PL/SQL. Linguagens hospedeiras

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PL/SQL. Linguagens hospedeiras"

Transcrição

1 PL/SQL Linguagens hospedeiras Aplicações interrogar a BD tomar decisões dialogar com o utilizador etc. linguagem de programação convencional C, Cobol, Ada, Java linguagem de manipulação de dados optimizada para acesso rápido a grandes BD O SGBD fornece um conjunto de procedimentos que implementam as principais funções da LMD 2 1

2 Acesso à BD dados locais ligação directa (API) ODBC JDBC BD aplicação chamadas LMD 3 Comunicação os programas de aplicação não escrevem directamente na BD usam operações do nível conceptual - a bem da independência dos dados se uma chamada da LMD produz uma relação esta pode ser maior que a área de dados local as linguagens convencionais são record-oriented logo 4 é transferido para a área local um tuplo de cada vez o seguinte é obtido com uma instrução de fetch os dados na área local são variáveis normais do programa 2

3 PL/SQL - Ambiente PL/SQL Block PL/SQL Block Motor PL/SQL PL/SQL SQL Execução da expressão procedimental Execução da expressão SQL Servidor Oracle 5 PL/SQL - Benefícios Pode ser usado para agrupar várias perguntas SQL num só bloco e enviá-lo de uma só vez para o servidor. PL/SQL pode cooperar com as ferramentas de desenvolvimento de aplicações Oracle tais como Developer Forms e Reports adicionando poder de processamento procedimental a estas ferramentas. Podemos tirar vantagens das capacidades procedimentais do PL/SQL que não estão presentes no SQL. 6 3

4 PL/SQL - Benefícios Os programas podem ser transportados para qualquer ambiente (SO ou plataforma) que suporte o servidor Oracle e PL/SQL, ou seja, os programas PL/SQL podem correr em qualquer sítio onde o servidor Oracle corra. Pode-se escrever programas e criar bibliotecas que podem ser reutilizadas em diferentes ambientes. Pode-se declarar variáveis dinamicamente baseadas em estruturas de dados ou tabelas e colunas da BD (%TYPE, %ROWTYPE) 7 PL/SQL - Benefícios Desenvolvimento modular de programas. Declare o o o Begin o o o Exception o o o End; Permite executar instruções condicionais. Permite executar instruções num ciclo. Permite processar várias linhas devolvidas por uma pergunta através de cursores. Os erros podem ser processados com rotinas de tratamento de excepções. 8 4

5 Estruturas de controlo Instruções condicionais: IF-THEN-END IF IF-THEN-ELSE-END IF IF-THEN-ELSIF-END IF Ciclos LOOP FOR WHILE 9 Estruturas de controlo LOOP statement1; EXIT [WHEN condition]; END LOOP; condition - é uma variável booleana ou uma expressão que evolui para (TRUE, FALSE ou NULL) Exercício: bloco que insira 10 linhas numa tabela de linhas de encomenda, para a encomenda

6 Exemplo de ciclo v_num_enc itens.no_enc%type := 134; Contador number(2) := 1; LOOP INSERT INTO itens( no_enc, linha ) values(v_num_enc, contador ); Contador:= contador+1; Exit when contador >10; End loop; 11 Estruturas de controlo FOR counter IN [REVERSE] lower_bound.. uper_bound LOOP statement1; statement2;... END LOOP; WHILE condition LOOP statement1; statement2;... END LOOP; 12 6

7 Frases SQL em PL/SQL Extrair uma única linha de dados da BD usando SELECT; Alterar linhas da BD usando comandos DML; Controlar transacções com COMMIT, ROLLBACK ou SAVEPOINTS; Determinar a saída gerada por DML com cursores; PL/SQL não suporta DDL (create/alter/drop table); PL/SQL não suporta DCL (Grant, ); 13 Estrutura - Optativo Variáveis, cursores, excepções definidas pelo utilizador - Obrigatório Expressões SQL Declare o o o Expressões PL/SQL Begin EXCEPTION - Optativo o o o Acções a executar quando ocorrem erros Exception END - Obrigatório o o o End; 14 7

8 Tipos de Blocos Anónimo Procedimento Função [] --statements [EXCEPTION] PROCEDURE name IS --statements [EXCEPTION] FUNCTION name RETURN datatype IS -- statements RETURN value; [EXCEPTION] Um bloco dentro de outro funciona como uma instrução (composta) Nível de encaixe arbitrário Funções SQL disponíveis em PL/SQL excepto as de agregação 15 Procedimentos Sintaxe: CREATE [OR REPLACE] PROCEDURE procedure_name (parameter1 [mode1] datatype1, parameter2 [mode2] datatype2, ) IS AS PL/SQL Block Exemplo: SQL> CREATE OR REPLACE PROCEDURE raise_salary 2 (v_id in emp.empno%type) 3 IS 4 5 UPDATE emp 6 SET sal = sal * WHERE empno = v_id; 8 END raise_salary; 9 / Executar: SQL> EXECUTE raise_salary (7369) PL/SQL> raise_salary(7369) 16 8

9 Funções Sintaxe: Exemplo: CREATE [OR REPLACE] FUNCTION function_name (parameter1 [mode1] datatype1, parameter2 [mode2] datatype2, ) RETURN datatype IS AS PL/SQL Block SQL> CREATE OR REPLACE FUNCTION get_sal 2 (v_id IN emp.empno%type) 3 RETURN NUMBER 4 IS v_salary emp.sal%type :=0; 5 6 SELECT sal INTO v_salary 7 FROM emp WHERE empno = v_id; 8 RETURN (v_salary); 9 END get_sal; 10 / 17 Triggers Um trigger é um bloco PL/SQL que executa implicitamente sempre que um evento particular acontece. Um trigger pode ser da BD ou da aplicação. Quando executa? BEFORE - Antes de executar uma frase DML sobre uma tabela. AFTER - Depois da frase DML INSTEAD OF - Executa o corpo do trigger em vez da frase que activou o trigger. 18 9

10 Triggers Que frase DML activa trigger? INSERT; UPDATE; DELETE. Tipo de triggers: (quantas vezes deve o trigger executar ao acontecer o evento?) Statement - executa uma vez; Row - executa uma vez para cada linha afectada pelo trigger. Corpo do trigger Bloco PL/SQL ou chamada a procedimento. 19 Triggers Sintaxe CREATE [OR REPLACE] TRIGGER trigger_name timing event1 [OR event2 OR event3] ON table_name trigger_body Ou (gatilho de linha) CREATE [OR REPLACE] TRIGGER trigger_name timing event1 [OR event2 OR event3] ON table_name [REFERENCING OLD AS old / NEW AS new] FOR EACH ROW [WHEN condition] trigger_body 20 10

11 Triggers Exemplo SQL> CREATE OR REPLACE TRIGGER derive_commission_pct 2 BEFORE INSERT OR UPDATE OF sal ON emp 3 FOR EACH ROW 4 5 IF NOT (:NEW.JOB IN ( MANAGER, PRESIDENT )) 6 and :NEW.SAL > THEN 8 RAISE_APPLICATION_ERROR 9 (-20202, Employee cannot earn this amount ); 10 END IF; 11 UPDATE EMP SET SAL=6500 WHERE ENAME= MILLER ; 21 Tipos de variáveis PL/SQL variáveis: Escalar (valor único); Composta (records); Referência (apontador); LOB (especificam a localização de objectos grandes. Ex: imagens) Variáveis não PL/SQL: bind or host variables Usadas para passar valores obtidos durante a execução de PL/SQL para o ambiente SQL*Plus 22 11

12 Variáveis ligadas Variáveis definidas no PL/SQL não são visíveis pelo SQL*Plus Bind variables -> Variáveis ligadas são variáveis que são criadas no SQL*Plus e podem ser referidas no PL/SQL. Como criar Ex: VARIABLE ret_val NUMBER; Para referir vars ligadas no PL/SQL usa-se (:) imediatamente antes da variável Ex: :ret_val :=1; Para mudar o valor desta variável no SQL*Plus é necessário escrever um bloco PL/SQL. Ex: SQL> begin 2 :ret_val:=4; 3 end; 4 / 23 Exemplo em SQL/Plus SQL> VARIABLE g_sal_mensal NUMBER SQL> ACCEPT p_sal_anual PROMPT Salário anual: SQL> SQL> v_sal NUMBER(9,2) := &p_sal_anual; SQL> SQL> :g_sal_mensal := v_sal / 12; SQL> SQL> / SQL> PRINT g_sal_mensal SQL> /* ou: SET SERVEROUTPUT ON SQL>DBMS_OUTPUT.PUT_LINE( Salário mensal de TO_CHAR(v_sal)); SQL> */ 24 12

13 Declaração e atribuição Sintaxe: identifier [CONSTANT] datatype [NOT NULL] [:= DEFAULT expr]; Exemplos: Declare v_hiredate DATE; v_deptno NUMBER(2) NOT NULL :=10; c_comm CONSTANT NUMBER :=1400; v_ename emp.ename%type; Atribuição: v_hiredate := 31-DEC-98 ; Variáveis %TYPE herdam o tipo da coluna base e suportam mudanças nessa definição 25 Tipos escalares Varchar2(max_comp) Number[(precisão,casas decimais)] Date Char [(max_comp)] Long Long Raw Boolean true, false, null Binary_integer Pls_integer ATENÇÃO: As variáveis não devem ter nomes iguais a nomes das colunas da BD. Ambiguidade: não se sabe se se escreve na BD ou na variável! 26 13

14 Exercício sobre variáveis Quais as declarações erradas? v_id number(4); v_x, v_y, v_z varchar2(10); v_aniversario date not null; v_em_stock boolean := 1; 27 Alcance das variáveis Qual o valor de cada variável em ambos os blocos? V_sal number(7,2) := 60000; V_com number(7,2) := v_sal*0.2; V_mensagem varchar2(255) := de qualidade. ; Begin... Declare V_sal number(7,2) := 50000; V_com number(7,2) := 0; V_total number(7,2) := v_sal+v_com; Begin... V_mensagem := Operario v_mensagem; End; V_mensagem := Secretario v_mensagem; 28 14

15 PL/SQL - SELECT em PL/SQL SINTAXE: Exemplo: erro se pergunta devolver 0 (NO_DATA_FOUND) ou mais do que 1 linha (TOO_MANY_ROWS) cláusula INTO crucial SELECT select_list INTO {variable_name[, variable_name] record_name} FROM table WHERE condition; v_sum_sal emp.sal%type; v_deptno NUMBER NOT NULL :=10; SELECT SUM(sal) --group function INTO v_num_sal FROM emp WHERE dptno=v_deptno; 29 PL/SQL - INSERT/UPDATE em PL/SQL INSERT INTO emp(empno, ename, job, deptno) VALUES empno_sequence.nextval, Harding, Clerk, 10); v_sal_increase emp.sal%type := 2000; UPDATE emp SET sal:= sal + v_sal_increase WHERE job = ANALYST ; 30 15

16 Registos Definir um tipo RECORD para agrupar dados heterogéneos TYPE nome_tipo IS RECORD (campo[, campo]...); nome_campo tipo [[NOT NULL] {:= DEFAULT} expressão] Pode-se herdar a definição de um registo registo_emp emp%rowtype SELECT * INTO registo_emp FROM emp WHERE... Tornando desnecessário conhecer em detalhe a tabela base 31 Registos encaixados TYPE TimeRec IS RECORD (mins SMALLINT, hrs SMALLINT); TYPE MeetingRec IS RECORD ( day DATE, time_of TimeRec, -- nested record room_no INTEGER(4)); TYPE PartyRec IS RECORD ( day DATE, time_of TimeRec, -- nested record place VARCHAR2(25)); seminar MeetingRec; party PartyRec;... party.time_of := seminar.time_of; 32 16

17 Tabelas Coluna de Binary integer funciona como índice; segunda coluna (de conteúdo) pode ser simples ou composta TYPE CourseList IS TABLE OF VARCHAR2(10); courses CourseList; courses := CourseList('Biol 4412', 'Psyc 3112', 'Anth 3001'); courses.delete(3); -- delete element 3 /* PL/SQL keeps a placeholder for element 3. So, the next statement appends element 4, not element 3. */ courses.ext -- append one null element /* Now element 4 exists, so the next statement does not raise SUBSCRIPT_BEYOND_COUNT. */ courses(4) := 'Engl 2005'; 33 Tabelas TYPE NumList IS TABLE OF NUMBER; depts NumList := NumList(10, 20, 30, 40); depts.delete(3); -- apaga terceiro elemento FORALL i IN depts.first..depts.last ligação em massa DELETE FROM emp WHERE deptno = depts(i); -- causa erro Métodos para tabelas Exists First Prior Extend Delete Count Last Next Trim 34 17

18 PL/SQL - Cursores Um cursor é uma área privada do SQL. Há dois tipos de cursores: Implícitos (chamados SQL) Explícitos O servidor Oracle usa cursores implícitos para analisar e executar código SQL. Os cursores explícitos são explicitamente declarados pelo programador. 35 Atributos do cursor SQL Através dos atributos do cursor implícito (chamado SQL) podemos testar a saída produzida por uma pergunta SQL: SQL%ROWCOUNT - nº de linhas afectadas pela mais recente frase SQL; SQL%FOUND - TRUE se a mais recente frase SQL afecta uma ou mais linhas; SQL%NOTFOUND - TRUE se a mais recente frase SQL não afecta nenhuma linha; SQL%ISOPEN - Sempre FALSE porque o PL/SQL fecha sempre os cursores implícitos depois de os executar; 36 18

19 Controlo de cursores explícitos no Declar e cria uma área no SQL Open Fetch Empty? Close identifica conjunto activo carrega linha corrente testa fim de dados yes liberta conjunto activo 37 Cursores - declaração CURSOR cursor_name [(parameter[, parameter]...)] [RETURN return_type] IS select_statement; cursor_parameter_name [IN] datatype [{:= DEFAULT} expression] CURSOR c1 IS SELECT empno, ename, job, sal FROM emp WHERE sal > 2000; CURSOR c2 RETURN dept%rowtype IS SELECT * FROM dept WHERE deptno = 10; sem cláusula INTO 38 19

20 Cursor num Package CREATE PACKAGE BODY emp_stuff AS CURSOR c1 RETURN emp%rowtype IS SELECT * FROM emp WHERE deptno = 20; -- new WHERE clause... END emp_stuff; 39 Processamento das linhas emp_rec emp%rowtype; -- ou emp_rec emp_stuff.c1%rowtype OPEN emp_stuff.c1; LOOP FETCH emp_stuff.c1 INTO emp_rec; EXIT WHEN emp_suff.c1%notfound;... END LOOP; CLOSE emp_stuff.c1; 40 20

21 Atributos dos cursores explícitos Através dos atributos dos cursores explícitos podemos controlar o processamento do resultado: SQL%ROWCOUNT - nº de linhas devolvidas até ao momento; SQL%FOUND - TRUE se o fetch mais recente devolveu linha; SQL%NOTFOUND - TRUE se o fetch mais recente não devolveu linha; SQL%ISOPEN TRUE se o cursor estiver aberto Convém fechar o cursor; máximo de cursores abertos (50) no parâmetro da BD OPEN_CURSORS 41 Cursor de ciclo FOR result temp.col1%type; CURSOR c1 IS SELECT n1, n2, n3 FROM data_table WHERE exper_num = 1; FOR c1_rec IN c1 LOOP /* calcula e armazena os resultados */ result := c1_rec.n2 / (c1_rec.n1 + c1_rec.n3); INSERT INTO temp VALUES (result, NULL, NULL); END LOOP; COMMIT; 42 21

22 Cursor de sub-pergunta bonus REAL; FOR emp_rec IN (SELECT empno, sal, comm FROM emp) LOOP bonus := (emp_rec.sal * 0.05) + (emp_rec.comm * 0.25); INSERT INTO bonuses VALUES (emp_rec.empno, bonus); END LOOP; COMMIT; Neste caso não se pode usar os atributos de cursor porque o cursor não tem nome 43 22

Oracle PL/SQL Overview

Oracle PL/SQL Overview Faculdades Network Oracle PL/SQL Overview Prof. Edinelson PL/SQL Linguagem de Programação Procedural Language / Structured Query Language Une o estilo modular de linguagens de programação à versatilidade

Leia mais

Oracle 10g: SQL e PL/SQL

Oracle 10g: SQL e PL/SQL Oracle 10g: SQL e PL/SQL PL/SQL: Visão Geral Enzo Seraphim Visão Geral Vantagens de PL/SQL Suporte total à linguagem SQL Total integração com o Oracle Performance Redução da comunicação entre a aplicação

Leia mais

PL/SQL. Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Laboratório de Bases de Dados PL/SQL

PL/SQL. Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri. Laboratório de Bases de Dados PL/SQL PL/SQL Laboratório de Bases de Dados PL/SQL Program Language SQL linguagem de programação da Oracle que permite processar dados armazenados no banco de dados Exemplos de operações permitidas alterar, remover,

Leia mais

António Rocha Nuno Melo e Castro

António Rocha Nuno Melo e Castro António Rocha Nuno Melo e Castro ! Transact-SQL (T-SQL) Extensão ao SQL Permite controlo do fluxo de execução Permite comandos DDL (contrariamente ao PLSQL) T-SQL combina: poder de manipulação de dados

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Stored procedures e triggers Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção

Leia mais

Linguagem PL/SQL e Triggers

Linguagem PL/SQL e Triggers TECNOLOGIA DE BASES DE DADOS Linguagem PL/SQL e Triggers António Manuel Silva Ferreira UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE CIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA asfe@di.fc.ul.pt Sumário Linguagem PL/SQL

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL

Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua. PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL Laboratório de Banco de Dados Prof. Luiz Vivacqua PL/pgSQL A Linguagem de programação do PostgreSQL 1) Visão Geral A PL/pgSQL é uma linguagem de programação procedural para o Sistema Gerenciador de Banco

Leia mais

PL/pgSQL por Diversão e Lucro

PL/pgSQL por Diversão e Lucro PL/pgSQL por Diversão e Lucro Roberto Mello 3a. Conferência Brasileira de PostgreSQL - PGCon-BR Campinas - 2009 1 Objetivos Apresentar as partes principais do PL/pgSQL Apresentar casos de uso comum do

Leia mais

poder de manipulação de dados do SQL com poder de processamento das lp procedimentais

poder de manipulação de dados do SQL com poder de processamento das lp procedimentais PL/SQL Extensão ao SQL Estruturada em blocos Permite controlo do fluxo de execução Permite integração entre diferentes ferramentas Oracle Não permite comandos DDL PL/SQL combina: poder de manipulação de

Leia mais

SQL Procedural. Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com

SQL Procedural. Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com SQL Procedural Josino Rodrigues Neto josinon@gmail.com SQL Procedural Agregada em SQL-92 As ferramentas têm nomes para suas linguagens SQL procedurais/embutidas Oracle : PL/SQL Postgres PL/Pgsql SQL Server

Leia mais

Introdução ao PL/SQL

Introdução ao PL/SQL Introdução ao PL/SQL Pág.: 2/53 SUMÁRIO 1 FUNDAMENTOS... 4 1.1 O QUE É O PL/SQL?... 4 1.2 COMO É EXECUTADO UM PL/SQL NO ORACLE SERVER... 4 1.3 ESTRUTURA DE UM BLOCO PL/SQL... 5 1.4 TIPOS DE BLOCOS PL/SQL...

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Rules and Triggers André Restivo Sistemas de Informação 2006/07 Rules e Triggers Nem todas as restrições podem ser definidas usando os mecanismos que estudamos anteriormente: - CHECK

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PL/SQL

INTRODUÇÃO AO PL/SQL INTRODUÇÃO AO PL/SQL ALEX JOSE SILVA RECIFE/2015 Índice Introdução Ao Pl/Sql...3 Entendendo a linguagem...4 Principais características da linguagem PL/SQL...5 Blocos de código...5 Declaração de variáveis...5

Leia mais

Triggers e mais... Instituto Militar de Engenharia IME 1o. Semestre/2005 Triggers Propósito mais amplo que restrições Restrições onde se explicita o evento Regras event-condition-action (ECA) Eventos:

Leia mais

Create Sequence Cria uma sequence. Uma sequence é um objeto que permite vários usuários gerarem valores inteiros sem repetição.

Create Sequence Cria uma sequence. Uma sequence é um objeto que permite vários usuários gerarem valores inteiros sem repetição. Conceitos PL/Sql Create Sequence Cria uma sequence. Uma sequence é um objeto que permite vários usuários gerarem valores inteiros sem repetição. Sintaxe CREATE SEQUENCE [schema.]sequence [INCREMENT BY

Leia mais

Bancos de Dados I. Integridade semântica

Bancos de Dados I. Integridade semântica Bancos de Dados I PUC-Rio Departamento de Informática (DI) Eng./Ciência da Computação e Sist. Informação Contrôle de Integridade em SGBDs: procedimentos armazenados, gatilhos e funções Prof. sergio@inf.puc-rio.br

Leia mais

SQL Gatilhos (Triggers)

SQL Gatilhos (Triggers) SQL Gatilhos (Triggers) Laboratório de Bases de Dados Gatilho (trigger) Bloco PL/SQL que é disparado de forma automática e implícita sempre que ocorrer um evento associado a uma tabela INSERT UPDATE DELETE

Leia mais

FAPLAN - Faculdade Anhanguera Passo Fundo Gestão da Tecnologia da Informação Banco de Dados II Prof. Eder Pazinatto Stored Procedures Procedimento armazenados dentro do banco de dados Um Stored Procedure

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Store Procedure e Trigger

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Store Procedure e Trigger PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Store Procedure e Trigger a tecnologia de banco de dados permite persistir dados de forma a compartilha-los com varias aplicações. Aplicação 1 aplicação 2 aplicação 3 SGDB Banco

Leia mais

Triggers e Regras. Fernando Lobo. Base de Dados, Universidade do Algarve

Triggers e Regras. Fernando Lobo. Base de Dados, Universidade do Algarve Triggers e Regras Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 14 Triggers Um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre.

Leia mais

Triggers. um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre.

Triggers. um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre. Triggers um trigger permite que uma determinada sequência de comandos SQL seja accionada quando um determinado evento ocorre. o evento pode ser INSERT, UPDATE, ou DELETE. o trigger pode ser accionado imediatamente

Leia mais

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE PERFORM O comando PERFORM permite a execução de um comando SELECT desprezando o resultado do comando. PERFORM query; A variável especial FOUND é definida como verdadeiro se a instrução produzir pelo menos

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Funções/procedimentos e triggers. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia. Manual referência PostgreSQL

Bases de Dados 2012/2013 Funções/procedimentos e triggers. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia. Manual referência PostgreSQL Bases de Dados 2012/2013 Funções/procedimentos e triggers em PostgreSQL Helena Galhardas Bibliografia Manual referência PostgreSQL http://www.postgresql.org/docs/9.2/static/ plpgsql.html http://www.postgresql.org/docs/9.2/static/

Leia mais

GBC043 - Sistemas de Banco de Dados Funções e Gatilhos no PostgreSQL

GBC043 - Sistemas de Banco de Dados Funções e Gatilhos no PostgreSQL GBC043 - Sistemas de Banco de Dados Funções e Gatilhos no PostgreSQL Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/sbd UFU/FACOM/BCC Página 2 Prgrama Teórico/Prático - SQL Linguagem

Leia mais

Logado no OracleXE vamos acessar a opção:

Logado no OracleXE vamos acessar a opção: Tutorial PL/SQL O PL/SQL é uma linguagem procedural que roda diretamente no núcleo do SGBD Oracle. O objetivo deste tutorial é mostrar a criação de funções e procedimentos em PL/SQL, interagindo com comandos

Leia mais

PL/pgSQL. Introdução. Introdução. Introdução

PL/pgSQL. Introdução. Introdução. Introdução Introdução PL/pgSQL Banco de Dados II Prof. Guilherme Tavares de Assis PL/pgSQL (Procedural Language for the PostgreSQL) é uma linguagem procedural carregável desenvolvida para o SGBD PostgreSQL, que possui

Leia mais

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger

PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger PROGRAMAÇÃO EM BANCO DADOS Stored Procedure e Trigger A tecnologia de banco de dados permite persistir dados de forma a compartilha-los com varias aplicações. Aplicação 1 aplicação 2 aplicação 3 SGDB Banco

Leia mais

PROCEDURES, FUNÇÕES, PL/SQL, CURSORES, VIEW, ÍNDICE e SEQUÊNCIA. Stored procedure PL/SQL. Procedimentos e Funções. Procedimento (procedure) Procedure

PROCEDURES, FUNÇÕES, PL/SQL, CURSORES, VIEW, ÍNDICE e SEQUÊNCIA. Stored procedure PL/SQL. Procedimentos e Funções. Procedimento (procedure) Procedure PROCEDURES, FUNÇÕES, PL/SQL, CURSORES, VIEW, ÍNDICE e SEQUÊNCIA Stored procedure Uma Stored procedure é um grupo de comandos SQL e PL/SQL que executam determinada tarefa e podem ser invocados por um nome.

Leia mais

trigger insert, delete, update

trigger insert, delete, update 1 Um trigger é um conjunto de instruções SQL armazenadas no catalogo da BD Pertence a um grupo de stored programs do MySQL Executado quando um evento associado com uma tabela acontece: insert, delete,

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 11-1. INTRODUÇÃO TRIGGERS (GATILHOS OU AUTOMATISMOS) Desenvolver uma aplicação para gerenciar os dados significa criar uma aplicação que faça o controle sobre todo ambiente desde a interface, passando

Leia mais

Triggers no PostgreSQL

Triggers no PostgreSQL Triggers no PostgreSQL Traduzido do manual do PostgreSQL Pode-se utilizar PL/pqSQL para a definição de triggers (gatilhos). Um procedimento do tipo trigger é criado com o comando CREATE FUNCTION, declarando

Leia mais

Tarefa Orientada 19 Triggers

Tarefa Orientada 19 Triggers Tarefa Orientada 19 Triggers Objectivos: Criar triggers AFTER Criar triggers INSTEAD OF Exemplos de utilização Os triggers são um tipo especial de procedimento que são invocados, ou activados, de forma

Leia mais

Monitoria GDI Aula Prática. DML + PL/SQL parte 1

Monitoria GDI Aula Prática. DML + PL/SQL parte 1 Monitoria GDI Aula Prática DML + PL/SQL parte 1 DML linguagem de manipulação de dados SQL Estrutura básica de uma consulta SQL SELECT Coluna1[,Coluna2[,Coluna3[,...]]] FROM Tabela1[,Tabela2[,...]] WHERE

Leia mais

Controle de transações em SQL

Controle de transações em SQL Transações Controle de transações em SQL Uma transação é implicitamente iniciada quando ocorre uma operação que modifica o banco de dados (INSERT, UPDATE ou DELETE). Uma transação pode terminar normalmente

Leia mais

Hugo Pedro Proença, 2007

Hugo Pedro Proença, 2007 Stored Procedures À medida que a complexidade dos sistemas aumenta, torna-se cada vez mais difícil a tarefa de integrar o SQL com as aplicações cliente. Além disto, é necessário que todas as aplicações

Leia mais

Consultoria e Treinamento em Bancos de Dados Relacionais

Consultoria e Treinamento em Bancos de Dados Relacionais Tabela de conteúdos CREATE TABLE AS...1 CREATE DOMAIN...1 Funções de dados...2 Funções de data e hora...2 Funções de agregação...3 Expressões condicionais...4 CASE...4 COALESCE...4 NULLIF...4 Controle

Leia mais

Banco de Dados II. Triggers e Functions. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas

Banco de Dados II. Triggers e Functions. Prof. Moser Fagundes. Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Banco de Dados II Triggers e Functions Prof. Moser Fagundes Curso TSI Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) Campus Charqueadas Sumário da aula Functions (funções) Triggers (gatilhos) Atividades Functions

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Helena Galhardas Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 1 Sumário Restrições de Integridade (RIs) em SQL Chave

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 8

Bases de Dados 2007/2008. Aula 8 Bases de Dados 2007/2008 Aula 8 1. T-SQL 2. VARIÁVEIS 3. CURSORES 4. PROCEDIMENTOS 5. EXERCÍCIOS Sumário Referências http://msdn2.microsoft.com/en-us/library/ms189826.aspx (linguagem t-sql) http://www.di.ubi.pt/~pprata/bd/bd0405-proc.sql

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 9

Bases de Dados 2007/2008. Aula 9 Bases de Dados 2007/2008 Aula 9 1. T-SQL TRY CATCH 2. TRATAMENTO ERROS RAISERROR 3. TRIGGERS 4. EXERCÍCIOS Sumário Referências http://msdn2.microsoft.com/en-us/library/ms189826.aspx (linguagem t-sql) http://www.di.ubi.pt/~pprata/bd/bd0405-proc.sql

Leia mais

Programação com ODBC 3

Programação com ODBC 3 Programação com ODBC 3 Ambiienttes de Desenvollviimentto Avançados Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Alexandre Bragança 1998/99 3 Programação com ODBC 3.1 Estrutura de uma

Leia mais

BD Oracle. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD Oracle. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD Oracle SGBD Oracle Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD Oracle Introdução aos SGBD Base de Dados Colecção de dados que descrevem alguma realidade Sistema de

Leia mais

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Equipe: Felipe Cavalcante Fernando Kakimoto Marcos Corrêa Sumário 1. Mini-Mundo... 3 1.1 Entidades...

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 10 - PROCEDIMENTOS ARMAZENADOS - STORED PROCEDURES 1. INTRODUÇÃO Em muitas situações será necessário armazenar procedimentos escritos com a finalidade de se utilizar recursos como loop, estruturas

Leia mais

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL

Triggers em PostgreSQL. Linguagem de Programação de Banco de Dados. Triggers em PostgreSQL. Triggers em PostgreSQL Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Linguagem de Programação de Banco de Dados Triggers em PostgreSQL Todos os bancos de dados comerciais possuem uma linguagem procedural auxiliar para a

Leia mais

Oracle 10g Dicas de PL/SQL. Conteúdo

Oracle 10g Dicas de PL/SQL. Conteúdo Oracle 10g Dicas de PL/SQL Conteúdo Objetivos... 2 Comentários... 2 Declarações... 2 Conversões de variáveis... 2 DDL Criar, alterar ou apagar tabelas Create, Alter or Drop table... 3 Restrições na criação

Leia mais

SQL e PL/SQL Oracle Dicas de preparação para certificação

SQL e PL/SQL Oracle Dicas de preparação para certificação - 1 - SQL e PL/SQL Oracle Dicas de preparação para certificação Selection: para escolher linhas em uma tabela Projection: para escolher colunas em uma tabela Join: pode trazer simultaneamente dados que

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Apostila do Minicurso de PL/SQL. François Oliveira

Apostila do Minicurso de PL/SQL. François Oliveira Apostila do Minicurso de PL/SQL François Oliveira PL/SQL é uma extensão para SQL ela adiciona a linguagem procedural ao SQL do Oracle. Ela oferece modernas características como sobrecarga, coleções, tratamento

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009 Laboratório 3 Base de Dados II 2008/2009 Plano de Trabalho Lab. 3: Programação em Transact-SQL MYSQL Referências www.mysql.com MICROSOFT SQL SERVER - Procedimentos do Lado do Servidor (Stored Procedures)

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS Compreender e utilizar a linguagem SQL, na construção e manutenção de uma base de dados. PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.ºH CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO MULTIMÉDIA ANO LECTIVO 2013/2014 6. LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO IV Pré-requisitos: - Planificar e estruturar bases

Leia mais

O dono de uma livraria cuja base de dados é administrada por si pediu-lhe para efectuar as seguintes alterações ao preço dos livros:

O dono de uma livraria cuja base de dados é administrada por si pediu-lhe para efectuar as seguintes alterações ao preço dos livros: - Necessidade O dono de uma livraria cuja base de dados é administrada por si pediu-lhe para efectuar as seguintes alterações ao preço dos livros: Os livros que custarem mais de 10, devem ver o seu preço

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE CONTEÚDO BANCO DE DADOS

RECUPERAÇÃO DE CONTEÚDO BANCO DE DADOS RECUPERAÇÃO DE CONTEÚDO BANCO DE DADOS No Instituto Federal do Paraná tounou-se necessário o armazenamento de certas informações para controle de pessoal. Para armazenar tais dados é necessário saber que:

Leia mais

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL SQL TGD/JMB 1 Projecto de Bases de Dados Linguagem SQL SQL TGD/JMB 2 O que é o SQL? SQL ("ess-que-el") significa Structured Query Language. É uma linguagem standard (universal) para comunicação com sistemas

Leia mais

DSS 08/09. Camada de Dados - JDBC. Aula 1. António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho.

DSS 08/09. Camada de Dados - JDBC. Aula 1. António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho. Universidade do Minho Departamento de Informática Camada de Dados - JDBC Aula 1 António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jfc}@di.uminho.pt 2 Camada de Dados A camada

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

DSS 09/10. DSS 09/10 Que métodos é que fazem parte de cada camada? Aplicações Multi-camada JDBC. Aula 3 DSS 09/10

DSS 09/10. DSS 09/10 Que métodos é que fazem parte de cada camada? Aplicações Multi-camada JDBC. Aula 3 DSS 09/10 Universidade do Minho Departamento de Informática Aplicações Multi-camada JDBC Aula 3 António Nestor Ribeiro /António Ramires Fernandes/ José Creissac Campos {anr,arf,jose.campos@di.uminho.pt 2 Programação

Leia mais

Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer

Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer 1 escolher o tipo de dados de cada atributo 2 escolher as chaves Gerar as tabelas Correr o "Database Design Transformer" 3 Seleccionar

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Funções e procedimentos Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção de

Leia mais

Centro Universitário Franciscano

Centro Universitário Franciscano Centro Universitário Franciscano Banco de Dados II Prof a.: Walkiria Cordenonzi descrevem condições lógicas que podem ser válidas para um banco de dados ou para uma seqüência de transição de estados do

Leia mais

Prof. Josenildo Silva

Prof. Josenildo Silva BD II (SI 587) Gatilhos (Triggers) Prof. Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br Motivação Algumas rotinas precisam ser executadas antes ou depois de um determinado evento no banco de dados Motivação Regras

Leia mais

PostgreSQL 8.0. Diogo Biazus

PostgreSQL 8.0. Diogo Biazus PostgreSQL 8.0 Diogo Biazus PostgreSQL 7.X Totalmente ACID MVCC Tipos e operadores customizáveis Diversas linguagens procedurais Hot backup Código aberto (BSD) Facilidade de extensão PL/pgSQL, PL/Python,

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Fernanda Baião UNIRIO Material parcialmente extraído a partir das notas de aula de Maria Luiza M. Campos, Arnaldo Rocha e Maria Cláudia Cavalcanti Comandos de Definição

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

PostgreSQL. www.postgresql.org. André Luiz Fortunato da Silva Analista de Sistemas CIRP / USP alf@cirp.usp.br

PostgreSQL. www.postgresql.org. André Luiz Fortunato da Silva Analista de Sistemas CIRP / USP alf@cirp.usp.br PostgreSQL www.postgresql.org André Luiz Fortunato da Silva Analista de Sistemas CIRP / USP alf@cirp.usp.br Características Licença BSD (aberto, permite uso comercial) Multi-plataforma (Unix, GNU/Linux,

Leia mais

São 182 videoaulas de Oracle pl/sql procedures functions triggers Forms Reports

São 182 videoaulas de Oracle pl/sql procedures functions triggers Forms Reports Preço R$ 129.00 Compre aqui São 182 videoaulas de Oracle pl/sql procedures functions triggers Forms Reports - Clique aqui para ver o cronograma das aulas - Clique aqui para ver as imagens deste curso -

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

BD II (SI 587) Procedimentos Armazenados

BD II (SI 587) Procedimentos Armazenados BD II (SI 587) Procedimentos Armazenados Josenildo Silva jcsilva@ifma.edu.br MOTIVAÇÃO Contexto: Sistemas em 2 camadas Contexto: Sistemas em 3 camadas Problema 1: Alto volume de dados na rede Como reduzir

Leia mais

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências

Bases de Dados 2007/2008. Aula 1. Referências Bases de Dados 2007/2008 Aula 1 Sumário 1. SQL Server 2000: configuração do acesso ao servidor. 1.1. SQL Server Service Manager. 1.2. SQL Server Enterprise Manager. 1.3. SQL Query Analyzer. 2. A base de

Leia mais

Autenticação e Controle de Acesso em Forms e Reports via Oracle Internet Directory. Daniel Murara Barcia danielbarcia@hotmail.com

Autenticação e Controle de Acesso em Forms e Reports via Oracle Internet Directory. Daniel Murara Barcia danielbarcia@hotmail.com Autenticação e Controle de Acesso em Forms e Reports via Oracle Internet Directory. Daniel Murara Barcia danielbarcia@hotmail.com INTRODUÇÃO As aplicações corporativas de um importante órgão público do

Leia mais

FUNCTIONS EM UMA INSTRUÇÃO SQL...

FUNCTIONS EM UMA INSTRUÇÃO SQL... PL/SQL Avançado 2 1 MUTATING TABLES... 4 1.1 O QUE É MUTATING TABLE?... 4 1.2 SIMULANDO UM MUTATING TABLE... 4 1.3 QUAIS EVENTOS CAUSAM MUTATING TABLE... 5 2 CURSOR VARIABLES... 7 2.1 CARACTERÍSTICAS DAS

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas.

Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. MySQL 101 Recapitulando Os dados no MySQL são armazenado em tabelas. Uma tabela é uma colecção de informação relacionada e consiste em colunas e linhas. As bases de dados são úteis quando necessitamos

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho Laboratório de Banco de Dados II Aula 04 Prof. Érick de Souza Carvalho 1 SQL (Structured Query Language ) Prof. Érick de Souza Carvalho 2 SQL Structured Query Language - Introdução É uma Linguagem para

Leia mais

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server SGBD SQL Server Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server Criação da Ligação ao SGBD Entrar no Microsoft SQL Server / Enterprise Manager Criar

Leia mais

Consulting Tecnologia & Sistemas Ltda www.consulting.com.br

Consulting Tecnologia & Sistemas Ltda www.consulting.com.br Por Edson Almeida Junior Março-2006 Ultima Atualização 11/04/2006 2 1. INTRODUÇÃO Introdução Ao desenvolvermos um projeto temos em mente algumas questões para que o sistema implementando satisfaça as nossas

Leia mais

Gatilhos (Triggers) Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com. Elaborado por Maria Lígia B. Perkusich

Gatilhos (Triggers) Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com. Elaborado por Maria Lígia B. Perkusich Gatilhos (Triggers) Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noited}@marciobueno.com Elaborado por Maria Lígia B. Perkusich O que é um gatilho (trigger)? Um gatilho é um tipo especial de procedimento armazenado

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

0 1 5 5 _ B A S E D E D A D O S P A R A I N T E R N E T ( S E R V E R S I D E )

0 1 5 5 _ B A S E D E D A D O S P A R A I N T E R N E T ( S E R V E R S I D E ) 0 1 5 5 _ B A S E D E D A D O S P A R A I N T E R N E T ( S E R V E R S I D E ) EFA NÍVEL SECUNDÁRIO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA (TICM) 04-05-2011 0155_Base de dados para Internet

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS. Profº Erinaldo Sanches Nascimento UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSORS Profº Erinaldo Sanches Nascimento Introdução Cursor é usado para percorrer um conjunto de linhas retornadas por uma consulta

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Integridade dos Dados

Integridade dos Dados 1 Integridade dos Dados Integridade dos Dados Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br A integridade dos dados é feita através de restrições, que são condições obrigatórias impostas pelo modelo. Restrições

Leia mais