Ana Maria Bernardelli. Toda a escrita, querendo ou não, é política. A escrita é a continuação da política por outros meios.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ana Maria Bernardelli. Toda a escrita, querendo ou não, é política. A escrita é a continuação da política por outros meios."

Transcrição

1 REDAÇÃO 2013

2 Ana Maria Bernardelli Toda a escrita, querendo ou não, é política. A escrita é a continuação da política por outros meios.

3 REDAÇÃO AVANÇADA - ASSUNTOS 27/02/ LEITURA PARA ESAF PRÓXIMA AULA ( TÉCNICO/ ANALISTA) ASSUNTO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 2- LEITURA PARA CESPE PRÓXIMA AULA ( PRF E POLÍCIA CIVIL) ASSUNTO: SEGURANÇA A CARGO DA POLÍCIA FEDERAL 3-LEITURA PARA CESPE ABIN PRÓXIMA AULA (OFICIAL INTELIGÊNCIA) ASSUNTO: POLÍTICAS PÚBLICAS 4-LEITURA PARA FCC PRÓXIMA AULA (TRE) ASSUNTO: DIREITO ELEITORAL FILIAÇÃO PARTIDÁRIA 5- LEITURA PARA TRF PRÓXIMA AULA ( ANALISTA JUDICIÁRIO ASSUNTO: DIREITO ADMINISTRATIVO: PODERES E DEVERES DO ADMINISTRADOR PÚBLICO

4 REDAÇÃO AVANÇADA - ASSUNTOS 12/03/ LEITURA PARA ESAF PRÓXIMA AULA ( TÉCNICO/ ANALISTA) ASSUNTO: DIREITO CONSTITUCIONAL:. Orçamento Público: Conceitos e Princípios Orçamentários. 2- LEITURA PARA CESPE PRÓXIMA AULA ( PRF E POLÍCIA CIVIL) ASSUNTO: DIREITO CONSTITUCIONAL: Defesa do Estado e das instituições democráticas: segurança pública; organização da segurança pública.ordem social: base e objetivos da ordem social; seguridade social; meio ambiente; família; criança, adolescente, idoso e índio. 3-LEITURA PARA CESPE ABIN PRÓXIMA AULA (OFICIAL INTELIGÊNCIA) ASSUNTO: ADMINISTRAÇÃO: GESTÃO DE PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES. 1 Conceitos, importância, relação com os outros sistemas de organização. 2 A função do órgão de Gestão de Pessoas: atribuições básicas e objetivos, políticas e sistemas de informações gerenciais. 3 Comportamento organizacional: relações indivíduo/organização, motivação, liderança, desempenho. 4-LEITURA PARA TRE FCC PRÓXIMA AULA ASSUNTO: DIREITO ELEITORAL: Da arrecadação e da aplicação de recursos nas campanhas eleitorais; Da prestação de contas; Da propaganda eleitoral em geral; Da propaganda eleitoral na imprensa; Da propaganda eleitoral no rádio e na televisão; Do direito de resposta; Do sistema eletrônico de votação e da totalização dos votos; Das condutas vedadas aos agentes públicos em campanhas eleitorais 5- LEITURA PARA TRF FCC PRÓXIMA AULA ( ANALISTA JUDICIÁRIO ASSUNTO:DIREITO ADMINISTRATIVO: Dos contratos administrativos. Da execução. Da inexecução e da rescisão dos contratos administrativos. Das sanções. Lei n /02: Do pregão. Serviços públicos: princípios, classificação e competência: federais, estaduais, distritais e municipais. Processo Administrativo (Lei n 9.784/99). Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429/92). 6- LEITURA PARA TCU - PRÓXIMA AULA ASSUNTO: CONTROLE EXTERNO: 1 Tribunal de Contas da União (TCU): natureza, competência e jurisdição. 2 Organização e funcionamento do TCU. 3 Tipos de fiscalização. 4 Deliberações e recursos (Lei nº 8.443/1992 e Regimento Interno do TCU.

5 REDAÇÃO AVANÇADA - ASSUNTOS 05/03/ LEITURA PARA ESAF PRÓXIMA AULA ( TÉCNICO/ ANALISTA) ASSUNTO: DIREITO ADMINISTRATIVO BENS E DOMÍNIO PÚBLICO 2- LEITURA PARA CESPE PRÓXIMA AULA ( PRF E POLÍCIA CIVIL) ASSUNTO: DIREITO ADMINISTRATIVO ATRIBUIÇÕES E LIMITAÇÕES DO PODER DE POLÍCIA 3-LEITURA PARA CESPE ABIN PRÓXIMA AULA (OFICIAL INTELIGÊNCIA) ASSUNTO:QUAL É O PAPEL DA ABIN NO SISTEMA BRASILEIRO DE INTELIGÊNCIA (SISBIN): O QUE É E QUEM COMPÕE O SISBIN? O QUE É CONTRA-INTELIGÊNCIA? 4-LEITURA PARA TRE FCC PRÓXIMA AULA ASSUNTO: ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA ELEITORAL E ALISTAMENTO ELEITORAL 5- LEITURA PARA TRF FCC PRÓXIMA AULA ( ANALISTA JUDICIÁRIO ASSUNTO:DIREITO PREVIDENCIÁRIOSEGURADO FACULTATIVO CONCEITO CARACTERÍSTICAS- 5- LEITURA PARA TCU - PRÓXIMA AULA ASSUNTO: COMPETÊNCIAS DO TCU, COMPETÊNCIAS CONSTITUCIONAIS DO

6 AULA 1 - A REDAÇÃO NOS CONSURSOS PÚBLICOS Os concursos públicos têm, ultimamente, sido aplicados em duas fases: prova objetiva e prova discursiva. A prova discursiva, geralmente um texto dissertativo, apresenta aspectos singulares de acordo com as variadas instituições que elaboram as provas. Cada banca possui uma determinada tendência, o que nos dá boa margem de previsibilidade para uma questão futura. FCC - FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS CESPE - CENTRO DE SELEÇÃO E PROMOÇÃO DE EVENTOS ESAF - ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA CESGRANRIO - CENTRO DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO ENSINO SUPERIOR DO GRANDE RIO FGV - FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS

7 O ENTENDIMENTO DO TEMA Para se elaborar um bom texto, o primeiro passo é o entendimento do tema. O tema, normalmente, aparece em linguagem denotativa, sentido real das palavras.mas, às vezes, a conotação também se faz presente, dificultando para o candidato o reconhecimento da essência do tema.

8 PIOR DO QUE MORRER DE FOME NO DESERTO É NÃO TER O QUE COMER NA TERRA PROMETIDA. JOSÉ LINS DO REGO Problemática:

9 TODOS NÓS NASCEMOS ÚNICOS E MORREMOS CÓPIAS. Karl Jung Problemática:

10 Eu sou trezentos, sou trezentos e cinquenta, Mas um dia afinal eu toparei comigo Mario de Andrade Problemática:

11 Antes mundo era pequeno Porque Terra era grande Hoje mundo é muito grande Porque Terra é pequena... GILBERTO GIL Problemática:

12 Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens? Guimarães Rosa Problemática:

13 Há um pequeno número de homens e mulheres que pensam por todos os outros, e para o qual todos os outros falam e agem. Jean Jacques Rousseau Problemática:

14 A tipologia dissertativa apresenta variáveis: Dissertativo-argumentativa Dissertativo-expositiva (informativo) Questões discursivas Cada uma destas variantes exige ora conhecimentos específicos, ora análise de situações hipotéticas, ora respostas a questões específicas ou hipotéticas.

15 ESTÉTICA APRESENTAÇÃO DA REDAÇÃO GRAFIA: LETRA LEGÍVEL: CURSIVA E DE FORMA (MANTER TRAÇADO E TAMANHO) PARAGRAFAÇÃO: OBEDECER OS PARÁGRAFOS (MANTER A MESMA DISTÂNCIA) RESPEITO ÀS MARGENS: OCUPE A LINHA TODA DE MARGEM A MARGEM TRANSLINEAÇÃO: TÍTULO: COLOCAR, SE PEDIDO. CENTRALIZAR NÚMEROS: ATÉ 10 POR EXTENSO. A PARTIR DO 11, NUMERAL. EVITAR RASURA EXCESSÃO EXCEÇÃO ERRO: TRAÇO SOBRE A PALAVRA ERRADA. Ex: EXCESSÃO

16 ATENÇÃO!! 1. Evitar períodos muitos longos ou sequências de frases muito curtas; 2. Evitar, nas dissertações, dirigir-se ao leitor; 3. Evitar as repetições; umas próximas das outras, tanto de palavras, quanto de informações; 4. Manter-se rigorosamente dentro do tema; 5. Evitar expressões desgastadas, "batidas"; 6. Utilizar exemplos e citações relevantes; 7. Não usar religião como argumento; 8. Fugir das palavras muito "fortes"; 9. Evitar gírias e termos coloquiais; 10. Evitar linguagem rebuscada;

17 11. Evitar a argumentação generalizadora e baseada no senso comum; 12. Não ser radical; 13. Ter cuidado com palavras duvidosas como coisa e algo, por terem sentido vago; preferir elemento, fator, tópico, índice, item etc. 14. Não usar chavões, provérbios, ditos populares ou frases feitas; 15. Jamais usar a primeira pessoa do singular, a menos que haja uma solicitação do tema; 16. Repetir muitas vezes as mesmas palavras empobrece o texto; lançar mão de sinônimos e expressões que representem a ideia em questão; 17. Somente citar exemplos de domínio público, sem narrar seu desenrolar, fazendo somente uma breve menção; 18. Ser direto e objetivo; 19. Nunca usar palavrões; 20. Não usar abreviações.

18 Dissertação Expositiva: O TEXTO DISSERTATIVO EXPOSITIVO O termo exposição é associado a explanar ou explicar uma temática de forma denotativa, procurando informar, esclarecer acerca daquela matéria. Esta é a essência do texto expositivo informativoexpositivo. O autor somente informa o leitor sobre determinado tema, sem o propósito de convencimento; não é importante obter adesões ao seu ponto de vista. Tal como o texto argumentativo, enquadra-se na estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão. EXEMPLO: O sistema presidencial de governo nasceu nos Estados Unidos com a constituição de 1787, na Convenção de Filadélfia. Sua formação teórica foi precedida por fato histórico; não sendo, pois, obra de nenhum arranjo ou convenção teórica. Sustenta-se que o presidencialismo é o poder monárquico na versão republicana. O presidencialismo, ao contrário do parlamentarismo, é demarcado por uma rígida separação de Poderes, assentada na independência orgânica e na especialização funcional.

19 O TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO COMPREENDER O PROCESSO DISSERTATIVO DISSERTAR É FAZER JUÍZO SOBRE ALGUM ASSUNTO DISSERTATAR É DISCUTIR CRITICAMENTE UM PROBLEMA DISSERTAR É PERSUADIR, CONVENCER, INFLUENCIAR

20 AO DISSERTAR, 3 ITENS SÃO FUNDAMENTAIS: 1- CONHECIMENTO DO ASSUNTO- NINGUÉM ESCREVE SOBRE O QUE NÃO SABE ATENÇÃO AO TEMA/ENUNCIADO 2-ORGANIZAÇÃO DAS IDEIAS - BEM FUNDAMENTADA EM UMA BOA ESTRUTURA DE PARÁGRAFO 3- A PRESENÇA DE SENSO CRÍTICO - PARA DAR MAIOR CONSISTÊNCIA AO PARÁGRAFO E AO PROCESSO DE PERSUASÃO E DE CONVENCIMENTO 4- BUSCA CONVENCER -

21 PARA SE ESCREVER BEM HÁ NECESSIDADE DE 2 COMPETÊNCIAS: DOMÍNIO DA LÍNGUA PORTUGUESA REPERTÓRIO - INFORMAÇÃO

22 LEITURAS INDICADAS

23 ESTRUTURA DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVA INTRODUÇÃO (TESE) 1 PARÁGRAFO (5/8 LINHAS) DESENVOLVIMENTO (ARGUMENTAÇÃO) 2/3 PARÁGRAFOS (5/8) CONCLUSÃO 1 PARÁGRAFO (5/8)

24 ESTRUTURA DISSERTATIV0-ARGUMENTATIVA 1- INTRODUÇÃO É O LUGAR DA TESE É A FRASE NÚCLEO PALAVRA-CHAVE DO TEMA É O LUGAR DO PONTO DE VISTA É O LUGAR EM QUE O ALUNO SE COLOCA EM RELAÇÃO AO TEXTO, APÓS ESCOLHER UM ASPECTO DO ASSUNTO A SER DISCUTIDO. PARÁGRAFO PADRÃO DE TESE: UMA IDEIA BÁSICA À QUAL SE AGREGAM OUTRAS MENORES. ESTE PARÁGRAFO É O ROTEIRO DO TEXTO DISSERTATIVO.

25 EXEMPLO DE PARÁGRAFO DE TESE: TEMA: A LIBERDADE A liberdade, como um princípio vital, sempre esteve ligada aos momentos mais significativos da História do Homem. A luta pela liberdade tem sido a própria luta pela dignidade humana, no plano do indivíduo e no plano de cada povo ou nação. A liberdade não é, para o Homem, uma questão de estado intencional, ou de opção, mas uma questão de necessidade.

26 ANALISANDO A TESE: A liberdade, como um princípio vital, sempre esteve ligada aos momentos mais significativos da História do Homem. A PARTE EM NEGRITO É O TÓPICO FRASAL - A ideia em torno da qual giram as outras ideias relacionadas à necessidade e à dignidade. Assim, a partir dessas ideias, desenvolve-se a argumentação.

27 2- ARGUMENTAÇÃO (PROVAS CONVINCENTES, COERENTES E COESAS) É O MOMENTO EM QUE HÁ: EXPLICAÇÃO EXPLICITAÇÃO JUSTIFICAÇÃO DESDOBRAMENTO COMPROVAÇÃO /EXEMPLIFICAÇÃO

28 2- ARGUMENTAÇÃO- OS ARGUMENTOS DEVEM SER RELACIONADOS À TESE DE MODO CONSISTENTE. EXEMPLO DE ARGUMENTO CONSISTENTE TEMA: CORRUPÇÃO GOVERNAMENTAL ARG 1 A situação política e econômica do país encontra-se caótica. O Congresso Nacional, sob constante suspeita de corrupção, perdeu a credibilidade popular. E os partidos políticos, sem posturas ideológicas bem definidas, promovem ao sabor de interesses pessoais um vergonhoso jogo de adesões. ARG2 As desigualdades sociais acentuam a pobreza e a hegemonia dos ricos e aceleram o clientalismo. É o reflexo de uma economia corrosiva que desprivilegia o trabalhador e sufoca as perspectivas de uma vida digna, com satisfação plena das necessidades básicas, isenta de pressões e casuísmos.

29 3- CONCLUSÃO PROPOSTA DE INTERVENÇÃO/SOLUÇÃO EXEQUÍVEL SÍNTESE DOS ARGUMENTOS REFORÇO/RETOMADA DA TESE OBS: NÃO INSIRA IDEIAS NOVAS NA CONCLUSÃO

30 EXEMPLO DE CONCLUSÃO Tema: Violência no trânsito. Tese: No Brasil, a violência no trânsito cresce diariamente. A imprudência e a má formação dos condutores geram mortes. Argumentos:Diante desta introdução, agora você já sabe que: seu segundo parágrafo só poderá abordar o primeiro argumento: imprudência. seu terceiro parágrafo deverá desenvolver: má formação dos condutores. no quarto parágrafo, comprove apenas as mortes como consequência. Conclusão: Diante dos dados que comprovam o grande número de mortes, pode-se inferir que atos violentos em vias públicas têm crescimento diário. A criação de uma disciplina de Educação para o trânsito no Ensino Médio das escolas públicas e privadas minimizaria, a médio prazo, os problemas hoje enfrentados.

31 EXEMPLO DE TEXTO DISSERTATIVO COM A ESTRUTURA APRESENTADA TEMA: UM PARADOXO DA MODERNIDADE: ELIMINAÇÃO DE FRONTEIRAS, CRIAÇÃO DE FRONTEIRAS TÍTULO: LINGUAGEM UNIVERSAL TESE: Computadores, internet, distâncias menores,maior comunicação. Tais vantagens são apresentadas pelos defensores da globalização como fatores determinantes para o fim das fronteiras internacionais. Entretanto, a maneira com que semelhantes avanços são distribuídos pelo mundo é discutida por teóricos menos otimistas. Assim, questionase qual das partes apresenta argumentos de acordo com a realidade mundial.

32 ARGT.1 Na Grécia Antiga, as barreiras sociais eram determinadas pela ausência da nacionalidade grega. Desse modo, direitos como cidadania e exercício de cargos públicos pertenciam somente aos gregos, jamais aos povos bárbaros. Nesse contexto, as pessoas eram distinguidas por caracteres geográficos de identidade nacional.

33 ARGT. 2 Atualmente, determinam-se os privilégios por meio do poder econômico. Assim, indivíduos pobres são privados de boas condições de vida, do convívio social e até mesmo de frequentar lugares como shoppings centres, por exemplo. Percebe-se que barreira abissal de determinada classe a outra continua existindo; apenas o método discriminador mudou através do tempo.

34 CONCLUSÃO Discute-se, na atualidade, o advento de uma linguagem universal que elimine qualquer dificuldade de comunicação, facilitando acordos de paz e o comércio entre as nações. Ao contrário do que se pensa, esta não será o inglês ou as gírias da internet. Será uma linguagem existente desde a Grécia Antiga e marcante nos dias de hoje: a da exclusão social.

35 A INTRODUÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO A TESE DEVE SER CLARA, OBJETIVA, UM ROTEIRO DO TEXTO A SER DESENVOLVIDO. A TESE APRESENTA UMA FRASE-NÚCLEO, CHAMADA POR ALGUNS TEÓRIOS DE TÓPICO FRASAL. A FRASE-NÚCLEO PROBLEMATIZA A QUESTÃO, ELA É A SÍNTESE DO ASPECTO QUE MARCA O QUE VAI SER DISCUTIDO. VEJAMOS UM EXEMPLO, CUJO TEMA É: A MODERNIDADE TEM INIBIDO A CAPACIDADE AFETIVA DO HOMEM, ABRINDO UMA PERSPECTIVA PARA O CAOS. (ELEMENTOS CAUSADORES DO CAOS: TECNOLOGIA, GLOBALIZAÇÃO VIOLÊNCIA, INTERCÂMBIO CULTURAL) VAMOS SEGUIR A PRODUÇÃO DE UMA TESE ACERCA DESTE TEMA:

36 TESE: A sociedade moderna, marcada por uma robotização sem precedentes, tem atingido o Homem, mais diretamente, em sua capacidade de produzir afetos. Isso o alcança em seu caráter pessoal e coletivo, comprometendo o equilíbrio da espécie. Chegou um tempo, portanto, em que amar é prioridade das prioridades.

37 Frase-núcleo: A sociedade moderna, marcada por uma robotização sem precedentes, tem atingido o Homem, mais diretamente, em sua capacidade de produzir afetos. Cada parágrafo deve apresentar, portanto, a frase-núcleo, e frases complementares. Assim cada parágrafo deve apresentar dois ou três períodos, para que a clareza seja a característica primordial.

38 PRÁTICAS DE REDAÇÃO ELABORAÇÃO DE TESE LEIA ATENTAMENTE OS TEMAS ABAIXO E ELABORE UMA TESE PARA CADA UM DELES, LEMBRANDO-SE DE QUE DEVE CONSTAR UMA FRASE-NÚCLEO E FRASES COMPLEMENTARES. 1- Proposta (TRT 24ª R 2011) Atente para as seguintes afirmações: 1. A liberdade de imprensa é, indiscutivelmente, um pressuposto para o exercício da democracia. 2. Eventualmente, em nome da liberdade de imprensa, o sensacionalismo de certas práticas jornalísticas desrespeita outros direitos e compromete a essência mesma dos princípios democráticos. Redija uma tese a partir do tema "A liberdade de imprensa.

39 2- Proposta (TRT 9ªR 2010) Leia com atenção o texto seguinte: Muita gente vê como opção compulsória a decisão entre julgar com a cabeça e julgar com o coração. Nesses termos, razão e sentimento tornam-se incompatíveis. O homem deveria reconhecer e homenagear sua complexidade, jamais admitindo essa drástica separação, pela qual tanto o sentimento como a razão saem diminuídos. Levando em conta o que afirma esse texto, redija uma tese a partir do seguinte tema: Quem julga sem equilibrar lucidez e sensibilidade não alcança a justiça.

40 TIPOS DE TESE 1- TESE INICIADA POR UMA AFIRMAÇÃO:

41 ARGUMENTAÇÃO DO TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTAR É DEFENDER COM LÓGICA UM PONTO DE VISTA.

42 CONCLUSÃO DA DISSERTAÇÃO

43 PLANEJAMENTO A ELABORAÇÃO DE TEXTO EXIGE PLANEJAMENTO. PASSOS: LEITURA E COMPREENSÃO DO ASSUNTO DELIMITAÇÃO DO TEMA TESE/POSICIONAMENTO CONSTATAÇÃO DO PROBLEMA - POR QUÊ? DESENVOLVIMENTO ELENCAR AS RESPOSTAS A ESTA PERGUNTA DEFESA CONCLUSÃO REFORÇO DA TESE/ SÍNTESE/ PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

44 EXEMPLO DE PLANEJAMENTO Imagine que você está diante de um tema que lhe permita levantar hipóteses que justifiquem a entrada de jovens no mundo das drogas. Para tanto, você deve primeiramente ler atentamente o tema; em seguida organizar seus conhecimentso e informações sobre o assunto a partir do questionamento: POR QUÊ?. Observe: Os jovens vão para as drogas.(tese afirmação) POR QUÊ? 1-Os principais motivos são: influência dos amigos, curiosidade e principalmente a má estrutura da família.(arg.1) 2-A influência dos amigos talvez seja a maior porta de entrada para o mundo das drogas.(arg.2) 3- A curiosidade também é um perigo iminente.(arg.3) - É possível evitar que o jovem não tenha nenhum contato com a droga- como? Possíveis intervenções, soluções.

45 COESÃO A COESÃO é o fator responsável pela unidade formal do texto; constroi-se através de mecanismos gramaticais: pronomes anafóricos: artigos: elipse: concordância: correlação entre os tempos verbais: conjunções : e reiteração, substituição e associação.

46 O que vem a ser reiteração, substituição, associação? Reiteração simples repetição de um item léxico ou outros processos, como a nominalização. Ex: retomada, através de um substantivo cognato, da ideia expressa por um verbo adiar/adiamento. Substituição feita pelos processos de sinonímia, antonímia, hiponímia - o termo substituído representa uma parte ou um elemento e o substituidor representa o todo ou a classe. Ex: carroça/veículo); hiperonímia - o termo substituído representa o todo ou a classe e o substituidor uma parte ou um elemento Ex: objeto/caneta. Associação relacionar itens do vocabulário pertinentes a um mesmo esquema cognitivo. Ex: bolo, velinha, presentes, alusivos ao mesmo evento).

47 EXEMPLO DE COESÃO TEXTO TEMA: A VIOLÊNCIA DAS TORCIDAS ORGANIZADAS. TESE: De acordo com o estatuto do torcedor, definem-se torcidas organizadas como um agrupamento de pessoas simpatizantes de um clube estruturado de forma relativamente burocrática, a fim de incentivar o time durante os jogos. Em alguns momentos, entretanto, observa-se que esses grupos visam também a defender a integridade de seus componentes em situações de confrontos físicos e verbais com adversários. Tais agressões ocorrem em virtude de questões culturais e até socioeconômicas.

48 QUADRO DOS ELEMENTOS COESIVOS

49

50

51

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG T exto dissertativo: ponto de vista acerca de um tema Profa. Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br Algumas perguntas O quê? Por quê? Para quê?

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS MANDE BEM NA REDAÇÃO! PARA COMEÇAR! Fonte: Guia do Participante, ENEM, 2013, p.7. TIPOLOGIA TEXTUAL Fonte: Guia do Participante, ENEM, 2013, p.16. (Anexo) RECONHECENDO O CAMPO... 1998 - Viver e aprender

Leia mais

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana.

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. 25.2 Conteúdo: Gênero dissertativo-argumentativo. Habilidade: Reconhecer a tese defendida em um texto. (D19) REVISÃO A REDAÇÃO DO ENEM 1 Domínio da

Leia mais

Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas

Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas Redação no ENEM: considerações preliminares e propostas passadas Neste texto, vamos delinear o que se espera do participante do ENEM na situação específica de produção de textos. Para isso, nada melhor

Leia mais

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM

OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Disciplina Curso Profª Série REDACÃO Ensino Médio Silvia Zanutto 3º Lembre-se: ESTUDO APROVAÇÃO SUCESSO OS CRITÉRIOS DE CORREÇÃO para a REDAÇÃO do ENEM Aluno,LEIA COM ATENÇÃO! Na redação, o ENEM avalia

Leia mais

Testes de ortografia e redação eliminam candidatos a estágio

Testes de ortografia e redação eliminam candidatos a estágio Testes de ortografia e redação eliminam candidatos a estágio Entre cursos com maior reprovação estão pedagogia, jornalismo e turismo. Falta de leitura e hábitos gerados pela internet são fatores motivadores.

Leia mais

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO 1 Q236899 Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Português Assuntos: 6. Interpretação

Leia mais

OS DIREITOS HUMANOS NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES

OS DIREITOS HUMANOS NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES OS DIREITOS HUMANOS NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES Gisllayne Rufino Souza* UFPB gisllayne.souza@gmail.com Profa. Dra. Marlene Helena de Oliveira França UFPB/Centro de Educação/Núcleo de Cidadania e Direitos

Leia mais

Sumário. Parte I As exigências básicas das provas discursivas

Sumário. Parte I As exigências básicas das provas discursivas Sumário Prefácio à 2 a edição, revista e atualizada Apresentação XVII XXI Parte I As exigências básicas das provas discursivas Introdução 2 I. Itens mais gerais estipulados pelas bancas 2 II. Dois editais

Leia mais

A REDAÇÃO NO ENEM. O parágrafo de introdução

A REDAÇÃO NO ENEM. O parágrafo de introdução A REDAÇÃO NO ENEM O parágrafo de introdução PARA QUE UMA INTRODUÇÃO ESTEJA COMPLETA, ELA DEVE CONTER: Apresentação do tema: contextualização do assunto a ser tratado na redação Apresentação da tese: ponto

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 DIREITO ELEITORAL...

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 DIREITO ELEITORAL... Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 APRESENTAÇÃO... 15 NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 17 NOTA À SEGUNDA EDIÇÃO... 19 CAPÍTULO 1 DIREITO ELEITORAL... 21 1.1. Conceito...21 1.1.1. Competência legislativa em

Leia mais

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP

Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. FUVEST e UNESP Singular-Anglo Vestibulares Professora Natália Sanches Redação: critérios de correção dos exames da Fuvest, Unicamp, Unesp e Enem. Retirado do site oficial do vestibular. FUVEST e UNESP Na correção, três

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA ESCRITA

A EVOLUÇÃO DA ESCRITA A EVOLUÇÃO DA ESCRITA Percebemos a partir da observação das imagens exibidas no vídeo A EVOLUÇÃO DA ESCRITA que o homem sempre buscou muitas formas de transmitir pensamentos. O texto é uma das formas mais

Leia mais

O resumo Se procurares num dicionário o verbo resumir encontrarás uma definição semelhante a esta: dizer em poucas palavras o que se disse ou escreveu mais extensivamente; condensar. Sendo uma forma de

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira

Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira 1º CURSO DE REDAÇÃO Ministrantes: Aline Brancate e Josiene Duarte/ Luana Dantas e Stella Oliveira Programa de Educação Tutorial Ciência, Tecnologia e Inovação Grupo PET- CTI pet-grupocti@ufabc.edu.br GRUPO

Leia mais

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO.

SEMINÁRIO . ORGANIZAÇÃO DO SEMINÁRIO. SEMINÁRIO Seminário é um grupo de pessoas que se reúnem com o propósito de estudar um tema sob a direção de um professor ou autoridade na matéria. O nome desta técnica vem da palavra semente, indicando

Leia mais

Reforma Política Democrática Eleições Limpas 13 de janeiro de 2015

Reforma Política Democrática Eleições Limpas 13 de janeiro de 2015 Reforma Política Democrática Eleições Limpas 13 de janeiro de 2015 A Coalizão é uma articulação da sociedade brasileira visando a uma Reforma Política Democrática. Ela é composta atualmente por 101 entidades,

Leia mais

SIMULADO DE PORTUGUÊS

SIMULADO DE PORTUGUÊS SIMULADO DE PORTUGUÊS Professora: Fabyana Muniz Texto I O desafio da qualidade É uma conquista civilizatória para o Brasil ter a imensa maioria das crianças em idade escolar com acesso às salas de aula,

Leia mais

PROGRAMA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

PROGRAMA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL LÍNGUA PORTUGUESA Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica Emprego das classes de palavras Emprego do sinal indicativo de crase Sintaxe da oração e

Leia mais

REDAÇÃO. Colégio Anísio Teixeira Redação 1 ano

REDAÇÃO. Colégio Anísio Teixeira Redação 1 ano REDAÇÃO Colégio Anísio Teixeira Redação 1 ano Por onde começar? Transforme a proposta em pergunta, como por exemplo: Quais são as regras que regem os comportamentos nas redes sociais?. Com base isso, tente

Leia mais

Histórico da Seguridade Social

Histórico da Seguridade Social Histórico da Seguridade Social Capítulo I Histórico da Seguridade Social 1. Técnico do Seguro Social INSS 2012 FCC Grau de Dificuldade: Médio O INSS, autarquia federal, resultou da fusão das seguintes

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Escola Judiciária Eleitoral Abril 2013 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Presidente Desembargadora Letícia De Faria Sardas Corregedor

Leia mais

Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada.

Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada. Toque de Mestre 16 Discursivas do Cespe Tema específico: resposta fácil, organização complicada. Profa. Júnia Andrade Viana profajunia@gmail.com face: profajunia Autora do livro Redação para Concursos

Leia mais

COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO. Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP

COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO. Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP COMO REALIZAR UM SEMINÁRIO Gilberto Luiz de Azevedo Borges - Departamento de Educação -1B-Botucatu-UNESP A técnica do seminário tem sido usualmente entendida como sinônimo de exposição. O "seminário",

Leia mais

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação

INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação I - Proposta de Redação INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Orientações para a Redação A proposta de redação do vestibular do ITA pode ser composta de textos verbais, não verbais (foto ou ilustração,

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Presidência da República Federativa do Brasil. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Presidência da República Federativa do Brasil Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial A SEPPIR CRIAÇÃO A Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)

Leia mais

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS IFAM CAMPUS HUMAITÁ CURSO DE... NOME DO(A) DISCENTE TÍTULO DA PESQUISA HUMAITÁ AM ANO EM QUE O TRABALHO

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

COMO SERÁ ELABORADA A PROPOSTA DE TEMA PARA A REDAÇÃO DO ENEM?

COMO SERÁ ELABORADA A PROPOSTA DE TEMA PARA A REDAÇÃO DO ENEM? COMO SERÁ ELABORADA A PROPOSTA DE TEMA PARA A REDAÇÃO DO ENEM? A proposta para a redação do Enem é elaborada de forma a possibilitar que os participantes, a partir dos subsídios oferecidos, realizem uma

Leia mais

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2.

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2. EXPRESSÃO ESCRITA Sejam bem-vindos à segunda videoaula de Expressão Escrita. Sou a Maj Anna Luiza professora de Português da Seção de Idiomas da ECEME. Esta aula se destina a você, aluno do CP/ECEME e

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec: Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Área de conhecimento: Ciências Humanas e Suas Tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica :: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica José Mauricio Santos Pinheiro em 21/04/2005 Os princípios indispensáveis à redação científica podem ser resumidos em quatro pontos fundamentais: clareza,

Leia mais

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH,

RESENHA DE COHESION IN ENGLISH, BORBA, Valquíria C. Machado. Resenha de Cohesion in English, de Halliday & Hassan. Revista Virtual de Estudos da Linguagem ReVEL. V. 4, n. 6, março de 2006. ISSN 1678-8931 [www.revel.inf.br]. RESENHA DE

Leia mais

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases

PROVA 358. (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases PROVA 358 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Formação Específica Anual 12.º Ano (Dec.- Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 2014/2015 1.ª e 2.ª Fases Provas Escrita e Oral Cursos Científico-

Leia mais

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos:

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos: Concordância Na aula de hoje, estudaremos os principais tipos e ocorrências de itens relacionados à concordância verbal cobrados nos vestibulares do país. Nesse sentido, é válido lembrar que serão observadas

Leia mais

Texto 4 Composição em prosa não literária

Texto 4 Composição em prosa não literária Curso de Redação: Do texto ao texto Professora: Maria Aparecida Araújo Texto 4 Composição em prosa não literária Conteúdo Descrição Narração Dissertação Bibliografia: 1. CARNEIRO, Agostinho Dias: Redação

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 19/A

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 19/A 9 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 19/A QUESTÃO 16 O Capítulo II das Entidades de Atendimento ao Idoso, da Lei nº 10.741, de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, coloca no Parágrafo Único

Leia mais

Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM. E agora José?

Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM. E agora José? Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM E agora José? Respondam Rápido: O que encanta um homem? O que encanta uma mulher? E o que ENCANTA um corretor do ENEM?

Leia mais

Editora Ferreira Projeto Redação sob Medida

Editora Ferreira Projeto Redação sob Medida Editora Ferreira Projeto Redação sob Medida Aula 06 Construção do texto expositivo-argumentativo: I etapa Retomando a aula interior, insistimos que o texto dissertativo das expectativas das bancas é o

Leia mais

Melhores Redações do ENEM Como fazer

Melhores Redações do ENEM Como fazer Melhores Redações do ENEM Como fazer Como fazer redação para o ENEM 2014 Você vai se inscrever no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)? Uma das dores de cabeça ou pesadelos dos alunos é a redação do ENEM

Leia mais

2. (CESPE/MMA/2009) O modelo de federalismo brasileiro é do tipo segregador.

2. (CESPE/MMA/2009) O modelo de federalismo brasileiro é do tipo segregador. 1. (CESPE/SEJUS-ES/2009) A CF adota o presidencialismo como forma de Estado, já que reconhece a junção das funções de chefe de Estado e chefe de governo na figura do presidente da República. 2. (CESPE/MMA/2009)

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

O importante é não desistir porque existem bons certames em vista, a exemplo do próximo concurso da Polícia Federal.

O importante é não desistir porque existem bons certames em vista, a exemplo do próximo concurso da Polícia Federal. QUESTÕES DE CONCURSOS Colega estudante! Colegas Concursandos e candidatos ao TCU e STF! Desejo-lhes uma mente ILUMINADA na hora das provas e que a sorte lhe acompanhe em todas as fases desse concurso.

Leia mais

Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015

Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015 Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015 Versão Linguagem Fácil Conselho da Europa Plano de Acção para a Deficiência 2006-2015 Versão Linguagem Fácil Página 1 de 60 Plano de Acção

Leia mais

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso 2º semestre de 2012. Escola de Administração Fazendária ESAF

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso 2º semestre de 2012. Escola de Administração Fazendária ESAF Disseminadores de Educação Fiscal Regulamento do Curso 2º semestre de 2012 Escola de Administração Fazendária ESAF REGULAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO CURSO Art. 1º A Escola de Administração

Leia mais

Assunto: O trabalho e o homem

Assunto: O trabalho e o homem 26 Assunto: O trabalho e o homem Enfrentemos a realidade: nossa vida é miserável, trabalhosa e curta. George Orwell Texto I TRABALHO, ALIENAÇÃO E EXPLORAÇÃO Do século XIII, período no qual o capitalismo

Leia mais

Conteúdos: O texto dissertativo I Parágrafo introdutório Desenvolvimento: Tópico frasal

Conteúdos: O texto dissertativo I Parágrafo introdutório Desenvolvimento: Tópico frasal Conteúdos: O texto dissertativo I Parágrafo introdutório Desenvolvimento: Tópico frasal Habilidades: Perceber no texto dissertativo a estrutura organizada de um parágrafo introdutório que expressa em um

Leia mais

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995)

Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) Declaração de Pequim adotada pela Quarta Conferência Mundial sobre as Mulheres: Ação para Igualdade, Desenvolvimento e Paz (1995) 1. Nós, os Governos, participante da Quarta Conferência Mundial sobre as

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso.

As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso. COMENTÁRIO QUESTÕES DE PORTUGUÊS PROFESSORA: FABYANA MUNIZ As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso. 1. (FCC)...estima-se que sejam 20 línguas. (2º parágrafo) O verbo flexionado nos mesmos

Leia mais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais

Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais Bases legais Constituição Federal Lei das Eleições (Lei 9.504/97) Lei das Inelegibilidades (LC 64/90) Código Eleitoral Resoluções do TSE Finalidade da Legislação

Leia mais

Admissão de alunos 2016

Admissão de alunos 2016 Tradição em Excelência Admissão de alunos 2016 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 8⁰ ANO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS 1. ORIGEM DA TERRA 1.1. Origem da vida no Planeta Terra (principais teorias). 1.2. Fósseis,

Leia mais

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número e invariáveis [isto, isso, aquilo]. Eles assinalam a posição

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013

4ºano. 3º período 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA. 30 de agosto de 2013 4ºano 1.4 LÍNGUA PORTUGUESA 3º período 30 de agosto de 2013 Cuide da organização da sua avaliação, escreva de forma legível, fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado

Leia mais

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso. Escola de Administração Fazendária ESAF

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso. Escola de Administração Fazendária ESAF Disseminadores de Educação Fiscal Regulamento do Curso Escola de Administração Fazendária ESAF REGULAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO CURSO Art. 1º A Escola de Administração Fazendária ESAF

Leia mais

MINUTA DE REGIMENTO INTERNO DA V CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

MINUTA DE REGIMENTO INTERNO DA V CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINUTA DE REGIMENTO INTERNO DA V CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CAPÍTULO I DO OBJETIVO, TEMÁRIO Art. 1º A V Conferência Regional dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento. UNESP de Marília.

Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento. UNESP de Marília. 1 Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento UNESP de Marília. Pontos principais do texto: HJØRLAND, B. Towards a Theory of Aboutness, Subject, Topicality, Theme, Domain, Field,

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. AULA: 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo

LÍNGUA PORTUGUESA INTERATIVIDADE FINAL DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES AULA. AULA: 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo : 23.1 Conteúdo: Texto dissertativo-argumentativo Habilidades: Perceber como se organizam os parágrafos de um texto dissertativo-argumentativo. Texto dissertativo O texto dissertativo é um tipo de texto

Leia mais

CURSO: DIREITO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROJETO INTERDISCIPLINAR. TEMA: (definido pela coordenação de pesquisa) SUBTEMA (escolha do grupo)

CURSO: DIREITO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROJETO INTERDISCIPLINAR. TEMA: (definido pela coordenação de pesquisa) SUBTEMA (escolha do grupo) CURSO: DIREITO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROJETO INTERDISCIPLINAR TEMA: (definido pela coordenação de pesquisa) SUBTEMA (escolha do grupo) Coordenador de Pesquisa: Prof. Charley Teixeira Chaves Piumhi, Agosto

Leia mais

Maurício Piragino /Xixo Escola de Governo de São Paulo. mauxixo.piragino@uol.com.br

Maurício Piragino /Xixo Escola de Governo de São Paulo. mauxixo.piragino@uol.com.br Democracia Participativa e Direta: conselhos temáticos e territoriais (Conselhos Participativos nas Subprefeituras); Iniciativa Popular, Plebiscitos e Referendo" Maurício Piragino /Xixo Escola de Governo

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

Prêmio Vivaleitura. Dicas para se inscrever no. e outros projetos...

Prêmio Vivaleitura. Dicas para se inscrever no. e outros projetos... Dicas para se inscrever no Prêmio Vivaleitura e outros projetos... 2011 Vaga Lume R. Aspicuelta, 678 Vila Madalena São Paulo SP 05433-011 (11) 3032-6032 www.vagalume.org.br falecom@vagalume.org.br 1) Apresentação

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 01/2011 RESPOSTA AOS RECURSOS DA PROVA DE REDAÇÃO

CONCURSO PÚBLICO 01/2011 RESPOSTA AOS RECURSOS DA PROVA DE REDAÇÃO CONCURSO PÚBLICO 01/2011 RESPOSTA AOS RECURSOS DA PROVA DE REDAÇÃO Inscrição: 15602625057-3 (Liminar) - MANTIDA de dissertação, cujos critérios de análise estavam descritos no edital de abertura que rege

Leia mais

48 Os professores optaram por estudar a urbanização, partindo dos espaços conhecidos pelos alunos no entorno da escola. Buscavam, nesse projeto, refletir sobre as características das moradias existentes,

Leia mais

INDIVÍDUO E SOCIEDADE PARTE 2

INDIVÍDUO E SOCIEDADE PARTE 2 TEXTO NUM. 2 INDIVÍDUO E SOCIEDADE PARTE 2 Max Weber, O indivíduo e a ação social: O alemão Max Weber (1864-1920), diferentemente de Durkheim, tem como preocupação central compreender o indivíduo e suas

Leia mais

Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é

Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é que o aluno NÃO DECORE NADA em Língua Portuguesa. Se

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

Partes da aula: 1 Edital do TCU 2 Discursivas no Cespe 3 peças técnicas

Partes da aula: 1 Edital do TCU 2 Discursivas no Cespe 3 peças técnicas DISCURSIVAS TCU Partes da aula: 1 Edital do TCU 2 Discursivas no Cespe 3 peças técnicas 4 parágrafo/frase/gramática / áti 1 Edital do TCU P3 dois exercícios conhecimentos básicos/20 linhas P4 dois exercícios

Leia mais

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau XII CONGRESSO BRASILEIRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE MEIO AMBIENTE PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau FUNDAMENTOS

Leia mais

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso. Escola de Administração Fazendária ESAF

Disseminadores de Educação Fiscal. Regulamento do Curso. Escola de Administração Fazendária ESAF Disseminadores de Educação Fiscal Regulamento do Curso Escola de Administração Fazendária ESAF REGULAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO CURSO Art. 1º A Escola de Administração Fazendária ESAF

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

APRESENTAÇÃO. 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Escola Judiciária Eleitoral.

APRESENTAÇÃO. 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Escola Judiciária Eleitoral. APRESENTAÇÃO 1. Identificação do Órgão/Unidade Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. 2. E-mail para contato eje@tre-rj.gov.br. 3. Nome do Projeto. 4. Tema escolhido Gestão Sócio Ambiental. 5.

Leia mais

Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau

Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau Por uma Cultura da Paz Vera Maria Candau Não é fácil situar-nos diante da questão da paz na atual situação do mundo e do nosso país. Corremos o risco ou de negar a realidade ou de não reconhecer o sentido

Leia mais

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa ELEIÇÕES ELEIÇÕES 5 0 a O - fu dame tal Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa PROJETOS CULTURAIS Estamos em época de eleições, em tempo de discutir ideias para fazer a melhor

Leia mais

transmitindo o conhecimento científico, e, assim, possibilitando a mudança na forma de vida de todos os que do conhecimento se apropriassem.

transmitindo o conhecimento científico, e, assim, possibilitando a mudança na forma de vida de todos os que do conhecimento se apropriassem. RESENHA Artigo: ARROYO, M. G. Balanço da EJA: o que mudou nos modos de vida dos jovens adultos populares? Revej@ - Revista de Educação de Jovens e Adultos, V. I; 2007. Estamos diante de um texto que problematiza

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE INGRESSO INSTRUÇÕES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE INGRESSO INSTRUÇÕES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTRUÇÕES 1 1. Confira seu nome e número de inscrição no cartão-resposta. Se houver algum erro, comunique-o ao fiscal de sala. Assine o cartão-resposta no campo indicado. 2. No

Leia mais

Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO

Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO Aula 09 ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TEXTO Olá, assistiu ao filme sugerido na aula passada?? Espero que tenha gostado, pois ele é um clássico do cinema. Quanto mais lemos percebemos que temos muito ainda para

Leia mais

Seminário de Pesquisa Prof. José Carlos Vinhais

Seminário de Pesquisa Prof. José Carlos Vinhais 1 MANUAL DE ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 PRINCIPIOS O Seminário de Pesquisa exigido pelo curso de Administração é um projeto de atividades centrado em áreas teórico práticas, e deverá

Leia mais

Pacto Gaúcho pelo Fim do Racismo Institucional

Pacto Gaúcho pelo Fim do Racismo Institucional Pacto Gaúcho pelo Fim do Racismo Institucional Aos 21 de março de 2014, dia em que o mundo comemora o Dia Internacional contra a Discriminação Racial instituído pela ONU em 1966, adotamos o presente Pacto

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento Instrutora: Aneliese Nascimento O QUE É UM PROJETO? 4 Instrumento de comunicação. 4 Instrumento de intervenção em um ambiente ou situação para mudanças. 4 Instrumento para fazer algo inovador. O QUE DEVE

Leia mais

CONHEÇA MINHA CARREIRA CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL

CONHEÇA MINHA CARREIRA CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL CONHEÇA MINHA CARREIRA CONSULTOR LEGISLATIVO DO SENADO FEDERAL Olá, concurseiro(a)! Meu nome é Luciano Oliveira e sou Consultor Legislativo do Senado Federal. Também já exerci os cargos de Auditor Federal

Leia mais

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo Caro Monitor, Esta oficina tem como objetivo geral favorecer o primeiro contato do aluno da EJA Ensino Fundamental com o tipo textual que será

Leia mais

SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2

SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2 SEE/AC - SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE - PROFESSOR P2 RESPOSTAS AOS RECURSOS Cargo: ART - PROFESSOR P2 / ARTE Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA (LPO) 5 - Gab.:V B 5 - Gab.:W C 5 - Gab.:X D 8 - Gab.:V

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014

PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014 1 PROVA DE REDAÇÃO NO VESTIBULAR DA UFSM 2014 Prova de redação na perspectiva de gênero textual Com o propósito de avaliar a proficiência dos candidatos na leitura e na escrita pelo uso da língua portuguesa

Leia mais

Pesquisa sobre mecanismos de eleição de conselhos nacionais. LEGISLAÇÃO Criado pela Lei nº 378/ 1937 atualmente regido pela Resolução Nº 407/ 2008

Pesquisa sobre mecanismos de eleição de conselhos nacionais. LEGISLAÇÃO Criado pela Lei nº 378/ 1937 atualmente regido pela Resolução Nº 407/ 2008 Pesquisa sobre mecanismos de eleição de conselhos nacionais Conselho Nacional de Saúde (CNS) LEGISLAÇÃO Criado pela Lei nº 378/ 1937 atualmente regido pela Resolução Nº 407/ 2008 COMPOSIÇÃO 50% Usuário

Leia mais

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini

Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Este, Esse ou Aquele Autora: Maria Tereza de Queiroz Piacentini Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número: este, esse, aquele. Existem três invariáveis:

Leia mais

Prof. Volney Ribeiro

Prof. Volney Ribeiro A REDAÇÃO NO ENEM Prof. Volney Ribeiro Professor de língua portuguesa Especialista em Gestão Educacional Mestrando em Letras A prova de redação exigirá de você a produção de um texto em prosa, do tipo

Leia mais

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis

Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Construção das Políticas Públicas processos, atores e papéis Agnaldo dos Santos Pesquisador do Observatório dos Direitos do Cidadão/Equipe de Participação Cidadã Apresentação O Observatório dos Direitos

Leia mais

Amigos concurseiros, Administração Pública (Banca FGV)

Amigos concurseiros, Administração Pública (Banca FGV) 1 Amigos concurseiros, Tendo em visto a iminência da realização de mais um concurso para a Secretaria de Fazenda do Estado RJ (SEFAZ/RJ), vamos analisar as questões de Administração Pública que caíram

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE, CONSTITUIÇÃO E COMPOSIÇÃO DO CONSELHO

CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE, CONSTITUIÇÃO E COMPOSIÇÃO DO CONSELHO LEI Nº 3890 REGULAMENTA A PARTICIPAÇÃO POPULAR NAS AÇÕES SOCIAIS DE PROTEÇÃO, DEFESA E ATENDIMENTO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, NOS TERMOS DO INCISO II DO ARTIGO 88 DA LEI FEDERAL Nº 8.069,

Leia mais