Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS www.agamenonquimica.com 1"

Transcrição

1 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1 PROPRIEDADES COLIGATIVAS 01) (PUC-MG) Tendo em vista o momento em que um líquido se encontra em equilíbrio com seu vapor, leia atentamente as afirmativas abaixo: I. A evaporação e a condensação ocorrem com a mesma velocidade. II. Não há transferência de moléculas entre o líquido e o vapor. III. A pressão de vapor do sistema se mantém constante. IV. A concentração do vapor depende do tempo. Das afirmativas acima, são corretas: a) I e III. b) II e IV. c) II E III. d) I e II. e) III e IV. É POSSÍVEL FERVER ÁGUA SEM AQUECÊ-LA? A água ferve sem necessidade de aquecimento nas grandes altitudes. A m, a água entra em ebulição naturalmente, sem necessidade de ser aquecida, devido à baixa pressão em se encontra submetida. 02) Temos uma solução de partes iguais de água, éter etílico e etanol (álcool comum) em um recipiente fechado. As pressões parciais dos vapores dos líquidos estão na seguinte ordem crescente: a) etanol, água, éter. b) água, etanol, éter. c) éter, álcool, água. d) éter, água, álcool. e) água, éter, álcool. 03) A uma dada temperatura, possui a menor pressão de vapor: a) 0,1 mol/l de sacarose. b) 0,2 mol/l de sacarose. c) 0,1 mol/l de ácido clorídrico. d) 0,2 mol/l de ácido clorídrico. e) 0,1 mol/l de hidróxido de sódio. 04) Os frascos de éter, se não forem bem fechados, ficam vazios em pouco tempo, porque: I. Se forma um composto muito estável entre as moléculas de éter e o oxigênio do ar, favorecendo assim a vaporização. II. A pressão de vapor do éter é alta. III. O éter forma uma mistura azeotrópica com o ar, o que favorece sua vaporização. Está(ão) correta(s): a) I apenas. b) II apenas. c) I e III apenas. d) II e III apenas. e) I, II e III. 05) Aquecendo água destilada, numa panela aberta e num local onde a pressão ambiente é 0,92atm, a temperatura de ebulição da água: a) será inferior a 100 C. b) depende da rapidez do aquecimento. c) será igual a 100 C. d) é alcançada quando a pressão máxima de vapor saturante for 1 atm. e) será superior a 100 C. 06) Devido à sua altitude, a pressão atmosférica no topo do Pico da Bandeira é menor do que 1 atm. Entretanto, ao nível do mar pode ser considerada igual a 1 atm. Em um recipiente aberto: a) A água entra em ebulição a 100 ºC, tanto no topo do Pico da Bandeira como ao nível do mar. b) A temperatura de ebulição da água é maior do que 100 ºC no Pico da Bandeira. c) A temperatura de ebulição da água é menor do que 100 ºC no Pico da Bandeira. d) A temperatura de ebulição da água é maior do que 100 ºC ao Nível do Mar. e) A temperatura de ebulição da água é menor do que 100 ºC ao Nível do Mar.

2 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (Covest-90) Com a intenção de calibrar um termômetro a uma altitude de 1000 metros, usando como referencial a temperatura de ebulição da água, podemos afirmar com certeza que... a) a temperatura de ebulição da água registrada pelo termômetro será ligeiramente inferior a 100 C. b) a temperatura de ebulição da água registrada pelo termômetro será de 100 C. c) a temperatura de ebulição da água registrada pelo termômetro será ligeiramente superior a 100 C. d) a temperatura de ebulição da água registrada pelo termômetro será muito superior a 100 C. e) a temperatura de ebulição da água registrada pelo termômetro será muito inferior a 100 C. 08) (UNESP-SP) Comparando duas panelas, simultaneamente sobre dois queimadores iguais de um mesmo fogão, observa-se que a pressão dos gases sobre a água fervente na panela de pressão fechada á maior que aquela sobre a água fervente numa panela aberta. Nessa situação, e se elas contêm exatamente as mesmas quantidades de todos os ingredientes, podemos afirmar que, comparando com o que ocorre na panela aberta, o tempo de cozimento na panela de pressão fechada será... a) menor, pois a temperatura de ebulição será menor. b) menor, pois a temperatura de ebulição será maior. c) menor, pois a temperatura de ebulição não varia com a pressão. d) igual, pois a temperatura de ebulição independe da pressão. e) maior, pois a pressão será maior. 09) (FGV-SP) Considere clorofórmio, etanol e água, todos líquidos, à temperatura ambiente. A dependência das pressões de vapor dos três líquidos em função da temperatura é mostrada no gráfico a seguir. clorofórmio etanol água pressão (mmhg) temperatura ( C) No topo de uma certa montanha, a água ferve a 80 C. nesse local, dentro dos limites de erro de leitura dos dados, pode-se afirmar que... a) a pressão atmosférica é igual a 800 mmhg. b) o clorofórmio, em sua temperatura de ebulição, apresenta pressão de vapor igual à do etanol a 60 C. c) o etanol entrará em ebulição a uma temperatura menor que a do clorofórmio. d) a água apresenta forças intermoleculares mais fracas que a dos outros dois líquidos. e) o etanol entrará em ebulição a 78 C. 10) Quando o café é aquecido em banho-maria, observa-se que: I. O café e a água do banho-maria fervem ao mesmo tempo. II. A água do banho-maria e o café ferverão acima da temperatura de ebulição da água pura. III. Somente a água do banho-maria ferve. IV. Somente o café ferve. a) I, II e III são corretas. b) somente III é correta. c) somente IV é correta. d) somente II é correta. e) todas estão corretas.

3 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (Ceeteps-SP) O gráfico abaixo mostra a variação da pressão de vapor, em função da temperatura, para o dicloro-diflúor-metano. 8 7 pressão de vapor (atm) C A temperatura de ebulição do CCl 2 F 2 no nível do mar é aproximadamente: a) 0 C. b) 20 C. c) 25 C. d) 25 C. e) 13 C. 12) (UESB-BA) Considere duas cidades brasileiras: uma litorânea (1) e outra montanhosa (2), situada a 1700m de altitude. Pode-se afirmar, portanto, que: I) na cidade 2 a pressão total do ar atmosférico é menor do que na cidade 1. II) em ambas as cidades, oxigênio é o componente do ar presente em maior proporção. III) na cidade 1 a água ferve em temperaturas inferiores a 100 C. É correto afirmar somente: a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) II e III. 13)Os três frascos a seguir contêm água pura a 25 C. A B C P A P B P C Vários estudantes, ao medirem a pressão de vapor a 25 C, fizeram quatro anotações: P A = P B ; P A P C ; P C P B ; Quantas dessas anotações estão corretas? a) uma. b) duas. c) três. d) todas. e) nenhuma. P A = P B = P C 14) Num determinado local do planeta Terra, a água entra em ebulição à temperatura de 97 o C. Tal fato permite afirmar que: a) esse local deve situar-se ao nível do mar. b) nesse local a pressão atmosférica é de 760 mmhg. c) nessa temperatura a pressão de vapor da água iguala-se à pressão atmosférica. d) a ebulição somente cessará quando a temperatura atingir o valor de 100 o C. e) essa água apresenta solutos sólidos nela dissolvidos.

4 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) Ao se cozinhar alimentos em panela de pressão, a temperatura atingida pela água de cocção é superior a 100 C, principalmente porque: a) as substâncias dissolvidas na água aumentam o seu ponto de ebulição. b) o vapor excedente é liberado por uma válvula de segurança. c) a pressão a que o líquido está submetido é superior a 1,0 atm. d) a água, naquelas condições, apresenta menor pressão de vapor. e) outros líquidos liberados no processo elevam a temperatura de vapor do sistema. 16) (UNAMA-AM) Analise cada frase a seguir apresentada, escreva V (se verdadeiro) ou F (se falso) conforme cada caso e assinale a alternativa que contém a seqüência correta. ( ) Nas condições ambiente, uma porção de água fervendo, em temperatura constante, é exemplo de sistema em estado de equilíbrio. ( ) Líquidos entram em ebulição mais facilmente, em grandes altitudes, devido à pressão atmosférica ser menor do que ao nível do mar. ( ) Quanto maior a temperatura maior a energia cinética média das moléculas, com isso, mais rápidas ficam as moléculas de um líquido, tornando mais intensa a evaporação. A seqüência correta é: a) V, V, V. b) V, F, F. c) F, V, V. d) F, V, F. e) F, F, V. 17) O ponto de ebulição é a temperatura na qual: a) a substância começa a passar do estado líquido para o gasoso. b) a pressão parcial do vapor do líquido é igual à do solvente. c) a pressão total de vapor do líquido é igual à do solvente. d) a pressão de vapor atinge o valor máximo. e) a pressão atmosférica é igual à pressão de vapor do líquido. 18) (Mackenzie-SP) Relativamente ao diagrama de fases da água pura, é incorreto afirmar que, no ponto: 760 Pressão (mmhg) M A N B 4,579 R D T C 0 0, Temperatura ( C) a) A, tem-se o equilíbrio entre água sólida e água líquida. b) B, tem-se o equilíbrio entre água líquida e vapor. c) C, tem-se, somente, água na fase vapor. d) T, as três fases coexistem em equilíbrio. e) D, coexistem as fases vapor e líquida. 19) (UFRGS) Considere o diagrama que representa o equilíbrio entre fases da água pura. A linha que representa o fenômeno de granizo é: Pressão (mmhg) 5 6 LÍQUIDO SÓLIDO T 3 4 GASOSO 1 2 a) (1) (2). b) (2) (1). c) (4) (3). d) (5) (6). e) (6) (5). Temperatura ( C)

5 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (Covest 2010) Um sistema em equilíbrio pode consistir de certo número de fases. As três fases mais comuns são sólido, líquido e vapor. Cada fase em equilíbrio é uma região de composição uniforme. Uma forma comum de relação matemática descrevendo este tipo de equilíbrio é a regra de fases F = C P + 2, onde F = número de graus de liberdade ou variância, C = número de componentes e P = número de fases. Esta equação aplica-se de forma simples aos sistemas na ausência de ocorrência de reações e se somente temperatura, pressão e concentração puderem sofrer variação. Uma interpretação correta do diagrama de fases da água permite afirmar que: 0 0 o ponto O representa uma situação única, na qual sólido, líquido e vapor têm a mesma temperatura e pressão e, assim, estão todos em equilíbrio. 1 1 na curva OB, coexiste o equilíbrio líquido-vapor, e o número de graus de liberdade ou variança (F) é existe um único valor de F para o qual o número de componentes (C) é igual ao número de fases (P). 3 3 no ponto triplo, a temperatura é muito estável, não variando enquanto as três fases estiverem presentes. 4 4 para uma região do diagrama onde F = 1, uma única fase está presente. 0-0) Verdadeira. No ponto triplo (F = 0), as três fases existem no equilíbrio. 1-1) Falsa. Para o equilíbrio líquido-vapor, o número de graus de liberdade (F) é ) Verdadeira. Para C = P, ocorre igualdade quando F=2. 3-3) Verdadeira. Enquanto existir o equilíbrio, as três fases estarão sujeitas á mesma temperatura e pressão. 4-4) Falsa. Para uma região do diagrama onde F = 1, duas fases estão presentes. 21) (Covest-2006) O éter etílico (CH 3 CH 2 OCH 2 CH 3 ), apesar de tóxico, já foi muito usado como anestésico local por esportistas, pois alivia rapidamente dores causadas por torções ou impactos (pancadas). Ao entrar em contato com a pele, o éter evapora rapidamente, e a região que entrou em contato com o líquido resfria-se (fica gelada ). Sobre a situação escrita acima, é incorreto afirmar que: a) o éter etílico é um líquido de alta pressão de vapor. b) o fato de o corpo de uma pessoa que está em atividade física estar mais quente que o corpo de uma pessoa em repouso contribui para uma evaporação mais rápida do éter. c) o éter etílico é um líquido volátil. d) ocorre transferência de calor do líquido para o corpo do atleta. e) o etanol também poderia ser utilizado para a mesma finalidade, mas sem a mesma eficiência. 22) (Covest-2006) As propriedades de um solvente podem ser alteradas pela adição de solutos. Assim, temse alterações dos pontos de fusão e de ebulição, entre outras. O efeito depende da concentração do soluto. Considerando o texto acima, podemos afirmar que: 0 0 Aplica-se para as chamadas propriedades coligativas. 1 1 Adição de um mol de NaCl a um litro de água deverá produzir o mesmo efeito sobre o ponto de ebulição que a adição de um mol de Na 2 SO A pressão de vapor da água é tanto maior quanto maior for a concentração de NaCl nela dissolvido. 3 3 O ponto de fusão da água do mar é mais baixo que o da água destilada. 4 4 Além dos pontos de fusão e de ebulição, podemos citar, entre os efeitos coligativos, a pressão osmótica.

6 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS )(ITA-SP) Uma solução de NaCl em água é aquecida num recipiente aberto. Indique a afirmação falsa. a) A solução entrará em ebulição, quando sua pressão de vapor for igual à pressão ambiente. b) A concentração em quantidade de matéria da solução aumentará, à medida que prosseguir a ebulição. c) A temperatura de início de ebulição é maior que a da água pura. d) A temperatura aumentar, à medida que a ebulição prossegue. e) A composição do vapor desprendido é a mesma da solução residual. 24) Quando o café é aquecido em banho-maria, observa-se que: a) só o café ferve. b) o café e a água do banho-maria fervem. c) só o banho-maria ferve. d) o banho-maria ferve a uma temperatura menor que a da água pura. e) o café ferve a uma temperatura menor que a da água pura. 25)Considere o gráfico a seguir, que representa as variações das pressões máximas de vapor da água pura (A.P.) e duas amostras líquidas A e B, em função da temperatura. P (mmhg) A A.P. B 760 Pode-se concluir que, em temperaturas iguais: t ( C) a) A amostra A constitui-se de um líquido menos volátil que a água pura. b) A amostra B pode ser constituída de uma solução aquosa de cloreto de sódio. c) A amostra B constitui-se de um líquido que evapora mais rapidamente que a água pura. d) A amostra A pode ser constituída de solução aquosa de sacarose. e) As amostras A e B constituem-se de soluções aquosas preparadas com solutos diferentes. 26)Usando água como solvente e preparando uma solução com soluto não-volátil, as temperaturas de ebulição e fusão da solução estarão, sob pressão de 1 atm, qualitativamente assinaladas no termômetro da figura: 27)Indique a afirmativa INCORRETA: a) Quanto maior a temperatura, maior a pressão de vapores dos líquidos. b) A pressão de vapor de um líquido é inversamente proporcional ao volume do líquido. c) A água do mar entra em ebulição a uma temperatura mais alta que a água destilada. d) O líquido A tem a 20 C a pressão de vapor igual a 30 mmhg; o l íquido B, à mesma temperatura, tem pressão de vapor igual a 60 mmhg; então, a temperatura de ebulição de B é menor que a de A. e) Um líquido entra em ebulição quando sua pressão de vapor se torna igual à pressão externa (atmosférica).

7 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS )Considere o gráfico da pressão máxima de vapor em função da temperatura para um solvente puro e para uma solução desse solvente contendo um soluto molecular não-volátil. P V A B t ( C) A seu respeito podemos afirmar: 0 0 A curva A representa a solução. 1 1 A curva A representa o solvente. 2 2 A curva B representa o solvente. 3 3 A solução apresenta pressão máxima de vapor maior que o solvente. 4 4 Ambas as curvas, numa mesma temperatura, apresentam mesma pressão máxima de vapor. 29) Analise as afirmações: 0 0 A água do mar ferve a uma temperatura mais baixa que a água pura a uma mesma altitude em relação ao nível do mar. 1 1 A água do mar congela a uma temperatura mais baixa que a água pura a uma mesma altitude em relação ao nível do mar. 2 2 Uma solução aquosa de sacarose ferve a uma temperatura mais alta que a água pura a uma mesma altitude em relação ao nível do mar. 3 3 Uma solução aquosa de sacarose congela a uma temperatura mais alta que a água pura a uma mesma altitude em relação ao nível do mar. 4 4 Entre a água e o éter, o éter tem maior pressão de vapor porque é mais volátil que a água. 30) As propriedades coligativas das soluções dependem: a) da pressão máxima de vapor do líquido. b) da natureza das partículas dispersas na solução. c) da natureza do solvente, apenas. d) do número de partículas dispersas na solução. e) da temperatura de ebulição do líquido. 31) Gelo e Vapor na Montanha Em Maceió, Alagoas, que está ao nível do mar, a água ferve a 100 º C e congela a 0 º C. Em Ouro Preto, Minas Gerais, a uns 1500 metros de altitude, a água: a) ferve abaixo de 100 C e congela acima de 0 C. b) ferve acima de 100 C e congela abaixo de 0 C. c) ferve abaixo de 100 C e congela abaixo de 0 C. d) ferve acima de 100 C e congela acima de 0 C. e) ferve a 100 C e congela a 0 C. 32) A dissolução de um sólido iônico em certa quantidade de água faz com que, em relação à água pura e nas mesmas condições de temperatura e pressão, a solução apresente: I. Pressão osmótica menor. II. Pressão de vapor menor. III. Temperatura de início de fusão menor. IV. Temperatura de início de ebulição menor. V. Densidade maior. Das afirmações acima estão certas, apenas: a) I, II e V. b) II, III e IV. c) II, III e V. d) I, II, III e V. e) I, II, IV e V.

8 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (UNIFOA-RJ) A presença de um soluto não-volátil dissolvido em um solvente líquido altera o comportamento deste líquido na sua pressão de vapor que (x), no seu ponto de ebulição que (y) e no seu ponto de solidificação que (z). Respectivamente, podemos substituir x, y e z por: a) aumenta, diminui e aumenta. b) diminui, aumenta e diminui. c) aumenta, aumenta e diminui. d) diminui, diminui e aumenta. e) diminui, aumenta e aumenta. 34)(Covest-2001)O gráfico abaixo representa a pressão de vapor (eixo das ordenadas), em atm, em função da temperatura (eixo das abcissas), em C, de três amostras, I, II e III. Se uma destas amostras for de água pura e as outras duas de água salgada, podemos afirmar que: a) A amostra I é a amostra de água salgada. b) A amostra I é a mais volátil. c) A amostra II é mais concentrada que a amostra III. d) A amostra I é a menos volátil. e) Na temperatura T III e 1 atm a amostra II ainda não entrou em ebulição. 35) (UFU-MG) A respeito das propriedades das soluções, considere as afirmativas abaixo. I. A água do mar ferve a uma temperatura mais baixa que a água pura, ambas ao nível do mar. II. A água do mar congela a uma temperatura mais baixa que a água pura, ambas ao nível do mar. III. Uma solução aquosa de sacarose ferve a uma temperatura mais alta que a água pura, ambas ao nível do mar. IV. Uma solução aquosa de sacarose congela a uma temperatura mais alta que a água pura, ambas ao nível do mar. Dentre essas afirmações: a) Todas são incorretas. b) I e IV são corretas. c) I é correta e III é incorreta. d) II e III são corretas. e) Todas são corretas. 36)(Covest-2002) Por que a adição de certos aditivos na água dos radiadores de carros evita que ocorra o superaquecimento da mesma, e também o seu congelamento, quando comparada com a da água pura? a) Porque a água mais o aditivo formam uma solução que apresenta pontos de ebulição e de fusão maiores que os da água pura. b) Porque a solução formada (água + aditivo) apresenta pressão de vapor maior que a água pura, o que causa um aumento no ponto de ebulição e de fusão. c) Porque o aditivo reage com a superfície metálica do radiador, que passa então a absorver energia mais eficientemente, diminuindo, portanto, os pontos de ebulição e de fusão quando comparados com a água pura. d) Porque o aditivo diminui a pressão de vapor da solução formada com relação à água pura, causando um aumento do ponto de ebulição e uma diminuição do ponto de fusão. e) Porque o aditivo diminui a capacidade calorífica da água, causando uma diminuição do ponto de fusão e de ebulição.

9 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS )Sob mesma pressão, comparando-se as temperaturas de ebulição e de congelamento de uma solução aquosa de açúcar com as correspondentes para a água pura, têm-se: a) Valores maiores para as temperaturas referentes à solução b) Valores menores para as temperaturas referentes à solução c) Maior temperatura de ebulição e menor temperatura de congelamento para a solução d) Menor temperatura de ebulição e maior temperatura de congelamento para a solução e) A mesma temperatura de ebulição e diferentes temperaturas de congelamento para a solução e a água. 38) (UPE-2004-Q1) O etileno-glicol é usado como aditivo de água dos radiadores de automóveis com o objetivo de dificultar a ebulição da água e, conseqüentemente, proteger os motores dos automóveis, especialmente nos dias quentes de verão muito comuns em nossa região. Em relação ao etileno-glicol, é correto afirmar que é uma substância: a) gasosa a 25 C e 1 atm com massa molecular elevad a. b) pouco volátil, que é usada nos fluidos para radiadores, a fim de diminuir a temperatura de ebulição da água. c) volátil usada nos fluidos para radiadores, com a finalidade de aumentar a temperatura de congelamento da água. d) que deixa mais viscoso e, portanto, mais volátil o fluido para radiadores. e) que, adicionada à água, provoca uma elevação na temperatura de ebulição da solução de resfriamento, em relação à temperatura de ebulição da água. 39)(UnB-DF) Os compartimentos A, B e C são iguais e separados por uma membrana semipermeável ao solvente. Em um dos compartimentos colocou-se água destilada; e, nos outros, igual volume de soluções de cloreto de sódio (sistema I). Após algum tempo os volumes iniciais se modificaram como está ilustrado no sistema (II). Use essas informações e outras que forem necessárias para analisar os itens: (I) (II) 0 0 A alteração do volume se deve à osmose. 1 1 A concentração inicial das soluções é a mesma. 2 2 A água destilada foi colocada no compartimento B. 3 3 A pressão osmótica em A é maior que em C. 4 4 As soluções têm mesma pressão de vapor, a dada temperatura. 40)(ITA-SP) Temos três soluções de açúcar em água (1, 2 e 3). As soluções 1 e 3 são posta em copos distintos. Com a solução 2 enchendo dois saquinhos de celofane em forma de envoltório de salsicha. Os saquinhos são suspensos por um fio, nos dois copos, conforme esquema abaixo. Os saquinhos não vazam, todavia seu conteúdo muda de volume conforme assinalado no desenho o saquinho murcha o saquinho incha Em face das observações anteriores, foram feitas as seguintes afirmações: I. A pressão de vapor da água nas soluções anteriores cresce na seqüência 1, 2 e 3. II. A temperatura de inicio de solidificação no resfriamento decresce na seqüência 1, 2 e 3. III. A temperatura de inicio de ebulição no aquecimento cresce na seqüência 1, 2 e 3. São certas as afirmações: a) I. b) II. c) III. d) nenhuma. e) todas.

10 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) A adição de 150g de sacarose a um litro de água pura fará com que: a) sua pressão de vapor diminua. b) passe a conduzir corrente elétrica. c) sua pressão de vapor aumente. d) seu ponto de ebulição diminua. e) seu ponto de congelamento aumente. 42) (MACKENZIE-SP) Sob pressão atmosférica, têm-se dois sistemas contendo, respectivamente, (I) H 2 O e (II) solução aquosa de NaCl. Comparando-se as temperaturas de ebulição (t e ) e de congelação (t c ) iniciais entre os sistemas, temos: t e t c a) II > I e I > II. b) I > II e I > II. c) II > I e II > I. d) II = I e II = I. e) II > I e II = I. 43) (Covest-2009) Propriedades coligativas de uma solução são propriedades que dependem somente do número de partículas do soluto na solução. A adição de uma pequena quantidade de soluto nãovolátil a um solvente para formar uma solução diluída ideal, permite estudar quantitativamente: a) a elevação da pressão de vapor a partir da constante ebulioscópica. b) o abaixamento da temperatura de ebulição que ocorre com a adição de um soluto a um solvente. c) a elevação da temperatura de solidificação a partir da constante crioscópica. d) a pressão osmótica estabelecida entre o solvente puro e a solução, separados por uma membrana semipermeável. e) o aumento da temperatura de ebulição a partir da constante crioscópica. 44) (FAAP-SP) Mesmo em dias sem sol, o banho de mar provoca sede. Seguem-se as afirmações: I. A concentração salina da água do mar é mais alta do que nas soluções corporais. Em conseqüência, a imersão prolongada no mar provoca saída de água do corpo para a solução mais concentrada (a água do mar). A sede é um recurso natural do organismo para repor a água perdida por esse meio. II. A concentração salina da água do mar é mais baixa do que as soluções corporais. Em conseqüência, a imersão prolongada no mar provoca absorção de energia dos raios solares que ficaram retidos durante os dias de sol, provocando, assim, a sede. III. Em dias sem sol, a imersão prolongada no mar provoca o fenômeno conhecido como crioscopia, muito usado na industria de sorvetes, onde se emprega a salmoura, uma solução saturada de sal marinho. Dessas afirmações, apenas: a) I e II são corretas. b) I e III são corretas. c) I é correta. d) III é correta. e) II e III são corretas. 45) (Covest-2005) Os processos descritos abaixo podem ser explicados por fenômenos que ocorrem em solução, devido à presença de um soluto. (I) Uma salada de alface, temperada com sal e vinagre, murcha após um certo tempo. (II) Durante o inverno, em cidades de clima frio, é comum jogar sal grosso nas ruas, para evitar a formação de crostas de gelo. (III) A temperatura de ebulição da água do mar é sempre maior do que a temperatura de ebulição da água destilada. Para justificar esses fenômenos, podemos dizer que: 0 0 A salada de alface murcha devido à desidratação causada pelo efeito de osmose. 1 1 Durante o inverno, o sal é jogado nas ruas para que a umidade presente na superfície não se congele, devido ao efeito crioscópico. 2 2 A água do mar entra em ebulição em temperaturas mais elevadas que a água destilada, devido ao efeito ebulioscópico. 3 3 Os efeitos responsáveis pelos eventos (I, II,e III) descritos acima, são todos devido à alteração na pressão de vapor de um solvente, causada pela adição de um soluto não volátil. 4 4 A osmose não é uma propriedade coligativa.

11 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) Considerando 1,0 L de cada solução abaixo, há as seguintes afirmações: A B glicose 0,5 mol / L CaCl 2 0,5 mol / L I. A e B possuem o mesmo número de partículas de soluto. II. A solução B possui menor temperatura de congelação. III. A solução A entra em ebulição a uma temperatura menor. IV. Se as soluções forem separadas por uma membrana semipermeável, haverá osmose de B para A. São corretas, apenas: a) II e III. b) II e IV. c) I e IV. d) I e II. e) III e IV. 47) Foram preparadas separadamente três soluções aquosas dissolvendo-se 0,1 mol por litro dos compostos: NaCl (cloreto de sódio), Na 2 O (óxido de sódio) e C 12 H 22 O 11 (sacarose). Os valores das pressões osmóticas destas soluções foram representados por π1, π2 e π3, respectivamente. As equações químicas para as dissoluções dos solutos nestas soluções são: NaCl (s) + H 2 O (l) Na + (aq) + Cl (aq) Na 2 O (s) + H 2 O (l) 2 Na + (aq) 2 OH (aq) C 12 H 22 O 11 (s) + H 2 O (l) C 12 H 22 O 11 (aq) A alternativa correta que representa a ordem crescente da pressão osmótica esperada nas três soluções é: a) π1 < π3 < π2. b) π1 < π2 < π3. c) π3 < π1 < π2. d) π2 < π1 < π3. e) π2 < π3 < π1. 48) (UFRGS-RS) Uma solução aquosa diluída de sacarose é posta em contato com igual volume de uma solução aquosa diluída de cloreto de sódio, através de uma membrana semipermeável, resultando no equilíbrio representado abaixo. A observação da figura permite afirmar que a) a pressão osmótica da solução de sacarose é maior que a da solução de cloreto de sódio. b) a molaridade da solução de cloreto de sódio é maior que a da solução de sacarose. c) a solução de cloreto de sódio possui temperatura de ebulição inferior à da solução de sacarose. d) ambas as soluções, quando se encontrarem na mesma temperatura, apresentarão a mesma pressão de vapor. e) a solução de cloreto de sódio possui temperatura de congelação inferior à da solução de sacarose

12 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS )A passagem do solvente através de uma membrana semipermeável no sentido solução diluída para solução concentrada recebe o nome de: a) anaforese. b) osmose. c) cataforese. d) centrifugação. e) flotação. 50)(FCC-BA) Em dois frascos A e B, ligados conforme o esquema a seguir e inteiramente mergulhados num banho à temperatura constante, colocam-se, respectivamente, uma solução 0,1 mol/l de sacarose em água e uma solução 2 mol/l de sacarose em água, ambos no mesmo nível inicial. Com o passar do tempo, observa-se que: A B a) o nível de A sobe e o nível de B baixa. b) o nível de A baixa e o nível de B sobe. c) ambos os níveis sobem. d) ambos os níveis descem. e) os níveis permanecem inalterados. 51) (UNIP-SP) A dissolução de certa quantidade de cloreto de sódio à água irá causar... a) aumento da pressão máxima de vapor. b) diminuição do ponto de ebulição. c) diminuição da pressão osmótica. d) diminuição do ponto de congelamento. e) aumento do ponto de ebulição e do ponto de congelamento. 52)(UPE-2004-Q2) 0 0 As soluções aquosas diluídas de nitrato de prata e nitrato de alumínio, ambas de mesma concentração em mol/l, se congelam à mesma temperatura. 1 1 A água do mar tem uma pressão de vapor menor que a água pura, à mesma temperatura. 2 2 Os líquidos quando submetidos à mesma temperatura e pressão, apresentam sempre a mesma pressão de vapor. 3 3 O tempo necessário para cozinhar um ovo no topo de uma montanha, onde a pressão atmosférica é 0,5 atm, é bem menor que ao nível do mar. 4 4 O objetivo de salgar a carne é evitar a proliferação de microorganismos (pela saída da água intracelular por osmose), que desencadeia a deterioração do alimento. 53) (Puccamp-SP) Considere o texto adiante. Se as células vermelhas do sangue forem removidas para um béquer contendo água destilada, há passagem da água para...(i)...das células. Se as células forem colocadas numa solução salina concentrada, há migração da água para..(ii)...das células com o..(iii)...das mesmas. As soluções projetadas para injeções endovenosas devem ter...(iv)... próximas às das soluções contidas nas células. Para completar correta-lo corretamente, I,II, III e IV devem ser substituídos, respectivamente, por: a) dentro fora enrugamento pressão osmótica. b) fora dentro inchaço condutividade térmica. c) dentro fora enrugamento colorações. d) fora fora enrugamento temperatura de ebulição. e) dentro dentro inchaço densidades.

13 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (Mark-SP) Uma solução aquosa 2 mol/l de glicose separada por uma membrana semipermeável de outra solução aquosa 0,2 mol/l de glicose com o tempo: a) não se altera. b) precipita. c) vai se diluindo. d) vai se concentrando. e) apresenta turvação. 55) (ITA-SP) Na figura abaixo, o balão A contém 1 litro de solução aquosa 0,2 mol/l de KBr, enquanto o balão B, contém 1 litro de solução aquosa 0,1 mol/l de FeBr 3. Os dois balões são mantidos na temperatura de 25 C. Após a introdução das soluções aquosas de KBr e FeBr 3 as torneiras T A e T B são fechadas, sendo aberta a seguir a torneira T C. TA TB K Br FeBr 3 Balão A T C Balão B As seguintes afirmações são feitas a respeito do que será observado após o estabelecimento do equilíbrio. 0 0 A pressão osmótica nas duas soluções será a mesma. 1 1 A pressão de vapor da água será igual nos dois balões. 2 2 O nível do líquido no balão A será maior que o inicial. 3 3 A concentração da solução de FeBr 3 no balão B será maior que a inicial. 4 4 A molaridade do KBr na solução do balão A será igual à molaridade do FeBr 3 no balão B. 56)(PUCCAMP-SP) É costume popular a colocação de sólidos como açúcar ou pó de café sobre feridas. A retirada de líquido, favorecendo a cicatrização pode ser mais bem interpretada pelo efeito coligativo: a) osmótico. b) criométrico. c) ebuliométrico. d) criométrico e ebuliométrico. e) tonométrico e ebuliométrico. 57) Dadas as seguintes soluções aquosas: I. 2 mol/l de C 12 H 22 O 11. II. 2 mol/l de HCl. III. 2 mol/l de C 6 H 12 O 6. IV. 2 mol/l de KNO 3. V. 2 mol/l de (NH 4 ) 2 SO 4. Qual apresenta a menor pressão máxima de vapor? a) I. b) II. c) III. d) IV. e) V. 58) Na ebulição, a pressão de vapor de uma solução aquosa 0,05 mol/l de glicose (C 6 H 12 O 6 ) é: a) O dobro da pressão de vapor de uma solução aquosa 0,05 mol/l de glicerol (C 3 H 8 O 3 ). b) A metade da pressão de vapor de uma solução aquosa 0,05 mol/l de sacarose (C 12 H 22 O 11 ). c) Igual à pressão de vapor de uma solução aquosa de igual concentração, em mol/l, de frutose (C 6 H 12 O 6 ). d) A metade da pressão de vapor de uma solução aquosa 0,10 mol/l de glicose (C 6 H 12 O 6 ). e) Igual à pressão de vapor de uma solução aquosa de igual concentração, em mol/l, de sal de cozinha (NaCl).

14 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (Rumo-2004) Foram preparadas cinco soluções aquosas diluídas, de mesma concentração molal dos sólidos abaixo. A solução que congela em temperatura mais próxima de 0 C é a de: a) cloreto de sódio. b) sacarose. c) sulfato de zinco. d) ácido acético. e) ácido sulfúrico. 60) (Covest-98) Considerando as informações abaixo, sobre duas soluções (I) e (II);. Solução (I) tem 10g de composto covalente A em 1 litro de água.. Solução (II) tem 10g de composto covalente B em 1 litro de água.. Temperatura de ebulição da solução (I) maior que da solução B. Podemos afirmar que: 0 0 A pressão de vapor da solução I é maior que a de II. 1 1 O ponto de fusão da solução I é maior do que a de II. 2 2 O peso molecular de A é maior que de B. 3 3 A temperatura de ebulição de ambas as soluções é maior que 100 o C. 4 4 A temperatura de fusão de ambas as soluções é maior que 0 o C. 61) (Covest-2002) Considere as seguintes soluções aquosas: I. Sacarose 0,05 M II. NaCl 0,03 M III. Cu(NO 3 ) 2 0,03 M Com relação aos pontos de ebulição destas soluções, podemos afirmar que: 0 0 A solução I apresenta ponto de ebulição menor que o da solução II. 1 1 A solução II apresenta ponto de ebulição maior que o da solução III. 2 2 A solução I apresenta ponto de ebulição menor que o da solução III. 3 3 A solução II apresenta ponto de ebulição igual ao da solução III. 4 4 As três soluções apresentam o mesmo ponto de ebulição. Resp: V F V F F 62) Qual é, a 100ºC, a pressão máxima de vapor de uma solução aquosa de sacarose cuja fração molar é 0,01 em sacarose? (Pressão máxima de vapor da água pura a 100ºC = 760 mmhg) a) 759,0 mmhg. b) 755,3 mmhg. c) 752,4 mmhg. d) 767,6 mmhg. e) 760,0 mmhg. 63) (UNICAP-2007/Q2) Verifica-se, experimentalmente, que a pressão de vapor de um líquido aumenta com o aumento da temperatura e que, na temperatura de ebulição, seu valor é máximo. A 100 C a pressão máxima de vapor da água pura é 1 atm, e nessa temperatura a água pura entra em ebulição. Numa cidade, cuja altitude é superior à do nível do mar, a temperatura de ebulição da água pura é: 0 0 Menor que 100 C, porque a pressão atmosférica é men or. 1 1 Maior que 100 C, porque a pressão atmosférica é men or. 2 2 Menor que 100 C, porque a pressão atmosférica é mai or. 3 3 Maior que 100 C, porque a pressão atmosférica é mai or. 4 4 Igual a 100 C, porque a fórmula da água não se alte ra, seja qual for a temperatura ou pressão.

15 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) (Covest-2007) A Tabela abaixo apresenta a variação da pressão de vapor em função da temperatura para naftaleno (sólido), benzeno (líquido) e água (líquida). Analise as afirmações a seguir: naftaleno benzeno água T ( C) P (mmhg) T ( C) P (mmhg) T ( C) P (mmhg) 7 0, ,61 7 7, , , , , , , , , , , Dentre as três substâncias, o benzeno deve apresentar o menor ponto de ebulição. 1 1 A 97 o C, o benzeno está abaixo de seu ponto de ebulição normal. 2 2 A 0 o C, a pressão de vapor da água deve ser igual a zero. 3 3 A 100 o C, a pressão de vapor da água deverá ser igual a 760 mmhg. 4 4 O fato de a pressão de vapor do naftaleno ser maior que zero significa que este composto não pode ser um sólido a 25 o C e 760 mmhg. Justificativa: 0-0) Verdadeiro: Em qualquer temperatura, o benzeno apresenta a maior pressão de vapor. 1-1) Falso: A esta temperatura a pressão de vapor do benzeno é maior que 760 mmhg, portanto deverá evaporar. 2-2) Falso: A água pode sublimar. 3-3) Verdadeiro: O ponto de ebulição normal é definido como a temperatura na qual a pressão de vapor se iguala a P = 760 mmhg. 4-4) Falso: A pressão de vapor, por si só, não indica em que estado físico uma substância se encontra. 65) (Covest-2008) A água do mar é rica em cloreto de sódio, dentre outros sais. Sabe-se que a presença de solutos num solvente altera algumas propriedades deste último. Exemplo disto são as propriedades coligativas. Considere a elevação no ponto de ebulição da água, causada pelos seguintes sais, todos bastante solúveis em água (MM é a massa molar): NaCl (MM = 58,5 g mol 1 ), KCl (MM = 74,5 g mol 1 ) e Na 2 SO 4 (MM = 142 g mol 1 ). Com base nesses dados, assinale a alternativa correta. a) O aumento do ponto de ebulição da água deverá ser o mesmo para soluções 1 mol L 1 de qualquer um destes sais. b) Uma solução 2 mol L 1 de NaCl deverá apresentar um aumento no ponto de ebulição equivalente ao de uma solução 1 mol L 1 da Na 2 SO 4. c) A dissolução de 117 g de NaCl, em 10 litros de água, deve provocar um aumento no ponto de ebulição, equivalente ao obtido pela dissolução de 149 g de KCl, em 10 litros de água. d) Considerando-se soluções 1M desses sais, o Na 2 SO 4 é o que causa menor elevação no ponto de ebulição da água, uma vez que é um sal assimétrico. e) Uma solução aquosa contendo 5,85 g L 1 de NaCl tem o mesmo ponto de ebulição de uma solução aquosa contendo 14,2 g L 1 de Na2SO4. 66) (UPE-2007 Q1) Em relação às propriedades das soluções, analise as afirmativas e conclua. 0 0 Em países com invernos rigorosos, é costume esparramar, nas rodovias, sal de cozinha com objetivo de aumentar o ponto de congelação da água, evitando a formação do gelo. 1 1 Em 200,0g de uma solução aquosa de sacarose a 10% em massa, há 6,02 x moléculas de água. 2 2 Para diluir 1L de uma solução aquosa de NaOH 1,0 mol/l e transformá-la numa solução 10 6 mol/l, serão necessários aproximadamente 10 6 L de água destilada. 3 3 Os efeitos coligativos produzidos pelos solutos iônicos nas soluções aquosas são sempre de mesma intensidade, desde que as soluções sejam de mesma concentração. 4 4 Para que ocorra a osmose reversa, é necessário que se aplique à solução uma pressão mais baixa que a pressão osmótica da solução. 67)(UFPA) A pressão de vapor da água pura a 25 C é 23,8 mmhg, logo a pressão de vapor da água em uma solução aquosa de sacarose, em mmhg, a 25 C, cu ja fração molar é 0,02 em sacarose, é: a) 23,80 mmhg. b) 760,0 mmhg. c) 23,58 mmhg. d) 736,20 mmhg. e) 23,32 mmhg.

16 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS )(UPE-2008-Q2) 3,0g de um composto orgânico foram dissolvidos em 300,0g de um solvente. Em laboratório, verificou-se que, após a dissolução, ocorreu um abaixamento na temperatura de congelação igual a 0,40ºC. Sabendo-se que 60% da quantidade em gramas do composto, que foi dissolvida, trimerizou-se após a dissolução, é correto afirmar que: kc = 3ºC, ma(c ) = 12u, ma(o) = 16u, ma( H ) = 1u a) a massa molar desse composto é igual a 104,0 g/mol. b) cinco moléculas desse composto têm massa maior que 200,0g. c) 3,01 x moléculas desse composto pesam menos que 150,0g. d) uma molécula desse composto tem massa em gramas igual a 45,0g. e) 6,02 x moléculas desse composto pesam 45,0g. T c = K C. i. W T C = 0,40ºC; K C = 3 e W = ( ) : (300. M 1) = 10 : M 1 X 1/3. X 3 1 0,6 0,6/2 = 0,2 mol i = 0,4 + 0,2 = 0,6 0,4 = (3. 0,6. 10) : M 1 M 1 = 18 : 0,4 = 45 g/mol 69)(UFES) Uma massa de 171g de um composto molecular desconhecido é adicionada a 250g de água. A solução resultante apresenta uma temperatura de ebulição de 101 C, a 1 atm. Sabendo-se que a constante de ebulioscopia da água é 0,5 C/molal, po de-se concluir que o composto desconhecido possui massa molar de: a) 171g/mol. b) 342g/mol. c) 513g/mol. d) 684g/mol. e) 855g/mol. 70)(UEL-PR) Uma solução aquosa de glicose apresenta concentração 0,50 molal. Calcular a elevação do ponto de ebulição da água, em C. Dado: Constante de ebulioscopia molal da água = 0,52 C/molal. a) 5,2 C. b) 2,6 C. c) 0,52 C. d) 0,26 C. e) 0,13 C. 71) A pressão osmótica exercida por uma solução aquosa 1,0 mol/l de glicose a OºC é: a) 22,4 atm. b) 2,24 atm. c) 224 atm. d) 0,082 atm. e) 62,3 atm. 72) O fator de Van t Hoff i para CaCl 2 com grau de dissociação igual a 80% é: a) 0,80. b) 0,20. c) 2,6. d) 3,0. e) 2,0.

17 Prof. Agamenon Roberto PROPRIEDADES COLIGATIVAS ) Considerando 1,0 L de cada solução abaixo, há as seguintes afirmações: A B glicose 0,5 mol / L CaCl 2 0,5 mol / L x = número de partículas de soluto por litro de A. y = número de partículas de soluto por litro de B. Temos: a) y = x. b) y = 2x. c) y = 3x. d) x = 3y. e) x = 2y. 74) Uma solução aquosa de Na 2 SO 4, com 90% de dissociação, apresenta pressão osmótica igual a 12 atm e temperatura de 27 o C. A molaridade da solução será: Dado: R = 0,082 atm. litro/ K. mol. a) 0,194 mol/l. b) 1,620 mol/l. c) 1,936 mol/l. d) 1,806 mol/l. e) 0,174 mol/l. 75) Calcule o abaixamento relativo da pressão máxima de vapor em uma solução aquosa 0,01 molal da CaCI 2, cujo grau de distorção é 80%. (dado: K t = 0,018 g/mol) 76)(PUC-PR) Uma solução de 16g de brometo de cálcio (CaBr 2 ) em 800g de água eleva de 0,13 C o ponto de ebulição dessa solução (K e = 0,52). O grau de dissociação do brometo de cálcio é: Dados: Ca = 40 g/mol; Br = 80 g/mol. a) 30%. b) 45%. c) 60%. d) 6%. e) 75%. 77)(ITA-SP)Que molaridade do soluto deve ter uma solução aquosa de BaCl 2 para que o abaixamento crioscópico seja praticamente o mesmo que o observado na solução aquosa 0,030 mol/l de NaCl? a) 0,017 mol/l. b) 0,020 mol/l. c) 0,030 mol/l. d) 0,045 mol/l. e) 0,060 mol/l.

pressão (atm) temperatura( C)

pressão (atm) temperatura( C) pressão (atm) T temperatura( C) 01) No diagrama de fases da água: 760 Pressão (mmhg) ta tb ta ( C) As temperaturas ta e tb são, respectivamente: a) pontos normais de fusão e ebulição. b) pontos normais

Leia mais

Propriedades coligativas I

Propriedades coligativas I Propriedades coligativas I 01. (Ufrn) Um béquer de vidro, com meio litro de capacidade, em condições normais de temperatura e pressão, contém 300 ml de água líquida e 100 g de gelo em cubos. Adicionando-se,

Leia mais

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica).

a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). 01 a) Incorreta. O aumento da temperatura desloca o equilíbrio para o lado direito, no sentido da formação do vapor (transformação endotérmica). b) Incorreta. Quanto mais volátil o líquido, menor será

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. Prof.: Rodrigo Rocha Monteiro

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. Prof.: Rodrigo Rocha Monteiro PROPRIEDADES COLIGATIVAS Prof.: Rodrigo Rocha Monteiro Propriedades Coligativas São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido. Quando comparamos, em análise química, um líquido puro e uma solução

Leia mais

3 Propriedades Coligativas

3 Propriedades Coligativas 3 Propriedades Coligativas 1 Introdução É bastante comum as pessoas adicionarem sal à água que será utilizada no cozimento de alimentos. Com a adição de sal de cozinha, a água demora mais tempo para entrar

Leia mais

Propriedades Coligativas Aula 3

Propriedades Coligativas Aula 3 Propriedades Coligativas Aula 3 Um efeito coligativo é uma modificação em certas propriedades de um solvente quando nele adicionados um soluto não-volátil, o qual só depende do número de partículas (moléculas

Leia mais

03/04/2016 AULAS 11 E 12 SETOR A

03/04/2016 AULAS 11 E 12 SETOR A AULAS 11 E 12 SETOR A 1 Propriedade coligativa das soluções: são aquelas que depende unicamente do número de partículas dissolvidas. Ou seja: a adição de um soluto não-volátil a uma solução provoca mudanças

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas Química Aula de Revisão 9 3 os anos Décio ago/09 Nome: Nº: Turma: Propriedades coligativas Objetivo O objetivo dessa ficha é dar continuidade à revisão do 3º ano Química, dos assuntos mais significativos.

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (FUVEST-SP) À mesma temperatura, comparando-se as propriedades da água pura e as soluções aquosas de cloreto de sódio, estas devem apresentar menor:

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS RORIEDADES COLIGAIVAS O artigo abaixo trata de um tema extremamente cobrado nas provas do IME e do IA dos últimos anos. Em nosso site já existem dois outros artigos com exercícios sobre esse assunto e

Leia mais

Aulas 13 e 14. Soluções

Aulas 13 e 14. Soluções Aulas 13 e 14 Soluções Definição Solução é a denominação ao sistema em que uma substância está distribuída, ou disseminada, numa segunda substância sob forma de pequenas partículas. Exemplos Dissolvendo-se

Leia mais

Propriedade Coligativas das Soluções

Propriedade Coligativas das Soluções Capítulo 9 Propriedade Coligativas das Soluções 1. (IME) Um instrumento desenvolvido para medida de concentração de soluções aquosas não eletrolíticas, consta de: a) um recipiente contendo água destilada;

Leia mais

SOLUÇÕES PROPRIEDADES COLIGATIVAS TERMODINAMICA II PROF. JAQUELINE SCAPINELLO

SOLUÇÕES PROPRIEDADES COLIGATIVAS TERMODINAMICA II PROF. JAQUELINE SCAPINELLO SOLUÇÕES PROPRIEDADES COLIGATIVAS TERMODINAMICA II PROF. JAQUELINE SCAPINELLO A SOLUÇÃO IDEAL Solução: mistura homogenia de espécies químicas (única fase) Solvente: constituinte em maior quantidade Soluto:

Leia mais

Exercícios - PROPRIEDADES COLIGATIVAS - 2012

Exercícios - PROPRIEDADES COLIGATIVAS - 2012 Exercícios - PROPRIEDADES COLIGATIVAS - 2012 1- Ao se preparar uma salada de folhas de alface, utilizando sal e vinagre, devemos temperá-la e comê-la imediatamente, pois, ao ser deixada em repouso por

Leia mais

Claudi Cândia /Sara Regina. Aluno(a): PROVA COMENTADA

Claudi Cândia /Sara Regina. Aluno(a): PROVA COMENTADA QUÍMICA AVALIAÇÃO Claudi Cândia /Sara Regina Aluno(a): PROVA COMENTADA III UNIDADE Nota: Série: 2 a Ensino Médio Turma: A / B / C / D Data: 14/08/2015 1. A prova é composta de 07 questões abertas e 03

Leia mais

Resoluções das Atividades

Resoluções das Atividades Resoluções das Atividades Sumário Módulo 1 Estudo das dispersões Definição, classificação, estudo dos coloides, coeficiente de solubilidade... 1 Módulo 2 Concentração de soluções... 3 Módulo 3 Propriedades

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas 1. Introdução Propriedades Coligativas Algumas propriedades do solvente mudam quando um soluto é dissolvido nele para formar uma solução. O ponto de congelamento da água salgada, por exemplo, é menor que

Leia mais

QUÍMICA Propriedades coligativas

QUÍMICA Propriedades coligativas QUÍMICA Propriedades coligativas MÓDULO FRENTE 11 A As propriedades coligativas correspondem a alterações nas propriedades de um solvente (líquido puro) devido à adição de um soluto não volátil. As propriedades

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- Pressão Máxima de Vapor: É a pressão exercida por seus vapores quando estes estão em equilíbrio dinâmico com o líquido. É bom lembrar também que quanto maior for a pressão máxima

Leia mais

Mudanças de fase. Temperatura e pressão críticas Os gases são liquefeitos sob o aumento da pressão a uma temperatura.

Mudanças de fase. Temperatura e pressão críticas Os gases são liquefeitos sob o aumento da pressão a uma temperatura. Mudanças de fase Sublimação: sólido gás. Vaporização: líquido gás. Derretimento ou fusão: sólido líquido. Deposição: gás sólido. Condensação: gás líquido. Congelamento: líquido sólido. Mudanças de fase

Leia mais

As Propriedades das Misturas (Aulas 18 a 21)

As Propriedades das Misturas (Aulas 18 a 21) As Propriedades das Misturas (Aulas 18 a 21) I Introdução Em Química, solução é o nome dado a dispersões cujo tamanho das moléculas dispersas é menor que 1 nanometro (10 Angstrons). A solução ainda pode

Leia mais

2) Uma solução de 5,00 g de ácido acético, CH 3 COOH, em 100 g de benzeno congela a 3,37

2) Uma solução de 5,00 g de ácido acético, CH 3 COOH, em 100 g de benzeno congela a 3,37 Química Geral e Experimental II Soluções e propriedades coligativas Resolução comentada de exercícios selecionados versão colig_v3_2005 Prof. Fabricio R. Sensato 1) Qual o ponto de ebulição de uma solução

Leia mais

Disciplina de Físico Química I - Tipos de Soluções Propriedades Coligativas. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.

Disciplina de Físico Química I - Tipos de Soluções Propriedades Coligativas. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta. Disciplina de Físico Química I - Tipos de Soluções Propriedades Coligativas. Prof. Vanderlei Inácio de Paula contato: vanderleip@anchieta.br Misturas - soluções A grande maioria dos sistemas encontrados

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 27 PROPRIEDADES COLIGATIVAS

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 27 PROPRIEDADES COLIGATIVAS QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 27 PROPRIEDADES COLIGATIVAS 800 pressão de vapor de água (mmhg) 760 700 600 500 400 300 200 100 líquido benzeno puro benzeno + soluto p vapor p.e. do benzeno puro t p.e. do

Leia mais

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas.

SOLUÇÕES. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. QUÍMICA PROF - 3C13 SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas heterogêneas possuem duas ou mais fases distintas. Solução é

Leia mais

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides

Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides Exercícios de Propriedades Coligativas e Coloides 1. Considere o gráfico da pressão máxima de vapor em função da temperatura para um solvente puro e para uma solução desse solvente contendo um soluto molecular

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS Prof. Robinho Propriedades Coligativas São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido. Quando comparamos, em análise química, um líquido puro e uma solução desse líquido

Leia mais

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Estudo de caso Reúnam-se em grupos de máximo 5 alunos e proponha uma solução para o seguinte caso: A morte dos peixes ornamentais. Para isso

Leia mais

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS

SOLUÇÕES SOLUÇÕES MISTURAS MISTURAS SOLUÇÕES Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não houver formação de nova(s) espécie(s), teremos uma mistura. Exemplos: Mistura de

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1) Qual das seguintes soluções aquosas apresenta maior ponto de ebulição? A) uréia 2,0 molar. B) glicose 1,5 molar. C) NaCl 1,5 molar. D) CH 3 COOH 1,0 molar. E) sacarose 2,5 molar.

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - Janeiro 2004-2ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 32

Processo Seletivo/UFU - Janeiro 2004-2ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 32 QUÍMICA QUESTÃO 31 Considerando a Tabela Periódica e as propriedades dos elementos químicos, assinale a alternativa correta A) Um metal é uma substância dúctil e maleável que conduz calor e corrente elétrica

Leia mais

Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes

Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES. Eliana Midori Sussuchi Samísia Maria Fernandes Machado Valéria Regina de Souza Moraes Aula 19 PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES META Apresentar os fatores que influenciam no processo de dissolução. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: reconhecer um processo de dissolução; identificar

Leia mais

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES

BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES BREVE LISTINHA DE EXERCICIOS SOBRE COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE - CONCENTRAÇÕES 01 Uma solução composta por duas colheres de sopa de açúcar (34,2g) e uma colher de sopa de água (18,0 g) foipreparada. Podemos

Leia mais

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS

1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1- PROPRIEDADES DAS SOLUÇÕES OU PROPRIEDADES COLIGATIVAS Em países quentes, é costume adicionar à água do radiador dos automóveis o etilenoglicol, que eleva a temperatura de ebulição da água. Evita-se

Leia mais

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 07 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Propriedades Coligativas...1 Exercícios...3 Gabarito...5 Propriedades coligativas Propriedades

Leia mais

EXERCÍCIOS PROPOSTOS RESUMO. ΔH: variação de entalpia da reação H R: entalpia dos reagentes H P: entalpia dos produtos

EXERCÍCIOS PROPOSTOS RESUMO. ΔH: variação de entalpia da reação H R: entalpia dos reagentes H P: entalpia dos produtos Química Frente IV Físico-química Prof. Vitor Terra Lista 04 Termoquímica Entalpia (H) e Fatores que Alteram o ΔH RESUMO Entalpia (H) é a quantidade total de energia de um sistema que pode ser trocada na

Leia mais

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade

SOLUÇÕES. Curvas de Solubilidade QUÍMICA SOLUÇÕES 1. INTRODUÇÃO Soluções são misturas homogêneas, ou seja, misturas entre dois ou mais componentes apresentando uma única fase. Exemplos: Água + Álcool Água + Sal + Açucar Curvas de Solubilidade

Leia mais

LISTA COMPLEMENTAR DE EXERCÍCIOS. Ensino Médio 3º ano. Cinética Química Equilíbrio Químico Equilíbrio Iônico

LISTA COMPLEMENTAR DE EXERCÍCIOS. Ensino Médio 3º ano. Cinética Química Equilíbrio Químico Equilíbrio Iônico LISTA COMPLEMENTAR DE EXERCÍCIOS Ensino Médio 3º ano Cinética Química Equilíbrio Químico Equilíbrio Iônico Prof. Ricardo Finkler 2011 1) A velocidade de uma reação química depende: I. Do número de colisões

Leia mais

SISTEMAS MATERIAIS - 2012

SISTEMAS MATERIAIS - 2012 SISTEMAS MATERIAIS - 2012 1- (UFV) A obtenção de gasolina a partir do petróleo é feita por: A) destilação fracionada; B) destilação simples; C) filtração simples; D) filtração sob pressão reduzida; E)

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA. Departamento de Engenharia Química e do Ambiente. QUÍMICA I (1º Ano/1º Semestre)

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA. Departamento de Engenharia Química e do Ambiente. QUÍMICA I (1º Ano/1º Semestre) INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Química e do Ambiente QUÍMICA I (1º Ano/1º Semestre) 3ª Série de Exercícios ESTADOS DA MATÉRIA Tomar (2003) 1 Estado

Leia mais

Química C Extensivo V. 2

Química C Extensivo V. 2 Química C Extensivo V. 2 Exercícios 01) E 02) E Situação 1. Sistema heterogêneo solução saturada com corpo de fundo; 20 C = 46,5/100 g H 2 Na situação 1 há 80 g de soluto em 100 g de água a 20 C. excesso

Leia mais

H = +25,4 kj / mol Neste caso, dizemos que a entalpia da mistura aumentou em 25,4 kj por mol de nitrato de amônio dissolvido.

H = +25,4 kj / mol Neste caso, dizemos que a entalpia da mistura aumentou em 25,4 kj por mol de nitrato de amônio dissolvido. Lei de Hess 1. Introdução Termoquímica é o ramo da termodinâmica que estuda o calor trocado entre o sistema e sua vizinhança devido à ocorrência de uma reação química ou transformação de fase. Desta maneira,

Leia mais

Água, Soluções e Suspensões.

Água, Soluções e Suspensões. Água, Soluções e Suspensões. A água é a molécula mais abundante nos seres vivos. Cerca de 75% de um adulto. No planeta não existem seres vivos sem água. Fases da água: Sólida Líquida Gasosa Na dependência

Leia mais

As propriedades coligativas não dependem da natureza química do soluto, mas apenas do número de partículas do soluto presente em relação ao total.

As propriedades coligativas não dependem da natureza química do soluto, mas apenas do número de partículas do soluto presente em relação ao total. ula: 17 Temática: Propriedades Coligativas das Soluções s propriedades coligativas não dependem da natureza química do soluto, mas apenas do número de partículas do soluto presente em relação ao total.

Leia mais

Propriedades Coligativas. Profa. Kátia Aquino

Propriedades Coligativas. Profa. Kátia Aquino Propriedades Coligativas Profa. Kátia Aquino O que são? São as propriedades de uma solução que são influenciadas pela quantidade de soluto. Tal influência não depende da natureza do soluto. Vamos recapitular...

Leia mais

Equilíbrio Químico. PROF. NÚRIA Kc, Kp, Ka, Ki, Kb E ph

Equilíbrio Químico. PROF. NÚRIA Kc, Kp, Ka, Ki, Kb E ph Equilíbrio Químico PROF. NÚRIA Kc, Kp, Ka, Ki, Kb E ph 1 - "O conceito de equilíbrio é fundamental na química, mas não é exclusivo da química. Vivemos em uma situação social e econômica que constitui equilíbrio

Leia mais

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose

Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose Exercícios sobre Propriedades coligativas - Osmose 01. (Pucsp) Osmose é a difusão do solvente através de uma membrana semipermeável do meio menos concentrado para o meio mais concentrado. A pressão osmótica

Leia mais

Propriedades coligativas

Propriedades coligativas As propriedades coligativas dependem da quantidade de moléculas de soluto. Já sabemos que a presença de soluto afeta as propriedades físicas do solvente, as propriedades coligativas de maior importância

Leia mais

Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello

Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello Fácil Resolução da Prova de Química Vestibular Verão UERGS/2003 Prof. Emiliano Chemello Médio www.quimica.net/emiliano emiliano@quimica.net Difícil Níveis de dificuldade das Questões 01. Em um frasco,

Leia mais

Química Prof. Marcelo

Química Prof. Marcelo Química Prof. Marcelo PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1 Pressão de vapor 2 Pressão de vapor e mudança de estado 3- Tonoscopia 4- Crioscopia 5- Ebulioscopia 6 - Osmose e pressão osmótica PROPRIEDADES COLIGATIVAS

Leia mais

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br

3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br 3213-0597 / 3243-1739 www.cursofiq.com.br Profª Helena Bonaparte Soluções : Concentração, diluição, misturas e neutralização. Unidades de concentração das soluções De acordo com a IUPAC, a quantidade de

Leia mais

Prova de Química Resolvida Segunda Etapa Vestibular UFMG 2011 Professor Rondinelle Gomes Pereira

Prova de Química Resolvida Segunda Etapa Vestibular UFMG 2011 Professor Rondinelle Gomes Pereira QUESTÃO 01 Neste quadro, apresentam-se as concentrações aproximadas dos íons mais abundantes em uma amostra de água típica dos oceanos e em uma amostra de água do Mar Morto: 1. Assinalando com um X a quadrícula

Leia mais

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2005 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 Carbono é um elemento cujos átomos podem se organizar sob a forma de diferentes alótropos. Alótropos H de combustão a 25

Leia mais

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias

3º Bimestre. Química. Autor: Pedro L. S. Dias 3º Bimestre Autor: Pedro L. S. Dias SUMÁRIO UNIDADE III Inorgânica... 5 Capítulo 1... 5 1.1 Soluções... 5 1.2 Solubilidade... 8 1.3 Coeficiente de solubilidade e Curva de solubilidade... 10 1.4 Unidades

Leia mais

Equipe de Química QUÍMICA

Equipe de Química QUÍMICA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 11R Ensino Médio Equipe de Química Data: QUÍMICA SOLUÇÕES As misturas podem ser homogêneas ou heterogêneas. As misturas homogêneas possuem uma fase distinta. As misturas

Leia mais

Química Avançada 06 - Soluções

Química Avançada 06 - Soluções Química Avançada 06 - Soluções Nome: Turma: 1) (UFF-adaptada) O ácido nítrico é um importante produto industrial. Um dos processos de obtenção do ácido nítrico é fazer passar amônia e ar, sob pressão,

Leia mais

Av. Celso Garcia, 804 Brás - Tel. 2692-3253 - 2694-4174 www.metacolegio.com.br

Av. Celso Garcia, 804 Brás - Tel. 2692-3253 - 2694-4174 www.metacolegio.com.br Av. Celso Garcia, 804 Brás - Tel. 2692-3253 - 2694-4174 www.metacolegio.com.br Elaborado por: Prof. Edmilson C. Gobetti Revisão: IV - 2012 Sumário 1 Partículas Dispersas... 3 2 Fator de Van t Hoff... 8

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015. Roteiro de estudos para recuperação trimestral COLÉGIO NOSSA SENHORA DE LOURDES 2ª SÉRIE Ensino Médio -2015 Disciplina: Professor (a): QUÍMICA LUÍS FERNANDO Roteiro de estudos para recuperação trimestral Conteúdo: Referência para estudo: Sites recomendados:

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São as propriedades das soluções que dependem do número de partículas dispersas e independem da natureza das partículas do soluto. Pressão Máxima de Vapor (PMV) PMV é a pressão

Leia mais

QUÍMICA. 4. Um professor, utilizando comprimidos de antiácido efervescente à base de NaHCO 3, realizou quatro procedimentos, ilustrados a seguir:

QUÍMICA. 4. Um professor, utilizando comprimidos de antiácido efervescente à base de NaHCO 3, realizou quatro procedimentos, ilustrados a seguir: QUÍMICA Prof. Rodrigo Rocha 1. Alguns fatores podem alterar a rapidez das reações químicas. A seguir, destacam-se três exemplos no contexto da preparação e da conservação de alimentos: 1) A maioria dos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Conteúdos curriculares de química: 2. ano - 1. bimestre: Dispersões (definição, classificação, características); Soluções (conceito e regra da solubilidade, curva de solubilidade, classificação); Concentração

Leia mais

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Propriedades das Soluções Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões Classificação das soluções O Processo de Dissolução em soluções Relações

Leia mais

Exercícios de Revisão

Exercícios de Revisão Exercícios de Revisão a) I, II, III b) II, III, I c) II, I, III d) III, I, II e) I, III, II 01) (PUC - SP) O conceito de elemento químico está mais relacionado com a idéia de: a) átomo. b) molécula. c)

Leia mais

André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011

André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011 André Silva Franco ASF EOQ Escola Olímpica de Química Julho de 2011 Solução Uma solução é uma mistura homogênea de soluto (presente em menor quantidade) e solvente (presente em maior quantidade). Os solutos

Leia mais

UFU 2014 VESTIBULAR DE MAIO 1ª FASE

UFU 2014 VESTIBULAR DE MAIO 1ª FASE UFU 2014 VESTIBULAR DE MAIO 1ª FASE 1-O iodo-132, devido à sua emissão de partículas beta e radiação gama, tem sido muito empregado no tratamento de problemas na tireoide. A curva abaixo ilustra o decaimento

Leia mais

Características e os efeitos das propriedades coligativas

Características e os efeitos das propriedades coligativas Características e os efeitos das propriedades coligativas O estudo das propriedades coligativas é um dos conteúdos mais importantes a serem estudados, pois facilita a compreensão de fenômenos químicos

Leia mais

QUÍMICA SEGUNDA ETAPA - 1997

QUÍMICA SEGUNDA ETAPA - 1997 QUÍMICA SEGUNDA ETAPA - 1997 QUESTÃO 01 Os valores das sucessivas energias de ionização de um átomo constituem uma evidência empírica da existência de níveis de energia. Os diagramas abaixo pretendem representar,

Leia mais

Departamento de Química Inorgânica 2. SOLUÇÕES

Departamento de Química Inorgânica 2. SOLUÇÕES 2. SOLUÇÕES I. INTRODUÇÃO Soluções são misturas homogêneas de dois ou mais componentes, sendo que estes estão misturados uniformemente em nível molecular. Em nosso cotidiano temos diversos exemplos de

Leia mais

Química Geral Materiais Homogêneos e Heterogêneos

Química Geral Materiais Homogêneos e Heterogêneos Química Geral Materiais Homogêneos e Heterogêneos 1. (Uepg 2013) Quanto às características das substâncias puras e das misturas, assinale o que for correto. 01) Misturas sólidas homogêneas não podem ser

Leia mais

PREPARO DE SOLUÇÕES. Classificação das soluções com relação à quantidade de soluto dissolvido

PREPARO DE SOLUÇÕES. Classificação das soluções com relação à quantidade de soluto dissolvido PREPARO DE SOLUÇÕES Uma solução, no sentido amplo, é uma dispersão homogênea de duas ou mais substâncias moleculares ou iônicas. No âmbito mais restrito, as dispersões que apresentam as partículas do disperso

Leia mais

Soluções Químicas são misturas homogêneas de duas ou mais substâncias, onde o solvente aparece em maior quantidade e o soluto em menor quantidade. O estado de agregação do solvente é que determina o estado

Leia mais

a) h0/16 b) h0/8 c) h0/4 d) h0/3 e) h0/2 Gabarito: A

a) h0/16 b) h0/8 c) h0/4 d) h0/3 e) h0/2 Gabarito: A FÍSICA. Para um corpo em MHS de amplitude A, que se encontra incialmente na posição A/, com velocidade positiva, a fase inicial é, em radianos, a) b) c) d) e). O planeta Terra possui raio R e gira com

Leia mais

Texto: QUÍMICA NO COTIDIANO. Outras disciplinas que são citadas com frequência são a química molecular, a eletroquímica, a

Texto: QUÍMICA NO COTIDIANO. Outras disciplinas que são citadas com frequência são a química molecular, a eletroquímica, a Texto: QUÍMICA NO COTIDIANO Outras disciplinas que são citadas com frequência são a química molecular, a eletroquímica, a química nuclear, a radioquímica e a estereoquímica. É de costume incluir a química

Leia mais

FIEB FUNDAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI CURSINHO PREPARATÓRIO PARA VESTIBULARES PROVA DE QUÍMICA 2016

FIEB FUNDAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI CURSINHO PREPARATÓRIO PARA VESTIBULARES PROVA DE QUÍMICA 2016 FIEB FUNDAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI CURSINHO PREPARATÓRIO PARA VESTIBULARES PROVA DE QUÍMICA 2016 NOME: INSCRIÇÃO: RG: E-MAIL: TEL: INSTRUÇÕES Verifique se este caderno corresponde a sua opção

Leia mais

Química 12º Ano. Unidade 2 Combustíveis, Energia e Ambiente. Actividades de Projecto Laboratorial. Janeiro 2005. Jorge R. Frade, Ana Teresa Paiva

Química 12º Ano. Unidade 2 Combustíveis, Energia e Ambiente. Actividades de Projecto Laboratorial. Janeiro 2005. Jorge R. Frade, Ana Teresa Paiva Efeitos da composição em temperaturas de fusão e de ebulição Química 12º Ano Unidade 2 Combustíveis, Energia e Ambiente Actividades de Projecto Laboratorial Janeiro 2005 Jorge R. Frade, Ana Teresa Paiva

Leia mais

MATÉRIA Química II. Helder

MATÉRIA Química II. Helder Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA Química II PROFESSOR(A) Helder ANO SEMESTRE DATA 1º 1º Jul/2013 TOTAL DE ESCORES ---- ESCORES OBTIDOS ---- 1. Numa solução saturada temos: a) uma soluçâo

Leia mais

COLIGATIVAS (LISTA-7)

COLIGATIVAS (LISTA-7) OLIGATIVAS (LISTA-7) ALUNO(A): Propriedades oligativas (rioscopia e Osmoscopia) 01 - (UEE/2009) Na Estação Antártica omandante Ferraz (EAF), na Antártica, os técnicos estão com um problema e, para resolvê-lo,

Leia mais

Solubilidade. Ricardo Queiroz Aucélio Letícia Regina de Souza Teixeira

Solubilidade. Ricardo Queiroz Aucélio Letícia Regina de Souza Teixeira Ricardo Queiroz Aucélio Letícia Regina de Souza Teixeira Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 3.0 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/br/legalcode

Leia mais

PROVA DESAFIO EM QUÍMICA 04/10/14

PROVA DESAFIO EM QUÍMICA 04/10/14 PROVA DESAFIO EM QUÍMICA 04/10/14 Nome: Nº de Inscrição: Assinatura: Questão Valor Grau 1 a 2,0 2 a 2,0 3 a 2,0 4 a 2,0 5 a 2,0 Total 10,0 IMPORTANTE: 1) Explique e justifique a resolução de todas as questões.

Leia mais

Física Unidade VI Termofísica Série 4 - Calor provocando mudanças de estado físico

Física Unidade VI Termofísica Série 4 - Calor provocando mudanças de estado físico 01 De acordo com o enunciado: na etapa I do processo de liofilização, a água contida no alimento é solidificada. Sendo assim, ela passa do estado líquido ao estado sólido, representado no diagrama de fases

Leia mais

Professora Sonia. b) 3Ag 2O (s) + 2Al (s) 6Ag (s) + A l 2O 3(s)

Professora Sonia. b) 3Ag 2O (s) + 2Al (s) 6Ag (s) + A l 2O 3(s) ITA 2001 DADOS CONSTANTES Constante de Avogadro = 6,02 x 10 23 mol 1 Constante de Faraday (F) = 9,65 x 10 4 Cmol 1 Volume molar de gás ideal = 22,4L (CNTP) Carga Elementar = 1,602 x 10 19 C Constante dos

Leia mais

Calor de Reação Forma de determinar a energia absorvida ou liberada em uma reação = ΔH da reação.

Calor de Reação Forma de determinar a energia absorvida ou liberada em uma reação = ΔH da reação. TERMOQUIMICA Estuda a variação de energia, ou seja, a variação de temperatura nas reações químicas. Essa energia é chamada de Entalpia representada pelo símbolo H. Reação endotérmica (absorve energia)

Leia mais

Box 2. Estado da solução Estado do solvente Estado do soluto Exemplos

Box 2. Estado da solução Estado do solvente Estado do soluto Exemplos MISTURA E SOLUBILIDADE Box 2 Grande parte das substancias encontradas no dia-a-dia são misturas que sob o aspecto macroscópico apresentam-se com o aspecto homogêneo (uma única fase) ou heterogêneo (mais

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I

PROPRIEDADES COLIGATIVAS I PROPRIEDADES COLIGATIVAS I CONCEITO São propriedades que dependem unicamente do número de partículas dispersas na solução. Não dependem da natureza das partículas dispersas. Observe, a seguir, alguns dados

Leia mais

Solubilidade & Unidades de Concentração

Solubilidade & Unidades de Concentração Solubilidade & Unidades de Concentração Introdução Como se formam as soluções? Qual é o mecanismo de dissolução? Para responder essas questões devemos estudar as alterações estruturais que ocorrem durante

Leia mais

UFMG - 2003 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 3º DIA QUÍMICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 3º DIA QUÍMICA BERNULLI CLÉGI E PRÉ-VESTIBULAR Química Questão 01 A glicose, C 6 6, é uma das fontes de energia mais importantes para os organismos vivos. A levedura, por exemplo, responsável

Leia mais

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas

2º ANO QUÍMICA 1 PROFª ELAINE CRISTINA. Educação para toda a vida. Colégio Santo Inácio. Jesuítas 2º ANO QUÍMICA 1 1 mol 6,02.10 23 partículas Massa (g)? Massa molar Cálculo do número de mols (n) Quando juntamos duas espécies químicas diferentes e, não houver reação química entre elas, isto é, não

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções: 1- Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões.

ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções: 1- Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões. Processo Seletivo 211 Modalidade B 3º Ano ABRA APENAS QUANDO FOR AUTORIZADO Leia atentamente as instruções: 1 Verifique se o seu caderno de provas possui 18 questões. 2 Verifique se recebeu o caderno de

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Química

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Química Vestibular UFRGS 2015 Resolução da Prova de Química 26. Alternativa (C) Assunto: Propriedades físicas das substâncias densidade Os materiais apresentam diferentes densidades e mesma massa envolvida logo,

Leia mais

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9

Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Nome: nº: Bimestre: 2º Ano/série: 2ª série Ensino: Médio Componente Curricular: Química Professor: Ricardo Honda Data: / / Concentração comum Resolução Lista de exercícios de Química nº 9 Estudo das Soluções

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PARTE 2

PROPRIEDADES COLIGATIVAS PARTE 2 PROPRIEDADES COLIGATIVAS PARTE 2 1. (Adaptado) Tendo em vista o momento em que um líquido se encontra em equilíbrio com seu vapor, leia atentamente as afirmativas abaixo: I. A evaporação e a condensação

Leia mais

Revisão para o Teste

Revisão para o Teste Revisão para o Teste PROPRIEDADES COLIGATIVAS # Mudanças de estado: *fusão e solidificação sólido < > líquido (solidificação ou congelamento) *ebulição e liquefação líquido < > gasoso *sublimação e resublimação

Leia mais

Soluções I e II. Soluções I e II Monitor: Gabriel dos Passos 28 e 29/05/2014. Material de apoio para Monitoria. 1. O que é uma solução?

Soluções I e II. Soluções I e II Monitor: Gabriel dos Passos 28 e 29/05/2014. Material de apoio para Monitoria. 1. O que é uma solução? 1. O que é uma solução? 2. Como podemos classificar as soluções? 3. O que você entende por concentração comum? 4. O que você entende por molaridade? 5. O que você entende por título percentual? 6. O que

Leia mais

Água e Soluções Biológicas

Água e Soluções Biológicas Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular Disciplina de Biofísica Água e Soluções Biológicas 1. Introdução 2. A estrutura da molécula de água 2.1.

Leia mais

DISPERSÕES. Profa. Kátia Aquino

DISPERSÕES. Profa. Kátia Aquino DISPERSÕES Profa. Kátia Aquino O que é uma dispersão do ponto de vista químico? Mistura de duas ou mais substâncias, em que as partículas de uma fase a fase dispersa se encontram distribuidas em outra

Leia mais

Exercícios Sobre LigaÇões iônicas

Exercícios Sobre LigaÇões iônicas Exercícios Sobre LigaÇões iônicas Dados: 01. (Ufrj - adaptado) A caiação é um processo tradicionalmente utilizado na pintura de casas. Uma das maneiras de se preparar o pigmento consiste em misturar cal

Leia mais

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011

~ 1 ~ PARTE 1 TESTES DE ESCOLHA SIMPLES. Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 CATEGORIA EM-2 Nº INSCRIÇÃO: Olimpíada de Química do Rio Grande do Sul 2011 Questão 3: O chamado soro caseiro é uma tecnologia social que consiste na preparação e administração de uma mistura de água,

Leia mais

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS

QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS QUÍMICA - 3 o ANO MÓDULO 13 SAIS Ácido ídrico eto oso ito ico ato Sal nome do ácido de origem eto ito ato nome do cátion da base de origem +y B x +x A y Como pode cair no enem O etanol é considerado um

Leia mais

PROPRIEDADES DA MATÉRIA

PROPRIEDADES DA MATÉRIA PROPRIEDADES DA MATÉRIA Profª Marcelly da Silva Sampaio RELEMBRANDO Matéria é tudo que tem massa e ocupa lugar no espaço. Não existe vida nem manutenção da vida sem matéria. Corpo- Trata-se de uma porção

Leia mais