COMUNICADO Resultados Consolidados 2014/2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMUNICADO Resultados Consolidados 2014/2015"

Transcrição

1 COMUNICADO Resultados Consolidados 2014/ Destaques Integração da EuroAntas, sociedade cuja principal actividade é a exploração do Estádio do Dragão, no perímetro de consolidação da FC Porto Futebol, SAD. O impacto desta integração é reduzido em termos de resultados, mas bastante significativo na situação patrimonial do Grupo. Capital próprio consolidado atinge os m em 30 de Junho de 2015 com a integração da EuroAntas, cuja estrutura patrimonial está bastante consolidada, e com o aumento de capital social em m, mediante a emissão de acções preferenciais sem voto. Na sequência deste aumento do capital, que foi integralmente subscrito pelo Futebol Clube do Porto, o capital social da FC Porto Futebol, SAD ascende agora ao valor total de m. Adicionalmente, com a aquisição das acções da Somague e a OPA realizada, o FC Porto detém agora cerca de 75% do capital da FC Porto Futebol, SAD. Activo líquido aumenta 80%, atingindo os m, pela incorporação do Estádio do Dragão, propriedade da EuroAntas, cujo valor líquido a 30 de Junho de 2015 ascende a m. O passivo total atinge os m, o que representa um crescimento de m face a 30 de Junho de 2014, justificado, em grande parte, pela agregação do passivo da EuroAntas, sociedade que assumiu o project finance para a construção do Estádio. Comunicado dos Resultados Consolidados 2014/2015 1

2 Resultado Líquido Consolidado atinge os m, sendo m atribuíveis aos detentores de capital da empresa mãe, bastante superior ao obtido no período homólogo, principalmente devido ao crescimento dos resultados com transacções de passes de jogadores, que atingem os m. Proveitos Operacionais, excluindo proveitos com passes, crescem m, o que corresponde a 29%, atingindo agora os m, fundamentalmente devido ao incremento das receitas obtidas pela participação nas provas europeias. Custos operacionais, excluindo custos com passes de jogadores, crescem 16%, equivalente a m, acompanhando o acréscimo dos custos com o pessoal. No entanto, realça-se o facto de, neste exercício, estarem registados os prémios associados à boa performance desportiva da equipa nas competições europeias. Resultados operacionais são positivos em m em 2014/2015, o que representa um crescimento significativo face aos m negativos apresentados no período homólogo. Contributo positivo das empresas que fazem parte do perímetro de consolidação na obtenção do resultado agora alcançado; Os resultados apresentados não incorporam a transferência do atleta Alex Sandro para a Juventus, por m, que foi concretizada após o fecho do exercício. Comunicado dos Resultados Consolidados 2014/2015 2

3 2. Demonstração dos Resultados Consolidados Demonstração de Resultados 2014/ /2014 Proveitos Operacionais excluindo proveitos com passes Custos Operacionais excluindo custos com passes Resultado Operacional excluindo resultados com passes Amortizações e perdas por imparidade com passes Resultado das transacções de passes Resultado Operacional Resultado Financeiro Resultados relativos a investimentos Imp. s/ o Rendimento + Interesses Minoritários Resultado Consolidado do Período EBITDA Comunicado dos Resultados Consolidados 2014/2015 3

4 3. Proveitos Operacionais excluindo proveitos com passes Proveitos Operacionais excluindo proveitos com passes 2014/ /2014 Merchandising Bilheteira Provas UEFA Outras Receitas Desportivas Direitos de transmissão televisiva Publicidade e Sponsorização Corporate Hospitality Outras Prestações de Serviços Outros Proveitos TOTAL Custos Operacionais excluindo custos com passes Custos Operacionais excluindo custos com passes 2014/ /2014 CMV Fornecimentos e serviços externos Custos com Pessoal Amortizações excluindo depreciações de passes Provisões e perdas por imparidade excluindo passes Outros Custos TOTAL Comunicado dos Resultados Consolidados 2014/2015 4

5 5. Demonstração da Posição Financeira Consolidada Demonstração da Posição Financeira 30-jun jun-14 Activos Não Correntes Activos tangíveis Valor Plantel Clientes Outros Activos Não Correntes Activos Correntes Clientes Outros Activos Correntes Caixa e Equivalentes Total do Activo Capital Próprio Passivo Não Corrente Empréstimos Bancários Empréstimo Obrigacionista Fornecedores Outros Passivos Não Correntes Provisões Passivo Corrente Empréstimos Bancários Empréstimo Obrigacionista Outros Credores Fornecedores Outros Passivos Correntes Total do Passivo TOTAL DO CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO Porto, 9 de Outubro de 2015 Comunicado dos Resultados Consolidados 2014/2015 5

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3T10)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3T10) Capital Social: 115.000.000 Capital Próprio Individual a 30 de Junho de 2010: 7.933.916 Capital Próprio Consolidado a 30 de Junho de 2010: 7.438.971 Sede: Av. General Norton de Matos Estádio do Sport Lisboa

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do terceiro trimestre

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do exercício de 2014 (não

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS 1º SEMESTRE 2011/2012

RELATÓRIO & CONTAS 1º SEMESTRE 2011/2012 RELATÓRIO & CONTAS 1º SEMESTRE 2011/2012 DE 1 DE JULHO DE 2011 A 31 DE DEZEMBRO DE 2011 SPORT LISBOA E BENFICA FUTEBOL, SAD (Sociedade Aberta) Capital Social: 115.000.000 euros Capital Próprio individual

Leia mais

RELATÓRIO INTERCALAR 3º TRIMESTRE 2013/2014

RELATÓRIO INTERCALAR 3º TRIMESTRE 2013/2014 RELATÓRIO INTERCALAR 3º TRIMESTRE 2013/2014 DE 1 DE JULHO DE 2013 A 31 DE MARÇO DE 2014 SPORT LISBOA E BENFICA FUTEBOL, SAD (Sociedade Aberta) Capital Social: 115.000.000 euros Capital Próprio individual

Leia mais

Lançamento nº 2 - Eliminação de operações internas (VNDs e CMPs) entre A e B

Lançamento nº 2 - Eliminação de operações internas (VNDs e CMPs) entre A e B LEC11 CONTABILIDADE II CAPÍTULO IV CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS COMENTÁRIOS À RESOLUÇÃO DO EXERCÍCIO 1 Lançamento nº 1 - Eliminação de saldos entre empresas do grupo As empresas do Grupo efectuaram operações

Leia mais

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2010 Informação Privilegiada (IFRS/IAS)

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2010 Informação Privilegiada (IFRS/IAS) Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2010 Informação Privilegiada (IFRS/IAS) Volume de Negócios: 122,8 M (119,9 M em 6M09) 28 de Julho de 2010 1. Indicadores Chave O volume de negócios e o EBITDA apresentados

Leia mais

Relatório e Contas 2014/2015

Relatório e Contas 2014/2015 FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 112.500.000 euros Capital próprio individual conforme último balanço aprovado e referente a 30 de Junho de 2014: -28.512.038; capital

Leia mais

RELATÓRIO INTERCALAR 1º TRIMESTRE 2013/2014

RELATÓRIO INTERCALAR 1º TRIMESTRE 2013/2014 RELATÓRIO INTERCALAR 1º TRIMESTRE 2013/2014 DE 1 DE JULHO DE 2013 A 30 DE SETEMBRO DE 2013 SPORT LISBOA E BENFICA FUTEBOL, SAD (Sociedade Aberta) Capital Social: 115.000.000 euros Capital Próprio individual

Leia mais

RELATÓRIO INTERCALAR 3º TRIMESTRE 2014/2015

RELATÓRIO INTERCALAR 3º TRIMESTRE 2014/2015 RELATÓRIO INTERCALAR 3º TRIMESTRE 2014/2015 DE 1 DE JULHO DE 2014 A 31 DE MARÇO DE 2015 SPORT LISBOA E BENFICA FUTEBOL, SAD (Sociedade Aberta) Capital Social: 115.000.000 euros Capital Próprio individual

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

Resultados Consolidados 4º Trimestre de 2014

Resultados Consolidados 4º Trimestre de 2014 SAG GEST Sluções Autmóvel Glbais, SGPS, SA Sciedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadra Capital Scial: 169.764.398 Eurs Matriculada na Cnservatória d Regist Cmercial da Amadra sb númer únic de matrícula

Leia mais

Objectivo 1 e 2. Âmbito 3. Considerações Gerais 4 e 5. Identificação das Demonstrações financeiras 6 a 8. Período de Relato 9.

Objectivo 1 e 2. Âmbito 3. Considerações Gerais 4 e 5. Identificação das Demonstrações financeiras 6 a 8. Período de Relato 9. ÍNDICE (parágrafos) Objectivo 1 e 2 Âmbito 3 Considerações Gerais 4 e 5 Identificação das Demonstrações financeiras 6 a 8 Período de Relato 9 Balanço 10 a 31 Demonstração dos Resultados 32 a 38 Demonstração

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 31 de Dezembro de 2006 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO ANO DE 2006 Após

Leia mais

BOMPISO COMERCIO DE PNEUS, S.A.

BOMPISO COMERCIO DE PNEUS, S.A. Exercício 2012 Índice Demonstrações financeiras individuais para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2010 Balanço Individual em 31 de Dezembro de 2010 5 Demonstração dos Resultados Individuais em 31

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas IAS 33 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 33 Resultados por Acção ÍNDICE Parágrafos Objectivo 1 Âmbito 2-4 Definições 5-8 Mensuração 9-63 Resultados por Acção Básicos 9-29 Resultados 12-18 Acções

Leia mais

DADOS CHAVE. anexo, que estão de acordo com as regras Portuguesas de contabilidade.

DADOS CHAVE. anexo, que estão de acordo com as regras Portuguesas de contabilidade. PT MULTIMÉDIA.Com - Serviços de Acesso à Internet, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida 5 de Outubro, nº. 206-2º., Lisboa Capital Social: 196.381.518,50 Euros Matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO LICENCIATURA EM GESTÃO LICENCIATURA EM MAEG LICENCIATURA EM FINANÇAS

INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO LICENCIATURA EM GESTÃO LICENCIATURA EM MAEG LICENCIATURA EM FINANÇAS INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO LICENCIATURA EM GESTÃO LICENCIATURA EM MAEG LICENCIATURA EM FINANÇAS CONTABILIDADE GERAL I III - CADERNO DE EXERCÍCIOS Terceiros e Antecipações Exercício 17 A empresa

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS

RESULTADOS CONSOLIDADOS 2012 RESULTADOS CONSOLIDADOS Lisboa, 8 de Fevereiro de 2013 A presente informação anual não foi sujeita a auditoria. Processo de Recapitalização A 31 de Dezembro de 2012 foi anunciada a aprovação por parte

Leia mais

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas)

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) 31 agosto 2015 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial, e as suas

Leia mais

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2007

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2007 Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2007 ( IFRS/IAS ) Volume de Negócios: 151.1 (125.4 em ) EBITDA: 10.5 (10.0 em ) 26 de Julho de 2007 1. Indicadores Chave 1.1. Volume de Negócios Resultados Líquidos:

Leia mais

2. Regra geral, o IVA não dedutível deve ser registado na conta 68111 : a) Verdadeira; b) Falsa Justificação:

2. Regra geral, o IVA não dedutível deve ser registado na conta 68111 : a) Verdadeira; b) Falsa Justificação: 1. A aplicação do princípio da prudência está exclusivamente relacionada com o registo de perdas de imparidade em activos e provisões : a) Verdadeira; b) Falsa 2. Regra geral, o IVA não dedutível deve

Leia mais

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais de 55,8 milhões EBITDA de 3,1 milhões Margem EBITDA de 5,6% EBIT de 0,54 milhões Resultado Líquido negativo

Leia mais

MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF. 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras

MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF. 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras Nos termos do previsto no ponto 2.1.4. das Bases para a Apresentação das Demonstrações

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001 Banif - Banco Internacional do Funchal, SA e Grupo Banif Consolidado INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001 Banif - Banco Internacional do Funchal, SA Sociedade

Leia mais

MESTRADO EM GESTÃO (MBA) (2005/2006)

MESTRADO EM GESTÃO (MBA) (2005/2006) MESTRADO EM GESTÃO (MBA) (2005/2006) DISCIPLINA: CONTABILIDADE Docente: Professor Auxiliar Convidado do ISEG/UTL jlacunha@iseg.utl.pt CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS (continuação) Síntese: 1. Concentração de empresas

Leia mais

4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA. 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis:

4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA. 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: 4º E 5º PERIODOS CIENCIAS CONTABEIS PROF NEUSA Exercícios: 1- A empresa Brasil S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: Banco 100.000 Duplicatas a receber 80.000 Financiamentos 80.000

Leia mais

Relatório e Contas Consolidado 2003/2004

Relatório e Contas Consolidado 2003/2004 FUTEBOL CLUBE DO PORTO - Futebol, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 75.000.000 Euro Sede: Torre das Antas - Avenida Fernão de Magalhães, 1862 14º Piso 4350-158 Porto Matricula na 1ª Conservatória do

Leia mais

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. Sociedade Aberta Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, nº 17 6A, 1070-313 Lisboa Portugal Capital

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 30 de Junho de 2005 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

Relatório do Plano de Contas

Relatório do Plano de Contas 1 10000 ATIVO 1.01 10001 ATIVO CIRCULANTE 1.01.01 10002 DISPONIVEL 1.01.01.01 10003 CAIXA 1.01.01.01.00001 10004 CAIXA GERAL S 1.01.01.02 10020 BANCO CONTA MOVIMENTO 1.01.01.02.00001 10021 BANCO DO BRASIL

Leia mais

Resultados 1ºTrimestre 2009

Resultados 1ºTrimestre 2009 Informação Privilegiada Resultados 1ºTrimestre 2009 Estabilidade de Resultados Operacionais As contas apresentadas são não auditadas, consolidadas e reportadas em International Financial Reporting Standards

Leia mais

Competição fora das 4 linhas Reflexão estratégica sobre a sustentabilidade do futebol profissional em Portugal

Competição fora das 4 linhas Reflexão estratégica sobre a sustentabilidade do futebol profissional em Portugal Competição fora das 4 linhas Reflexão estratégica sobre a sustentabilidade do futebol profissional em Portugal Trabalho realizado pelo Centro de Estudos em Gestão e Economia Aplicada da Faculdade de Economia

Leia mais

MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF. 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras. 2.2. Activo. 2.

MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF. 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras. 2.2. Activo. 2. MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras Nos termos do previsto no ponto 2.1.4. das Bases para a Apresentação das Demonstrações

Leia mais

NCRF 1 Estrutura e conteúdo das demonstrações financeiras

NCRF 1 Estrutura e conteúdo das demonstrações financeiras NCRF 1 Estrutura e conteúdo das demonstrações financeiras Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 1 - Apresentação de Demonstrações Financeiras,

Leia mais

Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2013/2014 1º Semestre. 28 de NOVEMBRO de 2013 Duração da prova: 60 minutos

Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2013/2014 1º Semestre. 28 de NOVEMBRO de 2013 Duração da prova: 60 minutos Contabilidade Financeira Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2013/2014 1º Semestre 28 de NOVEMBRO de 2013 Duração da prova: 60 minutos 3º TESTE INTERMÉDIO NOME: NÚMERO: Atenção

Leia mais

Scal - Mediação de Seguros, S. A.

Scal - Mediação de Seguros, S. A. Scal - Mediação de Seguros, S. A. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 1. Nota introdutória A Empresa Scal-Mediação de Seguros foi constituída

Leia mais

DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N. o 14 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N. o 14 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N. o 14 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA 1 Introdução: A adaptação do Plano Oficial de Contabilidade à Directiva n. o 78/660/CEE (4. a Directiva do Conselho, de 25-7-78), consubstanciada

Leia mais

Contabilidade Financeira II 2008/2009

Contabilidade Financeira II 2008/2009 Contabilidade Financeira II 2008/2009 Valores a receber e a pagar, Acréscimos e Diferimentos e Provisões Valores a receber e a pagar, Acréscimos e Diferimentos e Provisões Contas a receber e a pagar Acréscimos

Leia mais

ALVES RIBEIRO - INVESTIMENTOS FINANCEIROS, SGPS, S.A. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 (Montantes em Euros, excepto quando expressamente indicado) 1. NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS

CADERNO DE EXERCÍCIOS CONTABILIDADE II CADERNO DE EXERCÍCIOS CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS Ano Lectivo 2009/2010 Maio de 2010 EXERCÍCIO N º 1C A sociedade M possui 60% de voto da sociedade A, a qual possui, por sua vez, 40% de direitos

Leia mais

LAKE FUND SGPS, SA. Demonstrações Financeiras Individuais. Exercício 2014

LAKE FUND SGPS, SA. Demonstrações Financeiras Individuais. Exercício 2014 Exercício 2014 Índice Demonstrações financeiras individuais para o exercício findo em Balanço Individual em 5 Demonstração dos Resultados Individuais em 6 Demonstração dos Fluxos de Caixa Individuais em...7

Leia mais

TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DE CONCENTRAÇÕES DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS 1

TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DE CONCENTRAÇÕES DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS 1 TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DE CONCENTRAÇÕES DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS 1 Os procedimentos contabilísticos a adoptar nas operações de concentração de actividades empresariais são definidos nas seguintes

Leia mais

DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N. o 1/91 TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DE CONCENTRAÇÃO DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS

DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N. o 1/91 TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DE CONCENTRAÇÃO DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N. o 1/91 TRATAMENTO CONTABILÍSTICO DE CONCENTRAÇÃO DE ACTIVIDADES EMPRESARIAIS 1 Objectivo A presente directriz visa normalizar os procedimentos contabilísticos necessários para

Leia mais

CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S. A. Rua Alexandre Herculano, 35 1250-009 LISBOA PORTUGAL Tel. (+351) 21 311 8100 Fax. (+351) 21 356 1381

CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S. A. Rua Alexandre Herculano, 35 1250-009 LISBOA PORTUGAL Tel. (+351) 21 311 8100 Fax. (+351) 21 356 1381 CIMPOR Cimentos de Portugal, SGPS, S. A. Rua Alexandre Herculano, 35 1250-009 LISBOA PORTUGAL Tel. (+351) 21 311 8100 Fax. (+351) 21 356 1381 Sociedade Aberta Número único de Pessoa Colectiva e Cons. Reg.

Leia mais

Introdução à Contabilidade 2014/2015. Financeira

Introdução à Contabilidade 2014/2015. Financeira Introdução à Contabilidade 2014/2015 Financeira 2 Sumário 1. O papel da contabilidade nas organizações. 2. A contabilidade externa vs a contabilidade interna. 3. Os diversos utilizadores da contabilidade.

Leia mais

A prestação de contas de 2011 é elaborada de acordo com o SNC 1, não existiram alterações no capital nem perdas ou ganhos por imparidade.

A prestação de contas de 2011 é elaborada de acordo com o SNC 1, não existiram alterações no capital nem perdas ou ganhos por imparidade. INTERPRETAÇÃO DAS CONTAS DO EXERCÍCIO DE 2011 Nota Introdutória: A prestação de contas de 2011 é elaborada de acordo com o SNC 1, não existiram alterações no capital nem perdas ou ganhos por imparidade.

Leia mais

Regulamento da CMVM n. º 5/2008 Deveres de Informação

Regulamento da CMVM n. º 5/2008 Deveres de Informação Não dispensa a consulta do diploma publicado em Diário da República. Regulamento da CMVM n. º 5/2008 Deveres de Informação (Revoga o Regulamento da CMVM nº 4/2004 e altera os Regulamentos da CMVM nºs 7/2001

Leia mais

Contabilidade Geral e Financeira. Enunciado da Prova

Contabilidade Geral e Financeira. Enunciado da Prova Região Administrativa Especial de Macau Comissão de Registo dos Auditores e dos Contabilistas Ano de 2014 (2.ª Época) Prestação de provas para registo como auditor de contas 22 de Novembro de 2014 Enunciado

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS CONSOLIDADO

RELATÓRIO & CONTAS CONSOLIDADO RELATÓRIO & CONTAS CONSOLIDADO 2012/2013 RELATÓRIO DO CONSELHO DIRETIVO As demonstrações financeiras consolidadas anexas relativas ao exercício findo em 30 de junho de 2013 foram preparadas, em todos os

Leia mais

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28, Porto Mat. CRC do Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.257.400.827 Euros COMUNICADO Resultados Consolidados

Leia mais

Sistema de Normalização Contabilística (SNC)

Sistema de Normalização Contabilística (SNC) Sistema de Normalização Contabilística (SNC) PARTICIPAÇÕES FINANCEIRAS E CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS Sílvia Moura silvia.andreia.moura@p2p.com.pt ÍNDICE 1. PARTICIPAÇÕES FINANCEIRAS 3 1.1 ENQUADRAMENTO GERAL

Leia mais

Informação Intercalar Primeiro Semestre 2015 (Contas não auditadas)

Informação Intercalar Primeiro Semestre 2015 (Contas não auditadas) Informação Intercalar Primeiro Semestre 2015 (Contas não auditadas) j Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. Sociedade Aberta Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, nº 17 6ºA, 1070-313 Lisboa Portugal Capital

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

CONTAS INDIVIDUAIS IFRS Dezembro de 2008

CONTAS INDIVIDUAIS IFRS Dezembro de 2008 RASO, SGPS, S.A. CONTAS INDIVIDUAIS IFRS Dezembro de 2008 RASO, SGPS, SA SEDE: Aeroporto de Lisboa, Rua C, Edifício 124, 5º Piso Matriculada na Conservatória Registo Comercial do Porto e NIF nº 508 708

Leia mais

Relatório de Actividades 3.º Trimestre de 2013

Relatório de Actividades 3.º Trimestre de 2013 2013 Relatório de Actividades 3.º Trimestre de 2013 Nos termos do n.º 3 do artigo 8.º do Código dos Valores Mobiliários informa-se que a presente informação trimestral não foi sujeita a auditoria ou revisão

Leia mais

Contabilidade Financeira II 2008/2009

Contabilidade Financeira II 2008/2009 Contabilidade Financeira II 2008/2009 Capital Próprio CAPITAL PRÓPRIO Conceitos Gerais Aplicação de resultados Valor nominal, contabilístico e de mercado Demonstração das Alterações do C.P. Aumentos de

Leia mais

III. DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 0.1. Balanço

III. DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 0.1. Balanço III. DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 0.1. Balanço 1 1.2.1.Demonstração de Resultados por Naturezas 2 1.3.Demonstração de Fluxos de Caixa 3 1.4.Demonstração das Alterações no Capital Próprio 4 1. Identificação

Leia mais

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANO : 2011 ÍNDICE 1 - Identificação da entidade 1.1 Dados de identificação 2 - Referencial contabilístico de preparação das

Leia mais

RELATÓRIO E INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL

RELATÓRIO E INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL 2015 RELATÓRIO E INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL EM 1 - Introdução 2 - Análise dos Documentos Previsionais 2.1 - Plano Plurianual de Investimentos 2.2 - Orçamento Anual de Exploração 2.3. Demonstração

Leia mais

PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS

PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS Índice 1. Introdução 2. Considerações sobre as opções tomadas 3. Disposições gerais 4. Quadro de contas 5. Lista e âmbito das contas 6. Tabelas 7. Contas individuais

Leia mais

Investimento Financeiro

Investimento Financeiro Investimento Financeiro Apontamentos de: Sandra Gomes E-mail: Data: Janeiro 2009 Livro: Mercados e Investimentos financeiros Nota: é o resumo dos 3 primeiros capítulos do livro / guião da cadeira 1 GUIÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO CONSOLIDADO 2014. Reunião de Câmara Municipal de 12/06/2015

RELATÓRIO DE GESTÃO CONSOLIDADO 2014. Reunião de Câmara Municipal de 12/06/2015 RELATÓRIO DE GESTÃO CONSOLIDADO 2014 Reunião de Câmara Municipal de 12/06/2015 Sessão da Assembleia Municipal de 22/06/2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 5 2. PERÍMETRO DE CONSOLIDAÇÃO... 6 3. MÉTODO DE CONSOLIDAÇÃO...

Leia mais

As novas regras de concentração de actividades empresariais

As novas regras de concentração de actividades empresariais Índice ABREVIATURAS 11 Parte 1 Conceitos gerais Capítulo 1 As novas regras de concentração de actividades empresariais 1. Introdução 15 2. Regulamentação das concentrações de actividades empresariais 18

Leia mais

PROJECTO DE FUSÃO. Marinha Grande, 24 de Abril de 2007

PROJECTO DE FUSÃO. Marinha Grande, 24 de Abril de 2007 Este documento, apresentado como Modelo de Projecto de Fusão, resulta de um caso (processo de fusão) real. Na conjuntura actual, em que as entidades empresariais cada vez mais encaram processos de reorganização

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais. 1º Ano Licenciatura 2º Semestre

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA. Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais. 1º Ano Licenciatura 2º Semestre UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais CONTABILIDADE FINANCEIRA II 1º Ano Licenciatura 2º Semestre Documento elaborado por João Moita - 150210003 Página 1 Autor:

Leia mais

1. Activos Fixos Intangíveis (IAS 38) 2. Propriedades de Investimento (IAS 40)

1. Activos Fixos Intangíveis (IAS 38) 2. Propriedades de Investimento (IAS 40) AULA 08 1. Activos Fixos Intangíveis (IAS 38) 2. Propriedades de Investimento (IAS 40) 3. Capital Próprio - Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1 Activos Fixos Intangíveis Activo intangível:

Leia mais

CONTABILIDADE FINANCEIRA AVANÇADA

CONTABILIDADE FINANCEIRA AVANÇADA Exame Época Normal 04 de Julho de 0 Duração: H 00M Deve identificar-se nesta folha de prova, indicando o nome completo, número de matrícula e turma em que se encontra inscrito(a). As opções de resposta

Leia mais

Relatório e Contas Consolidado 3º Trimestre 2013/2014

Relatório e Contas Consolidado 3º Trimestre 2013/2014 FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 75.000.000 euros Capital Próprio: 9.882.700 euros (aprovado em Assembleia Geral de 21 de Novembro de 2013) Sede Social Estádio do Dragão,

Leia mais

Exame para Contabilista Certificado. Contabilidade Financeira Aprofundada. Duração: 2 horas

Exame para Contabilista Certificado. Contabilidade Financeira Aprofundada. Duração: 2 horas Nome: Nº do BI/ Passaporte Duração: 2 horas Leia atentamente as questões. Depois, coloque no quadradinho que fica na parte superior direito de cada questão, a alínea correspondente à melhor resposta. Se

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 4/2007 Entidades Gestoras de Mercados, Sistemas e Serviços

Regulamento da CMVM n.º 4/2007 Entidades Gestoras de Mercados, Sistemas e Serviços Não dispensa a consulta do diploma publicado em Diário da República Regulamento da CMVM n.º 4/2007 Entidades Gestoras de Mercados, Sistemas e Serviços (com as alterações introduzidas pelo Regulamento da

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Contabilidade Financeira II 2008/09

Contabilidade Financeira II 2008/09 Contabilidade Financeira II 2008/09 Impostos Estado e Outros Entes Públicos Impostos: IRC - Imposto sobre o rendimento IRS - Retenção de impostos sobre rendimentos (já vimos) IVA - Imposto sobre o valor

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 Consorcio Publico do Extremo Sul

Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 Consorcio Publico do Extremo Sul Estado do Rio Grande do Sul Plano de Contas 01 a 31 de Março de 2013 Folha: 1 1.0.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO 6.735,34 8.034,62 4.211,61 10.558,35 1.1.0.0.0.00.00.00.00.00 ATIVO CIRCULANTE 6.735,34 8.034,62

Leia mais

NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO 15 INVESTIMENTOS EM SUBSIDIÁRIAS E CONSOLIDAÇÃO

NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO 15 INVESTIMENTOS EM SUBSIDIÁRIAS E CONSOLIDAÇÃO NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO 15 INVESTIMENTOS EM SUBSIDIÁRIAS E CONSOLIDAÇÃO Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 27 Demonstrações

Leia mais

Relatório e Contas 2013/2014

Relatório e Contas 2013/2014 FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 75.000.000 euros Capital Próprio: 9.882.700 euros (aprovado em Assembleia Geral de 21 de Novembro de 2013) Sede Social Estádio do Dragão,

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS. 31 de Dezembro de 2012

ANEXO AO BALANÇO E DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS. 31 de Dezembro de 2012 ANEXO AO BALANÇO E DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 31 de Dezembro de 2012 1 IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE 1.1 Designação da entidade: Mediator Sociedade Corretora de Seguros, S.A. 1.2 - Sede: Avª Fontes Pereira

Leia mais

Manual Prático de Controlo de Gestão >

Manual Prático de Controlo de Gestão > Manual Prático de Controlo de Gestão > > Manual Prático de Controlo de Gestão > Índice 1 2 2.1 3 3.1 3.2 4 4.1 4.1.1 4.1.2 4.1.3 4.2 4.2.1 4.2.2 4.2.3 5 5.1 5.2 6 Enquadramento... 3 A Metodologia Utilizada

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS GAN PORTUGAL SEGUROS 2004

RELATÓRIO E CONTAS GAN PORTUGAL SEGUROS 2004 Relatório sobre a Fiscalização Exmos. Senhores, Introdução 1 O presente Relatório é emitido nos termos do nº 2 do artº 451º do Código das Sociedades Comerciais e da alínea a) do nº 1 do artº 52º do Decreto-Lei

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do primeiro trimestre

Leia mais

IBERSOL S.G.P.S., S.A.

IBERSOL S.G.P.S., S.A. IBERSOL S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Edifício Península, Praça do Bom Sucesso, n.º 105 a 159 9 º andar, 4150 146 Porto Capital Social : 20.000.000 Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: ORIENTAÇÃO DE GESTÃO DIRIGIDA A PROJECTOS APOIADOS NO ÂMBITO DO SISTEMA DE INCENTIVOS QREN

CIRCULAR. Assunto: ORIENTAÇÃO DE GESTÃO DIRIGIDA A PROJECTOS APOIADOS NO ÂMBITO DO SISTEMA DE INCENTIVOS QREN CIRCULAR N/REFª: 37/11 DATA: 07 Abril 2011 Assunto: ORIENTAÇÃO DE GESTÃO DIRIGIDA A PROJECTOS APOIADOS NO ÂMBITO DO SISTEMA DE INCENTIVOS QREN Exmos. Senhores, Vimos informar que se encontra disponível

Leia mais

NCRF 27 Instrumentos financeiros

NCRF 27 Instrumentos financeiros NCRF 27 Instrumentos financeiros Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base as Normas Internacionais de Contabilidade IAS 32 - Instrumentos Financeiros: Apresentação, IAS 39 - Instrumentos

Leia mais

Lucros do Grupo Santander Portugal crescem 27% em 2000

Lucros do Grupo Santander Portugal crescem 27% em 2000 BANCO TOTTA & AÇORES, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua Áurea, 88 1100-060 LISBOA Capital Social: 105.000.000.000$00 Matriculado na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa sob o nº 1/881011 Contribuinte

Leia mais

DESEMPENHO E RESULTADOS

DESEMPENHO E RESULTADOS BANCO BPI, S.A. Sociedade aberta Capital Social: 1 293 063 324.98 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede: Rua Tenente

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER SGPS, S.A. (28/03/2008)

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER SGPS, S.A. (28/03/2008) ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER SGPS, S.A. (28/03/2008) PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 13 DA ORDEM DE TRABALHOS (Deliberar sobre a supressão do direito de preferência dos accionistas relativamente a aumento de

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS 113 SONAE, SGPS, SA BALANÇOS CONSOLIDADOS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E DE 2008 (Montantes expressos em euros) ACTIVO Notas ACTIVOS NÃO CORRENTES:

Leia mais

A coerência dos normativos com as reais necessidades do desporto português. Albino Maria

A coerência dos normativos com as reais necessidades do desporto português. Albino Maria A coerência dos normativos com as reais necessidades do desporto português Albino Maria O ASSOCIATIVISMO NOS DIAS DE HOJE DO MODELO DE EXCLUSÃO AO MODELO DE INCLUSÃO DO LEMA MAIS FORTE, MAIS ALTO, MAIS

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 1º SEMESTRE 2013/2014

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 1º SEMESTRE 2013/2014 FUTEBOL CLUBE DO PORTO FUTEBOL, SAD Sociedade Aberta Capital Social: 75.000.000 euros Capital Próprio: 9.882.700 euros (aprovado em Assembleia Geral de 21 de Novembro de 2013) Sede Social Estádio do Dragão,

Leia mais

CONTABILIDADE. Docente: José Eduardo Gonçalves. Elementos Patrimoniais

CONTABILIDADE. Docente: José Eduardo Gonçalves. Elementos Patrimoniais CONTABILIDADE Docente: José Eduardo Gonçalves Ano: 2008/2009 Universidade da Madeira Elementos Patrimoniais Activo Recurso controlado pela entidade como resultado de acontecimentos passados e do qual se

Leia mais

B INFORMAÇÕES EXIGIDAS POR DIPLOMAS LEGAIS C DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RESPECTIVO ANEXO

B INFORMAÇÕES EXIGIDAS POR DIPLOMAS LEGAIS C DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E RESPECTIVO ANEXO A RELATÓRIO DE GESTÃO A.01 CONVOCATÓRIA DA ASSEMBLEIA GERAL A.02 ÓRGÃOS SOCIAIS A.03 MENSAGEM DO PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO A.04 EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE DA SOCIEDADE A.05 OUTROS FACTOS OCORRIDOS

Leia mais

Norma Internacional de Relato Financeiro 2

Norma Internacional de Relato Financeiro 2 Norma Internacional de Relato Financeiro 2 Pagamento com Base em Acções OBJECTIVO 1 O objectivo desta IFRS é especificar o relato financeiro por parte de uma entidade quando esta empreende uma transacção

Leia mais

Acréscimos e Diferimentos

Acréscimos e Diferimentos AULA 03 1. Acréscimos e diferimentos 2. Imparidade de activos (IAS 36) 3. Provisões, passivos contingentes e activos contingentes (IAS 37) - Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1 Acréscimos

Leia mais

Contabilidade Geral e Financeira. Enunciado da Prova

Contabilidade Geral e Financeira. Enunciado da Prova Governo da Região Administrativa Especial de Macau Comissão de Registo dos Auditores e dos Contabilistas Ano de 2014 (1.ª É poca) Prestação de provas para registo como auditor de contas 24 de Maio de 2014

Leia mais

RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 379.374,45 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS JUROS E ENCARGOS DA DIVIDA

RECEITAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 379.374,45 PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS JUROS E ENCARGOS DA DIVIDA ANEXO 1 da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964 DEMONSTRAÇÃO DA RECEITA E DESPESA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS Agosto / 2011 Orçamento Fiscal, da Seguridade Social e de Investimentos. Adendo II à Portaria

Leia mais

Grupo Sporting Clube de Portugal

Grupo Sporting Clube de Portugal Grupo Sporting Clube de Portugal ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DA SITUAÇÃO PATRIMONIAL 01.08.1998 A 26.03.2011 Sede: Av. do Brasil, 15 1º 1749-112 LISBOA Telefone: 21.355.35.50 Fax: 21.356.19.52 Email: geral.lisboa@rsmi.pt

Leia mais

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos

GUIA PARA INVESTIR. Rentabilizar os Investimentos www.facebook.com/santandertotta.pt http://twitter.com/santandertotta Onde deve investir? A escolha deve ter em conta diversos factores, tais como: quando é que pretende utilizar o montante que investiu?

Leia mais

Programa Sporting no Coração, Confiança no Futuro

Programa Sporting no Coração, Confiança no Futuro Programa Sporting no Coração, Confiança no Futuro 1. O Sporting é dos Sócios.As obrigações para com os Sócios são sempre inquestionavelmente para se fazerem cumprir, seja em que situação for. Esta é para

Leia mais

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO)

CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (2º ANO) GESTÃO DE EMPRESAS CÁLCULO E INSTRUMENTOS FINANCEIROS I (º ANO) Exercícios - Capitalização EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Exercício 1 Calcule os juros simples produzidos: a) Por um capital de 500 aplicado durante

Leia mais