PROPRIEDADES COLIGATIVAS I

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPRIEDADES COLIGATIVAS I"

Transcrição

1 PROPRIEDADES COLIGATIVAS I CONCEITO São propriedades que dependem unicamente do número de partículas dispersas na solução. Não dependem da natureza das partículas dispersas. Observe, a seguir, alguns dados obtidos experimentalmente, ao nível do mar (1 atm). O soluto não volátil (glicose, sacarose) provoca um aumento da temperatura de ebulição de água, que quando pura, ferve a 100 C. O aumento da temperatura de ebulição não depende da natureza da partícula dissolvida. Não influirá o fato de a partícula ser grande ou pequena, ser neutra ou possuir carga, ser polar ou apolar. Todas as soluções acima possuem o mesmo número total de partículas de soluto por litro e fervem na mesma temperatura. Propriedades desse tipo, que dependem apenas do número de partículas dissolvidas do soluto por litro e fervem na mesma temperatura são denominadas coligativas. EFEITOS COLIGATIVOS Quando adicionamos um soluto não-volátil a um solvente, a solução obtida apresenta propriedades diferentes do solvente puro, as quais são denominadas coligativas. São elas: PRESSÃO MÁXIMA DE VAPOR Consideremos um líquido, por exemplo, água, à temperatura de 30 C, no interior de um recipiente fechado, em equilíbrio dinâmico com seu vapor. Quando o número de moléculas que passam à fase gasosa for igual ao número de moléculas que voltam à fase líquida, é atingido o equilíbrio dinâmico. Neste momento, a pressão exercida pelo vapor, em equilíbrio com seu líquido, é denominada PRESSÃO MÁXIMA DE VAPOR. 1

2 FATORES QUE INFLUEM NA PRESSÃO DE VAPOR Material Complementar Dois são os fatores que influem na Pressão máxima de vapor de um líquido: 1º A influência da temperatura A elevação da temperatura favorece a vaporização do líquido, o que acarreta aumento da pressão de vapor. 2º A influência da Natureza do Líquido Observe, no quadro abaixo, alguns valores de pressão máxima de vapor, em mmhg, à 20 C de quatro líquidos diferentes. A volatilidade de um líquido está diretamente associada à atração entre suas moléculas. Assim, quanto mais fracas forem as ligações intermoleculares, mais fácil será a evaporação e, portanto, maior será a pressão de vapor do líquido. No quadro acima, as moléculas de HEXANO, são as que apresentam ligações intermoleculares (de Van der Waals) mais fracas, portanto, maior pressão máxima de vapor. Por outro lado, as moléculas de ÁCIDO ACÉTICO, são as que apresentam ligações intermoleculares (pontes ou ligações de hidrogênio) mais fortes, portanto menor pressão máxima de vapor. 2

3 Temperatura de ebulição de um líquido Assim concluímos que: Um líquido ferve (entra em ebulição) à temperatura na qual a pressão máxima de vapor se iguala à pressão exercida sobre sua superfície, ou seja, à pressão atmosférica. Analisando graficamente A condição para que um líquido puro entre em ebulição é que sua pressão de vapor seja igual à pressão atmosférica que atua sobre a superfície do líquido. Por exemplo, ao nível do mar a pressão atmosférica é de 760 mmhg. Para que o éter etílico e a água entrem em ebulição, nessas condições, é necessário que sua pressão de vapor atinja o valor de 760 mmhg. Para que ela atinja esse valor, deve-se aquecê-la á 34 C para o éter etílico e 100 C para a água respectivamente. Assim, a temperatura de ebulição do éter etílico ao nível do mar é de 34 C e da água é de 100 C. 3

4 Variação da Pressão Atmosférica e Ponto de Ebulição com a Altitude O gráfico abaixo mostra a variação dos pontos de ebulição da água a diferentes altitudes. A temperatura de ebulição de um líquido depende da pressão externa, da pressão atmosférica:»» Quanto maior a altitude, menor é a pressão atmosférica; a pressão atmosférica é menor que 760 mmhg. Desse modo, nas montanhas, onde a pressão atmosférica é menor do que ao nível do mar a temperatura de ebulição da água, em recipiente aberto, é menor que 100 C. No pico do monte Everest onde a pressão atmosférica é de 230 mmhg a água ferve a 70 C.»»Se a pressão externa aumentar, a temperatura de ebulição do líquido também irá aumentar. Exemplo: em uma panela de pressão, a pressão sobre a água é maior que 760 mmhg. Assim, em uma panela de pressão, a temperatura de ebulição da água será superior a 100 C; quando a pressão aumenta de 760 para mmhg, a temperatura de ebulição da água aumenta de 100 C para 120 C. Pressão de vapor de um sólido Para a maioria dos sólidos, a pressão máxima de vapor é desprezível. No entanto, para alguns sólidos, que sofrem sublimação, como a naftalina, apresentam uma considerável pressão máxima de vapor. Portanto, a pressão máxima de vapor de um sólido também depende da natureza do sólido e da temperatura. 4

5 EXERCÍCIOS 01. (UFU-MG) O gráfico abaixo representa a variação da pressão de vapor da acetona em função da temperatura. Se acetona líquida for colocada no interior de um recipiente e este for submetido a vácuo até a pressão de 100 mm Hg, será observado a 25 C; a) Acetona líquida numa temperatura inferior à inicial. b) O volume de acetona líquida permanece inalterado. c) Toda a acetona se encontrará na fase de vapor. d) Acetona líquida em equilíbrio com a frase de vapor. e) Desprendimento de bolhas de ar da acetona líquida. 02. (Fatec SP) O gráfico a seguir mostra a variação da pressão de vapor, em função da temperatura, para o dicloro-diflúormetano. A temperatura de ebulição, em o C, do CCl 2 F 2, no nível do mar, é de aproximadamente: a) 0 b) 20 c) 25 d) 25 e) -13 5

6 03. (Fuvest SP) As curvas de pressão de vapor de éter dietílico (A) e etanol (B) são dadas a seguir: a) Quais os pontos de ebulição destas substâncias na cidade de São Paulo? (Pressão atmosférica = 700 mm Hg) b) A 500 mm Hg e 50 C, qual é o estado físico de cada uma dessas substâncias? Justifique. 04. (ENEM) Um líquido, num frasco aberto, entra em ebulição a partir do momento em que a sua pressão de vapor se iguala à pressão atmosférica. Identifique a opção correta, considerando a tabela, o gráfico e os dados apresentados sobre as seguintes cidades: A temperatura de ebulição será: a) maior em Campos do Jordão. b) menor em Natal. c) menor no Pico da Neblina. d) igual em Campos do Jordão e Natal. e) não dependerá a altitude. 05. (UEL PR) Leia as afirmações referentes ao gráfico que representa a variação da pressão de vapor em equilíbrio com a temperatura. 6

7 I. As forças de atração intermoleculares das substâncias apresentadas, no estado líquido, aumentam na seguinte ordem: dietiléter < 2- butanol < 1- butanol. II. O ponto de ebulição normal é a temperatura na qual a pressão de vapor do líquido é igual à pressão de uma atmosfera. III. A pressão de vapor de um líquido depende da temperatura; quanto maior a temperatura, maior a sua pressão de vapor. IV. À medida que a pressão atmosférica sobre o líquido é diminuída, é necessário elevar-se a sua temperatura, para que a pressão de vapor se iguale às novas condições do ambiente. Dentre as afirmativas, estão corretas: a) I, II e IV. b) I, III e IV. c) I, II e III. d) II, III e IV. e) I, II, III e IV. 06. (PUC MG) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do sulfeto de carbono, metanol, etanol e água em função da temperatura. De acordo com o gráfico, assinale a afirmativa INCORRETA. a) A substância que apresenta maior temperatura de ebulição ao nível do mar é a água. b) A ordem crescente de volatilidade, a 40 C, das substâncias é: água < etanol < metanol < sulfeto de carbono. c) Em condições ambientes, a substância que apresenta menor pressão de vapor é o sulfeto de carbono. d) Na pressão de 1 atm, o etanol apresenta uma temperatura de ebulição de aproximadamente 80 C. 07. (UFSC) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do n-hexano, da água, do benzeno e do ácido acético com a temperatura. 7

8 Identifique a(s) proposição(ões) verdadeira(s): a) O n-hexano é mais volátil que o ácido acético. Material Complementar b) Na pressão de 760 mm Hg, o benzeno tem ponto de ebulição de 80 C. c) A 76 C a pressão de vapor de água é aproximadamente de 760 mm Hg. d) Uma mistura de água e ácido acético, em qualquer proporção, terá, ao nível do mar, ponto de ebulição entre 60 e 80 C. e) A água tem, a 0 C, pressão de vapor igual a 760 mm Hg. f) A ordem crescente de volatibilidade, a 80 C, é: ácido acético < água <benzeno < n-hexano. g) As pressões de vapor aumentam com a temperatura. 08. (UFAC) A pressão de vapor de um líquido é uma indicação da velocidade com que suas moléculas podem vencer as forças de atração que as mantém unidas e passam para o estado gasoso. Uma quantidade maior de energia facilita essa fuga, por isso podemos esperar que a pressão de vapor de um líquido aumente com o aumento da temperatura. A baixo, está mostrado um gráfico de temperatura versus pressão de vapor para a água. Em uma cozinha, faz-se uso da panela de pressão para cozinhar alimentos mais rapidamente. Analisando o gráfico e considerando uma pressão de 1520 mm Hg, a temperatura dentro da panela será igual a: a) 110 C b) 383 C c) 120K d) 98K e) 273 C 09. (UFTM MG) As curvas do gráfico representam a relação da pressão de vapor com a temperatura para o dissulfeto de carbono, CS 2, e etanol, CH 3 CH 2 OH. Considerando-se que os dois compostos estão ao nível do mar, em frascos abertos, é correto afirmar que: 8

9 a) no estado líquido, as forças intermoleculares do dissulfeto de carbono são mais intensas que as forças intermoleculares do etanol. b) estando os dois compostos nas respectivas temperaturas de ebulição, a pressão de vapor do CH 3 CH 2 OH é maior que a pressão de vapor do CS 2. c) o composto que tem em sua molécula ligações químicas mais fortemente polares é o que tem a pressão de vapor mais alta. d) o ponto de ebulição do CS 2 é maior que o ponto de ebulição do CH 3 CH 2 OH. e) à temperatura de 50 C, um deles é gás e o outro é líquido. 10. (UEL PR) O gráfico a seguir mostra as variações de pressão de vapor (KPa), em função da temperatura ( C), do butan-l-ol, do éter dietílico e da butanona, representadas pelas letra A, B e C, não necessariamente na ordem apresentada das substâncias. De acordo com o gráfico, as curvas A, B e C correspondem, respectivamente, aos compostos: a) butanona, butan-l-ol e éter dietílico. b) éter dietílico, butan-l-ol e butanona. c) éter dietílico, butanona e butan-l-ol. d) butan-l-ol, éter dietílico e butanona. e) butan-l-ol, butanona e éter dietílico. PROPRIEDADES COLIGATIVAS II CÁLCULO DO NÚMERO DE PARTÍCULAS DISPERSAS EM UMA SOLUÇÃO As propriedades coligativas dependem do número de partículas do soluto dissolvidos em um solvente. É evidente que um aumento de número de partículas acarreta um aumento nos efeitos coligativos. Assim, por exemplo: Para Soluções Moleculares ou Não Eletrolíticas Colocando-se 1 mol de glicose, 6, moléculas, na água, resultarão 1 mol, 6, de moléculas dissolvidas. Para Soluções Eletrolíticas ou Iônicas Nas soluções iônicas, porém, devido ao fenômeno da ionização (para ácidos) ou dissociação (para bases e sais), o número de partículas presentes na solução é maior que o número de partículas dissolvidas, o que provoca um aumento no efeito coligativo. Por esse motivo, nas soluções iônicas devemos introduzir um fator de correção. Esse fator é representado pela letra i e foi proposto pela primeira vez por Van t Hoff. Van t Hoff deduziu uma expressão matemática que relaciona o grau de dissociação ( ) e o número de íons produzidos por fórmula de soluto (q) para a determinação do i : i = α (q 1) + 1 onde: α é o grau de ionização do soluto q é o número de íons produzidos pela ionização ou dissociação do soluto. 9

10 VARIAÇÃO DO FATOR DE VAN'T HOFF Pela fórmula i = 1 + α.(q 1), concluímos que:»»quando α = 0 (solução molecular) i = 1»»quando α = 1 (solução totalmente ionizada) i = q Portanto: 1 i q Exemplo: Admita que uma solução aquosa contém K 3 PO 4, com grau de dissociação igual a 90%. O fator de Van t Hoff ( i ) utilizado nos cálculos envolvendo as propriedades coligativas dessa solução, vale? Resolução: OS EFEITOS COLIGATIVOS Tonoscopia ou Tonometria Na experiência acima, realizado à temperatura de 30 C, notamos que a dissolução de 1 mol de glicose em 1 kg de água (1 MOLAL), atrapalha, dificulta, diminui a evaporação da água. Ao diminuir a evaporação da água, diminui a pressão máxima de vapor da mesma de 31,82 mmhg para 31,24 mm Hg. Por isso que: A TONOSCOPIA OU TONOMETRIA, estuda a diminuição da pressão máxima de vapor de um solvente provocada pela adição de um soluto não volátil. 10

11 GRAFICAMENTE Material Complementar Em qualquer temperatura, a pressão do solvente na solução diminui de um valor p em relação ao solvente puro. 11

12 CRIOSCOPIA Na experiência acima, realizada ao nível do mar, notamos que a dissolução de 1 mol de glicose em 1kg de água (1molal) provocou a diminuição na temperatura do congelamento da água pura de 0 C para 1,86 C. Por isso que: A CRIOSCOPIA OU CRIOMETRIA, estuda o abaixamento na temperatura de congelamento de um solvente provocada pela adição de um soluto não volátil. Note-se que existe uma relação entre o número de mol de partículas do soluto e as variações na pressão máxima de vapor, temperatura de ebulição. 12

13 EXERCÍCIOS 01. (UEM) Considere as figuras a seguir, a 25 C, e assinale a(s) alternativa(s) correta(s). (01) A 25 C, os três líquidos A, B e C possuem pressão de vapor diferentes, portanto possuem volatilidades diferentes. (02) O líquido B é o mais volátil dentre os três líquidos. (04) O valor da pressão de vapor de cada um dos líquidos pode ser obtida através do respectivo valor de h, da densidade do líquido dentro do manômetro e do valor da aceleração da gravidade. (08) O líquido B deve ser menos polar que os líquidos A e C. (16) Caso se duplique o volume do recipiente B, na temperatura de 25 C, a pressão de vapor do líquido remanescente cairá à metade. (32) Se a densidade do líquido dentro dos manômetros diminuir, os valores de h A, h B e h C também diminuirão. SOMATÓRIA: 02. (UNESP SP) A crioscopia é uma técnica utilizada para determinar a massa molar de um soluto através da diminuição da temperatura de solidificação de um líquido, provocada pela adição de um soluto não volátil. Por exemplo, a temperatura de solidificação da água pura é 0 C (pressão de 1 atm), mas ao se resfriar uma solução aquosa 10% de cloreto de sódio, a solidificação ocorrerá a -2 C. A adição de soluto não volátil a um líquido provoca: 13

14 a) nenhuma alteração na pressão de vapor desse líquido. b) o aumento da pressão de vapor desse líquido. c) o aumento da temperatura de solidificação desse líquido. d) a diminuição da temperatura de ebulição desse líquido. e) a diminuição da pressão de vapor desse líquido. Material Complementar 03. (UFMG) Num congelador, há cinco fôrmas que contêm líquidos diferentes, para fazer gelo e picolés de limão. Se as fôrmas forem colocadas, ao mesmo tempo, no congelador e estiverem, inicialmente, com a mesma temperatura, vai congelar-se primeiro a fôrma que contém 500 ml de quê? a) De água pura. b) De solução, em água, contendo 50mL de suco de limão. c) De solução, em água, contendo 100 ml de suco de limão. d) De solução, em água, contendo 50 ml de suco de limão e 50 g de açúcar. e) De solução, em água, contendo 100 ml de suco de limão e 50g de açúcar. 04. (VUNESP) Qual é a solução aquosa que apresenta menor ponto de congelação? a) CaBr 2 de concentração 0,10 mol/l. b) KBr de concentração 0,20 mol/l. c) Na 2 SO 4 de concentração 0,10 mol/l. d) glicose (C 6 H 12 O 6 ) de concentração 0,50 mol/l. e) HNO 3 de concentração 0,30 mol/l. 05. (UEL PR) Na mesma condição de pressão foram preparadas as seguintes soluções. Em um béquer (béquer 1) foram adicionados 1 kg de água e 1 mol de sacarose (C 12 H 22 O 11 ). A mistura foi agitada dando origem a uma solução 1. E m outro béquer (béquer 2) foram adicionados 1 kg de água e 1 mol de cloreto de sódio (NaCl). A mistura foi agitada dando origem a uma solução 2. E m outro béquer (béquer 3) foram adicionados 1 kg de água e 1 mol de glicose (C 6 H 12 O 6 ). A mistura foi agitada dando origem a uma solução 3. Com relação às soluções contidas nos béqueres 1, 2 e 3 é correto afirmar: a) A diminuição do ponto de congelamento do solvente na solução 1 é maior que na solução 3. b) O aumento do ponto de ebulição do solvente na solução 2 é menor que na solução 1. c) A diminuição da pressão de vapor do solvente da solução 2 é duas vezes maior que da solução 1. d) A diminuição da pressão de vapor do solvente da solução 2 é igual ao da solução 3. e) O aumento do ponto de ebulição do solvente da solução 1 é duas vezes maior que da solução (PUC MG) Sejam dadas as seguintes soluções aquosas. I. 0,1 mol/l de glicose II. 0,2 mol/l de sacarose III. 0,1 mol/l de ácido clorídrico IV. 0,2 mol/l de cloreto de potássio V. 0,2 mol/l de sulfato de sódio Das solução acima, assinale a opção que apresenta menor pressão de vapor: a) I b) II c) III d) IV e) V 14

15 07. (UEM PR) Assinale o que for correto. Material Complementar (01) Um líquido ferve (entra em ebulição) à temperatura na qual a pressão máxima de vapor se iguala (ou excede) à pressão exercida sobre sua superfície, ou seja, à pressão atmosférica. (02) Tonoscopia ou tonometria é o estudo da diminuição da pressão máxima de vapor de um solvente, provocada pela adição de um soluto não-volátil. (04) À mesma temperatura, uma solução aquosa 0,01 Mol/L de hidróxido de magnésio possui menor pressão de vapor do que uma solução aquosa 0,001 Mol/L de hidróxido de sódio. (08) Considerando que o álcool etílico possui uma pressão de vapor de 43,9 mmhg (a 20 C) e o éter etílico de 442,2 mmhg (a 20 C), pode-se afirmar que o álcool etílico é mais volátil. (16) Crioscopia é o estudo do abaixamento do ponto de congelamento de uma solução, provocado pela presença de um soluto volátil. SOMATÓRIA: 08. (PUC MG) Certas propriedades físicas de um solvente, tais como temperatura de ebulição e de solidificação, são alteradas quando nele dissolvemos um soluto não-volátil. Para se verificar esse fato, quatro sais distintos foram dissolvidos em frascos contendo a mesma quantidade de água, formando as soluções I, II, III e IV, como indica o esquema a seguir: Assinale a alternativa que apresenta soluções em ordem CRESCENTE de abaixamento da temperatura de solidificação. a) IV < I < II < III b) III < I < II < IV c) IV < II < I < III d) III < II < I < IV 09. (UFSCAR SP) A figura a seguir apresenta as curvas de pressão de vapor de três líquidos puros, 1, 2 e 3, em função da temperatura. Considere que os líquidos estão submetidos à mesma pressão e analise as seguintes afirmações: I. Quando os líquidos estão em suas respectivas temperaturas de ebulição, a pressão de vapor do líquido 1 é maior que a dos líquidos 2 e 3. II. Quando se adiciona um soluto não volátil ao líquido 2, observa-se um aumento no seu ponto de ebulição. III. Na temperatura ambiente, o líquido 3 é o mais volátil. IV. A maior intensidade das forças intermoleculares no líquido 3 é uma explicação possível para o comportamento observado. 15

16 Está correto apenas o que se afirma em: a) I e II. b) I e IV. c) II e III. d) II e IV. e) III e IV. 10. (UNESP SP) A adição de substâncias à água afeta suas propriedades coligativas. Compare as temperaturas de fusão e ebulição de duas soluções aquosas contendo, respectivamente, 1 mol/l de NaCl e 1 mol/l de glicose, nas mesmas condições de pressão. PROPRIEDADES COLIGATIVAS III EBULIOSCOPIA Na experiência acima, realizada ao nível do mar, notamos que a dissolução de 1 mol de glicose em 1 kg de água (1 MOLAL) provocou o aumento na temperatura de ebulição de água pura de 100 C para 100,52 C.»» Por isso que: A Ebulioscopia ou Ebuliometria, Estuda a elevação na temperatura de ebulição de um solvente provocada pela adição de um soluto não volátil. Nota-se que existe uma relação entre o número de mol de partículas do soluto e as variações na pressão máxima de vapor, e ponto de congelamento. 16

17 »» Misturas de sal e gelo são utilizadas quando se necessita do sistema com baixas temperaturas. Em laboratório, um tipo de mistura refrigerante bastante comum é obtido pela adição de sal grosso com gelo moído, nas proporções em massa de 23% e 77%, respectivamente. Essa mistura atinge uma temperatura de cerca de -22 C. É o estudo da Pressão Osmótica das soluções. DEFINIÇÃO DE OSMOSE OSMOSCOPIA No início do experimento, temos duas soluções separadas por uma membrana semipermeável, apresentando o mesmo nível nos tubos A e B. A membrana semipermeável se deixa atravessar apenas por partículas de solvente, barrando as partículas de soluto. 17

18 Após certo tempo observamos um desnível entre os dois tubos, devido à passagem de solvente, água no caso, da solução diluída para a solução concentrada. A passagem de solvente através de membranas semipermeáveis é denominado OSMOSE. A osmose ocorre principalmente no sentido: Fórmulas Sendo: V = volume da solução n = quantidade em mols do soluto T = temperatura absoluta Isto pode ser explicado pela maior pressão de vapor do solvente puro ou de solução diluída. Espontaneamente, a osmose só se estabiliza quando as concentrações se igualam. Querendo impedir que a osmose ocorra, é preciso exercer uma pressão sobre o sistema no sentido inverso ao da osmose e de intensidade mínima igual à pressão que o solvente faz para atravessar a membrana semipermeável. Pressão Osmótica (π) A essa pressão capaz de impedir a osmose, dá-se o nome de pressão osmótica. Leis As leis da osmometria foram determinadas experimentalmente por Van't Hoff. Esse cientista comprovou que, em soluções diluídas, de soluto não-iônicos: 1ª Lei Em temperatura constante, a pressão osmótica é diretamente proporcional à concentração em mol/l (molaridade da solução). 2ª Lei Em molaridade constante, a pressão osmótica é diretamente proporcional à temperatura absoluta da solução. Osmose reversa ou contra-osmose 18

19 Aplicando, a uma solução, uma pressão superior à pressão osmótica, provocamos a passagem de moléculas do solvente da solução mais concentrada para a mais diluída. Esse processo é denominado osmose reversa e é utilizado para a dessalinização da água do mar. O esquema ao lado ilustra o processo da osmose reversa. A pressão osmótica da água do mar é aproximadamente igual a 30 atm, quando comparada com a da água pura. Então, para obtermos a sua osmose reversa são necessárias pressões superiores a 30 atm. Na prática, são utilizadas pressões superiores a 100 atm, pois, à medida que ocorre a osmose reversa, a concentração da solução resultante aumenta. Uma das maiores instalações em operação que obtém água potável a partir da água do mar está localizada na Ilha de Malta (Mediterrâneo) e purifica 16 milhões de litros de água por dia. EXERCÍCIOS 01. Analise as soluções aquosas abaixo discriminadas, todas à mesma temperatura: I. C 12 O 22 O 11 0,040 mol/l II. AgNO 3 0,025 mol/l III. Na 2 CO 3 0,020 mol/l IV. MgCl 2 0,010 mol/l Quais afirmações estão corretas, considerando que as espécies iônicas estão 100% ionizadas? (01) A pressão de vapor da solução IV é mais alta que a pressão de vapor da solução III. (02) O ponto de congelamento da solução IV é o mais alto de todas as soluções acima. (04) A pressão osmótica da solução III é maior do que a pressão osmótica da solução II. (08) A solução II tem ponto de ebulição mais elevado do que o ponto de ebulição da solução I. (16) O ponto de ebulição da solução I é mais baixo de todas as soluções acima. SOMATÓRIA: 02. (UFSE) Quando se comparam soluções aquosas de mesma concentração (em mol/l) uma de sal de cozinha, NaCl (composto solúvel em água e totalmente ionizado), outra de cloreto de potássio, KCl (composto solúvel em água e totalmente ionizado) com água destilada, afirma-se que: I. Sob mesma pressão, a água destilada ferve a menor temperatura. II. Sob a mesma pressão, as duas soluções fervem à mesma temperatura. III. As duas soluções congelam à mesma temperatura que é maior do que a da água. IV. Com membrana semi-permeável separando as duas soluções da água: a solução de maior pressão osmótica é a solução de NaCl. V. As duas diferem bastante da água, quanto à concentração de cátions e ânions presentes. Estão corretas apenas as afirmações: a) I, II e III b) I, III e IV c) II, IV e V d) I, II e V e) III, IV e V 19

20 03. (UEPG PR) A tabela abaixo mostra a pressão de vapor das substâncias A, B, C e D à mesma temperatura. A respeito dessas substâncias, assinale o que for correto. (01) A substância D é a mais volátil. (02) Se as quatro substâncias forem colocadas, individualmente, em recipientes abertos, a substância B evaporará mais rapidamente que as demais. (04) Se determinado volume da substância A for comparado com o dobro desse volume da substância D, as duas substâncias apresentarão pontos de ebulição semelhantes. (08) O ponto de ebulição da substância A é menor que o da substância D. (16) O ponto de ebulição da substância B é maior que o da substância C. SOMATÓRIA: 04. (UFMT) Uma dona de casa fez as seguintes observações sobre alguns alimentos: I. A carne salgada e as frutas cozidas em calda muito doce não se estragam com facilidade. II. As verduras cruas murcham mais rapidamente após serem temperadas com sal. III. As frutas secas, como a ameixa-preta, incham quando colocadas em água. Que conceito físico-químico explica essas observações? a) Hidrólise b) Osmose c) Esterificação d) Desidro-halogenação e) Polimerização 05. (UEL PR) A adição de um soluto não volátil a um solvente dificulta sua ebulição e seu congelamento. Isto pode ser útil na prática quando, por exemplo, se pretende cozinhar um ovo mais rápido ou então quando é necessário evitar o congelamento da água do radiador de carros em países muito frios. Considere as duas soluções aquosas de NaCl, conforme o quadro, e analise as afirmativas a seguir. I. A solução B tem pressão de vapor menor que a da solução A, na mesma temperatura. II. As solução A e B apresentam pontos de ebulição menores que o da água pura. III. Independentemente da quantidade de soluto, as duas soluções apresentam o mesmo ponto de ebulição. IV. A solução B entra em ebulição a uma temperatura mais alta que a solução A. Estão corretas apenas as afirmativas: a) I e IV. b) II e IV. c) II e III. d) I, II e III. e) I, III e IV. 20

21 06. (UFOP-MG) Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). Material Complementar (01) Para que a água pura entre em ebulição à temperatura de 76 C, o experimento deve ser feito abaixo do nível do mar. (02) Uma solução 1,0 Mol/L de NaCl e uma solução 1,0 Mol/L de MgCl 2 apresentam a mesma pressão osmótica. (04) Ao atravessar, de ônibus, a cordilheira dos Andes, um estudante observará que, quanto maior a altitude, mais facilmente o gás se desprenderá de um refrigerante gaseificado colocado em um copo. (08) Em Maringá, uma solução aquosa de cloreto de sódio possui menor ponto de congelamento do que a água pura. (16) Uma solução 2 x 10-2 M de MgCl 2 apresenta menor temperatura de ebulição do que uma solução 2 x 10-2 M de KNO 3. SOMATÓRIA: 07. (UFSC) A o colocar-se uma célula vegetal normal, numa solução salina concentrada, observar-se-á que ela começará a enrugar e a murchar. Sobre esse fenômeno, é CORRETO afirmar: (01) a célula vegetal encontra-se num meio hipotônico em relação à sua própria concentração salina. (02) há uma diferença de pressão, dita osmótica, entre a solução celular e a solução salina do meio. (04) há um fluxo de solvente do interior da célula para a solução salina do meio. (08) quanto maior for a concentração da solução salina externa, menor será o fluxo de solvente da célula para o meio. (16) o fluxo de solvente ocorre através de membranas semipermeáveis. SOMATÓRIA: 08. (UEM PR) Considere duas soluções A e B. A solução A é considerada de 1,0 L de Al 2 (SO 4 ) 3(aq) 0,15 mol/l e a solução B é constituída de 1,0 L de Ba(NO 3 ) 2(aq) 0,15 mol/l. Sabendo-se que os sais estão 100% ionizados nas soluções e que ambas estão ao nível do mar, assinale o que for correto. (01) A solução A possui menor temperatura de congelação do que a solução B. (02) A solução B entra em ebulição a uma temperatura menor do que a solução A. (04) A solução A possui maior pressão osmótica que a solução B. (08) Misturando-se as duas soluções, a concentração de íons Ba 2+ é de 0,30 mol/l. (16) Uma solução de glicose 0,15 mol/l apresentará efeito coligativo superior ao da solução A. (32) Crioscopia é a propriedade coligativa que corresponde à diminuição da pressão de vapor de um líquido. SOMATÓRIA: 09. (ITA SP) Assinale a única opção que contém a afirmação FAL SA dentre as seguintes: a) Em medidas de pressão osmótica deve ser empregada uma membrana permeável apenas ao solvente. b) Em experiências de purificação por diálise costuma ser usadas membranas permeáveis a íons e/ou moléculas relativamente pequenos, mas impermeáveis a íons e/ou moléculas muito grandes. c) O fenômeno da osmose só é observado para soluções moleculares, não ocorrendo para soluções iônicas. d) Numa dada pressão, a temperatura de início de ebulição de uma solução aquosa 0,10M de CaCl 2 é praticamente igual à de uma solução 0,10M de Na 2 SO 4. e) Se duas soluções aquosas, no resfriamento, têm a mesma temperatura de início de solidificação, elas serão muito provavelmente isotônicas. 21

22 10. (UFG GO) Observe o gráfico a seguir: 1. abaixamento do ponto de congelamento 2. elevação do ponto de ebulição Com relação às propriedades químicas indicadas nesta figura, é correto afirmar: (01) o abaixamento da pressão de vapor, bem como a elevação do ponto de ebulição são propriedades coligativas. (02) um soluto não-volátil aumenta o ponto de congelamento de um solvente; (04) soluções aquosas congelam abaixo de 0 C e fervem acima de 100 C; (08) o abaixamento da pressão de vapor, em soluções diluídas, é diretamente proporcional à concentração do soluto; (16) a elevação do ponto de ebulição é uma conseqüência direta do abaixamento da pressão de vapor do solvente pelo soluto; (32) soluções aquosas concentradas evaporam mais lentamente do que água pura. SOMATÓRIA: 22

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS Em países quentes, é costume adicionar à água do radiador dos automóveis o etilenoglicol, que eleva a temperatura de ebulição da água. Evita-se

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- Pressão Máxima de Vapor: É a pressão exercida por seus vapores quando estes estão em equilíbrio dinâmico com o líquido. É bom lembrar também que quanto maior for a pressão máxima

Leia mais

Propriedades Coligativas. Profa. Kátia Aquino

Propriedades Coligativas. Profa. Kátia Aquino Propriedades Coligativas Profa. Kátia Aquino O que são? São as propriedades de uma solução que são influenciadas pela quantidade de soluto. Tal influência não depende da natureza do soluto. Vamos recapitular...

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São as propriedades das soluções que dependem do número de partículas dispersas e independem da natureza das partículas do soluto. Pressão Máxima de Vapor (PMV) PMV é a pressão

Leia mais

Características e os efeitos das propriedades coligativas

Características e os efeitos das propriedades coligativas Características e os efeitos das propriedades coligativas O estudo das propriedades coligativas é um dos conteúdos mais importantes a serem estudados, pois facilita a compreensão de fenômenos químicos

Leia mais

Química Prof. Marcelo

Química Prof. Marcelo Química Prof. Marcelo PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1 Pressão de vapor 2 Pressão de vapor e mudança de estado 3- Tonoscopia 4- Crioscopia 5- Ebulioscopia 6 - Osmose e pressão osmótica PROPRIEDADES COLIGATIVAS

Leia mais

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Propriedades Coligativas...1 Exercícios...3 Gabarito...5 Propriedades coligativas Propriedades

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS Prof. Robinho Propriedades Coligativas São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido. Quando comparamos, em análise química, um líquido puro e uma solução desse líquido

Leia mais

pressão (atm) temperatura( C)

pressão (atm) temperatura( C) pressão (atm) T temperatura( C) 01) No diagrama de fases da água: 760 Pressão (mmhg) ta tb ta ( C) As temperaturas ta e tb são, respectivamente: a) pontos normais de fusão e ebulição. b) pontos normais

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. Prof.: Rodrigo Rocha Monteiro

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. Prof.: Rodrigo Rocha Monteiro PROPRIEDADES COLIGATIVAS Prof.: Rodrigo Rocha Monteiro Propriedades Coligativas São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido. Quando comparamos, em análise química, um líquido puro e uma solução

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

3 Propriedades Coligativas

3 Propriedades Coligativas 3 Propriedades Coligativas 1 Introdução É bastante comum as pessoas adicionarem sal à água que será utilizada no cozimento de alimentos. Com a adição de sal de cozinha, a água demora mais tempo para entrar

Leia mais

Propriedades coligativas I

Propriedades coligativas I Propriedades coligativas I 01. (Ufrn) Um béquer de vidro, com meio litro de capacidade, em condições normais de temperatura e pressão, contém 300 ml de água líquida e 100 g de gelo em cubos. Adicionando-se,

Leia mais

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides 1. Considere o gráfico da pressão máxima de vapor em função da temperatura para um solvente puro e para uma solução desse solvente contendo um soluto molecular

Leia mais

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica).

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). 01 a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). b) Incorreta. Quanto mais volátil o líquido, menor será

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1) Qual das seguintes soluções aquosas apresenta maior ponto de ebulição? A) uréia 2,0 molar. B) glicose 1,5 molar. C) NaCl 1,5 molar. D) CH 3 COOH 1,0 molar. E) sacarose 2,5 molar.

Leia mais

Propriedades Coligativas Aula 3

Propriedades Coligativas Aula 3 Propriedades Coligativas Aula 3 Um efeito coligativo é uma modificação em certas propriedades de um solvente quando nele adicionados um soluto não-volátil, o qual só depende do número de partículas (moléculas

Leia mais

Propriedades Físicas das Soluções

Propriedades Físicas das Soluções Propriedades Físicas das Soluções Solução (def): é uma mistura homogénea de duas ou mais substâncias. Solvente: componente da solução do mesmo estado físico, por exemplo água numa solução aquosa Soluto:

Leia mais

Mudanças de fase. Temperatura e pressão críticas Os gases são liquefeitos sob o aumento da pressão a uma temperatura.

Mudanças de fase. Temperatura e pressão críticas Os gases são liquefeitos sob o aumento da pressão a uma temperatura. Mudanças de fase Sublimação: sólido gás. Vaporização: líquido gás. Derretimento ou fusão: sólido líquido. Deposição: gás sólido. Condensação: gás líquido. Congelamento: líquido sólido. Mudanças de fase

Leia mais

QUÍMICA AULA 01 SÉRIE AULA

QUÍMICA AULA 01 SÉRIE AULA QUÍMICA Prof. Lessa AULA 01 SÉRIE AULA 1. Sabendo que a pressão de vapor do solvente puro (água) é 0,18 mmhg e que a pressão de vapor do solvente na solução é 0,16 mmhg, pede-se: Glicose a) O abaixamento

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q50 Forças intermoleculares

Química. Resolução das atividades complementares. Q50 Forças intermoleculares Resolução das atividades complementares 4 Química Q50 Forças intermoleculares p. 15 1 (Unifor-CE) Considerando a natureza das ligações químicas intermoleculares existentes nas substâncias: Etanol C 2 H

Leia mais

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Estudo de caso Reúnam-se em grupos de máximo 5 alunos e proponha uma solução para o seguinte caso: A morte dos peixes ornamentais. Para isso

Leia mais

Propriedade Coligativas das Soluções

Propriedade Coligativas das Soluções Capítulo 9 Propriedade Coligativas das Soluções 1. (IME) Um instrumento desenvolvido para medida de concentração de soluções aquosas não eletrolíticas, consta de: a) um recipiente contendo água destilada;

Leia mais

Exercícios - PROPRIEDADES COLIGATIVAS - 2012

Exercícios - PROPRIEDADES COLIGATIVAS - 2012 Exercícios - PROPRIEDADES COLIGATIVAS - 2012 1- Ao se preparar uma salada de folhas de alface, utilizando sal e vinagre, devemos temperá-la e comê-la imediatamente, pois, ao ser deixada em repouso por

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 27 PROPRIEDADES COLIGATIVAS

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 27 PROPRIEDADES COLIGATIVAS QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 27 PROPRIEDADES COLIGATIVAS 800 pressão de vapor de água (mmhg) 760 700 600 500 400 300 200 100 líquido benzeno puro benzeno + soluto p vapor p.e. do benzeno puro t p.e. do

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015 Disciplina: Professor (a): QUÍMICA LUÍS FERNANDO Roteiro de estudos para recuperação trimestral Conteúdo: Referência para estudo: Sites recomendados:

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS RORIEDADES COLIGAIVAS O artigo abaixo trata de um tema extremamente cobrado nas provas do IME e do IA dos últimos anos. Em nosso site já existem dois outros artigos com exercícios sobre esse assunto e

Leia mais

SOLUÇÕES PROPRIEDADES COLIGATIVAS TERMODINAMICA II PROF. JAQUELINE SCAPINELLO

SOLUÇÕES PROPRIEDADES COLIGATIVAS TERMODINAMICA II PROF. JAQUELINE SCAPINELLO SOLUÇÕES PROPRIEDADES COLIGATIVAS TERMODINAMICA II PROF. JAQUELINE SCAPINELLO A SOLUÇÃO IDEAL Solução: mistura homogenia de espécies químicas (única fase) Solvente: constituinte em maior quantidade Soluto:

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas 1. Introdução Propriedades Coligativas Algumas propriedades do solvente mudam quando um soluto é dissolvido nele para formar uma solução. O ponto de congelamento da água salgada, por exemplo, é menor que

Leia mais

03/04/2016 AULAS 11 E 12 SETOR A

03/04/2016 AULAS 11 E 12 SETOR A AULAS 11 E 12 SETOR A 1 Propriedade coligativa das soluções: são aquelas que depende unicamente do número de partículas dissolvidas. Ou seja: a adição de um soluto não-volátil a uma solução provoca mudanças

Leia mais

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas 2º ANO QUÍMICA 1 1 mol 6,02.10 23 partículas Massa (g)? Massa molar Cálculo do número de mols (n) Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não

Leia mais

As Propriedades das Misturas (Aulas 18 a 21)

As Propriedades das Misturas (Aulas 18 a 21) As Propriedades das Misturas (Aulas 18 a 21) I Introdução Em Química, solução é o nome dado a dispersões cujo tamanho das moléculas dispersas é menor que 1 nanometro (10 Angstrons). A solução ainda pode

Leia mais

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura.

SOLUÇÕES. 3) (UNIFOR) O gráfico seguinte dá a solubilidade em água do açúcar de cana em função da temperatura. SOLUÇÕES 1) (FEI) Tem-se 500g de uma solução aquosa de sacarose (C 12 H 22 O 11 ), saturada a 50 C. Qual a massa de cristais que se separam da solução, quando ela é resfriada até 30 C? Dados: Coeficiente

Leia mais

DIAGRAMA DE FASES. 4) (ITA) Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos a seguir, sob

DIAGRAMA DE FASES. 4) (ITA) Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos a seguir, sob DIAGRAMA DE FASES 1) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do sulfeto de carbono, metanol, etanol e água em função da temperatura. De acordo com o gráfico, assinale a afirmativa INCORRETA.

Leia mais

Exercícios com Gabarito de Química Propriedades Coligativas

Exercícios com Gabarito de Química Propriedades Coligativas Exercícios com Gabarito de Química Propriedades Coligativas 1) (VUNESP-2006) A crioscopia é uma técnica utilizada para determinar a massa molar de um soluto através da diminuição da temperatura de solidificação

Leia mais

Propriedades das Soluções

Propriedades das Soluções Propriedades das Soluções Prof. Alex Fabiano C. Campos O Processo de Dissolução Uma solução é uma mistura homogênea de soluto(presente em menor quantidade de mols) e solvente(presente em maior quantidade

Leia mais

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g

Resolução: 0,86ºC. x = 0,5 mol etanol/kg acetona. 0,5 mol 1000 g de acetona. 200 g de acetona. y = 0,1 mol de etanol. 1 mol de etanol (C 2 H 6 O) 46 g (ACAFE) Foi dissolvida uma determinada massa de etanol puro em 200 g de acetona acarretando em um aumento de 0,86 C na temperatura de ebulição da acetona. Dados: H: 1 g/mol, C: 12 g/mol, O: 16 g/mol. Constante

Leia mais

Aluno (a): Nº. Disciplina: Química Goiânia, / / 2014

Aluno (a): Nº. Disciplina: Química Goiânia, / / 2014 Lista de Exercícios Aluno (a): Nº. Professora: Núbia de Andrade Série: 1º ano (Ensino médio) Turma: Disciplina: Química Goiânia, / / 2014 01) A mudança de fase denominada sublimação ocorre quando a) o

Leia mais

QUÍMICA Propriedades coligativas

QUÍMICA Propriedades coligativas QUÍMICA Propriedades coligativas MÓDULO FRENTE 11 A As propriedades coligativas correspondem a alterações nas propriedades de um solvente (líquido puro) devido à adição de um soluto não volátil. As propriedades

Leia mais

Claudi Cândia /Sara Regina. Aluno(a): PROVA COMENTADA

Claudi Cândia /Sara Regina. Aluno(a): PROVA COMENTADA QUÍMICA AVALIAÇÃO Claudi Cândia /Sara Regina Aluno(a): PROVA COMENTADA III UNIDADE Nota: Série: 2 a Ensino Médio Turma: A / B / C / D Data: 14/08/2015 1. A prova é composta de 07 questões abertas e 03

Leia mais

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA.

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. 1)Considere os seguintes dados obtidos sobre propriedades de amostras de alguns materiais. Com respeito a estes materiais,

Leia mais

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final)

Professora Sonia - Química para o Vestibular Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) Questões Resolvidas Hidrólise Salina (com respostas e resoluções no final) 01. (Uftm) Em soluções aquosas de acetato de sódio, o íon acetato sofre hidrólise: 3 l 3 CH COO (aq) + H O( ) CH COOH (aq) + OH

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 11/10/08 Nome: Gabarito Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821

Leia mais

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas

Revisão: Química inorgânica Soluções aquosas QUÍMICA è Revisão: Química inorgânica Hidróxidos fortes família 1A e 2A (exceto Ca e Mg) Ácidos fortes nº de oxigênios nº de hidrogênios > 2, principalmente nítrico (HNO 3 ), clorídrico (HCl) e sulfúrico

Leia mais

O interesse da Química é analisar as...

O interesse da Química é analisar as... O interesse da Química é analisar as... PROPRIEDADES CONSTITUINTES SUBSTÂNCIAS E MATERIAIS TRANSFORMAÇÕES ESTADOS FÍSICOS DOS MATERIAIS Os materiais podem se apresentar na natureza em 3 estados físicos

Leia mais

Propriedades Coligativas Análise Qualitativa

Propriedades Coligativas Análise Qualitativa Colégio Salesiano Sagrado Coração Aluna(o): Nº: Turma: 2º ano Recife, de de 2014 Disciplina: Química RECIFE Professor: Eber Barbosa ] 01 Definição Propriedades Coligativas Análise Qualitativa Efeitos coligativos

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa

PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa PROVA DE QUÍMICA - 1998 Segunda Etapa QUESTÃO 01 Num laboratório químico, havia três frascos que continham, respectivamente, um alcano, um álcool e um alqueno. Foram realizados experimentos que envolviam

Leia mais

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP. CURSO: Agronomia. DISCIPLINA: Química Geral Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal FCAV - UNESP CURSO: Agronomia DISCIPLINA: Química Geral ASSUNTO: Soluções e Unidades de Concentração 1 1. TIPOS MAIS COMUNS DE SOLUÇÃO Solução

Leia mais

Disciplina de Físico Química I - Tipos de Soluções Propriedades Coligativas. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.

Disciplina de Físico Química I - Tipos de Soluções Propriedades Coligativas. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta. Disciplina de Físico Química I - Tipos de Soluções Propriedades Coligativas. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.br Misturas - soluções A grande maioria dos sistemas encontrados

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 1 Estudo das dispersões Definição, classificação, estudo dos coloides, coeficiente de solubilidade... 1 Módulo 2 Concentração de soluções... 3 Módulo 3 Propriedades

Leia mais

COLIGATIVAS (LISTA-7)

COLIGATIVAS (LISTA-7) OLIGATIVAS (LISTA-7) ALUNO(A): Propriedades oligativas (rioscopia e Osmoscopia) 01 - (UEE/2009) Na Estação Antártica omandante Ferraz (EAF), na Antártica, os técnicos estão com um problema e, para resolvê-lo,

Leia mais

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA A matéria pode se apresentar em diferentes estados físicos, como sólido, líquido e gasoso. Algumas propriedades da matéria dependem de seu estado físico. O estado sólido Em determinada

Leia mais

Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS www.agamenonquimica.com 1

Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS www.agamenonquimica.com 1 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS www.agamenonquimica.com 1 PROPRIEDADES COLIGATIVAS 01) (PUC-MG) Tendo em vista o momento em que um líquido se encontra em equilíbrio com seu vapor, leia

Leia mais

Sólidos, líquidos e gases

Sólidos, líquidos e gases Mudanças de fase Sólidos, líquidos e gases Estado sólido Neste estado, os átomos da substâncias se encontram muito próximos uns dos outros e ligados por forças eletromagnéticas relativamente grandes. Eles

Leia mais

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA

QUÍMICA TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA QUÍMICA Prof. Borges TESTES EXERCÍCIOS DE SOLUBILIDADE SÉRIE CASA 1. (Fuvest-SP) Descargas industriais de água pura aquecida podem provocar a morte de peixes em rios e lagos porque causam: a) o aumento

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 01) (UNESP-SP) Considere cinco soluções aquosas diferentes, todas de concentração 0,1mol/L, de glicose (C 6 H 12 O 6 ) e de quatro eletrólitos fortes, NaCl, KCl, K 2 SO 4 e ZnSO

Leia mais

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos

Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Matéria: Química Assunto: Materiais Prof. Gilberto Ramos Química Materiais, suas propriedades e usos Estados Físicos Estado vem do latim status (posição,situação, condição,modo de estar). O estado físico

Leia mais

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado.

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas

Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas Exercícios Sobre MudanÇas de estados físicos e diagramas 01. (Uepg) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... *

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO Antes de verificarmos como ocorrem as mudanças de estado físico de uma substância, vamos caracterizar cada um dos estados aqui estudados.

Leia mais

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3)

química 2 Questão 37 Questão 38 Questão 39 alternativa C na alternativa B. Sabendo-se que a amônia (NH 3) química 2 Questão 37 Questão 38 abendo-se que a amônia (N 3) é constituída por moléculas polares e apresenta boa solubilidade em água. o diclorometano (2 2) não possui isômeros. ua molécula apresenta polaridade,

Leia mais

Q U Í M I C A Material nº 16

Q U Í M I C A Material nº 16 PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇÕES 01) (PUC MG) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do sulfeto de carbono, metanol, etanol e água em função da temperatura. 04) (ITA SP) Considere

Leia mais

A resposta correta deve ser a letra B.

A resposta correta deve ser a letra B. ITA - 1999 1- (ITA-99) Assinale a opção CORRETA em relação à comparação das temperaturas de ebulição dos seguintes pares de substâncias: a) Éter dimetílico > etanol; Propanona > ácido etanóico; Naftaleno

Leia mais

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos

Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma MISTURA Quando na mistura tiver apenas

Leia mais

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 61. Questão 63. Questão 62. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 61 A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação

Leia mais

Balanço de Massa e Energia Aula 4

Balanço de Massa e Energia Aula 4 Gases e Vapores Na maioria das pressões e temperaturas, uma substância pura no equilíbrio existe inteiramente como um sólido, um líquido ou um gás. Contudo, em certas temperaturas e pressões, duas ou mesmo

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q17 Ebulioscopia

Química. Resolução das atividades complementares. Q17 Ebulioscopia Resolução das atividades complementares Química Q17 Ebulioscopia p. 8 1 A água numa solução aquosa de glicose entra em ebulição a 100,39 8C. A concentração dessa solução em mol de glicose por quilograma

Leia mais

2) Uma solução de 5,00 g de ácido acético, CH 3 COOH, em 100 g de benzeno congela a 3,37

2) Uma solução de 5,00 g de ácido acético, CH 3 COOH, em 100 g de benzeno congela a 3,37 Química Geral e Experimental II Soluções e propriedades coligativas Resolução comentada de exercícios selecionados versão colig_v3_2005 Prof. Fabricio R. Sensato 1) Qual o ponto de ebulição de uma solução

Leia mais

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático).

A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). 61 b A limpeza de pisos de mármore normalmente é feita com solução de ácido clorídrico comercial (ácido muriático). Essa solução ácida ataca o mármore, desprendendo gás carbônico, segundo a reação descrita

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (FUVEST-SP) À mesma temperatura, comparando-se as propriedades da água pura e as soluções aquosas de cloreto de sódio, estas devem apresentar menor:

Leia mais

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios

SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios SEI Ensina - MILITAR Química SEPARAÇÃO DE MISTURAS Exercícios 1.A água potável é um recurso natural considerado escasso em diversas regiões do nosso planeta. Mesmo em locais onde a água é relativamente

Leia mais

PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL

PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DOS MATERIAIS QUÍMICA GERAL PROPRIEDADES DA MATÉRIA CONCEITOS BÁSICOS MATÉRIA: tudo o que tem massa e ocupa lugar no espaço. CORPO/OBJETO: porção limitada da matéria. MASSA: quantidade matéria,

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica:

QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: QUESTÃO 01 Analise este gráfico, em que se mostra o resultado de um experimento de decomposição térmica de uma substância orgânica: 1. Considere que, durante esse experimento, a diminuição de massa se

Leia mais

OSMOSE (Pressão Osmótica - )

OSMOSE (Pressão Osmótica - ) OSMOSE (Pressão Osmótica - ) Portal de Estudos em Química (PEQ) www.profpc.com.br Página 1 EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (FEI-SP) Uma salada de alface foi temperada com solução de vinagre e sal. Após um certo

Leia mais

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2004 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Os metais alcalinos, ao reagirem com água, produzem soluções dos respectivos hidróxidos e gás hidrogênio. Esta tabela apresenta

Leia mais

Fenômenos Osmóticos nos Seres Vivos

Fenômenos Osmóticos nos Seres Vivos Fenômenos Osmóticos nos Seres Vivos Referências: Margarida de Mello Aires, Fisiologia, Guanabara Koogan 1999 (612 A298 1999) Ibrahim Felippe Heneine, Biofísica Básica, Atheneu 1996 (574.191 H495 1996)

Leia mais

Prof: René dos Reis Borges

Prof: René dos Reis Borges OS MATERIAIS E SUAS PROPRIEDADES 01) (FATEC) Um estudante recebeu uma amostra na forma de um pó branco, constituída por mistura das substâncias sólidas A e B, que frente à água comportam-se como registra

Leia mais

Aulas 13 e 14. Soluções

Aulas 13 e 14. Soluções Aulas 13 e 14 Soluções Definição Solução é a denominação ao sistema em que uma substância está distribuída, ou disseminada, numa segunda substância sob forma de pequenas partículas. Exemplos Dissolvendo-se

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Propriedas coligativas Resposta da questão 1: Adição 1,0 mol Na 2 SO 4 a 1 L água (experimento A): + 2 1 Na2SO4 2Na + 1SO 4 3 mols partículas A partir da tabela percebe-se que: Volume Soluto água (L) 1

Leia mais

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto

Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Operações com soluções 2: Mistura de Soluções de Mesmo Soluto Quando misturamos soluções de mesmo soluto, obtemos uma nova solução de concentração intermediária às das soluções misturadas. Nesse caso,

Leia mais

Av. Celso Garcia, 804 Brás - Tel. 2692-3253 - 2694-4174 www.metacolegio.com.br

Av. Celso Garcia, 804 Brás - Tel. 2692-3253 - 2694-4174 www.metacolegio.com.br Av. Celso Garcia, 804 Brás - Tel. 2692-3253 - 2694-4174 www.metacolegio.com.br Elaborado por: Prof. Edmilson C. Gobetti Revisão: IV - 2012 Sumário 1 Partículas Dispersas... 3 2 Fator de Van t Hoff... 8

Leia mais

Aluno (a): Professor:

Aluno (a): Professor: 3º BIM P1 LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 6º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno: Data: / / Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte ( ) Recanto das Emas

Leia mais

Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia

Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia Lista 1 de Exercícios Professor Pedro Maia Questão 01 - (UEPG PR) As mudanças de estado físico, classificadas como fenômenos físicos, ocorrem com a variação de entalpia ( ). Sobre esses processos, assinale

Leia mais

O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III.

O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III. Educador: Cristina Disciplina:Química Data: _/ /2011 Estudante: 3ª Série Questão 1 O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III.

Leia mais

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias 3º Bimestre Autor: Pedro L. S. Dias SUMÁRIO UNIDADE III Inorgânica... 5 Capítulo 1... 5 1.1 Soluções... 5 1.2 Solubilidade... 8 1.3 Coeficiente de solubilidade e Curva de solubilidade... 10 1.4 Unidades

Leia mais

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32 QUÍMICA Questão 3 Em 9,9 g de um sal de cálcio encontra-se 0,5 mol desse elemento. Qual a massa molar do ânion trivalente que forma esse sal? Dado: Ca 40 g/mol. (A) 39 g/mol. (B) 278 g/mol. (C) 63,3 g/mol.

Leia mais

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1

EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 EQUILÍBRIO QUÍMICO 1 1- Introdução Uma reação química é composta de duas partes separadas por uma flecha, a qual indica o sentido da reação. As espécies químicas denominadas como reagentes ficam à esquerda

Leia mais

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo.

Introdução. Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Introdução Muitas reações ocorrem completamente e de forma irreversível como por exemplo a reação da queima de um papel ou palito de fósforo. Existem também sistemas, em que as reações direta e inversa

Leia mais

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores.

ESTADOS DA MATÉRIA. O átomo é composto por outras partículas ainda menores. ESTADOS DA MATÉRIA A matéria que temos a nossa volta é formada de moléculas que são constituídas por átomos. Uma combinação destes átomos forma as substâncias que conhecemos, porém, devemos salientar que

Leia mais

Existem diversos tipos de transporte que podem ocorrer através da membrana plasmática. Vejamos abaixo:

Existem diversos tipos de transporte que podem ocorrer através da membrana plasmática. Vejamos abaixo: MEMBRANA PLASMÁTICA E TRANSPORTES MEMBRANA PLASMÁTICA A membrana plasmática é constituída de uma camada dupla de lipídeos. Nesta camada, existem moléculas de proteínas encaixadas. Essas moléculas de proteínas

Leia mais

André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011

André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011 André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011 Solução Uma solução é uma mistura homogênea de soluto (presente em menor quantidade) e solvente (presente em maior quantidade). Os solutos

Leia mais

A) a existência do oceano líquido é uma hipótese possível, pois um sal solúvel só forma uma mistura homogênea com a água, quando ela está líquida.

A) a existência do oceano líquido é uma hipótese possível, pois um sal solúvel só forma uma mistura homogênea com a água, quando ela está líquida. TEXTO PARA A QUESTÃO 1. Sonda espacial detecta sal de cozinha em lua de Saturno A análise da composição química do anel mais externo de Saturno revelou a presença de 98% de água, 1% de cloreto de sódio,

Leia mais

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS MISTURAS SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma mistura. Exemplos: Mistura de

Leia mais

Métodos de determinação da Massa Molecular

Métodos de determinação da Massa Molecular Métodos de determinação da Massa Molecular Métodos absolutos a) Massa molecular média em número - Análise de grupos terminais - Elevação ebulioscópica - Depressão crioscópica - Abaixamento da pressão de

Leia mais

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA

TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA Prof. Borges / Lessa TURMA DE MEDICINA - QUÍMICA AULA 06 DILUIÇÃO DE SOLUÇÕES Diluir significa adicionar solvente a uma solução que já existe. Este método faz com que o volume de solução aumente e a concentração

Leia mais