Relatório de Gestão 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Gestão 2011"

Transcrição

1 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Relatório de Gestão 2011 RECIFE MARÇO / 2012

2 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL Relatório de Gestão 2011 Relatório de Gestão apresentado ao Tribunal de Contas da União e Controladoria Geral da União como prestação de contas anual a que esta Unidade está obrigada nos termos do art. 70 da Constituição Federal, elaborado de acordo com as disposições da Instrução Normativa TCU nº 63/2010, das Decisões Normativas TCU n 108/2010 e n 117/2011, da Portaria TCU nº 277/2010 e Portaria CGU nº 2546/2010. Unidades consolidadas abrangidas neste Relatório de Gestão: Universidade Federal de Pernambuco/UFPE Hospital das Clínicas/HCPE Unidade responsável pela elaboração do Relatório de Gestão: Universidade Federal de Pernambuco/UFPE RECIFE MARÇO/2012 LISTA DE QUADROS

3 3 Quadro 1 Dados identificadores da Unidade Jurisdicionada Quadro 2 Dados identificadores da Unidade Jurisdicionada Unidades Gestoras Quadro 3 Dados identificadores da Unidade Jurisdicionada Gestão Relacionada Quadro 4 Dados identificadores da Unidade Jurisdicionada UG e Gestões Quadro 5 - Programa Previdência de Inativos e Pensionistas - UFPE Quadro 6 - Programa Apoio Administrativo - UFPE Quadro 7 - Programa Operações Especiais: Cumprimento de Sentenças Judiciais - UFPE Quadro 8 - Programa Brasil Escolarizado - UFPE Quadro 9 - Programa Gestão da Política da Educação - UFPE Quadro 10 - Programa Brasil Universitário - UFPE Quadro 11 - Programa Desenvolvimento do Ensino da Pós-Graduação e da Pesquisa Científica - UFPE Quadro 12 - Programa Previdência de Inativos e Pensionistas - HC Quadro 13 - Programa 0750 Apoio Administrativo - HC Quadro 14 - Programa 1073 Brasil Universitário - HC Quadro 15 Execução Física das Ações Realizadas Pela UJ (Consolidado) Quadro 16 Execução Física das Ações Realizadas Pela UJ - UFPE Quadro 17 Execução Física das Ações Realizadas Pela UJ - HC Quadro 18 - Identificação das Unidades Orçamentária Quadro 19 - Programação das Despesas Correntes (consolidado UFPE e HC) Quadro 20 - Programação das Despesas Correntes (UFPE) Quadro 21 - Programação das Despesas Correntes (HC) Quadro 22 - Programação das Despesas de Capital (consolidado UFPE e HC) Quadro 23 - Programação das Despesas de Capital ( UFPE) Quadro 24 - Programação das Despesas de Capital ( HC) Quadro 25 - Quadro Resumo da Programação de Despesas e da Reserva de Contingência (consolidado UFPE e HC) Quadro 26 - Quadro Resumo da Programação de Despesas e da Reserva de Contingência (UFPE) Quadro 27 - Quadro Resumo da Programação de Despesas e da Reserva de Contingência (HC) Quadro 28 - Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa- Consolidado UFPE+HC Quadro 29 - Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa UFPE Quadro 30 - Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa HC Quadro 31 - Despesas por Modalidade de Contratação dos Créditos Originários da UJ- Consolidado UFPE +HC Quadro 32 - Despesas por Modalidade de Contratação dos Créditos Originários da UJ-UFPE Quadro 33 - Despesas por Modalidade de Contratação dos Créditos Originários da UJ-HC Quadro 34 - Despesas por Modalidade de Contratação dos Créditos Recebidos da UJ UFPE+HC Quadro 35 - Despesas por Modalidade de Contratação dos Créditos Recebidos da UJ UFPE Quadro 36 - Despesas por Modalidade de Contratação dos Créditos Recebidos da UJ HC Quadro 37 - Despesas Correntes dos créditos originários da UJ- Consolidado UFPE + HC Quadro 38 - Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos originários da UJ- UFPE... 95

4 4 Quadro 39- Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos originários da UJ-HC Quadro 40 Despesas de Capital dos créditos originários da UJ- Consolidado UFPE +HC Quadro 41 Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos originários da UJ- UFPE Quadro 42 Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos originários da UJ- HC Quadro 43 - Despesas Correntes dos Créditos Recebidos por Movimentação UFPE + HC Quadro 44 - Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos Créditos Recebidos por Movimentação - UFPE Quadro 45 - Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos Créditos Recebidos por Movimentação HC Quadro 46 - Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos Créditos Recebidos da UJ UFPE+HC Quadro 47 - Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos Créditos Recebidos da UJ UFPE Quadro 48 - Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos Créditos Recebidos da UJ HC Quadro 49 - Situação dos Restos a Pagar de Exercícios Anteriores UFPE + HC Quadro 50 - Situação dos Restos a Pagar de Exercícios Anteriores UFPE Quadro 51 - Situação dos Restos a Pagar de Exercícios Anteriores HC Quadro 52 - Força de Trabalho da UJ - Situação Apurada em 31/12/2011 UFPE + HC Quadro 53 - Força de Trabalho da UJ Situação apurada em 31/12/2011 UFPE Quadro 54 - Força de Trabalho da UJ Situação apurada em 31/12/ HC Quadro 55 - Situações que reduzem a força de trabalho da UJ - Situação Apurada em 31/12/2011 UFPE + HC Quadro 56 - Situações que reduzem a força de trabalho da UJ - Situação Apurada em 31/12/2011 UFPE Quadro 57 - Situações que reduzem a força de trabalho da UJ - Situação Apurada em 31/12/2011 HC Quadro 58 Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ -Consolidado UFPE + HC Quadro 59 Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ-UFPE Quadro 60 Detalhamento da estrutura de cargos em comissão e funções gratificadas da UJ-HC Quadro 61 Quantidade de servidores da UJ por faixa etária(situação em 31/12/2011)- Consolidado UFPE +HC Quadro 62 Quantidade de servidores da UJ por faixa etária (Situação em 31/12/2011)-UFPE Quadro 63 Quantidade de servidores da UJ por faixa etária (Situação em 31/12/2011)-HC Quando 64 Quantidade de servidores da UJ por nível de escolaridade - Consolidado UFPE + HC Quadro 65 Quantidade de servidores da UJ por nível de escolaridade (Situação em 31/12/2011) - UFPE Quadro 66 Quantidade de servidores da UJ por nível de escolaridade (Situação em 31/12/2011)- HC Quadro 67 - Composição do Quadro de Servidores Inativos - 1- Consolidado UFPE + HC Quadro 68 - Composição do Quadro de Servidores Inativos - Situação Apurada em 31/12/2011- UFPE Quadro 69 - Composição do Quadro de Servidores Inativos - Situação Apurada em 31/12/2011- HC Quadro 70 - Composição do Quadro de Instituidores de Pensão - Situação Apurada em 31/12/2011 UFPE + HC Quadro 71 - Composição do Quadro de Instituidores de Pensão - Situação Apurada em 31/12/2011 UFPE Quadro 72 - Composição do Quadro de Instituidores de Pensão - Situação Apurada em 31/12/ HC Quadro 73 - Composição do Quadro de Estagiários - UFPE Quadro 74 - Quadro de Custos de Recursos Humanos nos Exercícios de 2009, 2010 e 2011 UFPE + HC Quadro 75 - Quadro De Custos de Recursos Humanos nos Exercícios de 2009, 2010 e 2011 UFPE Quadro 76 - Quadro De Custos de Recursos Humanos nos Exercícios de 2009, 2010 e 2011 HC

5 5 Quadro 77 Contratos de prestação de serviços de limpeza, higiene e vigilância ostensiva Quadro 78 Contratos de prestação de serviços com locação de mão de obra Quadro 79- Caracterização dos instrumentos de transferências vigentes no exercício de Referência Quadro 80 Resumo dos Instrumentos Celebrados Pela UJ nos Três Últimos Exercícios Quadro 81 - Resumo dos instrumentos de Transferência que Vigerão em 2012 e Exercícios Seguintes Quadro 82 Resumo da Prestação de Contas Sobre Transferências Concedidas Pela UJ na Modalidade de Convênio Termo de Cooperação e de Contratos de Repasse Quadro 83 - Visão Geral da Análise das Prestações de Contas de Convênios e Contratos de Repasse Quadro 84 Demonstrativo do cumprimento, por autoridades e servidores, da obrigação de entregar a DBR - UFPE Quadro 85 Demonstrativo do cumprimento, por autoridades e servidores, da obrigação de entregar a DBR- HC Quadro 86 Estrutura de Controles Internos da UJ Quadro 87 Gestão Ambiental e Licitações Sustentáveis Quadro 88 - Distribuição Espacial dos Bens Imóveis de Uso Especial de Propriedade da União UFPE e HC Consolidado130 Quadro 89 Discriminação dos Bens Imóveis de Propriedade da União sob responsabilidade da UJ Quadro 90 Gestão de TI da UJ - UFPE Quadro 91 Despesa com Cartão de Crédito Corporativo por UG e por portador Quadro 92 Despesa Com Cartão de Crédito Coorporativo (Série Histórica) Quadro 93- Cumprimento das Deliberações do TCU Atendidas no Exercício- UFPE Quadro 94 Situação das Deliberações do TCU que Permanecem Pendentes de Atendimento no Exercício- UFPE Quadro 95 - Relatório De Cumprimento Das Recomendações Do OCI Quadro 96 Situação das recomendações do OCI que permanecem pendentes de atendimento no exercício Quadro 97 - Informações sobre recomendação da unidade de controle interno ou de auditoria interna atendida Quadro 98 - Informações sobre recomendação de unidade de auditoria interna pendente de atendimento Quadro 99 Resultados dos Indicadores Primários Decisão TCU n.º 408/ UFPE Quadro 100 Resultados dos Indicadores da Decisão TCU n.º 408/2002 UFPE Quadro Evolução do custo corrente por aluno equivalente(r$ a preços de dez/2011) Quadro Evolução de alguns indicadores da expansão (cursos e vagas) Quadro Evolução de alguns indicadores da expansão (cursos e vagas) por Campi, Quadro 104 Relação dos Projetos Desenvolvidos pelas Fundações sob a Égide da Lei nº 8.958/ Convênios Quadro 105 Relação dos Projetos Desenvolvidos pelas Fundações sob a Égide da Lei nº 8.958/ Contratos

6 6 LISTA DE ABREVIAÇÕES E SIGLAS BC/UFPE Biblioteca Central da Universidade Federal de Pernambuco CAA Centro Acadêmico do Agreste CAC Centro de Artes e Comunicação CAPES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAV Centro Acadêmico de Vitória CCB Centro de Ciências Biológicas CCEN Centro de Ciências Exatas e da Natureza CCEPE Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão CCJ Centro de Ciências Jurídicas CCS Centro de Ciências da Saúde CCSA Centro de Ciências Sociais Aplicadas CE Centro de Educação CFCH Centro de Filosofia e Ciências Humanas CGU Controladoria-Geral da União CIN Centro de Informática CTG Centro de Tecnologia e Geociências DN Decisão Normativa ENADE Exame Nacional de Desempenho de Estudantes FADE Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de FINEP Pernambuco Financiadora de Estudos e Projetos HC Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco IFES Instituições Federais de Ensino Superior IN Instrução Normativa LDO Lei de Diretrizes Orçamentárias MEC Ministério da Educação PCU/UFPE Prefeitura da Cidade Universitária Port. Portaria PPA Plano Plurianual PROACAD Pró-Reitoria para Assuntos Acadêmicos PROAES - Pró-Reitoria para Assuntos Estudantis PROEXT Pró-Reitoria de Extensão PROGEPE Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida PROGEST Pró-Reitoria de Gestão Administrativa PROPESQ Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação PROPLAN Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças REUNI Reestruturação e Expansão das Universidades Federais RG Relatório de Gestão SIAFI Sistema Integrado de Administração Financeira SIAPE Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos

7 7 SIASG SICONV SIMEC SINAES SIORG TCU UFPE UJ Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais Sistema de Gestão de Convênios, Contratos de Repasse e Termos de Parceria Sistema Integrado de Monitoramento do Ministério da Educação Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sistema de Informações Organizacionais do Governo Federal Tribunal de Contas da União Universidade Federal de Pernambuco Unidade Jurisdicionada

8 8 SUMÁRIO LISTA DE QUADROS... 2 LISTA DE ABREVIAÇÕES E SIGLAS... 6 ORGANOGRAMA FUNCIONAL MACROPROCESSOS DAS PRÓ-REITORIAS DA UFPE IDENTIFICAÇÃO INTRODUÇÃO PLANEJAMENTO E GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA RESPONSABILIDADES INSTITUCIONAIS DA UNIDADE COMPETÊNCIA INSTITUCIONAL Objetivos Estratégicos ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO FRENTE ÀS RESPONSABILIDADES INSTITUCIONAIS Análise do Andamento do Plano Estratégico da UJ Análise do Plano de Ação da UJ Referente ao Exercício de PROGRAMAS DE GOVERNO SOB A RESPONSABILIDADE DA UJ - UFPE /HC Execução dos Programas de Governo sob a responsabilidade da UJ UFPE/HC Programas de Governo sob a responsabilidade da unidade HC Execução Física das Ações Realizadas DESEMPENHO ORÇAMENTÁRIO E FINANCEIRO Programação Orçamentária das Despesas Programação de Despesas Correntes Programação de Despesas de Capital Quadro Resumo da Programação de Despesas Movimentação Orçamentária por Grupo de Despesa Execução Orçamentária da Despesa Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos originários da UJ Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos originários da UJ Despesas Correntes por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos recebidos por movimentação Despesas de Capital por Grupo e Elemento de Despesa dos créditos recebidos por movimentação PAGAMENTOS E CANCELAMENTOS DE RESTOS A PAGAR DE EXERCÍCIOS ANTERIORES ANÁLISE CRÍTICA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DA UJ COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE SERVIDORES ATIVOS Demonstração da força de trabalho à disposição da UJ Situações que reduzem a força de trabalho efetiva da UJ Quantificação dos cargos em comissão e das funções gratificadas da UJ Qualificação do quadro de pessoal da UJ segundo a idade Qualificação do quadro de pessoal da UJ segundo a escolaridade COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE SERVIDORES INATIVOS E PENSIONISTAS Classificação do quadro de servidores inativos da UJ segundo o regime de proventos e aposentadoria Demonstração das origens das pensões pagas pela UJ COMPOSIÇÃO DO QUADRO DE ESTAGIÁRIOS DEMONSTRAÇÃO DOS CUSTOS DE PESSOAL DA UJ TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA EMPREGADA PELA UJ Informações sobre a contratação de serviços de limpeza, higiene e vigilância ostensiva pela unidade Informações sobre a locação de mão de obra para atividades não abrangidas pelo plano de cargos do órgão

9 9 5 INFORMAÇÃO SOBRE AS TRANSFERÊNCIAS VIGENTES NO EXERCÍCIO DE REFERÊNCIA INSTRUMENTOS DE TRANSFERÊNCIAS VIGENTES NO EXERCÍCIO CONSOLIDADO UFPE + HC Relação dos instrumentos de transferências vigentes no exercício de Quantidade de instrumentos de transferência celebrados e valores repassados nos três últimos exercícios Informações sobre o conjunto de instrumentos de transferências que vigerão no exercício de 2012 e seguintes INFORMAÇÕES SOBRE A PRESTAÇÃO DE CONTAS RELATIVAS AOS CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E CONTRATOS DE REPASSE Informações sobre a análise das prestações de contas de convênios e de contratos de repasse ANÁLISE CRÍTICA INFORMAÇÃO SOBRE ENTREGA DE DECLARAÇÕES DE BENS E RENDAS SITUAÇÃO DO CUMPRIMENTO DAS OBRIGAÇÕES IMPOSTAS PELA LEI 8.730/ ANÁLISE CRÍTICA INFORMAÇÕES SOBRE O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DA UJ ESTRUTURA DE CONTROLES INTERNOS DA UJ INFORMAÇÕES QUANTO À ADOÇÃO DE CRITÉRIOS DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NAS AQUISIÇÕES GESTÃO AMBIENTAL E LICITAÇÕES SUSTENTÁVEIS INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO DO PATRIMÔNIO IMOBILIÁRIO GESTÃO DE BENS IMÓVEIS DE USO ESPECIAL DE PROPRIEDADE DA UNIÃO UFPE E HC CONSOLIDADO INFORMAÇÕES SOBRE A GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA UJ GESTÃO DE TI INFORMAÇÕES SOBRE CARTÕES DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL DESPESAS COM CARTÃO DE CRÉDITO COORPORATIVO Relação dos portadores de cartão de crédito corporativo na unidade e utilização no exercício Utilização dos cartões de crédito coorporativo da unidade PROVIDÊNCIAS PARA ATENDER ÀS DELIBERAÇÕES EXARADAS PELO TCU E CGU DELIBERAÇÕES DO TCU ATENDIDAS NO EXERCÍCIO DELIBERAÇÕES DO TCU PENDENTES DE ATENDIMENTO AO FINAL DO EXERCÍCIO RECOMENDAÇÕES DO OCI ATENDIDAS NO EXERCÍCIO RECOMENDAÇÕES DO OCI PENDENTES DE ATENDIMENTO AO FINAL DO EXERCÍCIO INFORMAÇÕES SOBRE O TRATAMENTO DAS RECOMENDAÇÕES REALIZADAS PELA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO DA UJ RECOMENDAÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO OU DE AUDITORIA INTERNA ATENDIDAS NO EXERCÍCIO RECOMENDAÇÕES DA UNIDADE DE CONTROLE INTERNO OU DE AUDITORIA INTERNA PENDENTES DE ATENDIMENTO OUTRAS INFORMAÇÕES RELEVANTES DECLARAÇÃO DO CONTADOR INDICADORES DE DESEMPENHO NOS TERMOS DA DECISÃO TCU Nº 408/2002 PLENÁRIO E MODIFICAÇÕES POSTERIORES RELAÇÃO DOS PROJETOS DESENVOLVIDOS PELAS FUNDAÇÕES CONVÊNIOS RELAÇÃO DOS PROJETOS DESENVOLVIDOS PELAS FUNDAÇÕES CONTRATOS RESUMO DOS RESULTADOS PUBLICADOS SOBRE A UJ RESULTADOS E CONCLUSÕES ANEXOS

10 DECLARAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO DE DADOS NO SIASG DECLARAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO DE DADOS NO SICOV

11 Organograma Funcional 11

12 12 Macroprocessos das Pró-Reitorias da UFPE MACROPROCESSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS PROPLAN A Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças (Proplan) é a instância responsável pelos assuntos referentes à gestão financeira da Universidade Federal de Pernambuco. Cabe a ela administrar as contas, gerenciar a execução orçamentária, receber e prestar contas dos investimentos e gastos da UFPE por meio de balancetes, além de receber oficialmente os recursos federais a que a instituição tem direito. Em linhas gerais, são objetivos da Proplan: Gerenciar a execução orçamentária da UFPE; Prestar contas das despesas e receitas da UFPE; Promover o controle contábil dos recursos federais e dos gastos e investimentos; Garantir a transparência na aplicação dos recursos financeiros, garantindo à sociedade em geral o acesso às contas da UFPE; Nossa missão norteia-se pela busca da eficiência, eficácia e efetividade das ações institucionais, centralizando-se em três eixos principais: (a) planejamento, avaliação e monitoramento; (b) gestão da informação e controle do desempenho institucional; e, (c) gestão orçamentária e financeira. PROCESSO PRODUTOS CLIENTES (BENEFICIÁRIOS) NECESSIDADES Avaliação das ações institucionais Relatório de Autoavaliação Institucional Comunidade acadêmica Ministério da Educação Sociedade de forma geral Acompanhar processos avaliativos diversos no âmbito da UFPE, observando os indicadores de qualidade no âmbito do SINAES-MEC Ministério da Educação Coordenação do planejamento institucional Relatório do Plano de Desenvolvimento Institucional-PDI Relatório do Planejamento Estratégico Institucional - PEI Ministério do Planejamento Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP Sistematizar as ações no âmbito da Universidade Federal de Pernambuco para o cumprimento de sua missão institucional Comunidade Acadêmica

13 13 Relatório do Plano de Ação Institucional-PAI Comunidade Acadêmica Ministério do Planejamento Ministério da Educação Sistematizar as ações dos programas consolidados, do projeto de interiorização e da reestruturação e expansão institucional Controle da execução orçamentária Coordenação da elaboração do Relatório de Gestão Gabinete do Reitor Pró-Reitorias Unidades Gestoras Professores Técnicos Administrativos Fornecer informações gerenciais que apoiem o processo orçamentário e a avaliação de desempenho; Garantir a boa aplicação dos recursos Proteger o patrimônio físico e financeiro da instituição. Estabelecimento de normas/procedimentos Estabelecimento dos procedimentos internos de execução e controle dos recursos públicos Solução dos questionamentos Gabinete do Reitor Pró-Reitorias Unidades Gestoras Professores Técnicos Administrativos Emitir, divulgar, implementar e verificar o cumprimento das normas de controle patrimonial e financeiro. Interlocução com os órgãos de controle. Atendimento às solicitações de auditoria Controle Interno Controle Externo Gabinete do Reitor Pró-Reitorias Assessorar a administração nas relações com os órgãos de controle. Unidades Gestoras Elaboração da proposta orçamentária anual e gerenciamento da execução orçamentária Orçamento Descentralização de créditos Abertura de créditos Portarias de nota de créditos Relatórios orçamentários Unidades Gestoras Ministério do Planejamento Ministério da Educação Gabinete do Reitor Pró-reitorias Técnicos Administrativos Obter eficiência e eficácia na alocação dos créditos orçamentários. Atender os procedimentos de elaboração orçamentária do governo federal.

14 14 Elaboração e acompanhamento dos convênios. Assinatura de convênios e Aditivos Coordenadores de convênios Pesquisadores Professores Analisar, registrar, arquivar e acompanhar a execução e o recebimento dos recursos dos convênios e termos de cooperação celebrados pela Universidade. Apoiar e orientar a elaboração de convênios. Execução orçamentária e financeira Execução de empenhos Realização dos pagamentos Unidades Gestoras Fornecedores de produtos e serviços para universidade Coordenar a execução dos empenhos Efetuar os pagamentos Registro dos atos e fatos contábeis Balancetes e demonstrações contábeis. Arquivamento de documentos contábeis. Pareceres contábeis Relatórios contábeis Prestação de contas orçamentária, contábil, financeira e patrimonial. Unidades Gestoras Registrar contabilmente os atos e fatos financeiros e patrimoniais; Demonstrar a situação financeira e econômica da entidade. Gerar informação útil para a tomada de decisões Garantir o arquivamento adequado dos documentos contábeis. Elaboração, registro e prestação de contas de convênios Pareceres Relatórios Coordenadores de convênios. Professores Técnicos administrativos. Analisar e controlar as contas de convênios. Gestão de importações Realização de importações Unidades Gestoras Coordenar a execução da realização de importações.

15 15 MACROPROCESSO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PROGEST A Pró-Reitoria de Gestão Administrativa (Progest) foi criada e entre as suas tarefas estava a de absorver partes das atribuições da Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças (Proplan), por que em virtude da expansão da UFPE, previsto no REUNI, a universidade receberia investimentos para a aplicação em ações como contratação de professores e servidores administrativos; recuperação e construção de instalações físicas; e aquisição de equipamentos para laboratórios, salas de aula, bibliotecas, ambientes de trabalho para professores e órgãos administrativos, que poderia sobrecarregar a Pró-Reitoria de Planejamento. Então, por meio da Portaria Normativa nº 15 A, de 26 de setembro de 2008, foi criada a Pró-Reitoria de Gestão Administrativa (Progest), que modificou a estrutura organizacional da Reitoria, dividindo algumas funções da Proplan. Ademais, a Progest fica responsável pela gestão de importantes áreas, tais como: licitações e contratos, gestão de patrimônio e de serviços (transporte, protocolo, arquivo), gestão de logística e de compras da UFPE. Em linhas gerais, são objetivos da Progest: Licitações e contratos; Gestão patrimonial e de serviços (almoxarife, tombamento, transporte, protocolo, arquivo); e Gestão de logística e compras; MACRO PROCESSOS PROCESSOS MARCOS LEGAIS Licitações, Contratos e Compras Processo licitatório de obras, bens e serviços Processo de gerenciamento de contratos Processo de planejamento de compras Processo de compras por pregão eletrônico Processo de aquisição por ata de registro de preços Lei 8666/1993 Lei 123/2006 Lei /2002 Dec. 6204/2007 Dec /2000 Dec /2005 Dec /2005 Decreto 3931/2001 Instrução Normativa 02/2010 Acórdãos e Decisões do TCU, Orientações Normativas da AGU e Súmulas pertinentes à matéria.

16 16 Logística Gestão de Transporte Gestão Patrimonial Comunicação Interna Arquivo Geral Processo de recebimento de mercadorias Processo de armazenamento Processo de entrega de materiais Processo de operacionalização do uso de veículos para realização das excursões didáticas Processo de gerenciamento do uso da frota de veículos leves e de cargas (03 campi) Processos de gerenciamento administrativo-financeiro do setor Processo de manutenção veicular preventiva e corretiva Processo de registro e classificação de bens adquiridos Processo de recolhimento de bens inservíveis Processo de acompanhamento de leilões e doações de bens Processo de inventário anual Processo de formalização de transferências e baixas Processo de recebimento e entrega de correspondências Processo de recepção de documentos Processo de atendimento ao público interno e externo Processo de gestão de documentos recebidos Processo de arquivamento e desarquivamento Processo de microfilmagem Instrução Normativa 205/1988 Portaria Normativa 05/93 Instrução Normativa 03/2008 Controle interno de saída de veículos Instrução Normativa 205/1988 Portaria Normativa 05/93 Lei nº 9784/1999 Portaria Normativa nº 05/2002 Lei 8.159, de 08 de janeiro de 1991

17 Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida (PROGEPE) 17 MACROPROCESSO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROGEPE É o órgão responsável pelo planejamento, execução e avaliação das ações de administração e desenvolvimento de recursos humanos. Compete a essa Pró-Reitoria realizar ações e projetos voltados à melhoria da qualidade de vida dos servidores, à saúde e o bem-estar social de todos os servidores da UFPE. Abrange as atividades referentes à capacitação e qualificação de pessoal; planejamento da força de trabalho de técnico-administrativo, acompanhar a execução da folha de pagamento, provimentos, vacâncias, bem como as demais atividades na área de pessoal, acompanhamento e controle de cargos e funções, do Banco de Professor Equivalente e Quadro de Referência dos Servidores Técnico-Administrativos da UFPE. A segurança das pessoas e patrimônio da UFPE também faz parte das atividades desta Pró-Reitoria, com o desafio de reduzir ocorrências e promover um ambiente seguro para todos que fazem a instituição. DEP ART PROCESSOS PRODUTOS CLIENTES NECESSIDADES Compete a esta Pró-Reitoria planejar, executar e avaliar as ações de administração e desenvolvimento de recursos humanos. Também realiza ações e projetos voltados à melhoria da qualidade de vida dos servidores, à saúde e o bem-estar social de todos os servidores da UFPE. Processos físicos, nos quais são registradas as demandas funcionais. Pastas funcionais. Sistemas Operacionais internos criados para acompanhamento da vida funcional do servidor (Consulta Servidor, Recad, Ofícios, Memorandos, etc. Servidores (ativos e aposentados) Pensionistas Outros órgãos Ex-servidores Estar sempre alinhado com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Manter o fluxo de informações dentre as Divisões que compõem o DGP sempre eficaz. Desenvolver continuamente os funcionários para que exerçam suas atividades de forma satisfatória. Manter uma gestão participativa. Criar um ambiente com infra-estrutura adequada para o desempenho do trabalho, aliado ao clima organizacional harmônico. Portarias. Atualização contínua no Sistema SERPRO.

18 Departamento de Qualidade de Vida (DQV) Diretoria de Segurança Institucional (DSI) Divisão de Avaliação e Dimensionamento de Pessoal (DADP) Coordenação de Capacitação e Qualificação (CCQ) 18 Elaborar e executar o Plano de Capacitação e Qualificação Anual dos servidores da UFPE, bem como analisar e instruir processos de afastamento para participar de cursos e eventos como pagamentos de diárias, incentivo à qualificação e progressão por capacitação. Plano de Capacitação e Qualificação Anual. Treinamento de Integração dos Servidores. Servidores ativos. Estar sempre alinhada com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Manter o fluxo de informações com o NTI (Núcleo de Tecnologia da Informação) eficaz, pois ele emite o relatório das necessidades de Treinamento dos servidores através do Instruir e emitir Portarias de remoção dos servidores, elaborar folha de pagamento de bolsa de desenvolvimento profissional, entrevistar bolsistas e servidores para melhor adequar o perfil com as necessidades institucionais, etc. Sistemática de avaliação dos servidores técnicoadministrativos, através do Portarias. Relatórios. Servidores ativos. Estar sempre alinhada com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Manter o fluxo de informações com o NTI (Núcleo de Tecnologia da Informação) eficaz, pois a avaliação dos servidores é feita através do Trata-se da gestão máxima de segurança institucional da UFPE, planejando, avaliando, implantando, acompanhando, afastando e determinando toda e qualquer medida de cunho administrativo e diretivo na execução do plano e programa de segurança da UFPE. Plano e Programa de Segurança da UFPE. Relatório de ocorrência de fatos. Processos Físicos. Servidores. Comunidade acadêmica (alunos). Diversos públicos de interesse (população do entorno). Outros órgãos. Estar sempre alinhada com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Contar co profissionais treinados e capacitados constantemente para atender as diferentes demandas do trabalho. Melhorar a qualidade de vida da comunidade universitária, promovendo a melhoria na saúde, auto-estima, relação interpessoal e o bem-estar social de todos os servidores Programas: Academia UFPE, Ginástica Laboral, Colégios Parceiros, Eventos de integração e lazer, Saúde suplementar, Ressarcimento a Planos de Saúde, Clube do Desconto, Corrida/Caminhada Saúde, Centro Educacional Paulo Rosas. Servidores. Estar sempre alinhado com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Contar co profissionais treinados e capacitados constantemente para atender as diferentes demandas do trabalho.

19 Divisão de Análise de Processos Diretoria de Gestão de Pessoa/SEC 19 Responsável por todas as informações relacionadas ao quadro de servidores da UFPE. Sendo algumas de suas atividades: coordenação da Folha de Pagamento; elaboração da proposta orçamentária de pessoal da UFPE; planejamento de ações de desenvolvimento de pessoal; informação e registro da movimentação de pessoal; planejamento e coordenação das etapas de preparação do concurso público; publicação e registro de atos administrativos; gestão e execução das orientações provenientes do SIPEC (Sistema de Pessoal Civil da União) e das normas e diretrizes do Ministério da Educação (MEC). Processos físicos, nos quais são registradas as demandas funcionais. Pastas funcionais. Sistemas Operacionais internos criados para acompanhamento da vida funcional do servidor. Ofícios, Memorandos, etc. Portarias. Atualização contínua no Sistema SERPRO. Servidores (ativos e aposentados). Pensionistas. Outros órgãos. Ex-servidores. Estar sempre alinhado com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Manter o fluxo de informações dentre as Divisões que compõem o DGP sempre eficaz. Desenvolver continuamente os funcionários para que exerçam suas atividades de forma satisfatória. Manter uma gestão participativa. Criar um ambiente com infra-estrutura adequada para o desempenho do trabalho, aliado ao clima organizacional harmônico. Coordenar, executar e instruir processos administrativos, relativos a provimento/vacância de cargos públicos e contratos temporários na UFPE, nomeação, aposentadoria, exoneração e pensão, bem como controle de cargos efetivos. Processos físicos, nos quais são registradas as demandas funcionais. Portarias. Termos de Posse. Pastas funcionais. Ofícios, etc. Servidores (ativos e aposentados). Pensionistas. Outros órgãos. Ex-servidores. Estar sempre alinhada com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Responder adequadamente as demandas do Tribunal de Contas da União. Desenvolver continuamente seus funcionários para que estejam atualizados quanto à legislação de pessoal vigente.

20 Serviço de Atendimento ao Servidor Divisão de Pagamento de Pessoal Divisão de Apoio Administrativo Divisão de Cadastro e Movimentação 20 Instruir os processos referentes a informações funcionais, registro de cadastro funcional, licenças, afastamentos, redistribuição, averbação de tempo de serviço, entre outros. Processos físicos, nos quais são registradas as demandas funcionais. Documentos pertinentes à vida do servidor arquivados nas Pastas funcionais. Servidores (ativos e aposentados). Pensionistas. Outros órgãos. Ex-servidores. Manter o fluxo de processos entre a Divisão e o Arquivo Geral permanentemente organizado. Contar com infra-estrutura adequada para arquivo das pastas funcionais na Divisão. Portarias (LPA). Ofícios, entre outros para outros órgãos - sobre redistribuição. Emissão de diversos tipos de Portaria (Progressão, Mudança de regime de trabalho, incentivo à qualificação, Designação, etc.); Elaboração de relatórios; Publicações no Boletim Oficial, etc. Portarias. Publicações. Alimentação constante no sistema SERPRO. Boletins Oficiais. Servidores. Estar sempre alinhada com as diretrizes do MEC e demais órgãos regulamentadores. Coordenar e executar o processamento da folha de pagamento de pessoal, gerindo informações referentes à cálculos de benefícios e vantagens diversas e fazendo relatórios da folha com análise das ocorrências. A folha de Pagamento em si. (através do SERPRO). Servidores (ativos e aposentados). Pensionistas. Outros órgãos. Ex-servidores. Atender as demandas dos órgãos regulamentadores (MPOG, TCU, AGU...). Desenvolver continuamente seus funcionários para que estejam atualizados quanto à legislação de pagamento de pessoal vigente. Orientar os servidores ativos, aposentados e pensionistas acerca de assuntos ligados a vida funcional. Fornecer os formulários para a concessão de direitos, vantagens, afastamentos diversos; recadastramento de aposentados e pensionistas; Alimentação dos Sistemas Operacionais internos criados para acompanhamento da vida funcional do servidor. Declarações (documentos). Servidores (ativos e aposentados). Pensionistas Contar com funcionários bem preparados para atender as diversas demandas do setor. Possuir ferramentas de trabalho eficazes e sistemas internos permanentemente atualizados. Emissão de documentos e orientação sobre a tramitação de processos.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL Relatório de Gestão 2009 MARÇO/2010 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRESTAÇÃO

Leia mais

Bem-vindos à UFPE 2011.1 - REC

Bem-vindos à UFPE 2011.1 - REC Bem-vindos à UFPE 2011.1 - REC Universidade Federal de Pernambuco Missão Contribuir para transformar a sociedade, produzindo conhecimento e oferecendo uma educação cada vez melhor, permanentemente adaptada

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 044/2015, DE 13 DE ABRIL DE 2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

Relatório de Gestão 2010

Relatório de Gestão 2010 x Página 1 de 394 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Relatório de Gestão 2010 RECIFE MARÇO/2011 Página 2 de 394 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRESTAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DA UFRRJ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DA UFRRJ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DA UFRRJ Art. 1 O presente Regimento Interno estabelece diretrizes para disciplinar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório de Gestão do Exercício 2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório de Gestão do Exercício 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Relatório de Gestão do Exercício 2013 RECIFE 2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Relatório de Gestão do Exercício

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos SIG Sistema Integrado de Gestão SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos Agenda Contextualização Visão Geral dos seguintes sistemas: SIPAA, SGPP, SIGRH, SIGADMIN, SIGED. Conceitos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 69ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de novembro de 2015, no uso das atribuições que

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLOGICA NIT RESOLUÇÃO CONSU Nº. 33/21 DE 3 DE AGOSTO DE 21. A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, e consequente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN Nº 029 DE 1º DE OUTUBRO DE 2014 Aprova as Diretrizes da Política de Mobilidade Acadêmica da Universidade Federal da Integra ção Latino-Americana UNILA. O Conselho Universitário da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E VOLUNTARIADO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA NAS AÇÕES AFIRMATIVAS (ENSINO

Leia mais

Bem-vindos, novos Servidores da UFPE 2010.2 - REC

Bem-vindos, novos Servidores da UFPE 2010.2 - REC Bem-vindos, novos Servidores da UFPE 2010.2 - REC Missão Contribuir para transformar a sociedade, produzindo conhecimento e oferecendo uma educação cada vez melhor, permanentemente adaptada ao saber contemporâneo

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI)

RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) RELAÇÕES ENTRE O IFRS E AS FUNDAÇÕES DE APOIO AUTORIZADAS PELO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) E PELO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (MCTI) Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2010 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO DE CONTAS ORDINÁRIA ANUAL RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2013 Brasília - DF / 2014 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES SECRETARIA EXECUTIVA PRESTAÇÃO

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão

SIG Sistema Integrado de Gestão SIG Sistema Integrado de Gestão SIGRH -Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos Gustavo Bertoldo Quatrin Agenda Contextualização Visão Geral dos seguintes sistemas: SIPAC; SGPP; SIGAA; SIGADMIN;

Leia mais

Lista de Quadros. Fundação Uniplac

Lista de Quadros. Fundação Uniplac Lista de Quadros Quadro 1 Dirigente dafundaçãouniplac... 22 Quadro 2 Matérias apreciadas no Conselho Curador... 23 Quadro 3 Nominata do Conselho Curador... 23 Quadro 4 Matérias apreciadas no Conselho de

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA UFGD

PLANO DE AÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA UFGD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS GRUPO DE TRABALHO DE IMPLANTAÇÃO PLANO DE AÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DA UFGD AÇÕES EXECUTORES PERÍODO ESTRATÉGIA Resultados/Observações 1. Elaboração

Leia mais

Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades

Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades Anexo II Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades 100 GRADUAÇÃO 110 Políticas e Planejamento de Cursos REUNI 111 Fomentação e Implementação de Política de Ensino política de implementação

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as suas fundações de apoio. O PRESIDENTE DO

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 32/CUn, DE 27 DE AGOSTO DE 2013.

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 32/CUn, DE 27 DE AGOSTO DE 2013. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA ÓRGÃOS DELIBERATIVOS CENTRAIS CAMPUS UNIVERSITÁRIO TRINDADE CEP: 88040-900 FLORIANÓPOLIS SC TELEFONES: (48) 3721-9522 - 3721-4916 FAX: (48)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019 Agosto-2014 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1 o. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas da Universidade Federal de São João del-rei PROGP- UFSJ.

Art. 1º Aprovar o Regimento Interno da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas da Universidade Federal de São João del-rei PROGP- UFSJ. RESOLUÇÃO N o 017, de 7 de maio de 2007. Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas PROGP. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO

Leia mais

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 037/2013 DE 27

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei nº 10.435, de 24 de abril de 2002 NORMA PARA PARTICIPAÇÃO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA, EM TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EDUCAÇÃO FORMAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Estabelece critérios para participação

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR - IFES

TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR - IFES TABELA DE TEMPORALIDADE E DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR - IFES 100 ENSINO SUPERIOR 110 Normatização. Regulamentação Enquanto vigora -

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Regulamenta as normas para o relacionamento entre a Universidade Federal do Amapá e as Fundações de Apoio prevista na Lei n 8.958, de 20 de dezembro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS CENTRO DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS CENTRO DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS CENTRO DE EXTENSÃO REGIMENTO CENEX DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS / UFMG Belo Horizonte, 2008. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 110/10. Fixa as normas para os cursos de especialização e aperfeiçoamento do IFPR. O CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, e,

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAINT Exercício 2011 ANEXO I RESUMO DOS RELATÓRIOS DE AUDITORIA EMITIDOS NO EXERCÍCIO DE 2011

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES DE AUDITORIA INTERNA RAINT Exercício 2011 ANEXO I RESUMO DOS RELATÓRIOS DE AUDITORIA EMITIDOS NO EXERCÍCIO DE 2011 001 Unidades Gestoras da UFPE Cruzamento de dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), exercício 2007, com o Sistema Integrado de Administração de Recursos humanos (SIAPE). Detecção de indícios

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 1/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei No. 10.435 de 24 de abril de 2002 Pró-Reitoria de Administração

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Criada pela Lei No. 10.435 de 24 de abril de 2002 Pró-Reitoria de Administração EDITAL DE SELEÇÃO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS COM INTERESSE EM PARTICIPAR DE TREINAMENTO REGULARMENTE INSTITUÍDO EM NÍVEL DE EDUCAÇÃO FORMAL - QUALIFICAÇÃO A PRAD e o Departamento de Pessoal

Leia mais

FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE JOAQUIM NABUCO-UNIDADE RECIFE MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 Credenciamento - Ato autorizativo Portaria Nº 998 de 22/10/2007, publicada no DOU em 23/10/2007

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E METAS Art. 1º. O Programa de Capacitação Institucional PCI tem por objetivo promover a melhoria da qualidade das funções

Leia mais

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e da moralidade, com que se pratica do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CADCAM/C/UNICENTRO, DE 04 DE MAIO DE 2015. Aprova o Regulamento da Farmácia Escola do Campus Cedeteg, UNICENTRO-PR. O PRESIDENTE DO CONSELHO ADMINISTRATIVO DO CAMPUS CEDETEG, UNIDADE UNIVERSITÁRIA

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 031/2015 PROCESSO CLASSIFICATÓRIO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIDADE ORGANIZACIONAL CAMPUS BENTO GONÇALVES DO IFRS O Diretor-Geral da Unidade Organizacional

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº.1478-R de 14 de Abril de 2005 Regulamenta a Lei Complementar nº290, de 23 de junho de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado em 25 de junho de 2004, que dispõe sobre a criação da Fundação

Leia mais

EDITAL PRPPG 001/2011 MINTER EM EDUCAÇÃO UFES-IFES

EDITAL PRPPG 001/2011 MINTER EM EDUCAÇÃO UFES-IFES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO Autarquia criada pela Lei n o. 11.892, de 29 de dezembro de 2008 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Avenida

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO ESCOLA MUNICIPAL DE GOVERNO SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3º... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II Da Finalidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 700, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 700, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 700, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a relação entre a UFPA e as Fundações de Apoio ao Ensino, Pesquisa,

Leia mais

NORMAS GERAIS PARA A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE PESQUISA NA FAMA. Título I. Da Natureza, Caracterização, Fins e Objetivos

NORMAS GERAIS PARA A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE PESQUISA NA FAMA. Título I. Da Natureza, Caracterização, Fins e Objetivos NORMAS GERAIS PARA A REGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE DE PESQUISA NA FAMA Título I Da Natureza, Caracterização, Fins e Objetivos Art. 1 - A COORDENAÇÃO DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO - CPPE é o órgão

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO P O R T A R I A N. º 5 0 8 D E 1 5 D E J U L H O D E 2 0 1 1. O Reitor do Instituto Federal do Paraná, no uso da competência que lhe confere o Decreto de 13 de junho de 2011, da Presidência da República,

Leia mais

Parágrafo único. Os servidores docentes podem candidatar-se somente em caso de formação de mestrado ou doutorado.

Parágrafo único. Os servidores docentes podem candidatar-se somente em caso de formação de mestrado ou doutorado. RESOLUÇÃO N o 014, de 23 de dezembro de 2009. Regulamenta o Programa de Incentivo à Formação dos Servidores (PROSER) da UFSJ. O PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA RESOLUÇÃO Nº 06/2013 DO CONSELHO DIRETOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Institui o Programa de Apoio à Qualificação (QUALI-UFU) mediante o custeio de ações de qualificação para os servidores efetivos: docentes

Leia mais

Art. 1º Aprovar o Regulamento do Programa de Estágio Pós-Doutoral (anexo).

Art. 1º Aprovar o Regulamento do Programa de Estágio Pós-Doutoral (anexo). Resolução nº 286/CONSEA, de 30 de abril de 2013. Regulamento do Programa de Estágio Pós-Doutoral. O Conselho Superior Acadêmico (CONSEA), da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR), no uso de

Leia mais

Novo Sistema de Gestão do IFAM

Novo Sistema de Gestão do IFAM Novo Sistema de Gestão do IFAM Os módulos serão implantados atendendo aos critérios: Sistema/Módulo Entrega Prazo de Entrega Módulo Administrativo Integração SIAFI Módulo de Recursos Humanos Protocolo

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 080/2014, DE 25 DE JUNHO DE 2014 CONSELHO UNIVERSITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG O Conselho Universitário da UNIFAL-MG, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias,

Leia mais

EDITAL Nº 08/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIFICAÇÃO - PIQ

EDITAL Nº 08/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIFICAÇÃO - PIQ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 08/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto

Leia mais

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade Resolução nº 200/CONSEA, de 19 de fevereiro de 2009. Altera normas para o oferecimento de cursos de pós-graduação Stricto Sensu e lato sensu, pelos Departamentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia

Leia mais

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

APROVAR as normas para concessão de afastamento para pós-graduação aos servidores do IF-SC. CAPÍTULO I DOS TIPOS DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO N o 019/2012/CDP Florianópolis, 03 de maio de 2012. A PRESIDENTE DO DO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo Regimento Geral do IF-SC e pelo

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

Informações sobre afastamento para qualificação e licença para capacitação

Informações sobre afastamento para qualificação e licença para capacitação Informações sobre afastamento para qualificação e licença para capacitação O que é capacitação? A Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal assim define capacitação: Processo permanente e deliberado

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR (IFES)

TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR (IFES) TABELA DE TEMPORALIDADE E DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR (IFES) 100 ENSINO SUPERIOR 110 Normatização. Regulamentação Enquanto vigora -

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO Nº./2014/CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINUTA DE RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO Nº./2014/CONSELHO UNIVERSITÁRIO MINUTA DE RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO Nº./2014/CONSELHO UNIVERSITÁRIO Estabelece as diretrizes da Política de Mobilidade Acadêmica da Universidade Federal da Integração Latino-Americana UNILA. O CONSELHO SUPERIOR

Leia mais

FONTE: SIGA - TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR

FONTE: SIGA - TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR 1 FONTE: SIGA - TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO RELATIVOS ÀS ATIVIDADES-FIM DAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR CORRENTE 100 ENSINO SUPERIOR 110 Normatização. Regulamentação

Leia mais

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO

ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO ROTEIRO PARA SUPERVISÃO I INTRODUÇÃO Este documento tem a finalidade de estabelecer um referencial para o exercício da função de supervisão dos Cursos das Instituições do Ensino Superior, do Sistema Estadual

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011)

RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) RESOLUÇÃO N o 012, de 27 de março de 2008. 1 (Modificado o Regimento pela Res. 022/2011 e 061/2011) Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Instrução Normativa xx de... 2014.

Instrução Normativa xx de... 2014. REGULAMENTO PARA AFASTAMENTO DE SERVIDORES DOCENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL PARA CAPACITAÇÃO EM PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU E PÓS-DOUTORADO

Leia mais

NORMA DO PROGRAMA DE BOLSAS REUNI DE ASSISTÊNCIA AO ENSINO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE

NORMA DO PROGRAMA DE BOLSAS REUNI DE ASSISTÊNCIA AO ENSINO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE NORMA DO PROGRAMA DE BOLSAS REUNI DE ASSISTÊNCIA AO ENSINO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE As Pró-Reitorias de Graduação e de Pesquisa e Pós-Graduação, CONSIDERANDO a necessidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO REITORIA ASSESSORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL Nº 06, DE 18 DE AGOSTO DE 2014. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/2015 DO CONSELHO CURADOR DA FUNDAÇÃO DE APOIO UNIVERSITÁRIO

RESOLUÇÃO Nº 01/2015 DO CONSELHO CURADOR DA FUNDAÇÃO DE APOIO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/2015 DO CONSELHO CURADOR DA FUNDAÇÃO DE APOIO UNIVERSITÁRIO Define diretrizes e procedimentos relativos a gestão de recursos financeiros captados ou administrados pela Fundação de Apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ESTUDANTIS DIRETORIA DE AÇÕES INTEGRATIVAS NÚCLEO DE ACESSIBILIDADE DA UFPE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ESTUDANTIS DIRETORIA DE AÇÕES INTEGRATIVAS NÚCLEO DE ACESSIBILIDADE DA UFPE BOLSA MANUTENÇÃO INCLUIR 2015.1 A Pró-Reitoria para Assuntos Estudantis (PROAES) torna público que os estudantes dos cursos de graduação presencial da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), interessados

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 FACULDADE MAURICIO DE NASSAU DE BELÉM MANTIDA PELO GRUPO SER EDUCACIONAL CREDENCIAMENTO: PORTARIA Nº 571, DE 13 DE MAIO DE, DOU 16 DE MAIO DE SEÇÃO I EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 O Diretor da Faculdade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 097/2014, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 097/2014, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UFPE, CANDIDATOS AO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À GRADUAÇÃO

EDITAL PARA SELEÇÃO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UFPE, CANDIDATOS AO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À GRADUAÇÃO EDITAL PARA SELEÇÃO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UFPE, CANDIDATOS AO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À GRADUAÇÃO EDITAL Nº 001/01 A Pró-Reitora da - PROGEPE da Universidade Federal

Leia mais

RESOLUÇÃO UNESP Nº 41, DE 17 DE OUTUBRO DE

RESOLUÇÃO UNESP Nº 41, DE 17 DE OUTUBRO DE RESOLUÇÃO UNESP Nº 41, DE 17 DE OUTUBRO DE 2011 (Publicada no D.O.E. de 18/10/11 Seção I, pág. 99) (Republicada no D.O.E. de 10/01/12 Seção I, pág. 78) Regulamenta os Cursos de Especialização da UNESP.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Informática EDITAL N 01/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Informática EDITAL N 01/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Informática EDITAL N 01/2014 EDITAL DE SELEÇÃO PARA TUTOR A DISTÂNCIA DO CURSO DE FORMAÇÃO ALUNO INTEGRADO A Universidade Federal de Pernambuco, por meio do

Leia mais

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032)

PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) PROJETO DE ORGANISMO INTERNACIONAL EDITAL Nº 3/2008 (BRA/03/032) SELECIONA PROFISSIONAL, COM O SEGUINTE PERFIL: CONSULTOR (Consultor por Produto - Serviços Não Continuados) Consultor Especialista em Projetos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 01/2012 Regulamenta a relação entre a UFCG e sua fundação de apoio e define critérios

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES EM 2014 E PROPOSTAS PARA 2015 PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO-PROAD. Realizado. Realizado. Realizado.

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES EM 2014 E PROPOSTAS PARA 2015 PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO-PROAD. Realizado. Realizado. Realizado. PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO-PROAD, DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO-DA, DEPARTAMENTO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO- DEMAP, DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE E FINANÇAS-DECOFIN, PREFEITURA DO CAMPUS ITAPERI, COORDENADORIA

Leia mais

CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO

CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVÊNIOS COM INSTITUIÇÕES DE ENSINO A Imediata Consultoria e Serviços LTDA possui convênios com instituições de ensino no âmbito de divulgação de vagas de estágio e de percentual de bolsas de estudos.

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011.

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. Aprova o novo Regulamento da Agência de Inovação e Propriedade Intelectual da Universidade Estadual de Ponta Grossa, e revoga a Resolução UNIV n o 27, de 20

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS. Graduação Sanduíche nos EUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS. Graduação Sanduíche nos EUA Chamada Pública UNICENTRO/CAPES nº 01/2011 Em atendimento a chamada CAPES 01/211 do Programa Ciência sem Fronteiras, a UNICENTRO torna pública a seleção de estudantes de graduação em áreas e temas de estudo

Leia mais

MANUAL BOLSISTA. Núcleo de Atenção Solidária NAS

MANUAL BOLSISTA. Núcleo de Atenção Solidária NAS MANUAL DO BOLSISTA Núcleo de Atenção Solidária NAS Sumário 1 - Bolsa de Estudo... 2 2 - Tipos de Bolsas de Estudo... 2 - ProUni... 2 Eventuais Programas de Bolsas de Estudo:... 2 - Vestibular Social....

Leia mais

ALIANÇA TERESINA - MAURICIO DE NASSAU

ALIANÇA TERESINA - MAURICIO DE NASSAU ALIANÇA TERESINA - MAURICIO DE NASSAU EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A direção da Faculdade Aliança / Faculdade Maurício de Nassau no uso de suas atribuições e com base nas disposições regimentais,

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL - CGO

ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL - CGO ATRIBUIÇÕES DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL - CGO Atribuição: Coordenar a execução das ações relacionadas às áreas administrativas, organizativas e financeiras da PROEXT, bem como secretariar a

Leia mais

Capítulo I Âmbito de Aplicação, Objetivos e Diretrizes

Capítulo I Âmbito de Aplicação, Objetivos e Diretrizes MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS COORDENAÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO ESTUDANTIL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO ESTUDANTIL Capítulo I Âmbito de Aplicação,

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N o 13/2014 Aprova o Orçamento Interno da Universidade Federal da Paraíba, para o exercício financeiro de 2014.

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

O Presidente da Câmara Superior de Pós-Graduação da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

O Presidente da Câmara Superior de Pós-Graduação da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 13/2008 Revoga a Resolução Nº 13/2007 desta Câmara, e dá nova redação

Leia mais