Boa prática no desenv. dos projetos de automação na Bacia de Campos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boa prática no desenv. dos projetos de automação na Bacia de Campos"

Transcrição

1 Boa prática no desenv. dos projetos de automação na Bacia de Campos Eng. Denyson Lima

2 Petrobrás - Bacia de Campos - Plataformas

3 Petrobrás - Bacia de Campos -Plataformas

4 Macro Processo das Plataformas

5 Plataforma PCP-3

6 Introdução Capítulo-1 - Identificando a necessidade do projeto Capítulo-2 Gerenciamento Integração do projeto Capítulo-3 Gerenciamento do Escopo do Projeto Capítulo-4 Gerenciamento do Custo do projeto Capítulo-5 Gerenciamento do Recurso Humano e Comunicação do projeto Capítulo-6 Gerenciamento dos Riscos do projeto Capítulo-7 Gerenciamento eletrônico documentação

7 Capítulo 1 Identificando a necessidade do projeto

8 1.1 Controladores Lógico Programável - CLP Atualmente a Bacia de Campos possui instalado em suas plantas de processo vários tipos de CLP s de várias gerações controlando e intertravando, são eles em ordem alfabética : Altus, Ge-Fanuc, Mitsubishi, MicroBlau, Siemens, Sistema e Rockwell.

9 1.2 CLP Fogo e gás, Emergência, Controle e pacotes outros Sistema Siemens Rockwell Mitsubishi Microblau GE-Fanuc ALTUS %

10 Quantidades de CLP com rede PROFIBUS DP Bacia de Campos Ano 2004 Ano 2005 Ano 2008 Ano 2010 Ano 2012 Ano 2013

11 Integração do Projeto Mar Azul e Entardecer

12 Capítulo 2 Gerenciamento de Integração do projeto

13 Gerenciamento de Integração do projeto Controle de todas as empresas envolvidas no projeto (através de um cronograma unificado por tarefa); Formação de uma equipe multidisciplinar envolvidas no projeto (Supervisores e coordenadores de produção, manutenção, fiscalização e as firmas sub-contratadas); Reuniões mensais de Integração do projeto; Escopo bem definido do processo. Principalmente na escolha da REDE PROFIBUS.

14 Integração do projeto Sisgraph (Smart Plant Instrumentation) CONTRATO (Construção &Montagem) CONTRATO (Empresa de Automação) CONTRATO Pequeno valor e Compartilhado.

15 Gerenciamento de ESCOPO Capítulo 3

16 3.1 Estrutura Analítica do projeto - EAP

17 Arquitetura Automação Cluster existentes CLP Fogo e Gás CLP Elétrica CCM e relés de proteção CLP s de Pacotes Bomba incêndio, compressores de ar, Descarte de cargas elétricas, e etc.. CLP Emergência CLP Controle

18 Camadas de Proteção Abandono da plataforma Painel de Fogo e Gás (MITIGADOR) Ações mecânicas (PSV e Disco de ruptura) Painel de Shutdown (ESD) Alarmes críticos, controle do processo e PCV. Ação Manual do operador

19 Arquitetura dos CLP s

20 Arquitetura dos CLP s

21 Arquitetura das Estações de Trabalho

22 Características gerais dos CLP s

23 Arquitetura da REMOTA PROFIBUS Rede Profibus DP Poço -A Poço -B Poço -C

24 Arquitetura dos transmissores TREM-A TREM-B

25 Comunicação entre CLP s REDE HSDN

26 Arquitetura Gerenciamento de ATIVOS

27 Arquitetura da REMOTA ASI Rede - A Rede B Interligação REDE ASI

28 Arquitetura REMOTA com ASI

29 Arquitetura Profibus PA

30 Interligação com Atuadores elétricos

31 Tela Diagnóstico Supervisório

32 Tela do Processo

33 Gerenciamento de CUSTO Capítulo 4

34 4.1 Perdas Anuais U$ 330 mil U$ 248 mil M3 M3 Perda

35 1 CLP + serviço 4.1 Perdas Anuais Médias ( c/ PAYBACK ) Payback Ano 1/4 CLP + serviço

36 Para evitar as constantes perdas, quais foram as ações?

37 Para evitar as constantes perdas, quais foram as ações?

38 Para evitar as constantes perdas, quais foram as ações? VANTAGENS da REDE PROFIBUS DP: Diminui quantidades de cabos, multicabos e MCT; Diminui quantidade de caixas de passagens; Diminui quantidades de dispositivos; Diminui mão de obra de pintura; Diminui quantidade de mão de obra caldeireiro; Diminui quantidades de mão de obra inspetores; Diminui o prazo do projeto; Viabiliza o investimento do projeto; Diminui custo do projeto.

39 Para evitar as constantes perdas, quais foram as ações?

40 4.2 Projeto-1 Válvula de Retrolavagem Elaborado um estudo de Interligação das Válvulas em uma rede confiável e de baixo custo.

41 4.2 Projeto-1 Válvula de Retrolavagem Planilha de Custo REDE Profibus DP e ASI

42 Para evitar as constantes perdas, quais foram as ações?

43 4.3 Projeto-2 Troca CLP das plataformas antigas. Os rack s com cartões inteligentes (CPU s, Rede Mestre e rede proprietária de comunicação), cabeças locais (interligação Hardwire) e cabeça remotas (rede proprietária ) serão substituídos por uma REDE padronizada PROFIBUS DP

44 4.3 Projeto-2 Troca CLP das plataformas antigas.

45 4.3 Projeto-2 Troca CLP das plataformas antigas.

46 4.3 Projeto-2 Troca CLP das plataformas antigas.

47 4.3 Projeto-2 Troca CLP das plataformas antigas. Custo do Projeto Construção e montagem Materias Projeto executivo Projeto Básico

48 4.3 Projeto-2 Troca CLP das plataformas antigas. Fluxo de Caixa mês-1 mês-2 mês-3 mês-4 mês-5 mês-6 mês-7 mês-8 mês-9 mês-10 mês-11 mês-12 mês-13

49 4.4 DECOMPOSIÇÃO GERAL DOS CUSTOS DO PROJETO 6% 1% 6% 2% 18% 34% Translados Equipamentos Software RH - Petrobras Riscos Stakeholders Serviços 33%

50 Capítulo 5 Gerenciamento da Comunicação e RH

51 ORGANOGRAMA DO PROJETO Gerente Geral Proj. Automação e Instrumentação Recursos Humanos Segurança / Meio Ambiente Setor de Logística Compras Plataforma UO-BC Sup. Técnico de Automação Setor de Planejamento Onshore Offshore Eng. Elétrica e de Automação Eng. de Produção

52 Tipo de REUNIÕES do Projeto REUNIÕES Kickoff meeting Reunião com a equipe de projeto Reunião de controle Reunião técnica Reunião de análise dos riscos Reunião de controle de mudança Reunião de fechamento

53 Treinamento da Equipe Treinamento Certificação da equipe Contratada Treinamento CLP Treinamento Supervisório Curso de REDE Profibus DP Curso de REDE ASI Curso para OPERADORES OPERAÇÃO ASSISTIDA Smart Plant Instrumentation - SPI

54 Gerenciamento de RISCO Capítulo 6

55 GERENCIAMENTO DE RISCOS- previstos e solucionados Inspeção das válvulas do projeto. Levantamento criterioso dos pontos de entrada e saída para detalhar o projeto elétrico. (re-engenharia) Teste em 100% das entradas e saídas. Teste PID com simulação da planta de processo através de um circuito RC. Teste do contador de pulso utilizando osciloscópio e gerador de funções. Teste de fuga a terra do painel utilizando equipamento da PETROBRÁS Instalação de um coversor DC x DC para alimentar transmissores (Sistema de 24 vcc da plataforma apresenta muito ruído). Utilização de fibra óptica para interligar a remota no campo. EAP (Estrutura Analítica do projeto) bem detalhada. Estrutura de REDE bem detalhada, conforme a necessidade.

56 GERENCIAMENTO DE RISCOS- previstos e solucionados

57 GERENCIAMENTO DE RISCOS Não Previstos Acidente promoveu paralização dos trabalhos Certificação do conteúdo e Painel Ex-p Gastos de integração para redução dos Alarmes

58 Capítulo 7 Gerenciamento eletrônico da documentação

59 Gerenciamento eletrônico de Documentação - GED GED Todos os desenhos atualizados com a nova REDE Profibus DP

60 O futuro de um Homem está escrito em seu passado. Obrigado

Anexo. Estudo de caso

Anexo. Estudo de caso Anexo Estudo de caso Fundamentos de Gestão de Projetos de Tecnologia da Informação Anexo Introdução Este material complementar tem o objetivo de exibir através de um estudo de caso a aplicação dos conceitos

Leia mais

SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE REDES ADEQUAÇÃO DE PAINÉIS

SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE REDES ADEQUAÇÃO DE PAINÉIS SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO SERVIÇOS DE ADEQUAÇÃO ENGENHARIA MONTAGEM DE PAINÉIS AUTOMAÇÃO CONFIGURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE REDES A EMPRESA A Altercon Engenharia em Automação e Sistemas Industriais Ltda., foi constituída

Leia mais

Palestra: Soluções Controlmatic em Profibus. Fernando Veroneze -Engenharia de Aplicações Lincoln Walter Siqueira - Engenharia de Aplicações

Palestra: Soluções Controlmatic em Profibus. Fernando Veroneze -Engenharia de Aplicações Lincoln Walter Siqueira - Engenharia de Aplicações Palestra: Soluções Controlmatic em Profibus Fernando Veroneze -Engenharia de Aplicações Lincoln Walter Siqueira - Engenharia de Aplicações Histórico A Controlmatic Automação Industrial, foi fundada em

Leia mais

MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE AUTOMAÇAO DE UMA FABRICA DE CIMENTO

MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE AUTOMAÇAO DE UMA FABRICA DE CIMENTO MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE AUTOMAÇAO DE UMA FABRICA DE CIMENTO Giancarlo Borges de Avelar - Automaton Integração de Sistemas Leopoldo José Naves Alves, AUTOMATON Marcio L Martins Neto - MULTIPLUS 19 a

Leia mais

Reparador de Circuitos Eletrônicos

Reparador de Circuitos Eletrônicos Reparador de Circuitos Eletrônicos O Curso de Reparador de Circuitos Eletrônicos tem por objetivo o desenvolvimento de competências relativas a princípios e leis que regem o funcionamento e a reparação

Leia mais

Automação Industrial Parte 2

Automação Industrial Parte 2 Automação Industrial Parte 2 Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html Perspectiva Histórica Os primeiros sistemas de controle foram desenvolvidos durante a Revolução

Leia mais

Controle de Processos: Definições e terminologias (2/2)

Controle de Processos: Definições e terminologias (2/2) Controle de Processos: Definições e terminologias (2/2) Prof. Eduardo Stockler Tognetti & David Fiorillo Laboratório de Automação e Robótica (LARA) Dept. Engenharia Elétrica - UnB Conteúdo 1. Documentos

Leia mais

Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE ENERGIA E AUTOMAÇÃO. www.grupotse.com.br

Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE ENERGIA E AUTOMAÇÃO. www.grupotse.com.br Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE www.grupotse.com.br I. A EMPRESA II. SERVIÇOS III. CLIENTES IV. CERTIFICAÇÕES V. CASES www.grupotse.com.br A Empresa Com Matriz em São

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

Missão. Visão. Valores. Política de Qualidade. Qualidade Certificada

Missão. Visão. Valores. Política de Qualidade. Qualidade Certificada A DLG Fundada em 1997, a DLG é uma empresa que busca oferecer soluções em elétrica e automação de processos industriais para diferentes segmentos de mercado. Em sua sede, localizada na cidade de Sertãozinho-SP,

Leia mais

Aumente o desempenho operacional da sua unidade industrial

Aumente o desempenho operacional da sua unidade industrial Aumente o desempenho operacional da sua unidade industrial Os seguidos acidentes, as grandes perdas com pessoas, os sucessivos prejuízos financeiros e a pressão da sociedade levam as indústrias químicas

Leia mais

SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO DE A a Z.

SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO DE A a Z. INSTITUCIONAL SOLUÇÕES EM AUTOMAÇÃO DE A a Z. A ADKL Zeller Eletro Sistemas foi fundada em 02 de Dezembro de 1996, no Rio de Janeiro RJ, com o objetivo de vender soluções em Engenharia Elétrica. Temos

Leia mais

Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância Monitoramento de Transformadores de Potência Gerenciamento de Dados para o Monitoramento e Avaliação da Condição Operativa de Transformadores Seminário: Transmissão de Energia Elétrica a Longa Distância

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial

SISTEMAS PREDIAIS II. Automação Predial PCC-2466 SISTEMAS PREDIAIS II Automação Predial Serviços dos Edifícios HIDRÁULICOS Água Fria; Água Gelada; Água Quente; Sistemas de Aquecimento (solar etc.); Esgotos Sanitários; Águas Pluviais; Drenagem

Leia mais

Ricardo Schäffer. (Palavras-chave: EEMUA, HCI, SCADA) HCI. Apresentação

Ricardo Schäffer. (Palavras-chave: EEMUA, HCI, SCADA) HCI. Apresentação EEMUA 201 GUIA DE DESIGN PARA INTERFACES HUMANAS OPERACIONAIS Versão adaptada do guia original publicado pela Associação de Usuários de Equipamentos e Materiais de Engenharia. Ricardo Schäffer Resumo -

Leia mais

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas White Paper Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas Válvulas avulsas ou terminal de válvulas para controle de equipamentos automatizados pneumáticos?

Leia mais

SIMULADOR DE OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DESENVOLVIDO EM EXCEL

SIMULADOR DE OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DESENVOLVIDO EM EXCEL SIMULADOR DE OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DESENVOLVIDO EM EXCEL Gilson Vaz de Oliveira Gerente de Engenharia da EPC Automação Ltda. A simulação de situações reais evoluiu muito desde as primeiras aplicações,

Leia mais

AÇÕES DA PETROBRAS PARA FORTALECIMENTO DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO

AÇÕES DA PETROBRAS PARA FORTALECIMENTO DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO SEMINÁRIO IAAC AÇÕES DA PETROBRAS PARA FORTALECIMENTO DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO ERNANI TURAZZI Gerente do Cadastro de Fornecedores e FABIANO GONÇALVES MARTINS Gerente de Avaliação Técnica de

Leia mais

FOUNDATION FIELDBUS NA INDÚSTRIA DE PROCESSO

FOUNDATION FIELDBUS NA INDÚSTRIA DE PROCESSO o PROTOCOLO FOUNDATION FIELDBUS NA INDÚSTRIA DE PROCESSO Sup. Eng. de Aplicação de Sistemas da YokogawaAmérica do Sul Neste trabalho discorre-se sobre a rede foundation fieldbus, situando-a dentro do universo

Leia mais

SISTEMA DIDÁTICO PARA ESTUDO DE CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS

SISTEMA DIDÁTICO PARA ESTUDO DE CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS DLB CLP 642S SISTEMA DIDÁTICO PARA ESTUDO DE CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS Sistema didático para estudos e práticas em controladores lógicos programáveis, de constituição modular e possibilita a montagem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FICHA DE COMPONENTE CURRICULAR CÓDIGO: COMPONENTE CURRICULAR: CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS (CLPs) E DISPOSITIVOS INDUSTRIAIS UNIDADE ACADÊMICA OFERTANTE: SIGLA:

Leia mais

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO BÁSICO DE AUTOMAÇÃO

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO BÁSICO DE AUTOMAÇÃO 01 DEZEMBRO 2005 SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO BÁSICO DE AUTOMAÇÃO SCAI Automação Ltda. ESCOPO DOS SERVIÇOS Os serviços deverão ser desenvolvidos

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS. Configuração e programação de sistemas servocontrolados (CNC). Produtos Controladores Programáveis (CLP);

PRODUTOS E SERVIÇOS. Configuração e programação de sistemas servocontrolados (CNC). Produtos Controladores Programáveis (CLP); EMPRESA A ATRIA é uma empresa integradora de sistemas de Automação abrangendo os mais diversos segmentos de mercado. Contamos com a excelência técnica e a experiência de mais de 15 anos de nossa equipe

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

CERQUINHO ENGENHARIA Ltda

CERQUINHO ENGENHARIA Ltda CERQUINHO ENGENHARIA Ltda A Empresa 1. Apresentação 2. Informações Comerciais 3. Equipe 4. Principais Produtos 1. Apresentação A Empresa Cerquinho Engenharia Ltda. foi fundada em janeiro de 1988 como um

Leia mais

Tecnologias de Automação na ALUNORTE. Apresentadora: Márcia Ribeiro Empresa: Alunorte/Hydro

Tecnologias de Automação na ALUNORTE. Apresentadora: Márcia Ribeiro Empresa: Alunorte/Hydro Tecnologias de Automação na ALUNORTE Apresentadora: Márcia Ribeiro Empresa: Alunorte/Hydro Sumário A Alunorte; Processo de Obtenção da Alumina; Automação na Alunorte; Sistemas Interligados; Projetos Futuros.

Leia mais

S.T.A.I. (SERVIÇOS TÉCNICOS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL) REDE PROFIBUS PA ALISSON TELES RIBEIRO

S.T.A.I. (SERVIÇOS TÉCNICOS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL) REDE PROFIBUS PA ALISSON TELES RIBEIRO g S.T.A.I. (SERVIÇOS TÉCNICOS DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL) REDE PROFIBUS PA ALISSON TELES RIBEIRO SUMÁRIO 1. Objetivo 2. História 3. O Que é Profibus? 4. Profibus PA 5. Instrumentos 6. Bibliografia 1. OBJETIVO

Leia mais

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação. Introdução à Engenharia de Controle e Automação Rodrigo Baleeiro Silva Engenheiro de Controle e Automação (do latim Automatus, que significa mover-se por si) ; Uso de máquinas para controlar e executar suas tarefas quase sem interferência humana, empregando

Leia mais

KBAE é uma empresa que oferece soluções para o melhor desenvolvimento e utilização dos recursos e tecnologia de sua empresa.

KBAE é uma empresa que oferece soluções para o melhor desenvolvimento e utilização dos recursos e tecnologia de sua empresa. www.kbae.com KBAE é uma empresa que oferece soluções para o melhor desenvolvimento e utilização dos recursos e tecnologia de sua empresa. Os sistemas de informação são imprescindíveis para a tomada de

Leia mais

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com

ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com ÁREAS DE CONHECIMENTO DO PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 As 10 áreas de Conhecimento 2 INTEGRAÇÃO 3 Gerência da Integração Processos necessários

Leia mais

{Indicar o tema e objetivo estratégico aos quais o projeto contribuirá diretamente para o alcance.}

{Indicar o tema e objetivo estratégico aos quais o projeto contribuirá diretamente para o alcance.} {Importante: não se esqueça de apagar todas as instruções de preenchimento (em azul e entre parênteses) após a construção do plano.} {O tem por finalidade reunir todas as informações necessárias à execução

Leia mais

1. Especificar a arquitetura dos controladores lógicos compatíveis a cada aplicação.

1. Especificar a arquitetura dos controladores lógicos compatíveis a cada aplicação. Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça - SP Eixo Tecnológico: Controle e Processo Industrial Habilitação

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR 1 PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA: PLANEJAMENTO DE SISTEMAS ELÉTRICOS Validade: A partir de 01/91 Departamento acadêmico: Engenharia Elétrica Curso: Engenharia Industrial Elétrica Carga Horária: 60H ( Teórica:

Leia mais

Curso avançado de projeto, instalação, diagnósticos e certificação de redes Profibus DP e Profibus PA

Curso avançado de projeto, instalação, diagnósticos e certificação de redes Profibus DP e Profibus PA Descrição: Curso avançado de projeto, instalação, diagnósticos e certificação de redes Profibus DP e Profibus PA Proporcionar aos participantes as informações sobre como projetar, instalar, usar os diagnósticos

Leia mais

Automação Industrial Profº Túlio de Almeida

Automação Industrial Profº Túlio de Almeida 2. OS NÍVEIS DA AUTOMAÇÃO 2.1. A PIRÂMIDE DA AUTOMAÇÃO Nível 5: Gerenciamento Corporativo Mainframe máquinas diretamente responsáveis pela produção. É composto principalmente por relés, sensores digitais

Leia mais

SPPA - T3000 Automação para Usinas de Geração de Energia

SPPA - T3000 Automação para Usinas de Geração de Energia Siemens Power Generation 2005. All Rights Reserved SPPA - T3000 Automação para Usinas de Geração de Energia Eder Saizaki - Energy Fossil Instrum. e Elétrica A história do SDCD SIEMENS em Plantas de Geração

Leia mais

DAXXO RELÉ PARA CCM INTELIGENTE

DAXXO RELÉ PARA CCM INTELIGENTE DAXXO RELÉ PARA CCM INTELIGENTE Daxxo é um relé eletrônico para gerenciamento e proteção de motores em CCM s inteligentes que oferece um novo conceito em proteção e monitoramento de motores elétricos.

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Realizar o gerenciamento dos projetos desde o seu planejamento, desenvolvimento, recebimento, análise crítica, controle e distribuição nas obras. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Manual

Leia mais

EDISON SAVITSKY Objetivo Profissional : Engenharia, Consultoria, Coordenação Técnica ENGENHEIRO ELETRICISTA / INSTRUMENTAÇÃO...

EDISON SAVITSKY Objetivo Profissional : Engenharia, Consultoria, Coordenação Técnica ENGENHEIRO ELETRICISTA / INSTRUMENTAÇÃO... ENGENHEIRO ELETRICISTA / INSTRUMENTAÇÃO...CREA 20300 ESPECIALIZAÇÃO: Projetos de Automação Industrial / Instrumentação Industrial Protocolos Digitais de Comunicação e Automação Industrial Instrumentação

Leia mais

Sistemas Supervisórios

Sistemas Supervisórios Sistemas Supervisórios Prof a. Michelle Mendes Santos michelle@cpdee.ufmg.br Sistemas Supervisórios Objetivos: Apresentação e posicionamento da utilização de sistemas supervisórios em plantas industriais;

Leia mais

Planejamento, Programação e Controle. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.

Planejamento, Programação e Controle. Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Planejamento, Programação e Controle Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Conceitos Gerais Planejamento formal, que compreende, normalmente 5 fases: Estudo de viabilidade técnica, econômica e financeira; Projeto

Leia mais

Automação Residencial

Automação Residencial Automação Residencial F. A. Dias G. M. de Paula L. S. de Oliveira G.F. Vieira 1 CEFET-MG, Brasil Contexto Social e Profissional, 2009 Graduação em Engenharia Mecatrônica Motivação Questão fundamental O

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Instalação de Geradores Particulares em Baixa Tensão Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligações BT Código Edição Data SM04.14-01.007 2ª Folha 1 DE 6 18/08/2009 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

CONTRATA GRANDE POSSIBILIDADE DE CRESCIMENTO PROFISSIONAL!! CARGO: ELETROTÉCNICO JR. Requisitos e Perfil:

CONTRATA GRANDE POSSIBILIDADE DE CRESCIMENTO PROFISSIONAL!! CARGO: ELETROTÉCNICO JR. Requisitos e Perfil: CARGO: ELETROTÉCNICO JR. Requisitos e Perfil: Curso Técnico em Eletrotécnica, Eletromecânica, Eletroeletrônica ou Automação. Desejável: Conhecimento básico em montagem ou manutenção de painéis de comando

Leia mais

www.pdaengenharia.com.br

www.pdaengenharia.com.br www.pdaengenharia.com.br A PDA Engenharia é uma empresa voltada nas soluções de Engenharia elétrica e automação, com experiência nas áreas de montagem, manutenção, projetos elétricos de alta e baixa tensão,

Leia mais

SIMULADO 2 CERTIFICAÇÃO PMP

SIMULADO 2 CERTIFICAÇÃO PMP SIMULADO 2 CERTIFICAÇÃO PMP Nível Básico Página 0 de 5 26) As comunicações referentes a um contrato devem ser do tipo? a) Escrita formal. b) Verbal formal. c) Escrita informal. d) Verbal informal. 27)

Leia mais

Otimização no fluxo de informação através de ferramenta eletrônica. Confecção de notas fiscais, holerites, boletos bancários.

Otimização no fluxo de informação através de ferramenta eletrônica. Confecção de notas fiscais, holerites, boletos bancários. Soluções - Hardwares OUTSOURCING DE IMPRESSÃO Consultoria Técnica Projeto de reengenharia de impressão. BILHETAGEM - ACCOUNTING Gestão e gerenciamento de impressão. WORKFLOW Otimização no fluxo de informação

Leia mais

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC II Workshop Tecnológico APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT Apoio tecnológico

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

Missão: Visão: Soluções Inteligentes:

Missão: Visão: Soluções Inteligentes: Apresentação: A Ágile Engenharia atua nas áreas de engenharia e instalações elétricas a nível industrial, residencial e predial. Procura sempre desenvolver projetos que resultam em uma maior economia e

Leia mais

MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS INTELIGENTES DE GERENCIAMENTO DE EVENTOS E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO

MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS INTELIGENTES DE GERENCIAMENTO DE EVENTOS E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO MONITORE E CONTROLE SEUS SISTEMAS GERENCIAMENTO DE EVENTOS INTELIGENTES DE E MONITORAMENTO VISUAL DE ALARME DE INCÊNDIO ALARME DE INCÊNDIO SEJA VOCÊ GERENTE DE UNIDADE OU PROFISSIONAL DO SETOR DE COMBATE

Leia mais

Objetivo do Workshop

Objetivo do Workshop Redundância Objetivo do Workshop Demonstrar aos participantes como a funcionalidade e as vantagens na utilização da Redundância agregam valor ao processo produtivo, através da sua disponibilidade, confiabilidade

Leia mais

Sistema de de Gerenciamento, Automação e Economia de Água PROJETO 3T (SCADA + GIS + MODELAGEM) "UM MUNDO NOVO EM SUAS MÃOS"

Sistema de de Gerenciamento, Automação e Economia de Água PROJETO 3T (SCADA + GIS + MODELAGEM) UM MUNDO NOVO EM SUAS MÃOS Sistema de de Gerenciamento, Automação e Economia de de Água ABINEE TEC - Minas Gerais 2006 PROJETO 3T (SCADA + GIS + MODELAGEM) "UM MUNDO NOVO EM SUAS MÃOS" COPASA DIRETORIA METROPOLITANA AGOSTO / 2006

Leia mais

Jonas de Souza H2W SYSTEMS

Jonas de Souza H2W SYSTEMS Jonas de Souza H2W SYSTEMS 1 Tecnólogo em Informática Fatec Jundiaí MBA em Gerenciamento de Projetos FGV Project Management Professional PMI Mestrando em Tecnologia UNICAMP Metodologia de apoio à aquisição

Leia mais

INTERFACE USB PARA PROFIBUS PA

INTERFACE USB PARA PROFIBUS PA MANUAL DO USUÁRIO INTERFACE USB PARA PROFIBUS PA OUT / 12 PBI-PLUS P B I P L U S M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta. Informações atualizadas

Leia mais

PETRÓLEO E GÁS. Os serviços da Cugnier abrangem:

PETRÓLEO E GÁS. Os serviços da Cugnier abrangem: PETRÓLEO E GÁS Os serviços da Cugnier abrangem: PETRÓLEO E GÁS A Cugnier está credenciada junto à estatal Petrobras através do CRCC (Certificado de Registro e Classificação Cadastral), possuindo aprovação

Leia mais

PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.

PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK. Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SEGUNDO O PMBOK Faculdade PITÁGORAS Unidade Raja Prof. Valéria E-mail: valeriapitagoras@gmail.com 1 Processos Processos, em um projeto, é um conjunto de ações e atividades

Leia mais

PACOTE DE SERVIÇOS PARA A SISTEMATIZAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIO

PACOTE DE SERVIÇOS PARA A SISTEMATIZAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIO PACOTE DE SERVIÇOS PARA A SISTEMATIZAÇÃO DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIO I INTRODUÇÃO Rio de Janeiro, 10 de novembro de 2011. A Beware é uma empresa especializada em capacitação profissional

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação e Controle AR026 SUMÁRIO I. Sistemas Supervisórios... 3 II. Automação... 4 III. Arquitetura de Redes Industriais... 5 IV. Comunicação entre Supervisório e CLP...7 V. O Protocolo

Leia mais

Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED

Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED Controle Supervisório e Aquisição de Dados (SCADA) Sistema de Execução da Manufatura MES Sistemas a Eventos Discretos (SED Yuri Kaszubowski Lopes Roberto Silvio Ubertino Rosso Jr. UDESC 24 de Abril de

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval

Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial. Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval Automação Industrial Indústria O Tecnólogo em Automação Industrial é um profissional a serviço da modernização das técnicas de produção utilizadas no setor industrial, atuando na execução de projetos,

Leia mais

2.12- Criação/Implantação de Processo de Garantia da Qualidade para Empresas de Software de Pequeno Porte

2.12- Criação/Implantação de Processo de Garantia da Qualidade para Empresas de Software de Pequeno Porte 2.12- Criação/Implantação de Processo de Garantia da Qualidade para Empresas de Software de Pequeno Porte O MPS.BR tem como foco, ainda que não exclusivo, atender a micro, pequenas e médias empresas de

Leia mais

Aula 03 Redes Industriais. Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves

Aula 03 Redes Industriais. Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves 1 Aula 03 Redes Industriais Informática Industrial II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Plano de aula Tópicos da aula: 1 Introdução 2 Benefícios na utilização de redes 3 Dificuldades na utilização de redes

Leia mais

A EMPRESA 1. HISTÓRICO 2. PRINCÍPIOS 3. EQUIPE TÉCNICA 4. ESPECIALIDADES / ÁREA DE ATUAÇÃO 5. PRINCIPAIS SERVIÇOS E PRODUTOS

A EMPRESA 1. HISTÓRICO 2. PRINCÍPIOS 3. EQUIPE TÉCNICA 4. ESPECIALIDADES / ÁREA DE ATUAÇÃO 5. PRINCIPAIS SERVIÇOS E PRODUTOS A EMPRESA 1. HISTÓRICO A ALFA ENGENHARIA é uma empresa de engenharia especializada em consultoria e projetos industriais de elétrica, instrumentação e automação. Sediada em Belo Horizonte, iniciou suas

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS

IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS CICLO DE VIDA DE PROJETOS (viabilidade até a entrega / iniciação ao encerramento) RELEVÂNCIA SOBRE AS AREAS DE CONHECIMENTO FATORES IMPACTANTES EM PROJETOS

Leia mais

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Lançamento amento do 6º 6 Ciclo de Qualificação do Prominp Coletiva de Imprensa Presidente Maria das Graças as Silva Foster Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Política de Conteúdo Local da Petrobras Aprovada

Leia mais

SIMULADO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS

SIMULADO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SIMULADO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1) O que é o processo de um projeto? a) A criação de um produto ou serviço. b) A elaboração progressiva resultando em um produto. c) Uma série de ações que geram um

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Você quer reduzir o custo com partidas de motores? TeSys U - Solução inteligente para partida de motores

Você quer reduzir o custo com partidas de motores? TeSys U - Solução inteligente para partida de motores Você quer reduzir o custo com partidas de motores? TeSys U - Solução inteligente para partida de motores Você quer reduzir o custo com partidas de motores? Opte pelo menor TCO*! Tente responder as seguintes

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

Visamos melhorar nossos relacionamentos aos clientes com base no melhor atendimento e redução de custos nas elaborações dos projetos.

Visamos melhorar nossos relacionamentos aos clientes com base no melhor atendimento e redução de custos nas elaborações dos projetos. PORTFÓLIO APRESENTAÇÃO A Empresa: Somos um grupo que presta serviços de Elétrica Predial e Industrial, abrangendo os polos Onshore e Offshore. Nosso objetivo é atender as necessidades das empresas de pequeno,

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

Automação Industrial AULA 13/08/2013. A pirâmide de automação OBJETIVO:

Automação Industrial AULA 13/08/2013. A pirâmide de automação OBJETIVO: AULA 13/08/2013 OBJETIVO: A pirâmide de automação A pirâmide de automação Fonte: www.smar.com A pirâmide de automação Enterprise Resource Planning http://www.administradores.com.br/mobile/artigos /marketing/erp-uma-tecnologia-para-gestao-ouautomacao/13985/

Leia mais

Curso de Engenharia. Formação Geral 1º e 2º anos

Curso de Engenharia. Formação Geral 1º e 2º anos Curso de Engenharia Formação Geral 1º e 2º anos DISCIPLINA 1º Bimestre Introdução à Engenharia Informática Matemática Produção de Textos 2º Bimestre Cálculo I Física I Inglês Metodologia Científica 3º

Leia mais

QUANTITATIVO PARA AQUISIÇÃO E INSTALAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS DE AUTOMAÇÃO LOCALIZADOS NOS AÇUDES PACAJUS E GAVIÃO

QUANTITATIVO PARA AQUISIÇÃO E INSTALAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS DE AUTOMAÇÃO LOCALIZADOS NOS AÇUDES PACAJUS E GAVIÃO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DOS RECURSOS HÍDRICOS COMPANHIA DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS - COGERH QUANTITATIVO PARA AQUISIÇÃO E INSTALAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS DE AUTOMAÇÃO LOCALIZADOS NOS AÇUDES PACAJUS

Leia mais

Consultoria e Tecnologia em Automação

Consultoria e Tecnologia em Automação ARTH ENGENHARIA - Consultoria em Engenharia, Controle e Tecnologia de Automação. Empresa Com a filosofia de associar inovação e experiência em seus projetos, a ARTH engenharia sempre contou com uma equipe

Leia mais

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro

Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas. Alexandre M. Carneiro Técnicas de Interfaceamento de Sinais em Áreas Classificadas Alexandre M. Carneiro Liderando aplicações Ex Experiência comprovada e de longo termo Certificação Internacional Grande variedade de produtos

Leia mais

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações Alessandro Trombeta Supervisor de Manutenção Valdemar Roberto Cremoneis Gerente Industrial Cocamar Cooperativa Agroindustrial

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Sumário. 8:30 h Avaliação de projetos (I-Níveis e tipos de Planejamento II Ferramentas de Planejamento (EAP, Gráfico de Gantt)

Sumário. 8:30 h Avaliação de projetos (I-Níveis e tipos de Planejamento II Ferramentas de Planejamento (EAP, Gráfico de Gantt) Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos Disciplina: Técnicas de Planejamento aplicadas ao projeto e manutenção de sistemas elétricos on e offshore) Professor: Ronaldo Camara Cavalcante Msc Engenharia

Leia mais

Consultoria: Alta Performance em Vendas

Consultoria: Alta Performance em Vendas MPRADO COOPERATIVAS Consultoria: Alta Performance em Vendas Apresentação: MPrado Consultoria Empresarial Uma das maiores consultorias em Agronegócio do Brasil; 15 anos de mercado; 70 Consultores em Gestão

Leia mais

BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM

BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM BMS - BUILDING MANAGEMENT SYSTEM ADKL.ZELLER 18 ANOS DE EXPERIÊNCIA; SOLUÇÕES EM ENGENHARIA ELÉTRICA E AUTOMAÇÃO DE A a Z; DESENVOLVEMOS TODAS AS ETAPAS DE UM PROJETO; DIVERSAS CERTIFICAÇÕES; LONGAS PARCERIAS

Leia mais

Treinamentos 2014. GE Intelligent Platforms

Treinamentos 2014. GE Intelligent Platforms Treinamentos 2014 GE Intelligent Platforms Curso de Configuração e Operação Painel de Operação IHM Quick Panel Permitir ao aluno conhecer o Painel de Operação Quick Panel View IHM, suas características

Leia mais

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível SEMINÁRIO JURÍDICO-FISCAL E WORKSHOP TÉCNICO DA 4 a RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP CAPACIDADE Clique para editar NACIONAL os estilos do texto DA mestre CADEIA Segundo DE nível SUPRIMENTO PARA PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

CEMEO - A INOVAÇÃO NO MONITORAMENTO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E COLETA COM FOCO NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO

CEMEO - A INOVAÇÃO NO MONITORAMENTO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E COLETA COM FOCO NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PNQS 2012 Categoria IGS Inovação da Gestão em Saneamento RDPG Relatório de Descrição de Prática de Gestão CEMEO - A INOVAÇÃO NO MONITORAMENTO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E COLETA COM FOCO NA GESTÃO DA

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

SOLUÇÕES INDUSTRIAIS

SOLUÇÕES INDUSTRIAIS Soluções em Tecnologia de Automação e Informação SOLUÇÕES INDUSTRIAIS LOGANN Soluções Especiais ESPECIALIDADES AUTOMAÇÃO E CONTROLE INDUSTRIAL Atuação em sistemas de controle, aquisição de dados e supervisão

Leia mais

1. A Pirâmide da Automação 2. Nível 1 O Chão de Fábrica. 3. Nível 2 Controle de Processos. 4. Nível 3 Supervisão e Geração de Relatórios

1. A Pirâmide da Automação 2. Nível 1 O Chão de Fábrica. 3. Nível 2 Controle de Processos. 4. Nível 3 Supervisão e Geração de Relatórios 1. A Pirâmide da Automação 2. Nível 1 O Chão de Fábrica 3. Nível 2 Controle de Processos 4. Nível 3 Supervisão e Geração de Relatórios 5. Nível 4 PPCP 6. Nível 5 Direção da Fábrica Direção da Empresa Nível

Leia mais

Serviços que superam as expectativas contribuem na produção ágil e segura.

Serviços que superam as expectativas contribuem na produção ágil e segura. A CRAFT ENGENHARIA E SERVIÇOS é uma empresa arrojada, dedicada a proporcionar solução e desenvolvimento em projeto, gerenciamento, serviços para empresas de Processo Industrial, Predial e Residencial.

Leia mais

Seminário MCT Resultados alcançados pelo C.E.S.A.R. Silvio Meira silvio@cesar.org.br

Seminário MCT Resultados alcançados pelo C.E.S.A.R. Silvio Meira silvio@cesar.org.br Seminário MCT Resultados alcançados pelo C.E.S.A.R Silvio Meira silvio@cesar.org.br O C.E.S.A.R Empresa sem fins lucrativos criada em 1996 por iniciativa do Centro de Informática da UFPE Um dos principais

Leia mais

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT

/ 2012_1 6 ( ) ADM ( ) ADM COMEX ( ) ADM MKT Disciplina: Gerenciamento de Projetos / 2012_1 Carga horária: 68h Curso/Semestre: 6 ( x ) ADM ( x ) ADM COMEX ( x ) ADM MKT Data de atualização: janeiro 2012 Núcleo: Operações e Logística Nucleador: Giovanni

Leia mais

Implementação de um sistema de Supervisão na Máquina de Solda na linha de Zincagem Contínua 2 da CSN

Implementação de um sistema de Supervisão na Máquina de Solda na linha de Zincagem Contínua 2 da CSN Implementação de um sistema de Supervisão na Máquina de Solda na linha de Zincagem Contínua 2 da CSN Gisele Tassinari Ribeiro (AEDB) Victor Carvalho Corrêa (AEDB) Arlei Barcelos (Prof. Orientador AEDB)

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 03

ESCLARECIMENTO Nº 03 PE.GCM.A.00130.2013 1/30 ESCLARECIMENTO Nº 03 FURNAS Centrais Elétricas S.A. comunica resposta ao pedido de esclarecimento sobre o Edital, efetuado por empresa interessada: 1. GERAL Entendemos que os Relés

Leia mais

1º Seminário do MBA Gestão Estratégica da Produção e Manutenção 1º COMPLEXO INTEGRADO ETANO - POLIETILENOS

1º Seminário do MBA Gestão Estratégica da Produção e Manutenção 1º COMPLEXO INTEGRADO ETANO - POLIETILENOS TERCEIRIZA 1º COMPLEXO INTEGRADO ETANO - POLIETILENOS Estrutura Acionária SUZANO 33,3% UNIPAR 33,3% PETROQUISA 16,7% BNDESPAR 16,7% RIOPOL - RIO POLÍMEROS S.A. Estrutura Financeira INVESTIMENTO Capital

Leia mais

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO Por que a HEAVYLOAD? Possibilidade garantida de contratar um único fornecedor com foco em: Gerenciamento dos Ativos; Desenvolvimento e implementação de novas tecnologias; Centro de Treinamento Próprio

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM MBA GERENCIAMENTO DE PROJETOS BRUNO ROBERTO DA SILVA CESAR HENRIQUE MACIEL RIBEIRO GUSTAVO HENRIQUE PINHEIRO RICARDO SALLUM DE SOUZA VITOR

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE No.: 1/2013

PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE No.: 1/2013 Nome do Projeto: Renovação da Frota Preparado por: Cibelle Dutra Veicular Gerente do Projeto: Karla Alamar Versão: 0 Data: 23/02/2013 1.0 VISÃO GERAL DA QUALIDADE 1.1 Marconi Cidrão foi designado como

Leia mais