Procedimento Operacional Padrão

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Procedimento Operacional Padrão"

Transcrição

1 Data de Vigência: Página 1 de 6 1- Objetivo: Estabelecer e padronizar os procedimentos a serem adotados na ocorrência de acidentes de trabalho com empregados da Sede Inspetorial, Departamentos e Filiais da Missão Salesiana de Mato Grosso. 2- Aplicação: Este procedimento aplica-se a todos os empregados envolvidos com procedimentos administrativos referentes às responsabilidades quando da ocorrência de acidentes de trabalho departamentos e filiais da Missão Salesiana de Mato Grosso. 3- Conceitos: Acidente de Trabalho Típico são os acidentes decorrentes da característica da atividade profissional desempenhada pelo acidentado. Acidente de Trajeto - são os acidentes ocorridos no trajeto entre a residência e o local de trabalho do segurado e vice-versa, desde que o trajeto não seja interrompido. CAT Formulário Comunicação de Acidentes de Trabalho Insalubridade - O artigo 189 da CLT estabelece que: "Serão consideradas atividades ou operações insalubres aquelas que, por sua natureza, condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da intensidade do agente e o tempo de exposição aos seus efeitos". Periculosidade - "São consideradas atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem o contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado". 4- Documentos de referência: NR 04 SESMT, NR 17 Ergonomia 5- Procedimentos: 5.1- Acidente de Trabalho Típico Ana Claudia da S.T. Ribeiro - G.Pessoas Missão Salesiana 15/04/2013

2 Data de Vigência: Página 2 de Comunicar verbalmente ao gestor da área a ocorrência do acidente. O gestor deverá prestar o atendimento devido e informar ao SESMT ou, na inexistência deste, informar a CIPA/GP ou DP sobre o ocorrido para proceder a abertura da Comunicação de Acidente de Trabalho CAT. A Instituição deverá comunicar o acidente de trabalho, ocorrido com seu empregado, havendo ou não afastamento do trabalho, até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, de imediato à autoridade competente, sob pena de multa Se o acidente for grave, o Gestor acionará a Quali Salva ( ). Nas filiais onde não há este serviço particular, o Gestor deverá acionar o serviço público SAMU (192) e avisar a família do acidentado. O Gestor acompanhará a vítima até a chegada da família ou até a liberação pela Quali Salva ou SAMU. Caso seja necessário encaminhar a vítima para atendimento médico, o Gestor a acompanhará até a chegada do membro da família. O Gestor deverá verificar se a vítima tem plano de saúde ou prefere acionar o seguro Liderança Quando o acidente não é grave, o Gestor avisará a família da vítima e caso não tenha ninguém para buscá-la, o Gestor será responsável por levá-la até sua residência, utilizando o transporte institucional Caso a vítima queira acionar o seguro Liderança, deverá fazê-lo após ter passado por atendimento médico (Quali Salva, Samu ou outro serviço médico) Após acionar a seguradora, a própria vítima irá providenciar a documentação para o ressarcimento de despesas médicas (atendendo os requisitos especificados pela apólice do seguro) Relatório Técnico de Investigação de Acidente de Trabalho (Este procedimento deverá ser realizado em todos os tipos de acidente, seja com afastamento ou não). Para fazer este relatório, o Técnico de Segurança do Trabalho ou a CIPA (nas unidades onde não há exigência legal deste profissional), vai até o local imediatamente após o acidente e conversará com a vítima (se possível) e com as testemunhas para registrar a ocorrência do acidente no formulário (anexo...). Posteriormente, entregará uma via do relatório ao DP/GP. A vítima deverá entregar o atestado médico no DP, no prazo de 24h para emissão da CAT. Diante da apresentação do atestado médico, automaticamente se faz necessária a abertura da CAT pelo DP. Observação: Ana Claudia da S.T. Ribeiro - G.Pessoas Missão Salesiana 15/04/2013

3 Data de Vigência: Página 3 de 6 a) Atestados médicos com afastamento superior a quinze dias gera estabilidade de doze meses após o retorno do empregado. b) O Técnico de Segurança do Trabalho/ou CIPA tem um prazo de um dia útil para encaminhar a CAT preenchida e com assinatura do médico que atendeu o acidentado ao INSS, onde o documento será protocolado. O INSS reterá uma via e devolverá as três vias restantes que serão encaminhadas respectivamente: Uma via para DP/GP para lançamento no cadastro do PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário); Uma via para o empregado acidentado; Outra via para a Delegacia Regional do Trabalho. As seguintes ocorrências deverão ser comunicadas ao INSS, mediante apresentação da CAT: Acidente de trabalho típico ou de trajeto ou doença profissional ou do trabalho; Reinício de tratamento ou afastamento por agravamento de lesão de acidente de trabalho ou doença profissional ou do trabalho já comunicados anteriormente; Falecimento decorrente de acidente ou doença profissional ou do trabalho ocorridos após a emissão da CAT inicial. O não cumprimento desta determinação poderá levar à punição da empresa mediante o pagamento de multa. 5.2 Acidente de Trajeto Quando ocorrer acidente de trajeto, o empregado deverá informar a empresa (Gestor imediato/sesmt/dp/gp). A área que receber a informação tem a obrigatoriedade de repassar para as demais áreas citadas imediatamente. O técnico de Segurança do Trabalho ou a CIPA, nas filiais onde não houver este profissional, deverá entrar em contato com a vítima, após o ocorrido, para registrar a ocorrência do acidente e, posteriormente, entregar uma via ao DP/GP. Solicitar à vítima para entregar obrigatoriamente, o atestado médico no DP e o Boletim de Ocorrência, no prazo inferior a 24 horas para emissão da CAT, Diante Ana Claudia da S.T. Ribeiro - G.Pessoas Missão Salesiana 15/04/2013

4 Data de Vigência: Página 4 de 6 da apresentação do atestado médico, automaticamente se faz necessária a abertura da CAT pelo DP. Observação: a) Atestados médicos com afastamento superior a quinze dias gera estabilidade de doze meses após o retorno do empregado. b) O Técnico de Segurança do Trabalho/ou CIPA tem um prazo de um dia útil para encaminhar a CAT preenchida e com assinatura do médico que atendeu o acidentado ao INSS, onde o documento será protocolado. O INSS reterá uma via e devolverá as três vias restantes que serão encaminhadas respectivamente: Uma via para DP/GP para lançamento no cadastro do PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário); Uma via para o empregado acidentado; Outra via para a Delegacia Regional do Trabalho. As seguintes ocorrências deverão ser comunicadas ao INSS, mediante apresentação da CAT: Acidente de trabalho típico ou de trajeto ou doença profissional ou do trabalho; Reinício de tratamento ou afastamento por agravamento de lesão de acidente de trabalho ou doença profissional ou do trabalho já comunicados anteriormente; Falecimento decorrente de acidente ou doença profissional ou do trabalho ocorridos após a emissão da CAT inicial. 5.3 Controle Estatístico de Acidentes de Trabalho com Vítima Este relatório deve ser enviado anualmente à Secretaria do Trabalho e Emprego, até o dia 31 de janeiro pelo SESMT, nas unidades onde é obrigatório este serviço (ver NR4). O técnico de Segurança do Trabalho elaborará o relatório, considerando: o número absoluto de acidentes; número absoluto com afastamento menor e maior a quinze dias, número absoluto sem afastamento, índice relativo total de empregados, dias/homens perdidos, taxa de frequência, óbitos e índice de avaliação de gravidade. Ana Claudia da S.T. Ribeiro - G.Pessoas Missão Salesiana 15/04/2013

5 Data de Vigência: Página 5 de 6 Nas filiais onde não há obrigatoriedade do SESMT, este relatório poderá ser feito pela CIPA, para gerenciamento da situação, não havendo a necessidade de encaminhá-lo para a Secretaria de Trabalho e Emprego. 5.4 Doenças Ocupacionais Este relatório deve ser enviado anualmente à Secretaria do Trabalho e Emprego, até o dia 31 de janeiro pelo SESMT, nas unidades onde é obrigatório este serviço (ver NR4). O técnico de Segurança do Trabalho elaborará o relatório, baseando-se nos atestados cadastrados, informando: o tipo de doença, número absoluto de caso, setores de atividades dos portadores de doenças, número relativo de casos (total de empregador), número de óbitos, número de trabalhadores transferidos para outro setor e número de trabalhadores definitivamente incapacitados. Observações: A empresa é obrigada a emitir a CAT no prazo máximo de 24 horas após a conclusão do diagnóstico, em caso de doença ocupacional. Para isso, o DP/GP deverá estar de posse do atestado emitido pelo médico que atendeu o empregado, explicando a ocorrência. 5.5 Insalubridade e Periculosidade O Técnico de Segurança do Trabalho deverá informar por meio do LTCAT as áreas que foram identificadas como insalubres, os agentes identificados, intensidade ou concentração e o número de trabalhadores expostos. Este relatório deve ser enviado anualmente até o dia 31 de janeiro à Secretaria do Trabalho e Emprego. Nas unidades ou filiais onde a legislação não determina a existência do SESMT, o relatório será preenchido para efeito de gerenciamento da rotina. 6- Anexos: Fluxograma do processo Registro de Incidente e Comportamento inseguro Matriz de identificação e avaliação de perigos e riscos ocupacionais CAT Ana Claudia da S.T. Ribeiro - G.Pessoas Missão Salesiana 15/04/2013

6 Data de Vigência: Página 6 de 6 ANEXO FLUXOGRAMA PROCESSO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO INÍCIO Empregado acidentado comunica Gestor imediato/sesmt ou CIPA O acidente é grave? NÃO SIM Gestor Imediato/SESMT ou CIPA aciona a QUALI SALVA ( ) onde houver convênio, ou SAMU (192) onde não houver este convênio. Gestor providencia o atendimento, avisa família e acompanha funcionário até a chegada da família. SIM Funcionário tem plano de saúde? NÃO Gestor aciona Seguro Liderança e providencia o atendimento, acompanhando o funcionário até a chegada da família. FIM SESMT/ CIPA PREENCHE A CAT e lança informações no Sistema SESMT/ CIPA encaminha a CAT ao INSS Ana Claudia da S.T. Ribeiro - G.Pessoas Missão Salesiana 15/04/2013

Data de Vigência: Página 1 de 9

Data de Vigência: Página 1 de 9 Data de Vigência: Página 1 de 9 1- Objetivo: Realizar os exames admissionais, periódicos, demissionais e de retorno ao trabalho respeitando os critérios estabelecidos na NR 7. 2- Aplicação: Este procedimento

Leia mais

Manual básico para novos servidores SEGURANÇA DO TRABALHO

Manual básico para novos servidores SEGURANÇA DO TRABALHO Manual básico para novos servidores SEGURANÇA DO TRABALHO Sorocaba Março de 2014 SEGURANÇA DO TRABALHO É a atividade desenvolvida por profissionais que compõem o SESMT (Serviço Especializado em Segurança

Leia mais

3.1 - SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

3.1 - SERVIÇO ESPECIALIZADO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO MAPA DE AVALIAÇÃO ANUAL DE ACIDENTES DE TRABALHO - 2013 Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 07/01/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Obrigação 3 - Conceitos 3.1 - Serviço Especializado

Leia mais

COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL

COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL COORDENAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS SUPERVISÃO DE SAÚDE OCUPACIONAL NORMA INTERNA NA OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DE TRABALHO 2012 1 SUMÁRIO I Apresentação 03 II Objetivo 03 III Informações gerais 04 IV- Preenchimento

Leia mais

ILMO. SR. DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Quadros III, IV, V e VI Secretária de Segurança e Medicina do Trabalho

ILMO. SR. DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Quadros III, IV, V e VI Secretária de Segurança e Medicina do Trabalho PREENCHER EM PAPEL TIMBRADO DA EMPRESA, EM DUAS VIAS. ILMO. SR. DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Ref.: ATT.: Quadros III, IV, V e VI Secretária de Segurança e Medicina do Trabalho

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 QUESTÃO 26 Sobre os Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço, de

Leia mais

www.cpsol.com.br MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

www.cpsol.com.br MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES MODELO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATANTE: (Nome da Contratante), com sede em (...), na Rua (...), nº.

Leia mais

Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho;

Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho; Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho; 1. O que é o esocial? Um Sistema de Escrituração Fiscal Digital das obrigações

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP LEGISLAÇÃO A Portaria n 3214, de 08/06/1978, aprovou as normas regulamentadoras NR do capítulo V, Título II, da CLT, relativas a segurança e medicina do trabalho. Atualmente

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO ACIDENTE DE TRABALHO Definição: Acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, de caráter temporário ou permanente.

Leia mais

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis:

CAT. Perguntas e Respostas sobre a. Telefones úteis: Telefones úteis: Perguntas e Respostas sobre a CAT SUBDELEGACIA DO TRABALHO: (19) 3433-9563 INSS: 0800-780191 / 135 MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO: (19) 3796-9600 DELEGACIA SECCIONAL: (19) 3434-4133 SERVIÇO

Leia mais

NP-NORMAS E PROCEDIMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL

NP-NORMAS E PROCEDIMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Página 1 de 7 1. OBJETIVO 1.1. Estabelecer procedimentos técnico-administrativos para Registro, Análise e Investigação de Acidente do Trabalho envolvendo os servidores públicos e empregados fundacionais

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO

ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTES DE TRABALHO CONCEITOS Acidente de trabalho é uma ocorrência imprevista e indesejável, instantânea ou não, relacionada com o exercício do trabalho, que provoca lesão pessoal ou de que decorre

Leia mais

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para rotinas de Departamento Pessoal. 2. DEFINIÇÕES TRCT: Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho. DP: Departamento Pessoal; DP Central: Departamento Pessoal de

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 2 Índice 1- Exames Médicos Ocupacionais. 2- Controle de Atestados Médicos. 3 - Afastamentos: INSS/Licença Maternidade. 4 - Avaliação Médica.

Leia mais

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia

Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Niquelândia PROCEDIMENTOS E ROTINAS AO DARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Título: Instrução Normativa nº. 001/2012. Ementa: Recomenda procedimentos para o Departamento de Recursos Humanos dos Órgãos da Administração Direta

Leia mais

Formulários Eletrônicos e Processos para o esocial

Formulários Eletrônicos e Processos para o esocial Formulários Eletrônicos e Processos para o esocial 1. Objetivos 2. Definições dos Formulários Eletrônicos 3. Validações Automáticas de Dados 4. Relatórios de Inconsistências 5. Definição e Regras Gerais

Leia mais

EMENTA: Na falta da comunicação de

EMENTA: Na falta da comunicação de PARECER CONSULTA Nº 02/2015 CRM/PA - PROCESSO CONSULTA Nº 014/2014 PROTOCOLO Nº 5684/2014 INTERESSADO: A.C.P.C. PARECERISTA: CONSELHEIRA MARIA CRISTINA V. CHEGÃO M. ROCHA. EMENTA: Na falta da comunicação

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão

Procedimento Operacional Padrão Data de Vigência: Página 1 de 5 1- Objetivo: Estabelecer e padronizar os procedimentos de manutenção e uso dos Equipamentos de Proteção Individual para controlar riscos ambientais e ocupacionais. 2- Aplicação:

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO 1 - DEFINIÇÃO 1.1 - Acidente de trabalho Qualquer prejuízo à saúde ou integridade física do trabalhador ocorrida no trabalho ou em decorrência do trabalho. 1.1.1 - Acidente Típico Acidente que ocorre numa

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo A Norma Regulamentadora 9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA

TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA SEGURO DE VIDA 1- Objeto da Licitação: Prestação de serviço para contratação de seguro de vida em grupo para os empregados da Empresa Municipal de Informática S.A - IplanRio, visando

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II

DIREITO DO TRABALHO II DIREITO DO II Me. Ariel Silva. l Órgãos de segurança SESMT: O Serviço Especializado em engenharia de segurança e em Medicina do Trabalho, SESMT, constitui-se no órgão técnico da empresa composto exclusivamente

Leia mais

Comunicação investigação e análise de quase acidentes e acidentes do trabalho

Comunicação investigação e análise de quase acidentes e acidentes do trabalho 1. OBJETIVO Padronizar e estabelecer requisitos mínimos para a comunicação, investigação e análise de quase acidentes e acidentes do trabalho. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Nas dependências e em atividades externas

Leia mais

60.107 - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDICE - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL...01/02

60.107 - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDICE - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL...01/02 60.107 - EXAMES MÉDCOS DE SAÚDE OCUPACONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDCE CAPÍTULO - GENERALDADES...01/02 - Objetivo - Aplicação - Definições CAPÍTULO - EXAMES MÉDCOS DE SAÚDE OCUPACONAL...01/02 -

Leia mais

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é?

CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? CARTILHA PPP VERSÃO 1 (30-06-2003) O quê é? Documento histórico-laboral do trabalhador que reúne informações administrativas, ambientais e biológicas, durante todo o período em que prestou serviço para

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia PÁG. 1/12 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para gestão de anomalias na BAHIAGÁS, determinando os critérios para seu registro, comunicação, investigação e a metodologia para definição e implantação

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Sumário 1. Introdução 2. Obrigações Mensais 2.1 - Salários 2.2 - CAGED 2.3 - INSS 2.4 - PIS - Cadastramento 2.5 - FGTS 2.6 - CIPA 2.7 - Exame Médico 2.8 - Acidente

Leia mais

ARM Sul Americana Unibrás Corretora de Seguros. Proposta de Seguro de Excursão

ARM Sul Americana Unibrás Corretora de Seguros. Proposta de Seguro de Excursão ARM Sul Americana Unibrás Corretora de Seguros Proposta de Seguro de Excursão Brasília, 01 de fevereiro de 2011 Proposta de Seguro de Excursão Seguradora: MAPFRE Seguros 1. Descrição Este seguro é um produto

Leia mais

Orientações sobre conduta em caso de acidente em serviço ou do trabalho

Orientações sobre conduta em caso de acidente em serviço ou do trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PROGEPE PRO REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS CASQ COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA DPVS DIVISÃO DE PROMOÇÃO E VIGILÂNCIA DA SAÚDE STSO SEÇÃO DE SEGURANÇA

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

Orientações sobre Benefícios do INSS

Orientações sobre Benefícios do INSS Orientações sobre Benefícios do INSS A PREFEITURA DE GUARULHOS MANTÉM UM CONVÊNIO COM O INSS AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL DE GUARULHOS PARA REQUERIMENTO DOS SEGUINTES BENEFÍCIOS: AUXÍLIO DOENÇA PREVIDENCIÁRIO,

Leia mais

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR Sônia Cristina Bittencourt de Paiva Consultora em Saúde Ocupacional e Ergonomia A RELAÇÃO

Leia mais

Dr. José Carlos Steola

Dr. José Carlos Steola n t e p f a p r a t (s a t) Dr. José Carlos Steola Médico do Trabalho Coordenador do Depto de Proteção no Trabalho ( UNIMED de Araras) Médico do Trabalho da Usina Sta Lúcia Araras Médico Coordenador de

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO

ACIDENTE DE TRABALHO O QUE É É o que ocorre pelo exercício da atividade a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou perda ou redução, permanente

Leia mais

Saiba mais sobre o Seguro Escoteiro

Saiba mais sobre o Seguro Escoteiro Definição do Seguro: Este seguro garante ao Beneficiário, o pagamento do capital segurado ou reembolso das despesas médicas, hospitalares e/ou odontológicas, exceto se o evento caracterizar-se como um

Leia mais

Área Emitente: Gestão com Pessoas/SESMT ASSUNTO: ELEIÇÃO DA CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NR-5

Área Emitente: Gestão com Pessoas/SESMT ASSUNTO: ELEIÇÃO DA CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NR-5 Código: Data emissão: Data de Vigência: Página 1 de 7 1- Objetivo: Prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho aplicando as determinações da legislação NR-5. 2- Aplicação: Este procedimento aplica-se

Leia mais

EXERCÍCIO DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS III E VI DA NR 04

EXERCÍCIO DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS III E VI DA NR 04 EXERCÍCIO DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS III E VI DA NR 04 A partir de um exemplo prático, com planilhas eletrônicas (MS Office Excel) demonstra se como fazer o correto preenchimento dos quadros III e VI

Leia mais

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL NF-e Abrangência ECD esocial EFD EFD - IRPJ CT-e NFS-e E-Lalur FCont O esocial é um projeto do governo federal que vai unificar

Leia mais

3 Benefícios. 3.1 Plano de Saúde

3 Benefícios. 3.1 Plano de Saúde 3 Benefícios O Processo de Benefícios atua como agente visando minimizar as situações problemas existentes na relação homem-trabalho, através de orientações e esclarecimentos aos empregados sobre os benefícios

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

esocial: Programas de medicina e segurança do trabalho: O que é preciso adequar?

esocial: Programas de medicina e segurança do trabalho: O que é preciso adequar? Nilza Machado esocial: Programas de medicina e segurança do trabalho: O que é preciso adequar? esocial: Uma nova ERA A escrituração digital chegou em SST Prazos (Resolução Comitê Diretivo do esocial Nº

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE RESCISÃO DE CONTRATO DE TRABALHO Recursos. INTRODUÇÃO O Procedimento de Rescisão de Contrato de Trabalho tem por objetivo estabelecer os critérios para o processo de desligamento de empregados e estagiários nas modalidades de: pedido

Leia mais

Contratação e Modelo de Contrato

Contratação e Modelo de Contrato Contratação e Modelo de Contrato Deveres da Empresa Firmar contrato especial de aprendizagem com o adolescente e inscrevê-lo em curso de aprendizagem desenvolvido por uma entidade qualificada de ensino

Leia mais

Cenário Atual. Os empregadores devem preencher inúmeras declarações e documentos que possuem as mesmas informações.

Cenário Atual. Os empregadores devem preencher inúmeras declarações e documentos que possuem as mesmas informações. índice O que é o esocial?...03 Cenário Atual...04 Cenário Ideal...05 Abrangência...06 Identificadores das Empresas...07 Identificadores...08 Módulo Consulta Cadastral...09 Órgãos envolvidos no Projeto...11

Leia mais

esocial - Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas

esocial - Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas esocial - Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais Previdenciárias e Trabalhistas 1 Conhecendo e-social O e-social é um projeto do governo federal que vai coletar informações trabalhistas,

Leia mais

II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME

II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME Prefeitura Municipal de Curitiba Instituto Municipal de Administração Pública - IMAP Plano de Desenvolvimento de Competências II SEMINÁRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA SME Curitiba 2009 Beto Richa Prefeito

Leia mais

PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO (PPP)

PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO (PPP) PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO (PPP) Os documentos (PPP) que estão anexados foram preparados pela GV Clínicas com os dados contidos no PCMSO, PPRA e LTCAT. É uma exigência do INSS e devem ser entregues

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Segundo a OMS, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste num estado de bem-estar estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidades.

Leia mais

PROGEPE Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas

PROGEPE Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas PROGEPE Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Prezado Servidor: A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, através da Equipe de Segurança do Trabalho da UNIFAL-MG, elaborou este manual com o objetivo de esclarecer

Leia mais

Filmes. Filmes. Gestão de RH. Medicina e segurança no trabalho. Prof. Rafael Marcus Chiuzi

Filmes. Filmes. Gestão de RH. Medicina e segurança no trabalho. Prof. Rafael Marcus Chiuzi Gestão de RH Prof. Rafael Marcus Chiuzi Medicina e segurança no trabalho Filmes Vídeo humorístico sobre segurança no trabalho. Duração: 3 20 Filmes Sequência de vídeos de acidente de trabalho. Duração:

Leia mais

Texto para Discussão

Texto para Discussão Convênio: Fundação Economia de Campinas - FECAMP e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE Termo de Referência: Reforma Trabalhista e Políticas Públicas para Micro e Pequenas Empresas Texto

Leia mais

CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial

CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial CURSO LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO DO esocial LEGISLAÇÃO TRABALHISTA, PREVIDENCIÁRIA e NR S DO TRABALHO com IMPACTOS, RISCOS e IMPLEMENTAÇÃO

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional PCMSO Estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

POLÍTICA DE PAGAMENTO

POLÍTICA DE PAGAMENTO POLÍTICA DE PAGAMENTO 1. OBJETIVO Estabelecer todos os critérios para o pagamento de fornecedores e prestadores de serviços aos empreendimentos administrados pela Itambé, bem como orientar todos os interlocutores

Leia mais

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA AUXÍLIO-DOENÇA - PROCEDIMENTOS LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Sumário 1. Introdução 2. Conceito Auxílio-doença 2.1 Tipos de auxílio-doença 3. pagamento 4. Carência - Conceito 4.1 Independe de carência 4.2 Depende

Leia mais

PROGEPE. Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas

PROGEPE. Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas PROGEPE Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas Apresentação A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, através da Equipe de Segurança do Trabalho da UNIFAL-MG, elaborou este manual com o objetivo de esclarecer dúvidas

Leia mais

ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010

ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010 ANO XXI - 2010-3ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 47/2010 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS CAT - CADASTRO DA COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Cuidados

Leia mais

NR4- SESMT. Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Alunos:

NR4- SESMT. Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Alunos: NR4- SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho UFMS Faculdade de Engenharia Civil Prof. MSc. Elizabeth Spengler Cox e M. Leite Alunos: Jeverson Vasconcelos de Souza

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O 0 0 1 / 2 0 1 5

R E S O L U Ç Ã O 0 0 1 / 2 0 1 5 R E S O L U Ç Ã O 0 0 1 / 2 0 1 5 Estabelece instruções para o reconhecimento do tempo de serviço público exercido sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física pelo Instituto

Leia mais

Gestão de Suprimentos - CRDF

Gestão de Suprimentos - CRDF 1 de 6 RESULTADO ESPERADO DO PROCESSO: Estabelecer negociação entre clientes e fornecedores internos, de modo a assegurar a conformidade, com os requisitos de entrada e saída do processo. PRODUTO PRINCIPAL:

Leia mais

Solicitação e análise de exames durante um período determinado, para verificar se o acidentado com

Solicitação e análise de exames durante um período determinado, para verificar se o acidentado com 1/7 1. OBJETIVO Registrar, orientar e conduzir todo acidente de trabalho ocorrido com o colaborador do grupo SH Brasil nas instalações pertencentes à mesma, nos serviços prestados em áreas externas ou

Leia mais

CARTA CONVITE Nº 001/2014

CARTA CONVITE Nº 001/2014 CONVITE PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ATENDIMENTO MÉDICO NA ESPECIALIDADE MEDICINA DO TRABALHO, COM OBJETIVO DE ATENDER AO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E DE SAÚDE OCUPACIONAL PCMSO, OBJETO DO CONTRATO

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S.A. - Informativo nº 007/2010 N O T Í C I A S D A D I R E T O R I A

MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S.A. - Informativo nº 007/2010 N O T Í C I A S D A D I R E T O R I A MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S.A. - Informativo nº 007/2010 N O T Í C I A S D A D I R E T O R I A Foram realizadas, no último dia 21 de março, as provas para o concurso da MGS. Havia oitocentas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REGISTRO DO PONTO DOS PROFESSORES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REGISTRO DO PONTO DOS PROFESSORES REGISTRO AUTOMATIZADO DAS OCORRÊNCIAS DO PONTO DOS PROFESSORES DA GRADUAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REGISTRO DO PONTO DOS PROFESSORES a- Descrição: O Núcleo Acadêmico e a área

Leia mais

Vigilância e saúde do trabalhador

Vigilância e saúde do trabalhador Vigilância e saúde do trabalhador Vigilância em Saúde do Servidor é o conjunto de ações contínuas e sistemáticas, que possibilita detectar, conhecer, pesquisar, analisar e monitorar os fatores determinantes

Leia mais

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL 5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL Instituto Algodão Social Missão Promover aos associados do setor algodoeiro a responsabilidade social empresarial, a cidadania,

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÕES

REGULAMENTO DE OPERAÇÕES 1 GENERALIDADES As operações de crédito da Cooperativa serão realizadas dentro das normas fixadas pelo Estatuto Social, pelas normas legais, as do Banco Central do Brasil e por este Regulamento. 2 OBJETIVO

Leia mais

DEZ/87 SISTEMA DE LIGAÇÕES URBANAS

DEZ/87 SISTEMA DE LIGAÇÕES URBANAS DEZ/87 SISTEMA DE LIGAÇÕES URBANAS NORMA SISTEMA DE LIGAÇÕES INTERURBANAS 01. OBJETIVO........................................................... 02 02. CARACTERÍSTICAS..................................................

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP PROCEDIMENTO DIANTE A OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DO TRABALHO

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP PROCEDIMENTO DIANTE A OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DO TRABALHO PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO POP PROCEDIMENTO DIANTE A OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DO TRABALHO Código Data de emissão Data de vigência Próxima revisão Versão n POP-SST-001 25/10/17 01/12/17 25/10/18 001

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Rede Completa Orientações Gerais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Rede Completa Orientações Gerais MANUAL DE UTILIZAÇÃO Rede Completa Orientações Gerais Geremed Saúde e Segurança Ocupacional Ltda. 2011 3 de Prezado Cliente: Parabéns! Você é um CLIENTE GEREMED e para nós, isso é um motivo de grande satisfação.

Leia mais

esocial PROJETO, IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS IMPACTOS JUNTO A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

esocial PROJETO, IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS IMPACTOS JUNTO A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA esocial PROJETO, IMPLANTAÇÃO E PRINCIPAIS IMPACTOS JUNTO A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PÚBLICO-ALVO Servidores de órgãos públicos federais, estaduais ou municipais e sociedades de economia mista, empresas privadas

Leia mais

Unidade III SAÚDE E SEGURANÇA NO ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro

Unidade III SAÚDE E SEGURANÇA NO ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro Prof. Joaquim Ribeiro Unidade III SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO: BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL 9. Acidente de trabalho É aquele que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa provocando lesão

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Orientações Gerais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO. Orientações Gerais MANUAL DE UTILIZAÇÃO Orientações Gerais Geremed Saúde e Segurança Ocupacional Ltda. 2013 Prezado Cliente: Parabéns! Você é um CLIENTE GEREMED e para nós, isso é um motivo de grande satisfação. Nosso compromisso

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCEDIMENTO OPERACIONAL Coordenadoria de Recursos Humanos (CRH) Secretaria Estadual da Saúde PROCEDIMENTO OPERACIONAL Número: 3.3 Revisão: 0 Página: 1/8 Vigência: Indeterminada Titulo: Implantação e adequação do Serviço Especializado

Leia mais

NORMA DE EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS - NOR 325

NORMA DE EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS - NOR 325 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS COD: NOR 325 APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 240, de 04/06/2012 NORMA DE EXAMES OCUPACIONAIS E ATESTADOS MÉDICOS - NOR

Leia mais

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos.

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos. NR 5 5.1 As empresas privadas e públicas e os órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela ConsoIidação das Leis do Trabalho - CLT ficam obrigados a organizar e manter em funcionamento, por

Leia mais

esocial e as boas práticas de Segurança e Saúde do Trabalho

esocial e as boas práticas de Segurança e Saúde do Trabalho CURSO esocial e as boas práticas de Segurança e Saúde do Trabalho Orientador Rogério Andrade Henriques Advogado, especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário, instrutor de cursos empresariais na

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 13/2012 DATA DA ENTRADA: 12 de junho de 2012 INTERESSADO: Dr. MHM CRM-MT XXXX CONSELHEIRA CONSULTORA: Dra. Hildenete Monteiro Fortes ASSUNTO:

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.4561 PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PPRA Programa

Leia mais

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização 1º FORUM LISTER DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Antônio Sampaio Diretor Técnico INTRODUÇÃO Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos

Leia mais

Visando propiciar melhor entendimento das normas que regem as operações em Intercâmbio, é indispensável a leitura dos seguintes conceitos básicos:

Visando propiciar melhor entendimento das normas que regem as operações em Intercâmbio, é indispensável a leitura dos seguintes conceitos básicos: 1. COMUNICAÇÃO DO ACIDENTE DO TRABALHO (CAT) 1.1. RESPONSABILIDADES DA EMPRESA/ EMPREGADO Visando propiciar melhor entendimento das normas que regem as operações em Intercâmbio, é indispensável a leitura

Leia mais

Norma de Procedimento

Norma de Procedimento PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA Código Secretaria Municipal de Administração Assessoria de Planejamento Organizacional Assunto CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO/RENOVAÇÃO/RESCISÃO DE TERMO DE COMPROMISSO 1. Finalidade:

Leia mais

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 4. SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 4 SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A Norma Regulamentadora 4, cujo título é Serviços Especializados em Engenharia

Leia mais

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES: MANUAL DA UNIDADE Prezados Senhores, Com o intuito de promover a excelência e a qualidade na prestação de nossos serviços, vimos por meio deste, agradecer pela confiança e credibilidade. A Engemed Saúde

Leia mais

Portabilidade de Crédito Conceitos Gerais e Processos Guia Rápido Correspondentes

Portabilidade de Crédito Conceitos Gerais e Processos Guia Rápido Correspondentes Diretoria de Cartões e Consignado Superintendência Executiva de Crédito Consignado Conceitos Gerais e Processos Guia Rápido Correspondentes São Paulo, Maio de 2014. Índice 1. Glossário 2. Definições 3.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual e, DECRETO N.º 2297 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Dispõe sobre procedimentos para concessão de licenças médicas para os servidores públicos

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO, PARA EVITAR A SUPERLOTAÇÃO

Leia mais

ADICIONAL DE PERICULOSIDADE

ADICIONAL DE PERICULOSIDADE 1 - DEFINIÇÃO Adicional salarial a que fazem jus os servidores que trabalham em contato permanente sob condições de risco acentuado em determinadas atividades ou operações classificadas como perigosas

Leia mais