ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XXI ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010"

Transcrição

1 ANO XXI ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS CAT - CADASTRO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Cuidados no Preenchimento da CAT - Obrigatoriedade - Prazo Para Comunicação à Previdência Social - Falta da Comunicação Pela Empresa - Multa - Segurados Que Têm Direito ao Auxílio-Acidente de Trabalho - Segurados Que Não Têm Direito ao Auxílio-Acidente de Trabalho - Tipos de CAT - Ocorrências a Serem Comunicadas - Empregado Aposentado - Doença Profissional - Comunicação de Óbito - Não Houve Afastamento do Empregado - Comunicação de Reabertura - Habilitação do Benefício Acidentário e Reabilitação Profissional - Quantidades de Vias - Preenchimento - Último Dia Trabalhado - Quadro I (Emitente) - Quadro II (Atestado Médico) - Quadro III (INSS) - Benefícios Pecuniários - Caracterização do Acidente - Modelo do Formulário CAT - Orientações de Preenchimento do Formulário CAT - Quadro I/Emitente - Informações Relativas ao Empregador - Informações Relativas ao Acidentado - Informações Relativas ao Acidente ou Doença - Informações Relativas às Testemunhas - Quadro II/Atestado Médico - Quadro III/INSS... ASSUNTOS TRABALHISTAS AS ACORDO DE PRORROGAÇÃO DE HORAS EXTRAS - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Acordo de Prorrogação de Horas - Acordo Por Escrito - Acordo Coletivo ou Convenção Coletiva - Requisitos - Parcelas Discriminadas - Prazo Determinado ou Indeterminado - Prorrogação da Jornada Diária - Anotação no Registro do Empregado - Necessidade Imperiosa - Acordo de Compensação e Prorrogação Simultâneos - Vedado - Vedado Prorrogação do Trabalho do Menor - Situações Permitidas - Licença Prévia Para Atividades Insalubres - Turnos Ininterruptos de Revezamento - Penalidades/Multas Administrativas - Modelos de Acordo de Prorrogação... Pág. 650 Pág. 642

2 NOVEMBRO - Nº 47/2010 TRABALHO E PREVIDÊNCIA ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS Sumário CAT - CADASTRO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO Considerações 1. Introdução 2. Conceito 3. Cuidados no Preenchimento da CAT 4. Obrigatoriedade Prazo Para Comunicação à Previdência Social Falta da Comunicação Pela Empresa Multa 5. Segurados Que Têm Direito ao Auxílio-Acidente de Trabalho 6. Segurados Que Não Têm Direito ao Auxílio-Acidente de Trabalho 7. Tipos de CAT 8. Ocorrências a Serem Comunicadas Empregado Aposentado Doença Profissional Comunicação de Óbito Não Houve Afastamento do Empregado Comunicação de Reabertura Habilitação do Benefício Acidentário e Reabilitação Profissional 9. Quantidades de Vias 10. Preenchimento Último Dia Trabalhado Quadro I (Emitente) Quadro II (Atestado Médico) Quadro III (INSS) 11. Benefícios Pecuniários 12. Caracterização do Acidente 13. Modelo do Formulário CAT 14. Orientações de Preenchimento do Formulário CAT Quadro I - Emitente Informações Relativas ao Empregador Informações Relativas ao Acidentado Informações Relativas ao Acidente ou Doença Informações Relativas às Testemunhas Quadro II - Atestado Médico Quadro III - INSS 1. INTRODUÇÃO A Constituição Federal/1988, artigo 7º, inciso XXVIII, garante ao empregado seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa. A CAT - Comunicação de Acidente do Trabalho foi prevista inicialmente na Lei nº 5.316/1967, com todas as alterações ocorridas posteriormente até a Lei nº 9.032/1995 e regulamentada pelo Decreto nº 2.172/1997. A Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, determina, no seu artigo 22, que todo acidente do trabalho ou doença profissional deverá ser comunicado pela empresa ao INSS, sob pena de multa em caso de omissão. Art A empresa deverá comunicar o acidente do trabalho à Previdência Social até o 1º (primeiro) dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, de imediato, à autoridade competente, sob pena de multa variável entre o limite mínimo e o limite máximo do salário-decontribuição, sucessivamente aumentada nas reincidências, aplicada e cobrada pela Previdência Social. Cabe ressaltar a importância da comunicação, principalmente o completo e exato preenchimento do formulário, tendo em vista as informações nele contidas, não apenas do ponto de vista previdenciário, estatístico e epidemiológico, mas também trabalhista e social. 2. CONCEITO A CAT - Comunicação de Acidente de Trabalho é um formulário ou documento que a empresa deverá preencher comunicando o acidente do trabalho, ocorrido com seu empregado ou mesmo a ocorrência do agravamento de doença ocupacional, mesmo que não tenha sido determinado o afastamento do trabalho, ou seja, havendo ou não afastamento, sendo seu registro fundamental para a geração de análises estatísticas que avaliam o grau de acidentabilidade existente nas empresas e para a adoção das medidas preventivas e repressivas cabíveis. 3. CUIDADOS NO PREENCHIMENTO DA CAT Em face dos aspectos legais envolvidos, recomendase que sejam tomadas algumas precauções para o preenchimento da CAT, dentre elas: a) não assinar a CAT em branco; b) ao assinar a CAT, verificar se todos os itens de identificação foram devida e corretamente preenchidos; c) o atestado médico da CAT é de competência única e exclusiva do médico; d) o preenchimento deverá ser feito à máquina ou em letra de forma, de preferência com caneta esferográfica; e) não conter emendas ou rasuras; f) evitar deixar campos em branco; g) apresentar a CAT, impressa em papel, em 2 (duas) vias, ao INSS, que reterá a primeira via, observada a destinação das demais vias; h) o formulário Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT poderá ser substituído por impresso da própria empresa, desde que esta possua sistema de informação de pessoal mediante processamento eletrônico, cabendo observar que o formulário substituído deverá ser emitido por computador e conter todas as informações exigidas 650

3 TRABALHO E PREVIDÊNCIA pelo INSS. 4. OBRIGATORIEDADE A CAT deve ser emitida mesmo nos casos em que não acarrete incapacidade laborativa para fins de registro e não necessariamente para o afastamento do trabalho. O Decreto nº 3.048/1999, artigo 336, determina que para fins estatísticos e epidemiológicos, a empresa deverá comunicar o acidente de que tratam os artigos 19, 20, 21 e 23 da Lei nº 8.213, de E ressaltando que dentre esses acidentes que constam nos artigos mencionados se encontram incluídas as doenças do trabalho nas quais se enquadram as LER/DORT Prazo Para Comunicação à Previdência Social A empresa deverá comunicar o acidente do trabalho, ocorrido com seu empregado, havendo ou não afastamento do trabalho, até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, de imediato à autoridade competente (Lei nº 8.213, artigo 22) Falta da Comunicação Pela Empresa Na falta de comunicação por parte da empresa, podem formalizá-la o próprio acidentado, seus dependentes, o sindicato da categoria, o médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública. E no caso de segurado especial, a CAT poderá ser formalizada pelo próprio acidentado ou dependente, pelo médico responsável pelo atendimento, pelo sindicato da categoria ou autoridade pública. São autoridades públicas reconhecidas para esta finalidade: os magistrados em geral, os membros do Ministério Público e dos Serviços Jurídicos da União e dos Estados, os comandantes de unidades militares do Exército, Marinha, Aeronáutica e Forças Auxiliares (Corpo de Bombeiros e Polícia Militar). Decreto nº 3.048/1999, artigo 336, 3º - Na falta de comunicação por parte da empresa, ou quando se tratar de segurado especial podem formalizá-la o próprio acidentado, seus dependentes, a entidade sindical competente, o médico que o assistiu ou qualquer autoridade pública, não prevalecendo nestes casos o prazo previsto neste artigo. (Redação dada pelo Decreto nº 4.032/2001) Da comunicação do acidente através da CAT receberão cópia fiel o acidentado ou seus dependentes, bem como o sindicato a que corresponda a sua categoria (Decreto nº 3.048/1999, artigo 336, 1º). Importante: Falta da comunicação por parte do empregador não exime a empresa da responsabilidade pela falta de emissão da CAT (Decreto nº 3.048/1999, artigo 336, 4º) Multa Ocorrendo o acidente de trabalho, independentemente NOVEMBRO - Nº 47/2010 de afastamento ou não é obrigatória a emissão da CAT por parte do empregador, sob pena de multa pelo Ministério do Trabalho, que pode variar entre 630 (seiscentos e trinta) e (seis mil, trezentos e quatro) UFIR, dependendo da gravidade apurada pelo órgão fiscalizador. Decreto nº 3.048/1999, artigo 336, 2º - Na falta do cumprimento do comunicado da CAT, caberá ao setor de s do Instituto Nacional do Seguro Social comunicar a ocorrência ao setor de fiscalização, para a aplicação e cobrança da multa devida. 5. SEGURADOS QUE TÊM DIREITO AO AUXÍLIO- ACIDENTE DE TRABALHO As prestações relativas ao acidente do trabalho são devidas (Decreto nº 3.048/1999, artigo 336): a) ao empregado; b) ao trabalhador avulso; c) ao médico-residente (Lei nº 8.138, de ); d) ao segurado especial. 6. SEGURADOS QUE NÃO TÊM DIREITO AO AUXÍLIO- ACIDENTE DE TRABALHO Não são devidas as prestações relativas ao acidente do trabalho: a) ao empregado doméstico; b) ao empresário: titular de firma individual urbana ou rural, diretor não empregado, membro de conselho de administração de sociedade anônima, sócios que não tenham, na empresa, a condição de empregado; c) ao autônomo e outros equiparados; d) ao facultativo; e) aposentado, a partir de , o aposentado por tempo de serviço, especial ou idade, pelo Regime Geral de Previdência Social - RGPS que permanecer ou retornar à atividade sujeita a este regime, não fará jus a prestação alguma da Previdência Social em decorrência do exercício dessa atividade, exceto ao salário-família e à reabilitação profissional. Decreto nº 3.048/1999, artigo Para fins estatísticos e epidemiológicos, a empresa deverá comunicar à previdência social o acidente ocorrido com o segurado empregado, exceto o doméstico, e o trabalhador avulso 7. TIPOS DE CAT a) CAT inicial; b) CAT reabertura; 649

4 NOVEMBRO - Nº 47/2010 c) CAT comunicação de óbito. 8. OCORRÊNCIAS A SEREM COMUNICADAS Deverão ser comunicadas ao INSS, mediante formulário Comunicação de Acidente do Trabalho - CAT, as seguintes ocorrências (Lei nº 8.213/1991, artigos 19, 20, 21 e 23): a) acidente do trabalho, típico ou de trajeto, ou doença profissional ou do trabalho (CAT inicial); b) reinício de tratamento ou afastamento por agravamento de lesão de acidente do trabalho ou doença profissional ou do trabalho, já comunicado anteriormente ao INSS (CAT reabertura); c) falecimento decorrente de acidente ou doença profissional ou do trabalho, ocorrido após a emissão da CAT inicial, fazer o CAT comunicação de óbito Empregado Aposentado É obrigatória a emissão da CAT relativa ao acidente ou doença profissional ou do trabalho ocorrido com o aposentado por tempo de serviço ou idade, que permaneça ou retorne à atividade após a aposentadoria, embora não tenha direito a s pelo INSS em razão do acidente, salvo a reabilitação profissional Doença Profissional No caso de doença profissional ou do trabalho, a CAT deverá ser emitida após a conclusão do diagnóstico Comunicação de Óbito O óbito decorrente de acidente ou doença ocupacional, ocorrido após a emissão da CAT inicial ou da CAT reabertura, será comunicado ao INSS através da CAT comunicação de óbito, constando a data do óbito e os dados relativos ao acidente inicial. Anexar a certidão de óbito e, quando houver, o laudo de necropsia Não Houve Afastamento do Empregado É importante ressaltar que a CAT deverá ser emitida para todo acidente ou doença relacionados ao trabalho, ainda que não haja afastamento ou incapacidade. Jurisprudência: ACIDENTE: EMPRESA DEVE EMITIR CAT MESMO SEM AFASTAMENTO DO EMPREGADO. Ocorrendo acidente de trabalho, ainda que o empregado não se afaste de suas atividades, cabe à empresa emitir a CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho), sob pena de multa. A decisão é da 7ª Turma do TRT/MG, com base em voto da Juíza convocada Maristela Íris da Silva Malheiros, ao negar provimento a TRABALHO E PREVIDÊNCIA recurso de empresa que protestava contra a determinação de emissão da CAT, argumentando que o fato ocorrido com o reclamante não causou nenhuma lesão ou perda de capacidade laborativa, sequer ficando caracterizado como acidente. Mas a perícia constatou que o reclamante sofreu choque elétrico em alto forno com necessidade de atendimento médico e observação, sem afastamento do trabalho. O perito concluiu também pela inexistência de nexo causal entre o acidente e a incapacidade auditiva do autor, que já apresentava essa deficiência anteriormente. Ficou, portanto, comprovado que houve, sim, o acidente alegado, sendo obrigatória a emissão da CAT. Embora o reclamante não tenha sido afastado do trabalho e não haja nexo causal com a sua perda auditiva, a emissão da CAT é necessária para fins estatísticos e epidemiológicos, de acordo com a Instrução Normativa no. 98 INSS/DC de , Seção II, item 3 esclarece a relatora. Processo: (RO) Comunicação de Reabertura As reaberturas deverão ser comunicadas ao INSS pela empresa ou beneficiário, quando houver reinício de tratamento ou afastamento por agravamento de lesão de acidente do trabalho ou doença ocupacional comunicado anteriormente ao INSS. Na CAT de reabertura deverão constar as mesmas informações da época do acidente, exceto quanto ao afastamento, último dia trabalhado, atestado médico e data da emissão, que serão relativos à data da reabertura Habilitação do Benefício Acidentário e Reabilitação Profissional O acidente do trabalho será caracterizado tecnicamente pela perícia médica do INSS, mediante a identificação do nexo entre o trabalho e o agravo (Decreto nº 3.048/1999, artigo 337, 1º e 2º) O setor de s do Instituto Nacional do Seguro Social reconhecerá o direito do segurado à habilitação do acidentário. Será considerado agravamento do acidente aquele sofrido pelo acidentado quando estiver sob a responsabilidade da reabilitação profissional. 9. QUANTIDADES DE VIAS A comunicação será feita ao INSS por intermédio do formulário CAT, preenchido em 6 (seis) vias, com a seguinte destinação: a) 1ª via - ao INSS; b) 2ª via - à empresa; c) 3ª via - ao segurado ou dependente; d) 4ª via - ao sindicato de classe do trabalhador. Obs.: Quantidade de vias alterada pela Instrução 648

5 TRABALHO E PREVIDÊNCIA Normativa INSS nº 45/ PREENCHIMENTO Último Dia Trabalhado O último dia trabalhado deverá ser informado a data do último dia em que efetivamente houve trabalho do acidentado, ainda que a jornada não tenha sido completa. Lei nº 8.213/1991, artigo 23. Considera-se como dia do acidente, no caso de doença profissional ou do trabalho, a data do início da incapacidade laborativa para o exercício da atividade habitual, ou o dia da segregação compulsória, ou o dia em que for realizado o diagnóstico, valendo para este efeito o que ocorrer primeiro Quadro I (Emitente) Referente ao quadro I (Emitente), são informações relativas ao empregador ou o responsável pelo preenchimento. Informar no campo demarcado o dígito que especifica o responsável pela emissão da CAT, sendo (Campo 1 - Emitente): a) empregador; b) sindicato; c) médico assistente; d) segurado ou seus dependentes; r) autoridade pública Quadro II (Atestado Médico) Referente ao quadro II, onde se trata do atestado médico deverá ser preenchido por profissional médico. Observação: No caso de acidente com morte, o preenchimento é dispensável, devendo ser apresentada a certidão de óbito e, quando houver, o laudo de necropsia. Deverá informar o local e a data do atendimento médico. E a assinatura e carimbo do médico com CRM - apor assinatura, carimbo e CRM do médico responsável Quadro III (INSS) Referente ao quadro III, os campos são de uso exclusivo do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS. 11. BENEFÍCIOS PECUNIÁRIOS A renda mensal do de prestação continuada será calculada aplicando-se sobre o salário-de-, conforme quadro abaixo, referente aos s NOVEMBRO - Nº 47/2010 pecuniários (Decreto nº 3.048/1999, artigo 39, e Manual da CAT - Previdência Social): BENEFÍCIOS BENEFICIÁRIOS CONDIÇÕES P/ CONCESSÃO Auxíliodoença Acidentado do - afastamento do trabalho trabalho por (esp.91) incapacidade Aposentadori Acidentado do a por trabalho invalidez (esp.92) Auxílio Acidente (esp.94) Pensão (esp.93) Acidentado do trabalho Dependentes do Acidentado do trabalho laborativa temporária por acidente do trabalho. DATA DE INÍCIO - 16º dia de afastamento consecutivo para empregado; - data do afastamento demais segurados. - afastamento do - no dia em que o trabalho por auxílio-doença teria invalidez acidentaria. início; ou - no dia seguinte à cessação do auxíliodoença. -redução da - dia seguinte a capacidade cessação do auxíliodoença. laborativa por lesão acidentaria. -morte por acidente do trabalho. - data do óbito; ou - data da entrada do requerimento quando requerida após 30 dias do óbito. 12. CARACTERIZAÇÃO DO ACIDENTE Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta Lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho (Lei nº 8.213/ 1991, artigo 19). A caracterização do acidente constará no campo de responsabilidade do INSS, constante na CAT, após análise administrativa dos dados sobre o acidentado e das circunstâncias da ocorrência e o devido enquadramento nas situações previstas na Legislação pertinente (Lei nº 8.213/1991), quando o INSS responderá o quesito É reconhecido o direito do segurado à habilitação ao acidentário?. Decreto nº 3.048/1999, artigo 337 -O acidente do trabalho será caracterizado tecnicamente pela perícia médica do INSS, mediante a identificação do nexo entre o trabalho e o agravo. 5º - Reconhecidos pela perícia médica do INSS a incapacidade para o trabalho e o nexo entre o trabalho e o agravo, na forma do 3, serão devidas as prestações acidentárias a que o beneficiário tenha direito.. Os acidentes são classificados em três tipos: a) Cód.1 - acidente típico (o que ocorre a serviço da empresa); b) Cód.2 - doença profissional ou do trabalho; c) Cód.3 - acidente do trajeto (o que ocorre no percurso residência ou refeição para o local de trabalho e vice-versa). 13. MODELO DO FORMULÁRIO CAT DATA DA CESSAÇÃO - morte; - concessão de auxílio-acidente ou aposentadoria; -cessação da incapacidade; - alta médica; - volta ao trabalho. - morte; -cessação da invalidez; - volta ao trabalho. -concessão de aposentadoria; - óbito. -morte do dependente; -cessação da qualidade de dependente. VALOR 91% do 100% do 50% do 100% do Portaria nº 5.051, de 26 de fevereiro de 1999, revogada pela Portaria MPAS nº 5.817, de 06 de outubro de

6 NOVEMBRO - Nº 47/2010 TRABALHO E PREVIDÊNCIA 646

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO O QUE É É o que ocorre pelo exercício da atividade a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou perda ou redução, permanente

Leia mais

EMENTA: Na falta da comunicação de

EMENTA: Na falta da comunicação de PARECER CONSULTA Nº 02/2015 CRM/PA - PROCESSO CONSULTA Nº 014/2014 PROTOCOLO Nº 5684/2014 INTERESSADO: A.C.P.C. PARECERISTA: CONSELHEIRA MARIA CRISTINA V. CHEGÃO M. ROCHA. EMENTA: Na falta da comunicação

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO CAT

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO CAT MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO CAT Maio/99 MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO CAT I Apresentação. II Recomendações

Leia mais

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis:

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis: Telefones úteis: Perguntas e Respostas sobre a CAT SUBDELEGACIA DO TRABALHO: (19) 3433-9563 INSS: 0800-780191 / 135 MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO: (19) 3796-9600 DELEGACIA SECCIONAL: (19) 3434-4133 SERVIÇO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA INSS Nº 31, DE 10 DE SETEMBRO DE 2008 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Previdenciário, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Lei nº 8.212, de

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO Conselho Federal de Medicina (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica

Leia mais

NOTA TÉCNICA 034/2000

NOTA TÉCNICA 034/2000 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO COORDENAÇÃO DE NORMALIZAÇÃO Brasília, 20 de julho de 2000. NOTA TÉCNICA 034/2000 ASSUNTO:

Leia mais

Visando propiciar melhor entendimento das normas que regem as operações em Intercâmbio, é indispensável a leitura dos seguintes conceitos básicos:

Visando propiciar melhor entendimento das normas que regem as operações em Intercâmbio, é indispensável a leitura dos seguintes conceitos básicos: 1. COMUNICAÇÃO DO ACIDENTE DO TRABALHO (CAT) 1.1. RESPONSABILIDADES DA EMPRESA/ EMPREGADO Visando propiciar melhor entendimento das normas que regem as operações em Intercâmbio, é indispensável a leitura

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM) RESOLUÇÃO CFM nº 1488/1988 É responsabilidade do médico estabelecer a relação causal ou o nexo técnico entre a doença e o trabalho História clínica e ocupacional Exame

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16/INSS/PRES, DE 27 DE MARÇO DE 2007 Dispõe sobre procedimentos e rotinas referentes ao Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário NTEP, e dá outras providências. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL:

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

19/02/2015. Auxílio Doença

19/02/2015. Auxílio Doença Lei 8213/91 (alterada pela MP 664) Auxílio Doença Art. 60. O auxílio-doença será devido ao segurado que ficar incapacitado para seu trabalho ou sua atividade habitual, desde que cumprido, quando for o

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque.

Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem. destaque. Alterações no auxílio doença e trabalho e regras do seguro desemprego -Uma abordagem empresarial dos temas em destaque. Professora: Luciana Saldanha Advogada, especialista em direito trabalhista e previdenciário.

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário 2º Encontro Teoria Básica dos Benefícios Previdenciários do RGPS Requisitos para a concessão de benefícios previdenciários 1) Requisitos Genéricos a) Adquirir

Leia mais

Orientações sobre conduta em caso de acidente em serviço ou do trabalho

Orientações sobre conduta em caso de acidente em serviço ou do trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PROGEPE PRO REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS CASQ COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DPVS DIVISÃO DE PROMOÇÃO E VIGILÂNCIA DA SAÚDE STSO SEÇÃO DE SEGURANÇA

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e, DECRETO N.º 2297 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Dispõe sobre procedimentos para concessão de licenças médicas para os servidores públicos

Leia mais

LEGISLAÇÃO. Inscrição e Filiação: Artigo 17 da Lei 8213/91; Artigo 18 do Decreto 3048/99; Artigo 3º e seguintes da IN 77

LEGISLAÇÃO. Inscrição e Filiação: Artigo 17 da Lei 8213/91; Artigo 18 do Decreto 3048/99; Artigo 3º e seguintes da IN 77 FILIAÇÃO É o vínculo que as pessoas estabelecem com a Previdência Social a partir do momento em que passam a exercer uma atividade remunerada ou a recolher as contribuições previdenciárias. Com a filiação,

Leia mais

ACIDENTE DO TRABALHO - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas. Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 23/08/2011.

ACIDENTE DO TRABALHO - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas. Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 23/08/2011. ACIDENTE DO TRABALHO - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 23/08/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Acidente do Trabalho 2.1 - Doença Profissional

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

A Constituição Federal88 determina em seu art. 201 a garantia do benefício de salário-família aos trabalhadores de baixa renda.

A Constituição Federal88 determina em seu art. 201 a garantia do benefício de salário-família aos trabalhadores de baixa renda. SALÁRIO-FAMÍLIA - Considerações Gerais Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 07/05/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Salário-Família 3 - Beneficiários 3.1 - Filho - Equiparação 3.2 - Verificação

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

Nesse comentário analisaremos as regras e os procedimentos para as empresas cumprirem com essa obrigação.

Nesse comentário analisaremos as regras e os procedimentos para as empresas cumprirem com essa obrigação. COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO - Considerações Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 27/11/2012. Sumário: 1 - Introdução 2 - Acidente de Trabalho 2.1 - Doença Profissional ou do Trabalho

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL SUMÁRIO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL SUMÁRIO VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO 1. Direitos Constitucionais ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL SUMÁRIO Orientador Empresarial 2. Caracterização do Acidente do Trabalho 2.1

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL

COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL NORMA INTERNA NA OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DE TRABALHO 2012 1 SUMÁRIO I Apresentação 03 II Objetivo 03 III Informações gerais 04 IV- Preenchimento

Leia mais

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS MÓDULO 7 BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 7.1 ACIDENTE DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS ÍNDICE ASSUNTO PÁGINA 7.1. ACIDENTE DO TRABALHO 3 7.1.1. INTRODUÇÃO 3 7.1.2. ACIDENTE DO TRABALHO

Leia mais

RESOLUÇÃO SS Nº 587, de 18 de novembro de 1994

RESOLUÇÃO SS Nº 587, de 18 de novembro de 1994 RESOLUÇÃO SS Nº 587, de 18 de novembro de 1994 Aprova Instrução Normativa que regulamenta a Notificação e o Fluxo de Acidentes do Trabalho, no âmbito do Estado de São Paulo. O Secretário da Saúde Considerando

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO 1 - DEFINIÇÃO 1.1 - Acidente de trabalho Qualquer prejuízo à saúde ou integridade física do trabalhador ocorrida no trabalho ou em decorrência do trabalho. 1.1.1 - Acidente Típico Acidente que ocorre numa

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO - Procedimentos de Comunicação ao MPS e ao MTE

ACIDENTE DE TRABALHO - Procedimentos de Comunicação ao MPS e ao MTE ACIDENTE DE TRABALHO - Procedimentos de Comunicação ao MPS e ao MTE Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 12/05/2014. Sumário: 1 - Introdução 2 - Acidente de Trabalho 2.1 - Doença Profissional

Leia mais

Previdência Social sob a forma de Regime Geral

Previdência Social sob a forma de Regime Geral Previdência Social sob a forma de Regime Geral Estrutura do Sistema Previdenciário no Brasil Regime Geral de Previdência Social (RGPS) Administrado pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); Obrigatório,

Leia mais

ACIDENTES DO TRABALHO. Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas. Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.

ACIDENTES DO TRABALHO. Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas. Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv. ACIDENTES DO TRABALHO Caracterização administrativa e repercussões previdenciárias e trabalhistas Cláudia Salles Vilela Vianna claudia@vvf.adv.br Acidente do Trabalho Lei 8.213/91, art. 19: Ocorre pelo

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 13/10/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Aposentadoria por Invalidez 2.1 - Concessão

Leia mais

Orientações Básicas ao Trabalhador sobre Questões Previdenciárias Envolvendo Afastamento do Trabalho

Orientações Básicas ao Trabalhador sobre Questões Previdenciárias Envolvendo Afastamento do Trabalho Orientações Básicas ao Trabalhador sobre Questões Previdenciárias Envolvendo Afastamento do Trabalho 2 Orientações Básicas ao Trabalhador sobre Questões INSS: O bancário/a deve buscar tratamento médico

Leia mais

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

Quais os documentos exigidos para a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição?

Quais os documentos exigidos para a concessão da aposentadoria por tempo de contribuição? Aposentadoria por Tempo de Contribuição Quem tem direito? Para ter direito à aposentadoria integral o trabalhador homem deve comprovar pelo menos 35 anos de contribuição e a trabalhadora mulher, 30 anos.

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO Definição: Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, de caráter temporário ou permanente.

Leia mais

Acidente no Trabalho. Telmo Francisco C. Cirne Jr. Advogado Especialista em Direito Civil e Direito do Trabalho. 24/04/2013

Acidente no Trabalho. Telmo Francisco C. Cirne Jr. Advogado Especialista em Direito Civil e Direito do Trabalho. 24/04/2013 Acidente no Trabalho Telmo Francisco C. Cirne Jr. Advogado Especialista em Direito Civil e Direito do Trabalho. 24/04/2013 Atual panorama da Justiça do Trabalho (empresa x empregador): a) Defere indenização

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

Categorias de Segurados

Categorias de Segurados INSTITUTO NACIONAL DA SEGURALIDADE SOCIAL - INSS A Previdência Social é o seguro social para a pessoa que contribui. É uma instituição pública que tem como objetivo reconhecer e conceder direitos aos seus

Leia mais

Disciplina: Saúde e Trabalho

Disciplina: Saúde e Trabalho Disciplina: Saúde e Trabalho AULA: ACIDENTES DE TRABALHO Isabel Braga Rio de Janeiro Setembro / 2010 Definição: Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, ou ainda

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde

Caro colega. Gustavo Moreno Frias Diretor de Saúde Caro colega Nesta Cartilha estão as principais perguntas sobre LER, CAT e Direitos, que os bancários fazem seja por telefone ou contato direto no local de trabalho. É um verdadeiro guia rápido e contou

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

Dr. José Carlos Steola

Dr. José Carlos Steola n t e p f a p r a t (s a t) Dr. José Carlos Steola Médico do Trabalho Coordenador do Depto de Proteção no Trabalho ( UNIMED de Araras) Médico do Trabalho da Usina Sta Lúcia Araras Médico Coordenador de

Leia mais

ACIDENTES DO TRABALHO SMS

ACIDENTES DO TRABALHO SMS ACIDENTES DO TRABALHO SMS Acidente do trabalho CONCEITO LEGAL: De acordo com o Art. 19 da Lei 8.213/91: Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão

Leia mais

AUXÍLIO-DOENÇA. Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI

AUXÍLIO-DOENÇA. Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI AUXÍLIO-DOENÇA Prof. DANILO CÉSAR SIVIERO RIPOLI Lei nº. 8.213/91, art. 59 à 63 e RPS, art. 71 à 80. Contingência: incapacidade temporária do segurado para o seu trabalho habitual. Porém, somente será

Leia mais

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE

BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE BENEFÍCIOS POR INCAPACIDADE Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo

XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica. Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo INSS - DIRETORIA DE BENEFÍCIOS XVII Congresso Brasileiro de Perícia Médica Isenção de Carência do INSS Temporário x Definitivo Filomena Maria Bastos Gomes Coordenadora Geral de Benefícios por Incapacidade

Leia mais

PROCESSO: 0046800-32.2006.5.01.0064 RO

PROCESSO: 0046800-32.2006.5.01.0064 RO Acórdão 10a Turma RECURSO ORDINÁRIO. DOENÇA PROFISSIONAL. AUSÊNCIA DO NEXO DE CAUSALIDADE. PROVA PERICIAL. Para se reconhecer a doença profissional, o que é possível mesmo após a ruptura do contrato, ainda

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO

ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTES DE TRABALHO CONCEITOS Acidente de trabalho é uma ocorrência imprevista e indesejável, instantânea ou não, relacionada com o exercício do trabalho, que provoca lesão pessoal ou de que decorre

Leia mais

SEGURO-DESEMPREGO - EMPREGADO DOMÉSTICO - Considerações

SEGURO-DESEMPREGO - EMPREGADO DOMÉSTICO - Considerações SEGURO-DESEMPREGO - EMPREGADO DOMÉSTICO - Considerações Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 26/10/2012. Sumário: 1 - Introdução 2 - Seguro-Desemprego 3 - Finalidade 4 - Requisitos 4.1

Leia mais

AUXÍLIO-ACIDENTE LABORAL

AUXÍLIO-ACIDENTE LABORAL AUXÍLIO-ACIDENTE LABORAL SILVA, José Arnaldo (G/FACINAN) 1 MARTINS, Eduardo (D/FACINAN/FENA/FANOVA/FINAV) 2 RESUMO: O presente artigo aborda uma temática de caráter informativo acerca dos critérios da

Leia mais

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DECRETO Nº 5.545, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23-09-2005 Altera dispositivos do Regulamento da Previdência Social, aprovado pelo Decreto nº 3.048, de 6 de maio de 1999, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Professor Cláudio José Vistue Rios E-mail: claudiorios05@hotmail.com APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CF 05/10/1988 Art. 201 1º; Lei

Leia mais

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015

ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/2015 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/2015 ALTERAÇÕES DIREITO PREVIDENCIÁRIO LEI N.º 13.135/215 E MEDIDA PROVISÓRIA N.º 676/215 1. Na Lei n.º 8.213/1991 foi alterada a definição dos dependentes da 3.ª Classe: Art. 16. São beneficiários do Regime

Leia mais

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais

O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico (NTE) - Leonardo Bianchini Morais MORAIS, Leonardo Bianchini. O Fator Acidentário Previdenciário (FAP) e o Nexo Técnico Epidemiológico

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 253 DE 4 DE OUTUBRO DE 2000

RESOLUÇÃO Nº 253 DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 RESOLUÇÃO Nº 253 DE 4 DE OUTUBRO DE 2000 Estabelece procedimentos para a concessão do benefício do Seguro-Desemprego ao Empregado Doméstico. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador CODEFAT,

Leia mais

Orientação Básica e Dúvidas Comuns sobre Licenças para Tratamento de Saúde 1ª Edição

Orientação Básica e Dúvidas Comuns sobre Licenças para Tratamento de Saúde 1ª Edição Orientação Básica e Dúvidas Comuns sobre Licenças para Tratamento de Saúde 1ª Edição Belo Horizonte 2015 Introdução O material aqui apresentado foi baseado na legislação e orientações de serviço vigentes

Leia mais

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços

PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS. Benefícios e Serviços Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 20 PRESTAÇÕES BENEFICIÁRIAS Benefícios e Serviços As prestações compreendidas pelo Regime Geral de Previdência Social são expressas em benefícios

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54)

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54) INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54) Dispõe sobre os procedimentos operacionais a serem adotados pelas Unidades de

Leia mais

Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Fator Acidentário de Prevenção - FAP Fator Acidentário de Prevenção - FAP Lei nº 10.666 De 8 de maio de 2003. quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010 Constituição Federal Direitos e Garantias Fundamentais (Título II) Direitos Sociais (Capítulo

Leia mais

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é?

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? Documento histórico-laboral do trabalhador que reúne informações administrativas, ambientais e biológicas, durante todo o período em que prestou serviço para

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A doença do empregado e o contrato de trabalho Rodrigo Ribeiro Bueno*. A COMPROVAÇÃO DA DOENÇA DO EMPREGADO A justificação da ausência do empregado motivada por doença, para a percepção

Leia mais

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014

SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di Informativo 01/2015 SALÁRIO MÍNIMO NOVO VALOR A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2015 DECRETO Nº 8.381 - DOU de 30.12.2014 Foi publicado no Diário Oficial da

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S QUEM É SEGURADO PELO INSS? É toda pessoa que contribui para a Previdência Social, mantida pelo INSS. Podem também ser beneficiários do Regime Geral da Previdência

Leia mais

2 Evolução Legislativa da Previdência Social no Brasil, 4 Quadro esquemático, 8 Questões, 12

2 Evolução Legislativa da Previdência Social no Brasil, 4 Quadro esquemático, 8 Questões, 12 Nota, xi 1 Origens da Seguridade Social, 1 1.1 Poor Law, 1 1.2 Seguros privados, 2 1.3 Seguros sociais, 2 Quadro esquemático, 3 2 Evolução Legislativa da Previdência Social no Brasil, 4 Quadro esquemático,

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO. Repercussão Trabalhista, Previdenciária, Cível e Penal

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO. Repercussão Trabalhista, Previdenciária, Cível e Penal SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Repercussão Trabalhista, Previdenciária, Cível e Penal ÓBITOS NO MUNDO METODOLOGIA OIT BRASIL - 2009 92,7 milhões 2.496 ÓBITOS 2,693 BRASIL - 2008 92,4 milhões 2.817 ÓBITOS

Leia mais

A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de. Constituem motivos justificados:

A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de. Constituem motivos justificados: Abono de faltas e a acreditação na avaliação médica. A Lei 605/49, no artigo12, parágrafos 1º e 2º, dispõe sobre as formas de abono de faltas mediante atestado médico: Constituem motivos justificados:

Leia mais

Curso Plano de Benefícios da Previdência Social. Prof. Roberto de Carvalho Santos

Curso Plano de Benefícios da Previdência Social. Prof. Roberto de Carvalho Santos Curso Plano de Benefícios da Previdência Social Prof. Roberto de Carvalho Santos FILIAÇÃO/INSCRIÇAO DO BENEFICIÁRIO AO RGPS 2 FILIAÇÃO DO SEGURADO Afiliaçãoéovínculoqueseestabelece entre pessoas que contribuem

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S

A D V O G A D O S A S S O C I A D O S A D V O G A D O S A S S O C I A D O S O QUE DEVO SABER SOBRE ACIDENTES DE TRABALHO Acidentes de Trabalho são aqueles que ocorrem durante o período no qual o trabalhador está exercendo a atividade que lhe

Leia mais

PROGEPE. Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas

PROGEPE. Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas PROGEPE Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Apresentação A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, através da Equipe de Segurança do Trabalho da UNIFAL-MG, elaborou este manual com o objetivo de esclarecer dúvidas

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso III do 4º do art. 40 da Constituição, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial ao servidor público titular de cargo efetivo cujas atividades

Leia mais

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes.

Tem direito aos benefícios previdenciários os BENEFICIÁRIOS, ou seja, todos os segurados e seus dependentes. CARTILHA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO O REGIME GERAL DA PREVIDENCIA SOCIAL É REGIDO PELAS LEIS 8.212 E 8.213/91 E TEM POR FINALIDADE ASSEGURAR À SEUS FILIADOS RECEBER BENEFÍCIOS QUE SUBSTITUAM SUA RENDA.

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Alameda Montevideu, 244 - Bairro Nossa Srª da Dores - CEP 97050030 - Santa Maria - RS - www.jfrs.jus.

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Alameda Montevideu, 244 - Bairro Nossa Srª da Dores - CEP 97050030 - Santa Maria - RS - www.jfrs.jus. : SEI / TRF4-1584178 - Decisão :: http://sei.trf4.jus.br/sei/controlador.php?acao=documento_imprimir_... de 1 26/09/2013 18:29 SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL Alameda Montevideu, 244 - Bairro Nossa

Leia mais

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial.

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial. QUESTÕES DE PROVA BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 1. Considerando a análise do direito ao auxílio doença, analise as situações abaixo e assinale S (sim) ou N (não) quanto a essa concessão. A seguir, assinale

Leia mais

2º ENCONTRO DE CIPAs URBANITÁRIAS RESPONSABILIDADES EM ACIDENTES DE TRABALHO. Santos (SP), 24/04/12

2º ENCONTRO DE CIPAs URBANITÁRIAS RESPONSABILIDADES EM ACIDENTES DE TRABALHO. Santos (SP), 24/04/12 2º ENCONTRO DE CIPAs URBANITÁRIAS RESPONSABILIDADES EM ACIDENTES DE TRABALHO Santos (SP), 24/04/12 LEGISLAÇÃO Artigo 7. Da Constituição Federal: São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de

Leia mais

7 Natureza jurídica da contribuição da Seguridade Social, 18]

7 Natureza jurídica da contribuição da Seguridade Social, 18] Parte I - teoria da Seguridade Social, 1 1 evolução histórica, 3 1.1 Introdução, 3 1.2 Direito estrangeiro, 3 1.3 No Brasil, 4 2 Denominação e conceito, 7 2.1 Denominação, 7 2.2 Conceito, 8 2.3 Divisão,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 14.976 EMPREGADO APOSENTADO PELO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA QUE PERMANECE OU VOLTA A EXERCER ATIVIDADE VINCULADA A ESTE REGIME PREVIDENCIÁRIO E QUE É ACOMETIDO DE MOLÉSTIA QUE O IMPOSSIBILITA

Leia mais

PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO (PPP)

PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO (PPP) PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO (PPP) Os documentos (PPP) que estão anexados foram preparados pela GV Clínicas com os dados contidos no PCMSO, PPRA e LTCAT. É uma exigência do INSS e devem ser entregues

Leia mais

SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA

SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 36 SISTEMAS ESPECIAIS DE PREVIDÊNCIA Congressistas deputados federais e senadores tinham até 1997 um regime próprio de Previdência Social (I.P.C.)

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 03/08/2011.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 03/08/2011. AUXÍLIO-DOENÇA - Considerações Gerais Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 03/08/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Auxílio-doença 2.1 - Exclusão do Benefício 3 - Carência 3.1 - Dispensa

Leia mais

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência

Orientações para obter isenção de impostos (IPI, IOF, ICMS e IPVA) na compra de veículo para pessoa com deficiência Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004 Art. 5 o Os órgãos da administração pública direta, indireta e fundacional, as empresas prestadoras de serviços públicos e as instituições financeiras deverão

Leia mais

AS AÇÕES REGRESSIVAS E A IMPORTÂNCIA DAS

AS AÇÕES REGRESSIVAS E A IMPORTÂNCIA DAS DEPARTAMENTO SINDICAL - DESIN AS AÇÕES REGRESSIVAS E A IMPORTÂNCIA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS BRASIL 4º em ACIDENTES FATAIS 15º EM NUMEROS DE ACIDENTES GERAIS 83 ACIDENTES A CADA HORA 3,5 MORTES DIA DADOS

Leia mais

FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL

FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL Seguridade Social Profª Mestre Ideli Raimundo Di Tizio p 8 FONTES DO DIREITO DA SEGURIDADE SOCIAL As fontes do Direito da Seguridade Social podem ser material e formal. As fontes formais são as formas

Leia mais