criação do comitê de ética Implantação em 2014 Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Ambiente de Controles Internos

30 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Tratativa de atos ilícitos Considerações relevantes: Política Anticorrupção Política Segurança da Informação Política de Conflito de Interesses Política de Relacionamento com o Poder Público Política de Presentes, Brindes e Entretenimento Políticas de Contratos, Compras, Poderes e Procurações Implantação em 2014 Políticas, normas e procedimentos Ambiente de Controles Internos

31 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações baseadas em instrumentos normativos similares Avaliação de Riscos Auditoria Interna Conformidade ( Compliance ) Código de ética e conduta Canal de Denúncia Tratativa de atos ilícitos Políticas, normas e procedimentos Considerações relevantes: Implantação dos planos de ação resultantes das revisões de processos críticos, como: Compras, Contas a Pagar e Pagamentos, Cadastramento de Fornecedores, Tesouraria, Fechamento Contábil, etc. Definição clara e objetiva dos processos críticos, considerandose segregações de funções conflitantes, etc. Ambiente de Controles Internos

32 Iniciativas FETRANSPOR Lei /2013 Ações com partes interessadas / relacionadas Seminário sobre a Lei /13 junto aos Sindicatos e Operadoras filiadas Produção de Guia de orientação para aderência aos requerimentos da Lei /13 Suporte para dúvidas sobre a definição de programas de Compliance Construção e divulgação do Código de Ética dos motoristas

33 Atividades desenvolvidas junto aos sindicatos e empresas do sistema

34 Parceria Fetranspor X Instituto Ethos

35 Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção (Instituto Ethos) A partir de 2011, as empresas signatárias devem responder anualmente a um conjunto De 70 questões, referentes aos compromissos assumidos na assinatura do Pacto. A Plataforma de Monitoramento tem os seguintes objetivos: Monitorar compromissos; Dar visibilidade e transparência às práticas de integridade das empresas signatárias; Fortalecer o Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção; Realizar diagnóstico sobre as práticas de promoção de integridade nas empresas; Gerar referência a partir das práticas das empresas signatárias; Gerar relatórios individuais orientadores da evolução das empresas em relação à integridade; Oferecer subsídio ao planejamento das empresas na adoção de práticas de integridade.

36 Pacto Empresarial pela Integridade e Contra a Corrupção (Instituto Ethos) O texto do Pacto tem como base: Os Princípios Empresariais da Transparência Internacional, a Convenção da ONU contra a Corrupção, o 10º Princípio do Pacto Global e as Diretrizes da OCDE.

37 Obrigado!

#pública BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção

#pública BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção 1 Área responsável pelo assunto 1.1 Diretoria de Governança, Risco e Compliance. 2 Abrangência 2.1 Esta Política aplica-se à BB Seguridade Participações S.A. ( BB Seguridade ou Companhia ) e suas subsidiárias

Leia mais

Governança, Riscos e Compliance

Governança, Riscos e Compliance Governança, Riscos e Compliance Novembro de 2014 GRC Nossa visão Práticas da organização em relação a: (i) supervisão, (ii) estratégia, (iii) gestão do risco; e (iv) cumprimento de leis e regulamentações,

Leia mais

Ouvidoria Vale. Outubro, 2014

Ouvidoria Vale. Outubro, 2014 Ouvidoria Vale Outubro, 2014 Ressalva Esta apresentação pode incluir declarações que apresentem expectativas da Vale sobre eventos ou resultados futuros. Todas as declarações quando baseadas em expectativas

Leia mais

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016

PL 055 POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL. Publicado em: 13/05/2016 1. OBJETIVOS Estabelecer os princípios e diretrizes que norteiam as ações de práticas socioambientais da Getnet nos negócios e na relação com todas as partes interessadas, incluindo as diretrizes para

Leia mais

Ética, Governança e Compliance. Marcelo Coimbra

Ética, Governança e Compliance. Marcelo Coimbra Ética, Governança e Compliance Marcelo Coimbra Ética Empresarial A ética empresarial é o conjunto de valores que regem uma empresa e formam uma filosofia organizacional. Essa filosofia possui princípios

Leia mais

Encontro Nacional de Sustentabilidade Unimed

Encontro Nacional de Sustentabilidade Unimed Encontro Nacional de Sustentabilidade Unimed 6 de novembro 2015 Iniciativas do Instituto Ethos em integridade e no combate à corrupção INSTITUTO ETHOS Missão Mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas

Leia mais

OBJETIVO PÚBLICO-ALVO PROGRAMA

OBJETIVO PÚBLICO-ALVO PROGRAMA Curso de Auditoria Interna, Controle Interno e Gestão de Riscos carga-horária: 16 horas OBJETIVO Fornecer aos participantes o conhecimento básico e bases técnicas e práticas fundamentais para que possam

Leia mais

Vladimir Mendes Queiroz. Gerente Corporativo de Auditoria Interna. Rede Marista RS DF Amazônia

Vladimir Mendes Queiroz. Gerente Corporativo de Auditoria Interna. Rede Marista RS DF Amazônia 16.05.2014 Implantação do Programa de Compliance da Rede Marista e a sua importância em relação às demandas legais, a exemplo da nova LEI ANTICORRUPÇÃO. Vladimir Mendes Queiroz Gerente Corporativo de Auditoria

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 PRINCÍPIOS... 3 4 REFERÊNCIAS... 4 5 CONCEITOS... 4 6 PRERROGATIVAS... 4 7 DIRETRIZES... 5 8 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

Política Interna dos Canais de Comunicação

Política Interna dos Canais de Comunicação Interna dos Canais de Comunicação 1/6 Data Descrição Sumária 14/03/2016 Interna dos Canais de Comunicação, versão inicial. Interna dos Canais de Comunicação 2/6 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Conceito...

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda. ( Atmos Capital ou Gestora

Leia mais

Responsabilização Administrativa de Pessoas Jurídicas A Lei nº /2013

Responsabilização Administrativa de Pessoas Jurídicas A Lei nº /2013 Belo Horizonte 16 de março de 2017 Responsabilização Administrativa de Pessoas Jurídicas A Lei nº 12.846/2013 Seminário de Procuradores, Controladores e Ouvidores Municipais Roteiro A Lei nº 12.846/2013

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada de Consultoria para Planejamento da Estrutura Funcional e Organizacional

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 2ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 3.1 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 2 3.1.1 DIRETOR RESPONSÁVEL - RESOLUÇÃO 4.327/14... 2 3.1.2 COORDENADOR ESPONSÁVEL PRSA

Leia mais

Caio Magri Gerente executivo de Políticas Publicas.

Caio Magri Gerente executivo de Políticas Publicas. Caio Magri Gerente executivo de Políticas Publicas. Instituto Ethos Fundado em 1998 por um grupo de 11 empresas; 1324 empresas associadas (micro,pequenas,médias e grandes); Missão Mobilizar, sensibilizar

Leia mais

O papel da Ouvidoria da Petrobras

O papel da Ouvidoria da Petrobras O papel da Ouvidoria da Petrobras Sistema de Integridade, democracia participativa e efetivação de direitos humanos Mário Vinícius Spinelli Ouvidor-Geral SISTEMA DE INTEGRIDADE Qual o caminho para promover

Leia mais

MANUAL ANTICORRUPÇÃO

MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 1 MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 2 SUMÁRIO 1.Introdução... 3 2.Da abrangência... 3 3. Das condutas a serem observadas... 3 3.1 Vantagem indevida:... 3 3.2 Participação em

Leia mais

Compliance aplicado às cooperativas

Compliance aplicado às cooperativas Compliance aplicado às cooperativas A implantação do Programa na Unimed-BH Outubro de 2016 Unimed BH 45 anos Nossa Unimed bem cuidada para cuidar bem de você Unimed-BH 1ª operadora de plano de saúde de

Leia mais

Agenda. Introdução. Lei /13. Comparativo das Leis. Pilares de um Programa de Compliance

Agenda. Introdução. Lei /13. Comparativo das Leis. Pilares de um Programa de Compliance Agenda Introdução Lei 12.846/13 Comparativo das Leis Pilares de um Programa de Compliance Introdução Início das iniciativas globais Durante as investigações do caso Watergate iniciadas em 1972, a SEC tomou

Leia mais

Desafios na Implementação de um Canal de Denúncias

Desafios na Implementação de um Canal de Denúncias 14/06/2013 Desafios na Implementação de um Canal de Denúncias Luiz Umberto Modenese Diretor de Auditoria Cielo Canal de Denúncias - conceituação Processo para gestão de riscos corporativos Recebe informações

Leia mais

Lei /2016 Lei das Estatais

Lei /2016 Lei das Estatais Lei 13.303/2016 Lei das Estatais Impactos na Governança Corporativa SUORG 10 NOV 2016 Lei nº 13.303/2016 Estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias, no

Leia mais

Ouvidoria - Geral da União. Objetivo 6. Produzir informações estratégicas para subsidiar as tomadas de decisões do Presidente da República.

Ouvidoria - Geral da União. Objetivo 6. Produzir informações estratégicas para subsidiar as tomadas de decisões do Presidente da República. Ouvidoria - Geral da União Objetivo 6. Produzir informações estratégicas para subsidiar as tomadas de decisões do Presidente da República. Produzir dados quantitativos e qualitativos acerca da satisfação

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS E COMPLIANCE QUAL O PAPEL E A RESPONSABILIDADE DA ALTA ADMINISTRAÇÃO

GESTÃO DE RISCOS E COMPLIANCE QUAL O PAPEL E A RESPONSABILIDADE DA ALTA ADMINISTRAÇÃO GESTÃO DE RISCOS E COMPLIANCE QUAL O PAPEL E A RESPONSABILIDADE DA ALTA ADMINISTRAÇÃO MODELO DE PROGRAMA DE CONFORMIDADE MAURICIO RONCATO PIAZZA GRC LIBBS FARMACÊUTICA Sumario 1. Modelo aplicado Participação

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob:

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: a) visa estabelecer diretrizes sistêmicas aplicáveis à execução do Planejamento Estratégico em vigência, no que se refere às ações de

Leia mais

Governança e Gestão das Aquisições. Encontro com fornecedores dos Correios. Brasília Junho/2016

Governança e Gestão das Aquisições. Encontro com fornecedores dos Correios. Brasília Junho/2016 Governança e Gestão das Aquisições Encontro com fornecedores dos Correios Brasília Junho/2016 Agenda Importância do tema para o TCU Criticidade das aquisições O porquê da Governança Governança x Gestão

Leia mais

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 A importância da liderança como diferencial competitivo Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 Ellebe Treinamento em Gestão Organizacional A Ellebe atua em empresas públicas e privadas nas áreas

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO GESTÃO INTEGRADA DE RISCO OPERACIONAL, CONTROLES INTERNOS E COMPLIANCE Objetivo Este documento

Leia mais

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC)

Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Título Norma de Responsabilidade Socioambiental Gestor Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle (DPOC) Abrangência Agências, Departamentos, Empresas Ligadas e Unidades no Exterior Sinopse Diretrizes

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos Junho de 2016 ÍNDICE POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 2 (A) Objetivo... 2 (B) Abrangência... 2 (C) Princípios Gerais... 2 (D) Diretrizes...

Leia mais

Implantação do procedimento Due Diligence. Anticorrupção de fornecedores 19/10/2015. Jayhir Almeida de Faria CIA, CCSA, CRMA

Implantação do procedimento Due Diligence. Anticorrupção de fornecedores 19/10/2015. Jayhir Almeida de Faria CIA, CCSA, CRMA 19/10/2015 Implantação do procedimento Due Diligence Anticorrupção de fornecedores Jayhir Almeida de Faria CIA, CCSA, CRMA Gerente de Área de Governança & Compliance ArcelorMittal Brasil FC Latam Agenda

Leia mais

Due Diligence de Integridade. Ética e integridade nos negócios

Due Diligence de Integridade. Ética e integridade nos negócios Due Diligence de Integridade Ética e integridade nos negócios O que é Due Diligence de Integridade (DDI)? O QUE É DUE DILIGENCE DE INTEGRIDADE (DDI)? É um procedimento que visa conhecer e avaliar os riscos

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

Lei Anticorrupção Na era da empresa limpa. Gustavo Lucena

Lei Anticorrupção Na era da empresa limpa. Gustavo Lucena Lei Anticorrupção Na era da empresa limpa Gustavo Lucena Contexto 2014 Entra em vigor a Lei Nº 12.846 ( Lei Anticorrupção ), uma das mais rigorosas e avançadas legislações do mundo no combate à corrupção

Leia mais

A Regulamentação da Lei nº /2013. Carlos Higino Ribeiro de Alencar Secretário-Executivo Controladoria Geral da União

A Regulamentação da Lei nº /2013. Carlos Higino Ribeiro de Alencar Secretário-Executivo Controladoria Geral da União A Regulamentação da Lei nº 12.846/2013 Carlos Higino Ribeiro de Alencar Secretário-Executivo Controladoria Geral da União Seminário Prevenção e Combate à Corrupção: Regulamentação da Lei 12. 846/2013 SÃO

Leia mais

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde

Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Contribuição do Sistema Unimed para a Sustentabilidade do Setor Saúde Política Nacional de Sustentabilidade Lançada em 2001 como Política de Responsabilidade Social Comitê Nacional de Sustentabilidade

Leia mais

Manual de Conformidade

Manual de Conformidade Manual de Conformidade Divisão de Conformidade BB Gestão de Recursos DTVM S.A. SUMÁRIO Introdução... 2 Definições... 3 1. Capítulo 1 - Segregação na Administração de Recursos de Terceiros... 4 2. Capítulo

Leia mais

Controle Integrado de Riscos. Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo

Controle Integrado de Riscos. Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo Alexandre da Silva Glüher Vice-Presidente Executivo 2 Governança de Riscos Controle Integrado de Riscos Apetite a Riscos Conselho Fiscal Comitê de Gestão Integrada de Riscos e Alocação de Capital Assembleia

Leia mais

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO

Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Acordo de Acionistas NORMA DE da CPFL Energia S.A. ENGAJAMENTO Atual DE Denominação PÚBLICOS Social DE da Draft II Participações INTERESSE S.A. Sumário Introdução 3 Objetivo da Norma 4 Conceitos básicos

Leia mais

Programa de Integridade Conversa Ética da Raia Drogasil

Programa de Integridade Conversa Ética da Raia Drogasil Programa de Integridade Conversa Ética da Raia Drogasil Não existe lapso de integridade sem importância Tom Peters Programa de Integridade O que é: é um Programa de Compliance para prevenção, detecção,

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Dezembro 2015 2015 Delta Economics & Finance Índice 1 Introdução 1 2 Visão, Missão e Valores 1 3 Conduta Esperada dos Funcionários 2 4 Conflito de Interesse 2 5 Informações Sigilosas

Leia mais

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS. Flávia Flamínio

PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS. Flávia Flamínio PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE A QUALIDADE DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E A SUSTENTABILIDADE DOS NEGÓCIOS Flávia Flamínio flavia@espm.br O MUNDO E AS EMPRESAS MUDARAM O AMBIENTE DE NEGÓCIOS DA EMPRESA Fornecedores

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. 1. Objetivo Esta política tem por objetivo estabelecer regras, procedimentos e descrição dos controles a serem observados para

Leia mais

4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS. Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária

4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS. Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária 4º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS Paulo Sérgio Neves de Souza Banco Central do Brasil Departamento de Supervisão Bancária Novos Desafios para Controles Internos Modelo de Supervisão do BCB

Leia mais

guia do Conselho fiscal da CPfL energia

guia do Conselho fiscal da CPfL energia guia do Conselho fiscal da CPfL energia 1 Sumário I Objetivo 3 II Atividades e Responsabilidades 4 a. Principais atividades e responsabilidades do Conselho Fiscal no papel de Comitê de Auditoria 4 b. Relacionamento

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS JUNHO / 2016 SUMÁRIO POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... Erro! Indicador não definido. 1.1. Objetivo...1 1.2. Abrangência...2 1.3. Princípios...2 1.4. Diretrizes...2 1.5. Responsabilidades...3

Leia mais

Riscos de contágio, de fronteira e de conduta

Riscos de contágio, de fronteira e de conduta Riscos de contágio, de fronteira e de conduta Experiência internacional, regulação e mensuração Chefe do Departamento de Supervisão Bancária Agenda 1. Modelo de Supervisão 2. Sistema de Avaliação de Riscos

Leia mais

Audit Advisory Outsourcing Tax

Audit Advisory Outsourcing Tax Audit Advisory Outsourcing Tax LEI ANTICORRUPÇÃO 12.846/13 AS IMPLICAÇÕES DA LEI PARA AS EMPRESAS Sumário Quem somos Objetivos Introdução Lei 12.846/13 Compliance Benefícios Contato Quem somos O Grupo

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

PLATAFORMA GLOBAL DE DEFESA DA PROFISSÃO

PLATAFORMA GLOBAL DE DEFESA DA PROFISSÃO PLATAFORMA GLOBAL DE DEFESA DA PROFISSÃO SOBRE O INSTITUTO DE AUDITORES INTERNOS The Institute of Internal Auditors (IIA) é a voz global da profissão de auditoria interna, autoridade reconhecida e principal

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI Versão: outubro/2016 1. OBJETIVO Em concordância com as diretrizes da Política de Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras

Leia mais

Código: PO16C010EE Título: Política de Integridade. Elaborado: Daniel Ruy Aprovado: Luis Soares Cordeiro

Código: PO16C010EE Título: Política de Integridade. Elaborado: Daniel Ruy Aprovado: Luis Soares Cordeiro Código: Título: Política de Integridade Revisão 0 Mês / Ano Jan/16 Nº de pág.: 6 Elaborado: Daniel Ruy Aprovado: Luis Soares Cordeiro Revisado: Liberado para uso: Hellen Santi Cordeiro Amaral Sumário 1

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 3/2007 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 2 ÍNDICE 1. Objeto 3 2. Justificativa 3 3. Diretrizes 4 3.1.

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

Política de Alçadas. a) Acionistas Controladores: grupo composto pela Votorantim Industrial S.A. e BNDES Participações S.A. BNDESPAR.

Política de Alçadas. a) Acionistas Controladores: grupo composto pela Votorantim Industrial S.A. e BNDES Participações S.A. BNDESPAR. Fibria Celulose S.A. Política de Alçadas 1. OBJETIVO Esta Política de Alçadas ( Política ) tem como objetivo fixar os limites de alçadas para aprovação pela Diretoria e pelo Conselho de Administração da

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

I Fórum ABRH-Brasil de Sustentabilidade O papel do RH na promoção da cultura da sustentabilidade

I Fórum ABRH-Brasil de Sustentabilidade O papel do RH na promoção da cultura da sustentabilidade I Fórum ABRH-Brasil de Sustentabilidade O papel do RH na promoção da cultura da sustentabilidade Anna Paula Rezende Diretora Executiva de Talentos & Sustentabilidade 17 de Novembro de 2015 Quem somos Uma

Leia mais

Visão Integrada de Compliance nas Instituições. Vanessa Alessi Manzi 05/2009

Visão Integrada de Compliance nas Instituições. Vanessa Alessi Manzi 05/2009 Visão Integrada de Compliance nas Instituições Vanessa Alessi Manzi 05/2009 Agenda 1. Compliance missão 2. Atuação de Compliance nas instituições 3. Desafios de Compliance Missão de Compliance Assegurar,

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO (Síntese adaptada do normativo interno PG-0TB-00025-0 -Recebimento e Oferecimento de Presentes, Brindes,

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PRSA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PRSA AGORACRED S/A SCFI. Rua das Palmeiras, 685, Ed. Contemporâneo Empresarial. Salas 1002,1003, 1007 a 1011, Santa Lucia, Vitória, ES. Tel.(27) 40090200 http://www.agoracred.com.br/ POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Patrocínios das Empresas Eletrobras

POLÍTICA DE PATROCÍNIOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS. Política de Patrocínios das Empresas Eletrobras Política de Patrocínios das Empresas Eletrobras Versão 2.0 19/05/2014 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Conceito de Patrocínio... 3 3. Princípios... 3 4. Diretrizes... 4 4.1. Áreas de atuação... 4 4.2. Restrições...

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO > VERSÃO 2 / 8 1. INTRODUÇÃO A Política de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Combate à Corrupção ( Política ) visa promover a adequação

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica.

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica. CÓDIGO DE ÉTICA Nestes três anos de muitas realizações, as relações da Agência de Desenvolvimento Paulista com seus parceiros, clientes, fornecedores, acionistas, entre outros, foram pautadas por valores

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios

Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios Módulo 5 Ambiente financeiro, relatórios, auditoria interna, conclusões e exercícios O Ambiente Financeiro Global Nenhuma economia ou governo de sucesso, pode operar atualmente sem inter-conectividade

Leia mais

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional

A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA. Desenvolvimento de Sistemas de Gestão. Comunicação Institucional A PETROBRAS E A GOVERNANÇA CORPORATIVA Desenvolvimento de Sistemas de Gestão Comunicação Institucional A Petrobras já integra o grupo das grandes companhias que adotam as melhores práticas de governança

Leia mais

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química

Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade. Atuação Responsável Um compromisso da Indústria Química Atuação Responsável Compromisso com a sustentabilidade O Atuação Responsável é uma ética empresarial, compartilhada pelas empresas associadas à Abiquim Missão do Atuação Responsável Promover o aperfeiçoamento

Leia mais

GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES CVM 558 SETEMBRO / 2016

GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES CVM 558 SETEMBRO / 2016 GESTÃO DE RISCOS E CONTROLES CVM 558 SETEMBRO / 2016 GOVERNANÇA CORPORATIVA Definição do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC Sistema pelo qual as empresas...são dirigidas e incentivadas

Leia mais

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão

POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS. 2ª Versão POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, AUTOMAÇÃO E TELECOMUNICAÇÃO DAS EMPRESAS ELETROBRAS 2ª Versão Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Princípios... 4 4 Diretrizes... 5 5 Responsabilidades... 5

Leia mais

POLITICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2016 Abrangência: CORPORATIVO Macroprocesso/ Processo:

POLITICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2016 Abrangência: CORPORATIVO Macroprocesso/ Processo: POLITICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Vigência: 01/07/2015 a 30/06/2016 Abrangência: CORPORATIVO Macroprocesso/ Processo: Executivo /Gerir a Comunicação. MANUAIS VINCULADOS CÓD./ORG.

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA A Socioambiental (PRSA) substitui a Política Corporativa pela Sustentabilidade (2011), e incorpora a contribuição das partes interessadas

Leia mais

Divulgação de resultados do exercício de 2015 da Petrobras: procedimentos de controle, transparência e controle social

Divulgação de resultados do exercício de 2015 da Petrobras: procedimentos de controle, transparência e controle social Divulgação de resultados do exercício de 2015 da Petrobras: procedimentos de controle, transparência e controle social Olá, meus amigos! Estou de volta após longo período de afastamento devido viagem a

Leia mais

A Ouvidoria como Instrumento de Gestão. Visão Normativa. Brasília Abril/2016. Departamento de Regulação do Sistema Financeiro (Denor)

A Ouvidoria como Instrumento de Gestão. Visão Normativa. Brasília Abril/2016. Departamento de Regulação do Sistema Financeiro (Denor) A Ouvidoria como Instrumento de Gestão Visão Normativa Brasília Abril/2016 Departamento de Regulação do Sistema Financeiro (Denor) Atenção e zelo na oferta de produtos e serviços financeiros... Denor Departamento

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS SUMÁRIO

POLÍTICA DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS SUMÁRIO POLÍTICA DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS SUMÁRIO I - Objetivo... 2 II - Público Alvo... 2 III - Responsabilidades dos Envolvidos... 2 3.1. Responsabilidades da Administração... 2 3.2. Responsabilidades

Leia mais

3º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS

3º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS 3º Seminário FEBRABAN sobre CONTROLES INTERNOS COSO 2013 Desafios na implementação 1. COSO 2013 e visão geral 2. COSO 2013 e o relacionamento com as 3 linhas de defesa 3. Processo de atualização da estrutura

Leia mais

Código de Conduta de Terceiros

Código de Conduta de Terceiros Código de Conduta de Terceiros ÍNDICE APRESENTAÇÃO...4 COMPROMISSO COM A INTEGRIDADE...5 CONFORMIDADE COM LEIS E NORMAS APLICÁVEIS...6 INTOLERÂNCIA ÀS PRÁTICAS DE CORRUPÇÃO E SUBORNO...6 RESPEITO AOS

Leia mais

RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional Gerenciamento de Riscos Banco Fidis S.A.

RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional Gerenciamento de Riscos Banco Fidis S.A. RISCO DE CRÉDITO Estrutura Organizacional A estrutura para gestão de riscos do Banco Fidis deverá ser composta de Comitê de Cobrança e Risco, que é o órgão com responsabilidade de gerir o Risco de Crédito,

Leia mais

I SEMINÁRIO DE GOVERNANÇA TRABALHISTA. Apoio

I SEMINÁRIO DE GOVERNANÇA TRABALHISTA. Apoio I SEMINÁRIO DE GOVERNANÇA TRABALHISTA Apoio PAINEL 1: Os 7 Pilares da Governança Trabalhista: Entenda o grau de maturidade da sua empresa Palestrante: Leonardo Zacharias Debatedores: Marilia Bugalho Pioli,

Leia mais

Manual de Governança Corporativa

Manual de Governança Corporativa Documento: Área Emitente: Manual de Governança Corporativa Assessoria de Planejamento, Orçamento, Controle e Regulatório HISTÓRICO DAS REVISÕES Rev. nº. Data Descrição 01 19/12/2012 Segregação do Manual

Leia mais

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Rede de Controle da Gestão Pública, constituída como espaço colegiado e permanente no âmbito do Estado do Paraná, formada por órgãos/instituições integrantes

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Departamento. Responsabilidade Social ELETROBRÁS

Departamento. Responsabilidade Social ELETROBRÁS Departamento de Responsabilidade Social ELETROBRÁS das@eletrobras.com (21) 2514-6146 Histórico de Criação da Área 1º Momento 27.01.2003 Res - 038/2003 Coordenadoria para o Desenvolvimento Humano e Responsabilidade

Leia mais

Superintendência de Riscos e Controles 15/03/2017

Superintendência de Riscos e Controles 15/03/2017 1 Área responsável pelo assunto 1.1 Superintendência de Riscos e Controles. 2 Abrangência 2.1 Esta Política orienta o comportamento da BB Seguridade e suas sociedades controladas. Espera-se que as empresas

Leia mais

INDEPAC MISSÃO VISÃO

INDEPAC MISSÃO VISÃO O INDEPAC é especializado em serviços de Consultoria e Assessoria Educacional, nas dimensões: administrativa, jurídica e pedagógica, além de oferecer cursos de formação em serviço, voltados para o aprimoramento

Leia mais

1. CARTA DA DIRETORIA

1. CARTA DA DIRETORIA 1. CARTA DA DIRETORIA A ADVANCE EMBALAGENS adota o presente Código de Conduta Empresarial com o objetivo de conduzir seus negócios embasando-se na obediência a princípios éticos e legais no relacionamento

Leia mais

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação A prática de remuneração variável e gestão por competências no setor público brasileiro Agenda

Leia mais

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS

POLÍTICA DE AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS 13/5/2016 Informação Pública ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 PRINCÍPIOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 RESPONSABILIDADES... 6 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 8 13/5/2016 Informação

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

Atualizar e difundir as diretrizes do Código de Ética.

Atualizar e difundir as diretrizes do Código de Ética. Comitê de Ética Composição O Comitê de Ética será um grupo formado por três pessoas da empresa: o CEO e mais duas pessoas vinculadas à empresa, preferencialmente com conhecimentos de Compliance, recursos

Leia mais

onvergência dos Processos

onvergência dos Processos onvergência dos Processos de Gestão de Riscos, Auditoria Interna, Controles Internos e Compliance Situação Atual Convergência Funções e Atividades (Situação Atual) Acionistas Processo de informação e divulgação

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL A Um Investimentos S/A CTVM atendendo às disposições da Resolução CMN 3.380/06 demonstra através deste relatório a sua estrutura do gerenciamento de risco

Leia mais

Curso de Capacitação de Analistas de Ouvidoria

Curso de Capacitação de Analistas de Ouvidoria Curso de Capacitação de Analistas de Ouvidoria Ênfase Saúde Suplementar Sistema Unimed Processo de Ouvidoria 27.03.2015 Sobre a CNU Central Nacional Unimed A CNU é a operadora nacional dos planos de saúde

Leia mais

Revisado em Abril de 2016

Revisado em Abril de 2016 Confidencial Este documento é propriedade intelectual da TWG/Virgínia, contém informações confidenciais e não deve ser lido por pessoas não autorizadas. Se você não está autorizado a lê-lo, devolva-o ao

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 5 Resumo: Estabelece as diretrizes e regras gerais para garantir a proteção da livre concorrência nas atividades da Duratex S.A. e suas subsidiárias (Organização). Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA

Leia mais

Política de Auditoria Interna

Política de Auditoria Interna Política de Auditoria Interna 22 de outubro 2013 Define a missão, a independência, a objetividade, as responsabilidades e regulamenta a função da auditoria interna. ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO ALVO...

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA PALESTRA SOBRE ÉTICA PÚBLICA João Batista Santos Ferreira Comissão de Ética Pública Brasília, 07 de outubro de 2008 ÉTICA PÚBLICA OBJETIVO: Relacionar informações sobre a ética

Leia mais

Risk University.

Risk University. Risk University www.kpmg.com.br Risk University Quem somos Programa de capacitação executiva modelado para fornecer aos profissionais de áreas como riscos, auditoria, controles e compliance uma plataforma

Leia mais

A Função de Compliance na Banca Comercial Objetivos Gerais: Já faz algum tempo que as Auditorias das organizações expandiram muito o escopo de seus trabalhos e a complexidade das suas atividades e, como

Leia mais