GEOPROCESSAMENTO. Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ. ções espaciais, geraçã

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GEOPROCESSAMENTO. Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ. ções espaciais, geraçã"

Transcrição

1 GEOPROCESSAMENTO Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ ções espaciais, geraçã ção o de saídas na forma de mapas, relatórios, rios, arquivos digitais, etc; Deve prover recursos para sua estocagem, gerenciamento, manipulaçã ção o e análise.

2 ESTRUTURA DE UM SIG Interface Entrada e Integr. Dados Consulta e Análise Espacial Visualização Plotagem Gerência Dados Espaciais BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO

3 GEOPROCESSAMENTO - SIGs - SPRING SPRING é um SIG que inclui ferramentas de um sistema de Processamento Digital de Imagens (PDI( PDI) ) de sensores remotos. O SPRING integra na mesma base: DADOS CARTOGRÁFICOS DADOS DE CENSO CADASTRO URBANO E RURAL Mapas Numéricos: conceitos quantitativos IMAGENS DE SATÉLITE REDES MODELOS NUMÉRICOS DE TERRENO Algoritmos p/ manipular, analisar, consultar, recuperar, visualizar e plotar o conteúdo da base de dados geocodificados

4 O QUE É UM MAPA? Mapa: modelos simplificados da realidade Representa, normalmente em escala, uma seleçã ção o de entidades abstratas sobre ou relacionadas com a superfície da Terra.

5 TIPOS DE MAPAS EM GEOPROCESSAMENTO Características dos mapas: diversidade de fontes geradoras e de formatos apresentados. O SPRING trata os seguintes tipos de dados: Mapas Temáticos ticos: conceitos qualitativos Imagens: de sensores remotos Mapas Cadastrais e Redes

6 MAPAS TEMÁTICOS Tipos de Dados em Geoprocessamento Estrutura vetorial topológica construída é do tipo arco-nó-regi região Pode ser armazenado no formato vetorial ou matricial A escolha entre a representaçã ção o matricial ou vetorial para um mapa temático tico depende do objetivo em vista. Inseridos no sistema por digitalizaçã ção o ou classificaçã ção de imagens Ex: Mapa de Solos, Mapa Geológico, Mapa com classes de Declividade, Mapa de Uso e Ocupaçã ção o da Terra

7 IMAGENS Tipos de Dados em Geoprocessamento Dados obtidos por satélites, fotografias aéreas, a "scanners" aerotransportados ou radares Armazenadas como matrizes Cada elemento de imagem ("pixel pixel") tem um valor proporcional à reflectância do alvo imageado CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES resoluçã ção o espectral ; resoluçã ção o espacial ; resoluçã ção o temporal; resoluçã ção radiométrica trica.

8 MAPAS CADASTRAIS/OBJETOS Tipos de Dados em Geoprocessamento Mapas de suporte à representaçã ção o de objetos geográficos As entidades (pontos, linhas e polígonos) são s Objetos Geográficos Objetos possuem atributos descritivos em tabelas Podem estar associados a várias v representaçõ ções gráficas Podem ter representaçõ ções gráficas diferentes em mapas de escalas distintas Ex: Mapas de Lotes, Quadras, Propriedades Rurais São o armazenados em forma de coordenadas vetoriais, com a topologia arconó-polígono associada Não é usual representar estes dados na forma matricial

9 MAPAS NUMÉRICOS Tipos de Dados em Geoprocessamento São o mapas utilizados para representar uma grandeza que varia continuamente no espaço - altimetria,, precipitaçã ção, propriedades do solo ou subsolo (como aeromagnetismo). A superfície modelada é representada por grades regulares ou grades triangulares Tratamento da altimetria para mapas topográficos ou hipsométricos Análises de corte-aterro para projeto de estradas e barragens Mapas de declividade e exposiçã ção o (geomorfologia( e erodibilidade) Análise de variáveis veis geofísica e geoquímicas e apresentaçã ção o tridimensional (em combinaçã ção o com outras variáveis) veis)

10 MAPAS DE REDES/OBJETOS Tipos de Dados em Geoprocessamento Mapa de suporte à representaçã ção o de objetos geográficos As entidades (nós s e linhas) são s objetos geográficos Mapa vetoriais com topologia arco-nó (grafo) arcos tem um sentido de fluxo e atributos nós s tem atributos (fontes ou sorvedouros) Sub-estações id label capacidade 22 Eng. Dentro kva Postes id label Transf Classe 3 Forte ligaçã ção o com BD Integraçã ção o de dados Segmentaçã ção o dinâmica Linguagem de visualizaçã ção Capacidade de adaptaçã ção * Uso em serviços de utilidade pública, p como água, luz e telefone, redes de drenagem (bacias hidrográficas) e rodovias

11 MÓDULOS DO SPRING Impima - leitura e conversão de imagens Spring - entrada, análise e manipulação dos dados Scarta - elaboração de cartas SpringWeb - visualização e consulta na Web Módulos Auxiliares: Iplot - enviar carta para impressora ou arquivo Testmesa - testa comunicação da mesa com o computador

12 IMPIMA Módulos do SPRING Entrada BSQ BIL TIFF GeoTIFF RAW SITIM GRIB Saída GRIB

13 SPRING Módulos do SPRING Entrada TIFF RAW SITIM GRIB GeoTIFF DXF ASCII ArcINFO ShapeFile MID/MIF mesa digit. Saída TIFF RAW JPEG DXF ASCII ArcINFO ShapeFile

14 SCARTA Módulos do SPRING Entrada Saída PI s de um banco e projeto do Spring Arq. Carta Arq. Molde Arq. IPL

15 IPLOT Módulos do SPRING Entrada Arq. IPL Saída Impressora Plotter PostScrip GIF TIF JPG

16 MODELO DE DADOS DO SPRING Como serão modelados os diversos dados? Quais tipos de categorias serão criadas? Qual a área a ser trabalhada? Quais os mapas (PI s) da área de trabalho? Quais as representações dos mapas?

17 BANCO DE DADOS Modelo de dados do SPRING Depósito de informações do SPRING Pode-se definir vários BD (apenas um ativo) Não está relacionado a uma área geográfica Pode conter mais de um Projeto C:\springdb\Banco um sub-diretório (pasta) no sistema de arquivos. Nota: O sistema ativa automaticamente o último banco manipulado ou um pré determinado

18 PROJETO Modelo de dados do SPRING Define a região de interesse: Área geográfica definida pelos pontos 1 e 2 Projeção cartográfica e Contém dados com escalas específicas Contém um conjunto de Planos de Informações (PI s) sobre a região geográfica - Mapa de solo; - Imagens Landsat; - Mapa altimétrico, etc. C:\springdb\Banco\Projeto. um sub-diretório (pasta) do diretório do banco

19 PLANO DE INFORMAÇÃO Modelo de dados do SPRING Representa o espaço geográfico com características básicas comuns definidas pela categoria do dado Condição: existência de um Projeto e da Categoria do Dado Cada PI está associado apenas a uma categoria Uma categoria define o tipo de dado de vários PI s Ex: - Mapas de Uso de 1970 e 1980 (Temático) - Bandas 3, 4 e 5 do Landsat (Imagem) - Mapa altimétrico (Numérico) - Mapa de fazendas (Cadastral) C:\springdb\Banco\Projeto\PI.lin corresponde a arquivos debaixo do diretório do projeto

20 Uma categoria é comum aos vários Projetos criados no Banco de Dados. MODELO DE DADOS Modelo de dados do SPRING Agrupa grandezas geográficas semelhantes em categorias pertencentes a um dentre os tipos de dados. Exemplos: Uso_Terra (Temático): Classes: Mata, Capoeira, Urbana, etc. Imagem_TM (Imagem), Foto_8000 (Imagem) Altimetria (Numérico), IDH (Numérico) Fazenda (Objeto) Atributos: Dono, Insc, Renda, etc Cadastro_Rural (Cadastral)

21 RESUMO DO MODELO DE DADOS SPRING

22 SPRING Ferramentas de Visualização 5 telas de visualização Sobreposição de Mapas Navegação em coordenadas planas ou geográficas Zoom Tela acoplada

SPRING 3.6.03 - Apresentação

SPRING 3.6.03 - Apresentação SPRING 3.6.03 - Apresentação GEOPROCESSAMENTO Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informações espaciais, geração de saídas na forma de mapas, relatórios, arquivos digitais, etc;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável Prof. Pablo Santos 4 a Aula SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA - SIG Introdução Definições Necessárias

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil GEOPROCESSAMENTO. Profa. Adriana Goulart dos Santos

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil GEOPROCESSAMENTO. Profa. Adriana Goulart dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil GEOPROCESSAMENTO Profa. Adriana Goulart dos Santos Aula 2 o INTRODUÇÃO A SIG o MODELAGEM DE DADOS Por que Geoprocessamento? Porque

Leia mais

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de padrões espaciais; Controle e ordenação do espaço. Técnicas

Leia mais

Dado Vetorial. Características do Dado Vetorial. Usa entidades como ponto, linha e polígono para identificar localizações;

Dado Vetorial. Características do Dado Vetorial. Usa entidades como ponto, linha e polígono para identificar localizações; Estrutura dos Dados Geográficos Organização lógica dos dados para preservar sua integridade e facilitar o seu uso. Vetorial Raster ou Matricial Dado Vetorial Usa entidades como ponto, linha e polígono

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc.

Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. Sistemas de Informação Geográfica Prof. Tiago Eugenio de Melo, MSc. SUMÁRIO Apresentação da ementa Introdução Conceitos Básicos de Geoinformação Arquitetura de SIGs Referências Bibliográficas APRESENTAÇÃO

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas

Sistema de Informações Geográficas UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE Pós Graduação Ecologia e Manejo de Recursos Naturais Sistema de Informações Geográficas Prof. Fabiano Luiz Neris Criciúma, Março de 2011. A IMPORTÂNCIA DO ONDE "Tudo

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB210 GEOPROCESSAMENTO SEGUNDO SEMESTRE DE 2013 PROF. DR. CARLOS ALBERTO

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

Módulos do SPRING. - Módulos do SPRING. - Modelo de Dados do SPRING. - Procedimentos Iniciais

Módulos do SPRING. - Módulos do SPRING. - Modelo de Dados do SPRING. - Procedimentos Iniciais Módulos do SPRING - Módulos do SPRING - Modelo de Dados do SPRING - Procedimentos Iniciais MÓDULOS DO SPRING Impima - leitura e conversão de imagens Spring - entrada, análise e manipulação dos dados Scarta

Leia mais

Teoria : Estruturas de Dados. Estrutura Vetorial. Quais tipos de dados são representados por estruturas vetoriais? Mapa temático:

Teoria : Estruturas de Dados. Estrutura Vetorial. Quais tipos de dados são representados por estruturas vetoriais? Mapa temático: Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de ciências Humanas e da Educação FAED Mestrado em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socio- Ambiental - MPPT Disciplina: Geoprocessamento

Leia mais

SIG - Sistemas de Informação Geográfica

SIG - Sistemas de Informação Geográfica SIG - Sistemas de Informação Geográfica Gestão da Informação Para gestão das informações relativas ao desenvolvimento e implantação dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Leia mais

MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING

MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING MiniCurso 4 horas Introdução ao SPRING Dr. Carlos A Felgueiras (carlos@dpi.inpe.br) Gerente de Desenvolvimento do SPRING DPI - Divisão de Processamento de Imagens INPE Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas à manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa (MG) jugurta@dpi.ufv.br Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Tópicos

Leia mais

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6

PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS SPRING 5.0.6 Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação CCE/FAED Deapartamento de Geografia DG Curso Mestrado em Planejamento Regional e Desenvolvimento Sócio Ambiental

Leia mais

MNT: Modelagem Numérica de Terreno

MNT: Modelagem Numérica de Terreno MNT: Modelagem Numérica de Terreno I. 1ntrodução MODELO : Representação da realidade sob a forma material (representação tangível) ou sob a forma simbólica (representação abstrata). MODELO DO TERRENO:

Leia mais

TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico. Junho de 2006 INPE

TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico. Junho de 2006 INPE TUTORIAL 10 AULAS - SPRING 4.3 (Versão Windows) SPRING Básico Junho de 2006 INPE As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações e correções sem prévio aviso. Esse documento pode ser

Leia mais

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBio DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA - DIPLAN COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS -

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Conceitos Iniciais MARCEL SANTOS SILVA

Conceitos Iniciais MARCEL SANTOS SILVA Conceitos Iniciais MARCEL SANTOS SILVA DPI - INPE Criada em 1984, a Divisão de Processamento de Imagens (DPI) faz parte da Coordenação Geral de Observação da Terra/OBT do Instituto Nacional de Pesquisas

Leia mais

Utilización de Datos de Percepción Remota para Estudios de Inundación

Utilización de Datos de Percepción Remota para Estudios de Inundación Utilización de Datos de Percepción Remota María Silvia Pardi Lacruz lacruz@dsr.inpe.br Santa Maria, RS, Brasil 29 31 de Marzo de 2010 Inundación Desde tiempos ancestrales la humanidad ha buscado acercarse

Leia mais

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados TerraView O TerraView é um aplicativo desenvolvido pelo DPI/INPE e construído sobre a biblioteca de geoprocessamento TerraLib, tendo como principais objetivos: - Apresentar à comunidade um fácil visualizador

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO "Departamento de Licitações"

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CANOINHAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO Departamento de Licitações PROCESSO N.º 02/2009 TOMADA DE PREÇOS N.º 0/2009 ANEXO IV CRONOGRAMA FÍSICO PRAZO DE EXECUÇÃO (MESES) ITEM DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS E SERVIÇOS o MÊS 2 o MÊS 3 o MÊS 4 o MÊS 5 o MÊS 6 o MÊS 7 o MÊS 8 o MÊS

Leia mais

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS I Encontro Brasileiro de usuários QGIS Uso do QGIS no Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto Jorge Santos jorgepsantos@outlook.com www.processamentodigital.com.br Dicas, tutoriais e tudo

Leia mais

Capítulo 5 INTERNET E NOVAS TECNOLOGIAS

Capítulo 5 INTERNET E NOVAS TECNOLOGIAS Capítulo 5 INTERNET E NOVAS TECNOLOGIAS 5.1 - GEOPROCESSAMENTO E INTERNET...2 5.2 - BIBLIOTECAS DIGITAIS...4 5.2.1 - Introdução...4 5.2.2 - Natureza dos Dados Geográficos...4 5.2.3 - Apresentação dos Dados...5

Leia mais

Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM

Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM Criando Mapa de Declividade a partir de dados SRTM SPRING 5.0 1 O objetivo deste tutorial é apresentar de forma simples e prática como construir, no Spring, mapa de declividade a partir de dados do SRTM.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico. Junho de 1999 INPE

APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico. Junho de 1999 INPE APOSTILA DE CURSO - SPRING-3.3 (versão Windows) Spring Básico Junho de 1999 INPE As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações e correções sem prévio aviso. Esse documento pode ser

Leia mais

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS - Produtos Cartográficos - Geoprocessamento - Sistemas de Informações Geográficas (GIS) - Serviços de Mapas - Demo de um GIS aplicado na PMSP CARTOGRAFIA (conceitos)

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

INFLUÊNCIA DA OCUPAÇÃO URBANA NO MEIO AMBIENTE DA PLANÍCIE COSTEIRA DO CAMPECHE SC, COM O USO DE GEOPROCESSAMENTO

INFLUÊNCIA DA OCUPAÇÃO URBANA NO MEIO AMBIENTE DA PLANÍCIE COSTEIRA DO CAMPECHE SC, COM O USO DE GEOPROCESSAMENTO INFLUÊNCIA DA OCUPAÇÃO URBANA NO MEIO AMBIENTE DA PLANÍCIE COSTEIRA DO CAMPECHE SC, COM O USO DE GEOPROCESSAMENTO PROFª MSC. MARIANE ALVES DAL SANTO MAURICIO SILVA Laboratório de Geoprocessamento - GeoLab

Leia mais

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento

USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO. Geoprocessamento USO DO GEOPROCESSAMENTO NO MONITORAMENTO DO SETOR AGRÍCOLA PARA FINS TRIBUTÁRIOS NA SEFAZ-GO Geog.Ms. Maria G. da Silva Barbalho maria-gsb@sefaz.go.gov.br Conceito Disciplina do conhecimento que utiliza

Leia mais

Site da disciplina: Site do Laboratório de Geotecnologias Aplicadas: https://moodleinstitucional.ufrgs.br. http://www.ufrgs.

Site da disciplina: Site do Laboratório de Geotecnologias Aplicadas: https://moodleinstitucional.ufrgs.br. http://www.ufrgs. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Geociências Departamento de Geografia Sistemas de Informações Geográficas I GEO 01007 Professora: Eliana Lima da Fonseca Site da disciplina: https://moodleinstitucional.ufrgs.br

Leia mais

WORKSHOP GEOTECNOLOGIAS DO INPE O SIG SPRING CARLOS A FELGUEIRAS DPI - INPE

WORKSHOP GEOTECNOLOGIAS DO INPE O SIG SPRING CARLOS A FELGUEIRAS DPI - INPE WORKSHOP GEOTECNOLOGIAS DO INPE O SIG SPRING 1 CARLOS A FELGUEIRAS DPI - INPE SPRING Sistema de PRocessamento de INformações Georeferenciadas Introdução Processamento de Imagens Manipulação de Mapas Temáticos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Aula 02 Componentes de um GIS (SIE, ou SIG) Ideias dependem de pessoas. Pessoas trazem o conhecimento para uma equipe, que engendra ideias.

Leia mais

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos

O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Prof. Herondino O Termo SIG é aplicado para sistemas que realizam o tratamento computacional de dados geográficos Inserir e integrar, numa única base de dados informações espaciais provenientes de: meio

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica Aula 3

Sistemas de Informação Geográfica Aula 3 Sistemas de Informação Geográfica Aula 3 Introdução Equipamentos de entrada de dados são dispositivos que convertem dados analógicos e mapas impressos no papel em mídia m eletrônica ou digital para serem

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão 01 Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão Rodrigo G. Trevisan¹; José P. Molin² ¹ Eng. Agrônomo, Mestrando em Engenharia de Sistemas Agrícolas (ESALQ-USP); ² Prof. Dr. Associado

Leia mais

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source 1 02 DESTINATÁRIOS Todos os que trabalhando ou que virão a trabalhar com tecnologia

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS EM GEOPROCESSAMENTO

CONCEITOS BÁSICOS EM GEOPROCESSAMENTO 2 CONCEITOS BÁSICOS EM GEOPROCESSAMENTO Gilberto Câmara Cláudio Clemente Faria Barbosa Clodoveu Davis Frederico Fonseca 2.1 INTRODUÇÃO O entendimento da tecnologia de Geoprocessamento requer, preliminarmente,

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Herondino Filho

GEOPROCESSAMENTO. Herondino Filho GEOPROCESSAMENTO Herondino Filho Sumário 1. Introdução 1.1 Orientações Avaliação Referência 1.2 Dados Espaciais 1.2.1 Exemplo de Dados Espaciais 1.2.2 Aplicações sobre os Dados Espaciais 1.3 Categoria

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview

Importação de arquivos Raster e Vetorial no Terraview MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

Prof. Tiago Badre Marino Geoprocessamento Departamento de Geociências Instituto de Agronomia - UFRRJ. Aquisição de dados cartográficos a partir da Web

Prof. Tiago Badre Marino Geoprocessamento Departamento de Geociências Instituto de Agronomia - UFRRJ. Aquisição de dados cartográficos a partir da Web Exercício Objetivo Aplicativos Entrar nas diferentes fontes de dados cartográficos e imagens de sensoriamento remoto existentes no Brasil e executar os procedimentos para download destes dados disponíveis

Leia mais

MODELAGEM DIGITAL DE SUPERFÍCIES

MODELAGEM DIGITAL DE SUPERFÍCIES MODELAGEM DIGITAL DE SUPERFÍCIES Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG 2012 Introdução Os modelo digitais de superficie (Digital Surface Model - DSM) são fundamentais

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE e VALIDAÇÃO DE PRODUTO CARTOGRÁFICO

CONTROLE DE QUALIDADE e VALIDAÇÃO DE PRODUTO CARTOGRÁFICO CONTROLE DE QUALIDADE e VALIDAÇÃO DE PRODUTO CARTOGRÁFICO Editar dados em vários formatos e armazenar estas informações em diferentes sistemas é provavelmente uma das atividades mais comuns para os profissionais

Leia mais

Sistemas de Informação para Análise de Situação em Saúde. Pisa. Mapas Interativos

Sistemas de Informação para Análise de Situação em Saúde. Pisa. Mapas Interativos Sistemas de Informação para Análise de Situação em Saúde Área de Análise de Situação em Saúde Ambiental e do Trabalhador ASISAST Pisa Mapas Interativos Marcel Pedroso ASISAST/SVS/MS MISSÃO Análise da Situação

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS. Prof. Wellington D. Guimarães

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS. Prof. Wellington D. Guimarães SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Prof. Wellington D. Guimarães Há um provérbio chinês que diz: Quando você ouve algo, você vai se esquecer. Quando você vê algo, você vai se lembrar, mas só quando tiver

Leia mais

Aula 5 - Classificação

Aula 5 - Classificação AULA 5 - Aula 5-1. por Pixel é o processo de extração de informação em imagens para reconhecer padrões e objetos homogêneos. Os Classificadores "pixel a pixel" utilizam apenas a informação espectral isoladamente

Leia mais

Introdução ao ArcGIS

Introdução ao ArcGIS Introdução ao ArcGIS Maria Cecilia Brandalize Novembro, 2011 Tópicos O que é um SIG? A estrutura do ArcGIS Dados utilizados no ArcGIS Operações básicas com o ArcGIS Edição de dados Combinação de dados

Leia mais

INTRODUÇÃO AO USO DO ENVI EM SENSORIAMENTO REMOTO/SIG

INTRODUÇÃO AO USO DO ENVI EM SENSORIAMENTO REMOTO/SIG CURSOS PRESENCIAIS INTRODUÇÃO AO USO DO ENVI EM SENSORIAMENTO REMOTO/SIG Aplicações Básicas em Sensoriamento Remoto com a Utilização do Software ENVI PROPOSTA DO CURSO ENVI 100: O curso proposto visa a

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Registro é uma transformação geométrica que relaciona coordenadas da imagem (linha e coluna) com coordenadas geográficas (latitude e longitude) de um

Leia mais

Aula prática - Modelo Numérico. do Terreno. do Terreno (MNT) ou Modelo Digital do Terreno

Aula prática - Modelo Numérico. do Terreno. do Terreno (MNT) ou Modelo Digital do Terreno Aula prática - Modelo MDT correspondem a Digital Terrain Model (DTM) ou Digital Elevation Model (DEM). Uma das modelagens mais utilizadas em geotecnologias que procura representar digitalmente o comportamento

Leia mais

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS ANEXOS Tutorial Banco de Dados Geográficos ANEXO 1 - Definições no SPRING e recursos gerais Entender o modelo de dados do sistema SPRING é fundamental para este tutorial, pois

Leia mais

Modelagem Digital do Terreno

Modelagem Digital do Terreno Geoprocessamento: Geração de dados 3D Modelagem Digital do Terreno Conceito Um Modelo Digital de Terreno (MDT) representa o comportamento de um fenômeno que ocorre em uma região da superfície terrestre

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

INTRODUÇÃO 1.1 POR QUE GEOPROCESSAMENTO?

INTRODUÇÃO 1.1 POR QUE GEOPROCESSAMENTO? 1 INTRODUÇÃO 1.1 POR QUE GEOPROCESSAMENTO? O termo Geoprocessamento denota a disciplina do conhecimento que utiliza técnicas matemáticas e computacionais para o tratamento da informação geográfica. Esta

Leia mais

Aprendendo a Usar o ArcExplorer

Aprendendo a Usar o ArcExplorer Aprendendo a Usar o ArcExplorer O ArcExplorer é um software simples de visualização e consultas de arquivos utilizados em geoprocessamento. Muito embora seja um software livre e conseqüentemente, para

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO PARA PROJETOS AMBIENTAIS

GEOPROCESSAMENTO PARA PROJETOS AMBIENTAIS INPE INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS GEOPROCESSAMENTO PARA PROJETOS AMBIENTAIS 2a. Edição - Revisada e Ampliada SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, SP MAIO, 1998 Organizado por Gilberto Câmara José Simeão de

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos.

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável Sistema de Informação Dados Armazenados Questão Informação Laboratório de Geoprocessamento (LAGEO) Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

Bases de Dados Geoespaciais: Conceitos e Tendências. Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com

Bases de Dados Geoespaciais: Conceitos e Tendências. Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com Paulo Costa Paulo.fernando.costa@vale.com Sumário Dados e informações Base de dados Normatização dos Dados Banco de dados único Interoperabilidade de dados Tendências DADOS E INFORMAÇÕES Dados são observações

Leia mais

AULA 2 Planos, Vistas e Temas

AULA 2 Planos, Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos, Vistas e Temas Essa aula apresenta os conceitos de Plano de Informação, Vista e Tema e suas manipulações no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1. Abra o

Leia mais

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor

Figura 1 Classificação Supervisionada. Fonte: o próprio autor ANÁLISE DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO JUQUERY ATRÁVES DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO E IMAGENS DE SENSORIAMENTO REMOTO 1. INTRODUÇÃO Ultimamente tem-se visto uma grande

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 6 CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS Obter uma imagem temática a partir de métodos de classificação de imagens multi- espectrais 1. CLASSIFICAÇÃO POR PIXEL é o processo de extração

Leia mais

Sorocaba / SP 2002 SUMÁRIO

Sorocaba / SP 2002 SUMÁRIO T O P O G R A F I A GIS E Profº. Marco A. G. Pontes Sorocaba / SP 2002 SUMÁRIO Página Resumo... 4 1 DEFINIÇÃO DE...5 2 INTRODUÇÃO... 6 3 TRADUZINDO A INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA O COMPUTADOR... 7 4 TIPOS

Leia mais

Mapas e suas representações computacionais

Mapas e suas representações computacionais Mapas e suas representações computacionais Tipos de dados: diversos tipos de dados são utilizados em SIG e suas representações computacionais. Mapas temáticos Descrevem de forma qualitativa, a distribuição

Leia mais

CAPÍTULO 1. O QUE É O ArcGIS 8.3. O Sistema de Informações Geográficas ArcGIS é constituído de três partes:

CAPÍTULO 1. O QUE É O ArcGIS 8.3. O Sistema de Informações Geográficas ArcGIS é constituído de três partes: CAPÍTULO 1 O QUE É O ArcGIS 8.3 O Sistema de Informações Geográficas ArcGIS é constituído de três partes: O ArcGIS Desktop, uma parte integrada de aplicações avançadas de SIG; O gateway ArcSDE, uma interface

Leia mais

Estruturando o SIG para fornecer suporte para elaboração e implantação do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Estruturando o SIG para fornecer suporte para elaboração e implantação do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica Estruturando o SIG para fornecer suporte para elaboração e implantação do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica SIG Sistema de Informação Geográfica O SIG é um sistema de Informação

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 43

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 43 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) NOTA TÉCNICA Nº 43 AQUISIÇÃO, TRATAMENTO E DISPONIBILIZAÇÃO DE IMAGENS

Leia mais

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView

Associação de dados cartográficos e alfanuméricos no TerraView MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Executiva Diretoria de Desenvolvimento

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Autor: Emerson Soares dos Santos INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Autor: Julho de 2010 Material para Exercícios Práticos APRENDENDO TerraView 3x tem graduação e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso e atualmente

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL

ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL ESTUDO COMPARATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS QUE UTILIZAM GEOPROCESSAMENTO E TECNOLOGIA BIM PARA DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE ENGENHARIA CIVIL 1. INTRODUÇÃO E REFERENCIAL TEÓRICO A área de geoprocessamento

Leia mais

Histórico das Revisões

Histórico das Revisões TerraSIG MANUAL DO USUÁRIO Dezembro/2007 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 17.12.2007 1.0 Confecção Cristhiane 20.12.2007 1.0 Confecção Cristhiane 20.12.2007 1.0 Integração Isabele 21.12.2007

Leia mais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais

Sensoriamento Remoto. Características das Imagens Orbitais Sensoriamento Remoto Características das Imagens Orbitais 1 - RESOLUÇÃO: O termo resolução em sensoriamento remoto pode ser atribuído a quatro diferentes parâmetros: resolução espacial resolução espectral

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br]

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Componentes de um SIG Exemplos de aplicações Conceitos Geoprocessamento

Leia mais

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago

FOTOINTERPRETAÇÃO. Interpretação e medidas. Dado qualitativo: lago FOTOINTERPRETAÇÃO a) conceito A fotointerpretação é a técnica de examinar as imagens dos objetos na fotografia e deduzir sua significação. A fotointerpretação é bastante importante à elaboração de mapas

Leia mais

Seminário. Banco de Dados II Banco de Dados Espaciais. Alunos: Lucas Alves Teixeira e Vinícius Dias Villar Professor: Guilherme Tavares de Assis

Seminário. Banco de Dados II Banco de Dados Espaciais. Alunos: Lucas Alves Teixeira e Vinícius Dias Villar Professor: Guilherme Tavares de Assis Seminário Banco de Dados II Banco de Dados Espaciais Alunos: Lucas Alves Teixeira e Vinícius Dias Villar Professor: Guilherme Tavares de Assis Descrição do Tema Bando de Dados Espaciais é um recurso que

Leia mais

Uso de AutoCAD Map 3D para desenvolvimento de análise Multi-Critério Kátia Góes Mestrando UERJ

Uso de AutoCAD Map 3D para desenvolvimento de análise Multi-Critério Kátia Góes Mestrando UERJ Uso de AutoCAD Map 3D para desenvolvimento de análise Multi-Critério Kátia Góes Mestrando UERJ A proposta metodológica se insere na temática de Turismo Sustentável em áreas rurais e teve como área de estudo

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações.

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações. PROCESSO 014-2014 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações. A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

7.5 Planialtimetria 7.5.1 Topologia Tem por objetivo o estudo das formas da superfície terrestre e das leis que regem o seu modelado.

7.5 Planialtimetria 7.5.1 Topologia Tem por objetivo o estudo das formas da superfície terrestre e das leis que regem o seu modelado. CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA UNIDADE DE FLORIANÓPOLIS DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CONSTRUÇÃO CIVIL CURSO TÉCNICO DE GEOMENSURA MÓDULO II UNIDADE CURRICULAR TOPOGRAFIA III 7.5

Leia mais

CADASTRO DE METADADOS POR SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO (SGBD) EM SIG PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CADASTRO DE METADADOS POR SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO (SGBD) EM SIG PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CADASTRO DE METADADOS POR SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE BANCO DE DADOS GEOGRÁFICO (SGBD) EM SIG PARA UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Raphael de Oliveira Fernandes Vivian Castilho da Costa

Leia mais

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento

Tecnologias Digitais de Geoprocessamento Gilberto Pessanha Ribeiro Engenheiro Cartógrafo - UERJ Mestre em Ciências Geodésicas - UFPR Doutor em Geografia UFF Especialista em Geologia do Quaternário Museu Nacional/UFRJ gilberto@eng.uerj.br gilberto@globalgeo.com.br

Leia mais

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG Aplicado ao Meio Ambiente - 2011 GA020- SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene S. Delazari -

Leia mais

- 3 - Lição I GEOPROCESSAMENTO

- 3 - Lição I GEOPROCESSAMENTO Lição I GEOPROCESSAMENTO - 3 - Para que possamos realizar as outras lições é extremamente importante estudarmos esta, porque será a base para entendermos as operações que serão realizadas no software Spring.

Leia mais

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento Atividade Prática: Laboratório SIG Docentes: Prof. Dr Claudio Luiz Marte Prof. Dr. José Alberto Quintanilha Elaboração Roteiro: Mariana Abrantes Giannotti Colaboração:

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE SOFWARES GRATUITOS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA

ESTUDO COMPARATIVO DE SOFWARES GRATUITOS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA ESTUDO COMPARATIVO DE SOFWARES GRATUITOS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ENGENHARIA 1. Introdução Nos últimos anos, a área de geotecnologias ganhou maior visibilidade através da popularização

Leia mais

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha

Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Projeto de Engenharia Ambiental Sensoriamento remoto e Sistema de Informação Geográfica Grupo: Irmandade Bruna Hinojosa de Sousa Marina Schiave Rodrigues Raquel Bressanini Thaís Foffano Rocha Sensoriamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO PONTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO PONTOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO PONTOS ÁREA: FÍSICA APLICADA 1. Mecânica Newtoniana. 2. Oscilações Mecânicas: Oscilador Harmônico Clássico. 3. Gravitação Universal.

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE BANCOS DE DADOS ESPACIAIS COM IMAGENS DE SATÉLITE

CONSTRUÇÃO DE BANCOS DE DADOS ESPACIAIS COM IMAGENS DE SATÉLITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA CONSTRUÇÃO DE BANCOS DE DADOS ESPACIAIS COM IMAGENS DE SATÉLITE Renzo Joel Flores Ortiz Ilka Afonso Reis BELO

Leia mais

Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical

Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical DEFINIÇÃO DE SIG As definições são condicionadas pelo ambiente em que surgem e pela realidade

Leia mais

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA FORNECIMENTO DE IMAGENS DE SATÉLITE

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA FORNECIMENTO DE IMAGENS DE SATÉLITE COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO - CHESF DIRETORIA DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO - DE SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO DA EXPANSÃO - SPE DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA DIVISÃO DE MEIO AMBIENTE

Leia mais

CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA

CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA CURSO DE USO ESCOLAR DO SENSORIAMENTO REMOTO NO ESTUDO DO MEIO AMBIENTE TUTORIAL INTRODUÇÃO AO SPRING PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA Suely Franco Siqueira Lima Teresa Gallotti Florenzano Eliana Maria

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica Aplicado na Agricultura

Sistema de Informação Geográfica Aplicado na Agricultura Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento Engenharia Agrícola Pós-Graduação em Engenharia Agrícola Disciplina: Seminário I Sistema de Informação Geográfica Aplicado na Agricultura

Leia mais

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE MATERIAL CARTOGRÁFICO PARA O SETOR SUCROALCOOLEIRO

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE MATERIAL CARTOGRÁFICO PARA O SETOR SUCROALCOOLEIRO ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE MATERIAL CARTOGRÁFICO PARA O SETOR SUCROALCOOLEIRO 1. Material cartográfico digital: Apresentar material cartográfico na Projeção Cartográfica Universal Transversa de Mercator

Leia mais

Por que Geoprocessamento?

Por que Geoprocessamento? Um pouco sobre a NOSSA VISÃO Processamento Digital é um endereço da Web criado pelo geógrafo Jorge Santos com objetivo de compartilhar dicas sobre Geoprocessamento e Software Livre. A idéia surgiu no ano

Leia mais