Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN. PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN. PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural"

Transcrição

1 Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PROGRAMA PRÓ-RURAL / CESAN PAINEL II Modelos de Gestão em Saneamento Rural

2 Estado do Espírito Santo Localização: Região sudeste, entre o RJ, MG e a BA Área: km² - 0,54% da área do Brasil ( Brasil km² ) População: 3,5 milhões hab. 1,8% do país 78 municípios População Urbana: ,4% População Rural: ,6% Dos 78 municípios do ES, 52 são operados pela CESAN 7 na Região Metropolitana da Grande Vitória e 45 no interior Fonte: IBGE Censo 2010

3 ARSI DIRETORIA DE RELAÇÕES COM O CLIENTE GOVERNO ESTADUAL SEDURB IDURB DIRETORIA DE MEIO AMBIENTE C E S A N PRESIDÊNCIA DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO INTERIOR CESAN: Fundada em empregados 10 empregados na Divisão de Saneamento Rural DIRETORIA DE OPERAÇÕES METROPOLITANA Missão Prestar serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário de forma sustentável, buscando a satisfação da sociedade, dos clientes, acionistas, empregados e fornecedores. Visão Ser excelência no setor de saneamento do Brasil. DIVISÃO DE SANEAMENTO RURAL GERÊNCIA DE ENGENHARIA E SERVIÇOS DO INTERIOR DIVISÃO DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PERDAS Valores Respeito, Responsabilidade, Comprometimento, Ética, Transparência, Qualidade, Inovação e Integração.

4 PROGRAMA PRÓ-RURAL O Pró-Rural é um programa de saneamento rural criado na CESAN em 26 de abril de 1991, através da Resolução n 2745/91; Tem como objetivo geral implantar Sistemas de Saneamento Básico em comunidades localizadas em municípios nos quais a CESAN possui concessão (preferencialmente), onde não há viabilidade econômica para operação/manutenção pela companhia; As comunidades estão em áreas geograficamente isoladas, com população entre 50 a 1500 habitantes; Atende a 48 municípios dos 52 que a CESAN detém a concessão, totalizando 254 localidades atendidas (218 água e 39 esgoto) e 348 obras executadas (303 água e 45 esgoto) até 2014; 7 obras em execução (6 água e 1 esgoto) com recursos ICMS energia elétrica, totalizando R$ ,68. O Pró-Rural acontece na Divisão de Saneamento Rural da CESAN.

5 PRÓ-RURAL FOTOS OBRAS EM ANDAMENTO Captação Limoeiro Castelo Reservatório de distribuição Camará - Muqui Adutora água bruta Rede de esgoto km20 BoaPEAD Limoeiro - Castelo Esperança

6 DINÂMICA DE FUNCIONAMENTO PARCERIA SOCIOEDUCATIVO APOIO FINANCEIRO APOIO A OBRAS CONTRATAÇÃO DO OPERADOR SUPORTE TÉCNICO PAGAMENTO DE ENERGIA PROJETO PREFEITURA COMUNIDADE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO SISTEMA GESTÃO DO SISTEMA

7 PROGRAMA PRÓ-RURAL - PARCERIA Comunidade AUTOGERENCIAMENTO: opera, cobra (atualmente instalamos hidrômetros nas obras) e recebe a taxa, realiza pequenas manutenções, faz a gestão do sistema. É a dona do sistema; Prefeitura suporte financeiro, paga operador e a energia, auxilia na manutenção do sistema, em regra geral, mas cada caso é um caso. A negociação é diferenciada, para cada comunidade; CESAN elaboração de projetos de engenharia, licitação e fiscalização das obras contratadas. Preferencialmente utiliza recurso externo para a execução de obras de melhoria e/ou implantação de sistemas;

8 PROGRAMA PRÓ-RURAL - PARCERIA CESAN serviços socioeducativos através de reuniões comunitárias para suporte à mobilização da comunidade atendida e implantação do AUTOGERENCIAMENTO; reuniões com Comitê Gestor; educação ambiental nas escolas; CESAN suporte técnico através de capacitação de operadores escolhidos pela comunidade; inicialização da operação do sistema e ajustes operacionais (dosagens de produtos químicos); acerto em máquinas geradoras de cloro; ajustes de equipamentos de bombeamento e quadros de comando; limpeza e desinfecção de redes de distribuição e demais unidades do sistema; limpeza e desinfecção de poços tubulares profundos; coletas de amostras para análises de água bruta ou tratada.

9 Início Atual PRÓ-RURAL Elaboração de projetos por equipe própria Projetos padronizados Participação da comunidade na execução da obra Serviços contratados no município (sem licitação) Operadores voluntários Autogerenciamento do sistema (comunidade) Prioridade para água subterrânea ou nascentes (tratamento simplificado) Ausência de micromedição Projetos elaborados por empresa contratada ETA s e ETE s pré fabricadas Obras licitadas (Lei n 8666/1993) Operadores remunerados pela comunidade ou contratados pela prefeitura Autogerenciamento do sistema (comunidade) Mananciais superficiais são maioria (tratamento completo convencional) Micromedição individual

10 Experiências recentes Santa Luzia do Norte Ecoporanga Indaiá Conceição do Castelo

11 SISTEMAS PRÓ-RURAL Comitê de Saneamento Comunidade de Santa Luzia do Norte Prestação de Contas ABRIL de Operador R$ 605,00 2 Energia R$ 27,93 3 Produtos Químicos R$ 30,00 4 Manutenção R$ 125,00 5 Total de Gastos ( ) R$ 747,93 6 Total Recebido 1, Total de Gastos R$ 747,93 Saldo R$ 902,07 8 Saldo (+=Reserva/-=Dívida) 7,854,42 16 de JUNHOde 2015.

12 SISTEMAS PRÓ-RURAL

13 Interior da Casa de Química Modelo de Sistema Completo

14 Floculador, Decantador Sistema Completo Modelo com Filtro de Pressão e Tanque de Contato

15 Poço Freático com Tratamento Simplificado

16

17

18

19 QUEM SOMOS Equipe existente na Divisão de Saneamento Rural, em 2015: 01 Chefe de Divisão (engenheiro civil); 01 Engenheiro Projetista; 01 Engenheiro de Fiscalização de Obras; 02 Técnicos de Fiscalização de Obras; 01 Técnico de Orçamento; 01 Técnico em Química; 01 Técnico Projetista; 01 Tecnólogo em Saneamento Ambiental; 04 Veículos para os 03 técnicos que trabalham no campo e 01 para o Engenheiro de Obras; 01 vaga em aberto para Assistente Social ou outro profissional de nível superior para realizar trabalho sócio educativo.

20 O QUE FAZEMOS Projetos elaboração e análise de projetos contratados, apoio à obra; Orçamento elaboração e análise de orçamento elaborado pela contratada, apoio à obra; Obras elaboração de ETL, contratação e fiscalização; Regularização de áreas e licenciamento apoio às prefeituras; Socioeducativo mobilização da comunidade para gestão do sistema, palestra e atividade nas escolas, reuniões com representantes da prefeitura, treinamento do Comitê Gestor, apoio à elaboração do Estatuto, suporte a situação de conflitos; Suporte Técnico capacitação dos operadores, pré-operação, atendimento às solicitações das comunidades para ajustes no tratamento, suporte eletromecânico, limpeza e desinfecção de redes e adutoras, limpeza de poços tubulares profundos, pareceres técnicos, coletas de amostras de água;

21 DESAFIOS Atualmente buscamos a sustentabilidade para os sistemas, o que seria possível através de um modelo de gestão pautado na parceria e com a participação da comunidade, mas devidamente documentado/estruturado e com garantias quanto ao cumprimento das responsabilidades estabelecidas para cada parceiro, visando investimentos em monitoramento, melhorias, ampliações e impedindo que haja perda dos recursos públicos utilizados na implantação dos sistemas. Garantir recursos para elaboração de projetos e execução de obras de melhoria/ampliação e de implantação de sistemas de água e esgoto; Política Estadual de Saneamento para Localidades de Pequeno Porte.

22 A alternativa de deixar tudo como está representa tolerar um nível de sofrimento e perda de potencial humano evitáveis, que todos os governos deveriam considerar injustificável do ponto de vista ético e de desperdício econômico. Tal como a fome, a privação do acesso à água é uma crise silenciosa suportada pelos pobres e tolerada por aqueles que dispõem dos recursos, da tecnologia e do poder político para acabar com ela. Relatório do Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento PNUD, publicado em dezembro de Um dia é preciso parar de sonhar e, de algum modo, partir Amyr Klink

23

24 OBRIGADA! Engª Marcia Azevedo CESAN / DIVISÃO DE SANEAMENTO RURAL ABES - Câmara Temática de Saneamento Rural Pró-Rural Contatos: (27) /(27)

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN

Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN Experiências do Saneamento Rural Espírito Santo PRÓ- RURAL / CESAN 3º PAINEL EXPERIÊNCIAS NA ESTRUTURAÇÃO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL PARA COMUNIDADES RURAIS ISOLADAS Estado do Espírito Santo Localização: Região

Leia mais

Implantação de Operação e Gestão. Comunitária do Sistema de Abastecimento e Tratamento de Água da Comunidade de Indaiá em Conceição do Castelo

Implantação de Operação e Gestão. Comunitária do Sistema de Abastecimento e Tratamento de Água da Comunidade de Indaiá em Conceição do Castelo 1 Implantação de Operação e Gestão 2 Comunitária do Sistema de Abastecimento e Tratamento de Água da Comunidade de Indaiá em Conceição do Castelo Cristiane Ferreira Correia Mauri Sá Roberto Bomfim Jair

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL. CÂMARA TEMÁTICA Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES

PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL. CÂMARA TEMÁTICA Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL CÂMARA TEMÁTICA Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES 21 de junho 2017 A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES é

Leia mais

Sistema de Abastecimento de Água - SAA. João Karlos Locastro contato:

Sistema de Abastecimento de Água - SAA. João Karlos Locastro contato: 1 Sistema de Abastecimento de Água - SAA João Karlos Locastro contato: prof.joaokarlos@feitep.edu.br 2 Sistema de Abastecimento Definição: De acordo com a NBR 12211/92 trata-se de um conjunto de obras,

Leia mais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais AGENDA 1. ESTADO DO PARANÁ 1.1 - PERFIL DO ESTADO DO PARANÁ 2. SANEPAR 2.1 - PERFIL DA COMPANHIA 2.2 - INVESTIMENTOS

Leia mais

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES

Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo. 15/12/ Vitória/ES Cenário Futuro do Consumo de Água no Espírito Santo 15/12/2015 - Vitória/ES AGENDA A CESAN Principais resultados alcançados Cenário hídrico Ações e projetos futuros 52 municípios atendidos 72 % da população

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA SIMISA Sistema Municipal de Informações em Saneamento Básico Serviços Públicos de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário INFORMAÇÕES 1. Informações Água: AG001: POPULAÇÃO TOTAL ATENDIDA COM ABASTECIMENTO

Leia mais

EXCELÊNCIA EM GESTÃO, EFICIÊNCIA EM OPERAÇÃO

EXCELÊNCIA EM GESTÃO, EFICIÊNCIA EM OPERAÇÃO EXCELÊNCIA EM GESTÃO, EFICIÊNCIA EM OPERAÇÃO O Grupo Atlantis, vem atuando há 10 anos no mercado de saneamento básico, trabalha efetivamente no processo de gestão comercial e operacional das autarquias

Leia mais

Apresentação Institucional. Informações referentes ao 1º trimestre de 2018 Data de atualização: maio/2018

Apresentação Institucional. Informações referentes ao 1º trimestre de 2018 Data de atualização: maio/2018 Apresentação Institucional Informações referentes ao 1º trimestre de 2018 Data de atualização: maio/2018 Sabesp Estado de São Paulo Estado de São Paulo Apresentação Institucional Disponibilidade de Recursos

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS AUDIÊNCIA PÚBLICA Prospectiva, Planejamento Estratégico e Prognóstico do PMSB e PMGIRS Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) e Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS) de

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA CORSAN VISÃO 2015: atingir a meta de 30% no atendimento de esgotos sanitários e manter os 98% nos níveis de cobertura de água na área de atuação e buscar a inserção em novos

Leia mais

Ciclo de Debates. Desafios do Saneamento Ambiental. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Brasília - DF - Setembro de 2017

Ciclo de Debates. Desafios do Saneamento Ambiental. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Brasília - DF - Setembro de 2017 Ciclo de Debates Desafios do Saneamento Ambiental Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Brasília - DF - Setembro de 2017 Agenda Apresentação da ABES Os desafios do saneamento ambiental

Leia mais

twitter.com/funasa

twitter.com/funasa FUNDAÇÃO NACIONAL DE SÁUDE Fundação pública vinculada ao Ministério da Saúde Missão Institucional: Promover a saúde pública e a inclusão social por meio de ações de saneamento e saúde ambiental. Área de

Leia mais

SEMINÁRIO CAPACIDADE DE SUPORTE. Núcleo Gestor do Plano Diretor Participativo de Florianópolis

SEMINÁRIO CAPACIDADE DE SUPORTE. Núcleo Gestor do Plano Diretor Participativo de Florianópolis SEMINÁRIO CAPACIDADE DE SUPORTE Núcleo Gestor do Plano Diretor Participativo de Florianópolis Eng. Lucas Barros Arruda Superintendente Regional de Negócios da Região Metropolitana de Florianópolis IPUF/Prefeitura

Leia mais

PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO

PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO PLANEJAMENTOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO: UMA METODOLOGIA DE APOIO À GESTÃO PÚBLICA LOCAL E UM ESTUDO DE CASO Programa Desenvolvimento Econômico e Social Sustentável da Região Oeste do Paraná Prefeituras

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR)

SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) HISTÓRICO DO SANEAMENTO RURAL NO ESTADO DO CEARÁ Implantação do Programa KfW I pela CAGECE Criação da Gerência de Saneamento Rural - GESAR/CAGECE Replicação

Leia mais

A Sabesp. Fundada em 1973 como sociedade de participação acionária (Governo do Estado de São Paulo, acionistas privados e municípios)

A Sabesp. Fundada em 1973 como sociedade de participação acionária (Governo do Estado de São Paulo, acionistas privados e municípios) Se liga na rede A Sabesp STATUS: PATRIMÔNIO LÍQUIDO: R$ 10,5 bilhões* EMPREGADOS: 14.896 Fundada em 1973 como sociedade de participação acionária (Governo do Estado de São Paulo, acionistas privados e

Leia mais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais

A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais A Experiência da Sanepar com Sistemas de Abastecimento de Água em Pequenas Comunidades Rurais COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ USPC - UNIDADE DE SERVIÇOS PEQUENAS COMUNIDADES A Experiência da Sanepar

Leia mais

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água

3.6 LEOPOLDINA Sistema Existente de Abastecimento de Água 3.6 LEOPOLDINA O sistema de abastecimento público de água em Leopoldina é operado e mantido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA, empresa de âmbito estadual, através do sistema operacional

Leia mais

SALTO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades

SALTO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R2 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE SALTO PRESTADOR: SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SALTO SAAE E CONASA SANESALTO S/A Relatório R2 Não Conformidades Americana,

Leia mais

Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra

Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra Sumário Executivo Concessão administrativa para ampliação, manutenção e operação do sistema de esgotamento sanitário do município da Serra Em 10/10/13 a CESAN realizou o leilão na Bovespa através da Concorrência

Leia mais

LA EXPERIENCIA DEL SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) Otaciana Ribeiro Alves

LA EXPERIENCIA DEL SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) Otaciana Ribeiro Alves LA EXPERIENCIA DEL SISTEMA INTEGRADO DE SANEAMENTO RURAL (SISAR) Otaciana Ribeiro Alves NECESSIDADE DE GERENCIAMENTO SOLUÇÃO O QUE É O SISAR? O SISAR é uma federação de associações comunitárias rurais

Leia mais

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Assegurar água bruta em quantidade e qualidade para o SAA

Leia mais

COPASA Divisão de Saneamento Rural

COPASA Divisão de Saneamento Rural VII SEMINÁRIO NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL EXPERIÊNCIAS DO SANEAMENTO RURAL MINAS GERAIS COPASA Divisão de Saneamento Rural Eng.º José Maurício Resende Novembro/2014 OBJETIVO DO SANEAMENTO RURAL Desenvolver

Leia mais

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento.

Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. POLITICA FEDERAL DE SANEAMENTO Os desafios para a implantação do Plano Nacional de Saneamento. Engº civil Gilson Queiroz Maio de 2014 Desafios e Cenários adversos 2 PERFIL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS www.funasa.gov.br

Leia mais

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL

PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL PANORAMA BAIANO DAS ENTIDADES ATUANTES NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NO MEIO RURAL Maria Valéria G. de Q. Ferreira Renavan Andrade Sobrinho Anésio Miranda Fernandes Neli Bonfim Cerqueira Jefferson Cerqueira

Leia mais

REGIONAL SÃO JOAQUIM. MUNICÍPIOS DO SISTEMA CASAN Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, São Joaquim, Urubici e Urupema

REGIONAL SÃO JOAQUIM. MUNICÍPIOS DO SISTEMA CASAN Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, São Joaquim, Urubici e Urupema REGIONAL SÃO JOAQUIM MUNICÍPIOS DO SISTEMA CASAN Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, São Joaquim, Urubici e Urupema São Joaquim SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (Realizado no período 2014-2017) Investimentos

Leia mais

Área de Atuação do Comitê Guandu. Área total Km². 15 Municípios DECRETO /04/2002 RESOLUÇÃO/CERH/RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006

Área de Atuação do Comitê Guandu. Área total Km². 15 Municípios DECRETO /04/2002 RESOLUÇÃO/CERH/RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS DAS BACIAS DOS RIOS GUANDU, DA GUARDA E GUANDU MIRIM Friedrich Herms Diretor Geral do Comitê Guandú Área de Atuação do Comitê Guandu DECRETO 31.178 03/04/2002 RESOLUÇÃO/CERH/RJ

Leia mais

INVESTIMENTOS NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA MUNICÍPIO DE CAÇADOR

INVESTIMENTOS NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA MUNICÍPIO DE CAÇADOR Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 Ano 6 Ano 7 Ano 8 Ano 9 1 Conclusão das obras de ampliação da ETA (mistura rápida, interligações,lona decantador, leito filtrante, auxiliar de lavagem filtros c/ ar comprimido,

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DO SANEAMENTO BÁSICO DA REGIÃO INTEGRADA DE DESENVOLVIMENTO (RIDE) DF E ENTORNO

DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DO SANEAMENTO BÁSICO DA REGIÃO INTEGRADA DE DESENVOLVIMENTO (RIDE) DF E ENTORNO DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DO SANEAMENTO BÁSICO DA REGIÃO INTEGRADA DE DESENVOLVIMENTO (RIDE) DF E ENTORNO Conferência Regional CORSAP Brasília, 22 de outubro de 2015 Antecedentes LEI Nº 11.445, DE 5 DE JANEIRO

Leia mais

A importância dos Consórcios Públicos Intermunicipais para a GIRS.

A importância dos Consórcios Públicos Intermunicipais para a GIRS. A importância dos Consórcios Públicos Intermunicipais para a GIRS. 10 Fórum Internacional de Resíduos Sólidos Promoção: Instituto Venturi Para Estudos Ambientais, Escola Politécnica da UNISINOS Universidade

Leia mais

PROGRAMA SOCIOAMBIENTAL DE PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DE MANANCIAIS

PROGRAMA SOCIOAMBIENTAL DE PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DE MANANCIAIS PROGRAMA SOCIOAMBIENTAL DE PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO DE MANANCIAIS ABRANGÊNCIA COPASA MG 628 localidades operadas (*) 255 localidades Água + Esgoto (*) 373 localidades Água (*) Pop urbana total...8,3 milhões

Leia mais

, ou

, ou 11 2781-9270, 2781-2854 ou 2359-8015 novaera@novaeraambiental.com.br Nova Era Ambiental Mais de 100 projetos executados; 50 E.T.E e E.T.A implementadas; 20 contratos de operação e manutenção; >10.000 m3/dia

Leia mais

IX Seminário de Tecnologia em Saneamento Ambiental da Regional São Paulo

IX Seminário de Tecnologia em Saneamento Ambiental da Regional São Paulo (ISO Em Processo de Implantação) IX Seminário de Tecnologia em Saneamento Ambiental da Regional São Paulo Vantagens de um sistema de gestão da qualidade nos serviços de saneamento básico Manoel Carlos

Leia mais

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba

Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Utilização de Critérios de Excelência como Referência no Desenvolvimento da Gestão de Águas do Paraíba Viviane Lanunce Paes Supervisora da Gestão Integrada - CAP Carlos Eduardo Tavares de Castro Superintendente

Leia mais

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA 1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA Quinto Encontro Técnico Ibero-Americano de Alto Nível Curitiba -17 a 19 de outubro de 2012 Controle da Poluição de Águas e Solos por Processos Biológicos 05 de

Leia mais

ENGENH A R IA E MEIO A MBI ENT E

ENGENH A R IA E MEIO A MBI ENT E ENGENH A R IA E MEIO A MBI ENT E A FLORAM ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE é uma empresa de engenharia e gestão ambiental que desenvolve estudos e serviços com a abrangência e profundidade de análise necessária

Leia mais

IPEÚNA PRESTADOR: SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS, SERVIÇOS PÚBLICOS E SANEAMENTO BÁSICO.

IPEÚNA PRESTADOR: SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS, SERVIÇOS PÚBLICOS E SANEAMENTO BÁSICO. 1 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE IPEÚNA PRESTADOR: SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS, SERVIÇOS PÚBLICOS E SANEAMENTO BÁSICO. Relatório R5 Continuação

Leia mais

VI ENCONTRO ESTADUAL DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FUNASA/ASSEMAE-SC. PAINEL IV: Soluções locais alternativas para Esgotamento Sanitário ADIR FACCIO

VI ENCONTRO ESTADUAL DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FUNASA/ASSEMAE-SC. PAINEL IV: Soluções locais alternativas para Esgotamento Sanitário ADIR FACCIO VI ENCONTRO ESTADUAL DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FUNASA/ASSEMAE-SC PAINEL IV: Soluções locais alternativas para Esgotamento Sanitário ADIR FACCIO 01/11/2017 VI ENCONTRO ESTADUAL DE COOPERAÇÃO TÉCNICA 1 Agência

Leia mais

Segurança hídrica no Sudeste: soluções de longo prazo

Segurança hídrica no Sudeste: soluções de longo prazo Segurança hídrica no Sudeste: soluções de longo prazo Sérgio Ayrimoraes Superintendente de Planejamento de Recursos Hídricos SPR/ANA São Paulo-SP, 21 de agosto de 2014 SEGURANÇA HÍDRICA PARA ABASTECIMENTO

Leia mais

Desafios do Engenheiro frente ao Saneamento Ambiental. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES PR

Desafios do Engenheiro frente ao Saneamento Ambiental. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES PR Desafios do Engenheiro frente ao Saneamento Ambiental Abastecimento de Água Coleta e Tratamento de Esgotos Drenagem Urbana Resíduos Sólidos A Palestra é sobre Saneamento Básico e o nosso propósito é: Reforçar

Leia mais

Apresentação Institucional. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental

Apresentação Institucional. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Apresentação Institucional Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Associação não governamental; Fundada em 1966; 20.000

Leia mais

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES I ENCONTRO DAS S 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO Palestrante: MARCELO STEPHANES Empresa: CDN SERVIÇOS

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA

PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA PLANO ESTADUAL DE CONVIVÊNCIA COM A SECA LANÇADO EM FEVEREIRO DE 2015 COM MEDIDAS EMERGENCIAIS E ESTRUTURANTES PARA SEGURANÇA HÍDRICA, SEGURANÇA ALIMENTAR, BENEFÍCIOS SOCIAIS, SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA,

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PE

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PE 2017-2021 Planejamento 2017-2021 A Companhia Estadual de Águas e Esgotos CEDAE informa que seu Conselho de Administração aprovou no dia 14 de Dezembro de 2016, em reunião ordinária

Leia mais

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO

LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO LINHAS DE FINANCIAMENTO E INCENTIVOS PARA IMPLANTAÇÃO DE PEQUENOS SISTEMAS DE SANEAMENTO Juliana de Senzi Zancul 21 de Junho de 2013 População Rural Cerca de 30 milhões de pessoas residem em localidades

Leia mais

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental I-92 - TEMPO DE RESTABELECIMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA JUCU E AUTONOMIA DOS RESERVATÓRIOS APÓS PARALISAÇÃO PROGRAMADA DA COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO (CESAN) Luciana Callegari

Leia mais

Visão Geral. Acesso da população. População total (milhões) 201,5 20,6. Abastecimento de água 85,0% 86,3% Esgotamento Sanitário 63,4% 79,0%

Visão Geral. Acesso da população. População total (milhões) 201,5 20,6. Abastecimento de água 85,0% 86,3% Esgotamento Sanitário 63,4% 79,0% Visão Geral Brasil Minas Gerais¹ População total (milhões) 201,5 20,6 Acesso da população Abastecimento de água 85,0% 86,3% Esgotamento Sanitário 63,4% 79,0% Fonte: PNAD (IBGE) 2013. 1 Refere-se a população

Leia mais

SUMARÉ RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Não Conformidades

SUMARÉ RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE SUMARÉ PRESTADOR: ODEBRECHT AMBIENTAL SUMARÉ Relatório R4 Não Conformidades Americana, agosto de 2015 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO. Plano Plurianual

DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO. Plano Plurianual DEPARTAMENTO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO Plurianual 2010 2013 Araraquara 2009 Desenvolvimento Organizacional Unidade Responsável: Superintendência Valor do no Período R$ 2.988.000,00 Recursos Orçamentários

Leia mais

Diretoria de Operação e Manutenção Gerência de Gestão do Sistema Subterrâneo Junho / 2015

Diretoria de Operação e Manutenção Gerência de Gestão do Sistema Subterrâneo Junho / 2015 CAPACITAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA PARA IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA SUBTERRÂNEA DE ENERGIA ELÉTRICA EM CENTROS URBANOS: ASPECTOS TÉCNICOS, AMBIENTAIS E ADMINISTRATIVOS 11ª Edição Redes Subterrâneas de Energia

Leia mais

MANUAL ORIENTATIVO PROGRAMA SANEPAR RURAL

MANUAL ORIENTATIVO PROGRAMA SANEPAR RURAL MANUAL ORIENTATIVO PROGRAMA SANEPAR RURAL Página 1 de 13 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 CONCEITUAÇÃO... 3 3 PROCESSO PARA ATENDIMENTO EM COMUNIDADES RURAIS... 6 4 CRITÉRIO DE SELEÇÃO... 8 5 OBRIGAÇÕES... 9

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ)

AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ) AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ) MARCOS LEGAIS CONSÓRCIO PÚBLICO - CONSTITUIÇÃO FEDERAL (Art. 241 - Emenda nº 19/1998) - LEI FEDERAL

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE)

IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO. NÚMERO DE CADASTRO DA ENTIDADE NO MUNICÍPIO (Preenchido de acordo com o Relatório de Números Cadastrais / IBGE) Diretoria de Pesquisas - DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais - COPIS PESQUISA NACIONAL DE SANEAMENTO BÁSICO - 0 ABASTECIMENTO DE ÁGUA AA BLOCO 0 0 IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO NÚMERO DE

Leia mais

Implantação do PSA na Sabesp

Implantação do PSA na Sabesp Implantação do PSA na Sabesp SABESP A Sabesp STATUS: PATRIMÔNIO LÍQUIDO: R$ 13,9 bilhões* EMPREGADOS: 14.147 Fundada em 1973 como sociedade de participação acionária (Governo do Estado de São Paulo, acionistas

Leia mais

Saneamento no Estado de São Paulo

Saneamento no Estado de São Paulo ANTES DEPOIS Saneamento no Estado de São Paulo Desafios e como Avançar Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Evolução do Saneamento no Brasil 250 milhões habitantes 200 Crescimento Populacional

Leia mais

quem somos Fundada em agosto de 1996, a RMS Engenharia atua com extenso e significativo histórico de obras realizadas e clientes satisfeitos.

quem somos Fundada em agosto de 1996, a RMS Engenharia atua com extenso e significativo histórico de obras realizadas e clientes satisfeitos. Fundada em agosto de 1996, a RMS Engenharia atua com extenso e significativo histórico de obras realizadas e clientes satisfeitos. Com uma equipe de profissionais especializada, com perícia em diferentes

Leia mais

PIRASSUNUNGA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE

PIRASSUNUNGA RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE PIRASSUNUNGA PRESTADOR: SERVIÇO DE ÁGUA E ESGOTO DE PIRASSUNUNGA SAEP Relatório R8 Diagnóstico e Verificação de Não Conformidades

Leia mais

AMPLIAÇÃO DO SISTEMA RIO MANSO

AMPLIAÇÃO DO SISTEMA RIO MANSO OBJETIVO Execução das obras e serviços de ampliação e melhorias do sistema Rio Manso, etapas de 5m³ e 6m³ e construção da Central Geradora Hidrelétrica com capacidade de 1.000kW, incluindo o correspondente

Leia mais

NOSSA MISSÃO É GARANTIR A SUA FONTE DE VIDA

NOSSA MISSÃO É GARANTIR A SUA FONTE DE VIDA NOSSA MISSÃO É GARANTIR A SUA FONTE DE VIDA EDUCAÇÃO: Programa de Educação e Valorização da Água SAMAE & Secretária Municipal de Educação; Objetivo: Conscientização (interativa e dinâmica): Uso adequado

Leia mais

Relatório do período de 22 de Março a 20 de Abril de INTERPRETAÇÃO DO RELATÓRIO DA E.T.A. E COMENTÁRIOS.

Relatório do período de 22 de Março a 20 de Abril de INTERPRETAÇÃO DO RELATÓRIO DA E.T.A. E COMENTÁRIOS. Relatório do período de 22 de Março a 20 de Abril de 2018. INTERPRETAÇÃO DO RELATÓRIO DA E.T.A. E COMENTÁRIOS. Os dados constantes no boletim informativo, produzido pela Estação de Tratamento de Água e

Leia mais

O SANEAMENTO AMBIENTAL E O MEIO URBANO. Aula 1: Aspectos Gerais e Controle Operacional das Águas Urbanas. Dante Ragazzi Pauli

O SANEAMENTO AMBIENTAL E O MEIO URBANO. Aula 1: Aspectos Gerais e Controle Operacional das Águas Urbanas. Dante Ragazzi Pauli O SANEAMENTO AMBIENTAL E O MEIO URBANO Aula 1: Aspectos Gerais e Controle Operacional das Águas Urbanas Dante Ragazzi Pauli A AGENDA 2030 PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Os 17 Objetivos de Desenvolvimento

Leia mais

Entendendo o Setor de Saneamento: um seminário para jornalistas. em São Paulo. - Umberto Cidade Semeghini

Entendendo o Setor de Saneamento: um seminário para jornalistas. em São Paulo. - Umberto Cidade Semeghini Entendendo o Setor de Saneamento: um seminário para jornalistas. Universalização dos Serviços em São Paulo - Umberto Cidade Semeghini Diretoria de Sistemas Regionais R Novembro/2009 A prestação de serviços

Leia mais

Imagem 3D: como ficará a Estação de Tratamento de Esgoto Investimentos em sistemas de água e esgoto

Imagem 3D: como ficará a Estação de Tratamento de Esgoto Investimentos em sistemas de água e esgoto VIDEIRA Imagem 3D: como ficará a Estação de Tratamento de Esgoto Investimentos em sistemas de água e esgoto INVESTIMENTOS REALIZADOS Estação de Recalque de Água Bruta (ERAB) Obra: Aquisição e instalação

Leia mais

Execução das obras e serviços de ampliação e melhorias do Sistema Rio Manso

Execução das obras e serviços de ampliação e melhorias do Sistema Rio Manso Execução das obras e serviços de ampliação e melhorias do Sistema Rio Manso 1 OBJETIVO Execução das obras e serviços de ampliação e melhorias do Sistema Rio Manso, para 6m³/s e construção da Central Geradora

Leia mais

Fórum Agenda Bahia 2014

Fórum Agenda Bahia 2014 Fórum Agenda Bahia 2014 Relação entre Plano Nacional e Planos Municipais de Saneamento Básico e as estratégias adotadas para celebração dos Contratos de Programa entre EMBASA e municípios Bartira Mônaco

Leia mais

SANEAMENTO INTEGRADO EM ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS

SANEAMENTO INTEGRADO EM ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS LATINOSAN 2010 CONFERÊNCIA LATINOAMERICANA DE SANEAMENTO Universalização e Sustentabilidade dos Serviços de Saneamento Foz do Iguaçu, 16 de Março de 2010 SANEAMENTO INTEGRADO EM ASSENTAMENTOS PRECÁRIOS

Leia mais

Ciclo de Debates 2018

Ciclo de Debates 2018 Ciclo de Debates 2018 Ranking ABES da Universalização Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Porto Alegre - RS - Junho de 2018 Agenda Apresentação da ABES Ranking ABES da Universalização

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo 2015 Secretaria de Estado de Desenvolvimento. PROGRAMA ESTADUAL DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS Fórum Concessões

Leia mais

DOIS CÓRREGOS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE

DOIS CÓRREGOS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE DOIS CÓRREGOS PRESTADOR: SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE DOIS CÓRREGOS SAAEDOCO Relatório R2 Continuação do Diagnóstico

Leia mais

IV ESTRATÉGIAS PARA O ENFRENTAMENTO DA SECA NO TOCANTE AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ZONA RURAL DO CEARA.

IV ESTRATÉGIAS PARA O ENFRENTAMENTO DA SECA NO TOCANTE AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ZONA RURAL DO CEARA. IV-109 - ESTRATÉGIAS PARA O ENFRENTAMENTO DA SECA NO TOCANTE AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ZONA RURAL DO CEARA. Otaciana Ribeiro Alves (1) Tecnóloga em Gestão de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO - LEI /07 - ÁGUA

SANEAMENTO BÁSICO - LEI /07 - ÁGUA - LEI 11.445/07 - ÁGUA 1 ESGOTO LIXO 2 CHUVA Lei nº 11.445/07, de 5/1/07 Água potável Esgoto sanitário Tratamento do lixo Drenagem da chuva 3 Lei 8.080/90 (promoção, proteção e recuperação da saúde) Art.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE POLÍMEROS NATURAIS E MELHORIA DO DESEMPENHO DA ETA DE MANHUAÇU*

UTILIZAÇÃO DE POLÍMEROS NATURAIS E MELHORIA DO DESEMPENHO DA ETA DE MANHUAÇU* UTILIZAÇÃO DE POLÍMEROS NATURAIS E MELHORIA DO DESEMPENHO DA ETA DE MANHUAÇU* Autores: Felix de Carvalho Augusto (apresentador) Técnico em Química (Colégio São José RJ), Químico Industrial (Faculdade da

Leia mais

IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO IV CONGRESSO MINEIRO DOS SERVIÇOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO Edilson Eduardo Werneck Machado Engenheiro Divisão de Engenharia de Saúde Pública-SUEST/MG-FUNASA SUSTENTAR - Proposta estratégica para

Leia mais

SANTA RITA DO PASSA QUATRO

SANTA RITA DO PASSA QUATRO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE SANTA RITA DO PASSA QUATRO PRESTADOR: COMPANHIA ÁGUAS DE SANTA RITA COMASA Relatório R2 Não Conformidades Americana, agosto

Leia mais

ABRARES Associação Brasileira de Responsabilidade Social. A Água de Minas

ABRARES Associação Brasileira de Responsabilidade Social. A Água de Minas ABRARES Associação Brasileira de Responsabilidade Social A Água de Minas A COPASA está presente em 613 cidades de Minas MG SP Concessão de Água: 406 municípios Concessão de Água e Esgoto: 207 municípios

Leia mais

Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade

Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade Serviços de Água e Esgoto de Joinville Ferramentas de Transferência de Informação Concessionária-Agência e Geração de Indicadores de Qualidade 1º ENARMIS 12 e 13 de novembro de 2015 Florianópolis -SC Sobre

Leia mais

Governança e Eficiência Operacional das Empresas de Saneamento. Rogério Tavares

Governança e Eficiência Operacional das Empresas de Saneamento. Rogério Tavares Governança e Eficiência Operacional das Empresas de Saneamento Rogério Tavares Cenário Atual do Saneamento CENÁRIO DO SETOR Participação Atualmente, 6% dos municípios são atendidos por empresas privadas

Leia mais

Portfólio da empresa. 10/11/2014 Empresa de serviços e consultoria ambiental Ricardo conceição Pereira

Portfólio da empresa. 10/11/2014 Empresa de serviços e consultoria ambiental Ricardo conceição Pereira Portfólio da empresa 10/11/2014 Empresa de serviços e consultoria ambiental Ricardo conceição Pereira Formar uma sociedade local e estadual consciente e preocupada com o ambiente e com os problemas relacionados

Leia mais

Controle Social, Transparência e Políticas Públicas

Controle Social, Transparência e Políticas Públicas Controle Social, Transparência e Políticas Públicas Pequenos Negócios 99% das empresas 3,6 milhões MEI 52% dos empregos 83% novas vagas na década 25% PIB Expansão contínua! Lei Geral da MPE 123/2006 Uma

Leia mais

CONCLUIDO 2016 CONCLUIDO 2014 CONCLUIDO 2014 EM EXECUÇÃO EM EXECUÇÃO EM EXECUÇÃO EM EXECUÇÃO IDENTIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS ATRASOS E JUSTIFICATIVAS

CONCLUIDO 2016 CONCLUIDO 2014 CONCLUIDO 2014 EM EXECUÇÃO EM EXECUÇÃO EM EXECUÇÃO EM EXECUÇÃO IDENTIFICAÇÃO DOS PRINCIPAIS ATRASOS E JUSTIFICATIVAS INDICADOR 2A PLANEJAMENTO E GESTÃO INDICADOR 2A 2 PLANO DE APLICAÇÃO PLURIANUAL Relatório anual de acompanhamento das ações executadas com recursos da Cobrança Federal PLANO DE APLICAÇÃO PLURIANUAL a INFORM

Leia mais

Danilo Forte Presidente Fundação Nacional de Saúde

Danilo Forte Presidente Fundação Nacional de Saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICAP XI MARCHA A BRASÍLIA EM DEFESA DOS MUNICÍPIOS: A VISÃO DOS MUNICÍPIOS SOBRE O PACTO FEDERATIVO AVALIAÇÃO SOBRE

Leia mais

Superintendência de Gestão e Desenvolvimento Operacional de Sistemas Regionais RO Diretoria de Sistemas Regionais - R

Superintendência de Gestão e Desenvolvimento Operacional de Sistemas Regionais RO Diretoria de Sistemas Regionais - R RECUPERAÇÃO HIDRÁULICA COMO FERRAMENTA DE INOVAÇÃO Superintendência de Gestão e Desenvolvimento Operacional de Sistemas Regionais RO Diretoria de Sistemas Regionais - R Situação Atual Não há convergência

Leia mais

I-158 AUTOMATIZAÇÃO DA DOSAGEM DE SULFATO DE ALUMÍNIO NA ETA I DE BRUMADO COM UTILIZAÇÃO DE BOMBA DOSADORA E PH- METRO ON-LINE.

I-158 AUTOMATIZAÇÃO DA DOSAGEM DE SULFATO DE ALUMÍNIO NA ETA I DE BRUMADO COM UTILIZAÇÃO DE BOMBA DOSADORA E PH- METRO ON-LINE. I-158 AUTOMATIZAÇÃO DA DOSAGEM DE SULFATO DE ALUMÍNIO NA ETA I DE BRUMADO COM UTILIZAÇÃO DE BOMBA DOSADORA E PH- METRO ON-LINE. Luiz Boaventura da Cruz e Silva (1) Químico bacharel graduado pela Universidade

Leia mais

Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp. 2º Congresso de Saneamento do Nordeste

Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp. 2º Congresso de Saneamento do Nordeste Fundação Nacional de Saúde Funasa Departamento de Engenharia de Saúde pública - Densp 2º Congresso de Saneamento do Nordeste O protagonismo dos municípios na gestão do saneamento. Eng. Leonardo Rodrigues

Leia mais

Soluções e Parcerias para o Desenvolvimento dos Municípios. Helio Luiz Duranti Diretor Regional de Negócios

Soluções e Parcerias para o Desenvolvimento dos Municípios. Helio Luiz Duranti Diretor Regional de Negócios Soluções e Parcerias para o Desenvolvimento dos Municípios Helio Luiz Duranti Diretor Regional de Negócios Missão da CAIXA Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável do País, como

Leia mais

Qualificação de Fornecedores na Sabesp

Qualificação de Fornecedores na Sabesp Qualificação de Fornecedores na Sabesp Objetivo Mostrar ao mercado nacional e internacional, o interesse da Sabesp em fomentar a participação do maior número possível de fornecedores de materiais e equipamentos

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Infraestrutura de Abastecimento

Leia mais

ODA (Assistência Oficial para o Desenvolvimento) do Japão pela Agência de Cooperação Internacional do Japão JICA

ODA (Assistência Oficial para o Desenvolvimento) do Japão pela Agência de Cooperação Internacional do Japão JICA ODA (Assistência Oficial para o Desenvolvimento) do Japão pela Agência de Cooperação Internacional do Japão JICA na Área de Saneamento Masayuki Eguchi Representação da JICA no Brasil 17 de março de 2010

Leia mais

Como obter recursos da iniciativa privada por meio de agência de desenvolvimento

Como obter recursos da iniciativa privada por meio de agência de desenvolvimento Como obter recursos da iniciativa privada por meio de agência de desenvolvimento Palestrante: Norma Sueli dos Santos Contadora, MBA em Administração do Terceiro Setor, Chefe do Setor Contábil e financeiro

Leia mais

PROSAB Um exemplo de programa cooperativo de pesquisa e modelo de desenvolvimento tecnológico em saneamento básico

PROSAB Um exemplo de programa cooperativo de pesquisa e modelo de desenvolvimento tecnológico em saneamento básico PROSAB Um exemplo de programa cooperativo de pesquisa e modelo de desenvolvimento tecnológico em saneamento básico PROSAB PROGRAMA DE PESQUISA EM SANEAMENTO BÁSICO FINANCIADORES APOIO Objetivos do PROSAB

Leia mais

Ponto CELPE, Um Modelo de Atendimento Regionalizado Implantado na CELPE. Eng. Valter Alves do Couto Filho CELPE

Ponto CELPE, Um Modelo de Atendimento Regionalizado Implantado na CELPE. Eng. Valter Alves do Couto Filho CELPE 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Ponto CELPE, Um Modelo de Atendimento Regionalizado Implantado na CELPE Eng. Valter Alves do Couto Filho CELPE valtercouto@celpe.com.br RESUMO O trabalho mostra

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr.

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. 18 de agosto de 2010, Rio de Janeiro GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. O Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Dados

Leia mais

Possibilidades de PPP em Saneamento

Possibilidades de PPP em Saneamento Seminário Internacional MRE BID BNDES Parceria Público-Privada Privada na Prestação de Serviços de Infra-estrutura Possibilidades de PPP em Saneamento ROGÉRIO DE PAULA TAVARES Diretor de Saneamento e Infra-estrutura

Leia mais